PARTENAIRE : n.º 11 DynMed Alentejo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARTENAIRE : n.º 11 DynMed Alentejo"

Transcrição

1 Programme EUROMED HERITAGE II Projet : FILIERES INNOVANTES, SAVOIR-FAIRE LOCAUX ET PARTENARIAT EUROMÉDITERRANÉEN Filière «Plantes à Parfums, Aromatiques et Médicinales» INVENTAIRE PLANTES ET RECETTES PAYS : Portugal (noms vernaculaires en portuguais) PARTENAIRE : n.º 11 DynMed Alentejo Code Nom scientifique Famille Nom(s) vernaculaires 1 Achillea millefolium L. 2 Adiantum capillus-veneris L. Adiantaceae Milefólio, ervade-são-joão Adianto, avencadas-fontes, coentro-de-poço 3 Aesculus hippocastanum L. Hippocastanaceae Castanheiro-da- Índia 4 Agrimonia eupatoria L. 5 Alchemilla xanthochlora Rothm. = Alchemilla vulgaris L. Rosaceae Erva-hepática, eupatória-dosgregos Partie(s) utilisée(s) Casca, folhas e sementes. e folhas Rosaceae Pé-de-leão Utilisation(s) - UNIFORMIZAR TEXTO Dificuldades digestivas, disfunção hepatobiliar, anorexia. Externamente para banhos ginecológicos, hemorroidal e queimaduras. Bronquite, tosse. Dismenorreia. Inflamações orofaríngeas, eczemas, problemas do couro cabeludo. Na insuficiência venosa crónica dos membros inferiores, hemorroidal, edemas, luxações. A casca e as folhas, mais em diarreias e inflamações orofaríngeas. Externamente em dores musculares, nevralgias e varizes. Feridas ulceradas e outras inflamações da pele. Inflamações da boca e faringe; diarreias. Como obstipante e em problemas ginecológicos e infecções urinárias. Diurético. Externamente como cicatrizante e reepitelizante. 6 Althaea officinalis L. Malvaceae Alteia, malvaísco Raízes, por Tosse seca, gripe, bronquite; irritação da mucosa

2 2 7 Allium cepa L. 8 Allium sativum L. 9 Aloe vera (L.) Burm. fil. = A. barbadensis Miller 10 Ammi visnaga (L.) Lam. 11 Ananas comosus (L.) Merr. = A. sativus 12 Anethum graveolens L. 13 Angelica archangelica L. vezes folhas e flores do tubo digestivo, como estomatite, faringite, gastrite, úlcera gastroduodenal, síndroma do cólon irritável, obstipação ou diarreia. Nas queimaduras, abcessos, furúnculos. Liliaceae Cebola Bolbos Bronquite, tosse e asma. Como eupéptico. Problemas digestivos com flatulência e cólicas intestinais. Prevenção da arteriosclerose. Parasitoses intestinais. Afecções geniturinárias. Liliaceae Alho Bolbos Antibacteriano e antimicótico. Arteriosclerose, hiperlipidemias, prevenção de tromboembolias. Afecções urinárias, pela acção diurética e antibacteriana. Gripe, sinusite, bronquite. Micoses. Liliaceae Apiaceae Bromeliaceae Aloe, aloes-de- Barbados, ervababosa Bisnaga-dassearas, funchosilvestre, ninhosde-perdiz. Ananás, ananaseiro Látex concentrado e seco de folhas recentes; Gel: suco viscoso do parênquima mucilaginoso das folhas Frutos Parte central do fruto maduro Apiaceae Aneto, endro Sementes, óleo e folhas Apiaceae Angélica, angélica-da- Raízes, folhas e frutos. Látex concentrado e seco: tónico digestivo e colagogo ; acção laxante ; acção purgativa. Gel do parênquima: afecções dermatológicas diversas, queimaduras, feridas, eczemas, ictiose, psoríase. Como protector solar e hidratante cutâneo em cosmética. Também é usado em afecções como conjuntivites e úlceras gastroduodenais. Como diurético nos edemas e para expulsar pequenos cálculos das vias urinárias. Asma brônquica e cardíaca, em situações de arritmia, insuficiência coronária e distonia neurovegetativa. Inflamações osteoarticulares; edemas inflamatórios. Digestivo e diurético. Em afecções das vias respiratórias e nas cutâneas (acne, feridas, úlceras e na psoríase). Tratamento da celulite em uso interno e tópico Indicado para afecções digestivas e intestinais (cólicas e espasmos). Anorexia. Dispepsias e flatulência. Insónia nervosa. Externamente em dores reumatismais.

3 3 14 Apium graveolens L. 15 Arbutus unedo L. 16 Arctium lappa L. 17 Arctostaphylos uva-ursi (L.) Sprengel Apiaceae Boémia, angélica-dosjardins Aipo-bravo, aipodoce Frutos, óleo Os frutos são usados como diuréticos, em inflamações geniturinárias, edemas, na hiperuricémia e na gota. Externamente em queimaduras e inflamações cutâneas. Ericaceae Medronheiro Frutos e folhas Como adstringente e anti-séptico sobre o aparelho urinário. Bardana, ervados-tinhosos 18 Aristolochia clematitis L. Aristolochiaceae Aristoloquiavulgar 19 Arnica montana L. 20 Artemisia absinthium L. 21 Artemisia dracunculus L. Raízes Digestões lentas, flatulência, dispepsias hipossecretoras, disquinesia hepatobiliar. Cistites e outras afecções geniturinárias. Desintoxicação hepática. Em ulcerações, feridas, furunculose e outras afecções dermatológicas. Ericaceae Uva-ursina Folhas Infecções das vias urinárias, prostatites e urolitíase. Diarreias e irritações intestinais. Externamente em afecções cutâneas e em mucosas. Arnica, cravodos-alpes Rizomas e raízes. Flores Absinto; losna e folhas Estragão Folhas e óleo Extractos usados no tratamento de furúnculos, fístulas ulceradas, acne e infecções ginecológicas. Actualmente, só se usa em ulcerações, feridas ulceradas e eczemas por os ácidos aristolóquicos serem carcinogénicos. Anti-inflamatório e vulnerário em contusões, luxações, artrites, equimoses, flebites superficiais, insuficiências venosas crónicas, edemas, irritações cutâneas como acne, furunculose, picadas de insectos e urticária. Inflamações orofaríngeas. Na perda do apetite, dispepsias hipossecretoras crónicas, cólicas gastrintestinais, flatulência, manifestações espásticas das vias biliares e como colerético. Externamente, em inflamações orofaríngeas, micoses e úlceras de decúbito. Como aperitivo.

4 4 22 Artemisia vulgaris L. 23 Asparagus officinalis L. 24 Atropa belladonna L. 25 Avena sativa L. 26 Ballota nigra L. Absinthio; ervade-são-joão, losna Liliaceae Espargo Raízes e rebentos Solanaceae Beladona, ervamidriática, ervamoura-furiosa Folhas, por vezes misturadas com flores Poaceae Aveia ; sementes em farinha e extractos Labiatae Marroio-negro, balota 27 Berberis vulgaris L. Berberidaceae Bérberis, espinheirovinheto, uvaespim. 28 Betula pendula Roth 29 Borago officinalis L. Betulaceae Bétula, bedueiro, vidoeiro. Sumidades Frutos e cascas da raíz Folhas Boraginaceae Borragem Flores e óleo das sementes Como aperitivo, digestivo e vermífugo, nas dispepsias hipossecretoras, flatulência, disquinesia hepatobiliar. Como estimulante, nas astenias e psiconeuroses. Nas perturbações do ciclo menstrual, amenorreia e dismenorreia. Como diurético forte, ajudando a eliminar, através da urina, os produtos residuais acumulados nas articulações. Espasmos e cólicas gastrintestinais e biliares; broncospasmo; excessos de secreções nasais, salivares, gástricas e de suor. Perturbações neurológicas com espasmos e rigidez muscular. Os extractos da planta são usados na insónia, ansiedade e stress. Prisão de ventre e diarreias (farinha). Afecções geniturinárias pelo efeito de lavagem. Reumatismo e gota. Em cremes como protector da pele. Como sedativo em casos de histeria e hipocondria. Em cólicas gastrintestinais, náuseas e vómitos. Para combater a tosse. Diminuição da tensão nervosa que acompanha a menopausa. Frutos: convalescença e gripes. Casca da raíz: como tónico amargo, estimulante da função hepática na anorexia, disquinesia e litíase biliar. Usado também na hipertensão arterial e como venotónico. Doenças das vias urinárias por bactérias ou por inflamação. Evita a formação de cálculos nos rins e bexiga. Como adjuvante no tratamento de doenças reumáticas e de flebites. Em problemas crónicos da pele. Flores: afecções das vias respiratórias (constipações, gripes, bronquites); inflamações

5 5 30 Boswellia serrata L. 31 Brassica oleracea L. var. capitata f. rubra L. 32 Brassica nigra (L.) Koch. = Sinapis nigra L. Burseraceae Incenso-indiano Gomo-óleoresina sólida por incisões nos troncos. orofaríngeas e geniturinárias; afecções dérmicas. Óleo das sementes: hipercolesterolemia, síndroma pré-menstrual, transtornos do climatério. Eczema, psoríase, ictiose e no rejuvenescimento cutâneo. Externamente como cicatrizante. Brassicaceae Couve-roxa Folhas frescas Tratamento de úlceras grastroduodenais. Prevenção do adenoma benigno da próstata. Externamente em úlceras varicosas, dermatites, eczemas. Brassicaceae Mostardeira, Mostarda-negra 33 Calendula officinalis L. Maravilhas-dosjardins, calêndula 34 Calamintha sylvatica Bromf. 35 Calluna vulgaris (L.) HulL. 36 Calystegia sepium (L.) R. Br. = Convolvulus sepium L. 37 Camellia sinensis (L.) Kuntze 38 Cananga odorata (Lam.) Hook.f. & Thomson Sementes reduzidas a pó Flores Labiatae Calaminta Sumidades aéreas secas Ericaceae Urze, carrasca Convolvulaceae Trepadeira-dasbalças, madrugadas, por vezes raízes Theaceae Cházeiro, chá Folhas secas, não fermentadas (chá verde) Annonaceae Ylang-ylang Flores e óleo Externamente no tratamento de inflamações osteoarticulares, dores musculares e problemas respiratórios. Externamente como anti-séptico, anti-inflamatório e cicatrizante. Tratamento sintomático de problemas digestivos e de flatulência Infecções das vias urinárias, hiperplasia benigna da próstata, hipertensão arterial, hiperuricémia, gota e reumatismo. Topicamente em eczemas, infecções orofaríngeas e vulvulares. Aumenta a produção de bilis, adjuvante em casos de febre e doenças das vias urinárias. Astenia psico-física, diarreias, coadjuvante de regimes de emagrecimento, arteriosclerose, hiperlipidemias, asma brônquica e diurético ligeiro. Nervosismo, insónia, ansiedade, espasmos digestivos, bronquite asmática, hipertensão arterial,

6 6 39 Capsella bursa-pastoris (L.) MediKus 40 Capsicum annuum L. var minimum (Mill.) Heiser 41 Capsicum frutescens L. 42 Carica papaya L. 43 Carthamus tinctorius L. 44 Carum carvi L. 45 Cassia angustifolia Vahl. e C. senna L. 46 Castanea sativa Mill. Brassicaceae Bolsa-de-pastor Solanaceae Pimento-de- Caiena, malagueta, pimenteiro Frutos taquicardia. Como afrodisíaco, antidepressivo e anti-stress. Tratamento sintomático de menorragias e metrorragias. Lesões cutâneas superficiais hemorrágicas; limpeza de feridas. Externamente como adjuvante em casos de espasmos musculares dolorosos. Internamente como prevenção da arterosclerose, apoplexia e falta de apetite. Solanaceae Piripiri Fruto Como analgésico. Alivia espasmos musculares e activa a circulação sanguínea. Caricaceae Apiaceae Papaeira, papaia Látex (por incisão nos frutos não maduros e tronco), folhas e por vezes sementes Açafrãobastardo, cártamo Cesalpinaceae Sene Alcaravia, cominhos-dosprados Flores, frutos e óleo Frutos, óleo Folíolos (folhas) e folículos (frutos) Fagaceae Castanheiro Casca e folhas secas Como auxiliar digestivo, na insuficiência enzimática, na prevenção de tromboembolismo. Externamente como adjuvante em cicatrização de feridas e ulcerações (látex do tronco). O óleo em hipercolesterolemias e prevenção de arteriosclerose; obstipação. Topicamente, o óleo é usado em micoses. Nas perturbações digestivas, como estimulante do apetite. Para melhorar a função intestinal, na obstipação e espasmos. Perturbações respiratórias. O óleo é usado em micoses. O extracto alcoólico é usado como estomáquico. Como laxante ou purgante, na obstipação. Folhas: Expectorante brônquico, anti-tússico. Folhas e casca: Em casos de garganta inflamada.

7 7 47 Cedrus atlantica (Endl.) Carrière 48 Centaurium erythraea Rafn 49 Centella asiatica (L.) Urban = Hydrocotyle asiatica L. 50 Ceratonia siliqua L. 51 Chamaemelum nobile (L.) All. = Anthemis nobilis L. 52 Chelidonium majus L. 53 Cichorium intybus L. 54 Cinchona pubescens Vahl. = C. succirubra Pavon 55 Cinnamomum camphora (L.) J. Presl 56 Cinnamomum zeylanicum Pinaceae Gentianaceae Cedro-do-Atlas, cedro-azul Folhas para a obtenção do óleo. Cerne. Como mucolítico, expectorante e desinfectante do aparelho respiratório. Bronquite e catarro brônquico. Sinusites, faringites e gripe. O cerne na diabetes. Anorexia, dispepsias hipossecretoras, disquinesia hepatobiliar, diabetes mellitus, hipercolesterolemia. Apiaceae - Em dermatoses diversas, para acelerar a cicatrização de feridas, em queimaduras ligeiras. Como antidepressivo e venotónico; na celulite Fabaceae Papaveraceae Rubiaceae Alfarrobeira, fava-rica, figueira-do-egipto Centáureamenor, fel-daterra Camomilaromana, falsacamomila, macela. Quelidónia, celidónia Almeirão, chicória-do-café Quina-vermelha, quina-rugosa Polpa dos frutos, sementes e goma de alfarroba. Capítulos florais.. Látex recente. Raízes Cascas Lauraceae Canforeira Toda a planta para a obtenção do óleo. Polpa: diarreias, vómitos, gastrites,gastroentrites, úlcera gastroduodenal, vómitos durante a gravidez. Goma: laxante e coadjuvante em tratamentos de obesidade, diabetes, hiper-colesterolemia e consequente prevenção de arteriosclerose. Aperitivo, carminativo, digestivo, anti-inflamatório e anti-espasmódico em afecções gastrintestinais. Em dores reumáticas e em processos inflamatórios das mucosas cutâneas e da orofaringe. Como adjuvante em casos de espasmos das vias biliares e do tracto gastrintestinal. Latex para tumores cutâneos em aplicação tópica Perda de apetite, dispepsia, disquinesia hepatobiliar. Afecções geniturinárias que melhoram com o efeito diurético. Como depurativo. Como estimulante do apetite e digestivo. Gripes e tosse. Em fricções, como estimulante respiratório e anti-séptico em gripes e bronquites. Como repulsivo em mialgias e reumatismos. Lauraceae Caneleira, Casca dos Como digestivo, aperitivo, carminativo, estimulante

8 8 Nees. canela-de-ceilão 57 Citrullus vulgaris Schrade = C. lanatus (Thumb.) Mansfeld 58 Citrus aurantium L. 59 Citrus limon (L.) Burm. Fil. 60 Citrus sinensis (L.) Osbeck. 61 Cnicus benedictus L. 62 Cocos nucifera L. 63 Coffea arabica L. Cucurbitaceae Rutaceae Melancieira, melancia Laranjeiraamarga ramos novos, privada do súber e do parênquima, e óleo. Frutos e sementes Fruto, casca do fruto, sementes, óleo, folhas e flores Rutaceae Limoeiro Pericarpo e suco. Rutaceae Laranjeira-doce Flores, pericarpo e o seu óleo Cardo-bento, cardo-santo Arecaceae Coqueiro Óleo do albúmen dos frutos Rubiaceae Cafeeiro, caféarabica Sementes não torradas e carvão das sementes. das secreções digestivas, antiespasmódico; colites, nas diarreias infantis; asma e gripe. Estomatites e micoses cutâneas. Frutos: aumenta o fluxo de urina, casos de hepatite e flatulência. Sementes descascadas: acção protectora da mucosa digestiva e vermífuga. Estimula a digestão, alivia a flatulência e reforça o sistema imunitário contra infecções. Como fonte de vitamina C e flavonóides, para aumentar a resistência às infecções. Na fragilidade vascular. Como sedativo, na ansiedade e insónia (flores). Como estimulante do apetite (pericarpo). Falta de apetite, dispepsias hipossecretoras como colagogo. Diabetes. Como diurético em afecções do aparelho urinário, edemas e hipertensão. Usado em substituição de outros óleos alimentares em doentes com problemas de absorção gastrintestinal. Para melhorar a capacidade física e desempenho intelectual em situação de astenia psicofísica. Como estimulante cardio-circulatório, na hipotensão arterial. Como diurético e auxiliar digestivo. Nas enxaquecas. Na adiposidade e celulite. O carvão do café é usado na diarreia.

9 9 64 Cola nitida (Vent.) Schott & Endl. 65 Colchicum autumnale L. 66 Conium maculatum L. 67 Convallaria majalis L. Sterculiaceae Cola Sementes sem tegumento ( noz de cola) Liliaceae Apiaceae Açafrãobastardo, cólquico, lirioverde, mata-cão, narciso-dooutono Ansarinhamalhada, cicutade-atenas, cicuta-maior. Sementes Folhas, raramente os frutos pois são tóxicos. Liliaceae Lirio-dos-vales 68 Conyza canadensis (L.) Cronq. Avoadinha 69 Coriandrum sativum L. 70 Corylus avellana L. 71 Crataegus azarolus L. 72 Crataegus monogyna Jacq. Em astenias, hipotensão e bradicardia. Usada para aumentar o rendimento físico e intelectual; como afrodisíaca, antidepressiva, diurética e antidiarreica. Crises agudas de gota e de artrite. Tratamento das neuralgias, na asma e coqueluche. Externamente como analgésico. Tratamento da insuficiência cardíaca, hepática e renal. Inflamações das mucosas, enterites, bronquites, estomatites, vaginites, cistites. Para combater a diarreia persistente. Infecções urinárias, gota, patologia reumatismal, hipertensão arterial, edemas e obesidade acompanhada de retensão de líquidos. Apiaceae Coentro Frutos Aperitivo e estimulante das secreções digestivas, no caso de flatulência e em espasmos intestinais, pela sua acção carminativa; nas inflamações urinárias, amenorreia e externamente em inflamações osteoarticulares. Betulaceae Aveleira Folhas, por vezes as cascas Rosaceae Azaroleira e frutos Rosaceae Pirliteiro Bagas e por vezes partes Tónico venoso, varizes, fragilidade capilar e edemas. Antidiarreico. Inflamações orofaríngeas. Acção cardiotónica. Os frutos no tratamento sintomático de gripes. Adjuvante em casos de insuficiência cardíaca, angina de peito, espasmos vasculares e

10 10 73 Crocus sativus L. Iridaceae Açafrão, ervaruiva 74 Cucurbita pepo L. Cucurbitaceae Abóbora; abóboraporqueira 75 Cuminum cyminum L. 76 Cupressus sempervirens L. 77 Curcuma domestica Valeton 78 Cydonia oblonga Miller 79 Cymbopogon citratus (Nees) Stapf. 80 Cynara scolymus L. 81 Datura stramonium L. 82 Daucus carota L. aéreas Estigmas e partes finais do estilete Sementes, sem casca hipertensão. Sedativo. Estimula o apetite, é usado em dispepsias, estimula o sistema nervoso central e o útero. Externamente a tintura é usada em infecções da boca. Tratamento da bexiga irritável, hipertrofia benigna prostática e em disturbios de micção. Apiaceae Cominho Frutos Atonia digestiva, flatulência, dispepsias hipossecretoras, espasmos gastrintestinais, como emenagogo e na aleitação. Cupressaceae Zingiberaceae Cipreste, cipreste-doscemitérios Curcuma, açafrão-dostrópicos, açafrãoda-índia Gálbulas não maduras. Rizomas Rosaceae Marmeleiro Frutos e sementes Poaceae Solanaceae Erva-príncipe, citronela Alcachofra, alcachofra-decomer, cardo. Erva-do-diabo, estramónio, figueira-doinferno Folhas e óleo Folhas basais Folhas Insuficiências venosas (varizes, tromboflebites) e na sintomatologia hemorroidal; como expectorante nas bronquites. Externamente, em úlceras varicosas, inflamações e nevralgias cutâneas. O óleo é usado na eliminação das verrugas. Estimulante das secreções digestivas e carminativo nas disquinésias hepatobiliares, hepatites, cólicas gastrointestinais. Como anti-inflamatório. Externamente em infecções e eczemas. Frutos: em compota para gastrites e diarreias Sementes: cozimento para inflamações cutâneas, queimaduras e hemorróidas. Relaxante dos músculos do estômago e intestinos, alivia dores espasmódicas e flatulência. Perturbações digestivas. Doenças do fígado como hepatites, cirrose, intoxicação hepática. Preventivo da arteriosclerose. Tónico em convalescenças. Principalmente usado em preparações homeopáticas. Apiaceae Cenoura Raízes, Raízes: inflamações geniturinárias, astenia,

11 11 83 Digitalis purpurea L. 84 Drosera rotundifolia L. 85 Echinacea angustifolia DC. e Echinacea purpurea (L.) Moench. = Rudbeckia purpurea L. 86 Eleutherococus senticosus Maxim. 87 Ephedra sinica Stapf. 88 Epilobium parviflorum Schreb. 89 Equisetum arvense L. 90 Eucalyptus globulus Labill. 91 Euphrasia rostkoviana Hayne Scrophulariaceae Dedaleira, abeloura. sementes (frutos), por vezes as folhas. Folhas diarreia, inflamações gástricas, dermatoses e perturbações visuais. Queimaduras e inflamações dérmicas. Sementes: astenia, flatulência, como vermífugo e galactagogo. Óleo das sementes: na oxiuríase e como bactericida moderado. Folhas: em inflamações geniturinárias, Insuficiência cardíaca. Droseraceae Orvalhinha Planta florida Como antiespasmódico e secretolítico na tosse e bronquite. Equinácea Raíz e flor Externamente utilizado como cicatrizante. Estimulante do sistema imunitário. Araliaceae Ginsengsiberiano. Raízes Como imunoestimulante e tónico revigorante físico e psíquico. Ephedraceae Efedra Asma, rinite, hipotensão arterial, síndromas gripais, tosse e bronquite. Alergias respiratórias. Onagraceae Epilóbio Equisetaceae Cavalinha, ervacanuda estéreis. Myrtaceae Eucalipto Folhas sem pecíolo e óleo. Scrophulariaceae Eufrasia-oficinal Hiperplasia benigna da próstata e sintomas associados. Convalescença. Na consolidação de fracturas, na osteoporose, nas doenças reumáticas. Infecções geniturinárias. Obesidade acompanhada de retenção de líquidos. Em ulcerações dérmicas, da córnea, inflamações orofaríngeas e dermatites. Como anti-séptico das vias respiratórias. Inflamações cutâneo-mucosas e reumatismais. Conjuntivites, blefarites.

12 12 Ficus carica L. 92 Filipendula ulmaria (L.) Maxim. = Spiraea ulmaria L. 93 Foeniculum vulgare Miller subsp. vulgare 94 Foeniculum vulgare Miller subsp. piperitum (Ucria) P. Cout. 95 Fragaria vesca L. 96 Fumaria officinalis L. 97 Fraxinus excelsior L. 98 Galega officinalis L. 99 Garcinia cambogia L. 100 Gaultheria procumbens L. Gaultheria shallon Pursh 101 Geranium robertianum L. 102 Geum urbanum L. Moraceae Figueira Fruto e latéx (obtido por incisão no tronco) Rosaceae Ulmária, ulmeira Apiaceae Apiaceae Rosaceae Fumariaceae Funcho; funchodoce Funcho; funchoamargo Morangueiro, fragária Erva-moleirinha, fumária, Frutos Frutos, raízes e folhas Folhas, por vezes rizomas e raízes Oleaceae Freixo Folhas (folíolos), por vezes a casca Fabaceae Gutiferaceae Falso-anil; galega Casca seca e polpa do fruto Ericaceae Gaultéria Folhas e óleo das folhas Geraniaceae Rosaceae Garcínia, tamarindo-domalabar Erva-de-São- Roberto Cariofilada, ervabenta Raízes e rizomas Fruto: tratamento sintomático da obstipação. Latéx: tratamento de verrugas e picadas de insectos. Tratamento de problemas gastrintestinais com flatulência e hiperacidez. Reumatismo, gota e edemas. Inflamações articulares e geniturinárias. Flatulência. Tosse e bronquite. Flatulência. Tosse e bronquite. Como diurético (folhas e raízes), usadas em problemas hepáticos, icterícia, tensão nervosa, hipertensão e reumático. Perturbações funcionais hepatobiliares; espasmos do tracto gastrintestinal. Doenças inflamatórias reumatismais; gota. Coadjuvante no tratamento da diabetes. No controlo do apetite, obesidade e hiperlipidemia. Externamente, no alívio da dor muscular e articular. Inflamações gastrintestinais. Nas diarreias.

13 Ginkgo biloba L. Ginkgoaceae Ginkgo Folhas Nos sintomas ligados à insuficiência vascular cerebral ou periférica. Utilizado para vertigens, dores de cabeça e perdas de memória. 104 Glycine max (L.) Merr. = Soja hispida Moench (espécie cultivada que derivou da G. soja Siebold e Zucc.) 105 Glycyrrhiza glabra L. 106 Hordeum vulgare L. Fabaceae Soja Extracto obtido do óleo de sementes de soja (73 a 79% de fosfatidilcolina) Fabaceae Alcaçuz, paudoce Raízes e rizomas Poaceae Cevada Sementes; malte, após germinação das sementes; óleo dos embriões das sementes. 107 Humulus lupulus L. Cannabidaceae Lúpulo, vinha-donorte 108 Hyoscyamus niger L. 109 Hypericum androsaemum L. Solanaceae Inflorescência feminina e o lupulino recente (glândulas das brácteas) Meimendro-negro Folha ou folhas misturadas com sumidades floríferas e, por vezes, frutíferas, secas e as sementes Útil na hipercolesterolmia e na perda de apetite, alterações hepáticas e hepatite crónica. Os extractos são usados nas perturbações inerentes ao climatério e à menopausa. Bronquites, antitússico. Gastrite, como preventivo de úlcera péptica. Inflamações virais no fígado. Tratamento de dermatites e estomatites. Farinha das sementes usada em diarreias e colites em geral; para reduzir a inflamação em feridas, edemas e mialgias. O malte em problemas digestivos. O óleo nas hiperlipidemias. Síndroma ansiodepressiva, insónia; anorexia. Externamente em inflamações cutâneas. Como sedativo e antiespasmódico. Analgésico e inibidor de secreções. Clusiaceae Hipericão-do- Doenças do fígado e rins.

14 Hypericum perforatum L. 111 Hyssopus officinalis L. Clusiaceae Labiatae Gerês Milfurada, ervade-s. João Erva-sagrada, hissopo-dasfarmácias 112 Ilex aquifolium L. Aquifoliaceae Azevinho, aquifólio 113 Ilex paraguariensis St. Hilaire 114 Illicium verum Hook.f. 115 Inula helenium L. Aquifoliaceae Illiciaceae Erva-mate, Chámate Anis-estreladoda-China Ínula, énula campanula Flores e óleo Folhas Folhas Frutos Rizomas com raízes 116 Juniperus communis L. Cupressaceae Zimbro, junípero Gálbulas maduras, casca do tronco, de ramos e de raízes, óleo 117 Juglans regia L. Juglandacea Nogueira Folhas, óleo dos cotilédones, raramente o pericarpo dos frutos 118 Lactuca virosa L. Alface-maior, alface-brava, leituga-brava Folhas, látex obtido por incisão nas hastes e nas Na ansiedade e depressão moderada. Externamente, em mialgias e queimaduras ligeiras. Na asma e bronquite, como fluidificante da expectoração. Como carminativo. Usado nas afecções reumáticas, diurético; bronquite crónica; perda de apetite; icterícia. Estimulante do sistema nervoso central; diurético; como adjuvante em regimes de emagrecimento e em casos de fadiga mental e física. Falta de apetite, dispepsias hipossecretoras, gastrites, enterites, flatulência, espasmos gastrintestinais. Tosse, bronquite. Micoses. Tosse produtiva, como anti-séptico e expectorante. Gálbulas: falta de apetite, em afecções geniturinárias e bronquite. Externamente em afecções reumáticas Casca: Como antioxidante e venoprotectos. Folhas: diarreias, transpiração excessiva, afecções cutâneas, infecções orofaringeas. Óleo dos cotilédones: como emoliente e em queimaduras. Para combater estados de agitação. Para aliviar a tosse, laringites com tosse seca irritativa. Problemas urinários.

15 Laminum album L. 120 Laurus nobilis L. 121 Lavandula angustifolia Miller 122 Leonurus cardíaca L. 123 Levisticum officinale Koch 124 Lycopus europaeus L. 125 Linum usitatissimum L. 126 Lippia triphylla (L Hér.) Kuntze = Aloysia triphylla (L Hér.) Britton = Lippia citriodora L. folhas. Labiatae Urtiga-branca Flores e partes aéreas Lauraceae Loureiro Folhas e óleo Labiatae Labiatae Labiatae Linaceae Verbenaceae Alfazema, lavandula Cardíaca, agripalma Angélicamontana, levístico Marroio-de-água, menta-do-lobo Linho, linhogalego, linhomourisco Bela-luisa, lúcialima, verbena 127 Lobelia inflata L. Campanulaceae Lobélia, tabacoindiano 128 Lythum salicaria L. Litraceae Salgueirinha, salicária e flores, óleos. Rizomas e raízes de 2 anos Sementes e óleo das sementes. Folhas e óleo Em inflamações das vias respiratórias e gastrointestinais. Para casos de hipertensão arterial. Diurético. Externamente para inflamações da pele. Afecções digestivas, epigátricas e flatulência. Óleo diluído (2%) como agente de fricção Estados de intranquilidade, agitação e insónia. Perturbações digestivas como anorexia e flatulência. Como tonificante cutâneo e de efeito calmante. Arritmias, palpitações, ansiedade. Insuficiência cardíaca leve. Como sedativo. Adjuvante de perturbações originadas por hipertiroidismo. Inflamação das vias urinárias ; prevenção de litíase renal. Nervosismo, insónia e símdrome pré-menstrual. Gastrites; obstipação crónica (em uso prolongado). Hipercolesterolemia. Como digestivo, carminativo e calmante suave. Principalmente usada em preparações homeopáticas. Asma, bronquite crónica, efisema. Pelo seu efeito ganglioplégico semelhante à nicotina, utilizou-se na desabituação do tabaco. Diarreias, inflamações intestinais, dismenorreias, Externamente em inflamações cutâneas, sangramento das gengivas, no hemorroidal e varizes

16 Malva sylvestris L. Malvaceae Malva, malvamedicinal Folhas e flores 130 Marrubium vulgare L. Labiatae Marroio, marrulho Folhas e partes aéreas 131 Matricaria recutita L. = Matricaria chamomilla L. 132 Maytenus ilicifolia C. Martius 133 Melaleuca viridiflora Gaertn 134 Melilotus officinalis (L.) Pall. 135 Melissa oficinalis L. 136 Mentha x piperita L. Camomila, camomila-alemã, camomila-vulgar Capítulos florais Como emuliente e anti-inflamatório nas perturbações respiratórias e gastrointestinais. Externamente, nas inflamações da pele e mucosas. Dispepsias hipossecretoras, anorexia, flatulência, disquinesia hepatobiliar. Afecções brônquicas, infecções urinárias, gota e hipertensão arterial. Tónico digestivo nas síndromas dispépticas; como anti-inflamatório e anti-espasmódico nas colites e bronquite asmatiforme. Como sedativo, emenagogo; em situações febris. Cicatrizante em patologias gastroduodenais. Em estomatites, gengivites, blefaroconjuntivites, vulvovaginites, eczemas e outras dermatites. Celastraceae Espinheira-santa Folhas Dispepsias e gastralgias. Myrtaceae Fabaceae Labiatae Melaleuca, Niauli (para o óleo ) Meliloto, trevode-cheiro Erva-cidreira, anafa Folhas e óleo das folhas Folhas, partes aéreas e óleo Labiatae Hortelã-pimenta Folhas e óleo 137 Mentha pulegium L. Labiatae Poejo e óleo Como anti-séptico brônquico; Infecções orofaríngeas e otites; Externamente em dores reumáticas e inflamações osteoarticulares (óleo ). Insuficiência venosa crónica, hemorroidas, congestão linfática, nervosismo, cólicas intestinais e como diurético. Externamente nas contusões e hematomas. Como sedativo e carminativo; externamente em afecções cutâneas, equimoses e para diminuir o efeito das picadas de insectos (óleo ) Perturbações do fígado e visícula biliar ; flatulência; cólon irritável. Profilaxia de infecções, em particular das vias respiratórias. Tosse, bronquite, faringite, rino-sinusite Estimulante do apetite e da digestão, espasmolítico, anti-séptico e colagogo. Cicatrizante em uso externo.

17 Mentha spicata L. 139 Menyanthes trifoliata L. Gencianaceae Trevo-de-água, menianto 140 Myristica fragans Houtt = M. officinalis L. 141 Myrtus communis (L.) Herm. 142 Myroxylon balsamum (L.) Harms var. pareirae (Royle) Harms 143 Nasturtium officinale R. Br. 144 Nepeta cataria L. 145 Ocimum basilicum L. 146 Oenothera biennis L. 147 Olea europaea L. var. europaea (Miller) Lehr Labiatae Hortelã-vulgar Folhas Como aromático e carminativo. O óleo é usado nas bronquites, em inalações e fricções. Myristicaceae Myrtaceae Muscadeira, nozmoscada Murteira, murtaordinária Folhas Amêndoas das sementes Folhas e óleo Fabaceae Bálsamo-do-Perú Óleo-resina extraída após incisão no tronco, previamente escarificado a quente Brassicaceae Agrião-da-água Labiatae Labiatae Onagraceae Erva-dos-gatos, néveda-dosgatos Basílico, manjericãogrande Onagra, canárias, prímula Folhas e partes aéreas Óleo das sementes Oleaceae Oliveira Folhas e óleo obtido dos Como estimulante das secressões gástricas e salivares. Utilizado em casos de perda de apetite e problemas digestivos. Acção colerética, antiinflamatória e imunoestimulante. Estimula secreções e aumenta o apetite. Efeito anestésico e afrodisíaco. Como adjuvante em casos de doenças das vias respiratórias e urin Feridas, queimaduras, úlceras dérmicas, hemorroidal. Revitalizante; afecções geniturinárias; inflamações das vias respiratórias (bronquite e tosse); anorexia; diabetes. Insónia, cólicas intestinais, problemas respiratórios (tosse e bronquite) e ginecológicos. Como digestivo e antiflatulento. No alívio de sintomas reumáticos. Síndrome pré-menstrual e perturbações associadas à menopausa. Neurodermatites, hiperplasia prostática, prevenção da arteriosclerose, de tromboembolismo e de problemas cardiovasculares. Folhas: adjuvante em casos de hipertensão, prevenção da arterosclerose e reumatismo.

18 Ononis spinosa L. 149 Opuntia ficus-indica (L.) Mill. 150 Origanum majorana L. = Majorana ortensis Moench 151 Origanum vulgare L. = O. ornites L. 152 Panax ginseng C. Meyer 153 Papaver somniferum L. frutos (azeite) Fabaceae Unha-de-gato Raízes e rizomas Cactaceae Figueira-da-Índia Parênquima dos filocládios, flores e frutos Labiatae Labiatae Manjorana, manjeronainglesa Ourégão, mangeronaselvagem e óleo e óleo Óleo: anti-inflamatório intestinal e hipercolesterolemia. Externamente em afecções cutâneas e queimaduras. Infecções das vias urinárias; prevenção e tratamento da litíase renal e vesical. Como anti-inflamatório. As flores na hipertrofia benigna da próstata. Como antimicrobiano em preparações para o aparelho respiratório e vias urinárias ; para perturbações digestivas Em casos de perda de apetite, flatulência, colecistites, afecções broncopulmunares e como expectorante. Externamente em inflamações orofagíneas, na dor de dentes, e em fricções no reumatismo. Araliaceae Ginseng Raíz Como revitalizante do organismo em casos de stress, fadiga e esgotamento nervoso. Melhora as defesas imunitárias e a resistência às infecções. Papaveraceae Dormideira, papoula-do-ópio 154 Papaver rhoeas L. Papaveraceae Papoila-brava, Papoila-vermelha 155 Passiflora incarnata L. 156 Persea americana Mill. Passifloraceae Maracujá, flor-dapaixão Látex obtido de incisões nas cápsulas não maduras (ópio) Pétalas Lauraceae Abacateiro Frutos (mesocarpo) Como analgésico, sedativo, antidiarreico e antitússico. Como antispasmódico nas cólicas biliares e renais. Como sedativo, emoliente em casos de inflamações da mucosa brônquica e em caso de espasmos nervosos. Em casos de irritabilidade, ansiedade, insónia, taquicardia, vertigens, hipertensão arterial, palpitações, transtornos nervosos, cólicas intestinais, dismenorreia espasmódica, dores de cabeça, enxaqueca e dores musculares. Os óleos são usados para evitar o envelhecimento da pele e em inflamações cutâneas (eczemas

19 19 secos, ictiose, etc.). 157 Petroselium crispum (Mill.) Nyman ex. A.W. HilL. = P. sativum Hoffm. = P. hortense auct no Hoffm. 158 Peumus boldus Molina 159 Pfaffia paniculata (Mart.) Kuntze Phaseolus vulgaris L. 160 Phyllanthus niruri (L.) Muel. Arg. 161 Physalis alkekengi L. 162 Phytolacca americana L. 163 Pimenta racemosa (Mill.) J. W. Moore = P. acris 164 Pimpinella anisum L. Umbeliferae Salsa Frutos e raízes Frutos ou óleo : amenorreia, dismenorreia, flatulência, prevenção e tratamento de cálculos renais. Raízes: Afecções urinárias e gota. Monimiaceae Boldo Folhas Doenças de fígado e vesícula biliar; perturbações digestivas; hepatítes, colelitíase, disquinesia biliar. Enxaquecas. Como diurético e antiespasmódico nas cistites. Amaranthaceae Fabaceae Ginsengbrasileiro Euphorbiaceae Quebra-pedra Solanaceae Phytolaccaceae Mirtaceae Apiaceae Feijão, feijão-detrepa Cerejas-dejudeu, erva-noiva Erva-tintureira, erva-dos-cachosda-índia, ervados-cancros Pimenta-acris, Pimenta-da- Jamaica Anis-verde, ervadoce Raízes Vagem sem as sementes Parte aérea, por vezes toda a planta ou só raízes Frutos e folhas Raízes Óleo das folhas, por vezes são usadas as bagas Frutos e óleo No combate ao stress. Astenia. Diabetes mellitus; retensão de líquidos. Actividade antiviral contra o virús da Hepatite B. Indicado para casos de litíase renal, doenças de fígado e tratamento de feridas, gangrenas e infecções da bosa, garganta e urogenitais. Indicado para eliminação de cálculos renais. Diurético. Raízes: Em casos de reumatismo. Litíase renal e vesical, cistites, uretrites, gota, edemas, hipertensão arterial; na febre. Doenças reumatismais. Principalmente usada em homeopatia. Como rubefaciente e analgésico. Dispepsias hipossecretoras, flatulência, espasmos gastrintestinais. Gripe, tosse, inflamações

20 Pinus pinaster Ait. Pinaceae Pinheiro-bravo, Pinheiro-marítimo 166 Piper methysticum Forster f. 167 Plantago afra L. = P. psyllium L. Gema e agulhas, cascas e óleo obtido da gema (essência de terebintina) orofaríngeas. Micoses cutâneas como pitiríase, candidíase, pé de atleta. Agulhas e óleo : afecções geniturinárias, orofaríngeas e do aparelho respiratório. Externamente como adjuvante em casos de reumatismo e neuralgias. Extracto da casca: fragilidade capilar Piperaceae Kawa-kawa Rizomas Ansiedade, insónia, nervosismo. Perturbações do climatério. Vaginites. Como anestésico local. Prostatites, cistites. Inflamações osteoarticulares. Como diurético. Plantaginaceae Psílio, erva-daspulgas, zaragatoa 168 Plantago major L. Plantaginaceae Tanchagem maior, chantage 169 Podophyllum peltatum L. 170 Polygala senega L. 171 Polygonum aviculare L. 172 Populus tremula L. Berberidaceae Poligalaceae Polygonaceae Mandrágoraamericana Polígala-davirgínia, sénega Sempre-noiva, sanguinária, centinódia Sementes Folhas Resina e rizomas com raízes para a obtenção de extractos alcoólicos da resina Raízes Pates aéreas Salicaceae Álamo tremedor Cascas dos ramos, folhas e Obstipação, hemorroidal, fissuras anais, diverticuloses, gastrites, intestino irritável, diabetes e hipercolesterolmia. Externamente como adjuvante em afecções cutâneas. Útil em casos de tosse alergica irritativa, faringite, úlcera peptica e hepatite. Externamente para inflamações da pele e das mucosas. Apenas utilizado externamente em verrugas, papilomas e condilomas. Como mucolítico e expectorante em tosse e bronquite. Como remineralizante e diurético. Nas inflamações da boca e da faringe. Tosse e bronquite. Para combater dores, no reumatismo e artrites; gripe, cistites e problemas de micção quando da

21 Potentilla erecta (L.) Raeusch. = P. tormentilla Stokes 174 Primula veris L. = P. officinalis (L.) Hill. 175 Prunus africana (Hook.f.) Kalkman = Pygeum africana 176 Prunus avium L. 177 Prunus cerasus L. 178 Pulmunaria officinalis L. = P. maculosa (Liebl.) Gams Rosaceae Primulaceae Rosaceae Rosaceae Rosaceae Tormentilha, potentila Primavera, prímula Cerejeira, cerejeira-brava gemas foliares Rizomas privados das raízes Rizoma com raízes e por vezes as flores Casca dos caules e ramos Pedúnculos do fruto, Frutos Cerejeira, ginjeira Pedúnculos do fruto, Frutos Borraginaceae Pulmunária 179 Punica granatum L. Punicaceae Romãzeira Casca da raíz e do fruto, algumas vezes do tronco 180 Quercus robur L. 181 Raphanus sativus L. var. niger (MilL.) Kerner 182 Rhamnus frangula L. = Frangula alnus Miller Fagaceae Carvalho-roble, carvalho-comum Casca hipertrofia prostática ; hemorroidal; as preparações das gemas são usadas em feridas, queimaduras e hemorroidal. Indicado para diarreias e para inflamações das mucosas orofaríngeas. Externamente como cicatrizante no hemorroidal, feridas e queimaduras. Tratamento sintomático da tosse e bronquite, usado em situações de dores de cabeça, neuralgias e insónias. Externamente em contusões. Adenoma benigno da próstata. Prostatites. Afecções geniturinárias, hiperazotemia, hiperuricemia, gota, hipertensão arterial, obesidade acompanhada de retenção de líquidos. Os frutos em gripes pelo conteúdo vitamínico. Para a atenuação de sintomas associados a infecções das vias urinárias; edemas. Expectorante ligeiro, calmante da tosse e bronquite. Externamente em contusões e equimoses. Casca da raíz e do tronco: como anti-helmíntico. Diarreias. Casca dos frutos: nas diarreias. Em uso tópico para ulcerações orofaríngeas e inflamações cutâneomucosas. Externamente em afecções cutâneas e inflamações. Utilizada internamente para diarreia, flatulência e dispepsia. Brassicaceae Rábano, rabão Raízes Problemas dispépticos. Afecções brônquicas. Rhamnaceae Amieiro-negro Casca seca do tronco e ramos Obstipação ocasional, ou como purgativo.

22 Rhamnus purshiana DC 184 Rheum officinale Baill. e R. palmatum L. 185 Ricinus communis L. 186 Rosa canina L., R. pendulina L. 187 Rosa centifolia L. 188 Rosmarinus officinalis L. 189 Rubus idaeus L. Rhamnaceae Poligonaceae Cascara sagrada Casca seca do tronco e ramos Ruibarbo, rabárbaro Rizoma Euphorbiaceae Rícino Óleo obtido das sementes a frio Rosaceae Rosaceae Rosa-canina, rosa-brava Rosa-pálida, Rosa-de-Jericó Cinórrodos (Pseudofruto) Pétalas Labiatae Alecrim Folhas e óleo Obstipação ocasional e disquinesia hepatobiliar. Como purgativo para limpeza intestinal. Em doses baixas predomina a acção adstringente, tónica e digestiva; Em doses elevadas é de acção laxativa ou purgativa. Externamente para queimaduras. Uso interno como laxativo. Externamente nas dermatites (pó das sementes). Coadjuvante na prevenção da gripe, nas astenias funcionais e em casos de convalescência, diarreia, fragilidade capilar. Diarreias. Externamente em aftas e outras inflamações orofaríngeas e cutâneas. Normalizador das perturbações digestivas, flatulência, anorexia. Como tónico circulatório e hipertensor. Coadjuvante no tratamento de reumatismos musculares e articulares, como analgésico e anti-inflamatório. Rosaceae Framboeseiro Folhas Inflamações cutâneo-mucosas; perturbações do tracto gastrintestinal. 190 Rumex acetosa L. Polygonaceae Azeda, vinagreira Rizomas e raízes, por vezes folhas 191 Rumex crispus L. Polygonaceae Labaça-crespa, regalo-da-horta 192 Ruscus aculeatus L. 193 Ruta chalepensis L. 194 Ruta graveolens L. Rizomas e raízes Liliaceae Gilbardeira Rizomas e raízes Rutaceae Arruda, arrudados-jardins, ervadas-bruxas Laxativo suave, depurativo em afecções dermatológicas (eczemas, psoríase) e na desintoxicação hepática. Anemias; convalescença. Inflamação das vias respiratórias. Hemorróidas, insuficiência venosa. Varizes e hemorroidal. Amenorreia, espasmos grastrintestinais e como vermífugo. Inflamações orofaríngeas, odontalgias, em doenças de pele e doenças osteoarticulares. Rutaceae Arruda, ruda " "

23 23 medicinal. 195 Salix alba L. Salicaceas Salgueiro-branco Cascas dos ramos jovens (2 a 3 anos), raramente as folhas 196 Salvia officinalis L. Labiatae Salva Folhas, partes aéreas e óleo 197 Sambucus nigra L. Caprifoliaceae Sabugueiro, sabugo 198 Saponaria officinalis L. Cariofilaceae Saponária, saboeira 200 Scrophularia nodosa L. 201 Scutellaria galericulata L. 202 Silybum marianum (L.) Gaertner Flores, algumas vezes frutos, folhas e cascas Raízes Folhas e óleo. Como analgésico, antipirético, e anti-inflamatório. Em doenças reumatismais, estados febris de gripe e cefaleias. Falta de apetite, dispepsias hipossecretora, flatulência e gastroentrites. Na transpiração excessiva. Amenorreia, dismenorreia e menopausa. Externamente em infecções orofaríngeas. Flores: Propriedades sudoríferas, expectorantes, anti-inflamatórias e galactogénicas. Frutos: Diuréticos e diaforéticos, em doses médias são laxantes, em doses maiores são purgantes. Casca: Diurética, adstringente, hemostática e cicatrizante. Anti-séptico e expectorante, baixa o colesterol e é anti-inflamatório. Útil em inflamações do aparelho respiratório e em infecções urinárias. Externamente em inflamações cutâneas e da mucosa orofaríngea. Indicado para inflamaçõesdas vias respiratórias, indisposições digestivas e parasitas intestinais. Externamente em inflamações cutâneas e das mucosas, em queimaduras ligeiras e micoses. Scrophulariaceae Escrofulária Mais usada em preparações homeopáticas. Obstipação, disquinesia hepatobiliar. Diabetes. Furunculose. Labiatae Escutelária. 199 Satureja montana L. Labiatae Segurelha-dasmontanhas Amor-dehortelão, cardode-santa-maria, cardo-leiteiro Aquénios (frutos secos) Perturbações do sistema nervoso, como sedativa e antiespasmódica. Hepatopatias inflamatórias crónicas e cirrose hepática. Insuficiência hepatobiliar. Perda de apetite, dispepsias hipossecretoras, como colagogo.

24 Sisymbrium officinalis (L.) Scop. 204 Smilax officinalis L. 205 Solanum dulcamara L. 206 Solidago virgaurea L. 207 Stachys officinalis (L.) Trev. 208 Stevia rebaudiana Bertoni 209 Symphytum officinale L. 210 Syzygium aromaticum (L.) Merr. & Perry 211 Tabebuia avellanedeae Lor. ex. Griseb. Brassicaceae Parte aérea da planta, de preferência em flor Na faringite, laringite, afonia e bronquite. Liliaceae Salsaparrilha Raízes Diurética nas afecções urinárias; nas inflamações das vias respiratórias e nas doenças da pele como depurativa. Solanaceae Dôce-amarga Caule do 2º ano após a queda das folhas. Vara-de-ouro, erva-forte Labiatae Betónica, cestro Eríssimo-dasboticas, ervados-cantores Erva-doce-do- Paraguai Folhas Reumatismo, asma e bronquite. Em eczemas. Inflamações urinárias e prevenção de cálculos urinários. Reumatismo e gota. Hipertensão arterial. Externamente nas inflamações orofaríngeas e cutâneas. Insónia, enxaqueca, amenorreia, dismenorreia; espasmos brônquicos e gastrintestinais. Cicatrizante em flebites e feridas. Como edulcorante e hipoglicemiante. Boraginaceae Consolda-maior Raízes Gastroenterites, úlceras pépticas e síndroma do cólon irritável. Muito utilizada para acelerar a formação de calo ósseo depois de fracturas. Inflamações cutâneas e da orofaringe. Myrtaceae Cravinho, cravoda-índia, cravode-cabecinha. Bignoniaceae Pau-d Arco Botões florais e óleo Casca Dispepsias hipossecretoras, flatulência. Tosse, bronquite, como expectorante. Externamente, nas inflamações da boca e faringe, odontalgias, cáries dentárias e otites. Imunoestimulante. Antibacteriano e antifúngico em diarreias infecciosas. Externamente em infecções cutâneas e como analgésico de doenças reumatismais. 212 Tanacetum parthenium ( L.) Matricária, Analgésico nas cefaleias e dores reumatismais.

25 25 Schultz-Bip. = Chrisanthemum parthenium ( L.) Bernh. 213 Tanacetum vulgare L. = Chrisanthemum parthenium ( L.) Bernh. 214 Taraxacum officinale Weber artemísiabastarda-doservanários Tanaceto, atanásia Taráxaco, dentede-leão em flor Raízes e folhas 215 Teucrium chamaedrys L. Labiatae Carvalhinha 216 Teucrium scorodonia L. 217 Thymus polegioides L. (T. serpyllum L.) 218 Thymus vulgaris L. e T. zygis L. Labiatae Labiatae Labiatae Salva bastarda, salva-dosbosques Serpão, tomilhodas-serras Tomilho vulgar (T. vulgaris) e sal-da-terra (T. zygis) 219 Thuja occidentais L. Cupressaceae Tuia-vulgar, cedro-branco e óleo e óleo jovens e óleo 220 Tilia platyphyllos Scop. Tiliaceae Tília Inflorescências inteiras e por Propriedades diuréticas, eupépticas, digestivas e espasmolíticas. O óleo tem propriedades vermífugas e emenagogas. Raízes: alterações do fluxo biliar, estimulação da diurese, perda de apetite e dispepsia. Folhas: perda de apetite e dispepsia (enfartamento e flatulência). Tratamento sintomático de diarreias ligeiras, adjuvantes de regimes de emagrecimento, diurético. ««Em afecções das vias repiratórias, do aparelho digestivo e urinário. Externamente em infecções cutâneas, em banhos para diminuir dores e espasmos musculares. Para afecções da vias respiratórias, digestões lentas, gastrites crónicas, colites, dores espasmódicas do tubo digestivo. Externamente para infecções cutâneas, dores reumáticas, otites, rinites, sinusites e estomatites. Acção antiviral. Usado como anti-catarral nas afecções respiratórias, nos tumores do útero, amenorreia e cistites. Externamente nas hemorróidas, condilomas, papilomas, infecções cutâneas, herpes simples e em situações reumatismais. Inflorescências: ansiedade, insónia, estados gripais, bronquite, tosse irritativa, más digestões,

26 Trigonella foenum-graecum L. 222 Tritifolium aestivum L. = T. sativum Lam. Fabaceae Alforva, fenogrego vezes a casca privada da cortiça (alburno) Sementes maduras Poaceae Trigo Fruto (farinha, farelo) e óleo dos embriões 223 Tropaeolum majus L. Tropaeolaceae Chagas, capuchinhas 224 Tussilago farfara L. Tussilagem, farfara 225 Ulmus campestris L. = U. carpinifolia 226 Urginea maritima (L.) Baker = Drimia maritima (L.) Stearn 227 Urtica dioica L. 228 Vaccinium mirtillus L. Ulmaceae Ulmeiro Liliaceae Cebola-albarrã Urticaceae Ericaceae Urtigão, urtigamaior Arando, uva-domonte Folhas, flores e sementes Folhas e partes aéreas Casca dos ramos com 2 ou 3 anos Bolbo e raízes Folhas e frutos cefaleias e cólicas. Alburno: na hipertensão e prevenção do tromboembolismo e nas disfunções hepatobiliares. Na celulite. Como hipolipemiante; na diabetes mellitus. Devido à acção emoliente, na tosse produtiva. Farinha: acção nutritiva e externamente emoliente. Farelo: acção laxativa e hipoglicemiante, hipercolesterolmia. Aumenta a eliminação fecal de cálcio. Óleo: acção vitamínica e hipolipidemiante. Como antimicrobiano e antifúngico. Trata problemas de pele, unhas e caspa. Aumenta a resistência a infecções e estimula a eliminação de catarro e expectoração. Acção anti-séptica e estimulante respiratória, cardiotónica, expectorante e emoliente Em casos de diarreias e inflamações intestinais. Externamente para feridas, ulcerações cutâneas e das mucosas. Diurética, cardiotónica e expectorante. : afecções geniturinárias, prostatites, cálculos renais, hiperplastia benigna da próstata, reumatismo, hipertensão arterial e anemia. Raízes: afecções geniturinárias, perturbações da micção devido a hiperplastia benigna da próstata. Folhas: Anti-diarreica e antidiabética. Externamente como adjuvante em inflamações da mucosa oral e dos olhos, queimaduras e úlceras dérmicas Frutos: Anti-diarreica e anti-inflamatória da boca e

27 Vaccinium vitis-idaea L. 230 Valeriana officinalis L. 231 Verbascum phlomoides L. = V. thapsus L. 232 Verbena officinalis L. faringe, varizes, hemorróidas e infecções urinárias. Ericaceae Arando-vermelho Folhas Infecções das vias urinárias, gota, reumatismo. Valerianaceae Valeriana, ervados-gatos. Rizomas e raízes Escrofularicaceae Verbasco Flores, menos vezes as flores e raízes Verbenaceae Verbena, ervasagrada 234 Vinca minor L. Apocianaceae Pervinca, vinca, vinca-menor 235 Viola tricolor L. 236 Viscum album L. 237 Vitex agnus-castus L. 238 Vitis vinifera L. Violaceae 233 Viburnum opulus L. Caprifoliaceae Noveleiro, bolade-neve Amor-perfeitobravo, erva-datrindade Casca do tronco e dos ramos Folhas Lorantaceae Visco-branco Folhas e rebentos Verbenaceae Agnocasto, árvore-dacastidade, pimenteirosilvestre. Frutos Vitaceae Videira, vide Folhas (avermelhadas Sedativo em casos de nervosismo, estados de ansiedade, insónias, cólicas gastrointestinais e colites devido ao stress. Broncoespasmos devido ao stress. Inflamações das vias respiratórias, nos síndromes gripais e rinofaringites. Afecções ororfaríngea, blefaroconjuntivites e problemas cutâneos. Inflamações do tracto respiratório superior. Ansiedade, insónias e cefaleias. Externamente em inflamações cutâneas e ororfaríngeas. Como sedativo e relaxante muscular. Dismenorreia. Síndrome do cólon irritável. Externamente como relaxante muscular. Para problemas circulatórios, hipertensão, arterosclerose, insuficiência circulatória, vertigens, enxaquecas, perda de memória e fragilidade capilar. Doenças das vias respiratórias (bronquite, tosse e faringite ou anginas) e cutâneas como acne, eczema, ictiose e urticária. Terapia e prevenção da arterosclerose e problemas reumáticos. Tratamento pré e pós-operatório de tumores malignos. Externamente em papilomas e condilomas. Síndroma pré-menstrual, menopausa. Perturbações neurovegetativas (ansiedade, insónia, enxaquecas, acne). Folhas e sementes: afecções venosas e problemas de microcirculação. Edemas. Hemorroidal.

- CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS -

- CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS - - CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). PLANTAS

Leia mais

Agrimônia (Agrimonia eupatoria) É antiinflamatória, reforça o corpo, atenua a diarréia e problemas de fígado.

Agrimônia (Agrimonia eupatoria) É antiinflamatória, reforça o corpo, atenua a diarréia e problemas de fígado. LISTA DE PLANTAS E ERVAS COMESTÍVEIS Às vezes, nós temos porquinhos da índia com problemas de saúde. Em adição ao tratamento veterinário, e não como substituto, algumas plantas podem ser bastante efetivas

Leia mais

Relação de plantas reconhecidas como eficazes, pela ANVISA.

Relação de plantas reconhecidas como eficazes, pela ANVISA. UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE ODONTOLOGIA DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA Relação de plantas reconhecidas como eficazes, pela ANVISA. RESOLUÇÃO-RE Nº 89, DE 16 DE MARÇO DE 2004. O Adjunto da Diretoria

Leia mais

Pack Óleo Essencial + Aromatizador

Pack Óleo Essencial + Aromatizador Pack Óleo Essencial + Aromatizador Óleos Essenciais Ideais para massagem, inalação, vapores. Promovem o bem-estar e diversos benefícios para a saúde. Aromatizador O cheiro estimula partes do nosso cérebro

Leia mais

TINTURAS PRODUZIDAS COM PLANTAS FRESCAS

TINTURAS PRODUZIDAS COM PLANTAS FRESCAS TINTURAS PRODUZIDAS COM PLANTAS FRESCAS As tinturas consistem em extractos de plantas hidro-alcoólicos concentrados. As tinturas da BIOVER são principalmente produzidas (> 70%) a partir de plantas frescas

Leia mais

Colégio Estadual Herbert de Souza. Investigando o uso de plantas medicinais

Colégio Estadual Herbert de Souza. Investigando o uso de plantas medicinais Colégio Estadual Herbert de Souza Investigando o uso de plantas medicinais Investigando o uso de plantas medicinais Orientadoras: Fátima Gomes e Sandra Fructuoso Bolsistas: Ana Carolina P. Real Fernanda

Leia mais

INFUSÕES DE PLANTAS AROMÁTICAS E MEDICINAIS

INFUSÕES DE PLANTAS AROMÁTICAS E MEDICINAIS INFUSÕES DE PLANTAS AROMÁTICAS E MEDICINAIS Desde a mais remota antiguidade que o homem tem vindo a colher e misturar várias plantas aromáticas e medicinais uma arte que tem passado de geração em geração.

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02 DE 13 DE MAIO DE 2014 Publica a Lista de

Leia mais

Óleos essenciais/puros e Óleos de Massagem /Banho

Óleos essenciais/puros e Óleos de Massagem /Banho Óleos essenciais/puros e Óleos de Massagem /Banho INFORMAÇÕES AOS PREÇOS APRESENTADOS,ACRESCENTAR IVA DE 23% ESTE CATÁLOGO PODE SER ATUALIZADO SEM PRÉVIO AVISO Óleos essenciais/puros 20ml ALECRIM 5,92

Leia mais

Plantas Medicinais. Josefina Dorotéa Nunes Bióloga e Técnica de Enfermagem

Plantas Medicinais. Josefina Dorotéa Nunes Bióloga e Técnica de Enfermagem Plantas Medicinais Josefina Dorotéa Nunes Bióloga e Técnica de Enfermagem É provável que a utilização das plantas como medicamento seja tão antiga quanto o próprio homem. CONSELHOS ÚTEIS Toda planta medicinal

Leia mais

O QUE É? Deve preparar-se 25 ml de solução AQUADRENA LIMÃO, medidos pelo copo doseador, e diluir num litro de água, para beber ao longo do dia.

O QUE É? Deve preparar-se 25 ml de solução AQUADRENA LIMÃO, medidos pelo copo doseador, e diluir num litro de água, para beber ao longo do dia. (powered by nutricionista.com) AQUADRENA LIMÃO O QUE É? É um suplemento nutricional indicado para pessoas com excesso de peso, excesso de gordura corporal, acumulação de líquidos e celulite. Devido à presença

Leia mais

Informativo Nutricional

Informativo Nutricional Informativo Nutricional Abóbora (Cucurbita pepo) Laxativa e diurética. Tem baixo teor de carboidratos e muito sódio, potássio, magnésio, ferro, cloro, e fósforo. Quando cozida, seu teor de carboidrato

Leia mais

Neste catálogo você confere toda nossa linha de chás e caps., que são Complementos para sua saúde!

Neste catálogo você confere toda nossa linha de chás e caps., que são Complementos para sua saúde! Neste catálogo você confere toda nossa linha de chás e caps., que são Complementos para sua saúde! Marque nas caixas de seleção os que são de seu interesse e fale com nossos (as) farmacêuticos (as). Legenda

Leia mais

A sua Loja de Produtos Naturais de Setúbal tem. .para si!

A sua Loja de Produtos Naturais de Setúbal tem. .para si! A sua Loja de Produtos Naturais de Setúbal tem NOVIDADES.para si! Novos produtos, novas especialidades de serviços de saúde e novas promoções, tudo a preços bastante acessíveis e pensados para garantir

Leia mais

Consciousness of Nature. Suplementos Alimentares

Consciousness of Nature. Suplementos Alimentares Suplementos Alimentares 1 O RESULTADO DE 30 ANOS DE EXPERIÊNCIA Extractos Concentrados Extracto 100% puro Sem adição de açúcares Sem edulcorantes Tolerado por diabéticos Sem Glútem 2 Brain Nutrition Nutrição

Leia mais

Plantas medicinais indicadas no Formulário Fitoterápico Nacional para as Preparações Extemporâneas.

Plantas medicinais indicadas no Formulário Fitoterápico Nacional para as Preparações Extemporâneas. Plantas medicinais indicadas no Formulário Fitoterápico Nacional para as Preparações Extemporâneas. 1. Achillea millefolium L. Nomenclatura popular: Mil-folhas e mil-em-rama. partes aéreas secas 1 2 g

Leia mais

Plantas usadas no Sistema Digestivo

Plantas usadas no Sistema Digestivo Enfermidades do aparelho digestivo: Plantas usadas no Sistema Digestivo Dispepsia Se refere a uma síndrome caracterizada por náusea, pressão epigástrica, inchaço, flatulência e dores abdominais espasmódicas,

Leia mais

Conhecer as plantas usadas pelos nossos avós

Conhecer as plantas usadas pelos nossos avós Parque Ambiental de Santa Margarida Biologia no Verão Conhecer as plantas usadas pelos nossos avós 27 de Julho de 2008 Câmara Municipal de Constância Ao longo dos tempos foram muito os usos dados às plantas

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 276, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 276, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. título: Resolução RDC nº 276, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA ESPECIARIAS, TEMPEROS E MOLHOS". publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo,

Leia mais

REFORÇADOS COM EXTRACTOS DE REBENTOS FRESCOS

REFORÇADOS COM EXTRACTOS DE REBENTOS FRESCOS FITOCOMPLEXOS BIOVER Os Fitocomplexos da BIOVER contêm uma combinação sinergética de tinturas mães e gemno-extractos. São principalmente produzidos a partir de plantas medicinais que cresceram sob condições

Leia mais

Cefaléias e Enxaqueca Convulsões febris. Desidratação. Crescimento e do desenvolvimento

Cefaléias e Enxaqueca Convulsões febris. Desidratação. Crescimento e do desenvolvimento Saúde da Criança Alimentação o Aleitamento materno Orientações gerais e manejo das principais dificuldades o Alimentação saudável o Desnutrição energético-protéica o Distúrbios da absorção o Anemia ferropriva

Leia mais

Aroma Natural. 120ml 15.50 Componentes e benefícios:

Aroma Natural. 120ml 15.50 Componentes e benefícios: Aromaterapia Aroma Natural Sono tranquilo e repousante, garantido pelas propriedades deste aromatizador, utilizando-o na sua almofada. Respirar os aromas naturais enquanto dorme ajuda a acalmar, a relaxar

Leia mais

INTRODUÇÃO METODOLOGIA

INTRODUÇÃO METODOLOGIA Pesquisas agronômicas das plantas medicinais nativas regulamentadas pela ANVISA Lin Chau Ming, Gabriela Granghelli Gonçalves, Maria Izabela Ferreira Departamento de Horticultura, Faculdade de Ciências

Leia mais

BENEFÍCIOS DE ALGUNS CHÁS

BENEFÍCIOS DE ALGUNS CHÁS A TÍTULO DE CURIOSIDADE BENEFÍCIOS DE ALGUNS CHÁS DIZEM QUE 1 ABACATE Combate dores reumáticas, gota e funciona como diurético. Para dores de cabeça, tomar 3 chávenas, por dia, de chá das folhas do abacateiro

Leia mais

HGF LISTA DE CHÁS E SEUS BENEFÍCIOS A Abacateiro: diurética, cálculos renais, fígado, rins, bexiga. Abutua/Cóculos:Cálculos renais, cólicas uterinas, fígado. Agoniada: Inflamações de útero,

Leia mais

O guia alimentar recomenda um mínimo de 3 porções diárias desse grupo de alimentos. A ingestão deve ser equilibrada e variada ao longo da semana.

O guia alimentar recomenda um mínimo de 3 porções diárias desse grupo de alimentos. A ingestão deve ser equilibrada e variada ao longo da semana. E SEUS BENEFÍCIOS As frutas, verduras e legumes devem estar presentes todos os dias nas refeições. A combinação de fibras, minerais e vitaminas desses alimentos auxilia na manutenção do peso adequado além

Leia mais

Recolha de saberes tradicionais sobre a utilização de plantas medicinais em produção animal no Alentejo

Recolha de saberes tradicionais sobre a utilização de plantas medicinais em produção animal no Alentejo Recolha de saberes tradicionais sobre a utilização de plantas medicinais em produção animal no Alentejo Noémia Farinha*; Orlanda Póvoa; Rute Santos *nfarinha@esaelvas.pt Projeto Interreg RITECA II: Red

Leia mais

Orientação sobre a Notificação Simplificada de Produto Tradicional Fitoterápico (PTF)

Orientação sobre a Notificação Simplificada de Produto Tradicional Fitoterápico (PTF) Orientação sobre a Notificação Simplificada de Produto Tradicional Fitoterápico (PTF) A COFID informa que o sistema de notificação simplificada foi atualizado para permitir a notificação de Produtos Tradicionais

Leia mais

Plantas Medicinais. Valeriana Anis Carqueja Coentro. Citronela

Plantas Medicinais. Valeriana Anis Carqueja Coentro. Citronela Biologia Valeriana Anis Carqueja Coentro Chapéu-de-Couro Citronela Valeriana Valeriana officinalis L. Nomes Populares: erva-de de-amassar, erva-dos dos-gatos, erva-de de-são- jorge,, erva-de de-gato Propriedades

Leia mais

Nossos Produtos. Óleos hidratantes e terapêuticos. Óleo Relaxante. Óleo Revigorante

Nossos Produtos. Óleos hidratantes e terapêuticos. Óleo Relaxante. Óleo Revigorante Nossos Produtos Óleos hidratantes e terapêuticos Os nossos produtos (óleos e fitoterápicos) são totalmente naturais. As plantas utilizadas são cuidadosamente selecionadas na natureza e obtidas através

Leia mais

Plantas espontâneas Urtigas

Plantas espontâneas Urtigas Algumas sugestões de plantas a utilizar nas escolas Plantas espontâneas Urtigas Muito úteis na compostagem e em xurume ou seja adubo líquido e repelente de pragas e fungos Estagnam o sangue das feridas

Leia mais

Workshop: Destilação de óleos essenciais

Workshop: Destilação de óleos essenciais OLD JOBS AND NEW JOBS Workshop: Destilação de óleos essenciais 27 de fevereiro de 2015 Destilação de óleos essenciais PAULA MENDES LOURDES GERALDES Óleo essencial (OE) Definição óleos voláteis odoríferos

Leia mais

Doenças e Recomendações de Tratamento De acordo com o livro Mein Vitalkonzept de Dr. Jean-Bernard Delbé e com as recomendações do catálogo

Doenças e Recomendações de Tratamento De acordo com o livro Mein Vitalkonzept de Dr. Jean-Bernard Delbé e com as recomendações do catálogo Cérebro Alzheimer, Parkinson, Demência, Esclerose Múltipla, Epilepsia Aloe Vera Mel, Pêssego, Sivera ou Freedom Purificar Vita Aktiv 1 colher de chá, 2 vezes ao dia Proteção celular LRoxan 1 comprimidos,

Leia mais

Fitoterápicos. Guia de consulta rápida

Fitoterápicos. Guia de consulta rápida Abacateiro (Persea gratissima) Diurético, coadjuvante no tratamento de doenças renais e vias urinárias, cistites e uretrites; empregado nas perturbações hepáticas e nas doenças resultantes da deficiência

Leia mais

Extratos Botânicos para alimentos e bebidas

Extratos Botânicos para alimentos e bebidas By Extratos Botânicos para alimentos e bebidas Oportunidades de mercado Os consumidores de alimentos e bebidas de hoje estão se tornando mais conscientes da sua saúde e imagem do que nunca. Eles procuram

Leia mais

Licenciatura em ciências biológicas. Botânica II. Verônica R. Albuquerque Eliane C. S. Fernandes

Licenciatura em ciências biológicas. Botânica II. Verônica R. Albuquerque Eliane C. S. Fernandes Licenciatura em ciências biológicas Botânica II Mª do Carmo da Silva Souza Verônica R. Albuquerque Eliane C. S. Fernandes Plantas medicinais da flora Andiroba Cavalinha Anador Sapucainha Catuaba Angelicó

Leia mais

A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas e valorizadas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas.

A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas e valorizadas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas. A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas e valorizadas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas. Sua história remonta ao século I, como evidenciado nos

Leia mais

PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS NO TRATAMENTO SINTOMÁTICO DA GRIPE POR MULHERES CLIMATÉRICAS

PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS NO TRATAMENTO SINTOMÁTICO DA GRIPE POR MULHERES CLIMATÉRICAS PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS NO TRATAMENTO SINTOMÁTICO DA GRIPE POR MULHERES CLIMATÉRICAS GEWEHR, Daiana Meggiolaro 1 ; BELLINAZO, Cristiane Rodrigues 2 ; BANDEIRA, Vanessa Adelina Casali 3 ; GONÇALVES,

Leia mais

Plantas medicinais. em casa. plantas2.indd 1 27/03/15 14:26

Plantas medicinais. em casa. plantas2.indd 1 27/03/15 14:26 Plantas medicinais em casa plantas2.indd 1 27/03/15 14:26 Copyright do texto 2010 María Tránsito López e Carlota Máñez Copyright da edição original 2010 Editorial Océano S.L., Barcelona (Espanha) Copyright

Leia mais

PLANTAS MEDICINAIS. Cacheteira

PLANTAS MEDICINAIS. Cacheteira PLANTAS MEDICINAIS Cacheteira 1. Dados Gerais Sapucaia do Sul é um município da região metropolitana de Porto Alegre. Possui uma zona rural de vinte e três quilômetros quadrados e possui uma rica mata

Leia mais

50 Chás e Seus Benefícios. e-book interativo

50 Chás e Seus Benefícios. e-book interativo 50 Chás e Seus Benefícios e-book interativo 50 chás e seus Benefícios Introdução 2 Introdução Queremos, em primeiro lugar, agradecer que tenha feito o download gratuito do E-book 50 CHÁS E SEUS BENEFÍCIOS.

Leia mais

ERVAS AROMÁTICAS & SIMILARES

ERVAS AROMÁTICAS & SIMILARES ERVAS AROMÁTICAS & SIMILARES As ervas aromáticas ou ervas-de-cheiro são plantas, geralmente de pequenas dimensões, que apresentam diversas utilizações e propriedades. Devido à sua composição nutricional

Leia mais

Estudo Etnobotânico no Município de Colômbia SP

Estudo Etnobotânico no Município de Colômbia SP Estudo Etnobotânico no Município de Colômbia SP (Ethnobotany Study at Colômbia, SP, Brazil) Elaine Tosti 1 ; Áurea Maria Therezinha Colli 2 1 Faculdades Integradas Fafibe - Bebedouro-SP elianetosti@hotmail.com

Leia mais

Promoções PRODUTOS. Validade: 31/12/13. Teresa Diogo Tel. 91 9072187 E-mail: tmndiogo@gmail.com Blog: http://aromadaterrateresa.blogspot.

Promoções PRODUTOS. Validade: 31/12/13. Teresa Diogo Tel. 91 9072187 E-mail: tmndiogo@gmail.com Blog: http://aromadaterrateresa.blogspot. Promoções PRODUTOS Validade: 31/12/13 Teresa Diogo Tel. 91 9072187 E-mail: tmndiogo@gmail.com Blog: http://aromadaterrateresa.blogspot.pt Promoções Produtos Linha Produto 1º produto 2º produto Preço Total

Leia mais

Agrotóxicos. O que são? Como são classificados? Quais os sintomas de cada grupo químico?

Agrotóxicos. O que são? Como são classificados? Quais os sintomas de cada grupo químico? Dica de Bolso Agrotóxicos O que são? Como são classificados? Quais os sintomas de cada grupo químico? 12 1 O QUE SÃO AGROTÓXICOS? Agrotóxicos, também chamados de pesticidas, praguicidas, biocidas, fitossanitários,

Leia mais

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA COMUNIDADE DE CURRAL DO MEIO - CRATEÚS - CE

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA COMUNIDADE DE CURRAL DO MEIO - CRATEÚS - CE O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA COMUNIDADE DE CURRAL DO MEIO - CRATEÚS - CE Fábio Araújo Bezerra (Graduando), Ana Lúcia Rodrigues da Silva (PQ), Cléia Rocha de Sousa (PQ), Adervan Fernandes Sousa* (PQ).

Leia mais

Estudo Dirigido Princípios Ativos e Interações Medicamentosas

Estudo Dirigido Princípios Ativos e Interações Medicamentosas Estudo Dirigido Princípios Ativos e Interações Medicamentosas 1) Relacione os grupos de princípios ativos com as características correspondentes: Princípios ativos: Características: (1) Alcalóides pirrolizidinicos

Leia mais

PRINCIPIOS ATIVOS DE PLANTAS MEDICINAIS

PRINCIPIOS ATIVOS DE PLANTAS MEDICINAIS UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: FITOTERAPIA PROF.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO PRINCIPIOS ATIVOS DE PLANTAS MEDICINAIS METABOLISMO DAS PLANTAS As plantas, durante o

Leia mais

Diferenças entre os extratos

Diferenças entre os extratos FITOTERÁPICOS: Fitoterapia (do grego therapeia = tratamento e phyton = vegetal) é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças. O uso adequado dessas formulações auxilia no combate

Leia mais

Assunto: Esclarecimentos sobre a regulamentação de medicamentos fitoterápicos, plantas medicinais, drogas vegetais e derivados vegetais.

Assunto: Esclarecimentos sobre a regulamentação de medicamentos fitoterápicos, plantas medicinais, drogas vegetais e derivados vegetais. Informe Técnico nº. 005 MED/NVP/DVS/CEVS/SES/RS Assunto: Esclarecimentos sobre a regulamentação de medicamentos fitoterápicos, plantas medicinais, drogas vegetais e derivados vegetais. 1. Introdução A

Leia mais

Modo de usar: Aplicar na zona lesionada massajando até total absorção.

Modo de usar: Aplicar na zona lesionada massajando até total absorção. Linha Corporal Gel Bálsamo 150 ml 36.00 O Gel Bálsamo tem acção analgésica. Ajuda a combater dores articulares, contusões, entorses, luxações, reumatismo e constipações. Óptimo para frieiras, nódoas negras,

Leia mais

http://www.saborosas.com/bebidas/licores/receita-licor+de+rosas-1450-9-23.html

http://www.saborosas.com/bebidas/licores/receita-licor+de+rosas-1450-9-23.html Receitas de Licor de Rosas e chás de rosas http://www.saborosas.com/bebidas/licores/receita-licor+de+rosas-1450-9-23.html receita de culinária enviada por: Ana Cristina (Brasil) Ingredientes: Pétalas de

Leia mais

Stephen Kirschenmann - Fotolia.com

Stephen Kirschenmann - Fotolia.com Stephen Kirschenmann - Fotolia.com Índice Introdução... 01 Explicações dos símbolos... 03 01 Alecrim... 04 02 Alho... 07 03 Anador (chambá)... 10 04 Arruda... 12 05 Babosa (aloe)... 14 06 Bardana... 16

Leia mais

Lista da Produtos * List of Products. Raíz d'oliva. Os produtos Raíz d Oliva surgem de um Sonho... e de um Acordar!

Lista da Produtos * List of Products. Raíz d'oliva. Os produtos Raíz d Oliva surgem de um Sonho... e de um Acordar! Lista da Produtos * List of Products Raíz d'oliva Os produtos Raíz d Oliva surgem de um Sonho... e de um Acordar! Nascem da vontade de consumir e partilhar produtos de higiene, de uso diário, que respeitem

Leia mais

100 RECEITAS DE SAÚDE ERVAS MEDICINAIS ANNE MCINTYRE

100 RECEITAS DE SAÚDE ERVAS MEDICINAIS ANNE MCINTYRE 001-005 ervas medicinais (5p) 9/15/06 8:05 PM Page 3 100 RECEITAS DE SAÚDE ERVAS MEDICINAIS ANNE MCINTYRE SUMÁRIO INTRODUÇÃO Ervas: os primórdios da medicina 6 O que são ervas medicinais? 10 O uso das

Leia mais

PRODUTOS DE MASSAGEM (óleos, cremes, e géis) CREME PEELING CORPORAL C/ AHA, ÓLEOS E ESSÊNCIAS NATURAIS

PRODUTOS DE MASSAGEM (óleos, cremes, e géis) CREME PEELING CORPORAL C/ AHA, ÓLEOS E ESSÊNCIAS NATURAIS PRODUTOS DE MASSAGEM (óleos, cremes, e géis) A Mossi Epil criou uma gama de produtos para massagem e tratamentos, onde podemos encontrar uma variedade de cremes, óleos e géis, cada uma com a sua função

Leia mais

Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura

Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura REGIÃO CERVICAL, OMBROS E MEMBROS SUPERIORES Dor muscular dor decorrente de traumatismo esportivo, por erro de postura e/ou tensão emocional. Exemplo: dor no

Leia mais

Afecções físicas. cura obtida em 80% dos casos após 1 sessão

Afecções físicas. cura obtida em 80% dos casos após 1 sessão Fonte: http://www.spma.pt/a-acupuntura/a-oms/ Afecções físicas distensão muscular dor cervical pescoço rígido espondilose cervical dor aguda na coluna dor lombar ciática inflamação no tórax e costelas

Leia mais

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco Tabaco Álcool Medicamentos Cocaína Heroína Cannabis Ecstasy ÁLCOOL Características da substância O álcool contido nas bebidas é cientificamente designado como etanol, sendo produzido através da fermentação

Leia mais

CHEGOU UM NOVO CONCEITO DE EQUILÍBRIO. ACREDITAMOS QUE EKVILIBRO É A ESSÊNCIA PARA VIVER EM PLENO ESTADO DE SAÚDE E BEM-ESTAR.

CHEGOU UM NOVO CONCEITO DE EQUILÍBRIO. ACREDITAMOS QUE EKVILIBRO É A ESSÊNCIA PARA VIVER EM PLENO ESTADO DE SAÚDE E BEM-ESTAR. NOVEMBRO 2014 CHEGOU UM NOVO CONCEITO DE EQUILÍBRIO. ACREDITAMOS QUE EKVILIBRO É A ESSÊNCIA PARA VIVER EM PLENO ESTADO DE SAÚDE E BEM-ESTAR. O QUE É A EKVILIBRO? Um novo conceito de equilíbrio. Divíde-se

Leia mais

24/5/2010 ERVAS E ESPECIARIAS HISTÓRIA 1000 A.C. Plantas comestíveis. Azeite. Especiarias do extremo oriente

24/5/2010 ERVAS E ESPECIARIAS HISTÓRIA 1000 A.C. Plantas comestíveis. Azeite. Especiarias do extremo oriente ERVAS E ESPECIARIAS HISTÓRIA 1000 A.C. Plantas comestíveis Azeite Especiarias do extremo oriente 1 Idade Média Cruzadas: Em busca de cristãos e especiarias contato com Oriente Médio Especiarias: Especiarias

Leia mais

BENEFICIOS ÁGUA MAGNETIZADA ARTIGO

BENEFICIOS ÁGUA MAGNETIZADA ARTIGO BENEFICIOS ÁGUA MAGNETIZADA ARTIGO Referências médicas atestam que a água magnetizada tem sido utilizada na dieta alimentar como eficiente coadjuvante no tratamento de várias enfermidades. SEM CONTRA INDICAÇÃO

Leia mais

RETIFICAÇÕES DIVERSAS

RETIFICAÇÕES DIVERSAS Circular 340/2014 São Paulo, 10 de Junho de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) RETIFICAÇÕES DIVERSAS Diário Oficial da União Nº 109, Seção 1, terça-feira, 10 de junho de 2014 Prezados Senhores, Segue para

Leia mais

ANEXO. (a que se refere o n.º 1 da Deliberação n.º 028/CD/2014) TABELA N.º 1. Tratamentos de curta ou média duração

ANEXO. (a que se refere o n.º 1 da Deliberação n.º 028/CD/2014) TABELA N.º 1. Tratamentos de curta ou média duração ANEXO (a que se refere o n.º 1 da Deliberação n.º 028/CD/2014) TABELA N.º 1 Tratamentos de curta ou média duração 1.1.1.1 - Medicamentos anti-infeciosos - Antibacterianos - Penicilinas - Benzilpenicilinas

Leia mais

COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA

COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA X COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA ( ) 18.01 Abdome Agudo Diagnóstico (algoritmo) ( ) 18.02 Abdome Agudo Inflamatório Diagnóstico e Tratamento ( ) 18.03 Abdome Agudo na Criança ( ) 18.04 Abdome Agudo

Leia mais

Carbonato de Cálcio, Vitamina D com Bifosfonados ou Raloxifeno ou Calcitonina

Carbonato de Cálcio, Vitamina D com Bifosfonados ou Raloxifeno ou Calcitonina Termo de Esclarecimento e Responsabilidade Carbonato de Cálcio, Vitamina D com Bifosfonados ou Raloxifeno ou Calcitonina Eu, (nome do paciente(a) abaixo identificado(a) e firmado(a)), declaro ter sido

Leia mais

Daiichi Sankyo Brasil Farmacêutica Ltda.

Daiichi Sankyo Brasil Farmacêutica Ltda. IDENTIFICAÇÃO DO Loxonin loxoprofeno sódico MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES LOXONIN é comercializado em caixas com 8, 15 ou 30 comprimidos de 60 mg. USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido de LOXONIN

Leia mais

Deliberação n.º 173/CD/2011

Deliberação n.º 173/CD/2011 Deliberação n.º 173/CD/2011 A Portaria n.º 1471/2004, de 21 de Dezembro, estabeleceu os princípios e regras a que deve obedecer a dimensão das embalagens dos medicamentos susceptíveis de comparticipação

Leia mais

Eixo Temático: Relações entre Educação, Ciência e Cultura

Eixo Temático: Relações entre Educação, Ciência e Cultura 48 Anais do Congresso Nordestino de Biólogos - Vol. 4: Congrebio 2014 Eixo Temático: Relações entre Educação, Ciência e Cultura ET-05-005 A ETNOBOTÂNICA DE PLANTAS MEDICINAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DE

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE TOXICOLOGIA DE PLANTAS

NOÇÕES BÁSICAS DE TOXICOLOGIA DE PLANTAS UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: FITOTERAPIA PROF.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO NOÇÕES BÁSICAS DE TOXICOLOGIA DE PLANTAS Em princípio, todas as plantas medicinais são

Leia mais

Estudos Científicos. Afecções físicas. alivio da dor e desaparecimento dos sintomas em 82% dos casos. cura obtida em 80% dos casos após 1 sessão

Estudos Científicos. Afecções físicas. alivio da dor e desaparecimento dos sintomas em 82% dos casos. cura obtida em 80% dos casos após 1 sessão Estudos Científicos A partir de 1970, tiveram início diversos estudos científicos no sentido de comprovar a eficácia da acupuntura. Em 1979, a Organização Mundial de Saúde (OMS) editou uma lista com 41

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

DENTE- DE- LEÃO. Juliana Aenishanslin. Nome científico: Família: Asteraceae.

DENTE- DE- LEÃO. Juliana Aenishanslin. Nome científico: Família: Asteraceae. DENTE- DE- LEÃO Juliana Aenishanslin Nome científico: Taraxacum officinale Família: Asteraceae. Nomes populares: Alface-de-cão, alface-de-côco, amargosa, amor-dos-homens, chicória-louca, chicória-silvestre,

Leia mais

Anexo 1 Flora arbórea

Anexo 1 Flora arbórea Anexo 1 Flora arbórea Anexo 1 Lista de espécies arbóreas identificadas na Mata Nacional do Choupal. (Trabalho desenvolvido por Sandra Lopes 2004, aluna do Instituto Botânico da Universidade de Coimbra,

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA - DAF

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA - DAF Termo de Esclarecimento e Responsabilidade Naproxeno, Cloroquina, Hidroxicloroquina, Sulfassalazina, Metotrexato, Azatioprina, Ciclosporina, Leflunomida, Metilprednisolona, Adalimumabe, Certolizumabe Pegol,

Leia mais

PASTILHAS DE SILÍCIO COMBINADAS COM:

PASTILHAS DE SILÍCIO COMBINADAS COM: PASTILHAS DE SILÍCIO COMBINADAS COM: FLORAIS DE BACH AROMATERAPIA ÓLEOS ESSENCIAIS CHACRAS - info@stiper.com.br 1 ÍNDICE As Pastilhas de Silício e os Florais de Bach 03 Qual floral utilizar? 06 As Pastilhas

Leia mais

Situação do registro de medicamentos fitoterápicos no Brasil

Situação do registro de medicamentos fitoterápicos no Brasil Revista Brasileira de Farmacognosia Brazilian Journal of Pharmacognosy 18(2): 314-319, Abr./Jun. 2008 Recebido 28 Abril 2008; Aceito 27 Maio 2008 Divulgação Situação do registro de medicamentos fitoterápicos

Leia mais

MASSAGEM DO-IN. Claudio Prieto - Elza Rodrigues Pinheiro Prieto. Site: www.massagemdoin.net. E-Mail: contato@massagemdoin.net

MASSAGEM DO-IN. Claudio Prieto - Elza Rodrigues Pinheiro Prieto. Site: www.massagemdoin.net. E-Mail: contato@massagemdoin.net MASSAGEM DO-IN Claudio Prieto - Elza Rodrigues Pinheiro Prieto Site: www.massagemdoin.net E-Mail: contato@massagemdoin.net O QUE É? O DO-IN é uma técnica de automassagem aplicada nos pontos energéticos

Leia mais

Temperos e alimentos que devem ser evitados:

Temperos e alimentos que devem ser evitados: Como temperar os alimentos sem usar SAL ou temperos com sódio? Para realçar o sabor dos alimentos podemos lançar mão dos temperos naturais, tais como: alho, cebola, salsa, salsinha, salsão, cebolinha,

Leia mais

alivio da dor e desaparecimento dos sintomas em 82% dos casos cura obtida em 80% dos casos após 1 sessão

alivio da dor e desaparecimento dos sintomas em 82% dos casos cura obtida em 80% dos casos após 1 sessão Acupuntura e a Organização Mundial de Saúde A partir de 1970, tiveram início diversos estudos científicos no sentido de comprovar a eficácia da acupuntura. Em 1979, a Organização Mundial de Saúde (OMS)

Leia mais

Suco de uva Conheça mais de 30 benefícios

Suco de uva Conheça mais de 30 benefícios Suco de uva Conheça mais de 30 benefícios O suco de uva contém mais calorias que o leite, uma certa analogia que pode ser levada mais longe; a composição do suco de uva mostra surpreendentes semelhanças

Leia mais

Benefícios da canela:

Benefícios da canela: 1 A informação fornecida por este e-book sobre alimentos termogênicos não é um substituto de uma consulta com o seu médico, nutricionista e professor de educação física e não deve ser interpretada como

Leia mais

CÁPSULAS 400mg Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda.

CÁPSULAS 400mg Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. BUSCOFEM (ibuprofeno) CÁPSULAS 400mg Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Buscofem ibuprofeno APRESENTAÇÕES Cápsulas de 400 mg: embalagens com 10 e 50 cápsulas. USO ORAL USO ADULTO

Leia mais

PARTE II ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA

PARTE II ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA PARTE II ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA OCORRÊNCIA DAS PLANTAS O ensino de plantas medicinais requer, antes de tudo, a existência de vários exemplares delas por perto. Portanto, iniciamos

Leia mais

BENEFICIOS DO KOMBUCHA

BENEFICIOS DO KOMBUCHA BENEFICIOS DO KOMBUCHA Os dados aqui contidos são de cunho meramente informativo e não devem ser tomados como regra nem como referência para tratamentos sem a adequada observação de um profissional: Listagem

Leia mais

1. O que é o Nurofen 200 mg cápsulas moles e para que é utilizado

1. O que é o Nurofen 200 mg cápsulas moles e para que é utilizado FOLHETO INFORMATIVO Nurofen Ibuprofeno 200 mg Cápsulas moles Informação para o Utilizador Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este medicamento pode ser adquirido sem

Leia mais