GUIA PARA AS ESTRUTURAS DE ENOTURISMO. Preparado pela Wsolutions para a CVRA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA PARA AS ESTRUTURAS DE ENOTURISMO. Preparado pela Wsolutions para a CVRA"

Transcrição

1 GUIA PARA AS ESTRUTURAS DE ENOTURISMO Preparad pela Wslutins para a CVRA

2 ÍNDICE 1 - Vantagens e Riscs d Enturism Vantagens (prtunidades para prdutr) Vantagens para destin (cmunidade lcal) Riscs (Pr falhas n serviç, na gestã e n planeament da unidade) 2 - Cnhecer ptencial visitante 3 - Adequaçã d espaç da adega para mercad Turístic Preparar a adega para receber mercad turístic Apstar em pnts de diferença 4 - Preparar pessal de atendiment a visitante Preparaçã Ideal A imprtância d pessal qualificad 5 - Prmçã d Enturism

3 1 - Vantagens e Riscs d Enturism Segue-se uma listagem que tenta evidenciar as vantagens e riscs assciads a um empreendiment de Enturism: Vantagens (prtunidades para prdutr) Venda directa cm maximizaçã das margens de vendas Prmçã da marca, fidelizaçã d cliente e prtunidades de Relações Públicas Oprtunidades de Marketing Direct e Marketing Relacinal Teste de nvs prduts Nvas fntes de rendiments Aument de ptenciais cnsumidres e alargament a nvs segments de mercad Scializar cm s visitantes, aumentand a credibilidade entre cnsumidr e marca (Emprestar um rst human à marca) Oprtunidade de venda de utrs prduts assciads. Atracçã de nvs segments de mercad. Nvas parcerias (Ex: utrs enturisms na regiã, unidades de aljament, empresas de animaçã turística). Infrmaçã sbre s cnsumidres. Oprtunidade de educaçã d cnsumidr

4 1.2 - Vantagens para destin (cmunidade lcal) Aument d númer de visitantes e gasts n destin Atracçã de nvs visitantes e repetições Desenvlviment de uma imagem única e psitiva d destin Atracçã de pessas a znas nã centrais Ultrapassar prblemas de saznalidade turística, pel fact d prcess de viticultura se repartir pr td an Atracçã de nvs investiments Criaçã de empreg Criaçã de events para residentes e visitantes Desenvlviment de nvas infra-estruturas e serviçs para residentes e visitantes Prmçã da cnsciencializaçã d públic para a preservaçã d patrimóni ambiental e cultural, e aument d sentiment de identidade lcal Efeit multiplicadr na ecnmia lcal (ex: restauraçã) e revitalizaçã de actividades ecnómicas tradicinais (ex: agricultura, artesanat).

5 Riscs (Pr falhas n serviç, na gestã e n planeament da unidade) Publicidade bca a bca negativa Descredibilizaçã da marca e d prdutr Aument ds custs pr quebras, desvis, fertas e prvas Expsiçã d prdutr a artigs na imprensa e internet (blgs) Cnfusã para cnsumidr se huver disfunçã entre imagem da marca transmitida para mercad e a imagem real n lcal (Brand Awerness) Retrn d investiment nã garantid

6 2 - Cnhecer ptencial visitante: Um visitante traz expectativas bem marcadas quand vai visitar uma adega. Geralmente prcura tda uma experiencia que pssa transprtar mais tarde para seu qutidian. Prcura tda a história que está pr trás d vinh: de nde vieram as uvas, que uvas fram utilizadas, nde fi feit, cm, pr quem, Bem diferente de ir simplesmente a uma lja u supermercad simplesmente cmprar uma garrafa de vinh! Mesm assim, cada visitante é diferente. Cnseguims distinguir pel mens 4 tips: Wine Lver, Cnhecedr, Iniciad e Ocasinal sã cnceits desenvlvids tend em cnta envlviment que visitante tem cm vinh. Estes cnceits ajudam a adequar a frma cm devems cmunicar cm visitante durante a visita, prva e venda de vinh. Perfil Estratégia venda Objectiv Wine Lver Nvidades, prduts premiads Alargar a Enteca d Wine lver, seus interesses e cnheciments Cnhecedr Nvidades técnicas da adega e de vinhs Refrçar valrizaçã da marca e aumentar grau de cnheciment. Iniciad Explicaçã ds vinhs prduzids Aumentar grau de cnheciment. Satisfazer necessidade de Ocasinal Incentivar prva ds vinhs. Dar a prvar vinhs d prdutr que se psicinem n tip de vinh que visitante aprecia. Pôr questões cuj bjectiv seria aferir gsts d visitante ex.: Qual fi últim vinh que cnsumiu u qual vinh cnsumid ultimamente que mais apreciu? aprendizagem Incentivar a curisidade pr fram a psiciná-l cm futur interessad

7 3 - Adequaçã espaç da adega para mercad Turístic Tems de ter nçã que um espaç idealizad para uma funçã prdutiva terá que ser igualmente adaptad u repensad para uma funçã turística. Esta, a interagir cm a actividade diária da adega nã pde pôr em causa a prduçã e a segurança ds visitantes Preparar a adega para receber mercad turístic Segue em revista uma listagem ds itens a cnsiderar: Acessibilidade: Sinalética rientand visitante para a adega, mapas de acess n site da internet, crdenadas da adega nas principais bases de dads que frnecem a infrmaçã para GPS (Ex: Tele Atlas e Nav Teq) Facilitar a máxim a tarefa d visitante para encntrar a adega. Se ele se decidiu a visitá-l, merece essa atençã. Sinalética: Infrmaçã dispnibilizada à entrada e nas áreas de circulaçã ds visitantes Hráris de funcinament, cntacts, direcções, placa de bas vindas, missã da empresa, entre utrs, sã infrmações que visitante apreciará e cnstituem desde lg s factres que influenciam as primeiras impressões. Faça- sentir-se que é bem-vind.

8 Estacinament: Bem sinalizad e em bas cndições Reserve espaç para s carrs ds visitantes, identifique znas de parqueament ds funcináris e autcarrs. Se pis fr de terra, precupe-se cm seu estad n Invern (nada mais incómd d que cmeçar a experiência cm s pé numa pça de lama) Áreas envlventes na adega: Cuidar d aspect e sua manutençã Especial atençã às áreas que se cruzam cm s espaçs e circuits destinads as visitantes. A adega: estil deve reflectir a imagem ds vinhs. O aspect, atençã a prmenr, criatividade, invaçã e funcinalidade sã mais imprtantes que um design muit sfisticad. Cnsistência de imagem: As áreas dispnibilizadas a públic devem estar em cnsnância cm a imagem d prdut e respectiva marca. (recepçã, lja, circuit de visitas, áreas de lazer, áreas de api) Áreas de api: Terraçs, jardins, parque infantil, aljament, SPA, restaurante, centr de expsições, wc s públics, canil. O visitante nã prcura apenas cnhecer vinh, enquant turista prcura igualmente relaxar e passar um temp agradável num espaç aclhedr. A imaginaçã e a criatividade sã limite.

9 Ambiente interir: Temperatura adequada, higiénic, bem apresentad, cheirs e ruíds de acrd cm ambiente de adegas. Os sentids devem estar rientads para a aprendizagem e prva de vinhs, nã distraind visitante cm factres desagradáveis. Paredes: excelente lcal para clcaçã de painéis educativs (vinha, adega, garrafas, crtiça, castas, história da adega) O visitante que prcura Enturism gsta de viajar para lcais nde factr aprendizagem esteja presente. Só assim seu temp livre u de férias fará sentid, criand-se desta frma cndições para que recmende a terceirs e tenha vntade de vltar. Infrmaçã Vínica de api à lja e salas de prva: Castas utilizadas, ntas de prva, ftgrafias mstrand 1 an de prduçã, da vinha à garrafa u Cm s nsss vinhs sã prduzids. Merchandising: Lembranças cm lg da casa, prduts da casa u lcais, t-shirts cm lg da casa, livrs, cps, termómetrs, cuspideiras, drp-stps, etc. Visibilidade é factr chave d merchandising. Recrrend a uma frase feita da Kdak Para mais tarde recrdar e acima de tud relembrar a terceirs que a adega pde ser visitada. Packaging: Sacs, caixas para garrafas, papel de embrulh tud cm lg u nme d prdutr. Para muits visitantes as cmpras de vinh e merchandising têm cm destinatáris s amigs e cnhecids. Cm em tud, a imagem faz parte d prcess de cmunicaçã.

10 Utilizar talent lcal: Expr trabalhs de artistas lcais, artesanat lcal, tapeçaria lcal. Muits visitantes nas suas deslcações pderã já nã ter temp para visitar utrs lcais. Ganha prdutr cm margem nas vendas e, pr ter acrescid um pnt de interesse na sua adega, ganha artesã cm uma venda que de utr md nã faria e ganha ainda visitante que maximizu prveit da vinda à regiã. Prmver melhr da sua regiã: Ftgrafias cm aspects únics da regiã. O turism vive de parcerias e de trabalhar em cnjunt cm s diferentes meis cmplementares (restaurantes, htéis, parques, museus). Prmver a regiã é dar mtivs a visitante para ter vntade de vltar e, se pssível, permanecer mais dias na regiã. Uma ba ecnmia lcal irá beneficiar prdutr a médi praz cm mais investiment e fixaçã de quadrs na regiã.

11 3.2 - Apstar em pnts de diferença Cm um pequen exercíci de imaginaçã pderems sempre descbrir alg mais a desenvlver n espaç da adega que justamente ns separa ds demais, e que irá fazer a diferença para que visitante percrra aqueles kms extra u dedique mais temp a prcurar visitar prdutr. Uma estratégia que tem prvad dar bns resultads é desenvlver alg cm que dn da adega u seus sócis se identifiquem a nível ds seus hbbies. Cm exempl pderems mencinar s seguintes cass: Clecções de arte e pintura, carrs antigs, equipament antig da vinha, atrelads, relógis Curss de czinha e vinhs Cncerts de musica clássica u jazz Jardins Estufas cm variedades de plantas raras u variedades de uma só espécie História da família Passeis a caval Estes cass nã sã ideias, sã prjects cncretizads e que justamente ns remetem para nme d prdutr sempre que ns lembrams da visita efectuada. Em cmum, tds apelam para uma necessidade de aprendizagem pr parte d visitante, ind de encntr às suas expectativas de uma visita u férias memráveis.

12 4 - Preparar pessal de atendiment a visitante Send uma área relativamente recente em Prtugal, é um fact que ainda nã se dispnibilizam curss e literatura específics sbre Enturism. Muits ds wrkshps que vã surgind partem de iniciativas pntuais das Rtas d Vinh, Cmissões Vitiviníclas e Assciações cm a ViniPrtugal. Em relaçã à literatura, a mairia encntra-se em Inglês Preparaçã Ideal: Cm equipa ideal, a nível das cmpetências, pderíams apntar: Cnheciment prfund sbre vinh (desde a vinha à garrafa) Capacidade de avaliar s vinhs em prva Cnheciment d Turism lcal Ba cultura geral Frmaçã em técnicas de vendas Cnheciment de serviç a cliente Gestã de cnflits Capacidade de avaliar as mtivações ds visitantes Capacidades de cnduzir apresentações e visitas Frmaçã hteleira de base Nçã de gestã de stcks Dmíni de Inglês

13 E cm seguinte perfil: Paixã pel Vinh Gst pr cntactar cm públic Capacidade de adaptaçã e imprvisaçã (nã cnfundir cm inventar!!) Multi-funcinal Cnheciments sbre a vinha, vinhs, castas e prva sã exempls que dependem em muit da frmaçã interna que prdutr pderá dispnibilizar a seu staff A imprtância d pessal qualificad Para muits visitantes, primeir cntact cm a marca prcessa-se cm pessal de atendiment. O md cm td prdutr será julgad e apreciad, irá estar dependente da frma cm fi recebid e d md cm fi cnduzida a visita, a prva e a venda. Descurar a cmpnente d pessal é negligenciar a imprtância d grau de satisfaçã d visitante. Um resultad negativ nã resulta em cnsums psterires nem recmendações favráveis a amigs e terceirs; bem pel cntrári.

14 5 - Prmçã d Enturism Abrir as prtas as visitantes e esperar passivamente que ns visitem é uma pçã cndenada desde iníci. O prdutr deve utilizar tds s meis a seu dispr para dar a cnhecer a sua adega e seu prdut. Meis de divulgaçã/prmçã Bca a bca (recmendaçã de amigs e familiares) Artigs na imprensa da especialidade e generalista Internet Publicidade ns media Brchuras em peradres/agente turístics Cntrats cm peradres e agências turísticas Parcerias cm utras entidades turísticas da regiã (htéis, restaurantes, Glf, museus...) Feiras de Trade Inclusã na Rta ds Vinhs da Regiã Patrcíni de events na regiã Ser membr de assciações turísticas da regiã (Ex: Turism d Alentej) Cnvidar agentes turístics lcais para cnhecer seu espaç, serviçs e seus vinhs (htéis, restaurantes, pst de turism, agentes de viagem) Frmar a sua base de dads ds clientes que visitam e manter cntact frnecend infrmações sbre nvs lançaments de vinhs, vindimas, prvas, curss, events Cmunicaçã cm s rganisms institucinais, nmeadamente, Rta ds Vinhs, Psts de Turism da regiã, etc.

15 CONTACTO CVRA Cmissã Vitivinícla Reginal Alentejana R. Fernanda Sen n.º 12 Apartad Évra Tel.: +351 / Fax: +351 / Pessa de cntact: Tiag Caravana Mail: 15

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa)

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa) Sinpse das entrevistas realizadas as agentes sciais ligads à velhice (Dirigentes, técnics e auxiliares de acçã directa) Dimensã 1 Experiência e trabalh n lar Prblemáticas Entrevistad A19 Análise Temp de

Leia mais

HERDADE DA MATINHA CORPORATE 2017

HERDADE DA MATINHA CORPORATE 2017 HERDADE DA MATINHA CORPORATE 2017 Crprate 2017 Na azáfama ds dias já ns vams esquecend de parar. Da imprtância de bservar para definirms nvs rums. Na Herdade da Matinha a natureza e a tranquilidade impõem-se

Leia mais

Conheça o Programa de Afiliados Ganhos Automáticos passo a passo.

Conheça o Programa de Afiliados Ganhos Automáticos passo a passo. Cnheça Prgrama de Afiliads Ganhs Autmátics pass a pass. O Ganhs Autmátics é um negóci que qualquer pessa pde desenvlver, pis vams dispnibilizar um Kit de Prduts e Serviçs cm fc em Ajudar e Dispnibilizar

Leia mais

Escola Superior de Gestão

Escola Superior de Gestão Escla Superir de Gestã Institut Plitécnic de Santarém Vítr Carvalh nº 9055 Marketing e publicidade 2007 / 08 Pós Labral é nva tendência de decraçã Fashin Descubra nv papel pret RENOVA: use ser diferente

Leia mais

Cinco sentidos da Economia Social. Américo M. S. Carvalho Mendes

Cinco sentidos da Economia Social. Américo M. S. Carvalho Mendes Cinc sentids da Ecnmia Scial Améric M. S. Carvalh Mendes ATES Área Transversal de Ecnmia Scial Universidade Católica Prtuguesa Prt 29 de Nvembr de 2015 Améric M. S. Carvalh Mendes Cinc sentids da Ecnmia

Leia mais

FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS

FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS Curs Prátic Luanda, 21, 22, 23 e 24 de Junh de 2016 - Htel**** Guia Prática de FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS Frmaçã cmpleta, ágil e sem tecnicisms descnt Inscrevend-se até dia 10 de Junh Um MUST para prfissinais

Leia mais

Comissão Organizadora da Imagem

Comissão Organizadora da Imagem Cmissã Organizadra da Manual de Execuçã Manual de execuçã CO 2017 Intrduçã Cm a nva da ANEM, prende-se a necessidade de cumprir as nrmas gráficas estabelecidas e desenvlver estratégias para, além de aumentar

Leia mais

Granalha De Aço Sablacier

Granalha De Aço Sablacier INFORMES TECNICOS Granalha De Aç Sablacier IKK d Brasil, a mair fabricante de Granalha de aç da América Latina, realizu extensivs testes, para avaliar a perfrmance de diferentes abrasivs (metálics e nã

Leia mais

PRODUTOS/SERVIÇOS O QUE ESPERAM E COMO PODEM OS ASSOCIADOS CONTRIBUIR PARA A SUA PRODUÇÃO/DIFUSÃO?"

PRODUTOS/SERVIÇOS O QUE ESPERAM E COMO PODEM OS ASSOCIADOS CONTRIBUIR PARA A SUA PRODUÇÃO/DIFUSÃO? 1ª JORNADA DE REFLEXÃO A prfissã e assciativism na área da Infrmaçã e da Dcumentaçã Bibliteca Municipal da Nazaré, 9 de Abril de 2011 PRODUTOS/SERVIÇOS O QUE ESPERAM E COMO PODEM OS ASSOCIADOS CONTRIBUIR

Leia mais

Guia de customização de template FWK... 1 GERAL... 3 Favicon (geral)... 3 Cor principal... 3 Cor secundária... 5 Cor de texto escuro...

Guia de customização de template FWK... 1 GERAL... 3 Favicon (geral)... 3 Cor principal... 3 Cor secundária... 5 Cor de texto escuro... 1 Guia de custmizaçã de template FWK... 1 GERAL... 3 Favicn (geral)... 3 Cr principal... 3 Cr secundária... 5 Cr de text escur... 6 Cr de text clar... 7 Cr das barras... 8 Cr de destaque das barras...

Leia mais

Plataforma Web para venda de livros escolares usados

Plataforma Web para venda de livros escolares usados Trabalh prátic de IPM: Stage 2 Platafrma Web para venda de livrs esclares usads Grup Members: Filipe Luis, 41869 Pedr Mauríci, 41916 1 Venda e Cmpra de Livrs em Segunda Mã Prblema: Atualmente, tend em

Leia mais

AVALIAÇÃO, COMPRA E VENDA DE EMPRESAS (VALOR JUSTO) BRACING Avaliação, Compra e Venda de Empresas Página 1 de 10. Bracing Consulting, Lda.

AVALIAÇÃO, COMPRA E VENDA DE EMPRESAS (VALOR JUSTO) BRACING Avaliação, Compra e Venda de Empresas Página 1 de 10. Bracing Consulting, Lda. AVALIAÇÃO, (VALOR JUSTO) COMPRA E VENDA DE EMPRESAS BRACING Avaliaçã, Cmpra e Venda de Empresas Página 1 de 10 Bracing Cnsulting, Lda. Rua d Tâmega, S/N. 4200 502 Prt Prtugal +351 917 000 020 inf@bracing

Leia mais

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional Preparaçã para a Certificaçã de Gestr da Qualidade - Excelência Organizacinal OBJETIVOS DO CURSO Apresentar as participantes s cnteúds d Crp de Cnheciment necessáris à certificaçã, pssibilitand que aprimrem

Leia mais

Guia de Participação no ALGARVE NATURE WEEK 2017 B2B EVENT

Guia de Participação no ALGARVE NATURE WEEK 2017 B2B EVENT Guia de Participaçã n ALGARVE NATURE WEEK 2017 B2B EVENT Htel Vila Galé Albacra 11 de Mai de 2017-9h30 às 12h30 http://algarvenatureweek2017.talkb2b.net INTRODUÇÃO A Enterprise Eurpe Netwrk (EEN) é uma

Leia mais

ISO é um órgão mundial não governamental com sede em

ISO é um órgão mundial não governamental com sede em História e Imprtância das Nrmas ISO 14000 ISO é um órgã mundial nã gvernamental cm sede em Genebra, Suíça, da qual participam mais de 100 países. Fundada a 23/02/1947, cm bjectiv de prpr nrmas de cnsens

Leia mais

Estratégia Nacional de Especialização Inteligente. Lisboa, 2 de fevereiro de 2017 José Carlos Caldeira

Estratégia Nacional de Especialização Inteligente. Lisboa, 2 de fevereiro de 2017 José Carlos Caldeira Estratégia Nacinal de Especializaçã Inteligente Lisba, 2 de fevereir de 2017 Jsé Carls Caldeira Estrutura da Apresentaçã I. ENEI: prcess em Prtugal II. Mnitrizaçã e avaliaçã III. Primeirs resultads I.

Leia mais

Parte I Enquadramento da actividade turística em Portugal

Parte I Enquadramento da actividade turística em Portugal A TRADIÇÃO EQUESTRE COMO ELEMENTO DE VALORIZAÇÃO DA OFERTA TURÍSTICA Cngress Internacinal de Turism Equestre Alter d Chã - 17.Mai.08 Parte I Enquadrament da actividade turística em Prtugal Cumpriments

Leia mais

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda.

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda. RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO BRACING PT2020 PDR2020 (Jvens agricultres) Página 1 de 7 Bracing Cnsulting, Lda. Rua d Tâmega, S/N. 4200 502 Prt Prtugal +351 917 000 020 inf@bracing

Leia mais

GESTÃO DE STOCKS. A para a racionalização de custos e melhoria de procedimentos. 3 dias de Formação Intensiva para analisar em

GESTÃO DE STOCKS. A para a racionalização de custos e melhoria de procedimentos. 3 dias de Formação Intensiva para analisar em Seminári Prátic APROVISIONAMENTO E Luanda, 23, 24 e 25 de Mai de 2017 - Htel**** GESTÃO DE STOCKS A para a racinalizaçã de custs e melhria de prcediments 3 dias de Frmaçã Intensiva para analisar em A Quantidade

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geraçã de Guias para ST, DIFAL e FCP 1. Objetivs Gerar títuls n cntas a pagar cm ttal de ICMS-ST, DIFAL e/u FCP das ntas fiscais de saída. Página 2 de 6 2. Requisits 2.1. RF01 Geraçã

Leia mais

PLANO DE MARKETING 2017

PLANO DE MARKETING 2017 Inscrevase até 10 de Fevereir e btenha descnts Seminári Prátic Luanda, 20,21 e 22 de Fevereir de 2017 - Htel**** Desenh, planificaçã, implementaçã e cntrl d PLANO DE MARKETING 2017 para planificar a melhr

Leia mais

Uma estratégia para o desenvolvimento turístico da envolvente da Albufeira do Alqueva

Uma estratégia para o desenvolvimento turístico da envolvente da Albufeira do Alqueva RT&D Territóris, Empresas e Organizações Vlume II (2), 125-129 (2005) Uma estratégia para desenvlviment turístic da envlvente da Albufeira d Alqueva Carls Silva* GESTALQUEVA Paula Susan Dias** Cnselh Executiv

Leia mais

NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDORES

NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDORES 1º Seminari Prátic Técnicas e Ferramentas de Luanda, 13,14 e 15 de Fevereir de 2017 - Htel**** NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDORES para planificar a melhr estratégia e alcançar melhr resultad 24 hras de Frmaçã

Leia mais

A conceção deste dispositivo pertence à Mundo Reader, S.L. e foi registada junto do IHMI.

A conceção deste dispositivo pertence à Mundo Reader, S.L. e foi registada junto do IHMI. bq.cm/warranty Regists industriais A cnceçã deste dispsitiv pertence à Mund Reader, S.L. e fi registada junt d IHMI. Precauções de segurança Utilize seu dispsitiv de frma respnsável. Antes de utilizar,

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. para garantir cuidados imediatos de qualidade. Saber que dados comunicar por via telefónica ao Centro de Orientação e

PRIMEIROS SOCORROS. para garantir cuidados imediatos de qualidade. Saber que dados comunicar por via telefónica ao Centro de Orientação e descnt Inscrevend-se até dia 10 de Fevereir Curs Prátic de 2017 - Htel**** Prcediments, técnicas e manbras de PRIMEIROS SOCORROS para garantir cuidads imediats de qualidade 16 hras de Frmaçã Intensiva

Leia mais

Descarte de Pilhas e Baterias: Nós podemos contribuir. Segundo o IBGE, o consumo mundial de pilhas, em 2010, foi de

Descarte de Pilhas e Baterias: Nós podemos contribuir. Segundo o IBGE, o consumo mundial de pilhas, em 2010, foi de Descarte de Pilhas e Baterias: Nós pdems cntribuir Segund IBGE, cnsum mundial de pilhas, em 2010, fi de aprximadamente 10 bilhões de unidades. Iss demnstra quant fazems us desse prdut e a tendência é cresciment

Leia mais

Como ajudar os jovens a despertar o gosto pela leitura

Como ajudar os jovens a despertar o gosto pela leitura Cm ajudar s jvens a despertar gst pela leitura Wrkshp CMC Luanda, 19 de Abril de 2016 Pergunta para discussã Os jvens estã cada vez mais distantes ds livrs? Cmissã d Mercad de Capitais 2 Sumári 1. OBJECTIVOS

Leia mais

Regime Escolar Fruta Escolar /

Regime Escolar Fruta Escolar / Regime Esclar Fruta Esclar / Frmuláris 2016/2017 - Índice NOTA INTRODUTÓRIA...3 Pedid de Ajuda...4 1. Pedid de Ajuda...4 A. Página de Rst d Pedid...4 B. Pedid de Ajuda Página dis...6 C. Mapa de Medidas

Leia mais

Qualidade de Software 5ºSemestre

Qualidade de Software 5ºSemestre Qualidade de Sftware 5ºSemestre Aula 14 Prf. Gladimir Cerni Catarin gladimir@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Metdlgias Ágeis Metdlgias Servem para

Leia mais

TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS

TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS Seminári Prátic Luanda, 20,21,22,23 e 24 de Junh de 2016 - Htel**** Ferramentas, metdlgias e chaves para TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS Agilize s prcesss administrativs da rganizaçã e cnsiga equipas

Leia mais

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa)

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa) Sinpse das entrevistas realizadas as agentes sciais ligads à velhice (Dirigentes, técnics e auxiliares de acçã directa) Dimensã 1 Experiência e trabalh n lar Prblemáticas Entrevistad A8 Análise Temp de

Leia mais

Técnica do Fluxograma

Técnica do Fluxograma Prf. Elmer Sens FSP 2013/2 Técnica d Fluxgrama Fluxgrama: é a representaçã gráfica que apresenta a seqüência de um trabalh de frma analítica, caracterizand as perações, s respnsáveis e /u unidades rganizacinais

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina. Infrmaçã da Prva de Exame de Equivalência à Frequência de Prjet Tecnlógic Códig: 196 2013 Curs Tecnlógic de Infrmática/12.º Prva: Pr (Prjet) Nº de ans: 1 Duraçã: 30-45 minuts Decret-Lei n.º 139/2012, de

Leia mais

Avaliação Imobiliária e Manutenção das Construções

Avaliação Imobiliária e Manutenção das Construções Avaliaçã Imbiliária e Manutençã das Cnstruções 1ª Épca 15 de junh de 2016 (11h30) (V1.26 V1.25) Nme: Númer: Duraçã ttal sem interval: 1,45 hras Ntas: I. Nã é permitida a cnsulta de quaisquer ntas u dcuments,

Leia mais

Para que serve o Capital Social? o Permite a realização de investimentos em tecnologia e outros recursos para o funcionamento da cooperativa.

Para que serve o Capital Social? o Permite a realização de investimentos em tecnologia e outros recursos para o funcionamento da cooperativa. Glssári At Cperativ Denminam-se ats cperativs aqueles praticads entre a cperativa e seus assciads, entre estes e aquelas e pelas cperativas entre si quand assciads, para cnsecuçã ds bjetivs sciais, ns

Leia mais

ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DECRETO-LEI N.º 73/2011, DE 17 DE JUNHO, AO DECRETO-LEI N.º 153/2003, DE 11 DE JULHO

ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DECRETO-LEI N.º 73/2011, DE 17 DE JUNHO, AO DECRETO-LEI N.º 153/2003, DE 11 DE JULHO ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELO DECRETO-LEI N.º 73/2011, DE 17 DE JUNHO, AO DECRETO-LEI N.º 153/2003, DE 11 DE JULHO O Decret-Lei 73/2011, de 17 de Junh, altera regime geral da gestã de resídus e transpõe

Leia mais

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa)

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa) Sinpse das entrevistas realizadas as agentes sciais ligads à velhice (Dirigentes, técnics e auxiliares de acçã directa) Dimensã 1 Experiência e trabalh n lar Prblemáticas Entrevistad A12 Análise Temp de

Leia mais

Resumos Soltos Geografia 9º ano. Unidade 1: Contrastes de Desenvolvimento. 1.2 Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento

Resumos Soltos Geografia 9º ano. Unidade 1: Contrastes de Desenvolvimento. 1.2 Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento Unidade 1: Cntrastes de Desenvlviment 1.2 Interdependência entre espaçs cm diferentes níveis de desenvlviment Os principais países em desenvlviment surgem de antigas clónias eurpeias. Principais bstáculs

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE ECONOMIA

PLANIFICAÇÃO DE ECONOMIA Módul 5 O ESTADO E A ATIVIDADE ECONÓMICA 1- Estad nçã e Apresentar a nçã de Estad Expsiçã ral Avaliaçã d prcess de 32 funções Trabalhs de grup trabalh: grelhas de Nçã Caraterizar as funções d Leitura e

Leia mais

Seção II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS

Seção II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Seçã II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS 1. A seçã II deverá ser preenchida após realizaçã de visita técnica; 2. Este Instrumental de Visita Técnica cntém

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Seminári 100% prátic Cm cmbinar técnicas e ferramentas para Luanda, 28, 29 e 30 de Març de 2016 - Htel**** COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Atendiment Telefónic - Atendiment Presencial Cmunicaçã Escrita descnt

Leia mais

Introdução às Redes e Serviços de Telecomunicações

Introdução às Redes e Serviços de Telecomunicações Capítul 1 Intrduçã às Redes e Serviçs de Telecmunicações 1.1 Intrduçã Neste capítul apresenta-se a resluçã de alguns prblemas e prpõem-se alguns exercícis adicinais referentes à matéria d capítul 1 de

Leia mais

nddcargo Manual de Utilização Portal Gratuito

nddcargo Manual de Utilização Portal Gratuito nddcarg 4.2.6.0 Manual de Utilizaçã Prtal Gratuit Históric de alterações Data Versã Autr Descriçã 15/04/2014 1 Deiviane F. R. de Suza Criaçã d dcument. 2 1. Intrduçã... 4 2. Funcinalidades d Prtal nddcarg...

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO À REALIZAÇÃO DE INVESTIGAÇÕES NA AULA DE MATEMÁTICA: APROXIMAÇÃO DO TRABALHO DOS ALUNOS AO TRABALHO DOS MATEMÁTICOS

BREVE INTRODUÇÃO À REALIZAÇÃO DE INVESTIGAÇÕES NA AULA DE MATEMÁTICA: APROXIMAÇÃO DO TRABALHO DOS ALUNOS AO TRABALHO DOS MATEMÁTICOS BREVE INTRODUÇÃO À REALIZAÇÃO DE INVESTIGAÇÕES NA AULA DE MATEMÁTICA: APROXIMAÇÃO DO TRABALHO DOS ALUNOS AO TRABALHO DOS MATEMÁTICOS MARIA HELENA CUNHA Área Científica de Matemática - Escla Superir de

Leia mais

SECRETARIADO EXECUTIVO

SECRETARIADO EXECUTIVO Seminári Prátic Luanda, 26,27 e 28 de Outubr de 2016 - Htel**** Cm cmbinar técnicas e ferramentas para um SECRETARIADO EXECUTIVO Mais Eficaz 3 dias cmplets de Frmaçã Intensiva e Prática: Funções, tarefas,

Leia mais

Legislação Laboral e Segurança Social 2016

Legislação Laboral e Segurança Social 2016 Inscrevase até 28 de Setembr e btenha descnts Seminári Prátic de 2016 - Htel**** revist e actualizad Legislaçã Labral e Segurança Scial 2016 de acrd cm a Legislaçã vigente e de cumpriment brigatóri 3 dias

Leia mais

GESTÃO DE TESOURARIA

GESTÃO DE TESOURARIA Seminári Especializad Luanda, 27, 28 e 29 de Junh de 2016 - Htel**** Técnicas, Metdlgias e Instruments de GESTÃO DE TESOURARIA para enfrentar nvs desafis e rentabilizar recurss Especialize-se, dminand

Leia mais

Conselho Coordenador da Avaliação dos Serviços. Orientação Técnica

Conselho Coordenador da Avaliação dos Serviços. Orientação Técnica Cnselh Crdenadr da Avaliaçã ds Serviçs Orientaçã Técnica Aut-Avaliaçã ds Serviçs Elabraçã (pels GPEARI s) d Relatóri da Análise Cmparada da Avaliaçã d Desempenh ds Serviçs I. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Sistema

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA 4º bimestre

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA 4º bimestre ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA 4º bimestre Nme: Nº 3 a. Série Data: / /2015 Prfessres: Adriana e Nelsn Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre A - Intrduçã Neste semestre, sua nta fi inferir

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO

DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO Inscrevase até 3 de Fevereir e btenha descnts Seminári Prátic Ferramentas, Técnicas e Metdlgias de Luanda, 13 e 14 de Fevereir de 2017 - Htel**** DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO para elabrar um

Leia mais

Estrutura de Repetição

Estrutura de Repetição Estrutura de Repetiçã 1. Faça um prgrama que peça uma nta, entre zer e dez. Mstre uma mensagem cas valr seja inválid e cntinue pedind até que usuári infrme um valr válid. 2. Faça um prgrama que leia um

Leia mais

Legislação Laboral e Segurança Social 2017

Legislação Laboral e Segurança Social 2017 Inscrevase até 10 de Fevereir e btenha descnts Seminári Prátic Luanda, 20,21 e 22 de Fevereir de 2017 - Htel**** 7ªEdiçã, revist e actualizad Legislaçã Labral e Segurança Scial 2017 de acrd cm a Legislaçã

Leia mais

Ajuste Fino. Por Loud custom Shop Guitars SERIE FAÇA VOCÊ MESMO LOUD CUSTOM SHOP GUITARS

Ajuste Fino. Por Loud custom Shop Guitars SERIE FAÇA VOCÊ MESMO LOUD CUSTOM SHOP GUITARS Ajuste Fin Pr Lud custm Shp Guitars SERIE FAÇA VOCÊ MESMO LOUD CUSTOM SHOP GUITARS AJUSTE FINO Uma das cisas mais bacanas n mund da guitarra é fat de nã existir cert u errad. Sempre irá existir muitas

Leia mais

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubro em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubro 2014 em Maputo

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubro em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubro 2014 em Maputo SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubr em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubr 2014 em Maput Intrduçã Esta prpsta prevê a realizaçã de um seminári avaliaçã

Leia mais

I FÓRUM ECONÓMICO GLOBAL DA CPLP - A CPLP E A GLOBALIZAÇÃO

I FÓRUM ECONÓMICO GLOBAL DA CPLP - A CPLP E A GLOBALIZAÇÃO I FÓRUM ECONÓMICO GLOBAL DA CPLP - A CPLP E A GLOBALIZAÇÃO TIMOR-LESTE COMO PLATAFORMA PARA A COOPERAÇÃO EMPRESARIAL ENTRE A CPLP E A ÁSIA-PACÍFICO Centr de Cnvenções de Díli e Salã Nbre d Ministéri ds

Leia mais

KIT PARA O REPARO DO CIRCUITO ELETRÔNICO DOS PROCESSADORES RI3172 / RI3173

KIT PARA O REPARO DO CIRCUITO ELETRÔNICO DOS PROCESSADORES RI3172 / RI3173 KIT PR O REPRO DO IRUITO ELETRÔNIO DOS PROESSDORES RI3172 / RI3173 Em funçã da descntinuidade de frneciment da placa de circuit ds prcessadres RI3172 e RI3173 e devid a grande quantidade de aparelhs existentes

Leia mais

CONTRATO PARTICULAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.

CONTRATO PARTICULAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. CONTRATO PARTICULAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. CONTRATANTE : Persnificad juridicamente através d aceite d Term de prestaçã de serviç - Análise Diagnóstica Online. O aceite caracteriza tacitamente a cntrataçã

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014

PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014 Estad d Ri de Janeir Gabinete d Vereadr Jean Carls de Almeida PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014 Dispõe sbre O Prgrama de Treinament as Servidres Públics Municipal e Cargs Cmissinads, que exercem funções de atendiment

Leia mais

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale SIC 2013 Gerenciand Através s da Cnfiabilidade Fabiana Pereira da Silva Vale Intrduçã Atualmente as empresas de mineraçã vivem num cenári parecid cm s estudads e bservads pr Adam Smith e Frederick Taylr

Leia mais

Projeto BORN. Nascidos para empreender. Realização: Trib Comunicação Integrada Ltda.

Projeto BORN. Nascidos para empreender. Realização: Trib Comunicação Integrada Ltda. Prjet BORN Nascids para empreender Realizaçã: Trib Cmunicaçã Integrada Ltda. Td empreendiment precisa de um empurrãzinh para nascer e, pensand nas dificuldades de marketing iniciais de cada negóci, a Trib

Leia mais

Sistema FM. Conceitos introdutórios. Exemplos de Orientação aos pais de crianças com deficiência auditiva

Sistema FM. Conceitos introdutórios. Exemplos de Orientação aos pais de crianças com deficiência auditiva Sistema FM Cnceits intrdutóris Exempls de Orientaçã as pais de crianças cm deficiência auditiva Prduçã: Camila Medina (Tecnlgia Educacinal FOB-USP) Bauru 2015 Autres: Fga. Ms. Raquel Franc Stuchi Siagh

Leia mais

CÁLCULO DE COMPENSAÇÕES INDEMNIZAÇÕES

CÁLCULO DE COMPENSAÇÕES INDEMNIZAÇÕES Inscreva-se até 8 de Julh e btenha descnts especiais Seminári Prátic Luanda, 18 e 19 de Julh de 2016 - Htel**** revist e actualizad CÁLCULO DE COMPENSAÇÕES E INDEMNIZAÇÕES de acrd cm a Nva Lei Geral d

Leia mais

8. AS VIAGENS NA ATUALIDADE E EM OUTROS TEMPOS

8. AS VIAGENS NA ATUALIDADE E EM OUTROS TEMPOS Opçã Brasil Imagens/Eduard Garcia D Trabalh Lazer Parte integrante d livr didátic de História Sistema Psitiv de Ensin 3. an 4. vlume unidade 8. As viagens na atualidade e em utrs temps C Flhapress/Apu

Leia mais

Como a construção de planos de negócio para as unidades de serviço pode trazer mais assertividade à gestão?

Como a construção de planos de negócio para as unidades de serviço pode trazer mais assertividade à gestão? Cm a cnstruçã de plans de negóci para as unidades de serviç pde trazer mais assertividade à gestã? Sérgi Lpez Bent Diretr Técnic Executiv Planisa 15.03.2017 Sumári Cnceituaçã Principais aspects d Plan

Leia mais

CÁLCULO DE REMUNERAÇÕES ADICIONAIS

CÁLCULO DE REMUNERAÇÕES ADICIONAIS Seminári 100% Prátic Luanda, 26 e 27 de Mai de 2016 - Htel**** Cnheça em prmenr tdas as fórmulas aplicáveis a CÁLCULO DE REMUNERAÇÕES ADICIONAIS para evitar gasts desnecessáris 16 Hras de Frmaçã Especializada

Leia mais

Exame: Matemática Nº Questões: 58 Duração: 120 minutos Alternativas por questão: 4 Ano: 2009

Exame: Matemática Nº Questões: 58 Duração: 120 minutos Alternativas por questão: 4 Ano: 2009 Eame: Matemática Nº Questões: 8 Duraçã: 0 minuts Alternativas pr questã: An: 009 INSTRUÇÕES. Preencha as suas respstas na FOLHA DE RESPOSTAS que lhe fi frnecida n iníci desta prva. Nã será aceite qualquer

Leia mais

O uso de amostras. Desvantagens: Perda no nível de confiança; Diminuição da precisão dos resultados. POPULAÇÃO (N) AMOSTRA(n)

O uso de amostras. Desvantagens: Perda no nível de confiança; Diminuição da precisão dos resultados. POPULAÇÃO (N) AMOSTRA(n) Amstragem O us de amstras POPULAÇÃO (N) AMOSTRA(n) Desvantagens: Perda n nível de cnfiança; Diminuiçã da precisã ds resultads. Vantagens: Cust; Temp; Acessibilidade; O us de amstras Pssibilidade de mair

Leia mais

ANÁLISE DE MARGENS E REDUÇÃO DE CUSTOS

ANÁLISE DE MARGENS E REDUÇÃO DE CUSTOS Inscreva-se até 12 de Outubr e btenha descnts especiais Seminári Prátic Técnicas, Ferramentas e Metdlgias de Luanda, 26, 27 e 28 de Outubr de 2016 - Htel**** ANÁLISE DE MARGENS E REDUÇÃO DE CUSTOS para

Leia mais

DIRETORIA DE SERVIÇOS INTERNOS

DIRETORIA DE SERVIÇOS INTERNOS 1 DIRETORIA DE SERVIÇOS INTERNOS Cnhecida cm a cmissã da sciabilidade u a primeira cmissã de serviçs rtáris; Peça fundamental para bm funcinament d clube; Respnsável pel desenvlviment d cmpanheirism cm

Leia mais

MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY

MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY 1. INTRODUÇÃO: O DESAFIO DE CONTROLAR A PRODUÇÃO ALUVIAL

Leia mais

PROCESSOS DE LIDERANÇA & COACHING

PROCESSOS DE LIDERANÇA & COACHING 10% de descnt Inscrevend-se até dia 18 de Agst Seminári Prátic Luanda, 29,30 e 31 de Agst de 2016 - Htel**** METODOLOGIAS, MODELOS E COMPETÊNCIAS para PROCESSOS DE LIDERANÇA & COACHING Cnverta-se num Líder

Leia mais

Requerimento de subsídio mensal vitalício e subsídio por assistência de terceira pessoa

Requerimento de subsídio mensal vitalício e subsídio por assistência de terceira pessoa Requeriment de subsídi mensal vitalíci e subsídi pr assistência de terceira pessa Instruções Preenchiment n line: Utilize Adbe Acrbat Reader, versã 7.0.5 u superir, qual pde ser btid em http://www.adbe.cm;

Leia mais

As várias interpretações dos Números Racionais

As várias interpretações dos Números Racionais As várias interpretações ds Númers Racinais (Algumas das tarefas apresentadas a seguir fram retiradas u adaptadas da Tese de Dutrament de Maria Jsé Ferreira da Silva, cuj text se encntra n seguinte endereç:

Leia mais

Ficha de trabalho nº2

Ficha de trabalho nº2 Ficha de trabalh nº2 Curs: Prfissinal análises Labratriais -PAL1 Tecnlgias da Infrmaçã e Cmunicaçã UNIDADE 2. Gestã de Base de Dads Data:09 / Dezembr de 2010 Sumári: Criaçã da base dads Animais em extinçã

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - UBI MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Ano lectivo ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - UBI MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Ano lectivo ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA An lectiv 2015-16 ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA Os estudantes de Medicina, enquant prfissinais de saúde em prcess de frmaçã, devem recnhecer s aspets culturais e sciais da saúde,

Leia mais

Introdução à UML. Mas usaremos apenas um sub-conjunto da UML

Introdução à UML. Mas usaremos apenas um sub-conjunto da UML A Linguagem UML Intrduçã à UML UML = Unified Mdelling Language (Linguagem de Mdelagem Unificada) É uma ntaçã gráfica (visual) para prjetar sistemas Define diagramas padrnizads É extensível É cmplexa Mas

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE PRODUTO Folha: 1/5

FICHA TÉCNICA DE PRODUTO Folha: 1/5 FICHA TÉCNICA DE PRODUTO Flha: 1/5 Divisã: Varej e Última Revisã: é um verniz impermeabilizante inclr, que frma uma barreira cm acabament brilhante, que pssui alta resistência a abrasã, pressões hidrstáticas

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Alterad nme deste Prcediment

Leia mais

Ata 1ª Reunião Conselho Eco-Escola 13 dezembro 2013

Ata 1ª Reunião Conselho Eco-Escola 13 dezembro 2013 Ata 1ª Reuniã Cnselh Ec-Escla 13 dezembr 2013 As treze dias d mês de dezembr de 2013 realizu-se, n auditóri, a primeira reuniã d cnselh Ec-Esclas d Clégi Valsassina d presente an lectiv. A reuniã cntu

Leia mais

Boletim Estatístico Janeiro Março 2014 Cuidados de Saúde Primários (CSP)

Boletim Estatístico Janeiro Março 2014 Cuidados de Saúde Primários (CSP) Bletim Estatístic Janeir Març 2014 Cuidads de Saúde Primáris (CSP) Fnte - SIARS: Dads extraíds a 22/04/2014, s dads pdem estar sujeits a crreçã. Glssári Enquadrament - cnceits Cuidads de saúde primáris

Leia mais

Classe Fé e Vida IPJG Setembro 2016

Classe Fé e Vida IPJG Setembro 2016 Classe Fé e Vida IPJG Setembr 2016 1 O Evangelh n Trabalh 1. A idlatria n trabalh 2. Indlência n trabalh 3. O evangelh n lcal d trabalh 4. Os prpósits d Rei em nss trabalh 5. Cm dev esclher um empreg?

Leia mais

2011/12 [PLANO ANUAL - AEC DE ACTIVIDADES LÚDICO EXPRESSIVAS]

2011/12 [PLANO ANUAL - AEC DE ACTIVIDADES LÚDICO EXPRESSIVAS] 2011/12 [PLANO ANUAL - AEC DE ACTIVIDADES LÚDICO EXPRESSIVAS] Plan Anual de Actividades de Expressões Artísticas An Lectiv 2011/2012 Intrduçã: Nesta actividade pretende-se desenvlver prazer da realizaçã

Leia mais

VOLUMES: - Folha Informativa -

VOLUMES: - Folha Informativa - VOLUMES: - Flha Infrmativa - Para medir vlume de qualquer figura tridimensinal é necessári medir espaç que ela cupa. Assim, ter-se-á que esclher uma unidade de vlume que, pr cnveniência, pderá ser um cub

Leia mais

A proteção de nomes geográficos no processo de novos gtlds. V3 29 de agosto de 2014

A proteção de nomes geográficos no processo de novos gtlds. V3 29 de agosto de 2014 A prteçã de nmes gegráfics n prcess de nvs gtlds V3 29 de agst de 2014 Preparad pel subgrup de trabalh para a prteçã de nmes gegráfics nas próximas rdadas de nvs gtlds 1. Finalidade Durante 47 Encntr da

Leia mais

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS. Eixo Prioritário 3

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS. Eixo Prioritário 3 PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS Avis Nº ACORES-51-2017-14 PROGRAMA OPERACIONAL PARA OS AÇORES 2020 Eix Priritári 3 Cmpetitividade das Empresas Reginais Priridade

Leia mais

Programas PESSOA e FITNESSGRAM. Cláudia Sofia Minderico Paulo Nuno Vieira

Programas PESSOA e FITNESSGRAM. Cláudia Sofia Minderico Paulo Nuno Vieira Prgramas PESSOA e FITNESSGRAM Cláudia Sfia Minderic Paul Nun Vieira Psiçã OMS -2009- Schl-based interventins shw cnsistent imprvements in knwledge and attitudes, behaviur and, when tested, physical and

Leia mais

Sondagem do Bem-Estar

Sondagem do Bem-Estar 1 PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS NO RIO DE JANEIRO E EM SÃO PAULO A crescente demanda pr melhria ds serviçs públics n Brasil ganhu ainda mair evidência ns dis últims ans, quand a recessã

Leia mais

Catálogo de Licenças Online

Catálogo de Licenças Online Catálg de Licenças Online Licença n.º 330 Declaraçã prévia para estabeleciments de restauraçã u bebidas www.cm-freixespadacinta.pt Pág. 1 de 15 Licença/Autrizaçã: Declaraçã prévia para estabeleciments

Leia mais

INSTALAÇÃO DE PURGAS NA REDE SECUNDÁRIA DE POLIETILENO

INSTALAÇÃO DE PURGAS NA REDE SECUNDÁRIA DE POLIETILENO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 604 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 604 Revisã n.º 2 1 de fevereir de 2011 Revisã n.º 2 Página 2 de 8 ÍNDICE Regist das revisões... 3 Preâmbul... 4 1. Objetiv... 4 2. Âmbit... 4 3. Referências...

Leia mais

Torneio da Família e Amigos

Torneio da Família e Amigos Trnei da Família e Amigs 29 de Outubr de 2016 Regulament 1. Participantes: Prva aberta a tds (as) sócis (as) e a nã sócis (as), cm Handicap EGA actualizad até a máxim de 28,0 (Hmens) e 36,0 (Senhras).

Leia mais

MAPA DE COMPETÊNCIAS PROGRAMA ENSINO INTEGRAL. Secretaria de Estado da Educação São Paulo ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

MAPA DE COMPETÊNCIAS PROGRAMA ENSINO INTEGRAL. Secretaria de Estado da Educação São Paulo ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO MAPA DE COMPETÊNCIAS PROGRAMA ENSINO INTEGRAL ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO Secretaria de Estad da Educaçã Sã Paul MODELO DE COMPETÊNCIAS Premissas d Prgrama Cmpetências Prtagnism Dmíni

Leia mais

PROJETO 24ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 24ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 24ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

Campanha Construindo Cidades Resilientes: minha cidade está se preparando!

Campanha Construindo Cidades Resilientes: minha cidade está se preparando! Campanha Cnstruind Cidades Resilientes: minha cidade está se preparand! Platafrma temática sbre risc urban nas Américas Frtaleciment da cperaçã e clabraçã entre gverns lcais Cnvite à apresentaçã de prpstas

Leia mais

3º Encontro de Parques de Montanha. Adoção de Áreas Naturais Estratégias para aprimorar a gestão da visitação

3º Encontro de Parques de Montanha. Adoção de Áreas Naturais Estratégias para aprimorar a gestão da visitação 3º Encntr de Parques de Mntanha Adçã de Áreas Naturais Estratégias para aprimrar a gestã da visitaçã Cntext Lcalizaçã: Mata Atlântica 1909: direit d us da área cncedid pela Uniã 1912: inauguraçã d 1º teleféric

Leia mais

Governação Integrada em Territórios Vulneráveis

Governação Integrada em Territórios Vulneráveis Fórum GOVINT GOVERNAÇÃO INTEGRADA. A EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL E DESAFIOS PARA PORTUGAL 16 utubr 2015 Gvernaçã Integrada em Territóris Vulneráveis Jã Ferrã, ICS-UL (crd.) Jã Murat (ICS-UL) Jrge Malheirs

Leia mais

MATEMÁTICA APLICADA RESOLUÇÃO

MATEMÁTICA APLICADA RESOLUÇÃO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS ECONÔMICAS E 3/0/06 As grandezas P, T e V sã tais que P é diretamente prprcinal a T e inversamente prprcinal a V Se T aumentar 0% e V diminuir 0%, determine a variaçã

Leia mais

Técnicas e Conselhos Práticos para melhorar, agilizar e automatizar o seu trabalho diário. 32 horas de Formação Intensiva para aprender e praticar:

Técnicas e Conselhos Práticos para melhorar, agilizar e automatizar o seu trabalho diário. 32 horas de Formação Intensiva para aprender e praticar: Inscreva-se até 13 de Janeir e btenha descnts especiais Seminári Técnic Luanda, 23, 24, 25 e 26 de Janeir de 2017 - Htel**** Optimizaçã e dmíni de EXCEL para Managers Técnicas e Cnselhs Prátics para melhrar,

Leia mais

10. Escreva um programa que leia um texto e duas palavras e substitua todas as ocorrências da primeira palavra com a segunda palavra.

10. Escreva um programa que leia um texto e duas palavras e substitua todas as ocorrências da primeira palavra com a segunda palavra. Lista de Exercícis: Vetres, Matrizes, Strings, Pnteirs e Alcaçã Obs: Tdas as questões devem ser implementadas usand funções, pnteirs e alcaçã 1. Faça um prgrama que leia um valr n e crie dinamicamente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UFOP DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UFOP DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS OFÍCIO CIRCULAR CSU nº 001, de 05 de fevereir de 2016. ASSUNTO: Infrme sbre implementaçã da metdlgia de Centrs de Custs, mdificações ns Sistemas Integrads, Treinament e demais rientações Prezads Senhres,

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR Prgrama de Higiene, Saúde e Segurança n Trabalh Curss de Educaçã e Frmaçã MÓDULO 3 Intrduçã à Higiene, Segurança e Saúde n Trabalh II 1 Apresentaçã Tend já

Leia mais