A MIDIATIZAÇÃO DO PROCESSO PENAL.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A MIDIATIZAÇÃO DO PROCESSO PENAL."

Transcrição

1 A MIDIATIZAÇÃO DO PROCESSO PENAL. Em julho de 2011, o Jornal inglês News of the World foi fechado após 168 anos de atividade, não resistindo à descoberta dos crimes praticados por seus integrantes que, no interesse de atrair o maior número de leitores, corrompiam policiais para obterem informações privilegiadas. A partir desse fato, foi reaceso na Inglaterra o debate sobre da liberdade irrestrita que a imprensa até então vinha ostentando. E o que isso tem haver com a nossa realidade? No Brasil, há algum tempo, evidencia-se uma crescente exploração midiática da criminalidade, basta notar pelos rumorosos casos divulgados diariamente. Atualmente vivemos numa sociedade movida pelo consumo, inclusive de informações. A informação passou a ter um grande valor social, sobretudo a partir da Internet, que permitiu a troca de informações em tempo real, fazendo com que a notícia pudesse chegar quase que instantaneamente a um incalculável número de pessoas. Com isso, a notícia e as empresas de comunicação passaram a influenciar sobremaneira na formação da opinião pública. Como é de conhecimento de todos, após a Constituição Federal de 1988 a liberdade de expressão foi erigida à condição de um dos vetores da democracia brasileira, porquanto vinculada a interesses de ordem social. Sucede que, por outro lado, numa economia neoliberal, pautada sob o ideal do lucro, não é difícil imaginar que haja manipulações tendentes a distorcer o papel social da mídia. Sabe-se que nenhum sistema é perfeito, estando sempre sujeito a deformidades causadas por fatores internos e externos, não sendo diferente com o plexo de normas jurídicas criadas para confortar a atividade de comunicação, haja vista os muitos excessos e arbítrios cometidos pelos seus interlocutores, que se protegem através das garantias que tutelam esta atividade.

2 Não se quer aqui condenar o exercício da atividade de comunicação enquanto atividade econômica, tampouco o direito subjetivo de cada cidadão de informar e ser informado, porém, o que não é possível admitir é a exploração econômica de um determinado fato de maneira oportunista, a partir de distorções da realidade, da inobservância de garantias constitucionais asseguradas ao indivíduo criminalizado, o que resulta num desempenho anacrônico dessa função. Com efeito, o livre exercício da liberdade de expressão não pode jamais servir de sustentáculo para o exercício arbitrário de um direito, isso porque, em última análise, o exercício de tal prerrogativa deve corresponder ao interesse da coletividade, que muitas vezes é preterido em prol dos interesses particulares daqueles que detém o domínio sobre a notícia. A propósito, cumpre destacar os lúcidos esclarecimentos da autora Ana Lúcia Menezes Vieira 1 acerca desta realidade: Com as grandes empresas de comunicação a informação se tornou uma mercadoria, sem qualquer valor relacionado à função social e à verdade. Enquanto a mercadoria ressalta Ignacio Ramonet ela está em grande parte sujeita às leis do mercado, da oferta e da demanda, em vez de estar sujeita a outras regras, cívicas e ética, de modo especial, que deveriam, estas sim, ser as suas. Além disso, é evidente que a midiatização do processo penal interessa a outros setores da sociedade, como por exemplo: aos Governos, que através disso demonstram uma pseudo eficácia no combate à criminalidade; e às instituições responsáveis pela persecução criminal, que vêm nisso uma valiosa ferramenta de apoio dentro do jogo jurídico-processual. 1 VIEIRA, Ana Lúcia Menezes. Processo Penal e Mídia. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003, p. 44;

3 Entretanto, é preciso que se tenha consciência da força estigmatizante que a mídia exerce no processo penal, criando verdades que muitas vezes passam a se tornar incontestáveis, quase que absolutas, capazes de rotular e etiquetar os cidadãos criminalizados para sempre, a semelhança do que se fazia na Idade Média, nos chamados pelourinhos. Convém ressaltar que, no sistema jurídico vigente, o sujeito exposto à persecução criminal preserva todas as prerrogativas que possuía antes da prática do suposto crime, sendo esta uma regra de tratamento de caráter absoluto até o trânsito em julgado do processo judicial. Contudo, invariavelmente inúmeras ilegalidades são cometidas, sobretudo no curso das investigações policiais. Destaque-se que, é no curso da investigação policial que o princípio da nãoculpabilidade encontra sua maior ressonância, pois sequer existe uma acusação formal contra o cidadão, logo, não é razoável que o indivíduo já tenha contra si uma das piores consequências da condenação, qual seja, a pecha de criminoso. Além do mais, não há no inquérito policial a produção de prova, o que só é possível de perquirir através do efetivo contraditório, que pelo sistema processual vigente, fica postergado para a fase judicial. No mais, nessa fase, são coletados apenas indícios, incapazes de lastrear qualquer juízo de convicção, por mais verossímeis que possam parecer. Portanto, se não há espaço na fase policial para a formação de uma convicção jurídica, não é crível que tais elementos da investigação possam ser utilizados para desmoralizar a honra e a imagem dos cidadãos, já que são eles presumidamente inocentes por força do art. 5º, inciso LVII, CF. Apesar das críticas à mídia que estigmatiza o indivíduo por meio do discurso alarmista, devemos separá-la do jornalismo informativo, que aborda as questões da

