ATA DA 7ª REUNIÃO PÚBLICA DA REASA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA DA 7ª REUNIÃO PÚBLICA DA REASA"

Transcrição

1 ATA DA 7ª REUNIÃO PÚBLICA DA REASA Aos 10 dias do mês de dezembro de 2012, às 19 horas na residência do Sr. Lúcio Pimenta, Serra da Ferrugem, zona rural de Conceição do Mato Dentro, realizou-se a 7ª reunião pública da Rede de Acompanhamento Socioambiental REASA, cujo objetivo é tratar de questões afetas aos atingidos pelo empreendimento minerário Minas-Rio, de responsabilidade da empresa Anglo Ferrous Minas-Rio Mineração S/A. Estavam presentes: o Promotor de Justiça Marcelo Mata Machado Leite Pereira da Comarca de Conceição do Mato Dentro; o Promotor de Justiça Felipe Faria de Oliveira da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente das Bacias dos Rios Jequitinhonha e Mucuri; a Defensora Pública Flávia Marcelle Torres Ferreira de Morais; os servidores do Ministério Público do Estado de Minas Gerais José Evangelista Sodré, Luiz Tarcizio Gonzaga de Oliveira e Ester Alice Pimenta, representantes das comunidades e diversos moradores de várias comunidades da região e demais conforme lista de presença. Na abertura da reunião o servidor Luiz deu a todos boas vindas, convidando o representantes das comunidades a tomarem lugar na roda e passou a palavra ao Promotor de Justiça Marcelo Mata Machado Leite Pereira que falou sobre a criação e o desenvolvimento da REASA que, segundo o Promotor, ganhou reconhecimento e representatividade, mas ainda precisa continuar avançando no campo das ações para resgatar valores perdidos no processo de implantação da mineração, tais como respeito aos direitos humanos, atenção às questões ambientais e à comunidade. Após desejou boas festas a todos, reiterando o compromisso da REASA em suas diversas representações em avançar cada vez mais com ações efetivas. Foi então comunicado aos presentes que, em virtude da ausência da Sr.ª Soraia, a Sr.ª Ester

2 faria a gravação da reunião em formato de áudio digital e, posteriormente, redigiria a ata da reunião. Em seguida foi aprovada a ata da 6.ª Reunião da REASA, da maneira como publicada. Na seqüência, foi solicitado a todos os presentes autorização para a gravação da reunião bem como a publicação do áudio no site da REASA, tendo todos concordado. Foi alterada a pauta da reunião, abrindo espaço para a fala do empreendedor logo após a aprovação da ata anterior, a fim de dar sequência ao raciocínio dos encaminhamentos definidos na reunião anterior. Em seguida foi passada a palavra para o Sr. Mauricio Martins, Gerente Geral de Desenvolvimento Social da Anglo American, que convidou o Sr. Daniel Medeiros, Gerente de Licenciamento da Anglo American para realizar a apresentação. O Sr. Daniel explicou que a Área Diretamente Afetada ADA é a porção do terreno que será utilizada pelo empreendimento, sofrendo impactos diretos e efetivos decorrentes de sua implantação e operação e que, portanto, terá suas funções originais territoriais e ambientais alteradas em definitivo pelo projeto. Sr. Daniel Disse que a ADA do empreendimento compreende a região industrial, área industrial, barragem de rejeitos, canteiro de obras, adutoras, estradas de ligação e de acesso interno, alojamentos que abrange a região do Sapo Ferrugem. Daniel disse ainda que a metodologia utilizada para definir a ADA neste empreendimento é a mesma utilizada para todo empreendimento minerário licenciado, e que foi definida no estudo apresentado e aprovado na URC. Sr. Daniel disse que depois de definida a ADA foram feitos cadastros para definir quem seria diretamente afetado pela empreendimento; na 42.ª reunião da URC, foi feita a inclusão de famílias, quando a Anglo fez uma correção dos dados informados e aconteceu também mais uma inclusão de espólio a pedido da SUPRAM. O Sr. Daniel disse que, inicialmente, seriam 69 núcleos familiares diretamente afetados, sendo 30

3 proprietários e 39 posseiros; após as inclusões chegou-se ao total de 80 núcleos familiares afetados. O Sr. Daniel apresentou em um mapa a área definida como diretamente afetada no projeto Minas Rio e a posição dos núcleos familiares incluídos no PNF (Plano de Negociação Fundiária) e finalizando se coloca à disposição para conversar sobre a situação de cada um. Logo em seguida o Promotor Dr Marcelo comentou que na reunião anterior teve a oportunidade de ouvir o Sr. Ricardo, da Diversus, o qual desenvolveu um estudo a respeito da área diretamente afetada e aos atingidos pelo empreendimento, e afirmou que o Ministério Público Estadual, o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública entendem que o relatório da Diversus apresenta elementos novos sobre a metodologia utilizada; que os dados apresentados pelo Sr. Daniel são legítimos, mas que a realidade é um pouco diferente e que, com base no relatório da Diversus, o Ministério Público propõe que o empreendedor revise a metodologia utilizada no âmbito da SUPRAM. O Promotor Dr Marcelo afirma que a meta é trabalhar junto à empresa para a realização de um novo estudo sobre a Área Diretamente Atingida. A Sra. Patrícia Generoso afirmou que não há consenso sobre a metodologia para definição da área diretamente afetada, que o órgão ambiental determinou que fosse feita a complementação do cadastro e que foi determinada a complementação dos dados através de um estudo realizado por uma empresa independente porque o estudo realizado pelo empreendimento não contempla as vidas humanas afetadas. O Sr. Daniel disse ainda que a análise e discussão da metodologia são positivas e que o relatório da Diversus está sendo analisado com o auxilio da empresa Ferreira Rocha, uma empresa de consultoria. Sra. Flávia Lílian, da Comunidade da Água Quente, perguntou ao Sr. Daniel como a empresa encarava as pessoas fora da ADA. O Sr. Daniel respondeu dizendo que a empresa tem a responsabilidade de

4 minimizar e evitar os impactos sofridos por estas pessoas em virtude das operações da mineradora. Sra. Flávia perguntou, então, se a empresa reconhecia que as pessoas fora da ADA também seriam impactadas. Sr. Daniel disse que a empresa reconhece que, segundo os relatórios, pode haver impactos indiretos e que é responsabilidade da empresa evitá-los. O Sr. Lúcio Guerra Júnior perguntou ao Sr. Daniel se a área apontada no mapa era a definida como cava na LP. Sr. Daniel respondeu que não, que a área indicada no mapa era a área da cava apontada na LI e, portanto era menor que a área apontada na LP. O Sr. Júnior afirmou que se a ADA é maior do que a área apontada no mapa; que a empresa que demonstrava falta de vontade de caminhar no processo para resolver as questões. O S. Júnior dirigiu-se aos representantes da empresa perguntando se Sebastião Soares dos Santos, Sr. Agripino José Maria, José Liberato da Silva eram considerados pessoas diretamente atingidas pela empresa. O Sr. Maurício Martins afirmou que ainda não tinha estas respostas e que não tinha definição de quais pessoas eram atingidas. O Sr. Júnior comentou que a cava foi licenciada na LP, que estas pessoas estavam dentro da cava e que a empresa não reconhece nem mesmo quem está dentro da ADA. Solicitou que se apurassem os fatos e responsabilizasse quem quer que fosse pelas omissões de informação em todo o processo. Dando seguimento à pauta foi solicitado ao Empreendedor a apresentação nominal de cada atingido, com o status de cumprimento de cada uma das obrigações estabelecidas no termo de IRAPÉ e demais condicionantes relativas ao tema. O Sr. Maurício Martins afirmou que não era possível apresentar relação nominal sem a autorização de cada proprietário; que estaria a disposição, para consultas, a lista de pendência e os prazos de concessão de títulos, porém não era possível divulgar os nomes sem autorização. Sr. Maurício disse que Sandro e Anderson da Equipe de Gestão Fundiária do Empreendedor

5 estariam com a lista para quem quisesse consultar. Flávia da Comunidade da Água quente perguntou se a lista nominal poderia ser disponibilizada ao Ministério Público. Maurício respondeu que a lista já havia sido entregue ao Ministério Público. Flávia perguntou, então, ao Dr. Marcelo se ele tinha conhecimento da entrega dessa lista. Ele respondeu que Dr.ª Marina e Dr.ª Fabiana, advogadas da Anglo, haviam mostrado o relatório e afirmado que a informação estaria disponível na reunião, a qual estava acontecendo naquele momento, e finalizando disse que o relatório não foi entregue. Sr. Maurício disse que além da lista ali disponível, havia um serviço de plantão onde as pessoas poderiam obter informações. Elcio Pacheco, advogado, perguntou se os contratos de compra e venda de propriedades foram registrados, em quais cartórios e de quais comarcas. Patrícia afirmou que o status é uma informação importante para a o processo de licenciamento, pois o processo só vai adiante se a empresa comprovar posse das propriedades. Patrícia disse que a REASA não quer saber datas nem valores, mas o status e o que a empresa compreende como finalizados, para que os proprietários possam se orientar. Em seguida Dr. Elcio reiterou sua pergunta sobre o registro da compra das propriedades, complementando com a informação de que a condicionante 105 estabelece um prazo de 180 dias. O Sr. Maurício respondeu que para obter os títulos de propriedades são necessários vários passos, e que as providências estão sendo tomadas para a obtenção dos documentos por parte dos proprietários dos imóveis. Sr. Maurício disse que os proprietários podem obter junto à empresa todas as informações sobre as datas de obtenção dos títulos. O Promotor Dr. Marcelo apontou que, segundo os dados apresentados, a ficha de negociação foi assinada na presença da Pastoral da Terra, da Defensoria e do Ministério Público, mas os contratos foram assinados somente com os proprietários que são pessoas carentes,

6 hipossuficientes, que não tem condições de entender nada do que está escrito no contrato da Anglo, que geralmente são assinados sobre pressão e que essas pessoas saíram das suas terras, das quais possuíam títulos e foram pra uma terra sobre um outro regime, sem títulos, o que estaria causando insegurança e dissabor; que só agora a empresa, bem intencionada, busca a assinatura de termos aditivos, e sem que os proprietários tenham assistência jurídica, abrindo mão, algumas vezes, de algo que fazem jus. O Promotor disse que essa não era uma relação simétrica e que era necessário informar as pessoas sobre os documentos a serem assinados. Disse ao Sr. Maurício Martins disse que as bases para as negociações foram préestabelecidos com o Ministério Público, mas vários processos foram realizados sem a presença do órgão; que essas negociações deveriam ser realizadas com os atores que tenham condições de avaliar a situação. O Promotor disse que a Dra. Flávia, Defensora Pública, tem uma posição muito mais dura e que ela entende que esses contratos eram nulos de direito e que era possível realizar tudo de maneira mais criteriosa. Em seguida Sr. Maurício disse que não havia pressão ou ma fé nos processos, que a empresa estava aberta a discussões, que os proprietários que tiverem dúvidas devem ser auxiliados e que o trabalho estava sendo realizado com seriedade. Sr. Maurício disse que concorda com o Promotor quando diz que os proprietários deveriam ser auxiliados, mas que discorda da afirmação de que exista pressão na assinatura dos contratos. O promotor disse que a pressão pode ser fruto da ignorância das pessoas. Sr. Maurício disse que concorda com a intermediação das negociações para que haja um avanço no processo. Em seguida Dr. Elcio Pacheco perguntou a Denílson, Élcio, Calazans, D. Francisca, D. Fininha e Sr. Pedrinho se eles autorizavam a empresa a responder se os contratos de compra de vocês foi registrado no cartório de notas. Em seguida o Dr. Elcio Pacheco

7 perguntou aos representantes da empresa se os contratos daquelas pessoas haviam sido registrados em cartório. Em seguida o Sr. Rodolfo, responsável pelo setor jurídico empreendimento, reiterou a informação de que não houve pressão na assinatura dos contratos, disse que todos os contratos foram feitos de acordo com o que foi definido na Pastoral da Terra e que todos os proprietários que assinaram contratos poderiam entregá-los ao Ministério Público que já havia sido recebido da empresa relação com nomes das pessoas que assinaram contratos, com cópia dos contratos e relatórios; disse que a pessoa tem o direito de reclamar e contestar e que a empresa estava aberta a conversas; disse que o registro dos contratos é direito de ambas as partes, que alguns dos contratos foram registrados e outros não, a pedido dos próprios proprietários que tem o direito de eles mesmos registrarem o contrato no cartório. Irineu Saldanha representando a Comunidade do Gondó, disse que acompanha muito dos proprietários que estão participando das negociações e que alguns afirmaram que representantes da empresa disseram que se o Dr. Elcio permanecer nas negociações estas seriam encerradas; disse que os proprietários já autorizaram a divulgação das informações sobre as negociações e que gostaria que empresa mostrasse esses dados para que se pudesse ter uma referência do que está acontecendo. Júnior disse que na reunião anterior foi apresentado em slide a lista dos atingidos e perguntou o que mudou da reunião anterior para a presente já que a empresa estava se esquivando de apresentar estas informações. Em seguida Sr. Irineu solicitou que fosse mostrado o status de negociação de alguma das famílias que já haviam autorizado a divulgação das informações. Em seguida, o Sr. Rodolfo respondeu novamente a pergunta sobre o registro dos contratos afirmando que alguns foram registrados e outros não; disse que estas informações já haviam sido entregues ao Dr. Marcelo, que afirmou ter recebido um CD que não tinha estas

8 informações. O Sr. Rodolfo afirmou que o catálogo continha todas as informações sobre os contratos. Em seguida representantes da empresa expuseram o caso de Dona Francisca, um grupo familiar que tem uma relação de herdeiros, ela é incluída no programa em função da condicionante 72, e falta concluir a negociação sobre os direitos dos filhos não residentes. Dona Francisca, comunidade Água santa, afirmou que foi retirada de sua propriedade e levada para uma outra sem resolver seus problemas, sem terminar a casa, fazer a cerca; disse que seus filhos não receberam nada. Foi perguntado a ela se os filhos que moram com ela receberam alguma coisa, ela disse que não receberam nada. Disse que tem quatro filhos e que nenhum deles recebeu nada. Foi perguntado por que Dona Francisca saiu de sua propriedade. Dona Francisca respondeu que lá eles não tinham mais acesso à escola, que todos os dias tinha um segurança em sua porta e que Teresa ( Funcionária da Anglo) havia dito a ela que se ela não saísse seria prejudicada e poderia sair até com a polícia. Sr. Rodolfo disse que houve uma negociação com Dona Francisca antes do PNF, que ela escolheu uma propriedade que foi adquirida pela empresa. Disse que essa propriedade é maior do que determina o PNF, e que ficou faltando apenas os hectares correspondentes aos filhos não residentes; disse que a Anglo adquiriu a propriedade que ela escolheu e que já havia passado a propriedade para o nome dela; disse que já havia a procurado para negociar a questão dos filhos não residentes. Dona Francisca confirmou que falou com ele, que ficou pendente apenas a questão dos filhos não residentes; disse que eles conversaram no mês de outubro, que ele ficou de procurá-la novamente após 30 dias e não voltou; disse que ligou para a empresa e ninguém atende; Dona Francisca disse que escolheu a propriedade perto de Córregos e foi para lá, mas não recebeu o que era direito dela ou dos filhos, que não recebeu dinheiro, que

9 prometeram fazer a cerca e não fizeram, que não recebeu a lenha que a Andréa (da Anglo) falou. Dona Francisca disse que falou com Andréa pedindo autorização para retirar lenha no terreno da Anglo e que eles disseram que não podia. Na seqüência, Sr. José Calazans da Silva Rodrigues disse que ele e seus nove irmãos possuem propriedade na região e que nenhum deles foi procurado pela empresa, disse que a empresa alegou que ele e os irmãos moravam fora e afirmou que as terras deixadas pelo pai são propriedade da família; disse que nasceu e foi criado na região onde ainda possui parentes. José disse que saiu da região há quase trinta anos em busca de melhores condições de sobrevivência; disse que não foram comunicados sobre as operações da empresa; disse que representantes da empresa apenas chegaram com documentos em Belo Horizonte pra eles assinarem, forçando-os, obrigando-os a assinar documentos sobre os quais eles não tinham informações. José pediu então que a empresa esclarecesse a ele e os 7 (sete) irmãos tinham direitos a alguma coisa, pediu para verificarem se o nome dele e dos irmãos constavam na lista de negociações e autorizou que as informações sobre eles fossem divulgadas, informando que o titular em uma ação seria seu pai Pedro Rodrigues Filho. Dr. Rodolfo esclareceu que se tratava do grupo familiar de Pedro Rodrigues, que José Calazans seria, para a empresa, o segundo nome como herdeiro e que as pendências com ele seriam falta de pagamento da segunda parcela, aguardando emissão de cheque prevista para 28/12 e registro formal da partilha do imóvel previsto também para 28/12. Sr. José Calazans afirmou que não estava sendo informado sobre os procedimentos realizados pela empresa, que a empresa afirmou que marcaria uma reunião com sua família Martinho da Silva, José Calazans, Maria Aparecida, Domingos Carlos, Romero Rodrigues, Julia Cristina, Claudia Regina, Claiser Rodrigues; disse que não aceitaria nada do que

10 está acontecendo; que saiu de Belo Horizonte para participar da reunião e saber o que está acontecendo; disse que ele e os irmãos queriam explicações sobre o que está sendo feito. Em seguida Sr. Rodolfo explicou que se tratava de uma negociação feita com o núcleo familiar, que a opção foi de livre negociação e que a situação de cada um dos herdeiros com a pendência a ser executada está relacionada e com datas estabelecidas; disse que havia um recibo do pagamento da primeira parcela e que o contrato estava disponível para quem quisesse consultar; disse que foi feito o pagamento da primeira parcela e que o segundo pagamento não poderia ser feito sem que a família fizesse o inventário dos bens e apresentasse a documentação necessária; disse que eles poderiam entregar os contratos ao Ministério Público para análise e providências que se fizessem necessárias; disse, ainda, que a empresa não pressionou ninguém. O Promotor Dr. Marcelo explicou que a pressão pode surgir de uma abordagem ou de uma simples presença; dirigindo-se aos representantes do empreendimento perguntou se uma pessoa simples, sem instrução, nascida e criada naquelas terras cujo lugar mais longe que tenha ido talvez seja o centro urbano de Conceição do Mato Dentro, sentando-se em uma mesa para negociar com três advogados da Anglo, com pessoal técnico bem preparado, se sentiria ou não pressionada; O Promotor disse que a empresa sempre argumenta que os parâmetros de negociação foram referendados no âmbito a Pastoral e da Defensoria, mas que depois disso houve uma série de aditivos, negociações, avenças e que em cima disso é que estavam acontecendo as discussões; que havia um abismo entre o que a empresa diz e o que a pessoas ali estavam dizendo; disse aceitar que dentro desse abismo pudesse haver exagero por parte das pessoas ou necessidade de justificar culpa da empresa, mas deve haver um meio termo e que as discussões deveriam levá-los a um denominador comum.

11 O Promotor afirmou que deveria haver diálogo com relação aos contratos, com relação à inclusão de herdeiros, com relação à necessidade de assistência técnica às pessoas envolvidas; disse que as pessoas sabem a realidade e conhecem as pessoas realmente atingidas e que as pessoas estavam sofrendo. O Promotor disse que notícias nacionais e internacionais davam conta que o projeto Minas Rio poderia se tornar um elefante branco por causa de Conceição do Mato Dentro, e que por isso era necessário parar de negar os problemas e tentar construir uma solução com as pessoas que já perderam as esperanças e estão resistindo, tentando uma solução. A sra. Clarice, neta de Pedro, herdeiro da Vera disse que sua avó teve 9 (nove) filhos, que um deles fez uma negociação diferenciada com a empresa e perguntou porque nos registros de negociação constavam apenas 8 (oito) herdeiros. O Sr. Rodolfo disse que a empresa está aberta a discutir o caso com o grupo familiar, podendo fazer a inclusão de familiares como já fora feito em outros casos. O Sr. Irineu, representante da comunidade do Gondó, disse que as pessoas não estavam ali para brigar, disse que existem condicionantes na LP que não foram cumpridas e que para solucionar as questões bastava que a empresa cumprisse as condicionantes; disse que a empresa deveria refazer o cadastro e fechar a negociação como no princípio do processo, com a Pastoral da Terra e um Defensor Público. O Sr Maurício Martins disse que em 60 dias seria concluído o estudo dos relatórios da Diversus e que na reunião seguinte teriam respostas para as questões referentes ao relatório e os pontos de discordâncias; disse que as informações de interesse dos proprietários estariam disponíveis no posto de informações da empresa que fica junto ao Escritório de Relações com a Comunidade onde todas os esclarecimentos seriam feitos por pessoas envolvidas em todo o processo; propôs que fosse escolhida uma pessoa para representar os proprietários na discussão das

12 questões. O Sr. Júnior disse que em relação à família de Pedro Sabino parece que é um modo de operação que a empresa faz e que talvez fosse mesmo um caso de polícia; disse que assim como a família de Pedro Rodrigues, que tem herdeiros proprietários residentes fora, tem também a família da Tassila que tem denúncia escrita e assinada de pressão para assinar o contrato, se ela não assinasse estaria prejudicando os irmãos; disse que a empresa teria feito mudanças nessa negociação e que na época, aparentemente, ela receberia R$ 1.000,00 (mil reais) pela herança; disse que outra família estaria na mesma situação e que a pressão existe e está comprovada; disse que esta postura é que não deveria acontecer por parte de uma empresa como a Anglo que afirma agir de forma correta, o que não é verdade. Na seqüência o Sr. Adenílson dos Santos Pimenta, Filho de Maria Soares Pimenta, disse que era morador de Buriti, que compraram o terreno de sua mãe onde ele possuía uma casa com um terreninho com plantio; disse que a empresa não pagou nada a ele afirmando que só a mãe teria direito; disse que ficou sem casa própria e está morando em Córregos, de aluguel; disse que todos recebem cesta e ele não recebe. Patrícia disse que esta denúncia já havia sido protocolada, que a Diversus já havia se manifestado a esse respeito e que a empresa utiliza a estratégia de negar conhecimento da situação protelando a solução de um problema que faz parte de diagnóstico, de relatórios e já foi objeto de discussão e pedido de complementação; disse que a empresa sempre diz que vai conversar sobre o caso, mas não apresenta solução para os problemas. O sr. Júnior perguntou ao Sr. Adenílson se na época da negociação feita com sua mãe ele já morava no terreno e se a empresa sabia da sua existência. Adenílson afirmou que já morava no terreno na época da negociação, que as casas eram próximas, portanto era impossível a empresa não saber da sua existência; disse que foi informado que os filhos teriam direitos caso o terreno dos

13 pais fossem comprados, mas que não recebeu nada e estava morando de aluguel. O Sr. Maurício confirmou que o caso em questão já estava sendo avaliado e que o Sr. Sandro (da Equipe de Gestão Fundiária) já havia se comprometido a procurar as pessoas até o Natal pra resolver as pendências; disse ainda que a equipe do Sandro procuraria todos para sanar as pendências. O Sr. Júnior disse que a empresa colocou várias famílias dentro da condicionante 72 e perguntou se a Maria Soares Pimenta foi incluída na condicionante 72. Foi respondido pelo representante do empreendedor que não. O sr. Júnior perguntou, então porque. Foi respondido que ela não havia sido incluída nesta condicionante, mas seria procurada para solucionar esta questão. Júnior perguntou quem fez a lista da condicionante 72. Sr. Maurício respondeu que no momento não tinha essa informação, mas que esta informação seria levantada. O Sr. Júnior da comunidade Água Quente disse que alguém da empresa, presente nessa reunião, deveria saber dessa informação e saber quem está negociando a inclusão de pessoas, assim como o Dr. Ilmar que incluiu o nome da Doroti no processo de licenciamento, a única pessoa que estaria à direita da MG 10; disse que alguém presente na reunião deveria saber quem fez esta lista e deixou a família de fora. O Sr Maurício disse que sabia de todas as informações, porém precisaria aprofundar mais e na próxima reunião as apresentaria. Na seqüência o Sr. Elcio dos Santos Pereira, afirmou que tinha uma propriedade separada da propriedade de sua mãe e que Denílson, seu irmão morava ao lado da sua mãe e que na propriedade moravam também sua irmã e dois sobrinhos de criação; disse que seu pai, separado de sua mãe, vendeu uma parte do terreno à firma; disse que as estradas eram constantemente bloqueadas e o caminho desviado por outras estradas improvisadas, fazendo voltas; disse que bombas eram detonadas e que Tereza ( da Anglo) avisava a família sobre os horários de detonação, fazendo

14 com que sua mãe, que tem 78 anos, ficasse preocupada e não os deixasse sair; disse que por todas essas razões foram obrigados a sair da propriedade, vendendo-a sem receber outra propriedade. O Sr Maurício disse que vai conversar com Sr. Elcio, assim como os demais, buscando solução para os problemas relatados. Avançando na a pauta, foi colocada em discussão a questão dos contratos da MMX e BORBA GATO nos períodos de das famílias que não foram contempladas na condicionante 91, mais especificamente no que se refere às famílias do Buritis. O Sr. Maurício Martins disse que, em relação à revisão desses contratos, há o entendimento que eles não precisam ser revistos, haja vista terem sido cumpridos há seu tempo e que esses contratos cumpriram suas obrigações; disse que o que vai acontecer é que as pessoas que se sentiram injustiçadas, terão sua situação analisada, sem que haja necessariamente a revisão dos contratos, se atendo apenas àquilo que não teria sido cumprido em relação aos contratos. O Sr. Júnior disse que essa questão remete à condicionante 72 de revisão de tudo que foi feito na negociação de inclusão dessas famílias, cujas negociações foram feitas antes da proposição do Plano de Negociação Fundiária; disse que as posteriores estão incluídas na condicionantes 91; perguntou então se a empresa vai rever todas as negociações feitas antes do PNF de acordo com a condicionante 91. Júnior disse que em relação à condicionante 72, havia 32 pessoas cuja negociação foi feita antes do PNF, das quais 19 foram incluídas no PNF por definição da SUPRAM; disse que dessas 19, 10 já estavam incluídas e 9 foram inseridas. Júnior disse que dentro do que foi proposto e discutido com a SUPRAM, a família do Denílson não está e certamente deve haver outras que não estão; perguntou, então, se a empresa vai rever todos os contratos, ou será necessário discutir cada caso como esse do Denílson. O Sr. Maurício Martins disse que a família que estiver dentre as 19

15 definidas pela SUPRAM, a revisão poderá ser feita. Sr.ª Joana Saldanha, da comunidade do Gondó, disse que, sendo leiga em questões legais, minerarias e contratuais, gostaria que Dr. Marcelo esclarecesse se as condicionantes são passivas de discussão com a comunidade ou se condicionante deve ser cumprida como aspecto determinante para evolução do processo. Dra. Flávia, Defensora Pública, respondeu que descumprimento de condicionante é uma questão que pode paralisar o empreendimento. Avançando na pauta, foi colocada a questão do compromisso para que a escritura pública seja feita em Conceição do Mato Dentro. O Sr. Maurício Martins disse que reconhece que a prerrogativa da escolha do local é do comprador, mas as famílias que vendem as terras solicitam que o registro seja feito em cartório de sua escolha, por uma questão de segurança e acesso à informação; disse que, desta forma, a Anglo permite que as famílias escolham o cartório onde este registro será feito; disse que a maioria das pessoas não mora em Conceição do Mato Dentro, e por isso a Anglo abriria a prerrogativa da escolha do local de registro em favor das famílias. Seguindo a pauta, foi solicitado o esclarecimento da empresa com relação aos estudos que estão sendo feitos na região do empreendimento. O Sr Maurício Martins disse que o estudo em andamento é para licenciar seu empreendimento não podendo prever futuros estudos sem a conclusão do licenciamento. Patrícia perguntou se não existe nenhum processo complementar em andamento no DNPM porque para o DNPM os estudos são obrigatórios para a apresentação de um plano de aproveitamento econômico, necessitando, inclusive, de perspectivas. Maurício reiterou que o estudo em andamento é o estudo realizado para o licenciamento do empreendimento. Betônio Madureira, da comunidade Água Quente, disse que havia denúncias de que pessoas ligadas à empresa estariam fazendo pesquisas

16 sobre grutas, morcegos e por isso as pessoas queriam esclarecimentos da empresa. O Sr. Daniel, gerente de licenciamento ambiental do empreendimento disse que todos os estudos referentes à fase de instalação do empreendimento continuam sendo feitos; disse que estudos, inclusive com base em relatórios da Diversus, estão em andamento, confirmando a existência de pessoas ligadas à empresa realizando pesquisas de campo. O Sr. Júnior perguntou se a empresa tem autorização de todos os proprietários para adentrar nos terrenos realizando estudos. O Sr. Maurício Martins disse que todo estudo feito em propriedade particular requer autorização do proprietário, então quando alguém da empresa entra na propriedade o faz com autorização e que a empresa não faz estudos sem autorização dos proprietários do terreno; disse que se alguém entrar em qualquer propriedade sem autorização deve ser denunciado. A sra. Taís disse que pessoas da Anglo entraram na propriedade de seu pai com seguranças armados, arrancaram a cerca nova que havia sido colocada recentemente pelo proprietário. O Sr. Maurício Martins disse que, conforme já havia sido dito em reunião anterior, a empresa não tem segurança armada. O Sr. Antônio da Silva Pimenta disse que moradores foram cercados várias vezes, que ele foi tirado de dentro do seu terreno por seguranças da Anglo e pela Polícia e levado para o quartel; O Sr. Antônio Pimenta apresentou um vídeo gravado na ocasião, que foi exibido na reunião demonstrando a ação de seguranças armados da empresa. O Sr. Maurício continua afirmando que não possui contrato com empresa de segurança armada e solicita que seja encaminhada uma cópia do vídeo à empresa para apuração dos fatos. Em seguida o Dr. Felipe, Promotor de Justiça, apresentou-se e manifestou-se apontando a dificuldade em avançar na resolução dos problemas. A Sra. Patrícia Generoso disse que a dificuldade em avançar é fruto da postura da Anglo de negar as questões e protelar a solução das questões. O

17 Promotor Dr Marcelo apontou como maior ponto de divergência o fato de a empresa não conseguir assumir seus erros, e que a REASA busca reconstruir o sentimento de esperança e solidariedade das pessoas envolvidas, encontrando soluções para suas questões. Dando seguimento a pauta, Irineu Saldanha, representante da Comunidade Gondó e o Advogado Élcio Pacheco alertaram para a real possibilidade de paralisação das atividades da Minas Rio em virtude dos problemas de Conceição do Mato Dentro, ocasionados pela postura da empresa de não cumprir as condicionantes, violando, inclusive, os direitos humanos. Maria Guerra de São Sebastião do Bom Sucesso relatou sua tristeza diante da situação das pessoas com quem convive há anos e que estão sem esperanças e padecendo em virtude de todos os transtornos provocados pelo empreendimento Minas Rio e agradeceu o empenho do Dr. Marcelo e de todos que se dedicam à defesa dos interesses das comunidades afetadas. Flavia da Comunidade Água Quente disse que a empresa faria uma medição de terreno na comunidade e pediu a confirmação dessa informação. Sr. Maurício Martins afirma que não existe medição a ser feita na Comunidade Água Quente. Mauro Lúcio cobrou a presença do poder público municipal na REASA, cobrou presença da Prefeitura e da Câmara. Dona Fininha, por intermédio do Sr. Irineu, solicitou que fosse feito um encaminhamento para recolhimento dos adubos fornecido a ela pela empresa, visto que os mesmos estão impróprios para o uso ( empedrados ). Sr. Maurício Martins disse que foi agendada uma reunião com a EMATER para tratativas sobre participação dela nas ações de assistência técnica na região. Dra Flávia perguntou ao Sr. Maurício se a empresa encaminhou à Defensoria Pública as informações sobre a empresa responsável pela Assistência Técnica, solicitada na reunião anterior. Sr. Maurício respondeu que os documentos não foram entregues. Dra Flávia solicitou que

18 encaminhasse também a documentação das negociações. Sr. Estanislau Saldanha, morador da Comunidade do Gondó falou sobre representações feitas em razão de ações da Anglo na comunidade; disse que não conhece o empreendedor e que sua propriedade não está a venda; solicitou orientação do Ministério acerca das representações feitas e das atitudes a serem tomadas; relatou problemas em sua propriedade como desaparecimento de animais em virtude de falta de cerca. Propôs uma ação civil pública solicitando a paralisação do empreendimento em virtude do não cumprimento das condicionantes e dos diversos problemas amplamente discutidas nas reuniões. O Promotor Dr Marcelo confirmou o recebimento da representação do Sr. Estanislau a respeito de uma pedreira que estaria em operação e disse que o empreendedor apresentou informações comprovando que está licenciado para operar e que não tem vínculo com a Anglo; disse que requisitou ao órgão estadual uma vistoria no local para análise e apresentação de alternativas para o escoamento da produção; disse que o Ministério Público está constantemente analisando as questões relacionadas com o empreendimento e avaliando a melhor alternativa jurídica para a solução dos problemas. O Sr. José Pepino disse que está tentando negociar a venda de sua propriedade com a empresa; no entanto deu um prazo à empresa para que realizasse esta negociação e caso fosse ultrapassado esse prazo ele já não teria mais interesse em vender sua propriedade. Disse que está sem água por causa do assoreamento do curso d água que abastece sua propriedade; que seu gado está desbarrigado e que a sua plantação de goiabeiras está sendo destruída pela lama. Nesse momento foram exibidas pelo representantes das comunidades fotos do Córrego Pereira, tiradas nesta data na propriedade do Sr. Betônio, evidenciando o assoreamento do curso d água; foram exibidas também fotos da Cachoeira do Passa-Sete, uma tirada antes

19 do empreendimento e outras da sua situação atual, evidenciando que ela foi destruída (dinamitada) pela empresa. Foi solicitado que o Ministério Público apure e responsabilize criminalmente os técnicos responsáveis pelas atividades que causaram os referidos impactos ambientais, bem como a pessoa jurídica da Anglo. Sr. Adail manifestou sua indignação diante da situação e da postura da empresa, nos seguinte termos: Senhoras autoridades aqui presentes, meu nome é Adail. Quando Dr Maurício Martins assumiu o empreendimento aqui ele fez uma reunião comigo mais Mário Cintra e José Antônio Bitencourt, que nós éramos funcionários da Anglo Americam. Prestávamos serviços e no dia ele pediu que fosse feito um cadastro junto com a participação minha e de Teresa, que é funcionária da Anglo até hoje. Cida, que também se encontra trabalhando na Sinergia, nas negociações que já estavam em fase de conclusão e daquelas famílias que eram pra ser enquadradas dentro do programa de negociação fundiária e o qual eu, junto com Teresa e Cida fizemos este cadastramento que ficou pra Teresa passar para ele. O qual eu acho que ela deve ter passado porque até hoje ela continua sendo funcionária da empresa. Em seguida no mês de janeiro, segundo Mário Cintra, eu era contratado pela consultoria DOC Ambiental, o Dr Maurício pediu que eu fosse demitido. Eu fui demitido da empresa. Trabalhei pela Sinergia num ano e no outro ano seguinte fui contratado pela Consultoria DOC Ambiental. Agora o que eu acho, que o Dr. Marcelo falou tá precisando de ter uma revisão nos erros. A empresa assumir o que tá de errado. Eu quero falar aqui até em nome de Cardinália, filha de dona Francisca. Dona Francisca foi umas das primeiras famílias a ser retirada. Até porque ela tava na área diretamente afetada, que pode ver que ela tava na área da usina. Tava numa área que é de interesse grande do empreendedor de se retirar aquela família daquele local e ela mudou em novembro

20 ou dezembro de Os filhos de D. Francisca foram enquadrados no Plano de Negociação Fundiária. E por que até hoje eles não foram acertados? Eu presenciei o seu Sandro conversando com D. Francisca. Falou que ela que tava voltando até o dia 10 de outubro pra solucionar o problema dela e até hoje ela ta aguardando a solução e o qual eu acho que não foi concluído isso. A outra coisa, quando você pega também, que se vai olhar o desenvolvimento socioeconômico da família, aonde ela habitava e aonde ela foi relocada, D. Francisca está sendo prejudicada. Porque é aquilo que foi falado na reunião com seu Geraldo... Lá ela tinha área cercada que ela usava e tinha expansão na chapada, onde o gado dela andava, pastava o gado dela. Hoje é o seguinte: ela me falou que não foi apresentada o cadastro socioeconômico pra ela. O qual a empresa tem, mas tá engavetado. A outra coisa: ela tem fotos que mostra a produção que ela tinha na agricultura familiar, que prova que o plantio que ela tinha, até os queijos que ela fazia, ou seja, o que ela fazia. Se chegar na casa dela hoje e fazer um laudo técnico comparando o que ela produzia antes, no meu ponto de vista, ela tá regredindo. E do jeito dela tem outras famílias que ta na mesma situação. Eu acho que, não to aqui pra falar mal da empresa, mas tem uns negócios ai que realmente precisa de ser olhado mesmo e se isso não for olhado quem ta pagando mais caro por isso é a sociedade. Boa noite. Muito obrigado a todos. Encerrados os debates da pauta, foi apresentada pela Sra. Joana Dar c Saldanha uma lista de encaminhamentos elaborados pelos representantes das comunidades em reunião prévia, que seria apresentada a todos os presentes da Assembléia para aprovação. A Sra. Joana esclareceu que seriam encaminhados apenas aqueles itens que fossem aprovados por unanimidade pelos presentes, que onde houvesse qualquer discordância ou dúvida seria aberto para debate e que a lista também poderia incluir sugestões

21 apresentadas na reunião. Foi esclarecido ainda que a lista foi elaborada a partir de temas que já foram exaustivamente debatidos nas reuniões da REASA, conforme as atas, além de documentos relatórios e condicionantes, e que os representantes do empreendedor não poderiam participar dessa votação. Foram então apresentados, discutidos e aprovados os encaminhamentos (demandas) que, posteriormente, seriam remetidos pelos representantes das comunidades aos diversos destinatários (Representantes das comunidades, Universidades Labcem e Gesta, Ministério Público, etc...). Na sequência, foram então decididos nesta reunião os seguintes encaminhamentos (além da lista apresentada, debatida e aprovada pelos presentes para posterior encaminhamento): 1) solicitação de Dona Fininha ao empreendedor para que sejam recolhidos os adubos fornecidos, pois os mesmos se encontram impróprios para o uso ( empedrados ); 2) Agendamento de reunião para o dia 17/01/13, sem a participação do empreendedor, em atendimento ao primeiro item da lista apresentada pelas comunidades; 3) Agendamento da próxima reunião Pública da REASA para dia 18/02/2013, às 17 horas, na residência do Sr. Estanislau Saldanha, no Gondó, com a seguinte pauta para manifestação do empreendedor: 3.1) Projeto da empresa para São Sebastião do Bom Sucesso e Adjacências; 3.2) esclarecimentos sobre a situação do Sr. José Pepino; 3.3) pronunciamento sobre a situação dos Córregos Pereira e Passa Sete; 3.4) Apresentação do parecer da empresa sobre o relatório da Diversus; 3.5) Apresentação do parecer da empresa sobre a situação do Gondó no relatório da Diversus. Nada mais havendo, lavrou-se a presente ata por mim,, Ester Alice Pimenta, oficiala do Ministério Público, que a digitei.

ATA DE REUNIÃO PÚBLICA

ATA DE REUNIÃO PÚBLICA ATA DE REUNIÃO PÚBLICA Aos 17 dias do mês de maio de 2012, às 19:00 horas, na sede da Escola Estadual São José de Jassém, no distrito de São José do Jassém, Município de Alvorada de Minas-MG, Comarca do

Leia mais

ATA DA REUNIÃO IX DA REUNIÃO DO COLEGIADO TÉCNICO CONSULTIVO DO PNAGE

ATA DA REUNIÃO IX DA REUNIÃO DO COLEGIADO TÉCNICO CONSULTIVO DO PNAGE ATA DA REUNIÃO IX DA REUNIÃO DO COLEGIADO TÉCNICO CONSULTIVO DO PNAGE A IX reunião do Colegiado Técnico Consultivo do PNAGE foi realizada nos dias 10 e 11 de junho de 2008, na cidade de Palmas e contou

Leia mais

ATA DA REUNIÃO DE DIRETORIA EM 03.04.2014

ATA DA REUNIÃO DE DIRETORIA EM 03.04.2014 ATA DA REUNIÃO DE DIRETORIA EM 03.04.2014 Ao terceiro dia de abril do ano de dois mil e quatorze, às dez horas, reuniu-se, ordinariamente, a diretoria da AJUT Associação dos Servidores na Justiça do Trabalho

Leia mais

A Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Senadora Marina Silva, apresentou a agenda para consideração dos participantes, tendo sido aprovada.

A Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Senadora Marina Silva, apresentou a agenda para consideração dos participantes, tendo sido aprovada. II Reunião de Ministros de Meio Ambiente do MERCOSUL 8 de novembro de 2004, Brasília, Brasil Ata da Reunião nº 02/04 Realizou-se na cidade de Brasília, República Federativa do Brasil, no dia 8 de novembro

Leia mais

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR Ata de Reunião do Conselho Gestor de Local: Auditório do Albert Einstein Data: 15/05/2012 Pauta 1. Apresentação do Projeto de Urbanização para ; 2. Auxilio Aluguel 3. Informes Horário: 18h30 às 20h20 Por:

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 9 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 07/04/2014. Aos sete dias do mês de abril do ano de dois mil e quatorze, nesta cidade de

Leia mais

Cartas enviadas para a ZON

Cartas enviadas para a ZON Cartas enviadas para a ZON 1ª CARTA Bruno Cardoso Pimentel Macedo Praceta da Bela Vista nº8 4720-286 Carrazedo Amares ZON TV Cabo Portugal, S.A. Edifício ZON Rua Ator António Silva, 9 Campo Grande 1600-404

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 16 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 26/05/2014. Aos vinte e seis dias do mês de maio do ano de dois mil e quatorze, nesta cidade

Leia mais

Todos a favor da agilidade

Todos a favor da agilidade Todos a favor da agilidade Você sabia que agora os inventários, partilhas, separações e divórcios podem ser feitos no cartório? Pois é! Agora os cidadãos tiveram suas vidas facilitadas! Esses atos podem

Leia mais

JOSÉ AFONSO JACOMO DO COUTO

JOSÉ AFONSO JACOMO DO COUTO O Diretor-Presidente da COOPERLEG - Cooperativa Habitacional dos Servidores do Legislativo LTDA, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto Social da Entidade, convoca todos os cooperados ADIMPLENTES

Leia mais

2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS, S

2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS, S ATA DA 9 a REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA DA 33 a LEGISLATURA, 2013/2016, REALIZADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MURIAÉ, EDIFÍCIO MANUEL CORRÊA DO PRADO, SITUADA À PRAÇA CORONEL PACHECO DE MEDEIROS,

Leia mais

Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes 1) Quem passará a receber por meio de conta no BRADESCO e quem deverá providenciar a sua formalização? a. Magistrados, bem como, seus pensionistas e cotistas b. Serventuários ativos

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL Lembro-me que haviam me convocado para uma entrevista de trabalho no NOVOTEL. Lembro-me de estar ansioso e ter passado a noite anterior preparando a minha entrevista. Como iria

Leia mais

Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP

Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP A Secretaria Municipal da Habitação de Limeira realizou entre os dias 29/04 e 10/05/2014 uma série de encontros com

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

Certificação Digital para condomínios

Certificação Digital para condomínios Certificação Digital para condomínios Saiba porque é importante tirá-la a tempo Desde o começo do ano, a Caixa Econômica Federal avisa: é necessário que os condomínios, entre outros, providenciem certificados

Leia mais

ENTRE FRALDAS E CADERNOS

ENTRE FRALDAS E CADERNOS ENTRE FRALDAS E CADERNOS Entre Fraldas e Cadernos Proposta metodológica: Bem TV Educação e Comunicação Coordenação do projeto: Márcia Correa e Castro Consultoria Técnica: Cláudia Regina Ribeiro Assistente

Leia mais

ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA, REALIZADA NO DIA 15 DE SETEMBRO DE

ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA, REALIZADA NO DIA 15 DE SETEMBRO DE ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA, REALIZADA NO DIA 15 DE SETEMBRO DE 2013. Aos quinze dias do mês de setembro do ano de 2013,

Leia mais

SINDICATO DE HOTÉIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE JOINVILLE/SC E REGIÃO

SINDICATO DE HOTÉIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE JOINVILLE/SC E REGIÃO ATA ASSEMBLEIA GERAL 24 DE SETEMBRO DE 2015 15H ÀS 16H30 Local: Angélico s Restaurante. Rua Otto Benack, 101 Bom Retiro - Joinville/SC Participantes: Sr. Raulino João Schmitz, Sr. Angélico de Souza, Sr.

Leia mais

Tutorial Novo Sistema de Negociação da Ligamagic

Tutorial Novo Sistema de Negociação da Ligamagic Tutorial Novo Sistema de Negociação da Ligamagic Índice (ctrl+f + código do item para localizar) Introdução [RF201] Painel de Negociações [RF202] Painel de Referências [RF203] Começando uma Negociação

Leia mais

Manual de normas Mega Nível

Manual de normas Mega Nível Manual de normas Mega Nível Apresentando as regras do seu negócio www.meganivel.com.br MANUAL MEGANÍVEL 1 A Empresa 1.1 A missão 1.2 Objetivos 1.3 Marketing Multinível MEGA NÍVEL 1.4 Como funciona o Marketing

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Reunião de junho na Sede da Associação

Reunião de junho na Sede da Associação Ano 1 Lagedo, Domingo, 03 de agosto de 2014 N o 3 Reunião de junho na Sede da Associação Reunião na Sede da Associação. foto: Mirene Moraes, 29/06/2014. A reunião estava marcada para ter início as 13:00h.

Leia mais

Mitos e verdades sobre franquias. Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias

Mitos e verdades sobre franquias. Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias Mitos e verdades sobre franquias Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias Bem informado, o futuro franqueado terá maiores possibilidades de fazer um bom negócio Administrar uma

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Assunto Ação Responsável Prazo

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Assunto Ação Responsável Prazo MISSÃO: Implementar um novo modelo de gestão do Estado de Mato Grosso, comprometido com a inclusão social, o desenvolvimento econômico sustentável e a superação das desigualdades sociais e regionais. GOVERNO

Leia mais

Não deixe de nos contactar ou de nos visitar

Não deixe de nos contactar ou de nos visitar www.microcredito.com.pt ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DIREITO AO CRÉDITO Partilhe as suas esperanças e sonhos. Outras pessoas podem ajudá-lo a torná-las realidade (Autor desconhecido) Não deixe de nos contactar

Leia mais

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas CONTA COM A GENTE PARCELE SUA DÍVIDA COM DESCONTOS NOS JUROS E MULTA Perguntas e Respostas P: O que é o Programa de Recuperação de Crédito do DMAE? R: É a oportunidade dos usuários que possuem dívidas

Leia mais

SAC: Fale com quem resolve

SAC: Fale com quem resolve SAC: Fale com quem resolve A Febraban e a sociedade DECRETO 6523/08: UM NOVO CENÁRIO PARA OS SACs NOS BANCOS O setor bancário está cada vez mais consciente de seu papel na sociedade e deseja assumi-lo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/ 2013 Dispõe sobre a criação e funcionamento da comissão de avaliação de imóveis para fins de calculo do Imposto sobre transmissão inter-vivos de bens imóveis, e dá outras providências.

Leia mais

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br Realização e Organização www.vamaislonge.com.br Quem somos... Leonardo Alvarenga, tenho 23 anos, sou criador do Não Tenho Ideia e do #VáMaisLonge. Sou formado em Educação Física mas larguei tudo logo após

Leia mais

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda.

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda. Prezado(a) Consorciado(a), Para melhor atendê-lo, elaboramos este Guia Prático de Contratação de Imóvel destacando as modalidades de aquisição, fases do processo, documentos necessários, emissão e registro

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO: FESTIVAL DE PRÊMIOS PLANO CAMARGO

REGULAMENTO PROMOÇÃO: FESTIVAL DE PRÊMIOS PLANO CAMARGO REGULAMENTO PROMOÇÃO: FESTIVAL DE PRÊMIOS PLANO CAMARGO A presente PROMOÇÃO COMERCIAL sofreu algumas alterações, assim fiquem atentos as mesmas constantes nesse Regulamento que serão válidas a partir de

Leia mais

AGENDA DA FAMÍLIA. 1 O que é a Agenda da Família?

AGENDA DA FAMÍLIA. 1 O que é a Agenda da Família? AGENDA DA FAMÍLIA Marcelo Garcia é assistente social. Exerceu a Gestão Social Nacional, Estadual e Municipal. Atualmente é professor em cursos livres, de extensão e especialização, além de diretor executivo

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

As vantagens de partilhar seus bens em vida

As vantagens de partilhar seus bens em vida As vantagens de partilhar seus bens em vida Antecipar a herança por meio de doações pode sair mais em conta e protege a família de preocupações Planejar a partilha da herança poupa a família de gastos

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

OS FATOS JURÍDICOS EM EXEMPLOS PRÁTICOS. Sumário. Questões discursivas... 09. Respostas para as questões discursivas... 93

OS FATOS JURÍDICOS EM EXEMPLOS PRÁTICOS. Sumário. Questões discursivas... 09. Respostas para as questões discursivas... 93 OS FATOS JURÍDICOS EM EXEMPLOS PRÁTICOS Sumário Questões discursivas... 09 Respostas para as questões discursivas... 93 Lei n.º 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil) - Artigos 104 a 232... 185

Leia mais

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis. Por: DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR Informativo dos objetivos da reunião:

Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis. Por: DESCRIÇÃO REFERÊNCIA AUTOR Informativo dos objetivos da reunião: Ata de Reunião do Conselho Gestor de Paraisópolis Local: Auditório do Albert Einstein Data: 10/07/2014 Pauta: 1. Apresentação Complexo Paraisopolis 2006 a 2014. 2. Organização do Conselho Gestor. Horário:

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FIMT

MANUAL DO USUÁRIO FIMT FÁCIL IMÓVEL MT MANUAL DO USUÁRIO FIMT GESTOR IMOBILIÁRIO SANDRO RAMIRO 05/06/2015 Manual completo de funcionalidade do Sistema FIMT. Versão 2.0 INTRODUÇÃO PÁGINA INICIAL 03 ANUNCIANTE 04 LANÇAMENTO 05

Leia mais

PROMOTORIA DE JUSTIÇA DAS COMUNIDADES

PROMOTORIA DE JUSTIÇA DAS COMUNIDADES MPPR-0046.13.002014-5 ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA Aos 18 de abril de 2013, às 19h, na Rua da Cidadania da Regional Boa Vista, localizada na Av. Paraná, 3600, no Bairro Boa Vista, em Curitiba-PR, tiveram início

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COM REDAÇÃO FINAL TRANSCRIÇÃO IPSIS VERBIS

DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COM REDAÇÃO FINAL TRANSCRIÇÃO IPSIS VERBIS CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO TRANSCRIÇÃO IPSIS VERBIS CPI - GRUPOS DE EXTERMÍNIO NO NORDESTE EVENTO: Reunião ordinária

Leia mais

Autores: Felipe Campoi Borguetti (2), Daniel Esteban (3), Adaíse Malvezzi Mendes (4),

Autores: Felipe Campoi Borguetti (2), Daniel Esteban (3), Adaíse Malvezzi Mendes (4), AS INFRAÇÕES ÉTICO-PROFISSIONAIS E OS MÉDICOS DENUNCIADOS QUE EXERCEM MEDICINA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO(1) Estudo iniciado por estudante de medicina, no ano de 2007 e concluído no ano de 2009

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS PIAU - MG. ETAPA II Diagnóstico Municipal de Resíduos Sólidos

PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS PIAU - MG. ETAPA II Diagnóstico Municipal de Resíduos Sólidos 2013 PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS PIAU - MG ETAPA II Diagnóstico Municipal de Resíduos Sólidos 0 OBJETO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS Versão 1.0 SUMÁRIO 1. Descrição do Local de Acesso... 1 2. Módulo Registrar Diárias... 3 3. Módulo Aprovar Diárias... 11 4. Registrar Prestação de Contas...

Leia mais

CARTILHA DO PRODUTO. Débito Direto Autorizado. www.unicredcentralsc.com.br. Versão. 01-07/2012

CARTILHA DO PRODUTO. Débito Direto Autorizado. www.unicredcentralsc.com.br. Versão. 01-07/2012 CARTILHA DO PRODUTO Débito Direto Autorizado Versão. 01-07/2012 www.unicredcentralsc.com.br ÍNDICE APRESENTAÇÃO Apresentação...02 Como funciona o DDA...03 DDA Unicred...04 DDA Módulos Internet Banking...06

Leia mais

Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP

Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP Prazos e metas para o atendimento das solicitações apresentadas pela população foram pauta da reunião que aconteceu na prefeitura no início

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013

MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013 MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013 RELATÓRIO DA REUNIÃO REALIZADA DIA 12.04. 2013 ENTRE O CONSELHO DA MORADIA ESTUDANTIL E REPRESENTANTES DA UFSC FLORIANÓPOLIS, 30 DE ABRIL DE 2013 1 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Reunião do Conselho Coordenador do FMS

Reunião do Conselho Coordenador do FMS CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE GUARULHOS Reunião do Conselho Coordenador do FMS Ao vigésimo oitavo dia do mês de agosto de dois mil e treze, às quatorze horas e dezesseis minutos reuniu-se o Conselho Coodenador

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL Manual do ITIV - Contribuinte PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE TRIBUTAÇÃO M A N U A L D O ITIV PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL Manual do ITIV - Contribuinte

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

Revista OBSERVATORIUM (R.O): Conte-nos um pouco sobre sua formação acadêmica até sua chegada à Universidade Federal de Uberlândia.

Revista OBSERVATORIUM (R.O): Conte-nos um pouco sobre sua formação acadêmica até sua chegada à Universidade Federal de Uberlândia. Experiências de uma vida dedicada à Geografia e ao meio ambiente - Marlene Teresinha de Muno Colesanti Instituto de Geografia da Revista OBSERVATORIUM (R.O): Conte-nos um pouco sobre sua formação acadêmica

Leia mais

Dia útil: significa um dia de trabalho, conforme definido pelo Provedor nas respectivas Normas suplementares.

Dia útil: significa um dia de trabalho, conforme definido pelo Provedor nas respectivas Normas suplementares. Normas do RRDRP Estas Normas estão em vigor para todos os processos de RRDRP. Os processos administrativos referentes a resolução de disputas nos termos do Procedimento de resolução de disputas de restrições

Leia mais

FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA

FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA FACULDADES EST - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA BANCAS DE DEFESA 1. Prazos Os prazos para entrega de Trabalho Final encerram em 30 de maio (1º

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.008/04

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.008/04 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.008/04 Aprova a NBC T 14 Norma sobre a Revisão Externa de Qualidade pelos Pares. O, no exercício de suas atribuições legais e regimentais; CONSIDERANDO que o controle de qualidade constitui

Leia mais

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital 8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital Empreender em negócios de marketing digital seguramente foi uma das melhores decisões que tomei em minha vida. Além de eu hoje poder ter minha

Leia mais

Tutorial SIGAMAZÔNIA - Área Pesquisador

Tutorial SIGAMAZÔNIA - Área Pesquisador Tutorial SIGAMAZÔNIA - Área Pesquisador 2015 TUTORIAL SIGAMAZÔNIA Desenvolvido por: FAPESPA LABES-UFPA Sumário Sumário... 3 CADASTRO NO SISTEMA... 5 FAZENDO LOGIN NO SIGAMAZÔNIA... 5 MENU INICIAL... 6

Leia mais

ATA N.º 87 OCTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO

ATA N.º 87 OCTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL ATA N.º 87 OCTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO DATA: 17 de DEZEMBRO de 2013, às 10h30min. LOCAL: Gabinete da Gerência

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA XII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM DIAMANTINA/MG

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA XII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM DIAMANTINA/MG INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA XII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM DIAMANTINA/MG Data: 18/06/2015 Horário: 10h às 12h. Local: Gerência Executiva

Leia mais

C rédito Imobiliário Assessoria Imobiliária Repasse

C rédito Imobiliário Assessoria Imobiliária Repasse C rédito Imobiliário Assessoria Imobiliária Repasse Informações Gerais e Listas de Documentos ATENÇÃO As regras deste informativo são apenas orientativas e a qualquer momento podem ser alteradas, sem aviso

Leia mais

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processo de Certificação 07/06/2013

CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processo de Certificação 07/06/2013 CALL com Mercado Projeto Integração das Clearings Processo de Certificação 07/06/2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Leia mais

Informações para Licenciamento Ambiental Municipal de PADARIAS, CONFEITARIAS E PASTELARIAS (2.640,10 Padarias, Confeitarias e Pastelarias)

Informações para Licenciamento Ambiental Municipal de PADARIAS, CONFEITARIAS E PASTELARIAS (2.640,10 Padarias, Confeitarias e Pastelarias) PADARIAS, CONFEITARIAS E PASTELARIAS (2.640,10 ) 1 - IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR Nome ou Razão Social: CNPJ: CPF: CGC/TE: Endereço (Rua/Av.) : nº: Bairro: CEP: Município: Telefone: Celular: e-mail: Contato

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as regras e os procedimentos para

Leia mais

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS Sumário 1. Objetivo... 3 2. Premissas básicas... 3 3. Compromissos da CEEE-D... 3 4. Compromissos da Imobiliária... 3 5. Serviços disponíveis através

Leia mais

MEMORIAL REFLEXIVO. Ana Teresa Scanfella Fabrícia Cristina Paulo Karina Teodoro Renata Pierini Ramos

MEMORIAL REFLEXIVO. Ana Teresa Scanfella Fabrícia Cristina Paulo Karina Teodoro Renata Pierini Ramos MEMORIAL REFLEXIVO Indisciplina: tema tratado/discutido pela comunidade escolar em um espaço virtual (blog) desenvolvido pelas formadoras de uma escola na periferia do município de São Carlos. Ana Teresa

Leia mais

ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA. Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco do Sul, localizado na rua Horacy

ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA. Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco do Sul, localizado na rua Horacy ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA Aos 03 de fevereiro de 2015, às 15h00, na sala do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco do Sul, localizado na rua Horacy Santos, nº 264 - Centro, presentes o Dr. RAFAEL OSVALDO

Leia mais

CONVOCAÇÃO. Estância Turística de Santa Fé do Sul, 19 de Setembro de 2014. Luiz Antonio Peres Trivelato Junior Presidente do Conselho Administrativo

CONVOCAÇÃO. Estância Turística de Santa Fé do Sul, 19 de Setembro de 2014. Luiz Antonio Peres Trivelato Junior Presidente do Conselho Administrativo CONVOCAÇÃO O Presidente do Conselho de Administração do SANTAFÉPREV Instituto Municipal de Previdência de Santa Fé do Sul, com base na Lei Municipal n 3.104 de 14/08/2013, CONVOCA, para o Dia 23/09/2014,

Leia mais

1. Objetivos do curso 2. 2 Comunicação Interna (CI) 13 3 Ofício 18 4 DEFINIÇÕES GERAIS 23 5 CONCLUSÃO 27

1. Objetivos do curso 2. 2 Comunicação Interna (CI) 13 3 Ofício 18 4 DEFINIÇÕES GERAIS 23 5 CONCLUSÃO 27 1. Objetivos do curso 2 Introdução 2 Funções do Sistema: 2 Da Comunicação Interna: 3 o Enviadas: 3 o Recebidas: 3 o Com Cópia Pessoal: 3 Ofícios 4 o Enviados: 4 o Recebidas com Cópia: 5 Contatos Externos:

Leia mais

Boletim de Divulgação do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação nº 17 28/03/2003

Boletim de Divulgação do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação nº 17 28/03/2003 Minicom revela causas do atraso na autorização de rádios comunitárias Secretário de Radiodifusão mostrou ao Conselho de Comunicação Social que dos 7.531 processos abertos no Ministério das Comunicações

Leia mais

À UNIDADE REGIONAL COLEGIADA RIO DAS VELHAS DO CONSELHO DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS COPAM/MG.

À UNIDADE REGIONAL COLEGIADA RIO DAS VELHAS DO CONSELHO DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS COPAM/MG. À UNIDADE REGIONAL COLEGIADA RIO DAS VELHAS DO CONSELHO DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS COPAM/MG. Empreendimento: Usiminas Mina Taquaril Processo n.º 03172/2008/002/2009 Revalidação de Licença de

Leia mais

Local Conference Call Bovespa Comunicado ao Mercado 28 de março de 2012

Local Conference Call Bovespa Comunicado ao Mercado 28 de março de 2012 Local Conference Call Bovespa Comunicado ao Mercado 28 de março de 2012. Operadora: Boa tarde e bem-vindos a áudio conferência de Comunicado ao Mercado da BM&FBovespa. Neste momento todos os participantes

Leia mais

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE

MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA DEPARTAMENTO DE RECURSOS EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MANUAL PARA PREENCHIMENTO DE REQUERIMENTOS ON-LINE Mogi das Cruzes, 2010. Sumário 1. Requerimentos Disponíveis...

Leia mais

GUIA DE USO. Sobre o Moip

GUIA DE USO. Sobre o Moip GUIA DE USO Sobre o Moip Sobre o Moip 2 Qual o prazo de recebimento no Moip? Clientes Elo 7 possuem prazo de recebimento de 2 dias corridos, contados a partir da data de autorização da transação. Este

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO PROCESSO N 2004.QXD.TCE.03953/07 ENTIDADE: PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ INTERESSADO: ANA KARINE SERRA LEOPÉRCIO PROMOTORA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE QUIXADÁ RESPONSÁVEIS: ANTÔNIO ALMEIDA VIANA PRESIDENTE

Leia mais

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 OBJETIVO Estabelecer as regras e procedimentos para concessão de viabilidade técnica, aprovação de projetos e acompanhamento

Leia mais

T R I B U N A L DE J U S T I Ç A

T R I B U N A L DE J U S T I Ç A Ata da Segunda Sessão do ano de 2014 da Comissão Executiva da Câmara Técnica do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres e do Programa: Mulher Viver sem Violência, realizada aos trinta

Leia mais

O que mudou no novo Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Minas Gerais?

O que mudou no novo Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Minas Gerais? O que mudou no novo Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Minas Gerais? O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da conjugação de esforços entre Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA SANTO ANTÔNIO

USINA HIDRELÉTRICA SANTO ANTÔNIO USINA HIDRELÉTRICA SANTO ANTÔNIO Estudo de Caso n 02 FRANCISCO ERPÍDIO TENÓRIO Programa de Acompanhamento dos Direitos Minerários e Atividade Garimpeira Nota: O presente documento tem por objetivo apresentar

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO: SHOW DE PRÊMIOS CAMPO DAS OLIVEIRAS PERÍODO DE VIGÊNCIA: 10/07/2015 À 30/12/2015

REGULAMENTO PROMOÇÃO: SHOW DE PRÊMIOS CAMPO DAS OLIVEIRAS PERÍODO DE VIGÊNCIA: 10/07/2015 À 30/12/2015 REGULAMENTO PROMOÇÃO: SHOW DE PRÊMIOS CAMPO DAS OLIVEIRAS PERÍODO DE VIGÊNCIA: 10/07/2015 À 30/12/2015 DADOS DA PROMOTORA DA PROMOÇÃO NOVA PÁTRIA PLANO DE ASSISTÊNCIA FAMILIAR LTDA Rua: Barão de Jacareí,

Leia mais

Seja meu parceiro. Eu tenho um produto de ótima qualidade, mas sem o seu trabalho, ele não existe.

Seja meu parceiro. Eu tenho um produto de ótima qualidade, mas sem o seu trabalho, ele não existe. Seja meu parceiro Eu tenho um produto de ótima qualidade, mas sem o seu trabalho, ele não existe. Olá vendedor, Te faço um convite para ser meu parceiro na venda do meu produto, entendo que sem o vendedor,

Leia mais

De: Alina Fernandes Enviado: sexta-feira, 19 de Abril de 2013 14:58 Para: ijportugal@pt.intrum.com Assunto: Regularização de valores relativos a serviços CABOVISÃO - SOC. TELEVISÃO

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para inscrição

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para inscrição Cartilha de Atendimento ao Autônomo Alvará de Licença para Localização e Permanência. Fornecer alvará de licença para localização e permanência para os trabalhadores autônomos que exercem atividade sem

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 99901.000285/201-0 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recurso contra decisão denegatória ao

Leia mais

REGULAMENTO JOVEM TALENT 2014. Todos os horários descritos neste Regulamento referem-se ao horário oficial de Brasília.

REGULAMENTO JOVEM TALENT 2014. Todos os horários descritos neste Regulamento referem-se ao horário oficial de Brasília. REGULAMENTO JOVEM TALENT 2014 1. Mecânica: O Jovem Talent 2014, será realizado no período de 30/06/2014 a 31/03/2015, pelo site: http://www.hunterdouglas.com.br/talentclub da empresa Hunter Douglas do

Leia mais

Cartilha. Ourocap Fiador

Cartilha. Ourocap Fiador Faz diferença ter Ourocap Fiador na hora de alugar um imóvel. Cartilha Ourocap Fiador O Ourocap Fiador* é o título de capitalização que funciona como uma garantia de aluguel, facilitando sua vida na hora

Leia mais

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Revisão Nome:

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Revisão Nome: 3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Revisão Nome: Vamos entender um pouco mais sobre ética. Leia este texto atentamente. ÉTICA Ética é um conjunto de valores morais, costumes

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Fato Relevante Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário 27 de dezembro de 2007. Tomás Awad, Itaú Corretora:

Transcrição da Teleconferência Fato Relevante Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário 27 de dezembro de 2007. Tomás Awad, Itaú Corretora: Tomás Awad, Itaú Corretora: Bom dia. Eu queria só ter um pouco mais de noção pelo menos de Caieiras. Pelo que vocês deram a entender, o projeto começa em 2010 o lançamento. Em que estágio vocês estão agora

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM PARQUE NACIONAL DE SÃO JOAQUIM Aos dezoito dias do mês de agosto

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Cartilha do SISTEMA DE ATERMAÇÃO ONLINE SAO

Cartilha do SISTEMA DE ATERMAÇÃO ONLINE SAO Cartilha do SISTEMA DE ATERMAÇÃO ONLINE SAO Para o ajuizamento de ação no JEF e encaminhamento de manifestações/documentos para os JEFs, sem advogado, via internet. O mesmo atendimento que é feito no setor

Leia mais

Esta é a tela em que você assistirá as palestras ;-)

Esta é a tela em que você assistirá as palestras ;-) Denis Levati Corretor de imóveis com ampla experiência. É historiador e atua como coordenador de conteúdo no blog Guru do Corretor, veículo de relevância nacional, especializado no mercado imobiliário.

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM 5 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBIO CONSELHO CONSULTIVO DO PARNA DE SÃO JOAQUIM PARQUE NACIONAL DE SÃO JOAQUIM - PNSJ 10 15 20 25 30 35 40

Leia mais