REDES NEURAIS ARTIFICIAS NA MONITORAÇÃO PROGNÓSTICA DE ÍNDICES DE VIBRAÇÃO EM CONJUNTOS MOTO-REDUTORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDES NEURAIS ARTIFICIAS NA MONITORAÇÃO PROGNÓSTICA DE ÍNDICES DE VIBRAÇÃO EM CONJUNTOS MOTO-REDUTORES"

Transcrição

1 REDES NEURAIS ARTIFICIAS NA MONITORAÇÃO PROGNÓSTICA DE ÍNDICES DE VIBRAÇÃO EM CONJUNTOS MOTO-REDUTORES CELSO M. KAWAMURA, ALESSANDRO GOEDTEL, MARCOS B. R. VALLIM Departamento de Engenharia Elétrica, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR-CP) Av. Alberto Carazzai, 1640,, Cornélio Procópio,PR, CEP s: Abstract During the production process of traction machines for passenger elevators, the vibration measurement is one of the main requirements to assure the qualit and comfort in the final product. In this wor, an alternative method is presented for the traction machine s evaluation, performed during the qualit control, in a manufacturing line. B means of artificial neural networs based on Kohonen s maps, this evaluation provides the possibilit to determine, within the machines with excessive vibration, those where the adjustment would not be possible, and should be machined again. Some experimental results are presented to validate the proposed method. Kewords Artificial neural networ, Kohonen maps, noise, vibration, traction machines. Resumo Durante o processo produtivo de máquinas de tração para elevadores de passageiros, a medição da vibração nas mesmas é um dos principais quesitos na garantia da qualidade e conforto do produto final. Este trabalho apresenta um método alternativo para a avaliação das máquinas de tração, realizado durante o controle de qualidade em uma linha de manufatura. Com o uso de redes neurais artificiais baseadas nos mapas de Kohonen, a avaliação permite determinar, entre as máquinas que apresentaram valores excessivos de vibração, os conjuntos onde o ajuste não seria possível, e que devem passar por um novo processo de usinagem. Resultados experimentais são apresentados para validar o método proposto. Palavras-chave Redes neurais artificiais, mapas de Kohonen, ruído, vibração, máquinas de tração. 1 Introdução Um dos principais itens de conforto para os usuários de elevadores de passageiros diz respeito ao ruído no interior da cabine. Esse ruído pode ter as mais diversas causas, sendo uma das mais comuns, a que tem origem no conjunto moto-redutor da máquina de tração. Esse conjunto possui uma polia montada na sua extremidade, onde o cabo de tração é enrolado, e qualquer vibração no seu interior é transmitida, para o interior do poço onde a cabine está instalada. Essa vibração origina um ruído, que reverbera pelo poço, o qual, devido à sua forma construtiva, acaba funcionando como uma caixa de ressonância. A vibração, além de causar o desconforto acústico, pode também prejudicar o funcionamento dos equipamentos e colocar em risco toda a estrutura do prédio (Pereira, 2006), além disso, a exposição prolongada à vibração corporal total (whole bod vibration-wbv) pode até mesmo resultar em doenças ocupacionais (McCallig et al., 2010). Com o intuito de se minimizar a incidência de tais efeitos patológicos, diversas normas regulamentadoras nacionais e internacionais foram criadas, limitando os níveis de ruídos e vibrações em máquinas e motores. Os procedimentos adotados para as medições também são descritos nas normas, dentre as quais podem ser citadas: NBR NM 207 (1999), NBR (2000), ISO 2372 (1974) e ISO 2954 (1975). Com o objetivo de atender aos requisitos das normas vigentes e manter as máquinas e equipamentos com níveis de ruído e vibração adequados à operação, há uma preocupação crescente por parte das empresas com relação ao controle na produção. Os métodos convencionais de inspeção de grandezas em máquinas elétricas, como ruído, vibração, potência, torque, velocidade, etc., contam com equipamentos de medição e a comparação com valores limites préestabelecidos. Diversas pesquisas com a utilização de sistemas inteligentes têm sido realizadas para a avaliação dessas grandezas, como em Goedtel et al. (2007), que utiliza as Redes Neurais Artificiais (RNA) para estimar a velocidade de rotação em motores de indução trifásicos, e Silva et al. (2007), que utiliza lógica Fuzz para identificação de torque de carga em motores de indução conectados à rede. Esforços para o desenvolvimento de métodos de detecção de falhas com utilização de redes neurais artificiais podem ser vistos nos trabalhos desenvolvidos por Kanar et al. (2011) na diagnose de rolamentos de esferas em máquinas rotativas, e em Li et al. (2009) na detecção de falha em redutores em condições de sobrevelocidade. A proposta deste trabalho é apresentar um método alternativo para avaliação de parâmetros de máquinas elétricas, utilizando os mapas de Kohonen. Tal abordagem tem por objetivo o agrupamento dos valores de medição de vibração e a classificação dos conjuntos moto-redutores segundo suas possibilidades de ajuste. Além disso, a redução do custo operacional relacionado à necessidade de nova usinagem das engrenagens, uma vez detectada a impossibilidade ajuste, é uma das conseqüências do correto prognóstico do conjunto de tração. ISSN: Vol. X 1007

2 O presente artigo está organizado como segue: na Seção 2 são apresentados os métodos de medição da vibração e seus conceitos. Na Seção 3 serão descritos os procedimentos de ensaio realizados para a avaliação do método proposto. Na Seção 4 são apresentados a estrutura básica de uma rede neural artificial, a topologia do mapa de Kohonen e os resultados alcançados. Na Seção 5 serão apresentadas as conclusões obtidas com este trabalho. 2 Métodos de Medição da Vibração Um corpo é dito em vibração quando descreve um movimento oscilatório em torno de um eixo ou ponto de referência, também chamado de ponto de equilíbrio (Inman, 2001). Sua presença é inerente às máquinas rotativas, porém, quando em excesso, pode causar desgaste acelerado em mancais, causar fissuras, ou até mesmo danificar o isolamento elétrico dos condutores (Rao, 2008). Uma máquina de tração em condições ideais de funcionamento deve, portanto, apresentar níveis baixos de vibração. Para que o processo de fabricação garanta que esses níveis não sejam ultrapassados durante a operação normal da máquina, vários métodos de monitoração prognóstica podem ser utilizados. Entre os métodos mais básicos estão os métodos auditivos e visuais. Técnicas modernas de monitoração incluem análise no domínio do tempo e análise no domínio da freqüência (Rao, 2008). Ao se realizar a análise no domínio do tempo, um índice que pode ser utilizado está relacionado com a amplitude do sinal de vibração que, conforme Rao (2008), pode ser avaliado segundo: o nível de pico ou valor máximo de amplitude de onda; valor médio quadrático (RMS - root mean square); ou então fator de crista. Como o nível de pico, ou valor de crista, ocorre somente uma vez, não pode ser considerado um valor confiável para se detectar possíveis problemas. O fator de crista é a razão entre o nível de pico e valor RMS, porém existe a possibilidade de, em alguns casos, não conseguir identificar as falhas. Por exemplo, o valor RMS de um sinal pode estar subindo gradativamente, indicando uma vibração crescente, ao passo que, o fator de crista pode apresentar queda. Assim, na maioria dos casos o índice utilizado para a avaliação de vibração em máquinas girantes é o valor eficaz da velocidade de vibração (Rao, 2008). As unidades utilizadas em vibração, de acordo com o Sistema Internacional de Unidades (SI), e conforme a norma ISO 1000 (1992), são mostradas na Tabela 1. No caso de elevadores de passageiros, existem basicamente duas normas brasileiras que regulamentam os níveis de ruídos e vibrações: a NBR NM 207 (1999) e a NBR (2000). Tabela 1. Unidades de vibração conforme norma ISO Unidades de vibração (ISO 1000) Deslocamento m, mm, µm Velocidade m/s, mm/s (ou m.s -1, mm.s -1 ) Aceleração m/s 2 (ou m.s -2 ) 1g = 9,81 m/s 2 Sendo a vibração um subproduto da força cíclica transmitida aos componentes da máquina, a mesma pode ser medida pelo seu lado externo, com o uso de um transdutor. No processo onde o trabalho foi desenvolvido, o transdutor utilizado foi um acelerômetro piezoelétrico, conectado a um equipamento de medição que contém um pré-amplificador, que indica o nível RMS da aceleração ou da velocidade de deslocamento. Os instrumentos de monitoração de vibração podem medir os níveis globais de vibração em determinadas faixas de freqüência, ou então fazer a análise do espectro de freqüência dos sinais de vibração por transformada rápida de Fourier (Rao, 2008). No presente artigo o instrumento utilizado foi um medidor de vibração de nível global, que mede os valores eficazes de velocidade e aceleração do sinal medido. Os resultados são então comparados com normas e valores de referência estabelecidos para cada tipo de máquina. 3 Procedimento de Ensaio O procedimento de ensaio adotado estabelece três pontos de medição no conjunto máquina-redutor, em três sentidos: horizontal, vertical e axial totalizando então nove parâmetros de avaliação. Esse procedimento está descrito em normas internas da empresa fabricante das máquinas, onde os ensaios foram realizados. Após a medição dos pontos, os mesmos são avaliados e comparados com valores de referência. Foram medidos os níveis de vibrações do conjunto máquina, nos dois sentidos: subida e descida, utilizando o coletor portátil de dados SKF Microlog CMVA7 no modo velocidade 10 Hz (mm/s range I - RMS - 1s) e modo de aceleração 3 Hz (g - range II RMS - 1s). As medições foram feitas segundo as normas ISO 2372 (1974) e ISO 2954 (1975). O fluxograma do procedimento de medição é mostrado na Figura 1. Caso as medições obtidas não estejam de acordo com o desejado, a máquina deve ser desmontada, ajustada, remontada e novamente avaliada. Se, nessa segunda avaliação os parâmetros ainda se encontrem fora dos limites tolerados, a máquina deve ser enviada para o retrabalho, onde as engrenagens devem passar por novo processo de usinagem. O objetivo deste trabalho é apresentar um método para realizar a classificação dos parâmetros obtidos com a primeira medição, evitando que seja feito um desmonte desnecessário das máquinas, onerando o processo fabril. ISSN: Vol. X 1008

3 Figura 1. Fluxograma de medição de ruído em conjunto motoredutor No método proposto apresentado na Figura 2, após a execução da primeira medição, os valores obtidos são avaliados. Caso estejam acima dos valores limites pré-estabelecidos, são submetidos à uma RNA, cujo algoritmo, desenvolvido em um software de análise numérica, classifica e agrupa os mesmos. Tal classificação e agrupamento de dados são extremamente complexos de serem obtidos através de métodos convencionais, devido à quantidade elevada de informações e o desconhecimento de possíveis correlações e regularidades que possam existir. Após a classificação dos dados, a RNA estima se o ajuste da máquina em questão é possível ou não. Caso não seja, a máquina é enviada diretamente para um novo processo de usinagem, sem a necessidade de uma segunda medição. Sem a avaliação feita pela RNA, a máquina seria desmontada, ajustada e remontada. Uma segunda medição seria feita e somente então, se constataria que o ajuste não seria possível e a máquina deveria ser encaminhada pra o retrabalho. Todo esse processo demanda tempo e mão de obra especializada, causando atraso na linha produtiva e aumento da taxa horária. Como esses custos não podem ser repassados para o preço final do produto, seriam então contabilizados como prejuízo. Devido às características dos dados, que possuem relações desconhecidas, a RNA selecionada para executar a classificação das amostras de medição, foi um mapa auto-organizável de Kohonen (SOM - Self Organized Map). Conforme Silva et al. (2010), redes autoorganizáveis têm a capacidade de detectar semelhanças entre os conjuntos de entrada, agrupando-os em células, permitindo a identificação de uma amostra com base nas características de outros elementos que façam parte do grupo. Figura 2. Fluxograma de medição de ruído em conjunto motoredutor, utilizando RNA 4 Redes Neurais Artificiais Existem estudos com as mais diversas arquiteturas de redes neurais artificiais, porém pode-se verificar que os neurônios artificiais que compõem essas redes são compostos basicamente de sete elementos (Silva et al., 2010), como proposto por McCulloc e Pitts em 1943, representados na Figura 3. Figura 3. Elementos básicos de um neurônio artificial onde: x j é o j-ésimo sinal de entrada; w é o peso sináptico entre a j-ésima entrada e o i-ésimo neurônio; Σ é o somador dos sinais de entrada; b limiar de ativação (bias) do somador; v é o potencial de ativação; ϕ é a função de ativação; é a saída do neurônio. Assim, o neurônio artificial, ao receber sinais na sua entrada, executa os seguintes passos: i) multiplicação de cada valor recebido do meio externo pelo seu respectivo peso sináptico, obtendo assim o valor ponderado de cada entrada, ii) através da soma ponderada dos sinais de entrada, e subtraindo o limiar de ativação, um potencial de ativação do neurônio é obtido, iii) o potencial de ativação é aplicado a uma função de ativação, e a saída do neurônio é compilada. ISSN: Vol. X 1009

4 O aspecto fundamental de uma RNA é o seu a- prendizado, ou seja, o processo através do qual a rede aprende e generaliza, apresentando uma solução para determinado tipo de problema. Cada arquitetura de rede possui um algoritmo específico de aprendizado, diferindo principalmente no método através do qual os pesos sinápticos são modificados a cada passo de iteração do aprendizado. No treinamento dito supervisionado, existe um valor esperado de saída para cada entrada apresentada à rede. Se houver alguma diferença, os pesos sinápticos deverão ser ajustados, de modo que as saídas desejadas para cada entrada sejam obtidas. No aprendizado não-supervisionado, não existe uma saída desejada, sendo o treinamento também chamado auto-organizado (Hain, 2001). 4.1 O mapa de Kohonen O processo de aprendizado humano é essencialmente não supervisionado, ou seja, as respostas aos estímulos sensoriais ocorrem sem informação prévia do significado do conteúdo da informação recebida (Braga et al., 2000). Similarmente, ao se realizar treinamentos não-supervisionados de redes neurais, o ajuste dos pesos sinápticos deve ser feito baseado unicamente nas informações disponíveis sobre os dados de entrada. Um exemplo é a utilização de dados com distribuição e probabilidades estatísticas conhecidas, como é o caso das redes de Kohonen. A inspiração biológica das redes de Kohonen, é encontrada no córtex cerebral onde os neurônios a- presentam alto grau de especialização. Os neurônios dividem-se em grupos que são especialistas em executar determinadas tarefas, assim como os neurônios de certa região do mapa de contexto da rede SOM, são especialistas para classificar determinado tipo de amostra (Kohonen, 1997). Diferentemente da aprendizagem dita hebbiana, onde vários neurônios podem estar ativos simultaneamente, no aprendizado competitivo somente um neurônio está ativo em determinado instante. Esse mecanismo que permite a ativação de um único neurônio, a cada ciclo de aprendizado da rede, é chamado de o vencedor leva tudo (Hain, 2001). Nessa situação, somente os pesos do neurônio vencedor são ajustados, intensificando assim, seu estado para o próximo ciclo. Isso ocorre nos mapas bidimensionais, que é a topologia utilizada para a resolução do problema proposto: a avaliação de amostras de valores de medição de vibração, para a classificação de conjuntos moto-redutores. O arranjo do mapa dos neurônios que formam a estrutura da rede pode ter as mais diversas formas geométricas (hexágono, quadrado, circular, etc.). No presente estudo, os neurônios estão dispostos em linhas e colunas, com um formato quadrangular composto por 16 neurônios, conforme mostra a Figura 4. Figura 4. Topologia do mapa SOM, com 16 neurônios Considerando as numerações dos neurônios indicadas na Figura 3, obteve-se então, um mapa topológico, com as interligações entre os vizinhos correspondentes formando os chamados grupos Ω, Um dos critérios para se estabelecer quais são os neurônios vizinhos, consiste na escolha do raio de abrangência R. No trabalho proposto, foi estabelecido um raio igual a uma unidade, e os grupos são apresentados na Tabela 2. O método de sintonia da rede, no processo de aprendizagem, que acaba reforçando determinado conjunto de neurônios sobre a grade da topologia, tem como resultado, a formação de clusters. Tabela 2. Conjuntos Ω obtidos, raio de abrangência R=1. Conjuntos Ω Ω 1 = { 2;5} Ω 2 = { 1;3;6 } Ω 3 = { 2;4;7} Ω 4 = { 3;8} Ω 5 = { 1;6;9 } Ω 6 = { 2;5;7;10 } Ω 7 = { 3;6;8;11 } Ω 8 = { 4;7;12 } Ω 9 = { 5;10;13 } Ω 10 = { 6;9;11;14 } 11 = Ω { } 12 = Ω 13 = { 9;14 } Ω 14 = { 10;13;15 } Ω 15 = { 11;14;16 } Ω 16 = { 12;15 } A localização espacial dos neurônios sobre os clusters formados indica as características e informações contidas nas amostras de entrada. Esse comportamento traduz o termo auto-organizável de um mapa de Kohonen. 4.2 Algoritmo de aprendizado de uma rede Kohonen Para descrever o algoritmo de aprendizado de uma rede Kohonen, consideremos uma rede neural constituído de uma única camada, com j neurônios e a- mostras de entrada, como mostra a Figura 5. x 1 x 2 x i Figura 5. Estrutura de uma rede competitiva Observa-se na Figura 5 que cada neurônio está conectado a todos os nós de entrada, podendo também apresentar conexões laterais com seus neurônios vizinhos i ISSN: Vol. X 1010

