HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version Ferro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro"

Transcrição

1 HEMOGRAMA Profª. Francis Fregonesi Brinholi Hb = 0,8 g/dl Microcítica VCM < 78fL VCM:? Dosagem de ferritina Baixa Normal Alta Microcítica VCM < 78fL Normocítica VCM: 78-98fL Macrocítica VCM > 98fL Anemia ferropriva Talassemia Anemia sideroblástica Hemoglobina ANEMIA FERROPRIVA Hemoglobina Heme Globina Protoporfirina Ferro

2 Absorção do Ferro Absorção do Ferro Precisa estar na forma reduida (ferroso) Dieta Hêmica Não hêmica (complexos de hidróxido de ferro) Duodeno jejuno ph Alta necessidade de ferro Ferro fi fl apoferritina fi c.c fi transferrina fi síntese hg Baixa necessidade de ferro descamação Ferro fi apofer. fi Fe + apofer. fi depósito cor. sang Transporte de Ferro Reservas do Ferro Transferrina Produida pelo fígado Determinada pela capacidade total de fixação do ferro (TIBC) FFFF Capacidade de Saturação do Ferro % de saturação = ferro sérico x 00 capacidade ligação de ferro Ferritina Medula óssea Baço Fígado Hemossiderina Aglomerados de ferritina Etiologia Diminuição da captação de ferro Dieta inadequada Dieta pobre Lactentes Má absorção Acloridria Gastrectomia Interação com o ferro Etiologia Aumento da perda de ferro Hemorragias gastrointestinais Metrorragia Doações de sangue repetitivas Hemólise intravascular Gestações repetidas Distúrbios de hemostasia Distúrbios de ferro na infância Crescimento rápido Insuficiência dietética parasitoses

3 ERITROGRAMA Valores de Referência Homens Mulheres Diagnóstico Hemácias 4,00 milhões/mm3 4,50 a 6,0 4,00 a 5,40 Hemoglobina 9,0 g/dl,8 a 7,8,5 a 6,3 Hematócrito 30% 40 a a 48 VCM 75 fl 78 a 98 fl HCM 3 pg 5 a 35 pg CHCM 30% 3 a 36% RDW 8% Até 5 % Observações:?????? RETICULÓCITOS????? 0,5 a,5% Medula óssea Ausência de ferro Ferro sérico Ferritina TIBC Capacidade de saturação do ferro Síntese de cadeias globínicas TALASSEMIAS Cromossomo 6 Cadeias alfa-símile a a Cromossomo Cadeias beta-símile Cromossomo 6 Combinação de cadeias globínicas a a β Formação de tetrâmeros β β β Cromossomo Hb F a g Fetal Hb A δ Adulta Hb A a b δ Monômeros Insolúveis Espontaneamente δ Dímeros Espontaneamente δ δ Tetrâmeros Solúveis 3

4 Hereditária Recessiva Talassemia Cromossomo 6 Combinação de cadeias globínicas a a Deficiência na produção de cadeias globínicas Alfa: deficiência da cadeia Beta: deficiência da cadeia ß Cromossomo Hb F a g Hb A δ Hb A a b Fetal Adulta Talassemia alfa Portados assintomático Talassemia alfa minor Talassemia mínima Assintomático Sem anemia Sem alterações morfológicas Traço talassêmico Forma leve Boa concentração de hemoglobina A Hemoglobina de H Talassemia alfa Hemoglobina H Talassemia alfa - Hidropsia Fetal Forma moderada Formação de tetrâmeros Globinas betas (β4) Hemoglobina de H Alta afinidade pelo oxigênio Forma letal Formação de tetrâmeros Globinas gama (4) Hemoglobina de Bart s Alta afinidade pelo oxigênio 4

5 Talassemia alfa ERITROGRAMA Valores de Referência Homens Mulheres Hemácias 3,00 milhões/mm3 4,50 a 6,0 4,00 a 5,40 Hemoglobina 7,0 g/dl,8 a 7,8,5 a 6,3 Hematócrito 3,7% 40 a a 48 VCM 77fl 78 a 98 fl HCM 3pg 5 a 35 pg CHCM 30% 3 a 36% RDW 8% Até 5 % Alterações Clínicas - hemograma Talassemia alfa achados clínicos Eletroforese de hemoglobina -a/aa HbF: até,0% Hb A : -3,5% Hb H : -3% -a/-a --/ ÆÆ HbF: até,0% Hb A : - 3,5% Hb H : 5-0% --/-a HbF: até,0% Hb A : >,5% Hb H : 5-50% Cadeia globínica Talassemia beta Cromossomo 6 Combinação de cadeias globínicas a a Genes: beta, delta, gama e epsilon Cromossomo Hb F a g Hb A δ Hb A a b Fetal Adulta 5

6 Talassemia beta menor Talassemia beta maior Forma amena Assintomático Icterícia Astenia Cansaço Esplenomegalia Forma severa Anemia grave Icterícia Alterações esqueléticas Esplenomegalia Hepatomegalia Talassemia Beta ERITROGRAMA Valores de Referência Homens Mulheres Hemácias 3,00 milhões/mm3 4,50 a 6,0 4,00 a 5,40 Hemoglobina 7,0 g/dl,8 a 7,8,5 a 6,3 Hematócrito 3,7% 40 a a 48 VCM 77fl 78 a 98 fl HCM 3pg 5 a 35 pg CHCM 30% 3 a 36% RDW 8% Até 5 % Alterações Clínicas - hemograma Talassemia beta achados clínicos Eletroforese de hemoglobina b/b o Hb A ; 3,5-0% Hb F: 0-5% Fonte: Naoum, PC, Hemoglobinopatias e Talassemias, 997 b o /b o b + / b + Hb A : 0-8% Hb F : 90-95% Hb A: -% Hb A : 0-8% Hb F: 90 % 6

7 Referências Bibliográficas CECIL. Tratado de medicina interna. º ed. Rio de Janeiro: GuanabaraKoogan,00. NAOUM, P. C.; NAOUM, F. A. Hematologia Laboratorial. a ed. São José do Rio Preto: Academia de Ciência etecnologia, 005. SILVA, P. H.; YOSHIO, H. Interpretação Laboratorial do Eritrograma.a ed. São Paulo:EditoraLoviseLTDA,

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia 8 º período AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS Anemias causadas por um aumento da destruição dos eritrócitos em relação à produção. Rompe-se o equilíbrio entre a produção

Leia mais

ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP

ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP Tema Citológico : Diagnóstico laboratorial diferencial entre anemia

Leia mais

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE 1 CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 2 SANGUE 3 4 5 6 7 PATOLOGIA DO GLÓBULO RUBRO ANEMIAS POLICITEMIAS Valores de referência Hemoglobina g/dl recém-nascido

Leia mais

ANEMIAS. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS Profª Carolina Garrido Zinn Palidez e fraqueza devem-se a corrupção do sangue. Hipócrates (400 a.c) O QUE É? Redução abaixo da normal da [Hb] Homens Mulheres Hb (g/dl)

Leia mais

Sempre que os valores do eritrograma estão abaixo dos normais para o laboratório fala-se de ANEMIA.

Sempre que os valores do eritrograma estão abaixo dos normais para o laboratório fala-se de ANEMIA. Sempre que os valores do eritrograma estão abaixo dos normais para o laboratório fala-se de. Valores mais utilizados: - Hemoglobina - Hematócrito PARÂMETRO HOMEM MULHER Hemoglobina (g/dl) 13,0-18,0 11,5-16,5

Leia mais

CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA

CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA Foto 1: Talassemia Alfa Mínima em sangue periférico corado com azul de crezil brilhante. Comentários: A investigação laboratorial da talassemia alfa mínima se faz por meio

Leia mais

ANEMIAS parte IV. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS parte IV. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS parte IV Profª Carolina Garrido Zinn Hemoglobinopatias Doenças hereditárias causadas por diminuição ou anomalia da síntese de globina Afetam cerca de 7% da população mundial Hemoglobina Proteína

Leia mais

ANEMIAS CARENCIAIS NO BRASIL: ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL

ANEMIAS CARENCIAIS NO BRASIL: ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL ANEMIAS CARENCIAIS NO BRASIL: ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL Dra. Karlla Greick Batista Dias Penna PUC-Goiás Departamento de Biomedicina karllagreick@gmail.com Etimologia Anemia: an = prefixo de negação haima

Leia mais

ANEMIA FERROPRIVA CARLOS EDUARDO PIZZINO

ANEMIA FERROPRIVA CARLOS EDUARDO PIZZINO ANEMIA FERROPRIVA CARLOS EDUARDO PIZZINO CASO CLÍNICO: PACIENTE DE 74 ANOS PROCURA AUXÍLIO MÉDICO DEVIDO À DISPNÉIA AOS MÉDIOS ESFORÇOS, ALÉM DE FRAQUEZA, EMAGRECIMENTO DE 15 KG E FADIGA DE EVOLUÇÃO HÁ

Leia mais

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma.

