ANGELO COIMBRA CATÁLOGO DE VINDIMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANGELO COIMBRA CATÁLOGO DE VINDIMA"

Transcrição

1 ANGELO COIMBRA CATÁLOGO DE VINDIMA

2 ÍNDICE NOVIDADES 3 ENZIMAS 4 FLOTAÇÃO 8 LEVEDURAS 10 LEVEDURAS NSAC 14 FERMENTAÇÃO MALOLÁCTICA 16 INOVAÇÃO 19 ESPUMANTES GAMA E2F 20 ESTABILIZAÇÃO AROMÁTICA 21 NUTRIÇÃO SUSTENTÁVEL 22 CLARIFICAÇÃO GAMA NATUR 24 CLARIFICAÇÃO GAMA GREENFINE 25 FLOTAÇÃO 17 ESTABILIZAÇÃO/CLARIFICAÇÃO GAMA NATUR 18 ESTABILIZAÇÃO AROMÁTICA 19 TANINOS 26 MADEIRAS 28 COLAGEM 30 INOVAÇÃO NA ARTE DE PRODUZIR VINHO Novas ferramentas para um novo enfoque Pensar de uma maneira precoce e global a vinificação permite-nos: VINDIMA Exprimir o Potencial das Uvas Melhorar a eficiência das intervenções enológicas Reduzir Sulfitos Limitar as perdas organolépticas: cor, aromas e sabor Novos desafios e exigências se apresentam aos produtores, num mercado cada vez mais global e competitivo. A inovação e desenvolvimento biotecnológico permite-nos a aplicação de técnicas e de ferramentas que respeitam as castas, e a tipicidade do Terroir de cada produtor. Com este guia, o nosso objetivo é responder eficazmente às exigências dos produtores, propondo soluções muito seguras, que se sustentam em ferramentas de elevada qualidade, resultante da evolução do saber fazer, das expectativas dos consumidores e da arte de produzir vinho. REGULADORES DE ph 31 CONSERVAÇÃO 32 AUTORIZADOS BIO 33 2

3 NEW! VINIFLORA SPARTA A estirpe para realizar a FML em condições de stress elevadas para o O. Oeni, climas frios e vinhos base para espumantes. NOVIDADES NEW! VINIFLORA NoVA É uma estirpe de Lactobacillus plantarum para a FML em mostos sem sulfitos! NEW! ŒNOBOIS STICK HIGH LIGHT Produto único criado com o objectivo de imitar o efeito da barrica. Devido à sua forma única permite a extração progressiva de compostos aromáticos e de elagitaninos. NEW! GAMA E2F Duas novas ferramentas de alta eficácia! NEW! AROMA T N T É uma preparação que associa leveduras inertes ricas em GSH (glutatião) e enzima β- glicosidase. GAMA GREENFINE Gama de Proteína de Origem Vegetal para a Clarificação dos mostos e vinhos. NEW! 3

4 ENZIMAS Os enzimas ajudam os produtores de vinho a melhorar a qualidade dos seus vinhos e a eficiência dos seus processos de produção, aumentando assim os lucros. VINOZYM VINTAGE FCE Enzima purificada de excelência para maximizar o rendimento e a extracção de uvas tintas. Para macerações pré-fermentativas a frio. VINOZYM PROCESS Em tintos melhora a cor e a extração de taninos, em brancos a extração de aromas. Maximiza o rendimento e os processos de extração para vinhos de ciclo curto. VINOCRUSH CLASSIC Enzima líquida de maceração que melhora a qualidade geral do vinho e o processo de produção. 4

5 ENZIMAS VINOZYM FCE Maximiza a libertação de aromas, melhora a capacidade de prensagem e o volume de vinho de lágrima para vinhos de ciclo longo. NOVOCLAIR SPEED Maximiza a velocidade de clarificação e sedimentação de borras. Potencia a estabilidade aromática produzindo vinhos mais frutados. VINOZYM ULTRA FCE Preparação enzimática líquida purificada e concentrada, utilizada em maceração e clarificação de vinhos brancos e rosados. VINOCLEAR CLASSIC Enzima líquida que melhora a clarificação e sedimentação do mosto. Aumenta a produção de mosto. FICHA TÉCNICA VINOZYM FCE NOVOCLAIR SPEED VINOZYM PROCESS FORMULAÇÃO GRANULADA GRANULADA GRANULADA FONTE DE Aspergillus niger Aspergillus niger MICRORGANISMOS Aspergillus aculeatus Aspergillus aculeatus Aspergillus aculeatus ACTIVIDADE PECTINASE PGNU/g PGNU/g PGNU/g ENZIMA PURIFICADA NÍVEL 3 FCE NÍVEL 3 FCE NÍVEL 3 FCE Actividade CE < 0,5 (PGNU/g) < 0,5 (PGNU/g) < 0,5 (PGNU/g) DOSE RECOMENDADA 3-4 g/100kg 0,5-2 g/100kg 3-4 g/100kg CUSTO FICHA TÉCNICA VINOZYM ULTRA VINOCRUSH CLASSIC VINOCLEAR CLASSIC FORMULAÇÃO LÍQUIDO LÍQUIDO LÍQUIDO FONTE DE Aspergillus niger Aspergillus niger Aspergillus aculeatus MICRORGANISMOS Aspergillus aculeatus Aspergillus aculeatus ACTIVIDADE PECTINASE PGNU/g PGNU/g PGNU/g ENZIMA PURIFICADA NÍVEL 3 FCE NÍVEL 2 FCE NÍVEL 2 FCE Actividade CE < 0,5 (PGNU/g) 0,5 < PGNU/g < 5 0,5 < PGNU/g < 5 DOSE RECOMENDADA 3-4 ml/100kg 3-4 ml/100kg 3-4 ml/100kg CUSTO 5

6 BATÔNNAGE Objetivo do uso de enzimas pós-fermentação Estabilidade corante e aromática. Preservar os aromas jovens da uva e da fermentação. Aumento do volume de boa e redondez. Aumento da eficiência da colagem e filtrabilidade dos vinhos. Favorecer o equilíbrio geral de uma forma estável no tempo. VINOTASTE PRO Uso em Batônnage Destaca os aromas e aumenta a redondez do vinho graças às suas atividades exclusivas, aumentando a clarificação dos vinhos jovens. Vantagens Rápida clarificação de vinhos jovens por cortar os polissacáridos de maiores dimensões Reduz o tempo de estágio em 20% estabilizando a cor e melhorando a qualidade global do vinho. Elimina riscos de sabores desagradáveis devido à sua purificação FCE Melhora o perfil aromático do vinho Melhora a filtrabilidade natural até 200% 6 a 10 g/hl NOVAROM BLANC Realça os aromas dos seus vinhos brancos, tornando-os mais ricos e frutados. Vantagens Realça os aromas - aumenta até 40% os aromas terpénicos no vinho branco depois da fermentação, cortando os seus percursores ligados a açucares. Consegue-se vinhos mais ricos e frutados O vinho torna-se mais rico, frutado e floral acelerando também o processo de clarificação. 5 a 10 g/hl 6

7 FILTRABILIDADE VINOFLOW MAX Esta é a ultima solução desenvolvida especificamente para a fase de filtração, que garante a eficácia e a fiabilidade do processo sem alterar a qualidade do vinho. Combinação única de duas tecnologias de fermentação, esta mistura de pectinases e betaglucanases permite alcançar um novo nível de eficácia em enologia. Ação Elimina colóides colmatantes (ex. Glucanos de Botrytis) Vantagens Melhora Flotação em Mostos difíceis Reduz os consumíveis de filtração - obtenha até 2,5 L mais de vinho por cada Kg de Kieselguhr. Aumenta o caudal - aumenta o caudal entre 30 a 60% consequentemente afeta menos a cor e o corpo do seu vinho. Filtração mais sustentável Aplicação Antes da Prensagem Decantação / Flotação Antes de colagem Antes de filtração 11 a 15 ml/hl. Presença de Glucanos de Botrytis 7

8 % FLOTAÇÃO CLARIFICAÇÃO RÁPIDA E EFICAZ FLOTADOR KREYER FLOTADOR KREYER FICHA TÉCNICA Unidade KSK KSK KSK KSK KSK CAUDAL DE FLOTAÇÃO l / h TENSÃO V FREQUÊNCIA Hz 3 Ph Ph Ph Ph Ph - 50 CORRENTE DE A SERVIÇO MÁXIMA 11,4-6,6 13,5-7, ,6 23,1 POTÊNCIA KW 3 3,7 5,5 7,5 11 RESULTADOS OBTIDOS Vindima 2012 Portugal % Borra 6 5, ,86 3,58 3,5 3 2,75 % Borra Volume Mosto (L) 8

9 FLOTAÇÃO GAMA DE SOLUÇÕES 9

10 GAMA EXCELLENCE LEVEDURAS Leveduras segurança e garantia de qualidade As leveduras comercializadas são selecionadas pelo laboratório SARCO. Todas elas são selecionadas naturalmente (Gama LA) ou obtidas através de breeding (Gama Excellence), com vista a proporcionarem uma fermentação completa, regular, e com velocidade e necessidades de azoto moderadas. EXCELLENCE XR Produz vinhos tintos de alta qualidade, poderosos, estruturados e de grande volume em boca. Selecionada pela sua capacidade fermentativa, boa produção de polissacáridos e glicerol. EXCELLENCE SP Leveduras selecionadas para a produção de vinhos tintos de alta qualidade. Produz vinhos carnudos favorecendo notas de frutas vermelhas. Pelas suas capacidades de fermentação é recomendada para a produção de vinhos premium e super premium. EXCELLENCE FR Produz vinhos aromáticos, com aromas expressivos e intensos a frutos vermelhos devido à elevada produção de ésteres voláteis. Produz vinhos ricos e com persistência em boca. LEVEDURAS FRUTADO ELEGANTE FRUTADO INTENSO ESTRUTURA VOLUME DE BOCA % VOLUME Excellence XR > 16 Excellence FR 15 Excellence SP 15 10

11 GAMA LA LEVEDURAS LA IBERICA É ideal para a produção de vinhos tintos aromáticos, redondos e estruturados. A sua capacidade de implantação permite o rápido desenvolvimento e uma fermentação alcoólica completa. Resistência elevada a teor alcoólico muito alto (> 16%). LA L13 Em branco, avoluma a sensação em boca pela sua produção de polissacáridos. Em tinto, pela sua valorização do complexo polifenóis / antocianas / polissacáridos, favorece a estrutura e a Redondez. Resistência elevada a teor alcoólico muito alto (> 16%). LA BJL Estirpe selecionada pela sua aptidão para revelar aromas de frutos vermelhos, como groselha e framboesa. Graças a suas características, LA BJL melhora a complexidade aromática dos vinhos tintos e rosé. Esta levedura é ideal para a produção de vinhos jovens, frescos e frutados. LA CEREVISIAE Selecionada para o arranque rápido da fermentação de vinhos tinto e branco. Fermentação regular e completa, produz bons vinhos, respeitando as características suas características varietais. LA PM Esta levedura tem excelentes performances a baixas temperaturas, e é ideal para produzir vinhos brancos limpos, bem como para a segunda fermentação de vinhos espumantes em garrafa ou usando o processo Charmat. Também é adequada para reiniciar paragens de fermentação. LA BAYANUS Selecionada pela sua excelente resistência ao álcool (> 16% v/v) e temperatura. Utilizada em refermentações e em situações críticas até aos 15º álcool/vol. Intervalo de temperaturas de fermentação: 14 a 32 º. LEVEDURAS FRUTADO ELEGANTE FRUTADO INTENSO ESTRUTURA VOLUME DE BOCA % VOLUME LA BJL 14 LA IBÉRICA > 16 LA Nº 13 > 16 LA CEREVISIAE 15 LA BAYANUS > 16 11

12 LEVEDURAS EXCELLENCE STR Fruity Esters Esta estirpe tem uma excelente capacidade fermentativa, para mostos com baixa turbidez e elevado potencial alcoólico. Produz vinhos brancos e rosés aromáticos e frescos devido á elevada produção de ésteres e tios. Predominância de Aromas a Citrinos, Banana e Flores Brancas. EXCELLENCE FW Fruity White Possui uma excepcional capacidade de revelação de ésteres e tióis. Origina vinhos Frescos e Minerais, com aromas predominantes de Pêssego,.Frutas Exóticas e Citrinas. EXCELLENCE TXL Typicity Exalt Levedura obtida por Breeding-dirigido, dotada de excelentes capacidades fermentativas destinada à elaboração de vinhos brancos secos e rosés aromáticos e redondos. Esta estirpe é POF (-), URE2 (-), LP (+) para se obter vinhos extremamente limpos mantendo a tipicidade do Terroir, a Mineralidade e realçando as Características Varietais de todas as Castas. EXCELLENCE FTH Fruity Thiol Possui uma excepcional capacidade de revelação de tióis voláteis. Origina vinhos redondos e persistentes, com aromas predominantes de Toranja, Maracujá e Buxo. 12

13 LEVEDURAS ROSÉ LEVEDURAS SELEÇÃO DE LEVEDURAS LA AROM Levedura seca activa selecionada pela sua produção de vinhos brancos e rosés, frescos, frutados e elegantes. É adequada para fermentações a baixas temperaturas, aumenta o potencial aromático de um vinho graças às grandes quantidades de ésteres que produz. A sua excelente relação Qualidade/Preço, favorece a sua eleição como levedura ideal para vinhos de entrada de gama. LEVEDURAS ROSÉ FRUTADO ELEGANTE ROSÉ FRUTADO INTENSO TERROIR VOLUME DE BOCA % VOLUME Excellence TXL 14 Excellence FW 15 Excellence FTH 15 Excellence STR 15 LA AROM 15 Excellence FR 15 LA BJL 14 13

14 LEVEDURAS NÃO-SACCHAROMYCES. Leveduras Não SAC. - A nova fronteira em leveduras de vinho Explore um novo mundo de possibilidades para diferenciar os seus vinhos! CONCERTO Uma cultura 100% pura de Kluyveromyces themotolerans para obter vinhos frescos e aromáticos. Simule a Fermentação Espontânea Natural...Sem os Riscos! A sua cinética fermentativa muito lenta favorece a sua elevada ação enzimática. Potencie a sua Maceração a Frio com uma cultura selecionada! Obtenha todas as vantagens da Bioproteção! Com elevado Impacto na revelação de aromas terpénicos e de Norisoprenóides, é a levedura ideal para estas Castas. Sulfuroso Total Máximo = 30 ppm. MELODY. MERIT Uma levedura Saccharomyces cerevisiae pura capaz de efectuar a fermentação de mostos com elevado teor em açúcar (>17% v/v álcool provável) tanto em tintos como em brancos. Consome 17,7 g de açúcar para produzir 1% de Etanol. Respeita a casta e o Terroir. 14 Uma mistura ideal de S. cerevisiae, T. delbrueckii e K. thermotolerans com efeito mais acentuado em comparação com a fermentação tradicional. Preparada para aplicação única, dando um maior volume de boca, complexidade e equilíbrio, realçando os aromas varietais e respeitando a tipicidade do Terroir. Sulfuroso Total Máximo = 30 ppm.

15 LEVEDURAS NÃO-SACCHAROMYCES. PRELUDE PRELUDE não é só mais uma levedura, é uma espécie única, uma cultura 100% pura de Torulaspora delbrueckii. É a Levedura de arranque da FA, que optimiza o sabor e a sensação em boca, em ordem a obter maior expressão do valor potencial das uvas para ser usada em combinação com uma S. cerevisiae da sua preferência. PRELUDE dá maior suavidade, mais volume de boca e persistência ao vinho. Diminui a acidez volátil e Resiste até 9% Vol. Sulfuroso Total Máximo = 30 ppm. FROOTZEN Potencie o sabor frutado com a primeira levedura de INOCULAÇÃO DIRETA! Uma cultura 100% pura de Pichia kluyveri para vinhos tintos, brancos e rosados. Aumenta de forma exponencial a carácter varietal Tiol, acentua a frescura em boca e o sabor Floral/ Frutado. É um Produto Natural para aumentar o caráter frutado e as notas tropicais graças a um melhor uso da biodiversidade. Na boca, reduz notas verdes e herbáceas, aumenta a intensidade do sabor devido à maior conversão dos precursores aromáticos em comparação com as leveduras Sac. Sulfuroso Total Máximo = 30 ppm. 15

16 FERMENTAÇÃO MALOLÁTICA BACTÉRIAS LÁTICAS O porquê de promover a Fermentação Malolática? Não corra riscos! Tempo Energia Redução de Custos Mão de obra Otimização de operaculturas selecionadas Reduzir a volátil Aumento da QualidaEvitar contamina- Consistência no perfil Rastreabilida- Evitar aminas biogénicas Segurança Alimentar Garantir 100% de inocula- Uso de produtos certificados 16 Bactérias Chr. Hansen Garantia de Qualidade e Segurança

17 FERMENTAÇÃO MALOLÁTICA VINIFLORA A sua escolha segura para uma boa gestão da Fermentação Malolática! VINIFLORA CH11 Selecionada pela sua capacidade de conduzir a FML em vinhos tintos e brancos a valores de ph muito baixos (3,0) e a baixas temperaturas (14ºC). VINIFLORA CH35 A Viniflora CH35 foi selecionada pela sua capacidade de promover a FML em vinhos difíceis. Esta estirpe tem excelente tolerância a baixos ph e a níveis elevados de SO 2. VINIFLORA OENOS A Viniflora Oenos foi selecionada pelas suas fantásticas performances, protagoniza uma FML rápida e limpa dos vinhos. Viniflora Freasy 50HL Formato disponível para conservar no seu congelador a 15ºC 17

18 FERMENTAÇÃO MALOLÁTICA VINIFLORA CINE Única estirpe comercial disponível no mercado, selecionada com metabolismo citrato negativo, não degrada o ácido cítrico, não aumenta a acidez volátil, não produz aromas típicos de fermentação malolática (ex: diacetilo), realça caráter Floral/Frutado, mantém a frescura. Ideal para vinhos tintos, brancos e rosados. Representa uma Inovação no processo de fabrico de vinhos com perfil fresco e frutado. VINIFLORA CH16 Estirpe especialmente selecionada pela sua incrível capacidade de completar a FML em vinhos de elevado teor alcoólico (16 vol. %) com ph superior a 3.4. Ideal para vinhos tintos de regiões quentes. BACTIV AID Nutriente específico seleccionado para facilitar a Fermentação Malolática. Ajuda fundamental em FML Sequencial. Cinética da FML em Tempranillo (ph 3,5) Co-inoculação e Inoculação Sequencial 18

19 INOVAÇÃO NEW! VINIFLORA NoVA Esta é uma estirpe de Lactobacillus plantarum é capaz de completar a FML sem produzir ácido acético. É homofermentativo em mosto/vinho. Protege o seu mosto mesmo com baixas quantidades de sulfuroso < 15 ppm. Revela intensos aromas florais/frutados devido à actividade Esterease e β- glucosidase. VINIFLORA SPARTA A Estirpe para condições extremas. Em zonas de climas frios os mostos/vinho base tem os seguintes parâmetros: NEW! Baixo ph < 3.2 Nível de SO 2 elevado (>50 ppm) Baixo nível de nutrientes (especialmente YAN) Baixas temperaturas de fermentação (< 18 C) A estirpe para realizar a FML em condições de stress elevadas para o O. Oeni! 19

20 EXCELLENCE E2F Levedura selecionada para a elaboração de vinhos efervescentes em método tradicional, vinhos de base e prise de mousse e paragens de fermentação. Impressionantes capacidades fermentativas e pureza aromática. Dotada de uma excelente capacidade de adaptação e de resistência a meios hostis (ph, temperatura e níveis de azoto baixos). EF2 permite um consumo rápido e completo dos açucares. Preserva a tipicidade aromática da casta. NEW! ESPUMANTES GAMA E2F CONSERVAÇÃO AROMÁTICA NEW! CONSERVAÇÃO AROMÁTICA WHITESULPHUR WHITESULPHUR é uma preparação específica de leveduras inativas com cobre, PVPP e tanino, para vinhos brancos e rosados. Específico para vinhos brancos e rosados, o WHITHESULPHUR, regula o equilíbrio entre a acidez e o amargor. Graças à sua fórmula, podemos prevenir o aparecimento de aromas de redução, realçando o carácter frutado. Pelas suas características, está indicado para o tratamento e prevenção de aromas de redução nas suas diversas formas, sendo apto para o tratamento de sulfídricos, metionol, mercaptanos e outros compostos enxofrados. Vinhos Brancos e Rosados, 5 g/hl conferem: 1 mg/l de cobre e 1 g/hl de PVPP ADJUVANTE E2F Formulação líquida de bentonite e alginato. O Adjuvante E2F é um adjuvante de tiragem que permite otimizar as operações de remuage, reduzir o tempo desta operação, em vinhos espumantes em método tradicional. Forma um depósito compacto, antiaderente e fácil de remover. Esta Bentonite líquida é neutra do ponto de vista organoléptico. TANINSULPHUR TANINSULPHUR é uma preparação específica de leveduras inativas com cobre e tanino para vinhos tintos. A Ação conjunta dos taninos com a levedura inativa ajuda a realçar a identidade dos vinhos fechados, mostrando toda a sua complexidade aromática e potencial. A fórmula específica do TANINSULPHUR, ajuda a eliminar aromas de redução, nas suas diversas formas, sendo apto para o tratamento de compostos enxofrados de baixo peso molecular como, sulfídricos, metionol, mercaptanos, e outros compostos enxofrados. Vinhos Tintos, 5 g/hl conferem: 1 mg/l de cobre 20

21 ESTABILIZAÇÃO AROMÁTICA NEW! AROMA T N T É uma preparação que associa leveduras inertes ricas em GSH (glutatião) e enzima β- glicosidase. Para uma valorização aromática de vinhos brancos e rosados, com o desenvolvimento de terpenos e norisoprenóides-c13, protegendo os aromas libertados. Poderá ser usado desde início da FA até durante o estágio. 20 a 40 g/hl AROMA PROTECT Este produto é composto por levedura inativa naturalmente rica em aminoácidos sulfurados (cisteína, NAC, glutationa). É um ativador da segunda geração. Ajuda a proteger os aromas dos vinhos brancos e rosés. 30 g/hl 21

22 NUTRIÇÃO SUSTENTÁVEL Nutrição Sustentável Segurança e garantia de qualidade A nutrição azotada das levedura é um ponto chave na gestão da fermentação alcoólica. Para assegurar uma F.A completa e impedir a ocorrência de desvios organolépticos, é essencial contrariar as deficiências em factores de crescimento e sobrevivência. OENOSTIM Este é um ativador da segunda geração. Combina micronutrientes, como vitaminas, minerais, ácidos gordos e esteróis facilmente assimiláveis pelas leveduras directamente na fase de rei- dratação, que limitam os riscos de fermentação. A utilização de Oenostim permite uma melhor expressão de qualidade das uvas. 30 g/hl VITACTIF Ativador à base de sais de amónio, tiamina e e de factores de sobrevivência e crescimento. Tem um papel importante na implantação da cultura e favorece a forte multiplicação de leveduras. 30 g/hl correspondem a 42 mg/l de azoto assimilável e a 0,39 mg de tiamina VITAFERMENT Activador da F.A. à base de sais de amónio e tiamina (vitamina B1). Ajuda a multiplicação da levedura e reduz os desvios de fermentação. 30 g/hl correspondem a 63 mg/l de azoto assimilável e a 0,39 mg de tiamina 22

23 NUTRIÇÃO SUSTENTÁVEL GRANUCEL Microcelulose cristalizada pura. É um corrector de turbidez e suporte de leveduras para a vinificação de vinhos brancos e rosés. Utiliza-se em vinhos tintos com desencuba precoce, amuos ou paragens de fermentação. Tem um efeito de apoio de fixação ás leveduras e permite a manutenção de uma fermentação homogénea em mostos muito clarificados. 20 g/hl aumentam a turbidez em 60 NTU OPTIFLORE É um nutriente completamente orgânico à base 20 aminoácidos (Metionina, ) e parede celular de leveduras para assegurar uma fermentação alcoólica regular e completa. Optiflore garante á levedura um melhor equilíbrio nutricional. 30 g/hl correspondem a 15 mg/l de aminoácidos. ACTIBIOL Bioativador de F.A. à base de paredes celulares de levedura, leveduras inactivas e elementos de suporte (celulose). Promove o crescimento de leveduras e facilita o final de fermentação. Também utilizado em amuos ou paragens de fermentação. BIOFIX Regulador da fermentação alcoólica, Biofix ajuda o final da fase de fermentação. Além disso, facilita o reinício da fermentação. O Biofix absorve as toxinas, resíduos de pesticidas e outros inibidores de fermentação responsáveis por fermentações difíceis. 23

24 ESTABILIZAÇÃO/CLARIFICAÇÃO GAMA NATUR NATUR SOFT É uma preparação específica de parede celular de levedura rica em polissacáridos dedicada a vinhos tintos. É um produto 100% natural utilizado na fermentação para aumentar a estabilidade de compostos fenólicos, diminuir a perceção de notas de adstringência, amargor e vegetal, e revelar a fruta e conferir volume de boca. 30 g/hl Dose máxima legal 40 g/hl. POLIMIX NATUR É uma associação específica de Bentonite, PVPP e Paredes de Leveduras, para o tratamento preventivo ou curativo da oxidação dos mostos e dos vinhos. Polimix Natur melhora a cor, o Aroma e o Sabor dos vinhos brancos e rosados. Tratamento preventivo: 15 a 30 g/hl.. Tratamento curativo: até 100 g/hl.. Dose máxima legal

25 ESTABILIZAÇÃO/CLARIFICAÇÃO GAMA GREENFINE NEW! GREENFINE PRESS Associação de uma proteína de ervilha bentonite cálcica e paredes de levedura particularmente adaptada à colagem de vinhos de prensa, melhorando substancialmente a sua características organolépticas. 20 a 100 g/hl. GREENFINE MUST Preparação em pó de gelatina vegetal (ervilha) para a clarificação, estabilização e melhoramento as características organolépticas de vinhos brancos, tintos ou rosés. Particularmente eficiente sobre os compostos responsáveis pela oxidação. 5 a 20 g/hl. GreenFine Must «sustainable fining» 14 A280 = Compostos fenólicos totais A320 = acidos fenólicos = «suporte de oxidação» Temoin GFM20 GFM A420 = Compostos fenólicos oxidados 2 NEW! GREENFINE WINE Associação de uma proteína de ervilha particularmente reativa com os taninos mais adstringentes, associada a tanino gálico. É uma alternativa a todas as proteínas de origem animal para clarificação e melhoramento das propriedades organolépticas de vinhos de guarda. 5 a 30 g/hl

26 TANINOS Taninos de dissolução instantânea Os taninos em enologia são de suma importância protegendo os vinhos da oxidação e preservando as suas características. PRO TANIN R Taninos proantocianidínico específica para vinhos tintos. Limita o risco de precipitação da matéria corante e reforça o poder antioxidante, melhorando assim a estabilidade do vinho ao longo do tempo. Vindima sã: 20 a 60 g/hl. Vindima alterada: 40 a 80 g/hl. Colagem: 5 a 15 g/hl. GALLOTANIN B Tanino enológico de castanho, que favorece a colagem de vinhos brancos e rosés. 5 a 15 g/hl. HARMOTAN Seleção de taninos proantocianidínico e elágicosgraças às suas características antibacterianas, antioxidantes e inibidoras da lacase, facilita. o estágio e clarificação de vinhos tintos. Vinho Tinto: 10 a 40 g/hl. VINITAN Tanino extraído da película e da grainha de uva, ideal para vinhos tintos de guarda. Aumenta a estrutura e complexidade do seu vinho. 5 a 30 g/hl. TANIN GALLIQUE À L ALCOOL Tanino da galha de carvalho, extraído com álcool. Pelo sua carácter antioxidante, antisséptico e inibidor da atividade da lacase protege as qualidades organolépticas e aromáticas de vinho vinhos brancos e rosés. Utilizado como auxiliar de colagem, acelera a precipitação de proteínas em excesso. Vinho Branco/ Rosado: 3 a 10 g/hl. Vinho espumante: 2 a 4 g/hl. TANIN SPECIAL CHÊNE Tanino extraído de uma rigorosa seleção dos melhores carvalhos de Limousin, que garante a sua grande finesse com taninos específicos para vinho tinto de qualidade. Vinho Tinto: 5 a 15 g/hl. Vinho Branco/ Rosado: 3 a 10 g/hl. EXCELTAN Preparação de tanino enológico, à base de taninos de uva (proantocianidínico) e de taninos elágicos, utilizado em estágio de vinhos tintos de qualidade. : Vinho Tinto: 10 a 50 g/hl. 26

27 TANINOS GAMA SOFTAN SOFTAN V Taninos naturais ligados a polissacáridos vegetais. Destina-se à estabilização da cor criando ligações estáveis com as antocianas. 10 a 60 g/hl. SOFTAN S Taninos naturais e tostados associados com polissacáridos de origem vegetal. Contém taninos de carvalho de elevada qualidade e catéticos. Participa na estabilização da cor, e realça as qualidades intrínsecas do vinho, como a estrutura, redondez e a complexidade aromática. Vinho Tinto: 5 a 20 g/hl Vinho Branco/ Rosado: 2 a 10 g/hl Vinho Tinto com defeito: 20 a 60 g/hl SOFTAN P Taninos naturais associados com polissacáridos de origem vegetal. Vinho Tinto: 5 a 20 g/ hl. Vinho Branco/ Rosado: 2 a 10 g/hl. SOFTAN FINAL TOUCH Tanino de carvalho associado a polissacáridos, destinado à utilização durante o estágio. Confere aos vinhos tintos, brancos ou rosados estrutura, redondez e complexidade aromática. Vinho Tinto: 5 a 20 g/hl Vinho Branco/ Rosado: 2 a 10 g/hl Vinho Tinto com defeito: 20 a 60 g/hl 27

28 MADEIRAS APARAS Oenobois Um know-how único Para alcançar os produtos finais desta marca toda a madeira de carvalho é selecionada rigorosamente e adquirida diretamente aos produtores de Carvalho. Existe um diário de produção rigoroso de forma a controlar a qualidade e rastreabilidade até à parcela de floresta. A transformação e torrefação do carvalho faz-se em fábrica própria, não existindo qualquer intermediário. Juntando tudo isso à larga experiência enológica obtemos produtos únicos e de alta qualidade. Copeaux Chene US Tosta Medium Esta tosta de carvalho americano apresenta um vasto painel de aromas, como caramelo, nozes tostadas, baunilha, adequados a vinhos frutados e suaves. Aumenta a expressão da fruta e da frescura natural. Copeaux Chene US Tosta Médium Plus Esta tosta é caracterizada por aromas de café, amêndoas doces tostadas, especiarias, castanhas assadas. É adequada para vinhos ricos em aromas de fruta madura. Copeaux Chene FR Tosta Fresh Aparas de carvalho francês variedade de Quercus robur e Quercus petraea. As madeiras utilizadas para o desenvolvimento deste produto são unicamente de florestas francesas. Copeaux Chene FR Tosta Light Carvalho francês ligeiramente tostado apresentando aromas de creme de baunilha, amêndoas doces fresca, chá e tabaco doce. Esta tosta é particularmente apropriada vinhos tintos frutados e tânicos uma vez que ajuda a suavizar os taninos e a preservar a tipicidade do vinho. Em vinhos brancos revela notas minerais e cítricas. Copeaux Chene FR Tosta Medium Esta tosta combina a doçura da baunilha e caramelo com aromas complexos de especiarias doces, canela e amêndoa. É ideal para vinhos intensos e complexos. Copeaux Chene FR Tosta Médium Plus A riqueza e intensidade caracteriza esta tosta, com aromas de moca, caramelo, café torrado, amêndoa torrada e creme brulée. Combina bem com vinhos ricos, poderosos e bem estruturados. Aporta complexidade aromática, doçura e persistência. 28

29 MADEIRAS NEW! GAMA OENOBLEND Oenoblend Pure Mistura de carvalho Francês e Americano em diferentes tostas, dando notas Frescas e Frutadas. ŒNOBOIS STICK Produto único criado e desenvolvido em 2007, com o objectivo de imitar o efeito da barrica. Devido à sua forma única permite a extração progressiva de compostos aromáticos e de elagitaninos. Oenoblend Chic Mistura de carvalho Francês e Americano em diferentes tostas, dando notas discretas a Madeira fresca e Especiarias. Oenoblend Fun Mistura de carvalho Francês e Americano em diferentes tostas, dando notas Gulosas e Doces. VB e Rosé: 0,5 a 2 g/l Vinho Tinto: 1 a 4 g/l STICK PARA BARRICAS Stick inside Carvalho francês tosta medium e medium plus. INSERTS PARA BARRICAS Oak Inside Esferas de 2,5 cm de diâmetro, que tornam a sua adição aos barris usados fácil e invisível. Carvalho francês e americano nas tosta médium e médium plus. 29

30 COLAGEM ANTIOXIDANTES / POLICOMPOSTOS Nome do produto Formulação Dose de aplicação Função PVPP 100% PVPP 5-50 g/hl Estabilização preventiva e curativa da oxidação e pinking CLARFINE PVPP sobre suporte de celulose g/hl CASEINATO DE POTÁSSIO POLYMIX SUPRAMIX Caseinato de potássio micronizado puríssimo Associação de Caseinato e PVPP sobre suporte de celulose Associação de caseína solúvel e bentonite específica g/hl g/hl g/hl em branco e rosé Estabilização preventiva e curativa da oxidação e pinking Tratamento preventivo ou curativo da oxidação. Elimina compostos fenólicos Tratamento preventivo ou curativo da oxidação. Melhora a cor e o sabor Tratamento da oxidação e estabilização proteica BENTONITES / GEL DE SÍLICA Nome do produto Formulação Dose de aplicação Função BENTOSOL PROTECT Bentonite sódica natural g/hl Clarificação e estabilização proteica, respeita a qualidade aromática do vinho BENTOSOL CALCIQUE Bentonite cálcica natural g/hl Clarificação e estabilização proteica BENTONITE VOLCLAY Bentonite sódica natural g/hl Clarificação e estabilização proteica ADJUVANTE E2F Preparação líquida de bentonite e alginato ml/hl Clarificação e estabilização proteica Adjuvante de 2ª fermentação para fabrico de vinhos espumantes PENTAGEL Bentonite sódica super ativada g/hl Clarificação e estabilização proteica E-BENTHON SUPER Bentonite sódica ativada de elevada eficácia g/hl Clarificação e estabilização proteica, rápida e boa compactação de borras CLARFLOT Associação de bentonite e PVPP 20 a 100 g/hl BLANKASIT SUPER Suspensão coloidal ácida de dióxido de sílica ml/hl em tinto ml/hl em branco e rosé Controlo da cor e estabilização proteica. Previne a oxidação, e elimina os compostos oxidados Clarificação de vinhos ricos em colóides colmatantes. Utilizar com colas proteicas GEL DE SILICE Suspensão coloidal alcalina de dióxido de sílica 30 ml/hl Auxiliar de clarificação de vinhos. Utilizar com colas proteicas XILES 40 Suspensão aquosa de dióxido de sílica a 40% g/hl Forte clarificante. Utilizar com colas proteicas 30

31 REGULADORES ph REGULADORES DE PH PURAC VIN Solução concentrada (88%) de ácido láctico. A utilização de Purac Vin nos vinhos evita formação de precipitados devido à sua elevada solubilidade, representa uma maior estabilidade contra ataques microbianos passíveis de provocar alterações nos vinhos, e proporciona uma maior suavidade e persistência no paladar. O Purac Vin contribui para a estabilidade química do vinho, e o teor em ácido láctico não diminui após estabilização pelo frio, não precipitando por causa das combinações iónicas. O nível de potássio não aumenta quando se adiciona Purac Vin. 1 g/l de ácido tartárico equivale a 1,4 ml/l de Purac Vin. ÁCIDO TARTÁRICO Acidificação química de mostos e vinhos. 1 g/l ácido tartárico aumenta a acidez total titulável, expressa em ácido tartárico, em 1 g/l A adição de ácido tartárico não pode fazer aumentar a acidez total inicial mais do que 4 g/l expressos em ácido tartárico ÁCIDO ASCÓRBICO - VITAMINA C Ação anti-oxidante, fixa rapidamente o oxigénio dissolvido no meio líquido, podendo impedir, por exemplo, a oxidação do ferro e, por consequência, a casse férrica. Influencia de modo positivo o aroma e o gosto do vinho mg/l. ÁCIDO CÍTRICO Acidificação química de mostos e vinhos Solubiliza o ferro instável pela formação do citrato de ferro solúvel (este ácido reservase para vinhos com pouca tendência para a casse férrica, teor em ferro <15 ppm, onde um tratamento com g/hl é muitas vezes suficiente). Teor final máximo em vinho: 1 g/l ÁCIDO MÁLICO Acidificação química de mostos e vinhos A adição de Ácido Málico não pode fazer aumentar a acidez total inicial mais do que 4 g/l expressos em ácido tartárico BICARBONATO DE POTÁSSIO Desacidificação química de mostos e vinhos 1 g/l KHCO3 reduz a acidez total titulável, expressa em ácido tartárico, em 1.5 g/l. CONSERVAÇÃO PENNY FUSTY Pastilha flutuante impregnada de cera puríssima com 17% de alil isocianato. 1 pastilha para volumes até L de 15 em 15 dias PENNY VACHE Pastilha flutuante impregnada de cera puríssima com 20% de alil isocianato. 1 pastilha para volumes até L de 15 em 15 dias 31

32 CONSERVAÇÃO CONSERVAÇÃO ST AROM Produto à base de Metabissulfito de Potássio, Ácido Ascórbico e Tanino Gálico. Apresenta as Acções típicas do sulfuroso, combinadas com a ação antioxidante do ácido ascórbico; O reduzidíssimo potencial Redox evita fortemente a oxidação dos compostos da uva, compostos terpénicos incluídos: 20 g/100 kg adicionam: - 5 g/hl de SO 2-10 g/hl de ácido ascórbico - 2 g/hl de tanino gálico SOLUÇÃO STERILIS 15 Solução de bissulfito de potássio a 15% (*SO 2 total+ = 150 g/l) Ação antioxidante, ação antioxidásica, ação antimicrobiana; ação solubilizante, ação clarificante. SOLUÇÃO SULFUROSA 6 Solução de anidrido sulfuroso a 6% (*SO 2 total+ = 60 g/l) Ação antioxidante, ação antioxidásica, ação antimicrobiana; ação solubilizante, ação clarificante. COEFF 2 / COEFF 5 Pastilhas efervescentes (brancas, sólidas e inodoras) de metabissulfito de potássio - Uma pastilha de COEF 2 liberta 20 mg/l SO2 total - Uma pastilha de COEF 5 liberta 50 mg/l SO2 total FERMENTICIDE VINOGALLICINE Metabissulfito de Potássio alcalino (92%) e Tanino Gálico Acções típicas do sulfuroso, sendo que a sua acção antioxidásica sobre a polifenoloxidase lacase é mais efectiva devido à presença de Galotaninos; O conteúdo em Tanino Gálico previne possíveis problemas de sulfídrico; 10 g/hl adicionam: - 4,6 g/hl de SO 2 puro - 1,6 g/hl de tanino gálico A sua aplicação antes do engarrafamento permite alargar a juventude dos vinhos em garrafa. SORBENOL O Sorbato de Potássio é um conservane utilizado para vinhos adamados. A sua acção fungiástica previne possíveis refermentações em garrafa. Deve ser aplicado antes do engarrafamento ao vinho com um teor de sulfuroso livre de 40 ppm. máxima legal: 20 g/hl METABISSULFITO DE POTÁSSIO Produto a 100%. Ação antioxidante, ação antioxidásica, ação antimicrobiana; ação solubilizante, ação clarificante. ANIDRIDO SULFUROSO GASOSO Ação antioxidante, ação antioxidásica, ação antimicrobiana; ação solubilizante, ação clarificante. 32

33 33

34 ANGELO COIMBRA

biotecnologia ao serviço da enologia Proenol investigar, produzir, aconselhar

biotecnologia ao serviço da enologia Proenol investigar, produzir, aconselhar biotecnologia ao serviço da enologia Proenol investigar, produzir, aconselhar Vindima 2013 1. Vinificação Vinho Branco 2. Vinificação Vinho Rosé 3. Vinificação Vinho Tinto 4. Enzimas 5. Clarificantes e

Leia mais

Produção de Vinhos Espumantes

Produção de Vinhos Espumantes Produção de Vinhos Espumantes Proenol Indústria Biotecnológica Fernando Pedrosa Estação Vitivinícola Amândio Galhano 12 de Dezembro de 2014 Agenda Produção vinho base Viticultura Vinificação Produção de

Leia mais

PREMISSA: O consumidor escolhe com o nariz

PREMISSA: O consumidor escolhe com o nariz TÉCNICAS DE VALORIZAÇÃO DOS AROMAS DOS VINHOS Gianni Triulzi I&D Enartis PREMISSA: O consumidor escolhe com o nariz O consumidor escolhe com o nariz A recordação de um aroma é mais duradoura que das imagens

Leia mais

Catálogo de vindima 2012

Catálogo de vindima 2012 Catálogo de vindima 2012 índice Proteção das uvas 4 VINIFICAÇÃO DE BRANCOS 5 VINIFICAÇÃO DE TINTOS 15 NUTRIÇÃO DA LEVEDURA 23 MADEIRAS ENOLÓGICAS 25 GESTÃO DO OXIGÉNIO 26 FERMENTAÇÃO MALOLÁCTICA 28 HIGIENIZAÇÃO

Leia mais

Produção de Graspa. Jean Pierre Rosier. Eng. Agr. Dr. Em Enologia

Produção de Graspa. Jean Pierre Rosier. Eng. Agr. Dr. Em Enologia Produção de Graspa Jean Pierre Rosier Eng. Agr. Dr. Em Enologia Histórico Regiões montanhosas e frias Álcool >>>> medicamentos +/- 1.400 > Norte Itália >1 a produção Consumo: Com Café ou Pura Pela manhã

Leia mais

Aplicação de enzimas na indústria de sucos e vinhos. Prof.Raquel Grando de Oliveira rgrando@gmail.com

Aplicação de enzimas na indústria de sucos e vinhos. Prof.Raquel Grando de Oliveira rgrando@gmail.com Aplicação de enzimas na indústria de sucos e vinhos Prof.Raquel Grando de Oliveira rgrando@gmail.com Tipos de sucos Naturais: frutas espremidas, maceradas Em pó: desidratação Concentrados: redução do volume,

Leia mais

O SO 2 em Vinificação

O SO 2 em Vinificação O SO 2 em Vinificação José Carvalheira - EVB Resumo da apresentação: 1. Origem da utilização do SO 2 2. Propriedades do SO 2 3. Efeitos fisiológicos 4. Estados em que o SO 2 se pode encontrar 5. Moléculas

Leia mais

biotecnologia ao serviço da enologia Proenol investigar, produzir, aconselhar

biotecnologia ao serviço da enologia Proenol investigar, produzir, aconselhar biotecnologia ao serviço da enologia Proenol investigar, produzir, aconselhar Vindima 2009 1. Higiene 2. Pré-fermentação 3. Fermentação Alcoólica 4. Fermentação Maloláctica 5. Protocolos de Vinificação

Leia mais

ARROJO 2011 BRANCO DOC DOURO

ARROJO 2011 BRANCO DOC DOURO Clique aqui e conheça os prêmios desse produtor ARROJO 2011 BRANCO DOC DOURO Teor Alcoólico: 12,50 %vol. Acidez Total: 5,30 g/l Ácido Tartárico. Açucares redutores: 2,00 g/dm³ PH: 3,33. Castas: Malvasia

Leia mais

Doenças e contaminações microbianas dos vinhos

Doenças e contaminações microbianas dos vinhos Doenças e contaminações microbianas dos vinhos M. Cecília S. R. Gomes DRAPCentro Embora a célebre frase de Pasteur le vin est la plus saine et la plus hygiénique des boissons, em muitos aspectos, ainda

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 299, DE 17 DE JUNHO DE 2010

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 299, DE 17 DE JUNHO DE 2010 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 299, DE 17 DE JUNHO DE 2010 Nota: Prazo Encerrado O SECRETÁRIO SUBSTITUTO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO

Leia mais

QUINTA DO POÇO DO LOBO RESERVA. COLHEITA 2009 Região Bairrada DOC. Castas Baga (35%), Touriga Nacional (50%) e Cabernet Sauvignon (15%)

QUINTA DO POÇO DO LOBO RESERVA. COLHEITA 2009 Região Bairrada DOC. Castas Baga (35%), Touriga Nacional (50%) e Cabernet Sauvignon (15%) QUINTA DO POÇO DO LOBO RESERVA COLHEITA 2009 Bairrada DOC Baga (35%), Touriga Nacional (50%) e Cabernet Sauvignon (15%) As melhores uvas criadas na nossa Quinta do Poço do Lobo foram vindimadas manualmente,

Leia mais

Bodega: Ruta Nacional 143, entre calle 5 y 6, San Rafael, Mendoza. Argentina Oficina Buenos Aires: Humboldt 1550, 4 - Of 411 - (1425) Buenos Aires

Bodega: Ruta Nacional 143, entre calle 5 y 6, San Rafael, Mendoza. Argentina Oficina Buenos Aires: Humboldt 1550, 4 - Of 411 - (1425) Buenos Aires Bodega: Ruta Nacional 143, entre calle 5 y 6, San Rafael, Mendoza. Argentina Oficina Buenos Aires: Humboldt 1550, 4 - Of 411 - (1425) Buenos Aires Tel: +54 11 4777 7872 E-mail: info@bodegamarcozunino.com

Leia mais

PEDRA ESCRITA SOLO GRANÍTICO ALTITUDE 575 MTS

PEDRA ESCRITA SOLO GRANÍTICO ALTITUDE 575 MTS QUINTA DA PEDRA ESCRITA SOLO GRANÍTICO ALTITUDE 575 MTS QUINTA DA PEDRA ESCRITA DOURO SUPERIOR: GRANITO E ALTITUDE A Quinta da Pedra Escrita está localizada em Freixo de Numão, no Douro Superior, a uma

Leia mais

O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova!

O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova! NOVA GARRAFA NOVO RÓTULO A QUALIDADE QUE VOCÊ JÁ CONHECE O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova! A LINHA DE VinhoS de Mesa MioranZa ACABA DE GANHAR UMA NOVA EMBALAGEM. MODERNA E ELEGANTE,

Leia mais

A Água Cervejeira - Dragon Bier institute

A Água Cervejeira - Dragon Bier institute A Água Cervejeira - Dragon Bier institute Ação Ions Hidrogênio e Hidroxila, estão sempre presentes, e o valor ph é decorrente da relação entre esses ions. Predominância de H+, resultado ácido, baixo ph

Leia mais

Vinificações Especiais. José Carvalheira EVB/LQE-DRAPC

Vinificações Especiais. José Carvalheira EVB/LQE-DRAPC Vinificações Especiais José Carvalheira EVB/LQE-DRAPC Tecnologia de Vinhos Licorosos (Abafados, Jeropigas, Colheita Tardia e Vinho do Porto) «14. Vinho licoroso: o produto: B. Com: - um título alcoométrico

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MICRORGANISMOS

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MICRORGANISMOS CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MICRORGANISMOS Características fisiológicas das bactérias Oxigênio Temperatura Água Concentração hidrogênionica do meio (ph) Oxigênio Temperatura ambiental Grupo Temp. Temp.

Leia mais

Análise físico-química de uvas e mostos. José Carvalheira EVB/LQE-DLAL

Análise físico-química de uvas e mostos. José Carvalheira EVB/LQE-DLAL Análise físico-química de uvas e mostos José Carvalheira EVB/LQE-DLAL Análise físico-química de uvas e mostos Objectivo Composição em açúcares: Composição em ácidos: Maturação fenólica: Estado sanitário:

Leia mais

ANEXO COMPLEMENTAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO VINHO E DOS DERIVADOS DA UVA E DO VINHO

ANEXO COMPLEMENTAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO VINHO E DOS DERIVADOS DA UVA E DO VINHO ANEXO COMPLEMENTAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO VINHO E DOS DERIVADOS DA UVA E DO VINHO PARTE I INTRODUÇÃO 1 OBJETIVO Esta norma tem por objeto complementar os Padrões de Identidade e Qualidade

Leia mais

E OS SEUS BENEFÍCIOS

E OS SEUS BENEFÍCIOS E OS SEUS BENEFÍCIOS A principal função do leite é nutrir (alimentar). Além disso, cumpre as funções de proteger o estômago das toxinas e inflamações e contribui para a saúde metabólica, regulando os processos

Leia mais

catalogo2.indd 1 10/03/2013 22:04:37

catalogo2.indd 1 10/03/2013 22:04:37 catalogo2.indd 1 10/03/2013 22:04:37 1 Vinho Tinto Seco Fino Cabernet Sauvignon Uva originária da França, produz um vinho tinto seco de cor vermelho-rubi, com reflexos violáceos, boa intensidade e lágrimas

Leia mais

Linhas gerais da fabricação do saquê

Linhas gerais da fabricação do saquê Resultados da aprendizagem Linhas gerais do conhecimento de como fazer saquê. Consulte o Capítulo 8 para detalhes das diferenças entre os tipos. Conhecimento de Koji e seu papel Conhecimento de shubo /

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E CARACTERÍSTICAS DOS ANTIOXIDANTES

CLASSIFICAÇÃO E CARACTERÍSTICAS DOS ANTIOXIDANTES ANEXO : COMPLEMENTAÇÃO TEORIA CLASSIFICAÇÃO E CARACTERÍSTICAS DOS ANTIOXIDANTES 1 Antioxidantes para sistemas medicamentosos lipófilos: 1.1 NATURAIS: a) Tocoferóis: São líquidos viscosos de cor amarelada,

Leia mais

TECNOLOGIA DO FRIO NA INDÚSTRIA VITIVINÍCOLA

TECNOLOGIA DO FRIO NA INDÚSTRIA VITIVINÍCOLA www.google.pt TECNOLOGIA DO FRIO NA INDÚSTRIA VITIVINÍCOLA O VINHO Há2 milhões de anos jácoexistiam as uvas e o homem que as podia colher (Hugh Johnson, The Story of Wine(1989) Na União Europeia, o vinho

Leia mais

Processamento do Iogurte Gordo Sólido

Processamento do Iogurte Gordo Sólido Escola Superior Agrária De Coimbra Processamento Geral dos Alimentos Processamento do Iogurte Gordo Sólido Trabalho realizado por: Pedro Sá nº20603025 Ana Oliveira nº 20603030 Lénia Belas nº 20603031 Elisabete

Leia mais

AnAs Tinto 2012 Vinho Tinto

AnAs Tinto 2012 Vinho Tinto AnAs 2012 Vinho A, situada na Vidigueira, em pleno coração do, foi AnAs As vinhas da foram plantadas na margem do Rio Guadiana, que corre magestoso à nossa porta, em solos franco-argilosos e pedregoso

Leia mais

Iogurte Sólido com Aroma

Iogurte Sólido com Aroma Escola Superior Agrária de Coimbra Licenciatura Engenharia Alimentar Processamento Geral dos Alimentos Iogurte Sólido com Aroma Elaborado por: Joana Rodrigues nº 20703020 José Sousa nº 20708048 Luís Jordão

Leia mais

Com a missão de explorar este tesouro

Com a missão de explorar este tesouro DOURO PORTUGAL Quem somos A Quinta do Javali é uma pequena propriedade de cerca de 20 ha dos quais dez são destinados a plantação de vinha. Localiza se junto à margem esquerda do rio Douro na freguesia

Leia mais

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras MEIOS DE CULTURA Associação equilibrada de agentes químicos (nutrientes, ph, etc.) e físicos (temperatura, viscosidade, atmosfera, etc) que permitem o cultivo de microorganismos fora de seu habitat natural.

Leia mais

SEGREDOS DO MUNDO DA QUÍMICA: OS MISTERIOSOS RADICAIS LIVRES

SEGREDOS DO MUNDO DA QUÍMICA: OS MISTERIOSOS RADICAIS LIVRES Universidade de Évora Departamento de Química Vânia Pais Aluna do Curso de Mestrado em Química Aplicada SEGREDOS DO MUNDO DA QUÍMICA: OS MISTERIOSOS RADICAIS LIVRES Com o passar dos anos, o aumento da

Leia mais

Multi Star Adulto 15kg e 5kg

Multi Star Adulto 15kg e 5kg Multi Star Adulto 15kg e 5kg Proteína Bruta Extrato Etéreo (Mín.) 21% (Mín.) 8% Matéria Mineral Matéria Fibrosa (Máx.) 8% (Máx.) 4% Cálcio (Máx.) 1,8% Fósforo (Mín.) 0,8% Carne de Frango e Arroz Extrato

Leia mais

CAFÉ COQUETÉIS. destruídos, restando apenas a cafeína, que não é destruída com a excessiva

CAFÉ COQUETÉIS. destruídos, restando apenas a cafeína, que não é destruída com a excessiva Café Coquetéis CAFÉ COQUETÉIS O café é uma bebida estimulante, agradável, reanimadora, que apresenta aroma e sabor característicos e é capaz de agradar aos mais variados paladares. Versátil, compõe receitas

Leia mais

COMPLEMENTAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO VINHO E DOS DERIVADOS DA UVA E DO VINHO

COMPLEMENTAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE DO VINHO E DOS DERIVADOS DA UVA E DO VINHO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 55, DE 27 DE JULHO DE 2004 Nota: Prazo encerrado O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO

Leia mais

BRIGADERIA VEGANA APRESENTAÇÃO

BRIGADERIA VEGANA APRESENTAÇÃO BRIGADERIA VEGANA APRESENTAÇÃO UM SONHO Nascido de um Sonho de promover, para o público vegano, o doce mais brasileiro do mundo: o Brigadeiro Gourmet! Com ingredientes nobres e selecionados, proporcionamos

Leia mais

Fabricação de Bebidas Cerveja

Fabricação de Bebidas Cerveja Fabricação de Bebidas Cerveja Processos Químicos Industriais II 01/12/2011 1 Bebidas Fermentadas & Destiladas A fabricação de bebidas fermentadas evoluiu de uma concepção artesanal para um processo contendo

Leia mais

CVIP COOPERATIVA VITIVINÍCOLA DA ILHA DO PICO, C.R.L. Catálogo. VINHOS DO PICO Produtos CVIP

CVIP COOPERATIVA VITIVINÍCOLA DA ILHA DO PICO, C.R.L. Catálogo. VINHOS DO PICO Produtos CVIP CVIP COOPERATIVA VITIVINÍCOLA DA ILHA DO PICO, C.R.L. Catálogo VINHOS DO PICO Produtos CVIP Quality Crown - Londres 2002 A vitivinicultura na Ilha do Pico Oreconhecimento da excelente qualidade das tradicionais

Leia mais

31/01/2015. Programa. Paulo Figueiredo paulo@pfigueiredo.org

31/01/2015. Programa. Paulo Figueiredo paulo@pfigueiredo.org Paulo Figueiredo paulo@pfigueiredo.org Programa 1. Processos de alteração dos alimentos: físicos, químicos e biológicos. 2. Processos de conservação de alimentos: métodos fermentativos, conservantes alimentares,

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 2009R0606 PT 23.02.2013 003.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B REGULAMENTO (CE) N. o 606/2009 DA COMISSÃO de 10 de Julho de 2009 que estabelece

Leia mais

Alimentos e Bebidas Vinhos e Espumantes

Alimentos e Bebidas Vinhos e Espumantes Comemorativo 80 Anos Este vinho foi especialmente elaborado para comemorar os 80 anos do patriarca Laurindo Brandelli, e os 20 anos da Vinícola Don Laurindo. O cuidado com a terra, o cultivo da videira,

Leia mais

1/3 xícara de Pecorino Romano, ou parmesão ralado na hora

1/3 xícara de Pecorino Romano, ou parmesão ralado na hora Receita da Vez: Fuzile ao Ragu de Cordeiro Um toque de glamour: Alecrim Vinho para Massa: Cabernet Sauvignon Música: Concheta - Língua de trapo". Sobremesa: Quindão Vinho para Sobremesa: Moscatel de Setubal

Leia mais

Qualidade de Vegetais Congelados. Novas Técnicas de Avaliação

Qualidade de Vegetais Congelados. Novas Técnicas de Avaliação . Novas Técnicas de Avaliação Elsa Gonçalves Ano 2003 Objectivos Revisão crítica do estado de conhecimento sobre: A influência do processo de congelação na qualidade dos produtos vegetais; Novas técnicas

Leia mais

PRODUÇÃO DE VINHOS ESPUMANTES

PRODUÇÃO DE VINHOS ESPUMANTES PRODUÇÃO DE VINHOS ESPUMANTES PRODUÇÃO DO VINHO BASE CLARIFICAÇÃO PROCLAIR BC Desenvolvido para a clarificação de mosto branco e rosado, após prensagem ou durante a primeira fermentação. Remove oxidases

Leia mais

M alva Real Portug al 1

M alva Real Portug al 1 1 2 WINE OF DOURO (Portugal) QUINTA DA FONTE NOVA D.O.C. O GRUPO MALVA REAL representa e distribui os vinhos do Douro QUINTA DA FONTE NOVA DOC. Trata-se de vinhos premiados e de alta qualidade, revelando

Leia mais

Estrutura 21-01-2014. Henrique Lopes - LQE/DRAPC. janeiro 2014

Estrutura 21-01-2014. Henrique Lopes - LQE/DRAPC. janeiro 2014 Na Conservação dos Vinhos Henrique Lopes - LQE/DRAPC janeiro 2014 Henrique.lopes@drapc.mamaot.pt SO 2 na Conservação dos Vinhos Estrutura 1. Introdução 2. Propriedades físico-químicas 3. Propriedades benéficas

Leia mais

Tecnologia de leites e derivados Prof. Andréa Matta Ristow PROCESSAMENTO DO IOGURTE

Tecnologia de leites e derivados Prof. Andréa Matta Ristow PROCESSAMENTO DO IOGURTE Tecnologia de leites e derivados Prof. Andréa Matta Ristow PROCESSAMENTO DO IOGURTE Leites Fermentados Exemplos: iogurte, bebidas lácteas fermentadas, coalhada, kefir, entre outros. A fermentação pode

Leia mais

Coagulação ST 502 ST 503. Discentes: : Alyson Ribeiro Daniel Morales Denise Manfio Jenifer Silva Paula Dell Ducas Wander Zapata

Coagulação ST 502 ST 503. Discentes: : Alyson Ribeiro Daniel Morales Denise Manfio Jenifer Silva Paula Dell Ducas Wander Zapata Coagulação e Floculação ST 502 ST 503 Docente: : Profº Peterson Bueno de Moraes Discentes: : Alyson Ribeiro Daniel Morales Denise Manfio Jenifer Silva Paula Dell Ducas Wander Zapata 1. Introdução A água

Leia mais

Instabilidade Tartárica

Instabilidade Tartárica Instabilidade Tartárica Os sais responsáveis por este fenómeno são: Bitartarato de potássio COOH CHOH CHOH COOK Tartarato neutro de cálcio CHOH CHOH COO COO Ca. 4 H 2 O A solubilidade destes sais em água,

Leia mais

Flotação Casos Práticos em Terrenos Lusos

Flotação Casos Práticos em Terrenos Lusos Flotação Casos Práticos em Terrenos Lusos EQUIPAMENTO Equipamento Opcional Utilização de Dosatron i. Melhoria no processo de homogeneização da gelatina ii. iii. Dosea a gelatina de acordo com o caudal

Leia mais

HISTÓRIA: PROCESSAMENTO LEITES FERMETADOS. Leite fermentado batido

HISTÓRIA: PROCESSAMENTO LEITES FERMETADOS. Leite fermentado batido LEITES FERMETADOS Profa.Dra.Vanerli Beloti HISTÓRIA: Consumido há século em todo Mediterrâneo Oriental Primeiro alimento transformado que se tem notícia na história da humanidade Iogurte é o mais popular

Leia mais

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA NUTRIÇÃO QUÍMICA CELULAR PROFESSOR CLERSON CLERSONC@HOTMAIL.COM CIESC MADRE CLÉLIA CONCEITO CONJUNTO DE PROCESSOS INGESTÃO, DIGESTÃO E ABSORÇÃO SUBSTÂNCIAS ÚTEIS AO ORGANISMO ESPÉCIE HUMANA: DIGESTÃO ONÍVORA

Leia mais

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi)

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi) Ficha técnica CHÁ VERDE COM CÓLAGENO, VITAMINA C E POLIDEXTROSE Pó para Preparo de Bebida a Base de Chá Verde, com Colágeno hidrolisado, vitamina C e polidextrose Sabor Abacaxi e frutas vermelhas REGISTRO:

Leia mais

Processo de Fabrico da Cerveja

Processo de Fabrico da Cerveja Escola Superior Agrária de Coimbra Licenciatura em Engenharia Alimentar PGA Processamento Geral de Alimentos Processo de Fabrico da Cerveja Turma 2 2009/2010 Introdução Como nos foi proposto estudar o

Leia mais

PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, DE DE DE 2009

PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, DE DE DE 2009 PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, DE DE DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição,

Leia mais

L 47/56 Jornal Oficial da União Europeia 20.2.2013

L 47/56 Jornal Oficial da União Europeia 20.2.2013 L 47/56 Jornal Oficial da União Europeia 20.2.2013 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) N. o 144/2013 DA COMISSÃO de 19 de fevereiro de 2013 que altera o Regulamento (CE) n. o 606/2009, no que respeita a determinadas

Leia mais

Módulos de filtro em profundidade SUPRApak A filtração em profundidade agora com fluxo até às extremidades. FBSUPRAPAKENBP-PTc

Módulos de filtro em profundidade SUPRApak A filtração em profundidade agora com fluxo até às extremidades. FBSUPRAPAKENBP-PTc Módulos de filtro em profundidade SUPRApak FBSUPRAPAKENBP-PTc Módulos de filtro em profundidade SUPRApak Eficientes, econômicos e inovadores, os módulos de filtro em profundidade SUPRApak são o futuro

Leia mais

"Kit para Análise de Vinho" Ref. No. 814 500

Kit para Análise de Vinho Ref. No. 814 500 "Kit para Análise de Vinho" Ref. No. 814 500 Rev.02.03 TESTE RÁPIDO CROMATOGRÁFICO PARA AVALIAÇÃO DA CONVERSÃO DO ÁCIDO MÁLICO PARA ÁCIDO LÁTICO NO VINHO (Degradação ácida biológica durante a segunda fermentação)

Leia mais

JARBAS BARBOSA DA SILVA JR.

JARBAS BARBOSA DA SILVA JR. Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública n 88, de 05 de outubro de 2015 D.O.U de 6/10/2015 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Treinamento Conservas de frutas 382

Treinamento Conservas de frutas 382 Para que haja boa conservação dos alimentos é importante que os produtos conservados mantenham suas qualidades nutritivas, seu aroma, sabor e que se eliminem as causas das alterações. As várias maneiras

Leia mais

Enzimas. Reações baratas e seguras; São altamente eficientes, acelerando a velocidade das reações (10 8 a 10 11 + rápida);

Enzimas. Reações baratas e seguras; São altamente eficientes, acelerando a velocidade das reações (10 8 a 10 11 + rápida); Enzimas Enzimas Enzimas - são proteínas de alta massa molecular (MM > 15000 Da) produzidas por células vivas e que têm a capacidade de aumentar a velocidade das reações biológicas por ativação específica

Leia mais

Processo de Elaboração

Processo de Elaboração As variedades que se utilizam para a elaboração do vinho base para este cava são Trepat e Garnacha. A colheita começa no final de Setembro com a variedade Trepat e finaliza a princípios de Outubro com

Leia mais

ÍNDICE BRAVEWHEY WHEY PROTEIN BRAVEWK2 PRÉ-TREINO BRAVECARBUS CARBO AMINOBRAVE BCAA BRAVEPURE CREATINA GLUTABRAVE L-GLUTAMINA OXYBRAVE TERMOGÊNICO

ÍNDICE BRAVEWHEY WHEY PROTEIN BRAVEWK2 PRÉ-TREINO BRAVECARBUS CARBO AMINOBRAVE BCAA BRAVEPURE CREATINA GLUTABRAVE L-GLUTAMINA OXYBRAVE TERMOGÊNICO ÍNDICE BRAVEWHEY WHEY PROTEIN BRAVEWK2 PRÉ-TREINO BRAVECARBUS CARBO AMINOBRAVE BCAA BRAVEPURE CREATINA GLUTABRAVE L-GLUTAMINA OXYBRAVE TERMOGÊNICO 04 05 06 07 08 09 10 BRAVEWHEY CONCENTRADO O BRAVEWHEY

Leia mais

Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida

Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida Ficha de trabalho de Biologia - 12º Ano Fermentação e actividade enzimática Nome: N º: Turma: Data: 1. A figura 1 representa um tipo de fermentação. Figura

Leia mais

CINZA. É o resíduo inorgânico que permanece após a queima da matéria orgânica, que é transformada em CO 2, H 2 O e NO 2.

CINZA. É o resíduo inorgânico que permanece após a queima da matéria orgânica, que é transformada em CO 2, H 2 O e NO 2. CINZA É o resíduo inorgânico que permanece após a queima da matéria orgânica, que é transformada em CO 2, H 2 O e NO 2. A cinza é constituída principalmente de: Grandes quantidades: K, Na, Ca e Mg; Pequenas

Leia mais

PRODUTOS DERIVADOS DO LEITE. Ângela Maria Fiorentini

PRODUTOS DERIVADOS DO LEITE. Ângela Maria Fiorentini PRODUTOS DERIVADOS DO LEITE Ângela Maria Fiorentini QUALIDADE DO LEITE Organoléptica Nutricional Físico-química Microbiológica LEITE E PRODUTOS Fonte : Rabobank, adaptado por Otavio A. C. De Farias LEITES

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE CERVEJAS

CONTROLE DE QUALIDADE CERVEJAS CONTROLE DE QUALIDADE CERVEJAS PRINCIPAIS ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS DA CERVEJA MATÉRIAS-PRIMAS ÁGUA MALTE CEREAIS (ARROZ E MILHO) LÚPULO EXTRATO DE ALTA MALTOSE AÇÚCAR ADITIVOS Água - Sabor - Odor - Cor

Leia mais

FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA VINHO

FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA VINHO FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA VINHO Prof(a): Erika Liz 2011 VINHO - DEFINIÇÃO Vinho é a bebida obtida por fermentação alcoólica do suco de uva (mosto). O ph varia entre 2,9 e 3,8. O teor alcoólico varia de 7 a

Leia mais

www.winelovers.com.br

www.winelovers.com.br Em 1789, a Vinícola Foffani iniciou sua produção de vinho. A residência da família fica de frente a praça principal da vila medieval de Clauiano, que foi tombada pelo Ministério de Belas Artes, pois é

Leia mais

de Cerveja 0 processo de maltagem é concretizado em três passos - molha, germinação e secagem. Durante

de Cerveja 0 processo de maltagem é concretizado em três passos - molha, germinação e secagem. Durante fp PRODUÇÃO Produção de Cerveja ~ 0 Processo TEXTO JOÃO PAULO MENDES {sociedade central de cervejas e bebidas) ILUSTRAÇÃO FONTE: JORNAL PÚBLICO O rei Guilherme IV da Baviera definiu em 1516, na "Reinheitsgebot"

Leia mais

Muitas têm sido usadas como: moeda em rituais religiosos como símbolos políticos como fonte de inspiração filosófica e artística

Muitas têm sido usadas como: moeda em rituais religiosos como símbolos políticos como fonte de inspiração filosófica e artística Chef André Leite Muitas têm sido usadas como: moeda em rituais religiosos como símbolos políticos como fonte de inspiração filosófica e artística 6 bebidas definem a história mundial: Cerveja Vinho Destilados

Leia mais

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer:

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer: Emagrecer nem sempre é uma das tarefas mais simples. A fórmula parece simples (dieta + exercício + descanso) porém diferentes pessoas precisam de diferentes soluções. Uma coisa é certa: qualquer ajuda

Leia mais

Aplicação da hidrologia para prevenção de desastres naturais, com ênfase em mapeamento

Aplicação da hidrologia para prevenção de desastres naturais, com ênfase em mapeamento Jaraguá do Sul, 27 e 28 de agosto de 2012 Curso de Capacitação Aplicação da hidrologia para prevenção de desastres naturais, com ênfase em mapeamento Gean P. Michel (UFSC) Masato Kobiyama (UFSC) Roberto

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas P1 Qual é a definição jurídica de saquê no Japão? Qualquer uma das seguintes bebidas alcoólicas com teor alcoólico inferior a 22%: a. O produto filtrado da fermentação

Leia mais

BARBARESCO Denominaçao de Origem Controlada e Garantida

BARBARESCO Denominaçao de Origem Controlada e Garantida BARBARESCO Denominaçao de Origem Controlada e Garantida VARIEDADE VINHA: 100% Nebbiolo. COLHEITA: 15-30 Outubro RENDIMENTO: 8 toneladas VINIFICAÇÃO: barris de aço inoxidável, de 15-20 dias de fermentação

Leia mais

MÉTODO DA FERMENTAÇÃO APLICADA À PRODUÇÃO DE VINHOS

MÉTODO DA FERMENTAÇÃO APLICADA À PRODUÇÃO DE VINHOS MÉTODO DA FERMENTAÇÃO APLICADA À PRODUÇÃO DE VINHOS 1 Thayana Santiago Mendes; 2 João Lopes da Silva Neto; 3 Romulo Charles Nascimento Leite 1 (autor) Discente do curso de Licenciatura em Química - UEPB

Leia mais

Protocolo, ed. V 21/01/2013

Protocolo, ed. V 21/01/2013 2013 Protocolo, ed. V Preparo e Dosagem 21/01/2013 www.ecosynth.com.br Protocolo ATM - ed.05 (jan/2013) Página 2 1. APRESENTAÇÃO A propriedade de ocupar áreas destinadas a expansão industrial, custo de

Leia mais

Leite e derivados. UHT, HTST, fermentos, maturação, coalho, flor de cardo.

Leite e derivados. UHT, HTST, fermentos, maturação, coalho, flor de cardo. Leite e derivados Objectivos: Conhecer a composição química e estrutura física do leite. Descrever leite inteiro, meio gordo magro e enriquecido. Descrever manteiga. Descrever natas. Descrever requeijão,

Leia mais

4/8/2007. Análise de vitaminas

4/8/2007. Análise de vitaminas Métodos ensaios biológicos em animais e humanos apenas usados quando não existem métodos alternativos ensaios microbiológicos com protozoários, bactérias e leveduras requerem passos de extracção da vitamina

Leia mais

JORNADA TÉCNICA LARANJAL QUINTA DO LAGO 13/09/2013

JORNADA TÉCNICA LARANJAL QUINTA DO LAGO 13/09/2013 JORNADA TÉCNICA LARANJAL QUINTA DO LAGO 13/09/2013 Quem Somos, Onde Estamos Empresa Portuguesa Fornecedora de bens e serviços para Áreas Verdes e Agricultura Sede: Silves Desde 1992 Zonas de ação Algarve

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o, DE DE DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o, DE DE DE 2008. Portaria Nº 64, DE 23 DE ABRIL DE 2008 Situação: Vigente Publicado no Diário Oficial da União de 24/04/2008, Seção 1, Página 9 Ementa: Submete à Consulta Pública, pelo prazo de 60 (sessenta) dias a contar

Leia mais

somos cúmplices em seus momentos

somos cúmplices em seus momentos somos cúmplices em seus momentos Intro 03 nossa vinha e adega Casa Donoso está localizado no coração do Vale do Maule, um das mais antigas e com mais tradição do vinho no Chile. SUAS TERRAS TEM VINHAS

Leia mais

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Alicante Bouschet e Aragonês, Trincadeira Cabernet Sauvignon. vinhos Encostas de Estremoz

Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Alicante Bouschet e Aragonês, Trincadeira Cabernet Sauvignon. vinhos Encostas de Estremoz É nas Encostas de Estremoz, na Quinta da Esperança, que nascem os nossos vinhos. Adaptamos as novas tecnologias de Viticultura à nossa realidade, inspirados no melhor do Novo Mundo, e preservando sempre

Leia mais

LEVEDURAS CHALLENGE. São 3 as características que distinguem a gama de leveduras Challenge:

LEVEDURAS CHALLENGE. São 3 as características que distinguem a gama de leveduras Challenge: LEVEDURAS São as características que distinguem a gama de leveduras Challenge: Segurança: o primeiro requisito que devem possuir as leveduras seleccionadas para a gama Challenge é assegurar uma fermentação

Leia mais

SUBSTRATOS PARA CULTURAS SEM SOLO HIDROPONIA

SUBSTRATOS PARA CULTURAS SEM SOLO HIDROPONIA SUBSTRATOS PARA CULTURAS SEM SOLO HIDROPONIA Um substrato para "hidroponia" é o suporte para o desenvolvimento das raízes, limitado fisicamente no seu volume, isolado do solo, capaz de proporcionar à planta

Leia mais

Os microrganismos são essenciais na produção de alimentos.

Os microrganismos são essenciais na produção de alimentos. Os microrganismos são essenciais na produção de alimentos. Vinho Queijo Cerveja Pão Vinagre Iogurte Louis Pasteur (1822-1895) Primeiro cientista a defender e comprovar a existência de microrganismos na

Leia mais

SUPLEMENTOS ALIMENTARES

SUPLEMENTOS ALIMENTARES SUPLEMENTOS ALIMENTARES O NOSSO OBJETIVO É O SEU BEM-ESTAR! Num mundo cada vez mais agitado e exigente Num meio ambiente cada vez mais prejudicial ao nosso organismo e à nossa vida saudável Torna-se necessário

Leia mais

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Parâmetros de qualidade da água Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Coloração - COR Variáveis Físicas associada à presença

Leia mais

AULA 5: Microrganismos Fermentadores

AULA 5: Microrganismos Fermentadores Centro Universitário da Zona Oeste Curso: Tecnologia em Produção de Fármacos e Farmácia Período: 7 período Disciplina: Microbiologia de Alimentos Professora: Sabrina Dias AULA 5: Microrganismos Fermentadores

Leia mais

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor sessenta dias após a sua publicação.

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor sessenta dias após a sua publicação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO PORTARIA Nº 364, DE 04 DE SETEMBRO DE 1997 O Ministro de Estado da Agricultura e do Abastecimento, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

Uma receita de iogurte

Uma receita de iogurte A U A UL LA Uma receita de iogurte O iogurte, um alimento comum em vários países do mundo, é produzido a partir do leite. Na industrialização desse produto empregam-se técnicas diversas para dar a consistência,

Leia mais

A REDESCOBERTA DE UMA IDEIA MARAVILHOSA

A REDESCOBERTA DE UMA IDEIA MARAVILHOSA SUSTENTABILIDADE ECO - CONTROLO PRODUTOS EPIGRAN TRADIÇÃO EL A REDESCOBERTA DE UMA IDEIA MARAVILHOSA A marca DR. GRANDEL deve a sua existência ao químico Dr. FÉLIX GRANDEL, o qual já em 1935 tinha conduzido

Leia mais

QUESTÕES DE CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE AMBIENTAL. O 2(g) O 2(aq)

QUESTÕES DE CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE AMBIENTAL. O 2(g) O 2(aq) QUESTÕES DE CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE AMBIENTAL Questão 01 O agente oxidante mais importante em águas naturais é, sem a menor dúvida, o oxigênio molecular dissolvido, O 2. O equilíbrio entre o oxigênio

Leia mais

LINHA - HABITAT. Comercializado em caixas de 6 unidades. Comercializado em caixas de 6 unidades.

LINHA - HABITAT. Comercializado em caixas de 6 unidades. Comercializado em caixas de 6 unidades. Cabernet Sauvignon LINHA - HABITAT Safra - 2008 Fermentação Tanques de aço inoxidável 16 meses de amadurecimento em carvalho francês. Graduação alcoólica 12,5% Lançamento março 2011 Visual Vermelho rubi

Leia mais

Produção de Vinho. no Brasil. EQB353 Microbiologia Industrial Escola de Química / UFRJ

Produção de Vinho. no Brasil. EQB353 Microbiologia Industrial Escola de Química / UFRJ Produção de Vinho O vinho é a mais higiênica e saudável das bebidas (L. Pasteur) Bebida alcoólica feita da fermentação natural do sumo (suco) de uva Produção de Vinho no Brasil Principais Tipos de Vinhos

Leia mais

Tabela de preços 2011

Tabela de preços 2011 Óleos Vegetais Características A nossa linha de óleos vegetais são seleccionadas para que possa obter os melhores resultados nos diversos tipos de tratamentos, para isso são extraídos de primeira pressão

Leia mais

Estilos de Vinhos Tintos

Estilos de Vinhos Tintos Fatores Estilos de Vinhos Tintos Viticultura: idade dos vinhedos, rendimentos por hectare, ponto de maturação, variedade de uva, características do terroir Enologia: vinificação tradicional, maceração

Leia mais

As vinhas estendem-se por uma área de 20 ha, o que nos permite obter uma produção de garrafas ano.

As vinhas estendem-se por uma área de 20 ha, o que nos permite obter uma produção de garrafas ano. A Quinta de Carapeços, Lda., produtora de Vinho Verde, é uma empresa familiar estabelecida apenas em 2003, apesar da produção de uvas de altíssima qualidade se verificar na propriedade há mais de 200 anos.

Leia mais

Capítulo I Água potável, mineral e de mesa

Capítulo I Água potável, mineral e de mesa Ciência Alimentar e Saúde Composição de Alimentos II Capítulo I Água potável, mineral e de mesa Água Potável deve ser transparente, sem cor, sem odor, livre de microorganismos patogénicos (baixo em microorganismos

Leia mais

Arrufada (Pão de Deus)

Arrufada (Pão de Deus) Catálogo Pastelaria Pastelaria Fina Arrufada (Pão de Deus) Arrufada de 90g (produto fresco) Produto completo para massas levedas com açúcar [Farinha (trigo, glúten e soja), gordura vegetal em pó (óleo

Leia mais