Regressiva. Contagem. Nova Diretoria na FADISETE. Escola de Aplicação comemora 24 anos. Pós-graduação abre inscrições

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regressiva. Contagem. Nova Diretoria na FADISETE. Escola de Aplicação comemora 24 anos. Pós-graduação abre inscrições"

Transcrição

1 Nova Diretoria na FADISETE Maria Lisboa de Oliveira, coordenadora pedagógica do curso de Direito, assume a direção interina da Faculdade p.3 Escola de Aplicação comemora 24 anos Pais, alunos e professores aprovamas mudanças implementadas, no final de 2004, pela FAFISETE p.6 Pós-graduação abre inscrições Novos programas são apresentados na área Gerencial, de Educação e de Direito. Ao todo, sete cursos serão ofertados. p.6 VIU VEÍCULO INFORMATIVO UNIVERSITÁRIO INFORMATIVO DAS FACULDADES FEMM ANO 6 Nº 30 SETE LAGOAS ABRIL DE 2005 Contagem Regressiva Faculdades FEMM preparam-se para receber visita do INEP, que irá avaliar a instituição para o credenciamento como Centro Universitário

2 2 abril de 2005 veículo informativo universitário Editorial Em busca As Faculdades FEMM estão perto de realizar um sonho: fazer da instituição o Centro Universitário de Sete Lagoas. Daqui a mais ou menos dois meses, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (INEP) irá visitar o campus para avaliar as Faculdades e as propostas metodológicas aqui desenvolvidas. Mas com um corpo docente formado por quase 60% de mestres e doutores, um ensino de qualidade reconhecido e aprovado pelo Ministério da Educação e uma infra-estrutura moderna, as Faculdades FEMM estão no caminho certo, como afirma a diretora acadêmica, Vanessa Padrão de Vasconcelos Paiva, na matéria que fala sobre os pontos que favorecem o credenciamento da instituição. Mas para tornar-se Centro Universitário, é preciso sempre estar atento às mudanças. Por isso, foi lançado o Plano de Ação 2005 das Fa- sonho de um culdades FEMM, que prevê novos projetos e atividades, envolvendo todos os departamentos, professores e alunos. E isso você também vai ler no VIU. Novos cursos na pós-graduação; pesquisas no curso de Matemática que se estendem até a comunidade; as Atividades Acadêmico-Científico-Culturais da FAFISETE; as mudanças na Escola de Aplicação no seu 24º aniversário de fundação; dentre outras matérias que confirmam que as Faculdades FEMM estão voltadas para a evolução do seu ensino superior. A maior preocupação da instituição sempre foi formar profissionais aptos a competir no mercado, mas acima de tudo cidadãos éticos comprometidos com a sociedade. Por isso, a sua participação e o seu comprometimento são de suma importância para o nosso crescimento. Quem tiver alguma sugestão, que nos procure e faça parte desse sonho. Ex-aluno de Matemática é destaque na UFMG Novas aquisições da Biblioteca Escravidão e História Econômica - Demografia de Minas Gerais, Laird W. Bergad Editora: Edusc A obra apresenta uma análise da história demográfica e econômica da escravidão em Minas Gerais - a maior região escravocrata do país - desde a colonização até a abolição. O ex-aluno do curso de Matemática, José Sérgio Domingues, é um dos destaques da pós-graduação da UFMG. Ele foi aprovado em 4º lugar para o curso de Especialização em Matemática com ênfase em Cálculo. "A FAFISETE foi a principal responsável pela minha conquista", ressalta José Sérgio, que destaca a excelência do corpo docente e sua experiência no ensino superior. Ele lembra que grande parte dos professores obtiveram sua graduação também na UFMG. Formado em 2004, José Sérgio se lembra dos projetos de pesquisa e extensão oferecidos pela instituição, fundamentais para o seu crescimento e aprovação. "Tive a possibilidade de participar da Semana de Iniciação Científica pela elaboração de uma pesquisa, que visava a preparação de materiais didáticos para os professores do 2º grau. Por meio do projeto, aprendi novas maneiras de ministrar as aulas, além de acrescentar mais experiência ao meu currículo", diz. O processo seletivo para o ingresso na pósgraduação contou com duas etapas. Na primeira, José Sérgio realizou uma prova de conhecimentos específicos. "Na biblioteca sempre consegui todos os livros de que precisava, sendo que os laboratórios me proporcionaram um maior aprendizado, essencial durante a seleção", lembra. Aprovado, ele participou de uma entrevista, sendo selecionado entre os primeiros. Fora a especialização, José Sérgio já está fazendo duas disciplinas na UFMG, tendo como meta o mestrado. "Quando fiz vestibular, não sabia o que queria da minha vida. Nas Faculdades FEMM, além de me encontrar, me apaixonei pela matemática e descobri qual era o meu caminho." Dicionário da Civilização Grega Claude Mossé Editor: Jorge ZAHAR Uma obra de referência indispensável a todos aqueles interessados em conhecer, estudar e compreender a Civilização Grega, a civilização da Pólis. Os temas desse dicionário foram orientados pelo que constituiu a civilização grega: a dimensão política presente no nível dos acontecimentos sociais, políticos, religiosos, artísticos e nos domínios da vida intelectual. E x p e d i e n t e VIU Veículo Informativo Universitário Reitor Antônio Fernandino de Castro Bahia Filho Conselho de Diretores das Faculdades da FEMM Paulo Rogério Campolina (Presidente) Vanessa Paiva (Diretora Acadêmica) Erasmo Bruno Gonçalves (Diretor Administrativo) Hélio Diniz Peixoto (Diretor da FAFISETE) Jaime Borato (Diretor da FAGESETE) Conselho de Comunicação Helena Maria Penna Amorim Pereira Márcio Gomes Dias Sérgio Antônio Silva Ziléia Barbosa de Freitas Coordenadoria de Comunicação Márcio Gomes Morgana Avelar Alfredo Valadares Consultoria: ANC Comunicação & Eventos LTDA Contato: Av. Marechal Castelo Branco, 2.765, Santo Antônio Sete Lagoas/MG CEP: ; Telefax: (31) Impressão: Gráfica FEMM Tiragem: exemplares

3 abril de 2005 veículo informativo universitário 3 Uma vida educação dedicada à A professora Maria Ângela Ribeiro Soares sempre trabalhou em prol da formação educacional, voltada para o ensino e para a geração do conhecimento. Trabalhando nas Faculdades FEMM desde 1998, foi nomeada como a nova coordenadora do curso de Geografia. Formada em Geografia e História pela PUC Minas, Maria Ângela concluiu o seu mestrado em Metodologia do Ensino da Geografia no Instituto Pedagógico Enrique José Varona, Havana - Cuba. Ao longo dos anos foi acumulando experiências, que considera essenciais para o crescimento da sua carreira profissional. Além de lecionar para os ensinos fundamental e médio em diversas escolas estaduais e públicas, ela também ministrou aulas no curso de geografia na PUC - Minas e cursos emergenciais que aconteciam em cidades do interior do Estado. Nesta época foi convidada a trabalhar nas Faculdades FEMM, onde passou a acompanhar de perto o crescimento da instituição. "A princípio, comecei a trabalhar com a licenciatura plena, sendo que no ano seguinte passei a lecionar no curso de Estudos Sociais da FAFISETE. Assisti à implantação do curso de Geografia e me tornei professora do mesmo". Para Maria Ângela, as Faculdades FEMM são um ponto de referência no ensino superior e por isso, devem estar comprometidas com a formação de profissionais de qualidade. E para que isso seja otimizado, ela acredita que a instituição deve promover a integração entre os cursos, de forma que o corpo docente e discente possam aplicar os seus conhecimentos "Á frente da coordenação pretendo aproximar a Faculdade com a comunidade, afinal não adianta formar o aluno se ele não trouxer benefícios para a cidade. EXPERIÊNCIA Nova coordenadora de Geografia, Maria Ãngela Ribeiro Soares no desenvolvimento da sociedade. "À frente da coordenação, pretendo aproximar os alunos do curso com a comunidade. Afinal não adianta formar o aluno se ele não trouxer benefícios para a cidade", diz. "Pretendo também tornar o estudante mais entusiasmado com o curso, e conseqüentemente, mais satisfeito com os resultados e com o seu futuro profissional". Outro objetivo da coordenadora é unir os professores em volta das práticas de campo, descobrindo novos caminhos e culturas, gerando mais conhecimento. E dentro dessa perspectiva, Maria Ângela já deu o primeiro passo. Além da coordenação do curso de Geografia, ela está lecionando Metodologia do Ensino da Geografia no curso de Pedagogia, realizando assim uma extensão entre as duas áreas. "Futuramente, os alunos da Pedagogia irão trabalhar com professores; e para coordenar profissionais de diferentes disciplinas é preciso ter conhecimento sobre diversos conteúdos, entre eles a Geografia", explica. Para Maria Ângela, estar em contato diariamente com os alunos é o melhor presente que poderia ganhar em todos esses anos dedicados à educação. "Sempre achei que conviver com o aluno é renovar, rejuvenescer. Uma vez que estou diante de jovens, tenho a possibilidade de partilhar e compartilhar conhecimento com eles, o que me dá uma energia muito grande para continuar trabalhando em busca de novas perspectivas e experiências." Fadisete tem nova diretoria COMPETÊNCIA A nova diretora da FADISETE, Maria Lisboa, foi uma das responsáveis pelo conceito B do curso de Direito, no MEC Maria Lisboa de Oliveira foi nomeada pelo reitor, Dr. Antônio Fernandino de Castro Bahia Filho, no mês de março, para assumir interinamente a diretoria da FADISETE. Pedagoga, com grande experiência acadêmica, ela atuou em diversos setores na Universidade Federal de Minas Gerais: participou da implantação do Colégio Universitário e foi assessora da Diretoria de Ensino durante cinco anos; foi coordenadora pedagógica do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), quando da sua criação; participou da análise de currículos para os cursos de Odontologia, Farmácia, Direito e Medicina Veterinária. Ainda na UFMG, dirigiu o Centro de Audiovisual e a Pró-Reitoria de Pós-Graduação. Foi coordenadora do Núcleo de Assessoramento Pedagógico da UFMG. Durante os Governos Tancredo Neves e Hélio Garcia, foi Secretária- Adjunta da Educação. Seu reconhecido trabalho teve continuidade na Secretaria Municipal de Educação, em Belo Horizonte, nas gestões dos prefeitos Pimenta da Veiga e Eduardo Azeredo. Outro destaque de sua vasta carreira foi sua contribuição na Delegacia Regional do MEC, para construção e renovação da Política de Educação Básica, em Atuando como coordenadora pedagógica na FADISETE desde o ano de 2000, foi uma das responsáveis pela renovação do projeto pedagógico da Faculdade, trabalho conjunto com a UFMG, que resultou na obtenção do conceito "B" pelo curso de Direito, no MEC.

4 4 abril 5 de 2005 veículo informativo universitário abril de 2005 veículo informativo universitário Novos projetos e atividades para as Faculdades FEMM Rumo ao Centro Universitário INFRA-ESTRUTURA A qualidade e a excelência do campus é um dos pontos positivos para o credenciamento das Faculdades FEMM como Centro Universitário A Diretoria Acadêmica está com muitas novidades para este ano. O plano de ação foi apresentado para os funcionários no "Encontro com o Reitor", ocorrido no dia 07 de abril, no auditório Dr. Marcelo Vianna, com a participação de mais de 200 funcionários, entre docentes e administrativos. Na área de Gestão Acadêmico-Administrativa, a principal meta é o fortalecimento da gestão colegiada por meio de ações e decisões sempre democráticas. O Conselho de Extensão e Pesquisa (CEPE), como principal órgão colegiado acadêmico, deverá, em 2005, dedicar-se à discussão e deliberação de projetos que facilitem a integração dos diferentes cursos e faculdades. O fortalecimento dos colegiados deverá possibilitar o acompanhamento e avaliação de cada um dos cursos, em relação aos conteúdos propostos, ao desenvolvimento do corpo discente e ao envolvimento e produtividade dos professores. A Diretoria Acadêmica deverá, em conjunto com a Câmara Acadêmica e com a Comissão Própria de Avaliação, acompanhar as discussões e o trabalho desses grupos. As coordenadorias de pós-graduação e de pesquisa e extensão ficarão responsáveis pela proposição, acompanhamento e avaliação dos projetos em andamento, propondo atividades integradas dos diferentes cursos e faculdades. Outro objetivo é buscar parcerias com instituições da cidade e da região, em projetos de interesse coletivo, investindo na captação de recursos. "Além de dar continuidade aos cursos de especialização, temos iniciado alguns contatos para que as Faculdades FEMM façam parcerias para a oferta de cursos de pós-graduação stricto sensu, ou seja, mestrado", diz a diretora acadêmica, Vanessa Padrão de Vasconcelos Paiva. Ainda na área de gestão haverá continuidade dos investimentos nas rotinas acadêmico-administrativas comuns às três faculdades, tendo o Departamento de Registro Acadêmico papel fundamental nesse controle e avaliação. "Queremos estabelecer todas as rotinas e fluxos acadêmicos, desde o momento em que o aluno entra, até quando ele sai da faculdade, ou seja, ter uma orientação única, finalizando com o manual de procedimentos", diz a diretora acadêmica. Parcerias Do ponto de vista da pesquisa e da extensão, a grande meta é a consolidação de alguns grupos e projetos institucionais, por meio de parcerias com outras instituições e em diferentes áreas. "A integração das pesquisas em grupos institucionais temáticos consolida o trabalho de pesquisa, amplia a capacidade da instituição e favorece diferentes visões sobre uma mesma temática", ressalta Vanessa Paiva. Mas o grande desafio para a Diretoria Acadêmica em 2005 será a discussão e reformulação do Projeto Pedagógico Institucional. Todos os cursos ofertados nas Faculdades FEMM exigem o cumprimento de um percentual de disciplinas optativas para que o aluno integralize seus créditos e particularize a sua formação. Nesse sentido, a FAFISETE já deu o primeiro passo. É o que acredita Vanessa Paiva. "As licenciaturas ofertadas na Faculdade estão totalmente reestruturadas. Agora, vamos acompanhar o processo de implantação e o desenvolvimento do aluno, que será feito por meio de uma pesquisa que irá estudar o seu perfil e as dificuldades que possam impedir o seu crescimento". O objetivo é criar ações que ampliem suas expectativas para fora das salas de aula. A exemplo das Atividades Acadêmico-Científico- Culturais implantadas pela FAFISETE, que buscam complementar o conteúdo ministrado nos cursos de graduação. É importante destacar, ainda, o trabalho desenvolvido pelo Departamento de Serviço Social, que deve continuar em 2005, frente à distribuição de bolsas assistenciais e ao redimensionamento da Escola de Aplicação. A grande preocupação é realizar uma integração entre os cursos de licenciatura com a Escola, para que se alcance o objetivo de ser uma escola experimental (para experimentação de metodologias pedagógicas e inovações). Um ensino de excelência com a aprovação nas avaliações do Ministério da Educação, um corpo docente qualificado (atuando em projetos de pesquisa e extensão) e uma produção acadêmica de qualidade. Estes são alguns dos critérios exigidos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e que fazem das Faculdades FEMM uma instituição apta a ser credenciada como Centro Universitário. O processo, em andamento no INEP desde 2002, obteve avanços favoráveis à aprovação. Um dos pontos aprovados pelo MEC foi o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) das Faculdades FEMM, que prevê, entre outros quesitos, a oferta de ensino de qualidade, a formação de profissionais éticos e competentes e a prestação de serviços à sociedade. Na visita à instituição, realizada em 2004, o PDI foi aprovado. Outra questão que representa um passo significativo para o credenciamento são os projetos pedagógicos dos cursos e sua articulação com as atividades acadêmicas. Atualmente, todos os cursos possuem seu órgão colegiado formado por alunos e professores, sendo que cada Faculdade tem o seu próprio conselho acadêmico, responsável pela elaboração, implementação e atualização dos projetos pedagógicos dos cursos. As instâncias acadêmicas são representadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), pelo Centro de Ensino, Pesquisa e Extensão (COPEx) e pela Comissão Permanente de Avaliação Institucional (COPAVI). Corpo docente é destaque Os nove cursos ministrados pelas Faculdades FEMM são reconhecidos e aprovados pelo MEC, sendo que nas últimas avaliações realizadas pela Comissão de Avaliação das Condições de Ensino receberam notas máximas. Os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Economia receberam nota "A"; e Direito, "B". Paralelamente a esses resultados, a qualidade do corpo docente da instituição favorece ainda mais a aprovação do Centro Universitário. "Cerca de 60% dos nossos professores possuem mestrado e doutorado, além de uma grande experiência acadêmica e profissional', diz a diretora acadêmica Vanessa Paiva Padrão. "Além da hora/aula temos um contigente de professores voltado para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, extensão e ensino, elevando o potencial do desempenho acadêmico e profissional da instituição". Atualmente, as Faculdades FEMM são responsáveis pela publicação de três revistas: a Gestare, a Maestria e Provocações, fora os cadernos temáticos. Há também a participação maciça dos professores em simpósios e congressos em todo o país. Outro destaque das Faculdades FEMM é a infra-estrutura do campus. Na última avaliação a biblioteca recebeu conceito máximo, sendo que os laboratórios estão sendo reestruturados e equipados, dando continuidade ao desenvolvimento das instalações gerais. "Hoje, as Faculdades FEMM possuem uma estrutura administrativa completa, que vai desde a figura do reitor até os colegiados. Além disso há a implantação dos cursos de pós-graduação e de extensão e parcerias com empresas e outras instituições. Com essas medidas, acredito que estamos no caminho certo para a nossa aprovação como Centro Universitário", comemora Vanessa Padrão. Alunos participam da criação de projetos PESQUISA Produção de conhecimento é estimulada nos laboratórios das faculdades A Coordenação de Pesquisa e Extensão (COPEx) está à disposição de todos os alunos e professores que queiram participar da produção de pesquisas na instituição. Até o fim do mês de maio, os interessados podem entregar seu projeto ao representante do Centro de Pesquisa e Extensão (CEPEx) de cada Faculdade, que o encaminhará para avaliação. Caso aprovado, o trabalho se inicia no semestre seguinte. A COPEx pode assessorar a montagem do projeto e, posteriormente, acompanhar a realização da pesquisa ou atividade de extensão. Os alunos que se interessarem podem também participar de projetos já propostos como bolsistas ou voluntários. Para tanto, devem ficar atentos aos editais de seleção, divulgados a cada semestre pelo CEPEx de sua unidade. Qualquer dúvida pode ser esclarecida pelos coordenadores do CEPEx de cada Faculdade. Lembrando que, na FADISETE, o representante é o professor Romeu Tomé; na FAGESETE, professor Anderson Santana; e na FAFISETE, professora Cláudia Avelar. Para o coordenador da Copex, Lúcio Paiva Monteiro, a participação dos alunos na realização dos projetos é muito importante para o seu crescimento profissional. "Os estudantes pesquisadores, bolsistas ou voluntários, têm a oportunidade de adquirir experiência acadêmica e profissional enquanto aprendem a pesquisar; e enriquecem seu currículo. Há ainda a possibilidade de assinar, junto com o orientador, um artigo científico para ser publicado". O desenvolvimento de novos conhecimentos e técnicas de pesquisa e intervenção prática, além de contribuir para o aperfeiçoamento de professores e alunos, pode ser importante para conceber e executar ações que tenham impacto sobre os problemas da cidade e da região. Atualmente, cerca de 20 projetos acadêmicos estão em andamento na instituição. Além dos projetos e atividades de pesquisa, a COPEx também assessora e acompanha os cursos de extensão. Já são regularmente oferecidos pelas Faculdades FEMM os cursos de Língua Inglesa e de Informática, por iniciativa de professores da FAFISETE, que atendem tanto o público interno como a comunidade sete-lagoana. "Entretanto, a extensão não é somente a criação e oferta de cursos, mas envolve diversas atividades que aproximam o meio acadêmico das necessidades sociais da cidade, como podemos ver por alguns projetos que estão em andamento nas Faculdades FEMM", ressalta Lúcio Monteiro. Para ajudar a divulgar a produção acadêmica nas Faculdades foi, realizada em 2004 a Semana de Iniciação Científica e Extensão Universitária, evento que a partir do próximo ano passa a ser anual, com edições sempre no mês de março.

5 6 abril de 2005 veículo informativo universitário Novas projetos e atividades para as Faculdades FEMM Pós-graduação lança novos cursos As inscrições para a formação de novas turmas para os cursos de pós-graduação das Faculdades FEMM terão início no mês de maio. Serão abertas vagas na área de Educação Programa "Fundamentos e Práticas Educativas", sendo ofertados os cursos de Gestão Escolar, História Temática, Matemática e Psicopedagogia. Na área Gerencial, serão dois cursos: Planejamento e Gestão Ambiental e Gestão Estratégica e Logística, sendo que na área do Direito será oferecido o curso de Gestão Municipal. As aulas terão início no segundo semestre. De acordo com a coordenadora da pós-graduação, Maria Christina de Lana Moreira, os cursos ministrados nas Faculdades FEMM abordam questões importantes para a formação profissional do aluno, o que, conseqüentemente, traz benefícios também para a comunidade. "Conseguimos estabelecer um diferencial de qualidade, principalmente porque a metodologia desenvolvida é voltada para a solução dos problemas regionais, que é a grande preocupação da instituição. E também nos destacamos pela qualificação do nosso corpo docente e pelo conteúdo temático dos cursos", afirma. Serão oferecidas 30 vagas em cada um dos cursos propostos, sendo o preço das mensalidades compatível com o mercado regional. Um dos objetivos da Coordenadoria da Pós- Graduação é viabilizar a realização de parcerias com instituições e empresas da região, visando ampliar o acesso de um maior número de pessoas aos cursos oferecidos Até o final do ano, a primeira turma do curso em Planejamento e Gestão Ambiental deverá receber o certificado de "Especialista", uma vez que as aulas presenciais se encerraram no mês de abril. Ao todo, são 34 alunos preparando o trabalho final de conclusão de curso, explorando temas relativos ao meio ambiente. "A experiência com essa turma foi positiva, atestada pela avaliação final dos alunos", diz Maria Christina. O resultado desta aprovação é a existência de uma lista de pessoas aguardando a formação de nova turma. "Estamos melhorando a cada dia os nossos cursos, pois a pósgraduação pesa muito no currículo, sendo importante para o crescimento profissional na área em que se está atuando ou se pensa em atuar". Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone (31) ramal 202; ou pelo Pais aprovam reformas da Escola de Aplicação no seu 24 o aniversário No dia 24 de março, a Escola de Aplicação completou 24 anos de existência, comemorando a aprovação dos pais de alunos em relação às últimas reformas, ocorridas no final de Em novembro, o departamento do Serviço Social desenvolveu um trabalho de estudo sócio-econômico junto às famílias da Escola de Aplicação; e pôde beneficiar alunos carentes com bolsas de estudo parciais, otimizando a distribuição de bolsas assistenciais dentro do Ensino Infantil e do Ensino Fundamental. "Com a reforma ocorrida no ano passado, os pais de alunos acharam que haveria uma mudança radical na escola em relação ao alunado, mas isso não ocorreu. As mudanças resultaram numa categorização para melhor atender os 755 alunos hoje matriculados. Até mesmo a entrada dos novos alunos na Educa-ção Infantil foi classificada de acordo com a carência dos alunos", pontua Regina Borato, diretora da Escola. O fato de a Escola de Aplicação ser vinculada à Fundação Educacional Monsenhor Messias mostrou uma real necessidade de documentação desse perfil familiar e do aluno, para a prática da condição de filantropia, que concedeu o benefício a quem dele realmente precisava. "Além desse passo importante no levantamento do perfil dos alunos, a escola, nos seus 24 anos de existência, caminha para a efetivação de mudanças pedagógicas gradativas, apresentando uma aproximação maior da escola com os cursos de graduação da Fafisete, proporcionando aos alunos e professores experimentação de novos projetos educativos", completa Regina. A aceitação dos pais também tem sido boa, Denise Ferreira Marques, mãe de Mateus, matriculado na 2 a série, diz que a Escola de Aplicação realiza um bom trabalho e elogia o Serviço Social em sua distribuição de bolsas assistenciais. "As professoras são competentes; PRESTÍGIO A diretora Regina de Souza Borato e os alunos de Escola de Aplicação comemoram 24 anos de fundação festejando, ao lado dos pais, as reformas realizadas. meu filho está lendo e escrevendo muito bem. Eu tenho uma bolsa integral para ele, mas mesmo se eu tivesse que pagar alguma coisa, eu faria um esforço e deixaria ele aqui mesmo. Não falto às reuniões, e sempre participo de tudo." Rosimeire Xavier, ex-aluna da escola, agora tem um casal de filhos estudando, (Wanderson, na 5 a série e Débora, na pré-escola); e considera importante a inserção dos filhos na escola "Eu estou desempregada; e se fosse pra eu pagar, eu não iria ter condições. Coloquei meus filhos aqui porque, apesar de ter estudado só até a 4a série, sempre gostei da escola e quero o mesmo nível de ensino para os meus filhos. Eu estou satisfeita; não tenho nada a reclamar." O que rola nas Faculdades FEMM 1 a Olimpíadas de Matemática Alunos do Ensino Fundamental, do Ensino Médio e de cursos de graduação de Sete Lagoas e região já podem começar a se preparar para a 1 a Olimpíadas de Matemática das Faculdades FEMM. Organizada pelo curso de Matemática, as Olimpíadas têm o objetivo de valorizar o conhecimento, estimular o raciocínio lógico e incentivar os estudantes a enfrentarem desafios e situações-problemas que envolvam a matemática. As provas serão organizadas de acordo com o nível de escolaridade dos candidatos, divididas em etapas eliminatória e classificatória. O evento terá a duração de três dias, com promoções de oficinas, palestras e jogos matemáticos, culminando com a premiação dos campeões. As Olimpíadas de Matemática das Faculdades FEMM estão sendo organizadas para o mês de setembro; e escolas, alunos e patrocinadores interessados no evento podem entrar em contato com o professor Paulo Menezes, pelo telefone, (31) , ramal 224, ou enviar para Revisão de Monografias O aluno que estiver precisando de revisar sua monografia de final de curso deve encaminhá-la à Secretaria de sua Faculdade, que cuidará de seu envio à coordenadoria de Comunicação Social, onde o professor Alfredo Valadares fará a devida revisão do português. Quanto às normas da ABNT, existe na Biblioteca o Guia para apresentação de trabalhos técnico-cientícos da FEMM. O material pode ser obtido com Maria Luíza Campolina França, na Biblioteca das Faculdades FEMM.

6 abril de 2005 veículo informativo universitário Um novo ambiente acadêmico A FAFISETE está passando por mudanças significativas em seus cursos. Com a implantação das novas licenciaturas, os professores e alunos calouros estão tendo a oportunidade de vivenciar propostas inovadoras de construção do conhecimento. "A principal mudança refere-se à transformação qualitativa do ambiente acadêmico. O currículo atual foge do convencional e caminha para uma nova formação educativa e uma participação ativa dos professores em coletivos que constroem a prática docente e oportunizam aos alunos abordagens integradas e interdisciplinares dos conteúdos", diz a coordenadora acadêmica das licenciaturas, Rosalina Braga Batista. Para dar seqüência às mudanças, os docentes reúnem-se, semanalmente, para discutir os encaminhamentos comuns de cada um dos componentes curriculares. Durante os encontros abordam-se questões como as bibliografias, o planejamento e as ações comuns das novas disciplinas. "As reuniões têm sido ricas para pensar e projetar as disciplinas. O planejamento agora não é somente meu, mas coletivo. Então, encontro mais apoio e faço uma avaliação constante", avalia a professora Simone Farias. Outro aspecto importante sobre as novas licenciaturas é o fato de que nenhuma disciplina está sendo ministrada apenas por um professor. Cada uma delas tem dois ou três docentes trabalhando juntos, de forma colegiada. "O trabalho realizado com os primeiros anos está satisfatório, pois estamos planejando e discutindo nos grupos das disciplinas. Todos estão participando de forma efetiva, havendo maior integração entre os professores", ressalta Simone. Do ponto de vista do aluno, também ocorreram mudanças. O seu contato com o conhecimento foi ampliado, pois os conteúdos estão sendo trabalhados em abordagens interdisciplinares. "Os estudantes foram informados sobre os planejamentos para que possam acompanhar e construir autonomia intelectual para organizar a sua vida acadêmica e possibilitar uma participação mais efetiva nas aulas, adquirindo responsabilidade por seu processo Dentro das novas licenciaturas da FAFISE- TE, estão sendo desenvolvidas as Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC), que vêm tendo uma grande participação dos alunos, dos professores e da comunidade. O evento, que acontece uma vez por mês no campus, tem como objetivo promover discussões sobre assuntos que ultrapassam as salas de aula e são de suma importância para a sociedade. "Por meio da AACC, o aluno tem a possibilidade de ampliar seu universo cultural, participando de atividades de natureza diversa como pesquisa, extensão, estágios extracurriculares, atividades ligadas às manifestações artísticas (como teatro, cinema e música), ampliando o espaço de formação do graduando para além das atividades e práticas disciplinares", explica a coordenadora acadêmica das licenciaturas, de formação", diz Rosalina. "A experiência de trabalhar com alunos e professores de outras áreas está sendo enriquecedora. São percepções diferentes e eu sempre gostei de trabalhar em equipe", ressalta a professora Martha Mendes Marquez, que está ministrando aulas para os alunos de três cursos diferentes. Outra novidade é que os alunos passaram a pertencer a duas turmas distintas: uma constituída apenas por colegas de curso específico e outra, para a formação comum, congregando estudantes de vários cursos. Conseqüentemente, eles têm contato com uma diversidade de colegas e acesso a diferentes abordagens sobre um determinado assunto."o convívio com os alunos dos outros cursos está ampliando as minhas experiências; afinal estou tendo contato com uma diversidade cultural grande", fala o estudante de Letras, Tiago Faria Moura. A aluna de Pedagogia, Silvana Alves da Silva Pereira, concorda com a qualidade do programa desenvolvido. "Foi uma ótima idéia da FAFISETE implantar as novas licenciaturas, pois tenho a oportunidade de conviver com pessoas de áreas diferentes, descobrindo novas amizades e aprendendo com as suas experiências". Rosalina Braga Batista. A AACC tem permitido a participação de membros da comunidade regional, congregando interessados em debates de importância para a sociedade em seu conjunto. As atividades de AACC já envolveram discussões sobre o circo e as artes cênicas como manifestações culturais, após a apresentação de um filme da Companhia do Cirque du Soleil e "O Movimento Rastafari - a resistência cultural e a gênese de uma nova sociedade". Na ocasião, mais de 200 alunos participaram dos eventos. "As atividades da AACC são de grande aproveito e valor para o nosso crescimento. Os temas discutidos são também bastante dispersos, criando pontos diferentes de discussão, o que é essencial para a nossa profissionalização", diz a aluna de Pedagogia, Silvana Alves da Silva Pereira. Verduras e legumes sofrem aumento FAFISETE promove encontro com a comunidade 7 Produtos como a vagem, a batata, a abóbora vermelha, o repolho, o quiabo e a alface foram os responsáveis pelo aumento de 0,55% da Cesta Básica de Consumo Familiar no mês de março. De acordo com o Núcleo de Estudos Econômico e Sociais, vinculado ao Curso de Ciências Econômicas da FAGESETE, o valor da cesta foi de R$ 246,53, representando 94,82% do salário mínimo. Outro dado divulgado refere-se ao custo da Cesta Básica Restrita, que representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação. No mês de março, o valor da cesta atingiu R$ 128,83, representando um aumento de 1,69% em relação ao mês anterior. Dessa forma, o salário mínimo necessário para o trabalhador neste mês deveria ser de R$ 1082,34. RENOVAÇÃO Alunos da FAFISETE ampliam seus conhecimentos com as mudanças das novas licenciaturas O próximo encontro de AACC acontece no dia 16 de abril, no auditório Dr. Marcelo Viana. O debate irá abordar "A Transposição do Rio São Francisco", tema que ultrapassa os muros das Faculdades FEMM, como lembra Rosalina. "Essa é uma questão de grande importância política, social e ambiental para a sociedade brasileira. As conseqüências da transposição não ficam apenas às margens do rio São Francisco, mas atingem todo o país, sobretudo, o território mineiro, tendo especial importância para Sete Lagoas e o entorno, uma vez que, estamos situados em sua bacia hidrográfica". Durante a mesa-redonda, estarão presentes, além dos alunos e moradores da região, o engenheiro-geólogo Edézio Teixeira de Carvalho, pesquisador de importância nacional no equacionamento das temáticas sócioambientais.

7 8 Aluno On-Line tem novo endereço abril de 2005 veículo informativo universitário Trabalhos são destaque em Simpósio de Física CASA PRÓPRIA Os alunos ganharam uma sessão própria no novo site das Faculdades FEMM. No link Graduação eles acessam o Aluno On-Line, além das últimas notícias sobre a Instituição. O acesso ao Aluno On-Line pode ser feito também na página principal do site. Confira, Auditório é palco para a solidariedade As Faculdades FEMM se uniram ao Núcleo de Voluntários na prevenção de Combate ao Câncer de Sete Lagoas. Com o intuito de amenizar o sofrimento dos portadores da doença e de seus familiares, o auditório Dr. Marcelo Vianna será palco para o Coral Santa Cecília e o grupo de dança do Estúdio Expressar, que farão uma apresentação para arrecadar doações para a instituição. O evento acontece no dia 30 de abril. Fundado em 1984, o Núcleo atende, atualmente, a 104 doentes cancerosos, entre crianças, adultos e idosos. Ao todo, 35 voluntários dão assistência aos enfermos, realizando uma visita a suas casas e os encaminhado para o tratamento no Hospital Mário Penna, em Belo Horizonte. Quando o doente retorna, ele recebe o atendimento necessário para sua recuperação; e ainda, ganha medicamentos, cesta básica e roupas. "Todos os doentes são carentes, abaixo da linha da pobreza; e por isso, necessitam de muita ajuda. Além de olharmos por eles, também orientamos a família explicando sobre os cuidados que devem ter com os enfermos", explica a coordenadora do Núcleo de Voluntários, Marylene França. "A ONG se mantém através de doações e promoções voluntárias. Por isso qualquer ajuda é sempre bem-vinda." Os ingressos para as apresentações custam R$ 5,00 e estão à venda no Núcleo de Voluntários, na rua Eduardo Alves Ferreira, 40, bairro Jardim Amélia. Auto-Avaliação Institucional vem com novidades O Processo de Auto-Avaliação Institucional apresenta novidades este ano. A Comissão Própria de Avaliação (CPA) e a Coordenadoria do Programa de Avaliação Institucional (COPAVI) já deram início aos preparativos para as avaliações que ocorrem no mês de maio: a avaliação dos cursos de graduação e a avaliação docente para os professores das turmas semestrais da FAFISETE. De acordo com a coordenadora da CPA, Jakeline França, o trabalho está sendo desenvolvido dentro de um cronograma previsto pelo MEC; e o projeto tem prazo de conclusão, em sua primeira etapa, para fevereiro de Nessa fase ela explica que, para 2005, haverá mudanças no processo, com uma versão mais avançada da avaliação, para os cursos de graduação, "A COPAVI e a CPA estão se reunindo com todos os coordenadores de cursos para discutir e apresentar uma nova proposta metodológica". Frank de Paula, coordenador da CO- PAVI, completa, explicando que essa metodologia é resultado da vivência do processo anterior, "A auto-avaliação dos cursos de graduação do ano passado gerou uma série de dados e informações a respeito de cada curso, mas nós entendemos e fizemos uma reflexão; teríamos de utilizar o mesmo processo, mas corrigindo alguns erros metodológicos que aconteceram; e mais do que isso, dando um tempo mais específico para que cada faculdade elaborasse o seu processo de auto-avaliação." No ano passado, os cursos das Faculdades FEMM foram avaliados simultaneamente, gerando alguns obstáculos que agora serão aperfeiçoados, em relação à aplicação, roteiro e processo de sensibilização da comunidade acadêmica. Jakeline e Frank ressaltam ainda que, mais do que uma questão de avaliação de resultados passados e resultados futuros, é a importância do envolvimento da comunidade acadêmica em torno do sistema de auto-avaliação que produz uma tomada de consciência mais ampla sobre o ensino superior. "Na medida em que se conhece mais sobre aquilo que se faz, seja trabalhando ou estudando, temos mais condições de colaborar, enquanto sujeitos, para a melhoria dos processos educativos e dos processos de gestão das faculdades FEMM. Surgem novas propostas para a correção de rumos, de tomada de consciência e de construção democrática, no que diz respeito a gestão e planejamento". No 1 o semestre deste ano, dois trabalhos apresentados no XVI Simpósio Nacional do Ensino de Física, realizado na cidade do Rio de Janeiro e que envolve professores e pesquisadores da área, foram destaque para o curso de Matemática das Faculdades FEMM. O coordenador do curso de Matemática, Paulo Menezes, responsável pelo encaminhamento dos trabalhos "A Física no Parque de Diversões" e "Auto-avaliação e Portifólio", ressaltou que os artigos apresentados no evento são frutos do projeto intitulado Grupo de Desenvolvimento de Professores de Física (GDPF), coordenado por ele há três anos. Composto por 21 professores de Física da cidade e região, o grupo se reúne mensalmente para trocar experiências com o objetivo de melhorar o ensino de Física na sala de aula "Aproveitando a presença de um parque na cidade, os professores Célio Vicente e Jederson Willian, aplicaram a atividade para seus alunos. O resultado foi um sucesso, pois os estudantes perceberam que a física está mais presente no seu dia-a-dia do que se imagina. Vários professores adotaram a idéia que foi elogiada até mesmo pelo dono do parque de diversões, que levou o projeto a outras escolas". A integração de alguns professores do GDPF com o grupo de pesquisa Inovar, da UFMG, transformaram essa experiência em narrativas, compartilhadas com outros professores. Com isso, o projeto se transformou em artigo e foi aceito e apresentado com sucesso no XVI Simpósio Nacional do Ensino de Física. Matemática e Física no Portifólio Seguindo o mesmo percurso, o trabalho "Auto-avaliação e Portifólio" de autoria dos professores Paulo Menezes e Afonso José Álvares da Silva, da Escola Estadual Cândido Azeredo, também foi destaque no Simpósio. Trabalhando com alunos carentes de diversas faixas etárias, percebeu-se que um dos grandes problemas do ensino é a falta de motivação dos alunos. "Por meio da criação de um portifólio, o estudante passou a organizar sua vida escolar numa pasta, arquivando trabalhos e avaliações. Foram criados carimbos de incentivo e reflexão para as atividades, tais como: 'Parabéns, você é um sucesso!', 'Estimado aluno, você vai brilhar na vida!'. Com isso, alunos que antes não se interessavam pelas aulas, passaram a desenvolver as atividades propostas e a montar seu portifólio da melhor maneira possível", completa Paulo. Esse trabalho também se transformou em artigo e foi apresentado no XVI Simpósio Nacional do Ensino de Física, chamando a atenção para uma questão importante na ação docente, que é a auto-estima do aluno. As pessoas que tiverem interesse em conhecer mais sobre esses trabalhos, podem acessar os artigos no endereço /matematica.

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES - 2012 a 2021 Instituição: ENSINO DE GRADUAÇÃO Programas/Projetos/Ações Ano Natureza Valores Fonte de Recursos Beneficiado Manutenção

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão Quadriênio 2016-2019 Candidata Franciele Ani Caovilla Follador Slogan: CCS em ação! 1 INTRODUÇÃO Em 1991,

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Diretrizes para a elaboração, pelo INEP,

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Secretaria de EDUCAÇÃO vai propor parcerias com instituições particulares e públicas; duração do ensino médio pode aumentar em 1 ano

Secretaria de EDUCAÇÃO vai propor parcerias com instituições particulares e públicas; duração do ensino médio pode aumentar em 1 ano SP quer ampliar ensino técnico estadual Data:10/05/2011 Veículo: O ESTADO DE S. PAULO SP Mariana Mandelli Secretaria de EDUCAÇÃO vai propor parcerias com instituições particulares e públicas; duração do

Leia mais

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PRÓ-SAÚDE/FAMEB/UFBA.

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PRÓ-SAÚDE/FAMEB/UFBA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA - FAMEB 199 anos Grupo Gestor do Projeto Pró-Saúde (Ministério da Saúde FAMEB/UFBA) Pavilhão de Aulas da FAMEB, Av. Reitor Miguel Calmon Campus

Leia mais

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim 7ª edição março 2015 Avaliação Institucional: um ato de consolidação para as universidades! Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS?

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS? A Pós-Graduação da PUCRS é a porta de entrada para um novo momento da sua vida profissional e acadêmica. Você pode ampliar habilidades, fomentar ideias e adquirir conhecimento com experiências inovadoras

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Arujá - SP 2011 2 SUMÁRIO Dados da Instituição... 3 Considerações iniciais... 4 Desenvolvimento da Avaliação... 4 Dimensões da Autoavaliação...

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS. Comissão Própria de Avaliação

PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS. Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS Comissão Própria de Avaliação Porto Alegre, março de 2005. 1 Diretora Vera Lucia Dias Duarte Coordenador do Curso Dr. Dakir Lourenço Duarte

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL

PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL De 1999 até o ano de 2011 o Instituto Adventista de Ensino do Nordeste (IAENE) congregava em seu espaço geográfico cinco instituições de ensino

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE CPA / PESQUISA Comissão avalia qualidade de ensino da FABE Avaliação positiva: A forma de abordagem dos objetivos gerais dos cursos também foi bem avaliada e a qualidade do corpo docente continua em alta.

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Graduação

Leia mais

RESULTADO DE ENQUETE APLICADA PELO PORTAL

RESULTADO DE ENQUETE APLICADA PELO PORTAL 01/11/2012 10:31:12 1 Código Nome da Enquete D. Inicio D. Fim 597 Outras Dimensões - 4º ano A 08/10/12 31/10/12 1-1. 1ª Dimensão Planejamento Institucional: Você acessa as normas institucionais (Regimento,

Leia mais

EDITAL PIBID-FUNEC SELEÇÃO DE PROFESSORES SUPERVISORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL PIBID-FUNEC SELEÇÃO DE PROFESSORES SUPERVISORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID EDITAL PIBID-FUNEC SELEÇÃO DE PROFESSORES SUPERVISORES PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID A FUNEC Fundação Municipal de Educação e Cultura de Santa Fé do Sul, através

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013

FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013 FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA FACULDADE GLOBAL DE UMUARAMA FGU / UNIESP RELATÓRIO FINAL 2012/2013 UMUARAMA, DEZEMBRO, 2012 RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO I DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome/

Leia mais

MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III

MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III SIC 38/10* Belo Horizonte, 3 de dezembro de 2010. MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III O MEC publicou a Portaria nº 1326, de 18/11/2010 (ver íntegra do texto abaixo). É preciso ser mágico

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA PROPOSTA 1 Curso Nome(s) do(s) Curso(s) ZOOTECNIA Código e-mec 56129 Conceito ENADE 4 Coordenador da Proposta (Tutor do Grupo) ANA MARIA BRIDI 2 Caracterização da Proposta 2.1Área de Conhecimento (código

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO FACULDADE LEGALE RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2013 DE ACORDO COM O MODELO DO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES/INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Porto Alegre, março de 2009. 1. O Programa O Programa de Pós-Graduação em Patologia (PPG-Patol) foi criado com o objetivo de formar pessoal

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP

GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP PROGRAMA GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP 2014 PROGRAMA GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP INTRODUÇÃO A Pró-reitoria de graduação (PROGRAD), a Câmara Central de Graduação (CCG), o Núcleo de Educação à Distância

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA

FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA LIGA ACADÊMICA DE REABILITAÇÃO EM ORTOPEDIA DA FACULDADE MONTES BELOS Francisco Dimitre Rodrigo Pereira Santos Marillia Pereira Cintra Sintia

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 PROCESSO SELETIVO INTERNO DE PROFESSORES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS - UNIFEMM

EDITAL Nº 001/2014 PROCESSO SELETIVO INTERNO DE PROFESSORES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS - UNIFEMM EDITAL Nº 001/2014 PROCESSO SELETIVO INTERNO DE PROFESSORES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE SETE LAGOAS - UNIFEMM Artigo 1º - O Centro Universitário de Sete Lagoas - UNIFEMM, informa que no período de 08/01/2014

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE

AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE Cleudimar Pereira Dias Benvinda Barros Dourado (Orientadora) O Centro de Apoio Popular Estudantil do Tocantins

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores OFICINA DE ESTUDOS: O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA FAAC

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

EDITAL N 003/2006 ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO E RENOVAÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA DAS FACULDADES FEMM

EDITAL N 003/2006 ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO E RENOVAÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA DAS FACULDADES FEMM FACULDADES DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONSENHOR MESSIAS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONSENHOR MESSIAS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO Av. Mal. Castelo Branco 2.765 B. S to Antônio Sete Lagoas MG

Leia mais

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização.

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização. PROGRAMA DE TRABALHO PARA O QUADRIÊNIO 2015-2019 DOS CANDIDATOS À DIREÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015.

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO Ji-Paraná RO, 15. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES

Leia mais

INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE JOVENS PROVINDOS DE PROJETO SOCIAL. Nelson Miguel Betzek 1 (Coordenador da Ação de Extensão)

INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE JOVENS PROVINDOS DE PROJETO SOCIAL. Nelson Miguel Betzek 1 (Coordenador da Ação de Extensão) INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE JOVENS PROVINDOS DE PROJETO SOCIAL Área Temática: Educação Nelson Miguel Betzek 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Nelson Miguel Betzek, Vanderlei Roberto Marques 2,

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas

Dossiê Ensino Fundamental no Brasil. Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Estudo para a construção do Plano Municipal de Educação de Palmas Segundo substitutivo do PNE, apresentado pelo Deputado Angelo Vanhoni, Abril de 2012 Profa. Dra. Rosilene Lagares PPGE/PET PedPalmas Palmas,

Leia mais

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009.

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009. Plano de Ação Colégio Estadual Ana Teixeira Caculé - Bahia Abril, 2009. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR Unidade Escolar: Colégio Estadual Ana Teixeira Endereço: Av. Antônio Coutinho nº 247 bairro São

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1 -

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece com regularidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia PASSO A PASSO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS COMPLEMENTARES São atividades obrigatórias

Leia mais

Lista de Quadros. Fundação Uniplac

Lista de Quadros. Fundação Uniplac Lista de Quadros Quadro 1 Dirigente dafundaçãouniplac... 22 Quadro 2 Matérias apreciadas no Conselho Curador... 23 Quadro 3 Nominata do Conselho Curador... 23 Quadro 4 Matérias apreciadas no Conselho de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CAPÍTULO I - DA APRESENTAÇÃO E DOS OBJETIVOS DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1 - A atividade de Iniciação Científica integra o processo de ensinoaprendizagem

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 0 2014 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT Portaria Nº 004/2015 Dispõe sobre Relatório Apresentado pela Comissão Própria

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT

FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT 1 FACULDADE CASTANHAL-FCAT COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FCAT Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Programa de Iniciação Científica

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

O Instituto Social Maria Telles

O Instituto Social Maria Telles O Instituto Social Maria Telles Criado em 1999, o ISMART tem como principal objetivo o desenvolvimento integral de talentos de baixa renda, garantindo aos seus beneficiados acesso a ensino formal de alta

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 CHAMADA DE PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EXECUÇÃO: 19 DE ABRIL DE 2010 A 10 DE MAIO DE 2010

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Resumo ISSN 2316-7785 PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Stephanie Abé abe.stephanie1@gmail.com Ana Caroline Pierini karolpierini@gmail.com Luana Kuister Xavier

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ) CAPÍTULO I DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1 - As normas que seguem visam orientar pesquisadores e bolsistas vinculados a projetos

Leia mais

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Coordenação de Pós-Graduação e Extensão Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Os cursos de especialização em nível de pós-graduação lato sensu presenciais (nos quais

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E GERENCIAIS 2012 GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS

Leia mais

COMUNICADO AOS ALUNOS DA FMIt

COMUNICADO AOS ALUNOS DA FMIt COMUNICADO AOS ALUNOS DA FMIt Professora Mariléia Chaves Andrade Coordenadora das Atividades Complementares na FMIt Prezados alunos, Favor lerem atenciosamente esse comunicado. Venho através deste fornecer

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO RÁDIO ESCOLA

ESCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO RÁDIO ESCOLA ESCOLA ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO RÁDIO ESCOLA APRESENTAÇÃO: A Escola Estadual Getúlio Vargas Ensino Fundamental, do Município de Engenheiro Beltrão, Estado do Paraná, preocupada

Leia mais

Milda Telles Coordenadora da CPA

Milda Telles Coordenadora da CPA Ano IV n. 2 Maio/julho de 2010 UNIÃO SOCIAL CAMILIANA FELM FASC Nesta edição: Avaliação dos cursos de graduação Palavra da CPA Pós-graduação Caixa de sugestões Espaço Livre Fale com a CPA Neste número

Leia mais

GTT 1 - A Descaracterização do Trabalho do Professor de Educação Física nas Atuais Políticas Públicas de Educação na RMBH

GTT 1 - A Descaracterização do Trabalho do Professor de Educação Física nas Atuais Políticas Públicas de Educação na RMBH Documento final do "Seminário: O trabalho docente em educação física face às atuais políticas públicas na educação na RMBH: Repercussões nas instituições Formadoras" O presente documento tem por finalidade

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA CURSO DE ENFERMAGEM MANUAL DE ATIVIDADES COMPLENTARES Belo Horizonte 2011 1 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor Luis Carlos de Souza Vieira Pró-Reitor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 1. OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 A Diretora de Graduação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas

Leia mais

Energisa e Junior Achievement de Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO

Energisa e Junior Achievement de Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO Energisa e Junior Achievement de Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO Minas Gerais 2013 1 SUMÁRIO Resultados Gerais Junior Achievement... 2 Resultados Conquistados desta parceria... 3 Resultados Conquistados

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP

Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP COGEO/CAMBINACIONAL/UNIFAP A Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional

Leia mais

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS O Instituto de Ensino de Garça,

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1 FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1 A Comissão Própria de Avaliação (CPA) é o órgão responsável por coordenar,

Leia mais