TIPOGRAFIA LEVE PESADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TIPOGRAFIA LEVE PESADO"

Transcrição

1 TIPOGRAFIA Tipografia é o emprego de elementos gráficos que podem ser utilizados na escrita (letras, números, rabiscos, símbolos) para se construir uma mensagem visual - seja ela compreensível ou não. A forma da letra é capaz e distanciar ou enfatizar o significado de uma palavra. Cada detalhe do seu desenho nos remete a certas características conscientes ou inconscientes. LEVE PESADO Escolher um tipo de letra ideal para um determinado trabalho é, antes de tudo, um processo de grande reflexão no qual precisamente devem ser considerados todos os aspectos socioculturais, psicológicos, e estéticos imerentes a peça. Esta tarefa dificulta-se a cada dia à medida que a diversidade de tipos de letra também cresce assustadoramente. Por mais sofisticados que sejam os processos de produção, eles jamais substituirão o homem em sua capacidade estética de criação. Cabe ao homem compor. Computadores, Scanners, impressoras, nada mais são do que ferramentas de produção que jamais influirão na criação. ORIGEM DA TIPOGRAFIA A tipografia começou a ter destaque na Idade Média com os monges copistas que faziam copias de textos importantes com um trabalho tipográfico que marcou muito a época, um estilo gótico que se manteve até o surgimento da imprensa. Com a imprensa a leitura se democratiza e os tipos móveis de madeira e de metal permitem editar uma grande quantidade de exemplares de um mesmo texto, embora a maioria da população ainda fosse analfabeta, pois nesta época a Igreja possuía todo o domínio sobre o conhecimento geral. Em principio, a tipografia limita a caligrafia gótica dos escritos à mão. A pagina de ABC, dos primeiros anos do século XX, é claramente modernista com tipos de letras muito dispares entre si:

2 egípcias, pau seco e outras puramente ornamentais. Em 1940 apareceram às primeiras filmadoras de fotocomposição, que supõem uma segunda revolução tipográfica, e com elas os processos de produção se tornaram mais ágeis. Na década de 1980, a liberdade absoluta de estilo e a composição de textos são conseguidas graças ao computador pessoal. O diagramador tem total autonomia para jogar com os estilos, os corpos, as espessuras e as cores das letras. E de forma instantânea. Como sempre, a tecnologia se coloca a serviço da criatividade. ESTRUTURA DO CARACTERE ÁPICE extremidade superior da letra HASTE parte que compõe a letra TRAVE parte que atravessa a letra BASEOUPÉ extremidade inferior da letra SERIFAS aparas existente sem alguns tipos de letras Quadro das partes dos caracteres nomeados em jargão tipográfico.

3 Em texto escrita toda em caixa alta (maiúsculas) tende a formar uma massa de faixas cinza com quase nenhuma variação de forma. ABCDEFGHIJLMNOPQRSTUVWXYZ Quando este mesmo texto é escrito em caixa baixa (minúsculas) as hastes ascendentes e descendentes proporcionam uma variação de cinzas, tornam do a leitura mais agradável. abcdefghijlmnopqrstuvwxyz CORPO O corpo é a medida de altura que um determinado tipo de letra possui.vai da haste ascendente até a haste descendente da letra. FAMÍLIAS As letras classificam-se basicamente em cinco grupos. Sendo assim, podemos dizer que todos os tipos de letras que possuímos são, de certa forma, variações destes grupos. ROMANA ANTIGA Com inspiração na escrita romana os franceses criaram em meados do século XVIII uma família de letras que é ótima para textos extensos por possuir um descanso visual decorrente do contraste harmonioso entre suas hastes e um desenho de serifas muito agradável.

4 ROMANA MODERNA É uma evolução do romano clássico com um contraste maior entre as hastes, as serifas triangulares foram substituídas por serifas retilíneas. Este tipo é meio delicado no momento da reprodução por causa das hastes muito finas. A Romana Moderna é um pouco mais leve e com maior legibilidade. EGÍPCIA Foi criada no período da Revolução Industrial (século XVIII). Sua principal característica é a regularidade das hastes e serifas quadradas. Seu uso é desaconselhável em textos longos, pois suas serifas deixam o texto pesado demais. LAPIDÁRIA Inspirada nas inscrições Fenícias que eram feitas usando-se bastões de argila esta letra foi criada na Alemanha no século XIX. Esta família não possui variação entre suas hastes e seus arremates não formam serifas. É o tipo mais utilizado em textos publicitários e em embalagens. CURSIVA