5 Considerando w o peso sináptico que conecta o neurônio j ao sinal de entrada i, e normalizando os mesmos, isto é, = 1, para todo j. w Uma das regras para se definir o neurônio vencedor, é o método da proximidade entre o vetor de pesos e o neurônio j. Essa proximidade é determinada pela distância Euclidiana entre o vetor de pesos de cada neurônio e o vetor de entrada com os elementos da ésima amostra ( ) n ( ) 2 x, conforme (1): dist j j = x i w i, j = 1,, n (1) i= 1 ( ) onde dist j é a distância entre o vetor de entrada representando a -ésima amostra x em relação ao j vetor de pesos do j-ésimo neurônio w. O vencedor será o neurônio com a menor distância calculada pela expressão (1). A mudança aplicada ao vetor de pesos do neurônio vencedor, será definida por (2): w = η x w (2) se o neurônio ( ) j vence a competição, ou então w = 0 se o neurônio j perde a competição, onde η é a taxa de aprendizagem. Essa regra faz com que o vetor de pesos do neurônio vencedor, se aproxime na direção da entrada x. Quando a topologia é do tipo bi-dimensional, tanto os pesos do neurônio vencedor, quanto dos neurônios vizinhos, são ajustados, em direção à entrada x. Somente a taxa utilizada é menor. Um valor razoável para essa taxa, seria igual à metade da taxa de aprendizagem, conforme sugere Silva et al. (2010). Assim, a expressões (2) torna-se: w = η ( x w ) se o neurônio j vence a competição, e: w = 2 ( η ) ( x w ) se o neurônio j perde a competição. Após o aprendizado, as classes resultantes do algoritmo de treinamento são identificadas, e o mapa topológico pode ser dividido nas regiões que identificam as determinadas classes (Silva et al., 2010). 4.3 Operação Para o treinamento da rede foram utilizados os valores de vibração obtidos em 30 máquinas de diversas potências, com taxa de aprendizagem η = 0, 001 e o critério do neurônio vencedor utilizado no algoritmo foi a da distância Euclidiana. Em cada amostra, 6 pontos foram medidos, com o sensor posicionado no sentidos horizontal, vertical e axial, e a máquina operando em ambas as direções, conforme mostra a Figura 5. (3) (4) Figura 5. Pontos de medição de vibração na máquina de tração. Após o treinamento foi obtido o mapa de contexto, definindo as regiões representativas para cada classe do problema, conforme apresentado na Figura 6. Os clusters identificados pelos neurônios de números 4 e 14 indicam as amostras que podem ser ajustadas. Figura 6. Mapa de contexto obtido após a operação da RNA O cluster identificado pelo neurônio de número 15 indica as amostras cujo ajuste não é possível, e devem então ser enviadas diretamente para um novo processo de usinagem, sem a realização de uma segunda medição para identificar tal necessidade. Foram submetidas 88 amostras à rede, e o algoritmo desenvolvido classificou corretamente 89,8% das máquinas, indicando quais poderiam ser ajustadas e quais deveriam ser enviadas diretamente para uma nova usinagem, pois o ajuste para se obter as medições de vibrações dentro de uma faixa de valores aceitável, não seria possível. Tabela 3. Valores medidos e classificação das amostras. Vibração (mm/s) - Subida Vibração (mm/s) - Descida Amostra 1H 1V 1A 1H 1V 1A Cluster 1 0,67 1,46 0,45 0,86 0,66 1, ,61 1,29 0,72 0,87 0,48 1, ,39 1,42 0,83 0,88 0,42 1, ,75 1,25 0,66 0,89 0,77 1, ,96 1,05 0,68 0,90 0,53 1, ,63 1,23 0,84 0,90 0,45 0, ,72 1,34 0,64 0,90 0,50 1, ,57 1,22 0,92 0,90 0,75 1, ,78 1,42 0,52 0,91 0,65 1, ,66 1,82 1,01 2,35 2,03 1, ,56 1,34 0,85 0,92 0,74 1, ,08 0,86 0,83 0,92 0,55 1, ,69 0,90 1,22 0,94 0,83 1, ,72 1,41 0,68 0,94 0,76 1, ,00 1,26 0,56 0,94 0,85 1, ,68 1,44 0,70 0,94 0,79 1, ,67 1,51 0,65 0,94 0,48 1, ,18 0,75 0,90 0,94 0,57 1, ,21 1,25 0,78 1,08 0,40 0, ,40 1,50 0,79 1,23 1,35 0,94 3 A Tabela 3 mostra os valores de vibração obtidos para algumas das amostras, e a respectiva classificação (cluster). Apesar do método apresentar algumas falhas, não conseguindo classificar algumas máquinas ade- ISSN: Vol. X 1011

6 quadamente (amostras 19 e 20), o algoritmo conseguiu identificar o conjunto que poderia ser enviado diretamente para uma nova usinagem (amostra 10), evitando assim uma etapa de desmontagem desnecessária. De um total de 88 amostras, o algoritmo classificou corretamente 79 máquinas, indicando a possibilidade de ajuste (cluster 4 ou 14) ou então ajuste impossível de ser obtido (cluster 15). 5 Conclusão Este artigo apresentou uma metodologia alternativa baseada em redes neurais artificiais, para a avaliação prognóstica dos valores de vibração eficazes obtidos em nove pontos diferentes de medição, em motores de tração utilizados em elevadores de passageiros. Devido à grande similaridade entre os dados, a classificação dos mesmos por métodos convencionais não era possível no processo de manufatura onde o trabalho foi desenvolvido. Os resultados obtidos demonstraram uma taxa de acerto na avaliação das máquinas quanto à possibilidade de ajuste ou da necessidade de nova usinagem das peças, da ordem de 90%, sendo considerada satisfatória. Os experimentos realizados mostraram que, os valores medidos, os quais aparentemente não apresentavam qualquer correlação, puderam ser agrupados em células, auxiliando na avaliação das máquinas no seu processo produtivo, e comprovando a eficiência da rede SOM. Assim, os mapas de Kohonen são uma alternativa viável como ferramenta auxiliar no controle de qualidade na manufatura de motores de tração de elevadores, ao serem utilizados na avaliação dos mais diversos parâmetros. Na empresa onde o trabalho foi desenvolvido, a- través da utilização de sistemas inteligentes, processos que demandam considerável tempo como desmonte, ajuste e remontagem de conjuntos motoredutores, podem ser evitados, aumentando a eficiência e reduzindo os custos da linha de manufatura. Agradecimentos Os autores agradecem à Elevadores Atlas Schindler S.A. pela disponibilização dos dados utilizados, permitindo o desenvolvimento deste trabalho e a comprovação do método proposto. Referências Bibliográficas Braga, Antônio de Pádua; Carvalho, André Ponce de Leon F.; Ludermir, Teresa Bernarda. (2000). Redes Neurais Artificiais teoria e aplicações. LTC. Goedtel, Alessandro; Silva, Ivan N.; Serni, Paulo J. A.; Sousa, Claudia F. L. N. (2007). Estrutura neural para estimativa de velocidade em motores de indução trifásicos baseada em dados experimentais e simulados. VIII Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente, Florianópolis. Hain, Simon. Redes Neurais princípios e prática. (2001). Booman. Inman, Daniel J.(2001). Engineering Vibration. Prentice Hall. ISO (1992). SI units and recommendations for the use of their multiples and of certain other units. International Organization for Standardization. ISO (1974). Mechanical vibration of machines with operating speeds from 10 to 200 rev/s. Basis for specifing evaluation standards. International Organization for Standardization ISO (1975). Mechanical vibration of rotating and reciprocating machiner -- Requirements for instruments for measuring vibration severit. International Organization for Standardization Kanar, P.K.; Sharma, Satish C. e Harsha, S.P. (2011). Fault diagnosis of ball bearings using machine learning methods. Expert Sstems with Applications. vol. 38, pp Kohonen, Teuvo. (1997). Self-organizing maps. 2 nd ed. Springer-Verlag. Li, Hui; Zhang, Yuping e Zheng, Haiqi. (2009). Gear fault detection and diagnosis under speed-up condition based on order cepstrum and radial basis function neural networ. Journal of Mechanical Science and Technolog. vol. 23. pp McCallig, Margaret; Paddan, Gurmail; Lente, Eric V.; Moore, Ken; Coggins, Marie. (2010). Evaluating worer vibration exposures using self-reported and direct observation. Applied Ergonomics. vol 42. pp NBR NM 207. (1999). Elevadores elétricos de passageiros - Requisitos de segurança para construção e instalação. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR (2000). Níveis de ruído para conforto acústico. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Pereira, Cristiano Caria Guimarães; Neves, Francisco de Assis das. Conforto humano e limites de percepção para vibrações verticais. (2006) Revista Escola de Minas. vol.59, n.3, pp Rao, Singiresu S. (2008). Vibrações mecânicas. Prentice Hall. Silva, Ivan Nunes; Spatti, Danilo Hernane e Flauzino, Rogério Andrade. (2010). Redes neurais artificiais para engenharia e ciências aplicadas. Artliber. Silva, Sérgio F.; Silva, Ivan N.;Goedtel, Alessandro; Minotti, Cristiano. (2007). Aplicação de sistemas fuzz em motores de indução para identificação de torque de carga. Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente. ISSN: Vol. X 1012

