ANEXO I DIRETRIZES PARA O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS CURSOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO I DIRETRIZES PARA O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS CURSOS"

Transcrição

1 ANEXO I DIRETRIZES PARA O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DOS CURSOS 1. Introdução As instituições porão propor o senvolvimento três cursos formação, na modalida cursos extensão: a) curso formação inicial para os alfabetizadores; b) curso formação inicial para os coornadores turmas; e c) curso formação continuada para os coornadores turmas. A carga-horária dos cursos é indicativa, com o mínimo 40h para o curso formação inicial para os alfabetizadores; 80h para o curso formação inicial para os coornadores turmas; e 48 horas para o curso formação continuada dos coornadores turmas. As instituições verão prever a certificação da formação em nível extensão. 2. Curso Formação inicial para os alfabetizadores do Programa Brasil Alfabetizado (mínimo 40 horas) A formação inicial dos alfabetizadores verá ter carga horária, no mínimo, 40h (quarenta horas) presenciais, ministradas em grupo, sendo um mínimo 34h (trinta e quatro horas) dicadas ao senvolvimento dos fundamentos, princípios e métodos alfabetização jovens e adultos, e 6h (seis horas) dicadas à capacitação sse público para a aplicação exames triagem sobre a acuida visual dos alfabetizandos segundo orientações do Projeto Olhar Brasil. Os conteúdos vem consirar, como apoio ao trabalho alfabetização, meios disseminação acessibilida para portadores necessidas especiais Conteúdos básicos para o curso - Fundamentos, princípios e estratégias metodológicas da alfabetização jovens, adultos e idosos (mínimo 34 horas) Os cursos vem contemplar temáticas que possibilitem aos alfabetizadores estudar e refletir durante o processo formação sobre as seguintes questões: a) a especificida da educação jovens e adultos, a intida dos sujeitos envolvidos e suas diversidas, incluindo abordagem das questões intida gênero, geracional, relações étnico-raciais, especificidas regionais (quem são eles?, quais são seus interesses, suas histórias vida, suas necessidas e suas expectativas?); b) o senvolvimento histórico da Educação Jovens e Adultos no Brasil; o processo histórico-sócio-cultural humanização (relação homem-natureza, socieda e cultura); as contribuições Paulo Freire; as dimensões técnica e política da alfabetização; c) as concepções alfabetização jovens e adultos no Brasil, fundamentos e respectivas metodologias; construção da língua oral e escrita na alfabetização jovens e adultos (como os alfabetizadores e alfabetizandos ensinam e aprenm); metodologias formação leitores, práticas sociais leitura e inserção social dos sujeitos; função social

2 da leitura e da escrita, da matemática e outros campos do conhecimento; utilização material didático-pedagógico e literário; d) a importância do diagnóstico por meio dos testes cognitivos para o planejamento das ações; importância do registro e avaliação das aprendizagens para a melhoria da prática pedagógica alfabetização; registro, análise e reflexão das práticas senvolvidas como subsídio para a elaboração novas ações; e) os jovens e adultos no mundo do trabalho, os contextos nacional e regional, incluindo a abordagem das dimensões social, política, econômica, cultural, ambiental e a realida urbano-rural no mundo do trabalho; f) a apropriação da escrita e leitura e a educação como exercício cidadania; a mudança na vida dos sujeitos após o processo alfabetização (por exemplo, impacto sobre o registro civil e outros documentos) e a importância da continuida do processo educativo em turmas escolarização jovens e adultos Conteúdos básicos das habilidas para triagem acuida visual (6 horas) Os cursos vem propiciar a formação dos alfabetizadores para a realização da triagem acuida visual dos alfabetizandos e para os processos encaminhamento dos alfabetizandos com ficiências visuais para os órgãos competentes. Essa formação terá carga horária 6 horas e será baseada nos conteúdos do Manual do Projeto Olhar Brasil disponível no sitio eletrônico Esse foi senvolvido em articulação com a re Escolas Técnicas do SUS e re Escolas Técnicas Ferais com atuação na área Saú. 3. Curso Formação inicial para os coornadores turmas do Programa Brasil Alfabetizado (mínimo 80 horas) A formação inicial dos coornadores turmas verá ter carga horária, no mínimo, 80 horas presenciais, ministradas em grupo, sendo um mínimo 34 (trinta e quatro horas) dicadas ao senvolvimento dos fundamentos, princípios e métodos alfabetização jovens e adultos; 6h (seis horas) dicadas à capacitação sse público para a aplicação exames triagem sobre a acuida visual dos alfabetizandos segundo orientações do Projeto Olhar Brasil; e 40 horas dicadas ao papel do coornador turmas. Os conteúdos vem consirar, como apoio ao trabalho alfabetização, meios disseminação acessibilida para portadores necessidas especiais Conteúdos básicos para o curso - Fundamentos, princípios e estratégias metodológicas da alfabetização jovens, adultos e idosos (mínimo 34 horas). Os cursos vem contemplar temáticas que possibilitem aos alfabetizadores estudar e refletir durante o processo formação sobre as seguintes questões: a) a especificida da educação jovens e adultos, a intida dos sujeitos envolvidos e suas diversidas, incluindo abordagem das questões intida gênero, geracional, relações étnico-raciais, especificidas regionais (quem são eles?, quais são seus interesses, suas histórias vida, suas necessidas e suas expectativas?); b) o senvolvimento histórico da Educação Jovens e Adultos no Brasil; o processo histórico-sócio-cultural humanização (relação homem-natureza, socieda e cultura); as contribuições Paulo Freire; as dimensões técnica e política da alfabetização;

3 c) as concepções alfabetização jovens e adultos no Brasil, fundamentos e respectivas metodologias; construção da língua oral e escrita na alfabetização jovens e adultos (como os alfabetizadores e alfabetizandos ensinam e aprenm); metodologias formação leitores, práticas sociais leitura e inserção social dos sujeitos; função social da leitura e da escrita, da matemática e outros campos do conhecimento; utilização material didático-pedagógico e literário; d) a importância do diagnóstico por meio dos testes cognitivos para o planejamento das ações; importância do registro e avaliação das aprendizagens para a melhoria da prática pedagógica alfabetização; registro, análise e reflexão das práticas senvolvidas como subsídio para a elaboração novas ações; e) os jovens e adultos no mundo do trabalho, os contextos nacional e regional, incluindo a abordagem das dimensões social, política, econômica, cultural, ambiental e a realida urbano-rural no mundo do trabalho; f) a apropriação da escrita e leitura e a educação como exercício cidadania; a mudança na vida dos sujeitos após o processo alfabetização (por exemplo, impacto sobre o registro civil e outros documentos) e a importância da continuida do processo educativo em turmas escolarização jovens e adultos Conteúdos básicos das habilidas para triagem acuida visual (6 horas) Os cursos vem propiciar a formação dos alfabetizadores para a realização da triagem acuida visual dos alfabetizandos e para os processos encaminhamento dos alfabetizandos com ficiências visuais para os órgãos competentes. Essa formação vera oferecer uma carga-horária 6 horas formação, e basear-se nos conteúdos do Manual do Projeto Olhar Brasil disponível no sitio eletrônico Esse foi senvolvido em articulação com a re Escolas Técnicas do SUS e re Escolas Técnicas Ferais com atuação na área Saú Conteúdos básicos do papel do coornador (40 horas) Os cursos vem contemplar conteúdos que possibilitem aos coornadores turmas atuarem com: a) o planejamento do trabalho pedagógico alfabetização e sua orientação para os alfabetizadores consirando as especificidas dos alfabetizandos e alfabetizadores: regionais, comunidas indígenas, pescadores, remanescentes quilombos, atingidos pela hanseníase, do campo, populações carcerárias, pessoas com ficiência, ntre outras. b) acompanhamento da aprendizagem dos alfabetizandos e das práticas dos alfabetizadores em sala aula; c) o acompanhamento e a orientação para a aplicação dos testes cognitivos entrada e saída, a consolidação dos seus resultados e a utilização stes para planejar e encaminhar o trabalho alfabetização em sala aula; d) a intificação, em parceria com os alfabetizadores sob sua coornação, dos alfabetizandos com necessidas educacionais especiais nas turmas do Programa Brasil Alfabetizado, com vistas à orientação do tratamento pedagógico aquado; e) a articulação da alfabetização com a continuida da escolarização na Educação Jovens e Adultos;