5 Neste grupo estão todos os tipos de letras que não se enquadram em nenhum dos parâmetros de classificação anteriores. Temos os caracteres góticos, as letras que imitam a escrita manual, e muitas outras letras que contenham sombras e ou ornamentos. Por serem mais decorativas estas letras têm a sua legibilidade comprometida. TIPOS BATIZADOS COM NOMES PRÓPRIOS No menu de opções de "fontes" de qualquer processador de textos surge um repertório relativamente extenso de nomes, cujo significado real escapa à maioria dos usuários de computadores. Valem à pena resgatar alguns deles, pois atrás desses nomes escondem-se homens que, com paciência e dedicação, conseguiram colocar na tela do computador tipos muito diferentes, uns dos outros. O suíço Adrian Frutiger (lnterlaken, 1928) é uma dessas pessoas. Frutiger iniciou sua carreira de tipógrafo em Paris, onde deixou marcas de seu trabalho no metrô e no aeroporto de Orly. De seu estúdio parisiense saíram famílias para IBM, além de outras batizadas como Univers ( ), ou com o nome de seu próprio inventor ( ), esta última originalmente criada para o aeroporto Charles de Gaulle. Todas essas famílias, bastante legíveis e harmônicas, inseriram-se de forma ímpar na tipografia usada pela Informática. Dessa mesma lista, figura também o britânico Eric Gill ( ), insólito gravurista criador da via-crúcis da catedral de Westminster. Seus tipos Gill Sans e Perpetua foram criados para a Nonotype Corporation e utilizados pelo movimento Art & Crafts, em seus trabalhos e Idéias sobre estética.

6 ESPACEJAMENTO O espacejamento óptico é a correção do espacejamento mecânico. Com ele as desigualdades dos espaços brancos entre os caracteres provenientes das diferenças de forma de cada letra são compensadas. Por vezes, torna-se necessário alterar o espacejamento de determinadas fontes para garantir uma uniformidade visual da mensagem que se pretende transmitir. ABCDTO A B C D T O ESPACEJAMENTO ÓPTICO ESPACEJAMENTO MECÂNICO ENTRELINHA Espaço existente entre a linha-base de um texto e a linha-base seguinte. Simplificando, a entrelinha é a distância existente entre a primeira e a segunda linha. Minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá. CLASSIFICAÇÃO DE ESTILOS

7 TIPOGRAFIA NA WEB Pensar em tipografia para a Internet é desenhar mensagens interativas. É a comunicação a favor da interação. Tipografia na web desenvolve soluções inovadoras e únicas. Afinal, são novos instrumentos (computadores, modem), novos sinais novas dimensões (hipertexto, hiperlink), novas linguagens (html, Java) e necessidades individuais a serem supridas. Em meio a essa quantidade de "web coisas" você precisa entender que a natureza da web é flexível e intrincada, e possui diversas variantes: distintos tamanhos de telas, monitores com baixa resolução, possibilidades de representação infinitas, interfaces as mais diversas possíveis, além da multimídia completa permitida. Não basta só estética, a tipografia na web precisa ser agradável, legível quando necessário, deve possuir personalidade própria. Existem empresas que produzem e distribuem fontes otimizadas para uma melhor visualização na tela. Suas características são: letras com hastes mais largas, maior altura no corpo, espaço maior entre as letras. Tudo objetivando um melhor encaixe da letra à grade de pixel do monitor. São tipos projetados para proporcionar legibilidade na tela, independentemente, da resolução, para serem utilizados apenas em projetos desenvolvidos para mídias digitais, web pages ou apresentação multimídia. Falando de tipografia para Internet, você não pode buscar a mesma definição e perfeição que existe na mídia impressa. O segredo de uma boa tipografia não se limita ao bom uso da tecnologia, mas traduz-se, principalmente, na apresentação de soluções para uma boa leitura da mensagem de acordo com a assimilação do público que deseja atingir. Porque assimilamos as palavras pela forma plástica e pelo conceito apresentados. TIPOS DE FONTES PARA WEB FONTES TTF

8 São as mais comuns, o formato TTF (true type) foi desenvolvido pela Microsoft em parceria com a Apple. Nesse formato, a fonte que você vê no monitor é a mesma que será impressa o que torna esse padrão bastante versátil. FONTES POSTSCRIPT Formato desenvolvido pelo Adobe, também conhecido como "Type1" ou "PS". Esse tipo de fonte é composto por dois arquivos: uma para ser vista no monitor e uma outra para a impressa. Esse tipo de fonte é muito usado na indústria gráfica. Para empregar esse formato é necessário um software adicional para habilitá-la e para que o sistema a reconheça, o que pode ser conseguido gratuitamente no site FONTES BITMAP Também conhecidas como fontes de tela ou screen fonts. Essas fontes são otimizadas para apresentarem o máximo de desempenho no monitor, levando em conta a grade de pixels dos mesmos. Essas fontes não possuem anti-serrilhados, por isso apresentam uma leitura mais agradável. Fontes bitmap, apesar de parecerem muito pequenas, fazem com que subtítulos, notas, informações complementares apresentem maior facilidade de leitura, além de conferirem à página um design profissional. Endereços de Sites de Fontes na Web Aqui estão alguns sites onde se podem encontrar diversos tipos de fontes para trabalhos tipográficos:

9 misprintedtype.com/v studio.adobe.com/us/typel/main.jsp webtypography.net simplythebest.net/fonts

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS2/CS3 DIREÇÃO DE ARTE Apostila 4 A TIPOLOGIA APLICADA À PROPAGANDA MARÇO 2009 k A TIPOLOGIA APLICADA À PROPAGANDA Conceitos: Tipologia: Consiste

Leia mais

TIPOLOGIA. Tipografia e sistemas de composição Prof. André Wander 1

TIPOLOGIA. Tipografia e sistemas de composição Prof. André Wander 1 TIPOLOGIA O estudo da evolução da tipologia se confunde com a história da humanidade, visto que, enquanto o homem buscava o aperfeiçoamento da comunicação através da escrita, grandes mudanças tecnológicas

Leia mais

serifa inclinada TIMES serifa

serifa inclinada TIMES serifa TIPOLOGIA NA WEB CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS Com Serifa Serifa é uma haste perpendicular que termina os principais traços de algumas letras. Este recurso facilita a leitura de textos impressos, aglutiando

Leia mais

A largura das colunas

A largura das colunas A largura das colunas Largura ideal: As pessoas leem mais depressa se não precisarem mover a cabeça, mas apenas correr ligeiramente os olhos da esquerda para direita, da direita para esquerda. Os olhos

Leia mais

Applets no Geogebra. Acesse os endereços dados a seguir e conheça exemplos de Applets. http://206.110.20.132/~dhabecker/geogebrahtml/index.

Applets no Geogebra. Acesse os endereços dados a seguir e conheça exemplos de Applets. http://206.110.20.132/~dhabecker/geogebrahtml/index. Applets no Geogebra Sonia Regina Soares Ferreira UFBA Applet é um software aplicativo que é executado no contexto de outro programa. Os applets geralmente tem algum tipo de interface de usuário, ou fazem

Leia mais

Para muitos autores como Richard Hollis (2000), quando ocorre a transição

Para muitos autores como Richard Hollis (2000), quando ocorre a transição Para muitos autores como Richard Hollis (2000), quando ocorre a transição da composição gráfica por partes separadas e isoladas para a criação única do artista de texto e ilustração, houve então o início

Leia mais

Legibilidade. Buracos brancos. Entrelinhas

Legibilidade. Buracos brancos. Entrelinhas A única coisa capaz de atrair o leitor é uma informação transmitida de maneira clara, pertinente e envolvente. A ilustração e o título atraem sua atenção, mas é o texto que encerra toda a informação que

Leia mais

Fundamentos de design

Fundamentos de design Fundamentos de design gordongroup Sobre o gordongroup gordongroup é uma agência de marketing e comunicação de tempo integral e de balcão único, que oferece um conjunto exclusivo de serviços criativos,

Leia mais

Fundamentos de design

Fundamentos de design Fundamentos de design Uma das empresas de comunicação e marketing mais destacadas de Ottawa, Canadá, o gordongroup oferece um design premiado para uma oferta completa de produtos de comunicação de identidades

Leia mais

O surgimento da escrita, a invenção e a evolução das artes gráficas

O surgimento da escrita, a invenção e a evolução das artes gráficas O surgimento da escrita, a invenção e a evolução das artes gráficas A humanidade sempre dependeu de se comunicar para poder sobreviver melhor, transmitir os conhecimentos acumulados sempre foi algo muito

Leia mais

GUIA DE Identidade Visual

GUIA DE Identidade Visual Texto GUIA DE Identidade Visual UNA-SUS Guia de Identidade Visual 1 Index Apresentação Malha Construtiva Símbolo Tipograma Símbolo + Logotipo Arejamento Aplicações Preto e Branco Horizontais Verticais

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

THE BRAND GUIDE BOOKLET

THE BRAND GUIDE BOOKLET THE BRAND GUIDE BOOKLET APRESENTAÇÃO 1ª Edição Março de 2015 A experiência de uma pedalada perfeita só pode ser intensificada por uma bicicleta perfeita. Audax foi criada por almas aventureiras que entendem

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice AULA 1... 3 Apresentação... 3 Iniciando o CorelDRAW X3... 4 Componentes... 5 Barra de Menus... 6 Barra Padrão...

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Confiabilidade Confiabilidade será nossa palavra-chave: todas as nossas ações serão no sentido de conquistar o reconhecimento da OniSat como uma grande empresa na área de rastreamento.

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual ÍNDICE 1. MARCA Apresentação... 04 Cores Institucionais... 05 Família Tipográfi ca... 06 Construção... 07 Versões... 08 Fantasia... 09 Grayscale... 10 Uma Cor... 11 Assinaturas...

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009 16 a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. 17 Marca Dinâmica e evolutiva, a marca Bematech é formada pelo símbolo e logotipo. Suas elipses simbolizam a essência de uma empresa empreendedora.

Leia mais

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO II PROFESSORA: PATRÍCIA

Leia mais

22/04/2015. Publicidade Gráfica. Tipografia. Você sabe qual a importância da Tipografia no mundo em que vivemos?

22/04/2015. Publicidade Gráfica. Tipografia. Você sabe qual a importância da Tipografia no mundo em que vivemos? Publicidade Gráfica Tipografia Você sabe qual a importância da Tipografia no mundo em que vivemos? 1 Capa de Livro Capa de Revista 2 Cartaz Pôster de Filme 3 Grafitte 4 A tipografia do grego typos = forma

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual A empresa Chrysalis Nutri Essences nasceu de uma necessidade de atender a uma grande demanda na área de saúde, qualidade de vida e educação alimentar, com a finalidade de prestar

Leia mais

Sumário Prefácio 1 1 Apresentação 1 1 1 Introdução 1 1 2 Entendendo o Webdesign 2 1 2 1 A Evolução da Internet 4 1 3 Design de Internet 8 1 3 1 Harmonia 10 1 3 2 As Formas e suas Funções 11 1 3 3 Equilíbrio

Leia mais

Notas para um encontro sobre Tipografia

Notas para um encontro sobre Tipografia Priscila Farias Notas para um encontro sobre Tipografia [Criação (design de tipos) e/ou utilização (design com tipos) de símbolos visíveis relacionados aos caracteres ortográficos e para-ortográficos da

Leia mais

Microsoft Office Word 2007

Microsoft Office Word 2007 Microsoft Office Word 2007 Criando ou editando um documento no MS-Word 1 O Microsoft Word É o processador de textos mais conhecido e utilizado do mundo. A nova interface é agradável, com comandos e funções

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação OBJETIVO Formalizar o processo de utilização do Sistema Web de Acesso aos Procedimentos da Qualidade disponibilizado no site http://www.sandregas.com.br ABRANGÊNCIA Destina-se a todos os colaboradores

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado Disciplina: Desenho Técnico Tema: Introdução ao Desenho Técnico Profº

Curso Superior de Tecnologia em Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado Disciplina: Desenho Técnico Tema: Introdução ao Desenho Técnico Profº Curso Superior de Tecnologia em Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado Disciplina: Desenho Técnico Tema: Introdução ao Desenho Técnico Profº Milton 2014 DEFINIÇÃO Desenho Técnico é a linguagem técnica

Leia mais

Flex. MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo

Flex. MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo 2011 MANUAL DE USO DA FERRAMENTA FLEX O Flex como gerenciador de conteúdo Aprenda como é simples utilizar a ferramenta Flex como seu gerenciador de conteúdo online. Flex Desenvolvido pela ExpandWEB 31/01/2011

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

1 Representação de texto

1 Representação de texto O texto é uma das principais formas de comunicação assíncrona entre seres humanos. São exemplo os livros, os jornais, as revistas, etc. Mais recentemente, podemos dar como exemplo as mensagens SMS (Short

Leia mais

Projeto solidário para o ensino de Informática Básica

Projeto solidário para o ensino de Informática Básica Projeto solidário para o ensino de Informática Básica Parte 2 Sistema Operacional MS-Windows XP Créditos de desenvolvimento deste material: Revisão: Prof. MSc. Wagner Siqueira Cavalcante Um Sistema Operacional

Leia mais

Memorial Descritivo. Portfólio Acadêmico Online

Memorial Descritivo. Portfólio Acadêmico Online Faculdade de Tecnologia SENAC Memorial Descritivo Portfólio Acadêmico Online Projeto Integrador do Módulo 1 Produção Multimídia Por Irene Coelho 09 de maio de 2014 Sumário 1. Introdução pág.01 2. Objetivos

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015. Aula 01 Introdução

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015. Aula 01 Introdução DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0564) Notas de Aulas v.2015 Aula 01 Introdução DEFINIÇÃO Desenho Técnico é a linguagem técnica e gráfica empregada para expressar e documentar formas, dimensões, acabamento,

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO

BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO Envio de Remessas Online BEM VINDOS AO DHL WEB SHIPPING GUIA DE USO webshipping.dhl.com ACESSE O DHL WEB SHIPPING DE QUALQUER LUGAR DO MUNDO. Ideal para qualquer empresa com acesso à internet, o DHL Web

Leia mais

LAYOUT O layout (disposição de elementos de texto e imagens em uma peça gráfica).

LAYOUT O layout (disposição de elementos de texto e imagens em uma peça gráfica). Adriana C. Almeida O QUE É? Falleiros (2003) conceitua editoração eletrônica como o ramo da computação gráfica voltado para a produção de peças gráficas e editoriais, tais como jornais, livros, revistas,

Leia mais

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer o controle de exibição do documento; Fazer a correção ortográfica do documento

Leia mais

Referências bibliográficas:

Referências bibliográficas: Referências bibliográficas: - Tipos. Desenho e utilização de letras no projeto gráfico - Aldemar Pereira - Tipografia Digital - Priscila Farias - Planejamento Visual Gráfico - Milton Ribeiro - Projeto

Leia mais

Apresentação 3. Conceitos Básicos 4. Conceito da Marca 6

Apresentação 3. Conceitos Básicos 4. Conceito da Marca 6 Sumário Apresentação 3 Conceitos Básicos 4 O Clube 5 Conceito da Marca 6 Versões da Marca Assinatura Principal 7 Assinatura Secundária 8 Escala de Cinza 9 Colorida 9 Preto e Branco positivo 9 Preto e Branco

Leia mais

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Digitalização Este capítulo inclui: Digitalização básica na página 4-2 Instalando o driver de digitalização na página 4-4 Ajustando as opções de digitalização na página 4-5 Recuperando imagens na página

Leia mais

Resumo MANUAL DE MARCA. neodent.com.br/identidade-corporativa

Resumo MANUAL DE MARCA. neodent.com.br/identidade-corporativa neodent.com.br/identidade-corporativa MANUAL Resumo DE MARCA 01 a Componentes da marca Cores da marca As cores podem incitar uma emoção e evocar uma associação com a marca. A importância da cor não está

Leia mais

Versão 3.2. 1. Apresentação. Parte I. Vivaldo Armelin Júnior

Versão 3.2. 1. Apresentação. Parte I. Vivaldo Armelin Júnior Versão 3.2 2010 1. Apresentação Parte I Vivaldo Armelin Júnior Esta é a janela principal do BrOffice Impress. Um programa para edição de apresentações, que é livre, seu código é aberto e ainda... grátis.

Leia mais

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB!

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! 7 a e 8 a SÉRIES / ENSINO MÉDIO 15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! Sua home page para publicar na Internet SOFTWARES NECESSÁRIOS: MICROSOFT WORD 2000 MICROSOFT PUBLISHER 2000 SOFTWARE OPCIONAL: INTERNET EXPLORER

Leia mais

FESTA NA ESCOLA Uma campanha publicitária eficiente

FESTA NA ESCOLA Uma campanha publicitária eficiente Projetos para a Sala de Aula FESTA NA ESCOLA Uma campanha publicitária eficiente 5 a a 8 a SÉRIES Softwares necessários: Microsoft Publisher Microsoft workshop Software opcional: Internet explorer Guia

Leia mais

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 -

Construtor de sites SoftPixel GUIA RÁPIDO - 1 - GUIA RÁPIDO - 1 - Sumário Introdução...3 Por que utilizar o Construtor de Sites?...3 Vantagens do Construtor de Sites...3 Conceitos básicos...3 Configuração básica do site...5 Definindo o layout/template

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Web Design

Tópicos de Ambiente Web Web Design Tópicos de Ambiente Web Web Design Professora: Sheila Cáceres Historia As primeiras formas comunicativas foram mediante elementos visuais. Embora o surgimento da linguagem falada, a linguagem visual continuou

Leia mais

Sumário. Computação Gráfica Illustrator

Sumário. Computação Gráfica Illustrator 1 Sumário Área de trabalho... 2 Barra de tarefas... 5 Menu ajuda... 6 Menu janela... 7 Menu exibir... 8 Menu efeito... 9 Menu selecionar... 10 Menu tipo... 10 Menu objeto... 12 Menu editar... 13 Menu arquivo...

Leia mais

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Arte X Engenharia Desenvolver Sistema Web é arte? A Web oferece espaço para arte...... mas os usuários também desejam

Leia mais

Tecnologias Web. Lista de Exercícios AV02 Turma 3003. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Tecnologias Web. Lista de Exercícios AV02 Turma 3003. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Turma 3003 Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 Um analista de sistemas deseja enviar para seu cliente um arquivo de 300 Mb referente a uma atualização do software. Para transferir

Leia mais

Arquitetura: do repertório à prática

Arquitetura: do repertório à prática Arquitetura: do repertório à prática Arquiteto: - tecton, em grego, designava um artífice ligado à construção de objetos por junção de peças; - arqui, prefixo que indica superioridade. Arquitetura: Aurélio:

Leia mais

PASSO A PASSO: APRESENTAÇÕES EM PREZI 1

PASSO A PASSO: APRESENTAÇÕES EM PREZI 1 1 PASSO A PASSO: APRESENTAÇÕES EM PREZI 1 Juliana Gulka Biblioteca Central da UFSC juliana.gulka@ufsc.br PREZI X POWER POINT Quando falamos em slide hoje, lembramos de powerpoint. O prezi não vai matar

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva Conceitos Fundamentais de Microsoft Word Professor Rafael www.facebook.com/rafampsilva Introdução É um editor de texto ou processador de texto? editores de texto: editam texto (assim como uma máquina de

Leia mais

Da marcação de conformidade à codificação de valor agregado

Da marcação de conformidade à codificação de valor agregado Nota técnica Da marcação de conformidade à codificação de valor agregado Tecnologia de jato de tinta contínuo Ultra High Speed cria novas oportunidades para a melhoria das embalagens A inovação no setor

Leia mais

Considerações de legibilidade de código de barras e OCR

Considerações de legibilidade de código de barras e OCR OCR e fontes de código de 3 de 9 1 Considerações de legibilidade de código de e OCR de tela Existem diversos fatores que podem afetar a legibilidade de caracteres OCR e de código de e de OCR, incluindo

Leia mais

K H O R O Z N H V C S D K H O R C V

K H O R O Z N H V C S D K H O R C V 50 :: Webdesign K H O R O Z N H V C S D K H O R C V Legibilidade: garanta a clareza no olhar digital Não, essas combinações de letras não são códigos especiais que revelarão segredos incríveis, elas apenas

Leia mais

editor Writer, do BrOffice

editor Writer, do BrOffice editor Writer, do BrOffice Utilizar o editor Writer, do BrOffice, para editar textos e inserir tabelas; Conscientizar sobre o cuidado com os direitos autorais, citando sempre as fontes de onde foram retirados

Leia mais

Introdução ao icare 2

Introdução ao icare 2 Introdução ao icare 2 (Instrumentação para a Coleta Assistida de Resíduos Recicláveis V.2) Arthur Elídio da Silva Lucas Zenaro José Tarcísio F. de Camargo Unipinhal (2015) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 O

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica.

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica. Google App Inventor: o criador de apps para Android para quem não sabe programar Por Alexandre Guiss Fonte: www.tecmundo.com.br/11458-google-app-inventor-o-criador-de-apps-para-android-para-quem-naosabe-programar.htm

Leia mais

Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1

Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1 Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1 Danizieli de OLIVEIRA 2 Diego de OLIVEIRA 3 Renata Cristina FORNAZIERO 4 Thaís Roberta CASAGRANDE 5 Wolnei MENEGASSI 6 Paulo César D ELBOUX 7 Faculdade

Leia mais

Resumão Writer ( Broffice.org)

Resumão Writer ( Broffice.org) Resumão Writer ( Broffice.org) Resumo BrOffice.org Cespe O Broffice.org é um pacote de programas para escritório, do mesmo nível do pacote Microsoft Office. Os dois pacotes trazem programas parecidos e

Leia mais

gestão do design: projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01

gestão do design: projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01 : projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01 Cronograma de desenvolvimento do projeto Fases Período Março Abril Maio Junho

Leia mais

Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES.

Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES. Manual pra quê? O que move uma marca? Ela é movida pela CONFIANÇA E PERCEPÇÃO DE VALOR POR SEUS CONSUMIDORES. E a marca HEAVYLOAD transmite essa confiança e, também, cria essa percepção! Em cada momento

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

CECOM/IFC MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL CURSOS DO IFC

CECOM/IFC MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL CURSOS DO IFC CECOM/IFC MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL CURSOS DO IFC O OBJETIVO DO PROJETO A criação dos ícones dos cursos tem como objetivo construir uma identidade visual única para os cursos ofertados pelo IFC, principalmente

Leia mais

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Quase todos nós vamos precisar de óculos um dia (a menos que a tecnologia médica promova a substituição deste artefato por alguma outra coisa tecnológica,

Leia mais

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Informática I Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Ementa Noções Básicas de Computação (Hardware, Software e Internet) HTML e Páginas Web Internet e a Web Javascript e

Leia mais

Para acessar o menu do ISBA Online entre no site www.isba.com.br. A página abaixo irá se abrir:

Para acessar o menu do ISBA Online entre no site www.isba.com.br. A página abaixo irá se abrir: INSTITUTO SOCIAL DA BAHIA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO FAMILIAR E SOCIAL Rua Macapá, 128, Ondina, Salvador, Bahia Tel.: (71) 4009-3666 Faz: (71) 3332-1033 http://www.isba.com.br E-mail: info@isba.com.br

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. Índice Índice Capítulo 10 Inserindo figuras e objetos... 2 Configurando AutoFormas... 2 Criando Caixas de Texto... 3 Inserindo Linhas e Setas... 3 Utilizando WordArt... 4 Inserindo Figuras... 5 Configurando figuras...

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

2 Breve história da tipografia

2 Breve história da tipografia A importância da tipografia na história e na comunicação Suzana Funk Especialista em Design Gráfico e Estratégia Corporativa (UNIVALI) suzanadesign@gmail.com Ana Paula dos Santos Especialista em Design

Leia mais

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS 2 O que é Software Aplicativo? SOFTWARES APLICATIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Software que realiza tarefa útil específica Suítes de aplicativos Softwares empresariais Softwares

Leia mais

GRÁFICOS VETORIAIS GRÁFICOS VETORIAIS MAPAS DE BITS (BITMAPS)

GRÁFICOS VETORIAIS GRÁFICOS VETORIAIS MAPAS DE BITS (BITMAPS) GRÁFICOS VETORIAIS GDI (GRAPHICS DEVICE INTERFACE) CONSISTE EM CENTENAS DE PROCEDIMENTOS PARA DESENHAR NA TELA; OS PROCEDIMENTOS GDI USAM GRÁFICOS VETORIAIS PARA COLOCAR FIGURAS GEOMÉTRICAS E TEXTOS NA

Leia mais

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE.

CURSOS OFERECIDOS. seus objetivos e metas. E também seus elementos fundamentais de Administração, como: PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E CONTROLE. CURSOS OFERECIDOS Access 2007 Aproximadamente 20 horas O aluno aprenderá criar Banco de Dados de forma inteligente, trabalhar com estoques, número de funcionários, clientes etc. Conhecerá ferramentas aprimoradas

Leia mais

Design para internet. Resolução. - No Design Gráfico quanto maior o DPI melhor. - Na web não é bem assim.

Design para internet. Resolução. - No Design Gráfico quanto maior o DPI melhor. - Na web não é bem assim. Resolução - No Design Gráfico quanto maior o DPI melhor. - Na web não é bem assim. Resolução Exemplo de imagem com diferentes resoluções de Pontos/Pixels por polegada". Em uma imagem digital quanto mais

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft PowerPoint 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Encontre o que você precisa Clique

Leia mais

O computador. Sistema Operacional

O computador. Sistema Operacional O computador O computador é uma máquina desenvolvida para facilitar a vida do ser humano, principalmente nos trabalhos do dia-a-dia. É composto basicamente por duas partes o hardware e o software. Uma

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Computadores: Ferramentas para a Era da Informação Material Didático do Livro: Introdução à Informática Capron,, H. L. e Johnson, J. A Pearson Education Componentes de um Sistema

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo. Desenho Industrial. Centro de Artes

Universidade Federal do Espírito Santo. Desenho Industrial. Centro de Artes Universidade Federal do Espírito Santo Desenho Industrial Centro de Artes Desenho Industrial técnico e criativo que utiliza imagens e textos para comunicar mensagens, ideias e conceitos. Batizado e amadurecido

Leia mais

Este é o Manual de Identidade Visual da Fundação CERTI. Ele serve para você conhecer melhor a nossa marca.

Este é o Manual de Identidade Visual da Fundação CERTI. Ele serve para você conhecer melhor a nossa marca. Manual de Para que serve este Manual Este é o Manual de Identidade Visual da Fundação CERTI. Ele serve para você conhecer melhor a nossa marca. Pag. 03 Pag. 04 Pag. 05 Pag. 06 Pag. 08 Pag. 12 Pag. 22 Pag.

Leia mais

Apostila para uso do Power Point

Apostila para uso do Power Point Apostila para uso do Power Point Introdução O Power Point, é um aplicativo da MicroSoft desenvolvido para a elaboração de apresentações. Possui recursos de hipertexto e multimídia como som, imagem, animação,

Leia mais

PRIMEIRA IGREJA EVANGÉLICA CONGREGACIONAL DE BRASÍLIA PRIMEIRA IGREJA EVANGÉLICA CONGREGACIONAL DE BRASÍLIA MANUAL DE MARCA

PRIMEIRA IGREJA EVANGÉLICA CONGREGACIONAL DE BRASÍLIA PRIMEIRA IGREJA EVANGÉLICA CONGREGACIONAL DE BRASÍLIA MANUAL DE MARCA MANUAL DE MARCA APRESENTAÇÃO Este manual apresenta e normatiza a utilização da marca da Primeira Igreja Evangélica Congregacional de Brasília. A marca é elemento essencial para a construção da identidade

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 10)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 10) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 10) 1 Roteiro Operações Booleanas Comprimir e Expandir Simplificação Criando Texto Editor

Leia mais

Dicas para melhorar a interface de usuário feita em LabVIEW

Dicas para melhorar a interface de usuário feita em LabVIEW Dicas para melhorar a interface de usuário feita em LabVIEW Luciano Borges Engenheiro de Vendas Ilton Pereira Gerente de Engenharia de Aplicações 1 Antes de começarmos Existem gostos diferentes pode ser

Leia mais

Os sistemas de classificação de fontes mais aceitados são: Classificação de Maximilien Vox (1954)

Os sistemas de classificação de fontes mais aceitados são: Classificação de Maximilien Vox (1954) Uma família tipográfica é um grupo de signos escriturais que compartilham traços de desenho comuns, conformando todas elas uma unidade tipográfica. Os membros de uma família (os tipos) se parecem entre

Leia mais

Para participar de um mapa colaborativo usando o Cmap Tools

Para participar de um mapa colaborativo usando o Cmap Tools Antes de trabalhar num mapa colaborativo, você deve instalar o software no seu computador. Pegue a sua cópia, gratuita, em http://cmap.ihmc.us/download/. Veja a versão compatível com o seu computador.

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Wiiplayable M

Leia mais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais Curso Técnico em Multimídia ETI - Edição e tratamento de imagens digitais 2 Fundamentos "Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus." 2 Timóteo 1:13

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO SERVIDOR

MANUAL DO USUÁRIO DO SERVIDOR Sistema Digital de Consignações MANUAL DO USUÁRIO DO SERVIDOR Versão 2.0 Out/2.008 ZETRASOFT LTDA RUA PERNAMBUCO, 1077 7º E 9º ANDARES FUNCIONÁRIOS BELO HORIZONTE MG 30.130-151 www.zetrasoft.com.br Todos

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL Sumário efac Brasil... 3 Como acessar o AVA... 4 Acessando a Disciplina... 4 Recursos e Atividades... 5 Apresentação de Slides... 5 Chat... 6 Documento de Texto... 6 Documento

Leia mais

Ferramenta para design de web site Macromedia Flash Fábio Fernandes

Ferramenta para design de web site Macromedia Flash Fábio Fernandes Ferramenta para design de web site Macromedia Flash Fábio Fernandes O Flash entrou no mercado de web design introduzindo o que até então ainda não havia sido alcançado: a criação de animações e interatividade

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Oficina. Trazer os princípios básicos da criação de jogos educativos para tablets, Windows e Linux com o auxílio do software de autoria Visual Class

Oficina. Trazer os princípios básicos da criação de jogos educativos para tablets, Windows e Linux com o auxílio do software de autoria Visual Class Dados básicos Titulo Autor Instituição Proposta (objetivo) Equipamentos Necessários Oficina Como ser um professor autor de jogos educativos em tablets, Windows e Linux com o Visual Class Luciana Allan,

Leia mais

Oficina. Conexão wi-fi Tela ou parede para projeção

Oficina. Conexão wi-fi Tela ou parede para projeção Oficina Dados básicos Titulo Autor Instituição Proposta (objetivo) Equipamentos Disponíveis Como ser um professor autor de jogos educativos em tablets, Windows e Linux com o Visual Class Luciana Allan,

Leia mais

Disciplina de Aplicações Informáticas B. Subunidade 2: Texto. Professor: Miguel Candeias Aluno: Francisco Cubal, nº11 12ºA

Disciplina de Aplicações Informáticas B. Subunidade 2: Texto. Professor: Miguel Candeias Aluno: Francisco Cubal, nº11 12ºA Disciplina de Aplicações Informáticas B Subunidade 2: Texto Professor: Miguel Candeias Aluno: Francisco Cubal, nº11 12ºA Ano lectivo 2010/2011 1. Formatação de Texto 1.1. Conjunto de Caracteres ASCII Unicode

Leia mais

Identidade Visual Manual de Aplicação

Identidade Visual Manual de Aplicação Identidade Visual Manual de Aplicação Apresentação Aqui estão dispostas em breves linhas algumas indicações sobre a nova identidade da SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO, elaborada com a finalidade de

Leia mais