ISSN XII Congresso Acadêmico Sobre Defesa Nacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISSN 2447-0880. XII Congresso Acadêmico Sobre Defesa Nacional"

Transcrição

1 ISSN

2 2

3 XII CONGRESSO ACADÊMICO DE DEFESA NACIONAL ACADEMIA DA FORÇA AÉREA PIRASSUNUNGA-SP 14 a 18 de Setembro Pirassununga -SP 3

4 DO XII CONGRESSO ACADÊMICO DE DEFESA NACIONAL Capa Tenente Publicitário Eduardo Marques Foto da capa 3º Sargento Leonardo Gaedke Projeto gráfico e diagramação Tenente Publicitário Eduardo Marques Tenente Bibliotecária Fernanda Santiago Catalogação Biblioteca da AFA Tenente Fernanda Santiago Propriedade: Academia da Força Aérea - AFA Título: Revista XII Congresso Acadêmico de Defesa Nacional Tiragem: 250 exemplares Distribuição Gratuita Academia da Força Aérea, Estrada de Aguaí, s/nº - Jardim Bandeirantes, Pirassununga-SP, Brasil CEP

5 SUMÁRIO 09 PROGRAMAÇÃO RESUMOS A FORÇA AÉREA BRASILEIRA EM TEMPO DE PAZ: BUSCA E SALVAMENTO E O CASO GOL 1907 APRIMORAMENTO OPERACIONAL DOS ESQUADRÕES DA FAB LINK BR2 COOPERAÇÃO MILITAR NA AMÉRICA DO SUL: ESTUDO DO CONSELHO DE DEFESA SUL-AMERICANO E DE SEUS BENEFÍCIOS ESTRATÉGICOS PARA O BRASIL A DEFESA DO ATLÂNTICO SUL: UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA COOPERAÇÃO NA ÁREA DE DEFESA: UMA NECESSIDADE SUL-AMERICANA DECLARAÇÃO DE TEERÃ: A IMPORTÂNCIA DA MEDIAÇÃO BRASILEIRA PARA A SEGURANÇA INTERNACIONAL FRENTE AOS DESAFIOS DA PROLIFERAÇÃO NUCLEAR DESLOCAMENTOS FORÇADOS E OS NOVOS REFUGIADOS: O PAPEL DO DIREITO INTERNACIONAL NA PROTEÇÃO ÀS VÍTIMAS DE CONFLITOS ARMADOS COOPERAÇÃO REGIONAL SUL-AMERICANA NA ÁREA DE DEFESA A TRANSNACIONALIZAÇÃO E OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA NACIONAL DE DEFESA CONVERTENDO O KC-390 EM GUNSHIP: ESTUDO DE VIABILIDADE E HIPÓTESES DE EMPREGO SISTEMA DE BUSCA E SALVAMENTO AERONÁUTICO NA AMAZÔNIA: ANÁLISE DE CENÁRIO E POTENCIALIDADES PARA INDÚSTRIA NACIONAL DE DEFESA NA REGIÃO NORTE DO BRASIL EXPANSÃO DA INFLUÊNCIA CHINESA NA NAMÍBIA: IMPACTOS NA COOPERAÇÃO ENTRE BRASIL E NAMÍBIA E NO ATLÂNTICO SUL 5

6 SUMÁRIO PROTEÇÃO DAS FRONTEIRAS E A LEI DO TIRO DE DESTRUIÇÃO VIOLÊNCIA DE GÊNERO NOS CONFLITOS ARMADOS DO SÉCULO XXI: UMA ANÁLISE DO DIREITO INTERNACIONAL VIGENTE E DO TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL SOFT POWER E COOPERAÇÃO MILITAR: A ASCENSÃO BRASILEIRA NO ATLÂNTICO SUL AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS CONTEMPORÂNEAS E OS CONFLITOS ARMADOS NO SÉCULO XXI À LUZ DO DIREITO INTERNACIONAL DESAFIOS DA DEFESA E SEGURANÇA FRENTE À NOVA AMEAÇA DO USO ILÍCITO DE VANTS O ATLÂNTICO SUL E AMAZÔNIA AZUL: COOPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DA PAZ NOS ANOS LULA ( ) A QUESTÃO DO NARCOTRÁFICO NO BRASIL A PARTIR DA EXPERIÊNCIA ESTADUNIDENSE: UMA SÍNTESE A COOPERAÇÃO SUL-SUL COMO ESTRATÉGIA PARA REVITALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA DE DEFESA BRASILEIRA: O CASO DO MÍSSIL A-DARTER A EVOLUÇÃO TEÓRICA DO CONCEITO DE SEGURANÇA E A PERCEPÇÃO DAS NOVAS AMEAÇAS PELA REGIÃO ANDINA E O CONE SUL A POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA PARA A COOPERAÇÃO INTERNACIONAL EM DEFESA: ANÁLISE DOS PROJETOS NO ÂMBITO DA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO ( ) RELAÇÕES BRASIL-ÁFRICA: A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DO GOLFO DA GUINÉ 6

7 SUMÁRIO OS CONFLITOS CIBERNÉTICOS COMO UMA AMEAÇA MULTIDIMENSIONAL RELAÇÕES BRASIL-SUÉCIA: REAPARELHAMENTO E TRANSFERÊNCIA TECNOLÓGICA NO ÂMBITO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA NOVAS AMEAÇAS E O ADVENTO DOS DRONES: A ÓTICA BRASILEIRA A COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA E AS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL: UM BALANÇO A INVISIBILIDADE DAS MULHERES NO CONFLITO DA SÍRIA: UMA PREOCUPAÇÃO PARA O DIREITO INTERNACIONAL HUMANITÁRIO POLÍTICA DE FRONTEIRA E DEFESA NACIONAL BRASIL E O PAPEL DE LIDERANÇA REGIONAL ATUAÇÕES E DESAFIOS DEFESA NACIONAL, DIPLOMACIA PÚBLICA BRASILEIRA E INCIDENTES TERRORISTAS INTERNACIONAIS EM 2015 DEFESA NACIONAL E MIGRAÇÃO: UMA BREVE ANÁLISE DA RELAÇÃO DAS PRÁTICAS E POLÍTICAS PÚBLICAS QUE ENRIJECEM A ENTRADA DE IMIGRANTES NO BRASIL COM O TRÁFICO E CONTRABANDO DE PESSOAS COOPERAÇÃO REGIONAL SUL-AMERICANA NA ÁREA DE DEFESA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES NO PLATÔ DAS GUIANAS DESAFIOS BRASILEIROS NA NOVA ERA DA SEGURANÇA E DA DEFESA TÓPICOS RELEVANTES PARA CONTRIBUIR COM O ENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NO DEBATE NACIONAL PANORAMA DA ESCOLA SUL-AMERICANA DE DEFESA NA PERSPECTIVA BRASILEIRA 7

8 8

9 PROGRAMAÇÃO Segunda-feira, 14 de setembro HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 6:30 Alvorada Hotéis e alojamentos 6:30-7:30 Café da manhã Refeitório 8:00-8:10 Dispositivo Pronto Boas Vindas do CMT da AFA Canto do Hino Nacional Auditório 8:10-9:00 Palestra 1: MINISTRO JAQUES WAGNER (MD) : Aspectos relevantes da atual gestão da Defesa brasileira 9:00-9:15 Coffee Break 9:15-10:00 10:00-10:45 Palestra 2: MAJ. SELMA GONZALES (CEEEX): Segurança e defesa: uma moldura teórico-conceitual Palestra 3: PROF. GÜNTER RICHTER (UFSM): O Poder Militar como instrumento da Política Externa brasileira: do Império aos dias atuais Auditório 11:00-12:30 Parada do CCAer e foto oficial do evento Pátio do CCAER 12:30-13:15 Almoço Refeitório 13:30-15:00 Módulo 1: Apresentação de Artigos Acadêmicos selecionados e debates 15:00-15:15 Coffee Break 15:15-16:45 Módulo 2: Apresentação de Artigos Acadêmicos selecionados e debates Divisão de Ensino Corredor 2 19:30-21:30 Coquetel de Boas Vindas Refeitório 9

10 PROGRAMAÇÃO Terça-feira, 15 de setembro HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 6:30 Alvorada Hotéis e alojamentos 6:30-7:30 Café da manhã Refeitório 8:00-8:50 8:50-9:40 Palestra 4: PROF. FABIANO MIELNICZUK (AUDIPLO) A crise na Ucrânia e suas implicações para a segurança internacional Palestra 5: PROF. ALEXANDRE FUCCILLE (UNESP) Estado Islâmico: origens, situação atual e desdobramentos no sistema internacional Auditório 9:40-10:00 Coffee break Área Externa Refeitório 10:00-10:50 Palestra 6: PROF. AUGUSTO WAGNER TEIXEIRA (UFPB) O programa nuclear iraniano: situação atual, perspectivas e implicações para a segurança internacional Auditório 10:50-11:25 Perguntas e Debates 12:15-13:15 Almoço Refeitório 13:30-17:30 Visitas aos setores FAYS, EDA, 1º EIA, 18:00-19:00 Jantar Refeitório 20:30-22:00 Projeção de Cinema Filme: Estrada 47 Auditório 10

11 PROGRAMAÇÃO Quarta-feira, 16 de setembro HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 6:30 Alvorada Hotéis e alojamentos 6:30-7:30 Café da manhã Refeitório 8:00-8:50 Palestra 7: PROF. PIO PENNA FILHO (UNB) As dinâmicas de segurança no continente africano e eventuais reflexos para o Brasil Auditório 8:50-9:40 Palestra 8: PROF. RODRIGO MORE (UNIFESP) O Brasil e segurança no Atlântico Sul 9:40-10:00 Coffee Break 10:00-10:50 Palestra 9: C.ALTE. ROBERTO G.M C. CUNHA (MB) Os projetos estratégicos da Marinha e sua importância para a defesa brasileira Área Externa Refeitório Auditório 10:50-11:25 Debates 12:15-13:15 Almoço Refeitório 13:30-14:30 Videoconferência: GEN. DIV. ALBERTO SANTOS CRUZ (EB) O caráter ofensivo MONUSCO: caso específico ou tendência de evolução Auditório 14:30-15:15 Debates Auditório 15:15-15:30 Coffee Break 15:30-17:00 Módulo 3: Apresentação de Artigos Acadêmicos e debates Divisão de Ensino Corredor 2 18:00-19:00 Jantar Refeitório 19:00-20:30 Apresentação da Banda de Música da AFA Auditório 11

12 PROGRAMAÇÃO Quinta-feira, 17 de setembro HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 6:30 Alvorada Hotéis e alojamentos 6:30-7:30 Café da manhã Refeitório 8:00-8:50 8:50-9:40 Palestra 10: PROF. JULIANO CORTINHAS (IPC/MD) Análise comparativa das políticas de defesa dos países sulamericanos: aspectos convergentes e divergentes Palestra 11: GEN. BDA. GUIDO AMIN NAVES (EPEX/EB) Os projetos estratégicos do Exército e sua importância para a defesa brasileira Auditório 9:40-10:00 Coffee Break 10:00-10:50 Palestra 12: PROF PETERSON SILVA (USP) A indústria nacional de defesa: situação atual e perspectivas 10:50-11:25 Debates 12:15-13:15 Almoço Refeitório 13:30-17:00 Atividade Lúdica- Militar- Desportiva AFA/FAYS 17:00 Apresentação do EDA Pátio do Ginásio 20:00-22:00 Jantar Dançante Refeitório 12

13 PROGRAMAÇÃO Sexta-feira, 18 de setembro HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 6:30 Alvorada Hotéis e alojamentos 6:30-7:30 Café da manhã Refeitório 8:00-8:50 8:50-9:40 Palestra 13: CEL GUSTAVO DE SOUZA ABREU (ESG) A Amazônia brasileira e suas vulnerabilidades estratégicas Palestra 14: BRIG PAULO EDUARDO VASCONCELOS (FAB) Os projetos estratégicos da Força Aérea e sua importância para a defesa brasileira 9:40-10:00 Coffee Break 10:00-10:50 Auditório Área Externa Refeitório Palestra 15: GEN. BDA RICHARD FERNANDEZ (14ª BDA INF MTZ) A pacificação do complexo de favelas da Maré: a experiência da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada Auditório 10:50-11:25 Debates 11:25-12:15 Encerramento - Entrega de certificados aos Lideres de Equipe Auditório 12:15 Almoço Refeitório 13:15 Retorno das Delegações Conforme Plano de Transporte 13