4 criminalidade que possuem interesse social, sem, contudo, adentrar no campo da banalização e da espetacularização da notícia. A respeito desta distinção, vale ressaltar a lição de Ana Lúcia Menezes Vieira 2 : O jornalismo informativo, que tem como principal característica buscar o fato despido de valorações, adjetivações ou da opinião pessoal do jornalista, cede espaço à mensagem dramática, narrada descompromissadamente, num discurso fragmentado, engendrado numa fala emotiva, envolvente, morna e difusa, onde o cotidiano dos marginais é posto como uma ficção sedutora. A autora destaca ainda que, nos dias atuais, há uma evidente sobreposição do interesse individual do empresário sobre o interesse social acerca da notícia, confira: Não há o pluralismo necessário na impressa democrática, o que há é a imposição autoritária, tirana, da notícia que, independentemente de ser verdadeira, na visão do empresário deve ser interessante, isto é, atrativa, que pretende se assegurar ao leitor ou telespectador, consumidor da mensagem. Portanto, como quase tudo que se desenvolve dentro de uma sociedade neoliberal, há sempre uma espécie de precificação das coisas, e a midiatização do processo penal é só um reflexo disso, servindo de mecanismo para obtenção de lucros e vantagens de toda natureza, conforme exemplificado por meio do Jornal britânico News of the World. Hélio Azevedo Advogado Criminalista 2 Idem, p. 55;

5 *Este artigo é uma síntese da dissertação ( Os reflexos da midiatização do processo penal no inquérito policial ) apresentada como requisito para obtenção do título de Pós-graduação em Direito Público, que fora agraciada pela banca examinadora com a nota máxima.

Buscas e apreensões em escritórios dos advogados à luz do novo CPP Roberto Raposo Janeiro 2011 -o nível do desenvolvimento civilizacional -ser avaliado pelo grau de equilíbrio -poder dever punitivo do

Leia mais

A violação do direito ao sigilo das conversas telefônicas

A violação do direito ao sigilo das conversas telefônicas 1 www.oxisdaquestao.com.br A violação do direito ao sigilo das conversas telefônicas Texto de CARLOS CHAPARRO A transcrição jornalística de conversas telefônicas violadas é, sem dúvida, uma questão complicada.

Leia mais

Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet

Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet Proteção do Sigilo de Informações e Marco Civil da Internet 2 Não há lei brasileira que regule a atividade de navegação na internet ou traga disposições específicas e exclusivas sobre os dados que circulam

Leia mais

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA * Luis Fernando da Silva Arbêlaez Júnior ** Professora Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho Resumo A Constituição Federal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

O PAPEL DO ADVOGADO EM FACE DA PERSECUÇÃO PENAL

O PAPEL DO ADVOGADO EM FACE DA PERSECUÇÃO PENAL O PAPEL DO ADVOGADO EM FACE DA PERSECUÇÃO PENAL Leônidas Ribeiro Scholz *Publicado em Boletim IBCCRIM, nº 64, março de 1998. Nessa atmosfera de vertiginosa multiplicação de exacerbadas idiossincransias

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Mariano Pereira, brasileiro, solteiro, nascido em 20/1/1987, foi denunciado pela prática de infração prevista no art. 157, 2.º, incisos I e II,

Leia mais

Monitoramento de e-mail corporativo

Monitoramento de e-mail corporativo Monitoramento de e-mail corporativo Mario Luiz Bernardinelli 1 (mariolb@gmail.com) 12 de Junho de 2009 Resumo A evolução tecnológica tem afetado as relações pessoais desde o advento da Internet. Existem

Leia mais

Curso de Compliance: A Nova Lei Anticorrupção Efeitos Práticos

Curso de Compliance: A Nova Lei Anticorrupção Efeitos Práticos Curso de Compliance: A Nova Lei Anticorrupção Efeitos Práticos Módulo: Aspectos Criminais e Investigação Interna 20 de fevereiro de 2014 Luciano Tosi Soussumi A Corrupção no Mundo: fonte site Transparency

Leia mais

ÉTICA E SERVIÇO PÚBLICO

ÉTICA E SERVIÇO PÚBLICO ÉTICA E SERVIÇO PÚBLICO A ÉTICA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CASEMIRO JOSÉ MOTA MAIO/2014 Conceitos Fundamentais Ética: conjunto de regras que orientam a atividade humana de maneira a garantir igualdade num

Leia mais

Cód. barras: STJ00095109 (2012) Sumário. Introdução - O que faz bela a catedral do Direito?... 23

Cód. barras: STJ00095109 (2012) Sumário. Introdução - O que faz bela a catedral do Direito?... 23 Cód. barras: STJ00095109 (2012) Sumário Apresentação... 17 Introdução - O que faz bela a catedral do Direito?... 23 I. DIREITOS HUMANOS, ÉTICA E JUSTiÇA Capítulo 1. Os direitos naturais do ser humano e

Leia mais

Reflexões críticas sobre a instrução criminal

Reflexões críticas sobre a instrução criminal Reflexões críticas sobre a instrução criminal Juarez Cirino dos Santos No processo penal, a instrução criminal delimita a fase de produção da prova do fato, necessária para decidir a imputação penal. Assim,

Leia mais

EM DEFESA DA ADVOCACIA CRIMINAL. Eduardo Alves da Costa, poeta niteroiense, nascido em 1936,

EM DEFESA DA ADVOCACIA CRIMINAL. Eduardo Alves da Costa, poeta niteroiense, nascido em 1936, EM DEFESA DA ADVOCACIA CRIMINAL Ronaldo Lastres Silva Eduardo Alves da Costa, poeta niteroiense, nascido em 1936, escreveu em 1960 um poema, atribuído durante anos a Maiakovski, poeta russo que se suicidou

Leia mais

As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa

As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa Evandro Dias Joaquim* José Roberto Martins Segalla** 1 INTRODUÇÃO A interceptação de conversas telefônicas

Leia mais

Hugo Nigro Mazzilli AD V OG AD O OAB - SP n. 28.656

Hugo Nigro Mazzilli AD V OG AD O OAB - SP n. 28.656 As investigações do Ministério Público para fins penais (Artigo publicado na Revista APMP em Reflexão Ano 1, n. 4, p. 12, São Paulo, APMP, 2005) Hugo Nigro Mazzilli Advogado e consultor jurídico Procurador

Leia mais

Capítulo I - Dos Direitos e deveres individuais e coletivos (art. 5º) Diferenciação entre Direitos, Garantias e Remédios Constitucionais.

Capítulo I - Dos Direitos e deveres individuais e coletivos (art. 5º) Diferenciação entre Direitos, Garantias e Remédios Constitucionais. Diferenciação entre Direitos, Garantias e Remédios Constitucionais. Direitos: Declarações que limitam a atuação do Estado ou dos cidadãos. Garantias: Blindagem que envolve o Direito, evitando sua violação.

Leia mais

EXCLUSÃO DE REGISTROS DE ANTECEDENTES CRIMINAIS. JUSTIÇA COMUM e JUSTIÇA MILITAR. Por Cid Sabelli 1

EXCLUSÃO DE REGISTROS DE ANTECEDENTES CRIMINAIS. JUSTIÇA COMUM e JUSTIÇA MILITAR. Por Cid Sabelli 1 EXCLUSÃO DE REGISTROS DE ANTECEDENTES CRIMINAIS. JUSTIÇA COMUM e JUSTIÇA MILITAR Por Cid Sabelli 1 INTRODUÇÃO Fato tormentoso na vida do cidadão diz respeito às informações lançadas em sua folha de antecedentes

Leia mais

Sobre a criminalização das ocupações urbanas

Sobre a criminalização das ocupações urbanas Sobre a criminalização das ocupações urbanas Mauri J.V Cruz 1 Que as lutas e conflitos sociais são tratados no Brasil como caso de polícia nós já sabemos há muitos anos. Esta prática, infelizmente, não

Leia mais

TEMA. Instrução e Mercado de Perícia Contábil

TEMA. Instrução e Mercado de Perícia Contábil TEMA Instrução e Mercado de Perícia Contábil Preservação da Graduação A perícia contábil é grandemente utilizada no âmbito do Poder Judiciário, mas não é um subproduto dos serviços jurídicos. A perícia

Leia mais

O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo

O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo SEM REVISÃO O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo Ary César Hernandez (*) Promotor de Justiça SP SUMÁRIO: 1 Generalidades. 1.1 O poder disciplinar. 1.2 Requisitos da aplicação de

Leia mais

SIGNIFICADO DE BUSCA E APREENSÃO

SIGNIFICADO DE BUSCA E APREENSÃO SIGNIFICADO DE BUSCA E APREENSÃO * Nayara Humberto Ferreira ** Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho 1 Resumo Busca e apreensão é o interesse de reaver a pessoa ou a coisa que encontra-se em poder

Leia mais

A INTERFERÊNCIA DA MÍDIA NO PROCESSO PENAL. Palavras chave: Interferência da mídia Liberdade de expressão Processo penal.

A INTERFERÊNCIA DA MÍDIA NO PROCESSO PENAL. Palavras chave: Interferência da mídia Liberdade de expressão Processo penal. A INTERFERÊNCIA DA MÍDIA NO PROCESSO PENAL Marília Carniello de Almeida 1, Carlos Eduardo Futra Matuikisk 2, Rodrigo Antonio Coxe Garcia 3 1 Bacharelanda em Ciências Jurídicas IMMES 2 Professor de Direito

Leia mais

HC 6017-PB (0002378-25.2015.4.05.0000). RELATÓRIO

HC 6017-PB (0002378-25.2015.4.05.0000). RELATÓRIO HC 6017-PB (0002378-25.2015.4.05.0000). IMPTTE : CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL ADV/PROC : OSWALDO PINHEIRO RIBEIRO JÚNIOR E OUTROS IMPTDO : JUÍZO DA 8ª VARA FEDERAL DA PARAÍBA (SOUSA)

Leia mais

Discussão sobre as fontes do direito, especialmente lei e Jurisprudência.

Discussão sobre as fontes do direito, especialmente lei e Jurisprudência. Questão n o 1 O tema proposto comporta diferentes enfoques. Resumidamente, o próprio conceito de direito pode se transformar no objeto da resposta. As sugestões aqui arroladas apresentam apenas parte dos

Leia mais

Nota Técnica sobre o Substitutivo aos PLs nº 215, 1.547 e 1.589/2015

Nota Técnica sobre o Substitutivo aos PLs nº 215, 1.547 e 1.589/2015 Nota Técnica sobre o Substitutivo aos PLs nº 215, 1.547 e 1.589/2015 Vimos pela presente apresentar a seguinte Nota Técnica sobre os termos do Substitutivo aos Projetos de Lei nº 215, 1.547 e 1.589/2015

Leia mais

BRASIL. (tradução não oficial para o português)

BRASIL. (tradução não oficial para o português) Distr. GERAL CCPR/C/BRA/CO/2 2 de Novembro 2005 Original: Inglês Comitê de Direitos Humanos 85ª Sessão CONSIDERAÇÃO DE RELATÓRIOS ENVIADOS POR ESTADOS PARTES SOB O ARTIGO 40 DO PACTO Observações finais

Leia mais

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL.

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. A PROVA FOI MUITO BEM ELABORADA EXIGINDO DO CANDIDATO UM CONHECIMENTO APURADO

Leia mais

EXECUÇÕES ESPECÍFICAS

EXECUÇÕES ESPECÍFICAS EXECUÇÕES ESPECÍFICAS Prof. Ms. Bernardo Ribeiro Câmara Advogado e sócio do Escritório Freire, Câmara & Ribeiro de Oliveira Advogados; Mestre em Direito Processual Civil pela PUC/MG Especialista em Direito

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Marcelo Belinati)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Marcelo Belinati) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Marcelo Belinati) Acrescenta o inciso VII no parágrafo segundo do art. 171 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940, para tornar crime de estelionato a abertura

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO Nº 058, DE 25 DE MAIO DE 2009 Estabelece diretrizes para membros do Poder Judiciário e integrantes da Polícia Federal no que concerne ao tratamento de processos e procedimentos de investigação

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. LEONARDO P. DE CASTRO, advogado inscrito na OAB sob o nº 4.329, com escritório nesta Comarca, na Avenida

Leia mais

Manual do Ministério Público para a Imprensa

Manual do Ministério Público para a Imprensa Manual do Ministério Público para a Imprensa PREFÁCIO Ministério Público do Estado da Bahia. Qualquer parte deste manual pode ser reproduzida desde que citada a fonte. O uso da marca deve ser precedido

Leia mais

PROVA DISCURSIVA. CESPE/UnB DGP/DPF/2013

PROVA DISCURSIVA. CESPE/UnB DGP/DPF/2013 PROVA DISCURSIVA CESPE/UnB DGP/DPF/2013 Nesta prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para as respectivas

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público:

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Venho à presença de Vossa Excelência, nos termos do Regimento Interno deste Conselho, apresentar

Leia mais

QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL

QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO PELO BANCO CENTRAL Kiyoshi Harada * O debate em torno da quebra do sigilo bancário voltou à baila após a manifestação do Procurador-Geral do Banco Central no sentido de que as

Leia mais

Art. 1º. A presente Emenda Constitucional estabelece a necessidade de curso superior em jornalismo para o exercício da profissão de Jornalista.

Art. 1º. A presente Emenda Constitucional estabelece a necessidade de curso superior em jornalismo para o exercício da profissão de Jornalista. PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009. (Do Sr. Dep. Paulo Pimenta e outros) Altera dispositivos da Constituição Federal para estabelecer a necessidade de curso superior em jornalismo para o exercício

Leia mais

Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher.

Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher. Campanha de combate e prevenção à Violência Contra a Mulher. Vamos juntos trabalhar em prol da vida! BRASIL É CAMPEÃO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NUM RANKING DE 54 PAÍSES fonte: Sociedade Mundial de Vitimologia,

Leia mais

A importância da correta execução penal para a segurança pública. Cristiano Lajóia

A importância da correta execução penal para a segurança pública. Cristiano Lajóia A importância da correta execução penal para a segurança pública Cristiano Lajóia Uma das primeiras coisas em que pensamos quando o assunto é Ministério Público (MP), é que o órgão tem duas funções no

Leia mais

Direito à Informação, Liberdade de Expressão e de Comunicação

Direito à Informação, Liberdade de Expressão e de Comunicação 109 Conflitos entre o Direito à Intimidade e à Vida Privada e o Direito à Informação, Liberdade de Expressão e de Comunicação Juliana Grillo El-Jaick 1 Com o advento da Constituição da República de 1988

Leia mais

Uma vez mais: da garantia da ordem pública como fundamento de decretação da prisão preventiva

Uma vez mais: da garantia da ordem pública como fundamento de decretação da prisão preventiva Uma vez mais: da garantia da ordem pública como fundamento de decretação da prisão preventiva Elaborado em 06.2005. Bruno César Gonçalves da Silva Mestre em Direito Processual pela PUC-Minas, professor

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA - ITA Divisão de Ciências Fundamentais PLANO DE CURSO

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA - ITA Divisão de Ciências Fundamentais PLANO DE CURSO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA - ITA Divisão de Ciências Fundamentais NOME DA DISCIPLINA: NOÇÕES DE DIREITO (HUM-20) 3º Ano dos Cursos Profissionais de: Engenharia Aeronáutica (AER) Engenharia Civil-Aeronáutica

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015)

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015) COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 215, DE 2015 (EM APENSO OS PLS NºS 1.547 E 1.589, DE 2015) Acrescenta inciso V ao art. 141 do Decreto- Lei nº 2.848, de 7 de dezembro

Leia mais

DESAFIOS DA ADVOCACIA CRIMINAL NO BRASIL. de Hans Kelsen, ela ocupa o ponto mais elevado.

DESAFIOS DA ADVOCACIA CRIMINAL NO BRASIL. de Hans Kelsen, ela ocupa o ponto mais elevado. DESAFIOS DA ADVOCACIA CRIMINAL NO BRASIL Leônidas Ribeiro Scholz *Transcrição resumida da palestra ministrada na Conferência Anual Internacional, em novembro de 2008, em Colônia (Köln) Alemanha, a convite

Leia mais

Trilha 6: Ambiente legal, regulatório, segurança e inimputabilidade da rede

Trilha 6: Ambiente legal, regulatório, segurança e inimputabilidade da rede Trilha 6: Ambiente legal, regulatório, segurança e inimputabilidade da rede A) Questões chave levantadas: (Relato concatenado das discussões dos dias 13 e 14.) Busca de um ambiente legal e regulatório

Leia mais

PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Caso dos Irmãos Naves. Palavras-chave: Princípio da Presunção de Inocência. Irmãos Naves.

PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Caso dos Irmãos Naves. Palavras-chave: Princípio da Presunção de Inocência. Irmãos Naves. PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Caso dos Irmãos Naves Resumo Wesley Borges da Silva * O presente trabalho tem o objetivo de analisar o Princípio da Presunção de Inocência baseado no caso dos Irmãos

Leia mais

+(',21'2 FLÁVIO AUGUSTO MARETTI SIQUEIRA

+(',21'2 FLÁVIO AUGUSTO MARETTI SIQUEIRA 2129275$7$0(1723(1$/$23257('($50$'()2*2$ 7(1'Ç1&,$'(75$16)250$d 2'23257('($50$(0&5,0( +(',21'2 FLÁVIO AUGUSTO MARETTI SIQUEIRA Estagiário do Ministério Público Federal atuando na Procuradoria da República

Leia mais

37. Garantias do preso (Art. 104 GG)

37. Garantias do preso (Art. 104 GG) 37. Garantias do preso (Art. 104 GG) GRUNDGESETZ Art. 104 (Garantias do preso) 1 (1) A liberdade da pessoa só pode ser cerceada com base em uma lei formal e tão somente com a observância das formas nela

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 7.018, DE 2013 Dispõe sobre o armazenamento de imagens em dispositivos de monitoramento e gravação eletrônica por meio de

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Direito de associação do servidor público militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* Constituição Federal vigente rompeu com o Estado até então existente e que era regido pela Constituição

Leia mais

RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E PENAL NA SUPERVISÃO DOS FUNDOS DE PENSÃO. Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2015

RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E PENAL NA SUPERVISÃO DOS FUNDOS DE PENSÃO. Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2015 RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA, CIVIL E PENAL NA SUPERVISÃO DOS FUNDOS DE PENSÃO Rio de Janeiro, 11 de agosto de 2015 1 RESPONSABILIDADES TRIPARTITES RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA RESPONSABILIDADE CIVIL

Leia mais

Calendário reuniões ENCCLA

Calendário reuniões ENCCLA Nº 11 Fevereiro/2015 Há dez anos, teve início o modelo do hoje reconhecido Programa Nacional de Capacitação e Treinamento para o Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (PNLD). A percepção dos membros

Leia mais

A importância da mídia nas ações de prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro

A importância da mídia nas ações de prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro A importância da mídia nas ações de prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro Frequentemente, os profissionais do mercado financeiro que atuam na prevenção e no combate ao crime de lavagem de

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES 1. DIREITO: é o conjunto de normas de conduta coativa impostas pelo Estado, se traduz em princípios de conduta social, tendentes a realizar Justiça, assegurando

Leia mais

As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria (092-236-5568 e 092-985-5420)

As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria (092-236-5568 e 092-985-5420) Fica autorizada a reprodução do texto e ilustrações, no todo ou em parte, desde que se não altere o sentido, bem como seja citada a fonte. As ilustrações desta cartilha foram efetuadas por Carlos Myrria

Leia mais

Dos Direitos e Garantias Fundamentais.

Dos Direitos e Garantias Fundamentais. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula e breve resumo Dos Direitos e Garantias Fundamentais. Os direitos e garantias fundamentais correspondem às normas constitucionais que possibilitam as condições mínimas

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE PROMOTOR DE JUSTIÇA ASSESSOR DO CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CRIMINAL DO MINISTÉRIO PUBLICO

Leia mais

DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I. Professor: João Guilherme Lages Mendes.

DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I. Professor: João Guilherme Lages Mendes. UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ Coordenação do Curso de Direito DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I. Professor: João Guilherme Lages Mendes. Assunto: Do Inquérito Policial. Noções Gerais. Características.

Leia mais

Técnico em Biotecnologia Módulo III Prof. Fernando Domingo Zinger

Técnico em Biotecnologia Módulo III Prof. Fernando Domingo Zinger Elaboração de Projetos Técnico em Biotecnologia Módulo III Prof. Fernando Domingo Zinger OBJETIVOS RESENHAS: Resenha-resumo: É um texto que se limita a resumir o conteúdo de um livro, de um capítulo, de

Leia mais

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL AÇÃO PENAL PÚBLICA tem início através de uma peça que se chama denúncia. Essa é a petição inicial dos crimes

Leia mais

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito

ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito ALBERTO MARQUES DOS SANTOS Juiz de Direito CRIMINALIDADE causas e soluções Juruá Editora Curitiba, 2006 CATALOGAÇÃO NA FONTE S237 Santos, Alberto Marques dos. Criminalidade: causas e soluções./ Alberto

Leia mais

REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA JURÍDICA

REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA JURÍDICA REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA JURÍDICA A Diretoria da Associação Paulista de Medicina APM, no uso de suas atribuições legais, resolve aprovar este regulamento, mediante os termos e condições a seguir, com

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PALMAS 3ª VARA CRIMINAL SENTENÇA I - RELATÓRIO

ESTADO DO TOCANTINS PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PALMAS 3ª VARA CRIMINAL SENTENÇA I - RELATÓRIO ESTADO DO TOCANTINS PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PALMAS 3ª VARA CRIMINAL PROCESSO Nº 5029091-33.2013.827.2729 SENTENÇA I - RELATÓRIO O Ministério Público denunciou João Batista Marques, brasileiro, casado,

Leia mais

Tribunal de Justiça do Distrito Federal

Tribunal de Justiça do Distrito Federal Tribunal de Justiça do Distrito Federal Circunscrição :4 - GAMA Processo :2011.04.1.003085-4 Vara : 11 - TRIBUNAL DO JÚRI E VARA DOS DELITOS DE TRÂNSITO DO GAMA Autos nº: 2011.04.1.003085-4 AUTORA: JUSTIÇA

Leia mais

12/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II

12/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II II 2ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 II Acessem!!!!!! www.rubenscorreiajr.blogspot.com 2 1 O : É o conjunto de atos cronologicamente concatenados (procedimentos), submetido a princípios e regras

Leia mais

Autores: Bruno Shimizu, Patrick Lemos Cacicedo, Verônica dos Santos Sionti e Bruno Girade Parise

Autores: Bruno Shimizu, Patrick Lemos Cacicedo, Verônica dos Santos Sionti e Bruno Girade Parise TESE: 01/13 (ÁREA CRIMINAL) Autores: Bruno Shimizu, Patrick Lemos Cacicedo, Verônica dos Santos Sionti e Bruno Girade Parise Súmula: A fixação de fiança pelo juízo ou a manutenção da fiança arbitrada pela

Leia mais

Teoria das nulidades dos atos de advocacia. Dispõe o Estatuto da Advocacia (Lei Federal n.º 8.906/94):

Teoria das nulidades dos atos de advocacia. Dispõe o Estatuto da Advocacia (Lei Federal n.º 8.906/94): Thiago d Ávila Membro da Advocacia-Geral da União. Procurador Federal. Procurador do INCRA em Natal/RN. Ex-Procurador do INSS. Ex-Procurador do Órgão de Arrecadação da Procuradoria-Geral Federal. Dedica-se

Leia mais

ENUNCIADOS ELABORADOS PELA ASSESSORIA DE RECURSOS CONSTITUCIONAIS

ENUNCIADOS ELABORADOS PELA ASSESSORIA DE RECURSOS CONSTITUCIONAIS ENUNCIADOS ELABORADOS PELA ASSESSORIA DE RECURSOS CONSTITUCIONAIS ÁREA CRIMINAL CRIMES CONTRA OS COSTUMES 1. CRIMES CONTRA OS COSTUMES. ESTUPRO E ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR. TODAS AS FORMAS. CRIMES HEDIONDOS.

Leia mais

PROVAS ILÍCITAS E A JURISPRUDÊNCIA DO STF

PROVAS ILÍCITAS E A JURISPRUDÊNCIA DO STF PROVAS ILÍCITAS E A JURISPRUDÊNCIA DO STF Elaborado em 01.2009 Zélio Maia da Rocha Procurador do Distrito Federal, advogado e Professor de Direito Constitucional no IDJ Instituto de Desenvolvimento Jurídico,

Leia mais

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO Art.º 202º da Constituição da República Portuguesa «1. Os tribunais são órgãos de soberania com competência para Administrar a justiça em nome do povo. (...)» A lei

Leia mais

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. Institui a emissão de Certidões Judiciais Cíveis e Criminais, inclusive por meio eletrônico, no âmbito da 1ª Instância do Poder Judiciário do Estado de Alagoas

Leia mais

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento?

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? ANA LÚCIA ALVES Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

MÓDULO: PRIMADO DO DIREITO E JULGAMENTO JUSTO ATIVIDADE: COMO PODE DEFENDER ESSAS PESSOAS?

MÓDULO: PRIMADO DO DIREITO E JULGAMENTO JUSTO ATIVIDADE: COMO PODE DEFENDER ESSAS PESSOAS? MÓDULO: PRIMADO DO DIREITO E JULGAMENTO JUSTO ATIVIDADE: COMO PODE DEFENDER ESSAS PESSOAS? Fonte: Adaptado de: Correspondence Bias in Everyday Life, Minnesota: Carleton College. Disponível online em: http://www.acad.carleton.edu/curricular/psyc/classes/psych110_lutsky/rmii/cb4a.html

Leia mais

MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco

MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco MPE Direito Penal Aplicação da Lei Penal no Tempo e no Espaço Emerson Castelo Branco 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. APLICAÇÃO DA LEI PENAL NO TEMPO E NO

Leia mais

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Direito Processual Penal 2ª Fase OAB/FGV Professora Beatriz Abraão MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da... Vara Criminal da Comarca... (especificar

Leia mais

Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11.

Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11. Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11. Ricardo Henrique Araújo Pinheiro. A breve crítica que faremos neste

Leia mais

ALBERTO R. GONZALES PROCURADOR GERAL E SECRETÁRIO DE JUSTIÇA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. RIO DE JANEIRO, BRASIL SEXTA-FEIRA, 9 DE FEVEREIRO de 2007

ALBERTO R. GONZALES PROCURADOR GERAL E SECRETÁRIO DE JUSTIÇA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. RIO DE JANEIRO, BRASIL SEXTA-FEIRA, 9 DE FEVEREIRO de 2007 ALBERTO R. GONZALES PROCURADOR GERAL E SECRETÁRIO DE JUSTIÇA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA RIO DE JANEIRO, BRASIL SEXTA-FEIRA, 9 DE FEVEREIRO de 2007 Associação Brasileira da Propriedade Intelectual -

Leia mais

PROVA ESCRITA ESPECIALIZADA DA BANCA DE DIREITO PENAL, DIREITO PROCESSUAL PENAL E DIREITO ELEITORAL

PROVA ESCRITA ESPECIALIZADA DA BANCA DE DIREITO PENAL, DIREITO PROCESSUAL PENAL E DIREITO ELEITORAL PROVA ESCRITA ESPECIALIZADA DA BANCA DE DIREITO PENAL, DIREITO PROCESSUAL PENAL E DIREITO ELEITORAL 30/03/2014 1ª Questão Direito Penal (Valor: 60 pontos) Em 19.09.11, quando se encontrava em sua loja

Leia mais

Declaração Universal dos. Direitos Humanos

Declaração Universal dos. Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Ilustrações gentilmente cedidas pelo Fórum Nacional de Educação em Direitos Humanos Apresentação Esta é mais uma publicação da Declaração Universal dos Direitos

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DA DIRETORIA A todos os dirigentes e empregados A Companhia de Seguros Aliança do Brasil acredita no Respeito aos princípios éticos e à transparência de conduta com as

Leia mais

Só as razões da Ética dão rigor ao jornalismo

Só as razões da Ética dão rigor ao jornalismo 1 www.oxisdaquestao.com.br Só as razões da Ética dão rigor ao jornalismo Texto de CARLOS CHAPARRO Em outubro de 2007, estouraram em jornais e telejornais as primeiras reportagens sobre um suposto escândalo

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO ADMINISTRAÇÃO OBJETIVANDO O APERFEIÇOAMENTO, DA CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO, O ARQUITETURA E URBANISMO PROMETO NO EXERCÍCIO DA ATIVIDADE INERENTE À PRÁTICA DA ARQUITETURA E URBANISMO, RESPEITAR OS PRINCÍPIOS

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Esta Lei estabelece princípios,

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 3.836, DE 2008 Obriga os fornecedores de produtos e de serviços a darem o troco das frações da unidade do Sistema Monetário Nacional

Leia mais

O suspeito, o acusado e o condenado frente aos direitos humanos fundamentais

O suspeito, o acusado e o condenado frente aos direitos humanos fundamentais Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento VI Direitos Difusos e Coletivos Programa de Ensino - Núcleo de Prática Jurídica - 2016 Professor: Plínio Antônio Britto Gentil O suspeito, o acusado

Leia mais

Cooperação Internacional de Autoridades em investigações de Corrupção

Cooperação Internacional de Autoridades em investigações de Corrupção RELAÇOES INTERNACIONAIS Cooperação Internacional de Autoridades em investigações de Corrupção Cetina Ozorio Cynthia Kramer Sílvia Julio Bueno de /vliranda 1. Introdução A prevenção e o combate à corrupção

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL PELO DNA

IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL PELO DNA IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL PELO DNA Antônio Alberto Machado, professor livre docente da Unesp/Franca-SP As técnicas de investigação e de prova criminal experimentaram uma verdadeira revolução com o desenvolvimento

Leia mais

A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA NO PROCESSO PENAL

A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA NO PROCESSO PENAL A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA NO PROCESSO PENAL CRISTIANE APARECIDA ROSA DIALUCE 1 GUILHERME JORGE DO CARMO SILVA 2 VÂNIA MARIA BEMFICA GUIMARÃES PINTO COELHO 3 RESUMO O presente estudo vem à lume apresentar

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Lúcio, policial federal acusado de extorquir, no exercício de suas funções, determinada quantia em dinheiro de servidor público federal, encontra-se

Leia mais

Marco civil da internet o papel da Auditoria Interna e Compliance. São Paulo, 28 de outubro de 2015 Nivaldo Cleto ncleto@nivaldocleto.cnt.

Marco civil da internet o papel da Auditoria Interna e Compliance. São Paulo, 28 de outubro de 2015 Nivaldo Cleto ncleto@nivaldocleto.cnt. Marco civil da internet o papel da Auditoria Interna e Compliance São Paulo, 28 de outubro de 2015 Nivaldo Cleto ncleto@nivaldocleto.cnt.br A lei 12.965/2014 Fundamentos do Marco Civil: A liberdade de

Leia mais

MATERIAL DE AULA LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996.

MATERIAL DE AULA LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula Interceptação Telefônica. II) Legislação correlata LEI Nº 9.296, DE 24 DE JULHO DE 1996. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

Sumário. Resumo Direito Constitucional

Sumário. Resumo Direito Constitucional Sumário 1. DIREITO CONSTITUCIONAL 1.1 Dos direitos e garantias fundamentais 1.1.1 Dos direitos e deveres individuais e coletivos 1.1.1.1 Extradição 1.1.2 Dos direitos sociais 1.1.3 Da nacionalidade 1.1.4

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Da Sra. Soraya Santos)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Da Sra. Soraya Santos) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Da Sra. Soraya Santos) Torna mais rigorosa a punição dos crimes contra a honra cometidos mediantes disponibilização de conteúdo na internet ou que ensejarem

Leia mais

Espelho Penal Peça. Endereçamento correto da interposição 1ª Vara Criminal do Município X 0 / 0,25

Espelho Penal Peça. Endereçamento correto da interposição 1ª Vara Criminal do Município X 0 / 0,25 Espelho Penal Peça O examinando deve redigir uma apelação, com fundamento no artigo 593, I, do Código de Processo Penal. A petição de interposição deve ser endereçada ao juiz de direito da 1ª vara criminal

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DA PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL MEMORIAIS/MEMORIAIS DEFENSÓRIOS/MEMORIAIS FINAIS

PADRÃO DE RESPOSTA DA PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL MEMORIAIS/MEMORIAIS DEFENSÓRIOS/MEMORIAIS FINAIS PROVA SIMULADA OAB - DIREITO PENAL PADRÃO DE RESPOSTA DA PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL MEMORIAIS/MEMORIAIS DEFENSÓRIOS/MEMORIAIS FINAIS Peça - MEMORIAIS, com fundamento no art. 403, 3o, do Código de Processo

Leia mais

A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA

A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO MILITAR DIREITO PENAL MILITAR PARTE GERAL MARCELO VITUZZO PERCIANI A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA Marcelo Vituzzo Perciani 1º Tenente da Polícia

Leia mais