Porto Alegre / 4 de março de 2011 / nº 9 / Ano XVI /

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Porto Alegre / 4 de março de 2011 / nº 9 / Ano XVI / www.fiergs.org.br"

Transcrição

1 S E M A N A Porto Alegre / 4 de março de 2011 / nº 9 / Ano XVI / E D I T O R I A L Pauta de trabalho A pauta de trabalho do Sistema FIERGS/CIERGS, no curto prazo, cresce na medida em que avança o ano. Neste trimestre acumulamos ações no âmbito estadual e nacional, incluindo o piso mínimo do Rio Grande do Sul, as discussões sobre a renovação dos programas setoriais do BNDES, a apresentação de sugestões para a nova Política de Desenvolvimento Produtivo do governo federal e o adiamento, incluindo alternativas, para a exigência do ponto eletrônico nas empresas. Sem falar nas questões mais crônicas, como os altos juros, o câmbio e a ameaça de retorno da inflação, que levou o Executivo a adotar cortes nas contas. É diante do enfrentamento de tantos e tão impactantes desafios que as entidades empresariais exercem papel nas sociedades democráticas. Nesse cenário, é inquestionável a importância da união em torno da promoção e da defesa da livre iniciativa. A unidade do Sistema FIERGS/CIERGS tem sido essencial nas conquistas, assim como nas ações para evitar maiores problemas ao desempenho das organizações produtivas. É essa força que nos une que levará adiante o trabalho em busca de resultados concretos a serem compartilhados pelas indústrias e seus industriais. Paulo Fernandes Tigre, presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul Atividade industrial gaúcha começa o ano com queda * Dessazonalizado ** Comparação com mesmo mês do ano anterior A atividade industrial gaúcha iniciou 2011 com desaceleração. O resultado de janeiro apresentou uma queda de 0,5% em relação a dezembro, sem os efeitos sazonais. Foi o segundo recuo consecutivo e os principais inibidores de uma trajetória mais positiva têm sido a valorização do câmbio, o mercado externo restritivo e os elevados juros, disse o presidente FIERGS, Paulo Tigre, ao divulgar o Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) na quinta-feira. Todas as variáveis do IDI-RS tiveram performances modestas no primeiro mês do ano. As quedas foram registradas na Massa Salarial (-1,1%) e nas Horas Trabalhadas na Produção (-0,9%). As demais obtiveram módicos crescimentos: Faturamento (0,2%), Emprego (0,6%), Utilização da Capacidade Instalada (0,8%) e Compras (1,6%). Dos 17 setores pesquisados, nove começaram o ano com retração. As maiores quedas foram em Móveis (-19,7%), Produtos de Metal (-12,7%), Borracha e Plástico (-7,8%), Produtos Químicos (-4,7%), Couro e Calçados (-3,8%) e Máquinas e Equipamentos (-2,5%). Já as expansões vieram de oito segmentos, entre eles Edição, Impressão e Reprodução de Gravações (7,8%), Produtos de Madeira (6,9%) e Refino de Petróleo (4,3%). Quando janeiro de 2011 é relacionado com o mesmo mês do ano passado, o IDI-RS atinge uma majoração de 1,4%, a 14ª consecutiva, mas a mais baixa desde Nesta base de comparação, entre os indicadores, a Massa Salarial foi o destaque positivo (5,5%) e as Compras, o negativo (-5,8%). A pesquisa do Índice de Desempenho Industrial é realizada pela FIERGS mensalmente, baseada nos indicadores Faturamento, Horas Trabalhadas na Produção, Emprego, Massa Salarial, Compras e Utilização da Capacidade Instalada. Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) - em % Var. (%) Mês/mês Acumulado Mensal* ano anteior** no ano (%) 12 meses Índice de Desempenho Industrial - 0,5 1,4 1,3 8,2 Faturamento 0,2 2,1 2,1 8,1 Compras Totais 1,6-5,8-5,8 15,3 Emprego 0,6 4,7 4,7 4,9 Massa salarial -1,1 5,5 5,5 9,2 Horas Trab. na Produção - 0,9 0,3 0,3 6,0 Utilização da Capacidade Instalada 0,8 1,4 1,4 4,7 Fonte: UEE/FIERGS

2 aumento dos juros não pode ser a única ferramenta contra a inflação O combate à inflação precisa ser realizado com o uso de todos os instrumentos possíveis, e não só com os juros. Cortar gastos, aumentar o compulsório dos bancos e controlar a concessão de crédito para as pessoas físicas são formas mais baratas e menos nocivas à atividade econômica. Além disso, produzem menos impacto no câmbio e nos investimentos das empresas, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, nesta quarta-feira, ao criticar a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que subiu a Selic em 0,5 ponto percentual, passando de 11,25% para 11,75% ao ano. O presidente da FIERGS destacou ainda que o setor industrial espera uma política fiscal mais eficiente para que o desenvolvimento econômico e social do País siga em frente. De acordo com Tigre, outro ponto fundamental é o avanço na agenda das reformas tributária, trabalhista e previdenciária. Otimismo do industrial desacelera em fevereiro Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) Fev. ÍNDICE DE CONDIÇÕES ATUAIS Total 53,7 pontos Condições atuais da economia brasileira 51,3 pontos Condições atuais da economia gaúcha 52 pontos Condições atuais da empresa 54,9 pontos ÍNDICE DE EXPECTATIVAS (para próximos seis meses) Total 63,1 pontos Expectativas em relação à economia brasileira 60,1 pontos Expectativas em relação à economia gaúcha 59,9 pontos Expectativas em relação à empresa 64,7 pontos O otimismo do industrial gaúcho em fevereiro diminuiu sete pontos em relação ao mesmo mês de 2010, totalizando 60. Em comparação com janeiro de 2011 não houve alteração. A redução deve-se à conjuntura diferenciada associada a cada momento. No início do ano passado, o setor presenciava um ciclo de recuperação intenso da crise de 2008, interrompido no segundo trimestre, quando entrou num período de acomodação, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Paulo Tigre, ao avaliar o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI/RS). Numa escala de 0 a 100 pontos, acima de 50 indica otimismo e abaixo desse valor significa pessimismo. As condições atuais foram consideradas favoráveis (53,7 pontos), apesar de terem ficado oito pontos abaixo de fevereiro do ano passado. Neste item, as avaliações das economias brasileira e gaúcha atingiram, respectivamente 51,3 pontos e 52 pontos. No caso da nacional, foi o menor valor desde julho de A análise da empresa foi mais positiva (54,9 pontos), significando que 30,4% dos entrevistados responderam que a situação nos negócios melhorou e 8,8% que piorou, enquanto 60,8% afirmaram que não houve alteração. Quando é avaliada a expectativa para os próximos seis meses, o grau de otimismo é maior (63,1 pontos), mesmo tendo recuado sete pontos em comparação com fevereiro de Dos industriais pesquisados, 44,3% apostam em um cenário positivo para o futuro da economia brasileira, 51% acreditam na continuidade do atual quadro e 4,7% aguardam uma piora.

3 FIERGS é a marca mais lembrada em pesquisa O Jornal do Comércio divulgou na manhã de terça-feira o resultado da pesquisa Marcas de Quem Decide JC 2011, que ouviu 508 empresários, executivos e profissionais liberais em 47 cidades do Rio Grande do Sul sobre as marcas preferidas e mais lembradas em 103 setores da economia gaúcha. A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) foi a Entidade de Classe mais lembrada por 28,3% dos entrevistados, e a preferida por 25,6% deles. Já na categoria Ensino de Capacitação Profissional, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RS) ficou na primeira posição na preferência, com 27,6% das citações, e em segundo na lembrança, com 20,3%. Já na categoria Teatro, o Teatro do Sesi foi o segundo mais lembrado, com 4,3%, e o quarto entre os preferidos, com 2%. A escolha reforça o fato de que, em mais de sete décadas de atuação em defesa dos interesses de quem produz, o Sistema FIERGS soube interpretar com precisão as demandas específicas de cada época, comprometendo-se continuamente em lutar por elas em benefício de toda a Presidente Paulo Tigre (segundo à esquerda) recebeu premiação do Sistema FIERGS economia gaúcha. A distinção conferida agora precisa ser vista como extensiva a toda a instituição, composta pelo Serviço Social da Indústria, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e pelo Instituto Euvaldo Lodi, disse o presidente da entidade, Paulo Tigre, sobre os resultados da pesquisa. Japão sugere ações conjuntas para ampliar comércio com o RS O cônsul-geral do Japão em Curitiba, Noburu Yamaguchio (E), foi recebido, na terçafeira, pelo presidente da FIERGS, Paulo Tigre. O diplomata comentou que, atualmente, o Rio Grande do Sul dispõe de apenas três empresas japonesas, e que este número já chegou a dez em anos anteriores. Para mudar a situação, sugere ações conjuntas de promoção comercial para outros setores da economia gaúcha, como feiras. É preciso resgatar novos investimentos do Japão no Estado, destacou Yamaguchio. Em 2010, o Japão foi o 19º destino das exportações (US$ 223 milhões) e o 18º da origem das importações gaúchas (US$ 134 milhões). Inscrições para missão à Feira Offshore nos EUA terminam no dia 10 A CNI, por meio da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), com articulação da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) e colaboração da FIERGS, por intermédio do escritório de Petróleo & Gás e do CIN-RS,realiza uma missão empresarial prospectiva. Será à Feira OTC (Offshore Tecnology Conference), entre 30 de abril e 7 de maio, em Houston, Texas. A OTC é o principal fórum mundial de tendências da indústria de petróleo e gás, considerada a maior vitrine mundial para as empresas da cadeia produtiva do setor. Os participantes poderão aproveitar o evento como plataforma de negócios, intercâmbio e contatos. As inscrições serão até 10 de março e as vagas, limitadas. As áreas de interesse envolvidas são petróleo e gás, metal-mecânica, eletroeletrônica, química, TI, construção, segurança, saúde, meio ambiente, transporte e logística, serviços gerais, entre outros. Mais informações pelo telefone (51) , no site ou ainda pelo

4 Petry coloca candidatura a serviço da unidade da FIERGS O candidato à presidência da FIERGS, Gilberto Petry (foto), comunicou na Reunião de Diretorias da entidade, nesta terça-feira, a decisão de apoiar o condutor do processo sucessório, Paulo Tigre, na preservação da unidade para a próxima gestão. O respeito e a valorização da união da Casa fazem parte da minha trajetória pessoal e do exercício dos cargos como integrante das diretorias por várias gestões consecutivas. É em nome dessa união que venho comunicar a decisão do grupo de sindicatos que me apóia em compor com o candidato Heitor Müller visando à preservação da unidade do Sistema FIERGS/CIERGS. A grandeza da Federação e do Centro das Indústrias, que todos ajudamos a construir, exige que também tenhamos grandeza nas atitudes individuais que venhamos a assumir, disse Petry. Os diretores da entidade elogiaram a decisão e aplaudiram a atitude de Petry. A eleição será em 17 de maio e a posse, no mês de julho. Secretário Beto Albuquerque explica orçamento e obras para o Estado Secretário de Infraestrutura e Logística do RS (E) participou da reunião com industriais O secretário de Infraestrutura e Logística do Rio Grande do Sul, deputado Beto Albuquerque, esteve na terça-feira na FIERGS. À tarde, ele participou da reunião do Conselho de Infraestutura (Coinfra) da entidade. À noite, manteve um encontro com industriais gaúchos durante a Reunião de Diretorias da FIERGS/CIERGS. Nossa principal dificuldade será administrar um estoque de obras no valor de R$ 2 bilhões, tendo um orçamento de apenas R$ 332 milhões para 2011, disse Albuquerque. A expectativa para o futuro é que o governo estadual consiga os financiamentos que está pleiteando, do BNDES de R$ 800 milhões e de R$ 500 milhões do Banco Mundial. Apesar deste problema, o secretário mostrou boa expectativa em levar adiante 106 obras de acesso asfálticos em municípios gaúchos. Informou que, em abril, com verbas próprias do Estado, serão retomadas 39% delas. O governo pretende priorizar a conclusão da duplicação da RS-118 na Região Metropolitana, a partir da agilização da solução da remoção de 115 famílias, destacou, lembrando, ainda, de duplicações das rodovias entre Bento Gonçalves-Farroupilha, Bento Gonçalves-Carlos Barbosa, Passo Fundo-Marau, Cruz Alta-Ijuí e Venâncio Aires-Santa Cruz do Sul. Outras questões apontadas pelo secretário referem-se à retomada de projetos aeroportuários, como a definição do novo Aeroporto da Serra, que deverá ser em Caxias do Sul. Também será reativado o Conselho de Planejamento Energético do Rio Grande do Sul. Beto Albuquerque afirmou que o governo deve buscar uma solução imediata na construção de uma nova ponte sobre o rio Guaíba, se fixando na alternativa de quem concluir a obra mais rapidamente possível. Sobre os pedágios, ressaltou que o Executivo estadual vai debater com a sociedade um novo modelo a ser implantado a partir de Outras obras que serão apoiadas pelo governo são o Cais Mauá, em Porto Alegre, e a retomada das hidrovias, com destaque para o aumento de calado do Porto da Capital e a implantação de sinalização que permita a navegação noturna. Defendeu a construção da RS-010, fundamental para o trânsito da Grande Porto Alegre nos próximos anos, apesar da conclusão da Rodovia do Parque e de melhorias na BR-116. Foto: Divulgação Safra de uva anima vinícolas A ótima safra de uva no início de 2011, com expectativa de uma colheita 20% a 25% superior em relação ao ano passado, garante a produção qualificada de vinho, espumante e suco de uva que coloca o setor industrial gaúcho entre os melhores do mundo. Este é o tema da reportagem de capa do mês de março de Indústria em Ação, revista mensal do Sistema FIERGS. A publicação traz ainda uma matéria a respeito dos serviços oferecidos pelo Sistema FIERGS, por intermédio do CIERGS, IEL-RS, Senai-RS e Sesi-RS, à indústria do Rio Grande do Sul. Indústria em Ação é uma publicação produzida pela Unidade de Comunicação do Sistema FIERGS, com uma tiragem de 19 mil exemplares. Pode ser acessada igualmente pelo portal da entidade, no

5 CNTL Senai preside Rede Global para Eficiência de Recursos e Produção mais Limpa O Centro Nacional de Tecnologias Limpas Senai/Unido/Unep, por meio do diretor Paulo de Oliveira Rosa, foi eleito presidente do Comitê Executivo da RECP Net (Rede Global para a Eficiência de Recursos e Produção mais Limpa), com sede em Viena (Áustria), criada pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido) e Organização das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep). O CNTL Senai oferece cursos e assessorias às empresas com o objetivo de incentivar o desenvolvimento sustentável. O primeiro encontro do novo comitê, composto também pelos diretores dos centros de produção mais limpa do Líbano, Egito, Vietnã e Lituânia, será nos Paulo Rosa dias 14 e 15 de março, em Viena. O Centro Nacional de Tecnologias Limpas Senai (CNTL) foi inaugurado em 1995 pela Organização Mundial das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido) e Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep), com a finalidade de ser o Centro Nacional de Tecnologias Limpas brasileiro. O CNTL ainda busca uma maior eficiência dos processos produtivos, visando à prevenção da poluição e ganhos econômicos para as empresas. A RECP Net, recentemente criada, está dividida em regiões geográficas (América Latina e Caribe, África, Leste Europeu e Ásia). Primeiramente, os Centros Nacionais de Produção Mais Limpa existentes em cada região elegem seu representante para compor o comitê executivo da RECP Net. Um destes cinco membros é eleito presidente da rede, em votação na qual participam todos os centros nacionais de produção mais limpa existentes. No total são 42 centros. O objetivo da RECP Net é promover ações e projetos entre os centros e, desta forma, incrementar o intercâmbio de conhecimentos e práticas que cada um dispõe, possibilitando fomentar cada vez mais a produção mais limpa e o desenvolvimento sustentável. Também será priorizado o intercâmbio de técnicos e o apoio dos centros existentes para a implantação de novas unidades em outros países, informa Rosa, que dirige o CNTL Senai/Unido/Unep há seis anos. Ele já havia sido eleito representante da América Latina e do Caribe pelos diretores dos Cntros Nacionais de Produção Mais Limpa dos países que compõem estas regiões e foi eleito, agora, com a maioria dos votos, como primeiro presidente do comitê mundial da RECP Net. Programa de Excelência em Liderança O Programa Excelência em Liderança Como Mobilizar o Potencial da Inovação para o Crescimento de sua Empresa, será realizado de 28 a 30 de abril, no Spa do Vinho, em Bento Gonçalves. O encontro é uma promoção do Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), e realizado em parceria com a Graduate School of Business da universidade norte-americana de Stanford e o IEL Nacional. As vagas são limitadas. Os palestrantes serão os professores da Stanford Jesper Sorensen e William Barnett. Informações: (51) ou pelo site A G E N D A Fornecedores da Petrobras Será em 15 de março, às 8h30min, na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, o Seminário Rede de Fornecedores UHDT II Refap/Petrobras. O objetivo é detalhar aos fornecedores gaúchos o empreendimento UHDT II, com investimento de R$ 1,6 bilhão, e conhecer as necessidades e condições de fornecimento para a UTC Engenharia, empresa responsável pelo projeto. A FIERGS, pelo Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás e Energia, é parceira da Refap na iniciativa, que está vinculada ao eixo de Ampliação e Divulgação de Oportunidades do Escritório de Petróleo & Gás. As vagas são limitadas e devem ser confirmadas até 10 de março, pelo telefone (51) ou pelo Resíduos Sólidos A FIERGS, por meio do Conselho de Meio Ambiente (Codema), realiza em sua sede quatro Oficinas de Esclarecimento sobre a Regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. As datas serão em 23 (inscrições já encerradas) e 30 de março, e 6 e 13 de abril. As inscrições são gratuitas, limitadas a 60 participantes por oficina. Informações: (51) , ramal 8073, ou pelo Importações e Exportações Em parceria com o Centro Tecnológico do Calçado Senai e o Banco do Brasil, o Centro Internacional de Negócios da FIERGS (CIN-RS) promove dois treinamentos: o primeiro, Análise dos Custos de Importação e Escolha do Modal de Transporte, será a partir de 25 de março, na sede do CT Calçado, em Novo Hamburgo (Av. Pedro Adams Filho, 6.338). No segundo, em 30 de março, o tema será Operações Back-to-Back. O local será a sede da FIERGS, na Av. Assis Brasil, 8.787, em Porto Alegre. Informações: (51) ou pelo Gestão de Organizações O Sistema FIERGS, por meio do IIEL-RS, em parceria com a Unisinos, está com inscrições abertas para o curso MBA em Gestão de Organizações Inovadoras. O curso, cujas aulas iniciam em abril, será na Escola de Design da Unisinos, em Porto Alegre. Mais informações em www. unisinos.br/mba/organizacoesinovadoras. missão hannover A missão empresarial à Feira Industrial de Hannover, na Alemanha, de 2 a 10 de abril, é articulada pela FIERGS. Promovida pela CNI, com participação de todos os Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN) das Federações Industriais, a missão ocorre no âmbito do Programa Al-Invest IV, financiado pela Comissão Europeia. No Mercosul, Chile e Venezuela, o programa é implementado e cofinanciado por um consórcio liderado pela CNI. Informações no telefone (51) ou no portal

6 Sesi-RS leva Portadores de deficiência para banho de mar Mais de 40 cadeirantes de várias cidades gaúchas participaram do projeto Sesi Lazer Inclusivo de Praia, em Tramandaí, nos dias 26 e 27 de fevereiro. Em uma parceria da entidade com a ONG Caminhadores, portadores de deficiência, que raramente têm a oportunidade aproveitar as praias devido à falta de infraestrutura, puderam experimentar ou reviver a experiência de um banho de mar. Para isto, uma equipe completa de guias de turismo, massoterapeutas, professores de educação física e voluntários foi mobilizada, além de equipamentos específicos, como cadeiras anfíbias, que permitem o transporte em superfície e o flutuar na água. Antônio Marcos, de Canoas foi a Tramandaí só para reviver a experiência do contato com o Oceano Atlântico. Paraplégico há seis anos, ele fez questão de dizer que este foi mais significativo que todos os outros banhos de mar que teve na vida. É um reaprendizado. São emoções, sensações novas. Só posso agradecer, elogiar e rezar por todos que tornaram isto possível disse ele, depois de até mesmo mergulhar, furando as ondas, que chegavam à praia na tarde de sábado. Também de Canoas, a funcionária pública Suzana Cardoso, de 54 anos, reviveu a sensação de estar em contato com o mar. Vítima de paralisia desde os quatro anos, há cinco décadas ela não tinha esta experiência. Além da euforia e da felicidade estampadas no rosto, a gratidão era o que ela mais enfatizava. Estas pessoas são fantásticas e estas entidades também. É algo indescritível, comentou, enquanto espichava as mãos para sentir a velocidade da água. Voluntários ajudaram cadeirantes na praia de Tramandaí Senai-RS desenvolve projeto para Capacitação de PCDs Nesta quinta-feira, oito PCDs se formaram no curso de Auxiliar de Linha de Produção, em uma parceira entre o Senai-RS e a empresa Stihl. O curso integra o Projeto Piloto de Capacitação de Pessoas com Deficiência (PCDs) na Aprendizagem Industrial, desenvolvido pelo Senai, juntamente com empresas e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. O projeto é uma estratégia para atender mais rapidamente as necessidades do setor produtivo, garantindo, assim, pessoas com formação para suprir a demanda das empresas. O Senai-RS implementou uma proposta aberta, em conjunto com empresas industriais, para capacitar 40 pessoas com deficiência auditiva e 24 pessoas com deficiência intelectual na modalidade de Aprendizagem Industrial nas áreas de gestão, mecânica industrial e administrativa. Os seis cursos são realizados em dois módulos, sendo o primeiro destinado ao desenvolvimento das competências técnicas e de gestão ministrado nas unidades do Senai e o segundo destinado às atividades práticas desenvolvido na empresa sob a supervisão e acompanhamento pedagógico da instituição. Além desta turma, já concluíram o curso de Auxiliar de Linha de Produção 12 pessoas com deficiência intelectual. Curso formou auxiliares de linha de produção Seminário de Processos de Compras O IEL-RS promove o Seminário Work & Learning Negociação Aplicada aos Processos de Compras, em 17 de março, às 14h, no Centro de Eventos FIERGS. O seminário terá o consultor empresarial Carlos Pessoa como instrutor, que vai falar sobre o papel das unidades de suprimentos no posicionamento estratégico da empresa, como aumentar seu poder na negociação com o cliente, entre outros assuntos. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) ou ainda pelo site do Instituto Euvaldo Lodi, no

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL OUTUBRO DE 2014 Outubro de 2014 www.fiergs.org.br Indústria cresce pelo quarto mês seguido O IDI/RS, Índice de Desempenho Industrial do Rio Grande do Sul, apontou

Leia mais

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Panorama Ciclo econômico do Pré-Sal Prioridade de Governo Sustentabilidade socioeconômica e ambiental Indústria offshore

Leia mais

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Porto Alegre, 27 de julho de 2011 Panorama Brasileiro Novo

Leia mais

IEL INSTITUTO EUVALDO LODI

IEL INSTITUTO EUVALDO LODI INSTITUTO EUVALDO LODI IEL Integra o Sistema Indústria juntamente com CNI, SESI, SENAI e Federações Possui mais de 44 anos de atuação em todo o território Brasileiro Tem o compromisso com o aumento da

Leia mais

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010.

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010. Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário Porto Alegre, agosto de 2010. APOIO AO Polo Naval - Rio Grande Atuação integrada do Governo, por meio da SEINFRA e SEDAI, voltada

Leia mais

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Pernambuco Na indústria, mais demanda por trabalho Texto publicado em 28 de Dezembro

Leia mais

APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08

APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08 APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA: ALA/BRA/2004/6189 ABDI/PAIIPME/01 REFERÊNCIA: ALA/BRA/2004/6189 ABDI/PAIIPME/01 REFERÊNCIA DO PEDIDO:

Leia mais

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO A CUT e as centrais sindicais negociaram com o governo

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Março de 2015 A exportação se consolida como perspectiva positiva para os próximos meses A Sondagem industrial, realizada junto a 162 indústrias catarinenses no mês de março, mostrou

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf)

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf) www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/cni/iniciativas/eventos/enai/2013/06/1,2374/memoria-enai.html Memória Enai O Encontro Nacional da Indústria ENAI é realizado anualmente pela CNI desde

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Compromisso com a Engenharia e o Brasil

Compromisso com a Engenharia e o Brasil Compromisso com a Engenharia e o Brasil Quem Somos SENGE - BA é uma entidade autônoma, sem fins lucrativos, constituída para a coordenação, defesa e representação dos engenheiros e engenheiras da Bahia

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Desindustrialização e Produtividade na Indústria de Transformação

Desindustrialização e Produtividade na Indústria de Transformação Desindustrialização e Produtividade na Indústria de Transformação O processo de desindustrialização pelo qual passa o país deve-se a inúmeros motivos, desde os mais comentados, como a sobrevalorização

Leia mais

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO OBJETIVO GERAL ESTABELECER E IMPLEMENTAR UM MODO INTEGRADO PARA O DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES DAS PRINCIPAIS

Leia mais

Exportações gaúchas recuam 27%

Exportações gaúchas recuam 27% S E M A N A Porto Alegre / 13 de março de 2009 / nº 10 / Ano XIV / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L O custo do governo Muito antes dos impactos da crise financeira internacional na economia brasileira,

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Business Round Up BUSINESS ROUND UP

Business Round Up BUSINESS ROUND UP BUSINESS ROUND UP 1 Objetivo da Pesquisa QUAIS AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS DOS PRINCIPAIS SETORES DA ECONOMIA DO BRASIL? Metodologia Pesquisa Quantitativa 400 entrevistas Com empresas associadas

Leia mais

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo;

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo; Fleury Pissaia * Entre 2011 e 2015, investimento previsto no setor industrial é de R$ 600 bilhões. Desse montante, indústria do petróleo representa 62%. No mesmo período, R$ 750 bilhões serão alocados

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Apresentação A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 Fase 2 apresenta a visão do empresário do transporte

Leia mais

Indústria. Prof. Dr. Rudinei Toneto Júnior Renata de Lacerda Antunes Borges

Indústria. Prof. Dr. Rudinei Toneto Júnior Renata de Lacerda Antunes Borges A Sondagem Industrial (SI) e o Índice de Confiança (ICEI) são elaborados pela unidade de Política Econômica da Confederação Nacional das s (CNI) em conjunto com as Federações das s dos 23 estados brasileiros

Leia mais

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012.

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS 1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS Instituição criada em 1969, vinculada à Confederação Nacional da Indústria CNI. O

Leia mais

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 1 A Situação Industrial A etapa muito negativa que a indústria brasileira está atravessando vem desde a crise mundial. A produção

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

O Mundo em 2030: Desafios para o Brasil

O Mundo em 2030: Desafios para o Brasil O Mundo em 2030: Desafios para o Brasil Davi Almeida e Rodrigo Ventura Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão Artigo Publicado em: Sidney Rezende Notícias - www.srzd.com Junho de 2007 Após duas décadas

Leia mais

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região.

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região. O presente boletim analisa algumas variáveis chaves na atual conjuntura da economia sertanezina, apontando algumas tendências possíveis. Como destacado no boletim anterior, a indústria é o carro chefe

Leia mais

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Contexto

Leia mais

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011 Visão do Desenvolvimento nº 96 29 jul 2011 O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada Por Fernando Puga e Gilberto Borça Jr. Economistas da APE BNDES vem auxiliando

Leia mais

Apresentação Institucional IEL/SC

Apresentação Institucional IEL/SC Apresentação Institucional IEL/SC Natalino Uggioni Joaçaba, 12 de Maio de 2014 IEL NO BRASIL O Sistema Indústria Presente nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, o Sistema Indústria é composto

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

1. Informações Institucionais

1. Informações Institucionais 1. Informações Institucionais Nossa Empresa Líder mundial em eventos de negócios e consumo, a Reed Exhibitions atua na criação de contatos, conteúdo e comunidades com o poder de transformar negócios Números

Leia mais

com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. China Sendo que, esse percentual é de 47% para o total das indústrias brasileiras.

com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. China Sendo que, esse percentual é de 47% para o total das indústrias brasileiras. 73% das indústrias gaúchas exportadoras que concorrem com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. 53% das indústrias gaúchas de grande porte importam da China Sendo que, esse percentual

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista. Expectativas dos Empresários do Comércio Varejista de Belo Horizonte para a Copa das Confederações 2013

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista. Expectativas dos Empresários do Comércio Varejista de Belo Horizonte para a Copa das Confederações 2013 Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista Expectativas dos Empresários do Comércio Varejista de Belo Horizonte para a Copa das Confederações 2013 Março 2013 Apresentação A Copa das Confederações de 2013

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

Economia em Perspectiva 2012-2013

Economia em Perspectiva 2012-2013 Economia em Perspectiva 2012-2013 Porto Alegre, 28 Nov 2012 Igor Morais igor@vokin.com.br Porto Alegre, 13 de março de 2012 Economia Internacional EUA Recuperação Lenta Evolução da Produção Industrial

Leia mais

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Atração de Investimentos, Promoção Comercial e Projeção Internacional Eduardo Bernis Secretaria Municipal de Desenvolvimento Belo Horizonte

Leia mais

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira continuarácrescendo firmemente nos

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA

APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA APRESENTAÇÃO DO CET-FAESA A FAESA, com atuação na área de ensino há mais de 40 anos, fundou em 2004 a Faculdade de Tecnologia FAESA, CET-FAESA, que há 10 anos oferece graduações Tecnológicas de forma pioneira

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe

Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe Managua, Nicaragua, 3 5 de agosto de 2005 Ministério do Meio ambiente Agosto/2005 helio.lobo@mma.gov.br

Leia mais

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil EMBARGOED UNTIL TUESDAY JUNE 09, 2015 AT 00.01 EST Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil A expectativa de contratação no Brasil chega a -3% para o próximo

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Objetivo do Programa

Objetivo do Programa Objetivo do Programa O Programa Futuros Engenheiros visa favorecer o desenvolvimento de competências técnicas e habilidades comportamentais de universitários dos cursos de Engenharia para atuar na indústria.

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência

PAEX Parceiros para a Excelência PAEX Parceiros para a Excelência Estabelecer parcerias por melhores resultados: uma prática comum na natureza e nas empresas que querem se desenvolver. CONHECA A FDC Alianças Internacionais: Uma Escola

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Seja um Profissional em Energia Solar

Seja um Profissional em Energia Solar Seja um Profissional em Energia Solar Nós, da Blue Sol, acreditamos no empoderamento de todos os consumidores de energia elétrica no Brasil através da possibilidade de geração própria da energia consumida.

Leia mais

O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO. Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista

O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO. Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DO POLO INDUSTRIAL DE CUBATÃO Marco Paulo Penna Cabral Effectio, associada a Fundação Dom Cabral na Baixada Santista NA BAIXADA SANTISTA E ALTO TIETÊ Conheça a Fundação Dom

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF Dezembro de 2013 OBJETIVO Promover a competitividade das micro e pequenas empresas

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais 1ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Carlos Roberto Rocha Cavalcante Superintendente 2004 Histórico de Atuação do IEL 1969 -

Leia mais

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Brasília, 22 de janeiro de 2008 NOTAS SOBRE O BALANÇO DE UM ANO DO PAC AVALIAÇÃO GERAL Pontos positivos e destaques: 1)

Leia mais

Gráfico nº 1 - Variação do Nível de Atividade 1T/08-1T/07 Elaboração Núcleo de Pesquisa Industrial da FIEA 52,08

Gráfico nº 1 - Variação do Nível de Atividade 1T/08-1T/07 Elaboração Núcleo de Pesquisa Industrial da FIEA 52,08 Resumo Executivo A Sondagem Industrial procura identificar a percepção dos empresários sobre o presente e as expectativas sobre o futuro. Os dados apresentados servem como parâmetro capaz de mensurar o

Leia mais

Produção Industrial Cearense Cresce 2,5% em Fevereiro como o 4º Melhor Desempenho do País

Produção Industrial Cearense Cresce 2,5% em Fevereiro como o 4º Melhor Desempenho do País Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros Projeções Economia Global

Leia mais

5º WCTI Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação na UERJ

5º WCTI Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação na UERJ 5º WCTI Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação na UERJ O papel do Sistema FIRJAN/IEL no desenvolvimento da cultura empreendedora nas universidades e empresas 29 de outubro de 2013 Daniela Balog - Empreendedorismo

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho Press release Data Contato EMBARGO 00h01min (horário Brasília) Terça-feira, 7 de outubro de 2014 Márcia Avruch Tel: +55 11 3674 3760 Email: marcia.avruch@br.pwc.com Pages 4 Receita do Network PwC cresce

Leia mais

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 CENÁRIO INTERNACIONAL ESTADOS UNIDOS Ø Abrandamento da política monetária para promover o crescimento sustentável. Ø Sinais

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

Dificuldade no acesso ao crédito é disseminada na construção

Dificuldade no acesso ao crédito é disseminada na construção SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 5 Número 6 Junho de 2014 www.cni.org.br ISSN 2317-7322 Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Falta de crédito dificulta recuperação

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Iniciativas Globais Aliança do Setor Privado para a Redução do

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

Novos negócios no Ceará

Novos negócios no Ceará ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Novos negócios no Ceará No DR Ceará, as oficinas de Estratégia de

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia.

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia. Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia Elisabeth Gomes 6º Conferencia Anual de Inteligência Competitiva IBC São Paulo

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015.

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015. PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015. Cotação (31/03/15) PLAS3 - R$ 0,18 Valor de mercado em 31/03/15 (MARKET CAP BOVESPA) R$ 45 milhões Campinas, SP, 27 de abril de 2015 Plascar Participações Industriais

Leia mais

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE PETROBRAS - REGAP Contagem 19 de outubro de 2011 Iniciativas de Qualificação - PROMINP PROMINP O PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo e

Leia mais

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil Ponto de vista 40 Metodologia para um índice de confiança E expectativas das seguradoras no Brasil Francisco Galiza Em 2012, no Brasil, algumas previsões econômicas não fizeram muito sucesso. Por exemplo,

Leia mais

ESPAÇO INOVAÇÃO 2015 ITS

ESPAÇO INOVAÇÃO 2015 ITS CIAB FEBRABAN 2015 25 Anos XXV Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras Transamérica Expo Center 16 a 18 Junho de 2015 INTRODUÇÃO O ITS com apoio da FEBRABAN organizará,

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais