CINEMA, ESPORTE E CULTURA: UMA RELAÇÃO ENTRE TAPAS, BEIJOS E EFEITOS ESPECIAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CINEMA, ESPORTE E CULTURA: UMA RELAÇÃO ENTRE TAPAS, BEIJOS E EFEITOS ESPECIAIS"

Transcrição

1 CINEMA, ESPORTE E CULTURA: UMA RELAÇÃO ENTRE TAPAS, BEIJOS E EFEITOS ESPECIAIS ROBERTO MELCHIOR (FAAC/UNISANTA) RESUMO Busca-se, através do presente texto, analisar de que forma e a partir de que abordagens diferenciadoras entre si, o cinema mantém uma relação de interação com a prática esportiva. Fazendo uma pequena introdução aos anos iniciais do cinema, pretende-se estabelecer, a partir de que momento o esporte passou a ser enfocado pelo cinema como possibilidade de entretenimento, enquanto forma narrativa. A partir desta introdução histórica, efetua-se a análise sintetizada de alguns filmes que abordam o esporte sob as mais diversas conotações possíveis, conotações estas que abrangem a prática esportiva em sua forma lúdica ou estritamente competitiva. PALAVRAS-CHAVES: Lumière; cinema; prática esportiva; personagem; ídolo; vítória; revanche; competição; lúdico; filmes; imagem; movimento. Foi em 28 de dezembro de 1895, no inverno parisiense, que os irmãos Lumière fizeram a primeira exibição pública do cinematógrafo. Surgia, então, o cinema, o instrumento de comunicação mais importante de nossa sociedade pós-moderna, segundo alguns estudiosos, dentre os quais poderíamos citar Paul Virílio, Edgar Morin e McLuhan. Acostumados a assistir a projeções de fotos, os parisienses ficaram surpresos ao constatar que aquelas imagens tinham movimento, o que era algo desconhecido até então. O início do cinema foi caracterizado pela profusão de filmes curtos de até dois minutos. Estes filmes eram realizados através da utilização de uma câmera fixa que registrava as imagens em plano geral. Eram as chamadas vistas, algo bastante similar (excetuando-se os recursos técnicos) aos documentários a que assistimos hoje e que tiveram como precursor um cineasta russo chamado Dziga Vertov, idealizador do Cinema Olho ou Cine Verdade, ou ainda Cine Pravda em referência ao jornal russo que foi um mecanismo de difusão dos ideais de liberdade pregados pela Revolução Bolchevique. Segundo Vertov, o cinema deveria ser apenas e tão somente a expressão da realidade, sem que houvesse qualquer vínculo com a exaltação da fantasia enquanto possibilidade de sedução. Mas, no que

2 se refere ao material produzido na Paris do século passado, um filme chamou a atenção dos espectadores em geral, causando frisson e medo. Estávamos no ano de 1896 e o filme A chegada do trem na estação ( L arrivée dún train à station), uma tomada em plano geral da Gare de Lyon em Paris, onde via-se um trem aproximando-se, aproximando-se, até preencher por completo a tela. Várias reações foram presenciadas durante a exibição do referido filme. Freqüentemente, as pessoas saíam correndo, histéricas, acreditando piamente que seriam pegas pelo trem. É razoável lembrar que estávamos numa época em que os indivíduos desconheciam o processo de representação imagética apresentado pelo cinema. Foi a partir daí, porém, que os cinegrafistas perceberam que o cinema poderia efetivamente despertar anseios, desejos e as mais inusitadas reações por parte do público espectador. Começava, então, a magia do cinema, algo que iria fazer com que a sétima arte alcançasse um desenvolvimento jamais previsto por nenhum de seus idealizadores. Deu-se que em algum momento deste desenvolvimento inicial, os cinegrafistas começaram a registrar imagens de eventos esportivos, lutas de boxe, corridas de carro, competições de atletismo, beisebol e diversas outras modalidades. Surgia aí uma relação duradoura entre o esporte e o cinema, que iria arrancar lágrimas e manifestações de amor, ódio, esperança e dor de um público que aprenderia a buscar na tela a representação imagética de seus sonhos mais recônditos. Logo, o cinema começou a contar histórias e estas histórias tinham uma relação direta com as obras advindas do universo da literatura, bem como das páginas policiais dos jornais da época. Estávamos, então, no ano de 1915, quando os filmes começaram a ter uma maior duração e a consistência da transmissão de uma mensagem de cunho idealista passou a fazer parte integrante do discurso cinematográfico, inicialmente a partir das obras de D. W Griffithi, diretor de dois dos grandes clássicos da história do cinema mundial: Intolerância e Nascimento de uma Nação. McLuhan (1987) frisa: Quando veio o cinema, todo o padrão da vida americana foi para as telas como um anúncio ininterrupto. O que um ator ou atriz usava ou comia era um anúncio como nunca se sonhara antes. O banheiro, a cozinha, o carro e tudo o mais recebeu o tratamento das mil e uma noites. Em conseqüência, todos os anúncios publicados em jornais ou revistas tinham de parecer cenas extraídas de um filme. E ainda parecem, só que o enfoque se abrandou com o advento da TV.

