FICHA PARA IDENTIFICAÇÃO. Título: Atividades de Aprendizagem sobre Nutrição: implicações para a reeducação alimentar dos alunos. Paulo Sergio Fiorini

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FICHA PARA IDENTIFICAÇÃO. Título: Atividades de Aprendizagem sobre Nutrição: implicações para a reeducação alimentar dos alunos. Paulo Sergio Fiorini"

Transcrição

1

2 FICHA PARA IDENTIFICAÇÃO Título: Atividades de Aprendizagem sobre Nutrição: implicações para a reeducação alimentar dos alunos Autor Disciplina/Área Escola de Implementação do Projeto e sua localização cípio da escola Município da Escola Núcleo Regional de Educação Professor Orientador Instituição de Ensino Superior Relação Interdisciplinar Resumo Palavras-chave Formato do Material Didático Público Alvo Paulo Sergio Fiorini Ciências Colégio Estadual Prof. Francisco Villanueva Rolândia Londrina Álvaro Lorencini Júnior UEL Atualmente observa-se uma grande preocupação com os hábitos alimentares da população e, com certa frequência, são divulgados nos mais diversos meios de comunicação, pesquisas e estudos, destacando a importância de uma alimentação rica e balanceada, considerando que em decorrência de uma má alimentação podem surgir diversos problemas a saúde, tais como obesidade, doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e potencialmente fatais, como diabetes, hipertensão, acidente vascular cerebral, doenças cardíacas e alguns tipos de câncer. Dessa forma, esse trabalho apresenta diversas atividades envolvendo os alimentos e seus nutrientes, dentre os quais, a construção de cardápios saudáveis de acordo com os hábitos alimentares dos alunos, a interpretação de rótulos de produtos industrializados e a diminuição dos impactos negativos causados à saúde com o consumo excessivo de determinados nutrientes, além da importância do consumo de frutas e verduras. A abordagem do conteúdo inclui filmes, documentários, atividades práticas e lúdicas a fim de que o aluno possa participar ativamente da construção do conhecimento, e que esse conhecimento possa contribuir de forma significativa na melhoria da qualidade de vida. Aprendizagem. reeducação alimentar. alimentação balanceada. Unidade Didática Alunos do 8 ano do Ensino Fundamental

3 APRESENTAÇÃO As pessoas estão consumindo uma variedade maior de alimentos, logo, observa-se um ganho em quantidade, mas em qualidade o caminho é inverso. Os alimentos industrializados e fast foods estão cada vez mais presentes e é comum crianças e adolescentes substituírem as principais refeições- almoço e jantar- por um lanche qualquer, normalmente rico em sódio, gorduras saturadas, açúcares e pobre em nutrientes. Diante dessa realidade, esta Unidade Didática tem como objetivo propor uma forma alternativa de abordar os conteúdos relacionados à nutrição, através de atividades diversas e com metodologia diferenciada, visando conscientizar os alunos da importância de uma alimentação balanceada bem como fornecer subsídios necessários para eles possam fazer escolhas alimentares saudáveis. A partir do exposto, a Unidade está dividida em três partes. A primeira atividade visa conhecer os hábitos alimentares dos alunos para depois com auxílio da pirâmide alimentar propor uma alimentação mais equilibrada contemplando todos os tipos de nutrientes. A segunda estimula a leitura e interpretação de rótulos de alimentos industrializados, destacando os perigos do consumo em excesso de determinados componentes alimentares como alguns tipos de gorduras e sal. E por fim, a última atividade discute os benefícios e os malefícios para o organismo de uma alimentação pobre em frutas, verduras e legumes e rica em fast foods. Com estas atividades, espera-se que os alunos sejam sensibilizados e instigados a participar de debates, reflexões, levantamento de hipóteses e conclusões envolvendo a boa alimentação, uma vez que ela tem influência direta na saúde e na qualidade de vida das pessoas.

4 UNIDADE DIDÁTICA ATIVIDADES DE APRENDIZAGEM SOBRE NUTRIÇÃO: IMPLICAÇÕES PARA A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR DOS ALUNOS Figura 1- Alimentos Saudáveis Fonte: PORTAL ZUN (2012).

5 Os motivos pelos quais as pessoas escolhem seus alimentos podem estar relacionados a diversos fatores. Segundo o Guia Alimentar do Ministério da Saúde (BRASIL, 2005), aquilo que se come e bebe não é somente uma questão de escolha individual. A pobreza, a exclusão social e a qualidade da informação disponível frustram ou, pelo menos, restringem a escolha de uma alimentação mais adequada e saudável. Conforme o mesmo Guia Alimentar, dentre os princípios de uma alimentação saudável tem-se que: Todos os grupos de alimentos devem compor a dieta diária. Devem fornecer água, carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais, os quais são insubstituíveis e indispensáveis ao bom funcionamento do organismo. A diversidade de nutrientes que fundamenta o conceito de alimentação saudável pressupõe que nenhum alimento específico ou grupo deles isoladamente é suficiente para fornecer todos os nutrientes necessários a uma boa nutrição e consequentemente manutenção da saúde. (BRASIL, 2005). ATIVIDADE N 1: Conhecendo os hábitos alimentares dos adolescentes. Objetivos: Identificar os principais tipos de alimentos que fazem parte da alimentação dos adolescentes. Fornecer orientações para que eles possam consumir os mais diversos tipos de alimentos a fim de que o organismo receba todos os tipos de nutrientes em quantidades adequadas. Nesta atividade será usada a Pirâmide Alimentar que é um instrumento sob a forma gráfica, que tem como objetivo orientar as pessoas para uma dieta mais saudável. É também um guia alimentar geral que demonstra como deve ser a alimentação diária para uma população saudável, acima de dois anos de idade. Nela estão incluídos os grupos dos energéticos, construtores e reguladores. Foram estabelecidas as participações calóricas de cada grande categoria de alimentos em uma dieta fixada em calorias, com base nas Diretrizes Alimentares para a População Brasileira, definidas pelo Ministério da Saúde, quais sejam: a) Grupo 1: caracteriza-se por conter um alto teor de carboidratos complexos. Os carboidratos devem contribuir com 55% das calorias totais

6 de uma dieta saudável, sendo recomendadas 8 porções diárias destes produtos com aproximadamente 150 kcal, por porção. b) Grupo 2: de verduras e legumes, e o Grupo 3: de frutas, caracterizamse pelo seu maior aporte de micronutrientes (vitaminas e minerais) e devem contribuir para uma dieta saudável, em média, com 10% das colorias totais. São recomendadas 3 porções de vegetais e 3 porções de frutas, ao dia, de aproximadamente 15 kcal e 70 kcal, por porção, respectivamente. c) Grupo 4: de leite, queijos e derivados; Grupo 5: de carnes e ovos, e o Grupo 6: de leguminosas, caracterizam-se, na dieta saudável, pelo seu aporte protéico. Considerando-se que as proteínas devem contribuir com, aproximadamente, 15% das calorias totais da dieta, estes grupos de alimentos participam de uma dieta saudável com aproximadamente 120 kcal, 130 kcal e 55 kcal, por porção, respectivamente. O número de porções diárias recomendadas para cada um destes grupos é 1 porção de leguminosas, 2 porções de carnes/ovos e 3 porções de leite e seus derivados. A contribuição total destes 3 grupos de alimentos excede os 15% das calorias totais da dieta uma vez que os mesmos também possuem outros nutrientes, especialmente gorduras. d) Grupo 7: de óleos e gorduras e o grupo 8, de açúcares, balas, chocolates e salgadinhos, caracterizam-se pela sua alta densidade energética. Estes alimentos têm lugar numa dieta saudável se consumidos com moderação. As Diretrizes Alimentares para a População Brasileira (BRASIL, 2005) recomendam o consumo de 2 porções de cada um dos grupos, sendo que cada porção deve corresponder, aproximadamente, a 120 kcal e 80 kcal, respectivamente. As gorduras devem contribuir, numa dieta saudável, com 20 a 25% do aporte calórico total, não excedendo 30%. O grupo dos óleos e gorduras contribui com aproximadamente 10% deste aporte diário total dado que nos demais grupos de alimentos também existem uma contribuição expressiva das gorduras, particularmente os grupos de carnes/ovos e leite e derivados. (BRASIL, 2001).

7 Figura 2- Pirâmide Alimentar Fonte: ALIMENTAÇÃO Saudável e Pirâmide Alimentar... (2011) Procedimento: Solicitar aos alunos que anotem as refeições realizadas por eles durante um dia da semana. Entregar uma cópia da pirâmide alimentar para cada aluno, conforme modelo acima, para que possam verificar se está faltando consumir algum alimento ou se consome em excesso. Em seguida, cada aluno deverá construir em uma cartolina sua própria pirâmide alimentar (usando as anotações realizadas) e analisar se a alimentação está equilibrada, expondo suas conclusões para os demais. Orientar os alunos para que elaborem um cardápio balanceado e saudável utilizando como parâmetro a pirâmide alimentar para um dia da semana de acordo com seus hábitos alimentares.

8 ATIVIDADE N 2: Interpretando rótulos. Objetivos: Incentivar o aluno a ler e interpretar as informações contidas nos rótulos dos alimentos para que ele possa fazer escolhas saudáveis. Conhecer os principais problemas de saúde causados pelo consumo excessivo de determinados nutrientes alimentares. O rótulo do alimento é uma forma de comunicação entre os produtos e os consumidores. Segundo Manual de orientação aos consumidores - Educação para o Consumo Saudável elaborado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) (BRASIL, 2008), os rótulos têm que apresentar informações nutricionais na quantidade que pode-se consumir, além de indicar o quanto aquela porção de alimento contribui para o total de nutrientes que deve-se ingerir por dia, ou seja, o Percentual de Valor Diário - %VD. Existem algumas informações que sempre devem estar presentes nos rótulos. São elas: 1. Nome do produto; 2. Lista de ingredientes em ordem decrescente de quantidade. A leitura dessa informação é importante porque o consumidor pode identificar a presença de termos, como açúcar, sacarose, glicose, ou outros tipos de açúcar como a dextrose. 3. Conteúdo líquido (quantidade ou volume que o produto apresenta); 4. Identificação da origem (identificação do país ou local de produção daquele produto). São informações importantes para o consumidor saber qual a procedência do produto e entrar em contato com o fabricante se for necessário. 5. Identificação do lote. É um número que faz parte do controle na produção. Caso haja algum problema, o produto pode ser recolhido ou analisado pelo lote ao qual pertence. 6. Prazo de validade: o dia e o mês para produtos com duração mínima menor de três meses e o mês e o ano para produtos com duração superior a três meses; 7. Instruções para o uso, quando necessário. (BRASIL, 2008).

9 INFORMAÇÃO NUTRICIONAL OBRIGATÓRIA Figura 3- Informação Nutricional Fonte: VIDA Saudável... (2010) Porção: Quantidade média do alimento a ser consumido por uma pessoa sadia, de forma a manter uma alimentação saudável. Valores de referência: Cada nutriente apresenta um valor diferente para se calcular o %VD. Veja os valores diários de referência atualmente utilizados: o Valor energético: 2000 kcal / 8.400kJ; o Carboidratos: 300g; o Proteínas: 75g; o Gorduras Totais: 55g; o Gorduras Saturadas: 22g; o Fibra Alimentar: 25g; o Sódio: 2400mg; o Não há valor diário para as gorduras trans.

10 Percentual de Valores Diários (%VD): percentual que indica a energia e os nutrientes que aquela porção representa segundo uma dieta de 2000 calorias. Medida Caseira: indica a porç ão de um alimento segundo uma medida usada pelo consumidor, tais como: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa. Informar a medida caseira é obrigatório. O QUE SIGNIFICAM OS COMPONENTES DA TABELA NUTRICIONAL? - Valor Energético: Corresponde à quantidade de energia produzida pelo nosso corpo a partir do consumo de carboidratos, proteínas e gorduras. É expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kj), sendo 1 kcal equivalente a 4,2 kj. - Carboidratos: São os componentes dos alimentos que fornecem energia para nossas células, principalmente para as células cerebrais, encontrados em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, entre outros. - Proteínas: São os componentes dos alimentos usados na construção e manutenção dos nossos órgãos, tecidos e células, encontradas nas carnes, ovos, leites e derivados, e nas leguminosas (feijões, soja e ervilha). - Gorduras Totais: As gorduras são as principais fontes de energia do corpo e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. - Gorduras Saturadas: São as gorduras provenientes de alimentos de origem animal, como carnes, queijos, leite integral, manteiga, entre outros. Devem ser consumidas de forma moderada, uma vez que seu consumo em grandes quantidades está associado ao desenvolvimento de doenças do coração. - Gorduras Trans ou Ácidos Graxos Trans: É a gordura presente em alimentos industrializados que utilizam gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação, tais como biscoitos, sorvetes, salgadinhos, entre outros. O consumo desse tipo de gordura deve ser mínimo, pois em grande quantidade, pode aumentar muito o risco do desenvolvimento de doenças do coração. - Fibra Alimentar: Está presente nos alimentos de origem vegetal. A ingestão de fibras é fundamental para o bom funcionamento do intestino, além de retardar a digestão dos alimentos e promover uma maior sensação de saciedade. - Sódio: Presente tanto na cozinha quanto nos alimentos industrializados, seu consumo deve ser moderado, pois, em excesso, pode promover retenção de

11 líquidos e um aumento na pressão arterial. Como usar essas informações Leia o rótulo de vários produtos e faça comparações observe a lista de ingredientes; Prefira produtos cujos primeiros ingredientes da lista (aqueles em maior quantidade) não sejam itens como gorduras, óleos, sal, açúcar, sacarose, mel, melaço ou ainda outras formas de açúcar (por exemplo: maltose, lactose, glucose, frutose, dextrose, xarope de açúcar invertido); Prefira alimentos com baixo %VD de gorduras saturadas, gorduras trans e sódio; Opte por aqueles que apresentem alto %VD de fibras alimentares. (BRASIL, 2008). Procedimento: Solicitar aos alunos dez alimentos industrializados consumidos por eles com certa frequência; recortar do rótulo o quadro com as informações nutricionais. Pedir aos alunos que colem os rótulos no caderno, identificando cada um deles. Solicitar que façam uma lista dos principais nutrientes que são encontrados nos rótulos coletados. Elaborar um texto usando as informações obtidas, enfatizando a importância da leitura do rótulo para uma compra consciente. Propor um texto baseado no slogan Uma boa alimentação começa com uma boa informação. Elaborar um grande painel, utilizando colagem de rótulos com as informações completas que todo produto industrializado deve trazer. Dividir os alunos em grupos (2 ou 3) e levá-los ao laboratório de informática. Cada grupo pesquisará sobre um determinado nutriente, conforme roteiro abaixo:

12 FUNÇÕES NO CONSUMO EM NUTRIENTE FONTES ORGANISMO EXCESSO Carboidratos Proteínas Lipídios (gorduras saturadas) (gorduras trans) Vitaminas ( A, D, E e K) Sais minerais (Sódio e Potássio; Cálcio e fósforo; Ferro e Iodo) Retornando para sala de aula, organizar uma apresentação com as conclusões na forma escrita ou oral. CALCULANDO A QUANTIDADE DE SAL CONSUMIDA DIARIAMENTE A quantidade de sódio é um dos itens obrigatórios que compõe a tabela nutricional dos rótulos dos alimentos. Segundo o Ministério da Saúde o consumo elevado, além de causar hipertensão, é responsável pelo aumento das doenças circulatórias, cardíacas e renais, bem como alguns tipos de cânceres como o câncer de estômago. O recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é uma ingestão diária máxima de 5 g de sal (2000 mg de sódio) como forma de alcançar uma alimentação saudável e promover a saúde, mas os brasileiros consomem em torno de 10 a 12 gramas de sal por dia. Assim, diante do exposto e do objetivo de calcular a quantidade de sal consumida diariamente, as atividades serão conduzidas da seguinte maneira: Perguntar aos alunos sobre a importância do sódio para nossa saúde. Solicitar aos alunos que escolham dois rótulos e que procurem na tabela nutricional a quantidade de sódio presente no alimento. (lembrem-se: 1 g

13 de sal equivale a 400 mg de sódio). Em seguida pedir para realizarem os cálculos, verificando a quantidade de sal existente nas porções desses alimentos, anotando suas conclusões. Propor aos alunos que pesquisem quatro tipos de alimentos industrializados consumidos por eles ou pelos familiares, que apresentem uma grande quantidade de sódio na sua composição. Para finalizar, solicitar uma pesquisa sobre os malefícios do excesso de sódio na alimentação. ATIVIDADE N 3: Benefícios do consumo de alimentos como frutas, verduras e legumes e os malefícios do consumo excessivo de fast foods. Objetivos: Conscientizar o aluno sobre os perigos à saúde de uma alimentação rica em fast foods. Estimular hábitos alimentares saudáveis através do consumo de frutas, legumes e verduras. OS PERIGOS DOS FAST FOODS Texto: Micheli Mayara Trentin Com a correria do dia-dia, as pessoas têm buscado uma alimentação mais prática. Com isso, a indústria fast food cresceu juntamente com os riscos a saúde! A pressa e o comodismo fazem com que sejam criadas soluções praticas como as comidas de conveniência, sendo esquecidos os cuidados necessários com a alimentação e com certas alterações na rotina de vida. Esta praticidade dos alimentos rápidos acarreta serias consequências ao organismo, pois, as substâncias contidas nos alimentos devem ser administradas em doses mínimas diária, e estas refeições rápidas, geralmente consumidas fora de casa, possuem alimentos com alta densidade energética e baixo valor nutricional. Os alimentos processados, pré-preparados ou prontos, além de serem pobres em vitaminas, minerais e fibras e serem de baixa qualidade nutricional, tem seu sabor original perdido, e para devolvêlo são acrescentados altas quantidades de açucares, gorduras e sal, ingredientes que quando consumidos em excesso provocam consequências graves tais como o aumento dos níveis de colesterol, aumentam o risco da obesidade e do desenvolvimento de doenças cardíacas e outras doenças crônicas não transmissíveis. "[...] Frito, tostado ou assado cientistas espanhóis confirmaram que a ingestão das chamadas comidas rápidas (fast food) está fisiologicamente ligada à depressão. Os resultados, que indicam que os consumidores de fast food têm 51% a mais de probabilidade de

14 desenvolver a depressão, foram publicados no jornal médico Public Health Nutrition. Os pesquisadores incluíram na categoria de comidas rápidas, além dos tradicionais sanduíches, hambúrgueres e pizzas, as comidas industrializadas assadas, como croissants, doughnuts, tortinhas etc. Isso significa que, quanto maior é a ingestão de fast food, maior é a probabilidade de desenvolvimento da depressão assim como vários malefícios a saúde. Por estes motivos é indicado o quanto mais variado for sua dieta, mais gostosa será e menos riscos de doenças você terá, pois estará recebendo os diversos nutrientes que necessita para as funções do organismo! Portanto. Evite consumir as comidas de conveniência! (TRENTIN, 2012). Filme: Assistir e discutir o filme: Super Size Me A Dieta do Palhaço. Categoria: Vídeo Titulo: Super Size Me - A Dieta do Palhaço. Direçâo: Morgan Spurlock Produção: Morgan Spurlock Duração: 1h e 40 min. Local da Publicação: EUA Ano: 2004 Disponível em: Vídeo Locadoras. Disponível em (endereço web): Comentário: O ator se submete a experiência de se alimentar somente com lanches (fast food) durante algumas semanas. Antes do início deste experimento, Spurlock, comia uma dieta variada, era saudável e magro, tinha um peso de 84,1 kg. Depois de trinta dias, obteve um ganho de 11,1 kg, uns 13% de aumento da massa corporal deixando seu índice de massa corporal em 23,2 (dentro da faixa "saudável" 19-25) a 27 ("sobrepeso"). Também experimentou mudanças de humor, disfunção sexual, e dano ao fígado. Spurlock precisou quatorze meses para perder o peso que havia ganhado.

15 A IMPORTÂNCIA DAS FRUTAS, LEGUMES E VERDURAS Apesar de vivermos em um país tropical, com grande diversidade de frutas, legumes e verduras, os brasileiros não consomem esses alimentos como deveriam. Para que esses alimentos possam contribuir para prevenção de doenças crônicas, o consumo mínimo recomendado pelo ministério é o de 400 gramas por dia, considerando-se uma dieta de 2000 kcal. Isso significa aumentar em pelo menos três vezes o consumo médio atual da população. As frutas, legumes e verduras são ricos em fibra alimentar, minerais e diferentes tipos de vitaminas, como os carotenóides, precursores da vitamina A que protegem contra catarata e outras doenças da visão, além de auxiliar na imunidade do organismo. O consumo regular da variedade desses alimentos, combinados com outros ricos em carboidratos pouco processados, oferece garantia contra a deficiência da maioria das vitaminas e minerais e aumenta a resistência às infecções. Estudos científicos comprovam que uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras estão associadas ao menor risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis (hipertensão, acidente vascular cerebral, câncer) e à manutenção do peso adequado. Esses alimentos também são protetores do organismo contra as doenças pulmonares crônicas e obstrutivas, incluindo a asma e a bronquite. A trilogia "frutas, legumes e verduras" é utilizada para enfatizar a importância da variedade alimentar e porque esses alimentos devem ser considerados parte importante das refeições e não somente lanches ocasionais. É importante destacar que o Ministério da Saúde incentiva o consumo desses grupos de alimentos em suas formas naturais, excluindo assim os produtos com alta concentração de açúcar, como as geleias de frutas, as bebidas com sabor de frutas e os vegetais em conserva. O ideal do consumo para as famílias brasileiras é de pelo menos três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches. (SITEMEDICO, 2012). Procedimento: Propor aos alunos a seguinte atividade. Eles deverão pesquisar na tabela de calorias dos alimentos mais servidos em nossa mesa. Sugestão de site:

16 br/pesquisa/nos/bom_apetite/tabelas/cal_ali.htm Deverão fazer comparações entre porções de alimentos contendo (frutas, verduras e legumes/fast foods). Exemplo: 1 goiaba vermelha (100g) = 43 calorias / 1 Cachorro-quente com ketchup e mostarda = 342 calorias. Preparar as atividades num grande painel para serem expostas aos demais alunos da escola. Obs: Poderão ser usados outros tipos de alimentos. Solicitar a cada aluno um determinado tipo de fruta. Pedir também que pesquise os benefícios dessa fruta para o organismo e os nutrientes que ela contém. Os alunos deverão fazer suas exposições para os demais. No final poderá ser servida uma salada de fruta (frutas que eles pesquisaram). Filme: Dieta Saudável (2007). Disponível em: Após assistir o filme propor algumas questões aos alunos: O que representa o anjo neste vídeo? O que representa o diabo? Solicitar aos alunos que descrevam a mensagem do filme assistido.

17 REFERÊNCIAS ALIMENTAÇÃO Saudável e Pirâmide Alimentar Disponível em: <http://cicascience.blogspot.com.br/2011/12/alimentacao-saudavel-e-piramide.html>. Acesso em: 20 jun ANGELIS, R. C. Riscos e prevenções à obesidade: fundamentos fisiológicos e nutricionais para tratamento. São Paulo: Ed. Atheneu, BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução - RDC nº 39, de 21 de março de Disponível em:<http://www.anvisa.gov.br/legis/ resol/39_01rdc.htm#>. Acesso em: 23 out Manual de orientação aos consumidores Educação para o Consumo Saudável. Brasília, Disponível em:<http://www.anvisa.gov.br/alimentos/ rotulos/manual_consumidor.pdf>. Acesso em: 29 out BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia Alimentar para a População Brasileira. Brasília, DIETA Saudável. Vídeo 6:14min. Produção em Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=82qpngrfob4&feature=fvw>. Acesso em: 08 out FISBERG, M. et al. Hábitos alimentares na adolescência. Pediatria Moderna, São Paulo, v. 36, n. 11, p , GALANTE, Andrea Polo; CARUSO, Lúcia. Como a alimentação pode reduzir o risco de doenças? São Paulo: Paulus, GAMBARDELLA, A.M.D.; FRUTUOSO, M.F.P.; FRANCHI, C. Prática alimentar dos adolescentes. Revista de Nutrição, Campinas, v.12, n. 1, p , jan./abr., PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares de Rede Pública de Educação Básica do Estado do Paraná. Ciências. Curitiba, PORTAL ZUN. Alimentos funcionais o que são? Disponível em: <http://www.zun.com.br/alimentos-funcionais-o-que-sao/>. Acesso em: 20 out SALGADO, Joselem Mastrodi. A alimentação que previne doenças: do Pré- Escolar à Adolescência. São Paulo: Madras Editora, SITEMEDICO. A importância das frutas, legumes e verduras. Disponível em <http://www.sitemedico.com.br/site/qualidade-de-vida/frutas-legumes-e-verduras>. Acesso em: 08 out TABELA de Calorias dos alimentos. Disponível em:<http://www4.faac.unesp. br/pesquisa/nos/bom_apetite/tabelas/cal_ali.htm>. Acesso em: 20 out TOORES Patrícia L. Uma leitura para os temas transversais: Ensino fundamental.

18 Curitiba. SENAR-PR, TRENTIN, Micheli Mayara. Os perigos dos Fast Foods. Disponível em: <https://www.unochapeco.edu.br/en/unovital/blog/os-perigos-dos-fast-foods>. Acesso em: 5 nov VIDA Saudável: como ler os rótulos dos alimentos que consumimos Disponível em:<http://dinheirama.com/blog/2010/05/03/como-ler-os-rotulos-dosalimentos-que-consumimos/>. Acesso em: 20 out

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO?

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES Fonte: ANVISA - Aência Nacional de Viilância Sanitária APRESENTAÇÃO Neste manual, vamos conhecer alumas

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Alimentos Universidade

Leia mais

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais. Conteúdo Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.... 2 Como ler os rótulos dos alimentos... 5 Dose de produto... 7 Calorias... 7 Quantidade de nutrientes... 8 Explicação da quantificação

Leia mais

Você sabe o que está comendo?

Você sabe o que está comendo? Você sabe o que está comendo? Manual de orientação aos consumidores Educação para o Consumo Saudável Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de orientação

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO?

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? ROTULAGEM NUTRICIONAL OBRIGATÓRIA MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SEPN 511- Bloco C Edifício Bittar IV 4º andar - Brasília/DF CEP:70750.543

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Último Encontro: Vila Velha 1 Escolha dos temas a serem trabalhados. Tema de hoje: Oficina sobre alimentação saudável 1) Alimentos Alimentos construtores: fornecem proteínas

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS 1. Introdução As Boas Práticas Nutricionais constituem-se um importante instrumento para a modificação progressiva da composição nutricional

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar.

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2014 COSAN/CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN do Programa Nacional

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

Para que serve o alimento?

Para que serve o alimento? Alimentação e Saúde saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar afeto, carinho e aceitação Uma

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista

A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008. Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A RODA DOS ALIMENTOS E OS NOVOS VALORES NUTRICIONAIS Mafra, 14 de Março de 2008 Ana Leonor DataPerdigão Nutricionista A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É Completa Fornece energia e todos os nutrientes essenciais

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós Trabalho elaborado por: Enf. Anabela Queirós O que é a diabetes? Uma doença que dura toda vida Provocada pela ausência ou perda de eficácia da insulina; Provoca a subida de açúcar no sangue A diabetes

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

Conheça 30 superalimentos para mulheres Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:28 - Última atualização Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:35

Conheça 30 superalimentos para mulheres Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:28 - Última atualização Dom, 02 de Dezembro de 2012 11:35 Manter a saúde, deixar a barriga sarada e aumentar a energia são benefícios que podem ser conquistados com a escolha correta dos alimentos. Alguns itens colaboram para ter ossos fortes, queimar gordura,

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas

Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas As doenças crónicas não transmissíveis são responsáveis por 63% das causas de morte no mundo Fonte: WHO; Global status report on noncommunicable diseases, 2010 O

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios.

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios. DIETA DE BA IXO ÍNDICE DE GL IC E M IA (LOW CARB DIET ) A dieta de baixo índice de glicemia ou baixa em hidratos de carbono é indicada para tal por ser mais equilibrada e até é indicada para diabéticos

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação (...) A verdade, em matéria de saúde, está na adaptação e no respeito à Natureza (...). Mokiti Okada Para uma alimentação saudável, podemos

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais

Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1

Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1 Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1 Regina Lúcia Tarquinio de Albuquerque (areginalucia@yahoo.com.br) Resumo: O cálculo e a resolução de problemas, objetos de estudo desta oficina, são práticas

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DA CARNE

VALOR NUTRITIVO DA CARNE VALOR NUTRITIVO DA CARNE Os alimentos são consumidos não só por saciarem a fome e proporcionarem momentos agradáveis à mesa de refeição mas, sobretudo, por fornecerem os nutrientes necessários à manutenção

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS... um guia para a escolha alimentar diária! 1-3 3-5 2-3 1,5-4,5 1-2 3-5 4-11 COMA BEM, VIVA MELHOR! O QUE É UMA PORÇÃO?* POR DIA quantas são necessárias? ** Cereais e derivados, tubérculos

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO Lucia B. Jaloretto Barreiro Qualidade de Vida=Saúde=Equilíbrio Qualidade de Vida é mais do que ter uma boa saúde física ou mental. É estar

Leia mais

ANEXO 1: ALFACE: ARROZ: Carboidrato: 1,7g Proteína: 1,3g Gordura: 0 g. Carboidrato: 48 g Proteína: 0,8 g. Valor calórico: 50 Kcal

ANEXO 1: ALFACE: ARROZ: Carboidrato: 1,7g Proteína: 1,3g Gordura: 0 g. Carboidrato: 48 g Proteína: 0,8 g. Valor calórico: 50 Kcal ANEXO 1: ALFACE: ARROZ: Carboidrato: 1,7g Proteína: 1,3g Valor calórico: 11 Kcal Hortaliça benéfica em tratamentos faciais, com propriedade calmante. Carboidrato: 48 g Proteína: 0,8 g Valor calórico: 197

Leia mais

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares HÁBITOS ALIMENTARES Hoje, em virtude da vida agitada, trabalho, estudo, família e outras inúmeras responsabilidades, todos ficam vulneráveis às doenças causadas

Leia mais

Alimentação na Gestação

Alimentação na Gestação ESPAÇO VIDA Nut. Fabiane Galhardo Unimed Pelotas 2012 Alimentação na Gestação 1 GESTAÇÃO PERÍODO MÁGICO DE INTENSA TRANSIÇÃO, ONDE A NATUREZA MODIFICA O CORPO E A MENTE PARA TRANSFORMAR MULHER EM MÃE A

Leia mais

especial iate LIAMARA MENDES

especial iate LIAMARA MENDES 54 Maio / Junho de 2013 especial use os alimentos a seu favor iate por LIAMARA MENDES Uma dieta equilibrada aliada a exercícios físicos pode ser considerada a fórmula ideal para a conquista do corpo perfeito.

Leia mais

VEGESOY FIBER. Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó. Informações Técnicas

VEGESOY FIBER. Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó. Informações Técnicas Informações Técnicas VEGESOY FIBER Fibra de soja: extrato insolúvel de soja em pó INTRODUÇÃO A soja é uma leguminosa cultivada na China há mais de 5 mil anos. Ao longo do tempo passou a ser consumida por

Leia mais

NUTRIÇÃO. Prof. Marta E. Malavassi

NUTRIÇÃO. Prof. Marta E. Malavassi Prof. Marta E. Malavassi Conceito: processo orgânico que envolve ingestão, digestão, absorção, transporte e eliminação das substâncias alimentares para a manutenção de funções, a formação e regeneração

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS A rotulagem de alimentos apresenta uma importância muito relevante hoje para o consumidor, pois através da mesma, conseguimos repassar muitas informações aos mesmos, tais como prazo

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais Informações Técnicas SHAKEASY Bases Prontas para Shakes Funcionais INTRODUÇÃO SHAKEASY representa uma nova geração de shakes funcionais. Um completo e diferenciado substituto parcial de refeições que permite

Leia mais

( ) Falta de vitamina D. Dificuldades em absorver o cálcio, provocando problemas para a calcificação dos ossos.

( ) Falta de vitamina D. Dificuldades em absorver o cálcio, provocando problemas para a calcificação dos ossos. NOME: ANO: 8º ENSINO: FUNDAMENTAL I TURMA: DATA: / / PROF(ª).:Sandra Medeiros ATIVIDADE DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS 1. Questão Estabeleça relação entre as colunas. (a) Beribéri ( ) Falta de vitamina D. Dificuldades

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS Profª Ana Paula F. Bernardes Silva A QUEM COMPETE MINISTÉRIO DA SAÚDE: Produtos de origem animal; Vegetais e cereais (grãos) in natura; Bebidas e vinagre; Mel. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA:

Leia mais

Perguntas & Respostas ABIA sobre gorduras trans

Perguntas & Respostas ABIA sobre gorduras trans Perguntas & Respostas ABIA sobre gorduras trans GRUPO CONSUMIDOR 1) O que são ácidos graxos trans ou gordura trans? Os ácidos graxos ou gorduras trans são um tipo de gordura formada pelo processo de hidrogenação

Leia mais

CARDÁPIOS SUBSTITUTOS. Prof a - Andréa Araújo

CARDÁPIOS SUBSTITUTOS. Prof a - Andréa Araújo CARDÁPIOS SUBSTITUTOS Prof a - Andréa Araújo Por grupos alimentares Por equivalentes nos grupos alimentares Por equivalentes da pirâmide Pelo VET Por Grupos alimentares Grupo de Alimentos: Classificação

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar A Rede Asbran e Filiadas lança nesta sexta-feira, dia 31, mais uma ação da campanha nacional pela redução no consumo do sal e do açúcar,

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL GEORG, Raphaela de Castro; MAIA, Polyana Vieira. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás rcgeorg@gmail.com Palavras

Leia mais

alores nutricionais dos citros

alores nutricionais dos citros itros de mesa: da produção à omercialização alores nutricionais dos citros ianca M. Chimenti Naves utricionista Clínica / Departamento de Nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São aulo rofessora

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

Coração Saudável! melhor dele?

Coração Saudável! melhor dele? As doenças cardiovasculares (DCV s) - incluem as doenças coronarianas e o acidente vascular cerebral (AVC) também conhecido como derrame afetam pessoas de todas as idades, até mesmo mulheres e crianças.

Leia mais

1 Por que tomar café da manhã?

1 Por que tomar café da manhã? A U A UL LA Por que tomar café da manhã? Exercícios Acordar, lavar o rosto, escovar os dentes, trocar de roupa e... tomar o café da manhã. É assim que muitas pessoas começam o dia, antes de ir trabalhar.

Leia mais

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011 NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011 Definição e estimativa Envelhecer significa conviver com as alterações próprias prias da idade.

Leia mais

PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Nutricionista: Cyntia Cristina Piaia Sassala. CRN8 1546 Formada pela UFPR / 2002. Assessoria e Consultoria em Nutrição. NUTRIÇÃO NA INFÂNCIA Os hábitos alimentares são formados

Leia mais

Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis

Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis Elizabeth Vargas Nutricionista Unilever America Latina Seminário Tecnológico de Nutrição, Saudabilidade e Meio Ambiente Junho 2014

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes.

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. Os smoothies ou shakes são uma maneira deliciosa, saudável e versátil para adicionar frutas e legumes em nossa alimentação diária.

Leia mais

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011 Amanda Poldi CRIANÇA-DEFINIÇÃO LEI 11.265/2006 CRIANÇA: indivíduo até 12 (doze) anos de idade incompletos; CRIANÇA DE PRIMEIRA

Leia mais

Criança nutrida & criança Vitaminada

Criança nutrida & criança Vitaminada Criança nutrida & criança Vitaminada IMC INFANTIL Muitos pais se preocupam com o peso e a estatura de seu filho. Questionam-se se a massa corporal da criança está de acordo com a idade, se a alimentação

Leia mais

XlII ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA ÍNDICE GLICÊMICO

XlII ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA ÍNDICE GLICÊMICO XlII ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA ÍNDICE GLICÊMICO O índice glicêmico dos alimentos é hoje reconhecidamente o fator mais importante na elaboração de qualquer dieta que vise perda e manutenção de

Leia mais

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa Vou passar a você, algumas receitas que usei para poder emagrecer mais rápido e com saúde. Não direi apenas só sobre como preparar algumas receitas, mas também direi como perder peso sem sofrimento e de

Leia mais

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi)

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi) Ficha técnica CHÁ VERDE COM CÓLAGENO, VITAMINA C E POLIDEXTROSE Pó para Preparo de Bebida a Base de Chá Verde, com Colágeno hidrolisado, vitamina C e polidextrose Sabor Abacaxi e frutas vermelhas REGISTRO:

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo

Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT. Nutricionista Débora Razera Peluffo Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT Nutricionista Débora Razera Peluffo Perfil nutricional brasileiro Nas últimas décadas observou-se uma mudança no perfil epidemiológico da população brasileira:

Leia mais

No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo?

No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo? No Verão não dispense a hidratação! Sabia que a falta de concentração pode dever-se a falta de água no organismo? Seja Inverno ou Verão, abrace esta refeição! Sabia que o Pequeno-almoço ajuda a controlar

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

Trocas Alimentares Saudáveis. Arllita Batista B. Donadon Nutricionista CVN - Goiás

Trocas Alimentares Saudáveis. Arllita Batista B. Donadon Nutricionista CVN - Goiás Trocas Alimentares Saudáveis Arllita Batista B. Donadon Nutricionista CVN - Goiás Alimentação Saudável Escolas: Promoção de ações de alimentação saudável no PNAE Plano Intersetorial de Obesidade Acordos

Leia mais

Alimentix 2. O teu jogo dos Alimentos. Jogar. Como Jogar?

Alimentix 2. O teu jogo dos Alimentos. Jogar. Como Jogar? Alimentix 2 O teu jogo dos Alimentos Jogar Como Jogar? Olá amigo! O Alimentix 2 é um jogo extraordinário onde vais poder explorar o fantástico mundo dos alimentos. Estás pronto? 1. O Alimentix 2 é composto

Leia mais

Sabores e saberes da alimentação básica

Sabores e saberes da alimentação básica Sabores e saberes da alimentação básica Angélica Magalhães - Nutricionista, Doutora Agronegócios/Saúde Coletiva Indiara Comasseto Nutricionista, Especialista em Nutrição Clínica 1 Apresentação Este livro

Leia mais

ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS

ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS À SAÚDE Beatriz da Silveira Pinheiro Beatriz da Silveira Pinheiro Embrapa Estudos e Capacitação Arroz e Feijão Associados, constituem a base da dieta

Leia mais

Qualidade e valor nutricional da carne de coelho. Óscar Cerqueira Nutricionista ACES Douro I

Qualidade e valor nutricional da carne de coelho. Óscar Cerqueira Nutricionista ACES Douro I Qualidade e valor nutricional da carne de coelho Óscar Cerqueira Nutricionista ACES Douro I Vila Real, 25 de Novembro de 2011 Proteínas Funções das proteínas. Aminoácidos; aminoácidos essenciais. Valor

Leia mais

Dicas para emagrecer sem elas...

Dicas para emagrecer sem elas... DIETAS E MAIS DIETAS Ates de seguir qualquer dieta imposta pelas novas regras do culto ao corpo e à beleza, procure ajuda profissional e evite que o simples desejo de perder peso possa se transformar em

Leia mais

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico.

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico. Nota Técnica Processo n º Solicitante: Dra. Daniele Viana da Silva Juíza da Comarca de Ervália - Mg Data: 07/12/2012 Medicamento/ Dieta Material Procedimento Cobertura x TEMA: Dieta enteral de soja para

Leia mais

Sugestões de Lanches para intervalo entre as principais refeições

Sugestões de Lanches para intervalo entre as principais refeições Sugestões de Lanches para intervalo entre as principais refeições Quando se está em processo de emagrecimento procurar evitar os seguintes produtos: doces, frituras, refrigerantes, sucos artificiais, biscoitos

Leia mais