Palavras chaves: Prática Pedagógica Interdisciplinar, Formação Docente, Projeto Interdisciplinar na Escola.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras chaves: Prática Pedagógica Interdisciplinar, Formação Docente, Projeto Interdisciplinar na Escola."

Transcrição

1 A PRÁTICA PEDAGÓGICA INTERDISCIPLINAR (PPI), COMO INSTRUMENTO DE FORMAÇÃO E INCENTIVO DA CARREIRA DOCENTE Ítalo Vinícius Silva Bastos¹ Thercio Antonio dos Santos Rocha¹ Adriana Silva dos Santos¹ Elisabeth Mary de Carvalho Baptista² RESUMO O presente trabalho pretende destacar a relevância das Práticas Pedagógicas Interdisciplinares (PPI), evidenciando o papel das mesmas, como ferramenta incentivadora na formação dos estudantes dos cursos de Licenciatura, que possibilitam aos discentes dessas graduações vivenciarem o seu futuro ambiente profissional de atuação. Desse modo, tem como objetivo expor a dimensão e contribuição das Práticas Pedagógicas Interdisciplinares para a formação dos graduandos em Licenciaturas e no incentivo à carreira docente. A atividade está sendo desenvolvida através das experiências adquiridas durante a realização da PPI do Curso de Licenciatura Plena em Geografia denominada de Projeto Interdisciplinar na Escola da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) no decorrer dos períodos de estudos cursados na presente graduação, com base em levantamentos bibliográficos, diálogos e discussões dos envolvidos na execução da indicada atividade. Os resultados obtidos até o momento foram significativos para a construção da formação do docente, pois o desenvolvimento do referido projeto aproxima o graduando do seu futuro ofício profissional, ambientando esse futuro docente com a realidade encontrada no momento, e com aquela que ele irá encontrar no âmbito de atuação de sua competência. Destaca-se também que por meio desse processo o estudante de graduação em Licenciatura coloca em prática as experiências e conhecimentos adquiridos na academia de ensino, aliando dessa forma, teoria e prática, ensino e aprendizagem. Esta pesquisa tem então propósito básico ressaltar a dimensão das práticas pedagógicas na formação de docentes permitindo a familiarização com o seu campo de atuação profissional. Além de tudo, como resultado dessas atividades, tem-se estudantes empenhados em seguir a carreira docente mais capacitados para a profissão em questão. Palavras chaves: Prática Pedagógica Interdisciplinar, Formação Docente, Projeto Interdisciplinar na Escola. 1 INTRODUÇÃO A atual pesquisa pretende destacar o mérito das Práticas Pedagógicas Interdisciplinares (PPI), como mecanismo de auxilio formador e incentivador da carreira docente nos cursos de Graduação em Licenciatura, na formação iniciação dos futuros profissionais da área de Educação, nesse caso, o percurso formativo do professor. Dessa maneira, temos como objeto de estudo desta investigação, o curso de Licenciatura Plena em Geografia, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus

2 2 Poeta Torquato Neto, em Teresina/PI. Este curso foi escolhido para o desenvolvimento da pesquisa, pois o mesmo é experimentado em nosso dia-dia, além de seu formato curricular contemplar desde o início, do primeiro bloco de estudo até o último, o oitavo bloco, a grade curricular obrigatória, prática denominada de Projeto Interdisciplinar na Escola (PIE), componente curricular para a formação do futuro professor. O desenvolvimento metodológico da pesquisa sucedeu-se através de estudos em livros, artigos científicos e documentos que envolvessem a temática exposta. A motivação para esta investigação se deu considerando com o passar dos anos da graduação, do primeiro ao quinto bloco, as experiências que vivenciamos e partilhamos no decurso dos Projetos Interdisciplinares na Escola. Os mesmos nos propiciaram uma experiência significativa no processo de formação acadêmica, contribuindo para o nosso engrandecimento profissional ao longo desse processo, além de nos aproximar do nosso futuro ambiente de trabalho, consequentemente, com os futuros alunos da educação básica, nesse caso, o público alvo. A prática pedagógica em questão permeia toda a formação acadêmica dos graduandos em Licenciatura Plena em Geografia da UESPI, desenvolvidas através de temas geradores que estão delimitados de acordo com o período ou bloco de estudo dos discentes desta graduação. Deste modo, a cada semestre de aprendizado do curso, um tema diferente é lançado para os estudantes, para que os mesmos possam desenvolver nas escolas, atividades ou oficinas condizentes com a temática apresentadas à eles. Pretendemos enfocar, que tais experiências são de suma importância para uma formação docente adequada e incentivadora da carreira docente, no que tange as práticas pedagógicas, como instrumento de relações que extrapolam o ambiente de sala de aula da instituição formadora, permeando todos os blocos e anos do processo acadêmico-formativo dos licenciados. Deste modo, desde o princípio de sua vida acadêmica os graduandos em Geografia possam relacionar teoria e prática em um permanente diálogo entre o ensinado e aprendido no curso formal, com a realidade da sala de aula do professor bem como também com a dos alunos das escolas onde os projetos são desenvolvidos. 2 PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INTERDISCIPLINARES: REVISÃO DE LITERATURA

3 3 A prática pedagógica é fundamental para a formação docente, dando ênfase nas experiências obtidas ao longo da vida acadêmica, aliando teoria e prática, tentando aproximar o graduando do seu futuro ambiente de trabalho, partindo desse pressuposto: Rezende (2009, p.16) salienta que esta: Trata-se de uma vertente curricular relativa aos cursos de formação inicial de professores, cuja finalidade é relacionar teoria e prática num processo dialógico entre o que é ensinado na instituição formadora, a realidade educativa do futuro professor e a realidade dos alunos da educação básica. Nessa perspectiva a prática pedagógica tem por finalidade principal aliar teoria e prática, buscando compreender as diferenças entre o âmbito acadêmico e o ambiente escolar, fazendo com que o docente em formação se sinta familiarizado com seu futuro ambiente profissional e assim expor os conteúdos adquiridos na academia, facilitando o processo de ensino aprendizagem da educação básica. A política pública brasileira tem exigido o desenvolvimento dessa prática estabelecendo-a como componente curricular para os cursos de formação de professores. Conforme o Parecer CNE/CP, nº 28/2001 do Ministério da Educação (BRASIL, 2001, p.9) a prática como componente curricular [...] deve ser planejada quando da elaboração do projeto pedagógico e seu acontecer deve se dar desde o início da duração do processo formativo e se estender ao longo de todo o seu processo. Nesse entendimento, as práticas pedagógicas constituem-se atividades obrigatórias nos cursos de licenciaturas devendo ser abordadas nos períodos iniciais estendendo-se no percurso total do curso. Com isso possibilita o aluno ao seu ambiente de trabalho, buscando diferenciar os ensinamentos do âmbito acadêmico com a realidade que será encontrada no ambiente escolar, fazendo com que o aluno vivencie as práticas docentes na sua formação como licenciado. Fazenda (2008, p. 55) discute sobre o desenvolvimento da prática pedagógica explicitando que: Compreendemos, portanto, a prática pedagógica como a prática profissional do professor antes, durante e depois da sua ação em classe com os alunos. Ela revela as competências, os invariantes de conduta, bem como os esforços de adaptação efetuados pelo profissional do ensino para responder aos desafios impostos pelas situações complexas em contexto de ensino aprendizagem.

4 4 Entendemos então que a prática pedagógica deve ser inserida antes, durante e depois de sua vivência em sala de aula, pois através dessas atividades o aluno vai adquirir mais experiência e, com mais amadurecimento e preparo poderá superar os desafios para tornar-se um profissional com boas condutas. Ainda segundo Fazenda (2008, p. 56) a prática pedagógica engloba ao mesmo tempo as atividades com os alunos, mas também o trabalho coletivo e individual fora da classe. Nesse sentido a prática pedagógica é vivenciada tanto na sala de aula como fora dela, no ambiente acadêmico o docente aprenderá os ensinamentos das disciplinas estudadas, já no ambiente escolar ele vai pôr em prática o aprendizado adquirido no decorrer do curso. Neste aspecto o Parecer CNE/CP 9/2001 (BRASIL, 2001, p.22) considera a prática também como: Uma concepção de prática mais como componente curricular implica vê-la como uma dimensão do conhecimento, que tanto está presente nos cursos de formação nos momentos em que se trabalha na reflexão sobre a atividade profissional, como durante o estágio nos momentos em que se exercita a atividade profissional. Assim discernimos que a prática é uma ferramenta fundamental na formação do docente na qual há uma troca de experiências, vivências e conhecimentos adquiridos ao longo da vida acadêmica do graduando para que assim, possam aplicar em sua prática docente. Assimilamos então que a prática pedagógica e todas as experiências, vivências e conhecimentos adquiridos no processo educativo, são elementos preponderantes na construção da identidade do futuro professor. 2.1 INTERDISCIPLINARIDADE A temática da interdisciplinaridade vem sendo discutida com mais ênfase no âmbito das licenciaturas de um modo geral. Nesse sentido propomos levar a diante como essa interdependência contribui de forma satisfatória para a formação do docente. Assim como a junção de outros ramos do conhecimento são importantes para a construção de novos saberes, ressalta Fazenda (2008, p.161) que a interdisciplinaridade: [...] significa, em sentido geral, relação entre as disciplinas ainda que o termo interdisciplinaridade seja mais usado para indicar relação entre disciplinas, hoje alguns autores distinguem de outros similares, tais como a pluridisciplinaridade e a transdisciplinaridade, que também podem ser entendidas como forma de relações disciplinares em diversos níveis, como

5 5 grau sucessivo de cooperação e coordenação crescente no sistema de ensino-aprendizagem. No entendimento de Fazenda (2008), a interdisciplinaridade como a relação de uma ou mais disciplinas, tem o intuito de propiciar a integração dos conteúdos dando suporte no processo de ensino-aprendizagem. A interdisciplinaridade é importante então para a formação do conhecimento, pois procura compreender os aspectos ocultos no ato de aprender e buscar soluções para os problemas encontrados no âmbito do conhecimento. Evidencia Fazenda (2008, p. 162) ainda que: A palavra interdisciplinaridade evoca a "disciplina" como um sistema constituído ou um por constituir, e a interdisciplinaridade sugere um conjunto de relações entre disciplinas abertas sempre a novas relações que se vai descobrindo. Interdisciplinar é toda interação existente dentre duas ou mais disciplinas no âmbito do conhecimento, dos métodos e da aprendizagem das mesmas. Interdisciplinaridade é o conjunto das interações existentes e possíveis entre as disciplinas nos âmbitos indicados. Podemos salientar que a interdisciplinaridade busca a junção de duas ou mais disciplinas que tratam de um mesmo conteúdo, mas com suas peculiaridades em relação ao conteúdo e método, a interação pode possibilitar solucionar e explicar novas formas de saberes. Segundo Cavalcanti (2002, p. 117) Esse princípio implica banir de nossas práticas de ensino o trabalho com conteúdos fragmentados e mecanicamente justapostos. Nessa perspectiva a interdisciplinaridade tem o intuito de rever e evitar as práticas tradicionais de ensino pretendendo com isso integrar as disciplinas e obter resultados satisfatórios na produção do conhecimento. E assim busca romper os ensinamentos tradicionais e obter novas formas de pensar agir e discutir novos saberes, mais amplos no intuito de fortalecer seus conhecimentos adquiridos no decorrer da sua formação. 2.2 A INTERDISCIPLINARIDADE E A GEOGRAFIA A interdisciplinaridade na Geografia é relevante, pois trabalhar de forma interdisciplinar abre a possibilidade de pesquisas permanentes, por parte do professor, seus conteúdos, métodos e técnicas devem ser selecionados de forma não fragmentada,