3 A transposição da prática esportiva para as telas de cinema, nada mais era do que a representação possível dos sonhos do espectador comum em ser ele próprio um ídolo, um vencedor. Esse sentido de identificação e essa projeção indisfarçada fizeram com que cada vez mais se produzissem filmes com temática esportiva. Estávamos nos tempos do cinema mudo, e nomes como Harold Lloyd, Buster Keaton, Mary Pickford, Douglas Fairbanks, Rodolfo Valentino e Charles Chaplin levavam centenas de milhares de pessoas ao cinema. A abordagem histriônica das comédias do cinema mudo reproduzia, de forma continuada, o arquétipo de David e Golias, onde um adversário aparentemente invencível era subjugado pelas estrepolias, trapalhadas e jogo sujo de um suposto David. Em Marujo não leva desaforo ( Any old port), filme estrelado pela dupla Stan Laurel e Oliver Hardy, o gordo inscreve o magro em torneio de boxe, visando ganhar uma polpuda soma em dinheiro. Semelhante história já nos havia sido contada por Charlie Chaplin num dos curtas metragens inseridos em Carlitos, o inesquecível. O mesmo Chaplin, no filme Em busca do Ouro, ao tentar defender a honra de uma encantadora, sedutora e ardente mulher de saloon, nos tempos da Gold Rush no gélido Alasca, enfrenta um brutamontes aparentemente invencível e nocauteia-o de forma involuntária, auxiliado por um enorme relógio que despenca da parede e atinge a cabeça de seu adversário. Na medida em que se descobriu que o público tinha interesse pelo caráter competitivo, começaram a se criar personagens que, de uma forma ou de outra, apresentavam algum envolvimento com o esporte. Como vários dos grandes atores dos estúdios cinematográficos vinham de uma longa tradição circense, caso específico de Harold Lloyd, Buster Keaton e Douglas Fairbanks Jr., entre outros, não era difícil esta adequação àquilo que esperava-se de um personagem afeito à prática esportiva. Com o advento do cinema sonoro, a partir de 1928, com o filme O cantor de jazz, e o surgimento da função do roteirista, o cinema passou a abandonar um pouco o gênero comédia e começou a trilhar pelos caminhos do drama e dos musicais açucarados. As perseguições num típico estilo non-sense cediam lugar ao preciosismo e ao sincronismo de coreografias idealizadas por nomes como Gene Kelly, Fred Astaire e Donald O C onnor entre outros. Mas, a relação estabelecida com o esporte ganhou um novo impulso com o advento do som, apresentando-nos um universo de variações possíveis no que diz respeito à abordagem.

4 Se na primeira versão de O campeão (The champ, 1948), estrelado por Paul Muni, a reconquista da glória leva à morte o personagem de Muni, ex campeão mundial de boxe na categoria dos peso pesados, vemos em A última chance (The best of times, EUA 1986), estrelado por Kurt Russel e Robin Williams, o cotidiano de ex jogadores de beisebol, que 13 anos após a perda de um jogo decisivo têm a chance de uma revanche. O roteiro deste segundo filme, nos leva a acreditar que a vida sórdida e infeliz destes homens, bem como a estagnada economia e a degeneração da pequena cidade em que vivem, estão de alguma forma ligados àquele fato. A possibilidade de reverter aquele quadro, acontece quando, visando comemorar a conquista do título, o time adversário convida-os para um jogo exibição. Se, para os adversários, o evento adquire o caráter de uma grande comemoração, plastificandose assim de um aspecto predominantemente lúdico, para o time de Kurt Russel, o jogo reveste-se de um ideário de vida ou de morte, algo que poderá resgatar suas almas perdidas, após aquele nefasto resultado de um passado distante. Se em O campeão, o personagem principal busca resgatar o que já teve, em A última chance, os personagens principais buscam desesperadamente obter o que jamais tiveram. A nós resta perguntar onde residem as maiores frustrações. Mas o cinema criou outras possibilidades de intervenção no que se refere à prática esportiva, mesmo por que havia muito a ser dito. No filme Lucas- A Inocência do primeiro amor ( Lucas, EUA 1986), vemos Corey Haim interpretando um jovem garoto pobre de uma escola americana de classe média. Lucas tem uma relação de dedicação e paixão pelos livros e animais em geral, num certo sentido por sentir-se excluído do convívio dos demais em decorrência de sua estética corporal que não corresponde ao modelo de beleza dominante, bem como pela precária situação financeira de sua família. Entre um dos versos de Shakespeare e a denominação científica de algum celenterado, apaixona-se perdida e alucinadamente por uma estudante mais velha que namora o personagem interpretado por Charlie Sheen, ídolo do time de futebol do colégio. Fugindo ao estereótipo convencional dos embrutecidos jogadores, Cappie ( Charlie Sheen) é sensível, inteligente e gosta verdadeiramente da garota. Em seu universo imaginário (compartilhado por muitos como nós), Lucas acredita que sendo ele também um integrante da equipe de futebol conseguirá conquistas a garota dos seus sonhos.

5 Neste sentido, o esporte aqui é enfocado enquanto instrumento de aceitação, na medida em que possibilita a transição de uma suposta posição social indesejada para o caminho do reconhecimento e da glória. O que há de interessante é que o caminho da glória, trilhado por vários outros filmes, é negado ao personagem principal no momento de maior tensão do filme, durante uma partida de beisebol em que Lucas se fez aceito pelo técnico ao citar o regulamento da escola. Numa posição privilegiada no campo, Lucas é lançado para o desespero dos adversários e ansiedade de todos os demais no estádio. A bola tece uma trajetória circular em direção ao garoto, o diretor alterna takes de close na bola, close no garoto e um plano geral em slow-motion nos demais jogadores e na platéia boquiaberta. A bola vem descendo, descendo, descendo indefinidamente como se tivéssemos todo o tempo do mundo a nosso dispor. Ao contrário do que poderíamos esperar, Lucas não consegue dominar a bola, ela escorre pelos seus dedos e vai ao chão, aniquilando por completo qualquer possibilidade de glória. O que nos apraz na análise deste filme é que, ainda que Lucas efetivamente permaneça desempenhando seu papel social que em nada se assemelha ao de um herói esportivo, e ainda que não conquiste o coração da mulher amada, a cena final mostra-nos o reconhecimento de seus amigos, gritando seu nome e enaltecendo-o por haver tentado. Indiretamente, reproduz-se aqui a máxima de Coubertain: O importante é competir. Na narrativa cinematográfica, tem sido comum verificar a necessidade da prática esportiva enquanto instrumento de afirmação. Assim como em Lucas- A inocência do primeiro amor, um dos personagens do filme Leolo-Porque eu sonho (Léolo, Canadá/FRA 1992), após sofrer uma injusta agressão física nos tempos de criança, busca através da musculação, proteger-se de toda e qualquer espécie de opressão futura. Optando por um recurso estilístico inusitado, o diretor utiliza-se de um outro ator com as características físicas de um praticante de fisiculturismo. A contínua prática esportiva do personagem, bem como sua efetiva dieta alimentar, contribuem para uma total alteração em sua composição corporal, fazendo por hipertrofiar todos os músculos do corpo de forma descomunal, o que nos leva a crer que a hora da vingança se daria em algum momento do filme. Contudo, quando o embate se verifica, o personagem é surrado novamente, como se a efetiva transformação estética proporcionada através do acúmulo exagerado de músculos não exercesse influência alguma sobre seu comportamento defensivo.