14 14

15 A FORÇA AÉREA BRASILEIRA EM TEMPO DE PAZ: BUSCA E SALVAMENTO E O CASO GOL 1907 Tania Regina Pires de Godoy; Tales Luz Andrade Pimenta; Phellip Borelli; Eduardo Oliveira Travessas; Luiz Claudio Mendes dos Santos; André Jorge Dias de Moura Junior. Como o Brasil é um país que desfruta de mínimos riscos em comprometer sua posição como nação em paz, temos consciência de que a atuação da Força Aérea Brasileira (FAB) é parcialmente desconhecida pela sociedade civil brasileira. Para buscar dirimir este fato, nosso trabalho se propõe a estudar a atuação da FAB no resgate do Voo Gol 1907, em decorrência do acidente que levou à queda do avião em plena floresta amazônica, ocorrida em 2006, elucidando a participação da equipe de resgate da Força e a operação SAR (search and rescue) desencadeada após o acidente. Pretendemos, a partir do estudo de caso, apresentar e justificar a importância de sua atuação em momentos não beligerantes, com o intuito de demonstrar seu desempenho, sua forma de funcionamento e sua atuação no cenário nacional. O estudo de caso terá como base conceitual os relatórios disponíveis em caráter ostensivo disponibilizados pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica (CENIPA), os manuais doutrinários da FAB (Doutrina Aerospacial) e demais documentos e estudos relevantes sobre o assunto. Faremos, inicialmente, uma abordagem geral acerca da Força Aérea Brasileira, sua constituição e missão institucional como Força Armada em tempos de paz, tendo como escopo teórico a Estratégia Nacional de Defesa e o Plano Estratégico Militar da Aeronáutica (PEMAER). Apresentaremos um breve histórico das operações de busca e salvamento com a participação da FAB. Em seguida, abordaremos o caso a que nos propomos utilizar como ilustração de suas missões o acidente do GOL 1907 de 2006 as medidas tomadas e a cadeia de acionamento dos órgãos competentes para o resgate de possíveis sobreviventes. Em seguida apresentaremos o tema central do nosso trabalho: a operação montada de busca das vítimas do acidente, em ambiente inóspito e de difícil acesso, e a aplicação dos treinamentos à luz dos aspectos doutrinários e dos valores militares da FAB empregados naquelas circunstâncias. Por conclusão, analisaremos o caso de forma crítica e com visões prospectivas da atuação da Força Aérea em tempos de paz dentro do território nacional. 15

16 APRIMORAMENTO OPERACIONAL DOS ESQUADRÕES DA FAB LINK BR2 Paulo Cézar Rioli Duarte de Souza; Gabriel Ramirez Pina; Guilherme Fernando Carvalhaes; Kaio Felipe Correia de Andrade; Luiz Felipe Leite Fidalgo; Pedro Barbezani Carvalho e Ribeiro. Em uma Rede de Comunicações Tática há a necessidade de estabelecimento de comunicações seguras entre os elementos envolvidos. Dentro desta necessidade, A Força Aérea Brasileira está desenvolvendo em parceria com a Empresa MECTRON o LINK BR2, que é um sistema de transmissão criptografada de dados e voz entre diversas aeronaves e estações em solo. Ele visa suprir a demanda operacional que se torna cada vez mais evidente com o advento de novas tecnologias. Deste modo, surgiu o interesse de cadetes da Academia da Força Aérea em compreender o ganho operacional que esse sistema trará aos esquadrões que mantém a soberania do espaço aéreo nacional, culminando neste artigo. Pensando que a Força Aérea Brasileira é um potencial usuário, existe a necessidade de saber a opinião de especialistas e responsáveis envolvidos no projeto. Por meio de comparações táticas entre o modelo empregado atualmente conhecido como LINK BR e a nova proposta de operação, é possível identificar as particularidades dos equipamentos a serem integrados e do pessoal que deve receber treinamento específico para a operação dessa ferramenta. Essa análise está inserida em um contexto mais abrangente que é a guerra eletrônica. O LINK BR2, portanto, traz a possibilidade de um novo cenário para operação das Forças Armadas, ao mesmo tempo em que traz consigo exigências de uma rede de defesa do espectro eletromagnético cada vez mais moderna, com equipamentos que garantam a segurança de nossos sistemas frente às constantes sofisticações do teatro de operações. 16

17 COOPERAÇÃO MILITAR NA AMÉRICA DO SUL: ESTUDO DO CONSELHO DE DEFESA SUL-AMERICANO E DE SEUS BENEFÍCIOS ESTRATÉGICOS PARA O BRASIL Guilherme Adilson de Freitas; Walfredo Bento Ferreira Neto. Este trabalho científico busca fazer um estudo acerca dos benefícios estratégicos da criação do Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS) para o Brasil. Tem como objetivo específico identificar os motivos que levaram à criação do CDS, os benefícios para o Brasil e os principais obstáculos à sua implementação e efetivação. Como base para a realização do estudo realizamos uma pesquisa bibliográfica a respeito da história e geopolítica sul-americana. Em seguida, realizamos uma busca de dados quantitativos relacionados aos gastos militares, poderio bélico e intercâmbio militar na América do Sul, visando analisar a situação da gestão dos orçamentos e dos recursos materiais e humanos referentes à Defesa no continente. Chegamos à conclusão de que a consolidação do CDS é de extrema importância para a Defesa Nacional, tendo em vista os expressivos ganhos militares, estratégicos e até mesmo econômicos que acarretará para o país, que ocupa incontestável posição de liderança regional na América do Sul. Verificamos, no entanto, que o processo de implementação encontra-se ainda em um estágio inicial e esbarra em alguns obstáculos políticos, econômicos e diplomáticos, tendo muito a evoluir nos próximos anos. 17

18 A DEFESA DO ATLÂNTICO SUL: UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA Odilon Lugão Monteiro; Jader Esteves; Arthur Janeiro Campos Nuñez; Arthur Hippler Barcellos; Luiz Guilherme Oliveira Tosta Montez; Renan Benites dos Santos. O presente artigo pretende demonstrar a importância do Poder Naval brasileiro na defesa do Atlântico Sul, região de vital interesse para o desenvolvimento, projeção internacional e segurança do Brasil. Além de discorrer sobre conceitos importantes para o tema como Amazônia Azul, mentalidade marítima e ZOPACAS. 18

19 COOPERAÇÃO NA ÁREA DE DEFESA: UMA NECESSIDADE SUL-AMERICANA Luiz Mendes Dias; Filipe de Oliveira Lopes; Caio Brandão Gomes; Bruno Francesco Farinole Dall Antonia; Leonardo Cardozo Pereira. Desde a queda do muro de Berlim e o término do período da Guerra Fria, o assunto cooperação tomou novos rumos dentro do cenário internacional. Com a mudança nos aspectos políticoeconômicos vigentes e sobre o foco dos paradigmas globalistas, a cooperação interestatal tornou-se a principal maneira dos países crescerem e se desenvolverem. Quando se fala da América do Sul, composta por países em desenvolvimento, é visível que a busca pela independência do bloco regional a influência externas, imprescindível para o crescimento acima disposto, é resultado da formação da identidade Sul-Americana, a qual pode-se exemplificar como uma das consequências de uma cooperação na área de Defesa. Sob o foco desta cooperação no subcontinente da América do Sul, tese sobre a qual este artigo pretende discorrer, ressaltaremos os principais desafios e oportunidades gerados pelas ações conjuntas no âmbito da Defesa Sul-Americana. 19

20 DECLARAÇÃO DE TEERÃ: A IMPORTÂNCIA DA MEDIAÇÃO BRASILEIRA PARA A SEGURANÇA INTERNACIONAL FRENTE AOS DESAFIOS DA PROLIFERAÇÃO NUCLEAR Bruna Leão Lopes Contieri; Camila Schlatter Fernandes; João Henrique Salles Jung. O artigo em voga disserta a respeito da posição da diplomacia brasileira frente ao impasse internacional decorrente do programa nuclear iraniano. A nuclearização do Irã, e todo o embate que esta suscitou no Sistema Internacional, consiste em um tema de suma importância para a segurança internacional. Diversos atores se viram envolvidos na questão iraniana, inclusive possuindo papel de protagonismo o Brasil. Com a incapacidade de negociação das grandes potências em torno do caso, estas que não conseguiam chegar a um acordo com o Irã em relação ao avanço tecnológico na área nuclear, o governo brasileiro, em parceria com o Estado Turco, atuou como mediador no caso, logrando um sucesso inesperado que resultou na Declaração de Teerã (2010). Para se analisar o caso, foram utilizados documentos oficiais dos governos envolvidos, além de livros e artigos científicos que refletem a questão, direta ou indiretamente. Por meio de uma análise qualitativa e exploratória, com o marco analítico do neorrealismo, foi possível visualizar uma grande capacidade diplomática por parte do Brasil e da Turquia, em contraponto ao desinteresse das potências envolvidas em resolver a questão iraniana de forma mútua. 20

21 DESLOCAMENTOS FORÇADOS E OS NOVOS REFUGIADOS: O PAPEL DO DIREITO INTERNACIONAL NA PROTEÇÃO ÀS VÍTIMAS DE CONFLITOS ARMADOS Paulo Márcio Reis Santos; Amanda Ferreira Halle Najm; Marcelo Fontes Santos; Marcelo Cabral Radieddine; Michele Caroline da Silva; Roberto Nassif Prieto. No presente artigo buscou-se investigar os efeitos dos principais conflitos armados na atualidade, que contribuíram para o aumento do número de pessoas forçadas a deixarem os seus lares. Para tanto, foi adotado como fonte da pesquisa o relatório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), denominado Tendências Globais (Global Trends), divulgado em junho de Os dados atuais apontam que o número de refugiados superou os patamares das 1 e 2 Guerras Mundial. Mesmo sem um conflito armado de proporção global no século XXI, a quantidade de pessoas deslocadas em decorrência de conflitos armados é extremamente preocupante. No aspecto da Proteção Internacional dos Direitos Humanos, os dados estatísticos indicam que o número de pessoas que conseguem retornar aos seus lares ainda é muito pequeno. A metodologia de pesquisa adotada foi documental e bibliográfica, analisando num primeiro momento, a literatura jurídica especializada e os principais documentos internacionais a respeito do tema. Em conclusão, foi apresentado o tratamento concedido pelo governo brasileiro aos refugiados que ingressaram no território nacional. 21

22 COOPERAÇÃO REGIONAL SUL-AMERICANA NA ÁREA DE DEFESA Vladimir Pinto Coelho Feijó; Bruna Dias; Letícia Assis; Rafael Ziller; Raphael Melquiades. O presente trabalha objetiva realizar um estudo da cooperação regional sul-americana a partir da ótica da defesa e das estratégias dos estados nessa área na busca pelo desenvolvimento desta região por meio da cooperação regional. O estudo da defesa se torna essencial uma vez consideradas as diversas fragilidades dos países latino americanos, as diferentes capacidades de cada estado e suas políticas internas também divergentes que podem vir a gerar descontentamentos por parte dos países do bloco. Dessa forma, a cooperação trata efetivamente da integração dos mesmos na tentativa de alinhar interesses de modo a fortalecer a política externa e de defesa de cada um dos países membros como indivíduos e como bloco. Este estudo, portanto abordará uma perspectiva sobre as relações entre os estados conectados pela proximidade geográfica e a relevância do Brasil dentro da região da América Latina, da UNASUL e integração da região sul americana, ligados a conflitos regionais, e apresentando também o Brasil como líder e principal ator nesta área. 22

23 A TRANSNACIONALIZAÇÃO E OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA NACIONAL DE DEFESA Douglas Bessoni Alves Monteiro O avanço da transnalização a partir da segunda metade do século passado, implicou muitas mudanças nas relações entre o setor público e o privado. Para entendê-las, é preciso examinar como funcionam essas relações atualmente. O modelo de financiamento de campanha eleitoral vigente, somado à desregulamentação do lóbi podem fomentar práticas aparentemente clientelistas. Por isso, é necessário investigar como funciona o modelo de democracia representativa brasileiro, a fim de possibilitar uma melhor integração entre os setores mencionados. Este trabalho trata de um em especial: a indústria de defesa. Partindo de uma metodologia de pesquisa bibliográfica, o presente artigo tem como objetivo analisar como o processo de transnacionalização traz novos desafios para a indústria de defesa nacional, sobretudo quando esta atravessa um momento fundamental para sua revitalização. O estudo conclui que existe uma relação simbiótica entre os agentes políticos e as transnacionais, e que a evolução dos objetivos da indústria de defesa dependerá de sua capacidade de mobilização. 23

24 CONVERTENDO O KC-390 EM GUNSHIP: ESTUDO DE VIABILIDADE E HIPÓTESES DE EMPREGO Júlio César Guedes Antunes; Camila Rocha Lopes; Gabriel Lopo Silva Ramos; Igor Alberte Rodrigues Eleutério; José Francisco Clementino de Jesus; Pedro Abreu Maia. O presente trabalho tem por objetivo discutir as possibilidades de desenvolvimento de uma versão gunship (canhoneira aérea) do transportador/reabastecedor KC-390 da Embraer, discorrendo sobre suas potencialidades e hipóteses de emprego no Brasil mediante as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa e no exterior, bem como analisando o mercado externo para vendas da aeronave. Foram utilizados como fontes documentos produzidos pelo governo, artigos de autoria de especialistas militares e civis, além de matérias jornalísticas nacionais e estrangeiras. Como metodologia, optou-se por recriar um perfil histórico e operacional dos gunships, detalhando os principais modelos em operação na atualidade, para posteriormente discorrer sobre o KC-390 e sua eventual versão gunship AC-390. A seguir, foi feita criteriosa análise das hipóteses de emprego da aeronave dentro das diretrizes de defesa brasileiras e um estudo do mercado para vendas externas. Concluiu-se que o emprego de tal aeronave é pertinente com as preocupações e planejamento nacional de defesa, e que o desenvolvimento da versão gunship do KC-390, especialmente quando oferecida como opção dentro de uma plataforma multimissão, pode ter sucesso em vendas no exterior. 24

25 SISTEMA DE BUSCA E SALVAMENTO AERONÁUTICO NA AMAZÔNIA: ANÁLISE DE CENÁRIO E POTENCIALIDADES PARA INDÚSTRIA NACIONAL DE DEFESA NA REGIÃO NORTE DO BRASIL Cristiano Torres do Amaral; Bruno Barboza de Oliveira; Fernanda Gomes Ribeiro; Felipe Nogueira Matos; Tayná Silva Campos; Thalisson Gomes Nogueira. Artigo que apresenta proposta de discussão e revitalização do Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico na Amazônia a partir da utilização de recursos tecnológicos que auxiliam o monitoramento do tráfego aéreo na região. Inicialmente é feita uma breve descrição do Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico no país, bem como uma análise do cenário nacional e internacional sob o ponto de vista tecnológico na Amazônia. Em seguida, são revistos alguns acidentes aéreos na região e avaliada a intervenção do Sistema de Busca e Salvamento empregado, observando suas limitações e possibilidades. Nessa argumentação também é avaliada a potencialidade do setor para desenvolvimento de ferramentas e recursos tecnológicos pela indústria nacional de defesa para melhoria do Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico na Região Amazônica. 25

26 EXPANSÃO DA INFLUÊNCIA CHINESA NA NAMÍBIA: IMPACTOS NA COOPERAÇÃO ENTRE BRASIL E NAMÍBIA E NO ATLÂNTICO SUL Diana Voervloet Dalman de Magalhães; Felipe Carvalho da Silva; Lauany Ferreira Fabbreschi Carvalho; Naemi Goto Wakisaka; Paola Gonçalves Matias. Este artigo inicia o estudo das ações bilaterais do Brasil na área de defesa do Atlântico Sul relacionando-as com a presença de potências estrangeiras no dado perímetro oceânico. Abordagem histórica e analítica das cooperações entre Brasil e África, e especificamente com Namíbia, na área de defesa naval traçando um paradoxo com a aproximação da China com a Namíbia e o impacto da expansão da influencia chinesa no que cerne a cooperação Brasil-Namíbia na esfera de defesa do entorno estratégico do Atlântico Sul. A metodologia usada nesta pesquisa é de método bibliográfico promovendo uma analise histórica das relações já mencionadas e também em caráter corroborável, foi realizada uma entrevista a um oficial da reserva da Marinha Brasileira. Por fim promove uma analise comparativa das relações cooperativas de Brasil e China com a Namíbia identificando as incongruências diante da abordagem estratégica conceitual de Alfred Thayer Mahan a qual enfatiza a importância da expansão naval para ampliação da capacidade de projeção de poder. 26

27 PROTEÇÃO DAS FRONTEIRAS E A LEI DO TIRO DE DESTRUIÇÃO Daniel Galo Carli Mariano da Cunha; Jéssica Rúbia Gonçalves; Kelly Cristina Rodrigues dos Santos; Messias Borges dos Santos Júnior. O presente artigo busca identificar por meio de revisão da aplicabilidade de leis o combate ao tráfico de drogas e armas. Um dos principais impasses na atualidade está relacionado com a entrada de ilícitos nas sociedades contemporâneas via modal aéreo. O artigo busca, então, examinar a adoção da lei 9614/98 Lei do Tiro de Destruição (ou Lei do Abate) no Brasil, descrevendo seus processos passo a passo e discutindo sua aplicabilidade no atual contexto mundial da luta contra o tráfico, trazendo o cenário da América do Sul como um importante território neste cenário. Também serão abordados neste estudo debates acerca da Constitucionalidade da Lei e o princípio da presunção de inocência. Após o presente estudo percebe-se que Lei do Abate não traça julgamentos baseando-se apenas em presunções sobre quaisquer cidadãos que adentram ao espaço aéreo, contudo, garante de maneira criteriosa e honesta o momento em que certo cidadão passa a representar uma ameaça à segurança nacional, colocando-o a si próprio no alvo de medidas coercitivas. 27

28 VIOLÊNCIA DE GÊNERO NOS CONFLITOS ARMADOS DO SÉCULO XXI: UMA ANÁLISE DO DIREITO INTERNACIONAL VIGENTE E DO TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL Maria Cecília Máximo Teodoro; Bárbara Blanco Dias Paes; Izabella Andrade Alves dos Santos; Marcos Paulo da Silva Oliveira; Rafael Bonicenha Vilela; Thayrine Virtuoso Mendes. O presente artigo pretende realizar uma análise da ocorrência das diversas formas de violência de gênero no plano dos conflitos armados do século XXI, verificando ainda o Direito Internacional vigente que regula tal situação e como se dá atuação do Tribunal Penal Internacional no julgamento dos violadores dos direitos das mulheres no plano internacional. A metodologia utilizada foi a análise de conteúdo bibliográfico da temática em questão, destacando-se a leitura de renomados doutrinadores da área de Direito Internacional Público, análise de legislação e de notas de organismos internacionais sobre violência de gênero em conflitos armados. A proposta de analisar a violência de gênero nos conflitos armados do século XXI teve como motivação a contemporaneidade do tema, eis que se trata de assunto bastante discutido atualmente, além de objetivar a discussão aprofundada da temática visando verificar os mecanismos vigentes de prevenção e repressão de tal tipo de violência. Atingindo esses objetivos, foi possível constatar que a atuação do Tribunal Penal Internacional é de suma importância na responsabilização individual dos violadores dos direitos das mulheres no âmbito dos conflitos armados, o qual também representa violação aos Direitos Humanos. 28

29 SOFT POWER E COOPERAÇÃO MILITAR: A ASCENSÃO BRASILEIRA NO ATLÂNTICO SUL Estevão da Cunha Camargo; Filipe da Cunha Camargo; Giovanna Sanchez; Mario Del Ferro Caieiro; Nicole Lana Leão da Silva. Este artigo, cujo objetivo é analisar diferentes ângulos dos esforços brasileiros na proteção do Atlântico Sul, ilustra a importância da cooperação e defesa dessa área, que vem recebendo constante atenção brasileira, principalmente devido à vasta riqueza natural que contém. No presente artigo será abordada também a importância política e econômica da região para o Brasil nos contextos histórico e atual, a cooperação com países africanos para a defesa do Atlântico Sul, interesses externos que a ameaçam, o ganho de soft power e como fazer-se presente nesse âmbito pode alavancar o país a um nível mais elevado no panorama internacional. Para que este projeto fosse elaborado, foram consultados livros e artigos relacionados ao tema de cooperação militar e defesa, documentos oficiais e notícias de fontes governamentais e militares. Por fim, a conclusão a que este chega é que o Brasil fez avanços consideráveis nos últimos anos em relação à proteção do Atlântico Sul, e que a mesma já se tornou vital ao Brasil, como pode ser comprovado observando-se a consolidação de um sistema de vigilância da Amazônia Azul e no destaque de países localizados nessa região nas relações exteriores brasileiras. 29

30 AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS CONTEMPORÂNEAS E OS CONFLITOS ARMADOS NO SÉCULO XXI À LUZ DO DIREITO INTERNACIONAL Ester Tavares Nóbrega de Almeida; Lucas Gonçalves Carvalho; Lucas Tavares Nóbrega de Almeida; Luíza Ferreira Caetano; Raíssa de Lima Souza Bastos; Douglas Lemos Monteiro dos Santos. Os conflitos armados são intrínsecos à realidade humana. A solução de controvérsias pela força física remonta aos períodos mais remotos da história da humanidade. Todavia, o advento do Estado, em especial a criação européia conhecida como Estado Nacional Moderno, buscou afastar a violência e priorizar a diplomacia como meio de solução de conflitos. Dessa forma, o Direito Internacional contempla o estudo da guerra, suas causas, condições, princípios e, principalmente, as questões humanitárias que envolvem as investidas beligerantes. O presente estudo parte de uma metodologia eminentemente bibliográfica para apresentar o espectro teórico (Mazzuoli, Magnoli e Santos) da política, das relações internacionais e do direito que cuida da temática da guerra. Apresentam-se os mais relevantes conflitos armados no mundo atual e discorre sobre o papel da Organização das Nações Unidas nesses contextos. Por fim, propõe uma interface entre o Direito Internacional e a geopolítica dos conflitos, na medida em que discorre, à luz de Milton Santos, sobre os efeitos perversos do processo de globalização como pólvora para os conflitos que assolam a humanidade. 30

31 DESAFIOS DA DEFESA E SEGURANÇA FRENTE À NOVA AMEAÇA DO USO ILÍCITO DE VANTS Luiz Alberto Araujo; Aglaé Martins Melgaço; Marcus Andrés Bettencourt Pinto de Carvalho; Mariana Domingues Alvarenga; Marília Thieme de Oliveira Kitanishi; Rafael Spirandeli Galera. O artigo tem por objetivo analisar até que ponto a utilização de VANTs por civis mal intencionados, em especial no âmbito das organizações criminosas, pode afetar a segurança nacional, considerando, também, as atuais capacidades estatais de combater os referidos equipamentos. Para tanto, procuram-se expor o conceito, as modalidades e os potenciais que os equipamentos conhecidos por VANTs podem ter, com vistas a discutir a problemática de aliar os fins econômicos com os interesses da segurança pública, uma vez que as legislações que tratam sobre o assunto são insuficientes para conciliá-los. Nesse sentido, atentouse, por meio da análise de notícias e fatos recentes, para a forma como os grupos criminosos têm se aperfeiçoado na utilização de VANTs com o intuito de otimizar a eficácia de suas práticas criminosas, tais como tráfico de drogas e armas, ações dentro de presídios, monitoramento de áreas de interesse, combate às forças de segurança e o assassinato de autoridades. Embora existam formas de combater os possíveis males dessa nova tecnologia, as nações não estão efetivamente preparadas para contê-los, sendo imprescindível que as mesmas se previnam adequadamente. 31

32 O ATLÂNTICO SUL E AMAZÔNIA AZUL: COOPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DA PAZ NOS ANOS LULA ( ) Jan Marcel de Almeida Freitas Lacerda; Ana Raphaela de Melo Florêncio; André Luiz Viana Cruz de Carvallho; Delanney Di Maio Neto; Edith Larissa Rodrigues do Rego Souza; Pedro Matheus de Melo Benevides Pessoa. Sendo a cooperação Sul-Sul de defesa e segurança uma das menos pesquisadas academicamente, explorar essa área é de grande relevância, principalmente quando analisada no período Lula ( ), quando a política externa brasileira tomou um rumo de ascendência, além de grande elevação do investimento e importância das Forças Armadas Nacionais. Artigos de produção acadêmica, e militares além de documentos expedidos pela ONU, Ministério de Defesa e de Relações Exteriores e Analisando o conceito de segurança e segurança no Atlântico Sul, faz-se na segunda parte um breve estudo da política externa brasileira no período Lula, na terceira parte do artigo a história dos mares até a institucionalidade da Amazônia Azul, na quarta parte uma análise da ameaça da soberania brasileira a partir da reativação da quarta frota no Atlântico Sul, e finalizando com as medidas de cooperação desenvolvidas pelo Brasil com a África e América do Sul. Entendendo que a cooperação Sul-Sul é a melhor forma de manter a paz e harmonia na região Atlântica e impedir a intervenção de Estados externos no Atlântico Sul. 32

33 A QUESTÃO DO NARCOTRÁFICO NO BRASIL A PARTIR DA EXPERIÊNCIA ESTADUNIDENSE: UMA SÍNTESE Camila Cerqueira Pinto dos Santos; Juliana Nascimento Rodrigues; Letícia Spezani Resende; Miguel Patrice Philippe Dhenin; Thaís Botin Nascimento; Valéria da Silva Gouvea Citelli. Esse artigo tem como objetivo realizar uma síntese da questão do narcotráfico no Brasil a partir da experiência estadunidense. Para tal, utilizamos um quadro teórico de referência baseado na abordagem histórico-comparativa, para dialogar entre diferentes momentos da história dos Estados Unidos e do Brasil no que diz respeito ao problema do narcotráfico. A metodologia utilizada para realizar o artigo foi baseada na análise de processos históricos e políticos que marcaram a trajetória da luta antidroga nos Estados Unidos e no Brasil. As referências bibliográficas disponíveis no final são por maioria artigos de periódicos científicos de revistas especializadas, livros e artigos de jornais, além de documentos oficiais. O artigo procura realizar uma síntese da questão do narcotráfico no Brasil, analisando a experiência da trajetória histórica dos Estados Unidos. O uso do método históricocomparativo oferece chaves de leitura da problemática para um público não especialista, tanto na academia quanto nas Forças Armadas. A partir desse artigo, podemos concluir que houve uma influência importante do papel dos Estados Unidos na questão do narcotráfico no Brasil, mas o país procurou manter uma postura independente, recusando a atuação direta estadunidense, com material bélico ou financiamento, diferente da experiência de países como Colômbia ou México. 33

34 A COOPERAÇÃO SUL-SUL COMO ESTRATÉGIA PARA REVITALIZAÇÃO DA INDÚSTRIA DE DEFESA BRASILEIRA: O CASO DO MÍSSIL A-DARTER Augusto W. M. Teixeira Júnior; Aaron Campos Marcelino; Ana Carolina de Oliveira Assis; Érick Patrício de Magalhães Vieira; Marvin Edgar Rios Guerra Hijo; Yalle Catherinne V. de Carvalho. A Indústria de Defesa brasileira perpassa por um processo de revitalização cujo principal objetivo é que o setor consiga assumir plena capacidade operacional e produza materiais e equipamentos de defesa de qualidade, para que possam ser utilizados pelas Forças Armadas brasileiras. Para isso, é de demasiada importância as relações com os países considerados estratégicos, os quais também desenvolvem este setor, onde o Brasil busca cooperar a fim de conseguir o conhecimento necessário para a produção de um material de defesa específico. Ainda assim, o acesso a tecnologias consideradas sensíveis é bastante difícil, principalmente quando se trata de países que estão no topo da linha de produção mundial. Logo, a chamada cooperação Sul-Sul se torna uma possível alternativa, a exemplo da cooperação Brasil-África do Sul no desenvolvimento do míssil de 5ª geração A-Darter, a qual se torna uma alternativa viável para a superação deste obstáculo. 34

35 A EVOLUÇÃO TEÓRICA DO CONCEITO DE SEGURANÇA E A PERCEPÇÃO DAS NOVAS AMEAÇAS PELA REGIÃO ANDINA E O CONE SUL Caroline Targino Silva; Bryanna Rayllane Dantas; Aline Melquíades Silva; Cláudio Victor Rosas Pacheco; Karina Guimarães Marques. Este artigo tem por objetivo analisar as transformações ocorridas no contexto internacional que corroboraram na evolução teórica e surgimento do novo conceito de segurança, adaptado a enfrentar as chamadas novas ameaças, e como estas são percebidas no cenário global, por organizações internacionais como a Organização das Nações Unidas (ONU) e União Europeia (EU), apreendendo também a percepção de ameaças por dois blocos de países, o Cone Sul e a Região Andina, através de seus documentos oficiais de defesa, que nos fornecem material empírico para distinguir as visões estratégicas nas regiões. A abordagem teórica é apresentada através dos estudos de importantes teóricos e autores das Relações Internacionais como Barry Buzan e Grace Tanno, com utilização da metodologia comparativa que consiste na definição e classificação de ameaças pelos países analisados. Conclui-se que há similitudes e divergências na percepção de ameaças, tanto na relação dos blocos Região Andina - Cone Sul, quanto entre os próprios Estados pertencentes a cada bloco, e que há predominância da identificação das novas ameaças na análise. 35

36 A POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA PARA A COOPERAÇÃO INTERNACIONAL EM DEFESA: ANÁLISE DOS PROJETOS NO ÂMBITO DA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO ( ) Guilherme Ziebell de Oliveira; Ana Carolina Melos de Sousa; Henrique Pigozzo da Silva; Josiane Simão Sarti; Priscila Gonçalves Schelp; Raíssa Mattana. Este artigo objetiva analisar os projetos de cooperação em defesa realizados através da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), entre os anos de 2003 e 2014, além das diretrizes de Política Externa Brasileira (PEB) durante o período destacado. A partir de revisão bibliográfica, levantamento de dados e análise qualitativa, busca-se compreender quais os fatores impulsionadores do aumento nos projetos de cooperação em defesa, tendo como base os dados fornecidos pela ABC. Conclui-se que a PEB é refletida na predominância de projetos de cooperação com países do Sul global, em especial América do Sul e África. 36

37 RELAÇÕES BRASIL-ÁFRICA: A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DO GOLFO DA GUINÉ Brenda Cardoso Severino Leão; Carlos Henrique Ferreira da Silva Junior; Letícia Silva Felix; Luis Filipe de Souza Porto; Vivian de Mattos Marciano. O presente artigo tem o objetivo de destacar a importância da região do Golfo da Guiné como área de interesse estratégica para o Brasil em termos de defesa e segurança. Para tanto, busca-se descrever e analisar a importância da África tal como descrita na Estratégia de Segurança Nacional do Brasil, destacando as iniciativas do país neste campo, apresentando os principais elementos que devem ser levados em consideração para a consolidação de uma política efetiva na região, como a questão dos hidrocarbonetos e da instabilidade causada pela pirataria. O método adotado para a produção deste texto baseia-se na pesquisa em fontes documentais e bibliográficas, disponíveis também em meio eletrônico, buscando as informações concretas sobre a realidade da região, à luz da proposição teórica de Barry Buzan relacionada à importância da securitização. Ao final, apresentam-se as iniciativas oficiais de países na região, sobretudo os signatários da Convenção de Montevidéu (2013), de modo a demonstrar que uma efetiva consolidação da política brasileira de segurança e defesa só poderá ser alcançada em parceria com os países da região, levando em consideração as suas especificidades sócio-históricas, econômicas e políticas. 37

38 OS CONFLITOS CIBERNÉTICOS COMO UMA AMEAÇA MULTIDIMENSIONAL Elói Martins Senhoras; Fransllyn Sellynghton Silva do Nascimento; Matheus Felipe Pereira de Souza; Rita de Cássia de Oliveira Ferreira; William Thiago Quirino Sales; Yolanda Nunes Sousa. A guerra cibernética tem como referência as estruturas complexas de um novo padrão emergente de guerra, devido ao surgimento de novas tecnologias, policymakers (fazedores de políticas públicas) e comunidades epistêmicas. O presente artigo tem o objetivo de discutir as novas ameaças à segurança nas relações nacionais e internacionais que têm se espalhado no ciberespaço por meio de ações dos indivíduos, organizações e Estados. O artigo foi desenvolvido por meio dos procedimentos metodológicos de revisão bibliográfica em documentos, livros e periódicos científicos, bem como de estudos de casos, através de um mapeamento georeferenciado sobre os principais ciberconflitos em diferentes continentes ( ), com o objetivo de subsidiar um estudo exploratório que se estruturou com base em uma lógica dedutiva de apreensão das questões complexas. Conclui-se que o conceito de segurança multidimensional é o mais adequado quadro teórico para explicar os conflitos cibernéticos, os quais inserem um novo tipo de espacialidade e a consequente pulverização do poder em uma ampla gama de agentes desde o Estado até os indivíduos, os quais não apenas se mobilizam por interesses distintos, mas também fazem uso de diferentes estratégias. 38

39 RELAÇÕES BRASIL-SUÉCIA: REAPARELHAMENTO E TRANSFERÊNCIA TECNOLÓGICA NO ÂMBITO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA Edson Tomaz de Aquino; Apoena Bezerra Evangelista; Bruna Fraga dos Santos; Joana Maria Barreto Andrade; Jorge Matheus Oliveira Rodrigues; Luiz Felipe Mota Nunes. O objetivo principal deste artigo é discutir o processo de compra de novos caças feito pelo Governo Federal, a fim de reaparelhar as Forças Armadas com a transferência de tecnologia de uso dual. Após longo processo de negociação, o Estado brasileiro opta pelo modelo Gripen da empresa sueca Saab, estabelecendo um novo patamar nas relações entre os dois países, ao nível de uma parceria estratégica. Para tanto, toma-se por base o conceito de Estado desenvolvimentista, adotado por CERVO & BUENO. Será feito um Estudo de Caso, a partir da análise de documentos oficiais e acadêmicos, bem como sites específicos da área. Como conclusão, verifica-se que a escolha dos caças suecos enquadra-se nos objetivos estratégicos de ambos os países, principalmente no caso brasileiro no concernente à transferência de tecnologia. 39

40 NOVAS AMEAÇAS E O ADVENTO DOS DRONES: A ÓTICA BRASILEIRA Ana Cláudia Santos Camerano; André Luiz Nissola; Beatriz Pimenta Klein; Gustavo Vieira da Silva; Heloísa Ishii. O fim da Guerra Fria modificou o pensamento sobre as questão de segurança nas relações internacionais. Novas ameaças surgem diante os Estados que requerem novas abordagens e análises da temática. Frente a isso, emerge a questão da cibernética e o uso de drones e suas implicações práticas concernentes a segurança internacional. Sendo assim, o presente trabalho objetiva compreender o uso de tais ferramentas dado de forma mais estratégica e em prol da estabilidade internacional e nacional. Este artigo inicia-se apresentando, sucintamente, as novas ameaças emergidas do pós-guerra Fria, partindo para um aprofundamento na questão cibernética e dos drones e o tratamento brasileiro a essas problemáticas perante a cena internacional. 40

