TÍTULO: PROPOSIÇÃO DE MODELO PARA AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO EM CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÍTULO: PROPOSIÇÃO DE MODELO PARA AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO EM CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO"

Transcrição

1 TÍTULO: PROPOSIÇÃO DE MODELO PARA AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO EM CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI AUTOR(ES): VIVIANE SANTIAGO COELHO GOMES ORIENTADOR(ES): GUSTAVO MENONCIN DE CARVALHO PEREIRA

2 1. Resumo A gestão de um Centro de Distribuição (CD) é um processo que pode ser apoiada por um sistema WMS (Warehouse Management System). Empresas o adotam para aprimorar as operações logísticas de gerenciamento de um CD, porém, podem ter dificuldades no processo de. Neste contexo, a pesquisa tem por objetivo apresentar etapas de um processo de implantação do WMS. Para tanto, o método de estudo utilizado foi a revisão da literatura com base em análise de artigos publicados no Brasil. O resultado desta pesquisa demonstra que existem etapas posteriores para implantação do WMS que podem aumentar as chances de sucesso. 2. Introdução O ambiente empresarial tem se tornado cada vez mais competitivo e a diferenciação é um dos caminhos para a sobrevivência no mercado. Devido a isto, as empresas procuram introduzir novos conceitos de gerenciamento empresariais. Dentre estes sistemas, o Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos, conhecido como Supply Chain Management (SCM), tem como objetivo disponibilizar produtos ou serviços certos no lugar certo, no momento certo, e nas condições desejadas, com a melhor contribuição possível para a empresa (BALLOU, 2006). Meindl e Chopra (2011) destacam que o objetivo da implementação dos conceitos de SCM é maximizar o valor geral gerado, minimizando o excedente. Segundo os autores todos os fluxos de informações, produtos ou fundos geram custos dentro da cadeia de suprimentos. Assim, o gerenciamento apropriado desses fluxos é fundamental para o sucesso da rede. Slack (2009) aponta três razões importantes para adotar a perspectiva de SCM: competitividade, identificação de elos significativos na rede e o foco em questões de longo prazo. A utilização da automação nas operações logísticas em um CD contribui para o aumento da produtividade. Isso ocorre através da redução dos níveis de estoque, maior velocidade no ciclo operacional, redução de erros, aumento da prevenção de riscos, redução de tempos e de custos. (BOWERSOX e CLOSS, 2009). Carvalho e Campos (2009) ressaltam a importância do meio acadêmico nacional interagir no sentido de tratar questões que viabilizem a utilização de sistemas que resolvam problemas específicos das comunidades e empresas. A pergunta que se propõe a responder, a partir da análise de artigos produzidos no Brasil em periódicos relacionados à Engenharia de Produção: quais

3 seriam as etapas necessárias para avaliar a implantação de um WMS, de forma a se tornar uma eficaz solução para um Centro de Distribuição? 3. Objetivos O objetivo geral deste estudo é pesquisar quais são as etapas para implantação de um WMS. Como objetivos específicos, pretende-se detalhar as fases identificadas. 4. Metodologia Para construir um modelo teórico de pesquisa, é necessária um extensa revisão da literatura (VOSS, 2002). A revisão deve assinalar a congruência e as contradições encontradas nos trabalhos que se relacionam ao assunto, e Echer (2001), sugere que o pesquisador faça a reelaboração da mensagem construindo novo texto com discussão e reflexão própria, organizando as referências por inclusão. No caso deste trabalho, a revisão da literatura teve como foco os trabalhos publicados em periódicos brasileiros selecionados, vinculados com programas de Engenharia de Produção. A primeira etapa buscou selecionar na área de Engenharias III, que é onde se concentra a área de conhecimento Engenharia de Produção, periódicos com conceitos até B5 no QUALIS-CAPES (WEBQUALIS, 2013). O conjunto de procedimentos utilizados pela CAPES para fazer a classificação da qualidade da produção intelectual dos programas é realizada pelas áreas de avaliação e por processo anual de atualização. Os estratos indicativos da qualidade são: A1, o mais elevado; A2; B1; B2; B3; B4; B5; C-peso zero. Nesta classificação são selecionados 8 periódicos: Produção (B2), Gestão e Produção (B2), Produção On Line (B4), Produto e Produção (B4), Produção e Engenharia (B4), Gestão Industrial (B5), Pesquisa e Desenvolvimento (B5) e Gepros-Gestão da Produção, Operação e Sistemas (B5). A Revista Ingepro também está classificada dentro desta avaliação CAPES, mas como no momento desta pesquisa (1º. Semestre de 2014) estava passando por reformulação editorial, não foi incluída na amostra. Para cada um dos periódicos foram selecionados artigos, e os mesmos interpretados, seguindo a seqüência lógica do processo de revisão de literatura. O resultado foi um agrupamento lógico em grupos, que propõem um sequenciamento

