APHA (1992) Standard methods for examination of water and wastewater. 18a edition, American Public Health Association, Washington, pp

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APHA (1992) Standard methods for examination of water and wastewater. 18a edition, American Public Health Association, Washington, pp. 5.1-5.15."

Transcrição

1 Referências Bibliográficas REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ADAMS, P. W.; BESCHTA, R. L.; FROEHLICH, H. A. (1988) Mountain logging near streams: opportunities and challenges. Proc. International Mountain Logging and Pacific Skyline Symposium. Oregon State University, Corvallis: ANDRADE, C. M.; MENDIONDO, E. M. (2002) A proposta da Bacia Escola na Construção de um Campus Sustentável: o Caso do Campus II da USP, São Carlos, III Enc. Nac. Edif. Comum. Sustentáveis, São Carlos, SP. APHA (1992) Standard methods for examination of water and wastewater. 18a edition, American Public Health Association, Washington, pp AUBERTIN, G. M. e PATRIC, J.H. (1974) Water quality after clearcutting a small watershed in West Virginia. Journal of Environmental Quality, 3 (3): BAKER, S.E. (1984) The development, current use, and effectiveness of streamside buffer zones in precluding sediment delivery to forest streams. North Caroline State University. M.S. Thesis. BARBASSA, A. P. (1991). Simulação do efeito da urbanização sobre a drenagem pluvial na cidade de São Carlos/SP. 327 p. Tese (doutorado). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos-SP. BARDY, P. R. (2004) Geotecnologias aplicadas à análise espaço temporal do uso e cobertura da terra e qualidade da água do reservatório de Barra Bonita, SP, como suporte à gestão de recursos hídricos. Tese (doutorado). Escola de Engenharia de São Carlos. Universidade de São Paulo, São Carlos-SP.

2 110 Referências Bibliográficas BARROS, R. M. (2005) Previsão de Enchentes para o Plano Diretor de Drenagem Urbana de São Carlos (PDDUSC) na Bacia Escola do Córrego do Gregório. Tese (doutorado). Escola de Engenharia de São Carlos. Universidade de São Paulo, São Carlos-SP. BARTON, J. L. e DAVIES, P. E. (1993) Buffer strips and streamwater contamination by atrazine and pyrethroids aerially applied to Eucalyptus nitens plantations. Australian Forestry, 56 (3): BENINI, R. M.; MENDIONDO, E. M.; MARTIOLI, C., TONISSI, F. B. (2003) Cenários ambientais visando a mitigação de enchentes decorrentes da implantação do Campus II da USP São Carlos - SP. XV Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos: Desafios à Gestão da Água no Limiar do Século XXI, Curitiba-PR, p BENINI, R. M.; MARTIOLI, C.; MENDIONDO, E. M. (2004) Uso de Sig associado ao Método Racional para Previsão de Vazões na Bacia do córrego do Mineirinho - São Carlos SP. III Simpósio de Recursos Hídricos do Centro Oeste, Goiânia-GO. BENINI, R. M.; MELLO, R. P.; MENDIONDO, E. M. (2005) Monitoramento ambiental e simulações hidrológicas na bacia do córrego do mineirinho São Carlos SP. VI Encontro Nacional de Águas Urbanas - Belo Horizonte MG. BENINI, R. M. e TONISSI, F. B. (2003) Projeto de restauração florestal do Campus II in: Campus II São Carlos Licença Ambiental cap. 3, p. 27. BORG, H.; HORDACRE, A.; BATINI, F. (1988) Effects of logging in stream and river buffers on watercourses and water quality in the southern forest of Western Australia. Australian Forestry, 51 (2): BRASIL (1991) Lei n 7.663, de 30 de dezembro de Estabelece normas de orientação à Política Estadual de Recursos Hídricos bem como ao Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos (alterada pela Lei nº 9.034/94). Título I: Da Política Nacional de Recursos Hídricos. Capítulo I: Objetivos e princípios. Seção 1. Das disposições preliminares. Art 1. Brasília, D.F Disponível em <http://www.ambiente.sp.gov.br/leis>. Acesso em 23 set

3 Referências Bibliográficas 111 BRASIL (1965) Lei n.º 4.771, de 15 de setembro de 1965 (alterada pela lei n.º de 18 de julho de 1989 e pela medida provisória n.º , de 19 de novembro de Código Florestal, Brasília. D.F Disponível em Acesso em 22 abril de BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. CONAMA. RESOLUÇÃO Nº 357 DE 18 DE JUNHO DE Disponível em: Acesso em: 22 de fevereiro de BREN, L. J. (1993) Riparian zone, stream, and floodplain issues: a review. Journal of Hydrology, 150: BRITO, M. C. W. (1997) Cerrado: bases para a conservação e uso sustentável das áreas de cerrado do Estado de São Paulo. São Paulo: SMA,184 p. BURROUGH, P. A. (1994) Principles of Geographical information systems for land resources assessment. Calrendon Press, Oxford. CALIJURI, M. L.; LORENTZ, J. F. (2003) Fundamentos de Sistemas de Informações Geográficas. Viçosa-MG, Out. CÃMARA, G.; MEDEIROS, J. S. (1998) Mapas e suas Representações. In: Sistemas de Informações Geográficas, Aplicações na Agricultura. 2 ed. Brasília. EMBRAP SPI/ EMBRAPA CPAC, cap 2. p CAMPANA, N. A.; TUCCI, C. E. M. (2001) Predicting floods from urban development scenarios: case study of the Diluvio basin, Porto Alegre. Brazil. Urban Water, v. 3, p CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental Acesso em: 11 de Maio de 2005 CHAPMAN, D. (1992) Water quality assessment. A guide to the use of biota, sediments and water in environmental monitoring. 1.ed. UNESCO/WHO/UNEP. Chapman & Hall. CHECCHIA, T. (2003) Influência da zona ripária sobre os recursos hídricos: aspectos quantitativos e qualitativos. Anais, I Seminário de Hidrologia Florestal, Santa Catarina, p

4 112 Referências Bibliográficas CHORLEY, R. J., (1978) The hillslope hydrologic cycle. In: Hillslope Hydrology. M..J. KIRKBY (Ed.). John Wiley: CLINNICK, P. F. (1985) Buffer strip management in forest operations: a review. Australian Forestry, 48 (1): COWEN, D. J. (1988) GIS versus CAD versus DBMS: what are the differences? Photogrammetric Engineering and Remote Sensing, 54, p. a CRAWFORD, M.; LINSLEY, R. (1966) Digital Simulation in Hidrology. Technical Report, n. 19. Department of Civil Engineer, Stanford University. In: TUCCI, C.E.M. (1998). Modelos Hidrológicos. Modelos Precipitação-Vazão. UFRGS. Porto Alegre. ABRH. p CRUZ, M. C.; TUCCI, C. E. M.; SILVEIRA, A. L. L. (2000) Controle do escoamento em lotes urbanos com detenção. In: TUCCI, C. E. M.; MARQUES, D. M. L. M. (orgs) Avaliação e controle da drenagem urbana. Porto Alegre: ABRH. DIAS, L. E. e GRIFFITH, J. J. (1998) Conceituação e caracterização de áreas degradadas. In: Dias, L.E. e Mello, J. W. U (eds), Recuperação de Áreas Degradadas. Viçosa: UFV, p DILLAHA, T. A.; RENEAU, R. B.; MOSTAGHIMI, S.; LEE, D. (1989) Vegetative filter strips for agricultural nonpoint source pollution control. Transactions of the ASAE, 32 (2): DÖLL, P. et al (2000). Desenvolvimento de Cenários como uma Ferramenta para o Planejamento Regional. Center for Environmental Systems Research, University of Kassel, Alemanha. Material para o Workshop SRH-WAVES para cenários conjuntos em Ceará. 7p. EMPRAPA, (1999). Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, Serviço de Produção de Informação. Rio de Janeiro : Embrapa solos, 412 p.

