Relatório Técnico Final do Projeto MCT/FINEP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Técnico Final do Projeto MCT/FINEP 01.06.0777.00"

Transcrição

1 Relatório Técnico Final do Projeto MCT/FINEP Fortalecimento da Gestão Tecnológica e da Inovação na Fiocruz: Implantação do Sistema Gestec-NIT Ação transversal TIB 02/2006-FINEP -Processo institucional CNPq / Período de execução do projeto:

2 Relatório Técnico Final do Projeto MCT/FINEP Fortalecimento da Gestão Tecnológica e da Inovação na Fiocruz: Implantação do Sistema Gestec-NIT Ação transversal TIB 02/2006-FINEP - Processo institucional CNPq / Período de execução do projeto:

3 Ministério da Saúde Alexandre Padilha Ministro da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Paulo Ernani Gadelha Vieira Presidente da Fundação Oswaldo Cruz Claude Pirmez Vice-presidente de Pesquisa e Laboratórios de Referência Jorge Bermudez Vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde Pedro Ribeiro Barbosa Vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional Maria do Carmo Leal Vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação Valcler Rangel Fernandes Vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde

4 Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde- VPPIS Coordenação de Gestão Tecnológica Gestec Equipe Responsável: Maria Celeste Emerick Patrícia Seixas da Costa Coordenação Karla Bernardo Mattoso Montenegro Textos e Edição Multimeios Fiocruz Capa e programação visual Equipe Técnica da Gestec Maria Celeste Emerick- Coordenadora Adriana Campos Moreira Britto Aline Morais Antônio Pereira Cláudia Botelho Daniel Bartha Fabrícia Pimenta Gisele Cruz de Mendonça João Ryff Karla Bernardo Mattoso Montenegro Leonardo Silva Leite Leila Costa Duarte Longa Lucia Rodrigues de Paiva Márcia de Andrade Amaral Mônica Magno Vilar Patrícia Seixas da Costa Sandra Correa Valéria Fazoli Vera Lúcia Queiroz Equipe de Apoio Henrique Soares Equipe do Sistema Gestec-NIT (2011) Maria Celeste Emerick (Coordenadora) Karla Bernardo M. Montenegro (Gerente) Ana Paula Cossenza (NIT-BIO) Gustavo Guedes Furtado (NIT-BIO) Kátia dos Reis (NIT-BIO) Fernando Porto (NIT-BIO) Conrado R. de F. Bhering (NIT-BIO) Paulo Abílio V. Lisboa (NIT- CECAL) Amarildo Miranda (NIT- CECAL) Liene Wegner (NIT-CECAL) André Dantas (NIT-EPSJV) Márcia Teixeira (NIT-EPSJV) Maria Helena Lino (NIT-ENSP) Wanise Barroso (NIT-FAR) Carla Cristina F. da Silveira (NIT-FAR) Larissa Dutra (NIT-FAR) Ana Paula Dantas Correa (NIT-FAR) Carlos Lucena (NIT- IAM) Raquel Souza (NIT- ICC) Carlos Eduardo da Rocha (NIT-ICC) Nilton B. dos Santos (NIT-ICICT) Eide Barbosa Pantaleão (NIT-ICICT) Eric Sia Mapurunga de Aguiar (NIT-ICICT) Katia Sydronio de Souza (NIT-IFF) Angela Sampaio (NIT-IFF) Fabíola da Conceição (NIT-IGM) Mitermayer Galvão dos Reis (NIT-IGM) Ormezinda C. C. Fernandes (NIT-ILMD) Felipe Costa (NIT-ILMD) Victor Marin (NIT-INCQS) Maria Helena S.Villas Boas (NIT-ILMD) Vanise Baptista da Costa (NIT-IOC) Genilso S. dos Santos (NIT-IOC) Karinne Marieta (NIT-IOC) Roberto Silveira Reis (NIT-IPEC) Marco Antônio Botelho (NIT-IPEC) Zélia Maria Profeta da Luz (NIT-IRR) Cristina Carrara (NIT-IRR) Samuel Miguel Abdala Junior (NIT-IRR) Manuella Souza Damas (NIT-IRR) Luis Fernando Pessoa de Andrade (NIT- Fiocruz-Ceará) 3

5 Sumário Parte 1 - Apresentação 7 Parte 2 Concepção e Implementação do novo modelo 11 Parte 3- Relatório da execução do projeto 29 Parte 4- Detalhamento dos NITs do Sistema Gestec-NIT 61 Parte 5 -Anexos Anexo 1- Organograma da Fundação Oswaldo Cruz 96 Anexo 2- Portaria de implantação do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT (CG) 97 Anexo 3- Sistema Fiocruz de Gestão Tecnológica e Inovação: estruturação e 101 funcionamento Anexo 4- Minuta da Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz (2006) 110 Anexo 5- Portaria de criação da Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde 117 Anexo 6- Portaria de criação do Sistema Fiocruz de Gestão Tecnológica e Inovação 118 Anexo 7- Portarias de criação dos NITs do Sistema Gestec-NIT 120 Anexo 8- Manual de aplicação da logomarca do Sistema Gestec-NIT 126 Anexo 9- Levantamento de informações básicas dos NITs 137 Anexo 10- Diagnóstico da implantação dos NITs do Sistema Gestec-NIT 141 Anexo 11- Integrantes do Sistema Gestec-NIT 142 Anexo 12- Formação e vínculo dos integrantes do Sistema Gestec-NIT 144 Anexo 13- Projeto do Portfolio de Inovação da Fiocruz 146 Anexo 14- Formulário de captação de projetos para o Portfolio de Inovação da 151 Fiocruz Anexo 15- Texto: A opção sistêmica da gestão da inovação na Fiocruz: O Sistema 153 Gestec-NIT Anexo 16- Atribuições gerais e atribuições técnicas dos NITs do Sistema Gestec-NIT 157 Anexo 17- Plano de trabalho do plano de negócios: Análise estratégica do portfolio 163 de patentes da Fiocruz Anexo 18- Plano de trabalho do plano de negócios: Direito autoral e marcas na 166 Fiocruz Anexo 19- Texto: Oposições a pedidos de patentes de medicamentos 169 Anexo 20- Projeto do Programa de Estágio da Gestec 173 Anexo 21- Plano de trabalho do plano de negócios: Site da Gestec e Sistema Gestec- 178 NIT Anexo 22- Matéria: Proteção ao patrimônio intelectual 179 Anexo 23- Matéria: Oposições a pedidos de patentes 182 Anexo 24- Layout do brinde elaborado para divulgar o Sistema Gestec-NIT 183 Lista de Figuras 4

6 Figura 1- Primeiro desenho da Composição do Sistema Gestec-NIT 14 Figura 2- Organograma e escopo de atuação Gestec (2006) 16 Figura 3- Atual representação gráfica da Composição do Sistema Gestec-NIT 22 Figura 4- Comunidade de Prática do Sistema Gestec-NIT 24 Figura 5- Página inicial do site da Gestec/Sistema Gestec-NIT 25 Figura 6- Logomarca do Sistema Gestec-NIT 26 Figura 7- Elementos fundamentais para a eficiência do Sistema Gestec-NIT 27 Figura 8- Concepção do Sistema Gestec-NIT 27 Figura 9- Capa da versão impressa do Portfolio de inovação da Fiocruz 45 Figura 10- Página inicial da versão eletrônica do Portfolio de inovação da Fiocruz 46 Figura 11- Imagem do Pôster do Sistema Gestec-NIT 60 Lista de Quadros Quadro 1- Temática dos Planos de trabalho dos bolsistas do projeto 42 Quadro 2- Acervo bibliográfico e documental da Gestec e Sistema Gestec-NIT 55 Lista de Siglas e abreviações ABPI- Associação Brasileira da Propriedade Intelectual BIO- Instituto de tecnologia em Imunobiológicos (Biomanguinhos)- Fiocruz Rio de Janeiro CECAL- Centro de Criação de Animais de Laboratório Fiocruz Rio de Janeiro CEIS- Complexo Econômico e Industrial da Saúde COC- Casa de Oswaldo Cruz - Fiocruz Rio de Janeiro CG- Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT ENSP- Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Fiocruz Rio de Janeiro EPSJV- Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio Fiocruz Rio de Janeiro FAR- Instituto de Tecnologia em Fármacos- (Farmanguinhos)- Fiocruz Rio de Janeiro Fiocruz- Fundação Oswaldo Cruz FIOTEC- Fundação para o desenvolvimento científico e tecnológico em saúde FINEP- Financiadora de Estudos e Projetos FORTEC- Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia Gestec- Coordenação de Gestão Tecnológica da Fiocruz IAM- Instituto Agueu Magalhães- Fiocruz Pernambuco ICICT- Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde- Fiocruz Rio de Janeiro ICC- Instituto Carlos Chagas- Fiocruz Paraná IFF- Instituto Fernandes Figueira - Fiocruz Rio de Janeiro IGM- Instituto Gonçalo Moniz- Fiocruz Bahia ILMD- Instituto Leônidas e Maria Deane- Fiocruz Amazonas INCQS- Instituto Nacional de controle de qualidade em Saúde - Fiocruz Rio de Janeiro INPI- Instituto Nacional da Propriedade Industrial IOC- Instituto Oswaldo Cruz- Fiocruz Rio de Janeiro 5

7 IPEC- Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas- Fiocruz Rio de Janeiro IPP- Instituição Pública de Pesquisa IRR- Instituto René Rachou Fiocruz Minas Gerais MCT- Ministério da Ciência e Tecnologia NIT- Núcleo de Inovação Tecnológica PDTIS- Programa de Desenvolvimento Tecnológico em Insumos para a Saúde PDTSP- Programa de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde Pública Gestec- Coordenação de Gestão Tecnológica da Fiocruz GT- Grupo de Trabalho REPICT- Rede de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Sistema Gestec-NIT- Sistema de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz SNIS- Sistema Nacional de Inovação em Saúde UTC- Unidade Técnico-Científica VPPDT- Vice-presidência de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico VPPIS- Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde 6

8 7 Parte 1-Apresentação

9 Parte 1-Apresentação Este relatório apresenta as atividades resultantes da execução do projeto Fortalecimento da Gestão Tecnológica e da Inovação na Fiocruz: Implantação do Sistema Gestec-NIT ( ) e também as ações que, embora não previstas previamente no projeto em questão, foram executadas e corroboraram para o sucesso desta iniciativa. O objetivo maior deste projeto foi a implantação do Sistema de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz, o Sistema Gestec-NIT. A criação do sistema pode ser considerada como uma inovação organizacional com impacto direto nas ações relacionadas à Gestão da Inovação na instituição. Este sistema, já implantado e atualmente em fase final de consolidação, é uma das contribuições da Fiocruz para fortalecer o seu elo no Complexo Econômico e Industrial da Saúde (CEIS) e no Sistema Nacional de Inovação em Saúde (SNIS). A Fundação Oswaldo Cruz Fiocruz é uma Instituição Pública de Pesquisa (IPP), vinculada ao Ministério da Saúde, reconhecida nacional e internacionalmente pela excelência científica de suas pesquisas e pela centenária atuação no atendimento às demandas da saúde pública brasileira. A instituição reúne sob uma mesma estrutura atividades de pesquisas biomédicas, hospitais, escolas com foco em saúde pública; desenvolvimento e produção de reagentes para diagnóstico, de vacinas, de insumos biotecnológicos, de fármacos e medicamentos, prestação de serviços assistenciais de referência, controle de qualidade e ensino em saúde do nível técnico à pós-graduação. É uma IPP que possui especificidades que a colocam em destaque no comércio internacional de tecnologia em saúde: P&D, duas indústrias e acesso à utilização do poder de compra do Estado. É uma das únicas instituições públicas que atua nos três segmentos de transferência de tecnologia: como demandante (aquisição de tecnologia); como ofertante (licença de tecnologia gerada na instituição) e como parceira em projetos colaborativos de cooperação tecnológica. O aprendizado organizacional da Fiocruz na área de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia foi um dos pioneiros em IPPs brasileiras. A Fiocruz coordenou a Rede de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia (REPICT), no âmbito da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro (RT) desde o seu início, em 1997 até o ano de 2007, o que a colocou em posição de 8

10 protagonismo no processo de capacitação brasileira (a REPICT foi a precursora do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia FORTEC). Apesar da Fiocruz em aproximadamente vinte anos ( ) ter desenvolvido competências na área de Propriedade Industrial e Transferência de Tecnologia, ter apresentado expressivos indicadores relacionados ao depósito e concessão de documentos de patentes no Brasil e no exterior, ter negociado, assinado diversos instrumentos contratuais de transferência de tecnologia e de ter participado da elaboração de políticas públicas relacionadas a estes temas, os resultados em termos de produtos ou serviços inovadores oriundos do conhecimento gerado na instituição e incorporados no SNIS não foram condizentes com a magnitude e a expressão das atividades realizadas na instituição, o que demandou a concepção de um novo Modelo de Gestão tecnológica e inovação para a Fiocruz. Com o desafio de implantar este novo modelo, a equipe da Coordenação de Gestão Tecnológica da Fiocruz, Gestec (órgão de assessoria direta a presidência da Fiocruz através da vice-presidência de produção e inovação em saúde) (ANEXO 1), com destaque para Maria Celeste Emerick, Patrícia Seixas da Costa e o então consultor João Bhering, redigiu o projeto em questão e o encaminhou para a chamada pública Ação transversal TIB 02/2006 MCT/FINEP, a fim de obter apoio financeiro para a nova proposta, que foi aprovada e passou a ser executada com a intermediação da Fundação para o desenvolvimento científico e tecnológico em saúde (FIOTEC). Este relatório está dividido da seguinte forma: i) concepção e implementação do Novo Modelo de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz: Sistema Gestec-NIT e sua contextualização institucional; ii) relatório da execução do projeto MCT/FINEP que culminou na criação do Sistema Gestec-NIT; iii) detalhamento do Sistema de Gestão da Inovação do Sistema Gestec-NIT, que apresenta status e análise da implementação de cada NIT que compõe o Sistema Gestec-NIT. 9

11 10

12 Parte 2 - Concepção e implementação do Novo Modelo de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz - Sistema Gestec-NIT- e sua contextualização institucional 11

13 Parte 2: Concepção e implementação do Novo Modelo de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz - Sistema Gestec-NIT- e sua contextualização institucional Antecedentes O ano de 2005 foi caracterizado por importantes mudanças estruturais na Coordenação de Gestão Tecnológica (Gestec) em função da implantação do projeto que foi fruto da dissertação de mestrado da Coordenadora de Gestão Tecnológica, Maria Celeste Emerick, intitulado Reestruturação da GESTEC para o fortalecimento da Estratégia de Negócios: do Conhecimento Técnico ao Produto em Mercado, cujo conteúdo foi ampliado em função da aprovação da Lei n o /2004 Decreto nº 5.563/2005, a chamada Lei de inovação e também em razão da ampliação dos programas de desenvolvimento tecnológico (PDTIS/PDTSP/CDTS) da Fiocruz. Segundo EMERICK 2004, dentre os entraves que representavam barreiras internas para obtenção dos resultados esperados, estavam: i) não incorporação da gestão tecnológica na visão estratégica da instituição; ii) ausência de um sistema institucional de gerenciamento de P&D; iii) indefinição das atribuições, interfaces, fluxos e procedimentos entre os setores da instituição que negociam e elaboram instrumentos contratuais; iv) fragilidade do vínculo institucional dos recursos humanos na equipe da Gestec; dentre outros. A identificação destes gargalos culminou com a proposta de reestruturação da gestão tecnológica na Fiocruz. O objetivo geral da reestruturação na Gestec foi incorporar estratégias institucionais de articulação das ações de desenvolvimento tecnológico, de reorganização do ambiente P&D e da criação/aprimoramento/difusão de instrumentos gerenciais capazes de incrementar e viabilizar a inovação na Fiocruz, tendo em vista as necessidades sociais do Sistema Nacional de C, T & Inovação em Saúde. (Relatório de atividades Gestec 2005:6) A fim de viabilizar a reestruturação, foi criado um Grupo de Trabalho com um representante de cada unidade técnico-científica da Fiocruz no âmbito da então vice-presidência de pesquisa e desenvolvimento tecnológico (VPPDT/Gestec), para adequação da política institucional ao novo arcabouço legal trazido com a Lei de inovação principalmente no que se referia às exigências de aprimoramento do diálogo da Fiocruz com o setor produtivo. Deste grupo originou-se o Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT. 12

14 A concepção do Sistema Gestec-NIT Optou-se por um modelo de descentralização sistêmica 1 das atividades da Gestec para as Unidades Técnico-científicas da Fiocruz, com a criação de um Núcleo de Inovação Tecnológica - NIT 2 em cada uma das então 15 Unidades Técnico-científicas da instituição, sob a Coordenação central da Gestec. Estabeleceu-se o NIT da unidade Biomanguinhos (NIT-BIO) como o NIT piloto do Sistema Gestec-NIT. Foi instituído oficialmente o Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT, instância de elaboração, revisão e avaliação do Sistema Gestec-NIT, cuja portaria foi publicada em 2007 (Portaria/PR 168/07, ANEXO 2). As bases da concepção do Sistema Gestec-NIT foram lançadas a partir do documento Sistema Fiocruz de Gestão Tecnológica e Inovação: estruturação e funcionamento, elaborado principalmente com contribuições de Reinaldo Guimarães, vice-presidente de pesquisa à época, o consultor João Bhering e a coordenadora de gestão tecnológica Maria Celeste Emerick (ANEXO 3). Uma das principais preocupações para configuração do novo modelo foi a sua estrutura, tendo como eixo referencial às peculiaridades da Fiocruz, instituição pública vinculada ao Ministério da Saúde, com participação direta na elaboração e implantação da política de saúde pública brasileira. Consideraram-se as especificidades da Fiocruz: seu processo de formação, suas diversidades, a multiplicidade de unidades, variedade de competências e conformação político-decisória, características que conferem à instituição dinâmica organizacional própria. No novo modelo, os esforços estão concentrados no uso estratégico do Sistema Internacional de Propriedade Intelectual e da transferência de conhecimento e tecnologia para o setor produtivo com vistas à inovação em saúde. Ao ser criado, em 2006, o Sistema Fiocruz de Gestão Tecnológica e Inovação: Sistema Gestec-NIT, então vinculado à Vice-Presidência de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (VPPDT), foi representado como na figura 1. Diante da estrutura complexa e heterogênea de atuação das diferentes unidades que compõem a Fiocruz, foi adotada como premissa a dimensão ampliada do conceito de inovação onde todas as 1 Este termo foi utilizado pelo então vice-presidente de pesquisa e desenvolvimento tecnológico da Fiocruz, Reinaldo Guimarães, na primeira Reunião do que seria, no futuro, o Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT, em 11 de maio de 2006 e cuja memória encontra-se arquivada nos arquivos da Gestec. 2 A denominação Núcleo de Inovação Tecnológica consta da Lei nº10.973/

15 Unidades Técnico-Científicas da Fiocruz estão aptas a desenvolverem inovações relevantes sejam elas tecnológicas, organizacionais, educacionais, sociais ou em serviços. O Sistema pressupôs basicamente a reorganização do processo de trabalho das atividades de Gestão Tecnológica e Inovação onde as premissas básicas são: i) ampliação do escopo de atuação & descentralização de atividades da Gestec, ii) articulação & integração entre os braços do Sistema e a Gestec (núcleo central de gerência) e iii) capacitação continuada. Ao atuar em rede, o Sistema consegue não só chegar até o pesquisador diariamente para assessorá-lo como também promove ações pró-ativas de prospecção de oportunidades inovadoras dentro de uma ou articulando mais de uma unidade da instituição. Figura 1: Primeiro desenho da Composição do Sistema Gestec-NIT (2006) Na sociedade pós-industrial a busca por inovações é imperativa, o que exige ampla capacidade organizacional das instituições no que se refere a flexibilidade e agilidade para dar respostas de forma ágil e eficiente, assim como formar parcerias para concretizar os projetos advindos do conhecimento gerado na instituição. Os diversos NITs-UTCs que compõem o Sistema Gestec-NIT são os elos das unidades com a presidência da Fiocruz, no que diz respeito à operacionalidade do sistema, mediante a definição de um programa intensivo de capacitação e de fluxo de informação, de documentação e elaboração de procedimentos-padrão, assim como de interatividade contínua. Gestão do conhecimento e sinergia de competências são palavras-chave da atuação do Sistema Gestec-NIT. 14

16 Com a descentralização de atividades da Gestec para os NITs, não se formaram estruturas sobrepostas na instituição. A Gestec continua atuando nas três áreas de competência: Transferência de Tecnologia, Propriedade Intelectual (patentes), Informação Tecnológica e é o NIT oficial da Fiocruz. Cabe à Gestec representar a Fiocruz perante o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e demais escritórios oficiais de PI no mundo, seja no depósito de patentes e registros de marcas, seja na redação de patentes e respostas à exigências e na averbação de contratos de Transferência de Tecnologia. A Gestec atua também como escritório de negócios na busca de parcerias para projetos de inovação da Fiocruz, na elaboração e negociação de instrumentos contratuais e no uso da informação tecnológica e inteligência competitiva para a tomada de decisão relacionada a gestão da inovação. Cada NIT do Sistema Gestec-NIT possui atribuições específicas de acordo com o perfil da Unidade Técnico-científica que ele integra, além das atribuições técnicas e gerais que são comuns a todos os NITs. Nas atribuições Técnicas estão as competências descentralizadas da Gestec para os NITs, que vem aumentando ao longo do tempo de acordo com a capacidade e resolutividade dos NITs que compõem o sistema (processo de consolidação do novo modelo). As atribuições gerais são as competências mínimas para atuação do NIT no âmbito do Sistema Gestec-NIT. As atribuições técnicas e gerais dos NITs encontram-se no ANEXO 16. Um dos principais diferenciais desta inovação organizacional na Fiocruz é a articulação entre as unidades da instituição, separadas até então não só geograficamente, mas também pela ausência de informação organizada e centralizada sobre as pesquisas e projetos inovadores em curso. A partir deste novo modelo sistêmico, cada Núcleo de Inovação tecnológica implementado nas Unidades Técnico-científicas da Fiocruz passa a ser um braço da Gestão da Inovação na instituição. Estes braços estão unidos por projetos colaborativos como, por exemplo, a constante prospecção interna e externa para a geração de inovações em produtos, serviços, processos e métodos com vistas a contribuir para o Sistema de Inovação em Saúde brasileiro (SIS). O organograma da Gestec de 2006 (Figura 2) reflete o escopo de atuação da Gestec e do Sistema Gestec-NIT, sendo este representado na figura pelo Comitê Gestor e diretamente ligado à Coordenação da Gestec. As atribuições constantes deste organograma não chegaram a ser totalmente implantadas, devido a mudanças na política da instituição, o mesmo se aplica à Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz (ANEXO 4). 15

17 Após a consolidação da reestruturação da Gestec com a ampliação do escopo de atividades- a partir principalmente da implementação do Sistema Gestec-NIT a Coordenação de Gestão tecnológica da Fiocruz passou a atuar em três macro-áreas técnicas: Patentes, Transferência de Tecnologia e Informação Tecnológica. Foi estabelecido também um setor administrativo, que inclui uma área financeira. A gerência do Sistema Gestec-NIT foi alocada na área de Informação Tecnológica e a coordenação geral está localizada na Coordenadora de Gestão Tecnológica. Figura 2- Organograma e escopo de atuação Gestec (2006) As atribuições das macroáreas da Gestec tornaram-se: 1-Área de Patentes: Resumo das Atribuições: -Gestão do portfólio de patentes a) Recursos Humanos b) Banco de dados 16

18 c) Co-titularidades d) Abandono de patentes e) Infra-estrutura -Proteção do conhecimento f) Formalização de colaborações ou parcerias de pesquisas g) Diretriz para depósito de pedidos de patente h) Estudos de viabilidade econômica -Suporte e assessoria i) Gestão de informações e direcionamento de projetos de pesquisa (somente quando especificamente demandada) j) Assessoramento de propriedade intelectual (ex. subsídios em relação a tecnologias concorrentes, manifestações e pareceres). -Pesquisa e ensino k) Treinamento e capacitação do Sistema Gestec-NIT l) Divulgação e treinamento em PI para pesquisadores m) Ensino 2-Área de Transferência de Tecnologia: Resumo das Atribuições: -Assessoramento em questões voltadas para a proteção do patrimônio intelectual da Fiocruz: a) para proteção de obras autorais; b) para proteção de programas de computador; c) para proteção de marcas; -Assessoramento à Fiocruz em questões relacionadas a contratos de transferência de tecnologia e parcerias tecnológicas d) para celebração de contratos de aquisição de tecnologia; e) para celebração de contratos relacionados ao licenciamento de tecnologias desenvolvidas pela Fiocruz; f) para celebração de acordos relacionados ao desenvolvimento de projetos conjuntos; g) consultoria em questões relacionadas a contratos de transferência de tecnologia e parcerias tecnológicas 17

19 -Gerenciamento dos contratos de licença de patente, acordos de co-titularidade de patente e acordos de cooperação com empresas para o desenvolvimento conjunto de produtos h) acompanhamento de projetos de desenvolvimento (contratos de licença de patente e acordos de desenvolvimento de produtos com empresas) i) pagamento de repartição de benefícios 3-Área de Informação Tecnológica: Resumo das Atribuições: Atribuições gerais da Área de Informação: A) Prospectar e monitorar informação científica e tecnológica; B) Prospectar Parcerias e Mercado; C) Interagir com a indústria D) Gerir a Comunicação E) Organizar e Disponibilizar o acervo bibliográfico e documental da Gestec /Sistema Gestec-NIT F) Gerenciar o Sistema Gestec-NIT A- Prospectar informação científica e tecnológica Atribuições específicas: - Buscar, tratar e consolidar informações relativas à área da saúde através de documentos de patentes, marcas, artigos científicos e outras fontes de consulta para subsidiar pesquisa, negociações e identificar rotas tecnológicas; - Monitorar rotas tecnológicas na área da Saúde conforme interesse institucional; - Atualizar e monitorar informações sobre as tecnologias protegidas por patentes na Fiocruz; - Monitorar a infringência, por terceiros, dos direitos de Propriedade Intelectual em documentos de patente de titularidade da Fiocruz (ideal) - Monitorar documentos de patentes de terceiros em áreas de interesse da Fiocruz. - Monitorar e implementar ferramentas de busca nas bases públicas e privadas. 18

20 B) Prospectar Parcerias e Mercado Atribuições específicas: - Buscar, tratar e consolidar informações sobre Empresas e Mercados na área da saúde, através de patentes, marcas, artigos científicos e outras fontes de informação para identificar produtos, aplicação industrial e potenciais parceiros; - Identificar o portfolio de produtos, serviços, proteções legais e parcerias de empresas na área da saúde; - Monitorar produtos e serviços de terceiros em áreas de interesse da Fiocruz. (ideal) - Buscar informações de ordem legal e fiscal sobre empresas em diversas entidades governamentais, tais como registro para funcionamento junto à ANVISA; C) Interagir com a indústria Atribuições específicas: - Gerenciar portfólio de Inovação da Fiocruz; - Divulgar interna e externamente Editais e Oportunidades Tecnológicas; - Enviar criteriosamente informação para indústria; - Redigir releases para diferentes fins; - Atualizar diretório de Empresas da Gestec; - Interagir com instâncias ligadas à inovação intra e extra Fiocruz; - Promover aproximação da Fiocruz com associações empresariais; - Participar de feiras de negócios e demais eventos especializados D) Comunicação Atribuições específicas: - Produzir materiais para divulgação da Gestec e do Sistema Gestec-NIT; - Editar publicações para a Gestec: Relatório anual de atividades, Apostilas para cursos, Capítulos sobre a Gestec em livros, folders, elaboração de material de divulgação da Gestec e do Sistema Gestec-NIT; - Redigir e Editar conteúdo digital para a página da Gestec na intranet e na internet e para newsletters; - Elaborar releases para divulgação de atividades da Gestec e do Sistema Gestec-NIT para seus públicos: interno e externo; 19

21 - Atualizar clipping de notícias da Comunidade de Prática do Sistema Gestec-NIT e do clipping gerencial da Gestec; - Redigir informação sobre a Gestec e Sistema Gestec-NIT para setores internos e externos à Fiocruz; - Acompanhar, assessorar e treinar integrantes da Gestec em entrevistas para a imprensa; - Administrar ferramentas do Site Gestec, Portfólio e Comunidade de prática entre outros; - Mapear necessidades e oportunidades de capacitação da Gestec e do Sistema Gestec-NIT; - Gerenciar e ministrar cursos e eventos para a Gestec e para o Sistema Gestec-NIT; - Construir e estruturar o Sistema Gestec de Informacão (Base de dados da Gestec); - Realizar vídeos institucionais para divulgar atividades do Sistema Gestec-Nit e da Gestec. - Sistematizar a publicação de matérias na intranet / internet / revistas / jornais da instituição e da grande imprensa; E) Organizar e Disponibilizar o acervo bibliográfico e documental da Gestec. Atribuições específicas: - Catalogar livros, periódicos, teses e demais publicações pertencentes à Gestec e Sistema Gestec NIT (ideal), de acordo com critérios biblioteconômicos; - Orientar os NITs quanto ä organização de seu próprio acervo documental e bibliográfico; - Organizar o acervo físico e possibilitar o acesso virtual pelo PHL: - Alimentar o banco de referências bibliográficas, em rede, para identificação dos itens catalogados; - Divulgar mensalmente no alerta bibliográfico da Comunidade de Prática, as novas aquisições; - Monitorar publicações de interesse para aquisição; - Subsidiar pesquisas bibliográficas para diferentes fins - Monitorar o uso do acervo; F) Gerenciamento do Sistema Gestec-NIT: -Gerenciamento de projetos e trabalhos colaborativos ligados ao Sistema Gestec-NIT; -Monitoramento, gerenciamento e atualização do Portfólio de Inovação da Fiocruz ; -Organização estratégica das Reuniões do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT -Monitoramento do RH relacionado ao Sistema Gestec-NIT: capacitação dos integrantes, identificação de competências, etc.. 20

22 -Gerenciamento do e - Elaboração e edição de relatórios, memórias, prestação de contas, formulários e publicações relacionadas ao Sistema Gestec-NIT; - Elaboração de conteúdos acerca do Sistema Gestec-NIT para as mais diferentes mídias; -Estratégias para a promoção da integração do Sistema Gestec-NIT; - Estratégias para manter positiva a imagem do Sistema Gestec-NIT perante o público interno e externo. - Estratégias para assegurar a Gestão do Conhecimento no Sistema Gestec-NIT. O Sistema Gestec-NIT pós reestruturação da Gestec Em 2009, a Gestec, até então vinculada a Vice-presidência de pesquisa e desenvolvimento tecnológico (VPPDT), passou a integrar a recém-criada Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS). Veja a portaria de criação da VPPIS no ANEXO 5. No âmbito da VPPIS, foi publicada a Portaria de criação do Sistema Gestec-NIT na Fiocruz (ANEXO 6) sendo a Gestec/ Sistema Gestec-NIT incorporada como parte integrante do Programa de Produção e Inovação da Fiocruz. Ao longo da implantação do Sistema Gestec-NIT ( ), algumas unidades publicaram portarias específicas, oficializando a implementação do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) na unidade. Para conhecer as portarias dos NITs, ver ANEXO 7. Atualmente, o Sistema Gestec-NIT é composto por 17 NITs como mostra a Figura 3. A representação sistêmica explicita a permanente interatividade. 21

23 Figura 3: Atual representação gráfica da Composição do Sistema Gestec-NIT Gestec-Coordenação de Gestão tecnológica NIT-BIO- NIT de Biomanguinhos (RJ) NIT-CECAL- NIT do CECAL (RJ) NIT-COC- NIT da COC (RJ) NIT-IAM- NIT do IAM (PE) NIT-IGM- NIT do IGM (BA) NIT-ILMD- NIT do ILMD (AM) NIT-IRR- NIT do IRR (MG) NIT-ICC- NIT do ICC (PR) NIT-ENSP- NIT da ENSP (RJ) NIT-EPSJV- NIT da EPSJV (RJ) NIT-FAR NIT de Farmanguinhos (RJ) NIT-IFF- NIT do IFF (RJ) NIT-INCQS- NIT do INCQS (RJ) NIT-ICICT- NIT do ICICT (RJ) NIT-IOC- NIT do IOC (RJ) NIT-IPEC- NIT do IPEC (RJ) NIT-Fiocruz Ceará NIT-CDTS- A ser implantado 3 Os mecanismos de operação do Sistema Gestec-NIT são: i) Reuniões do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT; ii) Comunidade de prática virtual do Sistema Gestec-NIT; iii) cursos e programas de capacitação; iv) reuniões dos grupos de trabalho e comissões, iv) interações pessoais/virtuais v) Site da Gestec/Sistema Gestec-NIT Veja a seguir o detalhamento de cada mecanismo de operação do Sistema Gestec-NIT: 3 Apesar do CDTS ainda não ter inaugurado a sua sede, um representante da futura unidade vem participando das reuniões do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT. 22

24 Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT O Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT (CG) foi oficialmente instituído em 2007, através da portaria 168/07 (ANEXO 2) como instância colegiada representativa das unidades técnicocientíficas da Fiocruz vinculadas à Gestec. Reunião do CG ocorrida em 2010 O CG se reúne ordinariamente quatro vezes ao ano, na Residência Oficial da Fiocruz, das 9:00 às 17:00 e extraordinariamente quando convocado. São membros permanentes deste Comitê os representantes dos Núcleos de Inovação Tecnológica do Sistema Gestec-NIT e seus suplentes; a gerente e a coordenadora do Sistema Gestec-NIT e os gerentes das áreas técnicas da Gestec. De acordo com a pauta da reunião, convidados externos ao Comitê Gestor podem ser convocados. Todas as pautas e memórias das reuniões do Comitê Gestor encontram-se nos arquivos da Gestec que até o final de 2010 contabilizou a realização de 16 reuniões do CG. O presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, e o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS), Carlos Gadelha vêm reforçando o apoio da presidência da Fiocruz ao Sistema Gestec-NIT e ambos já compareceram às reuniões do Comitê Gestor (foto ao lado) como a ocorrida em maio de A orientação da presidência da Fiocruz é a de que o Sistema Gestec-NIT deve otimizar esforços em torno do apoio à gestão da inovação na instituição a fim de atingir o objetivo maior que é a criação de novos produtos ou serviços para o SUS. Reunião do CG ocorrida em 2009 ii) Comunidade de prática virtual do Sistema Gestec-NIT A Comunidade de Prática Virtual do Sistema Gestec-NIT é um espaço virtual de troca diária de conhecimento, trabalho e documentos. Todos os integrantes do Sistema Gestec-NIT e da Gestec têm acesso a esta comunidade que pode ser acessada inclusive fora das dependências da Fiocruz. 23

25 Além da interação que esta proporciona, a comunidade virtual guarda também todas as portarias, projetos e demais documentos do Sistema Gestec-NIT como por exemplo, as memórias das reuniões do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT, POPs, apresentaçãoes, documentos-padrão e demais documentos estruturantes. A Figura 4 mostra a imagem da Comunidade de Prática Virtual. Figura 4: Comunidade de prática virtual do Sistema Gestec-NIT Além dos documentos estruturantes, os usuários da Comunidade de Prática podem elaborar trabalhos colaborativos, ter acesso aos livros e documentos do acervo bibliográfico do Sistema Gestec-NIT e receber o clipping de notícias relacionadas a área de atuação do Sistema Gestec-NIT. A customização da comunidade de prática do Sistema Gestec-NIT foi resultado do projeto de especialização em informação científica e tecnológica do integrante da área de informação tecnológica da Gestec Leonardo Silva Leite. iii) Cursos e programas de capacitação Todo ano o Sistema Gestec-NIT conta com uma grade de capacitação em transferência de tecnologia, propriedade intelectual, gestão da inovação, informação tecnológica e temas correlatos. Os cursos são ministrados presencialmente pela equipe da Gestec ou por convidados. O Ciclo de debates do Sistema Gestec-NIT entrou em 2010 para a grade de capacitação do Sistema, que todos os anos receberá uma média de 6 palestras ao longo do ano. 24

26 O Programa Estágio na Gestec, com carga horária de 30 horas de imersão dos integrantes do Sistema Gestec-NIT na Gestec forma 2 turmas de estagiários ao ano. iv) Interações pessoais/virtuais As interações constantes entre os integrantes do Sistema Gestec-NIT proporcionam constantes insights que corroboram para otimizar o trabalho de gestão da inovação na Fiocruz. Página da Gestec e Sistema Gestec-NIT na internet A Página da Gestec e Sistema Gestec-NIT na internet foi concebida e implementada no âmbito do projeto em questão. Trata-se de um importante instrumento de Comunicação do Sistema Gestec- NIT com o público interno (pesquisadores da instituição) e público externo (empresas, sociedade civil, público em geral). A Figura 5 mostra a imagem da página inicial do site. Figura 5- Site Gestec/ Sistema Gestec-NIT A página está alocada dentro do Portal Fiocruz (www.fiocruz.br) e diretamente vinculada à página da Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS), que foi implantada com recursos deste projeto, e é atualizada constantemente com novas informações, notícias e oportunidades. A versão eletrônica do Portfolio de Inovação da Fiocruz é parte integrante da página da Gestec/Sistema Gestec-NIT na internet, assim como os indicadores quantitativos da Coordenação de gestão tecnológica da Fiocruz. O Plano de trabalho desenvolvido para a elaboração do Site da Gestec/Sistema Gestec-NIT encontra-se no ANEXO

27 Identidade Visual do Sistema Gestec-NIT Para fixação de uma identidade comum aos integrantes do Sistema Gestec-NIT, a Gestec elaborou, através de contratação de profissional com recursos deste projeto, a logomarca do Sistema Gestec- NIT (Figura 6) e definiu missão, valores e a visão do Sistema Gestec-NIT (agosto 2009): i) Missão: Promover a articulação estratégica das unidades da Fiocruz em torno da inovação em Saúde e da Gestão Integrada da Propriedade Intelectual na instituição; ii) Visão: Gerar novos produtos, processos e serviços em Saúde oriundos do conhecimento gerado na Fiocruz; iii) Valores: Cooperação; Ética; Comprometimento; Pró-atividade. Todos os conceitos acima fixados passarão por constante atualização, a fim de representarem da forma mais precisa possível o objetivo do Sistema Gestec-NIT. Figura 6: Logomarca do Sistema Gestec-NIT A logomarca do Sistema Gestec-NIT representa o somatório de forças entre a Gestec e os NITs em torno da missão, dos valores e da visão do Sistema Gestec-NIT. A cor azul foi escolhida por remeter a tecnologia e inovação. O Manual completo de aplicação desta logomarca encontra-se no ANEXO 8. As duas figuras abaixo (Figuras 7 e 8) resumem a filosofia e as características principais do Sistema Gestec-NIT: 26

28 Figura 7: Elementos fundamentais para a eficiência do Sistema Elementos fundamentais para a eficiência do Sistema: Integração Flexibilidade Solidifica a estrutura Confere agilidade no processo de decisão gerencial A tarefa do Sistema Gestec-NIT é de um lado, se evitar uma configuração sistêmica que promova a dispersão de esforços, com a inevitável perda da organicidade (via atividades redundantes), e de outro evitar uma centralização excessiva e volume demasiado de regras procedimentais (para não correr o risco de se tornar um fim em si mesmo e não um meio para se alcançar objetivos). Figura 8: Concepção do Sistema Gestec-NIT Sistema GESTEC-NIT: Características Principais: Ampliação do escopo técnico Centralização x descentralização Intensiva capacitação de pessoal 3 macro-áreas: -Propriedade Intelectual -Informação Tecnológica -Transferência de Tecnologia -atividades, definição de atribuições e funções; -redefinição de procedimentos e fluxos de interação e documentação; -reorganização da estrutura organizacional 27

29 28

30 Parte 3 - Relatório da execução do projeto MCT/FINEP 29

31 Parte 3 Relatório da execução do projeto MCT/FINEP Metodologia utilizada para a execução do Projeto de implantação do Sistema Gestec-NIT: A metodologia para execução do Projeto MCT/FINEP foi a aplicação e o gerenciamento da execução das 10 metas físicas constantes do Plano de Trabalho para a implantação do Sistema Gestec-NIT, metas estas ora de execução subsequente, ora de execução paralela. Foram envolvidos na execução deste projeto servidores e colaboradores alocados em todas as 17 unidades técnico-científicas da Fundação Oswaldo Cruz assim como foram contratados novos colaboradores através de bolsas CNPq (contratos por tempo determinado) para execução de tarefas específicas (estas tarefas estão listadas na figura 6). Ao longo da execução deste projeto, novas ações foram incorporadas ao plano de trabalho em referência, a fim de melhor atingir os objetivos propostos, assim como os prazos foram revistos e atualizados em função das duas prorrogações que ocorreram no período de vigência do projeto (durante a vigência deste projeto, o mesmo passou duas vezes por troca de coordenador). A Coordenação e gerência do projeto foram realizadas através do acompanhamento das atividades e de relatórios parciais de desempenho. Em todas as reuniões do Comitê Gestor do Sistema Gestec- NIT (CG) ocorreu a prestação de contas e troca de informações acerca do andamento das atividades propostas, como pode ser constatado nas memórias de cada reunião do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT cujo arquivo encontra-se na Gestec. A seguir, apresentamos o Plano de trabalho do projeto e o respectivo resultado de sua execução, exposta de maneira resumida ao lado de cada Meta física e mais adiante, de forma detalhada. 30

32 3.1-Plano de Trabalho para implantação do Sistema Gestec-NIT: Meta por Meta RELATÓRIO META FÍSICA 1: ADEQUAR O ESCOPO DA POLÍTICA DE GESTÃO TECNOLÓGICA E DE INOVAÇÃO DA FIOCRUZ À REGULAMENTAÇÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Criação de Grupo de Trabalho com representante das diversas unidades da FIOCRUZ que comporão o sistema GESTEC-NIT Atividade Encerrada Grupo constituído através da Portaria da Presidência de nº 168/2007 (ANEXO 2) 2 Elaborar documento contendo as diretrizes da nova política de gestão tecnológica e inovação da Fiocruz NPGTI- FIOCRUZ Atividade Encerrada Documento Elaborado (ANEXO 4) 3 Discutir a proposta das diretrizes da nova política com o GT. Atividade Encerrada Proposta Discutida 31

33 META FÍSICA 2: CONCEBER E DETALHAR O SISTEMA FIOCRUZ DE GESTÃO TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO SISTEMA GESTEC-NIT ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Elaborar formatação do Sistema GESTEC-NIT Atividade Encerrada Sistema Formatado (ANEXO 3) 2 Discutir a proposta com o Grupo de Trabalho Atividade Encerrada Proposta Discutida 3 Elaborar Portaria Institucional de criação do Sistema GESTEC-NIT 4 Visitas às Unidades técnico-científicas da Fiocruz para a aferição de suas especificidades e condições de trabalho. Atividade Encerrada Atividade Contínua Portaria discutida e publicada em 2009 (ANEXO 4) Atividade contínua META FÍSICA 3: CONCEBER E DETALHAR O SISTEMA FIOCRUZ DE GESTÃO TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO SISTEMA GESTEC-NIT ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Reuniões periódicas bimensais com o GT Atividade contínua Atividade Contínua 2 Visitas às unidades técnico-científicas da Fiocruz para monitorar o processo de implantação do sistema. 3 Estruturar os NITS das diversas Unidades da Fiocruz, tomando-se Bio-Manguinhos como experiência piloto. Atividade contínua Atividade Contínua Atividade contínua NITs previstos no projeto foram providos de infraestrutura. Atividade contínua devido à ampliação da Fiocruz para outros estados, o que demanda a criação de novos NITs permanentemente. 32

34 META FÍSICA 4: DETALHAR A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO SISTEMA GESTEC-NIT ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Descrever o escopo, as atividades e atribuições dos respectivos responsáveis. 2 Estabelecer fluxo de trabalho entre as atividades, funções, atribuições e responsáveis. Atividade Encerrada Atividade contínua Atividades gerais e técnicas dos NITs discutidas e aprovadas (ANEXO 16) Atividade contínua META FÍSICA 5: FORTALECER MECANISMOS DE INTERAÇÃO COM A INDÚSTRIA ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Elaborar e manter atualizado diretório de empresas e de potenciais parceiros industriais 2 Aperfeiçoar e ampliar os mecanismos de difusão de tecnologias geradas internamente 3 Ações pró-ativas para prospecção de parcerias com o setor industrial 4 Promover encontros de negócios com incubadoras, parques tecnológicos, associações empresariais, empresas do complexo industrial Atividade contínua Atividade contínua Atividade contínua Atividade contínua Diretório em elaboração Atualização: Atividade contínua Portifólio de Inovação da Fiocruz elaborado Acessível em: Atualização: Atividade contínua Participação em feiras de tecnologia e sistemática de divulgação de oportunidades tecnológicas atividade contínua Atividade contínua 33

35 META FÍSICA 6: INCORPORAR O USO ESTRATÉGICO DA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Monitorar tendências tecnológicas para fins de subsidiar atividades de P&D e negociação tecnológica. Atividade contínua Sistemática incorporada pela Gestec e NITs do Sistema Gestec-NIT META FÍSICA 7: CAPACITAR RECURSOS HUMANOS PARA O SISTEMA GESTEC-NIT ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Treinamento nas diversas ferramentas gerenciais de recuperação de informações técnicas e jurídico-comerciais. Atividade contínua Atividade contínua META FÍSICA 8: IMPLANTAR O SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS DA GESTEC ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Montagem de um sistema de informações gerencias de contratação tecnológica 2 Montagem de um sistema de informações gerencias de patentes GT Banco de dados em andamento GT Banco de dados em andamento 34

36 META FÍSICA 9: CRIAR COMITÊS DE ASSESSORAMENTO AO SISTEMA GESTEC-NIT (INTRA E INTER INSTITUCIONAL) ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Aperfeiçoar a Comissão de Propriedade Intelectual existente, direcionando seu foco para patentes e para as novas políticas de inovação da instituição. 2 Criar o Comitê Industrial para fins de assessoramento ao Sistema GESTEC-NIT, composto de representantes internos e externos. 3 Criar a Comissão de Marcas, Desenho industrial, Direito Autoral e Programa de Computador. Atividade Contínua Atividade Encerrada Revisão da portaria da Comissão de Propriedade Intelectual em andamento Em planejamento Comissão de Direito autoral criada META FÍSICA 10: COORDENAÇÃO E GESTÃO DO PROJETO ATIVIDADES PREVISÃO DE ENCERRAMENTO OBSERVAÇÃO 1 Reuniões de Acompanhamento e avaliação Atividade contínua Atividade contínua 2 Elaboração de relatórios de andamento das atividades por meta. Encerrado Relatório final consolidado Arquivo do Sistema Gestec-NIT constituído 3 Elaboração do relatório final Novembro 2009 Relatório final consolidado 35

37 3.1.1 Detalhamento da implantação do Sistema Gestec-NIT Meta Física 1, 2,3 e 4 Formação de GT, discussão e elaboração da estrutura do Novo Modelo A) Formação do GT sobre a Nova Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz: O Grupo de trabalho (GT) foi formado por resolução da Vice-presidência de pesquisa e desenvolvimento tecnológico (VPPDT), então comandada por Reinaldo Guimarães, que por meio da Gestec enviou memorando para os diretores das então 15 Unidades Técnico-científicas (UTCs) da Fiocruz solicitando que os mesmos indicassem dois representantes (um titular e um suplente) para o Grupo de Trabalho (GT) formado no âmbito da Presidência da Fiocruz com a finalidade de discutir a Nova Política de Inovação da Fiocruz. Para tanto, solicitou que fossem indicadas pessoas com perfil compatível para tal discussão. Após a indicação de todos os integrantes do GT, foi encaminhado Memorando Circular com a convocação para a primeira reunião do GT, realizada em 11 de maio de 2006 na residência oficial da Fiocruz. Quadro-resumo: -Indicação de um representante por UTC para o Grupo de Trabalho (GT) formado no âmbito da Presidência da Fiocruz com a finalidade de discutir a Nova Política de Inovação da Fiocruz. -Convocação para a primeira reunião do GT B) Elaboração de minuta da Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz e configuração do Sistema Gestec-NIT Para reforçar o trabalho de construção da Política de gestão tecnológica e inovação da Fiocruz, a Gestec contratou a consultora Elza Britto que elaborou, com base em reuniões com os integrantes da VPPDT e da Gestec, minuta da Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz (ANEXO 4). O objetivo geral do trabalho foi a definição de diretrizes que orientassem na Fiocruz a busca de oportunidades facultadas pela Lei de Inovação. Concomitante à elaboração deste documento, foi elaborado o documento Sistema Fiocruz de gestão tecnológica e Inovação: estruturação e funcionamento (ANEXO 3). 36

38 A primeira reunião do GT ocorreu em 11 de maio de 2006 e além da discussão sobre a minuta do documento da Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz, deu-se início a discussão acerca dos documentos básicos de formação do Novo modelo de gestão tecnológica e inovação da Fiocruz, o Sistema Gestec-NIT: Definição de Metas, diretrizes, mecanismos de atuação, configuração do Sistema Gestec-NIT e o início do exercício das atividades a serem descentralizadas da Gestec. Quadro-resumo: -Contratação de Consultoria para contribuir na elaboração da Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz -Discussão e fechamento do Documento da Política de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz (ANEXO 4). -Elaboração do documento Sistema Fiocruz de gestão tecnológica e Inovação: estruturação e funcionamento (ANEXO 3). C) Definição de estratégias para a implementação do Sistema Gestec-NIT A segunda reunião do GT ocorreu em 3 de agosto de 2006 e foram discutidas as estratégias de implementação do Sistema Gestec-NIT : estabelecimento do Comitê Gestor do Sistema Gestec-NIT com reuniões bimensais; definição de um representante para cada NIT-UTC; estabelecimento de plano continuado de capacitação de RH para o Sistema; visita às UTCs para identificação de especificidades e definição do escopo técnico e fluxos de trabalho; institucionalização do NIT na UTC. Adicionalmente, foi apresentada minuta de projeto que seria submetido a chamada pública MCT/FINEP, denominada Fortalecimento da Gestão tecnológica e da inovação na Fiocruz: Implantação do Sistema Gestec-NIT. Quadro-resumo: -Definição de agenda de reuniões bimensais do GT -Definição de prazo para envio formal de sugestões e contribuições para os documentos estruturantes do Sistema Gestec-NIT -Apresentação de proposta de Configuração do Sistema Gestec-NIT, documento Sistema Fiocruz de gestão tecnológica e Inovação: estruturação e funcionamento -Apresentação e discussão da minuta de projeto que seria submetido a chamada pública MCT/FINEP, denominada Fortalecimento da Gestão tecnológica e da inovação na Fiocruz: Implantação do Sistema Gestec-NIT. -Implantação do 37

Políticas de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: modelos institucionais da Fiocruz

Políticas de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: modelos institucionais da Fiocruz Políticas de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: modelos institucionais da Fiocruz Seminário: Um decênio de história na gestão de propriedade intelectual e transferência de tecnologia

Leia mais

O modelo de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz: Sistema GESTEC-NIT

O modelo de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz: Sistema GESTEC-NIT O modelo de Gestão Tecnológica e Inovação da Fiocruz: Sistema GESTEC-NIT Seminário Inovação Tecnológica em Saúde no SUS Instituto de Saúde SES/SP São Paulo SP 24/10/12 Celeste Emerick Coordenadora de Gestão

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011.

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. Aprova o novo Regulamento da Agência de Inovação e Propriedade Intelectual da Universidade Estadual de Ponta Grossa, e revoga a Resolução UNIV n o 27, de 20

Leia mais

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE Maria Rita de Morais Chaves Santos (UFPI) Coordenação Regional FORTEC NE Coordenação NIT UFPI REDE NIT - NE Mrita/ufpi/2008 PERFIL Maria

Leia mais

LEI DE INOVAÇÃO: DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DOS NITS

LEI DE INOVAÇÃO: DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DOS NITS LEI DE INOVAÇÃO: DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DOS NITS Ciclo de debates "Universidade e Lei de Inovação: um olhar para o futuro" Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho /UNESP 06/04/06 São

Leia mais

Portaria da Presidência

Portaria da Presidência 1 10 O Presidente da, no Uso de suas atribuições e da competência que lhe foi delegada pela Portaria do MS/n o 938, de 22.07.99, RESOLVE: 1.0 PROPÓSITO Instituir a Política de Acesso Aberto ao Conhecimento,

Leia mais

NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NOS INSTITUTOS QUE OPERAM NO ÂMBITO DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONTRATO 189-01/2012 RELATÓRIO 1 30.09.2012

Leia mais

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Ministério da Saúde Missão A Fundação Oswaldo Cruz é um centro polivalente e multidisciplinar na área da saúde, que exerce um papel social de grande relevância para o país. Realiza

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO NA FIOCRUZ. Umberto Trigueiros Diretor do Icict/Fiocruz

GESTÃO DO CONHECIMENTO NA FIOCRUZ. Umberto Trigueiros Diretor do Icict/Fiocruz GESTÃO DO CONHECIMENTO NA FIOCRUZ Umberto Trigueiros Diretor do Icict/Fiocruz Junho de 2010 Fiocruz Missão Promover a saúde e o desenvolvimento social; Gerar e difundir conhecimento científico e tecnológico;

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS GONÇALO MONIZ

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS GONÇALO MONIZ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS GONÇALO MONIZ RESOLUÇÃO Nº 08/2008 Institui e regulamenta as normas para o Funcionamento dos Serviços de Diagnóstico

Leia mais

Plano Estratégico do Programa de Mestrado em Direito da UniBrasil PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015

Plano Estratégico do Programa de Mestrado em Direito da UniBrasil PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015 PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015 MAPA ESTRATÉGICO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO DA UNIBRASIL MISSÃO Promover, desenvolver e publicar pesquisas de qualidade, com sólida base jurídica e contextualização

Leia mais

Gestão da Propriedade Intelectual e da Inovação na Fiocruz: Sistema GESTEC-NIT

Gestão da Propriedade Intelectual e da Inovação na Fiocruz: Sistema GESTEC-NIT Gestão da Propriedade Intelectual e da Inovação na Fiocruz: Sistema GESTEC-NIT Seminário Propriedade Intelectual e Inovação: proteção para valorização do conhecimento Auditório da Escola Superior de Tecnologia

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto

Leia mais

Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI. Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal

Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI. Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal São Luis, 09 de julho de 2010 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Processo de aprendizagem contínuo

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. PALMAS-TO MARÇO 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 DA CATEGORIA... 2 FINALIDADE E OBJETIVOS...

Leia mais

Gestão da Transferência de Tecnologia e Inovação no Contexto da Cooperação Internacional: Desafios e Oportunidades

Gestão da Transferência de Tecnologia e Inovação no Contexto da Cooperação Internacional: Desafios e Oportunidades Gestão da Transferência de Tecnologia e Inovação no Contexto da Cooperação Internacional: Desafios e Oportunidades Tour do Brasil Parcerias e Oportunidades de Cooperação entre Brasil Europa em Saúde Fundação

Leia mais

DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 52, 102, CEP

DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA 52, 102, CEP DADOS JURÍDICOS O Instituto SAVIESA DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA é uma associação, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede no município de Vitória, Estado do Espírito Santo, à Rua

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial Programa 0393 PROPRIEDADE INTELECTUAL Objetivo Garantir a propriedade intelectual e promover a disseminação de informações, visando estimular e diversificar a produção e o surgimento de novas tecnologias.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2010 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT RESOLUÇÃO CONSU Nº. 33/21 DE 3 DE AGOSTO DE 21. A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, e consequente

Leia mais

RESOLVE: Número. De 8. Folha 1 Entrada em vigor

RESOLVE: Número. De 8. Folha 1 Entrada em vigor 1 O Presidente da Fundação Oswaldo Cruz, no Uso de suas atribuições e da competência que lhe foi delegada pela Portaria do MS/nº 93, de 22.07.99, RESOLVE: 1.0 PROPÓSITO Estabelecer as Diretrizes Institucionais

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1 o. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

Apresentação de Resultados dos Núcleos de Inovação Tecnológica dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFSUDETEMG

Apresentação de Resultados dos Núcleos de Inovação Tecnológica dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFSUDETEMG Apresentação de Resultados dos Núcleos de Inovação Tecnológica dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFSUDETEMG Diretoria Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia NITTEC IF

Leia mais

X Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Redes de Propriedade Intelectual no Brasil

X Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Redes de Propriedade Intelectual no Brasil Rede Temática de Propriedade Intelectual, Cooperação,Negociação e Comercialização de Tecnologia X Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Redes de Propriedade Intelectual no

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri

Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Inovação e Tecnológia na Gestão Pública Profa. Dra. Cristina Castro Lucas de Souza Depieri Doutorado em Administração (UnB) Mestrado em Contabilidade e Controladoria (UFMG) Graduação em Ciências Contábeis

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX

POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX Março de 2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...4 1.1 Objetivos...4 1.2 Público alvo deste documento...4 2 GLOSSÁRIO...5 3 POLÍTICA DE INOVAÇÃO DA SOFTEX...7 3.1 Em relação aos ambientes

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para credenciamento de Unidades EMBRAPII (UE)

Leia mais

COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL

COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL Gestão de Projetos e as Boas Práticas: aplicadas à CIT contribuem em suas atividades e fortalecem a Política de Inovação do CEFET-MG

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Escola Nacional de Saúde Pública Escola de Governo em Saúde Programa de Educação à Distância IMPLANTAÇÃO DE NÚCLEOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Equipe da Coordenação

Leia mais

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I 1. Plano de Ação A seguir apresenta-se uma estrutura geral de Plano de Ação a ser adotado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados

Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados Experiência: Centro de Pesquisas do HCPA: inovando a gestão da pesquisa por meio de laboratórios compartilhados Hospital de Clínicas de Porto Alegre Administração Central Responsável: Sérgio Carlos Eduardo

Leia mais

PROEP como instrumento de avaliação de pesquisa

PROEP como instrumento de avaliação de pesquisa PROEP como instrumento de avaliação de pesquisa 2011: Missão e Visão de Futuro Visão de futuro Ser um Instituto de excelência em Pesquisa, Ensino, Tecnologia e Inovação, estratégico para o Estado, reconhecido

Leia mais

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções

Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções Biblioteca Henrique Schulz Biblioteca HEV Campus II Política de desenvolvimento de coleções INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE INDAIATUBA - IESI INDAIATUBA/SP 2 SUMÁRIO 1 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES...

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são:

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são: 24/2010 1. Identificação do Contratante Nº termo de referência: TdR nº 24/2010 Plano de aquisições: Linha 173 Título: consultor para desenvolvimento e venda de produtos e serviços Convênio: ATN/ME-10541-BR

Leia mais

PDI GERAL DO CEFET/RJ

PDI GERAL DO CEFET/RJ PDI GERAL DO CEFET/RJ Princípios que devem nortear o estabelecimento de políticas e ações no CEFET/RJ e que devem constar do PDI: Institucionalidade/identidade de UT (estabelecimento de um modelo diferenciado

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Projeto de Apoio a Inserção Internacional de MPE s Brasileiras Calçadistas do APL de São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Identificar OBJETIVOS DA AÇÃO e solucionar gargalos na gestão das empresas, principalmente

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013

PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 PORTARIA INTERMINISTERIAL No-10, DE 11 DE JULHO DE 2013 Regulamenta o Decreto nº 7.385, de 8 de dezembro de 2010, que instituiu o Sistema Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). Os MINISTROS

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

Contribuições do CPqRR ao VII Congresso Interno da Fiocruz 1) Documento de Referência. Caros Senhores,

Contribuições do CPqRR ao VII Congresso Interno da Fiocruz 1) Documento de Referência. Caros Senhores, Contribuições do CPqRR ao VII Congresso Interno da Fiocruz 1) Documento de Referência Caros Senhores, O texto abaixo traz as contribuições do CPqRR ao VII Congresso da Fiocruz. Os destaques estão colocados

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela

Leia mais

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU A Pesquisa e a Pós-Graduação Stricto Sensu são atividades coordenadas por uma mesma

Leia mais

(MINUTA) - Estruturação da Biblioteca Nacional de Saúde de Moçambique (BNS), aperfeiçoamento e ampliação das ações da BVS Moçambique

(MINUTA) - Estruturação da Biblioteca Nacional de Saúde de Moçambique (BNS), aperfeiçoamento e ampliação das ações da BVS Moçambique TERMO DE COOPERAÇÃO ENTRE O INSTITUTO NACIONAL DE SAÚDE DE MOÇAMBIQUE (INS) E O INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM SAÚDE DA FIOCRUZ (ICICT/FIOCRUZ- MS - BRASIL) NO MARCO

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho

Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner. Secretário da Saúde Jorge Solla. Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho 1 2 Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretário da Saúde Jorge Solla Coordenadora da Ouvidoria SUS BAHIA Elide Oliveira de Carvalho Equipe Técnica: Celurdes Carvalho Flávia Guimarães Simões

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no art. 19, XX, da Lei Complementar nº 85, de 27 de dezembro de 1999, Considerando

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR GERAL ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

ESTADO DO CEARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR GERAL ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Monitoramento dos Indicadores de Desempenho do Planejamento Estratégico - 2008 a 2012 Indicador Fórmulas Metas 2008 2009 2010 2011 2012 Índice de Reuniões Realizadas Qtde de Reuniões Realizadas Qtde de

Leia mais

Números 2013 Assessoria de Comunicação Icict / Fiocruz

Números 2013 Assessoria de Comunicação Icict / Fiocruz Números 2013 Assessoria de Comunicação Icict / Fiocruz Janeiro a Dezembro Rio de Janeiro, dezembro de 2013 Números do Icict 2013 Assessoria de Comunicação do Icict/Fiocruz 2 Assessoria de Comunicação do

Leia mais

PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Coordenador: Guilherme Ary Plonski

PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. Coordenador: Guilherme Ary Plonski PROPOSTA PARA CONTINUIDADE DO APOIO AOS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Coordenador: Guilherme Ary Plonski Setembro 2014 1 1. APRESENTAÇÃO A presente proposta de trabalho visa à continuidade do apoio para

Leia mais

Busca do equilíbrio ACADEMIA

Busca do equilíbrio ACADEMIA Busca do equilíbrio Conquistar sustentabilidade financeira e qualificar recursos humanos são alguns dos principais objetivos dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) no Brasil POR CAMILA AUGUSTO Ilustrações:

Leia mais

Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz

Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz Em que momento procurar a área de Patentes da Gestec? O pesquisador pode procurar a área de Patentes da Gestec através do Núcleo de Inovação Tecnológica

Leia mais

Coordenação: João Henrique Lara do Amaral Cynthya Almeida Coradi Relatoria: Stela Maris Aguiar Lemos

Coordenação: João Henrique Lara do Amaral Cynthya Almeida Coradi Relatoria: Stela Maris Aguiar Lemos RELATÓRIO OFICINA FNEPAS ESTADUAL MINAS GERAIS INTEGRALIDADE E QUALIDADE NA FORMAÇÃO E NAS PRÁTICAS EM SAÚDE: Integrando Formação, Serviços, Gestores e Usuários Local: COBEM Uberlândia Data: 22 de outubro

Leia mais

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO Brasília, 28 de outubro de 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015

Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015 Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015 A proposta de plano de comunicação elaborada pela Coordenação- Geral de Comunicação e Editoração

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

Ciências Humanas. Relatoria. Grupo de Trabalho (GT1) I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília

Ciências Humanas. Relatoria. Grupo de Trabalho (GT1) I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília Relatoria Grupo de Trabalho (GT1) Realização Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP) da Universidade de Brasília Brasília DF, 6 a

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Sistema de Gestão VPPDT Procedimento Operacional Padrão

Sistema de Gestão VPPDT Procedimento Operacional Padrão PALAVRAS-CHAVE: LIVRO DE REGISTRO; EXPERIMENTAÇÃO. REVISÃO 02 DATA 13/07/2007 ELABORAÇÃO SONIA JOU Gestão da Qualidade VPPDT VERIFICAÇÃO Wim Degrave Coordenador Fomento e Infraestrutura - VPPDT APROVAÇÃO

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2)

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Ministério do Meio Ambiente MMA Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Termo de Referência PNMA nº 02/2013 O presente

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL Novembro, 2014 Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares CCS Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Setor Comercial Sul - SCS, Quadra 09, Lote C, Ed. Parque

Leia mais

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Objetivo: Apresentar o Modelo da BVS: conceitos, evolução, governabilidade, estágios e indicadores. Conteúdo desta aula

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória

Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Gestão de Acervos Municipais: Físico, Digitalizado e Memória Erenilda Custódio dos Santos Amaral Salvador Objetivo; Motivação; Proposta; AGENDA O que se entende nesta proposta como Política de Gestão Documental;

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO nº 18 DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Educação Técnica e Tecnológica Aberta e a Distância NETTAD - CAVG. O Presidente em exercício do Conselho Coordenador do

Leia mais

Políticas de Acesso Aberto e a Fiocruz

Políticas de Acesso Aberto e a Fiocruz Políticas de Acesso Aberto e a Fiocruz Rodrigo Murtinho Vice-diretor de Informação e Comunicação do ICICT Políticas de Acesso Aberto 1 Políticas de Acesso Aberto Observações sobre o cenário brasileiro

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA Boletim GESTÃO DE PESSOAS & RECURSOS HUMANOS IPEA, 13 de outubro de 2010 EXTRA Nº 2 OUTUBRO INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 385, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010. Institui, no âmbito do IPEA,

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 SECT- AM: Missão e Diretrizes A SECT foi criada para formular e gerir políticas estaduais de C&T buscando articular os esforços os de fazer com que

Leia mais

ENCONTRO DA FRENTE DE INOVAÇÃO

ENCONTRO DA FRENTE DE INOVAÇÃO ENCONTRO DA FRENTE DE INOVAÇÃO Outubro 2015 AGENDA PMIMF Frente de Inovação Frente de Projetos - Plano de Comunicação - Painel Patrocinador - Case da SPE (Implantação do Escritório de Projetos) -Nova Versão

Leia mais

CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO: Uma Aliança Estratégica nos Institutos de Pesquisas. Valéria Cristina dos Santos Ribeiro 10 de agosto de 2006 CRH/STD

CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO: Uma Aliança Estratégica nos Institutos de Pesquisas. Valéria Cristina dos Santos Ribeiro 10 de agosto de 2006 CRH/STD CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO: Uma Aliança Estratégica nos Institutos de Pesquisas Valéria Cristina dos Santos Ribeiro 10 de agosto de 2006 CRH/STD OBJETIVO DA PESQUISA: Refletir e construir proposituras

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Comissão Permanente de Propriedade Intelectual RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 69ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de novembro de 2015, no uso das atribuições que

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado.

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado. Briefing Prestação de Serviços de Comunicação e Marketing para o Instituto Nacional do Plástico Programa de Incentivo à Exportação Think Plastic Brazil Introdução Este briefing propõe e organiza as ações

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais