REVISTA SABER ACADÊMICO N 16 / ISSN FRANCISCO, L. A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVISTA SABER ACADÊMICO N 16 / ISSN 1980-5950 FRANCISCO, L. A. 2013."

Transcrição

1 51 Artigo EMPREENDEDORISMO SOCIAL COMO INSTRUMENTO PARA O SERVIÇO SOCIAL: OPORTUNIDADE DE INTERDISCIPLINARIDADE DE CONHECIMENTOS. FRANCISCO, L. A. 1 Nome Completo: Luciano Alves Francisco Artigo submetido em: 15/08/2013 Aceito em: 21/09/2013 Correio eletrônico: RESUMO Seguindo o principio de constante aprimoramento intelectual do profissional de Serviço Social, a incorporação do conjunto de ações do empreendedorismo social tal qual compartilha dos mesmos objetivos- contribuem para uma atuação profissional diferenciada e flexível, visto que há diversas limitações para o profissional principalmente na área privada, propondo visar meios empreendedores de se pensar, planejar, executar programas, projetos com perspectivas de resultados satisfatórios tanto à instituição quanto à categoria, buscando apoio em teorias do próprio Empreendedorismo Social, que apesar de ser relativamente novo o tema, já demonstra uma área digna de atenção, nas próprias instituições especializadas em apoiar ideais voltadas ao enfrentamento de problemas sociais - as chamadas aceleradoras de negócios sociais - apresentado exemplos de negócios sociais pelo Brasil e pelo mundo, e ainda majoritariamente nas bases disponíveis ao Assistente Social, não retirando total dever do Estado sobre dar respostas às demandas, mas também articulando conhecimentos e ações paralelas para tal atuação. Palavras-chave: Empreendedorismo Social, Interdisciplinaridade, negócios sociais. 1 Graduando em Serviço Social na Uniesp Fapepe.

2 ABSTRACT Following the principle of constant intellectual improvement of professional Social Work, to incorporate the set of actions of social entrepreneurship - as it shares the same goals, contribute to a differentiated and flexible professional practice, since there are several limitations to the professional mainly in the area private, proposing ways to target entrepreneurs to think, plan, execute programs, projects with prospects for satisfactory results to both the institution and the category, seeking support for theories of their own Social Entrepreneurship, which despite being relatively new theme, now shows an area worthy of attention, in the institutions that specialize in supporting ideals aimed at coping with social problems - so-called " social business accelerator " - presented examples of social businesses in Brazil and the world, and still mostly in bases available to the social worker, not removing full duty on the State to respond to the demands, but also articulating knowledge and parallel actions for such action. Key-Words: Social Entrepreneurship, interdisciplinarity, social business. 52 INTRODUÇÃO O assistente Social, munido do dever de sempre se aprimorar intelectualmente, é um profissional crítico e flexível, porém encontra e encontrará muitas barreiras colocadas pelo sistema para sua atuação transformadora, já que a busca pela nova ordem societária colide de frente com a reestruturação do sistema vigente, que por si só fará o possível para se manter e consequentemente limitar ações que à ela for prejudicial, porém, esta é uma perspectiva comum à categoria e repassada aos profissionais que naturalmente buscará metodologias que consigam gerar resultados eficazes - a atuação nas brechas do sistema - e é em especial numa delas que percebo a interdisciplinaridade que pode trazer uma contribuição significativa ao Serviço Social diante à essa questão. O EMPREENDEDORISMO SOCIAL O empreendedorismo social trás uma nova visão de relação entre os problemas sociais e a sociedade, mas devo ressaltar que apesar do seguinte ideal posteriormente explicado, o total dever do Estado em atender a essas demandas continua majoritário, porem a proposta é que ele não seja o único, pois trata-se do pressuposto que o Estado em si não consegue atender a todas as demandas de forma eficaz, então se é colocado como proposta de também responsabilidade para as empresas, que hoje são vistas como uma das principais causas dos problemas sociais, e realmente é, se buscando uma analise sobre seus impactos na vida do trabalhador, porém, aderindo à seus objetivos, o dever de aliar suas ações com a

3 53 transformação social na comunidade através de fornecer possibilidades para que a comunidade possa gerar renda pessoal ao invés de apenas atuar nela como fonte de consumidores de seus produtos, a empresa continuaria lucrando e ao mesmo tempo prestando um serviço produtivo à população ao contrario da atual responsabilidade social criticada por ter suas bases na filantropia, que sabemos não ser uma emancipadora do cidadão e que causa comodismo por parte do beneficiário, além de consolidar a ideia de que a empresa só está remediando seus próprios frutos. Essa nova categoria pode inicialmente ser entendida segundo a organização mundial ASHOKA/EUA, como Os empreendedores sociais são indivíduos visionários, que possuem capacidade empreendedora e criatividade para promover mudanças sociais de longo alcance em seus campos de atividade. São inovadores sociais que deixarão sua marca na história. O interessante é que há semelhanças com as características do profissional de Serviço Social, mesmo que pareça inicialmente contraditório por envolver o empreendedorismo, mas é exatamente essa união a proposta diferenciada que trará a oportunidade de novas maneiras de enfrentamento da Questão social. Como exemplo de maior negócio social empreendedor nessa área, que por sinal deu origem aos primeiros conceitos de negócios sociais e portanto o empreendedorismo social na prática em si, foi o chamado Grameen Bank, especializado em microcrédito, situado em Bangladesh, a partir de um experimento realizo pelo professor universitário Muhammad Yunus em 1976, em que ele emprestou uma pequena quantia para um numero de mulheres de sua cidade, com o fim de "financiar" a compra de materiais para artesanato que precisavam, livrando-as assim de agiotas com sistemas "não-legais" e facilitando esse empréstimo. A surpresa foi quando depois de um tempo, os empréstimos foram devolvidos pontualmente, dando a ideia de ampliar esse processo. Com a expansão e sucesso desse microcrédito pela região e posteriormente para outros países, o Grameen Bank ganhou o nobel da paz em 2006 junto com seu fundador, e hoje, 90% das ações são da população pobre a qual ele serve, e 10% do governo de Bangladesh, que entre o período de expansão, obteve contribuição do Banco Central de Bangladesh para esse feito. Aqui no Brasil, devidamente contextualizado às demandas, com inspirações nesse modelo de empreendedorismo temos o Banco pérola que também vem gerando resultados produtivos na sua atuação, o que demonstra que o empreendedorismo, desvinculado dos estereótipos capitalistas, e sim vinculado à causa do enfrentamento do problema social e principalmente se adicionado às contribuições do Serviço Social, no campo de atuação do

4 54 profissional, haveria um interessante meio de se elaborar programas ou afins que se unissem a essas técnicas empreendedoras por serem relativamente mais livres de "amarras" institucionais e falta de recursos financeiros suficientes. NOVAS POSSIBILIDADES POSTAS AO EMPREENDEDOR SOCIAL O empreendedorismo social trás ao Serviço social, o perfil de empreendedor, utilizando técnicas e ideais do mercado de trabalho para a atuação do profissional, pois o sistema atual vigente comanda todas as relações conforme seu modelo, portanto, aqueles que nadarem contra a corrente, encontrará mais dificuldades e barreiras, a incorporação na atuação desse estilo empreendedor, colocaria do lado do assistente social um instrumento adequado para atingir objetivos, já que mesmo instituições sociais sigam características de organizações tradicionais como o pouco investimento em inovações aparentemente arriscadas, marketing e propaganda e menor incentivo financeiro por parte do governo, tanto que dados mostram que instituições crescem esmagadoramente menor em relação às empresas, o que se deduz que as instituições possuem intrinsecamente essas limitações, que poderiam ser repensadas por Assistentes Sociais que tivessem esse perfil empreendedor. Em contra partida, cabe ao Assistente Social melhor aproveitamento do empreendedorismo, porque a formação do Serviço Social compreende uma carga intelectual extremamente maior e mais ampla em relação ao entendimento da estrutura da sociedade, relações trabalho e capital, a história em si, a visão critica da realidade e a intervenção nela, e paralelamente também importante é o não-ferimento ao código de ética do assistente social, apesar de que possa gerar criticas quanto a essa incorporação capitalista, mesmo que ela possa de certa forma adapta-lo ao atual processo, porém há o pluralismo para que se possa discutir e debater sobre o tema. Porem, deve-se destacar que a qualificação do profissional com ambas visões tenha domínio completo de planejamento, obter caráter visionário e estratégico para que não caia em índices que mostram que cerca de 60% de planos não realizados eficazmente fracassam em menos de 3 anos, exigindo-se então desse profissional aquilo que no Serviço Social já temos ligado a tudo apreendido até então, o constante aprimoramento intelectual, tal qual se certo direcionado, principalmente se seguido planejamentos completos que estudam previsões, alcance, dentre outros, no mínimo reduziriam riscos de fracasso e permitiriam um maior controle ao profissional.

5 55 CONSIDERAÇÕES FINAIS Por fim, a interdisciplinaridade de tais profissões, visto que ainda não há regulamentação para a profissão de empreendedor social, porém haja perspectivas de crescimento e investimento na área, proporciona contribuições teóricas e metodológicas entre as duas, que as complementam, e que futuramente possa ser entendida como um instrumento a mais para o profissional de Serviço Social dentro das instituições, ONGs e também na iniciativa privada.

6 56 REFERÊNCIAS MUHAMMED, Y., O banqueiro dos Pobres. Ed. Atica MUHAMMED, Y. Building Social Business: The New Kind of Capitalism That Serves Humanity's Most Pressing Needs. Public Affairs, 2010

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto*

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* *Carlos Daniel Baioto é professor de pós-graduação em gestão cooperativa na Unisinos, São Leopoldo, RS. É consultor nas áreas de projetos de tecnologias

Leia mais

TÍTULO: NEGÓCIOS SOCIAIS: UMA GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA O TERCEIRO SETOR

TÍTULO: NEGÓCIOS SOCIAIS: UMA GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA O TERCEIRO SETOR TÍTULO: NEGÓCIOS SOCIAIS: UMA GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA O TERCEIRO SETOR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SÃO VICENTE AUTOR(ES): EDILEIS

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM EM CABO VERDE: necessidades e oportunidades

EMPREENDEDORISMO JOVEM EM CABO VERDE: necessidades e oportunidades Ana Teresa Dias Valente Marline Morais Conceição Vieira de Carvalho Ana Teresa Dias Valente Morais EMPREENDEDORISMO JOVEM EM CABO VERDE: necessidades e oportunidades Dissertação de Mestrado em Intervenção

Leia mais

Quem Somos. www.microcredito.com.pt

Quem Somos. www.microcredito.com.pt Com o Apoio : Quem Somos Fundada em 1998, a ANDC Associação Nacional de Direito ao Crédito é uma associação sem fins lucrativos, pioneira na implementação do Microcrédito em Portugal. Foi criada com o

Leia mais

O banqueiro dos pobres

O banqueiro dos pobres 24 O banqueiro dos pobres Muhammad Yunus 1ª edição the autobiography of Muhammad Yunus, founder of the Grameen Bank Aurum Press, 1998 288 p, (capa dura) 978-1854105776 Edição atual nos Estados Unidos micro

Leia mais

CREDIBAHIA : O Programa de Microcrédito do Estado da Bahia RESUMO

CREDIBAHIA : O Programa de Microcrédito do Estado da Bahia RESUMO CREDIBAHIA : O Programa de Microcrédito do Estado da Bahia Caio Márcio Ferreira Greve 1 RESUMO O presente artigo faz uma rápida descrição da modalidade de crédito intitulada Microcrédito, e como ela se

Leia mais

Compartilhando Energia Humana. Sharing Human Energy

Compartilhando Energia Humana. Sharing Human Energy Compartilhando Energia Humana Sharing Human Energy A Chevron Brasil tem como estratégia e valor um plano de investimento social voltado para o incentivo à qualificação profissional e ao empreendedorismo

Leia mais

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO Karen Ramos Camargo 1 Resumo O presente artigo visa suscitar a discussão acerca dos processos de trabalho do Serviço Social, relacionados

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E TRABALHO INTERDISCIPLINAR

SERVIÇO SOCIAL E TRABALHO INTERDISCIPLINAR SERVIÇO SOCIAL E TRABALHO INTERDISCIPLINAR Fátima Grave Ortiz é assistente social, mestre e doutora em Serviço Social pela UFRJ. É professora da Escola de Serviço Social da mesma universidade, e compõe

Leia mais

O termo negócio social foi cunhado inicialmente por Muhammad Yunus, indiano, doutor em Economia, professor e laureado com o Prêmio Nobel da Paz em

O termo negócio social foi cunhado inicialmente por Muhammad Yunus, indiano, doutor em Economia, professor e laureado com o Prêmio Nobel da Paz em Negócio Social O termo negócio social foi cunhado inicialmente por Muhammad Yunus, indiano, doutor em Economia, professor e laureado com o Prêmio Nobel da Paz em 2006 Classifica um determinado empreendimento

Leia mais

PROTEÇÃO ITAÚ MICROCRÉDITO

PROTEÇÃO ITAÚ MICROCRÉDITO PROTEÇÃO ITAÚ MICROCRÉDITO Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga Inovação em seguros edição 2012 CONTEÚDO 1 Introdução... 2 2 Objetivo... 3 3 Desenvolvimento do trabalho... 4 Parceria entre as duas áreas

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local 1 Por: Evandro Prestes Guerreiro 1 A questão da Responsabilidade Social se tornou o ponto de partida para o estabelecimento

Leia mais

Empreendedorismo Sustentável. Cândido Borges

Empreendedorismo Sustentável. Cândido Borges Empreendedorismo Sustentável Cândido Borges Cândido Borges, 2013 AGENDA 1. Empreendedorismo sustentável 2. Tipos de empreendedorismo sustentável 3. Alguns desafios dos empreendedores sustentáveis 4. Jovens

Leia mais

MICROFINANÇAS. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

MICROFINANÇAS. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil MICROFINANÇAS Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 19/A

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 19/A 9 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 19/A QUESTÃO 16 O Capítulo II das Entidades de Atendimento ao Idoso, da Lei nº 10.741, de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, coloca no Parágrafo Único

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

REVISTA SABER ACADÊMICO N 16 / ISSN 1980-5950 SQUIZATTO, E. P. S. 2013.

REVISTA SABER ACADÊMICO N 16 / ISSN 1980-5950 SQUIZATTO, E. P. S. 2013. 86 Artigo original A PRÁXIS PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL SQUIZATTO, E. P. S. 1 Nome Completo Ediléia Paula dos Santos Squizatto Artigo submetido

Leia mais

Recursos Próprios. Amigos e Familiares

Recursos Próprios. Amigos e Familiares Recursos Próprios Chamado de booststrapping, geralmente é a primeira fonte de capital utilizada pelos empreendedores. São recursos sem custos financeiros. O empreendedor tem total autonomia na tomada de

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO FUNDO COMUM PARA OS PRODUTOS BÁSICOS (FCPB) BUSCA CANDIDATURAS A APOIO PARA ATIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS PRODUTOS BÁSICOS Processo de

Leia mais

SOMOS TOD@S UFRB. Síntese da Proposta de Trabalho

SOMOS TOD@S UFRB. Síntese da Proposta de Trabalho SOMOS TOD@S UFRB Síntese da Proposta de Trabalho Chapa SOMOS TOD@S UFRB Reitor: Silvio Soglia Vice-Reitora: Georgina Gonçalves "Aquele que quer aprender a voar um dia precisa primeiro aprender a ficar

Leia mais

Fontes de Financiamento para Capital de Giro

Fontes de Financiamento para Capital de Giro Fontes de Financiamento para Capital de Giro Camila Diniz Paulo Victor Alan Jivago OBJETIVOS APRESENTAR CONCEITUALMENTE AS MODALIDADES DE FINANCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO Das atividades operacionais da

Leia mais

Health Innovation. 54 HEALTHCARE Management 36 julho agosto 2015 healthcaremanagement.com.br

Health Innovation. 54 HEALTHCARE Management 36 julho agosto 2015 healthcaremanagement.com.br Health Innovation 54 HEALTHCARE Management 36 julho agosto 2015 healthcaremanagement.com.br Inovação na Saúde Um vasto território a ser explorado Ainda há uma longa estrada a ser percorrida quando o assunto

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

Aspectos relevantes do microseguro e do seguro popular. Por Carlos Eduardo Cavalcante Ramos

Aspectos relevantes do microseguro e do seguro popular. Por Carlos Eduardo Cavalcante Ramos 1 Aspectos relevantes do microseguro e do seguro popular Por Carlos Eduardo Cavalcante Ramos Definição e público alvo. Produtos e canais de distribuição. Regulamentação do microsseguro no Brasil. Tendências

Leia mais

OPINIÃO DOS ATORES. Microcrédito, ocupação e renda Sérgio Moreira. Do microcrédito às microfinanças Monica Valente. Microcrédito

OPINIÃO DOS ATORES. Microcrédito, ocupação e renda Sérgio Moreira. Do microcrédito às microfinanças Monica Valente. Microcrédito OPINIÃO DOS ATORES Microcrédito, ocupação e renda Sérgio Moreira Do microcrédito às microfinanças Monica Valente Microcrédito Tânia Machado Microcrédito como instrumento de desenvolvimento econômico e

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A educação é um dos pilares da sociedade e no nosso emprego não é diferente. Um povo culto está mais preparado para criar, planejar e executar os projetos para

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO.

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANALYSES OF TEN YEARS OF SCIENTIFIC PRODUCTION OF THE JOURNAL CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS

Leia mais

Trilha II Economia da Internet

Trilha II Economia da Internet Trilha II Economia da Internet Exposições das(os) Painelistas Posicionamentos Vicente Aguiar (Colivre, terceiro setor) As corporações ligadas à Economia da Internet mantém, ou mesmo aprofundam, os padrões

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Capital de risco: oportunidade de financiamento para as empresas de base tecnológica

Capital de risco: oportunidade de financiamento para as empresas de base tecnológica Capital de risco: oportunidade de financiamento para as empresas de base tecnológica Heloise das Neves Balan Nathalie Aparecida dos Santos Rôas RESUMO - O presente trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

Oportunidade de Negócios e Desafios por meio da Cooperação Internacional

Oportunidade de Negócios e Desafios por meio da Cooperação Internacional Oportunidade de Negócios e Desafios por meio da Cooperação Internacional Chiaki Kobayashi Kobayashi.Chiaki@jica.go.jp Agência de Cooperação Internacional do Japão(JICA) 1 O que é a Agência de Cooperação

Leia mais

A Educação Inclusiva, realidade ou utopia?

A Educação Inclusiva, realidade ou utopia? A Educação Inclusiva, realidade ou utopia? Gloria Contenças Marques de Arruda (Escola Municipal Luiz de Lemos) Baseado em informações dos conteúdos estudados, Michels (2006) diz que "[...] as reformas

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

O MUNDO ESTÁ MUDANDO, RÁPIDO.

O MUNDO ESTÁ MUDANDO, RÁPIDO. O MUNDO ESTÁ MUDANDO, RÁPIDO. SUCESSÃO DO PAPA EM 2005 SUCESSÃO DO PAPA EM 2013 FOTOGRAFIAS: LUCA BRUNO MICHAEL SOHN VIVEMOS EM UM MUNDO LÍQUIDO COM ORGANIZAÇÕES SÓLIDAS. ZYGMUNT BAUMANN sociólogo polonês

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

Serviço Social e o Trabalho Social em Habitação de Interesse Social. Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz Novembro de 2015

Serviço Social e o Trabalho Social em Habitação de Interesse Social. Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz Novembro de 2015 Serviço Social e o Trabalho Social em Habitação de Interesse Social Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz Novembro de 2015 Sobre o trabalho social O trabalho social nos programas de, exercido pelo (a) assistente

Leia mais

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO.

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. São Paulo - SP 2016 RENAN ROCHA ALVES - RA: 6448758 E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS INCUBADORAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DAS INCUBADORAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DAS INCUBADORAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Antonio Armando Santos Menezes 1 Jonatas da Silva Dias 2 José Rogério Vieira de Matos 3 Rosivaldo Andrade do Nascimento

Leia mais

Inclusão bancária: bancos públicos efetivam seu papel social

Inclusão bancária: bancos públicos efetivam seu papel social Inclusão bancária: bancos públicos efetivam seu papel social Inclusão bancária Acesso a produtos e serviços bancários a cidadãos de baixa renda; Serviços bancários + preocupação social. Ações para inclusão

Leia mais

PRODUTOR CULTURAL EM DANÇA: APONTAMENTOS DE UMA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL CULTURAL PRODUCER IN DANCE: NOTES OF A PROFESSIONAL EXPERIENCE

PRODUTOR CULTURAL EM DANÇA: APONTAMENTOS DE UMA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL CULTURAL PRODUCER IN DANCE: NOTES OF A PROFESSIONAL EXPERIENCE PRODUTOR CULTURAL EM DANÇA: APONTAMENTOS DE UMA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Mariana Bittencourt Oliveira (UFRJ) i RESUMO: A partir da minha experiência no projeto de pesquisa Arriscado : um diálogo entre

Leia mais

Educação Empreendedora

Educação Empreendedora Educação Empreendedora José Dornelas.br Agenda Conceitos Metodologias e referências mundiais Estado da arte O que ainda precisa ser feito Exemplos Empreendedorismo + Inovação = Prosperidade Empreendedorismo

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular Daiele Zuquetto Rosa 1 Resumo: O presente trabalho objetiva socializar uma das estratégias de integração curricular em aplicação

Leia mais

Marins & Molnar Business Solutions

Marins & Molnar Business Solutions 1 2 Como Nasceu Um homem com uma idéia nova é um excêntrico... até que a idéia dê certo 3 Qualidade para Secretarias O papel único da secretaria no processo de sistematização da qualidade Seus componentes

Leia mais

Gestão de Competências em Redes de Organizações e Governança de Redes e de Arranjos

Gestão de Competências em Redes de Organizações e Governança de Redes e de Arranjos Gestão de Competências em Redes de Organizações e Governança de Redes e de Arranjos o que se discute na Academia e como usar na prática Sérgio Mecena, DSc. Laboratório Initiä de Inovação e Empreendedorismo

Leia mais

Gestão do Conhecimento na prática The Stocker Group S.A. La Concepción 177, Of. 11A Providencia Santiago - Chile Tel: (56-2) 8920220 The Stocker Group Perú SAC Pasaje Mártir Olaya 129, Oficina 1203 Centro

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Empreendedorismo de Negócios com Informática

Empreendedorismo de Negócios com Informática Empreendedorismo de Negócios com Informática Aula 5 Cultura Organizacional para Inovação Empreendedorismo de Negócios com Informática - Cultura Organizacional para Inovação 1 Conteúdo Intraempreendedorismo

Leia mais

UNIDADE 7 Fontes para obtenção de capital

UNIDADE 7 Fontes para obtenção de capital UNIDADE 7 Fontes para obtenção de capital Muitos empreendedores apontam como principal retardo para o crescimento das MPE s no Brasil a dificuldade em se obter financiamento, devido às exigências estabelecidas

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Cartilha do. Microempreendedor Individual. Microcrédito

Cartilha do. Microempreendedor Individual. Microcrédito Atualização: SEBRAE-SP - Unidade de Políticas Públicas e Relações Institucionais UPPRI - 13 maio 2013 Cartilha do 4 Microempreendedor Individual Microcrédito MICROCRÉDITO O QUE É? O microcrédito é a concessão

Leia mais

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social Não há dúvidas de que as tecnologias sociais têm um impacto substancial no modo como as empresas funcionam atualmente.

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS

Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS Novembro, 2013 1 Política e Sistema de Promoção e Proteção do Emprego PROPOSTA DAS CENTRAIS SINDICAIS Novembro, 2013

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Passar do Porquê para o Como : Recomendando Estratégias para permitir Negócios Inclusivos em Moçambique (e Zimbábwè)

Passar do Porquê para o Como : Recomendando Estratégias para permitir Negócios Inclusivos em Moçambique (e Zimbábwè) Passar do Porquê para o Como : Recomendando Estratégias para permitir Negócios Inclusivos em Moçambique (e Zimbábwè) SNV Moçambiquee SNV Zimbábwè, Maputo, 27 de Outubrode 2011 Albania Bangladesh Benin

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Andresa Léia de Andrade 1 e Daniela Pereira dos Reis de Almeida 2 1 Aluna do Curso de Arquivologia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE CONCORDÂNCIAS E DIVERGÊNCIAS SOBRE PREÇOS ENTRE CONSUMIDORES E EMPRESÁRIOS *Adalberto Brandalize 1

IDENTIFICAÇÃO DE CONCORDÂNCIAS E DIVERGÊNCIAS SOBRE PREÇOS ENTRE CONSUMIDORES E EMPRESÁRIOS *Adalberto Brandalize 1 RESUMO TERRA E CULTURA, ANO XVIII, Nº 35 73 IDENTIFICAÇÃO DE CONCORDÂNCIAS E DIVERGÊNCIAS SOBRE PREÇOS ENTRE CONSUMIDORES E EMPRESÁRIOS *Adalberto Brandalize 1 O objetivo deste trabalho é apresentar uma

Leia mais

e/ou o recorte dessa área sempre foi uma temática central para pensar a ação de formar profissionais. O professor universitário, historicamente,

e/ou o recorte dessa área sempre foi uma temática central para pensar a ação de formar profissionais. O professor universitário, historicamente, O COMPROMISSO DA UNIVERSIDADE NO EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA BROILO, Cecília Luiza UNISINOS ceciliab@unisinos.br FAGUNDES, Maurício César UNISINOS mc.fagundes@terra.com.br GOMES, Marta Quintanilha UNISINOS martaqg@unisinos.br

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO MICROCRÉDITO NO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

A UTILIZAÇÃO DO MICROCRÉDITO NO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL RESUMO A UTILIZAÇÃO DO MICROCRÉDITO NO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Alessandra de Souza Sposto * Rosimeire Aparecida de Souza Antão ** Tânia Maria Farias *** Tarcisio Campanholo **** Gustavo Gastardelli

Leia mais

A OUTRA FACE DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL A LUZ DAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS: A ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL EM FOCO

A OUTRA FACE DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL A LUZ DAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS: A ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL EM FOCO A OUTRA FACE DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL A LUZ DAS CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS: A ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL EM FOCO 622 Gisele Dayane Milani Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC.

Leia mais

Plano de Atividades 2015

Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 Instituto de Ciências Sociais Universidade do Minho 1. Missão Gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Sociais e áreas afins, assente na liberdade de pensamento,

Leia mais

RadarInovação-Setembrode2010. DanielSaadeGuilhermePereira

RadarInovação-Setembrode2010. DanielSaadeGuilhermePereira RadarInovação-Setembrode2010 DanielSaadeGuilhermePereira EMPRESA SOCIAL DE BASE TECNOLÓGICA: UM CAMINHO ENTRE CIÊNCIA E MERCADO O caráter social da transferência de tecnologia de instituições de ciência

Leia mais

Introdução. Brasil: Mapa do Desemprego. Nilo Otani

Introdução. Brasil: Mapa do Desemprego. Nilo Otani Nilo Otani Introdução Brasil - Censo 2010/IBGE: - 190 mi habitantes: 85% na cidade, 15% no campo; - 51% mulheres, 49% homens. 10% analfabetos. - 50% da população = rendimento mensal (familiar per capita/por

Leia mais

Workshop sobre gestão municipal e simplificação dos procedimentos de licenciamento: Reformas regulatórias na área de abertura de empresas

Workshop sobre gestão municipal e simplificação dos procedimentos de licenciamento: Reformas regulatórias na área de abertura de empresas Workshop sobre gestão municipal e simplificação dos procedimentos de licenciamento: Reformas regulatórias na área de abertura de empresas Frederic Bustelo Brasília, Brasil 20 de novembro, 2013 Por que

Leia mais

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL DAS AMÉRICAS Washington D. C - março 2014 NOME CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA TEMA PALAVRAS-CHAVE REDE SOCIAL EMPRESARIAL : CONNECT AMERICAS PRÁTICA INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Gestão de Propriedade Intelectual aplicada ao Desenvolvimento de Inovações e Aceleração de Empresas de Base Tecnológica

Gestão de Propriedade Intelectual aplicada ao Desenvolvimento de Inovações e Aceleração de Empresas de Base Tecnológica Gestão de Propriedade Intelectual aplicada ao Desenvolvimento de Inovações e Aceleração de Empresas de Base Tecnológica Resumo As experiências vivenciadas pela equipe da Accelera IP evidenciam a dificuldade

Leia mais

unidos pelas suas ideias

unidos pelas suas ideias especial unidos pelas suas ideias Especialistas em novos empreendimentos dão dicas para fazer sua startup decolar e explicam como usar o financiamento coletivo para concretizar objetivos 52 revista W W174.especial_starturpcrowdfunding.indd

Leia mais

As Agendas de Inovação dos Territórios Algumas reflexões INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA

As Agendas de Inovação dos Territórios Algumas reflexões INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA 1 O que é Inovação? Produção, assimilação e exploração com êxito da novidade, nos domínios económico e social. Livro Verde para a Inovação (Comissão Europeia, 1995) 2 Os territórios

Leia mais

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)?

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Divulgação Portal - METROCAMP Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Torne se um Trabalhador de Conhecimento (Kowledge Worker) de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

REVISTA CONTEÚDO UMA DISCUSSÃO SOBRE EMPREENDEDORISMO. Palavras-chave: empreendedorismo; desenvolvimento sustentável; brasil.

REVISTA CONTEÚDO UMA DISCUSSÃO SOBRE EMPREENDEDORISMO. Palavras-chave: empreendedorismo; desenvolvimento sustentável; brasil. UMA DISCUSSÃO SOBRE EMPREENDEDORISMO Clever Eduardo Zuin Lobo 1 RESUMO Este artigo faz uma discussão sobre a importância do empreendedorismo, bem como de assuntos estreitamente relacionados com este tema,

Leia mais

V Seminário Banco Central sobre Microfinanças

V Seminário Banco Central sobre Microfinanças V Seminário Banco Central sobre Microfinanças - Depoimento sobre criação de SCM - Motivos que levaram a decisão de criar - Bases e Princípios que precisam ser levados em conta - O que a experiência tem

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

Empreendedorismo: Fator Chave para o Êxito Profissional

Empreendedorismo: Fator Chave para o Êxito Profissional Empreendedorismo: Fator Chave para o Êxito Profissional Adm. Alvaro Mello alvaro@teletrabalho.info Conceito O empreendedorismo se constitui em um conjunto de comportamentos e de hábitos que podem ser adquiridos,

Leia mais

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas

Domínio Competitividade e Internacionalização. Sistemas de incentivos às empresas Sistemas de incentivos às empresas ACIBTM/In.Cubo 6 de julho 2015 P. O. financiadores Domínio Competitividade e OBJETIVO: Criação de riqueza e de emprego através da melhoria da competitividade das empresas

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

HAPINOY O QUE É? O PROGRAMA

HAPINOY O QUE É? O PROGRAMA HAPINOY O QUE É? Hapinoy é uma iniciativa que visa impulsionar a prosperidade e a felicidade na vida dos filipinos. Trata-se de um programa de lojas que focam no modelo sari-sari, ou seja, em um modelo

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO.

PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO. PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO. Nascimento do Microcrédito no Mundo Nascimento do Microcrédito na Paraíba VERSÃO ARRETADA Geração de Emprego e Renda Capacitação e Qualificação

Leia mais

Formação de Consultores SISTÊMICOS

Formação de Consultores SISTÊMICOS Formação de Consultores SISTÊMICOS Um programa fundamentado na Cibernética Social Proporcionalista (CS-P), de autoria do Dr. Waldemar de Gregori. CS-P é uma teoria sistêmica que integra o essencial das

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

Precisamos fortalecer cada vez mais nossa profissão. Através dos conselhos e de uma nova regulamentação!

Precisamos fortalecer cada vez mais nossa profissão. Através dos conselhos e de uma nova regulamentação! Resultado da pesquisa feita no dia 10/03/2014, através do Site do Conselho Regional de Relações Públicas 4ª Região, a respeito da Lei 6601/13. Foi disponibilizado uma enquete, com a seguinte pergunta:

Leia mais

Novos modelos de negócio para os mercados da base da pirâmide : características e desafios dos projetos

Novos modelos de negócio para os mercados da base da pirâmide : características e desafios dos projetos Novos modelos de negócio para os mercados da base da pirâmide : características e desafios dos projetos Carlos Rufín Fórum LGP POLI/USP São Paulo, 12 novembro 2014 Agenda 1. O que é a Base da Pirâmide

Leia mais

Welcome Call em Financeiras. Categoria Setor de Mercado Seguros

Welcome Call em Financeiras. Categoria Setor de Mercado Seguros Categoria Setor de Mercado Seguros 1 Apresentação da empresa e sua contextualização no cenário competitivo A Icatu Seguros é líder entre as seguradoras independentes (não ligadas a bancos de varejo) no

Leia mais

NOSSA EMPRESA NOSSOS GESTORES

NOSSA EMPRESA NOSSOS GESTORES NOSSA EMPRESA A ViaGestão é uma empresa prestadora de soluções, composta por profissionais com ampla experiência no mercado, aliada a grande vivência didática em diversas áreas da gestão empresarial. Temos

Leia mais

Salvador, 03/04/2008. 5º Congresso GIFE. Novos Arranjos do investimento social privado. Crédito social sustentado

Salvador, 03/04/2008. 5º Congresso GIFE. Novos Arranjos do investimento social privado. Crédito social sustentado presentação Sitawi Crédito ocial sustentado Salvador, 03/04/2008 5º Congresso GIFE Novos Arranjos do investimento social privado Crédito social sustentado O financiamento de OSCs é baseado principalmente

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

UMA PERSPECTIVA DOS GESTORES E HÓSPEDES DA HOTELARIA DE PEQUENO E MÉDIO PORTE DE ARACAJU-SE

UMA PERSPECTIVA DOS GESTORES E HÓSPEDES DA HOTELARIA DE PEQUENO E MÉDIO PORTE DE ARACAJU-SE UMA PERSPECTIVA DOS GESTORES E HÓSPEDES DA HOTELARIA DE PEQUENO E MÉDIO PORTE DE ARACAJU-SE Rafaela Santana Oliveira 1 Marlyana Dias Nascimento 1 Matheus Pereira Mattos Felizola 2 RESUMO: O presente trabalho

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec de Nova Odessa Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR Programa de Capacitação PAPEL D GESTR CM MULTIPLICADR Brasília 12 de maio de 2011 Graciela Hopstein ghopstein@yahoo.com.br Qual o conceito de multiplicador? Quais são as idéias associadas a esse conceito?

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais