Nutri Notícias. Parcerias. Sede. Sub-Sede. Categoria Unida, Sindicato Forte Campinas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nutri Notícias. Parcerias. Sede. Sub-Sede. Categoria Unida, Sindicato Forte Campinas"

Transcrição

1 São Paulo Convênios Categoria Unida, Sindicato Forte Campinas 1 Sede Administração com toda a estrutura para atender a categoria dos Nutricionistas Parcerias Convênios e parcerias para os Associados do Sindicato Sub-Sede Um Projeto de crescimento para atender os nutricionistas da Região Edição nº 78 Agosto/Setembro 2015 Nutri Notícias Boletim Informativo do Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo Nutricionista! fique atento, estamos no período de negociações coletivas, alterações do piso e reajuste salarial e demais benefícios. O sindicato fecha Convenção Coletiva/Dissídio com mais de 15 sindicatos patronais acompanhe pelo site Alimentação Correta Nutricionista na Certa!

2 2 O Nutri Notícias é o Boletim Informativo do Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo. Diagramação: AFSE Tiragem: exemplares. Agosto / Setembro / 2015 DIRETORIA 2015 / 2020: Ernane Silveira Rosas Presidente Izilda G. C. Rossi Vice-Presidente Elizeth Kiyoko Uezu Cazer 1ª Secretária Madalena Vallinoti Moyá 2ª Secretária Rosana Oliva Camps 1ª Tesoureira Cléo Bernardo Antunes 2ª Tesoureira Maria Isabel Cristina Martins Boniolo Diretora Social Ernane Silveira Rosas Presidente EDITORIAL No mês que comemoramos o dia da nossa profissão, a nossa Diretoria vem agradecer a todos os eleitores que participaram da última eleição, pelo espírito de cidadania que todos tiveram. E o resultado muito nos honrou porque a participação foi sem votos brancos ou nulos. Agora, depois de empossados, precisamos que este comprometimento apresentado na hora do voto, continue. Precisamos agora que os nossos eleitores se manifestem dizendo aonde a nossa atuação é imprescindível; aonde precisamos agir; o que devemos fazer para melhorar a vida de todos os nutricionistas do Estado de São Paulo. Com essa informação, teremos a validação do seu voto. Teremos a certeza de que todos nos ajudarão para implantarmos as mudanças necessárias ao nosso crescimento. Neste início de mandato, estamos realizando uma Cartilha de Orientação para Nutricionistas Recém Formados. A cartilha irá orientar aos recém-formados como construir seu currículo; como participar positivamente de uma entrevista de seleção; o que o Mercado de Trabalho está solicitando que os profissionais carreguem como conteúdo técnico. Em abril e maio deste ano realizamos eventos em Campinas (interior do estado), para levar conhecimentos científicos e também fazer um trabalho de melhoria da capacitação técnica com os profissionais desta região. Pretendemos realizar encontros similares nas outras regiões do Estado. Pretendemos implantar nas regiões do nosso Estado, subsedes para podermos estar mais perto dos profissionais, e sermos mais ágeis nas demandas solicitadas por eles/elas. Reiniciaremos um contato com Coordenadores de Cursos de Nutrição, onde colocaremos para esses profissionais quais conhecimentos profissionais o Mercado de Trabalho está solicitando daqueles que estão ingressando nesse mercado. Este ano faremos o lançamento de uma premiação para trabalhos com o seguinte enunciado, Porque acredito que nós nutricionistas somos Os Profissionais mais Importantes da Área da Saúde para os nutricionistas de todos os estados brasileiros. Para participar é necessário ser sócio do sindicato. As regras da premiação para os melhores trabalhos estarão disponíveis em nosso site e as melhores redações que serão julgadas por um júri especializado e os três primeiros colocados receberão um prêmio em dinheiro. Fiquem atento pelas nossas news letter, site, facebook Nutri Notícias nº 78

3 Categoria Unida, Sindicato Forte 3 ATENÇÃO NUTRICIONISTAS Assunto: Nova Resolução CFN Nº 556 CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS Resolução nº 556, de 11 de abril de Altera as Resoluções nº 416, de 2008, e nº 525, de 2013, e acrescenta disposições à regulamentação da prática da Fitoterapia para o nutricionista como complemento da prescrição dietética. Fonte: CRN3ª REGIÃO Quais as atribuições do Nutricionista em Escolas - Elaborar e avaliar os cardápios, adequando-os a faixas etárias e perfil da população atendida, respeitando os hábitos alimentares; - Planejar, orientar e supervisionar as atividades de seleção, compra, armazenamento, produção e distribuição dos alimentos, zelando pela qualidade dos produtos, observadas as boas práticas higiênicas e sanitárias; - Identificar crianças portadoras de necessidades específicas associadas à nutrição, para o atendimento nutricional adequado; Planejar e adequar às instalações físicas, equipamentos e utensílios, de acordo com as inovações tecnológicas; - Elaborar e implantar o Manual de Boas Práticas, avaliando e atualizando os Procedimentos Operacionais Padronizados sempre que necessário; - Desenvolver projetos de educação alimentar e nutricional para a comunidade escolar, inclusive promovendo a consciência social, ecológica e ambiental; - Coordenar o desenvolvimento de receituários e respectivas fichas técnicas, avaliando periodicamente as preparações culinárias; - Planejar, implantar, coordenar e supervisionar as atividades de pré preparo, preparo, distribuição e transporte de refeições/ preparações culinárias; - Colaborar e/ou participar das ações relativas ao diagnóstico, avaliação e monitoramento nutricional dos escolares Fonte: CRN3ª REGIÃO Alimentação Correta Nutricionista na Certa!

4 4 QUANDO DEVO INGRESSAR COM UMA RECLAMAÇÃO TRABALHISTA? JURÍDICO Indica-se ao Nutricionista consultar o Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo ou o Ministério do Trabalho e Emprego, para saber se eventual problema na relação de trabalho esta desrespeitando a Legislação ou as Convenções Coletivas da Categoria. Uma dica importante ao empregado é exigir cópias de todos documentos que for obrigado a assinar no emprego, exemplificando, comunicado de dispensa, advertências, contrato de experiência, aditamento contratual, recibos de pagamentos, etc. De acordo com a legislação vigente, a rescisão de um contrato de trabalho firmado há mais de 1(um) ano exige a homologação, que é a assistência prestada pelo Sindicato Profissional da Categoria ou pelo Ministério do Trabalho e Emprego, consistindo em orientação ao empregado e em fiscalização do pagamento de parcelas devidas e do fornecimento de guias e de anotações em Carteira Profissional. Em regra, a rescisão do contrato de trabalho ocasiona o pagamento de verbas rescisórias pelo empregador, tais como o saldo de salário, aviso prévio, décimo terceiro salário, podendo o trabalhador fazer jus a férias + 1/3, aviso prévio proporcional indenizado, multa de 40% sobre depósitos de FGTS, direitos que dependem da análise caso a caso. Cumpre dizer, que o artigo 487 da CLT estabelece que o rompimento da relação de emprego exige a comunicação antecipada pela parte, prevendo o pagamento de aviso prévio pela empresa e também o desconto na hipótese de não cumprimento de aviso prévio. Todavia, o empregado despedido que comprovar a obtenção de novo emprego deverá ser dispensado de cumprir o aviso prévio, de acordo com o PN nº 24 do TST. As verbas rescisórias, conforme disposto no artigo 477, parágrafo 6º da CLT, devem ser pagas no primeiro dia útil após o cumprimento do aviso prévio, via de regra nas demais hipóteses o pagamento deve efetuado em até 10 (dez) dias. Agosto / Setembro / 2015 Vale lembrar que o prazo para ajuizar Reclamação Trabalhista é de 2 (dois) anos, contado do término do vínculo trabalhista, podendo-se pleitear direitos retroativos aos últimos 5 (cinco) anos. Uma consideração importante se dá quanto ao recebimento de notificações recebidas pelo trabalhador: devem sempre ser tratadas com seriedade e levadas ao conhecimento de advogado de confiança da parte. Outras informações atinentes ao direito do trabalho estão disponíveis através dos seguintes endereços na internet: / / Outros esclarecimentos podem ser obtidos através de consulta pessoal com os advogados do Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo, sendo necessário agendar horário através do telefone: (11) Nutri Notícias nº 78

5 Categoria Unida, Sindicato Forte 5 A CARREIRA DO NUTRICIONISTA EM GERONTOLOGIA GERONTOLOGIA A palavra Gerontologia deriva da língua grega e significa estudo do envelhecimento. Ao contrário do que muitos pensam, Gerontologia e Geriatria não são a mesma coisa. A Geriatria é uma área dentro da medicina que trata exclusivamente de doenças presentes nos idosos. Já a Gerontologia estuda o processo de envelhecimento e o que fazer para se ter uma melhor qualidade de vida ao longo dos anos. Desta forma, a Gerontologia está cada vez mais presente na atualidade, com crescentes estudos e demanda maior diante o mercado de trabalho. O profissional envolvido em Gerontologia estuda as mudanças ocorridas no processo de envelhecimento do ser humano e procura adaptar essas mudanças para que o idoso tenha uma vida mais tranquila nos aspectos físicos, psicológicos e biológicos. Diante disso, o profissional nutricionista gerontólogo atua junto as pessoas idosas com ênfase na promoção da saúde e intervenção nutricional nas disfunções nutricionais em vários níveis de gravidade clínica. Discutindo a nutrição adequada do idoso e aprimorando os conhecimentos em gerontologia, a fim de prestar uma melhor assistência nutricional, contribuindo para a prevenção e recuperação dos distúrbios nutricionais que afetam a terceira idade. Considerando que a expectativa de vida da população brasileira, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estão por volta de 73 anos e vem aumentando gradativamente. Os profissionais envolvidos em Gerontologia cuidam para que o brasileiro tenha sempre uma boa qualidade de vida. Perante esta visão, o nutricionista gerontólogo pode trabalhar em ambulatórios, clínicas especializadas, ONGs, hospitais, casas de apoio a idosos, centros de saúde e convivência, além de atendimentos domiciliares. Outra oportunidade é a atuação em pesquisas em instituições de ensino superior ou lecionar para profissionais da saúde ou mesmo para leigos que cuidem de pessoas idosas. Alimentação Correta Nutricionista na Certa! Nut.ms. Elci Almeida Fernandes - Nutricionista clinica da DND/ICHC/FMUSP - Gerontóloga e membro da diretoria SBGG SP - MS em nutrição humana aplicada pela USP

6 6 SAIBA MAIS SOBRE A NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL Por: - Cynthia Antonaccio: CRN / Samantha Macedo: CRN / Marle Alvarenga: CRN / Manoela Figueiredo: CRN / Fernanda Timerman: CRN MISSÃO A NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL é uma abordagem científica e inovadora com objetivo de ampliar a atuação do nutricionista e mudar alguns rumos da atual visão restrita e dicotômica do saudável e não saudável, dos alimentos bons e ruins, que permeia a prática clínica e a comunicação do nutricionista - por meio de técnicas, estratégias e modelos validados para mudança de comportamento e comunicação responsável. A Nutrição Comportamental, como abordagem científica e inovadora, acredita que este contexto não promove a mudança de comportamento e não torna as pessoas mais saudáveis - pelo contrário, os índices de doenças crônicas, transtornos alimentares e obesidade não param de aumentar. Portanto, tem como missão incentivar os profissionais de saúde, a mídia e a indústria, por meio de diferentes iniciativas, a discutir, entender e comunicar que: O como se come - as crenças, pensamentos, sentimentos e comportamentos para com a comida - são tão ou mais importantes do que simplesmente o que se come. Assim, uma orientação nutricional fundamentada em estratégias de aconselhamento nutricional, entrevista motivacional, técnicas de terapia cognitivo-comportamental, coaching skills, técnicas do comer intuitivo e do comer com atenção plena possibilitam a mudança real e consistente do comportamento alimentar. Mensagens consistentes, baseadas em evidências científicas que validem o prazer de comer e o equilíbrio são peças chave para uma comunicação responsável, positiva e inclusiva na promoção de um comportamento saudável. POSICIONAMENTO A NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL é uma estratégia baseada em ciência. Entendemos que o comportamento de nossa sociedade precisa mudar e os nutricionistas tem um papel importante nisto. No entanto, para atuar com mudança de comportamento é preciso aprender com as ciências humanas (sociologia, antropologia, psicologia) e com a comunicação. Agosto / Setembro / 2015 Desta forma, a NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL se desenvolve em dois pilares: Prática Clínica: foco psico sociocultural para a alimentação, defendendo a importância do COMO se come, além de apenas O QUE se come. E também a orientação nutricional fundamentada em estratégias comportamentais para possibilitar mudança real e consistente do comportamento alimentar (entendido como as ações em relação ao ato de se alimentar, ou seja, as reações e maneiras do indivíduo com o alimento: como, com o quê, com quem, onde e quando comemos) Para a Nutrição Comportamental o comportamento alimentar é definido por ações e condutas alimentares regidas por um conjunto de cognições (pensamentos) e afetos. Comunicação: foco em mensagens positivas, consistentes e ponderadas, baseadas em estratégias comportamentais, para estabelecer a comunicação do nutricionista com seus diferentes pú- Nutri Notícias nº 78

7 Categoria Unida, Sindicato Forte 7 blicos pacientes, parceiros, mídias, jornalistas e indústria e destes entre si. Este foco é essencial para cumprir o papel de informar, influenciar e estimular indivíduos na adesão de comportamentos alimentares saudáveis. Entretanto, alguns desafios estão presentes: como criar uma comunicação moderna e atraente, sem o sensacionalismo hoje vigente; de preservar a imagem e a credibilidade do profissional, mesmo colocando-o em evidência e posicionando-o de maneira diferenciada. Para o fortalecimento de sua base científica, estabelecem-se como premissas da NUTRIÇÃO COM- PORTAMENTAL: - é um movimento inclusivo, no qual todos os nutricionistas (independente de sua formação, área de atuação e filosofia de trabalho atual) podem encontrar novas estratégias, ferramentas e subsídios para sua prática profissional; - traz a proposta de outro modo de atuação, com uma visão ampla (que não visa discordar de tudo que aí esta ); - defende que todos os alimentos podem fazer parte de uma alimentação saudável - respeitadas as questões de quantidade e frequência e defende a alimentação pensada e planejada nos contextos fisiológico, cultural, social e emocional; - compactua com todas as diretrizes clássicas da nutrição, mas não se opõe a parcerias com a indústria de alimentos. Acredita que é possível realizar ações conjuntas para divulgação de estratégias e conhecimento, e também para comunicação inclusiva, abrangente e responsável sobre nutrição e saúde; - defende uma comunicação e orientação nutricional que não se baseia em dietas. Defende também que saúde depende de comportamentos saudáveis e não de um determinado peso pois peso não é um comportamento e, portanto, não deve ser o foco de um tratamento nutricional (é sim uma possível consequência da mudança de comportamento). Acreditamos que um profissional tem mais chances de se destacar no mercado de trabalho quando vai além dos horizontes biológicos e fisiológicos da alimentação, quando transmite o seu conhecimento técnico e científico de maneira eficaz, quando proporciona mudanças de comportamento, quando entende e se relaciona melhor com seus pacientes e se comunica de forma ética com seus públicos, e também quando planeja e gerencia melhor a sua carreira. E que a NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL pode auxiliar neste diferencial. Alimentação Correta Nutricionista na Certa!

8 8 O QUE É SER RESPONSÁVEL TÉCNICO Responsável Técnico é o cidadão habilitado, na forma da lei que regulamentou sua profissão, ao qual é conferida atribuição para exercer a responsabilidade técnica de um empreendimento. Tem o dever de trabalhar para a preservação da saúde, da segurança e do bem-estar da população, bem como o de agir em favor da prevalência do interesse público sobre o privado na empresa em que atua. Para atingir esse objetivo, o Responsável Técnico deve ter como norma de conduta ético-profissional a preocupação prioritária com o controle de qualidade e a garantia do consumidor. É sua a obrigação de ter ciência e consciência de que sua função não tem o simples caráter de atender a uma mera formalidade administrativa, pois ela se destina a proteger a sociedade contra os abusos e agravos cometidos. Por isso, o Responsável Técnico é obrigado a prestar contas aos órgãos governamentais ligados à sua área de atuação e ao Conselho de fiscalização de sua categoria. Também é importante registrar que ele responde por suas ações e omissões no exercício da responsabilidade técnica nos termos da legislação vigente, que é de ordem pública. Este profissional, técnico de nível superior dotado de amplas condições de discernimento, tem o dever de aprovar e de rejeitar produtos e serviços destinados ao consumidor. Desta forma, é sua função apontar vícios e defeitos, motivo pelo qual é indispensável na efetiva participação das decisões técnicas da empresa à qual presta serviços especializados. Daí porque sua culpa, por negligência, imprudência e imperícia, ou omissão, resultará na aplicação de penalidade pelo Conselho de fiscalização de sua classe, com penas que vão da advertência até a cassação do direito de exercer a profissão. Enfim, como se verifica, o exercício do encargo de Responsável Técnico é considerado pelo poder público e pela sociedade como de relevante valor social porque lhe compete acompanhar pessoal e diretamente, com seriedade e competência, todas as atividades desenvolvidas pela empresa à qual empresta sua aptidão técnica. CURSOS SINDICATO EM SÃO PAULO Agosto / Setembro / 2015 ALIMENTAÇÃO ESCOLAR, MUITO ALÉM DO CARDÁPIO! Investimento: Sócios: R$ 50,00 / Não sócios: R$ 180,00 / Estudantes com comprovante: R$ 120,00 Palestrante: Dra. Vivian Zollar Data: 11 de setembro das 9h00 às 17h00 Local: Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo OBJETIVO: Capacitar o profissional de nutrição para atuar em escolas e berçários, com bases teóricas e necessárias básicas ao desenvolvimento das atividades de nutrição, pertinentes à este tipo de serviço. Nutri Notícias nº 78

9 Categoria Unida, Sindicato Forte 9 CURSOS SINDICATO EM SÃO PAULO WORKSHOP DE NUTRIÇÃO ESPORTIVA Dias: 18 e 19 de setembro de 2015 Horário: dia 18/09 das 13h00 às 18h00 dia 19/09 das 9h00 às 17h30 Local: sede Sindicato dos Nutricionistas de SP Investimento: Sócios: R$ 100,00 / Não Sócios: R$ 250,00 / Estudantes: R$ 150,00 com comprovante EMBALAGENS E RÓTULOS DE ALIMENTOS EMBA- LADOS Palestrante: Márcia Melo Data: 24 de outubro Horário: 9h00 às 17h00 Local: Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo Investimento: Sócios: R$ 50,00 / Não sócios: R$ 150,00 / Estudantes e técnicos: R$ 100,00 INTERPRETAÇÃO DE LAUDO DE ANÁLISES MICRO- BIOLÓGICAS DE ALIMENTOS Data: 03/10/2015 Horário: 9h00 às 13h00 horas Local: Sindicato São Paulo Palestrante: Dr. Êneo Alves da Silva Jr Investimento: Sócios R$ 50,00 / Não sócios R$ 150,00 / Estudantes e Técnicos R$ 100,00 CURSOS SINDICATO EM CAMPINAS REQUISITOS PARA ROTULAGEM OBRIGATÓRIA DOS PRINCIPAIS ALIMENTOS QUE CAUSAM ALER- GIAS ALIMENTARES - CAMPINAS Palestrante: Dra. Renata Pinotti Data: 24 de outubro Horário: 9h00 às 14h00 Local: Hotel Diplomata em Campinas Investimento:Sócios: R$ 50,00 / Não sócio: R$ 150,00 / Estudantes: R$ 100,00 com comprovante Inscrições: Contatos: (11) / Alimentação Correta Nutricionista na Certa!

10 10 NOVOS CONVÊNIOS REGIÃO CAMPINAS CAMPINAS E REGIÃO - Academia Equilibrio Ideal do Corpo Associados sindicato DESCONTOS DE R$ 30,00 nos planos musculação e ginastica, mensal, trimestral e semestral. R Visconde de Taunay 250, Vl Itapura, Campinas - 19/ Curves Academia da Mulher Descontos especiais para Associados Nutricionistas Av Dr Heitor Penteado 626, Taquaral, Campinas Gold Fit Academia Associados sindicato ISENCAO DA TAXA DE MATRICULA e 15% de desconto nos planos anual e semestral (musculação e ginastica). Av Barão de Itapura 1983, Botafogo, Campinas - - www. goldfit.com.br - 19/ People Formação Completo Associados sindicato 10% de descontos inglês e espanhol Av Anchieta 299, Centro - 19/ Composição 175 lpi a 45 graus - Massoterapeuta Associados sindicato com descontos a combinar Terapêutica, relaxante, drenagem linfática, ventosa e reflexologia Av. Estados Unidos 777, 7º andar, apto 71 (ela atende na casa dela) - Jd Nova Europa, Campinas - 19/ Self Idiomas Associados sindicato 10 à 15% de descontos inglês, francês, espanhol, italiano e alemão R Moraes Barros 609, Centro - 19/ Personal Fit Personal Trainer, Yoga, Corrida, Alongamento, Massagem, Estética, Nutrição e Fisioterapia R. Pedro Leardini 370 Itamaraca Mall - Valinhos - SP 19/ D:\APMS 2014\Restoclean\Restoclean_anuncio_ _X10.cdr erça-feira, 10 de junho de :15:49 Perfil de cores: Desativado Verificar demais convênios no site Sistema para Higienização em Padarias e Cozinhas Industriais Centenas de Clientes Satisfeitos Antes Depois RESTOCLEAN é um sistema inovador para limpeza de gordura e carbonização. Proporciona uma limpeza econômina, reduzindo recursos de mão de obra, tempo e água, além de aumentar a vida útil de seus equipamentos e utensílios. Única solução que permite limpeza de alumínio, aço inox, ferro, pratos de porcelana, vidro, caixas de plástico ou similares. Agosto / Setembro / 2015 PRODUTO SEGURO: Certificado no Brasil pela ANVISA; Laudo de Biodegradabilidade; Processo Bactericida; Não é Tóxico; Não é Corrosivo; Não Contém Soda Cáustica. Sistema ALL IN ONE RestoClean trouxe mais praticidade, economia e qualidade ao serviço de limpeza do Mocotó. Nosso pessoal hoje consegue manter até os utensílios mais exigidos como se fossem novos. Chef Rodrigo Oliveira RESPEITO AO MEIO AMBIENTE O detergente utilizado pelo Sistema RestoClean é biodegradável, atóxico e não corrosivo. Seu uso em substituição a outros produtos químicos ajuda a diminuir danos ao meio ambiente. RestoClean em Pequenas Empresas & Grandes Negócios - Assista ao vídeo. A Solução funciona 30 dias sem troca. Tel.:(11) Contate-nos também Nutri Notícias nºpara 78 ser um Distribuidor Exclusivo

11 Categoria Unida, Sindicato Forte Alimentação Correta Nutricionista na Certa! 11

12 12 Destinatário: NUTRICIONISTANA CERTA SINDICATO DOS NUTRICIONISTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO ALIMENTAÇÃO CORRETA Remetente: SINDICATO DOS NUTRICIONISTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO Rua 24 de Maio, 104 8º andar São Paulo SP CEP Tel: (11) / / Agosto / Setembro / 2015 Nutri Notícias nº 78

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Tendências no mercado da nutrição

Tendências no mercado da nutrição Parceiros Tendências no mercado da nutrição Apresentação: Nut. Juliana Tolêdo de Faria Graduada em Nutrição FANUT/UFG Esp. Nutrição em Saúde Pública FANUT/UFG Esp. Atividade Física e suas Bases Nutricionais

Leia mais

PORTARIA CRN-3 nº 0112/2000

PORTARIA CRN-3 nº 0112/2000 PORTARIA CRN-3 nº 0112/2000 A Presidente do Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região, no uso de suas atribuições legais, que lhe conferem a Lei Federal nº 6583/78 e o Decreto Federal nº 84444/80 e,

Leia mais

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO Profª Omara Machado Araujo de Oliveira Nutricionista (UFF) Mestre em Saúde Coletiva (UFF) Pós-Graduada em Nutrição Clínica ( UFF) ATRIBUIÇÕES LEGAIS E ESPECÍFICAS DO

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 3. CURSO DE NUTRIÇÃO Área de atuação De acordo com a RESOLUÇÃO

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - 6 ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS Nº DA VISITA

Leia mais

QUANTO VALE O SEU TRABALHO? PARTE 2: HONORÁRIOS NUTRIS BRASIL

QUANTO VALE O SEU TRABALHO? PARTE 2: HONORÁRIOS NUTRIS BRASIL QUANTO VALE O SEU TRABALHO? PARTE 2: HONORÁRIOS NUTRIS BRASIL Por Profa.Dra. Cyllene de M.OC de Souza Dra em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFRRJ), Mestre em Vigilância Sanitária (INCQS-FIOCRUZ) Supervisora

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (GESTOR PÚBLICO) Nutricionista Entrevistado(a)

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (GESTOR PÚBLICO) Nutricionista Entrevistado(a) CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (GESTOR PÚBLICO) DATA DA VISITA Nº DA VISITA VISITA AGENDADA Sim [ ] Não

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO NUTRICIONISTA 1.1. Nutricionista Entrevistado(a) CRN- CRN- RT / QT

1. IDENTIFICAÇÃO DO NUTRICIONISTA 1.1. Nutricionista Entrevistado(a) CRN- CRN- RT / QT CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA ALIMENTAÇÃO COLETIVA - ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (REDE PRIVADA DE ENSINO) Infantil

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI REGULAMENTO DA CLÍNICA ESCOLA E SERVIÇOS DE PSICOLOGIA - CESP Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/15 de 08/04/15. CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGULAMENTO Art. 1º A Clínica Escola de Psicologia é o ambiente

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS. Nutricionista Entrevistado(a)

NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS. Nutricionista Entrevistado(a) CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA ITA NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS Nº DA VISITA

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO PROMOÇÃO A SAÚDE [ ] ASSISTÊNCIA A SAÚDE [ ]

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO PROMOÇÃO A SAÚDE [ ] ASSISTÊNCIA A SAÚDE [ ] CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA SAÚDE COLETIVA - ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE PROMOÇÃO A SAÚDE [ ] ASSISTÊNCIA A

Leia mais

CONSELHO DE SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE

CONSELHO DE SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA PROFISSIONAL NÍVEL SUPERIOR CONTEUDISTA (MESTRE) PARA O CURSO DE QUALIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA, COM UTILIZAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE GESTÃO DA

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

ANEXO I PROJETO BÁSICO

ANEXO I PROJETO BÁSICO ANEXO I PROJETO BÁSICO APRESENTAÇÃO O Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região congrega em sua jurisdição os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, com sede a Av. Brigadeiro Faria Lima Lima, 1.461,

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM HOTELARIA HOSPITALAR Unidade Dias e Horários

Leia mais

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO FUNÇÃO / REMUNERAÇÃO Médico Infectologista REQUISITO Medicina e Título de Especialista concedido pela Respectiva Sociedade de Classe ou Residência

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA PARA PREVENÇÃO, TRATAMENTO

Leia mais

1.1. Nutricionista Entrevistado(a) CRN- Estatutário [ ] Celetista [ ] Contratado [ ] Concursado Celetista [ ] Outro [ ] CRN- RT / QT

1.1. Nutricionista Entrevistado(a) CRN- Estatutário [ ] Celetista [ ] Contratado [ ] Concursado Celetista [ ] Outro [ ] CRN- RT / QT CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA ALIMENTAÇÃO COLETIVA REFEIÇÃO CONVENIO / CESTA DE ALIMENTOS REFEIÇÃO CONVENIO

Leia mais

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Há 17 anos promovendo os direitos dos idosos com qualidade de vida. Nossa História O Grupo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO EDITAL N.º 008, DE 30 DE JULHO DE 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO EDITAL N.º 008, DE 30 DE JULHO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO EDITAL N.º 008, DE 30 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre a abertura do processo seletivo simplificado para preenchimento

Leia mais

Diretrizes Nacionais em Ligas

Diretrizes Nacionais em Ligas Diretrizes Nacionais em Ligas Acadêmicas de Medicina Introdução As Ligas Acadêmicas são entidades constituídas fundamentalmente por estudantes, em que se busca aprofundar temas em uma determinada área

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO Autora: Idinéia Perez Bonafina Escrito em julho/2015 DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO 1. DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO O presente artigo abordará os direitos do trabalhador

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO NAS DOENÇAS CRÔNICAS

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE NUTRIÇÃO, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NO SUS Claudia Witzel CICLO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA O Ciclo da Assistência Farmacêutica compreende um sistema integrado de técnicas, científicas e operacionais SELEÇÃO DE MEDICAMENTOS

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1- O QUE É UMA LIGA ACADÊMICA? As Ligas Acadêmicas são entidades sem fins lucrativos. As Ligas Acadêmicas

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.821/07

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.821/07 RESOLUÇÃO CFM Nº 1.821/07 (Publicada no D.O.U. de 23 nov. 2007, Seção I, pg. 252) Aprova as normas técnicas concernentes à digitalização e uso dos sistemas informatizados para a guarda e manuseio dos documentos

Leia mais

Regulamento de Estágio. Curso de Engenharia de Produção

Regulamento de Estágio. Curso de Engenharia de Produção Regulamento de Estágio Curso de Engenharia de Produção Coronel Fabriciano Julho, 2010 1. INTRODUÇÃO O Estágio Curricular Obrigatório no curso de Engenharia de Produção é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

INVOCK SERVIÇOS DE PORTARIA LTDA-ME.

INVOCK SERVIÇOS DE PORTARIA LTDA-ME. INVOCK SERVIÇOS DE PORTARIA LTDA-ME. CARTA DE APRESENTAÇÃO Estamos encaminhando nosso portfólio na intenção de apresentar nossa empresa. Após estudo e análise do mercado no segmento de Segurança, Segurança

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT.

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. Estabelece Diretrizes para a organização e a realização de Estágio de alunos da Educação Profissional de Nível Técnico e do Ensino Médio, inclusive nas modalidades de Educação

Leia mais

Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Ilhéus Secretaria de administração PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 02/2015

Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Ilhéus Secretaria de administração PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 02/2015 Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Ilhéus Secretaria de administração PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 02/2015 A Comissão de Seleção, instituída através da Portaria n 140/2015, torna pública

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ORTOPEDIA MULTIDISCIPLINAR Unidade Dias

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 633

LEI COMPLEMENTAR Nº 633 Altera os anexos I, III e IV da Lei Complementar nº 268, de 28.12.99, que dispõe sobre o Quadro de Pessoal da Prefeitura, cria cargos, institui o Plano de Cargos e Carreiras, e dá outras providências.

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012. RESOLUÇÃO CONSEACC/SP 04/2012 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA, DO CAMPUS SÃO PAULO DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

Serão destinadas 32 vagas para acadêmicos para o PROEXTENSINO, distribuídas para os Cursos de Graduação, conforme descrito abaixo:

Serão destinadas 32 vagas para acadêmicos para o PROEXTENSINO, distribuídas para os Cursos de Graduação, conforme descrito abaixo: FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO EDITAL Nº002/2013 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEXTENSINO e RESPONSABILIDADE SOCIAL - 2013/2014 A Coordenação de Extensão da Faculdade Católica

Leia mais

Fica autorizada a remuneração por parte das OS (Organizações Sociais) de acordo com tabela e instruções contidas em anexo - Orientações

Fica autorizada a remuneração por parte das OS (Organizações Sociais) de acordo com tabela e instruções contidas em anexo - Orientações Circular S/SUBPAV/SAP n.º 10/2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Pagamento de gratificações Rio de Janeiro, 15 de abril de 2011. CONSIDERANDO a necessidade

Leia mais

DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO

DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO PARAÍBA DO SUL RJ 2014 2 DA NATUREZA Art. 1. Os alunos do curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO Este documento regulamenta os estágios obrigatórios e não obrigatórios do Curso de Bacharelado em Biomedicina visando à formação integral do

Leia mais

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) Estabelece Diretrizes Nacionais para a

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar,

PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar, PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar, no Município de São Paulo, como um direito constitucional

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

FABIANA PRADO DOS SANTOS NOGUEIRA CONSELHEIRA CRMMG DELEGADA REGIONAL UBERABA

FABIANA PRADO DOS SANTOS NOGUEIRA CONSELHEIRA CRMMG DELEGADA REGIONAL UBERABA FABIANA PRADO DOS SANTOS NOGUEIRA CONSELHEIRA CRMMG DELEGADA REGIONAL UBERABA FABIANA PRADO DOS SANTOS NOGUEIRA CONSELHEIRA CRMMG DELEGADA REGIONAL UBERABA Conjunto de normas que definem os aspectos da

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 03/2009

BOLETIM INFORMATIVO 03/2009 Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado do Rio Grande do Sul SISERGS Unindo você a todos os Secretários do RS! SISERGS BOLETIM INFORMATIVO 03/2009 Oi colegas! A terceira edição do Boletim SISERGS

Leia mais

Regimento como elaborar

Regimento como elaborar PGQ - Programa Gestão com Qualidade d Sistema 4 - Oficina Melhores Práticas Oficina i 1 Regimento como elaborar Facilitador Dr.Sérgio Luz sergiol@webcorensp.org.br Apresentação PGQ Programa Gestão com

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

Concessionária [ ] Auto Gestão [ ] Restaurante Comercial [ ] Buffet / Congelados [ ] Comissaria [ ] Hotelaria Marítima [ ] DATA DA VISITA

Concessionária [ ] Auto Gestão [ ] Restaurante Comercial [ ] Buffet / Congelados [ ] Comissaria [ ] Hotelaria Marítima [ ] DATA DA VISITA CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA ALIMENTAÇÃO COLETIVA - UAN Concessionária [ ] Auto Gestão [ ] Restaurante Comercial [ ] Buffet

Leia mais

LEI Nº 740, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2009.

LEI Nº 740, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2009. LEI Nº 740, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2009. Consolida a Legislação Municipal sobre Alimentação Escolar, no Município de Chapadão do Sul-MS, como um direito Constitucional dos Escolares e Dever do Estado, e

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE FISIOTERAPIA, BACHARELADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

ESTATUTO GERAL DO GRUPO PET PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MATERIAIS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

ESTATUTO GERAL DO GRUPO PET PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MATERIAIS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI ESTATUTO GERAL DO GRUPO PET PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MATERIAIS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI O Programa de Educação Tutorial (PET) Materiais e Inovação Tecnológica,

Leia mais

Ética do Nutricionista na Internet e Redes Sociais. Dulcilene Montalvão da Silva Comissão de Ética do CRN1

Ética do Nutricionista na Internet e Redes Sociais. Dulcilene Montalvão da Silva Comissão de Ética do CRN1 Ética do Nutricionista na Internet e Redes Sociais Dulcilene Montalvão da Silva Comissão de Ética do CRN1 PARA FALAR DE ÉTICA... O Nutricionista e sua Profissão As entidades de Classe A missão dos Conselhos

Leia mais

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Flávia J.Rodrigues de Sá Pinheiro de Melo Assistente Social Especialista em Saúde Mental e Moléstias Infecciosas - Unicamp Serviço Atenção

Leia mais

REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE)

REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE) APROVADO Alterações aprovadas na 27ª reunião do Conselho Superior realizada em 18/12/2013. REGIMENTO DA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORISMO (NUPPE) DA ESTRUTURA Art. 1º - A

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, SEQUENCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC)

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) Escola de Enfermagem Wenceslau Braz DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem da Escola de Enfermagem Wenceslau Braz (EEWB) da cidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO

REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO REGIMENTO INTERNO DO CORPO CLÍNICO APRESENTAÇÃO A Casa de Saúde São José foi fundada em 1923 e tem como missão Servir à Vida, promovendo Saúde. É uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, católica,

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA 2013 ATIVIDADES COMPLEMENTARES O que são? São práticas acadêmicas de múltiplos formatos, obrigatórias, que podem ser realizadas dentro ou fora

Leia mais

CAPÍTULO I DA FINALIDADE

CAPÍTULO I DA FINALIDADE LEI Nº 1.392, DE 11 DE SETEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DO IDOSO, CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO E O FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. (Alterado pela

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR Regulamento do Programa de Assistência Domiciliar aprovado pelo Conselho REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMILICIAR CAPITULO I DEFINIÇÕES GERAIS

Leia mais

PORTARIA CRN-3 N. 262/2012

PORTARIA CRN-3 N. 262/2012 PORTARIA CRN-3 N. 262/2012 Dispõe sobre critérios a serem analisados e fixados, para que o TÉCNICO EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA assuma RESPONSABILIDADE TÉCNICA e dá outras providências; A Presidente do Conselho

Leia mais

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Técnico em Informática

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Técnico em Informática INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS AVANÇADO SÃO JOÃO DEL-REI MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Técnico em Informática APRESENTAÇÃO O objetivo do presente

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004

LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004 LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004 Povo do Município de Viçosa, por seus representantes legais, aprovou e eu, em seu nome, sanciono e promulgo a seguinte Lei: Das disposições Gerais Art.

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE UBERABA - CESUBE CAPÍTULO I

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE UBERABA - CESUBE CAPÍTULO I REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE UBERABA - CESUBE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

Breve Apresentação do Negócio

Breve Apresentação do Negócio CELEIRO-DIETA Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Celeiro Dieta N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos 25 Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010 Facturação

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

Federação Nacional dos Nutricionistas. Federação Nacional dos Nutricionistas firma convênio com o Instituto Racine

Federação Nacional dos Nutricionistas. Federação Nacional dos Nutricionistas firma convênio com o Instituto Racine firma convênio com o Instituto Racine A FNN inicia o mês de março trazendo mais um benefício aos profissionais de nutrição de todo o Brasil. O convênio firmado com o Instituto Racine trará a todos os nutricionistas

Leia mais

ÉTICA NAS MÍDIAS SOCIAIS A internet a favor do nutricionista

ÉTICA NAS MÍDIAS SOCIAIS A internet a favor do nutricionista ÉTICA NAS MÍDIAS SOCIAIS A internet a favor do nutricionista 4º Encontro em Comemoração ao Dia do Nutricionista - Sineg Nut. Ju Tolêdo Certificada em Marketing Digital #agradecimentos Deus Sineg Equipe,

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

Farmácia Universitária

Farmácia Universitária Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Faculdade de Ciências Farmacêuticas Farmácia Universitária Regimento Interno Título I Da Farmácia Universitária Art. 1o A Farmácia Universitária da UNIFAL-MG,

Leia mais

Como ter sucesso na educação a distância

Como ter sucesso na educação a distância Metodologia Diferenciada Ambiente de Aprendizagem Moderno Inovação Continuada e Empreendedorismo Como ter sucesso na educação a distância 1 Regulamento 2 1 Como ter sucesso na educação a distância Para

Leia mais