41 A COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA E AS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL: UM BALANÇO Augusto César Dall Agnol; Bóris Zabolotsky; Guilherme de Almeida Pastl; Leila Bartz; Luísa Zanini da Fontoura; Günther Richter Mros. Através de revisão bibliográfica e pesquisa em fontes primárias, o presente artigo aborda as relações de cooperação entre a Universidade Federal de Santa Maria e as Forças Armadas Brasileiras Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e Força Aérea Brasileira no período recente. A cooperação tecnológica entre as duas instituições transborda a mera utilização de uma pela outra, caracterizandose como um importante elo entre a comunidade acadêmica e as Forças Armadas. Tal parceria acaba por influenciar o desenvolvimento do município e de tecnologia nacional a ser utilizada pelas Forças Armadas. 41

42 A INVISIBILIDADE DAS MULHERES NO CONFLITO DA SÍRIA: UMA PREOCUPAÇÃO PARA O DIREITO INTERNACIONAL HUMANITÁRIO Graziela Tavares de Souza Reis; Hermes Gonçalves de Alcântara Queiroz; Josiane Marinho Queiroz; Lara Pontes Nogueira Vasconcelos; Victor Hugo da Silva Leite; Carlos Eduardo Reis Dutra de Lima. Em 2000, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a histórica Resolução sobre mulheres, paz e segurança. Ela exige a participação das mulheres na construção da paz, a proteção das violações dos direitos humanos e a promoção do acesso à justiça e aos serviços para enfrentar a discriminação. Como o Brasil defende um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) e aumentou sua participação em missões de manutenção da paz nos últimos anos, a ONU Mulheres vai continuar a apoiar a implementação no Brasil da Resolução 1325 do CSNU, como manifestado na Carta de Intenções assinada com o Ministério da Defesa em Partindo dessas preocupações e a principal delas - a causa humanitária se julgou pertinente apresentar um trabalho sobre a questão específica do conflito humanitário na Síria, todavia, abordando-se ainda que ao existir um conflito, em absoluto contrassenso, mulheres e meninas são muitas vezes ignoradas ou marginalizadas pelas ações humanitárias que se organizam para ajudá-las. Trata-se de tema relevante ao se discutir os conflitos armados no século XXI, partindo não só dos conceitos que indicam a evolução do direito internacional e as distinções entre direitos humanos e direito internacional humanitário, mas também, uma provocação acadêmica acerca dos grandes números que indicam a exclusão da mulher nos processos de militarização, reconstrução da paz e nas ações humanitárias. 42

43 POLÍTICA DE FRONTEIRA E DEFESA NACIONAL Alcides Costa Vaz; Bruno Gonçalves de Souza Barbalho; Cássio Roberto Rodrigues Ferreira; Diego do Nascimento Melo; Felipe Carrer Custódio da Silva; Guilherme William Caixeta Leite. O artigo trata da relação entre Política Externa e à Política de Defesa do Brasil, tal como expressa na temática fronteiriça e na política de fronteiras do país. Aborda a atuação do Governo Federal para lidar com os desafios impostos pela conjuntura internacional fronteiriça na América do Sul e com os problemas internos brasileiros no tocante a formulação de políticas de defesa e segurança nacional. Apresenta um breve histórico da consolidação institucional do Ministério da Defesa e de sua articulação com o Ministério das Relações Exteriores, e analisa os planos estratégicos de defesa e segurança desenvolvidos para os três grandes arcos da fronteira brasileira à luz da Política de Defesa e da Estratégia de Defesa Nacional. Em sua formulação foi estudada e compulsada de, modo seletivo, a bibliografia que trata do processo evolutivo da política externa e da política de defesa brasileiras, a partir do governo de Fernando Henrique Cardoso bem como a bibliografia que trata da implementação de iniciativas que objetivam melhorar a gestão das políticas fronteiriças no tocante à defesa e segurança. 43

44 BRASIL E O PAPEL DE LIDERANÇA REGIONAL ATUAÇÕES E DESAFIOS Ana Letícia de Andrade Lopes Carvalho; Daniel Augusto dos Santos Lima; Felipe Xavier Faria Alvarenga; Ian Coutinho Bueno Marques Conti; Marianna Batista Benzaquen. O presente artigo propõe discutir a temática da segurança regional, através da teoria dos complexos regionais de segurança (CRS), na tentativa de vislumbrar o papel do Brasil como líder regional. O artigo busca tratar como se evidencia o processo de securitização de uma região para um Estado, identificando-a como uma preocupação comum e compartilhada de segurança para um complexo regional. A hipótese é de caracterizar o complexo regional de segurança sul-americano não como um modelo padrão, mas sim um modelo centrado, no qual o centro não é uma potência global. Assim, o trabalho é dividido em quatro partes: primeiramente, analisar a aplicação de teoria apresentada por Buzan e Wæver; destacar a importância do relacionamento entre Brasil-Argentina para a região; o papel brasileiro no UNASUL, destacando o papel brasileiro para sua criação e para a criação do Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS); e uma análise da política externa brasileira frente à região sul-americana. 44

45 DEFESA NACIONAL, DIPLOMACIA PÚBLICA BRASILEIRA E INCIDENTES TERRORISTAS INTERNACIONAIS EM 2015 Paula Lemos dos Santos; Adrianne Martins Gomes de Albuquerque; Caio da Cunha Rezende; Laís Campos Reis; Pedro de Oliveira; Renata Alecrim de Amorim Viana. O objeto de análise do presente artigo é o conjunto de Notas de Imprensa emitidas pelo Ministério das Relações Exteriores sobre incidentes terroristas internacionais ocorridos entre 1º de janeiro e 30 de junho de Nesse contexto, frise-se que o combate ao terrorismo no atual cenário geopolítico mundial é uma das questões mais levantadas em discursos e ações de líderes militares e chefes de Estados e de Governos, principalmente por aqueles que se expõem nos teatros de operações e zonas de conflitos, e dignam-se a combatê-lo em campo. Entretanto, há uma percepção razoavelmente generalizada de que os riscos impostos pelo terrorismo não parecem ter sido tão bem assimilados pelo Estado brasileiro. Essa compreensão dada pelo Brasil às questões de segurança internacional e defesa nacional tende a refletir um comportamento inerme do Governo brasileiro e respectivas autoridades diplomáticas com relação ao combate ao terrorismo. Destarte, é notória que a neutralidade do Brasil nessa questão também é motivada pelo caráter pacifista da diplomacia brasileira. Entretanto, em análise às notas oficiais de imprensa emitidas pelo Ministério das Relações Exteriores no período de janeiro a junho, o que se percebe é, sobretudo, um tímido posicionamento das autoridades nacionais frente aos incidentes de natureza terrorista, os graves afrontas à estabilidade internacional, à democracia às ordens internas das nações, notadamente dos povos que habitam territórios em conflito. 45

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

Processo seletivo - Programa Aprendiz CSN - Maio 2015 Selecionados - curso Mecânica Próxima etapa: Dinâmica de Grupo e Entrevista

Processo seletivo - Programa Aprendiz CSN - Maio 2015 Selecionados - curso Mecânica Próxima etapa: Dinâmica de Grupo e Entrevista ABRAHAO JUNIOR DE SOUZA PEREIRA ALAN SILVA DE ASSIS ALEXANDRE DE SOUZA PEREIRA FILHO ALYSSON DA COSTA ESTEVES ANA CLARA SILVA CABRAL ANDRE DA SILVA VIEIRA JUNIOR ANDRE LUIZ DE OLIVEIRA DOMINGOS ARTHUR

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA E CAMPIA ESCOLA BÁSICA DE CAMPIA MATEMÁTICA - 2013/2014 (3.º período) 2.º Ciclo - TABUADA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VOUZELA E CAMPIA ESCOLA BÁSICA DE CAMPIA MATEMÁTICA - 2013/2014 (3.º período) 2.º Ciclo - TABUADA 2.º Ciclo - TABUADA 1.ºs 6.º Ac 7 Fernando Miguel L. Fontes 100,0 6.º Ac 8 Francisca Vicente Silva 100,0 6.º Bc 2 Daniel Henriques Lourenço 99,6 3.ºs 5.º Bc 16 Simão Pedro Tojal Almeida 99,6 5.º Ac 10

Leia mais

CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA

CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA CURSO TURNO NOME DO ALUNO CLASSIFICAÇÃO STATUS ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANA CLÁUDIA ARAUJO DA MOTA 0 Desclassificado ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA noturno ANDRÊSSA CAIXETA SOUZA 0 Desclassificado

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015.

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015. Certifico que, Ademir dos Santos Ferreira, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Certifico que, Almir Junio Gomes Mendonça, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Engenheiro

Leia mais

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20%

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20% ALCATEIA Sec NIN NOME NIN NOME Lob 1215050143005 Alice Neto Santos Nascimento 1215050143015 Afonso da Fonseca Machado Lob 1215050143010 Amélia Maria Mesquita Aleixo Alves 1115050143010 Afonso Jesus Dias

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13948 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Gabriela Pedro Fernandes Escola Básica n.º 2 de São Pedro do Sul 13933 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Júlia Capela Pinto Escola Básica n.º 2 de São Pedro do

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

Local SÍTIO DO SOSSEGO, CASIMIRO DE ABREU, RJ. Data 07 E 08 DE SETEMBRO DE 2012 PROVAS E COMPETIÇÕES BÍBLICAS 2012

Local SÍTIO DO SOSSEGO, CASIMIRO DE ABREU, RJ. Data 07 E 08 DE SETEMBRO DE 2012 PROVAS E COMPETIÇÕES BÍBLICAS 2012 Página 1 de 6 PROVAS E COMPETIÇÕES BÍBLICAS 2012 Data 07 E 08 DE SETEMBRO DE 2012 Local SÍTIO DO SOSSEGO, CASIMIRO DE ABREU, RJ PROVA DE MARCOS (Junior) 01 JUAN DA COSTA SOUZA IB EBENEZER EM STA LUZIA

Leia mais

AMANDA COSTA DE MORAIS

AMANDA COSTA DE MORAIS O Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Administração da UFMG certifica que o(a) aluno(a) AMANDA COSTA DE MORAIS participou da 7ª Discussão Temática Diversidade e inovação: cultura empreendedora

Leia mais

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada)

Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) Resultado Vestibular 2013/1 (2ª Chamada) ADMINISTRAÇÃO 1 ARIELA RODRIGUES SILVA 2 CAROLINA DANTAS DOS SANTOS 3 CRISTIANE DA SILVA GUERREIRO 4 GABRYELLA BUENO DO CARMO 5 JESSICA RAMOS DA SILVA 6 JULIA DE

Leia mais

Amanda Cardoso de Melo

Amanda Cardoso de Melo Aime Pinheiro Pires participou da palestra: Empreendedor De Sucesso, Amanda Cardoso de Melo Amanda Loschiavo Amoiré Santos Ribeiro Ana Carolina Pereira Pires Ana Carolina Pioto Magalhães Ana Cristina Angelo

Leia mais

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Almancil, Loulé Horário n.º: 27-18 horas 2013-10-09 Grupo de Recrutamento: 420 - Geografia LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Ordenação Graduação

Leia mais

LOCAL: Auditório CEAM- O candidato deve pegar um transporte alternativo e pedir ao motorista que o deixe no CEAM que fica logo após o Porto Itaguaí

LOCAL: Auditório CEAM- O candidato deve pegar um transporte alternativo e pedir ao motorista que o deixe no CEAM que fica logo após o Porto Itaguaí DINÂMICA DE GRUPO DIA: 11/08/2008 CARGO: APRENDIZ I - Operação Portuária 1. Aline Aparecida Ramos Muniz 2. Carla Cristina Gonçalves Silva 3. Carolina de Sousa 4. Douglas Leite Cardoso 5. Erick Rodrigo

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado : A 137 1 Adriana Manuela Gomes Pinheiro 14 S S 20 2 Alexandra Pereira Ferreira 28 3 Ângelo Rafael Araújo Gomes S 28 4 Beatriz da Costa Oliveira S 2 5 Domingos Gonçalo Ferreira

Leia mais

LISTA DE SORTEADOS PARA AS VAGAS DE 2015 1º ANO MANHÃ

LISTA DE SORTEADOS PARA AS VAGAS DE 2015 1º ANO MANHÃ 1º ANO MANHÃ 1. WALLACE VINÍCIUS DE BRITO PATROCÍNIO Comerciário 2. SAMUELL BRAULIO MOREIRA SANTOS Comerciário 3. JOANA MARTINS BRAGA RIVERTE Comerciário 4. SAMUEL ALVES COELHO MENEZES Comerciário 5. EMANUELLE

Leia mais

Adriane Cristina de Jesus

Adriane Cristina de Jesus Adriane Cristina de Jesus Alexandre Coelho Rodrigues Gomes Alexandre Montenegro Nascimento Vilarinhos Ana Carolina Nogueira Ana Carolina Rodrigues Oliveira Ana Luiza de Paiva Silva Ana Luiza dos Anjos

Leia mais

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL Adriana da Conceição Palhares Lopes Alexandra Rodrigues Barbosa Ana Salomé Lopes Queirós Andreia Dias da Costa Bianca Patricia Gonçalves Ramos Carina Filipa Monteiro Rodrigues

Leia mais

CURSO: RECUSROS HUMANOS

CURSO: RECUSROS HUMANOS 6 de junho de 2015 CURSO: RECUSROS HUMANOS ELAINE CRISTINA AMORIM ELISABETE ALVES DE LIMA MARIA ANDREZA CASTRO DE MORAIS REGIANE LIBERATO AMORIM RUTE GOMES DE ASSUNÇÃO 8h CURSO: RECURSOS HUMANOS FERNANDA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO ANEXO II INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS CANDIDATOS AUTODECLARADOS NEGROS EDITAL 74 DE 03/12/2015 TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM ADUCAÇÃO INSCRICAO CAMPUS CARGO NOME 19941 CAMPUS PATROCÍNIO TÉCNICO EM ALEX DE SOUZA

Leia mais

Ana Carolina Pereira Pires

Ana Carolina Pereira Pires Aimê Pinheiro Pires universidades e centros de pesquisa na geração de novos negócios, Ana Carolina Pereira Pires Ana Cristina Angelo Rocha Ana Paula Andrade Galvão Andre Araujo André Lopes Andre Luiz Santos

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

Desenvolvimento e Mudanças na Gestão Pública

Desenvolvimento e Mudanças na Gestão Pública UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CEAD / UNIRIO PROGRAMA NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PNAP CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Relação de Candidatos Classificados INGLÊS TURMA A

Relação de Candidatos Classificados INGLÊS TURMA A Relação de Candidatos Classificados INGLÊS TURMA A 1 LUCIO GONÇALVES BRASIL NETO 2 BRUNA RENATA ROCHA FERNANDES 3 BARBARA ALEXANDRA COSTA GOMES 4 DAVI GOMES DE ALBUQUERQUE 5 FERNANDA MOREIRA LIMA 6 FILIPE

Leia mais

LISTA DE CLASSIFICADOS

LISTA DE CLASSIFICADOS LISTA DE CLASSIFICADOS Curso: Web Design Comparecer para a matrícula do dia (Segunda à Sexta) Horário:das 09h às 12h e 13h às 17h Ord Nome Candidato RG Pont Período Matrícula 1 Allana Araujo Baroni 235033068

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13008 10 E Técnico de Instalações Elétricas Carlos Jorge Oliveira Rodrigues Escola Secundária de São Pedro do Sul 13791 10 E Técnico de Instalações Elétricas Daniel dos Santos Rodrigues Escola Secundária

Leia mais

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos

161342 - Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 340613 - Escola Básica nº 2 de Condeixa-a-Nova Relação de Alunos : A 12 1 Adriana Beatriz Pinto Pereira Cortez S 13078 2 Ana Francisca Conceição Costa S 136 3 Ana Francisca Rodrigues Preces 1307 4 António José da Silva Loreto S 13084 Beatriz Moura Neves Beja Facas S

Leia mais

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos

161718 - Agrupamento Escolas Castro Daire 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de Castro Daire. Relação de Alunos 343717 - Escola Básica dos 2.º e 3.º s de Castro Daire Turma : A 1498 1 Ana Catarina Costa Esteves 14920 2 Ana Francisca da Silva Fernandes 16292 3 Beatriz Monteiro Andrade 14409 4 Camila Almeida Oliveira

Leia mais

Programação. Dia 31/05 1º período do curso de Engenharia de Computação

Programação. Dia 31/05 1º período do curso de Engenharia de Computação Programação Dia 31/05 1º período do curso de Engenharia de Computação 1ª PALESTRA DO DIA: 19h As perspectivas mercadológicas na era da Tecnologia da Informação para Utilização de Software nas Empresas

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO PLANALTO 11a REGIÃO MILITAR (Cmdo Mil de Bsb/1960) REGIÃO TENENTE-CORONEL LUIZ CRULS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO PLANALTO 11a REGIÃO MILITAR (Cmdo Mil de Bsb/1960) REGIÃO TENENTE-CORONEL LUIZ CRULS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO PLANALTO 11a REGIÃO MILITAR (Cmdo Mil de Bsb/1960) REGIÃO TENENTE-CORONEL LUIZ CRULS DIVULGAÇÃO DO RESULTADO DOS RECURSOS DOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO

Leia mais

PROCESSO SIMPLIFICADO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS - 2015/2 CONVOCAÇÃO PARA A ENTREVISTA 29 de outubro de 2015

PROCESSO SIMPLIFICADO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS - 2015/2 CONVOCAÇÃO PARA A ENTREVISTA 29 de outubro de 2015 PROCESSO SIMPLIFICADO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS - 25/2 CONVOCAÇÃO PARA A ENTREVISTA 29 de outubro de 25 A Diretoria do Campus Goiânia do IFG, por meio da Gerência de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão,

Leia mais

FAETEC 2014.1 - Edital de Vagas Remanescentes. 2a Reclassificação

FAETEC 2014.1 - Edital de Vagas Remanescentes. 2a Reclassificação Seleção: Ensino Técnico de Nível Médio na forma articulada: integrada Unidade Escolar: ETE Adolpho Bloch Curso: Hospedagem Turno: Diurno 15 16 17 18 19 20 21 39430 40423 40708 42151 42191 42949 43655 2522302

Leia mais

Campeonato de Inverno de NS FIGURAS CATEGORIA INFANTIL Vila Franca de Xira, 10 de Abril de 2015

Campeonato de Inverno de NS FIGURAS CATEGORIA INFANTIL Vila Franca de Xira, 10 de Abril de 2015 FIGURAS CATEGORIA INFANTIL 1 131962 Maria Lazutina 2 126201 Beatriz Cerqueira Teixeira 3 125652 Maria Tribuzi Melo 4 126262 Mariana Goncalves Carvalho 5 128715 Rita Manuela Silva 6 125651 Mafalda Ventura

Leia mais

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre Jorge Costelha Seabra 2 18,2 110402182 Ana Catarina Linhares

Leia mais

Quadro Competitivo Xadrez CAE - Round 5

Quadro Competitivo Xadrez CAE - Round 5 List of Players Quadro Competitivo Xadrez CAE - Round 5 No Name Feder Club 1. Alexandre Aranda, Ini Conservatório de Música 2. Alexandre Alves, InfA Conservatório de Música 3. Alexandre Magalhães, InfA

Leia mais

PROCESSO DE INGRESSO - 2012 3 REMANEJAMENTO EXTRA. SSA 3ª Fase - 2012

PROCESSO DE INGRESSO - 2012 3 REMANEJAMENTO EXTRA. SSA 3ª Fase - 2012 330 - ENGENHARIA CIVIL - Bacharelado 1ª ENTRADA N - Noite 1005450100565149 GABRIELLA KATARINE SILVA NETO REMANEJADO 58,318 UNIVERSAL 4971019955975653 GUILHERME MARINHO DE ASSIS FERNANDES ANGE MATRICULADO

Leia mais

RESULTADO DAS SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA DE TURNO MATERNAL PARA O 1 ANO DA ED. INFANTIL

RESULTADO DAS SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA DE TURNO MATERNAL PARA O 1 ANO DA ED. INFANTIL Srs. Pais e/ou Responsáveis, RESULTADO DAS SOLICITAÇÕES DE MUDANÇA DE TURNO O colégio Marista de natal, em resposta às solicitações realizadas pelos senhores para troca de turno em 2015, informa que, até

Leia mais

Hospital Sofia Feldman

Hospital Sofia Feldman Hospital Sofia ldman Relatório de Remuneração de Médicos Referente a Mês/Ano: 07/2015 NOME DO TRABALHADOR ROBERTO SALES MARTINS VERCOSA PAULO MAX GARCIA LEITE LUCAS BARBOSA DA SILVA JOAO BATISTA MARINHO

Leia mais

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos

151713 - Agrupamento de Escolas de Mosteiro e Cávado 346652 - Escola E.B.2,3 do Cávado. Relação de Alunos 3452 - Escola E.B.2,3 do Cávado Turma : A 2002 1 Ana Catarina Loureiro Silva S 171 2 André Eduardo Dias Santos S 173 3 Ângelo Rafael Costa e Silva S S 2007 4 Bruno da Silva Gonçalves S 20 5 Catarina Daniela

Leia mais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais

31º Curso Normal de Magistrados para os Tribunais Judiciais A 796 Neuza Soraia Rodrigues Carvalhas Direito e Processual 729 Maria Teresa Barros Ferreira Direito e Processual 938 Rute Isabel Bexiga Ramos Direito e Processual 440 Inês Lopes Raimundo Direito e Processual

Leia mais

XX - Torn. CIDADE DE VILA DO CONDE

XX - Torn. CIDADE DE VILA DO CONDE Nº ATLETA Clube INES FERREIRA MATILDE PINTO BEATRIZ ROCHA LAIS MENDES FILIPA ESTEVES INES SALGADO INES FERNANDES PROVA: CTM Chaves MARGARIDA DOMINGUES DIANA GOMES hm hm hm hm 13 hm INES SALGADO M - Lourosa

Leia mais

CUMPRIMENTO DE DECISÃO JUDICIAL.

CUMPRIMENTO DE DECISÃO JUDICIAL. CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DE DO CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO DE SOLDADOS DO QUADRO DE PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS, PARA O ANO DE 2016 (CFSd QPPM/2016) CUMPRIMENTO DE

Leia mais

Resultado Vestibular 2013/2 (1ª Chamada) ADMINISTRAÇÃO

Resultado Vestibular 2013/2 (1ª Chamada) ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO 17 ANDRE LUIZ SOUZA SILVA FILHO 28,0 10 ANDREA DE OLIVEIRA SOUSA 35,0 18 BRUNO OLIVEIRA GUIMARÃES 23,0 11 CARLOS SILVA JúNIOR 35,0 14 CINTHIA UEMURA DA SILVA 32,0 1 DANIEL SOUZA OLIVEIRA

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE OFICIAIS DA POLICIA MILITAR DO ESTADO DO PARÁ CADO/PM/2012

CONCURSO PÚBLICO PARA ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE OFICIAIS DA POLICIA MILITAR DO ESTADO DO PARÁ CADO/PM/2012 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO ESTADO DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO Nº 002/PMPA/2012 EDITAL Nº 08, DE 25 DE ABRIL

Leia mais

Nome Curso Golos Amarelos Vermelhos

Nome Curso Golos Amarelos Vermelhos Nome Curso s Amarelos Vermelhos Carlos Júnior Mestrado 4 Jogo 15 Rui Nascimento Mestrado Jerónimo Mestrado 1 Jogo 15 Pedro Francês Mestrado 1 Andre Figueiredo Mestrado 3 Jogo6 Artur Daniel Mestrado 2 João

Leia mais

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado

Inscrição Nome Opção de Curso Status. 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado Processo Seletivo 2016/1 000000005133 RAQUEL REZENDE DANTAS EDUCACAO FISICA Aprovado 000000004960 VALERIA DIAS MIRANDA EDUCACAO FISICA Aprovado 000000005764 BRUNNO DE PAULA SILVA BARBOSA EDUCACAO FISICA

Leia mais

CAMP PINHEIROS - Centro Assistencial de Motivação Profissional Concurso CETESB Novembro 2015 Classificação

CAMP PINHEIROS - Centro Assistencial de Motivação Profissional Concurso CETESB Novembro 2015 Classificação PALOMA EMIDIO DE SOUZA 38213046-7 23/05/1996 18 25 43 1º MIRIÃ GALVÃO FERNANDES 52336128-2 22/04/1996 18 24 42 2º JOHANN DE OLIVEIRA 36446356-9 09/05/1996 17 25 42 3º FABIANA SOUZA RODRIGUES 54299710-1

Leia mais

GRUPOS QUE UTILIZARÃO OS ALOJAMENTOS

GRUPOS QUE UTILIZARÃO OS ALOJAMENTOS V CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO VALE DO SÃO FRANCISCO - CEFIVASF Petrolina, PE Complexo Multieventos UNIVASF 30 de abril a 2 de maio de 2015 GRUPOS QUE UTILIZARÃO OS ALOJAMENTOS GRUPO ALOJAMENTO PROFESSORA

Leia mais

Resultados da Candidatura a Alojamento

Resultados da Candidatura a Alojamento Resultados da Candidatura a Alojamento Unidade Orgânica: Serviços de Acção Social RESIDÊNCIA: 02 - ESE ANO LECTIVO: 2015/2016 2ª Fase - Resultados Definitivos >>> EDUCAÇÃO BÁSICA 14711 Ana Catarina Mendes

Leia mais

LISTA DE PRÉ-SELECIONADOS 1ª CHAMADA - UNIDADE SEDE 2º SEMESTRE DE 2015

LISTA DE PRÉ-SELECIONADOS 1ª CHAMADA - UNIDADE SEDE 2º SEMESTRE DE 2015 Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni LISTA DE PRÉ-SELECIONADOS 1ª CHAMADA - UNIDADE SEDE 2º SEMESTRE DE 2015 IRLA SHIRLEY SOUSA COUTINHO JAKELYNE DE SOUSA FRANCO LIONEIDE DA

Leia mais

152729 - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins 401535 - Escola Secundária Dr. Júlio Martins Relação de Alunos

152729 - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins 401535 - Escola Secundária Dr. Júlio Martins Relação de Alunos : A 1248 1 Ana Garcia Amarante 1239 2 André Carneiro Rodrigues 124 3 Beatriz Branco Ramos 151 4 Camila Alves Salgado 16485 5 Daniel Emídio Costa dos Santos 1648 6 Débora Barroso Fernandes 16528 Hugo Paulo

Leia mais

Artigo 23.º da Portaria 243/ 2012, de 10 de agosto 10.º ANO

Artigo 23.º da Portaria 243/ 2012, de 10 de agosto 10.º ANO Adriano Filipe Dias Sequeira Ana Carolina Leite da Silva 10.º ANO Ana Filipa Martins Façanha Marques Ana Laura Martins Dengucho Ana Luísa Marques Tomé Ana Sofia Tomé Vicente Andreia Cristina de Oliveira

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião ELEIÇÃO PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA Ata da Quarta Reunião Ao sexto dia do mês de novembro de dois mil

Leia mais

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Curso: Bacharelado em Administração - João Pessoa - Integral - Transferência 097003400004 RAYSSA KELLY SILVA LIMA APTO 097003400013 LUANA JARDELINA DE SOUZA NERY INAPTO 097003400002 KEDYMA DA COSTA SILVA

Leia mais

Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista.

Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista. ALUNOS APTOS PARA PARTICIPAREM DA COLAÇÃO DE GRAU 2015/2 Obs.: poderá ocorrer mudanças na lista. AGRIMENSURA Nº NOME PENDÊNCIAS 1 Ana Claudia Nardes Carvalho OK 2 Caio Cesar dos Anjos Carneiro OK 3 Carine

Leia mais

Candidato Curso Turno Classificação Status Análise Data da Agenda Hora ANA CLAUDIA DE SOUSA. Em processo de análise diurno 1 INFORMAÇÃO

Candidato Curso Turno Classificação Status Análise Data da Agenda Hora ANA CLAUDIA DE SOUSA. Em processo de análise diurno 1 INFORMAÇÃO Candidato Curso Turno Classificação Status Análise Data da Agenda Hora ANA CLAUDIA DE SOUSA GABRIEL FERNANDES CYRINO GISNEI RIBEIRO CAMPOS GUILHERME MAGALHÃES SOMMERFELD JOÃO EDUARDO MACHADO JOYCE LORENA

Leia mais

Relatório de Resultado por Curso 72,00 3,00 64,00 58,00 60,00 70,00 8,00 9,00 10,00 11,00 12,00 13,00

Relatório de Resultado por Curso 72,00 3,00 64,00 58,00 60,00 70,00 8,00 9,00 10,00 11,00 12,00 13,00 Av. Professor Mário Werneck, 25 Buritis 30 Belo Horizonte/MG 1º Vestibular e Exame de Seleção de 15 do IFMG Câmpus Avançado Piumhi Bacharelado em Engenharia Civil 2154 44 19995 4040 992 9 05 379 11513

Leia mais

Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência

Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência Análise Matemática I - Informática de Gestão Avaliação da 1ª frequência Número Nome Nota Obs 10780 ALEXANDRE JOSÉ SIMÕES SILVA 15 11007 ALEXANDRE REIS MARTINS 7,7 11243 Álvaro Luis Cortez Fortunato 11,55

Leia mais

TORNEIO ABERTO FMA. 60 Metros Rasos - SUB 14 - FEMININO - FINAL - v.: 0.8

TORNEIO ABERTO FMA. 60 Metros Rasos - SUB 14 - FEMININO - FINAL - v.: 0.8 60 Metros Rasos - SUB 14 - FEMININO - FINAL - v.: 0.8 1 120 Maria Luiza D Silva B 19/01/2003 PREF.MUN.ORATORIOS 8.58 2 130 Adrielli Ricardino Ferreira 16/06/2004 PREF.MUN.PONTE NOVA 9.16 3 119 Luana DE

Leia mais

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 3ª CHAMADA IFRJ NOME DO CANDIDATO

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 3ª CHAMADA IFRJ NOME DO CANDIDATO EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015/2 IFRJ Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ

Leia mais

I SELETIVA ANO - 2015 Local: SECRETARIA DE ESPORTES Data: 28/03/2015 à 29/03/2015 50 METROS COSTAS FEMININO MIRIM

I SELETIVA ANO - 2015 Local: SECRETARIA DE ESPORTES Data: 28/03/2015 à 29/03/2015 50 METROS COSTAS FEMININO MIRIM Prova N 1 Etapa: 1 (28/3/2016) 50 METROS COSTAS FEMININO MIRIM 4 MARIA PAULA GOMIDE MOREIRA 284220 2005 ASBAC/AQUANAII 00:54.48 5 FERNANDA RESENDE ROCHA 296569 2006 ASBAC/AQUANAII 99:99.99 26/03/2015 18:36:48

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PROCESSO SELETIVO 2015 PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTO JURÍDICO DOUTORADO BANCA: D-01D LINHA DE PESQUISA: DIREITOS HUMANOS E ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: FUNDAMENTAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E EFETIVIDADE ÁREA DE ESTUDO: DIREITO POLÍTICO SALA: 501 Carlos Athayde Valadares Viegas Ricardo

Leia mais

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015 LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110 Ano Letivo - 2014/2015 CANDIDATOS ADMITIDOS: Nº Candidato NOME OSERVAÇÕES 1367130034 Alexandra

Leia mais

VESTIBULAR 1º SEM 2015

VESTIBULAR 1º SEM 2015 Ampla Concorrência Curso : 012 Engenharia de Computação 1º 1448967 JOAO PAULO TINOCO ALVARENGA 93,0 Convocado 2º 1464090 GABRIEL BARROSO RUBIAO 89,0 Convocado 3º 1441526 ITALO NICOLA PONCE PASINI JUDICE

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO ESCOLA DE CONTAS CONSELHEIRO OTACÍLIO SILVEIRA - ECOSIL D E C L A R A Ç Ã O

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO ESCOLA DE CONTAS CONSELHEIRO OTACÍLIO SILVEIRA - ECOSIL D E C L A R A Ç Ã O Declaramos, para os devidos fins, que ADEMARIO FÉLIX DE ARAÚJO FILHO, participou da palestra O FUTURO DO BRASIL, proferida por MAÍLSON FERREIRA DA NÓBREGA, por ocasião da Aula Magna de abertura do Mestrado

Leia mais

APURAÇÃO DE RESULTADO ENTREVISTA. 15 - ÁREA: DIRETORIA DE EXTENSÃO Secretaria e Coordenação de Estágio. Nível Superior

APURAÇÃO DE RESULTADO ENTREVISTA. 15 - ÁREA: DIRETORIA DE EXTENSÃO Secretaria e Coordenação de Estágio. Nível Superior 15 - ÁREA: DIRETORIA DE EXTENSÃO Secretaria e Coordenação de Estágio. Nível Superior 46 Samuel Souza Evangelista 130 104 Jussara Cândida Soares Desclassificada 45 Bruno José Rupino 130 61 Fabiana Grigógio

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO ESCOLA DE CONTAS CONSELHEIRO OTACÍLIO SILVEIRA - ECOSIL D E C L A R A Ç Ã O

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO ESCOLA DE CONTAS CONSELHEIRO OTACÍLIO SILVEIRA - ECOSIL D E C L A R A Ç Ã O Declaramos, para os devidos fins, que PAULO ROBERTO DINIZ DE OLIVEIRA, participou no dia 10 de março de 2015, no horário das 10h00 às 12h00, do treinamento sobre o Envio das Prestações de Contas do Exercício

Leia mais

Nome do candidato Curso - Campus Semestre Classificação

Nome do candidato Curso - Campus Semestre Classificação 589 ADILSON SANTOS DE JESUS 49 AMANDA LUISA FAGUNDES AMORIM 45477 ARLISON SANTOS SOUZA 7698 AUGUSTO MACHADO RAMOS 80880 BIANCA AMORIM SANTOS 00492 DANIEL SANTOS SILVA 44442 DANILO FLORES DE OLIVEIRA 6240

Leia mais

Concurso Público para preenchimento de vagas no cargo de Defensor Público de 3ª Categoria do Estado de Goiás EDITAL Nº 001/2014

Concurso Público para preenchimento de vagas no cargo de Defensor Público de 3ª Categoria do Estado de Goiás EDITAL Nº 001/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO Concurso Público para preenchimento de vagas no cargo de Defensor Público de 3ª Categoria do Estado de Goiás EDITAL Nº 001/2014

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR - 2014

CONCURSO VESTIBULAR - 2014 FIP - FACULDADES INTEGRADAS DE PATOS Data - 5/8/2014 COMPROV - COMISSÃO DE PROCESSOS VESTIBULARES PAG - 1 RELACÃO DOS CANDIDATOS CLASSIFICADOS E APROVADOS MEDICINA - ORDEM POSIÇAÕ ORDEM INSCRIÇÃO NOME

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO DA RECEITA E DESPESA CONCEDENTE

DEMONSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO DA RECEITA E DESPESA CONCEDENTE X RIOSOLIDARIO-OBRA SOCIAL DO RIO DE JANEIRO DEMONSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO DA RECEITA E DESPESA CONCEDENTE TIPO DA PERÍODO DA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL 16.12.14

Leia mais

PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL POR CURSO

PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL POR CURSO Inscrição GILBRAN COSTA GUIMARÃES 003020851100087 662,64 Cirurgia Geral 1 * MARCELA SILVA VIEIRA 003027851100098 655,49 Cirurgia Geral 2 * GUTENBERG DINIZ BORBOREMA 003021851100096 619,4 Cirurgia Geral

Leia mais

Ord Nome do Candidato RG Pont Período Matrícula. 1 AGNES SOUZA DA SILVA 509056520 15,25 Noite. 2 ALINE STEFANI PAULO DA SILVA 391743119 20,5 Tarde

Ord Nome do Candidato RG Pont Período Matrícula. 1 AGNES SOUZA DA SILVA 509056520 15,25 Noite. 2 ALINE STEFANI PAULO DA SILVA 391743119 20,5 Tarde Lista de Classificados Curso: Animação e Organização de Eventos Comparecer para a matrícula do dia (Segunda à Sexta) Horário: das 09h às 12h e 13h às 17h Ord Nome do Candidato RG Pont Período Matrícula