Aula 2 RNA Arquiteturas e Treinamento

Aula 2 RNA Arquiteturas e Treinamento 2COP229 Aula 2 RNA Arquiteturas e Treinamento 2COP229 Sumário 1- Arquiteturas de Redes Neurais Artificiais; 2- Processos de Treinamento; 2COP229 1- Arquiteturas de Redes Neurais Artificiais -Arquitetura:

Leia mais

Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO

Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO As vibrações afetam as pessoas de muitas formas causando desconforto, problemas de saúde, diminuição da

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

Redes Neurais. Mapas Auto-Organizáveis. 1. O Mapa Auto-Organizável (SOM) Prof. Paulo Martins Engel. Formação auto-organizada de mapas sensoriais

Redes Neurais. Mapas Auto-Organizáveis. 1. O Mapa Auto-Organizável (SOM) Prof. Paulo Martins Engel. Formação auto-organizada de mapas sensoriais . O Mapa Auto-Organizável (SOM) Redes Neurais Mapas Auto-Organizáveis Sistema auto-organizável inspirado no córtex cerebral. Nos mapas tonotópicos do córtex, p. ex., neurônios vizinhos respondem a freqüências

Leia mais

Verificação e Resolução de problemas com Vibrações Mecânicas e Modelagem Numérica

Verificação e Resolução de problemas com Vibrações Mecânicas e Modelagem Numérica Verificação e Resolução de problemas com Vibrações Mecânicas e Modelagem Numérica Marcos Geraldo S. Diretor da MGS Jánes Landre Júnior Prof. Depto. Engenharia Mecânica, PUC-Minas 1 - Introdução O setor

Leia mais

Vibrações e Ruído. Guia de Trabalho Laboratorial. Trabalho nº 5 Aquisição e Processamento de Dados em Computador

Vibrações e Ruído. Guia de Trabalho Laboratorial. Trabalho nº 5 Aquisição e Processamento de Dados em Computador Vibrações e Ruído Guia de Trabalho Laboratorial Trabalho nº 5 Aquisição e Processamento de Dados em Computador 1. Introdução As placas de aquisição de dados A/D (Analógico / Digital) permitem registar

Leia mais

Relatório Iniciação Científica

Relatório Iniciação Científica Relatório Iniciação Científica Ambientes Para Ensaios Computacionais no Ensino de Neurocomputação e Reconhecimento de Padrões Bolsa: Programa Ensinar com Pesquisa-Pró-Reitoria de Graduação Departamento:

Leia mais

Autores: Mauro Lucio Martins Eduardo Sarto

Autores: Mauro Lucio Martins Eduardo Sarto Aplicação da Preditiva on-line Como Ferramenta para o Aumento da Disponibilidade e Confiabilidade dos Equipamentos Rotativos em uma Empresado Ramo Petrolífero Autores: Mauro Lucio Martins Eduardo Sarto

Leia mais

MONITORAMENTO ON-LINE DE PROCESSOS DE USINAGEM VIA MEDIÇÃO DE VIBRAÇÕES

MONITORAMENTO ON-LINE DE PROCESSOS DE USINAGEM VIA MEDIÇÃO DE VIBRAÇÕES 16º POSMEC Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Mecânica MONITORAMENTO ON-LINE DE PROCESSOS DE USINAGEM VIA MEDIÇÃO DE VIBRAÇÕES Tatiana Meola Universidade Federal de Uberlândia tatiana.meola@gmail.com

Leia mais

TÍTULO: PROPOSTA DE METODOLOGIA BASEADA EM REDES NEURAIS ARTIFICIAIS MLP PARA A PROTEÇÃO DIFERENCIAL DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

TÍTULO: PROPOSTA DE METODOLOGIA BASEADA EM REDES NEURAIS ARTIFICIAIS MLP PARA A PROTEÇÃO DIFERENCIAL DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA TÍTULO: PROPOSTA DE METODOLOGIA BASEADA EM REDES NEURAIS ARTIFICIAIS MLP PARA A PROTEÇÃO DIFERENCIAL DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

ANÁLISE DE FALHAS EM COMPRESSORES DE PARAFUSOS. Fabiano Ribeiro do Vale Almeida Universidade Federal de Itajubá

ANÁLISE DE FALHAS EM COMPRESSORES DE PARAFUSOS. Fabiano Ribeiro do Vale Almeida Universidade Federal de Itajubá ANÁLISE DE FALHAS EM COMPRESSORES DE PARAFUSOS Fabiano Ribeiro do Vale Almeida Universidade Federal de Itajubá Márcio Tadeu de Almeida Universidade Federal de Itajubá Trabalho apresentado na 6 a Conferência

Leia mais

Redes Neurais. A IA clássica segue o paradigma da computação simbólica

Redes Neurais. A IA clássica segue o paradigma da computação simbólica Abordagens não simbólicas A IA clássica segue o paradigma da computação simbólica Redes Neurais As redes neurais deram origem a chamada IA conexionista, pertencendo também a grande área da Inteligência

Leia mais

OTIMIZANDO A PRODUTIVIDADE DE MÁQUINAS DE PAPEL ATRAVÉS DA ANÁLISE DE VIBRAÇÕES

OTIMIZANDO A PRODUTIVIDADE DE MÁQUINAS DE PAPEL ATRAVÉS DA ANÁLISE DE VIBRAÇÕES OTIMIZANDO A PRODUTIVIDADE DE MÁQUINAS DE PAPEL ATRAVÉS DA ANÁLISE DE VIBRAÇÕES ENG O REMO ALBERTO PIERRI Diretor Técnico da Aditeq Na referência (1), mostramos que a análise das vibrações geradas pelo

Leia mais

Módulo 1 - Fundamentos da Vibração

Módulo 1 - Fundamentos da Vibração Módulo 1 - Fundamentos da Vibração Dentro de Fundamentos da Vibração temos de uma forma simples a familiarização com conceitos muito importantes ao longo de nosso curso, tais como: Período, Freqüência,

Leia mais

ARLINDO MERTENS JUNIOR UMA ABORDAGEM SOBRE DETECÇÃO DE BARRAS QUEBRADAS EM MOTORES DE INDUÇÃO

ARLINDO MERTENS JUNIOR UMA ABORDAGEM SOBRE DETECÇÃO DE BARRAS QUEBRADAS EM MOTORES DE INDUÇÃO ARLINDO MERTENS JUNIOR UMA ABORDAGEM SOBRE DETECÇÃO DE BARRAS QUEBRADAS EM MOTORES DE INDUÇÃO Curitiba Setembro de 2008 ARLINDO MERTENS JUNIOR UMA ABORDAGEM SOBRE DETECÇÃO DE BARRAS QUEBRADAS EM MOTORES

Leia mais

Aprendizagem de Máquina

Aprendizagem de Máquina Aprendizagem de Máquina Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Disciplina: Inteligência Artificial Tópicos 1. Definições 2. Tipos de aprendizagem 3. Paradigmas de aprendizagem 4. Modos de aprendizagem

Leia mais

TÍTULO: SIMULAÇÃO DE METODOLOGIA BASEADA EM REDES DE KOHONEN PARA IDENTIFICAÇÃO DE CORRENTES DE INRUSH NA PROTEÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

TÍTULO: SIMULAÇÃO DE METODOLOGIA BASEADA EM REDES DE KOHONEN PARA IDENTIFICAÇÃO DE CORRENTES DE INRUSH NA PROTEÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA TÍTULO: SIMULAÇÃO DE METODOLOGIA BASEADA EM REDES DE KOHONEN PARA IDENTIFICAÇÃO DE CORRENTES DE INRUSH NA PROTEÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA:

Leia mais

Análise e visualização de dados utilizando redes neurais artificiais auto-organizáveis

Análise e visualização de dados utilizando redes neurais artificiais auto-organizáveis Análise e visualização de dados utilizando redes neurais artificiais auto-organizáveis Adriano Lima de Sá Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 20 de junho de 2014 Adriano L. Sá (UFU)

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA Nome dos autores: Halison Helder Falcão Lopes 1 ; Sergio Manuel Rivera Sanhueza 2 ; 1 Aluno do Curso de Engenharia Elétrica; Campus

Leia mais

Previsão do Índice da Bolsa de Valores do Estado de São Paulo utilizandoredes Neurais Artificiais

Previsão do Índice da Bolsa de Valores do Estado de São Paulo utilizandoredes Neurais Artificiais Previsão do Índice da Bolsa de Valores do Estado de São Paulo utilizandoredes Neurais Artificiais Redes Neurais Artificiais Prof. Wilian Soares João Vitor Squillace Teixeira Ciência da Computação Universidade

Leia mais

Controle de vibração significa a eliminação ou a redução da vibração.

Controle de vibração significa a eliminação ou a redução da vibração. Quais são os métodos mais utilizados para controle de vibrações? Defina um absorvedor de vibração? Qual é função de um isolador de vibração? Por que um eixo rotativo sempre vibra? Qual é a fonte da força

Leia mais

Redes Neurais. Profa. Flavia Cristina Bernardini

Redes Neurais. Profa. Flavia Cristina Bernardini Redes Neurais Profa. Flavia Cristina Bernardini Introdução Cérebro & Computador Modelos Cognitivos Diferentes Cérebro Computador Seqüência de Comandos Reconhecimento de Padrão Lento Rápido Rápido Lento

Leia mais

PROTÓTIPO DE SOFTWARE PARA APRENDIZAGEM DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS

PROTÓTIPO DE SOFTWARE PARA APRENDIZAGEM DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 PROTÓTIPO DE SOFTWARE PARA APRENDIZAGEM DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS Rejane de Barros Araújo rdebarros_2000@yahoo.com.br

Leia mais

Análise de Tendências de Mercado por Redes Neurais Artificiais

Análise de Tendências de Mercado por Redes Neurais Artificiais Análise de Tendências de Mercado por Redes Neurais Artificiais Carlos E. Thomaz 1 e Marley M.B.R. Vellasco 2 1 Departamento de Engenharia Elétrica (IAAA), FEI, São Paulo, Brasil 2 Departamento de Engenharia

Leia mais

A metodologia utilizada neste trabalho consiste basicamente de três etapas: ensaio, pré-processamento e simulações.

A metodologia utilizada neste trabalho consiste basicamente de três etapas: ensaio, pré-processamento e simulações. SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GCE 20 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XIV GRUPO DE ESTUDO DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA UTILIZAÇÃO DE REDES

Leia mais

VIBRAÇÃO EM CORPO INTEIRO EM OPERADORES DE EMPILHADEIRAS

VIBRAÇÃO EM CORPO INTEIRO EM OPERADORES DE EMPILHADEIRAS VIBRAÇÃO EM CORPO INTEIRO EM OPERADORES DE EMPILHADEIRAS ANTÔNIO CARLOS VENDRAME Vendrame Consultores Associados & CRISTIANE PIANELLI Coordenadora Higiene Industrial Região Sul/Sudeste Dow Brasil CONCEITOS

Leia mais

PRÉ-PROCESSAMENTO EFICIENTE PARA UM SISTEMA AUTOMÁTICO DE MONITORAMENTO ACÚSTICO DE REGULADORES DE TENSÃO

PRÉ-PROCESSAMENTO EFICIENTE PARA UM SISTEMA AUTOMÁTICO DE MONITORAMENTO ACÚSTICO DE REGULADORES DE TENSÃO PRÉ-PROCESSAMENTO EFICIENTE PARA UM SISTEMA AUTOMÁTICO DE MONITORAMENTO ACÚSTICO DE REGULADORES DE TENSÃO BERNARDO Y. D. YOSHIDA, EDUARDO F. DE SIMAS FILHO E VITALY F. R. ESQUERRE Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Radar de Penetração no Solo e Meio- Ambiente

Radar de Penetração no Solo e Meio- Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ASTRONOMIA, GEOFÍSICA E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS DEPARTAMENTO DE GEOFÍSICA Curso 3ª Idade Radar de Penetração no Solo e Meio- Ambiente Vinicius Rafael Neris dos Santos

Leia mais

MONITORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS VIA ANÁLISE DE SINAIS DE VIBRAÇÃO INTRODUÇÃO À MANUTENÇÃO PREDITIVA

MONITORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS VIA ANÁLISE DE SINAIS DE VIBRAÇÃO INTRODUÇÃO À MANUTENÇÃO PREDITIVA MONITORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS VIA ANÁLISE DE SINAIS DE VIBRAÇÃO INTRODUÇÃO À MANUTENÇÃO PREDITIVA MONITORAÇÃO DE EQUIPAMENTOS VIA ANÁLISE DE SINAIS OBJETIVOS Avaliação do Estado de Funcionamento. Identificação,

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Curso: Informática Disciplina: Redes Neurais Prof. Fernando Osório E-mail: osorio@exatas.unisinos.br EXEMPLO DE QUESTÕES DE PROVAS ANTIGAS 1. Supondo que

Leia mais

DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM TUBULAÇÕES PREDIAIS DE GÁS ATRAVÉS DA ANÁLISE ESPECTRAL DE TRANSIENTES DE PRESSÃO

DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM TUBULAÇÕES PREDIAIS DE GÁS ATRAVÉS DA ANÁLISE ESPECTRAL DE TRANSIENTES DE PRESSÃO DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM TUBULAÇÕES PREDIAIS DE GÁS ATRAVÉS DA ANÁLISE ESPECTRAL DE TRANSIENTES DE PRESSÃO R. B. SANTOS 1, M.M. de F. SILVA e A. M. F. FILETI Universidade Estadual de Campinas, Faculdade

Leia mais

EXPERIÊNCIA 5 OSCILOSCÓPIO DIGITAL

EXPERIÊNCIA 5 OSCILOSCÓPIO DIGITAL EXPERIÊNCIA 5 OSCILOSCÓPIO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO TEÓRICA 1.1 VERIFICAÇÃO FUNCIONAL Esta rápida verificação deve ser executada para comprovar se o instrumento está funcionando corretamente. Ligue o instrumento

Leia mais

MONITORAMENTO BÁSICO DA CONDIÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE MÁQUINAS ROTATIVAS ATRAVÉS DA "CANETA DE VIBRAÇÃO"

MONITORAMENTO BÁSICO DA CONDIÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE MÁQUINAS ROTATIVAS ATRAVÉS DA CANETA DE VIBRAÇÃO MONITORAMENTO BÁSICO DA CONDIÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE MÁQUINAS ROTATIVAS ATRAVÉS DA "CANETA DE VIBRAÇÃO" João Victor Trajano Alves - jv_trajano@hotmail.com Lucas Costa Brito - brito.lcb@ gmail.com Paulo

Leia mais

Projeto Manutenção Preditiva. Análise de vibrações. www.gatec.com.br

Projeto Manutenção Preditiva. Análise de vibrações. www.gatec.com.br Projeto Manutenção Preditiva Análise de vibrações www.gatec.com.br ANÁLISE DE VIBRAÇÃO 1 - DEFINIÇÃO TÉCNICA 2 - CONCEITUAÇÃO : 2.1 ANÁLISE DE VIBRAÇÃO X ASSINATURA ESPECTRAL 2.2 MONITORAMENTO DA VIBRAÇÃO

Leia mais

IN0997 - Redes Neurais

IN0997 - Redes Neurais IN0997 - Redes Neurais Aluizio Fausto Ribeiro Araújo Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática - CIn Departamento de Sistemas da Computação aluizioa@cin.ufpe.br Conteúdo Objetivos Ementa

Leia mais

Revista Hispeci & Lema On Line ano III n.3 nov. 2012 ISSN 1980-2536 unifafibe.com.br/hispecielemaonline Centro Universitário UNIFAFIBE Bebedouro-SP

Revista Hispeci & Lema On Line ano III n.3 nov. 2012 ISSN 1980-2536 unifafibe.com.br/hispecielemaonline Centro Universitário UNIFAFIBE Bebedouro-SP Reconhecimento de face utilizando banco de imagens monocromáticas e coloridas através dos métodos da análise do componente principal (PCA) e da Rede Neural Artificial (RNA) [Recognition to face using the

Leia mais

Soluções para Amortecimento das Vibrações sobre o Suporte do Captor HF e Braços de Sustentação

Soluções para Amortecimento das Vibrações sobre o Suporte do Captor HF e Braços de Sustentação Soluções para Amortecimento das Vibrações sobre o Suporte do Captor HF e Braços de Sustentação Suporte do Captor HF e Braços de Sustentação Resumo O objetivo do trabalho foi desenvolver uma estrutura capaz

Leia mais

3 Metodologia de Previsão de Padrões de Falha

3 Metodologia de Previsão de Padrões de Falha 3 Metodologia de Previsão de Padrões de Falha Antes da ocorrência de uma falha em um equipamento, ele entra em um regime de operação diferente do regime nominal, como descrito em [8-11]. Para detectar

Leia mais

CONTROLE PI-NEURAL APLICADO A UM SISTEMA DE VAZÃO

CONTROLE PI-NEURAL APLICADO A UM SISTEMA DE VAZÃO CONTROLE PI-NEURAL APLICADO A UM SISTEMA DE VAZÃO LUCAS H. S. DE ANDRADE 1, CRISTIANO M. AGULHARI 1, ALESSANDRO GOEDTEL 2 1. Laboratório de Controle e Automação de Sistemas, Universidade Tecnológica Federal

Leia mais

Aplicações Práticas com Redes Neurais Artificiais em Java

Aplicações Práticas com Redes Neurais Artificiais em Java com em Java Luiz D Amore e Mauro Schneider JustJava 2009 17 de Setembro de 2009 Palestrantes Luiz Angelo D Amore luiz.damore@metodista.br Mauro Ulisses Schneider mauro.schneider@metodista.br http://blog.mauros.org

Leia mais

Análise de Vibração Relatório Técnico 0914

Análise de Vibração Relatório Técnico 0914 ANÁLISE DE VIBRAÇÃO DAE - DAE Corumbatai 1. OBJETIVO Apresentar ao DAE a Análise de Vibrações realizada nos equipamentos de sua unidade em Corumbatai. 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA 1- Analisador de Vibrações

Leia mais

Nathalie Portugal Vargas

Nathalie Portugal Vargas Nathalie Portugal Vargas 1 Introdução Trabalhos Relacionados Recuperação da Informação com redes ART1 Mineração de Dados com Redes SOM RNA na extração da Informação Filtragem de Informação com Redes Hopfield

Leia mais

Controlo de Condição de Motores Eléctricos de Indução Trifásicos. Controlo de Condição de Motores Eléctricos de Indução Trifásicos

Controlo de Condição de Motores Eléctricos de Indução Trifásicos. Controlo de Condição de Motores Eléctricos de Indução Trifásicos Por: António Afonso Roque Data: 30 de Abril de 2010 Slide 1 (Análise de Vibrações versus Análise de Corrente Eléctrica) N 4 5 3 1 2 6 5 4 S DatAnálise AntónioA.Roque*,J.M. F.Calado** ejosém. Ruiz*** *DatAnálise,

Leia mais

Do neurônio biológico ao neurônio das redes neurais artificiais

Do neurônio biológico ao neurônio das redes neurais artificiais Do neurônio biológico ao neurônio das redes neurais artificiais O objetivo desta aula é procurar justificar o modelo de neurônio usado pelas redes neurais artificiais em termos das propriedades essenciais

Leia mais

ACELERÔMETRO ÓPTICO TRIAXIAL. PUC-Rio DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

ACELERÔMETRO ÓPTICO TRIAXIAL. PUC-Rio DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ACELERÔMETRO ÓPTICO TRIAXIAL Sérgio R. K. Morikawa Alexandre S. Ribeiro Rogério D. Regazzi Luiz C. Guedes Valente Arthur M. B. Braga PUC-Rio DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Trabalho apresentado na

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs

Leia mais

MINERAÇÃO DE DADOS PARA DETECÇÃO DE SPAMs EM REDES DE COMPUTADORES

MINERAÇÃO DE DADOS PARA DETECÇÃO DE SPAMs EM REDES DE COMPUTADORES MINERAÇÃO DE DADOS PARA DETECÇÃO DE SPAMs EM REDES DE COMPUTADORES Kelton Costa; Patricia Ribeiro; Atair Camargo; Victor Rossi; Henrique Martins; Miguel Neves; Ricardo Fontes. kelton.costa@gmail.com; patriciabellin@yahoo.com.br;

Leia mais

PROPAGAÇÃO DO RUÍDO DE UM TRATOR AGRÍCOLA DE PNEUS

PROPAGAÇÃO DO RUÍDO DE UM TRATOR AGRÍCOLA DE PNEUS PROPAGAÇÃO DO RUÍDO DE UM TRATOR AGRÍCOLA DE PNEUS Camilla Missio 1 ; Jorge Wilson Cortez 3 ; Wellytton Darci Quequeto 2 ; Leonardo Maldaner 2 ; Anamari Viegas de Araujo Motomiya 3 UFGD/FCA Caixa Postal

Leia mais

Análise de Vibração RELATÓRIO TÉCNICO 0814

Análise de Vibração RELATÓRIO TÉCNICO 0814 ANÁLISE DE VIBRAÇÃO DMAE - RAFARD DMAE 1. OBJETIVO Apresentar ao DAMAE a Análise de Vibrações realizada nos equipamentos de sua unidade em Rafard. 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA 1- Analisador de Vibrações

Leia mais

MANUTENÇÃO PREDITIVA MONITORANDO SEVERIDADE DE VIBRAÇÕES. Prof. Dr. Adyles Arato Jr Unesp / Ilha Solteira

MANUTENÇÃO PREDITIVA MONITORANDO SEVERIDADE DE VIBRAÇÕES. Prof. Dr. Adyles Arato Jr Unesp / Ilha Solteira MANUTENÇÃO PREDITIVA MONITORANDO SEVERIDADE DE VIBRAÇÕES Prof. Dr. Adyles Arato Jr Unesp / Ilha Solteira APRESENTAÇÃO Um termo que anda na moda atualmente, é a disponibilidade. Quando se refere a equipamentos

Leia mais

Redes Neurais Artificiais na Engenharia Nuclear 2 Aula-1 Ano: 2005

Redes Neurais Artificiais na Engenharia Nuclear 2 Aula-1 Ano: 2005 Redes Neurais Artificiais na Engenharia Nuclear 1 - Apresentação do Professor: dados, lista de E-mail s, etc. - Apresentação da Turma: Estatística sobre origem dos alunos para adaptação do curso - Apresentação

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DOS CURSOS DE ANÁLISE DE VIBRAÇÃO FUPAI/IVMTA PARA 2015 Instrutores: Márcio Tadeu de Almeida Fabiano Ribeiro do Vale Almeida.

PROGRAMAÇÃO DOS CURSOS DE ANÁLISE DE VIBRAÇÃO FUPAI/IVMTA PARA 2015 Instrutores: Márcio Tadeu de Almeida Fabiano Ribeiro do Vale Almeida. PROGRAMAÇÃO DOS CURSOS DE ANÁLISE DE VIBRAÇÃO FUPAI/IVMTA PARA 2015 Instrutores: Márcio Tadeu de Almeida Fabiano Ribeiro do Vale Almeida. ANÁLISE DE VIBRAÇÃO Módulo I: PRINCÍPIOS DE DIAGNÓSTICOS DE DEFEITOS

Leia mais

Vinicius Fausto Chaves Aluno do curso de Engenharia de Controle e Automação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Vinicius Fausto Chaves Aluno do curso de Engenharia de Controle e Automação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo APERFEIÇOAMENTO DE UM MODELO NEURAL PARA IDENTIFICAÇÃO DE REGIMES DE ESCOAMENTO Vinicius Fausto Chaves Aluno do curso de Engenharia de Controle e Automação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

CURRÍCULOS DOS CONSULTORES QUE EXECUTARÃO O SERVIÇO - ESPECIALISTAS EM ANÁLISE DE VIBRAÇÕES E RUÍDO PARA FINS AMBIENTAIS.

CURRÍCULOS DOS CONSULTORES QUE EXECUTARÃO O SERVIÇO - ESPECIALISTAS EM ANÁLISE DE VIBRAÇÕES E RUÍDO PARA FINS AMBIENTAIS. CONSULTORIA Consultoria com mais de 20 anos de experiência em análises detalhadas de vibrações em equipamentos rotativos mecânicos, alternativos, elétricos, ensaios de ressonância, teste de impacto (BumpTest),

Leia mais

Modelos Pioneiros de Aprendizado

Modelos Pioneiros de Aprendizado Modelos Pioneiros de Aprendizado Conteúdo 1. Hebb... 2 2. Perceptron... 5 2.1. Perceptron Simples para Classificaçãod e Padrões... 6 2.2. Exemplo de Aplicação e Motivação Geométrica... 9 2.3. Perceptron

Leia mais

Analisador de vibrações NK 100 MANUAL DE OPERAÇÃO TEKNIKAO

Analisador de vibrações NK 100 MANUAL DE OPERAÇÃO TEKNIKAO Analisador de vibrações NK 100 http:/ www. ekn / ka t.com.r i o MANUAL DE OPERAÇÃO TEKNIKAO ÍNDICE: Descrição:...3 Principais características:...3 Descrição das chaves de funções:...4 Descrição operacional:...5

Leia mais

FAG Detector III A solução para monitoramento e balanceamento. Informação técnica

FAG Detector III A solução para monitoramento e balanceamento. Informação técnica FAG III A solução para monitoramento e balanceamento Informação técnica Princípio Operação Alta funcionalidade Fácil operação O III da FAG é um medidor portátil de vibração, temperatura coletor de dados

Leia mais

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES Sandro E. L. da Silva sandroels@bol.com.br Antonio A. Silva almeida@dem.ufcg.edu.br Marco A. da S. Irmão

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Laboratório de Máquinas Especiais

Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Laboratório de Máquinas Especiais Aspectos Relacionados ao Acionamento e Controle de Velocidade de um Motor Linear a Relutância Variável. MARIANO, Rodrigo Leandro; SANTOS, Euler Bueno. Universidade Federal de Goiás Escola de Engenharia

Leia mais

Previsão de Falha de Rolamentos por Análise Espectral e de Envelope

Previsão de Falha de Rolamentos por Análise Espectral e de Envelope Previsão de Falha de Rolamentos por Análise Espectral e de Envelope Eng. Paulo Mário R. da Cunha, MSc - Consultor Técnico da Aditeq Análise e Diagnóstico de Equipamentos Ltda. Resumo Falhas em rolamentos

Leia mais

Uma Proposta de Sistema Cliente/Servidor OPC Integrado com Regressão Kernel Auto-Associativa para Estimação de Sensores e Manutenção Preditiva

Uma Proposta de Sistema Cliente/Servidor OPC Integrado com Regressão Kernel Auto-Associativa para Estimação de Sensores e Manutenção Preditiva Uma Proposta de Sistema Cliente/Servidor OPC Integrado com Regressão Kernel Auto-Associativa para Estimação de Sensores e Manutenção Preditiva Francys Reymer Rodrigues Maciel, Joao O. P. Pinto Departamento

Leia mais

A aplicação racional da tecnologia de medição por coordenadas tornou-se viável com o desenvolvimento dos computadores que passaram a ter:

A aplicação racional da tecnologia de medição por coordenadas tornou-se viável com o desenvolvimento dos computadores que passaram a ter: Capítulo 9 MÁQUINAS DE MEDIR POR COORDENADAS 9.1 IMPORTÂNCIA Ao longo de alguns anos ocorreu intensivo desenvolvimento tecnológico nos processos de usinagem das peças, destacando-se o surgimento dos centros

Leia mais

Revisão Inteligência Artificial ENADE. Prof a Fabiana Lorenzi Outubro/2011

Revisão Inteligência Artificial ENADE. Prof a Fabiana Lorenzi Outubro/2011 Revisão Inteligência Artificial ENADE Prof a Fabiana Lorenzi Outubro/2011 Representação conhecimento É uma forma sistemática de estruturar e codificar o que se sabe sobre uma determinada aplicação (Rezende,

Leia mais

Determinação dos Módulos de Armazenagem e de Perda de Materiais Viscoelásticos - Padrão ASTM

Determinação dos Módulos de Armazenagem e de Perda de Materiais Viscoelásticos - Padrão ASTM Universidade Federal de São João Del-Rei MG 6 a 8 de maio de 010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Determinação dos Módulos de Armazenagem e de Perda de Materiais Viscoelásticos

Leia mais

Análise de Vibração RELATÓRIO TÉCNICO 0914

Análise de Vibração RELATÓRIO TÉCNICO 0914 ANÁLISE DE VIBRAÇÃO DAE - Analandia DAE 1. OBJETIVO Apresentar ao DAE a Análise de Vibrações realizada nos equipamentos de sua unidade em Analandia. 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA 1- Analisador de Vibrações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO EM PEDIATRIA COM O USO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO EM PEDIATRIA COM O USO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO EM PEDIATRIA COM O USO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS CLEBER GUSTAVO DIAS Engenheiro Eletricista (Ênfase em Informática Industrial) e Mestre em Engenharia

Leia mais

Gestão de riscos - Utilização de monitoramento preditivo online na gestão de riscos na frota de vagões da EFC

Gestão de riscos - Utilização de monitoramento preditivo online na gestão de riscos na frota de vagões da EFC Gestão de riscos - Utilização de monitoramento preditivo online na gestão de riscos na frota de vagões da EFC Paulo Sergio Costa 1 *, Giovanni Augusto Ferreira Dias 1, Diego Freitas 1, Fábio Assunção 1,

Leia mais

Classificação de páginas da Internet utilizando redes neurais artificiais.

Classificação de páginas da Internet utilizando redes neurais artificiais. Classificação de páginas da Internet utilizando redes neurais artificiais. Genilto Dallo Departamento de Ciência da Computação (DECOMP) Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) Guarapuava, PR

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA VIRTUAL PARA DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS EM MÁQUINAS ROTATIVAS: APLICAÇÃO EM UMA BANCADA DIDÁTICA

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA VIRTUAL PARA DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS EM MÁQUINAS ROTATIVAS: APLICAÇÃO EM UMA BANCADA DIDÁTICA VI CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA VI NATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING 18 a 21 de agosto de 2010 Campina Grande Paraíba - Brasil August 18 21, 2010 Campina Grande Paraíba Brazil DESENVOLVIMENTO

Leia mais

V SBQEE COMPORTAMENTO DE GERADORES SÍNCRONOS TRIFÁSICOS ALIMENTANDO CARGAS NÃO LINEARES E DESEQUILIBRADAS. UMA ABORDAGEM ANALÍTICA E EXPERIMENTAL

V SBQEE COMPORTAMENTO DE GERADORES SÍNCRONOS TRIFÁSICOS ALIMENTANDO CARGAS NÃO LINEARES E DESEQUILIBRADAS. UMA ABORDAGEM ANALÍTICA E EXPERIMENTAL V SBQEE Seminário Brasileiro sobre Qualidade da Energia Elétrica 17 a 20 de Agosto de 2003 Aracaju Sergipe Brasil Código: AJU 03 091 Tópico: Modelagens e Simulações COMPORTAMENTO DE GERADORES SÍNCRONOS

Leia mais

Uma aplicação de Inteligência Computacional e Estatística Clássica na Previsão do Mercado de Seguros de Automóveis Brasileiro

Uma aplicação de Inteligência Computacional e Estatística Clássica na Previsão do Mercado de Seguros de Automóveis Brasileiro Uma aplicação de Inteligência Computacional e Estatística Clássica na Previsão do Mercado de Seguros de Automóveis Brasileiro Tiago Mendes Dantas t.mendesdantas@gmail.com Departamento de Engenharia Elétrica,

Leia mais

Análise de Vibração RELATÓRIO TÉCNICO 0814

Análise de Vibração RELATÓRIO TÉCNICO 0814 RELATÓRIO TÉCNICO 814 ANÁLISE DE VIBRAÇÃO SAAE - CAPIVARI SAAE 1. OBJETIVO Apresentar ao SAAE a Análise de Vibrações realizada nos equipamentos de sua unidade em Capivari. 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA 1-

Leia mais

MODELO DE ANÁLISE ESPACIAL DE MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA UTILIZANDO TÉCNICAS DE CLASSIFICAÇÃO

MODELO DE ANÁLISE ESPACIAL DE MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA UTILIZANDO TÉCNICAS DE CLASSIFICAÇÃO MODELO DE ANÁLISE ESPACIAL DE MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA UTILIZANDO TÉCNICAS DE CLASSIFICAÇÃO João Caetano Neto, Wagner da Silva Lima Escola de Engenharia Elétrica e de Computação Universidade Federal

Leia mais

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA 1) INTRODUÇÃO Rio de Janeiro, 05 de Maio de 2015. A equipe desenvolvedora deste projeto conta com: - Prof.

Leia mais

APÊNDICE B. Ensaio da Performance do Protótipo. MATRBDA-HAW560-75kW

APÊNDICE B. Ensaio da Performance do Protótipo. MATRBDA-HAW560-75kW APÊNDICE B Ensaio da Performance do Protótipo MATRBDA-HAW560-75kW 282 LABORATÓRIO DE ENSAIOS ELÉTRICOS - BAIXA TENSÃO WEG MÁQUINAS RELATÓRIO DE ENSAIO DE PROTÓTIPO MATRBDA 560 POTÊNCIA: 75KW / 25KW TENSÃO

Leia mais

PREVISÃO DE FATURAMENTO PARA LOJAS DO SETOR DE VAREJO COM REDES NEURAIS

PREVISÃO DE FATURAMENTO PARA LOJAS DO SETOR DE VAREJO COM REDES NEURAIS Versão inicial submetida em 25/01/2011. Versão final recebida em 09/10/2012. Rio de Janeiro, v.5, n.1, p. 1-13, janeiro a abril de 2013 PREVISÃO DE FATURAMENTO PARA LOJAS DO SETOR DE VAREJO COM REDES NEURAIS

Leia mais

Em um estudo sobre sinais, o passo inicial é de conceituação dada a diversidade semântica da palavra SINAL (figura 1). Figura 1 Conceito de sinal

Em um estudo sobre sinais, o passo inicial é de conceituação dada a diversidade semântica da palavra SINAL (figura 1). Figura 1 Conceito de sinal CONCEITO DE SINAL Em um estudo sobre sinais, o passo inicial é de conceituação dada a diversidade semântica da palavra SINAL (figura 1). Figura 1 Conceito de sinal RECONSTRUÇÃO DE SINAIS A PARTIR DE SENÓIDES

Leia mais

ANÁLISE DINÂMICA DE ESTRUTURAS de aço SUPORTES DE MÁQUINAS ROTATIVAS

ANÁLISE DINÂMICA DE ESTRUTURAS de aço SUPORTES DE MÁQUINAS ROTATIVAS SUPORTES DE MÁQUINAS ROTATIVAS Rafael Marin Ferro 1,2 rafael.ferro@ifes.edu.br 1 - Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo IFES Campus Aracruz Coordenação de Mecânica. Walnório Graça

Leia mais

ANALISE DE CORRENTE ELÉTRICA

ANALISE DE CORRENTE ELÉTRICA ANALISE DE CORRENTE ELÉTRICA 1. INTRODUÇÃO A manutenção preditiva tem sido largamente discutida nos últimos anos, e sem dúvida é um procedimento moderno de gerenciamento, que comprovadamente vem diminuindo

Leia mais

2 Método sísmico na exploração de petróleo

2 Método sísmico na exploração de petróleo 16 2 Método sísmico na exploração de petróleo O método sísmico, ou sísmica de exploração de hidrocarbonetos visa modelar as condições de formação e acumulação de hidrocarbonetos na região de estudo. O

Leia mais

Objetivos. Medição em Máquinas Rotativas. Avaliação Dielétrica Set 2012. de Equipamentos de Alta Tensão com base nas Descargas Parciais

Objetivos. Medição em Máquinas Rotativas. Avaliação Dielétrica Set 2012. de Equipamentos de Alta Tensão com base nas Descargas Parciais Centro de Pesquisas de Energia Elétrica Avaliação Dielétrica de Equipamentos de Alta Tensão com base nas Descargas Parciais Medição em Máquinas Rotativas Apresentador: Alain F. S. Levy Objetivos A medição

Leia mais

Comunicação de dados entre um Amplificador Lock-in e um Monocromador Cornerstone utilizando o DataSocket do LabVIEW

Comunicação de dados entre um Amplificador Lock-in e um Monocromador Cornerstone utilizando o DataSocket do LabVIEW Comunicação de dados entre um Amplificador Lock-in e um Monocromador Cornerstone utilizando o DataSocket do LabVIEW Julyanne Silva Cunha 1 ; Francisco Aurilo Azevedo Pinho 2 1 Aluna do Curso de Física;

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 UTILIZAÇÃO DA LÓGICA NEBULOSA PARA DETECÇÃO DEFEITOS EM MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS Filho, P. C. M. L. *, Pederiva

Leia mais

Figura 5.1.Modelo não linear de um neurônio j da camada k+1. Fonte: HAYKIN, 2001

Figura 5.1.Modelo não linear de um neurônio j da camada k+1. Fonte: HAYKIN, 2001 47 5 Redes Neurais O trabalho em redes neurais artificiais, usualmente denominadas redes neurais ou RNA, tem sido motivado desde o começo pelo reconhecimento de que o cérebro humano processa informações

Leia mais

Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia B

Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia B Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia B Prof a. Katia C. de Almeida 1 Obtenção Experimental dos Parâmetros do Circuito Equivalente do Motor de Indução Monofásico 1.1 Introdução 1.1.1 Motores

Leia mais

A implementação e o estudo. de redes neurais artificiais em ferramentas de software comerciais,

A implementação e o estudo. de redes neurais artificiais em ferramentas de software comerciais, Artigos A implementação e o estudo de redes neurais artificiais em ferramentas de software comerciais Cleber Gustavo Dias Professor do Departamento de Ciências Exatas Uninove. São Paulo SP [Brasil] diascg@uninove.br

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DISPOSITIVOS MÓVEIS INTELIGENTES ORIENTADOR:

Leia mais

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento RELATÓRIO TÉCNICO Código RT-020.00/RA2/004 Emissão O.S. 15/08/13 Folha 10 de 12 Rev. A Emitente Resp. Técnico Emitente 15/08/13 Verificação / São Paulo Transporte Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos

Leia mais

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações A UU L AL A Sensoriamento Atualmente, é muito comum nos depararmos com situações em que devemos nos preocupar com a segurança pessoal e de nossos bens e propriedades. Daí decorre a necessidade de adquirir

Leia mais

OBJETIVOS. Aplicar técnicas de inteligência artificial na solução de problemas de controle e automação. EMENTA

OBJETIVOS. Aplicar técnicas de inteligência artificial na solução de problemas de controle e automação. EMENTA Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA Unidade Curricular: INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Professor(es): HANS ROLF KULITZ Período Letivo: OPTATIVA Carga Horária: 30 h TEÓRICAS E 30 h PRÁTICA OBJETIVOS Geral: Aplicar técnicas

Leia mais

Redes neurais aplicadas na identificação de variedades de soja

Redes neurais aplicadas na identificação de variedades de soja Redes neurais aplicadas na identificação de variedades de soja Fábio R. R. Padilha Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ Rua São Francisco, 5 - Sede Acadêmica, 987-,

Leia mais

SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO

SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO Alexandre Dias da Silva Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Avenida Roraima,

Leia mais

LOM3084 - INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS LOM 3084 INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

LOM3084 - INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS LOM 3084 INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS LOM3084 - INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS LOM 3084 INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS Prof.Dr. José Benedito Marcomini LOM3084 - INSPEÇÃO E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS REFERÊNCIAS: METALS HANDBOOK, VOL.17;

Leia mais

ESTIMAÇÃO DE PARÂMETROS DE UM MOTOR DE CORRENTE CONTÍNUA (MOTOR CC) POR MEIO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS (RNA)

ESTIMAÇÃO DE PARÂMETROS DE UM MOTOR DE CORRENTE CONTÍNUA (MOTOR CC) POR MEIO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS (RNA) XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 2 a5 de outubro

Leia mais

Sistemas de Força Motriz

Sistemas de Força Motriz Sistemas de Força Motriz Introdução; Os Dados de Placa; Rendimentos e Perdas; Motor de Alto Rendimento; Partidas de Motores; Técnicas de Variação de Velocidade; Exemplos; Dicas CONSUMO DE ENERGIA POR RAMO

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO CONSULTA PÚBLICA do ANEXO 8 da NR-15 PROPOSTA DE TEXTO NORMATIVO NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES

Leia mais

ONEPROD MVX. Manutenção condicional online para máquinas críticas. Brand of ACOEM

ONEPROD MVX. Manutenção condicional online para máquinas críticas. Brand of ACOEM ONEPROD MVX Manutenção condicional online para máquinas críticas Brand of ACOEM O ONEPROD MVX é um sistema de monitoramento em tempo real multicanais, criado para a confiabilidade das máquinas industriais

Leia mais

CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS

CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS Matheus Daniel de Souza Luciano 1, João Eduardo Guarnetti dos Santos 2, José Ângelo Cagnon 3, André

Leia mais

Sensores e Atuadores (1)

Sensores e Atuadores (1) (1) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Introdução Sensores Fornecem parâmetros sobre o comportamento do manipulador, geralmente em termos de posição e velocidade

Leia mais

Classificação Automática de Usuários de uma Rede Social utilizando Algoritmos Não-Supervisionados

Classificação Automática de Usuários de uma Rede Social utilizando Algoritmos Não-Supervisionados Classificação Automática de Usuários de uma Rede Social utilizando Algoritmos Não-Supervisionados Vinicius P. Machado 1, Bruno V. A. de Lima 1, Sanches W. I. Araújo 1 1 Departamento de Informática e Estatística

Leia mais