DIREITO TRIBUTÁRIO COOPERATIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO TRIBUTÁRIO COOPERATIVO"

Transcrição

1 DIREITO TRIBUTÁRIO COOPERATIVO Coordenadores: Brasil P. P. Salomão Marcelo Viana Salomão Rodrigo Forcenette Renato Lopes Becho Paulo César Andrade Siqueira Guilherme Krueger Marco Túlio de Rose André Branco de Miranda Naíla Gonçalves Lopes Ivanete Regoso José Aparecido Moreno dos Santos Eliseu Alves Fortes Elson Sugigan Jonathan Barros Vita Marcelo Viana Salomão Ives Gandra da Silva Martins Fernanda de Castro Juvêncio Brasil P. P. Salomão Charles William McNaughton Thiago Strapasson Paulo Roberto Cardoso Braga Fábio Canazaro Rodrigo Forcenette Fábio Pallaretti Calcini Maria Rita Ferragut Ricardo Augusto Bernardes Toniolo 2008

2 Os Autores Revisão Fábio Luiz de Carvalho Capa Deborah Mattos Diretor responsável Marcelo Magalhães Peixoto D635 Direito tributário cooperativo / coordenadores: Brasil P. P. Salomão, Marcelo Viana Salomão, Rodrigo Forcenette; autores: Renato Lopes Becho... [et al.]. - São Paulo : MP Ed., Inclui bibliografia ISBN Cooperativas - Legislação - Brasil. 2. Cooperativas - Impostos - Brasil. 3. Cooperativismo - Brasil. 4. Direito tributário - Brasil. I. Salomão, Brasil. P. P. II. Salomão, Marcelo Viana. III. Forcenette, Rodrigo CDU: : (81) Todos os direitos desta edição reservados a MP Editora Av. Brigadeiro Luís Antonio, 613, 10º andar São Paulo-SP Tel./Fax: (11)

3 APRESENTAÇÃO As cooperativas, no Brasil, receberam um tratamento jurídico especial a partir da Constituição Federal de Nenhum outro tipo de instituição, empresa ou associação obteve tamanha atenção do Poder Constituinte Originário. Sem sombra de dúvidas, notória é a importância deste tipo de associativismo à atividade econômica. Trata-se de um dos principais instrumentos capazes de propiciar o desenvolvido sócio-econômico do Estado. No entanto, anos se passaram e muitos dos problemas ainda pendem de resolução, sobretudo no campo tributário, donde interesses das mais diversas ordens acabam prevalecendo. O presente trabalho, assim, compila, em uma mesma obra, pensamentos, reflexões de estudiosos do direito tributário e do cooperativismo. Levantar conceitos e princípios fundamentais, pontos polêmicos, acertos e desacertos cometidos pelo legislador, pela jurisprudência dos Tribunais Superiores, serviram de propósito para elaboração dos artigos. Busca-se, com o mesmo, estabelecer caminhos seguros a serem percorridos pelos profissionais ligados ao cooperativismo, bem como propostas de mudanças e alternativas para sua evolução. Os coordenadores

4 SUMÁRIO A CONSTRUÇÃO DO DIREITO COOPERATIVO 9 Renato Lopes Becho 1. A dignidade da pessoa humana, valor social do trabalho e o cooperativismo Igualdade e cooperativismo Princípios do cooperativismo As características das sociedades cooperativas no CC 18 O ATO COOPERATIVO NO DIREITO COMPARADO 21 Paulo César Andrade Siqueira 1. Preâmbulo: breve introdução ao direito comparado Os conceitos Ato cooperativo O conceito de ato cooperativo 36 ORIGEM E DESENVOLVIMENTO DAS SOCIEDADES COOPERATIVAS NO BRASIL 43 Guilherme Krueger CENÁRIO CONSTITUCIONAL E A VISÃO PARA A EDIÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR TRIBUTÁRIA COOPERATIVISTA 61 Marco Túlio de Rose 1. Panorama constitucional brasileiro Importância do ato cooperativo Reconhecimento constitucional e efeitos O porquê da Lei Tributária Cooperativista Ameaças ao panorama 66 DISCIPLINA DAS SOCIEDADES COOPERATIVAS PELO CÓDIGO CIVIL E PELA LEI Nº 5.764/71 69 André Branco de Miranda 1. Introdução As sociedades cooperativas no contexto do direito de empresa O capítulo das sociedades cooperativas no Código Civil Conclusão 111 ICMS E COOPERATIVAS DE CONSUMO E PRODUÇÃO 113 Naíla Gonçalves Lopes e Ivanete Regoso 1. Da competência tributária do ICMS na CF de Das principais características das sociedades cooperativas Da não-incidência do ICMS sobre o ato cooperativo Jurisprudência Conclusões 133 5

5 VANTAGENS E DESVANTAGENS DA INCIDÊNCIA DO PIS E COFINS NO REGIME DA NÃO-CUMULATIVIDADE NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA E DE CONSUMO 135 José Aparecido Moreno dos Santos, Eliseu Alves Fortes e Elson Sugigan 1. Introdução Conceito de cumulatividade Conceito de não-cumulatividade Histórico Do regime da não-cumulatividade Do crédito presumido Conclusão 148 IOF E OS ATOS DAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO CONSIDERAÇÕES PROPEDÊUTICAS: PREMISSAS TEÓRICAS E IDENTIFICAÇÃO DOS INSTITUTOS COMO PONTOS DE PARTIDA PARA O CONHECIMENTO CIENTÍFICO 151 Jonathan Barros Vita 1. Do direito positivo como fenômeno lingüístico e das normas jurídicas: em sentido lato, estrito e concreto Das cooperativas e seus atos Dos atos praticados pelas cooperativas: os atos cooperativos e os atos não cooperativos/operações de mercado Das cooperativas de crédito: espécies e tipos de negócios específicos Do IOF Não-incidência, imunidade, isenção, alíquota zero e 164 não-tributação Dos atos das cooperativas de crédito e o IOF Conclusões Bibliografia 170 INCIDÊNCIA DAS DENOMINADAS CONTRIBUIÇÕES AO SISTEMA S NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS 171 Fernanda de Castro Juvêncio 1. Origem do Sistema S Fundamentação legal das contribuições ao Sistema S A criação do Sescoop 180 TRATAMENTO JURÍDICO E TRIBUTÁRIO DA PRODUÇÃO ESPECIAL. POSSIBILIDADE DE INCIDÊNCIA DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS 183 Brasil P. P. Salomão ATO COOPERATIVO E TRIBUTAÇÃO DAS SOCIEDADES COOPERATIVAS 197 Charles William McNaughton 1. Delimitação do tema Das sociedades cooperativas de trabalho Do ato cooperativo Do Imposto Sobre a Renda 205 6

6 5. A Contribuição Social sobre o Lucro Ato cooperativo e regime de tributação de IRPJ e CSLL Conclusões 216 AS TAXAS DE SAÚDE SUPLEMENTAR EXIGIDAS PELA ANS SOBRE AS SOCIEDADES COOPERATIVAS 219 Thiago Strapasson 1. Introdução As taxas no sistema tributário nacional A taxa de saúde suplementar Conclusão Bibliografia 235 A TRIBUTAÇÃO NAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO 237 Paulo Roberto Cardoso Braga 1. Introdução Ato cooperativo: conceito e sua correlação com a tributação Teoria finalística do ato cooperativo: uma nova visão Conclusões 255 A RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DOS SÓCIOS E DOS DIRIGENTES EM RELAÇÃO AO PASSIVO TRIBUTÁRIO DA SOCIEDADE COOPERATIVA 257 Fábio Canazaro 1. Introdução A sociedade cooperativa e a figura dos sócios e dos dirigentes no Código Civil A responsabilidade tributária dos sócios e administradores: interpretação e aplicação do disposto no CTN Conclusões 273 A NÃO-INCIDÊNCIA DO ISS SOBRE A ATIVIDADE PRATICADA PELAS COOPERATIVAS DE TRABALHO MÉDICO 275 Rodrigo Forcenette 1. Campo de incidência do ISS A atividade praticada pelas cooperativas de trabalho médico Não-incidência do ISS sobre os atos cooperativos praticados pelas cooperativas de trabalho médico Não-incidência do ISSQN sobre planos de saúde Conclusões 296 FUNRURAL: SUA INCONSTITUCIONALIDADE E CONSEQÜENTE DESNECESSIDADE DE RETENÇÃO PELAS COOPERATIVAS 299 Fábio Pallaretti Calcini 1. Introdução Funrural: histórico legislativo Inconstitucionalidade do Funrural: vicissitudes da Lei nº 8.540/92 e alterações legislativas 304 7

7 4. Legitimidade processual das cooperativas para questionarem a exação do Funrural Conclusões 318 RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DOS DIRIGENTES DAS SOCIEDADES COOPERATIVAS 321 Maria Rita Ferragut 1. Introdução Conceitos e características dos sócios, acionistas e administradores Da separação patrimonial entre os bens sociais e os bens dos respectivos sócios e acionistas Teoria da desconsideração da personalidade jurídica Responsabilidade tributária Art. 135, do CTN Responsabilidade pessoal do administrador mesmo quando o ilícito beneficiar a sociedade? Dissimulação do ato que ensejou a responsabilidade pessoal do administrador Responsabilidade dos dirigentes das sociedades cooperativas 337 DA NÃO-INCIDÊNCIA DA CONTRIBUIÇÃO EXIGIDA DAS PESSOAS JURÍDICAS CONTRATANTES DE COOPERATIVAS DE TRABALHO: LEI Nº 9.876/ Ricardo Augusto Bernardes Toniolo 1. As cooperativas de trabalho e suas principais características no ordenamento jurídico brasileiro O ato cooperativo no direito constitucional nacional Da indevida equiparação entre cooperativa e empresa e a LC nº 84 de Da ilegalidade da incidência do inciso IV, do art. 22, da Lei nº 8.212/ Conclusões Bibliografia 356 O ICMS NAS IMPORTAÇÕES FEITAS POR COOPERATIVAS 357 Marcelo Viana Salomão SOCIEDADES COOPERATIVAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS - CONCEITO DE ATO COOPERATIVO PARECER 381 Ives Gandra da Silva Martins Resposta 384 8

- temas relevantes -

- temas relevantes - MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO Membro do CARF - Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda Juiz do TIT!SP - Tribunal de Impostos e Taxas do Estado de São Paulo Mestre em Direito Tributário

Leia mais

Tributação das cooperativas

Tributação das cooperativas Tributação das cooperativas à luz da jurisprudência do CARF Conselho Administrativo de Recursos Fiscais Geraldo Valentim Neto Marcelo Magalhães Peixoto (coordenadores) Tributação das cooperativas à luz

Leia mais

Apresentação. Objetivo. Público-alvo

Apresentação. Objetivo. Público-alvo Apresentação Com a nova in RFB 1.234/12 que revoga a in SRF 480/04 alteração da in RFB 971/09 pela in RFB 1.238/12 as inovações da retenção de tributos e contribuições socias Como calcular e reter tributos

Leia mais

Bruno Cavalcanti Marcelo Magalhães Peixoto Sérgio Augusto Zampol Pavani

Bruno Cavalcanti Marcelo Magalhães Peixoto Sérgio Augusto Zampol Pavani DIREITO DO TRABALHO EMPRESARIAL Coordenadores Bruno Cavalcanti Marcelo Magalhães Peixoto Francisco das C. Lima Filho William de Almeida Brito Júnior Mário Paiva Gilberto de Castro Moreira Junior Marcelo

Leia mais

PIS e Cofins à luz da jurisprudência do CARF

PIS e Cofins à luz da jurisprudência do CARF PIS e Cofins à luz da jurisprudência do CARF Conselho Administrativo de Recursos Fiscais Volume 2 Marcelo Magalhães Peixoto Gilberto de Castro Moreira Junior (coordenadores) PIS e Cofins à luz da jurisprudência

Leia mais

Aspectos Tributários

Aspectos Tributários Aspectos Tributários Principais Tributos IMPOSTOS Imposto sobre a Renda de Pessoas Jurídicas (IRPJ); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre serviços de qualquer natureza

Leia mais

Gestão Tributária 03.09.2015. André Antunes Soares de Camargo

Gestão Tributária 03.09.2015. André Antunes Soares de Camargo Gestão Tributária 03.09.2015 André Antunes Soares de Camargo Meus Deus... http://www.impostometro.com.br/ Como está a tributação no Brasil? http://www.doingbusiness.org/data/exploreeconomies/brazil/ http://ibpt.com.br/home/publicacao.list.php?publicacaotipo_id=2

Leia mais

Magalhães Peixoto. Consultores & Advogados

Magalhães Peixoto. Consultores & Advogados Magalhães Peixoto Consultores & Advogados Magalhães Peixoto Consultores & Advogados MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO Membro do CARF Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda (2011-2013)

Leia mais

11 Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública

11 Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública TREINAMENTO: ASPECTOS TRIBUTÁRIOS DOS CONTRATOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO REGULADA ACR E AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE - ACL PROGRAMA 1 Aspectos dos Contratos da

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Aspectos Tributários dos Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente de Contratação Regulada ACR e Ambiente de Contratação Livre - ACL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 Aspectos dos Contratos da

Leia mais

É o relatório, passa-se a opinar.

É o relatório, passa-se a opinar. São Paulo, 18 de outubro de 2013. A ABMI ASSOCIAÇAO BRASILEIRA DA MUSICA INDEPENDENTE Ref: Parecer EC75-2013 Transmitido para o endereço eletrônico: lpegorer@abmi.com.br Prezada Sra. Luciana, O breve parecer

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO E PREMISSAS

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO E PREMISSAS SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO E PREMISSAS 1.1 Justificativa - p. 51 1.2 Objetivo - p. 53 1.3 Pressuposto metodológico e delimitação do objeto - p. 54 1.4 O fenômeno jurídico - p. 58 1.4.1 Direito e regra jurídica

Leia mais

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO (Coordenadores)

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO (Coordenadores) IVES GANDRA DA SILVA MARTINS MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO (Coordenadores) IMPOSTO SOBRE A RENDA E PROVENTOS DE QUALQUER NATUREZA Questões pontuais do curso da APET MP Editora São Paulo, 2006 CATALOGAÇÃO NA

Leia mais

3 aulas - Aula expositiva

3 aulas - Aula expositiva Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2013/01 DISCIPLINA: DIREITO TRIBUTÁRIO I PROFESSOR: JOÃO CLAUDIO GONÇALVES LEAL TURMA: 8º EN UNIDADE

Leia mais

Ano VII - edição 26 - Junho 2010

Ano VII - edição 26 - Junho 2010 Marcelo Magalhães Peixoto coordenador Revista de Direito Tributário Da apet Ano VII - edição 26 - Junho 2010 repositório autorizado de jurisprudência: do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (Portaria

Leia mais

Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural. à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais volume 2

Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural. à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais volume 2 Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais volume 2 Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural à luz da jurisprudência do Conselho

Leia mais

BREVE ANÁLISE SOBRE AS ALTERAÇÕES DA LEI COMPLEMENTAR Nº 123 DE 2006 (LEI DO SIMPLES NACIONAL) PELO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 60 DE 2014

BREVE ANÁLISE SOBRE AS ALTERAÇÕES DA LEI COMPLEMENTAR Nº 123 DE 2006 (LEI DO SIMPLES NACIONAL) PELO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 60 DE 2014 BREVE ANÁLISE SOBRE AS ALTERAÇÕES DA LEI COMPLEMENTAR Nº 123 DE 2006 (LEI DO SIMPLES NACIONAL) PELO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 60 DE 2014 (com ênfase nas sociedades prestadoras de serviços médicos)

Leia mais

ÍNDICE. Introdução que também muito importa ler... XVII. Tributos Federais. Tema XIII... 5

ÍNDICE. Introdução que também muito importa ler... XVII. Tributos Federais. Tema XIII... 5 ÍNDICE Introdução que também muito importa ler... XVII Tributos Federais Tema XIII... 5 AS OPERAÇÕES DE FACTORING E O IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES FINANCEIRAS Sumário: 1. Metodologia de aproximação. 2. Operações

Leia mais

Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia OABRJ

Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia OABRJ Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia OABRJ Simples Nacional: Saiba mais sobre os benefícios para a advocacia A advocacia foi inserida no Simples Nacional por meio da Lei Complementar

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

Aspectos Jurídicos da Gestão das Organizações do Terceiro Setor. João Felipe de P. Consentino

Aspectos Jurídicos da Gestão das Organizações do Terceiro Setor. João Felipe de P. Consentino Aspectos Jurídicos da Gestão das Organizações do Terceiro Setor João Felipe de P. Consentino São Paulo, 7 de dezembro de 2007 Aspectos Jurídicos da Gestão das Oganizações do Terceiro Setor 1. Histórico

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: PLANEJAMENTO E CONTABILIDADE TRIBUTARIA Código: CTB-364 CH Total: 60h Pré-Requisito: ------

Leia mais

DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO E OS CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA E CONTRA A PREVIDÊNCIA SOCIAL

DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO E OS CRIMES CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA E CONTRA A PREVIDÊNCIA SOCIAL JORGE EIJI KASAI Advogado em São Paulo Bacharel em Administração de Empresas e em Ciências Contábeis, com especialização em Auditoria e Controladoria Pós-graduando em direito tributário pelo Centro de

Leia mais

Questões sobre Tributação de SVA

Questões sobre Tributação de SVA Questões sobre Tributação de SVA Novembro de 2009 Panorama Atual Serviços de Valor Adicionado são tributados como serviços de telecomunicações, em desrespeito ao art. 61 da LGT Art 61. Serviço de valor

Leia mais

Prestação de serviço de assessoria em importação. Regime tributário Lucro Presumido Lucro Presumido Serviços 32,00% 0,65%

Prestação de serviço de assessoria em importação. Regime tributário Lucro Presumido Lucro Presumido Serviços 32,00% 0,65% Prestação de serviço de assessoria em importação Regime tributário Lucro Presumido Lucro Presumido Serviços 32,00% Faturamento (Receita Bruta) R$ 20.000,00 Alíquota PIS 0,65% Valor da propriedade imobiliária

Leia mais

IMPOSTO SOBRE A RENDA

IMPOSTO SOBRE A RENDA IMPOSTO SOBRE A RENDA CAIO AUGUSTO TAKANO MESTRANDO EM DIREITO ECONÔMICO, FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO USP ESPECIALISTA EM DIREITO TRIBUTÁRIO IBET PROFESSOR-ASSISTENTE DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DO IBDT TRIBUTAÇÃO

Leia mais

Tributação do Setor Imobiliário. Ricardo Lacaz Martins

Tributação do Setor Imobiliário. Ricardo Lacaz Martins Tributação do Setor Imobiliário Ricardo Lacaz Martins Abril de 2014 Visão Geral do Mercado Imobiliário Atividades Base legal Incorporação imobiliária Lei nº 4.591/64 Loteamento Lei nº 6.766/79 Compra e

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS LUCRO PRESUMIDO (COM RESTRIÇÕES) LUCRO REAL SIMPLES NACIONAL (COM RESTRIÇÕES) LEI nº 9.716/98 Artigo 5º As pessoas jurídicas que tenham como objeto

Leia mais

Constituído em 1990, no início das grandes discussões tributárias no país, sob a

Constituído em 1990, no início das grandes discussões tributárias no país, sob a 02 Perfil: Colângelo e Corrêa Advogados e Consultores tornou-se referência de vanguarda, seriedade e eficiência no ramo do direito tributário, prestando relevantes serviços para empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

Kiyoshi Harada. Direito Tributário. coleção didática jurídica marcelo magalhães peixoto sérgio augusto zampol pavani coordenadores

Kiyoshi Harada. Direito Tributário. coleção didática jurídica marcelo magalhães peixoto sérgio augusto zampol pavani coordenadores Kiyoshi Harada Direito Tributário coleção didática jurídica marcelo magalhães peixoto sérgio augusto zampol pavani coordenadores Kiyoshi Harada, 2006 Revisão Erika Sá Edição Pedro Barros Direção geral

Leia mais

EMENDA 3 EDMO COLNAGHI NEVES

EMENDA 3 EDMO COLNAGHI NEVES EMENDA 3 EDMO COLNAGHI NEVES ITENS 1. Relação de Trabalho 2. Relação de Prestação de Serviços 3. Encargos 4. Elisão e Evasão Fiscal 5.Desconsideração da Personalidade Jurídica 6. Emenda 3 7. Veto à Emenda

Leia mais

PRINCIPAIS TRIBUTOS PÁTRIOS E SEUS FUNDAMENTOS

PRINCIPAIS TRIBUTOS PÁTRIOS E SEUS FUNDAMENTOS PRINCIPAIS TRIBUTOS PÁTRIOS E SEUS FUNDAMENTOS Thiago Figueiredo de Lima Cursando o 9º Semestre do Curso de Direito A Constituição Federal, como lei fundamental de organização do Estado, determina a competência

Leia mais

MANUAL DO CFOP CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES

MANUAL DO CFOP CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES MANUAL DO CFOP CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES ICMS/IPI UTILIZÁVEL NA EMISSÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS E ESCRITURAÇÃO FISCAL INCLUI MODELOS DE NOTAS FISCAIS PREENCHIDAS Luís Fernando da Silva CIP-BRASIL.

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2012 (Do Sr. Vaz de Lima) Altera os Anexos da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, para permitir o abatimento de parcela dedutível do valor devido mensalmente

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação Fl. 101 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 4 Data 6 de fevereiro de 2014 Origem DRF/BSB/DF (E PROCESSO Nº 10104.720008/2013 12) ASSUNTO: NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO

Leia mais

SUMARIO. 1. introdução 2. Primei ra fase. 4. Tercei ra fase 5. Concl usão 6. Referências bibliográficas

SUMARIO. 1. introdução 2. Primei ra fase. 4. Tercei ra fase 5. Concl usão 6. Referências bibliográficas SUMARIO FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DA ZONA FRANCA DE MANAUS Valéria Furlan 1. introdução 2. Primei ra fase J. Segunda fase 4. Tercei ra fase 5. Concl usão 6. Referências bibliográficas 17 17 18 22 35

Leia mais

Regime Tributário Unificado e Simplificado

Regime Tributário Unificado e Simplificado SUPER SIMPLES, uma abordagem para escolas de idiomas A partir de 1/7/07, estará em funcionamento o regime único de tributação, instituído pela Lei Complementar nº123, conhecida também como Super Simples

Leia mais

Imposto sobre a Renda. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Imposto sobre a Renda. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Imposto sobre a Renda Objetivos O presente curso tem por objetivo apresentar um estudo sobre o Imposto sobre a Renda, características, conceito, competência, fato gerador, sujeito ativo e passivo, base

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CÃMPUS JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CÃMPUS JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Câmpus Jataí Curso: Direito Disciplina: Direito Tributário II Carga horária semestral: 64 horas Semestre/ano: 2º semestre de 2013 Turma/Turno: 2798/A

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

PIS/COFINS E NÃO-CUMULATIVIDADE: ABRANGÊNCIA DO TERMO INSUMOS E A POSSIBILIDADE DE CREDITAMENTO:

PIS/COFINS E NÃO-CUMULATIVIDADE: ABRANGÊNCIA DO TERMO INSUMOS E A POSSIBILIDADE DE CREDITAMENTO: PIS/COFINS E NÃO-CUMULATIVIDADE: ABRANGÊNCIA DO TERMO INSUMOS E A POSSIBILIDADE DE CREDITAMENTO: O PIS e a COFINS são contribuições sociais, cujo fato gerador é a obtenção de faturamento pela pessoa jurídica.

Leia mais

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS.... 2 A) SOMENTE O FRETE CONTRATADO PARA TRANSPORTE DE INSUMOS E MARCADORIAS PARA REVENDA QUANDO SUPORTADO PELO COMPRADOR GERA DIREITO AO CRÉDITO DE

Leia mais

Sumário Capítulo I Teoria das contribuições Andrei Pitten Velloso

Sumário Capítulo I Teoria das contribuições Andrei Pitten Velloso Sumário Capítulo I Teoria das contribuições 1. As contribuições no direito comparado 13 1.1. Itália 13 1.2. Espanha 15 1.3. Alemanha 15 1.4. Portugal 17 1.5. França 18 2. As contribuições no Brasil 19

Leia mais

PLANO DA DISCIPLINA 2014. Disciplina: Orçamento e Planejamento Tributário. Carga Horária: 60 Série: 4ª Turno : Noturno

PLANO DA DISCIPLINA 2014. Disciplina: Orçamento e Planejamento Tributário. Carga Horária: 60 Série: 4ª Turno : Noturno PLANO DA DISCIPLINA 2014 Disciplina: Orçamento e Planejamento Tributário Curso : Ciências Contábeis Formação : Profissional Carga Horária: 60 Série: 4ª Turno : Noturno Professor Responsável: Carlos Otávio

Leia mais

Curso de Direito Tributário

Curso de Direito Tributário Curso de Direito Tributário Marcelo Magalhães Peixoto Marcelo de Lima Castro Diniz coordenadores Ana Clarissa Masuko dos Santos Araujo André Elali Camila Gomes de Mattos Campos Vergueiro Cristiano Carvalho

Leia mais

CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 7º Semestre

CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 7º Semestre DISCIPLINA: Direito Tributário I CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 7º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CÓDIGO: DIR133 1. EMENTA: Direito tributário. O tributo. Teoria da norma tributária. Espécies tributárias.

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO E DIREITO PROCESSUAL TRIBUTÁRIO

DIREITO TRIBUTÁRIO E DIREITO PROCESSUAL TRIBUTÁRIO DIREITO TRIBUTÁRIO E DIREITO PROCESSUAL TRIBUTÁRIO PEÇA PROFISSIONAL A ARDJ Comércio de Equipamentos Ltda., empresa com sede na cidade do Rio de Janeiro, constituída em 1.º/3/1995 e, desde então, tributada

Leia mais

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3 DIREITO TRIBUTÁRIO PEÇA PROFISSIONAL Ponto 1 A instituição financeira A. A., sediada no município de São Paulo, foi surpreendida com o aumento de 9% para 15% da alíquota da contribuição social sobre o

Leia mais

A Tributação Internacional no Contencioso Administrativo e Judicial. Julgados recentes relevantes

A Tributação Internacional no Contencioso Administrativo e Judicial. Julgados recentes relevantes A Tributação Internacional no Contencioso Administrativo e Judicial Julgados recentes relevantes Luiz Gustavo A. S. Bichara AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 2.588/DF Lucros de Coligada ou Controlada

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA E O ARTIGO 43 DO CTN

IMPOSTO DE RENDA E O ARTIGO 43 DO CTN IMPOSTO DE RENDA E O ARTIGO 43 DO CTN IVES GANDRA DA SILVA MARTINS, Professor Emérito das Universidades Mackenzie, Paulista e Escola de Comando e Estado Maior do Exército, Presidente do Conselho de Estudos

Leia mais

Super Simples Indícios da Reforma Tributária Brasileira

Super Simples Indícios da Reforma Tributária Brasileira Super Simples Indícios da Reforma Tributária Brasileira 1. Introdução O dia 7 de agosto do corrente ano entrou para a história como uma das mais importantes datas para a possível concretização da reforma

Leia mais

ABERTURA DE CAPITAL COMO FORMA DE ALAVANCAGEM NO BRASIL. AUTOR: EVANGELISTA, Aparecida Conceição de Oliveira. ORIENTADOR: LIMA, Hyder Marcelo de.

ABERTURA DE CAPITAL COMO FORMA DE ALAVANCAGEM NO BRASIL. AUTOR: EVANGELISTA, Aparecida Conceição de Oliveira. ORIENTADOR: LIMA, Hyder Marcelo de. ABERTURA DE CAPITAL COMO FORMA DE ALAVANCAGEM NO BRASIL AUTOR: EVANGELISTA, Aparecida Conceição de Oliveira. ORIENTADOR: LIMA, Hyder Marcelo de. O presente artigo visa apresentar a abertura de capital

Leia mais

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc

RELATÓRIO. TRF/fls. E:\acordaos\200381000251972_20080211.doc *AMS 99.905-CE (2003.81.00.025197-2) APTE: INSS-INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ADV/PROC: PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO: LAR ANTÔNIO DE PÁDUA ADV/PROC: LEONARDO AZEVEDO PINHEIRO BORGES

Leia mais

II - Fontes do Direito Tributário

II - Fontes do Direito Tributário II - Fontes do Direito Tributário 1 Fontes do Direito Tributário 1 Conceito 2 - Classificação 3 - Fontes formais 3.1 - principais 3.2 complementares 4 Doutrina e jurisprudência 2 1 - Conceito As fontes

Leia mais

André Elali O federalismo fiscal brasileiro e O sistema TribUTÁriO NaCiONal

André Elali O federalismo fiscal brasileiro e O sistema TribUTÁriO NaCiONal André Elali O federalismo FISCAL brasileiro E O SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL OBRAS INDIVIDUAIS DO AUTOR Depósito Tributário: faculdade do contribuinte. Curitiba: Juruá, 2003. IPI: aspectos práticos e teóricos.

Leia mais

TRIBUTÁRIO EM FOCO #edição 6

TRIBUTÁRIO EM FOCO #edição 6 TRIBUTÁRIO EM FOCO #edição 6 Maio de 2012 NOVIDADE NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA "GUERRA DOS PORTOS" - ICMS NAS IMPORTAÇÕES - RESOLUÇÃO DO SENADO Nº 13, DE 26 DE ABRIL DE 2012 DECISÕES JUDICIAIS PARTICIPAÇÃO

Leia mais

NÃO CUMULATIVIDADE: DO MITO TEÓRICO À OPERACIONALIZAÇÃO CONCRETA

NÃO CUMULATIVIDADE: DO MITO TEÓRICO À OPERACIONALIZAÇÃO CONCRETA Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas DIREITO GV NÃO CUMULATIVIDADE: DO MITO TEÓRICO À OPERACIONALIZAÇÃO CONCRETA Lívia Freitas Xavier Pós-graduanda latu sensu em Direito Tributário

Leia mais

Ampliação do Conceito de Estabelecimento e a Responsabilidade Solidária. Lei Nº 13.918 de 22 de dezembro de 2009. Setembro/2010. www.simonaggio.adv.

Ampliação do Conceito de Estabelecimento e a Responsabilidade Solidária. Lei Nº 13.918 de 22 de dezembro de 2009. Setembro/2010. www.simonaggio.adv. Ampliação do Conceito de Estabelecimento e a Responsabilidade Solidária Lei Nº 13.918 de 22 de dezembro de 2009 Setembro/2010 1 O ESTABELECIMENTO E O CÓDIGO CIVIL O estabelecimento como objeto de direito

Leia mais

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Cadeia tributária nacional Exemplo prático. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Cadeia tributária nacional Exemplo prático Autor: Ader Fernando Alves de Pádua RESUMO O presente artigo demonstra de forma clara e objetiva as varias fases da cadeia tributária nacional, criando um exemplo

Leia mais

/ 2012 7 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012 7 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Planejamento Tributário Empresarial / 2012 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 7 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: janeiro 2012 Núcleo: Finanças Nucleador: Prof. Francisco

Leia mais

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de bens e serviços 1. Investimento Direto Estrangeiro Constituição de

Leia mais

ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO

ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO DO PIS/PASEP MEDIANTE ALÍQUOTA DE 1% (UM POR CENTO) INCIDENTE SOBRE A FOLHA DE SALÁRIO

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física. à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais volume 2

Imposto de Renda Pessoa Física. à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais volume 2 Imposto de Renda Pessoa Física à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais volume 2 Imposto de Renda Pessoa Física à luz da jurisprudência do Conselho Administrativo de Recursos

Leia mais

A BASE DE CÁLCULO DO ISS NOS SERVIÇOS DE REGISTROS PÚBLICOS, CARTORÁRIOS E NOTARIAIS

A BASE DE CÁLCULO DO ISS NOS SERVIÇOS DE REGISTROS PÚBLICOS, CARTORÁRIOS E NOTARIAIS 1 A BASE DE CÁLCULO DO ISS NOS SERVIÇOS DE REGISTROS PÚBLICOS, CARTORÁRIOS E NOTARIAIS MARCELO RICARDO ESCOBAR Advogado em São Paulo, sócio do escritório Escobar Advogados Associados, foi Juiz do Tribunal

Leia mais

PLANO DE ENSINO 1- IDENTIFICAÇÃO

PLANO DE ENSINO 1- IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO 1- IDENTIFICAÇÃO 1.1 Curso: Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial 1.2 Disciplina: Legislação e Tributação Comercial 1.3 Carga Horária: 36 1.3.1 Encontros: 1.4 Período: 3º 1.5

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Martelene Carvalhaes

TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Martelene Carvalhaes TRIBUTAÇÃO DO SETOR IMOBILIÁRIO E DA CONSTRUÇÃO CIVIL Martelene Carvalhaes GESTÃO DE RISCOS O mercado de empreendimentos imobiliários é onde as empresas operam com maior nível de riscos devido às particularidades

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 Índice 1. Lucro presumido...3 2. Lucro real...4 2 Dentre os regimes tributários, os mais adotados são os seguintes: 1. LUCRO PRESUMIDO Regime de tributação colocado

Leia mais

a MP do Bem principais aspectos da lei 11.196/05, IVES GANDRA DA SILVA MARTINS ANDRÉ ELALI

a MP do Bem principais aspectos da lei 11.196/05, IVES GANDRA DA SILVA MARTINS ANDRÉ ELALI principais aspectos da lei 11.196/05, a MP do Bem IVES GANDRA DA SILVA MARTINS Marcelo Magalhães Peixoto ANDRÉ ELALI coordenadores Alessandro Barreto Borges Allan Moraes Ana Clarissa Masuko dos Santos

Leia mais

incentivos fiscais Questões Pontuais nas esferas Federal, Estadual e Municipal

incentivos fiscais Questões Pontuais nas esferas Federal, Estadual e Municipal incentivos fiscais Questões Pontuais nas esferas Federal, Estadual e Municipal Ives Gandra da Silva Martins André Elali Marcelo Magalhães Peixoto coordenadores Luís Eduardo Schoueri Ricardo Lobo Torres

Leia mais

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 11

Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 11 Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 11 CAPÍTULO I DIREITO TRIBUTÁRIO, TRIBUTO E SUAS ESPÉCIES... 13 1. Breve introdução ao Direito Tributário...13 2. Tributo...14 3. Espécies

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL Decisão: / 2015 RCB_GAC 20ª Vara Federal Processo nº 54133-84.2015.4.01.3400 Classe: 1100 Ação Ordinária / Tributária Autor : Fauvel e Moraes Sociedade de Advogados Rés : União (Fazenda Nacional) Juiz

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de Cálculo de PIS e COFINS na Importação

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de Cálculo de PIS e COFINS na Importação Base de Cálculo de PIS e COFINS na Importação 20/03/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

EIRELI VALE O ESFORÇO MARCO TÚLIO DE ROSE

EIRELI VALE O ESFORÇO MARCO TÚLIO DE ROSE EIRELI VALE O ESFORÇO MARCO TÚLIO DE ROSE EIRELI VALE O ESFORÇO EIRELI, O que é. Possibilidade de ser cooperativada. Vantagens deste ato. Tratamento Tributário e Cautelas recomendadas. I. EIRELI: O QUE

Leia mais

CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS LIBERAIS

CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS LIBERAIS CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS LIBERAIS Fábio Sanches Molina Mestre em ciências contábeis pela PUC-SP; MBA em Finanças; contador, administrador, pesquisador, professor universitário, coordenador de curso

Leia mais

Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário.

Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário. Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário Tributos Federais Carga Horária: 56 h/a 1- Ementa Repartição de competência

Leia mais

O resultado na exportação de serviços para o exterior e sua relação com a hipótese de incidência do ISS

O resultado na exportação de serviços para o exterior e sua relação com a hipótese de incidência do ISS O resultado na exportação de serviços para o exterior e sua relação com a hipótese de incidência do ISS Rodrigo Griz Mestre e doutorando PUC/SP Conselheiro do Conselho Municipal de Tributos de São Paulo

Leia mais

Direito Tributário Constitucional

Direito Tributário Constitucional Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário Direito Tributário Constitucional Carga Horária: 32 h/a 1- Ementa Repartição

Leia mais

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO

RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON PROVA 2 ATRFB (ÁREA GERAL) -DIREITO TRIBUTÁRIO RECURSOS DIREITO TRIBUTÁRIO- ALEXANDRE LUGON QUESTÃO 1 1 - Responda às perguntas abaixo e em seguida assinale a opção correta. I. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios cobrar

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES. Fabiana Del Padre Tomé Mestre e Doutora PUC/SP Professora PUC/SP e IBET. Fabiana Del Padre Tomé fabiana@barroscarvalho.com.

CONTRIBUIÇÕES. Fabiana Del Padre Tomé Mestre e Doutora PUC/SP Professora PUC/SP e IBET. Fabiana Del Padre Tomé fabiana@barroscarvalho.com. CONTRIBUIÇÕES Mestre e Doutora PUC/SP Professora PUC/SP e IBET Recife, 11/07/2015 fabiana@barroscarvalho.com.br Classificação tripartida - Ponto de partida: regra-matriz de incidência (h.i/b.c) D (F S

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

Curriculum Vitae. http://lattes.cnpq.br/9329141996770630

Curriculum Vitae. http://lattes.cnpq.br/9329141996770630 Curriculum Vitae Name: Hugo de Brito Machado Segundo Age: 35 years (born on February, 10 th, 1978) Address: Rua Alfeu Aboim, 25 - Papicu Fortaleza-Ceará Brazil Cep. 60.175-375 Email: hugosegundo@machado.adv.br

Leia mais

Contribuições sociais não cumulativas Kiyoshi Harada*

Contribuições sociais não cumulativas Kiyoshi Harada* Contribuições sociais não cumulativas Kiyoshi Harada* Muito se tem discutido acerca do alcance e conteúdo da não comutatividade do PIS/COFINS e PIS/COFINS-importação. Examinemos a questão à luz do 12,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DESPACHO DESPACHO ISSQN-WEB ASSUNTO: SERVIÇOS PRESTADOS POR COOPERATIVAS EM: 10 de fevereiro de 2014

Leia mais

PARTE GERAL FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO, 1

PARTE GERAL FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO, 1 PARTE GERAL FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO, 1 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO TRIBUTÁRIO, 3 1.1 Introdução, 3 1.1.1 Sistema jurídico-tributário, 3 1.2 Finalidade do Estado, 5 1.3 Atividade financeira

Leia mais

GESTÃO CONTÁBIL PAPEL DO CONTADOR TERCEIRO SETOR CREDIBILIDADE CAPTAÇÃO DE RECUROS PÚBLICOS GERAÇÃO E DIVULGAÇÃO INFORMAÇÕES PARA TODOS INTERESSADOS

GESTÃO CONTÁBIL PAPEL DO CONTADOR TERCEIRO SETOR CREDIBILIDADE CAPTAÇÃO DE RECUROS PÚBLICOS GERAÇÃO E DIVULGAÇÃO INFORMAÇÕES PARA TODOS INTERESSADOS 18º CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTABILIDADE PAINEL 7: CONTROLE E TRANSPARÊNCIA NA GESTÃO DE ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR GESTÃO CONTÁBIL PAPEL DO CONTADOR TERCEIRO SETOR CREDIBILIDADE GERAÇÃO E DIVULGAÇÃO

Leia mais

SIMPLES Nacional Entrave ao Crescimento de Micro e Pequenas Empresas - Alternativas

SIMPLES Nacional Entrave ao Crescimento de Micro e Pequenas Empresas - Alternativas SIMPLES Nacional Entrave ao Crescimento de Micro e Pequenas Empresas - Alternativas Angelo Valladares e Souza *Sócio da Moura Tavares, Figueiredo, Moreira e Campos Advogados *Professor da Fundação Dom

Leia mais

MBA EM DIREITO TRIBUTÁRIO

MBA EM DIREITO TRIBUTÁRIO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EM DIREITO TRIBUTÁRIO Coordenação Acadêmica: Escola de Direito da FGV DIREITO RIO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATU-SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EM DIREITO TRIBUTÁRIO

Leia mais

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 DIREITO ADMINISTRATIVO...17 Fernando Ferreira Baltar Neto e Ronny Charles Lopes de Torres 1. Direito Administrativo e o Regime Jurídico-Administrativo...17

Leia mais

PIS/COFINS: o ato cooperativo pelo prisma constitucional. Marco Túlio de Rose

PIS/COFINS: o ato cooperativo pelo prisma constitucional. Marco Túlio de Rose MARCO TÚLIO DE ROSE GRADUADO EM DIREITO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS ; MESTRADO EM DIREITO, COM ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO DO ESTADO, DA FACULDADE DE DIREITO, DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Retenção de Impostos e Contribuições

Retenção de Impostos e Contribuições Retenção de Impostos e Contribuições COMO A FONTE PAGADORA DEVE DESCONTAR: IR PIS/PASEP COFINS CSLL ISS INSS Resumo do conteúdo: IR Fonte Assalariados / Pro Labore IR Fonte Terceiros e Não Assalariados

Leia mais

INAC - INSTITUTO NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE PESSOAL

INAC - INSTITUTO NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE PESSOAL CURSO DE RETENÇÃO DE TRIBUTOS NA CONTRATAÇÃO DE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS (INSS, IRRF, CSLL, PIS, COFINS E ISS) Instruções Normativas 480/2004, (alterações INs 539, 706, 765, 791) e 03 e 938 do INSS

Leia mais

Tributação na Corretagem de Seguros e a Responsabilidade Tributária.

Tributação na Corretagem de Seguros e a Responsabilidade Tributária. Tributação na Corretagem de Seguros e a Responsabilidade Tributária. Prof. Dr. Affonso d Anzicourt e Silva Professor e Palestrante da Escola Nacional de Seguros, Contador, Perito Judicial Federal por Nomeação,

Leia mais

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?

Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação? 1 Sumário I. Introdução... 3 II. Empresa Júnior constitui ou não Instituição de Educação?... 3 III. As Imunidades Tributárias das Empresas Juniores... 4 IV. Incidência de Tributos sobre Empresas Juniores:...

Leia mais

Tratamento fiscal dos royalties em operações nacionais e internacionais. Giancarlo Chamma Matarazzo

Tratamento fiscal dos royalties em operações nacionais e internacionais. Giancarlo Chamma Matarazzo Tratamento fiscal dos royalties em operações nacionais e internacionais Giancarlo Chamma Matarazzo Regras Gerais de Royalties para o Descrição Celebração de contrato entre uma no a qual concede a uma no

Leia mais

NÃO CUMULATIVIDADE DA CONTRIBUIÇÃO AO PIS/PASEP E DA COFINS PARA AS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS BETINA TREIGER GRUPENMACHER ADVOGADA.

NÃO CUMULATIVIDADE DA CONTRIBUIÇÃO AO PIS/PASEP E DA COFINS PARA AS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS BETINA TREIGER GRUPENMACHER ADVOGADA. NÃO CUMULATIVIDADE DA CONTRIBUIÇÃO AO PIS/PASEP E DA COFINS PARA AS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS BETINA TREIGER GRUPENMACHER ADVOGADA. PROFª UFPR NÃO CUMULATIVIDADE DA CONTRIBUIÇÃO PIS/PASEP E DA COFINS

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290 7º conjs. 71/72 01318-902 São Paulo SP Fone/fax: 3105-8206 Expediente das 13 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br DIREITO TRIBUTÁRIO Curso

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO

PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO ESTÁCIO-CERS DIREITO TRIBUTÁRIO: Competência Tributária e Tributos Prof. Dr. Fábio P. Calcini CONTRIBUIÇÕES: COFINS Contribuição para Financiamento da Seguridade Social

Leia mais

Tema 4.2. Art. 201, 11:

Tema 4.2. Art. 201, 11: IX SIMPÓSIO DE DIREITO TRIBUTÁRIO APET JURISPRUDÊNCIA DOS TRIBUNAIS ADMINISTRATIVOS CARF / TIT São Paulo/SP, 18 de novembro de 2011 Tributação pelas contribuições previdenciárias no plano de previdência

Leia mais

Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO

Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO SENTENÇA Cuida-se de mandado de segurança impetrado

Leia mais