5 Referências Bibliográficas 113 ESPÍNDOLA, E. L. G.; SILVA, J. S. V.; MARINELLI, C. E.; ABDON, M. M. (eds.) A bacia hidrográfica do Rio Monjolinho: uma abordagem ecossistêmica e a visão interdisciplinar. Ed. Rima. São Carlos, ESTEVES, F. A. (1988) Fundamentos de Limnologia. Ed. Interciência/FINEP. 1.ed FAIL, J. R.; HAINES, B. L.; TODD, R. L. (1987) Riparian forest communities and their role in nutrient conservation in an agricultural watershed. American Journal of Alternative Agriculture, 2 (3): FARIAS, E. W. C. (2000) Pesquisa de oocistos de Cryptosporidium spp e Salmonella spp em amostras de águas de esgoto e águas de córrego da cidade de São Paulo. Dissertação de Mestrado. Instituto de Ciências Biomédicas. Universidade de são Paulo. São Paulo-SP. FAVORETO, R. S.; PEREIRA FILHO, D. L. B.; BURMASTER, C. L.; HILU, A.; SILVA, S. B. da; MINE, M. R. M. (2003) Modelagem de eventos de vazão máxima natural no reservatório de Vossoroca utilizando o modelo IPH II. In: Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 15. Curitiba. FLANAGAN, D. C.; FOSTER, G. R.; NEIBLING, W. H.; BURT, J. P. (1989) Simplified equations for filter strip design. Transactions of the ASAE, 32 (6): FELFILI, J. M.; SILVA JÚNIOR, M. C.; RESENDE, A. V.; MACHADO, J. M. B.; WALTER, B. M. T.; SILVA, P. E. N.; HAY, J. D. (1994) Vegetação arbórea. In: Felfile, J. M.; Filgueiras, T. S.; Haridasan, M. Silva Jr, M. C.; Mendonça, R. e Resende, A. V. (Eds). Projeto biogeografia do bioma cerrado: vegetação e solos. Rio de Janeiro. Cadernos de Geociências do IBGE 12, p FITCH, W.; HARTIGAN, J. P.; YWANKI, M. (1976) Urban flooding response to land use change in: Anais National Symposium in urban hydrology hydraulic and sediment control. Kentucky. GENZ, F. (1994). Parâmetros para a previsão e controle de cheias urbanas. 140p. Dissertação (Mestrado). Instituto de Pesquisas Hidráulicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS.

6 114 Referências Bibliográficas GOLTERMAN, H. L. (1975) Physiological Limnology. An approach to the physiology of lake ecosystems. Elsevier Scientific Publisher. GREGORY, S. V.; ASHKENAS, L. (1990) Riparian Management Guide. USDA Forest Service Pacific NorthWest Region, 120 p. GREGORY, S. V.; SWANSON, F. J.; MACKEE, W. A.; CUMMINS, K. W. (1992) An Ecosystem Perspective of Riparian Zones. Bioscience, 41 (8): GUIMARÃES, E. M. A. (1998) Trabalhos de Campo em Microbacias Hidrográficas Urbanizadas: Um Estudo de Caso. In: Simpósio Internacional sobre Gestão de Recursos Hídricos, SinGReH, ABRH, Gramado-RS. HAUGHTON, G e HUNTER, C. (1994) Sustainable cities. Regional Policies and Development Series 7. Jessica Kingsley Publishers and regional Studies Association. 357p. HEWLETT, J.D.; A.E. HIBBERT, (1967). Factors affecting the response of small watersheds to precipitation in humid areas. International Symposium on Forest Hydrology. Pergamon, p HINKEL, R. (2003) Vegetação ripária: funções e ecologia. Anais, I Seminário de Hidrologia Florestal, Santa Catarina, p HUPP, C. R.; OSTERKAMP, W. R. (1996) Riparian vegetation and fluvial geomorphic processes. Geomorphology, Amsterdam, v. 14, p IAC Instituto Agronômico de Campinas. Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Disponível em Acesso em 12 de maio de IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Acesso em : 10 de Abril de ICE, G. G.; BESCHTA, R. L.; CRAIG, R. S.; SEDELL, J. R. (1989) Riparian protection rules for Oregon forests. USDA Forest Service, Gen. Tech. Report PSW-110:

7 Referências Bibliográficas 115 IPH-UFRGS/ALM/FEA/IMF (2004) Manual de Fundamentos. IPHS-1 para Windows, Versão 2.11, IPH-UFRGS, Porto Alegre, RS. IVANAUSKAS, N. M.; RODRIGUES, R.R.; NAVE, G. (1997) Fitossociologia e seletividade de espécies numa floresta de brejo em Itatinga SP. Revista Brasileira de Botânica 20: KAPOS, V. (1989) Effects of isolation on the water status of forest patches in the Brazilian Amazon. Journal of Tropical Forest 5: KARR, J. R. e SCHLOSSER, I. J. (1978) Water resources ant the land-water interface. Science, 201: KOBIYAMA, M.; GENZ, F.; MENDIONDO, E. M. (1998) Geobiohidrologia In: I Fórum de Geobiohidrologia: Estudo de Vertentes e Microbacias Hidrográficas, 1998, Curitiba, PR, Anais, Curitiba, Ed. UFPR, p KOBIYAMA, M.; HANSEN, S. (2002). Vantagens da utilização do sistema de coleta da água da chuva sob o ponto de vista dos aspectos hidrológico e econômico: Estudo de caso em Florianópolis-SC. In: Group Raindrops, M. Aproveitamento da Água da Chuva. Group Raindrops. Organic Trading Editora. p KOBIYAMA, M. (2003) Conceitos de Zona Ripária e Seus Aspectos Geobiohidrológicos. Anais, I Seminário de Hidrologia Florestal, Santa Catarina, p KOBIYAMA, M. e SILVA, R. V. (2003) Uso da Zona Ripária na prevenção de desastres naturais. Anais, I Seminário de Hidrologia Florestal, Santa Catarina, p KRONKA, F. J. N.; MATSUKUMA, C. K.; NALON, M. A (1993) Inventário Florestal do Estado de São Paulo. In: Congresso Florestal Brasileiro, 7. Curitiba, Anais. São Paulo: SBS/SBEF, 1993 v.2, p KUNKLE, S. H. (1974) Agua: su calidad suele depender del forestal. Unasylva, 26 (105): LEITÃO FILHO, H. F. (1982) Aspectos taxonômicos das florestas no estado de São Paulo. Silvicultura em São Paulo, v. 16A., p

8 116 Referências Bibliográficas LEITE, M. A. (1998) Variação espacial e temporal da taxa de sedimentação no reservatório de Salto Grande (Americana - SP e sua influência sobre as características limnológicas do sistema.dissertação de Mestrado. Escola de Engenharia de São Carlos. Universidade de São Paulo, São Carlos-SP LIKENS, G. E., (1992) The eosystem approach: its use and abuse. Excellence in Ecology 3. Otto Kline (Ed.).Ecology Institute, Germany. 166 p. LIMA, W. P. (1993) O Impacto Ambiental do Eucalipto. EDUSP. São Paulo. 2ª ed. LIMA, W. P. (1995) Tecnologia Limpa No Manejo Florestal. TecBahia, Salvador, BA, v. 10, n. 3, p LIMA, W. P. e ZAKIA, M. J. B. (2000) Hidrologia de Matas Ciliares In: Matas Ciliares Conservação e Recuperação v.1, p.33-44, EDUSP. MCT/CGE (2001). Ministério de Ciência e Tecnologia / Centro de Estudos e Gestão Estratégica. Diretrizes estratégicas para o Fundo de Recursos Hídricos de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Brasília. MAGETTE, W.L.; BRINSFIELD, R. B.; PALMER, R. E.; WOOD, J. D. (1989) Nutrient and sediment removal by vegetated filter strips. Transactions of the ASAE, 32 (2): MATLACK, G. R. (1993) Microenvironment variation within and among forest edge sites in the Eastern United States. Biological Conservation 66: MEDEIROS, J. S. CÂMARA, G. (2004) Geoprocessamento para Projetos Ambientais. In: CD ROM SPRING versão 4.0 Cap. 10. MELLO, R. P.; SILVA, T. G O; BENINI, R. M; MENDIONDO, E. M. (2005) Monitoramento ambiental quali-quantitativo das águas na bacia do Córrego do

