Dr. Joner Oliveira Alves Especialista em Desenvolvimento Industrial SENAI - Departamento Nacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dr. Joner Oliveira Alves Especialista em Desenvolvimento Industrial SENAI - Departamento Nacional"

Transcrição

1 Dr. Joner Oliveira Alves Especialista em Desenvolvimento Industrial SENAI - Departamento Nacional

2 Bilhões US$ FOB Balança comercial brasileira A balança comercial brasileira de bens tipicamente produzidos pela indústria de transformação mostra que em 2012 houve déficit recorde de US$ 50,6 bilhões Exportações: minério de ferro, soja, petróleo, equipamentos de transporte, peças automotivas e automóveis, máquinas Produtos da Indústria de Transformação por Intensidade Tecnológica - Balança Comercial Importações: equipamentos e bens de consumo de alto e médio valor tecnológico agregado Elevada demanda por serviços tecnológicos de alto valor tecnológico agregado Baixa Média-baixa Média-alta Alta Produtos da indústria de transformação Fonte: IEDI 2012

3 3 Investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento [% do PIB, 2011] Percentual de investimento privado em P&D 66% 71% 83% % do PIB em P&D [2010] Externo 43% 74% Público Privado Fonte: Unesco; Roland Berger Strategy Consultants; Eurostat; OECD 0,00% - 0,25% 0,26% - 0,50% 0,51% - 1,00% 1,01% - 2,00% Acima de 2,01%

4

5

6 Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI)

7 Mobilização de empresários e altos executivos com o desafio de construir uma agenda afirmativa para a inovação no Brasil

8 O QUE FAZER PARA MELHORAR A COMPETITIVIDADE? Melhorar a infraestrutura Disseminar a cultura de propriedade intelectual Enfatizar a formação de recursos humanos qualificados Aprimorar o marco legal de apoio à inovação Internacionalização das empresas brasileiras e de P&D no exterior Fonte: Mobilização Empresarial pela Inovação

9 O QUE FAZER PARA MELHORAR A COMPETITIVIDADE? Articulação entre a política de inovação e a política de comércio exterior Inovação e P&D para PMEs Apoiar projetos estruturantes e P&D em grande escala Programas setoriais de inovação Projetos de P&D pré-competitivos Fonte: Mobilização Empresarial pela Inovação

10 Cenário Nacional da Inovação Modelo Brasileiro X Modelo Alemão (caso de sucesso)

11 Modelo Brasileiro Cenário Nacional da Inovação

12 Modelo Alemão Cenário Nacional da Inovação

13 Modelo Brasileiro Cenário Nacional da Inovação

14 Cenário Nacional da Inovação Governo Lança EMBRAPII Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (OS) Organização: MCTI, CNI, FINEP Projetos entre Empresas + ICTs Foco em inovação tecnológica, fase pré-competitiva Crédito pré-aprovado para ICTs qualificadas (critérios credenciamento) Piloto: SENAI-CIMATEC, IPT, INT

15 PRESENÇA ATUAL DO SENAI

16 O SENAI E SUA CAPACIDADE ATUAL DE ATENDIMENTO O SENAI é a maior rede privada de educação profissional e serviços tecnológicos Atua em 28 setores Possui 809 Unidades Operacionais Final de 2011 tínhamos matrículas (previsão de ampliação para até 2014) Em 2011 foram realizados serviços para empresas atendidas 55% no PRONATEC Fonte: SENAI Grandes Números

17 Estratégias do SENAI Tecnologia & Inovação

18 Estratégias do SENAI Duplicação da quantidade de vagas em educação profissional Expansão da rede de serviços por intermédio da criação de Institutos SENAI de Tecnologia (IST) Serviços técnicos e tecnológicos Educação profissional e tecnológica Programa SENAI de apoio à competitividade industrial Geração de inovação Criação de uma rede de Institutos SENAI de Inovação (ISI)

19 Compartilhamento de PI Pesquisa Aplicada na Etapa Pré-competitiva Cenário pré-competitivo Cenário competitivo Conhecimento fundamental Aplicação do conhecimento Validação tecnológica Demonstração Protótipos Definição do produto Desenvolv. do produto Demonstração Produção Escala do tempo

20

21 Edital SENAI SESI de Inovação Recursos Financeiros SENAI-DN SESI-DN Instituição CNPq (bolsas DTI) * * Acordo negociado, mas ainda não assinado Recursos R$ 20,0 milhões R$ 7,5 milhões R$ 3,0 milhões Total R$ 30,5 milhões O aporte de recursos pelo SENAI é de até R$300 mil por projeto. Histórico: 300 projetos R$ 200 milhões

22 Histórico 2004/ Número de Projetos Aprovados por Estado (412 Projetos)

23 Histórico 2004/ / Projetos aprovados por setor de industrial (412 Projetos)

24 ABERTA CHAMADA 2014!

25 Grand Prix SENAI de Inovação: METODOLOGIA DA CORRIDA Metodologia SENAI Desafios da Indústria + Metaprojeto + Ideias de novas tecnologia (produtos) + Prototipação + Patentes + Empreendedorismo Desafios da sociedade Equipes Empresas Parceiras Instituições de apoio Horas Ideias

26 Grand Prix SENAI de Inovação: RESULTADOS

27

28 Rede de Química

29 INSTITUTOS SENAI PARCERIAS Universidades e Centros de Pesquisa Institutos SENAI Instituições Internacionais Setores Industriais

30 PARCERIAS ESTRATÉGICAS PARCERIAS DE CONSOLIDAÇÃO - ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS

31 INVESTIMENTOS FUNDOS DOS DEPARTAMENTOS SENAI R$ 1,9 bilhões - Modernização e ampliação das escolas R$ 776,5 milhões - Institutos SENAI de Tecnologia (IST) R$ 468,7 milhões - Institutos SENAI de Inovação (ISI) R$ 654,8 milhões FINANCIAMENTO BNDES R$ 1,5 BILHÕES INVESTIMENTO TOTAL: R$ 3,4 BILHÕES

32 INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA Especialização em setores industriais relevantes Estrutura física orientada à prestação de serviços técnicos e tecnológicos Localização em regiões de alta densidade industrial

33 INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) AC - Madeira e Mobiliário MT Bio-energia DF - Construção 1 GO - Química GO - Automação GO - Alimentos e Bebidas PR Petroquímico PR Tecnologia da Informação PR Madeira e Mobiliário PR Alimentos e Bebidas PR Construção Civil PR Metalmecânica PR Celulose e Papel MS - Alimentos e Bebidas RS Madeira e Mobiliário RS Couro e Meio Ambiente RS Mecatrônica RS Refrigeração e Alimentos RS Petróleo e Gás / Energia RS Calçado / Logística 1 1 MA - Construção Civil CE Metalmecânica CE Energias Renováveis ES - Metalmecânica SC Alimentos SC Ambiental SC Logística SC Eletro-eletrônica SC Automação e TI SC Materiais SC Design Têxtil e do Vestuário RN Petróleo e Gás PB - Têxtil e Vestuário / Alimentos PB - Couro e Calçado PB Automação Industrial e TI PE - Química PE - Automação BA - Construção BA - Química BA - Eletroeletrônica MG Alimentos e Bebidas MG Automotivo MG Metalmecânica MG Mineração MG Química MG Meio Ambiente RJ Ambiental RJ Alimentos e Bebidas RJ Design e Mídias RJ Solda RJ Automação e Sistemas DN CETIQT Têxtil e Vestuário SP Têxtil e Vestuário SP Construção Civil SP Couro e Calçado SP Alimentos e Bebidas SP Energia SP Metalmecânica SP Meio Ambiente SP Eletrônica

34 INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO Especialização em áreas de conhecimentos transversais Estrutura física orientada a serviços avançados Pesquisa aplicada aos setores pré-competitivos Atendimento nacional: parcerias e redes de inovação

35 ÁREAS DE ATUAÇÃO Criação de 24 Institutos SENAI de Inovação Divisão em 8 grupos temáticos Produção Materiais e componentes Engenharia de superfícies e fotônica Microeletrônica Tecnologia da comunicação e da informação Tecnologias Construtivas Energia Defesa

36 Microeletrônica Tecnologias Minerais INSTITUTOS SENAI DE INOVAÇÃO Tecnologias Construtivas Energias Renováveis Tecnologia da Informação e Comunicação 2 Conformação e União de Materiais Automação da Produção Biomassa Eletroquímica Laser Sistemas Embarcados Sistemas de Manufatura Engenharia de Polímeros Soluções Integradas em Metal-Mecânica Engenharia de Superfícies Metalurgia e Ligas Especiais Energia elétrica de alta potência Processamento Mineral Sistemas Virtuais de Produção Química Aplicada Tecnologias para Microssistemas Engenharia de Cerâmicas Biotecnologia Defesa

37 PROCESSAMENTO MINERAL Soluções inovadoras no processamento mineral e sustentabilidade na mineração Minas Gerais INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO Segmentos de Mercado Estratégicos para o ISI Produtores de Minério de Ferro, Caulim, Nióbio, Fosfato, Potássio, Indústrias Transformadoras de Alumínio e Gusa. Portfólio de Serviços / Plataformas Tecnológicas: - Desenvolvimento e melhoria de tecnologias de processamento mineral com emprego de uma planta-piloto; - Desenvolvimento de tecnologias limpas de mineração e processamento mineral; - Caracterização de propriedades minerais; - Pesquisa geológica de minerais; - Prevenção de danos minerais e recuperação de áreas danificadas. Infraestrutura, Equipe, Experiência - Reforma SENAI CETEC, 2350m 2, Belo Horizonte MG. - 4 Doutores, 3 Mestres, 1 Engenheiro, 15 Técnicos Total: 28 funcionários + 2 doutores/mestres em contratação anos de atuação (SENAI CETEC) com pesquisa aplicada para indústria mineral.

38 Instituto SENAI de Inovação em Processamento Mineral Portfólio Processamento Mineral em Escalas de Laboratório e Piloto Minerais ferrosos e metais de base Agrominerais Minerais industriais Minérios complexos e de baixo teor Minerais portadores de metais nobres e metais raros Ultrafinos Caracterização Física e físico-química Mineralógica Química Racionalização do uso de Água e Energia Racionalização do uso de água e energia no processamento mineral Estudos de desaguamento dos rejeitos e recuperação de água Aproveitamento de resíduos Viabilidade técnica e econômica do aproveitamento de rejeitos e estéreis Estudos de desaguamento dos rejeitos e recuperação de água Adequação de efluentes à legislação ambiental

39 Centro de Tecnologia SENAI CETEC

40 Planta do Instituto SENAI de Inovação em Processamento Mineral m²

41 Planta baixa e leiaute do Instituto 1º andar Preparação de amostras Concentração gravítica Microscopia Mini Planta Fonte: Gerência Integrada de Engenharia

42 Planta baixa e leiaute do Instituto 2º andar Planta piloto Caracterização Equipe técnica do Instituto Fonte: Gerência Integrada de Engenharia

43 ECNOLOGIAS MINERAIS esenvolvimento tecnológico de pesquisas em inerais estratégicos Pará INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO Segmentos de Mercado Estratégicos para o ISI Produtores de Terras Raras, Estanho e Alumínio. Portfólio de Serviços / Plataformas Tecnológicas: - Laboratório - Fábrica para o desenvolvimento tecnológico de pesquisas em terras raras. - Desenvolvimento e melhoria de tecnologias em minerais estratégicos; - Modelagem de processos na mineração e beneficiamento; - Caracterização de minerais. Infraestrutura, Equipe, Experiência - Novo edifício dentro do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, Belém PA. - 1 Doutor. Nova equipe em formação. - Em processo de estruturação de competências através de parcerias com UFPA e CERTI.

44 ECNOLOGIAS MINERAIS esenvolvimento tecnológico de pesquisas em inerais estratégicos Pará INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO O ISI-TM se localizará em Belém- PA dentro do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá, o qual situa-se entre a UFPA e a UFRA.

45 INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO ELETROQUÍMICA E n d e r e ç o Senai CAMPUS INDÚSTRIA Av. Comendador Franco, 1341, JARDIM BOTÂNICO , Curitiba, PR

46

47

48 Instituto SENAI de Inovação em Eletroquímica VISÃO Ser referência Nacional e Internacional para a pesquisa aplicada e o desenvolvimento de produtos industriais, processos e serviços, contribuindo para a Estratégia Nacional P&D&I. MISSÃO Promover maior competitividade da Indústria Nacional por meio da transferência de conhecimento, pesquisa aplicada e inovação.

49 PESQUISA APLICADA ELETROQUÍMICA CORROSÃO TINTAS BATERIAS CÉLULAS COMBUSTÍVEL IMUNO and BIOSENSORES BIO-CORROSÃO GALVANIZAÇÃO RESÍDUOS INDUSTRIAIS NOVOS MATERIAIS RESISTÊNCIA CORROSÃO BIOMATERIAIS PROTEÇÃO CATÓDICA CERÂMICAS NANOTECNOLOGIA TINTAS AUTO-CICATRIZANTES SUPERFÍCIES FUNCIONAIS INIBIDOR DE CORROSÃO COSMÉTICOS

50 EQUIPE

51

52 PARCERIAS

53 INSTITUTOS PARCEIROS INTERNACIONAIS ACREO (Suécia) CNETE (Canadá) (National Center for Electrochemistry and Environmental Technologies)

54 Instituto SENAI de Inovação Eletroquímica MINERAÇÃO E ELETROQÍMICA

55 Minas podem ser limpas a baixo custo com biolixiviação

56 Biolixiviação e da lixiviação química de um concentrado sulfetado de zinco Tratamento de minérios de OURO COBRE FERRO, como PIRITA (FeS2), MOLIBDENITA (MoS2) URÂNIO Processos LENTO (~ 20 dias). O aumento temperatura => concentração metal

57 AUXÍLIO DA ELETROQUÍMICA Eletrolixiviação de concentrado de flotação de sulfetos de cobre OBJETIVO: melhorar a extração de cobre da calcopirita em relação aos processos convencionais de lixiviação, realizando a eletrolixiviação em tempo relativamente curto e com alto rendimento. PRODUTO: cobre metálico de alta pureza.

58 AUXÍLIO DA ELETROQUÍMICA EletroBIOlixiviação OBJETIVO: AUMENTAR VELOCIDADE DOS PROCESSOS EXISTENTES PRODUTO: Processo ACELERADO (10X) Recuperar metais (Al, Ni e Mo) de rejeitos de catalisadores. Eficiências: Al (48.7%),, Ni (88%) e Mo (52.8%).

59 Instituto SENAI de Inovação Eletroquímica PROJETOS EM ANDAMENTO

60 PROJETO TINTAS AUTO-CICATRIZANTES Reparo automático Aparência de sempre novo Aumento da longevidade A N T E S D E P O I S

61 PROJETO TINTA SUPERHIDROFÓBICA Cobertura com nanoparticúlas Prevenção de adesão de argilas, barro, sujeira, bactéria, insetos, mexilhão dourado. Aparência de sempre limpo Aumento de longevidade

62 PROJETO NOVOS MATERIAIS METALOGRAFIA, CERÂMICAS SPD (Spark Plasma Sitering Micrografias MEV Mapeamento químico Dureza

63 PROJETO SENSORES ELETROQUÍMICOS

64 EQUIPAMENTOS

65 Microscópio Eletroquímico de Varredura -SECM POTENCIOSTADO/GALVANOSTATO

66 Espectroscopia de Fluorescência de Raios-X - XRF Principais Aplicações Instituto SENAI de Inovação Permite realizar análises qualitativa e quantitativa de elementos de um dado material. Espectroscopia de Fluorescência de Raios-X XRF - PORTÁTIL Análise química NÃO destrutiva: Permite realizar análises qualitativa e quantitativa de elementos de um dado material.

67 RAMAN COM MICROSCÓPIO MICROSCÓPIO COM INFRAVERMELHO Analisador de Cura Equipamento para estudar a formação de Filmes de qualquer natureza

68 Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica EQUIPAMENTOS DISPONÍVEIS NANOTECNOLOGIA SPARK PLASMA SINTERING (SPS) Sinterização por Corrente Elétrica Pulsada Assistido por Pressão Tecnologia de Consolidação de Pó de Alta Velocidade Principais Aplicações (Produção) Novos materiais com novas propriedades; Materiais com 100% densidade ; Materiais com porosidade controlada; Materiais com gradação funcional (FGM); Materiais de altíssima dureza (CBN, WC); Materiais de díficil sinterização (Ti, Al, Mg). Características do Processo Até 2000 C e 100 KN; Não precisa pré-compactar o pó; Não é necessário ligante; Ciclos rápidos (mantém a estutrutua nanométrica das partículas); Fácil uso. Metal Cerâmica Cerâmica/Metal

69 Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica EQUIPAMENTOS DISPONÍVEIS CARACTERIZAÇÃO MICROSCÓPIO ÓPTICA Análise de Grãos Microscópio Óptico Reto e invertido Análise de dispersão de partículas ENSAIOS DE DUREZA E MICRODUREZA Ensaios de Dureza Ensaios de Micro-dureza

70 V I S I T E N O S E n d e r e ç o Senai CAMPUS INDÚSTRIA Av. Comendador Franco, 1341, JARDIM BOTÂNICO , Curitiba, PR

71 Instituto SENAI de Inovação - Eletroquímica Contatos: Luiz Carlos Ferracin Fone: (41) / (41) Marcos Berton Fone: (41) Paulo Marangoni Fone: (41) Nério Vicente Junior Fone: (41)

72 Vídeo Institutos SENAI

73 OBRIGADO PELA ATENÇÃO! Joner Oliveira Alves (61)

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA NO BRASIL

OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA NO BRASIL OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA QUÍMICA NO BRASIL Bilhões US$ FOB Balança comercial brasileira A balança comercial brasileira de bens tipicamente produzidos pela indústria de transformação

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS MINERAIS Slide 1 O que fazer para melhorar a competitividade da indústria? Mobilização Empresarial pela Inovação MEI Melhorar a infraestrutura Disseminar a cultura

Leia mais

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada.

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada. SENAI Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. Historia Criado

Leia mais

Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA

Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria

Leia mais

Redes de Inovação Vantagens da Articulação entre Empresas Inovadoras & ICTIs

Redes de Inovação Vantagens da Articulação entre Empresas Inovadoras & ICTIs Redes de Inovação Vantagens da Articulação entre Empresas Inovadoras & ICTIs IMPLEMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE CENTROS DE P&D NO BRASIL. SENAI Departamento Nacional São Paulo, 30 de Junho de 205 Tópicos de

Leia mais

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, 18 de Setembro

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Ações MEI Políticas de caráter horizontal (incentivos fiscais, crédito, melhoria de marcos regulatórios); Políticas para setores estratégicos;

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Energia Ambiente Mobilidade Saúde Segurança Comunicações O SENAI E SUA CAPACIDADE ATUAL DE ATENDIMENTO O SENAI é a maior rede privada

Leia mais

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação AS INDÚSTRIAS NECESSITAM IN O VAR PARA SEREM MAIS COMPETITIVAS + Educação Tecnologia + Inovação = Competitividade INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção

Leia mais

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria PROGRAMA SENAI + COMPETITIVIDADE INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção Civil CE EletroMetalmecânica Energias Renováveis RN Petróleo

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor)

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Principais obstáculos à ampliação da produtividade do trabalho

Leia mais

Doutorado Industrial na Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação

Doutorado Industrial na Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Doutorado Industrial na Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, 13

Leia mais

Departamento Nacional do SENAI

Departamento Nacional do SENAI Departamento Nacional do SENAI Rede SENAI Ferramentaria Luiz Eduardo Leão Inovação e Tendências Moldes ABM 0º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes São Paulo 09 de agosto de 202 Desafio

Leia mais

Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG - Campus CETEC

Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG - Campus CETEC Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Campus CETEC O Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Campus CETEC, compõe-se por um conjunto de institutos de inovação e institutos de tecnologia capazes

Leia mais

Inovação Tecnológica e Transferência de Tecnologia SENAI-BA / CIMATEC

Inovação Tecnológica e Transferência de Tecnologia SENAI-BA / CIMATEC Núcleo de Inovação Tecnológica - NIT Inovação Tecnológica e Transferência de Tecnologia SENAI-BA / CIMATEC Profª. Maria do Carmo Oliveira Ribeiro, MSc. Coord. Núcleo de Inovação Tecnológica NIT SENAI-BA

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM BIOSINTÉTICOS

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM BIOSINTÉTICOS INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM BIOSINTÉTICOS Inovação Soluções em Tecnologia Sustentabilidade Prover Soluções de Tecnologia e Inovação para aumentar a competitividade da indústria. 300 projetos de inovação

Leia mais

Intensidade global de investimentos em P&D [% do PIB, último ano disponível por país]

Intensidade global de investimentos em P&D [% do PIB, último ano disponível por país] 2 Intensidade global de investimentos em P&D [% do PIB, último ano disponível por país] 71% 71% 75% 45% 74% 0,00% - 0,25% 0,26% - 0,50% 0,51% - 1,00% 1,01% - 2,00% Acima de 2,01% Dados não disponíveis

Leia mais

Departamento Regional de São Paulo

Departamento Regional de São Paulo SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL www.sp.senai.br Departamento Regional de São Paulo O QUE É O SENAI? Uma organização privada, sem fins lucrativos com estrutura federal em todo Brasil. Financiada

Leia mais

Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI)

Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI) Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI) A VISÃO DA INDÚSTRIA AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL Rafael Lucchesi Diretor de Educação e Tecnologia da CNI Diretor Geral do SENAI/DN

Leia mais

POLOS DE INOVAÇÃO Institutos Federais Brasília, junho de 2013

POLOS DE INOVAÇÃO Institutos Federais Brasília, junho de 2013 Ministério da Educação POLOS DE INOVAÇÃO Institutos Federais Brasília, junho de 2013 ATIVIDADE ECONÔMICA (organizações empresariais e comunitárias) IMPACTOS: PD&I Aumento da competitividade industrial

Leia mais

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral

Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral Experiência da CNI na promoção da Inovação no Setor Mineral PAULO MOL Diretor de Inovação Brasília, 10 de junho de 2013 Brasil precisa ser mais competitivo e a inovação é um dos caminhos 6ª Economia Mundial

Leia mais

Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos

Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos Os Desafios do Estado na implementação dos Parques Tecnológicos Marcos Cintra Subsecretário de Ciência e Tecnologia Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Outubro/2013 Brasil 7ª

Leia mais

SENAI. Foi dado o sinal verde para o futuro da indústria.

SENAI. Foi dado o sinal verde para o futuro da indústria. SENAI. Foi dado o sinal verde para o futuro da indústria. Instituto SENAI de Inovação Química Verde e Instituto SENAI de Tecnologia Ambiental. As soluções inovadoras agora têm endereço certo. O Instituto

Leia mais

AUD. Audiência Pública: PRONATEC

AUD. Audiência Pública: PRONATEC AUD Audiência Pública: PRONATEC SENAI Missão Promover a educação profissional i e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria

Leia mais

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF

PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias. 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF PROCOMPI Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias 6ª Conferência Brasileira de APLs Brasília - DF Dezembro de 2013 OBJETIVO Promover a competitividade das micro e pequenas empresas

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico para a Inovação www.int.gov.br

INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico para a Inovação www.int.gov.br Empresas Empresas Empresas Grupo de Trabalho EMBRAPII Projeto Piloto de Aliança Estratégica Pública e Privada Agosto 2011 Embrapii: P&D Pré-competitivo Fase intermediária do processo inovativo Essencial

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

FAQ Edital SENAI SESI de inovação 2010 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010

FAQ Edital SENAI SESI de inovação 2010 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010 FAQ 21 Edital SENAI SESI de inovação 2010 1. Edital SENAI e SESI 1.1 O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? O Edital é uma iniciativa do SENAI e do SESI que visa despertar a cultura da inovação na

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação?

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação? 1) O que é o Edital SENAI e SESI de Inovação? 2) Qual é a vantagem para a indústria participar do Edital de Inovação? 3) Qual é a vantagem para um Departamento Regional participar do Edital de Inovação?

Leia mais

MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR?

MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR? MPE Micro e Pequenas Empresas - É POSSÍVEL INOVAR? São Paulo 16 de abril de 2013 Missão do SEBRAE Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo

Leia mais

Instituto de Pesquisas Tecnológicas. Soluções tecnológicas

Instituto de Pesquisas Tecnológicas. Soluções tecnológicas Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo Soluções tecnológicas O que é Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S.A. Uma das primeiras instituições de P&D&I aplicados

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Santos Offshore Alfredo Renault Santos, 10 de abril de 2014. Sumário I PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS DO SETOR II A CADEIA DE FORNECEDORES III

Leia mais

Instituto Nacional de Tecnologia (INT) EMBRAPII. Financiamento para pesquisa, desenvolvimento e inovação

Instituto Nacional de Tecnologia (INT) EMBRAPII. Financiamento para pesquisa, desenvolvimento e inovação Instituto Nacional de Tecnologia (INT) EMBRAPII Financiamento para pesquisa, desenvolvimento e inovação INT: parceiro da inovação A participação no programa EMBRAPII colocou o Instituto Nacional de Tecnologia

Leia mais

Novo Modelo de apoio à Inovação. Alvaro J Abackerli alvaro.abackerli@embrapii.org.br Coordenação de Acompanhamento Técnico

Novo Modelo de apoio à Inovação. Alvaro J Abackerli alvaro.abackerli@embrapii.org.br Coordenação de Acompanhamento Técnico Novo Modelo de apoio à Inovação Alvaro J Abackerli alvaro.abackerli@embrapii.org.br Coordenação de Acompanhamento Técnico Objetivos do Sistema EMBRAPII Contribuir para: Aumento do investimento privado

Leia mais

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 2011 Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) Diretoria de Inovação (DRIN) Departamento de Acompanhamento (DAC) PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 Janeiro/2011

Leia mais

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação São Paulo 05.11.2010 Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Leia mais

SENAI Paraná Alimentos e Bebidas. Eng. Ma. Amanda Peregrine Primo Coordenação Alimentos e Bebidas SENAI Toledo

SENAI Paraná Alimentos e Bebidas. Eng. Ma. Amanda Peregrine Primo Coordenação Alimentos e Bebidas SENAI Toledo SENAI Paraná Alimentos e Bebidas Eng. Ma. Amanda Peregrine Primo Coordenação Alimentos e Bebidas SENAI Toledo Áreas de atuação Automação Alimentos e Bebidas Celulose e Papel Gestão Mineração / Minerais

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais

Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais Instituto Nacional de Tecnologia em União e Revestimento de Materiais Apoio Institucional Apoio Financeiro Nossos Desafios 2011 Cadeia Produtiva Complexa Setores Industriais Construção e Engenharia Aero-espacial

Leia mais

MISSÃO Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a

MISSÃO Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a 2014 MISSÃO Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. São 165 unidades

Leia mais

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas

Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL. Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas Apresentações de Ações das Instituições do GTP APL Fomento à Inovação nas Pequenas Empresas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Rochester Gomes da Costa Departamento de Capital Semente 29 de outubro

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

Soluções Inovadoras em Polímeros

Soluções Inovadoras em Polímeros Soluções Inovadoras em Polímeros Credenciamento na ANP N 562/2015 Credenciado Centro Tecnológico de Polímeros Evolução para Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros 1992 a 2011 2000 a 2011

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval Automação Industrial Indústria O Tecnólogo em Automação Industrial é um profissional a serviço da modernização das técnicas de produção utilizadas no setor industrial, atuando na execução de projetos,

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto do Mercado de Carbono no Brasil Rio de Janeiro RJ, 09 de novembro de 2010 FINEP

Leia mais

INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL

INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL INDÚSTRIA NAVAL NO BRASIL DÉCADA DE 70 E 80 O BRASIL CHEGOU A SER O 2º PRODUTOR MUNDIAL DE EMBARCAÇÕES EMPREGAVA 40 MIL TRABALHADORES DIRETOS E CERCA DE 160 MIL INDIRETOS DÉCADA DE 90 Abertura indiscriminada

Leia mais

Apoio à Inovação. Desenvolve SP 11 de novembro de 2014

Apoio à Inovação. Desenvolve SP 11 de novembro de 2014 Apoio à Inovação Desenvolve SP 11 de novembro de 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte de crédito de longo prazo para investimento

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA

Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA Programa Ciência Sem Fronteiras (PCsF) para a indústria INDÚSTRIA BRASILEIRA MEI-Mobilização Empresarial pela Inovação PRINCIPAIS DIRETRIZES Enfatizar a formação de recursos humanos qualificados Apoiar

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011

Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011 Integração de Cadeias Produtivas Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011 Agenda 1. Crescimento do Mercado Consumidor e Ascensão da Classe Média 1. Áreas de Investimento e Adensamento

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

Promover o crescimento sustentável da indústria brasileira, em médio e longo prazo, na área de química verde para a geração de inovações tecnológicas

Promover o crescimento sustentável da indústria brasileira, em médio e longo prazo, na área de química verde para a geração de inovações tecnológicas Promover o crescimento sustentável da indústria brasileira, em médio e longo prazo, na área de química verde para a geração de inovações tecnológicas e a transferência de conhecimento através de pesquisa,

Leia mais

EMBRAPII, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico industrial

EMBRAPII, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico industrial EMBRAPII, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico industrial ABINEETEC Março de 2015 O Sistema EMBRAPII: Operação Resultados para Inovação EMBRAPII Empresas financiam no mínimo 1/3 dos custos da

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos:

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos: Setor Siderúrgico 1 O setor siderúrgico brasileiro passou por profundas transformações na década de 90, tendo como principal elemento de mudança o processo de privatização do setor, que desencadeou, num

Leia mais

A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA A MARCA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Rede SENAI de Educação Profissional e Tecnológica UNIGEPLAN O SENAI Ceará foi criado em 27 de novembro de 1943, organizado e administrado pela Federação das

Leia mais

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012 Member of ICMCI International Council of Management Consulting Institutes PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição 2011 / 2012 Av. Paulista, 326 Conj. 77 Bela Vista CEP 01310902

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria de Inovação

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria de Inovação A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL COMO INDUTORA DE: PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA ; COMPETITIVIDADE NO COMEX E INOVAÇÃO DE BENS E PRODUTOS. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

Estratégias para Gestão da Inovação

Estratégias para Gestão da Inovação Estratégias para Gestão da Inovação Prof. Dr. Eng. Jefferson Oliveira Gomes Preâmbulo Pesquisa aplicada e o uso das engenharias em prol da sociedade 1991-2012 crescimento de contratos de trabalho

Leia mais

Fostering the culture of innovation in the Brazilian Science and Technology Institutions and its ability to transfer knowledge to the business sector

Fostering the culture of innovation in the Brazilian Science and Technology Institutions and its ability to transfer knowledge to the business sector Promovendo a cultura de inovação nas Instituições Brasileiras de Ciência e Tecnologia e a sua capacidade de transferir conhecimento para o setor empresarial Fostering the culture of innovation in the Brazilian

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D 1. DESAFIOS de formular uma política pública 2. Programa Start-Up Brasil 3. Ação de Atração de Centros Globais de P&D JOSE

Leia mais

Apoio à Inovação. Junho de 2013

Apoio à Inovação. Junho de 2013 Apoio à Inovação Junho de 2013 Inovação: Conceito (...) implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente aprimorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Painel B3: Transferência de Tecnologia

Painel B3: Transferência de Tecnologia Painel B3: Transferência de Tecnologia fatores de risco e de sucesso Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Pró-Inova

Leia mais

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011 Apoio às MPMEs Sorocaba/SP 30 de novembro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR

CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR CAFÉ DA MANHÃ FRENTE PARLAMENTAR Situação Atual do Setor Têxtil e de Confecção Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Abit Brasília, 19 de junho de 2013 PERFIL DO SETOR ESTRUTURA DA CADEIA TEXTIL E DE CONFECÇÃO

Leia mais

Reunião do Comitê de Líderes Empresariais da MEI. Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria São Paulo, 02 de dezembro de 2011

Reunião do Comitê de Líderes Empresariais da MEI. Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria São Paulo, 02 de dezembro de 2011 Reunião do Comitê de Líderes Empresariais da MEI Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria São Paulo, 02 de dezembro de 2011 O QUE FAZER PARA MELHORAR A COMPETITIVIDADE? Melhorar a infraestrutura

Leia mais

Inovação como Estratégia de Negócio. Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação

Inovação como Estratégia de Negócio. Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação Inovação como Estratégia de Negócio Filipe cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná C2i Centro Internacional de Inovação Conteúdos Desafios da Competitividade Industrial no PR

Leia mais

A Experiência da Carbonífera Criciúma S.A. com editais de subvenção econômica para a realização de P&D

A Experiência da Carbonífera Criciúma S.A. com editais de subvenção econômica para a realização de P&D A Experiência da Carbonífera Criciúma S.A. com editais de subvenção econômica para a realização de P&D Desenvolvimento de produtos e processos para o tratamento de águas e efluentes industriais visando

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Hélice Tríplice. Henry Etzkowitz e Loet Leydesdorff. Universidades (ciência conhecimento)

Hélice Tríplice. Henry Etzkowitz e Loet Leydesdorff. Universidades (ciência conhecimento) Hélice Tríplice Henry Etzkowitz e Loet Leydesdorff Universidades (ciência conhecimento) Empresas (produtos e serviços) Governos (setor regulador e fomentador da atividade econômica) Inovação aberta visando

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE NOVAS TECNOLOGIAS, PELO BRASIL, PARA VIABILIZAR A EXPLORAÇÃO DE TERRAS-RARAS

DESENVOLVIMENTO DE NOVAS TECNOLOGIAS, PELO BRASIL, PARA VIABILIZAR A EXPLORAÇÃO DE TERRAS-RARAS Audiência Pública, 25/abril/2012 Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal DESENVOLVIMENTO DE NOVAS TECNOLOGIAS, PELO BRASIL, PARA VIABILIZAR A EXPLORAÇÃO DE TERRAS-RARAS

Leia mais

A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore

A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore A estrutura da Indústria do Rio Grande do Sul para o segmento de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore CCPGE 28 de maio de 2014 Atuação FIERGS CCPGE

Leia mais

e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual

e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual Estado e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual Desempenho Conjuntural da Indústria Participação

Leia mais

Abrangência do Programa de Expansão do ITA

Abrangência do Programa de Expansão do ITA Abrangência do Programa de Expansão do ITA Programa de Expansão do ITA EDUCAÇÃO (Ensino e Pesquisa) INOVAÇÃO (P,D & I) Projetos Cooperações ITA Projeto Cooperações Infraestrutura 5 IFES Centro de Inovação

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS ENERGIA NUCLEAR Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho

Leia mais

Inovação & Energia: Imperativo para o Desenvolvimento Competitivo e Sustentável

Inovação & Energia: Imperativo para o Desenvolvimento Competitivo e Sustentável Inovação & Energia: Imperativo para o Desenvolvimento Competitivo e Sustentável Filipe Cassapo, Sistema FIEP Federação das Industrias do Estado do Paraná SENAI C2i - Centro Internacional de Inovação, ISI

Leia mais

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Cooperação CSMIA-ABIMAQ/ IPT / POLI-USP 29 de Abril 2013 - AGRISHOW Desafios da Competitividade e Consolidação do Setor 1. A maioria

Leia mais

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 1 Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 Brasil: Fundamentos Macroeconômicos (1) Reservas International

Leia mais

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014 BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada Outubro de 2014 Agenda 1. Aspectos Institucionais 2. Formas de Atuação 3. Indústria de Base Florestal Plantada 1. Aspectos Institucionais Linha

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

PODE SER CLASSIFICADA EM TRÊS GRANDES SEGMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA MONTAGENS INDUSTRIAIS E EXTRAÇÃO MINERAL MILHÕES

PODE SER CLASSIFICADA EM TRÊS GRANDES SEGMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA MONTAGENS INDUSTRIAIS E EXTRAÇÃO MINERAL MILHÕES A CONSTRUÇÃO CIVIL PODE SER CLASSIFICADA EM TRÊS GRANDES SEGMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA MONTAGENS INDUSTRIAIS E EXTRAÇÃO MINERAL EDIFICAÇÕES INDUSTRIAIS, COMERCIAIS E RESIDENCIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL É UM DOS

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2013 INDICADOR SANTA CATARINA BR % % acumulado 2013/2012 % acumulado 2012/2011 acumulado 2013/2012 Produção Ind. (jan-ago)

Leia mais

Política e Prioridades Brasileiras para Recursos Minerais Desenvolvimento Tecnológico e Inovação

Política e Prioridades Brasileiras para Recursos Minerais Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Workshop: Oportunidades de Desenvolvimento e Inovação em Mineração e Metais Política e Prioridades Brasileiras para Recursos Minerais Desenvolvimento Tecnológico e Inovação SECRETARIA DE GEOLOGIA, MINERAÇÃO

Leia mais

CADEIAS PRODUTIVAS PARA TERRAS RARAS

CADEIAS PRODUTIVAS PARA TERRAS RARAS CADEIAS PRODUTIVAS PARA TERRAS RARAS Alvaro Toubes Prata Secretário Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e - MCTI SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA-CCT

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papeldo BNDES napromoçãodo desenvolvimento econômico e social do Brasil IV Fórum Internacional de comunicação e sustentabilidade Brasília, 26 de maio de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa

Leia mais

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E INDUSTRIA: POR UMA ESTRATÉGIA OUSADA DE INOVAÇÃO NO BRASIL Alvaro Toubes Prata Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI Open Innovation Seminar

Leia mais

Inovação. no Estado de São Paulo. Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e

Inovação. no Estado de São Paulo. Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e no Estado de São Paulo Inovação Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia Subsecretaria de Ciência e Tecnologia Vantagens

Leia mais

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC II FPSO Workshop Tecnológico Campinas, 24-25 de abril de 2012 APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Carlos Daher Padovezi Instituto de Pesquisas

Leia mais

Coordenação Sistêmica de Formação e Qualificação Profissional A qualificação abre as portas da inovação.

Coordenação Sistêmica de Formação e Qualificação Profissional A qualificação abre as portas da inovação. Coordenação Sistêmica de Formação e Qualificação Profissional A qualificação abre as portas da inovação. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria de Inovação Secretaria

Leia mais