Apresentação Institucional 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação Institucional 2010"

Transcrição

1 Apresentação Institucional 2010 Missão de Reitores Colombianos ao TECNÓPOLIS 08 a 12 de novembro de 2010 COPYRIGHT Fundação CERTI 1

2 CELESC, ELETROSUL e TELESC Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Empreendedorismo em Florianópolis Incubadora e Condomínio Parqtec Alfa Sapiens Parque Décadas 60 e Fundação CERTI Tecnópolis CELTA Empreendimentos no Sapiens COPYRIGHT Fundação CERTI 2

3 História da CERTI CRIAÇÃO 31 Outubro 1984 Um Centro de Tecnologia Privado, dedicado à pesquisa, desenvolvimento e serviços tecnológicos em automação industrial Acordo de Parceria com UFSC: Stage 1: 5 anos no Depto. De Engenharia Mecânica. Stage 2: anos Prédio Próprio Campus Stage 3: no TECNÓPOLIS FUNDADORES UFSC CNPq SEI/MCT GESC/ FUNCITEC FIESC FEESC BADESC CIASC ELETROSUL HERING INPLAC MERCEDES BENZ MITUTOYO PIRELLI PORTOBELLO SANTINVEST VOLKSWAGEN WEG OUTROS (Por cronologia de Associação) MULTIBRÁS EMBRACO INTELBRÁS FINEP SULFABRIL CARL ZEISS OLSEN METAL LEVE ITAUTEC CODESC TELESC BAMERINDUS MARK PEERLESS SCHNEIDER DIGICON MAXITEC CELESC BRDE MACEDO PROCOMP SIEMENS COPYRIGHT Fundação CERTI 3

4 Conceito de Centro de Referência em Inovação Tecnológica Estadual Federal Local UNIVERSIDADE Centro de Referência em Inovação Tecnológica Empresas Governo Centro Equipe Própria Infraestrutura Própria Grandes Depto. Lab. PROJETO Médias Curso Professores Consultores Alunos Estagiários Pesquisadores Colaboradores Pequenas COPYRIGHT Fundação CERTI 4

5 Áreas de Atuação Apoio ao Processo de Inovação Tecnológica de Produtos, Processos e Sistemas de Empresas e Instituições, com foco em: Ações em prol de Inovação Tecnológica Metrologia e Qualidade; Sistemas Mecaoptoeletrônicos; Processos Produtivos; Tecnologia da Informação; Telecomunicações; Sistemas Interativos Multimídia; Ambientes de Inovação; Farmacologia Pré-clínica. Apoio à formulação de políticas públicas em Inovação Tecnológica. Clientes: mais de Empresas no Brasil e exterior COPYRIGHT Fundação CERTI 5

6 CIENCIA CRIT CMI CRIT CME CRIT CCD CRIT CPC CRIT CEI CRIT CRF CELTA CRIT CPP CRIT CCD CRIT CDE CRIT CIC CERTI e seus Empreendimentos Associados Fundação CERTI Instituto CERTI Amazônia Instituto Sapientia Manaus Brasília A ser edificado Implantação Geral Empresas de Suporte/Parceiros: CVentures Produza SÁBIA Sapiens Parque S.A. COPYRIGHT Fundação CERTI 6

7 CRIT em Dispositivos Meca-Opto-Eletrônicos Diretor Executivo: Manuel Steidle CRIT em Soluções de Metrologia e Instrumentação Diretor Executivo: Gustavo D. Donatelli CRIT em Sistemas Produtivos Cooperativos Diretor Executivo: Carlos Alberto Fadul Alves CRIT em Empreendedorismo Inovador Estrutura Organizacional Diretor Executivo: Leandro Carioni CRIT em Soluções de Convergência Digital Diretor Executivo: Ricardo Henrique Teixeira CCUR - CONSELHO DE CURADORES Conselho Fiscal Conselho de Centro: CELTA SUPERINTENDÊNCIA GERAL SUPERINTENDÊNCIA DE INOVAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA COMERCIAL SUPERINTENDÊNCIA DE FINANÇAS E ADMINISTRAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE OPERAÇÃO CIENCIA CME CMI CPC CEI CCD CRF CELTA PLATAFORMAS DE PRODUTOS INOVADORES: SINMEX, SINC, SISCOM, SISMOEI e SAMPI COPYRIGHT Fundação CERTI 7

8 Sustentabilidade Econômica FONTE DE CUSTEIO FB 33% PP 33% SC 33% FB 20% PP 30% SC 50% PP 36% FB 3% SC 61% De um Instituto da Fraunhofer Alemanha Da CERTI como situação almejada Da CERTI como situação real 2007 FB - Receitas na forma de Financiamento de Base PP - Receitas com Projetos Patrocinados SC - Receitas com Serviços para Clientes COPYRIGHT Fundação CERTI 8

9 Nº de Colaboradores Equipe de Colaboradores da Fundação CERTI 13% % 13% % 13% 13% % 13% 13% % % 13% TÉCNICO 10 NÍVEL NÍVEL Doutores 200 SUPERIOR Mestres/MBA TÉCNICO NÍVEL NÍVEL MÉDIO MÉDIO 6681 TÉCNICO NÍVEL MÉDIO ESTAGIÁRIOS ESTAGIÁRIOS ESTAGIÁRIOS ADMINISTRATIVOS Colaboradores TÉCNICOS DE NÍVEL SUPERIOR TÉCNICO TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR NÍVEL SUPERIOR TÉCNICO TÉCNICO TÉCNICO NÍVEL NÍVEL MÉDIO MÉDIO TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR TÉCNICOS DE NÍVEL NÍVEL MÉDIO ESTAGIÁR ESTAGIÁRIOS TÉCNICO NÍVEL MÉDIO ESTAGIÁRIOS ADMINIS 36 em ADMINISTRATIVOS Programas Especiais ESTAGIÁRIOS 29 Suporte ao P&D ADMINISTRATIVOS ADMINISTRATIVOS ADMINISTRATIVOS 43Técnicos Administrativos 38 Serviços Gerais COPYRIGHT Fundação CERTI 9

10 Custeio da Instituição Resultado Operacional kr$ ROT - Receita Operacional Total DOT - Despesa Operacional Total 38% % % % ORÇADO COPYRIGHT Fundação CERTI 10

11 Vertente de Atuação Metrologia e Instrumentação Sistemas Automatiz. de Medição etestes Cursos/Treinamentos Instrumentação e Sensoreamento P&D em Metrologia Industrial Serviços Tecnológicos Estruturação de Laboratórios Sistema de Gestão Laboratorial e de Redes UFAM UNIR UFC UFPA UFMA UFRN NUTEC UFPB UFPI UPE UFPE UFAL UESC UFMT UNIFACS CPT/ANP UFG CETEC UFMS UNICAMP UFMG UFES UFSCar PUC-RJ/LACCOM UFRJ/ UNESP PUC-RJ/LABIO COPPE TECPAR IPT INT UFRJ/LABCOM UFPR FURB CIENTEC UFRGS Portais Web Desenvolvid os Projetos Executados em Rede Projetos de Estruturaçã o Rede Membro da Rede Participaçã o na Coordenaçã o COPYRIGHT Fundação CERTI 11

12 Vertente de Atuação SISTEMAS MECAOPTOELETRÔNICOS 1984 Produtos com 1994 Mecânica de Precisão Eletrônica e Microeletrônica Sistema Ótico Software Sistemas de Medição Automação Bancária Urna Eletrônica Automação Comercial Sistemas Interativos COPYRIGHT Fundação CERTI 12

13 Vertente de Atuação GARANTIA DA QUALIDADE E PROCESSOS PRODUTIVOS Projeto de Planta Industrial/ Fábrica Implementação de Sistemas de Garantia de Qualidade Estruturação do Processo Produtivo Laboratório-Fábrica de Placas Eletrônicas Desenvolvimento do Projeto de Desenvolvimento Novos Produtos do Processo Produtivo de Fornecimento de Novos Produtos Peças de Produção, Componentes e Matéria-Prima Produção Industrial Distribuição dos Produtos A P Industrializados C D A P Sistemáticas e Ferramentas de C D PLANEJAMENTO DA QUALIDADE Sistemáticas e Ferramentas de CONTROLE DA QUALIDADE Sistemáticas e Ferramentas de MELHORIA DA QUALIDADE A P C D GESTÃO DAS SISTEMÁTICAS DA QUALIDADE CLIENTES E USUÁRIOS COPYRIGHT Fundação CERTI 13

14 Projeto Mobilizador Projeto: LABelectron Nucleador LABORATÓRIO DE FEEDERS E PREPARAÇÃO DE MATERIAL ESTOQUE INTEGRADO FÁBRICA INTERATIVA VISUAL CÉLULA DE INTEGRAÇÃO Núcleo de Integração e Testes de partes e produtos tecnológicos CÉLULA AVANÇADA DE SOLDAGEM E TESTES DE PRODUTOS Núcleo Avançado de Soldagem de Componentes SMD e THD Lead Free. Solda por refusão; Solda por Onda e Solda Seletiva de Componentes. CÉLULA PARA NPI RASTREABILIDADE DE PROCESSOS DE MANUFATURA ELETRÔNICA Núcleo avançado para Introdução de Novos Produtos NPI de alta complexidade LINHA DE MONTAGEM DE PROTÓTIPOS Linha de montagem de Pequenas Séries e Protótipos de alta confiabilidade CÉLULA SEMI-AUTOMÁTICA DE MANUFATURA Núcleo avançado de Processos, testes de parâmetros e testes RoHS Objetivo: Elevar a um nível de excelência a Manufatura de Placas Eletrônicas em pequenas séries no LABelectron, consolidando para a região e o país um Laboratório Fábrica de Referência, com elevada capacidade de apoio às empresas e à disseminação de tecnologias. Parceiros: GESC/FAPESC, MCT/CATI/SEPIN, MCT/SIBRATEC/FINEP, TU- Dresden, UFSC, CONTEC. COPYRIGHT Fundação CERTI 14

15 LABeletron - Laboratório-Fábrica de Placas Eletrônicas Laborátorio-Fábrica para P&D e produção industrial, centrada em processos e tecnologias de Projeto,Manufatura e Qualificação de PCIs, visando a competitividade industrial da produção em pequenas séries. COPYRIGHT Fundação CERTI 15

16 Projeto e Melhoria de Processos Produtivos e Produtos COPYRIGHT Fundação CERTI 16

17 Vertente de Atuação CONVERGÊNCIA DIGITAL Software (Des. e teste), Serviços de Internet, Comunicação, VoiP Modelos de negócios, Desenv. de Produtos, Sistemas Embarcados TV-Digital, Inclusão Digital COPYRIGHT Fundação CERTI 17

18 Projeto Mobilizador Projeto: Plataforma de TV DIGITAL Objetivo: Evolução da plataforma de TV DIGITAL ISDB-T da CERTI : TV ONE-CHIP: integrando Decodificador Digital, Receptor de TV e interatividade (GINGA). SET-TOP-BOX HIBRIDO: integrando recepção de TV Digital Terrestre (ISDB-T), satélite (DVB-S2) e interatividade (GINGA). Parceiros: CERTI, TRIDENT, ST, TPV, ENVISION/AOC, PHILIPS Aglutinação de competências : design, eletrônica, software, aplicativos e interfaces customizadas. Integração: plataforma de produtos de alta confiabilidade, robusta, com dimensões reduzidas e competitiva internacionalmente. COPYRIGHT Fundação CERTI 18

19 Vertente de Atuação INOVAÇÃO PARA ECONOMIA DA EXPERIÊNCIA E DA TRANSFORMAÇÃO Sapiens Circus Amazônia Sapiens Circus e Sapiens Domus CELPLAY Brasil Gincana Inovadoras Inovação da Educação TV Digital COPYRIGHT Fundação CERTI 19

20 Vertente de Atuação AMBIENTES DE INOVAÇÃO Incubadora Empresarial Tecnológica Projeto COLUMBUS Hoje com 217 incubadoras no Brasil CELTA 59 graduadas 39 incubadas Marco Zero do Sapiens Parque COPYRIGHT Fundação CERTI 20

21 Centro de Inovação Ambientes de Promoção da Inovação Incubadora de Empresas Universidade Centros de Pesquisa Parque Tecnológico Parque de Inovação EBTs Centros Tecnológicos Centros de Referência em Inovação Tecnológica MERCADO Regional, Nacional e Mundial COPYRIGHT Fundação CERTI 21

22 Estrutura de Gestão de Ambientes de Inovação Boas Práticas Assembléia Geral dos Sócios Forma Jurídica: Associação Civil sem fins lucrativos Credenciamento: OS, OSCIP Fórum Estratégico Diretor Geral Gestão Institucional Gestão Executiva Sustentabilidade: Estudos, Projetos/Serviços para Clientes Projetos Patrocinados por Agência Financiamento de Base: Contratos de Gestão Termos de Parceria... ao assumir tarefas estratégicas setoriais, regionais CRITs, Incubadora, Centro de Inovação, Parque Tecnológico, Parque de Inovação COPYRIGHT Fundação CERTI 22

23 CELTA - Incubadora de Empresas de Base Tecnológica PARCEIROS 38 empresas incubadas faturam 40 MR$/ano; 750 pessoas (75% nível superior) nas empresas incubadas 7,5 MR$/ano de impostos pagos; 93% - Taxa de Sobrevivência; Primeiro Prêmio ANPROTEC Incubadora do Ano; e a única a receber 2 vezes o prêmio. 20 Empresas exportando; 62 empresas graduadas faturando 1,2 bi R$/ano COPYRIGHT Fundação CERTI 23

24 COPYRIGHT Fundação CERTI 24

25 Inovação e Empreendedorismo em Florianópolis Investimentos diretos do Estado de R$ 50 milhões 450 empresas de tecnologia Setor com maior arrecadação de impostos cerca de R$ 150 milhões anuais Mudança do perfil econômico e cultural da região Continuidade do processo mesmo com alternância no poder executivo COPYRIGHT Fundação CERTI 25

26 COPYRIGHT Fundação CERTI 26

27 Inovação para a Sustentabilidade... COPYRIGHT Fundação CERTI 27

28 IDÉIAS INVENÇÕES OPORTUNIDADES Projeto Mobilizador Programa Conhecimento & Tecnologia Processo de Inovação Tecnológica Produto De Sucesso no Mercado Processo que Assegura Diferencial Competitivo Elementos Chave do Processo de Inovação Tecnológica GESTÃO COOPERAÇÃO A Inovação Tecnológica FINANCIAMENTO Objetivo: Criar e fortalecer uma cultura Pró-Inovação apresentando oportunidades de parcerias tecnológicas e de financiamento para o desenvolvimento de produtos e processos com maior valor agregado, com vistas ao aumento da competitividade do setor produtivo catarinense. Parceiros: FAPESC,CERTI, UFSC, EPAGRI, BRDE, MCE, FIESC, SOCIESC, SEBRAE, Sistema ACAFE, IEL/SC. COPYRIGHT Fundação CERTI 28

29 Conscientização e Orientação dos Empresários para serem inovadores Programa de Incentivo à Cooperação para Modernidade do Setor Produtivo Catarinense A Empresa + Competitiva Sempre A Empresa Hoje Mobilização Empresarial para a Inovação Tecnológica As 7 Ações 1. Pró-Cultura de Inovação Mobilização Empresarial para Inovação Tecnológica 2. NITs nas Mesorregiões. 3. Inovação na MPE. 4. Agentes de Inovação. 5. Gerentes de Inovação. 6. Incubação de Empreendimentos Inovadores. 7. Pós-Graduação na Inovação. COPYRIGHT Fundação CERTI 29

30 Identificação, Estímulo e Capacitação dos Empreendedores da Inovação Cada Operação: Idéia de Produto/Processo Inovador 1000 Idéias 200 Propostas 60 Projetos COPYRIGHT Fundação CERTI 30

31 Projeto Mobilizador Programa: Copa 2014 BIS Objetivo: Desenvolvimento de um conjunto de atividades, projetos e ações mobilizadoras no contexto da Copa de 2014 visando proporcionar à sociedade brasileira, aos visitantes estrangeiros no evento e aos expectadores externos, uma visão de modernidade, criatividade, inovação, cultura e sustentabilidade do Brasil e dos brasileiros Parceiros: Ministério dos Esportes, MCT, APEX, EMBRATUR, FINEP, CPqD, Instituto Sapientia, Sapiens Parque, UFMG, PUC-Rio, USP, C.E.S.A.R, Mackenzie, Hans Donner, CERTI. COPYRIGHT Fundação CERTI 31

32 Prêmios Recentes Prêmio Yehan Numata - Edição 2009 Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social Prêmio Von Martius de Sustentabilidade 2009 Sinapse - Melhor Projeto de Promoção da Cultura do Empreendedorismo Inovador - Anprotec Prêmio FINEP de Inovação - Regional Sul Prêmio FINEP de Inovação - Nacional COPYRIGHT Fundação CERTI 32

33 Tecnologia que toca em você COPYRIGHT Fundação CERTI 33

XIX Workshop Anprotec. Sapiens Parque

XIX Workshop Anprotec. Sapiens Parque XIX Workshop Anprotec $ustentabilidade dos Parques Tecnológicos: Sustentabilidade financeira e competitividade do território 24 e 25 de outubro de 2011 Porto Alegre/RS Sapiens Parque PARQUE COPYRIGHT TECNOLÓGICO

Leia mais

Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras

Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras Associada Credenciada MCTI/SEPIN Lei de Informática Credenciada Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras https://www.youtube.com/watch?v=pegaijn8rpu

Leia mais

Laboratório-Fábrica de Placas eletrônicas para Produtos Inovadores ABINEE TEC

Laboratório-Fábrica de Placas eletrônicas para Produtos Inovadores ABINEE TEC Laboratório-Fábrica de Placas eletrônicas para Produtos Inovadores ABINEE TEC 2009 Sumário I. LABelectron Laboratório Fábrica de Placas Eletrônicas II. III. Serviços especializados em Desenvolvimento de

Leia mais

SAPIENS PARQUE PARQUE DE INOVAÇÃO. Pilares SAPIENS. Clusters SAPIENS. Atores SAPIENS. Estrutura SAPIENS

SAPIENS PARQUE PARQUE DE INOVAÇÃO. Pilares SAPIENS. Clusters SAPIENS. Atores SAPIENS. Estrutura SAPIENS PARQUE DE INOVAÇÃO Pilares SAPIENS SAPIENS PARQUE Clusters SAPIENS Scientia - Unidades acadêmicas e de P&D voltadas para a geração de conhecimentos científicos e tecnológicos avançados. Tecnologia - Empresas

Leia mais

Potencial para Parcerias Tecnológicas com Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs)

Potencial para Parcerias Tecnológicas com Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) CIMES CONGRESSO DE INOVAÇÃO EM MATERIAIS E EQUIPAMENTOS PARA SAÚDE Potencial para Parcerias Tecnológicas com Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras

Leia mais

Inovação & Sustentabilidade

Inovação & Sustentabilidade Inovação & Sustentabilidade O Sapiens Parque O Sapiens Parque Projeto de Desenvolvimento Regional que integra público e privado Novo conceito: Parque de Inovação Idealizado para promover : turismo, serviços

Leia mais

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Painel Setorial de Telecomunicações INMETRO 27 de outubro de 2006 Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e

Leia mais

Inovação & Sustentabilidade

Inovação & Sustentabilidade Inovação & Sustentabilidade Realização Apoio COPYRIGHT 2012 SAPIENS PARQUE Inovação e Empreendedorismo em Florianópolis 550 empresas de tecnologia 3 Parques Tecnológicos 6 Incubadoras de Empresas 15 Universidades

Leia mais

História da tecnologia em São José dos Campos. Cbers. 1ª Exportação. Sistema Astros. Programa Bandeirante. Embraer 170/190

História da tecnologia em São José dos Campos. Cbers. 1ª Exportação. Sistema Astros. Programa Bandeirante. Embraer 170/190 São José dos Campos São Paulo Brasil, Junho de 2015 História da tecnologia em São José dos Campos 1947 1950 1961 1965 1969 1971 1975 1ª Exportação 1999 Cbers Sistema Astros Programa Bandeirante Embraer

Leia mais

Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI

Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI Projetos de P&D em Tecnologia da Informação e Telecomunicações: A Atuação do Núcleo de Aplicação em Tecnologia da Informação - NATI Fortaleza, 21 de setembro de 2006 1 15 Universidade de Fortaleza Perfil

Leia mais

Novo Modelo de apoio à Inovação. Alvaro J Abackerli alvaro.abackerli@embrapii.org.br Coordenação de Acompanhamento Técnico

Novo Modelo de apoio à Inovação. Alvaro J Abackerli alvaro.abackerli@embrapii.org.br Coordenação de Acompanhamento Técnico Novo Modelo de apoio à Inovação Alvaro J Abackerli alvaro.abackerli@embrapii.org.br Coordenação de Acompanhamento Técnico Objetivos do Sistema EMBRAPII Contribuir para: Aumento do investimento privado

Leia mais

ABINEE - MCT. Sergio Cavalcante sergio.cavalcante@cesar.org.br

ABINEE - MCT. Sergio Cavalcante sergio.cavalcante@cesar.org.br II Seminário Resultados da Lei de Informática ABINEE - MCT Sergio Cavalcante sergio.cavalcante@cesar.org.br Nossa missão: Parceria Realizar a Transferência Auto-Sustentada de Conhecimento em Tecnologia

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos

Financiadora de Estudos e Projetos Financiadora de Estudos e Projetos Cenário da Metrologia Nacional: Demandas e Oportunidades Carlos A. M. Couto Superintendente da ATED Área dos Institutos de Pesquisa Tecnológica. Rio de Janeiro, 17 de

Leia mais

gica Thiago Renault thiagorenault@producao.uff.br

gica Thiago Renault thiagorenault@producao.uff.br Tema: Como incorporar técnicas t modernas de apoio à comercialização e como o modelo de incubação fomenta o surgimento de empresas de base tecnológica gica Thiago Renault thiagorenault@producao.uff.br

Leia mais

APL-TIC/SC. PLATIC 2004-2008 e PLATIC 2010-2013. Valéria Arriero Pereira, M.Eng. Outubro, 2009

APL-TIC/SC. PLATIC 2004-2008 e PLATIC 2010-2013. Valéria Arriero Pereira, M.Eng. Outubro, 2009 APL-TIC/SC PLATIC 2004-2008 e PLATIC 2010-2013 Valéria Arriero Pereira, M.Eng. Outubro, 2009 Consolidação do APL-TIC/SC Ano 2000 Projeto Gargalos Prospecção de demandas para as Cadeias Produtivas de SC.

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Abrangência do Programa de Expansão do ITA

Abrangência do Programa de Expansão do ITA Abrangência do Programa de Expansão do ITA Programa de Expansão do ITA EDUCAÇÃO (Ensino e Pesquisa) INOVAÇÃO (P,D & I) Projetos Cooperações ITA Projeto Cooperações Infraestrutura 5 IFES Centro de Inovação

Leia mais

Metas prioritárias do governo

Metas prioritárias do governo Metas prioritárias do governo Planejar e implantar parques tecnológicos em três municípios do estado com infraestrutura de redes de fibra ótica Parque de Ciência e Tecnologia Guamá Belém - PA Parque de

Leia mais

PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO

PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO O Governo do Estado de Santa Catarina apresenta o Programa Catarinense de Inovação (PCI). O PCI promoverá ações que permitam ao Estado

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito privado

REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito privado Autorização Legislativa - Lei nº 12.439 de 18 de outubro de 2007 Assembleia de Fundação em 14/12/2007 REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 PROCEDIMENTOS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PROJETOS EMPRESARIAIS INOVADORES PARA INGRESSO E PARTICIPAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ IESJ. A INCUBADORA

Leia mais

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL Paulo Íris Ferreira SEMINÁRIO SOBRE PROPRIEDADE INDUSTRIAL E PEQUENAS

Leia mais

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano.

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano. Intelbras S.A. Objetivos Missão Ser uma empresa competitiva internacionalmente, atuando no mercado de telecomunicações, mantendo padrões de qualidade e rentabilidade que satisfaçam clientes, colaboradores

Leia mais

O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades. Piracicaba, 21 de março de 2013

O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades. Piracicaba, 21 de março de 2013 O desafio da Inovação na Indústria de Bens de Capital: a importância das parcerias entre empresas e universidades Piracicaba, 21 de março de 2013 A ABIMAQ Uma das principais associações industriais do

Leia mais

XIX Workshop Anprotec

XIX Workshop Anprotec XIX Workshop Anprotec $ustentabilidade dos Parques Tecnológicos: Sustentabilidade financeira e competitividade do território 24 e 25 de outubro de 2011 Porto Alegre/RS Parque Tecnológico São José dos Campos

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dra. Eng. Março, 2009 Áreas de atuação Estágio Responsável Gestão e Inovação Gestão e Inovação Benchmarking Industrial

Leia mais

Uma História de Sucesso

Uma História de Sucesso Uma História de Sucesso O terminal que garante a escolha de todo cidadão eleitor no Brasil. Produto 100% desenvolvido no Brasil, a Urna eletrônica foi projetada e produzida para enfrentar as variadas condições

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Desafios para implantação de Incubadora de Empresas no Amazonas

Desafios para implantação de Incubadora de Empresas no Amazonas Desafios para implantação de Incubadora de Empresas no Amazonas Experiência da Fucapi Incubadora de Tecnologia Euler G. M. de Souza Dimas J. Lasmar Agenda Incubação de Empresas Incubadoras no Amazonas

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática

II Seminário Resultados da Lei da Informática II Seminário Resultados da Lei da Informática Rodrigo Pinto Diretor de P&D 29 de março de 2006 Agenda A Solectron Estratégia Organização Realizações Resultados entre 1998 2003 Resultados entre 2004-2005

Leia mais

Seminário MCT Resultados alcançados pelo C.E.S.A.R. Silvio Meira silvio@cesar.org.br

Seminário MCT Resultados alcançados pelo C.E.S.A.R. Silvio Meira silvio@cesar.org.br Seminário MCT Resultados alcançados pelo C.E.S.A.R Silvio Meira silvio@cesar.org.br O C.E.S.A.R Empresa sem fins lucrativos criada em 1996 por iniciativa do Centro de Informática da UFPE Um dos principais

Leia mais

A importância da responsabilidade socioambiental na busca da excelência da gestão. MOVIMENTO CATARINENSE PARA A EXCELÊNCIA José Neci Corrêa O.

A importância da responsabilidade socioambiental na busca da excelência da gestão. MOVIMENTO CATARINENSE PARA A EXCELÊNCIA José Neci Corrêa O. A importância da responsabilidade socioambiental na busca da excelência da gestão MOVIMENTO CATARINENSE PARA A EXCELÊNCIA José Neci Corrêa O. Junior Quem somos Uma associação sem fins econômicos voltada

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

Inovação & Sustentabilidade

Inovação & Sustentabilidade Inovação & Sustentabilidade Realização Apoio EcoFloripa Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação de Florianópolis 600 EBTs R$ 150 M Eventos Negócios em C&T R$ 7 M ISS 014 +0% R$ 10 M Moradia/ construçã

Leia mais

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO SUMÁRIO EXECUTIVO O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é um empreendimento imobiliário e tecnológico com características especificamente projetadas, incluindo serviços

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX Março de 2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...4 1.1 Objetivos...4 1.2 Público alvo deste documento...4 2 GLOSSÁRIO...5 3 POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX...7 3.1 Em relação aos ambientes

Leia mais

10 anos do Parque Tecnológico da UFRJ XV Encontro da Rede de Incubadoras, Parques e Polos Tecnológicos do Estado do Rio de Janeiro ReINC

10 anos do Parque Tecnológico da UFRJ XV Encontro da Rede de Incubadoras, Parques e Polos Tecnológicos do Estado do Rio de Janeiro ReINC 10 anos do Parque Tecnológico da UFRJ XV Encontro da Rede de Incubadoras, Parques e Polos Tecnológicos do Estado do Rio de Janeiro ReINC Data: 17 e 18 de setembro de 2013 Local: Parque Tecnológico da UFRJ

Leia mais

PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO

PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO ID Proponente UF CURSO 1 CEFET-AL ALAGOAS Hotelaria 2 CEFET-CE CEARÁ Hospedagem 3 CEFET-CE CEARÁ Matemática 4 CEFET-ES ESPÍRITO

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

Missão Institucional da REMEQ-PB Promover a difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos nas áreas de metrologia e qualidade, apoiando o desenvolvimento de pessoal e de infra-estrutura laboratorial,

Leia mais

Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI. Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal

Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI. Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal São Luis, 09 de julho de 2010 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Processo de aprendizagem contínuo

Leia mais

Apresentação. Seminário: Resultados da Lei de Informática

Apresentação. Seminário: Resultados da Lei de Informática Apresentação Seminário: Resultados da Lei de Informática Painel 14: A Lei de Informática como instrumento de estímulo à pesquisa e desenvolvimento no segmento de software Antonio Guilherme de Arruda Lorenzi

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 18 ÍNDICE DA PROPOSTA Apresentação da Empresa... 3 Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 6 Consultoria... 6 Capacitação...

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

ID Proponente UF CURSO TIPO

ID Proponente UF CURSO TIPO PLANILHA DE CONTROLE - OFERTA DE CURSOS POR INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO ID Proponente UF CURSO TIPO 1 CEFET-AL ALAGOAS Hotelaria Tecnólogo 2 CEFET-CE CEARÁ Hospedagem Tecnólogo 3 CEFET-CE CEARÁ Matemática

Leia mais

Painel B3: Transferência de Tecnologia

Painel B3: Transferência de Tecnologia Painel B3: Transferência de Tecnologia fatores de risco e de sucesso Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Pró-Inova

Leia mais

Agenda. Motorola: Presença Mundial e no Brasil. Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil. Parcerias no Brasil. Comentários Finais. - Sistemas Celulares

Agenda. Motorola: Presença Mundial e no Brasil. Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil. Parcerias no Brasil. Comentários Finais. - Sistemas Celulares Agenda Motorola: Presença Mundial e no Brasil Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil - Sistemas Celulares - Semicondutores Parcerias no Brasil Comentários Finais Motorola: Presença Mundial e no Brasil Pesquisa

Leia mais

Centro Internacional de Inovação. Ronald Dauscha

Centro Internacional de Inovação. Ronald Dauscha Centro Internacional de Inovação Ronald Dauscha V Encontro da Rota MM (24.11.2010, CIETEP) C2i Centro Internacional de Inovação Ronald M. Dauscha, Sistema FIEP Federação das Indústrias do Estado do Paraná

Leia mais

Apoio do Sebrae em inovação e acesso à tecnologia para micro e pequena empresa

Apoio do Sebrae em inovação e acesso à tecnologia para micro e pequena empresa Audiência Pública Inmetro - Programa de Avaliação da Conformidade de Componentes de Bicicletas de Uso Adulto Apoio do Sebrae em inovação e acesso à tecnologia para micro e pequena empresa Ricardo Wargas

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Brasília 22 de março o de 2009 Inovação Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo. Organização e Realização

Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo. Organização e Realização Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo Organização e Realização Perfil do Público Alvo Empresários e executivos de MPE de Software e Serviços

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

PARQUES TECNOLÓGICS NO BRASIL: ESTUDO, ANÁLISE E PROPOSIÇÕES. Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores

PARQUES TECNOLÓGICS NO BRASIL: ESTUDO, ANÁLISE E PROPOSIÇÕES. Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores PARQUES TECNOLÓGICS NO BRASIL: ESTUDO, ANÁLISE E PROPOSIÇÕES Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores ANPROTEC o Fundação: 30/10/1987 o Tem o papel de criar mecanismos

Leia mais

Apresentação Institucional IEL/SC

Apresentação Institucional IEL/SC Apresentação Institucional IEL/SC Natalino Uggioni Joaçaba, 12 de Maio de 2014 IEL NO BRASIL O Sistema Indústria Presente nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, o Sistema Indústria é composto

Leia mais

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO Autores: Beatrice Maria Zanellato Fonseca Mayer Leandro Carioni Laercio Aniceto Silva Maria Angélica Jung Marques Maria Gorete T. S. Hoffmann Alexandre M. Steinbruch XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos

Leia mais

Apresentação do Inatel. Ronaldo Sirosse Desenvolvimento de Negócios

Apresentação do Inatel. Ronaldo Sirosse Desenvolvimento de Negócios Ronaldo Sirosse Desenvolvimento de Negócios O Inatel Caracterização Instituição de Educação Superior, voltada ao Ensino, à PD&I e à Extensão Comunitária, credenciada como tal pelo Ministério da Educação

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

INOVA@SC Plataforma de Governo Eletrônico

INOVA@SC Plataforma de Governo Eletrônico INOVA@SC Plataforma de Governo Eletrônico José Eduardo Fiates Marcelo Luz Scheibel Maristela Denise Coelho INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO SEGMENTO Tomadores de Decisão de Governo Necessidade de estabelecer planos

Leia mais

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda.

Campus Cabo Frio. Projeto: Incubadora de Empresas criação de emprego e renda. Campus Cabo Frio Trabalho de Microeconomia Prof.: Marco Antônio T 316 / ADM Grupo: Luiz Carlos Mattos de Azevedo - 032270070 Arildo Júnior - 032270186 Angélica Maurício - 032270410 Elias Sawan - 032270194

Leia mais

Estratégias de atuação da FNQ

Estratégias de atuação da FNQ Estratégias de atuação da FNQ Mudanças na estrutura organizacional FNQ Estrutura organizacional principais mudanças Direção Executiva COMEX Diretor Executivo: Ricardo Correa Martins Principais Processos

Leia mais

O Programa. O escopo do Programa é trabalhar, junto a esses negócios, a temática da inovação, desde sua desmistificação até a sua sistematização;

O Programa. O escopo do Programa é trabalhar, junto a esses negócios, a temática da inovação, desde sua desmistificação até a sua sistematização; O Programa Programa de âmbito nacional criado pelo SEBRAE para atuar junto aos pequenos negócios, os orientando, acompanhando e criando fidelização pelo relacionamento; O trabalho é realizado através do

Leia mais

Diretrizes Gerais Documento Complementar

Diretrizes Gerais Documento Complementar Diretrizes Gerais Documento Complementar Agosto 2007 Apresentação A seguir apresentamos as tabelas referentes às simulações dos recursos orçamentários previstos e das metas estabelecidas pelo Decreto nº

Leia mais

Incentivos fiscais para a manutenção. da competitividade das indústrias mineiras

Incentivos fiscais para a manutenção. da competitividade das indústrias mineiras Incentivos fiscais para a manutenção da competitividade das indústrias mineiras Histórico do APL Eletroeletrônico de Santa Rita do Sapucaí A pequena cidade de Santa Rita do Sapucaí, no sul de Minas Gerais,

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077)

Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Tutorial: Lei da Informática (Leis 8.248, 10.176 e 11.077) Sobre a autora Eng. Adelice Leite de Godoy Obteve sua graduação em Engenharia Química pela Unicamp em 1992, completando sua formação com o Curso

Leia mais

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados.

A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. A Lei de Informática como fator motivador das atividades de pesquisa e desenvolvimento: resultados. Seminário: Resultados da Lei de Informática - 02 de dezembro de 2003 Omar Abou Samra Secretário Executivo

Leia mais

PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Coordenador: Guilherme Ary Plonski

PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Coordenador: Guilherme Ary Plonski PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Coordenador: Guilherme Ary Plonski Setembro 2014 1 1. APRESENTAÇÃO A presente proposta de trabalho visa à continuidade do apoio para

Leia mais

DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 52, 102, CEP

DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 52, 102, CEP DADOS JURÍDICOS O Instituto SAVIESA DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA é uma associação, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede no município de Vitória, Estado do Espírito Santo, à Rua

Leia mais

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Prof. Dr. Elvis Fusco 2014 Prefeitura Municipal de Garça Apresentação Prof. Dr. Elvis Fusco Centro Universitário Eurípides

Leia mais

INT VIDEO INSTITUCIONAL

INT VIDEO INSTITUCIONAL INT VIDEO INSTITUCIONAL Carlos Alberto Teixeira 16 de Fevereiro de 2011 Investimentos e Incentivos Fiscais - Projetos de Inovação em Ciência e Tecnologia Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO.

PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO. PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO. Nascimento do Microcrédito no Mundo Nascimento do Microcrédito na Paraíba VERSÃO ARRETADA Geração de Emprego e Renda Capacitação e Qualificação

Leia mais

La Incubadora de Empresas como Herramienta de Desarrolo Regional Brasil

La Incubadora de Empresas como Herramienta de Desarrolo Regional Brasil La Incubadora de Empresas como Herramienta de Desarrolo Regional Brasil Mariza Almeida, DsC Incubadora de Empresas Phoenix Universidade do Estado do Rio de Janeiro Projeto aprovado pelo Programa Nacional

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Financiamento para Inovação em Saúde Seminário sobre o Complexo Econômico-Industrial da Saúde Política Industrial para o Complexo

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

Projeto VoIP4ALL. Iara Machado

Projeto VoIP4ALL. Iara Machado Projeto VoIP4ALL Iara Machado Objetivo do Projeto Visa criar os meios para que 82 instituições federais,,q que incluem universidades, centros de educação tecnológica e unidades de pesquisa, possam implantar

Leia mais

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Cooperação CSMIA-ABIMAQ/ IPT / POLI-USP 29 de Abril 2013 - AGRISHOW Desafios da Competitividade e Consolidação do Setor 1. A maioria

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores. Foz do Iguaçu, Junho/2012

Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores. Foz do Iguaçu, Junho/2012 Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores Foz do Iguaçu, Junho/2012 Trajetória 1984 Iniciativa CNPq 1987 Criação da ANPROTEC 1994 Plano Real 2001 II Conferência CTI 2007

Leia mais

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Programa de Inovação Tecnologica FIESP CIESP - SENAI Sede Fiesp 2013 Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE Maria Rita de Morais Chaves Santos (UFPI) Coordenação Regional FORTEC NE Coordenação NIT UFPI REDE NIT - NE Mrita/ufpi/2008 PERFIL Maria

Leia mais

Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003

Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003 Semicondutores Panorama Brasil ABINEE TEC 2003 Henrique de Oliveira Miguel São Paulo, 7 de outubro de 2003 Panorama Brasil 1. PNM-Design 2. A INDÚSTRIA DE SEMICONDUTORES NO BRASIL 3. GRUPOS DE PESQUISA

Leia mais

Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais

Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais Apoio Institucional Apoio Financeiro Nossos Desafios 2011 Cadeia Produtiva Complexa Setores Industriais Construção e Engenharia Aero-espacial

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO UNIVERSIDADE-EMPRESA: Um estudo de caso sobre a Fundação CERTI

AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO UNIVERSIDADE-EMPRESA: Um estudo de caso sobre a Fundação CERTI UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONOMICAS AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO UNIVERSIDADE-EMPRESA: Um estudo de caso sobre a Fundação CERTI JÔNATAN ZÜLOW Florianópolis (SC),

Leia mais

Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador

Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador Rochester Gomes da Costa Chefe do Departamento de Empreendedorismo Inovador Area de Investimentos

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS Slide 1 O que fazer para melhorar a competitividade da indústria? Mobilização Empresarial pela Inovação MEI Melhorar a infraestrutura Disseminar a cultura

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

Sua empresa mais competitiva! Projeto de Patrocínio EXPEN 2014

Sua empresa mais competitiva! Projeto de Patrocínio EXPEN 2014 Sua empresa mais competitiva! Projeto de Patrocínio EXPEN 2014 1ª FEIRA DO SUL DO BRASIL COM SOLUÇÕES COMPLETAS DE GESTÃO, SERVIÇOS E TECNOLOGIA PARA A SUA EMPRESA Na EXPEN 2014, você encontrará tecnologia,

Leia mais

Inovação como Estratégia de Negócio. Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação

Inovação como Estratégia de Negócio. Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação Inovação como Estratégia de Negócio Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação Conteúdos Desafios da Competitividade Industrial no PR

Leia mais

FAZENDO NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO SUL

FAZENDO NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO SUL FAZENDO NEGÓCIOS NO RIO GRANDE DO SUL 2 Sumário»» Parceria Estratégica com o Japão»» Parques Tecnológicos»» Cases de Sucesso de Empresas Estrangeiras no RS PARCERIA ESTRATÉGICA COM O JAPÃO 4 Japão» 3ª

Leia mais

Educação e Ensino no ITA 2003. Mestrado Profissional PG/EAM

Educação e Ensino no ITA 2003. Mestrado Profissional PG/EAM Educação e Ensino no ITA 2003 Mestrado Profissional PG/EAM Parâmetros para o Mestrado Profissional Programas Profissionais Reconhecidos CAPES Avaliação dos Cursos Profissionalizantes Mestrado Profissional

Leia mais

Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013

Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013 Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013 Parte 1: Objetivos, instrumentos de apoio e quem pode participar Geral 1.1 Qual o objetivo

Leia mais

Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações ELETROBRÁS / PROCEL

Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações ELETROBRÁS / PROCEL Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações ELETROBRÁS / PROCEL O PROCEL EDIFICA e a Etiquetagem de Eficiência Energética de Edificações Projeções de Consumo de Eletricidade

Leia mais

Financiamento de Projetos para a Inovação

Financiamento de Projetos para a Inovação GESTÃO Financiamento de Projetos para a Inovação Objetivos da Aula Conhecer sobre o financiamento de projetos de pesquisa aplicada; Conhecer a dinâmica do processo de elaboração de projetos de pesquisa

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Missão da FINEP Promover e financiar a Inovação e a Pesquisa científica e tecnológica em: Empresas; Universidades; Centros de pesquisa;

Leia mais