Regras de ouro: Dediquem-se aos estudos! Desligue o celular; Evitem ausentar-se da sala

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regras de ouro: Dediquem-se aos estudos! Desligue o celular; Evitem ausentar-se da sala"

Transcrição

1 Regras de ouro: Desligue o celular; Evitem ausentar-se da sala Evitem conversas paralelas (sem propósito com o assunto da aula); Dediquem-se aos estudos!

2 Nossos encontros 2

3 Nossos encontros AULÃO 3

4 Materiais da aula 4

5 Critérios AV I: Redação

6 Critérios AV I: Redação Serão descontados pontos da redação ou até pode ser zerada ou anulada: 1) Erros de português; 2) Fuga total ao tema; 3) Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa (Introdução, desenvolvimento e conclusão em parágrafos separados); 4) Texto com apenas até 12 linhas; 5) Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação ou parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto; 6) Desrespeito aos direitos humanos; 7) Redação em branco, mesmo com texto apenas em rascunho; 8) Cópia do texto motivador sem as devidas citações e referências; 9) Falta de Coesão e Coerência textual

7 Atividade extra: Textos complementares: Unidade I: Confira o artigo que aborda a temática dos Tipos de Modais. Unidade III: Artigo sobre Manutenção e Renovação de Frota. Redação mínimo 25 linhas, sem cópia literal com citações e referência 7

8 Atividade extra: Textos complementares: Somente será aceito para alunos presentes na aula 1 8

9 PAPER E SOCIALIZAÇÃO

10 Temas Paper / Seminário: Análise da importância da gestão da cadeia de suprimentos nas organizações, estudo de caso Polo UNIASSELVI Feira de Santana. Logística de distribuição: um estudo do nível de serviço Logístico em uma empresa do Porto Seco Feira de Santana Logística de serviços: Uma análise do transporte coletivo urbano na cidade de Feira de Santana 10

11 Calendário Acadêmico: 11

12 Socialização: DESAFIO: Além da apresentação da equipe, trazer um palestrante para falar sobre o tema. Tempo: até 60 min 12

13 ANÁLISE DE TRANSPORTES

14 Ementa: Modelos de rede e malha viária. Análise da demanda por transporte. Roteirização e programação de viagens. Dimensionamento de transporte e frota, seleção de veículos. Terceirização e quarteirização de serviços de transportes. Análise de custos, operação, manutenção e renovação. Medidas de desempenho e produtividade. UNIDADE 1 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DA FROTA UNIDADE 3 ANÁLISE DA FROTA DE TRANSPORTES 14

15 Referências: Transportes e Destinos Turísticos: Planejamento e Gestão Por May, Matthew E. Logística, Transporte e Desenvolvimento Econômico Por JOSEF BARAT Estratégia Logística Gestão de Logística E Operações

16 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES

17 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES

18 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES

19 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES Os sistemas de transporte são compostos pelos seguintes elementos: Veículos; Vias; Terminais (depósitos/ armazéns); Sistemas de Informação; Sistemas de Controle.

20 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DECISÕES SOBRE TRANSPORTE Nível de Serviço Utilização de Modais: escolha entre as alternativas de modais - rodoviário, ferroviário, aéreo, aquaviário e dutoviário. Propriedade da Frota: custo, qualidade do serviço e rentabilidade devem ser considerados determinantes para suportar esta decisão. Avaliação financeira.

21 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES

22 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DECISÕES SOBRE TRANSPORTE Programação de Transportes: roteirização, consolidação de cargas, características da carga (peso e volume, dimensões, densidade, grau de fragilidade, grau de periculosidade, geometria, compatibilidade entre produtos de mesma natureza), escolha do tipo de veículo, emissões de documentos, programação de carga e descarga, prazos e urgências na entrega.

23 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DECISÕES SOBRE TRANSPORTE Risco da carga: produtos inflamáveis, tóxicos ou visados para roubo são fatores de risco que influenciam o valor do frete. Sazonalidade: efeitos como a safra de grãos afetam de forma acentuada a procura por frete, fazendo com que os preços de frete desta época sejam maiores que os da entressafra.

24 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DECISÕES SOBRE TRANSPORTE Trânsito: entregas em centros urbanos/ horário para carregamento e descarregamento. Carga retorno: não existência de frete retorno faz com que o transportador tenha que considerar o custo do retorno para compor o preço do frete. Especificidade do veículo de transporte: quanto mais especifico for o veículo menor é a flexibilidade do transportador, assim caminhões refrigerados ou caminhões tanques acabam tendo um preço de frete superior que um veículo de carga granel.

25 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DECISÕES SOBRE TRANSPORTE Utilizam vias naturais: aquaviário e aéreo Utilizam vias construídas: rodoviário, ferroviário e dutoviário. O transporte responde por até 60% dos custos logísticos totais... A má conservação de rodovias gera elevação de 38% no custo dos fretes no Brasil, elevando o custo logístico total.

26 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DECISÕES SOBRE TRANSPORTE Tempo em trânsito; estoque de segurança (necessidade e dimensionamento); cumprimento dos prazos estabelecidos; custo do transporte; infra-estrutura e legislação existentes; restrições operacionais; valor agregado do produto transportado; necessidade de transporte complementar; segurança contra roubos, avarias; rastreabilidade. NOVAES, A. Logística Aplicada: Suprimento e Distribuição Física. São Paulo: Ed.Edgard Blucher, 2001.