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma. Introdução O hemograma pode ser entendido como o exame do sangue periférico que permite fazer avaliação da série vermelha, série branca (leucócitos), e das plaquetas. Grosso modo, o sangue pode ser conceituado

Leia mais

Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos

Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos Ana Paula Rodrigues RESUMO Com o objetivo de estabelecer a freqüência de hemoglobinas variantes e β-talassemias

Leia mais

Alterações congénitas da formação da hemoglobina:

Alterações congénitas da formação da hemoglobina: ANEMIAS CAUSADAS POR DEFEITOS GENÉTICOS DA HEMOGLOBINA Alterações congénitas da formação da hemoglobina: TALASSEMIAS há uma síntese desequilibrada das cadeias globínicas HEMOGLOBINOPATIAS por alteração

Leia mais

Claudia Bley 23/06/2012

Claudia Bley 23/06/2012 Anemias carenciais Claudia Bley 23/06/2012 Anemia: 25% da população mundial Anemias carenciais Anemias decorrentes da deficiência de ingesta de nutrientes normais da dieta que são essenciais para eritropoiese

Leia mais

CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF

CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF Serviço Patologia Clínica 21 de Maio 2015 Elzara Aliyeva Sónia Faria OBJECTIVO Efectuar um estudo casuístico das hemoglobinopatias na população da área

Leia mais

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal 1º Congresso Médico de Guarulhos Práticas Clínicas no SUS 5 a 7 novembro de 2015 Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal Dra Christiane M. S. Pinto Hematologista Pediatrica HMCA Guarulhos

Leia mais

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO ANEMIAS OBSTETRÍCIA A anemia é definida como síndrome caracterizada por diminuição de massa eritrocitária total. Laboratorialmente, definimos anemia como hemoglobina menor que 12 g/dl em mulheres ou 13

Leia mais

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica. 11 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemia Abordagem Diagnóstica Definição É a redução, abaixo do normal, da concentração de hemoglobina circulante total. A anemia não é um diagnóstico de

Leia mais

Exames laboratoriais

Exames laboratoriais Exames laboratoriais BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Hemograma: Avaliação quantitativa e qualitativa dos elementos do sangue. BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Hemograma: Pode ser subdividido em 3 partes conforme

Leia mais

Interpretação do Hemograma

Interpretação do Hemograma Interpretação do Hemograma MD 758 Prof. Erich de Paula O Hemograma completo Permite avaliação indireta da hematopoiese 1 O hemograma normal Hemograma Principais parâmetros Concentração de Hb (g/dl) - Confirmação

Leia mais

Anemias carenciais. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br

Anemias carenciais. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Anemias carenciais Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Definição Deficiência de oxigênio para os tecidos por : Hematócrito GV Hemoglobina O hematócrito e níveis de hemoglobina

Leia mais

ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab

ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab ANEMIAS HEMOLÍTICAS Hye, 2013 www.uff.br/hematolab Anemias Hemolíticas Destruição acelerada de eritrócitos; Podem ser destruídas na medula óssea, no sangue periférico ou pelo baço; drjeffchandler.blogspot.com

Leia mais

Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial

Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Pediatria Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial Fernanda C. Costa Fernanda M. de Andrade Jamima Tamandaré Pedro Teixeira Orientação:

Leia mais

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias O que é hemoglobina É a proteína do sangue responsável em carregar o oxigênio para os tecidos Qual é a hemoglobina normal? FA recém-nascido AA

Leia mais

TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS

TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS Antonio Jose Dias Martins, Rassan Dyego Romão Silva e Bruna Rezende Faculdade Alfredo Nasser Aparecida de Goiânia GO Brasil antoniojdm35@hotmail.coml

Leia mais

TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA

TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante.

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação O hemograma é um exame complementar muito importante. Doenças do sangue Anemias Doenças hemorrágicas: hemofilia, cirrosse hepática,

Leia mais

Talassemias. Márcio Hori

Talassemias. Márcio Hori Talassemias Márcio Hori Introdução Redução ou ausência de cadeias de globina na hemoglobina 1 par de genes de cadeias β (1 gene β no cromossomo 11) β 0 síntese de cadeias β ausente β + síntese de cadeias

Leia mais

Doença de Células Falciformes

Doença de Células Falciformes Doença de Células Falciformes Pedro P. A. Santos Médico Oncologista - Hematologista Setor de Oncologia e Hematologia Hospital da Criança Conceição Porto Alegre RS Setembro 2015 Doença Falciforme Breve

Leia mais

γ A γ δ β α2 α1 G γ δ β γ γ α α α α β β Mitocôndria Glicina + B6 + Succinil-CoA Heme Porfobilinogênio δ- ALA Protoporfirina Coproporfirinogênio

γ A γ δ β α2 α1 G γ δ β γ γ α α α α β β Mitocôndria Glicina + B6 + Succinil-CoA Heme Porfobilinogênio δ- ALA Protoporfirina Coproporfirinogênio Hemoglobina Hemoglobina A hemoglobina é uma molécula tetramérica composta de 2 pares de cadeias globínicas, cada uma delas ligada a um grupamento heme. O adulto normal apresenta três hemoglobinas diferentes:

Leia mais

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Departamento de Biologia Celular e Molecular Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Tema: Metabolismo do Ferro e Anemias Monitores:

Leia mais

Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico. Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica

Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico. Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica O que são talassemias? Grego: Thalassa (mar) + Haema (sangue) = Talassemia

Leia mais

Proeritroblasto ou Proeritroblasto ou P o r n o or o m o l b a l st s o: E i r t i ro r b o l b a l st s o ou o Nor o m o l b ast s o:

Proeritroblasto ou Proeritroblasto ou P o r n o or o m o l b a l st s o: E i r t i ro r b o l b a l st s o ou o Nor o m o l b ast s o: HEMATOLOGIA DRª ISIS H. VERGNE BIOMÉDICA ERITROPOIESE Fenômeno com diversas fases, onde ocorre: Síntese de DNA Mitose Síntese de hemoglobina com incorporação de Fe Perda do núcleo e organelas Produto final:

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS CINÉTICA DO FERRO Danni Wanderson Introdução A importância do ferro em nosso organismo está ligado desde as funções imune, até as inúmeras funções fisiológicas, como

Leia mais

ANEMIAS parte III. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS parte III. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS parte III Profª Carolina Garrido Zinn CLASSIFICAÇÃO DE ANEMIA MICROCÍTICA HIPOCRÔMICA VCM < 80 fl HCM < 27 pg Possíveis causas: Deficiência de Fe Talassemia Anemia de doença crônica (alguns casos)

Leia mais

Anemia Ferropriva. ² Acadêmico de biomedicina. Fundação Educacional de Fernandópolis

Anemia Ferropriva. ² Acadêmico de biomedicina. Fundação Educacional de Fernandópolis Anemia Ferropriva Kellen Patrícia Santos Mariano¹; Renan Fava Marson²; Tamires Carrafa Ramos¹; Lais Anahí de Paula Souza³; Vivian do Carmo Langiano ¹ Acadêmica de biomedicina. Faculdades Integradas de

Leia mais

Raniê Ralph Hemato Anemias Hematopoiese deformidades ósseas A eritropoiese (formação das hemácias células vermelhas)

Raniê Ralph Hemato Anemias Hematopoiese deformidades ósseas A eritropoiese (formação das hemácias células vermelhas) Anemias Anemia não é doença e sim síndrome. Existem diversas causas de síndrome anêmica. E é exatamente a etiologia dessa síndrome que cai na prova: É talassemia? É falciforme? É ferropriva? Um mesmo paciente

Leia mais

Pa P t a ri r c i i c a i a M o M u o ra r Hemorio

Pa P t a ri r c i i c a i a M o M u o ra r Hemorio Patricia Moura Hemorio MECANISMOS BÁSICOS DE ANEMIA 1- Falta de produção 2-Excesso de destruição 3-Perdas hemorrágicas 1-Falta de produção de eritrócitos Falta de tecido eritropoiético Invasão de medula

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO

CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO Sara de Carvalho Barros 1 Wagner dos Santos Mariano 2 1.Graduanda em Biologia na Universidade Federal de Tocantins, Bolsista do

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 154/2014 Alfapoetina na IRC

RESPOSTA RÁPIDA 154/2014 Alfapoetina na IRC RESPOSTA RÁPIDA 154/2014 Alfapoetina na IRC SOLICITANTE Dra. Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.706-3 DATA 26/03/2014 SOLICITAÇÃO Solicito parecer

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA ANEMIA FALCIFORME CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e CASO 01 - Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e muita sudoração. O médico examinou a paciente

Leia mais

ANEMIAS. Dra. Cecília V. Krebs

ANEMIAS. Dra. Cecília V. Krebs 1 ANEMIAS Dra. Cecília V. Krebs Objetivos cardíaco, para que seja ofertado aos tecidos maior quantidade de O2. Por tanto, quanto mais crônica for uma anemia, menos sintomática será, ou quando houverem,

Leia mais

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400 Resultados Página: 1/13 HEMOGRAMA ERITROGRAMA Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3 04.50 a 06.10 HEMOGLOBINA: 13.5 g/dl 13.00 a 16.50 HEMATOCRITO: 41.1 % 36.00 a 54.00 VCM:

Leia mais

2 ANEMIAS CARÊNCIAIS 2.1 Anemia Ferropriva

2 ANEMIAS CARÊNCIAIS 2.1 Anemia Ferropriva 3 INTRODUÇÃO A anemia é a manifestação de um processo patológico subjacente. Existem três mecanismos para o aparecimento de uma anemia: produção deficiente de hemácias, hemólise e sangramentos. (LEÃO.

Leia mais

Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica descompensada 10 g% 10 dias

Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica descompensada 10 g% 10 dias 18 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemias Hemolíticas Anemia Hemolítica Comparação Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica

Leia mais

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS. Dúvidas Técnicas: Telefone: PABX (011) 3053-6611 Ramal: 2028

LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS. Dúvidas Técnicas: Telefone: PABX (011) 3053-6611 Ramal: 2028 Telefone PABX (011) 3053-6611 e-mail hcor@hcor.com.br Dúvidas Técnicas Telefone PABX (011) 3053-6611 Ramal 2028 EQUIPE CLINIC CHECK UP Num. Pedido 050802886 10/08/2005 060000 Emissão 11/08/2005 135055

Leia mais

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte:

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: QUESTÃO 01 Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: a) 10.000/mm 3 b) 5.000/mm 3 c) 20.000/mm 3 d) 100.000/mm 3 e) 30.000/mm 3 QUESTÃO

Leia mais

Exames hematológicos. Hemograma. Hemograma. 1 a - Hemograma, reticulócitos e VHS - Princípio e interpretação - Discussão de laudos 2 a - Hemostasia

Exames hematológicos. Hemograma. Hemograma. 1 a - Hemograma, reticulócitos e VHS - Princípio e interpretação - Discussão de laudos 2 a - Hemostasia 2015 Exames hematológicos EXAMES HEMATOLÓGICOS Prof José Wander Breganó Dpto PALD- CCS Lab. Hematologia - LAC wbregano@gmail.com 1 a -, reticulócitos e VHS - Princípio e interpretação - Discussão de laudos

Leia mais

PATOFISIOLOGIA DOS ERITRÓCITOS (ANEMIAS) Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC

PATOFISIOLOGIA DOS ERITRÓCITOS (ANEMIAS) Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC PATOFISIOLOGIA DOS ERITRÓCITOS (ANEMIAS) Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC ANEMIA: Conceitos Hb < 12 g/dl ( ) e Hb < 13 g/dl ( ) ou diminuição do número de hemácias ANISOCITOSE (VCM = 80

Leia mais

Diagnóstico Diferencial Das Anemias

Diagnóstico Diferencial Das Anemias 2014 2 de Maio 6ª feira Diagnóstico Diferencial Das Anemias Sessão Televoter António Pedro Machado Manuel Ferreira Gomes Tolerabilidade Anemia Bem tolerada Mal tolerada Anemia crónica Anemia aguda Crónica

Leia mais

Hematopoiese. Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!!

Hematopoiese. Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!! Diagnóstico diferencial das anemias em Pediatria Hematopoiese Hematopoiese Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!! Embrião 0-2m saco vitelino Feto 2-7 meses fígado e baço Feto

Leia mais

ANEMIAS CLASSIFICAÇÃO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

ANEMIAS CLASSIFICAÇÃO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL ANEMIAS CLASSIFICAÇÃO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL Paulo Cesar Naoum Professor Titular pela UNESP Diretor da Academia de Ciência e Tecnologia de São José do Rio Preto Introdução As anemias obedecem a um padrão

Leia mais

Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.

Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com. Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Anemia hemolítica Anemia regenerativa ou hemolítica Causa

Leia mais

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas.

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas. HEMOGRAMA DEFINIÇÃO É o exame mais requisitado pela medicina e nele analisa-se as células sanguíneas. É comum você pegar um laudo dividido em três partes:eritrograma, parte que analisa as células vermelhas

Leia mais

Anemia: Conteúdo. Definições

Anemia: Conteúdo. Definições Anemia Resumo de diretriz NHG M76 (março 2003) Van Wijk MAM, Mel M, Muller PA, Silverentand WGJ, Pijnenborg L, Kolnaar BGM traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para

Leia mais

! Ministrador: Prof. Almir Feitosa!

! Ministrador: Prof. Almir Feitosa! Ministrador: Prof. Almir Feitosa Transcrição e ilustrações realizadas pela Dra ROSANA DE SOUZA e cedidas como colaboração ao acervo do P.O.A. ODONTOLOGIA HOSPITALAR Hemograma No nosso sangue circulam três

Leia mais

DADOS LABORATORIAIS - Anemia inicialmente normocrómica/normocítica, caminhando para hipocrómica (talvez microcítica)

DADOS LABORATORIAIS - Anemia inicialmente normocrómica/normocítica, caminhando para hipocrómica (talvez microcítica) ANEMIAS HIPOCRÓMICAS - anemia das doença crónica ANEMIA DAS DOENÇA CRÓNICA (ADC) - ADC está associada com um doença subjacente (normalmente uma inflamação, infecção ou neoplasia), mas sem causa aparente

Leia mais

ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS

ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS MESTRANDO EM BIOLOGIA Menandes

Leia mais

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DAS TALASSEMIAS ALFA MÍNIMA E MENOR

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DAS TALASSEMIAS ALFA MÍNIMA E MENOR DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DAS TALASSEMIAS ALFA MÍNIMA E MENOR Paulo Cesar Naoum Biomédico, Professor Titular pela UNESP e Diretor da Academia de Ciência e Tecnologia de São José do Rio Preto, SP Talassemias

Leia mais

Prevenção da deficiência de ferro em doadores: opções, estratégias e soluções

Prevenção da deficiência de ferro em doadores: opções, estratégias e soluções Prevenção da deficiência de ferro em doadores: opções, estratégias e soluções Sheila Soares Silva Hemocentro Regional de Uberaba/Fundação Hemominas Universidade Federal do Triângulo Mineiro Belo Horizonte

Leia mais

CONCEITO: Principais tipos de anemia:

CONCEITO: Principais tipos de anemia: CONCEITO: Diminuição do número de HEMOGLOBINA contida nos glóbulos vermelhos como resultado da falta de um ou mais nutrientes essenciais à manutenção do organismo ou defeitos anatômicos das hemácias A

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA ANEMIA FERROPRIVA UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Hernandes Santos Barros

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA ANEMIA FERROPRIVA UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Hernandes Santos Barros INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA ANEMIA FERROPRIVA UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Hernandes Santos Barros Cacoal, 2013 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

Leia mais

Governo do Estado de Pernambuco / Secretaria Estadual de Saúde / Fundação HEMOPE Processo Seletivo Simplificado 2006

Governo do Estado de Pernambuco / Secretaria Estadual de Saúde / Fundação HEMOPE Processo Seletivo Simplificado 2006 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 01 A respeito do diagnóstico do Mieloma Múltiplo, qual entre as alternativas não representa um critério de diagnóstico? A) Componente M na Urina. B) Cálcio sérico >12mg/dl.

Leia mais

INTERPRETAÇÃO CLÍNICA DO HEMOGRAMA

INTERPRETAÇÃO CLÍNICA DO HEMOGRAMA INTERPRETAÇÃO CLÍNICA DO COMPLETO: É a avaliação qualitativa e quantitativa dos elementos do sangue. Alterações fisiológicas podem ocorrer no hemograma por exercícios físicos e refeições gordurosas. Pode

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. Anemia Megaloblástica Paula Loureiro Hematologista,MSC Recife-Pe Congresso SBPC- Salvador ador 2007 DEFINIÇÃO A anemia não é um diagnóstico, mas sim

Leia mais

Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de

Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de Hemoglobinopatias e Talassemias Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de Biociências, Letras e Ciências

Leia mais

Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3

Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3 DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA ANEMIA FALCIFORME Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3 A Anemia Falciforme é uma doença caracterizada por uma mutação

Leia mais

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Escola Secundária Quinta do Marquês Mutações Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Trabalho realizado por: Bárbara Dória, nº4, 11ºB Definição de mutação As

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA)

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA) HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - ANEMIA HEMOLÍTICA HEREDITÁRIA III - TALASSEMIA EDIÇÃO REVISADA 02/2004 Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA)

Leia mais

PESQUISA DE HEMOGLOBINOPATIAS EM UMA AMOSTRA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA CIDADE DE BELÉM (PARÁ)

PESQUISA DE HEMOGLOBINOPATIAS EM UMA AMOSTRA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA CIDADE DE BELÉM (PARÁ) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FACULDADE DE BIOMEDICINA ADRIANE MARIA BEZERRA DA SILVA PESQUISA DE HEMOGLOBINOPATIAS EM UMA AMOSTRA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA CIDADE

Leia mais

ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA. Centro de Hematologia São Paulo

ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA. Centro de Hematologia São Paulo ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Dr. Sérgio S Brasil Centro de Hematologia São Paulo Anemia DE doença a crônica Anemia DAS doenças crônicas ANEMIA DE DOENÇA A CRÔNICA Anemia por falha da medula óssea em aumentar

Leia mais

POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo

POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo Material Necessário Seringa 5ml com agulha 25x7 Alcool 70% (iodado) Garrote Tubo vacuun EDTA ( tampa roxa ) microscópio lâminas para microscopia

Leia mais

Meu filho tem: ANEMIA

Meu filho tem: ANEMIA Meu filho tem: ANEMIA 08 de abril de 2014 Para que serve o sangue? Quais as funções de cada tipo de célula encontrada no sangue? GLÓBULOS BRANCOS (Leucócitos) GLÓBULOS VERMELHOS (Hemácias, eritrócitos)

Leia mais

ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA

ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA ANEMIA DE DOENÇA CRÔNICA Prof. Archangelo P. Fernandes Profa. Alessandra Barone www.profbio.com.br Definição Anemia presente em: - Distúrbios infecciosos crônicos, - Doenças auto-imunes

Leia mais

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso 535C5710 «$E9T"J0 03.362451.01.41:15 Setor Técnico Urinalise Emissão 03/10/2008 SUMARIO DE URINA Coleta: 03/10/2008 ASPECTOS FÍSICO-QUÍMICOS Valores de referência Cor Amarelo claro Amarelo claro - amarelo

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema HEMOGLOBINOPATIAS Elaboradora(s) Questão 1 Claudia Bonini. Graduação em Ciências Biológicas e Ensino de Primeiro Grau pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1982 e 1983), Mestrado

Leia mais

ANEMIA FERROPRIVA NA GESTAÇÃO

ANEMIA FERROPRIVA NA GESTAÇÃO COLEGIADO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Farmácia ANEMIA FERROPRIVA NA GESTAÇÃO Patrícia Buono dos Santos Rio de Janeiro 2012 PATRÍCIA BUONO DOS SANTOS Aluna do Curso de Farmácia Matrícula: 0823800147

Leia mais

FACULDADE TECSOMA Curso de Graduação em Biomedicina. Deniel Ricardo Silva

FACULDADE TECSOMA Curso de Graduação em Biomedicina. Deniel Ricardo Silva FACULDADE TECSOMA Curso de Graduação em Biomedicina Deniel Ricardo Silva AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE FERRO SÉRICO EM GESTANTES NO CENTRO DE SAÚDE DA MULHER E DA CRIANÇA EM PARACATU/MG NO PERÍODO DE MAIO A

Leia mais

Anemias. Anabela Morais. Unidade de Hematologia Pediátrica HSM

Anemias. Anabela Morais. Unidade de Hematologia Pediátrica HSM Anabela Morais Unidade de Hematologia Pediátrica HSM Lisboa, 2009 Definição Valor de hemoglobina ou do hematócrito 2 desvios-padrão abaixo da média de uma população testemunha, tendo em conta o sexo e

Leia mais

ALTERAÇÕES HEMATOLÓGICAS E DOS NÍVEIS DE FERRO SÉRICO EM GESTANTES DO CENTRO MUNICIPAL DE SAÚDE DE IJUÍ (RS)

ALTERAÇÕES HEMATOLÓGICAS E DOS NÍVEIS DE FERRO SÉRICO EM GESTANTES DO CENTRO MUNICIPAL DE SAÚDE DE IJUÍ (RS) ANEXO B PLANILHA DE VERIFICAÇÃO DE REGISTRO JUNTO AO ÓRGÃO SANITÁRIO Número de registro no Ministério da Saúde: CNPJ completo: ANEXO C PLANILHA DE VERIFICAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DOS MEDICAMENTOS Monofitoterápico

Leia mais

Ferro (Fe): composição corporal - estruturas (citocromos, hemoglobina e mioglobina) Após absorção (mucosa ID) transferrina ferritina

Ferro (Fe): composição corporal - estruturas (citocromos, hemoglobina e mioglobina) Após absorção (mucosa ID) transferrina ferritina Revisão Bibliográfica 4ª-feira, 26 Maio 2010 Introdução Ferro (Fe): composição corporal - estruturas (citocromos, hemoglobina e mioglobina) Após absorção (mucosa ID) transferrina ferritina Eritropoiese

Leia mais

PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA*

PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA* PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA* MESQUITA, MM; JENDIROBA, DB; MELO-REIS, PR; SILVA, CB; DIAS-PENNA, KGB; MESQUITA, GA; DA CRUZ, AD; CHEN- CHEN, L Resumo: a anemia

Leia mais

α + Talassemia(α Talassemia 2)

α + Talassemia(α Talassemia 2) VI Board Review de Hematologia e Hemoterapia Hospital Israelita AlbertEinstein 2012 Maria Stella Figueiredo Disciplina de Hematologia e Hemoterapia UNIFESP Alteração quantitativa da síntese de cadeias

Leia mais

ESTUDO DO METABOLISMO DO FERRO

ESTUDO DO METABOLISMO DO FERRO ESTUDO DO METABOLISMO DO FERRO Patrícia Gigliotti Resumo Os mecanismos decorridos no organismo com a finalidade de manter a homeostase de ferro é claramente descrita neste artigo de revisão, que visa uma

Leia mais

Caderno de Prova. Hematologia e Hemoterapia. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente.

Caderno de Prova. Hematologia e Hemoterapia. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente Edital 02/2008 Caderno de Prova P6 Hematologia e Hemoterapia Dia: 16 de novembro de 2008 Horário: das 14 às 16 h Duração:

Leia mais

MANUAL INFORMATIVO DO CURSO DE EXTENSÃO À DISTÂNCIA (ON LINE)

MANUAL INFORMATIVO DO CURSO DE EXTENSÃO À DISTÂNCIA (ON LINE) MANUAL INFORMATIVO DO CURSO DE EXTENSÃO À DISTÂNCIA (ON LINE) UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO HOSPITAL DAS CLÍNICAS Qualificação Profissional em Hematologia e Imunohematologia CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Leia mais

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada.

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada. Questão 1 Uma paciente de 35 anos é internada com história de cinco dias de cefaleia progressiva, febre e astenia. A avaliação laboratorial mostrou contagem plaquetária de 23.000/mm³, anemia com hemácias

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades e funções de proteínas: Mioglobina / Hemoglobina

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ANEMIA EM GRUPOS DE IDOSOS NO MUNICÍPIO DE ERECHIM

AVALIAÇÃO DE ANEMIA EM GRUPOS DE IDOSOS NO MUNICÍPIO DE ERECHIM UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES URI CAMPUS DE ERECHIM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE FARMÁCIA BIOQUÍMICA CLÍNICA CRISTIANE KLEIN AVALIAÇÃO DE ANEMIA EM GRUPOS

Leia mais

Normocítica, normocrómica VGM 80-95 fl CHGM > 30 g/dl. Deficiências múltiplas. Falha medular (pósquimioterapia, por carcinoma,..

Normocítica, normocrómica VGM 80-95 fl CHGM > 30 g/dl. Deficiências múltiplas. Falha medular (pósquimioterapia, por carcinoma,.. Patologia de eritrócito PATOLOGIA DO ERITRÓCITO - ANEMIAS: Quadro resumo Microcítica, hipocrómica VGM < 80 fl CHGM < 30 g/dl Deficiência de ferro Talassemia Anemia das doenças crónicas (alg. casos) Envenenamento

Leia mais

PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013

PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013 PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013 HEMOGLOBINAS NORMAIS MOLÉCULA DA HEMOGLOBINA HUMANA NORMAL Hb A AS HEMOGLOBINAS HUMANAS SÀO COMPOSTAS POR QUATRO CADEIAS DE AMINOÁCIDOS CONHECIDAS POR GLOBINAS E INSERIDO EM

Leia mais

A síntese do grupamento heme é realizada nas mitocôndrias tendo como coenzima o fosfato de piridoxina (B6) estimulado pela eritropoetina.

A síntese do grupamento heme é realizada nas mitocôndrias tendo como coenzima o fosfato de piridoxina (B6) estimulado pela eritropoetina. Metabolismo do Ferro Hemoglobina 1 Grupamento Heme. A síntese do grupamento heme é realizada nas mitocôndrias tendo como coenzima o fosfato de piridoxina (B6) estimulado pela eritropoetina. O núcleo de

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 5,08 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

Semiologia Abordagem ao paciente Hematológico. Prof. Ivan da Costa Barros Monitor: Pedro Gemal. Universidade Federal Fluminense

Semiologia Abordagem ao paciente Hematológico. Prof. Ivan da Costa Barros Monitor: Pedro Gemal. Universidade Federal Fluminense Semiologia Abordagem ao paciente Hematológico Prof. Ivan da Costa Barros Monitor: Pedro Gemal Universidade Federal Fluminense Hemopatias Primárias Secundárias Distúrbios das séries homopoiégcas - Eritrocitária

Leia mais

Tema: Anemias na Infância

Tema: Anemias na Infância ANEMIAS NA INFÂNCIA Tema: Anemias na Infância Objetivos Conceituar e classificar as anemias da infância Correlacionar o aparecimento das sindromes anêmicas com as fases da infância e adolescência Identificar

Leia mais