4 de etapas. Assim é o método que levou a uma proposição de modelo preliminar, para avaliar a implantação de um sistema de gestão de Centros de Distribuição (WMS). 5. Desenvolvimento Apesar da complexidade do tema, bem como os valores envolvidos, o número de publicações em periódicos brasileiros a respeito de implementações de sistemas WMS é muito baixo. Nos principais periódicos brasileiros vinculados a Engenharia de Produção, o índice de artigos que tratam de soluções de Tecnologia da Informação (TI) aplicados a SCM é menor que 1%. E no caso de WMS não chega a 0,2% de todos os atigos publicados. A partir dos 8 periódicos selecionados pela análise dos resumos e palavraschave de artigos, 30 artigos foram selecionados. Estes artigos foram então lidos e analisados com profundidade. Esta análise permitiu classificar os artigos em quatro grupos, ao relacionar o tema WMS com sua implantação: Aumento de Produtivividade em SCM com o suporte de TI, Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (ERP), Tecnologia da Informação (TI) aplicada a SCM, e Implantação de sistemas WMS. No Quadro 1 está o resumo do levantamento dos dados da pesquisa. REVISTA Total Artigos Produtividade (TI e SCM) ERP SCM e TI WMS Produção Gestão e Produção Produção On Line Produto e Produção Produção & Engenharia Gestão Industrial Pesquisa & Desenvolvimento Gestão Produção, Operações e Sistemas Total % 0,16% 0,30% 0,33% 0,16% QUADRO 1 Artigos pesquisados classificados por Tema. Fonte: Elaborado pelos autores (2014)

5 Conforme o Quadro 1 apresenta, foi possível agrupar a produção em quatro temas: Produtividade (TI e SCM), ERP, SCM e TI e WMS. É apresentada, a seguir, cada um destes temas de maneira detalhada. Ao final da discussão dos resultados encontrados por tema apresenta-se a proposta do modelo. 5.1 Aumento de Produtivividade em SCM com o suporte de TI Os artigos selecionados têm um primeiro grupo que justifica a utilização da Tecnologia da Informação como suporte para uma melhor implantação de conceitos que envolvem a cadeia de suprimentos. A viabilização de conceitos e técnicas através da utilização da Tecnologia da Informação demonstra ganhos de produtividade em execução de processos no ambiente produtivo (LAURINDO et al, 2001; SANTOS e LAURINDO, 2005; MARTINS et al, 2008). Modelos matemáticos e estatísticos são viáveis de serem implantados em problemas como os que envolvem as decisões logísticas (SANTOS, FELIX e VIEIRA, 2012), mesmo que originalmente tenha surgido em outras áreas do conhecimento. Mas o aumento de produtividade esperado pela adoção de novas práticas ou métodos não pode ser confundido com a implantação desordenada e imediatista. Para se obter as contribuições esperadas dos investimentos é necessário atrelar a uma estutura abrangente e planejada, para ser implementada integralmente em um ambiente gerencial que proporcione seu sucesso (SANTOS e MARTINS, 2010). Santos e Laurindo (2005) definem 5 fatores de suporte a TI para o aumento da produtividade: Adequação dos processos de negócios; Capacitação profissional adequada e gestão do conhecimento; Verificação da intensidade de informação e do grau de inovação nos produtos e processos; Observação das especificidades de cada área da organização; Flexibilização na estrutura de TI da empresa, de modo a atender rapidamente ao mercado. Todos estes aspectos são relevantes para o aumento de produtividade esperado. Santos, Felix e Vieira (2012) reforçam que direcionar esforços de forma isolada pode não garantir o resultado desejado, sendo recomendável planejar e coordenar ações gerenciais de forma integrada, com uma avaliação de todo o processo. Complementando este tópico, os fatores de suporte devem estar alinhados com os resultados esperados de uma implantação de TI a um processo produtivo, conforme apresentado por Martins et al (2008): melhorar a eficiência das operações

6 de planejamento, programação e controle; melhorar as comunicações, desde a coleta de dados; facilitar as tomadas de decisões gerenciais por meio da disponibilização de informações adequadas. Estes resultados implicam num segundo foco de estudo identificado na pesquisa que são as fontes e as maneiras que os dados estão disponíveis nas empresas. 5.2 Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Para garantir a confiabilidade e acesso às informações necessárias, um sistema de informação é necessário para permitir a integração dos processos executados pelas diversas áreas das empresas (MENDES e ESCRIVÃO FILHO, 2007). Os processos desenvolvidos em um Centro de Distribuição possuem estas características. Côrtes e Lemos (2008) citam que o uso de sistemas integrados de gestão (ERP) vem crescendo pela perspectiva de melhoria de processos, melhores controles e eliminação de redundâncias. Pradella e Silva (2005) tem em suas conclusões que existe um crescente aumento da importância da informação na gestão das cadeias de suprimentos, com a tomada de decisão e a distribuição da informação sendo pontos de maior enfoque. Para Gomes e Costa (2013), isto justitica a importância de uma informação de alta qualidade, pois prazos e custos são decorrentes da informação pobre no sistema isto pode explicar o porquê a implantação de um ERP exigir o desenvolvimento intelectual dos recursos humanos, devido a sua complexidade (MENDES FILHO e TEIXEIRA, 2005). Maior integração entre as áreas funcionais das empresas e a melhoria da transparência na comunicação podem reduzir os custos de transação envolvidos (VIEIRA, YOSHIZAKIB, LUSTOSAC, 2010). Oliveira e Hatakeyama (2012) observam lacunas de pesquisas relacionadas às aplicações onde se concentra a maior complexidade operacional desses sistemas ERP, sugerindo estudos relacionados a soluções mais específicas, ou funcionalidades focadas para as particularidades de cada tipo de indústria. Isto vai de encontro com Valentim et al (2014) que ressaltam a necessidade de um ERP ser atualizado, para que as mudanças de versões tragam alguma vantagem e maior

7 integração e comunicação com usuários. O ERP como outro qualquer sistema, necessita de manutenção, e deve ser abordado como um sistema aberto, dinâmico e flexível (CAMPOS e MEDEIROS, 2009). Gomes e Costa (2013) trazem como contribuição que a visão do todo e o uso de ferramentas de decisão adequadas são fundamentais para maior aproveitamento de uma solução final com o ERP. E o fato dos Sistemas ERP possibilitarem o processamento das informações necessárias em uma empresa usando um único banco de dados (CARVALHO e CAMPOS, 2009), torna o ERP algo necessário para atender o primeiro nível de coordenação exigido pelo SCM, que refere-se ao fluxo de informações. Isto deve ocorrer através de modernos sistemas de informação capazes de fornecer visibilidade para todos os elementos da cadeia, segundo Pradella e Silva (2005). 5.3 Tecnologia da Informação aplicada a SCM Ballou (2006) expõe que em 45 anos o processo que era associado apenas ao fluxo de produtos realizados por atividades individuais passou a ser um conjunto de processos integrado com a denominação de gestão de uma cadeia de suprimentos (Supply Chain Management). Segundo Marchesini e Alcântara (2013), com SCM, a função logística necessita estar presente nos processos-chave de negócio, realizando atividades que dão suporte aos processos e/ou áreas departamentais. Teixeira e Lacerda (2010) afirmam que a gestão da cadeia de suprimentos é um tema complexo que envolve um conjunto elevado de variáveis e relacionamentos. As ferramentas tecnológicas de SCM consolidam-se cada vez mais nas organizações (OLIVEIRA e HATAKEYAMA, 2012) e as mesmas foram privilegiadas com a revolução tecnológica, tornando possível a troca de informação em tempo real (TORRES, PADOZE e PIRES, 2012). As ferramentas de SCM devem estar adequadas para atender aos elevados níveis de competição, aliados à constante necessidade de resultados eficientes (SOUZA, KLIEMANN NETO, ANZANELLO, 2012). O compartilhamento de informações logísticas talvez seja prioridade para a melhoria do desempenho logístico e diminuição de custos com retrabalho (VIEIRA, YOSHIZAKIB, LUSTOSAC, 2010). É necessária a gestão da

8 informação de forma efetiva, integrando as várias atividades logísticas para melhorar os fluxos de produtos físicos (BRANSKI e LAURINDO, 2013). Maçada, Feldens e Santos (2007) em seu trabalho apresentam TI no processo de gestão da cadeia de suprimentos como ferramenta estratégica, revelando que as empresas estão utilizando a TI para obter ganhos no processo de gestão da cadeia de suprimentos, positivo em todo o conjunto de variáveis. Marques e Alcântara (2004) chamam a atenção que para a análise dos benefícios advindos da adoção de conceito para a eficiência na gestão da cadeia de suprimentos, esta deve considerar as características facilitadoras e limitadoras. Oliveira e Leite (2010) propõem modelo que oferece subsídios relevantes para o desenvolvimento de projetos em SCM. Este modelo tem como base um mapeamento contextualizado da cadeia de suprimentos, que poderá subsidiar o desenvolvimento de projetos ou aperfeiçoar os processos de gestão através de intervenções mais adequadas e 5.4 Implantação de Sistemas de WMS Segudo Branski e Laurindo (2013), para aumentar a competitividade é essencial a integração das diversas atividades logísticas, como transporte, controle do estoque e gestão da distribuição, que decorre da partilha de informação apoiada pelas tecnologias (TI). No caso de estoques e armazéns, se não forem, bem administrados, custos são gerados por descartes e desperdícios de materiais, e uma das formas e evitar este problema é a adoção do WMS (GUARNIERI et al, 2006). As funcionalidades de um sistema WMS incluem a operação de armazenagem e distribuição, gerenciamento das informações e acuracidade de inventário (RIBEIRO, SILVA, BENVENUTO, 2006; SORIANO e SALGADO JUNIOR 2014). A adoção de um sistema WMS possibilita às empresas maior eficiência na gestão da cadeia logística e aumento de forma significativa da competitividade nos diversos segmentos de mercado, benefícios relacionados à produtividade e à velocidade no fluxo de informações no centro de distribuição (MACHADO e SELLITTO, 2012). O WMS é identificado como a principal ferramenta de tecnologia da informação disponível para o gerenciamento de armazéns (RIBEIRO, SILVA, BENVENUTO, 2006).

9 Para descrever as etapas de implementação de um WMS em um CD é necessário ter um planejamento com as várias etapas necessárias para uma boa implementação. E, segundo Costa e Gobbo Junior (2008) o resultado final esperado é que a operação do WMS ocorra de forma harmoniosa com os demais sistemas da empresa. O trabalho de Soriano e Salagado Junior (2014) apresenta algumas considerações para o sucesso de uma implantação do WMS: a importância da realização de um bom cadastro de produtos; o mapeamento dos processos organizacionais por parte das empresas; o treinamento prévio dos colaboradores envolvidos na operação, e, por fim, a criação de uma equipe multiplicadora do conhecimento sobre o WMS. A escolha de um bom fornecedor e o estabelecimento de parceria para a integração no tratamento dos itens e suas formas e volumes. Por isso é necessário ter um planejamento entre cliente e fornecedor integrado, pois várias etapas são necessárias para a implementação (COSTA e GOBBO JUNIOR, 2008). Ribeiro, Silva e Benvenuto (2006) alertam para o processo pré-implantação. Os autores sugerem que as empresas procurem soluções que se adequem aos seus processos, e não o contrário. Se o contrário ocorrer, levará à desestruturação da organização, das rotinas e ao descontentamento da maioria dos funcionários com gastos excessivos. 6. Resultados Baseado na produção científica em periódicos nacionais de Engenharia de Produção, o modelo proposto na Figura 1 é sugerido. Esta proposta foi construída a partir da identificação dos 4 temas que tiveram artigos produzidos relacionando TI, SCM e WMS. Cada grupo foi ordenado numa sequência lógica de avaliação, e os autores referenciados para maior detalhamento do que se deve buscar em cada uma das etapas. A lógica do modelo tem como primeira etapa a busca pela produtividade com os conceitos de SCM, e assim realizar a modelagem do que se pretende implantar. Depois a avaliação do estágio atual de integração dos sistemas, os processos de

10 SCM e por fim a avaliação da implantação do WMS, após passar pelos 3 primeiros passos. 1. Avaliar os fatores de produtividade. (SANTOS e LAURINDO, 2005), e Modelar o Problema (SANTOS, FELIX e VIEIRA, 2012) 3. Detalhar processos de SCM. (OLIVEIRA e HATAKEYAMA, 2012; SOUZA, KLIEMANN NETO, ANZANELLO, 2012; BRANSKI e LAURINDO, 2013) 2. Diagnosticar nível de integração dos sistemas e/ou necessidade de ERP. (PRADELLA e SILVA, 2005; MENDES e ESCRIVÃO FILHO, 2007; CÔRTES e LEMOS, 2008; OLIVEIRA e HATAKEYAMA, 2012) 4. Identificar a integração necessária de dados para a implantação do WMS. (RIBEIRO, SILVA, BENVENUTO, 2006; GUARNIERI et al, 2006; COSTA e GOBBO JUNIOR, 2008; MACHADO e SELLITTO, 2012; SORIANO e SALGADO JUNIOR, 2014) FIGURA 1: Modelo Preliminar à Implantação de um WMS. Fonte: Elaborado pelos autores (2014) 7. Considerações Finais Implantar um sistema de WMS não é uma decisão a ser tomada sem antes considerar pré requisitos até sua implantação. Estas etapas são fundamentais para o sucesso da implantação. A primeira etapa proposta no modelo é de avaliar os benefícios do conceito antes de se adaptar uma solução. Como apontado por artigos apresentados neste artigo, o contrário gera problemas que irão impactar nos resultados esperados. A análise dos fatores que geram competitividade, modelagem do problema e análise custo benefício fazem parte desta etapa, ao invés de partir de soluções ofertadas por fornecedores que podem não atender as necessidades e gerar prazos e custos não desejados. A segunda etapa é diagnosticar o nível de integração de dados que a empresa se encontra. A implantação de um ERP pode ser essencial no caso a ser implantado o WMS, devido às características de produtos e volumes. Isto significa que pensar em um WMS em uma empresa que não tem um ERP ou a integração dos sistemas transacionais, pode gerar problemas e inviabilizar a implantação plena da solução.

11 Portanto, talvez seja necessário outros sistemas ou necessidades de TI antes de se pensar em implantar um WMS. A terceira etapa é detalhamento de outros processos de SCM, que estão ou serão implantados para assim verificar a conectividades do WMS aos mesmos. Não se recomenda implantar um processo ou sistema sem pensar na integração deste com um todo, ainda mais sob o conceito de SCM. A quarta e última etapa é identificar a especificação necessária para o WMS a ser adotado. Com as 3 primeiras etapas concluídas, neste momento é possível buscar soluções e fornecedores que atendam tecnicamente a necessidade. Os fornecedores de soluções devem propor soluções dentro da realidade do problema, TI e SCM da empresa, trazendo a expectativa dos resultados esperados. Nesta etapa também sugere-se clareza com o fornecedor selecionado e a apresentação e comunicação de um Pré projeto para seguir a aprovação e comunicação internas. Outra conclusão deste trabalho é que a produção científica na área de Engenharias III, e em Engenharia de Produção, é pouca, pelo número de artigos selecionados numa amostra de artigos. Somente 5 artigos especificamente se referiam a implatanção de um WMS. Também se nota nos artigos de SCM e TI que o WMS não é citado, e sim os processos de SCM. A pesquisa aponta para uma possível lacuna de estudos e pesquisas especificamente na implantação de soluções de TI como o WMS. Os índices de implantação de WMS no Brasil e os altos custos de armazenagem no país dão a dimensão da importância para o crescimento de pesquisa no tema. Apesar do foco deste trabalho ser a produção científica em periódicos acadêmicos de Engenharia de Produção nacionais, uma das limitações deste trabalho pode ser justamente a composição da amostra. Periódicos acadêmicos de outras áreas tais como Administração e Tecnologia da Informação também podem ter estudos sobre sistemas WMS que não foram considerados neste trabalho. 8. Fontes Consultadas ALVES, P L Implantação de tecnologias de automação de depósitos: um estudo de casos Dissertação de Mestrado Administração, Universidade Federal do Rio de Janeiro, ASLOG Disponível em Apresentacao-Slides, última consulta em 21 de junho de 2014, 2010 BALLOU, R H Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos: Logística Empresarial Bookman, 2006

12 A evolução e o futuro da logística e do gerenciamento da cadeia de suprimentos. Produção v. 16, n. 3, p , Set./Dez BANCO MUNDIAL, Logística de Carga no Brasil: Como reduzir Custos Logísticos e Melhorar Eficiência? - Sumário Executivo, World Bank, BENFICA, K L P; DE FARIA, A F Proposta de requisitos para um sistema de informação para a gestão do conhecimento em empresas nascentes de base tecnológica. Revista Eletrônica Produção & Engenharia, v. 5, n. 1, p , Jan./Jun BOWERSOX, D. J.; CLOSS, D. J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos. 1. ed. São Paulo: Atlas, BRAGA, L M Gestão de Armazenagem em um Supermercado de Pequeno Porte. Revista P&D em Engenharia de Produção Nº. 08, p BRANSKI, R M; LAURINDO, F J B Tecnologia da informação e integração das redes logísticas. Gest. Prod., São Carlos, v. 20, n. 2, p , CALAZANS, F Centros de Distribuiçao. Gazeta Mercantil, agosto, 2001 CAMPOS, C A O; MEDEIROS, DD Um modelo de integração de sistemas de gestão.produção v19, n.1, CARVALHO, R A; DE CAMPOS R Uma análise de aspectos relacionados ao desenvolvimento e adoção de Enterprise Resources Planning livre de código aberto. Gestão Prod., São Carlos, v. 16, n. 4, p , CORTÊS, P L; LEMOS, M T S Aspectos comportamentais na implantação de sistemas integrados de gestão ERP. GEPROS. Gestão da Produção, Operações e Sistemas - Ano 4, nº 1, Jan-Mar/2009, p COSTA, W A S; GOBBO JÚNIOR, J A Etapas de implementação de WMS: estudo de caso em um varejista moveleiro. GEPROS. Gestão da Produção, Operações e Sistemas - Ano 3, n. 4, p GEPROS. DE OLIVEIRA, J B; LEITE, M S A Modelo analítico de suporte à configuração e integração da cadeia de suprimentos. Gestão & Produção, São Carlos, v. 17, n. 3, p , DOS SANTOS, S L; LAURINDO, F J B Fatores de Suporte ao Aumento da Produtividade da Tecnologia da Informação. Revista Gestão Industrial v. 01, n. 03 : pp , DROHOMERETSKI, E; FAVARETTO, F Um levantamento das causas e efeitos da falta de acuracidade nos estoques: um estudo exploratório. Revista Gestão Industrial v. 06, n. 02: p , ECHER, Isabel C. Revisão de Literatura na Construção do Trabalho Científico. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 5-20, jul FAVARETTO, F Administração de estoques: diferentes formas de medição da acuracidade. Produto & Produção, vol. 13 n. 2, p , jun GOMES, C F S; COSTA, H G Abordagem estratégica para a seleção de sistemas erp utilizando apoio multicritério à decisão. Revista Produção Online, Florianópolis, SC, v.13, n.3, p , jul./set GUARNIERI, P; CHRUSCIACK, D; OLIVEIRA, I V; HATAKEYAMA, K; SCANDELARI, L WMS Warehouse Management System: adaptação proposta para o gerenciamento da logística reversa. Produção, v. 16, n. 1, p , Jan./Abr LAURINDO, F J B; SHIMIZU T; DE CARVALHO, M M; RABECHINI JUNIOR, R O papel da tecnologia da informação (ti) na estratégia das organizações. Gestão & Produção v.8, n.2, p , ago MACHADO, A; SELLITTO, M A Benefícios da implantação e utilização de um sistema de gerenciamento de armazéns em um centro de distribuição. Revista Produção Online. Florianópolis, SC, v.12, n. 1, MAÇADA, A C G; FELDENS L F; DOS SANTOS, A M Impacto da tecnologia da informação na gestão das cadeias de suprimentos um estudo de casos múltiplos. Gestão & Produção, São Carlos, v 14, n 1, MARCHESINI, M M P; ALCÂNTARA, R L C Proposta de atividades logísticas na Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM). Produção, ahead of print Epub 27-Ago MARQUES, E F; ALCÂNTARA, R L C O uso da ferramenta gerenciamento por categoria na gestão da cadeia de suprimentos: um estudo multicaso. Gestão & Produção, v.11, n.2, p , mai.-ago MARTINS, C F; PRADA, C A; DE ABREU, A F; QUEIROZ, A A O papel da Tecnologia da Informação na condução do Planejamento e Controle da Produção: um estudo de caso. GEPROS. Ano 3, nº 1, MEINDL, P ; CHOPRA, S Gestão da Cadeia de Suprimentos: Estratégia, Planejamento e Operações 4ª. Edição. Pearson Education, MENDES, J V; ESCRIVÃO FILHO, E Atualização tecnológica em pequenas e médias mpresas: proposta de roteiro para aquisição de sistemas integrados de gestão (ERP). Gestão & Produção, v. 14, n. 2, MENDES FILHO, L A M; TEIXEIRA, C A Impactos relacionados à implantação de erp: um estudo de casos comparados. Revista Gestão Industrial v. 01, n. 04 : pp , OLIVEIRA, L S; HATAKEYAMA, K Um estudo sobre a implantação de sistemas ERP: pesquisa realizada em grandes empresas industriais. Produção, v. 22, n. 3, p , maio/ago PONTES, H L J; PORTO, A J V Um ambiente de simulação de inventário para um centro de distribuição de peças. Revista Gestão Industrial v. 4, n. 03: p , PRADELLA, C A; SILVA, W R A evolução das cadeias de suprimentos e a contribuição do sistema ERP. Revista Gestão Industrial v. 01, n. 02 : pp , RIBEIRO, P C C; SILVA, L A F; BENVENUTO, S R S O uso de tecnologia da informação em serviços de armazenagem. Produção, v. 16, n. 3, p , Set./Dez RODRIGUES, G G PIZZOLATO, N D Centros de Distribuição: Armazenagem Estratégica Anais do XXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2003 SANTOS, A B; MARTINS, M F Contribuições do Seis Sigma: estudos de caso em multinacionais. Produção v. 20, n. 1, p , 2010.

13 SANTOS, A V N; FELIZ, L B; VIEIRA, J G V Estudo da logística de distribuição física de um laticínio utilizando lógica fuzzy. Produção, v. 22, n. 3, p , maio/ago SLACK, Nigel; JOHNSTON, Robert, CHAMBERS, Stuart. Administração da Produção. 3ª Edição. São Paulo: Atlas, SCRAMIM, F C L; BATALHA, M O Método para análise de benefícios em cadeias de suprimento: um estudo de caso. Gestão & Produção, v.11, n.3, p , set.-dez SORIANO, F F; SALGADO JUNIOR, A P Uma análise do sistema de gestão wms: um estudo multicaso em empresas desenvolvedoras e usuárias. Revista Produção Online, Florianópolis, SC, v.14, n.1,2014. SOUZA, D V S; KLIEMANN NETO, F J; ANZANELLO, M J Avaliação de desempenho da cadeia de suprimentos balizada por critérios de competitividade empresarial. Revista Produção Online, Florianópolis, SC, v.12, n. 3, p , jul./set TEIXEIRA, R; LACERDA, D P Gestão da cadeia de suprimentos: análise dos artigos publicados em alguns periódicos acadêmicos entre os anos de 2004 e Gestão & Produção, São Carlos, v.17, n.1, TORRES, A; PADOZE, C L; PIRES, S R I Apoio da tecnologia da informação e comunicação como estratégia competitiva na gestão da cadeia de suprimentos. Revista Gestão Industrial v. 08, n.01, VALETIM, O A; POLITANO, P R; PEREIRA, N A; ARAÚJO FILHO; Análise comparativa entre a implementação e atualização do sistema ERP R/3 da SAP considerando os fatores críticos de sucesso descritos na literatura: um estudo de caso em uma empresa do segmento de bebidas. Gestão & Produção., São Carlos, v. 21, n. 1, p , VIEIRA, J G V; YOSHIZAKI, H T Y; LUSTOSA, L J Um estudo exploratório sobre colaboração logística em um grande varejo supermercadista. Prod. v. 20, n. 1, p , VISENTINE, M S; BORENSTEIN, D Modelagem do projeto da cadeia de suprimentos global: considerações teóricas e perspectivas futuras. Gestão & Produção São Carlos ahead of print Epub 21-Mar VOSS, Chris; TSIKRIKTSIS, Nikos; FROHLICH, Mart. Case research in operations management International. Journal of Operations & Production Management, v.22, n. 2, WEBQUALIS consultado em 30 de maio de 2014

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO Umberto Sales Mazzei Bruno Vieira Bertoncini PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO / E.E. ESTERINA PLACCO (EXTENSAO) Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística CONCEITOS O nome Supply Chain, cujo termo têm sido utilizado em nosso país como Cadeia de Suprimentos, vem sendo erroneamente considerado como

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos Prof. Paulo Medeiros Introdução nos EUA surgiram 100 novos operadores logísticos entre 1990 e 1995. O mercado para estas empresas que

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO. Prof. Esp. Lucas Cruz

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO. Prof. Esp. Lucas Cruz SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Prof. Esp. Lucas Cruz SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Os SIs têm o objetivo de automatizar os diversos processos empresariais, visando aumentar o controle e a produtividade, bem

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações.

Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações. Supply Chain Finance 2011 Supply Chain Finance 2011 3 Supply Chain Finance 2011 Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações. Autor: Vanessa

Leia mais

Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos. Prof. Paulo Medeiros

Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos. Prof. Paulo Medeiros Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos. Prof. Paulo Medeiros Supply Chain Management O período entre 1980 e 2000 foi marcado por grandes transformações nos conceitos gerenciais,

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - FUNDAMENTOS DA GESTÃO DE ESTOQUES 1

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - FUNDAMENTOS DA GESTÃO DE ESTOQUES 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO XIll CAPÍTULO 1 - FUNDAMENTOS DA GESTÃO DE ESTOQUES 1 OBJETIVO DO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 APRESENTAÇÃO 1 BREVE HISTÓRICO DA ABORDAGEM SOBRE os ESTOQUES 4 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE ESTOQUES

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Objetivos da aula: - Explorar as principais motivações para a redução dos níveis de estoque e as armadilhas presentes na visão tradicional, quando é focada apenas uma empresa em vez de toda a cadeia de

Leia mais

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010 Artigo publicado na edição 17 Assine a revista através do nosso site julho e agosto de 2010 www.revistamundologistica.com.br :: artigo 2010 Práticas Logísticas Um olhar sobre as principais práticas logísticas

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial

Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Tecnologia da Informação: Otimizando Produtividade e Manutenção Industrial Por Christian Vieira, engenheiro de aplicações para a América Latina da GE Fanuc Intelligent Platforms, unidade da GE Enterprise

Leia mais

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015

Código da Disciplina: ENEX01427. Semestre Letivo: 1ºSEM/2015 Unidade Universitária: FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA Curso: Sistemas de Informação Disciplina: SISTEMAS DE GESTÃO DE FINANÇAS E CUSTOS Etapa: 07 Carga horária: 68 Teóricas, 0 Práticas, 0 EaD Ementa:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso SUPERIOR DE TECNOLOGIA

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

1. Introdução. 1.1. A história do ERP

1. Introdução. 1.1. A história do ERP 1. Introdução Podemos definir os sistemas ERP como sistemas de informação integrados na forma de um pacote de software que tem a finalidade de dar suporte à maioria das operações de uma organização. A

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e. no Brasil com base na Pesquisa de Inovação Tecnológica PINTEC

Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e. no Brasil com base na Pesquisa de Inovação Tecnológica PINTEC USCS UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Guilherme Yukihiro Dallaido Shibata Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e no Brasil com

Leia mais

Sistemas Integrados ASI - II

Sistemas Integrados ASI - II Sistemas Integrados ASI - II SISTEMAS INTEGRADOS Uma organização de grande porte tem muitos tipos diferentes de Sistemas de Informação que apóiam diferentes funções, níveis organizacionais e processos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS 7ª ETAPA GESTÃO EMPRESARIAL: FOCO SISTEMAS CORPORATIVOS Disciplina: ESTRATÉGIAS EM SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL ENEX00614 (34) Teóricas 34 h/a Conceitos básicos de estratégia

Leia mais

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente.

Logística Integrada. Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Logística Integrada Esse termo refere-se ao papel da Logística como elemento de ligação entre todos os processos, desde o Fornecedor até o Cliente. Ballou (1993) Fonte: BALLOU, R. H. Logística Empresarial.

Leia mais

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação Janniele Aparecida Como uma empresa consegue administrar toda a informação presente nesses sistemas? Não fica caro manter tantos sistemas diferentes? Como os

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS ERP (Enterprise Resource Planning) Em sua essência, ERP é um sistema de gestão empresarial. Imagine que você tenha

Leia mais

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI

23/08/2013. Tecnologia da Informação. Transportes SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO INTEGRADA DA LOGISTICA SEMINÁRIO: MOVIMENTAÇÃO E TI ANNA KAROLINE DINIZ CAMILA MOURA FAVARO FERNANDO DOS ANJOS REINALDO FRANCISCO TIAGO SOUZA

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Área de conhecimento: Gestão e Negócios Componente Curricular: Gestão da Cadeia

Leia mais

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução 19 Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS: APRIMORAMENTO DA METODOLOGIA DE DIAGNOSTICO E PROPOSIÇÃO DE UM MÉTODO PARA IMPLANTAÇÃO BASEADO EM PROCESSOS DE NEGÓCIO Autor(es) FELIPE

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: ASPECTOS SOCIOTÉCNICOS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: ASPECTOS SOCIOTÉCNICOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: ASPECTOS SOCIOTÉCNICOS Prof. Marcelo Rodrigues dos Santos UFMG e Fundação Dom Cabral Prof. Stéfano Angioletti UFMG e Fundação Dom Cabral Prof. Marcello

Leia mais

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PRESIDENTE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Qualificação: TÉCNICO EM LOGÍSTICA

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Qualificação: TÉCNICO EM LOGÍSTICA Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEC. RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: BAURU/SP Área Profissional: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM LOGÍSTICA Qualificação:

Leia mais

ACADEMIA DE MM (GESTÃO DE MATERIAIS)

ACADEMIA DE MM (GESTÃO DE MATERIAIS) A Academia é o melhor caminho para especialização dentro de um tema no ERP da SAP. Para quem busca uma formação com certificação em gestão de materiais, o mais indicado é participar da Academia de MM.

Leia mais

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014 Resumo Introdução O Comércio Eletrônico é um dos aspectos relevantes no ambiente empresarial atual e tem recebido atenção especial das empresas nos últimos anos, primeiro por ser considerado como uma grande

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação (X) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

Adicionando valor na produção

Adicionando valor na produção Adicionando valor na produção Em um mercado global altamente competitivo e em constantes transformações, a otimização do resultado dos processos de produção é fundamental. Pressões ambientais e de custo,

Leia mais

Workflow como Proposta de. Workflow. O Gerenciamento de Processos. Prof. Roquemar Baldam roquemar@pep.ufrj.br

Workflow como Proposta de. Workflow. O Gerenciamento de Processos. Prof. Roquemar Baldam roquemar@pep.ufrj.br Workflow como Proposta de Automação Flexível O Gerenciamento de Processos Planejamento do BPM Diretrizes e Especificações Seleção de processo críticos Alinhamento de processos à estratégia www.iconenet.com.br

Leia mais

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Louis Albert Araujo Springer Luis Augusto de Freitas Macedo Oliveira Atualmente vem crescendo

Leia mais

Logística Internacional. Aula 5. Organização da Aula. Fluxo Logístico. Contextualização. Prof. Luiz Fernando R. Campos. Tópicos a serem abordados

Logística Internacional. Aula 5. Organização da Aula. Fluxo Logístico. Contextualização. Prof. Luiz Fernando R. Campos. Tópicos a serem abordados Logística Internacional Aula 5 Prof. Luiz Fernando R. Campos Organização da Aula Tópicos a serem abordados Fluxos logísticos Desafios logísticos Tecnologias emergentes Inovações tecnológicas Fluxo Logístico

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

O PAPEL DO CONTROLE DE ESTOQUE NA CENTRALIZAÇÃO DE COMPRAS

O PAPEL DO CONTROLE DE ESTOQUE NA CENTRALIZAÇÃO DE COMPRAS O PAPEL DO CONTROLE DE ESTOQUE NA CENTRALIZAÇÃO DE COMPRAS Mauricio João Atamanczuk (UTFPR) atamanczuk@hotmail.com João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Antonio Carlos de Francisco (UTFPR)

Leia mais

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo Rhind Group É uma empresa estruturada para prover soluções em consultoria e assessoria empresarial aos seus clientes e parceiros de negócios. Com larga experiência no mercado, a Rhind Group tem uma trajetória

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI GEDAÍAS RODRIGUES VIANA 1 FRANCISCO DE TARSO RIBEIRO CASELLI 2 FRANCISCO DE ASSIS DA SILVA MOTA 3

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PLANO DE ENSINO Disciplina: FUNDAMENTOS DE LOGÍSTICA. Carga Horária:

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP)

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional (PMP) Evolução da TI nas Organizações Estágios de Evolução da TI nas Organizações

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Academia MM Gestão de Materiais

Academia MM Gestão de Materiais Academia MM Gestão de Materiais A Academia é melhor caminho para especialização dentro de um tema no ERP da SAP. Para quem busca uma formação com certificação em gestão de materiais, o mais indicado é

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Plano Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico Nível

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA A informação sempre esteve presente em todas as organizações; porém, com a evolução dos negócios, seu volume e valor aumentaram muito, exigindo uma solução para seu tratamento,

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX:

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO SUPPLY CHAIN MANAGEMENT: UMA INTRODUÇÃO À UM MODELO DE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO BURGO, Rodrigo Navarro Sanches, RIBEIRO, Talita Cristina dos Santos, RODRIGUES,

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Gustavo Gerlach (FAHOR) gg000675@fahor.com.br Édio Polacinski (FAHOR) edio.pk@gmail.com.br Resumo

Leia mais

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 Índice 1. Importância do ERP para as organizações...3 2. ERP como fonte de vantagem competitiva...4 3. Desenvolvimento e implantação de sistema de informação...5

Leia mais

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções.

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções. Revisão 1 Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento Coletar informação; e Identificar as direções. Precisa; Clara; Econômica; Flexível; Confiável; Dirigida; Simples; Rápida;

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS E PORTUGUESAS

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS E PORTUGUESAS 1 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS E PORTUGUESAS São Carlos SP Abril 2011 Euro Marques Júnior USP eurojr@uol.com.br Educação Universitária Serviços

Leia mais

Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte

Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte III SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte Alexandre Valentim 1 Heloisa Nogueira 1 Dário Pinto Junior

Leia mais

Cooperação e capital intelectual para sustentabilidade de ecossistemas organizacionais. Marco A. Silveira

Cooperação e capital intelectual para sustentabilidade de ecossistemas organizacionais. Marco A. Silveira Cooperação e capital intelectual para sustentabilidade de ecossistemas organizacionais Marco A. Silveira Dezembro, 2011 SUMÁRIO Introdução à sustentabilidade Cooperação Capital intelectual Cooperação e

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Prof. Lucas Santiago

Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação são classificados por

Leia mais

Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos

Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos Peter Wanke Introdução Este texto é o primeiro de dois artigos dedicados à análise da gestão de estoques, a partir de uma perspectiva

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema ERP; Processos de Desenvolvimento, Seleção, Aquisição, Implantação de ERP; Aderência e divergência

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCES PLANNING

SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCES PLANNING SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCES PLANNING SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCEES PLANNING O ERP (Planejamento de Recursos Empresariais) consiste num sistema interfuncional que tem por missão integrar e automatizar

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais