Proteção de riscos: O ponto de vista do mercado segurador no Brasil. José Carlos de Lacerda Souza Gerente de Property & Casualty Brasil IRB Brasil RE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proteção de riscos: O ponto de vista do mercado segurador no Brasil. José Carlos de Lacerda Souza Gerente de Property & Casualty Brasil IRB Brasil RE"

Transcrição

1 Proteção de riscos: O ponto de vista do mercado segurador no Brasil José Carlos de Lacerda Souza Gerente de Property & Casualty Brasil IRB Brasil RE

2 Agenda: 1. Introdução ao mercado de seguros 2. Números do mercado 3. Garantias do seguro patrimonial 4. Precificação do seguro patrimonial e a proteção de riscos 5. Proteção de riscos marco histórico no mercado de seguros 6. Sinistros recentes 7. Conclusões

3 Introdução ao mercado de seguros Seguros estão associados a riscos. Risco é a possibilidade de ocorrência de um evento (sinistro). Gerência de riscos: identificação, análise e avaliação de exposições a riscos. O gerente de riscos seleciona e implementa as técnicas mais apropriadas para o tratamento destas exposições. Transferência de riscos: quase sempre envolve pagamentos de um valor para que a terceira parte assuma este risco (exemplo: seguro).

4 Introdução ao mercado de seguros Seguro: Transferência do risco do Segurado para a Seguradora Resseguro: Transferência do risco da Seguradora para o Ressegurador Retrocessão: Transferência do risco do Ressegurador para outro Ressegurador ou uma Seguradora.

5 Introdução ao mercado de seguros Fluxo das Operações Prêmio Prêmio Prêmio Segurado Seguro Seguradora Resseguro Resseguradora Retrocessão Retrocessionária Indenização Indenização Indenização

6 Números do Mercado

7 Mercado Mundial de Seguros 2013 Prêmios em Milhões de US$ Ordem Países Total Não Vida % Vida % 1º Estados Unidos % % 2º Japão % % 3º Reino Unido % % 4º China % % 5º França % % 6º Alemanha % % 7º Itália % % 8º Coreia do Sul % % 9º Canadá % % 10º Holanda % % 11º Taiwan % % 12º Brasil % % 13º Austrália % % 14º Espanha % % 15º Índia % % Fonte: Sigma 2014

8 Mercado de Seguros Brasileiro Projeções 2014 à 2016 Fonte: SUSEP (exclui produtos não resseguráveis: VGBL, DPVAT e Microseguros.)

9 Mercado de Resseguros Brasileiro Projeções 2014 à 2016 Fonte: SUSEP

10 Prêmios Emitidos R$ Milhões RISCOS PATRIMONIAIS (PROPERTY) Fonte: SUSEP Seguro Resseguro IRB

11 Garantias do Seguro Patrimonial Danos Materiais em face dos riscos operacionais: Cobertura all risks. Tudo está coberto, com exceção do riscos devidamente excluídos, portanto são cobertos: incêndio, raio, explosão, danos da natureza, quebra de máquinas, tumultos, etc. Lucros Cessantes pela Interrupção dos Negócios: Cobre as perdas financeiras (lucro bruto) decorrentes da paralisação dos negócios em consequência dos danos materiais causados pelos eventos cobertos (incêndio, explosão etc.,) garantidos na cobertura acima.

12 Precificação do Seguro Patrimonial e a Proteção de Riscos Fatores que influenciam no preço do seguro: Localização Atividades Tipo de Construção Sistemas de Proteção existentes Qualidade da Gestão dos riscos Atendimento às recomendações Avaliação das Exposições a Perdas Experiência

13 Marco Histórico no Mercado de Seguros Estabelecimento de Exigências de Capital e Solvência IRB-Brasil Re torna-se uma Sociedade Anônima 2011 Criação do Instituto de Resseguros do Brasil Abertura do Mercado Ressegurador Brasileiro Decreto Lei 73/1966

14 Proteção de riscos Marco histórico no mercado de seguros TSIB (art. 16) Portaria DNSPC nº21 Circular IRB PRESI 052 Classe Localização Circular Susep nº19, substituiu a Portaria 21/56 Circular Susep nº 006, substituiu a 19/78 Extinção da CEICA substituída pela CTRP Circular nº 321 da SUSEP Revoga TSIB e Circular 006/92?

15 Fonte: Google Sinistros Recentes

16 Sinistros Recentes Perdas milionárias em vários sinistros de incêndio em depósitos / armazéns portuários de açúcar e em grandes CDs de supermercados e atacadistas. Sinistros de incêndio em depósitos de grandes indústrias, com perdas muito grandes. Os sistemas de combate a fogo e os demais itens de segurança contra incêndio estavam adequados?

17 Centros de Distribuição Soluções Sprinklers Hidrantes e detectores de fumaça Luminárias protegidas Devidamente compartimentados Brigada de incêndio 24 horas por dia e 7 dias da semana Obedecendo as regras de estocagem Fonte: Google

18 Sinistralidade 180% PROPERTY 160% 140% 143% 153% 120% 100% 96% 106% 118% 80% 60% 64% 61% 55% 50% 40% 20% 0% Fonte: SUSEP Seguro Resseguro IRB

19 Conclusões Soft Market Over Capacity Aumento da competitividade Deterioração de preços e condições Excesso de Capital

20 Conclusões Mercado ainda no período de aprendizado. Não há a devida valorização às proteções que deveriam existir para os riscos serem aceitos. Competição excessiva. Seguradoras saindo do mercado de grandes riscos. Segurados com atividades consideradas riscos agravados enfrentam dificuldades para fazer seus seguros. Para estes casos são estabelecidas condições duras e feitas exigências, como proteções adequadas ao risco, para serem aceitos.

21 Muito Obrigado!!! José Carlos Lacerda Tel.:

RISCOS PATRIMONIAIS NICHOS DIFERENCIADOS

RISCOS PATRIMONIAIS NICHOS DIFERENCIADOS RISCOS PATRIMONIAIS NICHOS DIFERENCIADOS COMO ERA O SEGURO INCÊNDIO TRADICIONAL? Tarifação única para o mercado controlada pelo IRB (tarifas); Subscrição essencialmente técnica( Rubrica e LOC); Taxas elevadas:

Leia mais

Gerenciamento de Riscos em Seguros Impacto em Projetos Evento Técnico Mensal 04/2015

Gerenciamento de Riscos em Seguros Impacto em Projetos Evento Técnico Mensal 04/2015 Gerenciamento de Riscos em Seguros Impacto em Projetos Evento Técnico Mensal 04/2015 Guilherme Brant 1 Guilherme Brant Alves Costa Economista; Pós graduação em Administração Financeira; MBA em Gestão de

Leia mais

Evolução das Aplicações Financeiras (R$ Milhões) 634,6

Evolução das Aplicações Financeiras (R$ Milhões) 634,6 Evolução do Patrimônio Líquido (R$ Milhões) 598,3 Evolução das Aplicações Financeiras (R$ Milhões) 634,6 Participação no Mercado Prêmios de Resseguro Total do Grupo Riscos Financeiros (%) 38,6% 61,4% 104,3

Leia mais

O Resseguro e a Administração. Rubens Teixeira Junior São Paulo, Outubro/2014

O Resseguro e a Administração. Rubens Teixeira Junior São Paulo, Outubro/2014 O Resseguro e a Administração Rubens Teixeira Junior São Paulo, Outubro/2014 Agenda 1 Sociedade Contemporânea 2 O Resseguro 3 A Administração Agenda 1 Sociedade Contemporânea 2 O Resseguro 3 A Administração

Leia mais

RISCOS DE INFRAESTRUTURA XIV Encontro Anual do Comitê do Setor Elétrico da ABGR

RISCOS DE INFRAESTRUTURA XIV Encontro Anual do Comitê do Setor Elétrico da ABGR RISCOS DE INFRAESTRUTURA XIV Encontro Anual do Comitê do Setor Elétrico da ABGR Tópicos 1. Principais Modalidades de Seguros para os Projetos de Infraestrutura e suas Principais Coberturas. 2. Desafios

Leia mais

O Mercado Brasileiro de Seguros Gerais em Evolução: o Papel do Corretor de Seguros. Paulo Marraccini paulo.marraccini@fenseg.org.

O Mercado Brasileiro de Seguros Gerais em Evolução: o Papel do Corretor de Seguros. Paulo Marraccini paulo.marraccini@fenseg.org. O Mercado Brasileiro de Seguros Gerais em Evolução: o Papel do Corretor de Seguros Paulo Marraccini paulo.marraccini@fenseg.org.br Seguros Gerais Segmento de Danos (SUSEP) Automóvel 8 ramos Patrimonial

Leia mais

O Mercado de Resseguros no Brasil. San Jose, 13 a 16 de Abril, 2015 ASSAL

O Mercado de Resseguros no Brasil. San Jose, 13 a 16 de Abril, 2015 ASSAL O Mercado de Resseguros no Brasil San Jose, 13 a 16 de Abril, 2015 ASSAL Sumário Tema Breve Histórico do Resseguro no Brasil Marcos Importantes Legislação Modalidades de Resseguradores LC nº 126/2007 Restrições

Leia mais

Seguros Empresariais. Alexandre Vilardi

Seguros Empresariais. Alexandre Vilardi Seguros Empresariais Alexandre Vilardi Segmentação das Empresas no Brasil Introdução O mercado brasileiro é composto por mais de 5 milhões de empresas classificadas em Grandes, Médias, Pequenas e Micros,

Leia mais

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis 1. Autarquia, com personalidade jurídica de direito público, que dispõe de autonomia administrativa e financeira, que tem como atribuição fundamental fiscalizar o fiel cumprimento da legislação de seguros:

Leia mais

Seguros e Garantias para Empreendimentos de Construção Civil. Eng. Augusto Andrade

Seguros e Garantias para Empreendimentos de Construção Civil. Eng. Augusto Andrade Seguros e Garantias para Empreendimentos de Construção Civil Eng. Augusto Andrade 17/04/2013 Agenda Estrutura do Mercado Seguros no Brasil; Mercado de Resseguros; Seguros e Garantias para Construção Civil:

Leia mais

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS PATRIMONIAIS www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGURO INCÊNDIO TRADICIONAL Valmor Venâncio Membro Comissão Ramos Diversos www.sindsegsc.org.br

Leia mais

Bases Técnicas das Empresas Securitárias

Bases Técnicas das Empresas Securitárias Bases Técnicas das Empresas Securitárias Francisco de Assis Braga Risco e Seguro - Definições Básicas - Probabilidade de dano - é a freqüência relativa de perdas no longo prazo. - Risco - é a incerteza

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.3- Seguros

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.3- Seguros Conhecimentos Bancários Item 2.3.3- Seguros Conhecimentos Bancários Item 2.3.3- Seguros Insegurança nas atividades cotidianas SEGURO Necessidade de controlar o RISCO! Conhecimentos Bancários Item 2.3.3-

Leia mais

Seguro ACE PME: Plano de Seguro diferenciado com ampla cobertura para pequenas e médias empresas.

Seguro ACE PME: Plano de Seguro diferenciado com ampla cobertura para pequenas e médias empresas. INSURING PROGRESS Seguro ACE PME: Plano de Seguro diferenciado com ampla cobertura para pequenas e médias empresas. 2 Veja por que a parceria com a área de PME da ACE é fácil e lucrativa A ACE Seguradora

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

CASTIGLIONE (MLRV) MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA RESULTADOS DE JAN A NOV 2011

CASTIGLIONE (MLRV) MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA RESULTADOS DE JAN A NOV 2011 MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA RESULTADOS DE JAN A NOV 2011 O Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência encerrou o período de jan a novembro de 2011 apresentando um Lucro Líquido não consolidado

Leia mais

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%.

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%. 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 07/03/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao mês de janeiro 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco de dados SES o

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis Introdução As empresas de seguros são estruturas que apresentam características próprias. Podem se revestir

Leia mais

Estruturação do Contrato Automático de Resseguro

Estruturação do Contrato Automático de Resseguro Estruturação do Contrato Automático de Resseguro Seminário A Arte de Elaborar o Contrato Marcus Clementino 13 de agosto de 2013 Estruturação do Contrato Automático Princípios básicos; Interesses e necessidades

Leia mais

ANEXO XV DIRETRIZES PARA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA

ANEXO XV DIRETRIZES PARA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA ANEXO XV DIRETRIZES PARA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA Durante o prazo da CONCESSÃO, a CONCESSIONÁRIA deverá contratar e manter em vigor no mínimo as apólices de seguro a

Leia mais

Classificação A Classificação do ramo Riscos de Engenharia compreende várias modalidades, enquadradas em duas grandes categorias:

Classificação A Classificação do ramo Riscos de Engenharia compreende várias modalidades, enquadradas em duas grandes categorias: MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO / 2011 Os Seguros de Riscos de Engenharia garantem, basicamente, a reposição de bens que tenham sofrido danos materiais, oferecendo cobertura

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Patrimoniais e Empresariais. Sidney Leone Março de 2012

Gerenciamento de Riscos Patrimoniais e Empresariais. Sidney Leone Março de 2012 Gerenciamento de Riscos Patrimoniais e Empresariais Sidney Leone Março de 2012 Meus Defeitos Sócio - Integrale Consultoria e Corretagem de Seguros Ltda. Divisão Gestão de Risco; Consultor Técnico RRJ Engenharia

Leia mais

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS 1 O quê vamos ver? 2 PRIMEIRA PARTE ALGUNS DADOS SOBRE O MERCADO DE SEGUROS NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE SEGUROS MUNDIAL 2008-2009

Leia mais

Sistema Nacional de Seguros Privados - SNSP

Sistema Nacional de Seguros Privados - SNSP NOVO MECANISMO PARA COBERTURA FINANCEIRA DO PROGRAMA EXPLORATÓRIO MÍNIMO Apresentador: Sérgio Leite Santiago Gerente Comercial do Rio de Janeiro Sistema Nacional de Seguros Privados - SNSP Ministério da

Leia mais

Mesa Redonda Agrícola

Mesa Redonda Agrícola Mesa Redonda Agrícola Dia 14/04 das 14 às 16h Wady J. M. Cury 14 e 15 de Abril de 2015 ÍNDICE Princípios do Seguro MUTUALISMO... É um dos princípios fundamentais que constitui a base de todas as operações

Leia mais

André Dabus Revisado em 15/06/2010. SEGURO-GARANTIA

André Dabus Revisado em 15/06/2010. SEGURO-GARANTIA SEGURO-GARANTIA Prezados Corretores de Seguros, O SINCOR-SP, através da sua comissão técnica de seguros de crédito e garantia, elaborou esta cartilha de seguro garantia com o intuito de divulgar aos interessados

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE SEGURO DE EMERGÊNCIA E SEGURO AGRÍCOLA Porto Alegre - Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 O IRB-BRASIL RE COMO RESSEGURADOR E GESTOR DO FUNDO DE ESTABILIDADE DO SEGURO

Leia mais

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS PATRIMONIAIS www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SUBSCRIÇÃO E ACEITAÇÃO DE RISCOS Jean Carlo de Borba Diretor SindsegSC PDES Subscrição e

Leia mais

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012 +Gás Brasil A energia que pode revolucionar a economia brasileira São Paulo, 17 de Outubro de 2012 A hora do gás na agenda nacional Mudanças tecnológicas, econômicas e políticas globais e locais impõem

Leia mais

Pessoas que cuidam de pessoas

Pessoas que cuidam de pessoas Pessoas que cuidam de pessoas Agenda Cenário Econômico Mundial Ranking PIB 2012 15,68 8,22 5,96 3,40 2,60 2,44 2,39 2,02 2,01 1,82 Estados Unidos China Japão Alemanha França Reino Brasil Rússia Itália

Leia mais

Regulación de Microseguros y Seguros Inclusivos

Regulación de Microseguros y Seguros Inclusivos Regulación de Microseguros y Seguros Inclusivos Luciana Mateus SUSEP/DIRAT/CGPRO Coordenadora-Geral de Produtos Agenda A Superintendência de Seguros Privados (Susep) é uma Autarquia vinculada diretamente

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

23/02/2010. Tarcísio José Massote de Godoy

23/02/2010. Tarcísio José Massote de Godoy 23/02/2010 Tarcísio José Massote de Godoy Agenda Grupo Segurador Brasil e Mercado Segurador Mundial Mercado de Seguros na América Latina Mercado de Seguros, Previdência e Capitalização Seguros e Previdência

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO TOCANTINS

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO TOCANTINS PERGUNTAS E RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS REFERENTES AO EDITAL DE PREGÃO Nº. 474/2012 1. Dentre os veículos a serem segurados, existe alguma ambulância? Resposta: Não. 2. Os veículos são adesivados? Resposta:

Leia mais

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL Simulação para avaliação da viabilidade econômica e retorno do capital investido para a implantação de Resseguradora

Leia mais

Seminário FIESP/IBDS. Atualidade na Legislação Securitária e Aspectos Relevantes do Direito do Seguro. FIESP - 09 de novembro de 2010

Seminário FIESP/IBDS. Atualidade na Legislação Securitária e Aspectos Relevantes do Direito do Seguro. FIESP - 09 de novembro de 2010 Seminário FIESP/IBDS Atualidade na Legislação Securitária e Aspectos Relevantes do Direito do Seguro FIESP - 09 de novembro de 2010 SEGUROS NÃO SÃO MERAS GARANTIAS ADICIONAIS Os seguros não são meras garantias

Leia mais

Palestra Seguro de Crédito Cristina Salazar Diretora Executiva da CESCEBRASIL

Palestra Seguro de Crédito Cristina Salazar Diretora Executiva da CESCEBRASIL Palestra Seguro de Crédito Cristina Salazar Diretora Executiva da CESCEBRASIL SEGURO DE CRÉDITO Proteção para as vendas a prazo de produtos ou Prestação de serviços entre empresas Proteção para o Ativo

Leia mais

PME BRASIL. ACE Brasil

PME BRASIL. ACE Brasil PME BRASIL Grupo ACE Criada em 1.985 Receita de Prêmio Superior a US$ 20 bilhões em 2010 Classificação AAA+ pela Moody s. Ativos de mais de US$ 78 bilhões Atuação em Seguros e Resseguros Presente em mais

Leia mais

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA SEGURO GARANTIA SINCOR-ES Vitória / 21set2010 AGENDA 1. Por que o corretor de seguros deve operar no segmento do Seguro Garantia? 2. Quais são os principais fundamentos técnicos do Seguro Garantia? 3.

Leia mais

Gerenciamento de Risco e Programa de Seguros para Mineraçã. ção o em Subsolo e a Céu C u Aberto

Gerenciamento de Risco e Programa de Seguros para Mineraçã. ção o em Subsolo e a Céu C u Aberto Gerenciamento de Risco e Programa de Seguros para Mineraçã ção o em Subsolo e a Céu C u Aberto Principais Questões de Gerência de Risco A Incerteza quanto a estes questionamentos expõe as Empresas em:

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo ANEXO XIX. SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo ANEXO XIX. SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA ANEXO XIX. SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA Durante o prazo da CONCESSÃO, a CONCESSIONÁRIA deverá contratar e manter em vigor no mínimo as apólices de seguro a seguir indicadas, nas condições

Leia mais

COMUNICADO À IMPRENSA

COMUNICADO À IMPRENSA 27 NOVEMBRO 2012 PODE A ECONOMIA MUNDIAL SUPORTAR UM OUTRO 2011? Novo relatório global destaca os riscos de um déficit de $168 bilhões anualizado em seguros afetando as economias de alto crescimento Uma

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

Aon Risk Solutions. Outubro/2014 FINANCIAL LINES

Aon Risk Solutions. Outubro/2014 FINANCIAL LINES Aon Risk Solutions Outubro/2014 Aon Risk Solutions Aon Corporation Líder mundial em consultoria de seguros, gerenciamento de riscos e benefícios para funcionários e executivos; Maior corretora mundial

Leia mais

Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada

Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada Novembro/2001 SUMÁRIO: I) Introdução II) Análise Comparada III) Projeções e Conclusões Francisco Galiza Consultor e Mestre

Leia mais

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35%

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35% MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS JAN A ABRIL 2011 Tomando por base os números divulgados hoje pela SUSEP através do sistema de informações SES (que tem como fonte os FIPS enviados pelas empresas) o mercado

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Elaboração: Maurício Tadeu Barros Morais Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Agenda 1. Mercado Brasileiro principais

Leia mais

1T11. Principais. Destaques. Qualidade da Carteira de Crédito 4T09 3T09 4T08. 4T09 x 4T08

1T11. Principais. Destaques. Qualidade da Carteira de Crédito 4T09 3T09 4T08. 4T09 x 4T08 1T11 Disclaimer Todas as informações financeiras aqui apresentadas são consolidadas, abrangendo as demonstrações financeiras do Banco, suas controladas, a JMalucelli Seguradora, a JMalucelli Seguradora

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 362, de 26 de março de 2008.

CIRCULAR SUSEP N o 362, de 26 de março de 2008. MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados CIRCULAR SUSEP N o 362, de 26 de março de 2008. Estabelece regras para a Nota Técnica Atuarial de Carteira que deverá ser encaminhada com o Plano

Leia mais

Royal & SunAlliance Seguros

Royal & SunAlliance Seguros Royal Acidentes Pessoais O maior patrimônio de uma empresa são as pessoas. Por isso, o Royal Acidentes Pessoais garante a tranqüilidade dos funcionários e de suas famílias diante de imprevistos ocorridos.

Leia mais

da apólice Muito além Pode parecer estranho, mas a Gestão patrimonial

da apólice Muito além Pode parecer estranho, mas a Gestão patrimonial Surpreendida por um incêndio em 2005, loja Confiança Max recebeu a indenização da seguradora e reabriu um mês depois com novo layout Muito além da apólice Na hora de fazer o seguro, empresas do setor devem

Leia mais

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS PATRIMONIAIS www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS COMPREENSIVOS Nilso Gonçalves Membro Comissão Ramos Diversos PDES Seguros Compreensivos

Leia mais

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar.

Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. Ao seu lado, onde você estiver, no que você precisar. 0 0 Participação da Indústria no PIB - Internacional Prêmios/PIB em % (2004) 1 1 A Indústria de Seguros no Brasil Desde a implantação do Plano Real,

Leia mais

Laudo de Avaliação da AGF Brasil Seguros S.A.

Laudo de Avaliação da AGF Brasil Seguros S.A. Laudo de Avaliação da AGF Brasil Seguros S.A. 15 de Dezembro de 2004 CONFIDENCIAL Este laudo de avaliação foi preparado pelo Banco Santander Brasil S.A. ( Santander ) para fins da oferta pública de aquisição

Leia mais

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Pauta da apresentação 1º Estrutura do Setor 2º Representação Institucional do Setor 3º Arrecadação Visão por

Leia mais

Comissão Permanente de Licitação Para: pedro.cobalea@colemont.com.br Data 1/10/2008 14:04 Assunto: Esclarecimentos Pregão 11/2008. Caro Sr.

Comissão Permanente de Licitação Para: pedro.cobalea@colemont.com.br Data 1/10/2008 14:04 Assunto: Esclarecimentos Pregão 11/2008. Caro Sr. De Comissão Permanente de Licitação Para: pedro.cobalea@colemont.com.br Data 1/10/2008 14:04 Assunto: Esclarecimentos Pregão 11/2008 Caro Sr. Pedro, Seguem as respostas fornecidas pelo Setor que elaborou

Leia mais

licitacao@crcrj.org.br - 20/05/2015 01:00:38 pm -0200 - iso-8859-1 - Open WebMa...

licitacao@crcrj.org.br - 20/05/2015 01:00:38 pm -0200 - iso-8859-1 - Open WebMa... Página 1 de 8 Data: Tue, 19 May 2015 17:04:03-0200 De: "licitacao" Para: jorge.sousa@aig.com Assunto: Fw: Re: Esclarecimento 01 Licitação - PE/0009/2015 - CRC RJ - CONSELHO REGIONAL

Leia mais

O mundo é melhor quando a vida é mais segura. Prontos para o amanhã

O mundo é melhor quando a vida é mais segura. Prontos para o amanhã O mundo é melhor quando a vida é mais segura. Prontos para o amanhã AIG Marca sinônimo de excelência em gestão de riscos. Com atuação global, a AIG é reconhecida como referência no mercado de seguros.

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Escola Nacional de Seguros

Escola Nacional de Seguros Escola Nacional de Seguros Seminário Seguros de Riscos Ambientais e Seguros de Responsabilidade Civil Geral no Brasil Palestra: Seguros de Riscos Ambientais: estágio de desenvolvimento atual São Paulo,

Leia mais

Tecle ENTER para iniciar.

Tecle ENTER para iniciar. Tecle ENTER para iniciar. Energia Energias Renováveis Um mercado em ascensão Gerson CMS Raymundo São Paulo, Nov 2013 Agenda Allianz Investimentos e Seguros Informações necessárias para a contratação O

Leia mais

Categoria: Case: PAMTAX

Categoria: Case: PAMTAX PRÊMIO ANSP 2005 Categoria: Empresas de Prestação de Serviços Case: PAMTAX 2 Í N D I C E SINOPSE Pág. 4 PROBLEMA Pág. 5 A situação das seguradoras Pág. 6 A situação das transportadoras Pág. 8 SOLUÇÃO Pág.

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Energias Renováveis. Seguros de Infraestrutura. Gerson CMS Raymundo. São Paulo, Junho 2013

Energias Renováveis. Seguros de Infraestrutura. Gerson CMS Raymundo. São Paulo, Junho 2013 Energias Renováveis Seguros de Infraestrutura Gerson CMS Raymundo São Paulo, Junho 2013 Contato Grandes Riscos Gerson CMS Raymundo (11) 3171-6637 (11) 9.9912-6944 gerson.raymundo@allianz.com.br Agenda

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

Características Gerais dos Seguros de Transportes Internacionais: I Condições Gerais;

Características Gerais dos Seguros de Transportes Internacionais: I Condições Gerais; Coberturas de Riscos UNIDADE III: Seguros: modalidades, custos e legislação internacional do setor. Cláusulas e condições gerais das apólices de seguros Características Gerais dos Seguros de Transportes

Leia mais

Relatório de evolução da atividade seguradora

Relatório de evolução da atividade seguradora Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 214 I. Produção e custos com sinistros 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência 1 Brasil Entre as Maiores Economias do Mundo Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência O Mundo do Seguro e Previdência Desafios

Leia mais

Estatísticas de Seguros

Estatísticas de Seguros Estatísticas de Seguros 2009 Autoridade de Supervisão da Actividade Seguradora e de Fundos de Pensões Autorité de Contrôle des Assurances et des Fonds de Pensions du Portugal Portuguese Insurance and Pension

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES Crescimento de volume de negócios: + 5.1% a valores e taxas

Leia mais

5 Análise dos Resultados Seguro de Vida

5 Análise dos Resultados Seguro de Vida Capítulo 5 Análise dos Resultados - Seguro de Vida 5 Análise dos Resultados Seguro de Vida Este capítulo tem como objetivo a análise dos resultados obtidos através da modelagem dos dados de uma seguradora.

Leia mais

Direito Empresarial II. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Empresarial II. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Empresarial II Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Contratos Aula 19 Contratos: Teoria Geral; Classificação; Requisitos; Objetos; Elementos; Contratos em Espécie: Compra

Leia mais

:: SEI / CADE - 0056816 - Parecer ::

:: SEI / CADE - 0056816 - Parecer :: Página 1 de 9 Ministério da Justiça - MJ Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE SEPN 515 Conjunto D, Lote 4 Ed. Carlos Taurisano, 2º andar - Bairro Asa Norte, Brasília/DF, CEP 70770-504 Telefone:

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS

OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS OS IMPACTOS MACROECONÔMICOS NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO: O QUE APRENDEMOS NAS DUAS ÚLTIMAS DÉCADAS José Aguiar Superintendente - Abecip Rio de Janeiro, 18 de Setembro de 2014 AGENDA: Overview Pilares do crescimento

Leia mais

A Colocação do Resseguro Facultativo. Marcus Clementino Março/2013

A Colocação do Resseguro Facultativo. Marcus Clementino Março/2013 1 A Colocação do Resseguro Facultativo Marcus Clementino Março/2013 Marcus Clementino 2 Formação Acadêmica Engenheiro de Sistemas - PUC/RJ - 1971 Ph.D. em Matemática Aplicada - London School of Economics

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. Estabelece, altera e consolida as regras e critérios complementares de funcionamento e de operação dos contratos de seguros de automóveis, com inclusão

Leia mais

Apresentação PCC Outubro 2012 HIGHDOME PCC

Apresentação PCC Outubro 2012 HIGHDOME PCC Apresentação PCC Outubro 2012 HIGHDOME PCC Índice 1. Retenção de risco o porquê 2. A solução Cativa 3. PCC o conceito 4. Apresentação da HighDome 4.1. A empresa 4.2. Mercado-alvo 4.3. Serviços 4.4. Subscrição

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS DA COBERTURA BÁSICA DE RESPONSABILIDADE CIVIL DE CONDOMÍNIOS COMERCIAIS (SHOPPING-CENTER)

CONDIÇÕES ESPECIAIS DA COBERTURA BÁSICA DE RESPONSABILIDADE CIVIL DE CONDOMÍNIOS COMERCIAIS (SHOPPING-CENTER) CONDIÇÕES ESPECIAIS DA COBERTURA BÁSICA DE RESPONSABILIDADE CIVIL DE CONDOMÍNIOS COMERCIAIS (SHOPPING-CENTER) Cláusula 1ª - RISCOS COBERTOS 1.1. Considera-se risco coberto a responsabilidade civil do segurado,

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE GESTÃO DO RISCO FLORESTAL

ESTRATÉGIAS DE GESTÃO DO RISCO FLORESTAL ESTRATÉGIAS DE GESTÃO DO RISCO FLORESTAL Seminário UNAC LISBOA, 18 DE MARÇO DE 2010 CRÉDITO AGRÍCOLA SEGUROS SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO DA CA SEGUROS 2. DEFINIÇÃO DE SEGURO 3. O SEGURO DE INCÊNDIO FLORESTAL

Leia mais

SCOR GLOBAL LIFE FENAPREVI II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MARKETING & VENDAS VIDA E PREVIDÊNCIA

SCOR GLOBAL LIFE FENAPREVI II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MARKETING & VENDAS VIDA E PREVIDÊNCIA SCOR GLOBAL LIFE FENAPREVI II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MARKETING & VENDAS VIDA E PREVIDÊNCIA Julho 2009 Impacto da Crise Mundial - Seguro de Vida Industria de Seguros de Vida não foi tão afetada quanto

Leia mais

cargas tributárias para empresas no mundou

cargas tributárias para empresas no mundou Cliente: UHY Moreira Data: 04/10/2011 Veículo: Site Sped Contábil - Porto Alegre Seção/ Pág. : Impostos e Tributos HUhttp://spedcontabilspedfiscal.com.br/impostos-tributacao-arrecadacao/carga-tributaria-brasil-temuma-das-maiores-cargas-tributarias-para-empresas-no-mundo/U

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

ACE SEGURADORA SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL

ACE SEGURADORA SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL ACE SEGURADORA SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL São Paulo, 2008 1 Seguro de Responsabilidade Civil de Empresas de Tecnologia E&O Luiz Antonio Oliveira ACE Seguradora S.A. GRUPO ACE Criada

Leia mais

Limite de Retenção Orientações da Susep ao Mercado

Limite de Retenção Orientações da Susep ao Mercado Limite de Retenção Orientações da Susep ao Mercado JUNHO/2013 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. Área Responsável... 2 1.2. Base Legal... 2 1.3. Abrangência... 2 1.4. Contextualização... 2 2. LIMITE DE RETENÇÃO...

Leia mais

EXPOSIÇÃO DIDÁTICA SOBRE A ABERTURA DO MERCADO DE RESSEGUROS NO BRASIL

EXPOSIÇÃO DIDÁTICA SOBRE A ABERTURA DO MERCADO DE RESSEGUROS NO BRASIL RELATÓRIOS DE PESQUISA EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO v.13, Série B. n.1, p. 1-7 EXPOSIÇÃO DIDÁTICA SOBRE A ABERTURA DO MERCADO DE RESSEGUROS NO BRASIL Deborah Tinoco Ribeiro deborahtinoco@yahoo.com.br Marcus

Leia mais

40 MIL VEÍCULOS E 200 MIL VIDAS. seguradas por todo o Brasil. 150 MILHÕES. em prêmios de seguros anuais.

40 MIL VEÍCULOS E 200 MIL VIDAS. seguradas por todo o Brasil. 150 MILHÕES. em prêmios de seguros anuais. 40 MIL VEÍCULOS E 200 MIL VIDAS seguradas por todo o Brasil. 150 MILHÕES em prêmios de seguros anuais. SÃO MAIS DE 100 COLABORADORES FORMANDO UMA EQUIPE PREPARADA E EFICIENTE Investimos o máximo possível

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. Estabelece, altera e consolida as regras e critérios complementares de funcionamento e de operação dos contratos de seguros de automóveis, com inclusão

Leia mais

Norte de nossas vidas. Quando finalmente descobrimos todas as respostas... muda todas as perguntas...

Norte de nossas vidas. Quando finalmente descobrimos todas as respostas... muda todas as perguntas... ndicadores de Performance ara a gestão de resultados Norte de nossas vidas Quando finalmente descobrimos todas as respostas... aparece a vida e muda todas as perguntas... Medindo o sucesso nos negócios...

Leia mais

SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. firesafetybrasil@gmail.com

SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. firesafetybrasil@gmail.com SISTEMA GLOBAL DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO firesafetybrasil@gmail.com RELAÇÃO ENTRE OS FATORES CONDICIONANTES DE RISCO E AS DISTINTAS CATEGORIAS DE RISCO RELAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA ENTRE AS CINCO CATEGORIAS

Leia mais

MULTIRRISCO ITAÚ Apólice de Seguro

MULTIRRISCO ITAÚ Apólice de Seguro MULTIRRISCO ITAÚ Apólice de Seguro Nº de Apólice: 1-18-4547338-0 Vigência: 18/09/2011 A 18/09/2012 Nº da Proposta: 92114084 Dados do CONCESSIONARIA DA ROD OSORIO S/A 1.654.604/0001-14 Segurado RUA GOMES

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA

APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA APÓLICE/ENDOSSO DE SEGURO GARANTIA Apólice: 024612013000107750002827 Processo SUSEP : 15414.004045/2010-49 Endosso: 0000000 Número de Controle Interno: 7202Ě CONDIÇÕES PARTICULARES A Austral Seguradora

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES.Nº 83/99 GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Recomendação Nº

Leia mais

N SEGURADO DADOS DO SEGURADO FACULDADES CATOLICAS 3039218 33.555.921/0001-70 LOCAL DE COBRANÇA / CORRESPONDÊNCIA CEP R ACRE 47 20081-000

N SEGURADO DADOS DO SEGURADO FACULDADES CATOLICAS 3039218 33.555.921/0001-70 LOCAL DE COBRANÇA / CORRESPONDÊNCIA CEP R ACRE 47 20081-000 SEGURADO DADOS DO SEGURADO N SEGURADO FACULDADES CATOLICAS 3039218 33.555.921/0001-70 LOCAL DE COBRANÇA / CORRESPONDÊNCIA CEP R ACRE 47 20081-000 CIDADE RIO DE JANEIRO UF RJ DADOS DA E-MAIL RAMO CONTRATO

Leia mais

(MLRV) SEGURO D&O JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) SEGURO D&O JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 SEGURO D&O JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: D&O é uma abreviação da expressão em inglês Directors and Officers Liability Insurance. Este seguro

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T11

Divulgação de Resultados 3T11 Divulgação de Resultados 3T11 15 de Novembro de 2011 Palestrantes Luis Eduardo Fischman Diretor Financeiro e de RI José Ricardo Brun Fausto Diretor Operacional 2 Disclaimer Esta apresentação não constitui

Leia mais