6 6 expondo de forma clara as transformações e as dinâmicas do mundo, buscando a compreensão das relações do homem com seu meio de vivência. Dessa forma, alia e interage com os assuntos expostos no ambiente acadêmico e a realidade apresentada pela sociedade, através da disciplina em questão e as demais disciplinas. Straforini (2008, p. 51) comenta a importância da interdisciplinaridade no âmbito geográfico: A Geografia necessariamente, deve proporcionar a construção de conceitos que possibilitem ao aluno compreender o seu presente e pensar o seu futuro com responsabilidade, ou ainda, preocupar-se com o seu futuro através do inconformismo com o presente. Mas esse presente não pode ser visto como algo parada, estético, mas sim em constante movimento. Podemos entender que a Geografia busca compreender a dinâmica do espaço e suas relações com o homem, nesse sentido, não basta apenas teoria, temos que tentar aproximar o sujeito do seu objeto, ou seja, aliar a teoria e a prática, e buscar novas explicações para as transformações do mundo. Os alunos poderão questionar a respeito de um assunto e não apenas ser o receptáculo de uma informação, mas poderão agir criticamente na busca de novas explicações, novos conhecimentos e conceitos através da interdicisplinaridade. Conforme Fazenda (2003, p. 62), A geografia, vista interdisciplinarmente, ao lado das habilidades de descrever, observar e localizar pode contribuir também para um processo de comparação que conduza a novas explicações. Nessa perspectiva, Fazenda (op. cit) ressalta a importância da interdisciplinaridade no âmbito geográfico porque busca novas explicações para entender a realidade da sociedade e as transformações do mundo. Para Fazenda (1991), a Geografia não é mais vista como a ciência da superfície terrestre, mas sim como aquela que estuda e explica o espaço produzido pelo homem. Neste jogo geográfico da sociedade, de interferências e transformações de espaços, é que se encontra a geografia, ciente que precisa de reformulações e algumas adequações para o ensino e dialética adequada. Assim entendemos que a Geografia não é mais uma ciência que apenas estuda a superfície terrestre, mais sim todas as transformações que ocorrem no mundo, as relações homem e natureza, como o homem se relaciona, produz e consome o espaço geográfico. No decorrer do processo evolutivo da ciência geográfica, ocorreram várias

7 7 modificações no âmbito do seu conhecimento, buscando formar e produzir novos conhecimentos para a formação da Geografia contemporânea. Contribuindo para isso Pontuschka, Paganelli e Cacete (2007, p. 145) argumentam que: A interdisciplinaridade pode criar novos saberes e favorecer uma aproximação maior com a realidade social mediante leituras diversificadas do espaço geográfico e de temas de grande interesse e necessidade para o Brasil e para o mundo. Nesse sentido, podemos entender que o pensar interdisciplinarmente na Geografia proporciona a construção de novos saberes e assim contribui para um entendimento mais amplo do espaço geográfico, consequentemente com as novas dinâmicas e transformações da sociedade no mundo contemporâneo. 3 O PROJETO INTERDISCIPLINAR NA ESCOLA: A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE GEOGRAFIA DA UESPI. No curso de Geografia da UESPI, a prática pedagógica está estabelecida desde o 1º ao 8º bloco do curso, totalizando ao final da graduação uma carga horária de 400 horas, contemplando todas as disciplinas do curso com a supervisão dos respectivos professores, denominado de Projeto Interdisciplinar na Escola. Dessa forma, o Projeto Político Pedagógico (PPP) do curso ao apresentar a prática como componente curricular especifica que: Numa perspectiva de formação integral, o currículo será desenvolvido visando contemplar a relação teoria-prática numa tentativa de aproximar o aluno da realidade contextual através das atividades interdisciplinares na escola, sendo realizadas através das disciplinas que compõem o bloco semestral a partir da elaboração e desenvolvimento de projetos interdisciplinares na escola com a supervisão de uma equipe de professores efetivos do curso de Geografia e coordenação dos professores das disciplinas do bloco (UESPI, 2004, p. 18) Conforme o PPP do curso de Geografia, o Projeto Interdisciplinar na Escola que tem como objetivo Levar o futuro profissional de Geografia a conhecer de perto o seu campo de trabalho, seja enquanto docente ou profissional especializado na área ou em áreas afins. Além de permitir que ele pratique a atividade de pesquisa enquanto discente. (UESPI, 2004, p. 45)

8 8 Tem também como intuito preparar os graduandos nos anos iniciais da academia formadora, para que eles vivenciem e adquiram experiências satisfatórias no ambiente escolar, levando em conta as trocas de experiências entre o professor formado e o graduando ainda em formação, sendo que essas trocas serão elementares quando o graduando colocar em prática seu ato docente. Por meio dessa prática o aluno terá uma oportunidade de se qualificar e ter uma boa formação, sabendo lidar com as dificuldades apresentadas em sala de aula. O graduando poderá desfrutar da aproximação com sua área de atuação, buscando construir seus conhecimentos, articulando teoria e prática. A prática interdisciplinar deve oferecer ao aluno um leque de possibilidades na sua formação acadêmica, buscando obter métodos satisfatórios para o desenvolvimento e aprimoramento da sua prática de ensino. Nesse espaço de vivência o graduando irá desenvolver novas habilidades, novos métodos de ensino, deixando o modelo tradicional de ensino de lado, não sendo apenas um transmissor de conteúdos, mais sim um professor capaz de instigar seus alunos, tornando-os pessoas críticas, reflexivas e inovadoras, adquirindo o prazer de estudar. O professor tem que ser visto como um agente transformador do mundo, contribuindo para uma sociedade mais dialética, respeitando o direito de liberdade de cada indivíduo. Conforme ainda o PPP do curso de Geografia da UESPI (2004, p. 45), o Projeto Interdisciplinar na Escola procura estabelecer atividades que permitam ao corpo discente além de conhecer o seu futuro campo de trabalho possa ainda utilizar os conhecimentos e conteúdos praticados em sala de aula. Assim, cada Bloco do Curso deve desenvolver atividades englobando as disciplinas ofertadas buscando relacionar a teoria e a prática. Levando em consideração a prática interdisciplinar no curso de Geografia, que tem como base, a aproximação do aluno com seu futuro ambiente de atuação profissional, fazendo com que o discente se torne um sujeito participativo, investigador, inovador e com isso construa seus próprios conhecimentos de âmbito geral, discutindo a interdependência no curso de geografia e as demais disciplinas. Essa construção de saberes que o alunado irá adquirir ao longo de sua graduação é elementar para trilhar novos caminhos e melhorias na sua carreira profissional.

9 9 A prática interdisciplinar deve exercer também um papel decisivo na vida do aluno, pois através desse contato com sua área de atuação nos anos iniciais o discente irá decidir, se realmente se sente realizado para exercer seu papel de professor, para que no decorrer do curso não se sinta frustrado com as dificuldades que irão surgir ao longo de sua atuação acadêmica. Para o desenvolvimento dos Projetos Interdisciplinares na Escola da UESPI, utilizam-se temas geradores que tenham como pressupostos a realização de pesquisas que contemplem os aspectos espaciais, sociais, físicos e biológicos. Contribuindo para essa perspectiva Pontuschka, Paganelli e Cacete (2007, p.154) discorrem que: A Geografia, ao trabalhar com o tema gerador e com as questões geradoras, tem condições de contribuir para que os alunos superem o senso comum mediante uma metodologia dialógica e chegar a um conhecimento mais elaborado e científico. Nesse sentido o Projeto Interdisciplinar na Escola está distribuído de acordo com a grade curricular do curso, com um tema gerador para cada bloco, da seguinte forma: 1º Conhecendo a Escola; 2º Investigando o Campo de Atuação do Geógrafo; 3º Escola e Comunidade; 4º O Projeto Político Pedagógico da Escola; 5º A Escola e o Ensino de Geografia no Ensino Fundamental (Zona Urbana); 6º A Escola e o Ensino de Geografia no Ensino Fundamental (Zona Rural); 7º A Escola como valorização do lugar: O Nordeste e seu potencial turístico; e 8º A Escola como instrumento de conhecimento e valorização do espaço piauiense. No primeiro momento o graduando tem a experiência de conhecer a escola, ter o primeiro contato com os alunos, conhecer a estrutura da escola, como um professor atua, seus desafios e conquistas, toda essa sucessão que contribui para sua formação profissional. No segundo momento o graduando irá conhecer o papel do professor pesquisador intitulado de geógrafo, as entidades que eles poderão atuar, a importância do papel do geógrafo, os desafios dessa profissão e as conquistas dessa área tão elementar para a sociedade. No terceiro momento o graduando irá vivenciar as relações que a escola tem com a comunidade, como a escola influi na vida das pessoas, a relação dos pais e familiares com o contexto escolar, e a escola como agente socializador contribuindo para uma escola democrática e participativa. No quarto momento o

10 10 graduando estudará o projeto político pedagógico da escola na compreensão das atividades humanas X natureza. No quinto momento o graduando irá desenvolver atividades em forma de oficinas nas escolas de ensino fundamental na zona urbana, no sentido de levar o alunado a conhecer melhor a cidade, e dessa forma poder intervir nesse espaço como cidadãos responsáveis. No sexto momento o graduando irá também desenvolver atividades em forma de oficinas nas escolas de ensino fundamental, no sentido de levar o alunado a aprender melhor os conteúdos nas escolas, esta feita na zona rural, possibilitando aos mesmos participarem dos processos de intervenção no espaço em que vivem de forma responsável. No sétimo momento o graduando vai desenvolver atividades voltadas para a valorização do lugar através de criação e execução do roteiro turístico na cidade de Teresina (PI), e assim elaborar roteiro e material para execução de aula de campo com alunos do ensino fundamental II (8º e 9º anos) pelos pontos turísticos selecionados. Por fim, no oitavo momento o graduando poderá conhecer melhor o seu estado de vivência, investigar junto à escola foco os conteúdos nas mais diversas disciplinas, que tratam acerca do Estado do Piauí e sua relação com a organização espacial do Piauí. A prática pedagógica no curso de Licenciatura Plena em Geografia é relevante porque aproxima o sujeito do seu objeto de atuação e nessa perspectiva a prática se torna indispensável, através desta, o aluno terá mais êxito na compreensão dos conhecimentos e experiências adquiridas. 4 RELATO DE EXPERIÊNCIA: A INTERDISCIPLINARIDADE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA EM GEOGRAFIA. O quinto momento da prática pedagógica foi escolhida para relatarmos a experiência vivenciada durante o Projeto Interdisciplinar na Escola V, do 5º bloco do curso em questão, com a temática intitulada: A Escola e o Ensino Fundamental (Zona Urbana), com a carga horária total de 45 horas. Partindo desse tema gerador, propomos a realização de uma atividade que englobasse as diferentes disciplinas, por isso os conteúdos escolhidos relacionaram-se à Questão Ambiental, principalmente sobre os tipos de poluição e suas implicações, sendo o mesmo apresentado para um público de

11 11 8º ano do Ensino Fundamental de uma escola pré-determinada, a saber a Unidade Escolar Severiano Sousa, localizado na zona norte de Teresina-Piauí. O desenvolvimento da atividade ocorreu inicialmente com a apresentação do tema a ser exposto, e posteriormente exposição-discussão do mesmo. Ao final dessa etapa contamos com a colaboração do público alvo, os estudantes da turma, para a realização de uma oficina sobre a temática apresentada, a mesma desenvolveu-se com a confecção de murais de fotos, com os temas estavam subdivididos em: Poluição Urbana, Poluição Industrial, Poluição Agropastoril e Poluição do Ar, totalizando desse modo, quatro (4) grupos de alunos, cada grupo com um subtema específico. A prática pedagógica interdisciplinar no curso de Geografia veio a ser uma ferramenta eminente para a compreensão do estudo das relações sócio espaciais e da dinâmica da natureza. O vínculo da geografia com a sociologia, filosofia, química, matemática e outras ciências afins vem trazendo possibilidades positivas para a construção do conhecimento geográfico em prol dos saberes mais amplos e complexos a respeito das práticas sociais e da produção do espaço. Cabe entender que a interdisciplinaridade não transforma a Geografia em uma ciência sintética, ou seja, um conhecimento de síntese a partir de informações de outros ramos das ciências sociais e naturais. Estudar a Geografia interdisciplinarmente significa um esforço em sua própria construção e evolução. As inter-relações e transversalidades da Geografia diante do cenário social, ambiental e, principalmente espacial vem obrigando os graduandos em Geografia a buscarem mais conhecimentos afins para ascender a sua própria capacidade na formação profissional diante das exigências da pesquisa e do ensino. 5 CONCLUSÃO Podemos concluir que a prática interdisciplinar tem um papel elementar na construção e formação de novos saberes. Esse modelo interdisciplinar engloba todas as áreas do conhecimento, contribuindo para a formação profissional dos graduandos, articulando de forma concreta o seu ambiente acadêmico com o contexto escolar, colocando em prática os ensinamentos aprendidos ao longo de sua formação, proporcionando assim, contato com seu futuro ambiente de atuação profissional.

12 12 Assim podemos afirmar que a prática interdisciplinar na Geografia é benéfica para o graduando porque é um meio de aliar teoria e a prática, aproximando o sujeito do seu objeto de estudo e, dessa maneira, o graduando vai adquirindo conhecimentos e experiências satisfatórias para sua vida acadêmica. Nesse sentindo, concluímos que a prática interdisciplinar contribui de forma gratificante para a geografia proporcionando a experimentação, a pesquisa, a investigação e a construção de novos modelos de aprendizagem, constatada pela experiência relatada no decorrer de nossa formação acadêmica. Com isso, a prática interdisciplinar é uma ferramenta que abre portas para novos conhecimentos no intuito de enriquecer o ensino e a pesquisa no âmbito geográfico, valorizando o auxílio das demais áreas para intermediação da construção do saber. ¹Graduandos do 6º bloco do Curso de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). s: ²Professora Dra. do Curso de Licenciatura Plena em Geografia da UESPI, (Orientadora). 6 REFERÊNCIAS BRASIL. Ministério da Educação. Parecer N.º: CNE/CP 009/2001. Disponivel em: portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf. Acesso em: 20. out BRASIL. Ministério da Educação. Parecer N.º: CNE/CP 028/2001. Disponivel em: portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/028.pdf. Acesso em: 20. out CAVALCANTI, L. S. Geografia e prática de ensino. Goiânia: Alternativa, FAZENDA. I. C. A. (Org.). Interdisciplinaridade: qual o sentido? São Paulo: Paulus, O que é Interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, Práticas Interdisciplinares na Escola. 8. ed. São Paulo: Cortez, PONTUSCHKA. N. N.; PAGANELLI. T. I.; CACETE. N. H. Para ensinar e aprender Geografia. São Paulo: Cortez, REZENDE C. M. A. Prática Pedagógica como Componente Curricular Formativo: uma etnografia. Dissertação (Mestrado em Educação) Teresina: Universidade Federal do Piauí, STRAFORINI, Rafael. Ensinar Geografia: o desafio da totalidade-mundo nas séries iniciais. São Paulo: Annablume, 2008.

13 13 UESPI. Coordenação de Geografia. Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura Plena em Geografia. Teresina: UESPI, p. 7 ANEXOS Fotos: Apresentação, discussão, finalização e elaboração dos murais pelos alunos durante a realização do Projeto Interdisciplinar na Escola 5. Fonte: Arquivo dos autores, 2014.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

III-Compreender e vivenciar o funcionamento e a dinâmica da sala de aula.

III-Compreender e vivenciar o funcionamento e a dinâmica da sala de aula. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º -O Estágio Supervisionado de que trata este regulamento refere-se à formação de licenciados em Pedagogia

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS.

O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS. O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS. 1 Marcos Antonio de Sousa Rodrigues Bolsista/ PIBID/ UESPI 2 Sara Juliana Lima Ferreira Bolsista/

Leia mais

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL ISSN 2316-7785 PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Ivanete Zuchi Siple ivazuchi@gmail.com Marnei Mandler mmandler@gmail.com Tatiana Comiotto Menestrina comiotto.tatiana@gmail.com

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO Apêndice Regulamento do Projeto Empresarial REGULAMENTO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO O Projeto Empresarial constitui um momento de aquisição, construção e aprimoramento

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Gilvan Charles Cerqueira de Araújo 1 INTRODUÇÃO Este

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

REALIZAÇÃO DE TRABALHOS INTERDISCIPLINARES GRUPOS DE LEITURA SUPERVISIONADA (GRULES)

REALIZAÇÃO DE TRABALHOS INTERDISCIPLINARES GRUPOS DE LEITURA SUPERVISIONADA (GRULES) REALIZAÇÃO DE TRABALHOS INTERDISCIPLINARES GRUPOS DE LEITURA SUPERVISIONADA (GRULES) 1 APRESENTAÇÃO Este manual é um documento informativo visando orientar a comunidade acadêmica quanto ao processo de

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS ISSN 2316-7785 FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS José André Tavares de Oliveira Instituto Federal de Alagoas

Leia mais

Reflexão das Monitorias de Química Oferecida pelo Projeto PIBID nas Escolas de Pelotas

Reflexão das Monitorias de Química Oferecida pelo Projeto PIBID nas Escolas de Pelotas Reflexão das Monitorias de Química Oferecida pelo Projeto PIBID nas Escolas de Pelotas Eduardo Vargas Pereira (IC) 1*, Diego Soares de Moura (IC) 1, Caroline Pereira Dutra (IC) 1, Roberta Almeida dos Santos

Leia mais

PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS

PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS FREITAS, M.L.L 1 PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS

Leia mais

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. Joelma Carvalho Vilar(UFS) 1 Cleverton dos Santos(UFS) 2 Érica Santos de Jesus(UFS) 3 Vera Lúcia Mendes de Farias(UFS)

Leia mais

Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Manual Projeto Interdisciplinar Ano: 2014 2 Sumário 1. Introdução... 2. Caracterização Geral do Projeto... 3 4 2.1 Projeto Interdisciplinar I... 5 2.2

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Introdução à Pedagogia Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) A disciplina se constitui como

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 Autora: Maria Thaís de Oliveira Batista Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Email: taholiveira.thais@gmail.com

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

Curso de Especialização Docente em Educação Ambiental (Lato Sensu)

Curso de Especialização Docente em Educação Ambiental (Lato Sensu) Curso de Especialização Docente em Educação Ambiental (Lato Sensu) O Curso de Especialização Docente em Educação Ambiental (Lato Sensu) é fruto de uma Dissertação desenvolvida no Programa de Pós-Graduação

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DE ENSINO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA

REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DE ENSINO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DE ENSINO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA Telma Aparecida de Souza Gracias Faculdade de Tecnologia Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP telmag@ft.unicamp.br

Leia mais

iniciais: relato de uma experiência de parceria

iniciais: relato de uma experiência de parceria A formação do professor de ciências para as séries iniciais: relato de uma experiência de parceria Profa. Dra. Maria Candida Muller Professora dos cursos de Pedagogia e Análise de Sistemas Centro Universitário

Leia mais

A COLABORAÇÃO NA PESQUISA ETNOGRÁFICA: O DIÁLOGO ENTRE ESCOLA E UNIVERSIDADE

A COLABORAÇÃO NA PESQUISA ETNOGRÁFICA: O DIÁLOGO ENTRE ESCOLA E UNIVERSIDADE A COLABORAÇÃO NA PESQUISA ETNOGRÁFICA: O DIÁLOGO ENTRE ESCOLA E UNIVERSIDADE Autora: Lorena Valin Mesquita Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - lm_valin@hotmail.com Coautora: Roberta Souza

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

CURSO DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO GUARUJÁ 2013 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º - O Estágio

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Química Integrado ao Ensino Médio FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009.

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009. 1 UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN Natal/RN, 05/2009. Auta Stella de Medeiros Germano - SEDIS-UFRN - autastella@yahoo.com.br Categoria (Gerenciamento e Logística)

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL PROP N 010/2013 ESPECIALIZAÇÕES 2014.1. Cursos de Especialização oferecidos: (CAMPI/NÚCLEOS)

ANEXO I AO EDITAL PROP N 010/2013 ESPECIALIZAÇÕES 2014.1. Cursos de Especialização oferecidos: (CAMPI/NÚCLEOS) ANEXO I AO EDITAL PROP N 010/2013 ESPECIALIZAÇÕES 2014.1 Edital de ofertas de cursos para o Programa de Pós- Graduação Lato Sensu da UESPI, conforme Resolução CONSUN nº 045/2003. Cursos de Especialização

Leia mais

Edna Goya Faculdade de Artes Visuais/Universidade Federal de Goiás

Edna Goya Faculdade de Artes Visuais/Universidade Federal de Goiás O PIBID - A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE ARTES VISUAIS E AS ATIVIDADES DE ENSINO E PESQUISA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE GOIÂNIA SEGUNDA FASE DO ENSINO BÁSICO Edna Goya Faculdade de Artes Visuais/Universidade

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular Daiele Zuquetto Rosa 1 Resumo: O presente trabalho objetiva socializar uma das estratégias de integração curricular em aplicação

Leia mais

O DESENVOVIMENTO DE PROJETOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: RESULTADOS DA EXPERIÊNCIA REALIZADA NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO CAMPUS UEL

O DESENVOVIMENTO DE PROJETOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: RESULTADOS DA EXPERIÊNCIA REALIZADA NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO CAMPUS UEL O DESENVOVIMENTO DE PROJETOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: RESULTADOS DA EXPERIÊNCIA REALIZADA NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO CAMPUS UEL Kenya Vieira de Souza e Silva Vanessa Duarte Resumo A educação

Leia mais

IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657

IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657 TEMAS DE BIOLOGIA MAIS FREQUENTES NO PROCESSO SELETIVO SERIADO (PSS) DA UFPB E OS CONTEÚDOS DE ENSINO DE BIOLOGIA, SEGUNDO OS ORIENTADORES CURRICULARES Alessandro Tomaz Barbosa 1, Marsílvio Gonçalves Pereira

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

Proposta de curso de especialização em Educação Física com ênfase em Esporte Educacional e projetos sociais em rede nacional.

Proposta de curso de especialização em Educação Física com ênfase em Esporte Educacional e projetos sociais em rede nacional. Proposta de curso de especialização em Educação Física com ênfase em Esporte Educacional e projetos sociais em rede nacional. JUSTIFICATIVA Esporte Educacional & Projetos Sociais Esporte como meio de inclusão

Leia mais

REPENSANDO A LICENCIATURA EM FÍSICA: elementos para uma nova proposta

REPENSANDO A LICENCIATURA EM FÍSICA: elementos para uma nova proposta REPENSANDO A LICENCIATURA EM FÍSICA: elementos para uma nova proposta Nilson Marcos Dias Garcia a b [nilson@ppgte.cefetpr.br] José Luiz Fabris a [fabris@cefetpr.br] Cristóvão Renato M. Rincoski a [rincoski@cefetpr.br]

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES PARECER CNE/CES 1.302/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em 4/3/2002, publicado no Diário Oficial da União de 5/3/2002, Seção 1, p. 15. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico Vanessa Lopes da Silva 1 Leandro Marcon Frigo 2 Resumo A partir do problema dicotômico vivenciado pelo Ensino Técnico Integrado,

Leia mais

Utilização do jogo didático Bingo Periódico no processo de ensinoaprendizagem de Química na Escola Estadual Professor Gerson Lopes de Apodi-RN.

Utilização do jogo didático Bingo Periódico no processo de ensinoaprendizagem de Química na Escola Estadual Professor Gerson Lopes de Apodi-RN. Utilização do jogo didático Bingo Periódico no processo de ensinoaprendizagem de Química na Escola Estadual Professor Gerson Lopes de Apodi-RN. Gustavo Daniel S. Souza (IC)1, Alidna Mosana S. de Oliveira

Leia mais

Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado enquanto mediação entre ensino, pesquisa e extensão

Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado enquanto mediação entre ensino, pesquisa e extensão Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado enquanto mediação entre ensino, pesquisa e extensão PELOZO, Rita de Cássia Borguetti Docente da FAHU/ACEG RESUMO: O presente trabalho procura evidenciar a importância

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360 PRIMEIRO SEMESTRE Teórica Fundamentos da Comunicação e do Jornalismo Comunicação em Língua Portuguesa I Teoria da Comunicação Sociologia da Comunicação Introdução à Economia Fundamentos Epistemológicos

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas Descrição da infraestrutura física destinada aos cursos, incluindo laboratórios, equipamentos instalados, infraestrutura de informática e redes de informação. Relação de laboratórios, oficinas e espaços

Leia mais

Palavras-chave: Concepção de professores, contextualização, interdisciplinaridade. Resumo 1. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: Concepção de professores, contextualização, interdisciplinaridade. Resumo 1. INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO E INTERDISCIPLINARIDADE: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES NO ENSINO DE GASES Helena Cristina Aragão de Sá 1 (FM) Roberto Ribeiro da Silva 2 (PQ) 1 SEEDF/E.C. 803 - Recanto das Emas, helenaaragaosa@gmail.com

Leia mais

EDUCANDO A PARTIR DE PROJETOS: ELABORAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

EDUCANDO A PARTIR DE PROJETOS: ELABORAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EDUCANDO A PARTIR DE PROJETOS: ELABORAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Shirley Teixeira Barros shirlinha@uft.edu.br UFT Dayse Suelle Silva Carvalho daysesuellesc@hotmail.com UFT Carmem Lucia Artioli Rolim carmem.rolim@uft.edu.br

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 1. APRESENTAÇÃO O curso de Educação Física da FISMA, através de sua orientação de estagio supervisionado obrigatório, vem por meio de o presente documento estabelecer as diretrizes básicas da realização

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

Projeto Música e Cidadania no CAp: Extensão, Universidade, Comunidade

Projeto Música e Cidadania no CAp: Extensão, Universidade, Comunidade 1 Projeto Música e Cidadania no CAp: Extensão, Universidade, Comunidade Maria Helena de Lima helenal@terra.com.br/helena.lima@ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul Resumo. Este artigo constitui

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR QUE ATUA NAS SÉRIES INICIAIS: DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR QUE ATUA NAS SÉRIES INICIAIS: DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR QUE ATUA NAS SÉRIES INICIAIS: DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM Danyelle Ravenna Lopes de Sousa Estudante de Pedagogia - UESPI Janaina Gomes Viana de Souza

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes R E P U B L I C A Ç Ã O R E S O L U Ç Ã O N.º 143/2011 CI / CCH CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 27/08/2012. João Carlos Zanin, Secretário

Leia mais

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a questão da alfabetização como conceito presente nas políticas educacionais que

Leia mais

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE RESUMO Leandro Pedro de Oliveira José Rubens de Lima Jardilino (orientador) Este trabalho

Leia mais

ENSINO E PESQUISA, UMA PRÁTICA INDISSOCIÁVEL NO ENSINO DE GEOGRAFIA NA ESCOLA SANTA CLARA DE ASSIS, ARAPIRACA-AL

ENSINO E PESQUISA, UMA PRÁTICA INDISSOCIÁVEL NO ENSINO DE GEOGRAFIA NA ESCOLA SANTA CLARA DE ASSIS, ARAPIRACA-AL ENSINO E PESQUISA, UMA PRÁTICA INDISSOCIÁVEL NO ENSINO DE GEOGRAFIA NA ESCOLA SANTA CLARA DE ASSIS, ARAPIRACA-AL Rafael Vieira da Silva 1 Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL rafaelgeouneal@hotmail.com

Leia mais

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN Autor: Anne Charlyenne Saraiva Campos; Co-autor: Emerson Carpegiane de Souza Martins

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANA- CAMPUS PARANAVAÍ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANA- CAMPUS PARANAVAÍ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANA- CAMPUS PARANAVAÍ FAFIPA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE CIÊNCIAS- LICENCIATURA PLENA E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4

CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4 CAMPUS CARAGUATUBA CURSO: LICENCIATURA DA MATEMÁTICA DISCIPLINA: PRÁTICA DE ENSINO 4 PROFESSOR: ANDRESSA MATTOS SALGADO-SAMPAIO ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS PARA A PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO

Leia mais

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO 1º N1 1. Espaços e Práticas Culturais 40h N1 2. Oficina de Artes Visuais 80h N1 3. Prática de Leitura e escrita 80h

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO ESTÁGIO DOCENTE Ato educativo supervisionado realizado no contexto do trabalho docente que objetiva a formação de educandos que estejam regularmente frequentando cursos e/ou programas de formação de professores

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

Palavras-Chave: Projeto Político-Pedagógico; Prática Pedagógica; Currículo Interdisciplinar; Proposta Pedagógica.

Palavras-Chave: Projeto Político-Pedagógico; Prática Pedagógica; Currículo Interdisciplinar; Proposta Pedagógica. A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO LICEU ESCOLA DE ARTES E OFÍCIOS MESTRE RAIMUNDO CARDOSO: UM ESTUDO AVALIATIVO JUNTO A PROFESSORES E ALUNOS *Alcemir Pantoja Rodrigues ** Arlete Marinho Gonçalves Universidade do

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA Fabiana de Jesus Oliveira União de Ensino do Sudoeste do Paraná fabiana@unisep.edu.br Diversas são as pesquisas que têm mostrado que o ensino encontra-se

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

LABORATÓRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

LABORATÓRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA LABORATÓRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (UnB): IDEALIZAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E ATIVIDADES REALIZADAS. Mariana de SenziZancul (Docente do Núcleo de Educação

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 3 I - CARACTERIZAÇÃO... 5 II OBJETIVOS:... 6 III AS ATRIBUIÇÕES DA(O) ESTAGIÁRIA(O):... 7 IV - MODALIDADES

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA CAMINHOS PARA O ENSINO

FORMAÇÃO CONTINUADA CAMINHOS PARA O ENSINO FORMAÇÃO CONTINUADA CAMINHOS PARA O ENSINO SUPERIOR PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS Profª Msc. Clara Maria Furtado PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO CURRÍCULO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR PLANEJAMENTO DO CURSO OBJETIVOS

Leia mais

Curso de Tecnologia em Gestão Comercial

Curso de Tecnologia em Gestão Comercial Curso de Tecnologia em Gestão Comercial Manual Projeto Interdisciplinar Ano: 2015/2 2 Sumário 1. Introdução... 2. Caracterização Geral do Projeto... 3 4 2.1 Projeto Interdisciplinar I e III... 5 2.2 Responsáveis

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 8º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 8º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Geografia Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Ementa: O

Leia mais

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 A PRÁTICA DO ESTÁGIO

Leia mais

PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES

PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PEDAGOGIA DE PROJETOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES 1 APRESENTAÇÃO Educadores(as) da Faculdade Canção Nova, Este Manual tem o propósito de aprimorar a aplicação da Pedagogia de Projetos nos períodos previstos

Leia mais