Leia mais

PRÉ-SELECIONADOS PROUNI - 1.2016 1ª CHAMADA - SEDE

PRÉ-SELECIONADOS PROUNI - 1.2016 1ª CHAMADA - SEDE PRÉ-SELECIONADOS PROUNI - 1.2016 1ª CHAMADA - SEDE ALENE DE SOUZA NASCIMENTO CHARLISON NERIS MAIA ERICK RIBAS DUTRA TORREZAN ESDRAS DE SOUZA MATOS LEONARDO DA SILVA ROCHA LUIS FELIPE TAVARES GENTIL STEFANE

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

Estádio Municipal da Guarda, 20 de Março de 2012 1 / 8

Estádio Municipal da Guarda, 20 de Março de 2012 1 / 8 MEGASPRINT INFANTIS A FEMININOS - FINAL 175 Ana Marques 2001 Agrupamento de Escolas de Trancoso 6,3 259 Soraia Pires 2001 Agrupamento de Escolas do Sabugal 6,6 260 Carolina Afonso 2001 Agrupamento de Escolas

Leia mais

Local de Prova LICEU FRANCO BRASILEIRO, RUA DAS LARANJEIRAS, 13/15,, LARANJEIRAS, RIO DE JANEIRO - RJ / SALA: 18, PRÉDIO: B - ANDAR: TER

Local de Prova LICEU FRANCO BRASILEIRO, RUA DAS LARANJEIRAS, 13/15,, LARANJEIRAS, RIO DE JANEIRO - RJ / SALA: 18, PRÉDIO: B - ANDAR: TER LOCAIS DE PROVA - ENADE 2011 ARQUITETURA E URBANISMO ALINE ROCHA GONCALVES ANA CARLA GONZALEZ DE ARAUJO ANA CAROLINA SOUZA RODRIGUES DA SILVA ANITA LUIZA DE SOUSA SOARES CARLA DA SILVA SOUZA CARLOS JOSE

Leia mais

APROVADOS PROCESSO SELETIVO FACULDADE ASA INICIO DAS AULAS EM FEVEREIRO 2015. ÓRDEM ALFABÉTICA.

APROVADOS PROCESSO SELETIVO FACULDADE ASA INICIO DAS AULAS EM FEVEREIRO 2015. ÓRDEM ALFABÉTICA. APROVADOS PROCESSO SELETIVO FACULDADE ASA INICIO DAS AULAS EM FEVEREIRO 2015. ÓRDEM ALFABÉTICA. Adamastor Jose Feliciano Neto Adriano Mendes dos Santos Alex Rodrigues Carneiro Aline Pereira Marciel Aline

Leia mais

Direcção Regional de Educação Lisboa 121216 - Agrupamento de Escolas de Santo António 402746 - Escola Básica 2, 3 com Secundário de Santo António

Direcção Regional de Educação Lisboa 121216 - Agrupamento de Escolas de Santo António 402746 - Escola Básica 2, 3 com Secundário de Santo António 20 / 20 Turma : A 6876 1 Ângelo Miguel Borges Pereira Saúde 7802 2 Cíntia Eliane Sanches Freire 7700 3 Daniel Alexandre Laximi Martins 674 4 Débora Soraia Alves Belmonte 671 Eliana Filipa da Conceição

Leia mais

Relatório de Diplomas Registrados pela Universidade Federal de Minas Gerais Diplomas Registrados - 38ª Remessa. Assunto: Farmácia

Relatório de Diplomas Registrados pela Universidade Federal de Minas Gerais Diplomas Registrados - 38ª Remessa. Assunto: Farmácia 2640 RD.2013/2 11/09/2013 ACÁCIA TROTA 2013/09.00879 Universidade Federal de Minas Gerais 2666 RD.2013/2 12/09/2013 AILTON BATISTA JUNIOR Ciências Contábeis 2013/09.00916 Universidade Federal de Minas

Leia mais

UFPE-SELECAO DE POS-GRADUACAO EM DIREITO 2016 PAG 0001

UFPE-SELECAO DE POS-GRADUACAO EM DIREITO 2016 PAG 0001 UFPE-SELECAO DE POS-GRADUACAO EM DIREITO 2016 PAG 0001 GRUPO:GRUPO 1.1 - JURISDICAO E PROCESSOS CONSTITUCIONAIS 500062 ANTONIO BESERRA DOS SANTOS NETO 7628125 SDS/PE 8,50 INGLES 500087 ARTUR ORLANDO DE

Leia mais

ANALISTA DE INFORMÁTICA / SISTEMAS

ANALISTA DE INFORMÁTICA / SISTEMAS EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA - EMPREL ANALISTA DE INFORMÁTICA / SISTEMAS ALEXANDRE CANTINHO SALSA JUNIOR 900861 30º 60,00 ANA CECILIA VITAL DE ANDRADE, 901526 14º 67,00 ANDRE LUIZ DE OLIVEIRA LOPES

Leia mais

TREINAMENTO BOLSAS DE 100%

TREINAMENTO BOLSAS DE 100% S BOLSAS DE 100% Francisco Júnior Bruno da Silva Quintão Nelson França Gomes João Marcos Freitas Alves Raul Ramos Rodriguez Montador de Andaime BOLSAS DE 40% Peter David Marciano Erick Douglas Paulo Victor

Leia mais

CLASSIFICADOS. Grupo C 10 100721 MARIA EDUARDA ROCHA VALENTE DA SILVA QUÍMICA INFORMÁTICA

CLASSIFICADOS. Grupo C 10 100721 MARIA EDUARDA ROCHA VALENTE DA SILVA QUÍMICA INFORMÁTICA 1 101208 IAGO IGNACIO BOTELHO E SILVA INFORMÁTICA ELETRÔNICA 2 101041 THAYANA XAVIER LUCERO ELETRÔNICA QUÍMICA 3 100746 ARTHUR MOREIRA RAMOS 4 100083 LECTICIA VIANNA LEAL SOARES BESSA MECATRÔNICA MECÂNICA

Leia mais

ADEMIR CATARINO DE SÁ ADRIANE GONÇALVES DE SOUZA ADRIELE SALES DA SILVA ALAN KARDEK SILVA BARROS

ADEMIR CATARINO DE SÁ ADRIANE GONÇALVES DE SOUZA ADRIELE SALES DA SILVA ALAN KARDEK SILVA BARROS NOME ADEMIR CATARINO DE SÁ ADRIANA DE JESUS DE BRITO ADRIANA OLIVEIRA SOUZA ADRIANE GONÇALVES DE SOUZA ADRIELE FATIMA ROCHA ADRIELE SALES DA SILVA ALAN KARDEK SILVA BARROS ALDAIR FEREIRA MELO ALINE FERREIRA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano Base: 2012 Título do Projeto: Palestra Julio Ferraz Tipo de Projeto:

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

Escola : Centro Profissionalizante Jornalista Cristiano Donato Curso : Francês Turno : Tarde

Escola : Centro Profissionalizante Jornalista Cristiano Donato Curso : Francês Turno : Tarde Escola : Centro Profissionalizante Jornalista Cristiano Donato Curso : Francês Turno : Colocação : 25 Aluno : Matheus Rodrigues Cavalcante Colocação : 26 Aluno : Ana Paula Santos Lira Colocação : 27 Aluno

Leia mais

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ

11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 11º GRANDE PRÉMIO DE S.JOSÉ 1 FRANCISCO PEREIRA 36 SENIOR MASC. VITÓRIA S.C. 20.23 2 ANDRE SANTOS 48 SENIOR MASC. C.A.O.VIANENSE 20.27 3 JORGE CUNHA 3 SENIOR MASC. S.C.MARIA DA FONTE 21.14 4 DOMINGOS BARROS

Leia mais

EXAME CLASSIFICATÓRIO EAD 2014.2 TERESINA - DIRCEU CANDIDATOS CONVOCADOS PARA MATRÍCULA - 2ª CHAMADA

EXAME CLASSIFICATÓRIO EAD 2014.2 TERESINA - DIRCEU CANDIDATOS CONVOCADOS PARA MATRÍCULA - 2ª CHAMADA EXAME CLASSIFICATÓRIO EAD 2014.2 TERESINA - DIRCEU CANDIDATOS CONVOCADOS PARA MATRÍCULA - 2ª CHAMADA CURSO NOME SISTEMAS DE COTAS EDSON DE LIMA BRITO CYNTIA ELENICE OLIVEIRA SOUSA LIMA TIAGO LOPES DOS

Leia mais

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 Professor Responsável: MARTA REGINA DE JESUS Dias / Hora / Local: 6a. Feira - 09/08 das 9:00 às 12:00h

Leia mais

DIVULGAÇÃO DO RESULTADO DO PROCESSO SELETIVO 2015-1 PARA INGRESSO NO PRIMEIRO SEMESTRE 2015 EDITAL Nª006 DE 09 DE OUTUBRO DE 2014

DIVULGAÇÃO DO RESULTADO DO PROCESSO SELETIVO 2015-1 PARA INGRESSO NO PRIMEIRO SEMESTRE 2015 EDITAL Nª006 DE 09 DE OUTUBRO DE 2014 DIVULGAÇÃO DO RESULTADO DO PROCESSO SELETIVO 2015-1 PARA INGRESSO NO PRIMEIRO SEMESTRE 2015 EDITAL Nª006 DE 09 DE OUTUBRO DE 2014 A Diretora Geral da Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal (FACIMED),

Leia mais

Processo Seletivo Público Apex-Brasil ASII-07. Comunicado 04 Resultado Final 1ª Etapa - Análise Curricular 15/05/2014

Processo Seletivo Público Apex-Brasil ASII-07. Comunicado 04 Resultado Final 1ª Etapa - Análise Curricular 15/05/2014 Processo Seletivo Público Apex-Brasil ASII-07 Comunicado 04 Resultado Final 1ª Etapa - Análise Curricular 15/05/2014 INFORMAÇÕES IMPORTANTES: 1ª ETAPA: de caráter eliminatório e classificatório A análise

Leia mais

LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013

LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013 LISTA DE ORDENAÇÃO ENSINO INGLÊS ANO LETIVO 2012-2013 OFERTA 2737 433133 2737 435006 2737 433645 2737 431145 2737 411431 2737 447993 2737 432457 2737 412330 2737 415973 2737 427952 2737 417413 2737 417268

Leia mais

Dorsal Nome Equipa Tipo Nome da Equipa 101 Lucio Gustavo Coelho Pina individual Individual - 102 Diogo Gonçalves Azuribike Mangualde Team Individual

Dorsal Nome Equipa Tipo Nome da Equipa 101 Lucio Gustavo Coelho Pina individual Individual - 102 Diogo Gonçalves Azuribike Mangualde Team Individual Dorsal Nome Equipa Tipo Nome da Equipa 101 Lucio Gustavo Coelho Pina individual Individual - 102 Diogo Gonçalves Azuribike Mangualde Team Individual - 103 Hugo Neves Dão Nelas Btt/Livestrong Individual

Leia mais

Desafios e oportunidades para a construção de um complexo regional de segurança na América do Sul

Desafios e oportunidades para a construção de um complexo regional de segurança na América do Sul X Curso de Extensão em Defesa Nacional UFRGS Porto Alegre Desafios e oportunidades para a construção de um complexo regional de segurança na América do Sul 23/10/2014 Augusto W. M. Teixeira Júnior Professor

Leia mais

1º Ciclo 1ª Categoria. 5.º Campeonato Regional de Jogos Matemáticos. Classificação Nome Escola 1º 9 Vasco Batista. 2º 2 Rodrigo de Carvalho F.

1º Ciclo 1ª Categoria. 5.º Campeonato Regional de Jogos Matemáticos. Classificação Nome Escola 1º 9 Vasco Batista. 2º 2 Rodrigo de Carvalho F. 1º 9 Vasco Batista Matriz 2º 2 Rodrigo de Carvalho F. Junior y 3º 7 Beatriz Cunha São Roque 4º 1 Isabel Maria C. R. da Ponte Medina y 5º 5 Maria João Cabral 6º 4 Ângela Oliveira 7º 6 Letícia Rego 8º 3

Leia mais