MANAGEMENT INFORMATION SYSTEMS APPLIED TO LOGISTICS. MANAGEMENT APPROACH

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANAGEMENT INFORMATION SYSTEMS APPLIED TO LOGISTICS. MANAGEMENT APPROACH"

Transcrição

1 MANAGEMENT INFORMATION SYSTEMS APPLIED TO LOGISTICS. MANAGEMENT APPROACH Naiara Simone Valadão Silva (Faculdade Flamingo, São Paulo, Brasil) - Pamela Ferreira Alves Andrelo (Faculdade Flamingo, São Paulo, Brasil) - Alessandro Marco Rosini (Faculdade Flamingo, São Paulo, Brasil) - The basic premises of logistics we know today are practiced since prehistoric times, but only after the integration of these principles with information systems was noted the importance of logistics as it is for business strategy. In search of improving their management methods, most companies make use of information technology, for amid fierce market competitiveness, add value to their processes to give it a competitive edge. The market is being redefined in new management with the support of information technology. Operational strategies, marketing, distribution, finance and rely heavily sometimes almost entirely of management information systems, providing information technology be an integral part of day-to-day business and not just a cost. Through qualitative research, this paper aims to present the methodologies for managing Information Technology (IT) currently used by most companies and their applicability specifically on logistics. Keywords: Governance, Information Technology, Management, Logistics. SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS APLICADOS À LOGÍSTICA. UMA ABORDAGEM GERENCIAL As premissas básicas da logística que conhecemos atualmente são praticadas desde a préhistória, porém, somente após a integração destes princípios com os sistemas de informação notou-se a importancia da logistica tal como ela é para a estratégia empresarial. Em busca do aperfeiçoamento de seus métodos de gestão, grande parte das empresas fazem uso da tecnologia da informação, para em meio a competitividade acirrada do mercado, agregar valor aos seus processos obtendo com isto um diferencial competitivo. O mercado está sendo redefinido em novos modelos de gestão com o apoio da tecnologia da informação. As estratégias operacionais, marketing, distribuição, finanças dependem muito e as vezes quase que totalmente dos sistemas de informações gerenciais, concedendo a tecnologia da informação ser parte integrante do dia-a-dia das empresas e não apenas um custo. Por meio de pesquisa qualitativa, este artigo tem por objetivo apresentar as metodologias de gestão da Tecnologia da Informação (TI) mais utilizadas atualmente pelas empresas e sua aplicabilidade especificamente na logística. Palavras- Chave: Tecnologia da Informação, Gestão, Logística

2 INTRODUÇÃO Anteriormente a atividade logística estava diretamente ligada à análise isolada de processos como: aquisição, distribuição, movimentação, armazenagem e transporte. Posteriormente verificou-se a importância da integração destes elementos a outros elementos dentro da organização tão importantes quanto os já citados, como por exemplo, o marketing. Fazer com que o produto esteja no lugar certo e ao menor custo possível deixou de ser o foco principal dentro da análise real dos processos. É necessário que haja uma troca e contribuição de valores entre o fornecedor e seu cliente e que isto possa se tornar um diferencial competitivo. Segundo Ballou (2001, p. 25) produtos e serviços não têm valor a menos que estejam sob a posse do cliente quando (tempo) e onde (lugar) eles desejam consumi-los (grifo nosso). Então verificamos que neste cenário de globalização a informação é o elemento capaz de mover e nortear todos os processos do negócio, afinal, sistemas de informação nada mais são que um conjunto organizado de pessoas, hardware, software, redes e dados. A partir de informações precisas e atualizadas necessariamente em tempo real decisões podem ser tomadas de forma a otimizar tempo e recursos. A informação está em todos os lugares, na televisão, internet, radio, enfim, em todos os meios de comunicação. O grande desafio é saber utilizá-la de uma forma inteligente e organizada. Os sistemas estão a cada dia que, mais modernos e estão se tornando estratégicos dentro das empresas. Trabalhar essas tais informações em tempo real, é crucial para ajudar grandes empresários a estruturar suas decisões. Esse trabalho visa abordar o tema de uma forma bem simples e dinâmica para mais fácil aprendizado. Abordaremos sobre a fundamentação teórica dos Sistemas de Informação de modo geral, aprofundando nos Sistemas de Informação Gerenciais focados, obviamente, na utilização na cadeia logística. METODOLOGIA DE ESTUDO Este trabalho trata de uma pesquisa qualitativa, baseada em entrevistas realizadas com administradores e gestores da área de gestores em empresas nacionais, e que busca extrair e obter maiores conhecimentos na prática sobre os sistemas de informações gerenciais (SIG) nas organizações, abrangendo a melhor forma de utilizar essa ferramenta no ambiente logístico. Como proposta de auxílio e apoio, realizamos uma pesquisa bibliográfica acerca de títulos e obras que propõem um entendimento maior e mais adequado à realização desse estudo. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA De acordo com O Brien (2004), sistemas de informação é um conjunto organizado de pessoas, hardware, software, redes de comunicações e recursos de dados que coleta, transforma e dissemina informações em uma organização. Os sistemas de informação (SI) também podem ser definidos de outras formas, desde que seguindo o princípio onde existe uma entrada de dados, um processamento de informações e uma saída de dados. Essa saída deve ser produto de uma transformação do elemento de entrada

3 Os sistemas de informação podem ser classificados como (1) sistemas transacionais: que apoiam o nível organizacional operacional. Dentro desses sistemas temos as automatizações de atividades normalmente feitas no dia-a-dia da empresa. Normalmente esses são os sistemas considerados como o coração da empresa por executarem tarefas rotineiras; (2) sistemas gerenciais: que apoia a gerencia da empresa - esse é o foco principal da pesquisa e será explicado com mais ênfase na discussão seguinte; (3) sistemas executivos: esse sistema auxilia o nível superior da empresa. Todos os sistemas nesse nível se limitam a mostrar dados sintéticos de sistemas do nível tático. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS A evolução natural da informatização das organizações, após a implantação dos Sistemas de Informações Transacionais, é o desenvolvimento de sistemas que forneçam informações integradas e sumarizadas. Segundo Corrêa, Gianesi e Caon (1997). Essas informações têm capacidade de prover material para análise, planejamento e suporte à decisão e possibilitam a gerentes de médio escalão visualizar o desempenho de seu departamento e mesmo da organização como um todo. Esses sistemas que suprem com informações a média gerência são geralmente chamados de sistemas de informação gerencial (SIG). Esses sistemas aparecem quando a organização já está com seus sistemas do nível operacional em atividade e produzindo dados. Esses dados são tratados para que seja gerada uma informação útil aos gestores do nível tático da empresa. Para Oliveira (2007) um bom exemplo de SIG pode ser encontrado em um sistema que analisa as receitas e as despesas de uma organização e possibilita que gerentes as relacionem e comparem com o que foi planejado no orçamento. As principais funções e características desses sistemas são: Integrar dados de diversas aplicações e transformá-los em informação; Fornecer informações para o planejamento operacional, tático e até mesmo estratégico da organização; Suprir gerentes com informações para que estes possam comparar o desempenho atual da organização com o que foi planejado; Produzir relatórios que auxiliem os gerentes a tomar decisões. A grande maioria das informações produzidas por um SIG, quer seja para análise de tendências, quer seja para planejamento ou revisão, auxilia os gerentes no processo de tomada de decisão. Isso significa que um SIG pode ter funções específicas que façam parte de ambientes de apoio à decisão. A IMPORTÂNCIA DO SIG NAS ORGANIZAÇÕES Para Bazzotti e Garcia (p ). O SIG, não possibilita somente a informação e o suporte para a efetiva tomada de decisão, mas também respostas às operações diárias, agregando, assim, valores aos processos da organização. Geralmente, há dificuldades para avaliar de forma quantitativa, qual o efetivo benefício de um sistema de informações gerenciais, ou seja, a melhoria no processo decisório. Existem, então, diversos pontos que levam a organização à aquisição ou implantação de um SIG, não somente pela gerência mais eficaz de uma área funcional ou parte da empresa, mas sim pelo fato de que o SIG aperfeiçoa diversos processos dentro da organização