4 f) fomento à leitura e utilização material didático-pedagógico e literário; g) dimensões referentes ao acompanhamento da freqüência dos alfabetizandos e alfabetizadores e estratégias para o alcance da permanência dos mesmos com combate à rotativida e abandono do curso. Obs. Este rol temáticas para formação dos coornadores turmas não se esgota nos itens anteriores e ve ser elencado conforme a realida local, a experiência dos alfabetizadores e a especificida dos segmentos que serão atendidos. Devendo contemplar, ntre outros: a) estudo e reflexão, a partir material conceitual e metodológico, sobre a alfabetização jovens, adultos e idosos, bem como sobre temas inerentes a especificida dos grupos alfabetizandos atendidos; b) reflexão sobre o papel do erro na construção do processo escrita como uma importante informação para o planejamento e avaliação do trabalho alfabetização; c) a concepção da alfabetização enquanto direito público subjetivo e a necessida garantir a cada um dos alfabetizandos o seu registro civil. Obs. Para o aprofundamento algumas questões, está disponível na página do Programa Brasil Alfabetizado (www.mec.gov.br/secad) a Resolução do Programa Brasil Alfabetizado, a Coleção Trabalhando com a Educação Jovens e Adultos, a cartilha Orientação para obter o Registro Civil e a Matriz Referência do Teste Cognitivo. 4. Curso formação continuada para os coornadores turmas (mínimo 48 horas) A formação continuada dos coornadores turmas verá ter carga horária, no mínimo, 48h (quarenta e oito horas) presenciais e em grupos - com carga horária não superior a 8 horas -, distribuída em pelo menos duas etapas não concomitantes, dicadas ao planejamento do trabalho pedagógico alfabetização e a coornação das turmas do Programa Brasil Alfabetizado. 5. Materiais Didático-Pedagógicos O curso verá prever: a) elaboração material apoio didático-pedagógico aos alfabetizadores, coornadores turmas, assim como para os tradutores-intérpretes LIBRAS do Programa Brasil Alfabetizado, para veiculação dos conteúdos do curso. b) Roteirização/ edição do curso em linguagem EAD 6. Estratégias Implementação Os s cursos porão prever a articulação com as Secretarias Estaduais e Municipais Educação para estabelecer contrapartida na oferta auxílios, tais como, transporte, refeição aos cursistas. As instituições proponentes porão elaborar plano monitoramento para os cursos extensão e informar à Secad/ MEC sobre o andamento da oferta dos cursos.

5 ANEXO II MODELO DE PROJETO PEDAGÓGICO 1. Apresentação (Descreve uma breve apresentação da proposta curso) 2. Justificativa (Descreve uma breve justificativa da proposta curso) 3. Objetivos (Descreve os objetivos a serem atingidos com o curso) 4. Estratégias Pedagógicas e Conteúdos Programáticos (Descreve os conteúdos básicos do(s) curso(s), fundamentação teórica, metodologia, referência bibliografia) 5. Avaliação (Descreve a metodologia avaliação do curso) 6. Recursos Humanos e Materiais (Descreve os recursos necessários à elaboração do Curso, relacionados à coornação, serviços administrativos ntre outros). 7. Previsão Atendimento (Descreve o número alunos previstos a serem atendidos por região/ UF / município / conforme mapeamento da capacida institucional, anexo II). 8. Cronograma Execução (Descreve o cronograma execução das atividas do ) 9. Orçamento (Descreve o orçamento talhado para a execução das atividas do ). 10. Currículo Lattes do coornador do (Apresenta o currículo lattes do coornador do )

6 ANEXO III 1. MAPEAMENTO DA CAPACIDADE INSTITUCIONAL PARA A OFERTA DOS CURSOS Tabela I - Capacida Estimada¹ para a oferta curso formação inicial para os alfabetizadores Formação inicial alfabetizadores, Coornadores e Tradutores-intérpretes Libras UF Município Número Turmas² Professores Formadores Técnicos Administrativos Alfabetizadores Número Tradutores Intérpretes LIBRAS ¹ Capacida Estimada indica o número possível turmas que porão ser oferecidas. Indica também a localização ssas turmas, o número professores e técnicos necessários para o atendimento do número estimado alfabetizadores e tradutores-intérpretes LIBRAS a serem atendidos pela instituição. ² Informar a capacida atendimento concomitante. Tabela II - Capacida Estimada¹ para a oferta curso formação inicial para os coornadores turmas UF Município Formação Inicial Coornadores Turmas¹ Número Turmas ² Professores Formadores Técnicos Administrativos Coornadores Turmas ¹ Capacida Estimada indica o número possível turmas que porão ser oferecidas. Indica também a localização ssas turmas, o número professores e técnicos necessários para o atendimento do número estimado coornadores turmas a serem atendidos pela instituição. ² Informar a capacida atendimento concomitante. Tabela III - Capacida Estimada¹ para a oferta curso formação continuada para os coornadores turmas UF Município Formação Inicial Coornadores Turmas¹ Número Turmas ² Professores Formadores Técnicos Administrativos Coornadores Turmas ¹ Capacida Estimada indica o número possível turmas que porão ser oferecidas. Indica também a localização ssas turmas, o número professores e técnicos necessários para o atendimento do número estimado coornadores turmas a serem atendidos pela instituição. ² Informar a capacida atendimento concomitante.