27 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES COMPARAÇÃO ENTRE OS MODAIS

28 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES TRANSPORTE INTERMODAL Utiliza dois ou mais modais (aéreo, aquaviário, rodoviário e/ou ferroviário) no transporte de cargas da origem ao destino final mediante a celebração de um contrato de transporte para cada etapa do itinerário. O transportador de cada etapa/modal é responsável por danos, avarias, atrasos ou extravio da carga durante a sua respectiva prestação de serviços.

29 SISTEMA DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES TRANSPORTE MULTIMODAL Utiliza dois ou mais modais para o transporte de cargas da origem ao destino final mediante a celebração de apenas um contrato e a intermediação e responsabilidade única do OTM; O OTM poderá realizar o transporte multimodal por meio de transporte próprio ou sub-contratando transportadores. Contudo, tanto na primeira hipótese quanto na segunda, o OTM é o responsável perante o expedidor por quaisquer problemas causados à carga; Lei 9.611/98: dispõe sobre a prática do Operador de Transporte Multimodal (OTM);

30 ROTEIRIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DE VIAGENS Otimização de uso da frota e itinerários Comandos facilitadores e inteligentes para o usuário efetuar ajustes nas rotas Agiliza a programação da frota Base de mapas vetoriais Recursos de endereçamento: CEP, tratamento de endereços (geocodificação) Integração com Outros Sistemas - AVL, ERP, TMS, WMS, CRM,... Possibilidade de customização - especificidades da operação

31 ROTEIRIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DE VIAGENS Visão em Mapa da Rota Rotas programadas Cargas para Roteirizar

32 ROTEIRIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DE VIAGENS

33 ROTEIRIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DE VIAGENS Ferramentas de Programação de Viagens Controle de disponibilidade de veículos Roteirização automática do melhor itinerário, com recursos para ajuste manual das rotas geradas Consistência de restrições dos clientes, cargas e veículos Programação de coletas em tempo real (veículo mais próximo com disponibilidade) Otimização e racionalização do uso de recursos com redução de custos Qualidade no atendimento - previsibilidade Geração de informações para clientes, sistemas de controle e análise de desempenho

34 ROTEIRIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DE VIAGENS

35 DIMENSIONAMENTO DA FROTA Fatores a considerar Determinação da demanda. Fixar dias de trabalho. Verificar rotas observando: Rotas, aclives, irregularidades e pavimento. Determinar a velocidade de percurso. Determinar tempos de carga e descarga.

36 DIMENSIONAMENTO DA FROTA Fatores a considerar Avaliar especificações técnicas do veículo adotando a melhor opção. Identificar a lotação e carga útil do veículo selecionado. Definir tempos de espera e descanso do motorista. Determinar o nº de viagens que 1 veículo pode realizar. Determinar o total transportado por veículo.

37 DIMENSIONAMENTO DA FROTA O número de veículos será obtido dividindo-se a demanda pela quantidade transportada por cada veículo. Não se pode esquecer as eventualidades, revisões, etc.

38 DIMENSIONAMENTO DA FROTA Alternativas para Ampliação da Frota Parcerias ocorre quando duas empresas se unem para a realização de um serviço; São agregados, neste caso, as demandas e o uso das frotas, e a receita é dividida de forma proporcional aos custos ocorridos na operação dos veículos; É um sistema descrito como uma racionalização de esforços, pela unificação de serviços de transporte, por parte das empresas que trabalhem em uma mesma região e precisem lutar contra o prejuízo; Transportadoras que operam com carregamentos pouco rentáveis podem obter melhor aproveitamento dos caminhões e um custo operacional menor.

39 DIMENSIONAMENTO DA FROTA Alternativas para Ampliação da Frota Terceirização é a conveniência de uma empresa fazer uso de serviços de terceiros (locação de veículos, contratação de autônomos, manutenção et.); A prática da terceirização torna-se mais conveniente em mercados que apresentam maiores incertezas e/ou oscilações; Aumentar a capacidade estática de transporte sem ampliar a frota. É o exemplo que uma empresa encontrou como solução...

40 DIMENSIONAMENTO DA FROTA Alternativas para Ampliação da Frota Franchising a empresa abre as portas a interessados em atuar em regiões até então situadas fora das rotas de seus caminhões, ostentando seu nome, a tradição e o know-how acumulados; É uma prática implantada no planejamento de várias empresas de transporte, principalmente por ser uma solução para expansão das atividades; Os direitos e deveres da empresa e dos franqueados são estabelecidos por meio de contratos; visitas frequentes... Os royalties normalmente são pagos por meio de porcentagem do valor arrecadado pela franqueada.

41 DIMENSIONAMENTO DA FROTA Alternativas para Ampliação da Frota Leasing é um sistema muito utilizado pelas empresas; Uma das características é a possibilidade de as pessoas jurídicas obterem, nos bancos, longos prazos para pagamento dos veículos; Os longos prazos chegam a 24 ou 36 meses, como se fosse um aluguel, mas com opção de compra. No final, o veículo estará quitado, não havendo razão para devolvê-lo; Nesse sistema, o cliente tem desde o início do processo, total responsabilidade sobre o veículo, incluindo os custos de manutenção.

42 CUSTOS DA FROTA

43 CUSTOS DA FROTA Definição dos Itens de Custos Custo com Depreciação; Custo do Capital Parado; Custo com Pessoal; Seguro do Veículo; IPVA / Seguro Obrigatório; Custos Administrativo; Combustível; Pneus; Lubrificantes; Manutenção; Pedágio. Classificação dos Itens de Custo FIXO FIXO FIXO FIXO FIXO FIXO VARIÁVEL VARIÁVEL VARIÁVEL VARIÁVEL VARIÁVEL

44 CUSTOS DA FROTA Cálculo dos Custos Fixos CF = C dep + C Cap + C Adm + C IPVA / SO + C Pessoal Custo com Depreciação do Veículo: C Dep = (Valor de Aquisição Valor Residual) / Vida Útil Custo do Capital Parado: C Cap = Valor de Aquisição x Taxa de Juros Custo de Administração de Frota: C Adm = Custos de Administração / Qde de Veículos Custo com IPVA / Seguro Obrigatório: C IPVA / SO = Valor Anual / 12 Custo com Pessoal: C Pessoal = Salários + encargos + Outros

45 CUSTOS DA FROTA Cálculo dos Custos Variáveis CV = C Comb + C Óleo + C Lav/Lub + C Pneus + C manu + C Ped Custo com Combustível: C Comb = Preço por Litro / Rendimento (Km/L) Custo com Trocas de Óleo: Custo com Lavagem / Lubrificação: C lav/lub = Custo da Lavagem ou Lubrificação / Intervalo (Km) Custos com Pneus: Custos com Manutenção: C Manul = Custo de Manutenção Total / Quilometragem Rodada Custos com Pedágio: C Ped = Custo de Pedágio / Quilometragem Rodada

46 CUSTOS DA FROTA MANUTENÇÃO Processo estratégico da Gestão de Transportes que visa melhorar o resultado econômico e o desempenho da frota.

47 CUSTOS DA FROTA PLANO DE MANUTENÇÃO Instrumento de gerenciamento da frota, seguindo os padrões preestabelecidos pelas montadoras, evitando maiores gastos com serviços por desgaste excessivo do equipamento.

48 CUSTOS DA FROTA TIPOS DE MANUTENÇÃO Preventiva Ação programada de manutenção, que resulta em economia de tempo e redução de gastos. O gerenciamento eficiente da frota busca realizar 85% de serviços com revisões preventivas. Corretiva Ação de reparo, devido às condições de uso e ambiente de tráfego. Resulta em custo mais alto para a administração.

49 CUSTOS DA FROTA PLANEJAMENTO, CONTROLE E TREINAMENTO PARA REDUÇÃO DE CUSTO

50

O CUSTEIO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO

O CUSTEIO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO O CUSTEIO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO Maurício Pimenta Lima Introdução O transporte de carga rodoviário no Brasil chama a atenção por faturar mais de R$ 40 bilhões e movimentar 2/3 do total de carga do país.

Leia mais

Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas

Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Gestão de Custos X Gastos; 3. Custo Direto, Indireto, Fixo e Variável; 4. Custo Marginal, Histórico, Orçado. 5. Etapas do Custeio;

Leia mais

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS AO QUARTO SEMESTRE!!! 2 Regras de ouro: Desligue o celular; Evitem ausentar-se da sala Evitem conversas paralelas (sem propósito com o assunto da aula); Dediquem-se

Leia mais

1. Conceitos básicos: Fornecer um maior Nível de Serviço. Ao menor custo logístico possível. Objetivo da Logística

1. Conceitos básicos: Fornecer um maior Nível de Serviço. Ao menor custo logístico possível. Objetivo da Logística CUSTOS LOGÍSTICOS O objetivo de apuração dos Custos Logísticos é o de estabelecer políticas que possibilitem às empresas, simultaneamente, uma redução nos custos e a melhoria do nível de serviço oferecido

Leia mais

Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS.

Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS. Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS. UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA GESTÃO LOGÍSTICA

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICO

GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICO GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICO CUSTOS LOGÍSTICOS O objetivo de apuração dos Custos Logísticos é o de estabelecer políticas que possibilitem às empresas, simultaneamente, uma redução nos custos e a melhoria

Leia mais

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte.

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. GERENCIAMENTO DO TRANSPORTE Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. Trade-off CUSTO x NÍVEL DE SERVIÇO FORMAÇÃO DO PREÇO FINAL Para elaboração de uma estratégia

Leia mais

TRANSPORTE DE MATERIAIS CAPÍTULO 10

TRANSPORTE DE MATERIAIS CAPÍTULO 10 TRANSPORTE DE MATERIAIS CAPÍTULO 10 Uma boa fatia dos custos de produção é atribuída ao transporte de materiais dentro da empresa, no abastecimento das linhas de produção, no armazenamento de matéria primas

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

Jorge Carrer Gerente Executivo Serviços e Ass. Técnica MAN Latin America. Serviços e Pós Vendas no auxílio à gestão e eficiência de frotas

Jorge Carrer Gerente Executivo Serviços e Ass. Técnica MAN Latin America. Serviços e Pós Vendas no auxílio à gestão e eficiência de frotas Jorge Carrer Gerente Executivo Serviços e Ass. Técnica MAN Latin America Serviços e Pós Vendas no auxílio à gestão e eficiência de frotas Importância do Custo Operacional TCO (Total Cost of Ownership)

Leia mais

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 05 FILIPE S. MARTINS

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 05 FILIPE S. MARTINS AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 05 FILIPE S. MARTINS AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA ROTEIRO TMS GESTÃO DE TRANSPORTES PRA QUE SERVE? NÍVEIS DE DECISÃO QUAL A UTILIDADE? BENEFÍCIOS MODELOS EXERCÍCIO GESTÃO DE TRANSPORTE

Leia mais

Distribuição e transporte

Distribuição e transporte Distribuição e transporte Gestão da distribuição Prof. Marco Arbex Introdução Toda produção visa a um ponto final, que é entregar os seus produtos ao consumidor; Se o produto não está disponível na prateleira,

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

Resolução nº, de 2015

Resolução nº, de 2015 Resolução nº, de 2015 Estabelece metodologia e publica parâmetros de referência para cálculo dos custos de frete do serviço de transporte rodoviário remunerado de cargas por conta de terceiros. O Diretor-Geral

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.810, DE 19 DE AGOSTO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 4.810, DE 19 DE AGOSTO DE 2015 Estabelece metodologia e publica parâmetros de referência para cálculo dos custos de frete do serviço de transporte rodoviário remunerado de cargas por conta de terceiros A Diretoria da Agência Nacional

Leia mais

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS AO QUINTO SEMESTRE!!! 2 Nossos encontros AULÃO 3 Materiais da aula www.admvital.com/aulas 4 Critérios AV I: Redação Critérios AV I: Redação Serão descontados pontos

Leia mais

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 Graduado em Administração pela UEFS Universidade Estadual de Feira de Santana, Pósgraduado em Gestão de Pessoas pela UNIFACS; Especializado em Gestão do Ensino Superior pela FGV,

Leia mais

Ensino Técnico. Plano de Trabalho Docente 2015. ETEC Paulino Botelho ( Extensão Esterina Placco ) Código: 091.01. Município: São Carlos

Ensino Técnico. Plano de Trabalho Docente 2015. ETEC Paulino Botelho ( Extensão Esterina Placco ) Código: 091.01. Município: São Carlos Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC Paulino Botelho ( Extensão Esterina Placco ) Ensino Técnico Código: 09101 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão de

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

RESULTADOS DA AUDIÊNCIA PÚBLICA SUROC - SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO E MULTIMODAL DE CARGAS

RESULTADOS DA AUDIÊNCIA PÚBLICA SUROC - SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO E MULTIMODAL DE CARGAS Metodologia de Cálculo Referencial de Custos de Fretes do Transporte Rodoviário Remunerado de Cargas RESULTADOS DA AUDIÊNCIA PÚBLICA SUROC - SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO E MULTIMODAL

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2552 Dispõe sobre o ressarcimento de diárias e transporte aos Senhores Funcionários, quando em viagem a serviço, reuniões, eventos e treinamentos dentro e fora do Estado, formalmente convocados

Leia mais

ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE. O diferencial que sua empresa busca para os negócios

ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE. O diferencial que sua empresa busca para os negócios ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE O diferencial que sua empresa busca para os negócios Índice APRESENTAÇÃO 03 CAPÍTULO 1 MOTIVOS DE SOBRA PARA TERCERIZAR SUA FROTA! 05 CAPÍTULO 2 POR QUE A TRANSMIT?

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICOS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UM ESTUDO SOBRE O CUSTO DE TRANSPORTE DE CARGAS.

GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICOS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UM ESTUDO SOBRE O CUSTO DE TRANSPORTE DE CARGAS. XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Função: Planejamento e Operação de Transportes

Função: Planejamento e Operação de Transportes MÓDULO III Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM LOGÍSTICA III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES Função: Planejamento e Operação de Transportes 1. Avaliar a infraestrutura dos sistemas de

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Transporte Rodoviário de Cargas. Panorama do Setor Eficiência Energética e Metodologia de Avaliação de Empresas

Transporte Rodoviário de Cargas. Panorama do Setor Eficiência Energética e Metodologia de Avaliação de Empresas Transporte Rodoviário de Cargas Panorama do Setor Eficiência Energética e Metodologia de Avaliação de Empresas Panorama do Segmento de Transporte Rodoviário de Carga Brasileiro Panorama TRC Infraestrutura

Leia mais

Identificação dos Custos Logísticos

Identificação dos Custos Logísticos Universidade Cruzeiro do Sul www.cruzeirodosul.edu.br Unidade - Identificação dos Custos Logísticos MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Prof. Esp. Washington Luís Reis Revisão Textual: Profa. Esp.

Leia mais

Custo do transporte de resíduos sólidos urbanos em cidade de pequeno porte.

Custo do transporte de resíduos sólidos urbanos em cidade de pequeno porte. Custo do transporte de resíduos sólidos urbanos em cidade de pequeno porte. Luzenira Alves Brasileiro Universidade Estadual Paulista UNESP Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira FEIS Departamento de

Leia mais

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Instituto de Engenharia de Produção e Gestão www.rslima.unifei.edu.br rslima@unifei.edu.br Conceituacão Sistema de Distribuição um para um

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect)

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect) Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Logística empresarial e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Conceitos avançados da Logística com foco na TI Disciplina: Tecnologia da Informação (TI) Aplicada à

Leia mais

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber:

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber: Distribuição Física Objetivo da aula: Apresentar e discutir o conceito e os componentes do sistema de distribuição física, dentro do processo logístico. O objetivo geral da distribuição física, como meta

Leia mais

Como Reduzir os Custos em Transportes

Como Reduzir os Custos em Transportes Como Reduzir os Custos em Transportes Marco Antonio Oliveira Neves Diretor da Tigerlog Consultoria e Treinamento em Logística Ltda marcoantonio@tigerlog.com.br www.tigerlog.com.br Setembro/2013 A difícil

Leia mais

4. Aspectos Metodológicos do Modelo Funcional. 5. Aspectos Metodológicos do Modelo de Remuneração

4. Aspectos Metodológicos do Modelo Funcional. 5. Aspectos Metodológicos do Modelo de Remuneração RA DA APRES ENTAÇ ÃO ES STRUTU 1. Embasamento Legal 2. Serviços a licitar 3. Premissas 4. Aspectos Metodológicos do Modelo Funcional 5. Aspectos Metodológicos do Modelo de Remuneração Embasamento Legal

Leia mais

Análise de terceirização de frota para empresa do ramo alimentício

Análise de terceirização de frota para empresa do ramo alimentício Análise de terceirização de frota para empresa do ramo alimentício Leonardo Maluta (POLI-USP) leonardo.maluta@poli.usp.br Enrico Barnaba Ferri (POLI-USP) enrico.ferri@poli.usp.br Hugo Yoshizaki (POLI-USP)

Leia mais

Formação de Custos no Transporte Rodoviário de Cargas

Formação de Custos no Transporte Rodoviário de Cargas Formação de Custos no Transporte Rodoviário de Cargas São Paulo, 01/12/2008 Neuto Gonçalves dos Reis Mestre em Engenharia de Transportes (EESC-USP) Pós-graduado em Administração de Empresas (FGV) Pós-graduado

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Qualificação: TÉCNICO EM LOGÍSTICA. Professora: FLÁVIA ANDRÉIA CANEDO DE LIMA

Plano de Trabalho Docente 2010. Qualificação: TÉCNICO EM LOGÍSTICA. Professora: FLÁVIA ANDRÉIA CANEDO DE LIMA Plano de Trabalho Docente 2010 ETEC RODRIGUES DE ABREU Ensino Técnico Código: 135 Município: BAURU/SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM LOGÍSTICA Qualificação: TÉCNICO

Leia mais

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar.

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. Serviços Scania Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS SCANIA Serviços Scania. Máxima disponibilidade do seu veículo para o melhor desempenho

Leia mais

Descrição dos registros e campos do sistema SoftNews-CTE

Descrição dos registros e campos do sistema SoftNews-CTE Descrição dos registros e campos do sistema SoftNews-CTE 100 - Registro de consulta cadastro do Contribuinte 02 UF do contribuinte 03 CNPJ ou CPF do contribuinte Se for pessoa física, deverá conter apenas

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTES

SISTEMAS DE TRANSPORTES ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS, PRODUÇÃO E LOGÍSTICA SISTEMAS DE TRANSPORTES TRANSPORTES Transportes, para a maioria das firmas, é a atividade logística mais importante, simplesmente porque ela absorve, em

Leia mais

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil Competência Sistemas para Transportadoras e Soluções Você e sua Empresa em perfeita sintonia Excelência Recursos Tms EXPERIÊNCIA O sistema é composto por módulos que controlam e integram os processos operacionais

Leia mais

Análise dos impactos operacionais e financeiros da lei 12.619/12 sob o custo de transporte - Estudo de caso aplicado ao mercado GLP

Análise dos impactos operacionais e financeiros da lei 12.619/12 sob o custo de transporte - Estudo de caso aplicado ao mercado GLP Análise dos impactos operacionais e financeiros da lei 12.619/12 sob o custo de transporte Estudo de caso aplicado ao mercado GLP Davidson de Almeida Santos, MSC. 1 Telmo Roberto Machry, MSC. 2 Resumo.

Leia mais

Fundamentos do Transporte

Fundamentos do Transporte Prof.: Deibson Agnel Livro: Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos/Logística Empresarial Autor: Ronald Ballou Cap. 06 1 A importância de um sistema de transporte eficaz A movimentação de cargas absorve

Leia mais

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1

www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1 www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1 Sumário Simples como tem que ser... 3 Acesso... 4 Mapas... 5 Rastreamento... 7 Panorâmica... 7 Cercas... 8 Criando cercas eletrônicas...

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos a serem adotados para a utilização dos meios de transporte na COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma, poderá ser necessário consultar:

Leia mais

A TECNOLOGIA NA MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS ADICIONADOS AO TRANSPORTE PELA NOVA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOS MOTORISTAS

A TECNOLOGIA NA MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS ADICIONADOS AO TRANSPORTE PELA NOVA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOS MOTORISTAS A TECNOLOGIA NA MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS ADICIONADOS AO TRANSPORTE PELA NOVA CARGA HORÁRIA DE TRABALHO DOS MOTORISTAS Wagner Fonseca NETZ Engenharia Automotiva Fundada em 1.996 por profissionais oriundos

Leia mais

MUNICÍPIO DE IJUÍ PODER EXECUTIVO

MUNICÍPIO DE IJUÍ PODER EXECUTIVO METODOLOGIA PLANILHA DE CUSTOS O presente documento tem por finalidade descrever a metodologia utilizada para o cálculo do preço do quilometro rodado das linhas de transporte escolar para o ano de 2.014,

Leia mais

Prof. Altair da Silva. Unidade III GERENCIAMENTO DE

Prof. Altair da Silva. Unidade III GERENCIAMENTO DE Prof. Altair da Silva Unidade III GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Transporte aéreo O transporte caracterizado por transporte através de aeronaves. Doméstico internamente; Internacional outros países; Início

Leia mais

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO INTEGRADA DA LOGISTICA SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI ANNA KAROLINE DINIZ CAMILA MOURA FAVARO FERNANDO DOS ANJOS REINALDO FRANCISCO TIAGO SOUZA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos )

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) DECOPE/NTC A planilha referencial de granéis sólidos foi elaborada pelo DECOPE/NTC&LOGÍSTICA sob supervisão

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec: Gino Rezaghi Código: 191 Município: Cajamar Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: TÉCNICO EM LOGÍSTICA Qualificação: TÉCNICO

Leia mais

6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos

6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos 6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos 6.1 Introdução Esse capítulo tem o objetivo de descrever todos os ganhos observados após a implantação do

Leia mais

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 MBA em Logística Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 Prof. MBA em Logística Prof. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 NOMENCLATURA DE CARGAS Classificação de Cargas Classes de Cargas Sub-Classes

Leia mais

Matriz para avaliação do sistema de Distribuição de produtos do setor de bebidas

Matriz para avaliação do sistema de Distribuição de produtos do setor de bebidas Matriz para avaliação do sistema de Distribuição de produtos do setor de bebidas Isabel Marcia Rodrigues (UTFPR) imarcia.r@hotmail.com João Carlos Colmenero (UTFPR) colmenero@utfpr.edu.br Luiz Alberto

Leia mais

Guia de Referência Técnico. Para o produto 4Transport versão 1.80

Guia de Referência Técnico. Para o produto 4Transport versão 1.80 Guia de Referência Técnico Para o produto 4Transport versão 1.80 Apresentação: o sistema Sofit 4Transport So,fit 4 transport Fit your business, fit your needs Com a expertise Sofit Software, empresa com

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu

Universidade São Judas Tadeu Universidade São Judas Tadeu Anna Karoline Diniz Fortaleza Camila Moura Favaro Fernando dos Anjos Reinaldo Francisco Carvalho Tiago Souza Tecnologia da Informação no Transporte São Paulo 2013 1 Tecnologia

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DO SETOR DE TRANSPORTES DE UMA EMPRESA PRODUTORA DE BENS DE CONSUMO

ANÁLISE ECONÔMICA DO SETOR DE TRANSPORTES DE UMA EMPRESA PRODUTORA DE BENS DE CONSUMO Verax consultoria VX00 090828 AnaliseEconomicaTransportes.docx Função: operações Segmento: logística / supply chain Tema: cadeia de suprimentos / análise de projetos Metodologia: administração ANÁLISE

Leia mais

Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga

Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga Comportamento dos Custos Resumo Lei 12.619 Produtividade no TRC Possíveis Impactos da Lei Sustentabilidade uma forma de aumentar os Lucros contribuindo

Leia mais

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho SOBRE A SOFTLOG A SoftLog Tecnologia é uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para empresas e instituições de diversos modais de transporte. Dentre os diversos tipos de soluções

Leia mais

Caracterização das ferramentas de gestão utilizadas por transportadores rodoviários de cargas da cidade de Chapecó/SC

Caracterização das ferramentas de gestão utilizadas por transportadores rodoviários de cargas da cidade de Chapecó/SC 1 Caracterização das ferramentas de gestão utilizadas por transportadores rodoviários de cargas da cidade de Chapecó/SC RESUMO Moacir Francisco Deimling Giuvani Paulo Carraro Universidade Comunitária Regional

Leia mais

Unidade III LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza

Unidade III LOGÍSTICA INTEGRADA. Profa. Marinalva R. Barboza Unidade III LOGÍSTICA INTEGRADA Profa. Marinalva R. Barboza Distribuição física e armazenagem Objetivo: Atender o cliente, dispondo do produto no lugar certo, no tempo certo e na quantidade desejada. Esta

Leia mais

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL

A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL A GAMA TECNOLOGIA E SEGURANÇA PATRIMONIAL, entendendo a necessidade do mercado em serviços relacionados a segurança e proteção do patrimônio, reúne as melhores tecnologias em soluções de segurança e geolocalização.

Leia mais

DiskKombi ESPECIALIZADA EM TERCEIRIZAÇÃO DE FROTA

DiskKombi ESPECIALIZADA EM TERCEIRIZAÇÃO DE FROTA 2 1 3 4 5 6 7 8 9 DiskKombi 0 ESPECIALIZADA EM TERCEIRIZAÇÃO DE FROTA A EMPRESA Pioneira efetiva na terceirização de frotas, iniciou suas operações a 25 anos, é precursora dos mais inovadores sistemas

Leia mais

Scania Serviços. Serviços Scania.

Scania Serviços. Serviços Scania. Serviços Scania Scania Serviços. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar Tudo bem do o que seu o Scania, você precisa em um para só lugar. cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS

Leia mais

MONITORAMENTO DE ENTREGAS E ROTEIRIZADOR DE FROTAS:

MONITORAMENTO DE ENTREGAS E ROTEIRIZADOR DE FROTAS: MONITORAMENTO DE ENTREGAS E ROTEIRIZADOR DE FROTAS: FERRAMENTAS FUNDAMENTAIS NA DISTRIBUIÇÃO 1 ÍNDICE Introdução... 1. Monitoramento de entregas... 1.1 Como a tecnologia pode ajudar a central de monitoramento

Leia mais

Distribuição Física. Introdução

Distribuição Física. Introdução Distribuição Física Introdução Canais de Distribuição Tipos de Mercados Operadores Logísticos Componentes do Sistema de Distribuição Física Configurações do Sistema de Distribuição Física Planejamento

Leia mais

E&L Controle de Frotas. Perguntas Frequentes

E&L Controle de Frotas. Perguntas Frequentes E&L Controle de Frotas Perguntas Frequentes 1. Quando ocorre a integração com o patrimônio e no cadastro de veículos na aba patrimônio o veículo não aparece, qual o procedimento a ser feito para que o

Leia mais

Professora Danielle Valente Duarte

Professora Danielle Valente Duarte Professora Danielle Valente Duarte TRANSPORTE significa o movimento do produto de um local a outro, partindo do início da cadeia de suprimentos chegando até o cliente Chopra e Meindl, 2006 O Transporte

Leia mais

CHALLENGE ARCHITECTS. Miguel Torres março 2015

CHALLENGE ARCHITECTS. Miguel Torres março 2015 CHALLENGE ARCHITECTS Miguel Torres março 2015 CENÁRIO PROPOSTO TRANSLESTE Cenário 7 Miguel Torres TOTVS ES Faturamento 120.000.000 Carga Fracionada 200 caminhões sendo 80 próprios e 120 terceiros Idade

Leia mais

Logística Agroindustrial alguns conceitos. Profa. Dra. Andréa Leda Ramos de Oliveira FEAGRI/UNICAMP andrea.oliveira@feagri.unicamp.

Logística Agroindustrial alguns conceitos. Profa. Dra. Andréa Leda Ramos de Oliveira FEAGRI/UNICAMP andrea.oliveira@feagri.unicamp. Logística Agroindustrial alguns conceitos Profa. Dra. Andréa Leda Ramos de Oliveira FEAGRI/UNICAMP andrea.oliveira@feagri.unicamp.br POR QUE LOGÍSTICA?? Produção O Agronegócio no Brasil 1º 1º 1º 2º 2º

Leia mais

PLATAFORMA LOGÍSTICA Instrumento Importante para maior eficiência logística dos Portos Brasileiros O Caso do Porto de Santos

PLATAFORMA LOGÍSTICA Instrumento Importante para maior eficiência logística dos Portos Brasileiros O Caso do Porto de Santos PLATAFORMA LOGÍSTICA Instrumento Importante para maior eficiência logística dos Portos Brasileiros O Caso do Porto de Santos José Newton Barbosa Gama Assessor Especial Dezembro de 2011 SUMÁRIO Problemática

Leia mais

205 Profissional de Nível Superior Jr. (Transporte)

205 Profissional de Nível Superior Jr. (Transporte) ITAIPU BINACIONAL Processo Seletivo Edital n 1001 Prova Objetiva e Discursiva 27/02/2011 Anos 205 Profissional de Nível Superior Jr. (Transporte) INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição,

Leia mais

Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1)

Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1) Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1) Rachel Fanti Coelho Lima O objetivo deste artigo é apresentar algumas práticas e decisões gerenciais que vêm sendo adotadas

Leia mais

Mantenha a frota em suas mãos.

Mantenha a frota em suas mãos. Mantenha a frota em suas mãos. SISTEMA DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA SOBRE A ASSISTE A ASSISTE tem sua sede em Piracicaba - SP e está presente em todo o Brasil e no Exterior, por meio de seus representantes

Leia mais

FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA

FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPECÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES CÁLCULO TARIFÁRIO SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA

Leia mais

Help RentaVision FRETE - NTC

Help RentaVision FRETE - NTC Help RentaVision FRETE - NTC Introdução O RentaVision foi desenvolvido com o intuito de ser uma ferramenta precisa para ser utilizada na montagem de Tabelas de Preços de transporte rodoviário de forma

Leia mais

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 SOBRE LOG-IN QUEM SOMOS? Quem Somos Números 96% 96% DE REDUÇÃO EM EMISSÕES DE CO 2 EM RELAÇÃO AO

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

Leia mais

Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais. Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz

Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais. Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz Em um cenário competitivo, o sucesso não é determinado apenas pela oferta

Leia mais

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055

REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 REGULAMENTO ACE ASSISTÊNCIA 24 HORAS VANS, MOTOS, CARROS, CAMINHÕES LIGUE PARA: 0800-601-4055 Somente quando estiver com documento do veículo em mãos, para fornecer ao atendente a placa e o chassi do veículo.

Leia mais

PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER

PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTOS PARA O TRANSPORTE DE CONTÊINER julho-11 Percurso de ida e volta Contêiner até 25 t Contêiner acima de 25 t até 30

Leia mais

5 Experiência de implantação do software de roteirização em diferentes mercados

5 Experiência de implantação do software de roteirização em diferentes mercados 5 Experiência de implantação do software de roteirização em diferentes mercados 5.1 Introdução Após apresentação feita sobre os processos para implantação de um software de roteirização de veículos da

Leia mais

Programas de Manutenção Scania.

Programas de Manutenção Scania. . Melhor performance, maior economia. SCAN1112_0857_Folheto_210x297mm.indd 1 A alta produtividade que somente um Scania pode apresentar é potencializada com os Programas de Manutenção Scania. Para oferecer

Leia mais

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza Prova 1 09 de Maio de 2013 Nome: 1ª QUESTÃO (1,0) Segundo os dados divulgados pela ood and Agriculture Organization (AO, 2011) sobre as exportações brasileiras, em

Leia mais

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo O artigo aborda relações entre logística, formação profissional e infra-estrutura do país. São debatidas questões sobre a evolução da logística no Brasil, a preparação educacional do profissional de logística

Leia mais

estratégias operações

estratégias operações MERCADO FERRAMENTA NECESSIDADE O que é LOGÍSTICA? estratégias Fator de Diferenciação Competitiva Fator de Tomada de Decisão operações Busca pela Excelência na Gestão O que buscamos? EXCELÊNCIA LOGÍSTICA

Leia mais

Uso de Softwares destinados ao planejamento das operações

Uso de Softwares destinados ao planejamento das operações Logística Florestal Uso de Softwares destinados ao planejamento das operações AGENDA Estrutura Integração Florestal e Logística Fluxo de Operações Otimizador Transporte - GAPSO LOOMA (Logística Otimizada

Leia mais

Unidade IV MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade IV MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro Unidade IV MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Introdução Nessa unidade vamos discutir: Conceitos de contêineres; Tipos de contêineres; Operações com contêineres; Custos de armazenagem; TI

Leia mais

PROPOSTAS PARA MELHORIAS NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS DE UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS: UM ESTUDO DE CASO

PROPOSTAS PARA MELHORIAS NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS DE UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS: UM ESTUDO DE CASO PROPOSTAS PARA MELHORIAS NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS DE UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS: UM ESTUDO DE CASO FABIANA SOUZA COSTA CUNHA (UFG ) fabisoucos@yahoo.com.br Marco Paulo Guimaraes (UFG ) mp-gui@uol.com.br

Leia mais

SOFTWARE PROFIT 2011.

SOFTWARE PROFIT 2011. apresenta o SOFTWARE PROFIT 2011. GESTÃO DE TRANSPORTES O software PROFIT já está implantado há mais de 3 anos na REQUIN TRANSPORTES, em Belo Horizonte, e mais recentemente na ASUS. É um programa direcionado

Leia mais

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 Ângelo Monteiro GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS CUSTO PREÇO. Custo: Quanto a organização irá gastar para produzir o produto/serviço

CUSTOS LOGÍSTICOS CUSTO PREÇO. Custo: Quanto a organização irá gastar para produzir o produto/serviço OBSERVAÇÃO IMPORTANTE CUSTOS LOGÍSTICOS Prof., Ph.D. CUSTO PREÇO : Quanto a organização irá gastar para produzir o produto/serviço Preço: Decisão de negócio - Quanto a empresa cobrará pelo serviço SÍNTESE

Leia mais

Software para Gestão de Frotas Economia e Controle total de seus veículos

Software para Gestão de Frotas Economia e Controle total de seus veículos Software para Gestão de Frotas Economia e Controle total de seus veículos A MobiView é originada do Grupo Original Brasil, fundado em 1990 e desde 2005 é especializada em desenvolvimento de softwares para

Leia mais

DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM.

DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM. DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM. Leonardo Silva Figueredo (UNAMA) leonardosfigueredo@hotmail.com

Leia mais

Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresas DIAGNÓSTICO E OPORTUNIDADES PARA O SISTEMA DE TRANSPORTE DA EMPRESA SOLO FÉRTIL

Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresas DIAGNÓSTICO E OPORTUNIDADES PARA O SISTEMA DE TRANSPORTE DA EMPRESA SOLO FÉRTIL Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresas DIAGNÓSTICO E OPORTUNIDADES PARA O SISTEMA DE TRANSPORTE DA EMPRESA SOLO FÉRTIL DIAGNOSIS AND OPPORTUNITIES TO THE TRANSPORTATION SYSTEM IN SOLO

Leia mais