9 Referências Bibliográficas 117 Mineirinho, São Carlos, SP Artigo submetido ao XVI Simp. Bras. Rec. Hídricos, ABRH. MENDIONDO, E. M., TUCCI C. E. M. (1997). Escalas Hidrológicas. III: Hipótese integradora de processos na bacia vertente. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, ABRH, Porto Alegre,V. 2, n.1, jan-jun/1997, p MENDIONDO, E. M. (2005) Flood risk management in urban areas on humid tropics: early-warning, protection and rehabilitation, In: C. Tucci & J. Goldenfum (orgs.) Invited Paper, Workshop of Urban Areas in Humid Tropics, UNESCO- IHP VI-ABRH, Foz de Iguaçu, 2005 MENDIONDO, E. M., PERES, R. B., OHNUMA JR., A. A., BENINI, R. M. (2004) Metodologia simplificada para avaliação de recuperação ambiental de bacias urbanas, In: XX Congr. Latinoamericano de Hidráulica, São Pedro, SP, Anais. METZGER, J. P.; GOLDENBER, R.; BERNACCI, L.C. (1997) Diversidade e estrutura de fragmentos de mata de várzea e de mata mesófila semidecidua submontana do rio Jacaré-Pepira, São Paulo. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v.21. n.3, p MINE, M. R. M. (1998) Método determinístico para minimizar o conflito entre gerar energia e controlar cheias. Tese de doutorado. IPH. UFRGS. MORAES A.J. (2001) Manual para Avaliação da qualidade da água 1. Curso de especialização. Educação ambiental e Recursos Hídricos: Perspectivas para o século XXI. MORELLATO, L. P. C. (1991) Estudo da Fenologia de Árvores, Arbustos e Lianas de uma Floresta Semidecídua no Sudeste do Brasil. Tese de Doutorado, Instituto de Biologia. Universidade Estadual de Campinas, Sp, 176p. MORING, J. R.; GARMAN, G. C.; MULLEN, D. M. (1985) The value of riparian zones for protecting aquatic systems: general concerns and recent studies in Maine. Riparian Ecosystem and their Management. USDA Forest Service, Gen. Tech. Report RM-120: MURO, M. R. (2000) Carta de Zoneamento para Seleção de Áreas frente à Instalação de Aterros Sanitários no Município de São Carlos, EESC USP, São Carlos-SP.

10 118 Referências Bibliográficas MUSCUTT, A. D.; HARRIS, G. L.; BAILEY, S. W.; DAVIES, D. B. (1993) Buffer zones to improve water quality: a review of their potential use in UK agriculture. Agriculture, Ecosystem and Environment, 45: NAVE, A.G.; RODRIGUES, R.R. & GANDOLFI, S. (1997) Planejamento e recuperação ambiental da Fazenda São Pedro da Mata Fazenda de Riolândia, SP III Simpósio Nacional de recuperação de áreas degradadas, Ouro Preto- MG. OHNUMA JR, A. A. (2005) cenários de reúso de água pluvial e controle da drenagem visando a recuperação ambiental da micro-bacia do alto tijuco preto, São Carlos-SP. Dissertação de Mestrado. Escola de engenharia de são Carlos. Universidade de são Paulo-SP. OLIVEIRA, J. B.; PRADO, H.; ALMEIDA, C. L. (1982) Levantamento pedológico semidetalhado do Estado de São Paulo: quadrícula de Descalvado. Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias, Tnstituto Agronômico. OLIVEIRA, R. C. (1999). Medidas não-estruturais na prevenção e controle de enchentes em áreas urbanas, como subsídio para o planejamento de uso e ocupação do solo: estudo de caso bacia do córrego do Gregório, São Carlos/SP. Dissertação (mestrado). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos-SP. PADUA, H. B. (2003) Informações sobre os Coliformes totais/fecais e alguns outros organismos indicadores, em sistemas aquáticos - Aqüicultura 20p. Acesso em 05 de Junho de PARKINSON, J.; MILOGRANA J.; CAMPOS L. C.; CAMPOS R. (2003). Drenagem Urbana Sustentável no Brasil. Relatório do Workshop em Goiânia- GO. 7 de maio de Department for Internacional Development (DFID), Water Engineering and Development Centre (WEDC), Loughborough University, Reino Unido. Escola de Engenharia Civil Universidade Federal de Goiás-GO. PAULEIT S.; DUHME, F. (2000) Assessing de enviromental performance of land cover types for urban planning. Landscape and urban planning. 52, p PELCZAR J.; CHAN E. C. S., KRIEG N. R. (1997) Microbiologia: Conceitos e Aplicações, v. 1. 2o ed. São Paulo, Makron Books, 524 p.

11 Referências Bibliográficas 119 PERH (2001) Programa Estadual de Recursos Hídricos. São Paulo, SP. PETERJOHN, W. T. e CORREL, D. L. (1984) Nutrient dynamics in an agricultural watershed: observations on the role of a riparian forest. Ecology, 65(5): PDRH-PR Plano Diretor para a utilização dos recursos hídricos do Estado do Paraná Relatório setorial Volume H. Disponível em Acesso em 15 de Janeiro de PMSC Prefeitura Municipal de São Carlos (2004). Plano Diretor de São Carlos I: Diagnóstico da Cidade, Proc , Proj. Lei 215, Câmara Municipal de São Carlos. PMSC Prefeitura Municipal de São Carlos (2003). Processo de Elaboração do Plano Diretor. Tema 4: Processo de Desenvolvimento Urbano. Macrozoneamento e Vetores de Expansão. Reunião com o Comitê Consultivo. 29 out. 03. PMSC Prefeitura Municipal de São Carlos (2001). Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado do Município de São Carlos. Legislação Básica: Estatuto da Cidade. Governo Participativo de São Carlos. 64p. PORTO, R. L. (1995). Escoamento superficial direto. In: Drenagem Urbana. 1ª ed. Porto Alegre. Editora da Universidade. UFRGS, ABRH, Cap. 4, p RADAMBRASIL (1981) Levantamento de recursos Naturais. Ministério das Minas e Energia 25, Folha SD-22/Goiás. 636 p. REINHART, K. G., PIERCE R. S. (1964) Streamgaging stations for research on samall watersheeds USDA Forest Service, Agricultural handbook, n. 268, p RIZZINI, C. T. (1979) Tratado de Fitogeografia do Brasil. EDUSP, São Paulo- SP. 374 p. RODRIGUES, R. R.; GANDOLFI, S. (2000) Conceitos, Tendências e Ações para a Recuperção de Florestas Ciliares In: Matas Ciliares Conservação e Recuperação v.1, p , EDUSP.

12 120 Referências Bibliográficas RODRIGUEZ ANIDO, N. M., (2002) Caracterização hidrológica de uma microbacia experimental visando identificar indicadores de monitoramento ambiental. Dissertação (mestrado), ESALQ-USP, p. 69, Piracicaba-SP. SANTOS, R. J. L.; TUCCI, C. E. M.; SILVEIRA, A. L. L.; MENESES FILHO, A. S. (2001) Estimativa do hidrograma de projeto com base na incerteza dos parâmetros do modelo. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, Porto Alegre, v. 6, p SANTOS, I. dos; FILL, H. D.; SUGAI, M. R. V. B.; BUBA, H.; KISHI, R. T.; MARONE, E.; LAUTERT, L. F. (2001) Hidrometria aplicada. LACTEC. Curitiba- PR. SCHLOSSER, I. J. e KARR, J. R. (1981) Water quality in agricultural watersheds: impact of riparian vegetation during base flow. Water Resources Bulletin, 17 (2): SILVA, N. e JUNQUEIRA, V. C. A. (1995) Métodos de análise microbiológica de alimentos. Campinas: ITAL. 228 p. SILVA JÚNIOR, M. C.; NOGUEIRA, P. E.; FELFILE, J. M. (1998) Flora lenhosa das matas de galeria no Brasil Central. Bol. Herb. Ezechias Paulo Heringer, 5, p SIVAPALAN, M.; FRANKS, S.; KARAMBIRI, H.; LAKSH, V.; LIANG, X.; McDONNELL, J.; MENDIONDO, E. M.; OKI, T.; POMEROY, J.; SCHERTZER, D.; UHLENBROOK (2003). Internactional Association of Hydrological Sciences - Predictions in Ungauged Basins (IAHS/PUB). Década da IAHS sobre Previsões em Bacias Sem Dados (PUB): , Plano Científico e de Implementação do PUB, Penúltimo Plano para Discussão (versão 4). Versão em português, nov. SMITH, D. S.; HELLMUND, P. C. (1993) Ecology of greenways: design and function of linear conservation areas. University of Minnesota: Minneapolis.

13 Referências Bibliográficas 121 SOPPER, W. E. (1975) Effects of timber harvesting and related management practices on water quality in forestd watersheds. Journal of environmental quality, v.4, n.1, p SOUZA, S. A. e MENDIONDO, E. M. (2005) Avaliação Da Vazão De Perenização Em Uma Bacia Urbana. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, ABRH (submetido). STANFORD, J. A.; WARD, J. V. (1988) The hyporheic habitat of river ecosystem. Nature, v. 335, p STRASKRABA, M.; TUNDISI, J. G. (1999) Reservoir water quality management. Guidelines of lake management. International Lake Environment Committee. 229p. TONIATO, M. T. Z.; LEITÃO-FILHO, H. F.; RODRIGUES, R. R. R. (1998) Fitossociologia de um remanescente de floresta higrófila (mata de brejo) em Campinas, SP. Revista Brasileira de Botânica, 21 (2): TRIQUET, A. M.; MCPEEK, G. A.; MACCOMB, W. C. (1990) Songbird Diversity in Clearcuts with and without a Riparian Buffer Strip. Journal of Soil and Water Conservation, 45(4): TUCCI, C. E. M. (2001). IPHS-1 para Windows- Manual de Fundamentos. Cópia Preliminar versão Beta UFRGS IPH / ALM FEA IMF - UFPel. 48p.. (1998). Modelos Hidrológicos. UFRGS. Porto Alegre. ABRH. 669p.. (2002) Gerenciamento da Drenagem Urbana, Revista Brasileira de Recursos Hídricos, ABRH, Porto Alegre, v. 7, n.1, Jan./Mar.2002, p TUCCI, C. E. M. ; BERTONI, J. C. (Organizadores); VILLANUEVA, A.; SILVEIRA, A. L.; GERMANO, A.; PERITO, A.; PAOLI, C. U.; CAIAFA, H.; GOLDENFUM, J. A; MAZA, J. A; REYES, J.; AVILA, J. L.; GENTA, J. L.; ARRESE, J.; BÁEZ, J.; AYALA, L.; TEIXEIRA, L.; TERRAZAS, L. E M.; CHAMORRO, L.; ESCOBAR, M.; AGUDELO, O.; MONTE-DOMECQ, R. (2003). Inundações urbanas na América do Sul. 1ª ed. Porto Alegre. ABRH. 471p.

14 122 Referências Bibliográficas TUNDISI, J. G. (2003) Água no século XXI: enfrentando a escassez, São Carlos: RiMa, IIE, 248p. VICTOR, M. A. M. (1975) A devastação florestal. São Paulo, SBS. 45 p. VILLELA, S. M; MATTOS, A. (1975) Hidrologia aplicada, São Paulo: McGraw- Hill do Brasil, 245p. XIANG, W. N. (1993) A GIS method for riparian water quality buffer generation. Int. J. Geograph. Inform. Syst. 7(1): A management oriented model for calculation of location of riparian buffers. XIAO, Q.; MAPHERSON, E. G. (2002) Rainfall interception by Santa Monica s municipal urban forest. Urban Ecosystems. 6, p WAECHTER, J. L. (1998) Epiphytic orchids in eastern subtropical South America. In Proceedings of the 15th World Orchid Conference, Rio de Janeiro, Brazil, 1996 (C.E.B. Pereira, ed.). Naturalia, Turriers, p WETZEL, R. G. (1993) Limnologia. Portugal. Fundação Calouste Gulbenkian. 2.ed. WORBES, M.; KLINGE, H. & REVILLA, J. D. (1992) On the dynamics, floristic subdivision and geographical distribution of varzea forests in Central Amazonia. Journal of Vegetation Science, 3: p

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Conteúdo Programático 1) Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: Conceitos Básicos (12 h) - Principais questões ambientais no Brasil e no mundo. - Conceitos

Leia mais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 163 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALLASIA, D. G. (2002). Impacto das incertezas no custo de uma rede de macrodrenagem. 146p. Dissertação (mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "CAMPUS" DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA Programa de Pós-Graduação em Geociências e Meio Ambiente Curso: Mestrado e Doutorado Disciplina: ESTUDO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS POR ATIVIDADES DE MINERAÇÃO Código: GAA 00185

Leia mais

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos.

Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. Utilização de SIG aliado ao sistema de gestão ambiental em cursos d água urbanos. AUTORES: Reginal Exavier¹, Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim² ¹Graduado no curso de Engenharia Ambiental e Sanitária pelo

Leia mais

Gabriela Nogueira Ferreira da SILVA 1 José Vicente Granato de ARAÚJO. Escola de Engenharia Civil (EEC) gabriela.nfs@gmail.com jvgranato@yahoo.com.

Gabriela Nogueira Ferreira da SILVA 1 José Vicente Granato de ARAÚJO. Escola de Engenharia Civil (EEC) gabriela.nfs@gmail.com jvgranato@yahoo.com. DEFINIÇÃO DE HIDROGRAMA DE PROJETO CONSIDERANDO O MÉTODO TEMPO-ÁREA COM O USO DO GEOPROCESSAMENTO. ESTUDO DE CASO DA MICROBACIA DO CÓRREGO BOTAFOGO EM GOIÂNIA INTRODUÇÃO Gabriela Nogueira Ferreira da SILVA

Leia mais

Curso de Gestão de Águas Pluviais

Curso de Gestão de Águas Pluviais Curso de Gestão de Águas Pluviais Capítulo 4 Prof. Carlos E. M. Tucci Prof. Dr. Carlos E. M. Tucci Ministério das Cidades 1 Capítulo 4 Gestão Integrada Conceito Marcos Mundiais, Tendência e Estágio Institucional

Leia mais

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Computação Gráfica II Sistemas de Informação Geográfica Prof. Anselmo C. de Paiva Depto de Informática Introdução aos Sistemas de Informação Geografica

