Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico. Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico. Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica"

Transcrição

1 Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica

2 O que são talassemias? Grego: Thalassa (mar) + Haema (sangue) = Talassemia 200 deleções ou pontos de mutação que diminuem a produção das cadeias de globina Herança autossômica recessiva Clínica: assintomático a óbito neonatal Giardina P, Forget B. Thalassemia syndromes. In: Hoffman. Hematology: Basic Principles and Practice (5th ed). Philadelphia, PA: Churchill Livingstone; 2008:

3 Fenótipos

4 Alfa-Talassemia Harteveld and Higgs Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:13

5 Alfa-Talassemia Fenótipo Genes alfa deletados % Hb Bart no RN (γ4) Quadro clínico Portador silencioso Assintomático Traço alfa-talassemia Anemia hipocrômica e microcítica leve a moderada Doença da Hb H 3 25 Hidropsia fetal Anemia hemolítica moderada a grave Esplenomegalia Hiperesplenismo Icterícia Retardo crescimento Úlceras mmii Litíase biliar Sobrecarga de ferro Anemia grave, edema, ICC Óbito intra útero ou logo após o nascimento Steinberg MH. Hematol Oncol Clin North Am. 1991;5:453-73

6 Alfa-Talassemia Fenótipo Síndrome ATR16 (síndrome α-talassemia/ retardo mental) 1,2 Síndrome ATR-X (síndrome do retardo mental ligada ao X associada a α-talassemia) 1,3-6 RARAS Genes alfa deletados (genótipo) Deleções muito grandes do cromossomo 16, envolvendo o gene da alfa globina e genes a sua volta Mutações no gene ATR do cromossomo X Quadro clínico Atraso mental Atraso mental mais grave Síndrome ATMDS 1,7 Mutação adquirida no gene ATRX Homens idosos com SMD 1. Higgs. Disorders of Hemoglobin ; 2. Wilkie. Am J Hum Genet 1990, 46: Gibbons R. Orphanet J Rare Dis 2006, 1:15.; 4. Gibbons. Cell 1995, 80: Wilkie. Am J Hum Genet 1990, 46: Wilkie. J Med Genet 1991, 28: Gibbons. Nat Genet 2003, 34:

7 Beta-talassemia Fenótipo Genótipo Quadro clínico sem transfusão Talassemia Mutação de 1 gene Assintomático minor beta Achados laboratoriais Leve anemia hipocrômica e microcítica Hb A 2 > 4% HbA 1 presente Talassemia intermédia Mutação de 2 genes beta: -Composto heterozigoto β / β + - Homozigoto β + / β + - Associada a alfatalassemia Variável: de minor a major (> 2 anos) Anemia hipocrômica e microcítica leve a moderada Hb F > 10-50% (até100) Hb A 2 > 4 % Talassemia major Mutação de 2 genes beta - Homozigoto β / β - Composto heterozigoto β / β + Anemia grave Palidez, icterícia Letargia Crescimento inadequado Deformidades ósseas na face Fraturas patológicas Hepatoesplenomegalia Anemia hipocrômica e microcítica grave Hb F > 50% Hb A 2 < 4 % Galanello and Origa Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:11;

8 Beta-talassemia Fenótipo Genótipo Quadro clínico Beta-talassemia com outras Hb anômalas HbC/Beta-talassemia HbE/Beta-talassemia HbS/Beta-talassemia Assintomático ou Anemia e esplenomegalia Leve: 15% casos, assintomática Moderadamente grave: >ria dos casos, talassemia intermédia Grave: talassemia major Clínica de anemia falciforme PHHF e betatalassemia Formas autossômicas dominantes Beta-talassemia com outras manifestações Heterozigoto para beta dominante Beta-talassemia-tricotiodistrofia Talassemia com trombocitopenia ligada ao X Normal a talassemia intermédia Fenótipo de talassemia em pacientes heterozigotos Hb instaveis que se precipitam e causam hematopoiese ineficaz Galanello and Origa Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:11

9 Epidemiologia

10 Epidemiologia da talassemia Hemoglobinopatias e Malária no Velho Mundo A distribuição mundial das hemoglobinopatias se sobrepõe a distribuição geográfica da malária. A prevalência aumentou em outras regiões devido ao fluxo migratório, escravos, comércio e colonização Harteveld and Higgs Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:13

11 Epidemiologia da talassemia Frequência de portadores do gene (%) Região -Talassemia 0 -Talassemia + -Talassemia Américas Mediterrâneo Oriental Europa Sudeste da Ásia África Subsaariana Pacífico Ocidental Weatherall D et al. Inherited Disorders of Hemoglobin Disease Control Priorities in Developing Countries (2nd Edition).

12 Epidemiologia da alfa-talassemia no Brasil Frequência de portadores do gene (%) Local n População estudada Talassemia alfa heterozigótica Campinas Adultos sem anemia, com hipocromia e microcitose Goiás Adultos alunos de universidade Salvador Crianças com doença falciforme Minas Gerais Crianças com doença falciforme 49,9% 5,2% 23% 29,3% 1.Borges. J Med Biol Res Jun;34(6): Melo-Reis. J Bras Patol Med Lab. 2006;42(6): Fonseca Belisário. Hemoglobin. 2010;34(6):

13 Prevalência do gene Epidemiologia da beta-talassemia Países do Mediterrâneo, Oriente Médio, Ásia Central, Índia, Sul da China, Extremo Oriente, Norte da África, América do Sul Frequência do gene Doentes Incidência anual de doentes TIF (Thalassemia International Federation) 1,5% da população do mundo = milhões de pessoas nascimentos/ano Maioria nos países em desenvolvimento 1 / pessoas no mundo 1 / pessoas na Europa Apenas pacientes com talassemia major recebem tratamento regular Flint J. Bailliere's Clinical Hematology 1998, 11:1-50 Vichinsky EP. Ann N Y Acad Sci 2005, 1054: Thalassemia International Federation [http://www.thalassemia.org.cy]

14 Epidemiologia da beta-talassemia no Brasil Frequência de portadores do gene (%) Local Frequência (%) Rio Grande do Sul 1 1,1 Minas Gerais 2 0,13 São José do Rio Preto 3 1,29 Ribeirão Preto 4 0,8 Campinas e Região 5 1,3 Salvador 6 0,3 Recife 7 0,68 Goiás 8 0,7 1 Freitas & Rocha, 1983; 2- Melo et al., 2000; 3-Viana-Baracioli et al., 2001; 4- Zago et al., 1983; 5- Ramalho et al., 1999; 6- Fonseca etal., 2005; 7- Almeida et al., 2005; 8- Melo-Reis. 2006

15 Distribuição da beta-talassemia major e intermédia no Brasil UF TI TM TOTAL AC AL AP AM BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA UF TI TM TOTAL PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SE SC SP TO Total Fonte: ABRASTA 2010

16 Fisiopatologia da talassemia

17 Alfa-talassemias Diminuição da produção de cadeias de globina alfa Excesso de cadeias de globina gama nos RN Excesso de cadeias de globina beta nos adultos Weatherall DJ & Clegg JB. Bull World Health Organ 2001;79:

18 Beta-talassemia major Excesso de cadeias alfa Precipitados de cadeias alfa Dano membrana celular Medula óssea Eritropoiese ineficaz Glóbulos vermelhos Hemólise ANEMIA Transfusões eritropoiese medula óssea, baço, fígado Deformidades ósseas aumenta absorção de ferro SOBRECARGA DE FERRO Danos órgãos Olivieri N. N Engl J Med 1999;341:99 109

19 Beta-talassemia intermédia Menos transfusões de hemácias, mas também sobrecarga de ferro Eritropoiese ineficaz Hipertrofia importante da medula óssea e deformidades ósseas Anemia crônica absorção intestinal de ferro Sobrecarga de ferro Cossu P, Eur J Pediatr 1981;137: Fiorelli G, Haematologica 1990;75(Suppl 5): Borgna-Pignatti C. British J Hematol 2007:138,

20 Diagnóstico alfa-talassemia

21 Alfa-talassemia Geralmente suspeita ocorre em HEMOGRAMA de rotina Anemia, microcitose ( VCM) e hipocromia ( HCM) relacionam-se com o número de genes alfa deletados Bonini-Domingos C.R. RBHH, 2000, 22(3): Harteveld and Higgs Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:13

22 Alfa-talassemia EFHb por HPLC (High-performance liquid chromatography) Adulto --/-α RN --/αα HbA 2 normal ou pouco HbH: Fração de movimento rápido Hb Bart desaparece rápido após o nascimento Harteveld and Higgs Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:13

23 Coloração de sangue periférico com azul cresil brilhante 1% Corpúsculos de inclusão nos glóbulos vermelhos = precipitação dos tetrâmeros β4 na membrana celular, os quais lesam a membrana e induzem hemólise Como HbH é instável, deve ser investigada em amostra de sangue recente Traço α 0 -thalassaemia tem bem menos inclusões do que doença HbH Harteveld and Higgs Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:13

24 Alfa-talassemia Análise molecular (genótipo) Análise molecular α + -talassemia α 0 -talassemia Gap-PCR -α 3.7 Southern blotting MLPA α (α) SEA -- Med I -- Thai - - Fil para rearranjos desconhecidos Brasil: mais comum deleção α 3.7 MLPA Multiplex Ligation-dependent Probe Amplification Chong SS. Blood 2000, 95: Liu YT. Br J Haematol 2000, 108: Tan ASC. Blood 2001, 98:

25 Diagnóstico beta-talassemia

26 Beta-talassemia Hemograma Anemia hipocrômica microcítica Talassemia minor Talassemia major Hemáceas em alvo Ponteado Basófilo

27 Beta-talassemia Eletroforese de Hb HbA HbF HbA 2 beta 0 -talassemia % --- beta + -talassemia homozigotos beta + /beta 0 -talassemia 10-30% 70-90% variável beta-talassemia minor < 96% > 4% EFHb: Utiliza corrente elétrica para separar os diferentes tipos de Hb Também diagnostica as associações: HbC, HbE, HbS, etc

28 Mutação Frequência Brasil (%) CD39 (C T) 3,5 54,3 IVS I 110 (G A) 8,2 18,6 IVS I 1 (G A) 12,9 15,1 IVS I 6 (T C) 9,5 62,8 IVS II 1 (G A) IVS II 745 C G) CD6 (-A) Não encontrado Não encontrado Não encontrado IVS I 1 (G T) 0 4,3 CD41/42 (-CTTT) Beta-talassemia Análise molecular (genótipo) Maioria: pontos de mutações no gene da beta globina Importante para diagnóstico da forma dominante em heterozigotos Não encontrado Cromosomos (n) 283 Giardine B. Hum Mutat 2007, 28:206.; Fonseca SF. Hemoglobin 22(3), (1998). Araújo AS. Hemoglobin 27(4), (2003); Reichert VC. Ann. Hematol. 87(5), (2008)

29 Diagnóstico diferencial entre os traços talassêmicos HPLC ou Acetato de Celulose HbA2 HbF EFHb Alfa- Normal normal Padrão AA talassemia ou pouco (HbH) > 4% normal ou Padrão AA Betatalassemia Alfa: ideal análise molecular das deleções do gene da globina alfa OU: hemograma dos pais

30 Diferenças entre Talassemia Major e Intermédia Talassemia major Talassemia intermédia Clínica < 2 anos > 2 anos Hb (g/dl) VCM (fl) HCM (pg) Hepatoesplenomegalia Grave Moderada a grave Hb Fetal (%) > %, pode chegar a 100% Hb A 2 (%) <4% >4% Pais são portadores Mutação Co-herança com α-tala. PHHF PH δ β-talassemia Polimorfismo Gy XMN1 Ambos tem o gene, com HbA 2 Grave Não Não Não Não 1 ou ambos portadores atípicos: Fetal ou A 2 borderline Leve / silenciosa Sim Sim Sim Sim Guideline TIF 2008 Cappellini C, et al., eds. Thalassaemia International Federation, 2000.

31 Investigação laboratorial anemia hipocrômica microcítica Talassemia minor Traço alfatalassemia Anemia ferropriva Ferro Ferritina TIBC Sat. RDW Diagnóstico Normal Normal Normal Normal Normal EFHb com HbA 2 > 4% Normal Normal Normal Normal Normal EFHb normal Ideal: análise molecular das deleções do gene da globina alfa Identificar causa da perda de ferro Anemia da inflamação Normal ou Normal Normal Identificar a causa Anemia sideroblástica Normal Normal Medula óssea com sideroblastos em anel

32 Aconselhamento Genético e Diagnóstico Prénatal da beta-talassemia Identificação do estado de portador dos pais Casal portador: 25% chance de ter filho com talassemia major por cada gestação Diagnóstico Prénatal: análise de DNA das células fetais por amniocentese (15-18 semanas gestação) ou biópsia de vilo coriônico (11 semanas de gestação) Galanello and Origa Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:11

33 Resultados triagem neonatal (HPLC ou FIE) Resultado Interpretação Quadro clínico FA Normal Assintomático FAS Traço falciforme Assintomático FS Anemia falciforme (HbSS) ou Anemia hemolítica SBeta 0 -talassemia ou S PHHF FSA ou FS 2 SBeta + -talassemia Anemia hemolítica FSC Hemoglobinopatia SC Anemia hemolitica FSD Hemoglobinopatia SD Anemia hemolitica FSA + Bart S alfa-talassemia Anemia hemolitica FAC Traço C Assintomático FC Hemoglobinopatia C ou Anemia hemolitica Hemoglobinopatia C-beta 0 talassemia FCA Hemoglobinopatia C-beta + talassemia Anemia hemolitica FAD Traço D Assintomático FD Hemoglobinopatia D Anemia hemolitica FDA Hemoglobinopatia D-beta + talassemia Anemia hemolitica FA+ Bart (1-5%) Portador silencioso da alfa-talassemia Assintomático FA + Bart (5-10%) Traço alfa-talassemia Anemia leve FA +Bart (25-50%) Doença HbH Anemia hemolitica F 0 -talassemia (talassemia major) - HPLC Anemia hemolitica

34 Conclusões

35 Conclusões As síndromes talassêmicas estão presentes no mundo todo. Tem grande heterogenicidade genética e fenotípica. É importante o diagnóstico diferencial entre os diferentes tipos de talassemias e entre as anemias hipocrômicas microcíticas para que o adequado tratamento possa ser oferecido.

36 Bibliografia recomendada Harteveld and Higgs, Alfa-thalassaemia. Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:13 Galanello and Origa, Beta-thalassemia. Orphanet Journal of Rare Diseases 2010, 5:11 Weatherall D et al. Inherited Disorders of Hemoglobin Disease Control Priorities in Developing Countries (2nd Edition).

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal 1º Congresso Médico de Guarulhos Práticas Clínicas no SUS 5 a 7 novembro de 2015 Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal Dra Christiane M. S. Pinto Hematologista Pediatrica HMCA Guarulhos

Leia mais

CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF

CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF Serviço Patologia Clínica 21 de Maio 2015 Elzara Aliyeva Sónia Faria OBJECTIVO Efectuar um estudo casuístico das hemoglobinopatias na população da área

Leia mais

HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro

HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro HEMOGRAMA Profª. Francis Fregonesi Brinholi fbrinholi@hotmail.com. Hb = 0,8 g/dl Microcítica VCM < 78fL VCM:? Dosagem de ferritina Baixa Normal Alta Microcítica VCM < 78fL Normocítica VCM: 78-98fL Macrocítica

Leia mais

ANEMIAS parte IV. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS parte IV. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS parte IV Profª Carolina Garrido Zinn Hemoglobinopatias Doenças hereditárias causadas por diminuição ou anomalia da síntese de globina Afetam cerca de 7% da população mundial Hemoglobina Proteína

Leia mais

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia 8 º período AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS Anemias causadas por um aumento da destruição dos eritrócitos em relação à produção. Rompe-se o equilíbrio entre a produção

Leia mais

Talassemias. Márcio Hori

Talassemias. Márcio Hori Talassemias Márcio Hori Introdução Redução ou ausência de cadeias de globina na hemoglobina 1 par de genes de cadeias β (1 gene β no cromossomo 11) β 0 síntese de cadeias β ausente β + síntese de cadeias

Leia mais

Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos

Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos Ana Paula Rodrigues RESUMO Com o objetivo de estabelecer a freqüência de hemoglobinas variantes e β-talassemias

Leia mais

ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab

ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab ANEMIAS HEMOLÍTICAS Hye, 2013 www.uff.br/hematolab Anemias Hemolíticas Destruição acelerada de eritrócitos; Podem ser destruídas na medula óssea, no sangue periférico ou pelo baço; drjeffchandler.blogspot.com

Leia mais

Alterações congénitas da formação da hemoglobina:

Alterações congénitas da formação da hemoglobina: ANEMIAS CAUSADAS POR DEFEITOS GENÉTICOS DA HEMOGLOBINA Alterações congénitas da formação da hemoglobina: TALASSEMIAS há uma síntese desequilibrada das cadeias globínicas HEMOGLOBINOPATIAS por alteração

Leia mais

CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA

CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA Foto 1: Talassemia Alfa Mínima em sangue periférico corado com azul de crezil brilhante. Comentários: A investigação laboratorial da talassemia alfa mínima se faz por meio

Leia mais

ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP

ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP Tema Citológico : Diagnóstico laboratorial diferencial entre anemia

Leia mais

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE 1 CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 2 SANGUE 3 4 5 6 7 PATOLOGIA DO GLÓBULO RUBRO ANEMIAS POLICITEMIAS Valores de referência Hemoglobina g/dl recém-nascido

Leia mais

Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de

Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de Hemoglobinopatias e Talassemias Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de Biociências, Letras e Ciências

Leia mais

Glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos)

Glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) Doença Falciforme Glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) Fonte: BESSIS, M. - Corpuscules - essai sur la forme des globules rouges de l homme springer international - 1976 Hemoglobina Função: Captar

Leia mais

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias O que é hemoglobina É a proteína do sangue responsável em carregar o oxigênio para os tecidos Qual é a hemoglobina normal? FA recém-nascido AA

Leia mais

RESUMO EXPANDIDO - VIII Seminário de Pós-Graduação da UFG

RESUMO EXPANDIDO - VIII Seminário de Pós-Graduação da UFG RESUMO EXPANDIDO - VIII Seminário de Pós-Graduação da UFG ESTUDO GENÉTICO-POPULACIONAL DE HEMOGLOBINOPATIAS EM DOADORES DE SANGUE E NA POPULAÇÃO GERAL DE GOÂNIA E BONFINÓPOLIS-GOIÁS/BRASIL PACHECO,Ildefonso

Leia mais

TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS

TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS Antonio Jose Dias Martins, Rassan Dyego Romão Silva e Bruna Rezende Faculdade Alfredo Nasser Aparecida de Goiânia GO Brasil antoniojdm35@hotmail.coml

Leia mais

TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA

TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

α + Talassemia(α Talassemia 2)

α + Talassemia(α Talassemia 2) VI Board Review de Hematologia e Hemoterapia Hospital Israelita AlbertEinstein 2012 Maria Stella Figueiredo Disciplina de Hematologia e Hemoterapia UNIFESP Alteração quantitativa da síntese de cadeias

Leia mais

Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior

Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior Belinda Pinto Simões Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP Beta talassemia major Doença genética resultando em redução ou ausência da síntese da cadeia

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Hemoglobinopatias Interpretação do teste de triagem neonatal

Hemoglobinopatias Interpretação do teste de triagem neonatal 172 REVISÕES E ENSAIOS Hemoglobinopatias Interpretação do teste de triagem neonatal Haemoglobinopathies Interpretation of neonatal screening test Hemoglobinopatías Interpretación de la prueba de tamizaje

Leia mais

Doença de Células Falciformes

Doença de Células Falciformes Doença de Células Falciformes Pedro P. A. Santos Médico Oncologista - Hematologista Setor de Oncologia e Hematologia Hospital da Criança Conceição Porto Alegre RS Setembro 2015 Doença Falciforme Breve

Leia mais

Interpretação do Hemograma

Interpretação do Hemograma Interpretação do Hemograma MD 758 Prof. Erich de Paula O Hemograma completo Permite avaliação indireta da hematopoiese 1 O hemograma normal Hemograma Principais parâmetros Concentração de Hb (g/dl) - Confirmação

Leia mais

Beta Talassemia Intermédia

Beta Talassemia Intermédia Beta Talassemia Intermédia Adérson Araújo MD phd Hematologista Fundação Hemope Recife PE Agenda 1. O que é beta talassemia intermédia 2. Espectro clínico e gravidade 3. Diagnóstico 4. Manifestações clínicas

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA)

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA) HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - ANEMIA HEMOLÍTICA HEREDITÁRIA III - TALASSEMIA EDIÇÃO REVISADA 02/2004 Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA)

Leia mais

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica. 11 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemia Abordagem Diagnóstica Definição É a redução, abaixo do normal, da concentração de hemoglobina circulante total. A anemia não é um diagnóstico de

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. Triagem Neonatal FASE II HEMOGLOBINOPATIAS - TRIAGEM NEONATAL - ASPECTOS LABORATORIAIS - TESTE DO PEZINHO - incisão - preenchimento círculos

Leia mais

Informações gerais sobre Talassemias e o impacto das intervenções

Informações gerais sobre Talassemias e o impacto das intervenções Version 1.1 September 2013 Informações gerais sobre Talassemias e o impacto das intervenções Este documento apresenta uma visão geral sobre distúrbios da hemoglobina, sua epidemiologia e intervenções específicas

Leia mais

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma.

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma. Introdução O hemograma pode ser entendido como o exame do sangue periférico que permite fazer avaliação da série vermelha, série branca (leucócitos), e das plaquetas. Grosso modo, o sangue pode ser conceituado

Leia mais

Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial

Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Pediatria Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial Fernanda C. Costa Fernanda M. de Andrade Jamima Tamandaré Pedro Teixeira Orientação:

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO ANEMIAS OBSTETRÍCIA A anemia é definida como síndrome caracterizada por diminuição de massa eritrocitária total. Laboratorialmente, definimos anemia como hemoglobina menor que 12 g/dl em mulheres ou 13

Leia mais

Hematopoiese. Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!!