7 ANEXO IV Elaboração do curso (preencher uma tabela por curso) A soma dos valores cada curso não porá ser superior ao valor base indicado Itens Hora/consultoria Material apoio Produção e pedagógico Elaboração Contratação serviços terceiros (pessoa jurídica) Quantida Valor Unitário Valor Final Indicadores e/ou Parâmetros Carga horária utilizada: - na elaboração do curso - na produção do manual orientação sobre o curso - na elaboração instrumento para aplicação teste recepção Valor utilizado em serviços gráficos (diagramação, revisão ortográfica e gramatical, revisão gráfico e arte final): - Livro - Apostila - Produção vío- aula - Material específico para tradutores intérpretes LIBRAS - Manual orientação sobre o curso (informar metodologia, logística, quantida encontros, carga horária) - Roteirização/ edição do curso para linguagem EAD - Elaborar roteiro e edição do conteúdo do curso para linguagem EAD - Design instrucional - profissional que fará a mediação pedagógica dos conteúdos que serão disponibilizados no ambiente aprendizagem a distância Moodle - tutor Valor base Máximo 37% Máximo 33% Máximo 15%

8 Material consumo Máximo 5% Seminários Diárias e passagens Aplicação teste recepção Participação do coornador do curso em dois Seminários da Re Educação para a Máximo 5% Diversida, em Brasília. Calcular ida e volta. Máximo 2 seminários em Brasília Valor que será utilizado em grupo cursista Máximo 5% (consirar o espaço físico, tempo aplicação e aplicação do teste recepção) TOTAL Máximo R$ ,00

9 ANEXO V DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE TÉCNICA Na qualida representante legal do proponente, claro, para fins comprovação junto ao Ministério da Educação - Secretaria Educação Continuada, Alfabetização e Diversida/SECAD, para os efeitos e sob as penas da lei que, nos termos do item V, Art. 15, Capítulo II, da Portaria nº 127/2008, 29 maio 2008, (NOME PROPONENTE), possui capacida técnica e gerencial para executar com qualida o curso formação educadores, nas modalidas constantes sta resolução, conforme previsto no plano trabalho apresentado. Local, Assinatura Representante Legal do proponente

EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009

EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009 EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009 SELEÇÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PARA FOMENTO DA REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE NO ÂMBITO DO SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB A União,

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) N.º e Título do Projeto BRA 06/005 A Educação Como Fator de Coesão Social Natureza do Serviço Modalidade Localidade de Trabalho Consultoria Produto Brasília/DF Objetivo da Contratação

Leia mais

4. CURSO DE EDUCAÇÃO NA DIVERSIDADE E CIDADANIA. 4.1. Apresentação

4. CURSO DE EDUCAÇÃO NA DIVERSIDADE E CIDADANIA. 4.1. Apresentação 4. CURSO DE EDUCAÇÃO NA DIVERSIDADE E CIDADANIA 4.1. Apresentação O Curso de Educação na Diversidade e Cidadania é um curso de formação continuada de professores de educação básica, com carga horária de

Leia mais

Catálogo do Curso de Educação Ambiental Dimensões da Sustentabilidade na Escola

Catálogo do Curso de Educação Ambiental Dimensões da Sustentabilidade na Escola Catálogo do Curso de Educação Ambiental Dimensões da Sustentabilidade na Escola 1. Dados Gerais 1. Área Temática: Educação Ambiental 2. Nome do curso: Educação Ambiental: Dimensões da Sustentabilidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N.º

TERMO DE REFERÊNCIA N.º MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE DIRETORIA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL, DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

NOME DO CURSO: Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Especialização Modalidade: A distância

NOME DO CURSO: Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Especialização Modalidade: A distância NOME DO CURSO: Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Especialização Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Nível

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

PLANO 24 horas (Etapa V)

PLANO 24 horas (Etapa V) PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO MEC / FNDE GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA DIVERSIDADE E INCLUSÃO SOCIAL EJA E INCLUSÃO SOCIAL / À

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA DIVERSIDADE E INCLUSÃO SOCIAL EJA E INCLUSÃO SOCIAL / À EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA DIVERSIDADE E INCLUSÃO SOCIAL EJA E INCLUSÃO SOCIAL Nível: Especialização Modalidade: Presencial / À distância Parte 1 Código / Área Temática 34/Educação de Jovens e Adultos

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS Roteiro Pedagógico e Metodológico Parte 1. Identificação do Projeto 1.1. Instituição de ensino proponente, com a respectiva identificação 1.2. Título do Projeto/Objeto

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO NO SISTEMA PRISIONAL PLANO DE AÇÃO

PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO NO SISTEMA PRISIONAL PLANO DE AÇÃO EIXO: GESTÂO Fortalecer a parceria entre e instituições parceiras para o desenvolvimento de ações educacionais Formalização de Termo de Cooperação Técnica entre e SEC do Estado para a efetivação de políticas

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL. EDITAL N. 02 de 26 de abril de 2007.

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL. EDITAL N. 02 de 26 de abril de 2007. MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL EDITAL N. 02 de 26 de abril de 2007. PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL I. OBJETIVO GERAL A União Federal, representada

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA TOPA (2012/2013)

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA TOPA (2012/2013) ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO DE CONTAS CNPJ 14.263.859/0001-06 - Fax (77) 3475-2165 Largo do Rosário, 01- Centro - Rio de Contas Bahia - CEP 46.170-000. EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA TOPA (2012/2013)

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

EDITAL N 107/2015 Referente ao Aviso N 78/2015, publicado no D.O.E de 06.10.2015

EDITAL N 107/2015 Referente ao Aviso N 78/2015, publicado no D.O.E de 06.10.2015 EDITAL N 107/25 Referente ao Aviso N 78/25, publicado no D.O.E 06.10.25 O Reitor da Universida do Estado da Bahia (UNEB), no uso suas atribuições legais e regimentais, torna público, para conhecimento

Leia mais

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática.

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática. MATRIZ CURRICULAR* Disciplina CH Integração 20 Planejamento e Gestão em Educação a Distância 40 Cultura Virtual, Pensamento e Construção do Conhecimento na Educação a Distância 40 Noções de Gestão de Projetos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação. Resolução COMEV Nº. 01/2014

Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação. Resolução COMEV Nº. 01/2014 Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação Resolução COMEV Nº. 01/2014 Fixa normas relativas à Organização e Funcionamento do Ciclo Inicial de Aprendizagem do Ensino Fundamental na

Leia mais

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do, da

Leia mais

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO As Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE

MANUAL OPERACIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE MANUAL OPERACIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE Manual da Rede de Educação para a Diversidade Presidência da República Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade

Leia mais

PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO

PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO ANEXO B Orientações para elaboração do orçamento de custeio dos cursos de formação continuada Os recursos destinados à formação continuada serão previstos pelo Ministério da Educação no Projeto de Lei

Leia mais

PNAIC. CEAD-UFOP: Coordenadora Geral: Profa. Dra. Gláucia Jorge Coordenador Adjunto: Prof. Dr. Hércules Corrêa

PNAIC. CEAD-UFOP: Coordenadora Geral: Profa. Dra. Gláucia Jorge Coordenador Adjunto: Prof. Dr. Hércules Corrêa PNAIC POLO DE POÇOS OS DE CALDAS Equipe do PNAIC-CEAD CEAD-UFOP: Coordenadora Geral: Profa. Dra. Gláucia Jorge Coordenador Adjunto: Prof. Dr. Hércules Corrêa Supervisão de avaliação ão: Profa. Dra. Carla

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnologia em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP

DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP São Paulo - SP - maio 2011 Rita Maria Lino Tarcia, Universidade Federal

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO

DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO Este roteiro de elaboração do Documento Técnico do Projeto tem por objetivo subsidiar a apresentação de propostas para desenvolvimento do Programa Luta pela Cidadania, que

Leia mais

ANEXO I. Plano de Trabalho

ANEXO I. Plano de Trabalho ANEXO I Plano de Trabalho As Propostas Técnicas para a implementação do Curso de Especialização de Saúde da Família e do Curso de Especialização em Gestão da Atenção Básica apresentadas pelas instituições

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA SELEÇÃO DE COORDENADORES DE TURMAS ETAPA 2014

ORIENTAÇÕES PARA SELEÇÃO DE COORDENADORES DE TURMAS ETAPA 2014 ORIENTAÇÕES PARA SELEÇÃO DE COORDENADORES DE TURMAS ETAPA 2014 A Coordenadora Geral do Programa Todos Pela Alfabetização TOPA, no uso de suas atribuições legais e considerando o disposto no Art. 10 da

Leia mais

REQUISITOS PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS

REQUISITOS PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS ADESÃO À OFERTA DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DE FILOSOFIA NO ENSINO MÉDIO, ENSINO DE MATEMÁTICA NO ENSINO MÉDIO, ENSINO DE SOCIOLOGIA NO ENSINO MÉDIO E ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS FINAIS DO ENSINO

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE

MANUAL OPERACIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE MANUAL OPERACIONAL REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE Presidência da República Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade I REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE...6

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE Diretoria de Estudos e Acompanhamento das Vulnerabilidades Educacionais Avaliação da Rede de Educação para a Diversidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. SECADI Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Macaé Maria Evaristo

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. SECADI Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Macaé Maria Evaristo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECADI Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Macaé Maria Evaristo SECADI - DESAFIOS I. Superação do analfabetismo, elevação da escolaridade da população

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 3 a 30 de junho de 013 PROJETO BRA/04/09 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. TRILHAS Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

Ato Convocatório Nº07/2013 - TP 033/2013

Ato Convocatório Nº07/2013 - TP 033/2013 Ato Convocatório Nº07/2013 - TP 033/2013 Modalidade: Concorrência Critério de Seleção: Conforme art. 9º do Regulamento de Compras. Processo: 52/2013 Data publicação: 16/10/2013 Data da entrega das propostas:

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSO PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ( ) PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ( ) PROJETO DE PESQUISA ( )

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSO PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ( ) PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ( ) PROJETO DE PESQUISA ( ) DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSO PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ( ) PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ( ) PROJETO DE PESQUISA ( ) PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmico ( X ); Social ( ) PROJETO DE

Leia mais

MODELO DE TERMO DE REFERÊNCIA

MODELO DE TERMO DE REFERÊNCIA (Usar papel timbrado da instituição) MODELO DE TERMO DE REFERÊNCIA. IDENTIFICAÇÃO (máximo 0 folha) Título da Proposta: Instituição Proponente: CNPJ: Enreço: CEP: Telefone: Fax: Responsável pela Instituição

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B TERMO DE REFERÊNCIA DO PROCESSO CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES EXECUTORAS DE AÇÕES DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Ensinar e aprender História - JP0038 PROFESSORA: Dra. Hilda Jaqueline de Fraga I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária 75h II EMENTA Concepções e temas recorrentes no

Leia mais

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO CAMPO COM ÊNFASE EM ECONOMIA SOLIDÁRIA EJA CAMPO/ECOSOL Nível: Especialização Modalidade: Presencial / A distância

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO CAMPO COM ÊNFASE EM ECONOMIA SOLIDÁRIA EJA CAMPO/ECOSOL Nível: Especialização Modalidade: Presencial / A distância EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO CAMPO COM ÊNFASE EM ECONOMIA SOLIDÁRIA EJA CAMPO/ECOSOL Nível: Especialização Modalidade: Presencial / A distância Parte 1 Código / Área Temática 34/Educação de Jovens e

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DO TRIÂNGULO MINEIRO - FCETM CAPÍTULO I

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DO TRIÂNGULO MINEIRO - FCETM CAPÍTULO I REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DO TRIÂNGULO MINEIRO - FCETM CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO COMUNITÁRIO

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO COMUNITÁRIO UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO COMUNITÁRIO Projeto do Curso de Extensão ORGANIZAÇÃO CURRICULAR NA EDUCAÇÃO

Leia mais

10ª Edição 2015 SESI EMPREENDEDORISMO SOCIAL Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã

10ª Edição 2015 SESI EMPREENDEDORISMO SOCIAL Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã 10ª Edição 2015 SESI EMPREENDEDORISMO SOCIAL Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã REGULAMENTO O SESI/PR torna público o regulamento para participação no Programa SESI Empreendedorismo Social

Leia mais

PROGRAMA SESI EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR. Gerência de Educação. Versão Julho_09

PROGRAMA SESI EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR. Gerência de Educação. Versão Julho_09 PROGRAMA SESI EDUCAÇÃO DO TRABALHADOR Gerência de Educação Versão Julho_09 O SESI (Serviço Social da Indústria) ao longo de seus sessenta anos de história sempre foi fiel à sua missão de promover a qualidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS ANEXO A SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS REGULAMENTO ESPECÍFICO DOS COMPONENTES CURRICULARES PRÁTICAS DE ENSINO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente

ANEXO I CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente ANEXO I CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO I ÁREAS DE INTERESSE Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente a) Capacitação para implantação dos planos estaduais

Leia mais

Catálogo do Curso de Educação Ambiental Escolas Sustentáveis e Com-Vida. 2. Nome do curso: Educação Ambiental: Escolas Sustentáveis e Com- Vida

Catálogo do Curso de Educação Ambiental Escolas Sustentáveis e Com-Vida. 2. Nome do curso: Educação Ambiental: Escolas Sustentáveis e Com- Vida Catálogo do Curso de Educação Ambiental Escolas Sustentáveis e Com-Vida 1. Dados Gerais 1. Área Temática: Educação Ambiental 2. Nome do curso: Educação Ambiental: Escolas Sustentáveis e Com- Vida 3. Nível

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DO TRIÂNGULO MINEIRO - FCETM CAPÍTULO I

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DO TRIÂNGULO MINEIRO - FCETM CAPÍTULO I REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DO TRIÂNGULO MINEIRO - FCETM CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais

RESOLUÇÃO CGRAD 011/09, DE 27 DE MAIO DE 2009

RESOLUÇÃO CGRAD 011/09, DE 27 DE MAIO DE 2009 RESOLUÇÃO CGRAD 011/09, DE 27 DE MAIO DE 2009 Aprova o Regulamento Geral das Atividas Curriculares Complementares dos Cursos Graduação do CEFET-MG A PRESIDENTE DO DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Andréa Tonini José Luiz Padilha Damilano Vera Lucia Marostega Universidade Federal de Santa Maria RS RESUMO A UFSM vem ofertando Cursos de Formação

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 1 Elaboração de Projetos - objetivo da Cooperação Técnica; - a importância do Planejamento na elaboração de um projeto; - o significado de projeto; - detalhamento da ação; - trabalhando

Leia mais

A Prática Educativa na EAD

A Prática Educativa na EAD A Prática Educativa na EAD A Prática Educativa na EAD Experiências na tutoria em EAD Disciplina de Informática Educativa do curso de Pedagogia da Ufal nos pólos de Xingó, Viçosa e São José da Laje (2002-2004).

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta a Lei n o 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE - Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE - Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba RESOLUÇÃO Nº 07 DE 20/09/2004 Estabelece normas para a realização das Atividas Complementares nos cursos graduação do CESVALE. Art. 1 - Define como Ativida Complementar toda e qualquer ativida não prevista

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS PARA OS POLOS DE APUCARANA E PARANAGUÁ - 64/2013 CIPEAD/PROGRAD/SEPT

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS PARA OS POLOS DE APUCARANA E PARANAGUÁ - 64/2013 CIPEAD/PROGRAD/SEPT EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS PARA OS POLOS DE APUCARANA E PARANAGUÁ - 64/2013 CIPEAD/PROGRAD/SEPT CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM MÍDIAS INTEGRADAS NA EDUCAÇÃO 2013 A Universidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE 2012 Institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. O MINISTRO

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA N. 06 /2015 SEST-SUS/SES-GO

CHAMADA PÚBLICA N. 06 /2015 SEST-SUS/SES-GO CHAMADA PÚBLICA N. 06 /2015 SEST-SUS/SES-GO O Superintendente de Educação em Saúde e Trabalho para o SUS torna pública a presente Chamada e CONVIDA servidores públicos vinculados ao Sistema Único de Saúde

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: Perspectivas da formação de professores no viés da Gestão de Conhecimento

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: Perspectivas da formação de professores no viés da Gestão de Conhecimento PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: Perspectivas da formação de professores no viés da Gestão de Conhecimento Leonardo Rocha de Almeida Mestrando Profissional em Gestão Educacional Universidade

Leia mais

Rua Alcides Lourenço da Rocha, 167 10ºandar Brooklin 04571-110 São Paulo/SP

Rua Alcides Lourenço da Rocha, 167 10ºandar Brooklin 04571-110 São Paulo/SP PRINCIPAIS RELAÇÕES DE PROGRAMAS FEDERAIS DISPONIBILIZADOS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC Sobre o material Este material apresenta os programas desenvolvidos especificamente pela Secretaria de Educação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO N.º e Título do Projeto TERMO DE REFERÊNCIA Projeto OEI BRA/08/003

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

Orientações para as Atividades Complementares do Curso de Licenciatura em Química

Orientações para as Atividades Complementares do Curso de Licenciatura em Química Orientações para as Atividas Complementares do Curso Licenciatura em Química Art. 1º - As Atividas Complementares (AC) são componentes curriculares do curso Licenciatura em Química oferecido pelo Instituto

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ARTES

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ARTES FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ARTES NORMAS GERAIS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Prezados alunos, As atividades Acadêmico-Científico Culturais foram instituídas como carga horária visando a complementação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro. Governador Luiz Fernando de Souza Pezão. Vice-Governador Francisco Dornelles. Produção do Material Reforço

Governo do Estado do Rio de Janeiro. Governador Luiz Fernando de Souza Pezão. Vice-Governador Francisco Dornelles. Produção do Material Reforço Governo do Estado do Rio de Janeiro Governador Luiz Fernando de Souza Pezão Vice-Governador Francisco Dornelles Secretaria de Estado de Educação Secretário de Educação Antônio José Vieira de Paiva Neto

Leia mais

CURSOS NOVOS MATRIZ ORÇAMENTÁRIA 2013 UFRGS/FORPROF RENAFOR

CURSOS NOVOS MATRIZ ORÇAMENTÁRIA 2013 UFRGS/FORPROF RENAFOR CURSOS NOVOS MATRIZ ORÇAMENTÁRIA 2013 UFRGS/FORPROF RENAFOR Marie Jane Soares Carvalho Coordenadora Geral do FORPROF/RENAFOR/UFRGS Maio de 2013 Cursos SECADI - Catálogo EXTENSÃO, APERFEIÇOAMENTO E ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

PRONATEC SERVIÇOS PÚBLICOS. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRONATEC SERVIDORES EM AUXILIAR ADMINISTRATIVO Parte 1 (solicitante)

PRONATEC SERVIÇOS PÚBLICOS. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRONATEC SERVIDORES EM AUXILIAR ADMINISTRATIVO Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS PORTARIA N O 011/14

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS PORTARIA N O 011/14 PORTARIA N O 011/14 "EXPEDE EDITAL QUE ABRE INSCRIÇÕES EM PROCESSO DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA ALFABETIZADORES, TRADUTORES- INTERPRETES DE LIBRAS E COORDENADORES DE TURMA PARA ATUAÇÃO NO PROGRAMA LETRAR

Leia mais

SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE CURSISTAS

SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE CURSISTAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO PRÓ-CONSELHO CURSO DE EXTENSÃO A DISTANCIA FORMAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 32, de 1º DE JULHO de 2011 ANEXO II TERMOS DE COMPROMISSO PARA VOLUNTÁRIOS DO PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 32, de 1º DE JULHO de 2011 ANEXO II TERMOS DE COMPROMISSO PARA VOLUNTÁRIOS DO PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 32, de 1º DE JULHO de 2011 ANEXO II TERMOS DE COMPROMISSO PARA VOLUNTÁRIOS DO PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO TERMO DE COMPROMISSO DO ALFABETIZADOR VOLUNTÁRIO EXERCÍCIO

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Atividades Complementares Sistemas de Informação 1. Introdução Nos cursos de graduação, além das atividades de aprendizagem articuladas pelas disciplinas que compõem a matriz curricular, deverão ser inseridas

Leia mais

Assim, a avaliação da aprendizagem possibilita ao professor consciência sobre o curso dos processos e dos resultados educativos.

Assim, a avaliação da aprendizagem possibilita ao professor consciência sobre o curso dos processos e dos resultados educativos. SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO III- A PORTARIA E/SAPP Nº 48/2004: ASPECTOS CENTRAIS Uma concepção de avaliação Os artigos 1º e 2º da Portaria E/SAPP 48/04 destacam a concepção de avaliação que fundamenta

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS 1 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS SUMÁRIO INTERATIVO ENTENDENDO SOBRE O PROGRAMA TELECURSO TEC... 3 ÁREAS DE ESTUDO DO TELECURSO

Leia mais

Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção

Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção Trilhas de aprendizagem Trilhas de desenvolvimento Foco no desenvolvimento de competências Foco no desenvolvimento de carreiras O Sebrae O Serviço

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012. Anexo II PROGRAMA DE TRABALHO

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012. Anexo II PROGRAMA DE TRABALHO EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012 Anexo II PROGRAMA DE TRABALHO Este anexo estabelece o programa de trabalho e resultados para a OSCIP com a fixação de direitos, obrigações, prazos de execução e critérios

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

72 / Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva

72 / Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva NOME DO CURSO: Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Especialização Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino

Leia mais

CURSO DE PORTUGUÊS AVANÇADO COM ÊNFASE EM LINGUAGEM JURÍDICA

CURSO DE PORTUGUÊS AVANÇADO COM ÊNFASE EM LINGUAGEM JURÍDICA CURSO DE PORTUGUÊS AVANÇADO COM ÊNFASE EM LINGUAGEM JURÍDICA 1 JUSTIFICATIVA O Curso de Português Avançado com Ênfase em Linguagem Jurídica, na modalidade a distância, tem por finalidade atender a necessidade

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

ANEXO II RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 22, DE 20 DE ABRIL DE 2006. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PEDAGÓGICO

ANEXO II RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 22, DE 20 DE ABRIL DE 2006. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PEDAGÓGICO ANEXO II RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 22, DE 20 DE ABRIL DE 2006. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO PEDAGÓGICO Estas orientações têm por objetivo nortear a elaboração do Plano Pedagógico, que será apresentado

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRÁTICAS PEDAGÓGICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PLANEJAMENTO ACADÊMICO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PLANEJAMENTO ACADÊMICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PLANEJAMENTO ACADÊMICO EDITAL Nº. 027/2014 PROGRAD/UFSM SELEÇÃO DE TUTOR PARA CURSO SEMIPRESENCIAL Inscrição

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais