SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP"

Transcrição

1 SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO E SITUAÇÃO ATUAL DO SEGURO AGRÍCOLA Vera Melo - Diretora César Neves - Coordenador

2 Sistema Nacional de Seguros Privados: Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP); Superintendência de Seguros Privados (); IRB Brasil Resseguros S. A (IRB Brasil- Re); Sociedades Seguradoras; e Corretores de Seguros.

3 Atribuições do CNSP e da : O CNSP é o órgão deliberativo, responsável pela normatização dos procedimentos e regras relacionadas à política de seguros do Brasil; A é o órgão executor da política traçada pelo CNSP. É responsável pela supervisão dos mercados de seguros, previdência complementar aberta e capitalização.

4 Principais Legislações: Decreto-Lei n.º 73/1966; Decreto /1967; Decreto - Lei n.º 261/1967; e Lei Complementar n.º 109/2001;

5 PERSPECTIVAS DO MERCADO SEGURADOR

6 Perspectivas do Mercado Segurador No ano de 2004, o crescimento percentual do mercado segurador brasileiro foi superior à evolução percentual do Produto Interno Bruto, fazendo com que, mais uma vez, a indústria do seguro aumentasse a sua participação no PIB. Ao longo da última década a participação do capital estrangeiro acentuou-se de maneira significativa, prova do potencial de crescimento do país e do nosso mercado mais especificamente.

7 Perspectivas do Mercado Segurador É o responsável pela geração de, aproximadamente empregos. No ano de 2004 o total de prêmios diretos de seguros foi da ordem de R$37,5 bilhões com um crescimento em relação a 2004 de 22% ( vinte e dois por cento ). Os seguros de pessoas contribuíram de maneira significativa para este crescimento, com os seguros de vida por sobrevivência, totalizando um total de prêmios diretos da ordem de R$ 11 bilhões.

8 Perspectivas do Mercado Segurador Nos meses de janeiro a abril deste ano verificamos um crescimento dos prêmios diretos de 7,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Tais prêmios totalizaram o valor de R$ 12,55 bilhões, com os seguros de pessoas e os seguros de automóveis sendo responsáveis, por aproximadamente, 45% do mercado.

9 Perspectivas do Mercado Segurador No seu papel de formador de poupança interna os ativos garantidores das provisões técnicas em 2000 eram da ordem de R$ 32 bilhões, estando atualmente, em R$ 80 bilhões. Verificamos, assim, que os seguros de um modo geral apresentaram crescimento significativo, ainda tendo espaço para crescer, em especial o seguro rural.

10 ÚLTIMOS AVANÇOS DO MERCADO SEGURADOR

11 Últimos Avanços Incentivo a comercialização dos Seguros Populares, com o intuito de que uma parcela cada vez maior da população passe a contratar apólices de Seguros, implementando cada vez mais, a cultura do Seguro dentre os cidadãos brasileiros. Criação de Ouvidorias nas Sociedades Seguradoras visando à redução do prazo de atendimento às demandas dos consumidores, fato que em última instância, ensejará a redução dos processos administrativos de penalidades instaurados pela.

12 Últimos Avanços Revisão de toda a legislação inerente aos Seguros Rurais, além de, já termos encaminhado, em conjunto com o IRB Brasil Re, projeto de Lei objetivando a melhoria da operacionalização do Fundo de Estabilidade do Seguro Rural. Proposta de revisão do normativo que trata sobre o Fundo de Estabilidade do Seguro Rural, com base na legislação atualmente vigente.

13 Últimos Avanços Apoio ao programa de subvenção ao Prêmio do Seguro Rural; Discussões com os vários segmentos da economia no sentido do desenvolvimento de novos produtos de seguros, um exemplo seria a atual discussão acerca da viabilidade de um Seguro de Garantia de Armazéns ligados aos produtos agrícolas (CDA/WA), que está sendo realizada em conjunto com o Ministério da Agricultura, BM&F e FENASEG.

14 Últimos Avanços Proposta de alteração de Resolução do Conselho Monetário Nacional - CMN de forma a contemplar a possibilidade de oferecimento em coberturas das provisões técnicas do mercado de seguros, previdência privada aberta e capitalização, de títulos de créditos lastradores dos agronegócios.

15 Últimos Avanços Alteração da metodologia de cálculo do Capital Mínimo e Margem de Solvência das Sociedades Seguradoras contemplando os riscos de subscrição que as Seguradoras estão sujeitas, notadamente: os Riscos associados aos Preços (underpricing) e os riscos associados às provisões contemplando os riscos extraordinários.

16 Últimos Avanços Atualizamos os valores indenitários pertinentes aos Seguros Obrigatórios DPVAT e DPEM cujos valores poderão chegar a R$10.300,00. Recentemente foi regulamentado a obrigatoriedade do registro de apólices em instituições de registro, custódia e liquidação financeira visando dar maior Segurança aos Consumidores.

17 Últimos Avanços A passou a disponibilizar, pela Internet, para seguradores e consumidores, o andamento dos processos administrativos iniciados pela Autarquia. Focalizando o aperfeiçoamento da comunicação com o mercado supervisionado e com os corretores de seguros, a tem colocado várias normas em audiência pública, para sugestões do público em geral, através de nosso site.

18 SITUAÇÃO ATUAL DO SEGURO AGRÍCOLA

19 Modalidades do Seguro Rural agrícola; pecuária; aqüícola; florestas; penhor rural; benfeitorias e produtos agropecuários; vida do produtor rural; e seguro de CPR.

20 Prêmio de seguro (milhões) Seguro Agrícola Prêmio de Seguro por Safra 1995/ / / / / / / / / / Safras

21 Seguro Agrícola Seguro Agrícola Sinistralidade = sinistro/prêmio Sinistralidade = sinistro/prêmio 89,22% 48,94% 119,37% 65,10% 94,20% 451,50% 226,91% 15,51% 277,33% 202,26% 0% 50% 100% 150% 200% 250% 300% 350% 400% 450% 500% Sinistralidade 1995/ / / / / / / / / /2005 Safras 89,22% 48,94% 119,37% 65,10% 94,20% 451,50% 226,91% 15,51% 277,33% 202,26% 0% 50% 100% 150% 200% 250% 300% 350% 400% 450% 500% Sinistralidade 1995/ / / / / / / / / /2005 Safras

22 Seguro Agrícola Distribuição Geográfica dos Prêmios 2,24% 1,10% 1,85% 25,07% 3,64% MG MS PR RS SP demais 66,10% Sagra 2003/2004

23 Seguro Agrícola Informações: Sagra 2003/ seguradoras operando; 3 seguradoras = 92% do mercado; 19,54% do mercado de seguro rural em volume de prêmio; e 0,11% do mercado de seguros. Grande potencial de crescimento.

24 Fundo de Estabilidade do Seguro Rural - FESR Foi criado pelo Decreto-lei nº 73/66, tendo como finalidade manter e garantir o equilíbrio das operações agrícolas no país, bem como atender à cobertura suplementar dos riscos de catástrofe, inerentes à atividade rural.

25 Fundo de Estabilidade do Seguro Rural - FESR FESR Fundo de Estabilidade do Seguro Rural Equilíbrio do Mercado de Seguros Agrícola (de Custeio) Pecuário Aquícola Florestas Penhor Rural Seguradoras

26 Fundo de Estabilidade do Seguro Rural - FESR Agrícola Pecuário Aquícola Florestas 30% do resultado positivo FESR Fundo de Estabilidade de Seguro Rural Penhor 50% do resultado Rural positivo Aportes do Governo Federal em casos de insuficiência de recursos 100% a 150% de sinistralidade sinistralidade acima de 250% Obs.: A faixa de 150% a 250% deve. ser amparada pelo ressegurador.

27 Desenvolvimento do Seguro Agrícola Demanda dos produtores; Seguradoras especializadas; Abertura do mercado de resseguros; Subvenção ao prêmio do seguro rural (Governo Federal, SP e RS); Alteração do Fundo de Estabilidade do Seguro Rural;

28 Muito Obrigado Vera Melo - César Neves -

Camara Temática de Seguros Rurais

Camara Temática de Seguros Rurais Camara Temática de Seguros Rurais Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento 07.06.2011 Camara Temática Seguro Rural Agenda 1 - Legislação O seguro rural: setor, abrangência e legislação 2 - Modelo

Leia mais

ANÁLISE A RESPEITO DO AGRÍCOLA NO BRASIL. Benedito S. Ferreira Cosag, 05 de fevereiro de 2007 2007

ANÁLISE A RESPEITO DO AGRÍCOLA NO BRASIL. Benedito S. Ferreira Cosag, 05 de fevereiro de 2007 2007 ANÁLISE A RESPEITO DO AGRÍCOLA NO BRASIL Benedito S. Ferreira Cosag, 05 de fevereiro de 2007 2007 ESCOPO DA ANÁLISE Com base nas experiências internacionais e brasileiras sobre Seguro Agrícola, procurou-se

Leia mais

Seminário Riscos e Gestão do Seguro Rural no Brasil

Seminário Riscos e Gestão do Seguro Rural no Brasil Seminário Riscos e Gestão do Regulamentação para gestão do seguro rural em eventos catastróficos Otávio Ribeiro Damaso Secretário Adjunto de Política Econômica / otavio.damaso@fazenda.gov.br Campinas,

Leia mais

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SOCORRO PÚBLICO - ASPECTOS NEGATIVOS Elevado custo político Baixa eficiência econômica Elevado

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o XXX, DE 20XX.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o XXX, DE 20XX. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o XXX, DE 20XX. Dispõe sobre o capital mínimo requerido para autorização e funcionamento e sobre o plano de regularização de

Leia mais

Fundo de Catástrofe do Seguro Rural

Fundo de Catástrofe do Seguro Rural Fundo de Catástrofe do Seguro Rural O Presidente da República submete hoje à apreciação do Congresso Nacional Projeto de Lei Complementar autorizando a constituição do Fundo de Catástrofe do Seguro Rural.

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 158, DE 2006.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 158, DE 2006. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 58, DE 2006. Dispõe sobre as regras sobre o capital adicional baseado nos riscos de subscrição das sociedades seguradoras

Leia mais

SEGUROS, RESSEGUROS E PREVIDÊNCIA. Resoluções CNSP de fevereiro de 2013. 1. Resolução CNSP nº. 276, de 30 de janeiro de 2013

SEGUROS, RESSEGUROS E PREVIDÊNCIA. Resoluções CNSP de fevereiro de 2013. 1. Resolução CNSP nº. 276, de 30 de janeiro de 2013 SEGUROS, RESSEGUROS E PREVIDÊNCIA 08/03/2013 Resoluções CNSP de fevereiro de 2013 1. Resolução CNSP nº. 276, de 30 de janeiro de 2013 A Resolução CNSP nº. 276, publicada em 18 de fevereiro de 2013 no Diário

Leia mais

Procon, Fiscalizadores, Reguladores e a transparência na relação consumo.

Procon, Fiscalizadores, Reguladores e a transparência na relação consumo. Classificação das Sociedades - Existem 2 categorias : Conglomerados financeiros Concentram se em público-alvo, que são os clientes do próprio conglomerado, pertence a uma sociedade participativa liderada

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010. Dispõe sobre os critérios para a realização de investimentos pelas sociedades seguradoras, resseguradores locais,

Leia mais

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Evandro Gonçalves Brito Diretoria de Agronegócios / Banco do Brasil Uberlândia (MG), 18 de novembro de 2010. Desafios Globais Os dez maiores

Leia mais

Mesa Redonda Agrícola

Mesa Redonda Agrícola Mesa Redonda Agrícola Dia 14/04 das 14 às 16h Wady J. M. Cury 14 e 15 de Abril de 2015 ÍNDICE Princípios do Seguro MUTUALISMO... É um dos princípios fundamentais que constitui a base de todas as operações

Leia mais

Análise a Respeito do Seguro Agrícola no Brasil. Benedito S. Ferreira Diretor Titular Departamento do Agronegócio FIESP Junho de 2008

Análise a Respeito do Seguro Agrícola no Brasil. Benedito S. Ferreira Diretor Titular Departamento do Agronegócio FIESP Junho de 2008 Análise a Respeito do Seguro Agrícola no Brasil Benedito S. Ferreira Diretor Titular Departamento do Agronegócio FIESP Junho de 2008 Escopo da Análise Com base nas experiências internacionais e brasileiras

Leia mais

DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE.

DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE. PRODUTOR RURAL: fale com o gerente do seu banco e saiba como ter acesso aos créditos e benefícios do Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015. DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE. Para

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA Porto Alegre - Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 O IRB-BRASIL RE COMO RESSEGURADOR E GESTOR DO FUNDO DE ESTABILIDADE DO SEGURO

Leia mais

OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO SEGURO RURAL PRIVADO NO BRASIL

OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO SEGURO RURAL PRIVADO NO BRASIL OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO SEGURO RURAL PRIVADO NO BRASIL S E G U R O S E G U R O Seguro Rural Modalidades Seguro Agrícola; Seguro Pecuário; Seguro Aqüícola; Seguro de Florestas; Modalidades

Leia mais

Síntese dos desafios do seguro rural no Brasil: onde falhamos e até onde avançamos. Vitor Ozaki Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Síntese dos desafios do seguro rural no Brasil: onde falhamos e até onde avançamos. Vitor Ozaki Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Síntese dos desafios do seguro rural no Brasil: onde falhamos e até onde avançamos Vitor Ozaki Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ONDE FALHAMOS? SÍNTESE HISTÓRICA - Criação da Federal Crop

Leia mais

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Histórico do Seguro Agrícola no Brasil 1878 - Congresso Agrícola do Recife; Lei n 2.168, de 11 de janeiro de 1954, estabelece normas para a instituição do seguro agrário

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários VI Congresso Brasileiro de Algodão Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários Segmentação do Mercado Segurador Brasileiro Danos SEGUROS Pessoas PREVI- DÊNCIA CAPITA- LIZAÇÃO

Leia mais

valores Sociedades de capitalização Entidades fechadas de previdência complementar (fundos de pensão)

valores Sociedades de capitalização Entidades fechadas de previdência complementar (fundos de pensão) CONHECIMENTOS BANCÁRIOS PROFESSOR RODRIGO O. BARBATI 1 ESTRUTURA DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composto de um conjunto de instituições

Leia mais

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis 1. Autarquia, com personalidade jurídica de direito público, que dispõe de autonomia administrativa e financeira, que tem como atribuição fundamental fiscalizar o fiel cumprimento da legislação de seguros:

Leia mais

GRUPO GESER - GESTÃO EM SEGUROS E RISCOS DA ESALQ/USP

GRUPO GESER - GESTÃO EM SEGUROS E RISCOS DA ESALQ/USP GRUPO GESER - GESTÃO EM SEGUROS E RISCOS DA ESALQ/USP Terceira edição outubro 2013 Na terceira edição do Boletim do Seguro Rural (BSR), o Grupo GESER Gestão em Seguros e Riscos abordará em sua Matéria

Leia mais

8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária. Rio de Janeiro Agosto - 2010

8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária. Rio de Janeiro Agosto - 2010 Normas Internacionais de Supervisão 8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária Rio de Janeiro Agosto - 2010 Sumário: 1. Solvência II 2. International Association of Insurance Supervisors IAIS 3.

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 374, de 2008 SUBSTITUTIVO DO RELATOR

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 374, de 2008 SUBSTITUTIVO DO RELATOR COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 374, de 2008 SUBSTITUTIVO DO RELATOR Dispõe sobre o aperfeiçoamento dos instrumentos de seguro rural

Leia mais

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER

Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe. Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER Gestão de risco rural, Proagro, seguro rural e Fundo de Catástrofe Eustáquio Mesquita de Sant Ana Coordenador-Geral de Seguro Rural SPA/DEGER RR AP AM PA MA CE RN AC 90 s RO MT TO PI BA PB PE AL SE 80

Leia mais

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização Seguro Rural Desafios para a sua Operacionalização GESTÃO DE RISCO RURAL Riscos Rurais: - Climatológicos; Incêndio; Vida animal; Propriedades; Equipamentos; Armazenagem; Transporte; e, Preço. Seguro Rural

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL TEMAS VOLUME DE RECURSOS Do aporte nacional, garantir para o RS no mínimo 20% (vinte por cento) dos recursos para financiamento agropecuário de forma oportuna, tempestiva e suficiente. Aumentar os limites

Leia mais

SEGUROS PRIVADOS E PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR. Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP)

SEGUROS PRIVADOS E PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR. Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) SEGUROS PRIVADOS E PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) antigo Conselho de Gestão da P. Complementar é o órgão responsável

Leia mais

VOTO PROCESSO N.º 15414.001971/2008-48 DIRETOR ALEXANDRE PENNER

VOTO PROCESSO N.º 15414.001971/2008-48 DIRETOR ALEXANDRE PENNER VOTO ASSUNTO: MINUTA DE CIRCULAR QUE ESTABELECE A CODIFICAÇÃO DOS RAMOS DE SEGUROS E DISPÕE SOBRE A CLASSIFICAÇÃO DE COBERTURAS CONTIDAS EM PLANOS DE SEGUROS, PARA FINS DE CONTABILIZAÇÃO. PROCESSO N.º

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático 1. Estrutura dos Sistemas de Seguros Gerais, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Saúde Suplementar 1.1 Estrutura do Sistema de Seguros Gerais, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados

MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados CIRCULAR SUSEP nº XXX, de X de XXXX de 2013 Estabelece critérios para fins de cálculo da provisão de sinistros ocorridos e não avisados (IBNR)

Leia mais

ESTUDO DO MERCADO SEGURADOR NACIONAL E DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SINDSEG MG/GO/MT/DF. Período de Referência: Dezembro de 2012

ESTUDO DO MERCADO SEGURADOR NACIONAL E DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SINDSEG MG/GO/MT/DF. Período de Referência: Dezembro de 2012 ESTUDO DO MERCADO SEGURADOR NACIONAL E DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SINDSEG MG/GO/MT/DF Período de Referência: Dezembro de 2012 Dezembro de 2012 Os dados apresentados foram extraídos da base SUSEP, a qual

Leia mais

Período de Referência: Dezembro de 2010 [ ESTUDO RERERENTE AO MERCADO SEGURADOR NACIONAL NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SINDSEG MG/GO/MT/DF

Período de Referência: Dezembro de 2010 [ ESTUDO RERERENTE AO MERCADO SEGURADOR NACIONAL NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SINDSEG MG/GO/MT/DF Período de Referência: Dezembro de 2010 [ ESTUDO RERERENTE AO MERCADO SEGURADOR NACIONAL NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SINDSEG MG/GO/MT/DF ] ABRANGÊNCIA DO SINDSEG Os dados apresentados foram extraídos da

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 362, de 26 de março de 2008.

CIRCULAR SUSEP N o 362, de 26 de março de 2008. MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados CIRCULAR SUSEP N o 362, de 26 de março de 2008. Estabelece regras para a Nota Técnica Atuarial de Carteira que deverá ser encaminhada com o Plano

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL VOTOS APROVADOS NA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CMN 16/04/2009

MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL VOTOS APROVADOS NA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CMN 16/04/2009 MINISTÉRIO DA FAZENDA GABINETE DO MINISTRO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL VOTOS APROVADOS NA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CMN 16/04/2009 1 - PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA ESTOCAGEM DE ÁLCOOL ETÍLICO COMBUSTÍVEL

Leia mais

ANEXO I-A Constituição da provisão de IBNR todos os ramos de seguros, exceto seguros de Vida do grupo Pessoas Individual e seguros dotais

ANEXO I-A Constituição da provisão de IBNR todos os ramos de seguros, exceto seguros de Vida do grupo Pessoas Individual e seguros dotais ANEXO I-A Constituição da provisão de IBNR todos os ramos de seguros, exceto seguros de Vida do grupo Pessoas Individual e seguros dotais Art. 1º Para os ramos que estão em run-off, deverão ser utilizados

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 227, DE 2010.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 227, DE 2010. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 227, DE 2010. Dispõe sobre o capital mínimo requerido para autorização e funcionamento e sobre planos corretivo e de recuperação

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

P R O A G R O. Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. Deoclécio Pereira de Souza. Rio Branco (AC) 22-07-2008

P R O A G R O. Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. Deoclécio Pereira de Souza. Rio Branco (AC) 22-07-2008 P R O A G R O Programa de Garantia da Atividade Agropecuária Deoclécio Pereira de Souza Rio Branco (AC) 22-07-2008 1 1.a S E G U R O A - M U N D O ANO > 1347 LOCAL > GÊNOVA - Itália FATO > 1º CONTRATO

Leia mais

Diálogo Brasil Estados Unidos: o caso do seguro rural

Diálogo Brasil Estados Unidos: o caso do seguro rural 17nov 2015 Diálogo Brasil Estados Unidos: o caso do seguro rural Por Fernanda Schwantes* 1. Apresentação O setor agropecuário está exposto a diferentes elementos de risco, provenientes de fatores climáticos,

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais

A ABERTURA DO MERCADO BRASILEIRO DE RESSEGUROS

A ABERTURA DO MERCADO BRASILEIRO DE RESSEGUROS REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber e Adriana Maria Gödel Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é Advogado especializado em Direito Empresarial, Bancário e Mercado de Capitais e sócio-fundador

Leia mais

Ações de apoio à Produção Agrícola Gilson Bittencourt

Ações de apoio à Produção Agrícola Gilson Bittencourt Ações de apoio à Produção Agrícola Gilson Bittencourt gilson.bittencourt@fazenda.gov.br 1 Ações de apoio à Produção Agrícola Safra 2008/2009 Lançamento do Plano de Safra da Agricultura Empresarial com

Leia mais

Gerente de Mercados da OCB. Brasília, 08 de abril de 2011

Gerente de Mercados da OCB. Brasília, 08 de abril de 2011 ENDIVIDAMENTO DO SETOR AGROPECUÁRIO EVANDRO SCHEID NINAUT Gerente de Mercados da OCB Brasília, 08 de abril de 2011 Organização das Cooperativas Brasileiras Ci Criada em 1.969 IV Congresso Brasileiro i

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS, PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR ABERTA, CAPITALIZAÇÃO E RESSEGUROS

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS, PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR ABERTA, CAPITALIZAÇÃO E RESSEGUROS MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS, PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR ABERTA, CAPITALIZAÇÃO E RESSEGUROS SUPERVISÃO BASEADA NO RISCO GT SOLVÊNCIA Maio de 2013 SUSEP/DITEC/CGSOA Conjuntura Econômica De acordo com dados

Leia mais

CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO

CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO Evolução do mercado de seguros brasileiro, passou de pouco mais de 1% de representação no PIB para 6% em 15 anos 2 CENÁRIO POSITIVO PARA O MERCADO SEGURADOR

Leia mais

PATRIMÔNIO LÍQUIDO DAS SEGURADORAS BRASILEIRAS UMA EVOLUÇÃO MARCANTE. Em dezembro de 2006, através da Resolução CNSP 158, com vigência a partir de

PATRIMÔNIO LÍQUIDO DAS SEGURADORAS BRASILEIRAS UMA EVOLUÇÃO MARCANTE. Em dezembro de 2006, através da Resolução CNSP 158, com vigência a partir de PATRIMÔNIO LÍQUIDO DAS SEGURADORAS BRASILEIRAS UMA EVOLUÇÃO MARCANTE Em dezembro de 2006, através da Resolução CNSP 158, com vigência a partir de 1º de janeiro de 2008, foram instituídas as regras sobre

Leia mais

Crédito Rural. Comissão de Agricultura e Reforma Agrária - CRA 10.06.2011

Crédito Rural. Comissão de Agricultura e Reforma Agrária - CRA 10.06.2011 Ciclo de Palestras e Debates Crédito Rural Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária - CRA 10.06.2011 CONTEXTUALIZAÇÃO FINANCIAMENTO DO AGRONEGÓCIO BNDES LINHAS DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO

Leia mais

SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS. PROCAD UFMG Novembro/09

SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS. PROCAD UFMG Novembro/09 SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS PROCAD UFMG Novembro/09 SEGURO RURAL Modalidades Seguro Rural Modalidades Seguro Agrícola; Seguro Pecuário; Seguro de Benfeitorias e Produtos Agropecuários;

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

Regulatory Practice Insurance News

Regulatory Practice Insurance News Março 2010 SUSEP INSURANCE Regulatory Practice Insurance News FINANCIAL SERVICES Normas Contábeis Carta-Circular CGSOA 01, de 31.03.2010 Demonstrações Financeiras Dispõe sobre as normas contábeis das sociedades

Leia mais

11 a 21 de outubro de 2006. Paulo Marraccini paulo.marraccini@allianz.com.br

11 a 21 de outubro de 2006. Paulo Marraccini paulo.marraccini@allianz.com.br Missão FENASEG Índia e China 11 a 21 de outubro de 2006 Paulo Marraccini paulo.marraccini@allianz.com.br Dados Gerais Brasil China India Fonte Area (1.000 m2) 8.514 9.573 3.166 B População (milhões) 184

Leia mais

As Recentes Modificações nas Regras do Mercado de Resseguro

As Recentes Modificações nas Regras do Mercado de Resseguro As Recentes Modificações nas Regras do Mercado de Resseguro ANDRÉ ALARCON Sócio da Área de Seguros e Resseguros BÁRBARA BASSANI Advogada da área de Seguros e Resseguros Desde o advento da Lei Complementar

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.3- Seguros

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.3- Seguros Conhecimentos Bancários Item 2.3.3- Seguros Conhecimentos Bancários Item 2.3.3- Seguros Insegurança nas atividades cotidianas SEGURO Necessidade de controlar o RISCO! Conhecimentos Bancários Item 2.3.3-

Leia mais

Desafios e Oportunidades associados ao Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Desafios e Oportunidades associados ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) Desafios e Oportunidades associados ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) Índice Agronegócio Brasileiro Seguro Rural e Evolução do Mercado Programa de Subvenção Visão da Seguradora - Sustentabilidade Conclusão

Leia mais

Título em português: Seguro agrícola, subvenções e a cultura da soja no Brasil.

Título em português: Seguro agrícola, subvenções e a cultura da soja no Brasil. Título em português: Seguro agrícola, subvenções e a cultura da soja no Brasil. A sojicultura é uma atividade econômica sujeita a intempéries e ao movimento dos mercados nacional e internacional. Tais

Leia mais

AULA 05. Sistema Nacional de Seguros Privados

AULA 05. Sistema Nacional de Seguros Privados AULA 05 Sistema Nacional de Seguros Privados Sistema Nacional de Seguros Privados O Sistema Nacional de Seguros Privados do Brasil (SNSP) - parte integrante do Sistema Financeiro Nacional - é formado por

Leia mais

SEGURO RURAL NO BRASIL: da concepção ao Programa de Subvenção ao Prêmio

SEGURO RURAL NO BRASIL: da concepção ao Programa de Subvenção ao Prêmio SEGURO RURAL NO BRASIL: da concepção ao Programa de Subvenção ao Prêmio Igor Jose da Silva Consultor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD e do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. Institui regras e procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras, entidades

Leia mais

Palavras-chave: normas internacionais, seguradoras, contabilidade.

Palavras-chave: normas internacionais, seguradoras, contabilidade. Normas Contábeis para Seguradoras versus Padrões Internacionais de Contabilidade: uma análise a luz das IFRS. Resumo Jefferson Ricardo do Amaral Melo 1 O mercado segurador cresce a cada dia com uma diversidade

Leia mais

LEI Nº 2.168, DE 11 DE JANEIRO DE 1954

LEI Nº 2.168, DE 11 DE JANEIRO DE 1954 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 2.168, DE 11 DE JANEIRO DE 1954 Estabelece normas para instituição do seguro agrário. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

MICROSSEGUROS E INCLUSÃO SOCIAL

MICROSSEGUROS E INCLUSÃO SOCIAL MICROSSEGUROS E INCLUSÃO SOCIAL Incentivo da autarquia é decisivo para a expansão do mercado segurador no Brasil / pág 5 BALANÇO DO MERCADO SEGURADOR 2013 foi marcado por forte crescimento / pág 6 // ENTREVISTA

Leia mais

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 1 SEGURO RISCOS RURAIS Esse estudo tomou por base dados oficiais gerados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, IBGE e pela SUSEP (Superintendência

Leia mais

AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS

AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS HSM EXPO MANAGEMENT 2014 4 de novembro de 2014 Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação CNseg Agenda Representação

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2005 1. APRESENTAÇÃO

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2005 1. APRESENTAÇÃO Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2005 1. APRESENTAÇÃO A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUSEP, inscrita no CNPJ - MF sob o nº. 42.354.068/0001-19,

Leia mais

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Organização das Cooperativas Brasileiras OCB Gerência de Apoio ao Desenvolvimento em Mercados GEMERC 1. INTRODUÇÃO O agronegócio brasileiro representa

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

Formar e capacitar profissionais para o mercado de seguros brasileiro. Essa é a missão da Escola Nacional de Seguros há mais de 40 anos.

Formar e capacitar profissionais para o mercado de seguros brasileiro. Essa é a missão da Escola Nacional de Seguros há mais de 40 anos. Formar e capacitar profissionais para o mercado de seguros brasileiro. Essa é a missão da Escola Nacional de Seguros há mais de 40 anos. Ao longo desse período, a Escola se desenvolveu, ganhou experiência

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 457, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Institui o Teste de Adequação de Passivos para fins de elaboração das demonstrações financeiras e define regras e

Leia mais

No anexo da Resolução CNSP No 208, publicado no Diário Oficial da União do dia 15 de janeiro de 2010, páginas 35 a 41, seção 1; onde se lê:

No anexo da Resolução CNSP No 208, publicado no Diário Oficial da União do dia 15 de janeiro de 2010, páginas 35 a 41, seção 1; onde se lê: CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RETIFICAÇÃO No anexo da Resolução CNSP No 208, publicado no Diário Oficial da União do dia 15 de janeiro de 2010, páginas 35 a 41, seção 1; onde se lê: "Art. 15....

Leia mais

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

DELPHOS INFORMA. DIVULGAÇÃO DA CIRCULAR SUSEP Nº 73, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1998, PUBLICADA NO D.O.U de 29/12/98

DELPHOS INFORMA. DIVULGAÇÃO DA CIRCULAR SUSEP Nº 73, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1998, PUBLICADA NO D.O.U de 29/12/98 DELPHOS INFORMA ANO 4 - Nº 19 - DEZEMBRO/98 DIVULGAÇÃO DA CIRCULAR SUSEP Nº 73, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1998, PUBLICADA NO D.O.U de 29/12/98 Ementa: Dispõe sobre a estruturação de dados relativos ao Seguro

Leia mais

DECRETO Nº 61.867, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1967

DECRETO Nº 61.867, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1967 DECRETO Nº 61.867, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1967 Regulamenta os seguros obrigatórios previstos no artigo 20 do Decreto-lei nº 73, de 21.11.66, e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da

Leia mais

DECRETO Nº 61.867, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1967: Regulamenta os seguros

DECRETO Nº 61.867, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1967: Regulamenta os seguros DECRETO Nº 61.867, DE 07 DE DEZEMBRO DE 1967: Regulamenta os seguros obrigatórios previstos no artigo 20 do Decreto-lei nº 73, de 21.11.66, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Política Agrícola - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Política Agrícola - Análise da Conjuntura Agropecuária Política Agrícola - Análise da Conjuntura Agropecuária Setembro de 2012 A política agrícola anunciada para a agricultura empresarial se caracterizou por assegurar o necessário apoio ao produtor rural.

Leia mais

AGRONEGÓCIO NO MUNDO PRINCIPAIS PLAYERS

AGRONEGÓCIO NO MUNDO PRINCIPAIS PLAYERS AGRONEGÓCIOS AGRONEGÓCIO NO MUNDO PRINCIPAIS PLAYERS Argentina Estados Unidos Indonésia Brasil Canadá Russia Índia Japão Austrália China México Área Agricultável > 30 milhões de ha População urbana > 80

Leia mais

CADERNOS DE SEGUROS RURAIS NO BRASIL (1) a. Histórico

CADERNOS DE SEGUROS RURAIS NO BRASIL (1) a. Histórico GERENSEGGERENSEGGERENSEG ADMINISTRAÇÃO E GERENCIAMENTO DE SEGUROS LTDA. Av. São Gabriel, 149 -cj. 502 - CEP 01435-001 - SÃO PAULO - SP Tel.: (011) 3165-6152 Fax.: (011) 3165-6102 CADERNOS DE SEGUROS RURAIS

Leia mais

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Pauta da apresentação 1º Estrutura do Setor 2º Representação Institucional do Setor 3º Arrecadação Visão por

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

Regulatory Practice Insurance News

Regulatory Practice Insurance News Maio 2008 INSURANCE Regulatory Practice Insurance News FINANCIAL SERVICES SUSEP Títulos de Capitalização Circular 365, de 27.05.2008 - Comercialização de títulos de capitalização Estabelece normas para

Leia mais

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 Segmentação do Mercado MERCADO MONETÁRIO MERCADO DE CRÉDITO MERCADO FINANCEIRO MERCADO DE CAPITAIS MERCADO CAMBIAL Conceito de Sistema Financeiro Conjunto

Leia mais

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUCAO 3.308 --------------- Altera as normas que disciplinam a aplicação dos recursos das reservas, das provisões e dos fundos das sociedades seguradoras, das sociedades de capitalização e das entidades

Leia mais

Linhas Agrícolas Agosto 2013

Linhas Agrícolas Agosto 2013 Linhas Agrícolas Agosto 2013 MERCADO DE CRÉDITO DÍVIDA PRIVADA Dividido em 3 Principais Classes de Ativo: Crédito Geral: Linha de KG, Conta Garantida, Finame, PSI; CCB, Debênture; Crédito Imobiliário:

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 451, de 17 de outubro de 2012 ANEXO

CIRCULAR SUSEP N o 451, de 17 de outubro de 2012 ANEXO Fl. 2 da CIRCULAR SUSEP N o 451, de 17 de outubro de 2012. CIRCULAR SUSEP N o 451, de 17 de outubro de 2012 ANEXO INSTRUÇÕES COMPLEMENTARES PARA A OPERAÇÃO DO SEGURO OBRIGATÓRIO DE DANOS PESSOAIS CAUSADOS

Leia mais

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização,

Leia mais

GRUPO GESER - GESTÃO EM SEGUROS E RISCOS DA ESALQ/USP

GRUPO GESER - GESTÃO EM SEGUROS E RISCOS DA ESALQ/USP GRUPO GESER - GESTÃO EM SEGUROS E RISCOS DA ESALQ/USP Nesta sexta edição do Boletim do Seguro Rural, o grupo GESER expõe uma análise do mercado de seguro rural privado no Brasil, com foco no seu processo

Leia mais

REGISTRO ELETRÔNICO DE PRODUTOS MANUAL DE UTILIZAÇÃO

REGISTRO ELETRÔNICO DE PRODUTOS MANUAL DE UTILIZAÇÃO Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS REGISTRO ELETRÔNICO DE PRODUTOS MANUAL DE UTILIZAÇÃO Versão 11/06/2014 Coordenação Geral de Produtos CGPRO/DIRAT SUMÁRIO GLOSSÁRIO... 3 CAPÍTULO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 126, DE 15 DE JANEIRO DE 2007

LEI COMPLEMENTAR Nº 126, DE 15 DE JANEIRO DE 2007 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI COMPLEMENTAR Nº 126, DE 15 DE JANEIRO DE 2007 Dispõe sobre a política de resseguro, retrocessão e sua intermediação, as operações de co-seguro,

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 261, de 9 de julho de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 261, de 9 de julho de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 261, de 9 de julho de 2004. Dispõe sobre o seguro de cédula de produto rural - CPR e dá outras providências. O SUPERINTENDENTE SUBSTITUTO DA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP,

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 96, DE 2009

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 96, DE 2009 PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 96, DE 2009 Propõe que a Comissão de Defesa do Consumidor fiscalize os atos de gestão praticados pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP em relação à conduta

Leia mais