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 29/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Válida para os acadêmicos ingressantes a partir

Leia mais

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB Yuri Tomaz Neves 1 ; Laércio Leal dos Santos 2 ; Jonathan Nóbrega Gomes 3 ; Bruno Menezes

Leia mais

EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARACATU

EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARACATU EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARACATU RÔMULA F. DA SILVA 1 ; ELOY L. DE MELLO 2 ; FLÁVIO B. JUSTINO 3 ; FERNANDO F. PRUSKI 4; FÁBIO MARCELINO DE

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Centro de Filosofia e Ciências Humanas CFH Departamento de Geociências Curso de Graduação de Geografia

Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Centro de Filosofia e Ciências Humanas CFH Departamento de Geociências Curso de Graduação de Geografia Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Centro de Filosofia e Ciências Humanas CFH Departamento de Geociências Curso de Graduação de Geografia Impactos potenciais das alterações do Código Florestal

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E APLICABILIDADE DE UMA BASE DE DADOS RELACIONAL PARA O INVENTÁRIO FLORESTAL CONTÍNUO DO RIO GRANDE DO SUL

DESENVOLVIMENTO E APLICABILIDADE DE UMA BASE DE DADOS RELACIONAL PARA O INVENTÁRIO FLORESTAL CONTÍNUO DO RIO GRANDE DO SUL DESENVOLVIMENTO E APLICABILIDADE DE UMA BASE DE DADOS RELACIONAL PARA O INVENTÁRIO FLORESTAL CONTÍNUO DO RIO GRANDE DO SUL RESUMO Enio Giotto Elódio Sebem Doádi Antônio Brena Universidade Federal de Santa

Leia mais

ECLUSAS DE TUCURUÍ. Meio Ambiente PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

ECLUSAS DE TUCURUÍ. Meio Ambiente PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Transportes Aquaviários Departamento de Hidrovias Interiores ECLUSAS DE TUCURUÍ Meio Ambiente PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VOLUME II: MAPAS Execução:

Leia mais

QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS

QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS QUALIS OBT: CLASSIFICAÇÃO DAS REVISTAS E CONFERÊNCIAS CIENTÍFICAS Revisão 10 9 Janeiro 2006 Critérios Gerais para Classificação de Periódicos Na classificação adotada pela OBT, estamos buscando usar, na

Leia mais

Ailton Francisco da Rocha 2 ; Genival Nunes Silva 3

Ailton Francisco da Rocha 2 ; Genival Nunes Silva 3 ESTUDO DE CASO D0 PROJETO DE GESTÃO INTEGRADA DE ÁGUAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE ARACAJU/SE 1 Ailton Francisco da Rocha 2 ; Genival Nunes Silva 3 RESUMO: A definição de saneamento básico dada pela Lei nº

Leia mais

Monitoramento Ambiental

Monitoramento Ambiental Linha de Pesquisa: Monitoramento Ambiental Grupo: Letícia Siena Carbonari Lucas Mortari Caccere Luciana de Oliveira Raquel Martins Montagnoli Monitoramento Ambiental Processo de coleta de dados, estudo

Leia mais

Seminário sobre Recursos Hídricos e Agricultura. 2 de outubro de 2013

Seminário sobre Recursos Hídricos e Agricultura. 2 de outubro de 2013 Seminário sobre Recursos Hídricos e Agricultura 2 de outubro de 2013 Modelagem e simulação hidrológica em bacias hidrográficas aplicações e Prof. Samuel Beskow Recursos hídricos e agricultura 3 Cenário

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS E DEBATES

CICLO DE PALESTRAS E DEBATES CICLO DE PALESTRAS E DEBATES PLC PROGRAMA Nº 30/11 NOVO PRODUTOR CÓDIGO FLORESTAL DE ÁGUA Ã NO GUARIROBA Á COMISSÃO DE AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA DO SENADO FEDERAL Devanir Garcia dos Santos Gerente

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO Setor de Ciências Agrárias e Ambientais Unidade Universitária de Irati CURRÍCULO PLENO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO Setor de Ciências Agrárias e Ambientais Unidade Universitária de Irati CURRÍCULO PLENO CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL (540/I Integral 02 e SEM_02) (Para alunos ingressos entre 2006 a 2008) CÓD. D. DEPTOS. DISCIPLINAS 1º 2º 3º 4º 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª C/H 0872/I DEMAT/I Cálculo I 3 51 0873/I

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO.

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. Patrícia Pinheiro da Cunha 1, Magda Beatriz de Almeida Matteucci

Leia mais

Planejamento na Drenagem Urbana: o caso de Porto Alegre RS

Planejamento na Drenagem Urbana: o caso de Porto Alegre RS Planejamento na Drenagem Urbana: o caso de Porto Alegre RS Prefeitura Municipal de Porto Alegre - PMPA Departamento de Esgotos Pluviais - DEP Dados Gerais do Município de Porto Alegre ~1,4 milhões de habitantes

Leia mais

Uso da terra na Área de Preservação Permanente do rio Paraíba do Sul no trecho entre Pinheiral e Barra do Piraí, RJ

Uso da terra na Área de Preservação Permanente do rio Paraíba do Sul no trecho entre Pinheiral e Barra do Piraí, RJ Uso da terra na Área de Preservação Permanente do rio Paraíba do Sul no trecho entre Pinheiral e Barra do Piraí, RJ Stephanie Freitas Couto de Magalhães Samara Salamene Tom Adnet Moura Viviane Costa Elias

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Bibliografia

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Bibliografia Bibliografia 89 90 Bibliografia APRA - Agencia de Protección Ambiental. Atlas ambiental de Buenos Aires. Disponível em http:// www.atlasdebuenosaires.gov.ar/aaba/. Acessado em: ago. 2010. Paulo - 2000.

Leia mais

ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 180 Currículos dos Cursos do CCE UFV Currículo do Curso de Engenharia Engenheiro ATUAÇÃO O curso de Engenharia da UFV habilita o futuro profissional

Leia mais

MODELAGEM DA PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS USANDO CENÁRIO AMBIENTAL ALTERNATIVO NA REGIÃO NO NOROESTE DO RIO DE JANEIRO - BRAZIL

MODELAGEM DA PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS USANDO CENÁRIO AMBIENTAL ALTERNATIVO NA REGIÃO NO NOROESTE DO RIO DE JANEIRO - BRAZIL MODELAGEM DA PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS USANDO CENÁRIO AMBIENTAL ALTERNATIVO NA REGIÃO NO NOROESTE DO RIO DE JANEIRO - BRAZIL SEDIMENT YIELD MODELING USING AN ALTERNATIVE ENVIRONMENTAL SCENARIO IN NORTHWESTERN

Leia mais

Sistema de Informação Georreferenciada para obter Indicadores de Saúde em Comunidades carentes

Sistema de Informação Georreferenciada para obter Indicadores de Saúde em Comunidades carentes Sistema de Informação Georreferenciada para obter Indicadores de Saúde em Comunidades carentes Dr. Romualdo Wandresen Programa de Pós-Graduação em Tecnologia da Saúde PUCPR SUMÁRIO 1. Introdução 2. Objetivos

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 5-CEPE/UNICENTRO, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010. Aprova o Curso de Especialização em Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento, modalidade modular, a ser ministrado no Campus CEDETEG, da UNICENTRO.

Leia mais

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS Um programa para integrar objetivos ambientais e sociais na gestão das águas Superintendência de Desenvolvimento da Capital -

Leia mais

O que são e como funcionam os Aquíferos e as Águas Subterrâneas

O que são e como funcionam os Aquíferos e as Águas Subterrâneas Águas subterrâneas: uso atual e potencial para a Segurança Hídrica Encontro Temático: Água, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional São Paulo 23 e 24 de setembro de 2015 Osvaldo Aly Jr Engenheiro

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 198 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Ambiental ATUAÇÃO O curso de Engenharia Ambiental da UFV

Leia mais

PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA

PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA Prof. Dr. Eng. Civil Adilson Pinheiro Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental Departamento de Engenharia Civil UNIVERSIDADE

Leia mais

Painel 3 - Sustentabilidade: o produtor rural como gestor do território

Painel 3 - Sustentabilidade: o produtor rural como gestor do território SEMINÁRIO VALOR ECONÔMICO AGRICULTURA COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Painel 3 - Sustentabilidade: o produtor rural como gestor do território Gestão da propriedade e governança do território

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

APRESENTAÇÃO A BIOEC

APRESENTAÇÃO A BIOEC APRESENTAÇÃO Empresa especializada em elaboração, execução e gerenciamento de projetos ambientais. Formada por profissionais altamente qualificados, que buscam desenvolver projetos eficientes e inovadores,

Leia mais

José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015

José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015 José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015 SEGURANÇA HÍDRICA NÚMEROS GLOBAIS ACESSIBILIDADE UNESCO / JULHO 2014 Extensão de serviço à todos ainda inexistente.

Leia mais

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal

1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal 1º Seminário Catarinense sobre a Biodiversidade Vegetal Ações do Governo Federal Visando à Valorização e Conservação da Biodiversidade Vegetal João de Deus Medeiros joao.medeiros@mma.gov.br Departamento

Leia mais

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007 CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GRANDE UTILIZANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS MARCELO R. VIOLA 1 ; CARLOS R. DE MELLO 2 ; GILBERTO COELHO 3 ; MATHEUS F. DURÃES 4 ; LÉO

Leia mais

PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA: PRINCÍPIOS E CONCEPÇÃO

PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA: PRINCÍPIOS E CONCEPÇÃO RBRH - Revista Brasileira de Recursos Hídricos Volume 2 n.2 Jul/Dez 1997, 5-12 PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA: PRINCÍPIOS E CONCEPÇÃO Carlos E. M. Tucci Instituto de Pesquisas Hidráulicas - UFRGS 91501-970

Leia mais

Gestão Integrada de Águas Urbanas

Gestão Integrada de Águas Urbanas Gestão Integrada de Águas Urbanas Prof. Carlos E. M. Tucci Consultor do Banco Mundial São Paulo 4 a 6 de dezembro de 2012 1 Impactos Aumento da magnitude das vazões e da frequência de inundações; Aumento

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS NASCENTES DO CÓRREGO SARAIVA, BETIM-MINAS GERAIS

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS NASCENTES DO CÓRREGO SARAIVA, BETIM-MINAS GERAIS DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DAS NASCENTES DO CÓRREGO SARAIVA, BETIM-MINAS GERAIS Emerson Chaves Ferreira Gomes (*), Natalia Nogueira de Oliveira, Luiz Gonçalves Junior, Felipe Gonçalves dos Santos Cabral (*)

Leia mais

Monitoramento de bacias hidrográficas

Monitoramento de bacias hidrográficas Monitoramento de bacias hidrográficas Carolina R. Fontana (cabreuva@gmail.com) Piracicaba, 16 de setembro de 2008. Hidrologia Florestal A hidrologia florestal trata das relações floresta-água ramo da hidrologia

Leia mais

Andréa Souza Castro 1 e Joel Avruch Goldenfum 2

Andréa Souza Castro 1 e Joel Avruch Goldenfum 2 1USO DE TELHADOS VERDES NO CONTROLE QUALI-QUANTITATIVO DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL URBANO Andréa Souza Castro 1 e Joel Avruch Goldenfum 2 RESUMO Os telhados verdes são estruturas que se caracterizam pela

Leia mais

Ações Integradas em Microbacias Hidrográficas

Ações Integradas em Microbacias Hidrográficas Ações Integradas em Microbacias Hidrográficas Valdemir Antonio Rodrigues Luiza Zulian Pinheiro Guilherme Toledo Bacchim 4º Simpósio Internacional de Microbacias - FCA-UNESP - FEPAF- 2013. 11p. 1º Paisagem

Leia mais

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Emília Hamada Pesquisador, Embrapa Meio Ambiente, Jaguariúna - SP A mudança climática global começou a ser discutida

Leia mais

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ALENCAR SANTOS PAIXÃO 1 ; ÉLIDA LOPES SOUZA ROCHA2 e FERNANDO SHINJI KAWAKUBO 3 alencarspgeo@gmail.com,

Leia mais

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 A BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO OCUPAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA O DESMATAMENTO DAS BACIAS OCUPAÇÃO DA BACIA

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Programa Águas de Araucária Mostra de Projetos 2011 Programa Águas de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria Municipal

Leia mais

Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança

Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança Seminário Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais Comitê da Bacia Hidrográfica Sorocaba e Médio Tietê Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança Sorocaba, 10 de setembro

Leia mais

Rio Urbanos, Bacias Urbanas: Projetos Integradores outubro 2013

Rio Urbanos, Bacias Urbanas: Projetos Integradores outubro 2013 Rio Urbanos, Bacias Urbanas: Projetos Integradores outubro 2013 Segurança hídrica - Declaração Ministerial do 2o Fórum Mundial da Água, 2001 Acesso físico e econômico à água em quantidade e qualidade suficiente

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

INSTITUTO FLORESTAL: CIÊNCIA, DESENVOLVIMENTO E POLÍTICA FLORESTAL RODRIGO A. B. M. VICTOR

INSTITUTO FLORESTAL: CIÊNCIA, DESENVOLVIMENTO E POLÍTICA FLORESTAL RODRIGO A. B. M. VICTOR * INSTITUTO FLORESTAL: CIÊNCIA, DESENVOLVIMENTO E POLÍTICA FLORESTAL RODRIGO A. B. M. VICTOR 1 Mudanças da Estrutura dos Ecossistemas Florestas não fragmentadas 8000 anos atrás Mudanças da Estrutura dos

Leia mais

ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE

ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE Andrade, L. A. Z. 1 de & Teixeira, A. L. de F. 2 * & Brasil, M. A. 3 Dubois, G. S. J. 4 & Ayrimoraes Soares, S. R. 5 Resumo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS EDITAL DE SELEÇÃO PARA ALUNO ESPECIAL Período 2015/2 (Publicado em 06/08/2015)

Leia mais

Painel: Manejo da Paisagem para a Produção de Água: Conceitos e Aplicações

Painel: Manejo da Paisagem para a Produção de Água: Conceitos e Aplicações UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA FLORESTAL LABORATÓRIO DE HIDROLOGIA FLORESTAL Painel: Manejo da Paisagem para a Produção de Água: Conceitos e Aplicações

Leia mais

Análise da Ocupação Urbana na Bacia do Córrego dos Pires, Jahu SP e seus Impactos na Drenagem Urbana

Análise da Ocupação Urbana na Bacia do Córrego dos Pires, Jahu SP e seus Impactos na Drenagem Urbana Análise da Ocupação Urbana na Bacia do Córrego dos Pires, Jahu SP e seus Impactos na Drenagem Urbana Odeir Alves LIIDTHE 1 Dalva Maria Castro VITTI 2 José Carlos Veniziani JUNIOR 3 Resumo As inundações

Leia mais

Aplicação da ferramenta Invest para identificação de Áreas de Risco de Contaminação no âmbito do Plano de Segurança da Água

Aplicação da ferramenta Invest para identificação de Áreas de Risco de Contaminação no âmbito do Plano de Segurança da Água Aplicação da ferramenta Invest para identificação de Áreas de Risco de Contaminação no âmbito do Plano de Segurança da Água João Guimarães Dezembro/2012 60 anos Brasil 1988 32 países 3.500 funcionários

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos GEOPROCESSAMENTO INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Prof. Esp. André Aparecido da Silva Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Conceitos básicos Componentes de um SIG Entrada de Dados em Geoprocessamento

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

A Construção de um Programa de Revitalização na Bacia do rio São Francisco

A Construção de um Programa de Revitalização na Bacia do rio São Francisco A Construção de um Programa de Revitalização na Bacia do rio São Francisco Antônio Thomaz Gonzaga da Matta Machado Projeto Manuelzão/UFMG Conceito de Revitalização Caráter técnico-científico Legislação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Ciências Geográficas Programa de Pós-Graduação em Geografia

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Ciências Geográficas Programa de Pós-Graduação em Geografia UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Departamento de Ciências Geográficas Programa de Pós-Graduação em Geografia Disciplina: Tópicos Especiais em Geografia Física - Geomorfologia Fluvial. Professor: Osvaldo

Leia mais

Carta Regional dos Municípios de Itaguaí, Mangaratiba, Seropédica e Rio de Janeiro.

Carta Regional dos Municípios de Itaguaí, Mangaratiba, Seropédica e Rio de Janeiro. Carta Regional dos Municípios de Itaguaí, Mangaratiba, Seropédica e Rio de Janeiro. Nós, membros do poder público, usuários e sociedade civil organizada, estudantes e profissionais da educação, reunidos

Leia mais

Metodologia para elaboração de diagnóstico físico e ambiental no Programa de Gestão de Solo e Água em Microbacias com uso do gvsig

Metodologia para elaboração de diagnóstico físico e ambiental no Programa de Gestão de Solo e Água em Microbacias com uso do gvsig Metodologia para elaboração de diagnóstico físico e ambiental no Programa de Gestão de Solo e Água em Microbacias com uso do gvsig Autores: Milton Satoshi Matsushita 1 e Reinaldo Tadeu O. Rocha 2 1 Engenheiro

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI SUPERIOR EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE DE SEDIMENTOS DO RIO PARAGUAI Grizio-orita, E.V. 1 ; Souza Filho, E.E. 2 ; 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Email:edineia_grizio@hotmail.com; 2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

Leia mais

Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI

Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI MR ÁGUA E ENERGIA: O DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE Eduardo Mario

Leia mais

DIAGNOSTICOS DE MATA CILIAR E RESERVA LEGAL EM PROPRIEDADES RURAIS NA SUB-BACIA DO TAIAÇUPEBA NO MUNICÍPIO DE SUZANO-SP.

DIAGNOSTICOS DE MATA CILIAR E RESERVA LEGAL EM PROPRIEDADES RURAIS NA SUB-BACIA DO TAIAÇUPEBA NO MUNICÍPIO DE SUZANO-SP. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE ENGENHARIA FLORESTAL PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 5 JANEIRO DE 2005 - ISSN 1678-3867 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Rogério de Souza 1 Mário Valério Filho 1,2 1. Universidade do Vale do Paraíba UNIVAP/IP&D Av. Shishima Hifumi, 2911 São José dos Campos SP, Brasil

Rogério de Souza 1 Mário Valério Filho 1,2 1. Universidade do Vale do Paraíba UNIVAP/IP&D Av. Shishima Hifumi, 2911 São José dos Campos SP, Brasil Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 20, INPE p.479 Análise do crescimento urbano e os impactos na macrodrenagem com o auxílio

Leia mais

TABELA DE PREÇOS ( valores sujeito a alterações )

TABELA DE PREÇOS ( valores sujeito a alterações ) Solicite os livros por e-mail : viviane@tratamentodeagua.com.br ou pelo telefone: 11-55818170 ITEM LIVROS VALOR 1 A BOTANICA NO ENSINO BASICO R$ 73,80 2 A COBRANÇA PELO USO DA AGUA R$ 30,00 3 A COBRANÇA

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina GEO423 Geografia das Águas

Programa Analítico de Disciplina GEO423 Geografia das Águas Programa Analítico de Disciplina GEO23 Geografia das Águas Departamento de Geografia - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Avaliação de Impactos Ambientais ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com

GESTÃO AMBIENTAL. Avaliação de Impactos Ambientais ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Avaliação de Impactos Ambientais

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA HISTÓRIA RECENTE DE INCÊNDIOS EM PLANTAÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL

CARACTERIZAÇÃO DA HISTÓRIA RECENTE DE INCÊNDIOS EM PLANTAÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL NOVTEC 2010 Workshop Novas Tecnologias em Gestão Florestal Sustentável A gestão do risco de incêndio e a gestão da cadeia de valor 25-26 de Outubro, 2010 Lisboa, Portugal CARACTERIZAÇÃO DA HISTÓRIA RECENTE

Leia mais

EPB0733 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NAS ÁREAS DE APP DA SUB- BACIA DO RIBEIRÃO DA PEDRA NEGRA, TAUBATÉ/SP, POR MEIO DE GEOTECNOLOGIAS

EPB0733 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NAS ÁREAS DE APP DA SUB- BACIA DO RIBEIRÃO DA PEDRA NEGRA, TAUBATÉ/SP, POR MEIO DE GEOTECNOLOGIAS XV Encontro de Iniciação Científica XI Mostra de Pós-graduação V Seminário de Extensão II Seminário de Docência Universitária 18 a 22 de outubro de 2010 DESAFIOS DO SABER PARA UMA NOVA SOCIEDADE EPB0733

Leia mais

Márcio de Carvalho Saraiva marcio@dsc.ufcg.edu.br

Márcio de Carvalho Saraiva marcio@dsc.ufcg.edu.br DSC/CEEI/UFCG Márcio de Carvalho Saraiva marcio@dsc.ufcg.edu.br 1 o geoprocessamento? o SIG? o o aplicação simples o aplicação complexa o o 2 SIG? o "Geoprocessamento é o conjunto de tecnologias que utilizam

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Licenciatura Plena em Geografia Disciplina: Hidrogeografia Carga Horária: 60hs Teórica: 60hs Prática: 00hs Semestre: 2013.2 Professor: Antonio Marcos

Leia mais

1. Apresentação de todos os participantes: docentes e alunos.

1. Apresentação de todos os participantes: docentes e alunos. Unidade Curricular Paisagem, Biodiversidade e Sociedade Área Científica Paisagem, Ambiente e Ordenamento Ano Curricular 1 Horas de Trabalho 156 Horas de Contacto TP-30;TC-15;OT-15 ECTS 6 Observações Obrigatória

Leia mais

10:00-10:30 Apresentação do Plano Nacional de Adaptação (Pedro Christ Ministério do Meio-Ambiente)

10:00-10:30 Apresentação do Plano Nacional de Adaptação (Pedro Christ Ministério do Meio-Ambiente) Workshop sobre Adaptação de Infraestrutura a Mudanças Climáticas: Melhorando Resiliência Econômica Regional para Enfrentar as Alterações Climáticas no Brasil Data: 25/09/2015 1) Sobre o workshop O workshop

Leia mais

SÍNTESE DA COMPATIBILIZAÇÃO E ARTICULAÇÃO

SÍNTESE DA COMPATIBILIZAÇÃO E ARTICULAÇÃO SÍNTESE DA COMPATIBILIZAÇÃO E ARTICULAÇÃO Esta síntese objetiva apresentar de forma resumida o que foi produzido na fase B do plano de bacia, permitindo uma rápida leitura das principais informações sobre

Leia mais

PRECIPITAÇÃO EFETIVA E INTERCEPTAÇÃO EM FLORESTAS DE PINHEIROS TROPICAIS E EM RESERVA DE CERRADÃO

PRECIPITAÇÃO EFETIVA E INTERCEPTAÇÃO EM FLORESTAS DE PINHEIROS TROPICAIS E EM RESERVA DE CERRADÃO IPEF, n.24, p.43-46, ago.1983 PRECIPITAÇÃO EFETIVA E INTERCEPTAÇÃO EM FLORESTAS DE PINHEIROS TROPICAIS E EM RESERVA DE CERRADÃO W. P. LIMA ESA LQ-USP, Depto. de Silvicultura, 13.400 - Piracicaba - SP N.

Leia mais

Missão. Objetivos Específicos

Missão. Objetivos Específicos CURSO: Engenharia Ambiental e Sanitária Missão O Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnico científica nas áreas

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS

SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS SISTEMATIZAÇÃO DA SAZONALIDADE DAS VAZÕES CARACTERÍSTICAS PARA FLEXIBILIZAÇÃO DA OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS Rafael dos Santos Cordeiro 1 ; Felipe de Azevedo Marques 2 1 Aluno do Curso

Leia mais

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DE VIAGEM

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DE VIAGEM RELATÓRIO DE VIAGEM 1 PROCESSO / OFÍCIO N.º: 049/2015/324/E INTERESSADO (A): Cely Roledo INSTITUIÇÃO / ÁREA: CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo Divisão de Laboratório de Taubaté - EDT DESTINO/LOCAL:

Leia mais

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades A água

Leia mais

DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO JI-PARANÁ

DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO JI-PARANÁ DELIMITAÇÃO DAS ÁREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO JI-PARANÁ JULIA S. MELLO 1 ; DANIEL de C. VICTORIA 2 Nº 10505 RESUMO Sistemas de Informação Geográfica (SIG) são importantes ferramentas

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA

ANÁLISE ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA ANÁLISE ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA Eduardo Cohim Ana Garcia 1/ 15 Justificativa Em 1900 População mundial - cerca de 1,6 bilhões de habitantes Apenas 160 milhões viviam em cidades. Em 2005

Leia mais

Glossário das Camadas do SISTEMA CADEF

Glossário das Camadas do SISTEMA CADEF Glossário das Camadas do SISTEMA CADEF Imagem dos Corredores Ecológicos: Exibe a imagem de satélite baixa resolução de SPOT-5, adquirida em 2005. Esta imagem está como padrão defaut ao iniciar o sistema,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA ESTUDO DOS COMPONENTES LENHOSOS NA COBERTURA VEGETAL DA ENCOSTA DA FACULDADE MACHADO SOBRINHO, JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS, BRASIL

PROJETO DE PESQUISA ESTUDO DOS COMPONENTES LENHOSOS NA COBERTURA VEGETAL DA ENCOSTA DA FACULDADE MACHADO SOBRINHO, JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS, BRASIL PROJETO DE PESQUISA Professor Flávio José Soares Júnior Biólogo graduado pela Universidade Federal de Juiz de Fora; Mestre em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa; Doutorando em Botânica

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA DE SUMARÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 3M DO BRASIL

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA DE SUMARÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 3M DO BRASIL SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA DE SUMARÉ SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 3M DO BRASIL SOCIEDADE HUMANA DESPERTAR LABORATÓRIO DE ECOLOGIA E RESTAURAÇÃO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DO BRASIL MOURA, A. L. A. 1 ; SÁ, L. A. C. M 2 RESUMO - A presente pesquisa está sendo desenvolvida com o objetivo de formular uma base de dados espaciais

Leia mais

Relação entre variáveis de fertilidade do solo e o tipo de vegetação no Estado de São Paulo, utilizando técnicas de geoestatística e SIG.

Relação entre variáveis de fertilidade do solo e o tipo de vegetação no Estado de São Paulo, utilizando técnicas de geoestatística e SIG. Relação entre variáveis de fertilidade do solo e o tipo de vegetação no Estado de São Paulo, utilizando técnicas de geoestatística e SIG. Tiago Brochado Pires Introdução: Estudos voltados para a interpretação

Leia mais

ANÁLISE QUALITATIVA DE EVENTOS DE PRECIPITAÇÃO INTENSA NA BACIA DO GREGÓRIO, SÃO CARLOS - SP

ANÁLISE QUALITATIVA DE EVENTOS DE PRECIPITAÇÃO INTENSA NA BACIA DO GREGÓRIO, SÃO CARLOS - SP ANÁLISE QUALITATIVA DE EVENTOS DE PRECIPITAÇÃO INTENSA NA BACIA DO GREGÓRIO, SÃO CARLOS - SP Anaí Floriano Vasconcelos, Juliana Pontes Machado de Andrade 2, Eduardo Mario Mendiondo ³ Escola de Engenharia

Leia mais

R. Zico Grizzo, 237 Jaú, SP, CEP: 17.209-670 liscastro.jau@terra.com.br Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6155328746919136

R. Zico Grizzo, 237 Jaú, SP, CEP: 17.209-670 liscastro.jau@terra.com.br Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6155328746919136 LESLIE IVANA SERINO CASTRO R. Zico Grizzo, 237 Jaú, SP, CEP: 17.209-670 liscastro.jau@terra.com.br Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6155328746919136 Possui graduação em Administração

Leia mais

Links para Pesquisa. http://www.scielo.br. http://www.periodicos.capes.gov.br/

Links para Pesquisa. http://www.scielo.br. http://www.periodicos.capes.gov.br/ Links para Pesquisa Descrição Scielo Artigos científicos: Capes Artigos e publicações Livros digitais Publicações Revistas Eletrônicas: Ciência & Ensino Revista Ciências do Ambiente On Line Revista Eletrônica

Leia mais

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT Elaine Barbosa da SILVA¹ Laerte Guimarães FERREIRA JÚNIOR¹ Antonio Fernandes dos ANJOS¹ Genival Fernandes

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO HEMERÓBICA DAS UNIDADES DE PAISAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CARÁ-CARÁ, PONTA GROSSA PR

CLASSIFICAÇÃO HEMERÓBICA DAS UNIDADES DE PAISAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CARÁ-CARÁ, PONTA GROSSA PR V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 CLASSIFICAÇÃO HEMERÓBICA DAS UNIDADES DE PAISAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CARÁ-CARÁ, PONTA GROSSA PR Andreza

Leia mais

Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários

Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários Fanuel Nogueira GARCIA, Laerte Guimarães FERREIRA Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Abner Luiz Soares Machado

Abner Luiz Soares Machado PICPE 2014 Projeto de Pesquisa Científica TÍTULO DO PROJETO: Logística Humanitária para Atendimento a Desastres Naturais: Estudo de Caso COORDENADOR DO PROJETO: Júlio César da Silva ALUNO DE INICIAÇÃO:

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG)

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG) USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO Calderano Filho, B. 1 ; Carvalho Junior, W. 2 ; Prado, R.B. 3 ; Calderano, S.B. 4 ; 1 EMBRAPA - CNPS Email:braz.calderano@embrapa.br; 2 EMBRAPA- CNPS Email:waldir.carvalho@embrapa.br;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS NO ESTUDO DE MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS

A IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS NO ESTUDO DE MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS A IMPORTÂNCIA DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS NO ESTUDO DE MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS CAVALLARI, Ricardo Luis Engenheiro agrônomo e ex-acadêmico da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal

Leia mais

Cientistas incompetentes dizem que o Código Florestal é santo Ciro Siqueira

Cientistas incompetentes dizem que o Código Florestal é santo Ciro Siqueira Cientistas incompetentes dizem que o Código Florestal é santo Ciro Siqueira Metzger é um biólogo que adora o Código Florestal e constrói hipóteses apenas para provar aquilo que ele quer que seja provado

Leia mais