Hematopoiese. Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!! Diagnóstico diferencial das anemias em Pediatria Hematopoiese Hematopoiese Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!! Embrião 0-2m saco vitelino Feto 2-7 meses fígado e baço Feto

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA ANEMIA FALCIFORME CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.

Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com. Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Anemia hemolítica Anemia regenerativa ou hemolítica Causa

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

Descrição do esfregaço

Descrição do esfregaço Descrição do esfregaço Série vermelha: microcitose e hipocromia acentuadas com hemácias em alvo. Policromasia discreta. Série branca: sem anormalidades morfológicas Série plaquetária: sem anormalidades

Leia mais

Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito do Traço Falcêmico

Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito do Traço Falcêmico MANUAL DO PACIENTE - TENHO TRAÇO FALCÊMICO.... E AGORA? EDIÇÃO REVISADA 02/2004 Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito do Traço Falcêmico Sabemos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO

CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO Sara de Carvalho Barros 1 Wagner dos Santos Mariano 2 1.Graduanda em Biologia na Universidade Federal de Tocantins, Bolsista do

Leia mais

PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA*

PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA* PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA* MESQUITA, MM; JENDIROBA, DB; MELO-REIS, PR; SILVA, CB; DIAS-PENNA, KGB; MESQUITA, GA; DA CRUZ, AD; CHEN- CHEN, L Resumo: a anemia

Leia mais

Prevalência de talassemias e hemoglobinas variantes em pacientes com anemia não ferropênica

Prevalência de talassemias e hemoglobinas variantes em pacientes com anemia não ferropênica Wagner SC et al Rev. bras. hematol. hemoter. 2005;27(1):37-42 Artigo / Article Prevalência de talassemias e hemoglobinas variantes em pacientes com anemia não ferropênica Prevalence of thalassemias and

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

HEMOGLOBINOPATIAS: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

HEMOGLOBINOPATIAS: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA HEMOGLOBINOPATIAS: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Joze Barbosa de Oliveira 1, Profª Drª Karen Cristiane Martinez de Moraes 2 1 Universidade do Vale do Paraíba/ Graduanda no Curso de

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

CAPÍTULO 1 A DOENÇA DAS CÉLULAS FALCIFORMES

CAPÍTULO 1 A DOENÇA DAS CÉLULAS FALCIFORMES CAPÍTULO 1 1 A DOENÇA DAS CÉLULAS FALCIFORMES Fenótipos, genótipos e haplótipos A doença causada pelas células falciformes se caracteriza por um conjunto de sinais e sintomas provocados pela deformação

Leia mais

ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS

ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS MESTRANDO EM BIOLOGIA Menandes

Leia mais

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos

Vigilância em saúde para prevenção de surtos de doenças de transmissão hídrica decorrentes dos eventos climáticos extremos Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Unidade de Vigilância das Doenças de Transmissão

Leia mais

Proeritroblasto ou Proeritroblasto ou P o r n o or o m o l b a l st s o: E i r t i ro r b o l b a l st s o ou o Nor o m o l b ast s o:

Proeritroblasto ou Proeritroblasto ou P o r n o or o m o l b a l st s o: E i r t i ro r b o l b a l st s o ou o Nor o m o l b ast s o: HEMATOLOGIA DRª ISIS H. VERGNE BIOMÉDICA ERITROPOIESE Fenômeno com diversas fases, onde ocorre: Síntese de DNA Mitose Síntese de hemoglobina com incorporação de Fe Perda do núcleo e organelas Produto final:

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS CINÉTICA DO FERRO Danni Wanderson Introdução A importância do ferro em nosso organismo está ligado desde as funções imune, até as inúmeras funções fisiológicas, como

Leia mais

Pacientes com Sobrecarga de Ferro

Pacientes com Sobrecarga de Ferro Monitoramento da Terapia Quelante em Pacientes com Sobrecarga de Ferro Sandra Regina Loggetto Jornada Pernambucana de Talassemia Recife PE - 2006 Excesso de cadeias alfa Precipitados de cadeias alfa Dano

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

Hemoglobinopatia Anemia Falciforme e Talassemia

Hemoglobinopatia Anemia Falciforme e Talassemia Hemoglobinopatia Anemia Falciforme e Talassemia PDF gerado usando o pacote de ferramentas em código aberto mwlib. Veja http://code.pediapress.com/ para mais informações. PDF generated at: Sat, 11 Aug 2012

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

Claudia Bley 23/06/2012

Claudia Bley 23/06/2012 Anemias carenciais Claudia Bley 23/06/2012 Anemia: 25% da população mundial Anemias carenciais Anemias decorrentes da deficiência de ingesta de nutrientes normais da dieta que são essenciais para eritropoiese

Leia mais

1 a - vermelho = sangue oxigenado azul = sangue desoxigenado

1 a - vermelho = sangue oxigenado azul = sangue desoxigenado O que é? Capítulo 1 Sangue e Talassemia As talassemias são doenças que impedem que o corpo humano produza uma quantidade suficiente de sangue de qualidade. Nosso organismo depende do sangue para sobreviver;

Leia mais

ANEMIAS. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS Profª Carolina Garrido Zinn Palidez e fraqueza devem-se a corrupção do sangue. Hipócrates (400 a.c) O QUE É? Redução abaixo da normal da [Hb] Homens Mulheres Hb (g/dl)

Leia mais

Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3

Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3 DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA ANEMIA FALCIFORME Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3 A Anemia Falciforme é uma doença caracterizada por uma mutação

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

Médico, este é um canal de comunicação dedicado exclusivamente a você!

Médico, este é um canal de comunicação dedicado exclusivamente a você! CANAL MÉDICO Médico, este é um canal de comunicação dedicado exclusivamente a você! A equipe do canal médico do laboratório Alvaro, é formada por bioquímicos, biomédicos e médicos com grande experiência

Leia mais

ANEMIAS parte III. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS parte III. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS parte III Profª Carolina Garrido Zinn CLASSIFICAÇÃO DE ANEMIA MICROCÍTICA HIPOCRÔMICA VCM < 80 fl HCM < 27 pg Possíveis causas: Deficiência de Fe Talassemia Anemia de doença crônica (alguns casos)

Leia mais

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA Conceitos Genética / Genômica Doença genética Hereditariedade Congênito DNA / Gene / Locus / Alelo Homozigoto / Heterozigoto Cromossomos Autossomos Sexuais Dominante / Recessivo

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Escola Secundária Quinta do Marquês Mutações Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Trabalho realizado por: Bárbara Dória, nº4, 11ºB Definição de mutação As

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Diagnóstico Diferencial Das Anemias

Diagnóstico Diferencial Das Anemias 2014 2 de Maio 6ª feira Diagnóstico Diferencial Das Anemias Sessão Televoter António Pedro Machado Manuel Ferreira Gomes Tolerabilidade Anemia Bem tolerada Mal tolerada Anemia crónica Anemia aguda Crónica

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e CASO 01 - Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e muita sudoração. O médico examinou a paciente

Leia mais

Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica descompensada 10 g% 10 dias

Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica descompensada 10 g% 10 dias 18 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemias Hemolíticas Anemia Hemolítica Comparação Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica

Leia mais

Exames laboratoriais

Exames laboratoriais Exames laboratoriais BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Hemograma: Avaliação quantitativa e qualitativa dos elementos do sangue. BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Hemograma: Pode ser subdividido em 3 partes conforme

Leia mais

Análise dos haplótipos do gene da ß S -globina no Ceará

Análise dos haplótipos do gene da ß S -globina no Ceará J Bras Patol Med Lab v. 41 n. 5 p. 315-21 outubro 2005 ARTIGO ORIGINAL ORIGINAL PAPER Análise dos haplótipos do gene da ß S -globina no Ceará Analysis of ß S -globin gene haplotypes in Ceará, Brazil Primeira

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Ferro (Fe): composição corporal - estruturas (citocromos, hemoglobina e mioglobina) Após absorção (mucosa ID) transferrina ferritina

Ferro (Fe): composição corporal - estruturas (citocromos, hemoglobina e mioglobina) Após absorção (mucosa ID) transferrina ferritina Revisão Bibliográfica 4ª-feira, 26 Maio 2010 Introdução Ferro (Fe): composição corporal - estruturas (citocromos, hemoglobina e mioglobina) Após absorção (mucosa ID) transferrina ferritina Eritropoiese

Leia mais

01 - (UNIMEP RJ) 02 - (GAMA FILHO RJ) 03 - (UFPA) 04 - (UFRJ) 05 - (FUVEST SP)

01 - (UNIMEP RJ) 02 - (GAMA FILHO RJ) 03 - (UFPA) 04 - (UFRJ) 05 - (FUVEST SP) 01 - (UNIMEP RJ) Assinale a alternativa que apresenta um casal que pode ter descendentes com todos os tipos sangüíneos do sistema ABO. a) IA i x IA IB b) i i x i I c) IA IB x IA IB d) IA IA x IB i e) nenhuma

Leia mais

SÍNDROMES MIELODISPLÁSICAS. Hye, 2014

SÍNDROMES MIELODISPLÁSICAS. Hye, 2014 SÍNDROMES MIELODISPLÁSICAS Hye, 2014 DEFINIÇÃO Trata se de um grupo de diversas desordens da medula óssea que leva o indivíduo não produzir células sanguíneas saudáveis em número suficiente. SINTOMATOLOGIA

Leia mais

Investigação em doenças mendelianas: o exemplo das Hemoglobinopatias e da Hemocromatose Hereditária

Investigação em doenças mendelianas: o exemplo das Hemoglobinopatias e da Hemocromatose Hereditária Workshop O papel da Genética Humana na Saúde Pública INSA, 8 de Outubro de 2012 Investigação em doenças mendelianas: o exemplo das Hemoglobinopatias e da Hemocromatose Hereditária Paula Faustino Unidade

Leia mais

Protocolo. Transplante de células-tronco hematopoiéticas nas hemoglobinopatias

Protocolo. Transplante de células-tronco hematopoiéticas nas hemoglobinopatias Protocolo Transplante de células-tronco hematopoiéticas nas hemoglobinopatias Versão eletrônica atualizada em Abril 2012 Embora a sobrevida dos pacientes com talassemia major e anemia falciforme (AF) tenha

Leia mais

Primeira Lei de Mendel e Heredograma

Primeira Lei de Mendel e Heredograma Primeira Lei de Mendel e Heredograma 1. (UFC-2006) Leia o texto a seguir. A Doença de Alzheimer (D.A.) (...) é uma afecção neurodegenerativa progressiva e irreversível, que acarreta perda de memória e

Leia mais

Estudo de microcitose numa população jovem adulta assintomática

Estudo de microcitose numa população jovem adulta assintomática 508 estudosoriginais Estudo de microcitose numa população jovem adulta assintomática Manuela Rebordão,* Manuel Silva** RE SU MO Objectivo: Quantificar e identificar as causas de microcitose de uma população

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM DEBORA MARIA DA SILVA SOUZA INCIDÊNCIA DE HEMOGLOBINAS VARIANTES EM RECÉM- NASCIDOS DE HOSPITAL PRIVADO DE RECIFE-PE

FACULDADE BOA VIAGEM DEBORA MARIA DA SILVA SOUZA INCIDÊNCIA DE HEMOGLOBINAS VARIANTES EM RECÉM- NASCIDOS DE HOSPITAL PRIVADO DE RECIFE-PE FACULDADE BOA VIAGEM DEBORA MARIA DA SILVA SOUZA INCIDÊNCIA DE HEMOGLOBINAS VARIANTES EM RECÉM- NASCIDOS DE HOSPITAL PRIVADO DE RECIFE-PE RECIFE 2013 DEBORA MARIA DA SILVA SOUZA INCIDÊNCIA DE HEMOGLOBINAS

Leia mais

Genética Monoibridismo e Alelos Múltiplos

Genética Monoibridismo e Alelos Múltiplos Genética Monoibridismo e Alelos Múltiplos Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Hibridação Definição: O cruzamento entre indivíduos homozigotos que apresentam

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

ANEMIAS CARENCIAIS NO BRASIL: ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL

ANEMIAS CARENCIAIS NO BRASIL: ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL ANEMIAS CARENCIAIS NO BRASIL: ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL Dra. Karlla Greick Batista Dias Penna PUC-Goiás Departamento de Biomedicina karllagreick@gmail.com Etimologia Anemia: an = prefixo de negação haima

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

MA003. Página 1 de 11. Responsável. Revisão A de 21/01/2015. Cantú & Stange Software. Página

MA003. Página 1 de 11. Responsável. Revisão A de 21/01/2015. Cantú & Stange Software. Página Manual de instalação de NF-e Zada MA003 Responsável Revisão A de 21/01/2015 FL Página 01 de 11 Página 1 de 11 MA003 Revisão A de 21/01/2015 Responsável: FL Manual de instalação de NF-e Zada MANUAL DE INSTALAÇÃO

Leia mais

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO COM BASE NA LEI Nº 11738 DO PISO NACIONAL NA SUA FORMA ORIGINAL

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 57ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL PNE * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM DESENVOLVIMENTO EM ERP

Leia mais