6 Aqui se faz pertinente a discussão acerca do fisiculturismo, enquanto potencializadora de uma conotação puramente estética, sem relação efetiva com a ação, ou mais que isto, sem ligação com o sentido da motricidade humana que não estivesse única e exclusivamente ligado ao movimento repetitivo do levantamento de pesos. Por outro lado, fica claro que o interesse do referido personagem pelo exercício com pesos não assume qualquer conotação relacionada à saúde, mas se refere ao instinto de preservação que se verifica em cada ser vivente e que é evidenciado no filme, a partir da discussão que se estabelece entre os dois catadores de jornal, que desempenham o mesmo papel social. A apreciação estética de sua musculatura, portanto, é uma resultante e não o fator primeiro que o conduz aos exercícios. A partir deste princípio estabelecido, verificamos a existência do hedonismo na musculação, na medida em que este transfere-se da prática esportiva para o campo da análise estética, quando o prazer instala-se com o olhar sobre si mesmo. Essa análise não se verifica no que diz respeito a outras práticas esportivas ( quando o resultado estético não é o objetivo principal), na medida em que este hedonismo ( ou suas possíveis variáveis) se dá na própria execução da atividade. Mais uma vez, um filme nos remete invariavelmente ao mito de David e Golias; aqui, entretanto, Golias é derrotado duas vezes, ante nossa surpresa e indisfarçável frustração. O vencedor não é coroado rei como na passagem bíblica, sua realeza restringe-se ao espaço físico de um gueto miserável, por outro lado o derrotado não tem o mesmo destino da conhecida história, mas é reconfortado por Leollo seu irmão mais novo e seu ode contínuo que permeia toda a narrativa fílmica: - Por que eu não sou, eu sonho. Na narrativa cinematográfica é bastante usual a utilização do esporte como possibilidade mediática e intervencional que possibilite a transposição de uma situação negativa para a redenção. Na tabela que segue abaixo, pode-se verificar alguns filmes que optam por esta solução narrativa. Título Diretor Síntese John Huston Durante a Segunda Guerra Mundial, prisioneiros Fuga para a de um campo de concentração nazista preparam-se

7 vitória (Victory EUA 1981) Guerra dos botões (War of the buttons, FRA/ING 1994) Pulp Fiction (Idem, EUA 1994) Uma equipe muito especial (A league of their own, EUA 1992) John Roberts Quentin Tarantino Penny Marshall para enfrentar um selecionado alemão de futebol. Durante os treinos, planejam fugir após o primeiro tempo do jogo. Contudo, após estarem inferiorizados no marcador, resolvem voltar para o segundo tempo e reverter o placar. Alunos de escolas rivais enfrentam-se, utilizando técnicas e táticas de guerrilha, além do código de honra do exército francês. Uma crítica contumaz à influência que os padrões adultos exercem sobre as crianças. Bruce Willis é um boxeador decadente que, mesmo após aceitar dinheiro para perder uma luta, revolta-se com esta condição, vence o combate e ganha um vultosa soma em dinheiro na bolsa de apostas. O filme aborda a decadência da vida útil do atleta, bem como sua dificuldade em adaptar-se à vida em sociedade. Enfatiza também os bastidores do mundo do boxe. Ainda que não seja um filme efetivamente sobre o esporte, contribui de forma enriquecedora para a análise do tema. Durante a Segunda Guerra Mundial, vários dos grandes jogadores de beisebol americano estão na frente de batalha. A Liga de Beisebol Americano convoca as mulheres e dá início à Liga Feminina de Beisebol. A prática esportiva é vista aqui sob a ótica feminina, mais que isto, enfoca a discriminação que a sociedade exercia sobre as mulheres que na década de 40 praticavam esportes. A abordagem enfoca, também, a diferenciação de conceitos entre as atletas, enfatizando temas como a importância dada pela mídia à estética corporal. Geena Davis numa

8 interpretação magistral nos proporciona todo o ar de sua graça ao pegar uma bola lançada por um rebatedor, caindo num autêntico movimento de balé. O movimento aparentemente insignificante é utilizado pela mídia de forma contínua, visando divulgar os jogos da Liga. Tom Hanks irreconhecível, interpreta um ex-jogador de beisebol que após sofrer um acidente fica inutilizado para o esporte e passa a representar o estereótipo de um homem e sua revolta contra o mundo. Campo dos sonhos (Field of Dreams, EUA 1989) Phil Robinson Alden - Construa que ele virá. Em meio a uma plantação de milho no distante Iowa, Ray Kinsela ( Kevin Costner) ouve esta inusitada frase e constrói um campo de beisebol. Dentre várias de suas questões interiores não resolvidas, Ray fria ao personagem de James Earl Jones: - Eu nunca quis jogar beisebol com meu pai. Ele amava Joe sem sapatos (Ray Liotta) e eu disse que o herói dele não passava de um bandido. Eu não tive tempo de desculpar-me. Joe havia sido sacado dos jogos por um suposto envolvimento no favorecimento de um resultado. A construção do campo de beisebol é a Segunda chance para que ele possa diluir suas culpas. A cena final do filme Quando vemos Ray Kinsela jogando beisebol com seu pai, morto muitos anos antes, é um belo momento e reflete nada mais nada menos do que nosso desejo de voltar no

9 tempo, sanar nossos erros, dirimir nossas culpas e reconquistar nossa inocência perdida. O cinema parece nos querer dizer que através do esporte isto é possível. Vários outros filmes poderiam ser citados aqui. Alguns deles fazem uma abordagem mais diretamente ligada à representação do real, na medida em que seus personagens são vistos como cidadãos normais que, imbuídos de um ideal qualquer, resolvem superar as adversidades e atingir seus objetivos. Esse caráter instrumental da prática esportiva parece ser o tema mais recorrente da relação cinema X esporte. No que diz respeito ao aspecto lúdico da prática esportiva enquanto fenômeno de interação social, vale lembrar o filme Meu pé esquerdo ( My left foot, Irlanda 1989) em que Daniel Day Lewis interpreta um personagem, que segundo os médicos, supostamente sofria de paralisia cerebral. Eles estavam errados e o personagem consegue provar ao mundo em geral, que apesar da patologia era dotado de inteligência e talento. Num dado momento do filme, ainda adolescente, Daniel está caído, aparentemente participando de um jogo de futebol com os amigos. Um penalty é assinalado e seus amigos conduzem-no ao local da infração. O silêncio domina a tela e os olhares de ansiedade acumulam-se diante do que está por vir. Ele só tem mobilidade na perna esquerda e ainda assim de forma débil; em slow motion, Daniel movimenta a perna, chuta a bola e o goleiro tenta em vão retê-la entre os dedos. Este tipo de abordagem acerca de portadores de necessidades especiais já nos havia sido mostrada em Um estranho no ninho ( One flew over the cuckoo s nest, EUA 1975) de Milos Forman, onde se vê um jogo de basquete entre funcionários da segurança e os internos do hospital, visando estreitar as relações entre os mesmos. Jack Nicholson orienta o time dos internos que têm em seu plantel um gigantesco índio que, pouco a pouco, começa a entender as normas do basquete e desequilibra a partida. A alegria pela prática esportiva, o regozijo pelos pontos conquistados e uma necessidade pulsante de comemorar cada uma destas conquistas são um incondicional reflexo do significado de importância que tem o esporte como resgate de uma consciência participativa. Anos depois, veríamos Tom Hanks em Forrest Gump ( Idem, EUA 1994), interpretando um personagem que ao receber seu diploma após a conclusão da High School americana nos diz:

10 - Eu não entendi por que após ficar correndo durante cinco anos, eles ainda me deram um diploma. A crítica ao sistema de ensino norte americano que privilegia estudantes atletas, fica aqui diluída na medida em que estamos diante de uma comédia. Forrest ainda ingressaria na equipe de tênis de mesa dos Estados Unidos e, após a morte de sua mãe, correria durante três anos, quatro meses, vinte e seis dias e seis horas, seguido por um incrível séquito de admiradores que no filme reproduzem a idolatria legada aos grandes atletas e personalidades em geral. Após correr durante todo este tempo, Forrest Gump olha para trás e um dos seguidores diz: - Parem, parem o mestre vai falar. A expectativa e a ansiedade de seus seguidores domina a tela, e nós, meros mortais, ficamos em silêncio, querendo captar cada palavra a ser dita. - Estou cansado, quero voltar para casa. - diz-nos Forrest. - E nós mestre, o que iremos fazer? perguntam os seguidores. - Voltem para casa também. - diz Forrest Gump, sem aceitar a suposta idolatria que lhe era conferida pelos admiradores. Forrest enquanto ídolo, encarna a representação imaginária de nossos desejos mais profundos. De forma genérica podemos dizer que o ídolo representa tudo aquilo que sonhamos ser ou fazer um dia. Espera-se do ídolo a representação cabal do homem perfeito ou do super-homem a que Nietzche se referia. Há muitas outras considerações que poderiam ser abordadas naquilo que se refere à relação cinema, esporte e cultura, mas assim como Forrest Gump, vou ficando por aqui, estou cansado, também quero voltar para casa.

11 Talvez volte correndo, não sei. Bibliografia Bordieu, P. As regras da arte. São Paulo: Cia das Letras, Campbell, J. & Moyers, B. O poder do mito. São Paulo: Ed. Palas Atenas, Lovisolo, H. A arte da mediação. Rio de Janeiro: Sprint, McLuhan, M. Os meios de comunicação como extensões do homem. Rio de Janeiro: Cultrix, Melchior, R. A fotografia e a instrumentalização da estética do corpo. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: Universidade Gama Filho, Virílio, P. A máquina de visão. Rio de Janeiro: José Olympio, 1995.

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

Estimulando expectativas de futuro em adolescentes através de jogos dramáticos

Estimulando expectativas de futuro em adolescentes através de jogos dramáticos Estimulando expectativas de futuro em adolescentes através de jogos dramáticos CHARLIZE NAIANA GRIEBLER EVANDIR BUENO BARASUOL Sociedade Educacional Três de Maio Três de Maio, Rio Grande do Sul, Brasil

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

Quem mais torce, incentiva, acompanha e

Quem mais torce, incentiva, acompanha e Capa esporte de pai para filho Edgard Rondina, o filho Felipe e uma paixão em comum: velejar no Lago Paranoá Por Leane Ribeiro Quem mais torce, incentiva, acompanha e muitas vezes até sofre com a carreira

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senhor presidente, Senhoras senadoras, senhores senadores Amigos das redes sociais que também estão nas ruas Estamos em época de competição de futebol. Nosso

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

Pág. 1. Painel Descrição Diálogo

Pág. 1. Painel Descrição Diálogo Mico Leão Dourado Pág. 1 1.1 (PG) Visão geral da árvore onde Chico mora, com os barracos nos galhos, a pequena comunidade na base, com o campinho onde as crianças jogam futebol. Todos estão assistindo

Leia mais

Escrito por. Guilherme guinor Cunha Ex-tenista profissional, campeão mundial de poker online FTOPS #35 e criador do método GuinorBets

Escrito por. Guilherme guinor Cunha Ex-tenista profissional, campeão mundial de poker online FTOPS #35 e criador do método GuinorBets s O 6 s o i cíp Prin Bá s o sic o d o ét M o D r o n s i t u e G B Escrito por Guilherme guinor Cunha Ex-tenista profissional, campeão mundial de poker online FTOPS #35 e criador do método Índice Quem

Leia mais

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta.

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta. Tipos de Discurso (exercícios para fixação de conteúdo, bem como material de consulta e estudo). 1. Transforme a fala abaixo em um discurso indireto. Para tal, imagine que há, na cena, um narrador que

Leia mais

Lição 1 Como Amar os Inimigos

Lição 1 Como Amar os Inimigos Lição 1 Como Amar os Inimigos A. Como seus pais resolviam as brigas entres você e seus irmãos? B. Em sua opinião qual a diferença entre amar o inimigo e ser amigo do inimigo? PROPÓSITO: Aprender como e

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Este projeto se constitui em modelo de distribuição e exibição do filme Sua Vida, Nossa Vida! em municípios do Rio Grande do Sul.

APRESENTAÇÃO. Este projeto se constitui em modelo de distribuição e exibição do filme Sua Vida, Nossa Vida! em municípios do Rio Grande do Sul. APRESENTAÇÃO Este projeto se constitui em modelo de distribuição e exibição do filme Sua Vida, Nossa Vida! em municípios do Rio Grande do Sul. Foi testado no município de Guaporé, em uma parceria da Promotoria

Leia mais

OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA

OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA Geane Apolinário Oliveira UEPB Geane-cg@hotmail.com Introdução O presente artigo tem por objetivo enfatizar

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

Lição. História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a

Lição. História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a FRUTOS-1 Descoberta Lição 1 4-6 Anos História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a CONCEITO CHAVE A Bíblia é o livro de Deus e nós sabemos

Leia mais

TRECHOS DE ROTEIROS PARA VÍDEOS EMPRESARIAIS

TRECHOS DE ROTEIROS PARA VÍDEOS EMPRESARIAIS TRECHOS DE ROTEIROS PARA VÍDEOS EMPRESARIAIS Job: Vídeo Institucional Averty Cliente: Averty IMAGEM Imagens (arquivo) funcionários trabalhando sorridentes. Composição do Logo: Averty Consultoria e Treinamentos

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

Porque estádios tão vazios? Pt. 3. 17 Motivos para NÃO ir aos Estádios. Fernando Ferreira

Porque estádios tão vazios? Pt. 3. 17 Motivos para NÃO ir aos Estádios. Fernando Ferreira PLURI Especial Porque estádios tão vazios? Pt. 3 17 Motivos para NÃO ir aos Estádios PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Curitiba-PR Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2012. Disciplina:

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2012. Disciplina: Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2012 Disciplina: MateMática Prova: desafio nota: QUESTÃO 11 A cada quatro anos os gregos da Antiguidade em nome dos deuses

Leia mais

Leia os textos e assinale a alternativa correta: 1) O que Ana quer que Pedro faça?

Leia os textos e assinale a alternativa correta: 1) O que Ana quer que Pedro faça? UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PLE CERIFICADO INTERNACIONAL DE LÍNGUA PORTUGUESA CILP SIMULADO COMPREENSÃO LEITORA E ASPECTOS LINGUÍSTICOS NÍVEL BÁSICO ESCOLAR A2 Leia os

Leia mais

Questões de gênero. Masculino e Feminino

Questões de gênero. Masculino e Feminino 36 Questões de gênero Masculino e Feminino Pepeu Gomes Composição: Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes Ôu! Ôu! Ser um homem feminino Não fere o meu lado masculino Se Deus é menina e menino Sou Masculino

Leia mais

Romance familiar poesia familiar

Romance familiar poesia familiar Romance familiar poesia familiar Em busca de imagens para uma apresentação, dou com a foto, feita em estúdio, de um garoto de 11 anos de idade chamado Walter Benjamin (1892-1940). Serve de ilustração a

Leia mais

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br APRESENTAÇÃO A timidez é um problema que pode acompanhar um homem a vida inteira, tirando dele o prazer da comunicação e de expressar seus sentimentos, vivendo muitas

Leia mais

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA

Leia mais

De volta para casa. Game Design Document. Versão: 2.0. Alessandra RA 1385789. Aline RA 1382286. Allan RA 1385006. Fabio RA 1385806.

De volta para casa. Game Design Document. Versão: 2.0. Alessandra RA 1385789. Aline RA 1382286. Allan RA 1385006. Fabio RA 1385806. De volta para casa Game Design Document Versão: 2.0 Professor Orientador: Esp. Marcelo Henrique dos Santos Autores: Alessandra RA 1385789 Aline RA 1382286 Allan RA 1385006 Fabio RA 1385806 Iris RA 1383599

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições

Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições Como conseguir um Marido Cristão Em doze lições O. T. Brito Pág. 2 Dedicado a: Minha filha única Luciana, Meus três filhos Ricardo, Fernando, Gabriel e minha esposa Lúcia. Pág. 3 Índice 1 é o casamento

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

Dicas do que você deve fazer desde cedo para educar seu filho a ser determinado e capaz de conquistar o que ele deseja.

Dicas do que você deve fazer desde cedo para educar seu filho a ser determinado e capaz de conquistar o que ele deseja. Dicas do que você deve fazer desde cedo para educar seu filho a ser determinado e capaz de conquistar o que ele deseja. O primeiro passo para conquistar algo é acreditar que é possível. Se não, a pessoa

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 4. Badminton e goalball Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 4. Badminton e goalball Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 4 Badminton e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria de REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história do surgimento desses esportes e

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207 OLHAR GLOBAL Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas A poeira do renascimento 36 Fotografe Melhor n o 207 Olivier convida pessoas que encontra na rua ou na internet para posarem

Leia mais

Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só

Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só esperando a sua boa vontade. Felipe tentou voltar a dormir,

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

JANEIRO DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. escrito por: Antפnio Carlos Calixto. Filho. Personagens: Dana de. Oliveira uma moça. simples ingênua morena

JANEIRO DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. escrito por: Antפnio Carlos Calixto. Filho. Personagens: Dana de. Oliveira uma moça. simples ingênua morena OSUTERBOS DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. JANEIRO escrito por: Antפnio Carlos Calixto Filho Personagens: Dana de Oliveira uma moça simples ingênua morena olhos pretos como jabuticaba,1.70a,sarad a cabelos

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

O jovem e o futebol: Entre o sonho e a realidade 1

O jovem e o futebol: Entre o sonho e a realidade 1 O jovem e o futebol: Entre o sonho e a realidade 1 Lidianne Porto MORAES 2 Débora Corrêa ALVES 3 Gusthavo Crispim CARDOSO 4 Kellen Caroline Santana PAULINO 5 Matheus Medeiros de SOUSA 6 Marcelo Henrique

Leia mais

Homens. Inteligentes. Manifesto

Homens. Inteligentes. Manifesto Homens. Inteligentes. Manifesto Ser homem antigamente era algo muito simples. Você aprendia duas coisas desde cedo: lutar para se defender e caçar para se alimentar. Quem fazia isso muito bem, se dava

Leia mais

Gregor Samsa e a Patologia da Normalidade

Gregor Samsa e a Patologia da Normalidade Gregor Samsa e a Patologia da Normalidade Edvanio da Silva PINHEIRO 1 PUCPR Vem por aqui dizem-me alguns com olhos doces Estendendo-me os braços e seguros De que seria bom que eu os ouvisse Quando me dizem:

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis)

Blog http://conquistadores.com.br. + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (mini e-book grátis) Blog http://conquistadores.com.br CONQUISTADORES + dinheiro + mulheres + sucesso social (Este

Leia mais

Quanto mais. 15º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quanto mais enfrentamos nossos medos, mais eles diminuem.

Quanto mais. 15º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quanto mais enfrentamos nossos medos, mais eles diminuem. 15º Plano de aula 1-Citação as semana: Quanto mais enfrentamos nossos medos, mais eles diminuem. 2-Meditação da semana: Meditação para superar o medo 3-História da semana: Abrindo a porta 4-Música da semana:

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

Análise Cinematográfica do Curta Metragem Ilha das Flores¹ Jaderlano de Lima JARDIM² Shirley Monica Silva MARTINS³

Análise Cinematográfica do Curta Metragem Ilha das Flores¹ Jaderlano de Lima JARDIM² Shirley Monica Silva MARTINS³ Análise Cinematográfica do Curta Metragem Ilha das Flores¹ Jaderlano de Lima JARDIM² Shirley Monica Silva MARTINS³ RESUMO O premiado Ilha das Flores exibe o percurso de um tomate até chegar a um lixão

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO

OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO Tênis é em grande parte um jogo mental. Um bom tenista deve ser mentalmente forte para conseguir lidar com as adversidades e manter um jogo consistente.

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

A ALMA DO LÍDER 1. Ken Blanchard. a alma do líder. reflexões sobre a arte de influenciar pessoas. São Paulo

A ALMA DO LÍDER 1. Ken Blanchard. a alma do líder. reflexões sobre a arte de influenciar pessoas. São Paulo A ALMA DO LÍDER 1 Ken Blanchard a alma do líder reflexões sobre a arte de influenciar pessoas São Paulo 2009 A ALMA DO LÍDER 3 INTRODUÇÃO Quando eu estava no ensino médio, tinha um técnico de futebol

Leia mais

FORMANDO UMA EXISTÊNCIA ADULTA: A MULHER TRONCO, A MULHER POLVO, A MULHER ÁGUA

FORMANDO UMA EXISTÊNCIA ADULTA: A MULHER TRONCO, A MULHER POLVO, A MULHER ÁGUA FORMANDO UMA EXISTÊNCIA ADULTA: A MULHER TRONCO, A MULHER POLVO, A MULHER ÁGUA Educyra Vaney RESUMO O trabalho com sonhos é uma importante ferramenta para a clínica formativa. Este texto é um relato pessoal

Leia mais

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade.

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade. BIOGRAFIA HUMANA Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade Edna Andrade Nascemos totalmente desamparados, totalmente dependentes e indefesos.

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É

DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É BRENNAN MANNING & JOHN BLASE DEUS O AMA DO JEITO QUE VOCÊ É NÃO DO JEITO QUE DEVERIA SER, POIS VOCÊ NUNCA SERÁ DO JEITO QUE DEVERIA SER Tradução de A. G. MENDES Parte 1 R i c h a r d 1 Nem sempre recebemos

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

Relacionamento Amoroso

Relacionamento Amoroso CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Relacionamento Amoroso Luisa Guedes Di Mauro Natália Gióia Cípola

Leia mais

FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1

FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1 FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1 Francisco José da Silva ROCHA Filho 2 Nathalia Aparecida Aires da SILVA 3 Sebastião Faustino PEREIRA Filho 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal,

Leia mais

Você já deve ter lido varias vezes sobre, Gatilhos Mentais, pois bem, hoje vamos falar sobre isso...

Você já deve ter lido varias vezes sobre, Gatilhos Mentais, pois bem, hoje vamos falar sobre isso... Olá, tudo bem?! Nesse Mini E-book eu vou lhe passar a 1º Sacada da semana, pretendo toda semana compartilhar informações com você, pois sei bem o que é ficar na internet buscando informações e nunca encontrar

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 04 RESSURREIÇÃO DE DORCAS / CORNÉLIO E PEDRO Nome: Professor: Sala

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 04 RESSURREIÇÃO DE DORCAS / CORNÉLIO E PEDRO Nome: Professor: Sala MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 04 RESSURREIÇÃO DE DORCAS / CORNÉLIO E PEDRO Nome: Professor: Sala VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos a Bíblia na Nova Versão Internacional

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Esportes de Invasão. Aula 3. Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo aquático. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Invasão. Aula 3. Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo aquático. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Invasão Aula 3 Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria INVASÃO. 2 Conhecer a história desses esportes e a sua entrada

Leia mais

Sumário. PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios...

Sumário. PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios... Sumário APRESENTAÇÃO DA EDIÇÃO BRASILEIRA... 13 PREFÁCIO... 19 PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios... 29 Decisões

Leia mais

A NUVEM. O Sétimo Anjo

A NUVEM. O Sétimo Anjo A NUVEM O Sétimo Anjo PARADO NA BRECHA 1963 - Jeffersonville - Indiana - E.U.A. - Tradução: GO 82 E agora, eu não sabia naquela época, que eles estavam tirando fotos daquilo, os cientistas que estavam

Leia mais

Esportes de Invasão. Aula 2. Futebol, futebol de 5 e futebol de 7. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Invasão. Aula 2. Futebol, futebol de 5 e futebol de 7. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Invasão Aula 2 Futebol, futebol de Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria INVASÃO. 2 Conhecer a história desses esportes e a entrada para os Jogos Olímpicos

Leia mais

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês 3 Truques Para Obter Fluência no Inglês by: Fabiana Lara Atenção! O ministério da saúde adverte: Os hábitos aqui expostos correm o sério risco de te colocar a frente de todos seus colegas, atingindo a

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS SAMARA DA SILVA VIEIRA (depoimento) 2014 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

A Questão Moral em O Homem-Aranha (Stephen Layman)

A Questão Moral em O Homem-Aranha (Stephen Layman) A Questão Moral em O Homem-Aranha (Stephen Layman) 1 Trecho 1:» O filme Homem-Aranha retrata um mundo moral, repleto de bem e mal. Há muitos vilões de pequeno porte, bem como um vilão de primeira classe,

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

ANÁLISE LITERÁRIA: OS ESTEREÓTIPOS DE BELEZA EM SHREK 1. O conto narra a estória de Shrek, um ogro que vive sozinho em um pântano, mas que

ANÁLISE LITERÁRIA: OS ESTEREÓTIPOS DE BELEZA EM SHREK 1. O conto narra a estória de Shrek, um ogro que vive sozinho em um pântano, mas que 1 ANÁLISE LITERÁRIA: OS ESTEREÓTIPOS DE BELEZA EM SHREK 1 Luciara dos Santos (UFS) I. ENREDO O conto narra a estória de Shrek, um ogro que vive sozinho em um pântano, mas que logo tem sua tranqüilidade

Leia mais

Ex-escravos lembram rotina em fazenda nazista no interior de SP. Gibby Zobel BBC World Service, Campina do Monte Alegre (SP)

Ex-escravos lembram rotina em fazenda nazista no interior de SP. Gibby Zobel BBC World Service, Campina do Monte Alegre (SP) Ex-escravos lembram rotina em fazenda nazista no interior de SP Gibby Zobel BBC World Service, Campina do Monte Alegre (SP) Em uma fazenda no interior de São Paulo, 160 km a oeste da capital, um time de

Leia mais

A Busca. Capítulo 01 Uma Saga Entre Muitas Sagas. Não é interessante como nas inúmeras sagas que nos são apresentadas. encontrar uma trama em comum?

A Busca. Capítulo 01 Uma Saga Entre Muitas Sagas. Não é interessante como nas inúmeras sagas que nos são apresentadas. encontrar uma trama em comum? A Busca Capítulo 01 Uma Saga Entre Muitas Sagas Não é interessante como nas inúmeras sagas que nos são apresentadas em livros e filmes podemos encontrar uma trama em comum? Alguém, no passado, deixouse

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Oi Lindona! Eu sou MILLA PADUA, Coach de Boa Forma

Oi Lindona! Eu sou MILLA PADUA, Coach de Boa Forma Oi Lindona! Eu sou MILLA PADUA, Coach de Boa Forma Eu mudei radicalmente o meu estilo de vida e conquistei o corpo que eu sempre sonhei após a maternidade. É isso aí! Tem gente que acha que depois dos

Leia mais

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos.

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos. Contos Místicos 1 Contos luca mac doiss Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12 Prefácio A história: esta história foi contada por um velho pescador de Mongaguá conhecido como vô Erson. A origem:

Leia mais

Rica. Eu quero ser... Especial ???????? Luquet. Um guia para encontrar a rota da prosperidade. Apoio: por Mara. Elas&Lucros

Rica. Eu quero ser... Especial ???????? Luquet. Um guia para encontrar a rota da prosperidade. Apoio: por Mara. Elas&Lucros ???????? Apoio: Rica Eu quero ser... Um guia para encontrar a rota da prosperidade por Mara Luquet 81 Era uma vez... Era uma vez uma princesa, dessas que passeiam pelos campos e bosques e são muito bonitas

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

AS LULÍADAS (coleção de frases antológicas do presidente)

AS LULÍADAS (coleção de frases antológicas do presidente) AS LULÍADAS (coleção de frases antológicas do presidente) Lula Sensível 'Estou vendo aqui companheiros portadores de deficiência física. Estou vendo o Arnaldo Godoy sentado, tentando me olhar, mas ele

Leia mais

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior.

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior. Cotas Pra Quê? 1 Sarah Rocha MARTINS 2 Luan Barbosa OLIVEIRA 3 Camilla Alves Ribeiro PAES LEME 4 Instituto de Ensino Superior de Rio Verde, Rio Verde, Goiás RESUMO Este documentário foi planejado e desenvolvido

Leia mais

Hélio Guilherme VALE. o que. aprendi. Desenvolvendo oportunidades para além do Vale do Silício R A M P O L I M TTHESAURUS

Hélio Guilherme VALE. o que. aprendi. Desenvolvendo oportunidades para além do Vale do Silício R A M P O L I M TTHESAURUS Hélio Guilherme VALE o que aprendi Desenvolvendo oportunidades para além do Vale do Silício TTHESAURUS R A M P O L I M by Hélio Guilherme - 2016 Ficha Técnica Revisão Jarbas Júnior Editoração eletrônica

Leia mais

HISTÓRIA E PERSPECTIVAS DE VIDA DE ALCOOLISTAS

HISTÓRIA E PERSPECTIVAS DE VIDA DE ALCOOLISTAS HISTÓRIA E PERSPECTIVAS DE VIDA DE ALCOOLISTAS Jéssica Molina Quessada * Mariana Caroline Brancalhão Guerra* Renata Caroline Barros Garcia* Simone Taís Andrade Guizelini* Prof. Dr. João Juliani ** RESUMO:

Leia mais

EBA IBCU Ago e Set 2012 Wagner Fonseca João Mengaldo

EBA IBCU Ago e Set 2012 Wagner Fonseca João Mengaldo EBA IBCU Ago e Set 2012 Wagner Fonseca João Mengaldo Reino e Queda 1Samuel 13 a 19 Reinado e Decadência de Saul Saul o Primeiro Rei 30 anos e Reina por 42 anos Vs 13.1 Primeira batalha de Jônatas contra

Leia mais

Conceito & Ação MULTIRIO - Empresa Municipal de Multimeios Ltda.

Conceito & Ação MULTIRIO - Empresa Municipal de Multimeios Ltda. Conceito & Ação Economia criativa Sinopse Está tramitando no Senado Federal uma proposta que altera um trecho da Constituição, inserindo, como direito inalienável da população, a busca pela felicidade.

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

"INSOLÚVEL" SEGUNDO RASCUNHO. Escrito por: Luís Eduardo E. Ribeiro

INSOLÚVEL SEGUNDO RASCUNHO. Escrito por: Luís Eduardo E. Ribeiro "INSOLÚVEL" SEGUNDO RASCUNHO Escrito por: Luís Eduardo E. Ribeiro Rua Faustolo, 371 São Paulo SP CEP 05041-000 (11) 9272-4021 1 INSOLÚVEL FADE IN: INT. CASA DO MENINO MANHÃ MENINO de 12-13 anos acorda.

Leia mais

Futebol de Precisão. Livro Oficial

Futebol de Precisão. Livro Oficial Futebol de Precisão Livro Oficial T O D O S O S D I R E I T O S R E S E R V A D O S. 2 0 1 5. P R O I B I D A A R E P R O D U Ç Ã 0 P A R C I A L O U T O T A L D E S T E D O C U M E N T O. EM C A S O D

Leia mais

Enem. Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade!

Enem. Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade! Enem Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade! Não tem mais para onde correr: O resto dos seus dias depende disso. Ou pelo menos é assim

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL AUGUSTO AIRES DA MATA MACHADO. MATÉRIA: LÍNGUA PORTUGUESA. PROF.: MARCÉLIA ALVES RANULFO ASSUNTO: PRODUÇÃO DE TEXTO.

ESCOLA ESTADUAL AUGUSTO AIRES DA MATA MACHADO. MATÉRIA: LÍNGUA PORTUGUESA. PROF.: MARCÉLIA ALVES RANULFO ASSUNTO: PRODUÇÃO DE TEXTO. PROF.: MARCÉLIA ALVES RANULFO ALUNO: Victor Maykon Oliveira Silva TURMA: 6º ANO A ÁGUA A água é muito importante para nossa vida. Não devemos desperdiçar. Se você soubesse como ela é boa! Mata a sede de

Leia mais

4 VÍDEOS ENSINAM MAIS SOBRE TRADER ESPORTIVO, CONFIRA EM: HTTP://WWW.VIVERDEFUTEBOL.COM/

4 VÍDEOS ENSINAM MAIS SOBRE TRADER ESPORTIVO, CONFIRA EM: HTTP://WWW.VIVERDEFUTEBOL.COM/ 1 2 ÍNDICE 1- NOTA LEGAL... 3 2- SOBRE AUTOR... 3 3- SEMELHANÇA COM O MERCADO FINANCEIRO... 4 4- EXEMPLO DO MERCADO DE AUTOMÓVEIS USADOS... 4 5- CONHECENDO O BÁSICO DAS APOSTAS... 7 6- O QUE É UMA ODD?...

Leia mais

Teste 3 - Auto-avaliação das habilidades empreendedoras

Teste 3 - Auto-avaliação das habilidades empreendedoras Teste 3 - Auto-avaliação das habilidades empreendedoras Para cada questão, faça um círculo na resposta que está mais adequada às suas crenças ou ações, mesmo que aparentemente não tenham algo em comum

Leia mais

Retroceder? Só se for pra pegar impulso!

Retroceder? Só se for pra pegar impulso! Retroceder? Só se for pra pegar impulso! Hb 10:35-39 "Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm; ela será ricamente recompensada. Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a

Leia mais

PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA

PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA RAVENA FLÁVIA MEDEIROS DE FREITAS, POLIANA SALDANHA DE SOUSA, PATRICIA FERREIRA DOS SANTOS, AIVONEIDE DE OLIVEIRA

Leia mais