Sociedade. da Mesa. Manos Negras Red Soil Select Pinot Noir 2013 Argentina. Mandioquinha Química dos alimentos. Bobotie de Mandela Um prato no tempo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sociedade. da Mesa. Manos Negras Red Soil Select Pinot Noir 2013 Argentina. Mandioquinha Química dos alimentos. Bobotie de Mandela Um prato no tempo"

Transcrição

1 julho/ R$ 16,00 clube de vinhos Sociedade do livre exercício dos prazeres da Mesa Manos Negras Red Soil Select Pinot Noir 2013 Argentina Manos Negras Stone Soil Select Malbec 2012 Argentina Feijão Ingredientes Bobotie de Mandela Um prato no tempo Mandioquinha Química dos alimentos

2 Sociedade do livre exercício dos prazeres da Mesa julho/ Fiscalize os nossos preços. Editorial Sociedade da Mesa clube de vinhos Rua Branco de Moraes, 248/11 Chácara Santo Antônio - São Paulo - SP - Brasil CEP (55-11) Direção Geral Dario Taibo Direção Técnica Dario Taibo Direção da Revista Paula Taibo Morales Projeto gráfico e diagramação Debora Ochoa Redação Atendimento ao cliente Nós sempre dizemos que o vinho na Sociedade da Mesa tem preços espetaculares, e arriscamos dizer que estão entre os melhores do mercado, mas será que isso é verdade? Não será mais uma mentirinha de vendedor, como fazem todos? Pois bem, eu proponho que o associado esteja atento a nossos preços e os compare. Acontece que a maioria dos vinhos selecionados pela Sociedade da Mesa são importações exclusivas e não se encontram no mercado brasileiro. Como é possível comparar, então? Proponho a forma de fazê-lo: Existe um site chamado winesearcher. Esse site rastreia, no mundo inteiro, todas as lojas que ofertam aquele vinho que você está buscando, bem como diz o preço praticado por aquela loja. Só isso. Mas tome os seguintes cuidados: 1 O site, se assim você o configurar, mostra o valor em reais, o que pode levar alguém a pensar que o vinho poderia ser comprado no Brasil, e por aquele valor, mas não: é uma mera transcrição, em reais, da moeda local da loja. 2 Certifique-se de que você está verificando a mesma safra. O preço muda muito de uma safra para outra. Certifique-se também de que você achou, de fato, o vinho que procura. Muitos produtores têm linhas inteiras com o mesmo nome. Verifique a uva e outros detalhes. 3 Os valores que você achar serão muito inferiores, em reais, aos que se praticam no Brasil e, inclusive, por nós. Lembre-se que você está vendo o preço de um vinho italiano numa loja na Itália, por exemplo, e talvez ao lado da região produtora. O vinho, para chegar ao Brasil, é acrescido de uma coleção de custos, sejam eles de transporte, fiscais, legais etc. De forma bem genérica, no Brasil os preços normais são quase o dobro. 4 Você vai encontrar, para um mesmo vinho, muitos preços diferentes num mesmo país. O mais justo é fazer uma média. Sempre há uma loja que tem, no estoque, somente quatro garrafas daquele vinho e as está liquidando. Seu preço não será um bom padrão de comparação. Observados esses detalhes, divirta-se verificando quantas vezes o valor médio internacional é praticado por esta ou aquela loja de vinhos, no Brasil. Contato de Publicidade Impressão exemplares Dario Taibo sócio-diretor

3 Há algo de grande em alguns vinhos. Conheça a Seleção Grandes Vinhos, a seleção trimestral que explora vinhos de origens e cortes fora do alcance da Seleção Mensal e com algo de grande. Experimente. clube de vinhos Sociedade do livre exercício dos prazere da Mesa Sociedade da Mesa clube de vinhos Seleção Grandes Vinhos Para receber esta seleção, inscreva-se por telefone, ou website índice 06 / Seleção Mensal 12 / Receita 1,2 e 3 14 / Na cozinha tem 17 / A palavra na ponta da língua 18 / Entrevista 24 / Ingredientes 27 / Objetos de desejo 28 / Um prato no tempo 30 / Almanaque 34 / Momentos 36 / Canteiro 37 / Dica de quem sabe 38 / Drinks 40 / Por aí 42 / Química dos alimentos 44 / Perguntas frequentes 48 / Notícias 49 / Calendário 50 / Saca-rolha 54 / Além da Garrafa 57 / Estoque 58 / Próximas seleções

4 Seleção Mensal Texto: Alberto Pedrajo Fotos: divulgação seleção Mensal O Vinho na Argentina Superfície de vinhedo: Hectares Ranking mundial superfície de vinhedo: 8º Volume de vinho produzido: hl Ranking mundial por produção de vinho: 5º Dados OIV 2013 (provisional) Manos Negras Red Soil Select Pinot Noir 2013 Neuquén, Patagônia Argentina Manos Negras Stone Soil Select Malbec 2012 Mendoza Argentina MANOS NEGRAS, EXPLORADORES DO TERROIR São muitas as bodegas que enchem a boca para falar do terroir de seus vinhedos, porém, são muito poucas as que decidiram realmente aprofundar-se no conhecimento e na busca daquelas regiões vitivinícolas, muitas vezes ao limite, onde é possível cultivar as uvas necessárias para elaborar vinhos com personalidade. Argentina e Chile, por sua extensão, ampla latitude e diversidade geológica, convertem-se em um infinito conjunto de microclimas esperando ser descobertos por audaciosos enólogos como Alejandro Sejanovich e Jeff Mausbach, que para o projeto Manos Negras, levam anos explorando os limites da enologia andina para a elaboração de seus vinhos. Os autênticos enólogos são aqueles que sujam suas mãos durante a vindima, aqueles que têm Manos Negras de vinho (suas mãos negras pelo vinho). Esse é o significado do projeto Manos Negras : vinhos feitos com as mãos vinhos artesanais. E são eles que apresentamos neste mês, com uma caixa mista excepcional, onde vamos poder desfrutar de uma verdadeira experiência terroir. Manos Negras concentra-se na elaboração de vinhos que eles denominam de latitude. Cada latitude possui um terroir único, com combinações edafoclimáticas (solo e clima) singulares, que são ideais para os diferentes varietais. É isso que procuram desde a bodega, para elaborar vinhos baseados em emocionantes combinações de terroir com os varietais. E é isso que se manifesta nos vinhos que apresentamos neste mês. Manos Negras aposta em 6 7

5 interpretar e exaltar a natureza de alguns terrenos, de alguns climas e de vinhedos que nem sempre tiveram oportunidades. Não se trata de descobertas, e sim de uma aposta naquilo que é diferente, procurando originalidade no vinho. Manos Negras procura elaborar vinhos singulares, respeitando ao máximo as uvas e a terra, e isso implica na elaboração do vinho nas terras selecionadas para o projeto. As vinificações, portanto, realizam-se sempre em bodegas próximas ao vinhedo, dirigindo todos os recursos e esforços a obter vinhos que representem e reflitam a singularidade da origem do vinhedo. Os vinhedos das diversas localizações são gerenciados por viticultores locais e avaliados pelo seu potencial enológico. A partir daí, inicia-se o novo projeto enológico a partir do vinhedo. Cria-se, portanto, uma estreita relação entre o proprietário do vinhedo e Manos Negras, formando uma equipe que colabora ativamente - gerenciando e desenvolvendo o vinhedo, utilizando as melhores técnicas de cultivo, para que o próprio viticultor se beneficie das ações tomadas e, portanto, usufrua do resultado mais precioso: uvas autênticas, que refletem o terroir de origem. É um projeto com base em conceitos da viticultura integrada, sustentável e dirigida, mediante o cuidado do vinhedo, contando com o mínimo de intervenção, sem perder a perspectiva do cultivo, cujo objetivo é preservar o equilíbrio do vinhedo, e valorizar o vinho através dele, convivendo com a flora e a fauna de seu entorno, e evitando a utilização de elementos químicos como herbicidas, inseticidas ou adubos inorgânicos. Nada melhor que esta seleção para ver do que são capazes esses rapazes. Esta Seleção Mensal é fruto de um grande trabalho por parte do clube, para apresentar esta caixa mista imprescindível na bodega de todo consumidor que queira apreciar o caráter das latitudes, dos solos e das variedades, de mãos dadas com um enólogo que é capaz de interpretar, com precisão e talento, o terroir. NEUQUÉN (PATAGÔNIA) A viticultura e a produção de vinhos na província de Neuquén concentraram-se nas redondezas de San Patricio del Chañar e na localidade de Añelo. Com solos de excelente qualidade para o desenvolvimento do vinhedo - arenosos e pedregosos na maioria - uma amplitude térmica superior aos 20ºC e um regime de chuvas escasso, Neuquén tem um grande potencial para a elaboração de grandes vinhos. Mesmo sendo uma região recém-chegada ao panorama vitivinícola, certamente dará o que falar nos próximos anos. O que a faz tão especial? Seus solos extraordinários, junto com o clima frio, aportam um excelente nível de acidez e os ventos constantes favorecem a saúde dos vinhedos. Uma região para ser explorada, de onde serão obtidos vinhos orgânicos de alta qualidade. Manos Negras localizou um vinhedo que correspondia a seus objetivos, para obter o que necessitava para elaborar um elegante Pinot Noir. A cor vermelha característica dos solos onde se cultiva a uva para a elaboração do Manos Negras Red Soil Select Pinot Noir, é a origem do nome e do caráter deste vinho. À beira de um afluente do rio Neuquén, um solo pobre em matéria orgânica faz com que seus vinhedos tenham uma baixa produção, junto com o alto conteúdo de minerais e ferro que dão essa cor característica. Esta é a base para a excepcional complexidade do Pinot Noir que apresentamos nesta caixa mista. ALTAMIRA, VALE DE UCO - MENDOZA Altamira encontra-se no Vale de Uco e, nesta importante região vitivinícola, encontram-se algumas das subregiões mais importantes de Mendoza, como Tupungato, La Consulta, San Carlos, Tunuyán e Vista Flores. Famoso por seus vinhedos de grande altitude e clima frio, o Vale de Uco encontra-se no sopé dos Andes, a uns 60 quilômetros ao sul da cidade de Mendoza. Esta zona excepcional é percorrida por muitos riachos de águas procedentes do degelo, que regam estas terras até se unirem ao rio Tunuyán. Seus vinhedos, situados a uma altitude média acima dos metros sobre o nível do mar, beneficiam-se de um clima extremo, que coloca a prova o cultivo, em condições muitas vezes dramáticas, que favorecem seu desenvolvimento e, consequentemente, a maturação da uva. Dentro do Vale de Uco, é a zona de Altamira que começa a ser uma referência em Mendoza. Seus solos são um autêntico mosaico de texturas e minerais. É surpreendente a diversidade que podemos encontrar em seus vinhedos, onde solos arenosos, com limo e pedregosos podem estar juntos. Manos Negras Stone Soil Select Malbec surge desses solos mistos com alto conteúdo de pedras superficiais, as quais dão nome ao vinho. São solos pobres em matéria orgânica, porém, com grande diversidade de minerais que, unidos ao clima de Mendoza, resultam em uma concentração de aromas e sabores de grande caráter para este Malbec. 8 9

6 seleção Mensal seleção Mensal ficha técnica ficha técnica Manos Negras Stone Soil Select Malbec 2012 Mendoza Argentina País: Argentina Região: Mendoza Indicação Geográfica: Altamira, Vale de Uco Uvas: 100% Malbec Produtor: Manos Negras O vinho: a uva é vindimada a mão em pequenas caixas que não ultrapassam os 15 kg, para posteriormente ser trasladada à bodega. Após uma cuidadosa seleção para evitar restos vegetais, a uva é introduzida nos depósitos de aço inoxidável, onde é resfriada a 8 C para manterse, durante pelo menos seis dias, em contato com suas cascas, sem iniciar a fermentação e, assim, melhorar sua extração de aromas e polifenóis. Após a maceração pré-fermentativa a frio, inicia-se a fermentação alcoólica, que dura aproximadamente dez dias, quando realizam-se bombeamentos diários e vários delestage. Finalizada a fermentação alcoólica, prensase e se transfere a uva para os barris de carvalho, onde continua a fermentação malolática, após a qual o vinho passará para sua crianza em carvalho. Esta realiza-se em barris de carvalho francês (20% novos) de 225 litros. Após a crianza, realiza-se a mistura dos diferentes barris e se realiza o afinamento anterior ao engarrafamento. Cata: violeta intenso e profundo. Muito expressivo no nariz onde se destacam os aromas de frutas vermelhas, rico em aromas de madeira torrada e um final intenso de especiarias. Trata-se de um vinho fresco na boca, com boa acidez e nítidas notas de fruta, com a presença de taninos redondos, porém firmes e que contribuem para uma boa estrutura sem protagonismo. Equilibrado, longo e com excelente retrogosto. Harmonização: boa acidez e boa estrutura. O fácil seria uma carne para desfrutar deste vinho, mas também podemos experimentar e combiná-lo com um prato de peixe um pouco mais contundente, como uma moqueca de corvina e camarão. Serviço: degustar entre os 16 e os 17ºC. Não é necessária a decantação ou oxigenação prévia ao consumo. Conservação: para consumir agora, mesmo que seja esperado um desenvolvimento positivo na garrafa pelos próximos meses, por isso, recomendamos um pouco de paciência para desfrutar plenamente de seus matizes. Estima-se um consumo ótimo dentro dos próximos quatro anos (2015 a 2019). Preparem-se para desfrutar desta excelente seleção de dois vinhos espetaculares de uma das bodegas revelação da Argentina Manos Negras. De mãos dadas com seu colossal enólogo Alexandre Sejanovich considerado um dos melhores enólogos argentinos, capaz de interpretar o terroir dos vinhedos argentinos como poucos. Dois vinhos amplamente reconhecidos pelas grandes publicações como Decanter, The Wine Advocate e a Wine & Spirits entre outras. Manos Negras Red Soil Select Pinot Noir 2013 Neuquén, Patagônia Argentina País: Argentina Região: Patagônia Indicação Geográfica: Neuquén Uvas: 100% Pinot Noir Produtor: Manos Negras O vinho: procedente de vinhedos situados no distrito de Añelo, a uma altitude de metros sobre o nível do mar. A uva é vindimada manualmente em pequenas caixas, que não superam os 15 kg, para posteriormente ser trasladada à bodega em perfeitas condições. Uma separação cuidadosa evita restos vegetais procedentes dos cabos e a uva é introduzida em depósitos de aço inoxidável, onde é refrigerada a 8ºC para manter-se, durante pelo menos 2 dias, em contato com suas cascas, e iniciar a fermentação, melhorando, assim, a extração de seus aromas. Após a maceração préfermentativa a frio, inicia-se a fermentação alcoólica, a uma temperatura nunca superior a 22ºC, que permitirá manter os aromas frutados, tão característicos deste vinho. São realizados bombeamentos diários para favorecer a fermentação das leveduras indígenas e melhorar a extração dos aromas e dos polifenóis. Finalizada a fermentação alcoólica, é prensada e trasladada para os barris de carvalho, onde continua a fermentação malolática, que dará lugar ao envelhecimento. A crianza realiza-se em barris (20% novos) de carvalho francês de 225 litros. Após esta etapa, realiza-se a mistura dos diferentes barris e se realiza o afinamento anterior ao engarrafamento. A cata: é um característico Pinot Noir aberto de cor. Nariz de grande amplitude aromática, que vai desde as notas de morango maduro, florais e marcadas notas pedernais, passando por especiarias e sutis lembranças de madeira. Sua entrada na boca é fresca e tem um bom centro, que aporta fluidez e convida a beber, acompanhando notas frutais e torrados elegantes. Harmonização: quando abrir uma garrafa, já coloque a segunda para refrescar, porque com certeza a primeira vai durar pouco. A finura, elegância e frescura deste vinho são perfeitas para saladas, arroz e peixes na brasa, mas também podemos surpreender nossos convidados com um carré de porco com bananas. Serviço: lembre-se que este varietal normalmente costuma ser elegante e, ao mesmo tempo, delicado, por isso recomendamos que seja degustado a uma temperatura entre os 15 e os 17ºC. Não é necessária decantação nem abertura prévia ao consumo. Guarda: para consumir já, a fim de desfrutar plenamente dos aromas primários (frutados). Estima-se um consumo ótimo nos próximos dois anos (2015 a 2017)

7 Receita 1, 2 e 3 Creme de Texto: João Belezia Fotos: Elayne Massaini ervilhas com camarões Rendimento: 5 porções INGREDIENTES 500 g de ervilhas frescas 200 g de camarões já cozidos no vapor 50 g de manteiga Curry a gosto Fatias de gengibre a gosto Sal e pimenta-do-reino moída na hora PREPARO Em uma frigideira, derreta a manteiga e misture o curry; Adicione os camarões e tempere com sal e pimenta. Reserve aquecido; Em uma panela, coloque as ervilhas com o gengibre e cubra com água ou caldo caseiro; Cozinhe até ficar macia; Bata em um liquidificador e volte para a panela, para aquecer e temperar com sal e pimenta; Disponha o creme em pratos fundos com alguns camarões no meio e um pouco da manteiga temperada ao redor; Sirva em seguida. 13

8 Na cozinha tem história Texto: Fábio Angelini Fotos: banco de imagens Ralador A cena é conhecida: chega para o almoço dominical aquela travessa dos tempos da nonna, o espaguete fumegando, imerso no espesso molho de tomate, folhinhas de manjericão aqui e ali. Então, o toque final: salpicar sobre a massa o parmesão com queijo de cabra ralado. Ecco! Tudo pronto, ao belprazer dos convivas. Sabe-se que a maioria dos registros históricos aponta o macarrão como originário da China. Quanto ao queijo, diz a lenda que surgiu possivelmente pelas mãos de mercadores árabes. Mas e o ralador, de onde veio? Há evidências de que os gregos utilizavam um tipo de ralador em 400 a.c., segundo os manuscritos do dramaturgo Aristófanes. As tumbas etruscas de Cerveteri, próximas à Roma, apresentam relevos do objeto datados da mesma época. Mas as pistas mais antigas vêm da atual Gana, onde raladores de mármore dolomítico faziam parte das técnicas agrícolas da cultura kintampo anos atrás. Temos ainda criativos representantes no Novo Mundo. Entre os povos do Xingu, a mandioca-brava ganhou raladores de tábua côncava incrustados com pedras de quartzo. Outras tribos empregavam simplesmente rochas ásperas com superfície irregular ou partes de árvores munidas de espinhos, caso da raiz aérea da palmeira paxiúba. Até mesmo a língua do pirarucu virou ralador de guaraná. Embora tais aparatos cumpram bem a função, são rudimentares. O salto veio na década de 1540, quando François Boullier concebeu um ralador de queijo mais similar aos de hoje, feito de estanho. Curioso é o contexto que catalisou a invenção: como naqueles dias pré-iluministas o consumo de carne era desencorajado, adveio o crescimento dos rebanhos leiteiros e a oferta de queijo atingiu níveis estratosféricos. Uma coisa levou à outra, o superávit levou ao ralador. Outro mérito de Boullier foi transformar o queijo duro em ingrediente culinário comercializável, ralado, que logo ganhou adeptos. No entanto, a alegria durou pouco: a partir de 1555, um longo período de estiagem assolou a Europa, os estoques de leite despencaram, o preço inflacionou, e tanto ralador quanto queijo ralado foram lançados às trevas por anos sem fim. Claro que o alimento retornou às mesas, mas o ralador, só entre a elite. Outro nome que entrou para a história do acessório e contribuiu para resgatar sua popularidade foi Jeffrey Taylor, queijeiro da Filadélfia. Era tempo de vacas magras, a Grande Depressão. E foi justamente ela que motivou o empreendedor a reinventar o ralador, usando um ralo de metal de chuveiro com buracos mais afiados. Na prática, os queijos assim ralados não apenas deixavam as refeições visualmente mais apetitosas, elas pareciam ter mais ingredientes, rendiam mais. Era tudo o que as donas de casa da época queriam: fazer a comida parecer maior (greater, em inglês). É por isso que o ralador tornou-se grater assim mesmo, sem o e para todos os povos de língua inglesa. Queijos e crises à parte, estava aberto o caminho. Em breve, legumes, condimentos, chocolates, nozes, tubérculos e raízes entraram na relação da ralação para refinar e decorar uma enormidade de receitas. Faz um bom tempo que o ralador mais usado no mundo é o tipo multiúso, aquela caixa de inox com quatro faces e orifícios de diferentes dimensões, os menores para cascas de frutas e noz-moscada, um para queijos, outro para se obter filetes e um último para cortes em rodelas. Instrumento primordial também para os fãs das massas, que não abrem mão do queijo ralado grosso sobre as pizzas, do médio para lasanhas e do fininho nas macarronadas. É inseparável da culinária eslava, pródiga em pratos à base de batata, e imprescindível no preparo do Gajar ka Halwa, sobremesa indiana de doce de cenoura com especiarias e bolinhas de leite fritas. 15

9 A palavra na ponta da língua Texto: Fabio Angelini Fotos: banco de imagens Mais do que trazer até você um breve dicionário gastronômico, de fácil digestão e apreciação, a intenção desta coluna é colocar em pratos limpos os significados e histórias de palavras e expressões vinculadas à arte culinária. O ralador se aperfeiçoou e acompanhou a evolução das técnicas gastronômicas, das tradições locais e da modernidade. Surgiram os chamados zesters e os microplanes, com centenas de cortes finos raladores especializados que liberam milimétricas ondas aromáticas, através das raspas de canela e de cascas cítricas de limão e laranja, principalmente, conferindo nuances que enriquecem doces, martinis e expressos. Os mais avançados, hoje, são denominados raladores de tambor, onde o tambor é que faz todo o trabalho. No Japão, as honras ficam por conta do oroshigane, aparato de cerâmica envernizada e corte aguçado, essencial para fazer a suculenta polpa de daikon, gengibre e alho. E há raladores elétricos, recomendados para quem tem artrite nas mãos ou montanhas de queijos para ralar frequentemente. Alguns têm grandes manivelas, outros são pequenininhos e individuais, para caber em qualquer canto da mesa. Até mesmo um ralador de mandioca acionado por pedal de bicicleta existe: ele foi apresentado no Concurso do Inventor Rural da Agrifam Há modelos de vidro mais higiênicos e fáceis de limpar, próprios para os purezinhos de maçãs e peras dos bebês. Para limpar um ralador, aliás, é preciso ralar muito. Além de machucar os dedos, acaba com as esponjas da cozinha. Como evitar isso? Rale uma batata. O ácido oxálico nela presente ajuda a eliminar os resíduos com eficiência e previne a oxidação do metal. Independente das dificuldades, não abandone o ralador, pois algumas refeições merecem, antes de tudo, degustação com os olhos. A salada mais trivial adquire ares profissionais com um pouco de cenoura e beterraba raladas. As raspas de chocolate meio amargo sobre o cappuccino tornam-no superior. A cebola ralada doura mais fácil e não agride o paladar dos sensíveis. A varredura perfeita do queijo ralado sobre a massa faz toda a diferença. A propósito, se queijo e vinho nasceram um para o outro, pode-se dizer o mesmo do queijo e ralador. Assim também pensam os produtores de laticínios de Montreal. Para estimular o consumo de queijo, transformaram um outdoor num imenso ralador. Na placa lia-se: All you need is cheese. Gourmet, gourmand, ou o quê? Consideradas sinônimas até o século XVIII, as palavras gourmet e gourmand são ainda objeto de controvérsia. Embora claramente diferenciadas nos dias atuais, há sutilezas de significado envolvidas que deixam até os mais entendidos em cima do muro. O termo gourmet é derivado de groumet e quer dizer servidor de vinho, em francês arcaico. Restringe-se, portanto, aos admiradores da boa bebida. Já na língua moderna, gourmand refere-se ao apreciador da alta gastronomia. Essa é uma visão corrente, principalmente entre os europeus, e defendida pelo químico Hervé This, pai da gastronomia molecular. O sentido mais conhecido e difundido, no entanto, é outro. Gourmet é aquele que adora comida e bebida, aprecia seu refinamento, faz pesquisas e críticas, adora descobrir sabores novos, é curioso, informado, lê, escreve e entende bastante da matéria. Tem tanto prazer em falar de pratos, receitas e safras, quanto em consumir. Gourmand é simplesmente quem gosta de comer e beber bem, muitas vezes importando-se mais com a quantidade do que com a qualidade. A expressão que mais se popularizou e que ouvimos a todo momento é gourmet, em detrimento de gourmand. Isso aconteceu, possivelmente, por causa dos americanos e seu suposto preconceito puritano em utilizarem o vocábulo gourmand, cuja tradução no inglês é gula, pecado capital. Gourmet ou gourmand, gostoso mesmo é comer bem e sem culpa

10 Entrevista Texto: Ana Caldeira Fotos: divulgação Julice Vaz Expert em panificação e adepta da elaboração artesanal do produto mais antigo do mundo, Julice Vaz resolveu largar a vida de professora e abrir, em 2011, a Julice Boulangère, no agitado bairro da Vila Madalena, em São Paulo. Queria um lugar com um fluxo grande de pessoas, mas de pessoas que entendessem o meu conceito de pão, diz ela, que atualmente fabrica 180 variedades. Para chegar à qualidade desejada, Julice fez cursos nos Estados Unidos, na França e na Alemanha, além de trabalhar em padarias estrangeiras, como a que fornecia produtos ao Pentágono e à Casa Branca americanos. Nosso pão demora três dias pra ficar pronto. Esse produto é incomparável com o produto industrial, em consistência, crocância, aroma, sabor e mesmo em termos de saúde, diz ela, que pretende em breve expandir a marca. Há muitos bairros em São Paulo que aceitariam bem uma padaria artesanal, explica. A seguir, um bate-papo com Julice Vaz

11 Como você concebeu seu produto? O que o pão significa para você? É o alimento mais sagrado e simbólico que existe, porque é um alimento que se compartilha, que une as pessoas. É também o alimento mais primitivo, mais antigo, não tal e qual o conhecemos hoje. Mas, embora ele tenha passado por várias mudanças, principalmente em seus aspectos organolépticos, ele é o mesmo produto, é a mesma base. E pode ser muito enriquecido, como os brioches, os panetones, os croissants. Mas se você tiver farinha, água e sal - nem fermento precisa - você o faz. Se não tiver forno, assase o pão na brasa. Ele está lá para todos os tempos e para qualquer ocasião. Como você foi parar na gastronomia? Eu sou da área de educação, dei aulas desde os 16 anos. Uma hora, achei que já tinha dado minha contribuição e decidi tirar um ano sabático, em Pensei em fazer várias coisas que eu gostava, mas não tinha tempo. Minha mãe nunca trabalhou, cuidava da família e da casa. E ela cozinhava muito, especialmente doces e pães. Daí, pensei em fazer alguns cursos rápidos de cozinha. Achei um curso de técnica em panificação e confeitaria. Coincidentemente, havia uma reforma em casa e fiz uma cozinha industrial na edícula. Comprei os equipamentos, como forno e masseira, e comecei a fazer pães. Passei a ler muito, especialmente livros estrangeiros. Comecei a ler e a fazer pães, e dava para os vizinhos. Como nasceu a Julice Boulangère? Depois de alguns meses dando pães aos vizinhos, resolvi vendê-los. Contratei uma agência para fazer a marca e, ainda trabalhando em casa, desenvolvi uma linha de produtos 4 biscoitos, 4 geleias e 6 pães. Montei em caixinhas e comecei a fornecer para alguns lugares em São Paulo Casa Santa Luzia, Empório Santa Maria, Saint Marché, Empório Chiapetta além de lojas no Rio de Janeiro. Tudo isso com apenas um funcionário. Fiz vendas por atacado por um ano. Depois, vi que o negócio não ia dar certo era um trabalho infinito e um retorno muito pequeno, porque é um mercado com players muito grandes. O que significa um pão sem conservantes num mercado em que há grandes como a Wickbold? Mas foi uma experiência interessante, aprendi muito. Decidi então montar um ponto para vender ao consumidor final. A Julice abriu em fevereiro em Como você concebeu o espaço? Escolhi a casa da boulangère na Vila Madalena por alguns motivos. O primeiro deles é porque moro perto. Também queria um lugar com um fluxo grande de pessoas, mas de pessoas que entendessem o meu conceito de pão. As pessoas que moram por aqui são mais despojadas, e eu achava que entenderiam a questão da qualidade e que eram preocupadas com a saúde. A escolha foi muito acertada, porque a Vila Madalena tem tudo isso. Quando abri essa loja, ninguém acreditava nela. A padaria tradicional brasileira não vive de vender pão, ela vive de conveniência. Pão é um figurante na padaria tradicional. E eu queria uma loja que não vendesse nada, só pão. Fora disso, a nossa seção de conveniência é insignificante. No começo eu não queria mesas só umas poucas para um café, um doce. Mas quem decide é o seu cliente. E o meu cliente queria mesas. Ele queria tomar café, chá da tarde, vir ao almoço, comer um lanche, e precisamos dar o que ele espera. Passados seis meses do meu curso de panificação, comecei a fazer cursos nos Estados Unidos, na Suíça, na França e na Alemanha. Também trabalhei em várias padarias fora do Brasil. Quando fui fazer esses cursos no exterior, comecei a enxergar outros modelos de negócio. E, aí, comecei a conceber o que eu queria, um mercado de nicho, trabalhar com o artesanal. Como eu não era da área de negócios e não tinha experiência, fiz um MBA em gestão e vários cursos menores. Fiz um curso de empreendedorismo em Berkeley, um de liderança na Suíça, outro de atendimento, um no Sebrae para empreendedores e outro MBA em gestão de pessoas. Como é tocar uma padaria no Brasil? Há muito mercado para esse tipo de padaria artesanal. O meu pão demora três dias para ficar pronto primeiro preparo o fermento, que matura de 12 a 18 horas. Só no outro dia preparamos o pão, que será assado no terceiro dia. Esse produto é incomparável com o produto industrial, quer em termos de consistência do miolo e de crocância da casca, quanto em aroma, sabor e mesmo em termos de saúde. Mas não estou falando mal do produto industrial ou da padaria tradicional. Ambas têm valor, porque alimentam muita gente e é essa a nossa função, afinal. Apenas trabalho um outro conceito, que é caro e nem todos podem comprar. Quando digo que tem mercado para esse tipo de padaria artesanal, acho também que existe um impeditivo para o estabelecimento deste tipo de negócio, que é a situação econômica pela qual o país passa. Fazemos um caminhão de investimentos, o retorno é demorado, a mão de obra tem que ser treinada, pois não tem no mercado, e a situação do país não é favorável. Então, há espaço para padarias como esta em vários bairros. Mas abrir um espaço como esse não depende só de dinheiro, mas também de conhecimento técnico e dedicação. Se não se está na produção todos os dias, há uma pequena mudança de processo, e quando você percebe, o produto não é mais aquele. E conhecimento técnico demanda muito tempo

12 O gin do Mediterrâneo a apenas um clique. Como é uma padaria artesanal ideal? C Tem muitas padarias bacanas na Costa Oeste dos Estados Unidos. Lá, há todo um movimento de defesa do produto artesanal, muito diferente do resto do país. Trabalhei numa padaria em Washington, que fornecia para o Pentágono e para a Casa Branca, que tinha como pilar fundamental a qualidade do produto. Então, posso ter vários problemas, como em atendimento, mas o meu pão não pode ter problemas de qualidade. Por isso, eu passo na produção da Julice todos os dias. Quais são seus carros-chefes? As baguetes, os croissants e o pão de linhaça com castanhas. No início, eu vendia apenas seis pães, e este pão de linhaça era um deles. Hoje, são 180 tipos. Na loja, nunca temos os mesmos produtos: fazemos um rodízio semanal desses produtos, porque nunca tem espaço para tudo. Há pães mais para fim de semana, como os croissants, o pão de bacon e a focaccia de gorgonzola. Nesses dias, as pessoas se dão ao direito de comer coisas mais gordinhas ou de sair da dieta porque o pão mesmo não engorda: o que engorda são as geleias e a manteiga. Setenta por cento dos nossos pães não têm manteiga ou qualquer outra gordura têm farinha, água e fermento... já os pães de semana são muitos, geralmente da linha integral. O que você vende, além de pães? Servimos café da manhã na área das mesas, sopas e lanches. Antes, achei que teria só cafés. Mas meu cliente quer bebidas com café, coisas diferentes. Também temos pratos que são oferecidos a cada duas semanas. Esta semana, por exemplo, temos uma sopa de cebola e um pucchero. Quais são seus planos para o futuro? Penso agora na expansão da Julice, em ter outros pontos de venda em São Paulo. M Y CM MY CY CMY K SE BEBER, NÃO DIRIJA. 22 Compre online: Rua Beatriz, Vila Madalena - São Paulo / Tel:

13 Ingredientes Texto: Paula Mendonça Fotos: banco de imagens Feijão Maravilha Setenta por cento dos brasileiros consomem feijão diariamente. Um dos símbolos da culinária do país, o feijão nomeia uma grande variedade de sementes de plantas de alguns gêneros da família das Fabáceas. Ao contrário do que muitos pensam, o feijão não é um grão. Plantas como feijão, ervilha e amendoim não podem ser chamadas de cereais - portanto, suas sementes não são grãos. A razão é bem simples: eles não fazem parte da família das gramíneas e, sim, das leguminosas. O Brasil é o maior produtor mundial do ingrediente, originário das Américas. Por aqui podem ser encontrados aproximadamente 40 tipos desta leguminosa - mais do que suficientes para agradar a qualquer paladar: carioca, preto, branco, vermelho, fradinho, manteiga e por aí vai... E a procura não é pequena: o consumo do produto por pessoa chega, em média, a 17 quilos por ano. A combinação de arroz com feijão, ao lado da famosa mistura (tudo que entra no prato além destes dois ingredientes), reina absoluta em todo o país. Outra preferência nacional é a feijoada, uma mistura de feijões pretos com carnes de porco e de boi: já virou tradição comer feijoada nos finais de semana em São Paulo. Em Goiás (além de Minas Gerais e São Paulo) é comum o preparo do feijão tropeiro, que leva também farinha de mandioca, torresmo, linguiça, alho e cebola. É um prato criado pelos bandeirantes e tropeiros, que faziam o transporte de mercadorias em cavalos e burros. Cada região brasileira prefere uma variedade de feijão: o feijão preto é mais consumido na região Sul, no Rio de Janeiro, no sudeste de Minas Gerais e no sul do Espírito Santo; já o feijão carioca é aceito em praticamente todo o Brasil; na Bahia, o fradinho é a base do acarajé tradicional bolinho frito, feito com o feijão e servido com camarão seco; e o feijão caupi ou feijão-de-corda é o mais consumido nas regiões Norte e Nordeste, e recentemente vem sendo exportado para vários países. Enquanto no Brasil o feijão é utilizado em pratos salgados, em alguns lugares do mundo ele é usado no preparo de doces: em Portugal, por exemplo, usa-se o feijão branco misturado com amêndoas para fazer um delicioso doce; no Japão, o feijão azuki é a base do anko, um doce muito famoso; e no Vietnã, o doce de feijão é consumido até com sorvete de chá verde! No México, o segundo maior produtor do mundo de feijão, os frijoles (como eles são chamados por lá) estão, ao lado do milho, entre as culturas agrícolas mais importantes do país. São servidos frequentemente com um pouco do líquido do cozimento em purê ou fritos com óleo ou banha de porco. Aparecem também em molhos e sopas, como vagem. Da variedade de pratos mexicanos com feijão, um dos mais famosos é o frijoles borrachos, feito em várias regiões do país e que leva feijão (cuja variedade muda conforme a região) preparado com chile (como se chama a pimenta no México), tomate, cebola, alho, coentro, toucinho e cerveja. O feijão está entre as primeiras plantas domesticadas e cultivadas, há aproximadamente 10 mil anos. Estudos recentes, feitos a partir do genoma do Phaseolus vulgaris, o feijão comum, indicam que ele foi domesticado simultaneamente nos Andes e na Mesoamérica (provavelmente na área onde se situa o México). Em suas mais diversas variedades, é considerado um dos mais antigos alimentos utilizados pelo homem, tornando-se parte importante da dieta de várias civilizações

14 Objetos de desejo Texto: Paulo Samá Fotos: banco de imagens Refrigerador combinado Pininfarina As ruínas da antiga Tróia revelam evidências de que os feijões eram muito consumidos pelos guerreiros troianos. Na Roma antiga, os feijões eram utilizados não só na elaboração de sofisticados pratos para imperadores (existem registros de receitas com feijão no famoso livro de Marco Gávio Apício, De Re Coquinaria, do século I d.c.), mas também como moeda, em jogos de apostas. Algumas tribos indígenas da América do Norte consideravam o feijão como um dos três irmãos, responsáveis pela base de sua alimentação: feijão, milho e abóbora. Os budistas, na busca por uma dieta ideal sem carnes, encontraram no feijão um grande aliado para manter sua alimentação saudável. Na Grécia Clássica, o alimento era oferecido como um lanche em simpósios, quando os homens se reuniam para discutir política ou filosofar depois do jantar. A maioria dos historiadores atribui a disseminação dos feijões no mundo às guerras, uma vez que esse alimento era parte essencial da dieta dos guerreiros em marcha. Os grandes exploradores ajudaram a difundir o uso e o cultivo de feijão nas mais remotas regiões do planeta. No Brasil, o cultivo do feijoeiro (a planta do feijão) data de mais de 2 mil anos. Sementes de feijão escondidas em cavernas desse período são as mais fortes evidências disso. Mas as atividades de pesquisa com o feijão no país são recentes, pois começaram apenas na década de Nesse período, de acordo com o censo, a população brasileira teve um aumento significativo, mas o mesmo não ocorreu com a produção do feijão. E foi a escassez da leguminosa no mercado que despertou a atenção de pesquisadores, que procuraram, então, desenvolver variedades mais produtivas e técnicas que aumentassem mais rapidamente a sua produção. O feijoeiro é uma planta com raiz delicada, mas seus benefícios o tornam um alimento poderoso: proporciona nutrientes essenciais como proteínas, ferro, cálcio, vitaminas (principalmente do complexo B) e carboidratos. É também uma ótima fonte de fibras, o que contribui para baixar o colesterol e também impede que os níveis de açúcar no sangue subam muito rapidamente após uma refeição. Isso faz do feijão um alimento especialmente benéfico para os indivíduos com diabetes, resistência à insulina ou hipoglicemia. Quando combinado a cereais integrais como o arroz, o feijão fornece uma proteína de qualidade praticamente livre de gordura. Preto, fradinho, carioquinha. Doce ou salgado. Sozinho ou acompanhado. É só escolher e se deliciar com essa maravilha chamada feijão. Móveis e utensílios diferenciados, gadgets interessantes, um vinho raro, ingredientes exóticos... Sim, existem objetos de desejo também na cozinha, dos mais simples aos mais sofisticados, capazes de fazer gastrônomos, chefs, simpatizantes e até curiosos da arte de cozinhar sonharem acordados. Aqui nesta coluna, nossos associados terão a oportunidade de conhecer alguns objetos assim. Bemvindo à wishlist da Sociedade da Mesa. Nesta edição, conheça o refrigerador que vai incluir sua cozinha no badalado circuito da Fórmula 1. Com design do lendário estúdio Pininfarina, que desenha nada menos do que Ferraris, a marca eslovena Gorenje traz este refrigerador de 255 litros com visual clássico misturado a elementos modernos que resistem ao tempo, como o vidro polido e as cores preta ou prata. E isso é só começo. A máquina também conta com painel touch preto que, além das funções normais, grava e reproduz mensagens de voz, dá dicas de armazenamento de alimentos e ainda permite que você navegue por diversas receitas. O quick view é acionado através do painel de controle, iluminando o vidro preto, permitindo que se enxergue o interior do refrigerador como através de uma janela, decorada nas laterais por dois compartimentos especiais para cosméticos e medicamentos. E ainda tem muito mais features para deliciar os fãs da boa cozinha e das corridas. Você pode ter este verdadeiro Fórmula 1 na sua cozinha pelo preço médio de R$ ,00 Serviço: Refrigerador combinado Pininfarina, da Gorenje - cinza ou preto

15 Um prato no tempo Texto: Fábio Angelini Fotos: banco de imagens Bobotie de NELSON MANDELA A ciência diz que as chamadas memórias olfativas têm a tendência de serem mais intensas emocionalmente. Não fica atrás o paladar, igualmente responsável por evocar prazeres únicos, sensações poderosas e sabores jamais esquecidos. Imagine, então, 27 anos de cárcere, a maioria deles amargados na Robben Island, a 11 quilômetros da Cidade do Cabo. E imagine Nelson Mandela, personagem de obstinação e convicções pétreas, mas ainda assim feito de carne e osso. Um homem, portanto, que possivelmente se alimentava de tempos em tempos de lembranças de gostos, aromas e ingredientes, misturados ou isolados, mais especialmente aqueles entranhados na sua comida favorita, o bobotie. Quis o destino que o líder mais importante da África Negra na luta contra o apartheid, refundador da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz em 1993, tivesse uma predileção justamente pelo prato nacional do país, que ocupava sua mesa sempre que ele, presidente, retornava de uma viagem ao exterior. Clássico na gastronomia local, o bobotie é essencialmente uma torta de carne bem temperada. Não tão exótico quanto os típicos grilos fritos, mas com o sabor forte e complexo que caracteriza a culinária sul-africana, onde há pratos que combinam até 15 especiarias distintas, do anis ao curry, do gengibre ao cardamomo, onde as variações transitam entre o apimentado e o agridoce num grande banquete de influências multiétnicas. O cruzamento de tradições e nacionalidades era inevitável, já que a Rota Marítima do Cabo foi ponto de intersecção entre europeus, árabes, asiáticos e quem mais dobrasse o continente. E foi mais ou menos assim que nasceu o bobotie, importado no século XVII da receita indonésia conhecida como bobotok, uma iguaria de vegetais e carne cozidos com polpa e leite de coco dentro de folhas de bananeira. Tudo indica que ela chegou à África do Sul pelas mãos de mercadores holandeses da Companhia das Índias Orientais. Uma das principais lições que Mandela legou à humanidade é a resiliência não no mero sentido de resistência ou estoicismo, mas a capacidade de se adaptar após adversidades e desafios, e de evoluir a partir deles. O mesmo acabou ocorrendo com o bobotie, que foi moldado pela comunidade malaia de Cape Town ao tom sul-africano. A base do prato é geralmente carne de vaca ou cordeiro moída, coberta depois com uma mistura de leite e ovos que forma uma crosta após 40 minutos de forno. Lembra bem um escondidinho. O diferencial fica por conta dos elementos refogados à parte e que dão vida ao assado: pão, cebola, manteiga, passas, amêndoas, damascos, gengibre, suco de limão, noz-moscada, canela e curry. É comum servir junto arroz de açafrão. O paladar brasileiro pode torcer o nariz, achando que a lista não conversa nada com carne moída, mas a interação de doce, salgado, picante e crocante são a própria alma da receita e carregam muito da escola malaia. Claro, gosto não se discute, mas verdade é que o bobotie cruzou fronteiras e ganhou fãs habituais também no Quênia, Botswana e Zimbabwe. Pode-se ainda encontrar por aí aqueles que acham o prato trabalhoso demais, complicado demais. Neste caso, Madiba (apelido afetuoso dado à Nelson Mandela pelo seu povo) diria: Sempre parece impossível até que seja feito. Receita do Bobotie de Mandela Rendimento: 5 a 6 pessoas Grau de dificuldade: médio Ingredientes: 250 g de carne bovina moída; 250 g de carne suína moída; 50 g de manteiga; uma cebola média picada; 2 dentes de alho picados; 20 g de curry; 10 g de açafrãoda-terra; 5 g de cominho; noz-moscada a gosto; 5 cravos; 5 g de pimenta síria; 30 g de geleia de damasco; 20 ml de vinagre; um pão francês em cubos umedecidos em leite; um ovo grande; uma maçã cortada em cubos; 50 g de damasco fatiado; 50 g de uvas-passas brancas; sal e pimenta-do-reino preta. Ingredientes para a cobertura: 150 ml de leite; 2 ovos; sal, pimenta, açafrão a gosto; folhas de louro e amêndoas fatiadas. Preparo: Aqueça o forno a 180 C; em um pilão, misture as especiarias com o sal e moa bem; tempere a carne com esta mistura mais a geleia e reserve; em uma panela com a manteiga aquecida, doure a cebola e o alho; acrescente a carne e doure; coloque o vinagre e deixe evaporar; retire do fogo e resfrie por alguns minutos; acrescente o pão umedecido, a maçã, o damasco, as passas e o ovo. misture bem; disponha numa travessa refratária e reserve; faça a cobertura misturando o leite com os ovos mais os temperos; coloque sobre a carne e distribua as folhas de louro mais as amêndoas; leve ao forno por aproximadamente 40 minutos, até que doure; retire e sirva acompanhado de arroz com açafrão

16 Mas nosso ponto aqui é outro. Tratase de saborear música. Servi-la como aperitivo, acompanhamento, prato principal, sobremesa e, por que não, como um gostoso e quentinho café pósrefeição. Se até aqui você já identificou alguma sensação ou lembrou de algum sabor acompanhado de uma canção que aprecia, já começamos a atingir nosso objetivo: a música é sensorial, portanto deve ser saboreada junto a um bom prato, potencializando a memória do momento e também do sabor. Principalmente em ocasiões especiais. Almanaque Texto: Paulo Samá Fotos: banco de imagens Música para degustar A música é mágica. Mexe com os sentidos, com as emoções. Produz sorrisos tão facilmente quanto lágrimas. Não importa o estilo, acompanha momentos e nos traz à memória detalhes de acontecimentos, tanto quanto o aroma de um perfume. A música é universal. Se você conhece alguém que não gosta, conhece alguém amargo. BATUQUES, JAVALIS E OUTROS BICHOS Desde sempre, a fartura é vista como motivo de comemoração. É quase possível enxergar cenas de nossos antepassados das cavernas festejando o resultado de uma boa caçada, com algo muito aproximado do que hoje conhecemos como dança. Afinal, encontrar sustento para o clã era razão mais do que suficiente para comemorar. Além disso, sons guturais emitidos em uníssono e batidas ritmadas em pedras ou cascas de coco têm lá seu ritmo, concorda? MÚSICA E COMIDA CAMINHAM JUNTAS Indo mais adiante no tempo, celebre conquistas e saques com os bárbaros, visualize uma tribo festejando dádivas de algum deus, ao som de tambores rudimentares e cantos indecifráveis. Avance mais e espie uma festa de casamento de uma princesa qualquer - provavelmente arranjado para garfar um robusto dote -, com muita comida e dança, acompanhada pelas canções do menestrel da corte. Continue viajando no tempo e chegue aos jantares dançantes e aos populares cantores de churrascaria. Passe pelos bailes de debutantes e os de formatura, onde se degusta alegrias ao som de ritmos diversos... Música e comida caminham juntas. Mesmo quando a música não é, digamos, bem-vinda. Quem já leu as aventuras de Asterix, dos autores René Goscinny e Albert Uderzo, certamente lembra do final de absolutamente TODAS as histórias, onde festas regadas a vinho e muito javali assado acabam invariavelmente com o bardo Chatotorix amordaçado e pendurado a uma árvore, após encher a paciência dos truculentos gauleses que, com o perdão da expressão, querem mais é encher a pança em mais uma celebração de vitória frente aos neuróticos romanos

17 TEM ESTUDO CIENTÍFICO, SIM O trabalho Sinfonia de Sabores: Música e Comida em Concerto, realizado em 2012 na Universidade de Cabo Verde, aponta alguns dados interessantes. Som e gosto têm uma ligação especial, pois a música e a comida se apresentam juntas nos mais diversos momentos de nossas vidas, indo da sensação do soberbo ao repulsivo, apelando a nossos gostos e nossa sensibilidade, além de tocar nossos instintos básicos e de sobrevivência. É nesta ligação que muitos artistas inspiram-se e expressam, não apenas sentimentos como amor e desejo, mas também conotações étnicas, ambientais e até de classes, uma vez que a comida - e a fome - são tão universais quanto a música. O estudo cita, entre muitos outros, a Mensa Sonora de Heinrich Biber (1860) - não confundir com aquele Bieber, por favor -; Chicharrones de Compay Segundo (1977) e até o hip-hop All You Can Eat dos Fat Boys (1985), como canções que transformam em música atos como cozinhar, temperar, preparar, escolher ingredientes e, é claro, comer, tratando tudo como fatores fundamentais de influência entre indivíduos e seus grupos sociais e culturais. Talvez seja por causa desta relação tão íntima, que encontramos culturas onde a relação comer-cantar-dançar seja mais profunda; outras onde é simplesmente inconcebível o ato de se alimentar sem um fundo musical e outras - o que é ainda mais curioso - que relacionam a insuficiência de comida à música. Neste caso, a música é criada para ser comida, segundo o estudo. MÚSICA, COMIDA E METÁFORAS A música relacionada à comida pode ser entendida como receita para muita coisa que vai além da culinária. Os exemplos, metafóricos e literais, dariam para escrever uma revista inteira. São infindáveis e vão do histórico ao clássico, passando por vários estilos. Que tal a maravilhosa Feijoada Completa, de Chico Buarque, para acompanhar, obviamente, o mais brasileiro dos pratos, ao som do refrão Salta a cerveja estupidamente / gelada para um batalhão / E vamos botar água no feijão? Se você prefere um sabor mais picante, que remete ao amor quente da Bahia, coloque na sua playlist alimentar o que tem No Tabuleiro da Baiana, na memorável e imortal interpretação de Carmen Miranda e Luiz Barbosa. Já no campo do rock, quem nunca degustou Brown Sugar, dos Rolling Stones? Apesar de controversa por sua alusão metafórica à Canabis sativa, a música fala do açúcar mascavo, tido como mais saudável do que o refinado. Outro exemplo é Cherry Pie, da banda de hard rock Warrant que, em uma letra repleta de duplo sentido, compara uma garota a uma torta de cereja. OH, SUGAR, SUGAR... OH, HONEY, HONEY Voltando ao lado mais brasileiro e regionalista, vale também citar os maranhenses Wellington Reis e José Ignácio, e a dupla mineira Célia e Celma. Os primeiros gravaram um CD musicando receitas maranhenses. Graças a eles, Arroz de mariscos no Lelê e Peixe frito no samba, entre outros pratos, agora são hits na mesa e nas rádios. Já as moças de Minas fizeram a mesma coisa, mas com um plus: lançaram o CD acompanhado de um livro de receitas. Experimente e ouça Língua com molho e tire suas conclusões. A OCASIÃO FAZ A CANÇÃO. OU SERÁ O CONTRÁRIO? Letras à parte, os ritmos e escolas musicais também têm suas combinações gastronômicas, ditadas pela prática, pelo tempo e pelo bom senso (ou falta dele). Para um primeiro encontro, por exemplo, por que não preparar um jantar à luz de velas com música romântica? A voz doce de Marvin Gaye em Sexual Healing pode dizer muita coisa, inclusive acompanhando uma sobremesa com morangos e chantili. Doce, afinal de contas, tem tudo a ver com com amor e com música. Que o digam também The Archies - Oh, sugar, sugar... Oh, honey, honey... You are my candy girl. Por outro lado, dependendo da parceira (o), a música clássica ou uma boa coletânea de canções da MPB podem dar o recado. Sendo um pouco mais radical, algo mais pop também pode criar um clima. Só não coloque tudo a perder com um batidão. Almoço em família, churrasco, recepção, coquetel, tudo pede música. E nem precisa ser um ritmo específico. Basta ser algo que agrade os ouvidos e sirva como um bom fundo musical para o ruído dos talheres e o tilintar dos copos e taças. O grupo reunido é quem manda. Tem coisa mais gostosa do que uma tarantella acompanhando a macarronada de domingo? Ou uma trilha sonora árabe ou libanesa como aperitivo junto a um tabule, um homus ou gostosos charutinhos de folha de uva ou de repolho? E que tal um jazz ou soft blues como fundo musical para aquela sua recepção elegante? Hamburguer, combina com rock and roll retrô? Pode ser. Se sim, prepare seu topete e o rebolado. E um sambinha enquanto você assa uma carne no sábado à tarde? O som pode ser na caixa de som ou na caixa de fósforos, de acordo com o ânimo da rapaziada. A verdade é que, sofisticada, elegante ou despojada, boa comida sempre vai bem com boa música. Escolha a combinação que mais gosta e coma com os ouvidos. BONITO, LINDO E JOIADO A culinária brasileira exótica e inusitada também tem seu representante na música. Rei Contemporâneo do Brega, o célebre arquiteto-cantor Falcão é um gastrônomo diletante e de paladar peculiar, como mostra parte da letra de seu megahit A Cura da Homeopatia pelo Processo Macrobiótico : Panelada, buchada / Sarrabulho, tripa de porco / Fuçura, linguiça, rabada, miúdo / Bife, passarinha, mocotó, carne de lata / Chouriço, tutano, sarapatel, mão de vaca / Hoje eu estou mudado / Bonito, lindo e joiado / Alegre, gordo e corado / Pareço um artista (...) 32 33

18 Momentos # meu momento Sociedade da Ceviche de camarão by Chef #meumomentosociedadedamesa Bons vinhos, bons pratos e boas companhias proporcionam momentos especiais, que chamamos de Momentos Sociedade da Mesa. Você, com certeza tem muitos deles. Compartilhe conosco. Seu momento pode ser selecionado e aparecer nesta Tomando um vinho da seleção Obras Primas com as best Saudades! Sociedade da Mesa clube de Muito bom!!! Kleber dos Santos: Família no momento Sociedade da #meumomentosociedadedamesa Compartilhe seu Momento Sociedade da Mesa conosco. Poste no Instagram suas fotos que traduzam melhor este momento com a #meumomentosociedadedamesa e marque nosso perfil #sociedadedamesa. As fotos escolhidas por nossa equipe serão publicadas aqui na nossa revista

19 Canteiro Texto: Érica Ochoa Fotos: banco de imagens Fresco é fresco, não é? Nada se compara a um produto fresco, que acabou de ser colhido, ou pescado, ou assado, ou frito... A tecnologia e a criatividade dos professores pardais são grandes aliadas na nossa vida, no nosso dia a dia. Tudo é feito e pensado para facilitar a vida e agilizar o processo. No entanto, nada como a simplicidade de um galho verdinho de alecrim recém-colhido da planta para dar mais sabor e aroma a qualquer criação culinária. O mesmo vale para o manjericão, salsinha, louro, coentro... E assim eu lanço o desafio: por que não pegar algumas folhas frescas de ervas para enriquecer ainda mais o seu prato? Nos capítulos anteriores, já vimos como é simples ter um vaso em casa e cultivar algumas plantas. Agora está na hora de colocar a mão na massa e aproveitar. O cardápio de ervas é enorme. Algumas sugestões para você cultivar em casa: Manjericão: folhas brilhantes e muito aromáticas. Pode ser usado em sopas, molhos, saladas, com todos os tipos de carnes, pizza e pães, sem esquecer que ele é o protagonista do famoso molho pesto. Existem muitas variações, entre elas o manjericão roxo. Encontre aquele que você gosta mais e cultive em um vasinho próximo à janela. Coentro: muito usado para temperar peixes e frutos do mar. Suas folhas lembram a salsinha, mas seu sabor é bem particular. No norte do Brasil o coentro está presente em quase todos os pratos. Um acompanhamento que adoro fazer é o guacamole, uma pasta mexicana à base de abacate, com tomate e cebola picados e temperado com sal, pimenta, suco de limão e coentro. Dill (endro): um sabor que lembra o anis e combina muito bem com peixes e carnes em geral. Saladas ricas e variadas também aceitam muito bem esta erva. Uma dica para seu sanduíche de queijo tradicional é cortar finas fatias de pepino e salpicar um pouco de dill. Erva-doce: folhas levemente adocicadas. As folhas podem ser usadas como temperos em geral, e o talo fica muito bom cru em saladas ou refogado com outros legumes para acompanhamento. Acompanha bem o salmão. Hortelã: folhas frescas de hortelã perfumam ainda mais deliciosos chás e bebidas. A hortelã pode ser usada como molho, picando-se algumas folhas e misturando com iogurte natural ou coalhada. Uma dica para quando você servir cordeiro é salpicar algumas folhas de hortelã sobre a carne antes de assar. Vale tentar. Sálvia: a folha é bem característica, com uma textura aveludada. Acompanha muito bem aves, omeletes e queijos em geral. Experimente picar algumas folhas de sálvia e misturar com manteiga em temperatura ambiente. Isso facilitará na hora de temperar o frango ou porco, antes de levar ao forno. Tomilho: excelente para temperar carnes bovinas, cordeiro e porco, além de enriquecer sopas, ensopados e arroz. Experimente esfregar as folhas frescas do tomilho na carne antes de cozinhar. Isso irá aromatizar ainda mais o seu prato. Alecrim: as folhas são finas como agulhas. Muitas vezes não precisamos nem retirá-las do galho, colocando tudo na mesma assadeira com batatas, dentes de alho e um pouco de azeite. O alecrim é um ótimo tempero para carnes de porco, cordeiro e aves em geral, além de ser um ótimo coadjuvante para pães e massas. Orégano: conhecido por ser muito usado em pizzas. Só de encostar em um ramo de orégano fresco, o aroma sobe e faz a gente viajar em pratos da culinária italiana. Também pode ser usado em molhos de tomate, vegetais refogados e em carnes. Louro: o loureiro é uma árvore que pode chegar a mais de dez metros de altura, mas não se assuste, você pode, sim, ter um pé de louro dentro de casa. Você vai precisar de um vaso grande, boa incidência de luz solar, solo fértil, uma boa drenagem e regas e adubações constantes. Um loureiro em vaso não ultrapassa dois metros de altura. No entanto, a cada 2 a 3 anos, ele precisa ser replantado em terra nova e ter suas raízes cuidadosamente aparadas. É uma árvore decorativa, além de muito útil na cozinha. Quando seco, seu sabor fica mais acentuado. O louro é muito usado no preparo de feijão, molhos de tomate e sopas. Uma dica para não chatear suas visitas: retire as folhas de louro antes de servir! Não podemos esquecer da salsinha e da cebolinha, claro! Mas essas já tiveram um capítulo à parte e você já deve saber. Experimente diminuir o sal e caprichar nas ervas. Combinar ervas e aromas também vale. O que não pode é ter medo. Um bom exemplo é o famoso bouquet garni, uma combinação de ervas usadas no preparo de certos pratos e que são retiradas no final do cozimento para não ficarem vestígios dos temperos. Seu objetivo é aromatizar o prato. O tradicional bouquet garni é feito com 8 a 10 ramos de salsinha, 2 ramos de tomilho e 1 folha de louro. Amarre tudo junto com um barbante culinário e coloque no preparo de molhos e caldos. Deixe o barbante comprido e para fora da panela, assim fica mais fácil na hora de retirá-lo. Dica de quem sabe Texto: Priscila Urbano Batatas sequinhas A batata é um dos alimentos mais versáteis da gastronomia. Além de ser fácil de encontrar, tem ótimo custo/benefício e pode ser preparada de diferentes formas: assada, frita, salteada, recheada, no vapor, empanada, fervida... Rica em amido e carboidratos, a batata pode ser incluída diariamente no cardápio, pois é considerada fonte de vitamina C, ferro e potássio. Ao escolher, dê preferência às batatas rígidas e pesadas. Evite aquelas com aspectos esverdeados, de cascas manchadas, moles ou com brotos. Tudo isso indica menor durabilidade e qualidade nutritiva. Já no caso da batatadoce, procure sempre as mais compridas, de diâmetro em torno de 5 cm. Escolha as de casca lisa e cor clara, geralmente rosa ou branca. Em casa, guarde as batatas em lugares frescos e arejados, na temperatura ambiente. Para cozinhar batatas com casca, lembre-se de adicionar duas ou três folhas de couve na água. Assim, a panela não ficará escura, facilitando seu trabalho na hora de lavar. Se forem grandes, faça furos na superfície com um garfo. Esse procedimento garantirá o cozimento por igual. Para fritá-las e mantê-las sequinhas, depois de cortadas, coloque-as em água fervendo por alguns minutos e, em seguida, lave-as em água e gelo. Escorra bem e frite em óleo. Escorra novamente e seque-as no papel toalha. Sua batata frita ficará ótima. Sigo até hoje uma dica de uma chef peruana: ao cozinhar batatas-doces, adicione à água um pedaço de canela em pau e uma pequena porção de açúcar refinado ou demerara. Tal procedimento atenuará o doce da batata e intensificará seu sabor. Agora, se você descascou um monte de batatas e não teve tempo de cozinhar, basta deixá-las numa vasilha coberta com água e adicionar vinagre. Em seguida, tampe e armazene na geladeira. No dia seguinte, sua batata estará semelhante àquela descascada na hora

20 Drinks Gin Fizz a efervescência da Bourbon Street Jazzista e carnavalesca, Nova Orleans é berço do mais famoso coquetel longo da América sinônimo de borbulhas, soul music e festa! Texto: Rick Anson Fotos: banco de imagens Os coquetéis de trago curto são os verdadeiros representantes da mixologia norte-americana. Referimo-nos aos notórios Dry Martinis, Manhattans, Old Fashioneds, entre tantos outros. Mas se pensarmos nos clássicos long drinks, a América possui alguns ícones, mas nenhum tão marcante como o mundialmente conhecido Gin Fizz. Mais do que um grande clássico, o Gin Fizz foi o primeiro coquetel da família Fizz. Para elucidar, todos os coquetéis desta espécie obrigatoriamente devem conter água com gás ou Club Soda, um efervescente ingrediente que é composto de água com gás e bicarbonato de sódio. Nova Orleans possui um coquetel que, no universo do vinho, pode ser metaforicamente intitulado de autóctone, ou melhor, servido com maestria somente na cidade do jazz. Estamos nos referindo ao Hurricane. Contudo, no ano de 1888, Henry C. Ramos, que era dono do Imperial Cabinet Saloon, criou uma bebida chamada Ramos Gin Fizz. Conhecido também como New Orleans Fizz, à época misturava-se gin, clara de ovo, creme de leite, suco de limão, açúcar, água de flor de laranja e um lance de água gaseificada dando seu toque frisante. De fato era uma bebida muito apreciada e vendida, mas possuía um defeito. Para conseguir unir a clara de ovo, o creme de leite e o resto dos ingredientes formando uma espuma estável, tinha que ser batido rigorosamente em torno de 5 minutos na coqueteleira. Para acompanhar o ritmo das vendas, os irmãos Ramos contratavam meninos conhecidos como shaker boys para revezar no batimento da preparação do coquetel. Pela sua complexidade e demora no tempo de preparação, o Gin Fizz foi sumindo em meio a tanto caos e correria, onde a qualidade foi substituída pela velocidade. Mas com a criação da International Bartenders Association, em 1951, ganhou status de ícone ao ter seu receituário imortalizado pela entidade. Hoje, o Gin Fizz é devidamente preparado em poucos bares e restaurantes de Nova Orleans. Mas com a tendência da modernidade retrô, este coquetel vem emergindo com novos ingredientes como o refrigerante bitter lemon, da Schweppes, e gins premium. Afinal, assim como a música local, ele continua pairando acima de todas as tendências. Cheers! O Gin Fizz é elaborado, segundo o receituário imutável da IBA, no copo longo Highball e montado com pedras de gelo. Contudo, os ingredientes seguintes devem ser batidos avidamente na coqueteleira: 3/10 de gin, 1/10 de xarope de açúcar e 2/10 de suco de limão. Em seguida, sirva no copo a mistura, complementando o coquetel com club soda (4/10). Decore com uma fatia de limão e uma cereja em conserva com o cabinho. Vale ressaltar que o sifão de club soda é vendido em antiquários como peça de decoração e aparece no serviço de bar desde os filmes do cinema noir, até desenhos como Tom & Jerry e Pica-Pau

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes APRESENTAÇÃO A alimentação e tão necessária ao nosso corpo quanto o ar que precisamos para a nossa sobrevivência, devem ter qualidade para garantir a nossa saúde. Quando falamos em alimentação com qualidade

Leia mais

Kartoffelsalat (Salada de batatas)

Kartoffelsalat (Salada de batatas) Kartoffelsalat (Salada de batatas) Rendimento: 4 porções - 1 e 1/2 kg de batata inglesa - 1 cebola roxa - 150g de presunto picado - 3 colheres (sopa) de vinagre de vinho - 2 colheres (sopa) de mostarda

Leia mais

RISOTOS. As melhores receitas

RISOTOS. As melhores receitas RISOTOS As melhores receitas INTRODUÇÃO Sempre tivemos vontade de postar receitas de risoto no nosso blog, já que é um prato muito apreciado pelos nossos clientes e leitores. Como o risoto tem seus segredinhos,

Leia mais

Frigideira de raviólis

Frigideira de raviólis Frigideira de raviólis (8 pessoas) 100g de bacon picado 500g de carne bovina cortada em cubos 500g de massa tipo ravióli farinha de trigo (cerca de 3 colheres) 1 cebola picada 2 dentes de alho esmagados

Leia mais

O CHUCHU NA ESCOLA DO SABOR

O CHUCHU NA ESCOLA DO SABOR ESCOLA DO SABOR O CHUCHU NA ESCOLA DO SABOR O alimento é a nossa fonte de energia, a nossa garantia de sobrevivência. Comemos para matar a fome e porque é gostoso. A alimentação é a principal fonte de

Leia mais

NÚMERO. Alimentação: Sustentável. Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. CHICO SARDELLI DEPUTADO ESTADUAL PV

NÚMERO. Alimentação: Sustentável. Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. CHICO SARDELLI DEPUTADO ESTADUAL PV Alimentação: Sustentável NÚMERO 3 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Risoto de casca de Abóbora Cascas de 2kg de abóbora (ralada ) 3 xicaras de arroz cozido 1 cebola grande (picada)

Leia mais

Tabule Rendimento 4 porções

Tabule Rendimento 4 porções Tabule Rendimento 4 porções - 4 tomates picados - 1 xícara (chá) de trigo para quibe - 1 cebola picada - 1 pepino com casca picado em cubos - 1/2 xícara (chá) de salsinha picada - 1/4 xícara (chá) de cebolinha

Leia mais

18 RECEITAS FÁCEIS E SAUDÁVEIS PARA O SEU DIA A DIA. Fabiana Nanô

18 RECEITAS FÁCEIS E SAUDÁVEIS PARA O SEU DIA A DIA. Fabiana Nanô 18 RECEITAS FÁCEIS E SAUDÁVEIS PARA O SEU DIA A DIA Fabiana Nanô O que você encontrará neste ebook? Este ebook contém 18 receitas deliciosas para você fazer no dia a dia. São receitas fáceis de se preparar

Leia mais

FAÇA DE CADA RECEITA UMA OBRA-PRIMA. CHEF Fundos Líquidos Concentrados

FAÇA DE CADA RECEITA UMA OBRA-PRIMA. CHEF Fundos Líquidos Concentrados FAÇA DE CADA RECEITA UMA OBRA-PRIMA. CHEF Fundos Líquidos Concentrados SEMPRE EM BUSCA DA EXCELÊNCIA CULINÁRIA, CHEF OFERECE A VOCÊ UMA LINHA COMPLETA DE PRODUTOS FEITA COM OS MELHORES INGREDIENTES. OS

Leia mais

Não deixe de aproveitar os pratos com a economia do TodoDia!

Não deixe de aproveitar os pratos com a economia do TodoDia! Esta revista foi pensada para deixar você com água na boca do início ao fim. Nela, vou mostrar duas de minhas especialidades na cozinha: receitas de massas e tortas. Nada mais versátil para agradar à família

Leia mais

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS RECEITAS Souflê de brócolis (4 - Porção(ões) - 120 - Caloria(s)) Ingredientes: 100 g de queijo minas ou tofu 1 xícara de leite ou extrato de soja 2 ovos 1 colher de sopa de amido de milho (maisena) 1 pitada

Leia mais

1/3 xícara de Pecorino Romano, ou parmesão ralado na hora

1/3 xícara de Pecorino Romano, ou parmesão ralado na hora Receita da Vez: Fuzile ao Ragu de Cordeiro Um toque de glamour: Alecrim Vinho para Massa: Cabernet Sauvignon Música: Concheta - Língua de trapo". Sobremesa: Quindão Vinho para Sobremesa: Moscatel de Setubal

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real

FICHA TÉCNICA. Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real FICHA TÉCNICA Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Produção Gráfica: Propriedade: Redacção: Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real Iara Pimenta,

Leia mais

Receitas com farinhas e sucos de frutas

Receitas com farinhas e sucos de frutas Farofa de farinha de banana verde 150 g de farinha de mandioca 150g de farinha de banana verde 4 unidades de tomates picados em quadrados pequenos 1 unidade média de abobrinha verde picada em quadrados

Leia mais

Clique aqui http://emagrecaki.com.br/medotof

Clique aqui http://emagrecaki.com.br/medotof Clique aqui http://emagrecaki.com.br/medotof Clique aqui http://emagrecaki.com.br/emagrecimentom Clique aqui http://emagrecaki.com.br/medotof ÍNDICE Pasta & Feijões 3 Perú 4 O Roti Saudável 5 Massa De

Leia mais

ENTRADA Salada Requintada

ENTRADA Salada Requintada ENTRADA Salada Requintada Rendimento: 6 porções (1 pires = 75 g) 1 pé de alface americana pequeno lavado 1 maço pequeno de rúcula lavado 100 g de peito de peru defumado em tiras 100 g de queijo minas em

Leia mais

DETOX. 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano

DETOX. 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano DETOX 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano Índice Introdução... Como Fazer... Suco Detox de Melancia com Linhaça... Suco Detox de Chá Verde e Uva... Sopa Detox Energizante...

Leia mais

Almoços Saudáveis Para Uma Semana De Moura

Almoços Saudáveis Para Uma Semana De Moura Índice Índice Massa & Feijões Perú O Roti Saudável Almoço Mexicano Pizza Saudável Vegetais Grelhados Almoços Saudáveis Para Uma Semana De Moura Massa & Feijões Este prato saudável combina feijão que enchem

Leia mais

Receita. Fundo (caldo) 2L de água Pedaços de cebola, cenoura, salsão e outros legumes que aprecie. Risoto

Receita. Fundo (caldo) 2L de água Pedaços de cebola, cenoura, salsão e outros legumes que aprecie. Risoto s Feira Fika Risoto de calabresa com limão siciliano Fundo (caldo) 2L de água Pedaços de cebola, cenoura, salsão e outros legumes que aprecie Risoto 4 dentes de alho 1 cálice pequeno de vinho branco Azeite

Leia mais

RECEITAS FUNCIONAIS PARA O VERÃO. Coordenação técnica: Andréa Santa Rosa. Revisão técnica: Luana Vilas Bôas

RECEITAS FUNCIONAIS PARA O VERÃO. Coordenação técnica: Andréa Santa Rosa. Revisão técnica: Luana Vilas Bôas RECEITAS FUNCIONAIS PARA O VERÃO Por Andréa Santa Rosa & Márcio Garcia Coordenação técnica: Andréa Santa Rosa Revisão técnica: Luana Vilas Bôas Revisão editorial: Clara Koziner Laís Barbosa www.vidafuncional.com.br

Leia mais

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Alimentação: Sustentável Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. NÚMERO 4 Bolo de Maçã com casca 3 ovos 1 xícara (chá)

Leia mais

Almôndegas de Arroz. Ingredientes. Modo de preparo

Almôndegas de Arroz. Ingredientes. Modo de preparo Almôndegas de Arroz 2 xícaras (chá) de arroz cozido 200g de carne moída 1 dente de alho picado 1 cebola picada 2 colheres (sopa) de farinha de rosca 4 xícaras (chá) de molho de tomate Sal e pimenta a gosto

Leia mais

Receitas incríveis de MAGGI

Receitas incríveis de MAGGI Receitas incríveis de MAGGI Assisting the amazing since 1886 Ingredientes que poupam tempo e adicionam sabor. Assisting the amazing Inspirar a criatividade dos chefs é a nossa motivação diária. Por isso,

Leia mais

CHESTER SALTEADO DE AMEIXA E PÊSSEGO

CHESTER SALTEADO DE AMEIXA E PÊSSEGO OUTRAS RECEITAS CHESTER SALTEADO DE AMEIXA E PÊSSEGO 2 colheres (sopa) de suco de pêssego pronto para beber 2 colheres (sopa) de azeite de oliva 2 colheres (sopa) de alecrim picado 2 colheres (sopa) de

Leia mais

AS MELHORES RECEITAS para a Bimby

AS MELHORES RECEITAS para a Bimby AS MELHORES RECEITAS para a Bimby Clube Top Chefe edição limitada Bolo de Chocolate com Calda 200 gr de farinha 50 gr chocolate em pó 200 gr de açucar 100 gr de margarina derretida 200 gr leite 3 ovos

Leia mais

Caldeirada de Peixe. Bolinho de Siri. Ingredientes: Modo de preparo: Ingredientes:

Caldeirada de Peixe. Bolinho de Siri. Ingredientes: Modo de preparo: Ingredientes: Caldeirada de Peixe - 4 cebolas médias -8 dentes de alho - 6 tomates médios - 1/2 pimentão verde - 1/2 pimentão vermelho - 1/2 pimentão amarelo - 3 folhas de louro - salsa - coentro - 1,5kg batata - 2kg

Leia mais

Segredo do Emagrecimento Rápido http://www.coisasqueemagrecem.com.br/segredoemagrecimentorapido

Segredo do Emagrecimento Rápido http://www.coisasqueemagrecem.com.br/segredoemagrecimentorapido ÍNDICE Pasta & Feijões 3 Perú 4 O Roti Saudável 5 Massa De Gergelin Com Frango 7 Almoço Mexicano 8 Pizza Saudável 9 Vegetais Grelhados 10 Imformações importantes! Este Ebook não pode ser modificado / editado,

Leia mais

AULA VIVÊNCIANDO O BRASIL - RECEITAS

AULA VIVÊNCIANDO O BRASIL - RECEITAS Caldo de feijão branco Feijão branco Paio cortado em cubos pequenos Bacon cortado em cubos pequeno Cebola cortada em cubos pequenos Alho amassado Azeite Água Quanto baste Louro fresco Sal Quanto baste

Leia mais

1 lata de abóbora em calda, 2 xícaras de açúcar, 4 ovos, 4 colheres de açúcar, 2 colheres de maisena, 1 litro de leite, 1 copo de leite

1 lata de abóbora em calda, 2 xícaras de açúcar, 4 ovos, 4 colheres de açúcar, 2 colheres de maisena, 1 litro de leite, 1 copo de leite ABÓBORA COM CREME 1 lata de abóbora em calda, 2 xícaras de açúcar, 4 ovos, 4 colheres de açúcar, 2 colheres de maisena, 1 litro de leite, 1 copo de leite 1 Leve as 2 xícaras de açúcar em uma panela ampla

Leia mais

Receitas para as Festas de Fim de Ano

Receitas para as Festas de Fim de Ano Salada Agridoce 1 molho de alface americano 2 xícaras de chá de repolho roxo cortado bem fino 1 maçã vermelha, picada em quadradinhos pequenos 1 colher de sopa de uvas passas sem sementes 3 talos de aipo

Leia mais

Misturar todos os ingredientes. Fazer bolinhas e fritar em óleo quente. Escorrer em papel toalha e servir.

Misturar todos os ingredientes. Fazer bolinhas e fritar em óleo quente. Escorrer em papel toalha e servir. 1 BOLINHO DE JACARÉ I 1 kg. de carne de jacaré moída 100 g. de farinha de milho ou farinha de mandioca flocada 3 ovos inteiros 3 dentes de alho, picadinhos pimenta-do-reino e salsinha e cebolinha bem picadinhas

Leia mais

LIVRO DE RECEITAS. 3ª Edição

LIVRO DE RECEITAS. 3ª Edição LIVRO DE RECEITAS 3ª Edição Os produtos Purinha vêm mais uma vez presentear você com um novo livro de receitas. Esta é a terceira edição de uma coleção com sabores incríveis conseguidos a partir das combinações

Leia mais

Uma autêntica refeição italiana é uma verdadeira experiência culinária: um enriquecimento aos olhos e ao paladar.

Uma autêntica refeição italiana é uma verdadeira experiência culinária: um enriquecimento aos olhos e ao paladar. Uma autêntica refeição italiana é uma verdadeira experiência culinária: um enriquecimento aos olhos e ao paladar. Os italianos desfrutam de várias e prazerosas refeições ao longo do dia, com uma grande

Leia mais

Receitas da Chef Michelle Welcker

Receitas da Chef Michelle Welcker Receitas da Chef Michelle Welcker Ceviche nordestino e molho de manga, maracujá e gengibre. Ceviche: 500g de filé de salmão limpo 250g de queijo coalho de cabra 80g de pimentão amarelo em cubinhos 80g

Leia mais

Carreteiro dos Pampas

Carreteiro dos Pampas Carreteiro dos Pampas 500g Arroz Parboilizado Namorado 200g alcatra cortado em cubos 200g sobre-paleta suína cortado em cubos 200g coração de galinha (limpo) 200g calabresa média cortada em meia lua 200g

Leia mais

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha:

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha: Café da manha: Dieta opção 1 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado 1 pão francês sem miolo na chapa com 1 col. (sopa) rasa de margarina ou 1 fatia de queijo fresco ½ xíc. (chá) de cereal 1 xíc. (chá)

Leia mais

NECPAR - Núcleo de Educação Continuada do Paraná Pós-graduação em Nutrição Clínica e Gastronomia Funcional

NECPAR - Núcleo de Educação Continuada do Paraná Pós-graduação em Nutrição Clínica e Gastronomia Funcional PURÊ DE ABÓBORA COM GENGIBRE E CÚRCUMA 1 Kg de abóbora cabochá picada 2 colher (sopa) de manteiga 2 rodelas de gengibre fresco ralado 2 colheres (chá) de raspinhas de limão 1 colher (sopa) cúrcuma 12 medidas

Leia mais

Dicas Para Emagrecer com Saúde

Dicas Para Emagrecer com Saúde 2011 www.blog.vivaplenamente.com Página 1 DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO Você pode distribuir este e-book livremente, assim como presenteá-lo a través do seu site ou blog aos seus visitantes e clientes. A única

Leia mais

Be-a-bá da Cozinha Saudável

Be-a-bá da Cozinha Saudável Be-a-bá da Cozinha Saudável ÁGUA AROMÁTICA Rendimento: 1 jarra 2 limões galegos pequenos (siciliano ou tahiti) 4 ramos de alecrim 4 rodelas de gengibre fresco 1L de água mineral Gelo Cortar os limões em

Leia mais

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa Vou passar a você, algumas receitas que usei para poder emagrecer mais rápido e com saúde. Não direi apenas só sobre como preparar algumas receitas, mas também direi como perder peso sem sofrimento e de

Leia mais

TERMOS E CONDIÇO ES. Sempre que houver dúvidas procure um profissional de saúde e leve o material para avaliar. Página 1

TERMOS E CONDIÇO ES. Sempre que houver dúvidas procure um profissional de saúde e leve o material para avaliar. Página 1 TERMOS E CONDIÇO ES Todas as Receitas incluídas nesse e-book foram retiradas de fontes seguras que são referências no assunto, não nos responsabilizamos pelo uso dessas receitas caso o seu estado de Diabetes

Leia mais

Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim. Inclui receitas

Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim. Inclui receitas Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim Inclui receitas Ficha Técnica Título: Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim Concepção: Mariana Barbosa Corpo redactorial: Mariana Barbosa Revisão:

Leia mais

WELLNESS CHEF LIV GITAHY

WELLNESS CHEF LIV GITAHY WELLNESS CHEF LIV GITAHY Petit Tarte Ganache au Chocolat Noir MASSA: 4 colheres de sopa de farinha de linhaça dourada 4 cs de farinha de amaranto 4 cs de farinha de chia 4 cs de farinha de arroz 4 cs de

Leia mais

livro de RECEITAS festa do milho

livro de RECEITAS festa do milho livro de RECEITAS festa do milho JACI - SÃO PAULO Índice Pg. 03 Pg. 04 Pg. 05 Pg. 06 Pg. 07 Pg. 08 Pg. 09 Pg. 10 Pg. 11 Pg. 12 Pg. 13 Pg. 14 Pg. 15 Pg. 16 Pg. 17 Pg. 18 Pg. 19 Pg. 20 Pg. 21 Curau Tradicional

Leia mais

20 Receitas Econômicas e Nutritivas

20 Receitas Econômicas e Nutritivas 20 Receitas Econômicas e Nutritivas 1. ALMEIRÃO COM SOBRAS DE ARROZ 1 maço de almeirão 1 cebola picada 1 dente de alho 2 xícaras (chá) de arroz cozido 1 e 1/2 colher (sopa) de óleo Escolha e lave bem o

Leia mais

Como preparar pratos saudáveis e saborosos com leguminosas? Experimente algumas das nossas sugestões!

Como preparar pratos saudáveis e saborosos com leguminosas? Experimente algumas das nossas sugestões! Receitas Como preparar pratos saudáveis e saborosos com leguminosas? Experimente algumas das nossas sugestões! Sopa de agriões com lentilhas... 2 Salada de ervilhas com fruta... 2 Feijoada do mar... 3

Leia mais

Chalá redonda. Guefilte fish ao molho de tomate Salmão primavera Saladas: Vagem com manga Alface com batata palha Salada de alho poró

Chalá redonda. Guefilte fish ao molho de tomate Salmão primavera Saladas: Vagem com manga Alface com batata palha Salada de alho poró B H RECEITAS Chalá redonda º Guefilte fish ao molho de tomate Salmão primavera Saladas: Vagem com manga Alface com batata palha Salada de alho poró º Caldo de galinha youch com kneidalach º Carne assada

Leia mais

MELHOR DA COZINHA VEGETARIANA

MELHOR DA COZINHA VEGETARIANA O MELHOR DA COZINHA VEGETARIANA Mahalia Goskowski CHOP SUEY DE LEGUMES - 1/4 de nabo branco comprido; - 4 cenouras; - 1 pimentão vermelho; - 1 pimentão verde; - 1/4 de acelga; - broto de feijão; - brócolis;

Leia mais

Orientações para o preparo da papinha.

Orientações para o preparo da papinha. Orientações para o preparo da papinha. Olha o aviãozinho... As primeiras refeições são muito importantes para o bebê. Quando começa a comer outros alimentos além do leite materno, ele descobre novos sabores,

Leia mais

Receitas do livro BOLO SALGADO DE FARINHA DE MANDIOCA

Receitas do livro BOLO SALGADO DE FARINHA DE MANDIOCA Receitas do livro BOLO SALGADO DE FARINHA DE MANDIOCA Nome da 4 xícaras de chá de farinha de farinha (500g) 4 ovos 2 Litros de leite morno 1 colher (sopa) de fermento em pó (10g) 2 gemas para pincelar

Leia mais

Modo de Preparo. Modo de Preparo RECEITAS FÁCEIS 1 ARROZ SORTIDO

Modo de Preparo. Modo de Preparo RECEITAS FÁCEIS 1 ARROZ SORTIDO RECEITAS FÁCEIS 1 ARROZ SORTIDO 280 gramas de peito de frango,2 dentes de Alho picados,4 xícaras de chá de Arroz,banco cozido,2 Ovos cozidos e picados,1 xícara de chá de Cebolinha picada,sal a gosto,pimenta-do-reino

Leia mais

Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar.

Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar. Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar. Prove as receitas, veja como está gostoso e, o mais importante, nutritivo! A Prefeitura de Ipatinga elaborou para você este livro com receitas que

Leia mais

Livro de Receitas. Receitas do. Chef César Santos

Livro de Receitas. Receitas do. Chef César Santos Livro de Receitas Receitas do Chef César Santos Camarão com arroz de coco Ingredientes: 400 g de filé de camarão 10 quiabos médios 50 g de pimentão verde 50 g de pimentão amarelo 50 g de pimentão vermelho

Leia mais

SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERD ÍCIO ALIMENTAR

SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERD ÍCIO ALIMENTAR SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERDÍCIO ALIMENTAR Legumes cozidos ( ± 0,5 kg, variados) 250 gr de farinha 2dl de leite

Leia mais

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão http://portaldaindustria.com.br/agenciacni/ 03 FEV 2014 Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão Já pensou em tomar sorvete de mandioca? E doce de casca de maracujá?

Leia mais

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821 APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS Para higienização de hortifrutis: - 1 litro de água potável - 1 colher de sopa (10 ml) de água sanitária, sem perfume - Deixar de molho por 15 minutos CALDO NUTRITIVO

Leia mais

Receitas colesterol. Pizza marguerita de berinjela - Mariana e Priscila Ingredientes

Receitas colesterol. Pizza marguerita de berinjela - Mariana e Priscila Ingredientes Receitas colesterol Pizza marguerita de berinjela - Mariana e Priscila Ingredientes 2 berinjelas grandes (870g); 6 claras levemente batidas (180g); 2 dentes de alho grandes (15g); 12 colheres (sopa) de

Leia mais

Governo do Estado de Mato Grosso do Sul Secretaria de Estado de Educação

Governo do Estado de Mato Grosso do Sul Secretaria de Estado de Educação Governo do Estado de Mato Grosso do Sul Secretaria de Estado de Educação Receitas Salgadas Molho Básico de Carne Moída Arroz Vitaminado Brasileirinho Sopa de Feijão com Macarrão, Legumes e Carne Baião

Leia mais

LOMBO DE PORCO CAIPIRA COM CANJIQUINHA PRIMAVERA. Lombo de porco caipira, com molho de cachaça e canjiquinha com alho-poró, alecrim e louro

LOMBO DE PORCO CAIPIRA COM CANJIQUINHA PRIMAVERA. Lombo de porco caipira, com molho de cachaça e canjiquinha com alho-poró, alecrim e louro RIO DA MONTANHA LOMBO DE PORCO CAIPIRA COM CANJIQUINHA PRIMAVERA Lombo de porco caipira, com molho de cachaça e canjiquinha com alho-poró, alecrim e louro 1 Lombo médio 10 dentes de alho inteiro Molho

Leia mais

Caderno de Receitas da Dona Onça. por Janaina Rueda

Caderno de Receitas da Dona Onça. por Janaina Rueda Caderno de Receitas da Dona Onça por Janaina Rueda Para Joaquim, João Pedro, Jeffinho e Seu Júlio os homens da minha vida. Índice Estrogonofe de carne ensinado por minha mãe 03 Puchero que faço para minha

Leia mais

BELGRANO PIZZARIA TRADIZIONE D ITALIA, À MODA BRASILEIRA

BELGRANO PIZZARIA TRADIZIONE D ITALIA, À MODA BRASILEIRA BELGRANO PIZZARIA TRADIZIONE D ITALIA, À MODA BRASILEIRA Desde 2008, a Pizzaria Belgrano prima pela qualidade e pela exclusividade em seus sabores, tanto nas suas pizzas como em massas e saladas, em suas

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

LIVRETO DE INVERNO RECEITAS PARA AQUECER

LIVRETO DE INVERNO RECEITAS PARA AQUECER LIVRETO DE INVERNO RECEITAS PARA AQUECER INTRODUÇÃO Este é um complemento ao Livreto de Inverno - Receitas para Aquecer. Adoramos sopas e já publicamos diversas no blog... Como o inverno chegou com tudo,

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR. Arroz/Feijão Bife à rolê Chuchu gratinado Salada: Rúcula SUCO

CARDÁPIO ESCOLAR. Arroz/Feijão Bife à rolê Chuchu gratinado Salada: Rúcula SUCO 1º SEMANA DE JUNHO 2014 02/06/2014 03/06/2014 04/06/2014 05/06/2014 06/06/2014 Bife de panela Abobrinha refogada Salada: Repolho Iscas de frango grelhada Brócolis Bife à rolê Chuchu gratinado Salada: Rúcula

Leia mais

Delícias saudáveis. Inspire-se na cozinha. Abuse da criatividade. Delicie-se sem culpa.

Delícias saudáveis. Inspire-se na cozinha. Abuse da criatividade. Delicie-se sem culpa. Delícias saudáveis Inspire-se na cozinha. Abuse da criatividade. Delicie-se sem culpa. Pratos que não extrapolam em carboidratos e carnes, não transbordam de queijo e, mesmo assim, dão água na boca. Sobremesas

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo SUPER 9 DIETAS Esta dieta é baseada principalmente na ingestão de alimentos que aumentam a densidade nutricional e diminuir a densidade calórica. É uma das dietas mais equilibradas, uma vez que não se

Leia mais

Oi galera! Eu criei este guia de receitas para lhe fornecer algumas idéias fáceis e saudáveis sobre como planejar suas refeições diárias.

Oi galera! Eu criei este guia de receitas para lhe fornecer algumas idéias fáceis e saudáveis sobre como planejar suas refeições diárias. Oi galera! Eu criei este guia de receitas para lhe fornecer algumas idéias fáceis e saudáveis sobre como planejar suas refeições diárias. São receitas que você pode implementar agora mesmo no seu dia-dia

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br

www.500receitasparaemagrecer.com.br Olá, Querido (a) amigo (a), É com imenso prazer que trago para você este guia prático e fácil para ajuda-lo na tarefa árdua que é perder peso e principalmente mantêlo. O que dificulta muitas vezes manter

Leia mais

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10 Acompanhamento Salada Sobremesa 01/09/10 Frango Assado com Creme de Cebola Brócolis alho e óleo Tomate Abacaxi 02/09/10 Bife a Role Purê de Batata cozida

Leia mais

LINHA TRADICIONAL. Arroz, cenoura, cebola, presunto, vagem, passas, manteiga, óleo e sal. Feijão, bacon, cebola, óleo e sal.

LINHA TRADICIONAL. Arroz, cenoura, cebola, presunto, vagem, passas, manteiga, óleo e sal. Feijão, bacon, cebola, óleo e sal. LINHA TRADICIONAL ACOMPANHAMENTOS ARROZ À GREGA FEIJÃO FEIJÃO TROPEIRO PURÊ DE BATATA AVES FILÉ DE FRANGO À PARMEGIANA ESCONDIDINHO DE FRANGO STROGONOFF DE FRANGO FRANGO A MODA CAIPIRA FRANGO ASSADO FRANGO

Leia mais

FEIJOADA FÁCIL E LIGHT

FEIJOADA FÁCIL E LIGHT FEIJOADA FÁCIL E LIGHT Cozinha pratica do Souki - Receita de Thiago Souki http://www.cozinhapratica.com/ Ingredientes No total, usa-se 1 kg de Carne variada, natural, defumada ou salgada. Pode-se usar

Leia mais

1. Bolo de iogurte, açúcar mascavo e canela Ingredientes para o bolo:

1. Bolo de iogurte, açúcar mascavo e canela Ingredientes para o bolo: 1. Bolo de iogurte, açúcar mascavo e canela Ingredientes para o bolo: (200g) 1 ovo ¼ de xícara de manteiga mole, quase derretida 1 colher (sopa) de essência de baunilha 1 xícara de açúcar mascavo 1 colher

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

Sua majestade o. www.evsvipmooca.com.br

Sua majestade o. www.evsvipmooca.com.br Sua majestade o www.evsvipmooca.com.br Shake Tradicional - Muito simples e delicioso! Esta é a maneira mais comum, simples e prática de preparar o seu Shake Herbalife no dia-a-dia. Serve para qualquer

Leia mais

Brócolis VITALOK JOGO DE 2 PANELAS AÇO INOX 4 pessoas

Brócolis VITALOK JOGO DE 2 PANELAS AÇO INOX 4 pessoas Receitas icook TM Apresentamos algumas sugestões de receitas para você preparar usando as panelas e frigideiras da Linha icook TM. Utilize-as também nas suas Demonstrações Cozinhe em Casa. Pizza de frigideira

Leia mais

Atendendo a pedidos. Sobremesas. geladas. Serviço Nestlé ao Consumidor

Atendendo a pedidos. Sobremesas. geladas. Serviço Nestlé ao Consumidor Sobremesas Atendendo a pedidos geladas Serviço Nestlé ao Consumidor Bem estar... é viver diferentes sensações e sabores O prazer de viver num país tropical é poder desfrutar, o ano inteiro, de um cardápio

Leia mais

BRIGADERIA VEGANA APRESENTAÇÃO

BRIGADERIA VEGANA APRESENTAÇÃO BRIGADERIA VEGANA APRESENTAÇÃO UM SONHO Nascido de um Sonho de promover, para o público vegano, o doce mais brasileiro do mundo: o Brigadeiro Gourmet! Com ingredientes nobres e selecionados, proporcionamos

Leia mais

Sugestões para o Dia da Criança

Sugestões para o Dia da Criança Sugestões para o Dia da Criança Ficha Técnica Título: Sugestões para o Dia da Criança Concepção: Mariana Barbosa; Isabel Tristão Corpo redactorial: Mariana Barbosa; Isabel Tristão; Delphine Dias Revisão:

Leia mais

Arroz e Feijão Maravilha

Arroz e Feijão Maravilha Arroz e Feijão Maravilha 40 g de abóbora picada 40 g de arroz 40 g de carne bovina picadinha 30 g de cenoura picada 40 g de chuchu picado 40 g de couve picada 30 g de feijão 30 g de repolho 10 g de cebola

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

Com a chegada da primavera e a proximidade do verão, as saladas passam a ser incluídas com mais frequência nos cardápios brasileiros.

Com a chegada da primavera e a proximidade do verão, as saladas passam a ser incluídas com mais frequência nos cardápios brasileiros. SalaDAS Com a chegada da primavera e a proximidade do verão, as saladas passam a ser incluídas com mais frequência nos cardápios brasileiros. Possibilitam a mistura de várias cores, tornando o visual bonito

Leia mais

Pão de banana e laranja

Pão de banana e laranja Pão de banana e laranja 4 colheres de sopa de suco de laranja (natural fica melhor) 200 ml de água 2 bananas pequenas e amassadas (você pode usar banana prata) 3 colheres de sopa de Mel 500 Gr de Farinha

Leia mais

1 Uso reduzido de produtos industrializados.

1 Uso reduzido de produtos industrializados. Somos um EMPÓRIO e RESTAURANTE de alimentação saudável, orgânica, sem glúten, sem lactose, vegetariana e vegana. Optamos por não servir alimentos com carne por uma questão de respeito aos animais. Mas,

Leia mais

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes.

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. Os smoothies ou shakes são uma maneira deliciosa, saudável e versátil para adicionar frutas e legumes em nossa alimentação diária.

Leia mais

EPISÓDIO 3 - CALDOS. Como preparar as diferentes bases para todos os molhos.

EPISÓDIO 3 - CALDOS. Como preparar as diferentes bases para todos os molhos. EPISÓDIO 3 - CALDOS Como preparar as diferentes bases para todos os molhos. INTRODUÇÃO Além de agregarem bastante sabor aos preparos, os caldos preparados em casa são muito mais saudáveis do que os industrializados.

Leia mais

Arais de Kafta Uma simplicidade maravilhosa, pão árabe recheado com kafta assado na chapa.

Arais de Kafta Uma simplicidade maravilhosa, pão árabe recheado com kafta assado na chapa. Couvert Pão árabe e torradas com záttar, pasta de azeitona - Porções aperitivos Bolinho de falafel (6 unidades)* - - Bolinhos preparados com fava e grão de bico moído e vegetais fritos, temperados com

Leia mais

Impresso fechado. Pode ser aberto pela ECT.

Impresso fechado. Pode ser aberto pela ECT. Impresso fechado. Pode ser aberto pela ECT. 1 Anotações Meu Brasil brasileiro mulato inzoneiro de raízes, flores e frutos. Dos mais doces aos mais cítricos. Todos traços típicos de uma cultura que sabe

Leia mais

Acompanhamentos Saudáveis para o Churrasco

Acompanhamentos Saudáveis para o Churrasco Acompanhamentos Saudáveis para o Churrasco Ingredientes do chá 20 rodelas de gengibre 5 colheres de sopa de capim limão 3 colheres de erva mate 1 litro de água mineral CAIPIFRUTAS DETOX do chá Cortar o

Leia mais

Ovos 3 unidade (Vermelho) Massa fina (pedra) Leite Integral 480 ml Trigo 1 Kg. Sal 25 g Óleo 100 ml. Açúcar cristalizado 50 g Sal 20 g

Ovos 3 unidade (Vermelho) Massa fina (pedra) Leite Integral 480 ml Trigo 1 Kg. Sal 25 g Óleo 100 ml. Açúcar cristalizado 50 g Sal 20 g MASSA RICA (para 5 pizzas de 280 g 35 cm e 2 pizzas de 230 g médio) Trigo (Medalha de ouro) Óleo de milho 1 Kg 50 ml Ovos 3 unidade (Vermelho) Massa fina (pedra) Leite Integral 480 ml Trigo 1 Kg Sal 25

Leia mais

Espeto de Frutas. Lasanha de Panquecas

Espeto de Frutas. Lasanha de Panquecas Espeto de Frutas 1 banana nanica cortada em 4 pedaços, 1 maçã vermelha com casca cortada em 4 pedaços, 1 pêra com casca, cortada em 4 pedaços, 2 ameixas Suco de 1 laranja, ½ xícara de chá de suco de maçã.

Leia mais

Bolinho de amor. Com carinho, Equipe do Integral

Bolinho de amor. Com carinho, Equipe do Integral Bolinho de amor 1 pitada de carinho 2 colheres de mel 3 colheres de doçura 4 Colheres de paixão 5 Colheres de amor a gosto 6 Colheres de dedicação Modo de Preparo: Faça a mistura de carinho, mel, doçura.

Leia mais

CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA

CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA CAMPO GRANDE MS JULHO DE 2008 Nutricionista Responsável: Dayane Belusso CRN 3 24696/P E-mail belussob@hotmail.com CARDÁPIO DA ANTEVÉSPERA DO EXAME DESJEJUM

Leia mais

www.academiaesaude.com

www.academiaesaude.com INDICE Lanche Ao Acordar 2 Maça 2 Melância 2 Panquecas 2 Barra De Energia Matinal 8 Omelete 10 Muesli 2 SANDUICHE AO ACORDAR Você vai querer acordar para este sanduíche na manhã café da manhã. Ingredientes

Leia mais

Elaboração de Cardápios

Elaboração de Cardápios Elaboração de Cardápios Junho 2013 1 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para o consumo.

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

Receitas especiais de Páscoa do Bacalhau da Noruega.

Receitas especiais de Páscoa do Bacalhau da Noruega. Receitas especiais de Páscoa do Bacalhau da Noruega. O Sabor da Noruega Bacalhau (Gadus morhua) O legítimo bacalhau. Características: Pratos sugeridos: Coloração: Cauda: É o legítimo Bacalhau da Noruega,

Leia mais

O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova!

O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova! NOVA GARRAFA NOVO RÓTULO A QUALIDADE QUE VOCÊ JÁ CONHECE O vinho mais apreciado do Brasil faz jus a uma roupa nova! A LINHA DE VinhoS de Mesa MioranZa ACABA DE GANHAR UMA NOVA EMBALAGEM. MODERNA E ELEGANTE,

Leia mais

Strogonoff de Carne de Porco

Strogonoff de Carne de Porco Strogonoff de Carne de Porco Ingredientes 1/2 de carne porco - PERNIL limão, sal, 3 dentes de alho, pimenta-do-reino 1 cálice de conhaque ou Vinho Branco Aliança 2 colheres (sopa) margarina, 1 colher (sopa)

Leia mais

Alimentos e Bebidas Vinhos e Espumantes

Alimentos e Bebidas Vinhos e Espumantes Comemorativo 80 Anos Este vinho foi especialmente elaborado para comemorar os 80 anos do patriarca Laurindo Brandelli, e os 20 anos da Vinícola Don Laurindo. O cuidado com a terra, o cultivo da videira,

Leia mais