4 As vantagens no ambiente interno das organizações Segundo Rezende (2002) para que a empresa possa usufruir as vantagens básicas do sistema de informações gerenciais, é necessário que alguns aspectos sejam observados. Eis alguns aspectos para que o sistema de informações gerenciais tenha sucesso: a) O envolvimento adequado do nível tático organizacional com o SIG. Isto porque se o envolvimento não for adequado, pode provocar situação de descrédito para o sistema. O gerente deve lembrar-se de que o SIG é um instrumento básico para o processo decisório e este direciona para resultados. Esta situação considera tanto o nível tático como qualquer outro cargo de gerência do nível operacional. b) A competitividade por parte das pessoas envolvidas no SIG. Isto porque, antes de ser um sistema com um conjunto de relatórios, exige uma competência intrínseca às pessoas que irão utilizá-lo; caso contrário, poderá até gerar problemas, pois essas pessoas podem começar a ter dificuldades de apresentar resultados. c) O uso de um plano-mestre. O SIG deve ter um plano-mestre, que deverá ser implementado, adaptado e operacionalizado pelas várias unidades organizacionais da empresa, de acordo com as necessidades de informações, tendo em vista as ações e os resultados desejados. d) A atenção específica ao fator humano da empresa. Este aspecto pode ser apresentado, principalmente, na participação efetiva e com a responsabilidade dos vários funcionários da empresa envolvida no processo. e) A habilidade dos executivos da empresa em identificar as necessidades de informações. Se isto não ocorrer, o SIG pode já nascer morto, pois ele não será alimentado como sistema. f) A habilidade dos executivos da empresa para tomarem decisões com base em informações. Este aspecto é o centro nervoso do SIG. g) O Apoio global dos vários planejamentos da empresa. O fato de o planejamento estratégico considerar a empresa como um todo e perante o seu ambiente faz dele o principal instrumento de estabelecimento de resultados esperados, bem como das informações necessárias. Mas os planejamentos táticos, bem como os planejamentos operacionais, proporcionam os detalhes dos sistemas de informações gerenciais da empresa. h) O apoio organizacional de adequada estrutura organizacional e das normas e dos procedimentos inerentes aos sistemas. Neste caso, a estrutura organizacional aparece como um instrumento administrativo do SIG, o qual deverá ser racionalizado por meio de normas e procedimentos. i) O apoio catalisador de um sistema de controladoria (contabilidade, custos e orçamento). O sistema de controladoria aparece, neste contexto, como um instrumento catalisador e de consolidação do SIG da empresa. j) O conhecimento e a confiança no sistema de informações gerenciais. Isto pode ser conseguido por meio do planejado e estruturado treinamento dos vários usuários e administradores dos sistemas considerados. k) A existência de dados ou informações relevantes e atualizados. Se o SIG não for atualizado periodicamente, você poderá ficar numa situação de descrédito perante os seus usuários. l) A adequada relação custo X benefício. O SIG deve apresentar uma situação de custo baixo dos benefícios que proporciona à empresa. Verifica-se que estes aspectos podem proporcionar adequada sustentação de desenvolvimento e implementação do SIG

5 na empresa. E, por consequência, as potenciais vantagens de um adequado SIG poderão ser mais bem usufruídas pelos executivos da empresa. DA LOGÍSTICA PRIMÁRIA À LOGÍSTICA EMPRESARIAL Funções logisticas são praticadas desde o tempo das cavernas quando os nomades em busca de alimentos e proteção se deslocavam de um local para o outro. No entanto somente durante a guerra a logística passou a ser utilizada de forma sistemica por militares que administravam o transporte das tropas, armamentos, carros de guerra e suprimentos. Estes militares chamados em alguns países de Logistika planejavam todos os deslocamentos através de rotas que eram escolhidas de forma que não faltasse água durante o percurso. A idéia de logistica como conceito foi cultivada inicialmente nas escolas militares e no entanto somente após a guerra, quando seus conceitos já estavam mais que definidos e sim realmente implantados as empresas e organizações passaram a adota-los. Segundo Ballou (2001), a logística empresarial visa através do planejamento, organização e controle efetivo das atividades de movimentação e armazenagem de mercadorias obter rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes. A LOGÍSTICA INTEGRADA Anteriormente a logística era estudada de forma fracionada, ou seja, seu conceito era individualizado e o estudo dos sistemas de transporte, estoque e armazenagem era desenvolvido separadamente. Longe deste conceito, nos dias atuais, o conceito de logística integrada é o que predomina. Segundo Gomes e Ribeiro (2004, p. 06), o sistema de logística integrada é o relacionamento entre fornecedor, suprimentos, produção, distribuição e cliente, havendo um fluxo de materiais e outro de informações. Para Bowersox e Closs (2007, p. 43), a logística integrada vincula a empresa a seus clientes e fornecedores, sendo que durante este processo acontecem duas ações interrelacionadas o fluxo de materiais e o fluxo de informações. A logística integrada começou nos Estados Unidos da América na década de 1950, quando uma companhia de navegação aérea implantou um processo para uma empresa da indústria farmacêutica onde a adoção do frete aéreo reduziria os tempos de suprimento, os estoques as perdas e os danos aos materiais (HASEGAWA, 1997 apud GOMES E RIBEIRO, 2004, p. 7). A integração das funções marketing, produção e transportes estão interligadas a necessidade de estreitar o relacionamento entre clientes e fornecedores. Diante deste novo cenário, surgiu o fornecimento em cadeia, que agiliza e otimiza o processo e desta forma agrega valor e não custo ao produto, estabelecendo o fim dos grandes estoques e um fluxo mais eficiente. De acordo com Bowersox e Closs (2007, p. 44), a urgência de integrar necessidades e operações ocorre em todas as empresas, assim como em organizações do setor público. No conceito de logística integrada, logística e distribuição, assim como, a administração de todos os assuntos relacionados com o transporte, colocação do produto no mercado, as transações entre fornecedores e clientes e o fluxo de informações passam a ser uma única atividade. Sistemas integrados de gestão (ERP), sistemas do tipo data warehouse e sistemas de gerenciamento de frota que além de agilizar as atividades, integram e modernizam as operações (NOVAES, 2001, p. 56)

6 SISTEMAS LOGÍSTICOS DE INFORMAÇÃO Quando analisamos o cenário logístico encontramos a tecnologia da informação envolvida em todos as pilastras que sustentam a estrutura operacional. Abordaremos a seguir alguns dos principais sistemas utilizados. Para Arnold (1999), para que uma empresa possa conseguir sucesso ela deve projetar sistemas eficazes e eficientes na produção, administrar melhor a força de trabalho e o capital dos materiais através do planejamento e assim encontrar a maneira mais produtiva de atender a demanda do mercado e suas prioridades corretas, ou seja, o que e quando é necessário. Resposta de eficiência ao consumidor (ECR) O conceito de resposta eficiente ao consumidor ECR foi inicialmente introduzido na década de 90 pela indústria alimentícia americana que buscava uma forma de reduzir o tempo e os custos envolvidos nos processos logísticos e, consequentemente, aumentar o valor agregado para o consumidor. A ECR evoluiu de um relacionamento entre duas grandes organizações a Procter & Gamble e a Wall-Mart denominado como quick-response (resposta rápida). A introdução desta filosofia traz melhorias significativas na relação entre o comércio/varejo e a manufatura. Bertaglia (2003) afirma que essas melhorias podem ser obtidas de diversas maneiras como: a) Obter informações do consumidor para realizar o lançamento de novos produtos; b) Compartilhar informações do ponto de venda e assim efetuar estimativas da demanda; c) Colocar no mercado produtos que tenham variedade consistente em relação a demanda do consumidor; d) Realizar promoções viáveis tendo em vista a redução dos custos; e) Utilizar indicadores de desempenho para aferir a eficiência dos processos. Segundo Moura et al (2003) para atingir aos ganhos propostos por esta filosofia é crucial que a organização esteja norteada por quatro princípios, sendo: Sortimento eficiente: ter exposta na gôndola da loja produtos vendáveis, otimizando assim o espaço e reduzindo o estoque; Reabastecimento contínuo: minimizar custos relacionados ao sistema de reposição; Promoção eficiente: aumentar o nível de eficiência de todo o sistema de promoção, tanto para o varejo quanto para o consumidor; Introdução eficiente de produto: aumentar a eficácia do desenvolvimento e da introdução de novos produtos. A resposta eficiente ao consumidor possui dois processos principais: a gestão da demanda e a gestão do abastecimento. A gestão da demanda está focada na otimização do sortimento, na introdução de novos produtos, nas promoções e na criação de valor para o consumidor. Por outro lado a gestão do abastecimento enfatiza dois importantes aspectos: A eficiência de todo o sistema buscando através da redução de barreiras organizacionais a melhoria da eficiência global;

7 O modelo no qual a demanda puxa a cadeia, ou seja, puxando os produtos ao invés de empurrar como era utilizado no modelo tradicional. Gestão do estoque no fornecedor (VMI) O modelo de processo com estoque gerenciado pelo fornecedor VMI foi implementado pelo Wall-Mart nos Estados Unidos no princípio da década de 90. Segundo Pires (2004, p. 171), o VMI é uma prática onde o fornecedor tem a responsabilidade de gerenciar o seu estoque no cliente, incluindo o processo de reposição. A forma de operação de um sistema de VMI é extremamente simples e as vantagens obtidas com a implantação deste sistema, além da redução dos custos, chegam a ser incalculáveis. O sistema possui diversas características de utilização, no entanto, a mais usual é aquela em que o sistema recebe do cliente através de meio eletrônico todos os dados de atividades do produto, utilizando um modelo de previsão com fatores predefinidos o sistema é capaz de gerar uma previsão da demanda. Os benefícios tanto para o fornecedor quanto para o cliente são numerosos. Contudo Bertaglia (2003) destaca alguns benefícios mútuos: Planejamento de recursos empresariais (ERP) O planejamento de recursos empresariais - ERP é um sistema de gestão integrada que funciona dentro de uma plataforma de tecnologia da informação, contendo poderosas ferramentas de análise, programação e controle (GONÇALVES, 2004). O principal objetivo do ERP é fornecer controle e suporte de forma integrada para os processos operacionais. A implantação desta ferramenta otimiza a produção e a distribuição, já que, é possível simular inúmeros cenários de negócios e assim identificar novas oportunidades. Por meio da aplicação integrada grandes organizações podem obter vantagem competitiva na gestão de processos críticos do negócio. Essas aplicações integram diferentes processos como produção, distribuição, compras, manutenção e assim permitem às empresas uma maior velocidade na resposta às expectativas do cliente e do mercado. Um típico sistema de ERP possui diversos módulos que são integrados entre si e cobrem diferentes funções da empresa. Esses módulos podem ser instalados separadamente ou combinados com outros. De acordo com Gonçalves (2004, p ) os módulos básicos deste sistema são: 1) Finanças: rastreia as informações financeiras das diversas áreas da empresa. 2) Logística: possui submódulos que desenvolvem funções como transporte, gerenciamento de estoque e gerenciamento de centros de distribuição. 3) Manufatura: rastreia ao longo dos processos o fluxo dos produtos, coordenando o que, quando e com que fazer. 4) Acompanhamento das ordens: monitora o ciclo de ordens e assim cria um panorama sobre o progresso da empresa. 5) Recursos humanos: manipula toda a gama de atividades relacionada a este setor como, por exemplo, a programação da mão-de-obra. 6) Gerenciamento de suprimentos: monitora o desempenho dos fornecedores e aponta em tempo real as liberações dos produtos por parte dos mesmos. Os benefícios obtidos com a implantação de um sistema como este são inúmeros. Bertaglia (2003, p ) cita apenas alguns deles como sendo: integração e padronização

8 de processos, acesso a informação, eliminação de redundâncias, redução de tempo nas operações, aumento da eficiência. Sistemas de gestão de transporte (TMS) Os Sistemas de Gerenciamento de Transporte são uma categoria de produto que vem aumentando a qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição, denominados TMS, a sigla significa Transport Management Systems. Segundo Rodrigues (2006, p. 17), transporte [...] é o deslocamento de pessoas e pesos de um local para outro. A gestão de frota está diretamente ligada a gestão das operações, consolidação de cargas, negociação de tarifas, controle de cargas, auditoria e reclamações e integração logística. O gerenciamento das operações de transporte envolve uma gama atividades administrativas. Em busca de estratégias de integração da informação, as empresas têm adotado sistemas de gestão de transportes TMS, sob uma perspectiva operacional, onde os elementos-chave são a programação dos equipamentos, o planejamento dos carregamentos, a definição das rotas e o controle dos transportadores (BOWERSOX et al, 2006, p. 304). As funcionalidades das soluções TMS são inúmeras e podem ser desenvolvidas em função das necessidades específicas de cada negócio. Algumas delas são: gestão de frotas, gestão de fretes, roteirizadores, programação de cargas, controle de tráfego e rastreamento, atendimento ao cliente, entre outros. Armazéns e sistemas de controle (WMS) Apesar dos altos custos envolvidos nas atividades de armazenagem, os armazéns continuam e continuarão a existir por muito tempo. As empresas devem analisar estes custos de forma ampla, principalmente no que se refere ao uso do espaço. Não deve deixar de considerar situações ligadas a ação do tempo e de ladrões, além de prover um acesso adequado ao material estocado e a flexibilidade necessária para lidar do menor ao maior item (MARTINS e ALT, 2000, p. 315). A existência de um sistema de informação que conecte o armazém a gerencia, permite que os produtos sejam colocados no local e na ordem conhecida, possibilitando sua retirada de forma rápida e na quantidade necessária. Para o desenvolvimento de procedimentos operacionais padronizados, assim como, para estimular a melhoria de práticas nos armazéns, muitas empresas implementam sistemas de gestão da armazenagem WMS. O WMS (Warehouse Management Systems) é um sistema de gestão por software que através do eficiente gerenciamento de informação melhora as operações do armazém e conclui tarefas com um elevado nível de controle e veracidade do inventário. As informações gerenciadas são provenientes de fabricantes, transportadoras, sistema de informações de negócios, clientes e fornecedores. Ao receber estas informações o WMS as utiliza para inspecionar, estocar, separar, embalar e expedir mercadorias da forma mais eficiente, o que só é possível devido ao planejamento e roteirização das tarefas e processos do armazém. Bowersox et al (2006, p. 332) relatam que em um armazém mecanizado 65% do pessoal são aproveitados em alguma parte da separação de pedidos. Esta colocação

9 demonstra como é possível reduzir custos e aproveitar melhor a mão de obra através do planejamento adequado da operação. O SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO BRASIL ENTRE O PERÍODO No Brasil, desde o ano de 2003, no governo é crescente a visão de que as TICs são importante instrumento para promover os desenvolvimentos econômico, social e cultural. Já no final do ano de 2004, o governo federal divulgou o documento: Objetivos de desenvolvimento do milênio: relatório nacional de acompanhamento, em que a questão da inclusão digital foi tratada como uma das prioridades para o País, uma vez que esta ampliaria as possibilidades de inclusão social devido ao maior acesso à informação e ao conhecimento. O setor de Tecnologia da Informação e Comunicação brasileiro era formado, no ano de 2006, por empresas que ocupavam pessoas, sendo que, entre 2003 e 2006, registrou-se um aumento de 18,3% no número de empresas e de 40,7% no de pessoas ocupadas. O faturamento líquido atingiu, em 2006, R$ 205,9 bilhões e o somatório do valor adicionado com o valor da transformação industrial, R$ 82,1 bilhões, o que mostra crescimento de 47,4% e 38,1%, respectivamente, entre 2003 e (IBGE, 2012) CONSIDERAÇÕES FINAIS Quando falamos sobre sistemas, normalmente, percebemos que a informação está cada dia mais valorizada. No caso dos sistemas de informação gerenciais essa afirmação é incontestavelmente verdadeira, pois este auxilia e dá suporte à gestão no processo de cumprimento das metas e objetivos traçados pela empresa. Segundo pesquisa realizada com a área de logística da empresa, a grande dificuldade na implantação dos sistemas logísticos são os custos e a ambientação por parte dos funcionários, porém os ganhos oferecidos por estes sistemas são inigualáveis. Atualmente com o apoio dos SIGs citados neste estudo, assim como outros, as operações logísticas podem funcionar dentro das organizações de forma integrada, unindo todas as etapas da cadeia. Aquisição, armazenagem, movimentação, distribuição e transporte agora podem ser cordenados de tal forma que cada etapa é minuciosamente programada, evitando gargalos e custos desnessário a operação. A utilização das tecnologias de informação, permite a muitas empresas prestadoras de serviço deste setor de atividade modificar o seu perfil competitivo; alterando sensivelmente o relacionamento entre empresas, as formas de negociação com os fornecedores e as modalidades internas de organizar e tratar os fluxos de informação. Desta forma, vale ressaltar, que é irrefutável a busca pelo aprimoramento das atividades, dos procedimentos, dos sistemas, dos hardwares, dos softwares, e de tantas outras ferramentas e afins. Quando respeitada a importância estratégica da empresa o impacto causado pela TI sobre a organização é refletido na contribuição, amparo e obtenção de resultados. REFERÊNCIAS ARNOLD, J. R. T. Administração de Materiais: uma abordagem logística / J. R.Tony Arnold, tradução Celso Rimoli e Lenita R. Esteves - São Paulo: Atlas,

10 BALLOU, R. H. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos: planejamento, organização e logística empresarial / Ronald H. Ballou; tradução Elias Pereira. 4ªed São Paulo: Bookman, BAZZOTI, Cristiane & GARCIA, Elias: A importância do sistema de informação gerencial para tomada de decisões. p Paraná: BERTAGLIA, P. R. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento - São Paulo: Saraiva, BOWERSOX, D. J., CLOSS, D. J e COOPER, M. B. Gestão Logística de Cadeias de Suprimentos Donald J. Bowersox, David J. Closs, tradução Camila Teixeira Nakagawa, Gabriela Teixeira Nakagawa Porto Alegre: Bookman, BOWERSOX, D. J., CLOSS, D. J. Logística Empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos Donald J. Bowersox, David J. Closs, tradução Equipe do Centro de Estudos em Logística e Adalberto Ferreira das Neves 1. ed. 5. reimpr. - São Paulo: Atlas, CORRÊA, H. L, GIANESI, I. G. e CAON, M. Planejamento, programação e controle da produção: MRPII, ERP: conceitos, uso e implantação. São Paulo: Atlas, GOMES, C. F. S., RIBEIRO, P. C. C. Gestão da Cadeia de Suprimentos Integrada à Tecnologia da Informação - São Paulo: Pioneira Thomson Learning, GONÇALVES, P. S. Administração de Materiais São Paulo: Campus, IBGE O Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação no Brasil p Acessado em 05/12/2012. MARTINS, P. G., ALT, P. R. C. Administração de Materiais E Recursos Patrimoniais - São Paulo:Saraiva, MOURA, R. A., REZENDE, A. C. e GASNIER, D. G. Atualidades na logística: volume 2. São Paulo: IMAM, NOVAES, A. G. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição Rio de Janeiro: Campus, O BRIEN, James. Sistemas de Informação e as Decisões Gerencias na Era da Internet. São Paulo: Saraiva, 2ª edição, 2004 OLIVEIRA, D. P. R. Sistemas, organização e métodos: uma abordagem gerencial. São Paulo: Atlas, PIRES, S. R. I. Gestão da Cadeia de Suprimentos - Supply Chain Management: conceitos, estratégias, práticas e casos - São Paulo: Atlas, REZENDE, D. A. C., DE ABREU, A. F. Tecnologia da informação: aplicada a sistemas de informação empresariais. São Paulo: Atlas, RODRIGUES, P. R. A. Introdução aos sistemas de transporte no Brasil e à logística internacional. São Paulo: Aduaneiras,

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu

Universidade São Judas Tadeu Universidade São Judas Tadeu Anna Karoline Diniz Fortaleza Camila Moura Favaro Fernando dos Anjos Reinaldo Francisco Carvalho Tiago Souza Tecnologia da Informação no Transporte São Paulo 2013 1 Tecnologia

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Marcus Fontes

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Marcus Fontes FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Marcus Fontes AULA PASSADA: GESTÃO DE COMPRAS: PROCESSOS DE FORNECIMENTO UMA REVISÃO

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009

LOGÍSTICA EMPRESARIAL. Rodolfo Cola Santolin 2009 LOGÍSTICA EMPRESARIAL Rodolfo Cola Santolin 2009 Conteúdo Cadeia de suprimentos Custos Logísticos Administração de Compras e Suprimentos Logística Reversa CADEIA DE SUPRIMENTOS Logística Logística Fornecedor

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Gildo Neves Baptista jr

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Gildo Neves Baptista jr FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais ACI Atividade Curricular Interdisciplinar Prof. Gildo Neves Baptista jr AULA PASSADA: GESTÃO DE COMPRAS: PROCESSOS DE FORNECIMENTO UMA

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções.

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções. Revisão 1 Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento Coletar informação; e Identificar as direções. Precisa; Clara; Econômica; Flexível; Confiável; Dirigida; Simples; Rápida;

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes ARMAZENAGEM E T.I. Pós-Graduação em Gestão Integrada da Logística Turma: GIL131M - 2013 Universidade São Judas Tadeu Prof.: Ms. Maurício Pimentel Disciplina: Tecnologia da Informação Aplicada a Logística

Leia mais

Sistemas de Informação: tipos e características

Sistemas de Informação: tipos e características Sistemas de Informação: tipos e características Tipos de sistemas de informação. Os quatro tipos principais de sistemas de informação. Sistemas do ponto de vista de pessoal Sistemas de processamento de

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

Classificações dos SIs

Classificações dos SIs Classificações dos SIs Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Classificações dos SIs Classificações dos sistemas de informação Diversos tipo de classificações Por amplitude de suporte Por

Leia mais

Introdução e Planejamento Cap. 1

Introdução e Planejamento Cap. 1 BALLOU, Ronald H. Gerenciamenrto da Cadeia de Suprimentos / Logística Empresarial. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman. 2006 Introdução e Planejamento Cap. 1 Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@fae.br L

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Tipos de Sistemas de Informação

Tipos de Sistemas de Informação Tipos de Sistemas de Informação Parte 2 Aula 5 Fundamentos de SI Prof. Walteno Martins Parreira Jr Classificação dos sistemas de informação? Cada sistema de informação é específico para desempenhar uma

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Otimismo desenvolvedoras de softwares

Otimismo desenvolvedoras de softwares Otimismo nas nuvens Ambiente favorável alavanca negócios das empresas desenvolvedoras de softwares, que investem em soluções criativas de mobilidade e computação em nuvem para agilizar e agregar flexibilidade

Leia mais

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PRESIDENTE

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

LOGÍSTICA 1. Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO

LOGÍSTICA 1. Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO 1 LOGÍSTICA 1 Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO Versa o presente artigo sobre logística e suas aplicabilidades no mundo moderno. A logística foi criada para suprir necessidades durante a Segunda

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes.

a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. EMPRESA CRIADA EM 2007, a WZ é uma empresa de consultoria em logística que surgiu para melhorar e oferecer soluções simples e inteligentes. Além de fazer um diagnóstico e sugerir recomendações, a WZ acredita

Leia mais

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores

SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores SCM Supply Chain Management Desafio na Integração de clientes e fornecedores OBJETIVOS Principais desafios de Supply Chain enfrentados pelas indústrias Premissas para criação de valor na comunicação interempresas

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

APRESENTAÇÃO. www.maissolucoeslogisticas.com.br

APRESENTAÇÃO. www.maissolucoeslogisticas.com.br APRESENTAÇÃO www.maissolucoeslogisticas.com.br Acreditamos que as pequenas e médias empresas de transporte, armazenagem, operadores logísticos e empresas de e-commerce podem ter processos eficientes, uma

Leia mais

Introdução e Planejamento Cap. 1. Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br

Introdução e Planejamento Cap. 1. Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br BALLOU, Ronald H. Gerenciamenrto da Cadeia de Suprimentos / Logística Empresarial. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman. 2006 Introdução e Planejamento Cap. 1 Prof. Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO INTEGRADA DA LOGISTICA SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI ANNA KAROLINE DINIZ CAMILA MOURA FAVARO FERNANDO DOS ANJOS REINALDO FRANCISCO TIAGO SOUZA

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Princípios da Teoria de Sistemas 1 Grupos diferentes dentro de uma organização necessitam

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Sistemas, Processos e Informações Ao observarmos o funcionamento de um setor

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão da Produção Integrada e Logística

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão da Produção Integrada e Logística Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão da Produção Integrada e Logística Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão da Produção e Logística tem por objetivo fornecer

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Manuseio de Materiais / Gestão de Informações Primárias Apoio 1 2 Manuseio de Materiais Refere-se aos deslocamentos de materiais

Leia mais

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES EM REDES LOGÍSTICAS

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES EM REDES LOGÍSTICAS ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO PROBLEMA DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES EM REDES LOGÍSTICAS Data: 10/03/2001 Peter Wanke INTRODUÇÃO Localizar instalações ao longo de uma cadeia de suprimentos consiste numa importante

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística CONCEITOS O nome Supply Chain, cujo termo têm sido utilizado em nosso país como Cadeia de Suprimentos, vem sendo erroneamente considerado como

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

Vantagens da consolidação de embarque nos processos de importação de cargas fracionadas.

Vantagens da consolidação de embarque nos processos de importação de cargas fracionadas. Logística para aprender Vantagens da consolidação de embarque nos processos de importação de cargas fracionadas. Divulgação Maria Gabriela Frata Rodrigues Liboni Analista de Importação. Especialista em

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo.

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. Cristian Carlos Vicari (UNIOESTE) viccari@certto.com.br Rua Engenharia, 450 Jd. Universitário C.E.P. 85.819-190 Cascavel Paraná

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos Prof. Paulo Medeiros Introdução nos EUA surgiram 100 novos operadores logísticos entre 1990 e 1995. O mercado para estas empresas que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO / E.E. ESTERINA PLACCO (EXTENSAO) Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível

Leia mais

Aula 2º bim. GEBD dia16/10

Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Compras e Manufatura (produção) O ciclo de compras liga uma organização a seus fornecedores. O ciclo de manufatura envolve a logística de apoio à produção. O ciclo de atendimento

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO EFMP PROF: Edson Marcos da Silva CURSO: Técnico em Administração Subsequente TURMAS: 1º Ano APOSTILA: nº 1 SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL Sistemas de Informação Campo

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

Tecnologia da Informac aõ como aliada. PETRUS, Abril 2014

Tecnologia da Informac aõ como aliada. PETRUS, Abril 2014 Tecnologia da Informac aõ como aliada PETRUS, Abril 2014 Evolução da TI 60 70 80 90 A Era do Processamento de Dados A Era dos Sistemas de Informações A Era da Inovação e Vantagem Competitiva A Era da Integração

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS 1. Sabe-se que o conceito de Sistema de Informação envolve uma série de sistemas informatizados com diferentes características e aplicações, os quais, porém, têm em comum

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA ENTREGA ESPECIAL Na economia globalizada 24/7 de hoje, a logística e a gestão de armazéns eficientes são essenciais para o sucesso operacional. O BEUMER Group possui

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

O PAPEL DO CONTROLE DE ESTOQUE NA CENTRALIZAÇÃO DE COMPRAS

O PAPEL DO CONTROLE DE ESTOQUE NA CENTRALIZAÇÃO DE COMPRAS O PAPEL DO CONTROLE DE ESTOQUE NA CENTRALIZAÇÃO DE COMPRAS Mauricio João Atamanczuk (UTFPR) atamanczuk@hotmail.com João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Antonio Carlos de Francisco (UTFPR)

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Administração de Empresas 6º Período Resumo Introdução ao Conceito de Logística Logística Empresarial (ótica acadêmica e empresarial) Globalização e Comércio Internacional Infra-Estrutura

Leia mais

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos

Capítulo 2. Logística e Cadeia de Suprimentos Capítulo 2 Logística e Cadeia de Suprimentos Prof. Glauber Santos glauber@justocantins.com.br 1 Capítulo 2 - Logística e Cadeia de Suprimentos Papel primordial da Logística na organização Gestão da Produção

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇAO TECNOLÓGICA PÓS GRADUAÇAO LATU SENSU 15 a. Turma Gestão da Logística Logística Empresarial Elenilce Lopes Coelis Belo Horizonte MG Julho - 2006 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA...PÁGINA

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente.

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Logística Integrada Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Ballou (1993) Fonte: BALLOU, R. H. Logística Empresarial.

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

A Importância do Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento Integrada como um Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações.

A Importância do Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento Integrada como um Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações. A Importância do Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento Integrada como um Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações. Nathan de Oliveira Paula nathan_paula@hotmail.com IFSudesteMG Marylaine de

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010 Artigo publicado na edição 17 Assine a revista através do nosso site julho e agosto de 2010 www.revistamundologistica.com.br :: artigo 2010 Práticas Logísticas Um olhar sobre as principais práticas logísticas

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br Maio -2013 Bibliografia básica LAUDON,

Leia mais

30/09/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves. Como surgiu o termo?

30/09/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves. Como surgiu o termo? Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenhariade Produção PPGEP/UFSCar 2005 Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Consultor

Leia mais

SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS

SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS Sistemas de Order Fulfillment Real Time Solutions Atualmente, a operação de order fulfillment desempenha um papel primordial na cadeia de abastecimento

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais