ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab"

Transcrição

1 ANEMIAS HEMOLÍTICAS Hye, 2013

2 Anemias Hemolíticas Destruição acelerada de eritrócitos; Podem ser destruídas na medula óssea, no sangue periférico ou pelo baço;

3 drjeffchandler.blogspot.com ANEMIA HEMOLÍTICA

4 ahdc.vet.cornell.edu

5 ALTERAÇÕES DE MEMBRANA

6 ESFEROCITOSE

7 DEFICIÊNCIA ENZIMÁTICA

8 Adaptação a áreas endêmicas de Plasmodiumsp Talassemias; Hemoglobinopatias; Deficiência de G6PD.

9 Talassemias Quaisquer alterações que reduzam a taxa de síntese de cadeias globínicas que constituem a hemoglobina; São as mais relevantes: - Beta talassemias; - Alfa talassemias.

10 Hemoglobina

11

12 Beta talassemias Thalassa = mar; Heme = sangue; Pessoas da região mediterrânea; Cooley, Detroit;

13 Manifestações Estigma talassêmico: microcitose s/anemia; Beta talassemia minor: anemia microcítica e hipocrômica com hemoglobina 10 g/dl; Beta talassemia intermedia < 10 g/dl e > 7,0 g/dl; Beta talassemia major 7,0 g/dl.

14 Cromossoma 11

15 Eletroforese de Hemoglobina i96.photobucket.com/.../celluloseacetate.jpg APUD

16 sickle.bwh.harvard.edu/alpha_two.gif

17 sickle.bwh.harvard.edu/betalocus.jpg

18 sickle.bwh.harvard.edu/alpha_two.gif

19 sickle.bwh.harvard.edu/alpha_two.gif

20 Distribuição geográfica da HbH

21 Exames utilizados no diagnostico da alfa talassemia Hemograma: VCM discretamente reduzido; Pesquisa de Hb H; Eletroforese em ph alcalino, neutro; Identificacao de variantes moleculares;

22

23 Deficiência de G6PD

24

25 Determinação da acurácia do método qualitativo da medida da atividade da glicose-6-fosfato desidrogenase Figura 1. Distribuição dos valores da atividade de G6PD (U/gHb) de 173 pacientes do HCPA com icterícia a esclarecer Giovelli, GL Rev. bras. hematol. hemoter. 2007;29(4):

26

27 Classificação OMS para deficiência de G6PD Class e Nível de deficiência Atividade enzimática I severa indivíduos com deficiência severa e anemia hemolítica não esferocítica crônica prevalencia incomum II severa < 10% da referência Variavel, mais encotnrada nos mediterraneos e asiáticos III moderada 10% a 60% da referência Mais encontrada em africanos IV Discreta ou ausente >60% a 150% da referência rara V ausente > 150% da referência rara Am Fam Physician Oct 1;72(7): mod

28 Deficiência de G6PD G6PD nediterrâneo G6PD A- Classe OMS II III Populações afetadas Hiperbilirrubinemia neonatal Descendentes de italianos, gregos, arabes e judeus Sim, severo Descendentes de africanos sim favismo + comum - comum Hemólise com drogas oxidativa sim sim Am Fam Physician Oct 1;72(7): mod

29 Deficiência de G6PD Sintomas: Dor nas costas; Dor abdominal; Esplenomegalia transitória; Icterícia; Hemoglobinúria.

30 Deficiência de G6PD Exame laboratorial Eritrograma Contagem de reticulócitos lâmina haptoglobina bilirrubinas Teste de Coombs Episodio agudo Anemia moderada a severa Aumentado por 4 a 7 dias após o episódio Corpúsculos de Heinz reduzida Indireta aumentada negativa

31 Deficiência de G6PD Investigação laboratorial: Hemograma; Contagem de reticulócitos; Bilirrubinas; Pesquisa de corpúsculos de Heinz positivas; Teste de Coombs negativa.

32 METAHEMOGLOBINA

33 Hemoglobinopatias Hemoglobinopatias alteração na sequencia de aminoácidos; Talassemias alteração na quantidade de hemoglobina produzida;

34 Hemoglobinopatias Sickle cell disease Sickle cell trait Hemoglobin C disease Hemoglobin C trait Hemoglobin D disease Hemoglobin E disease Hemoglobin S-b thalassemia Hemoglobin C-b thalassemia Hemoglobin E-b thalassemia Hemoglobin S-a thalassemia

35 Hemoglobina S course1.winona.edu/sberg/illust/sickle.gif

36 Teste de solubilidade

37 Eletroforese de Hemoglobina

38 ANEMIA HEMOLÍTICA POR MECANISMOS IMUNES

39 ANEMIA HEMOLÍTICA mecanismos imunes

40 Aglutinação

41 Aglutinação

42 Antígenos Eritrocitários Sistema ABO oportaldomundobiologico.blogspot.com

43 Doença Hemolítica do Recém-nascido

44 Doença Hemolítica do Recém-nascido immunotrends.blogspot.com

45

46 CoombsDireto newborns.stanford.edu

47 CoombsIndireto newborns.stanford.edu

48 Mecanismo do Hapteno

49 Hemoglobinúria Paroxística Noturna

50 histórico Gull, epiósidos de hemoglobinuria noturna e paroxística de natureza intermitente em um adolescente; Strubbing-1882, diferenciou da hemoglobinúria de marcha e da anemia hemolítica a frio; Van den Burg- 1911, lise em soro acidificado, complemento;

51 Histórico Enneking- 1928, hemoglobinuria paroxística noturna ; Marchiafava e Michel , hemosiderinemia; HAM , papel do complemento, teste de HAM ; Davitz- 1886, defeito na ancoragem de proteínas; Hall e Rosse- 1996, citometria de fluxo.

52 Hemólise intra e extravascular, classicamente à noite; Tem origem clonal. Testes laboratoriais para investigação da HPN: Teste de Ham; Teste de lise em acúcar; - CD 59. Deficit de proteínas associadas a glicosil fosfatidil inositol (GPI) da membrana eritrocitária

53 Pontes de GPI

54 Pontes GPI Na membrana eritrocitária, diversas proteínas estão ligadas à membrana via pontes de fosfatidil inositol ancoradas em diacilgliceróis; O gene PIG-A, situado no cromossomo X, codifica a síntese destas pontes. O comprometimento desta produção pode ter múltiplas causas. Um dos elementos cuja ancoragem está comprometida é o fator de aceleração do decaimento que atua na inativação do complemento e por consequencia a lise celular.

55

CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA

CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA CITOLOGIA DA TALASSEMIA ALFA Foto 1: Talassemia Alfa Mínima em sangue periférico corado com azul de crezil brilhante. Comentários: A investigação laboratorial da talassemia alfa mínima se faz por meio

Leia mais

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia 8 º período AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS Anemias causadas por um aumento da destruição dos eritrócitos em relação à produção. Rompe-se o equilíbrio entre a produção

Leia mais

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE 1 CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 2 SANGUE 3 4 5 6 7 PATOLOGIA DO GLÓBULO RUBRO ANEMIAS POLICITEMIAS Valores de referência Hemoglobina g/dl recém-nascido

Leia mais

Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos

Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos Prevalência de hemoglobinopatias e talassemias em pacientes com anemia na cidade de São Carlos Ana Paula Rodrigues RESUMO Com o objetivo de estabelecer a freqüência de hemoglobinas variantes e β-talassemias

Leia mais

Interpretação do Hemograma

Interpretação do Hemograma Interpretação do Hemograma MD 758 Prof. Erich de Paula O Hemograma completo Permite avaliação indireta da hematopoiese 1 O hemograma normal Hemograma Principais parâmetros Concentração de Hb (g/dl) - Confirmação

Leia mais

Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica descompensada 10 g% 10 dias

Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica descompensada 10 g% 10 dias 18 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemias Hemolíticas Anemia Hemolítica Comparação Normal Hb Meia-vida eritrocitária Normal 16,7g% 120 dias A. hemolítica compensada 16,7 g% 20 dias A. hemolítica

Leia mais

CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF

CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF CASUÍSTICA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA POPULAÇÃO DO HFF Serviço Patologia Clínica 21 de Maio 2015 Elzara Aliyeva Sónia Faria OBJECTIVO Efectuar um estudo casuístico das hemoglobinopatias na população da área

Leia mais

ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP

ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP ATLAS CITOLÓGICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE CITOLOGIA CLÍNICA E LABORATORIAL DA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP Tema Citológico : Diagnóstico laboratorial diferencial entre anemia

Leia mais

HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro

HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro HEMOGRAMA Profª. Francis Fregonesi Brinholi fbrinholi@hotmail.com. Hb = 0,8 g/dl Microcítica VCM < 78fL VCM:? Dosagem de ferritina Baixa Normal Alta Microcítica VCM < 78fL Normocítica VCM: 78-98fL Macrocítica

Leia mais

ANEMIAS parte III. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS parte III. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS parte III Profª Carolina Garrido Zinn CLASSIFICAÇÃO DE ANEMIA MICROCÍTICA HIPOCRÔMICA VCM < 80 fl HCM < 27 pg Possíveis causas: Deficiência de Fe Talassemia Anemia de doença crônica (alguns casos)

Leia mais

Alterações congénitas da formação da hemoglobina:

Alterações congénitas da formação da hemoglobina: ANEMIAS CAUSADAS POR DEFEITOS GENÉTICOS DA HEMOGLOBINA Alterações congénitas da formação da hemoglobina: TALASSEMIAS há uma síntese desequilibrada das cadeias globínicas HEMOGLOBINOPATIAS por alteração

Leia mais

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO ANEMIAS OBSTETRÍCIA A anemia é definida como síndrome caracterizada por diminuição de massa eritrocitária total. Laboratorialmente, definimos anemia como hemoglobina menor que 12 g/dl em mulheres ou 13

Leia mais

ANEMIAS parte IV. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS parte IV. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS parte IV Profª Carolina Garrido Zinn Hemoglobinopatias Doenças hereditárias causadas por diminuição ou anomalia da síntese de globina Afetam cerca de 7% da população mundial Hemoglobina Proteína

Leia mais

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal 1º Congresso Médico de Guarulhos Práticas Clínicas no SUS 5 a 7 novembro de 2015 Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal Dra Christiane M. S. Pinto Hematologista Pediatrica HMCA Guarulhos

Leia mais

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma.

O estudo laboratorial da série vermelha é composto de vários testes que serão comentados a seguir. Ele é chamado de eritrograma. Introdução O hemograma pode ser entendido como o exame do sangue periférico que permite fazer avaliação da série vermelha, série branca (leucócitos), e das plaquetas. Grosso modo, o sangue pode ser conceituado

Leia mais

Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.

Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com. Anemias hemolíticas: Hemoglobinopatias Enzimopatias Anomalias de membrana Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Anemia hemolítica Anemia regenerativa ou hemolítica Causa

Leia mais

Outras anemias hemolíticas

Outras anemias hemolíticas Outras anemias hemolíticas Dr. Márcio Hori Médico Hematologista COI Hemoglobina Ligação de oxigênio à Hb para transporte no corpo Transporte na hemácias para preservar a Hb por 120 dias Estrutura: Tetrâmero

Leia mais

TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA

TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA TÍTULO: DIFICULDADES PARA O DIAGNÓSTICO DA TALASSEMIA BETA INTERMEDIÁRIA EM RELAÇÃO A ANEMIA FERROPRIVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica. 11 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemia Abordagem Diagnóstica Definição É a redução, abaixo do normal, da concentração de hemoglobina circulante total. A anemia não é um diagnóstico de

Leia mais

Descrição do esfregaço

Descrição do esfregaço Descrição do esfregaço Série vermelha: microcitose e hipocromia acentuadas com hemácias em alvo. Policromasia discreta. Série branca: sem anormalidades morfológicas Série plaquetária: sem anormalidades

Leia mais

TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS

TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS TALASSEMIAS: UMA ANÁLISE AMPLA E CORRELAÇÕES CLÍNICAS Antonio Jose Dias Martins, Rassan Dyego Romão Silva e Bruna Rezende Faculdade Alfredo Nasser Aparecida de Goiânia GO Brasil antoniojdm35@hotmail.coml

Leia mais

Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico. Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica

Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico. Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica Síndromes talassêmicas: epidemiologia e diagnóstico Sandra Regina Loggetto Mestre em Pediatria, área de Hematologia Pediátrica O que são talassemias? Grego: Thalassa (mar) + Haema (sangue) = Talassemia

Leia mais

DHPN e Anemia autoimune. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br

DHPN e Anemia autoimune. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br DHPN e Anemia autoimune Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br DHRN Anemia hemolítica ocasionada pela incompatibilidade sanguínea materno-fetal pela presença de anticorpos

Leia mais

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias O que é hemoglobina É a proteína do sangue responsável em carregar o oxigênio para os tecidos Qual é a hemoglobina normal? FA recém-nascido AA

Leia mais

Curso de Práticas Hematológicas EBH Fortaleza 2011. Anemias Hemolíticas. Paulo Augusto Achucarro Silveira HIAE

Curso de Práticas Hematológicas EBH Fortaleza 2011. Anemias Hemolíticas. Paulo Augusto Achucarro Silveira HIAE Curso de Práticas Hematológicas EBH Fortaleza 2011 Anemias Hemolíticas Paulo Augusto Achucarro Silveira HIAE Hemólise O que fazer? Reconhecer a hemólise Investigar a causa Instituir o tratamento Principais

Leia mais

VI Board Review 2012 Curso de Revisão em Hematologia e. Anemias hemolíticas. Paulo Augusto Achucarro Silveira Médico Hematologista-HIAE

VI Board Review 2012 Curso de Revisão em Hematologia e. Anemias hemolíticas. Paulo Augusto Achucarro Silveira Médico Hematologista-HIAE VI Board Review 2012 Curso de Revisão em Hematologia e Hemoterapia Anemias hemolíticas Paulo Augusto Achucarro Silveira Médico Hematologista-HIAE Principais causas de anemia 9% Outras 17,5% Hemólise 29%

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaboradora Texto Introdutório TESTES IMUNO-HEMATOLÓGICOS E TRANSFUSÃO EM ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO-IMUNE A FRIO Margarida de Oliveira Pinho. Bióloga, Responsável pelo Laboratório de Imunohematologia

Leia mais

17/03/2011. Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br

17/03/2011. Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br São doenças causadas pela proliferação descontrolada de células hematológicas malignas ou incapacidade da medula

Leia mais

Exames laboratoriais

Exames laboratoriais Exames laboratoriais BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Hemograma: Avaliação quantitativa e qualitativa dos elementos do sangue. BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Hemograma: Pode ser subdividido em 3 partes conforme

Leia mais

RESUMO EXPANDIDO - VIII Seminário de Pós-Graduação da UFG

RESUMO EXPANDIDO - VIII Seminário de Pós-Graduação da UFG RESUMO EXPANDIDO - VIII Seminário de Pós-Graduação da UFG ESTUDO GENÉTICO-POPULACIONAL DE HEMOGLOBINOPATIAS EM DOADORES DE SANGUE E NA POPULAÇÃO GERAL DE GOÂNIA E BONFINÓPOLIS-GOIÁS/BRASIL PACHECO,Ildefonso

Leia mais

Principais Temas da Aula. Bibliografia. Definição de anemia

Principais Temas da Aula. Bibliografia. Definição de anemia Desgravadas do 4º Ano 2007/08 Disciplina: Medicina Laboratorial Medicina I Tema da Aula: Anemias Autor(es): Pedro Costa e Pedro Branco Equipa Correctora: Carolina Vasconcelos Nota da Equipa Correctora:

Leia mais

Talassemias. Márcio Hori

Talassemias. Márcio Hori Talassemias Márcio Hori Introdução Redução ou ausência de cadeias de globina na hemoglobina 1 par de genes de cadeias β (1 gene β no cromossomo 11) β 0 síntese de cadeias β ausente β + síntese de cadeias

Leia mais

Caderno de Prova. Hematologia e Hemoterapia. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente.

Caderno de Prova. Hematologia e Hemoterapia. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente Edital 02/2008 Caderno de Prova P6 Hematologia e Hemoterapia Dia: 16 de novembro de 2008 Horário: das 14 às 16 h Duração:

Leia mais

Doença de Células Falciformes

Doença de Células Falciformes Doença de Células Falciformes Pedro P. A. Santos Médico Oncologista - Hematologista Setor de Oncologia e Hematologia Hospital da Criança Conceição Porto Alegre RS Setembro 2015 Doença Falciforme Breve

Leia mais

Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de

Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de Hemoglobinopatias e Talassemias Profa. Dra. Claudia Regina Bonini Domingos Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas Departamento de Biologia Instituto de Biociências, Letras e Ciências

Leia mais

Pa P t a ri r c i i c a i a M o M u o ra r Hemorio

Pa P t a ri r c i i c a i a M o M u o ra r Hemorio Patricia Moura Hemorio MECANISMOS BÁSICOS DE ANEMIA 1- Falta de produção 2-Excesso de destruição 3-Perdas hemorrágicas 1-Falta de produção de eritrócitos Falta de tecido eritropoiético Invasão de medula

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA ANEMIA FALCIFORME CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

CAPÍTULO 1 A DOENÇA DAS CÉLULAS FALCIFORMES

CAPÍTULO 1 A DOENÇA DAS CÉLULAS FALCIFORMES CAPÍTULO 1 1 A DOENÇA DAS CÉLULAS FALCIFORMES Fenótipos, genótipos e haplótipos A doença causada pelas células falciformes se caracteriza por um conjunto de sinais e sintomas provocados pela deformação

Leia mais

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Escola Secundária Quinta do Marquês Mutações Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Trabalho realizado por: Bárbara Dória, nº4, 11ºB Definição de mutação As

Leia mais

Índice HEMATOLOGIA NA PRÁTICA CLÍNICA

Índice HEMATOLOGIA NA PRÁTICA CLÍNICA Índice HEMATOLOGIA NA PRÁTICA CLÍNICA PARTE I - PRINCÍPIOS BÁSICOS DE HEMATOLOGIA CAPÍTULO 1 - Introdução à Hematologia e Procedimentos Básicos de Laboratório, 3 Introdução à Hematologia, 4 O Microscópio,

Leia mais

Exames hematológicos. Hemograma. Hemograma. 1 a - Hemograma, reticulócitos e VHS - Princípio e interpretação - Discussão de laudos 2 a - Hemostasia

Exames hematológicos. Hemograma. Hemograma. 1 a - Hemograma, reticulócitos e VHS - Princípio e interpretação - Discussão de laudos 2 a - Hemostasia 2015 Exames hematológicos EXAMES HEMATOLÓGICOS Prof José Wander Breganó Dpto PALD- CCS Lab. Hematologia - LAC wbregano@gmail.com 1 a -, reticulócitos e VHS - Princípio e interpretação - Discussão de laudos

Leia mais

Avaliação laboratorial do paciente com pancitopenia. Dr. Edgar Gil Rizzatti Fleury Medicina e Saúde

Avaliação laboratorial do paciente com pancitopenia. Dr. Edgar Gil Rizzatti Fleury Medicina e Saúde Avaliação laboratorial do paciente com pancitopenia Dr. Edgar Gil Rizzatti Fleury Medicina e Saúde Pancitopenia: definição Pancitopenia Anemia Leucopenia Plaquetopenia Pancitopenia: abordagem clínica Pancitopenia:

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS CINÉTICA DO FERRO Danni Wanderson Introdução A importância do ferro em nosso organismo está ligado desde as funções imune, até as inúmeras funções fisiológicas, como

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA)

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA) HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - ANEMIA HEMOLÍTICA HEREDITÁRIA III - TALASSEMIA EDIÇÃO REVISADA 02/2004 Anemia Hemolítica Hereditária III (TALASSEMIA)

Leia mais

Glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos)

Glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) Doença Falciforme Glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) Fonte: BESSIS, M. - Corpuscules - essai sur la forme des globules rouges de l homme springer international - 1976 Hemoglobina Função: Captar

Leia mais

! Ministrador: Prof. Almir Feitosa!

! Ministrador: Prof. Almir Feitosa! Ministrador: Prof. Almir Feitosa Transcrição e ilustrações realizadas pela Dra ROSANA DE SOUZA e cedidas como colaboração ao acervo do P.O.A. ODONTOLOGIA HOSPITALAR Hemograma No nosso sangue circulam três

Leia mais

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e CASO 01 - Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e muita sudoração. O médico examinou a paciente

Leia mais

Sempre que os valores do eritrograma estão abaixo dos normais para o laboratório fala-se de ANEMIA.

Sempre que os valores do eritrograma estão abaixo dos normais para o laboratório fala-se de ANEMIA. Sempre que os valores do eritrograma estão abaixo dos normais para o laboratório fala-se de. Valores mais utilizados: - Hemoglobina - Hematócrito PARÂMETRO HOMEM MULHER Hemoglobina (g/dl) 13,0-18,0 11,5-16,5

Leia mais

Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior

Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior Belinda Pinto Simões Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP Beta talassemia major Doença genética resultando em redução ou ausência da síntese da cadeia

Leia mais

Neonatologia. Neonatologia ICTERÍCIA NEONATAL E SUAS REPERCUSSÕES. Hiperbilirrubinemia

Neonatologia. Neonatologia ICTERÍCIA NEONATAL E SUAS REPERCUSSÕES. Hiperbilirrubinemia Neonatologia Dr Alexandre Netto Formado Pela Universidade de Mogi das Cruzes 2005 Residencia de Pediatria e Neonatologia pela Santa Casa SP 2006 2008 Especialista em Pediatria e Neonatologia pela SBP.

Leia mais

Normocítica, normocrómica VGM 80-95 fl CHGM > 30 g/dl. Deficiências múltiplas. Falha medular (pósquimioterapia, por carcinoma,..

Normocítica, normocrómica VGM 80-95 fl CHGM > 30 g/dl. Deficiências múltiplas. Falha medular (pósquimioterapia, por carcinoma,.. Patologia de eritrócito PATOLOGIA DO ERITRÓCITO - ANEMIAS: Quadro resumo Microcítica, hipocrómica VGM < 80 fl CHGM < 30 g/dl Deficiência de ferro Talassemia Anemia das doenças crónicas (alg. casos) Envenenamento

Leia mais

2 ANEMIAS CARÊNCIAIS 2.1 Anemia Ferropriva

2 ANEMIAS CARÊNCIAIS 2.1 Anemia Ferropriva 3 INTRODUÇÃO A anemia é a manifestação de um processo patológico subjacente. Existem três mecanismos para o aparecimento de uma anemia: produção deficiente de hemácias, hemólise e sangramentos. (LEÃO.

Leia mais

Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial

Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Pediatria Anemia hipocrômica microcítica Diagnóstico diferencial Fernanda C. Costa Fernanda M. de Andrade Jamima Tamandaré Pedro Teixeira Orientação:

Leia mais

ANEMIAS CLASSIFICAÇÃO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

ANEMIAS CLASSIFICAÇÃO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL ANEMIAS CLASSIFICAÇÃO E DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL Paulo Cesar Naoum Professor Titular pela UNESP Diretor da Academia de Ciência e Tecnologia de São José do Rio Preto Introdução As anemias obedecem a um padrão

Leia mais

MEGACARIÓCITO partes de seu citoplasma dão origem às plaquetas, responsáveis pela coagulação sanguínea.

MEGACARIÓCITO partes de seu citoplasma dão origem às plaquetas, responsáveis pela coagulação sanguínea. Introdução Hematologia é o ramo da biologia que estuda o sangue. A palavra é composta pelos radicais gregos: Haima (de haimatos), "sangue" e lógos, "estudo, tratado, discurso". A Hematologia estuda, particularmente,

Leia mais

Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3

Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3 DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA ANEMIA FALCIFORME Kerlem Divina Alves Nogueira 1, Willy Deivson Leandro da Silva 2, Sabrina Guimarães Paiva 3 A Anemia Falciforme é uma doença caracterizada por uma mutação

Leia mais

Tema: Anemias na Infância

Tema: Anemias na Infância ANEMIAS NA INFÂNCIA Tema: Anemias na Infância Objetivos Conceituar e classificar as anemias da infância Correlacionar o aparecimento das sindromes anêmicas com as fases da infância e adolescência Identificar

Leia mais

ANEMIAS. Profª Carolina Garrido Zinn

ANEMIAS. Profª Carolina Garrido Zinn ANEMIAS Profª Carolina Garrido Zinn Palidez e fraqueza devem-se a corrupção do sangue. Hipócrates (400 a.c) O QUE É? Redução abaixo da normal da [Hb] Homens Mulheres Hb (g/dl)

Leia mais

PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013

PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013 PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013 HEMOGLOBINAS NORMAIS MOLÉCULA DA HEMOGLOBINA HUMANA NORMAL Hb A AS HEMOGLOBINAS HUMANAS SÀO COMPOSTAS POR QUATRO CADEIAS DE AMINOÁCIDOS CONHECIDAS POR GLOBINAS E INSERIDO EM

Leia mais

γ A γ δ β α2 α1 G γ δ β γ γ α α α α β β Mitocôndria Glicina + B6 + Succinil-CoA Heme Porfobilinogênio δ- ALA Protoporfirina Coproporfirinogênio

γ A γ δ β α2 α1 G γ δ β γ γ α α α α β β Mitocôndria Glicina + B6 + Succinil-CoA Heme Porfobilinogênio δ- ALA Protoporfirina Coproporfirinogênio Hemoglobina Hemoglobina A hemoglobina é uma molécula tetramérica composta de 2 pares de cadeias globínicas, cada uma delas ligada a um grupamento heme. O adulto normal apresenta três hemoglobinas diferentes:

Leia mais

PATOFISIOLOGIA DOS ERITRÓCITOS (ANEMIAS) Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC

PATOFISIOLOGIA DOS ERITRÓCITOS (ANEMIAS) Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC PATOFISIOLOGIA DOS ERITRÓCITOS (ANEMIAS) Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC ANEMIA: Conceitos Hb < 12 g/dl ( ) e Hb < 13 g/dl ( ) ou diminuição do número de hemácias ANISOCITOSE (VCM = 80

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 1 Danrley. Fundamentação Teórica: Icterícia neonatal

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 1 Danrley. Fundamentação Teórica: Icterícia neonatal CASO COMPLEXO 1 Danrley : Cecilia Maria Draque A icterícia constitui-se em um dos problemas mais frequentes do período neonatal e corresponde à expressão clínica da hiperbilirrubinemia, que é definida

Leia mais

ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS

ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE HEMOGLOBINOPATIAS NA CIDADE DE BOM JARDIM DE GOIÁS MESTRANDO EM BIOLOGIA Menandes

Leia mais

Proeritroblasto ou Proeritroblasto ou P o r n o or o m o l b a l st s o: E i r t i ro r b o l b a l st s o ou o Nor o m o l b ast s o:

Proeritroblasto ou Proeritroblasto ou P o r n o or o m o l b a l st s o: E i r t i ro r b o l b a l st s o ou o Nor o m o l b ast s o: HEMATOLOGIA DRª ISIS H. VERGNE BIOMÉDICA ERITROPOIESE Fenômeno com diversas fases, onde ocorre: Síntese de DNA Mitose Síntese de hemoglobina com incorporação de Fe Perda do núcleo e organelas Produto final:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: HEMATOLOGISTA C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de Processos

Leia mais

Hematopoiese. Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!!

Hematopoiese. Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!! Diagnóstico diferencial das anemias em Pediatria Hematopoiese Hematopoiese Nem sempre a célula tronco hematopoiética esteve dentro do osso!!! Embrião 0-2m saco vitelino Feto 2-7 meses fígado e baço Feto

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. Triagem Neonatal FASE II HEMOGLOBINOPATIAS - TRIAGEM NEONATAL - ASPECTOS LABORATORIAIS - TESTE DO PEZINHO - incisão - preenchimento círculos

Leia mais

Anemia: generalidades... 114 Conceito e prevalência... 114 Anemia mínima... 115 Sintomas e sinais... 118 Classificação... 120

Anemia: generalidades... 114 Conceito e prevalência... 114 Anemia mínima... 115 Sintomas e sinais... 118 Classificação... 120 SUMÁRIO 1 Hemograma... 21 Introdução e filosofia de trabalho... 21 Registro e processamento de dados... 29 Coleta de material... 31 Contadores eletrônicos... 35 Microscopia... 44 Critérios para indicação

Leia mais

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada.

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada. Questão 1 Uma paciente de 35 anos é internada com história de cinco dias de cefaleia progressiva, febre e astenia. A avaliação laboratorial mostrou contagem plaquetária de 23.000/mm³, anemia com hemácias

Leia mais

Raniê Ralph Semio 2. 4 de Outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Síndromes Anêmicas

Raniê Ralph Semio 2. 4 de Outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Síndromes Anêmicas 4 de Outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Síndromes Anêmicas Interrogatório: dados importantes no interrogatório do paciente anêmico. Raça Sexo Ocupação Doenças anteriores Idade Residência Alimentação

Leia mais

QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS

QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS O QUE É VERDADEIRO E O QUE É FALSO? Questões 1 Anemia na deficiência de ferro a) Está geralmente associada com elevação do VCM. b) O HCM geralmente está diminuído.

Leia mais

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante.

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação O hemograma é um exame complementar muito importante. Doenças do sangue Anemias Doenças hemorrágicas: hemofilia, cirrosse hepática,

Leia mais

As talassemias e anemia falciforme são hemoglobinopatias que causam hemólise e são importantes.

As talassemias e anemia falciforme são hemoglobinopatias que causam hemólise e são importantes. Anemias Hemolíticas e Hemoglobinopatias As talassemias e anemia falciforme são hemoglobinopatias que causam hemólise e são importantes. Anemia hemolítica A hemocaterese corresponde à destruição no baço

Leia mais

DETERMINAÇÃO DOS GRUPOS SANGÜÍNEOS ABO

DETERMINAÇÃO DOS GRUPOS SANGÜÍNEOS ABO DETERMINAÇÃO DOS GRUPOS SANGÜÍNEOS ABO INTRODUÇÃO Foi no início do século XX que a transfusão de sangue, adquiriu bases mais científicas. Em 1900 foram descritos os grupos sanguíneos A, B e O por Landsteiner

Leia mais

Metabolismo da Bilurribina e Icterícia

Metabolismo da Bilurribina e Icterícia Metabolismo da Bilurribina e Icterícia Degradação do heme da hemoglobina (tb dos citocromos) Bilirrubina Bilirrubina conjugada Transf. bactérias UDP-Glucuronil transferase R E S Sangue F í g a d o Excreção

Leia mais

Leucemias Crônicas HEMATOLOGIA II 5/6/2010. Curso de Farmácia Prof. Christian LEUCEMIAS CRÔNICAS AGUDAS LINFÓIDES MIELÓIDES MIELÓIDES LINFÓIDES LLC

Leucemias Crônicas HEMATOLOGIA II 5/6/2010. Curso de Farmácia Prof. Christian LEUCEMIAS CRÔNICAS AGUDAS LINFÓIDES MIELÓIDES MIELÓIDES LINFÓIDES LLC HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia Prof. Christian Leucemias Crônicas LEUCEMIAS AGUDAS CRÔNICAS MIELÓIDES LINFÓIDES MIELÓIDES LINFÓIDES LMA LLA LMC LLC M0 A M7 L1, L2, L3 1 LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA (LLC)

Leia mais

Hemoglobinopatias Interpretação do teste de triagem neonatal

Hemoglobinopatias Interpretação do teste de triagem neonatal 172 REVISÕES E ENSAIOS Hemoglobinopatias Interpretação do teste de triagem neonatal Haemoglobinopathies Interpretation of neonatal screening test Hemoglobinopatías Interpretación de la prueba de tamizaje

Leia mais

PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA*

PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA* PREVALÊNCIA DE TALASSEMIA ALFA EM POPULAÇÃO COM MICROCÍTOSE E HIPOCROMIA* MESQUITA, MM; JENDIROBA, DB; MELO-REIS, PR; SILVA, CB; DIAS-PENNA, KGB; MESQUITA, GA; DA CRUZ, AD; CHEN- CHEN, L Resumo: a anemia

Leia mais

Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito do Traço Falcêmico

Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito do Traço Falcêmico MANUAL DO PACIENTE - TENHO TRAÇO FALCÊMICO.... E AGORA? EDIÇÃO REVISADA 02/2004 Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito do Traço Falcêmico Sabemos

Leia mais

TESTE DO PEZINHO. Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho:

TESTE DO PEZINHO. Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho: TESTE DO PEZINHO Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho: 1) FENILCETONÚRIA Doença causada por falta de uma substância (enzima) que transforma a fenilalanina (aminoácido) em tirosina.

Leia mais

TROMBOCITOPENIA NA GRAVIDEZ

TROMBOCITOPENIA NA GRAVIDEZ TROMBOCITOPENIA NA GRAVIDEZ Ricardo Oliveira Santiago Francisco Herlânio Costa Carvalho INTRODUÇÃO: - Trombocitopenia pode resultar de uma variedade de condições fisiológicas e patológicas na gravidez.

Leia mais

PRÓPOLIS: EFEITO NA FRAGILIDADE OSMÓTICA DA MEMBRANA ERITROCITÁRIA

PRÓPOLIS: EFEITO NA FRAGILIDADE OSMÓTICA DA MEMBRANA ERITROCITÁRIA PRÓPOLIS: EFEITO NA FRAGILIDADE OSMÓTICA DA MEMBRANA ERITROCITÁRIA Moreira L.L. 1,2, Rogão M. 3, Pereira A.P. 2, Costa B. 4, Pereira E. 2, Morais M. 2, Pombo G. 1, Estevinho L.M. 2 * 1 CHNE Centro Hospitalar

Leia mais

MANUAL INFORMATIVO DO CURSO DE EXTENSÃO À DISTÂNCIA (ON LINE)

MANUAL INFORMATIVO DO CURSO DE EXTENSÃO À DISTÂNCIA (ON LINE) MANUAL INFORMATIVO DO CURSO DE EXTENSÃO À DISTÂNCIA (ON LINE) UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO HOSPITAL DAS CLÍNICAS Qualificação Profissional em Hematologia e Imunohematologia CURSO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Leia mais

Fisiopatologia e diagnóstico da hemoglobinúria paroxística noturna

Fisiopatologia e diagnóstico da hemoglobinúria paroxística noturna Fisiopatologia e diagnóstico da hemoglobinúria paroxística noturna Anna Karla Rodrigues de Jesus Resumo A Hemoglobinúria Paroxística Noturna (HPN) é uma alteração da célula tronco hematopoètica resultante

Leia mais

ANEMIAS. Dra. Cecília V. Krebs

ANEMIAS. Dra. Cecília V. Krebs 1 ANEMIAS Dra. Cecília V. Krebs Objetivos cardíaco, para que seja ofertado aos tecidos maior quantidade de O2. Por tanto, quanto mais crônica for uma anemia, menos sintomática será, ou quando houverem,

Leia mais

Anemias. Anabela Morais. Unidade de Hematologia Pediátrica HSM

Anemias. Anabela Morais. Unidade de Hematologia Pediátrica HSM Anabela Morais Unidade de Hematologia Pediátrica HSM Lisboa, 2009 Definição Valor de hemoglobina ou do hematócrito 2 desvios-padrão abaixo da média de uma população testemunha, tendo em conta o sexo e

Leia mais

ANEMIA ESFEROCITOSE HEREDITÁRIA, UM DISTÚRBIO DA MEMBRANA DOS ERITRÓCITOS CAUSADORA DE HEMÓLISE CRÔNICA.

ANEMIA ESFEROCITOSE HEREDITÁRIA, UM DISTÚRBIO DA MEMBRANA DOS ERITRÓCITOS CAUSADORA DE HEMÓLISE CRÔNICA. ANEMIA ESFEROCITOSE HEREDITÁRIA, UM DISTÚRBIO DA MEMBRANA DOS ERITRÓCITOS CAUSADORA DE HEMÓLISE CRÔNICA. Ana Carolina Borges Monteiro¹, Daniel Henrique Dorigatti¹, Aline Gritti Rodrigues² Joyce Beira Miranda

Leia mais

Informações gerais sobre a Deficiência de Glucose-6-fosfato desidrogenase e o impacto das intervenções

Informações gerais sobre a Deficiência de Glucose-6-fosfato desidrogenase e o impacto das intervenções Version 1.1 September 2013 Informações gerais sobre a Deficiência de Glucose-6-fosfato desidrogenase e o impacto das intervenções Esse documento apresenta uma visão geral sobre a doença, sua epidemiologia

Leia mais

As proteínas que compõem a membrana eritrocitária são estruturalmente classificadas em integrais ou transmembranárias e periféricas ou

As proteínas que compõem a membrana eritrocitária são estruturalmente classificadas em integrais ou transmembranárias e periféricas ou 1 2 As proteínas que compõem a membrana eritrocitária são estruturalmente classificadas em integrais ou transmembranárias e periféricas ou extramembranárias. Essas proteínas do citoesqueleto membranário

Leia mais

Estudos de casos clínicos em hematologia, tecnologia e outras curiosidades

Estudos de casos clínicos em hematologia, tecnologia e outras curiosidades Estudos de casos clínicos em hematologia, tecnologia e outras curiosidades Slide 1: Esta é uma versão traduzida para o português da apresentação realizada por Jery Walters, biomédica com especialização

Leia mais

CONCEITO: Principais tipos de anemia:

CONCEITO: Principais tipos de anemia: CONCEITO: Diminuição do número de HEMOGLOBINA contida nos glóbulos vermelhos como resultado da falta de um ou mais nutrientes essenciais à manutenção do organismo ou defeitos anatômicos das hemácias A

Leia mais

MISSÃO Ser uma instituição de excelência técnico-científica em hemoterapia e hematologia com elevado padrão ético e compromisso com a população.

MISSÃO Ser uma instituição de excelência técnico-científica em hemoterapia e hematologia com elevado padrão ético e compromisso com a população. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. Política Nacional de Atenção Integral à pessoa com Doença Falciforme ADRIANA TORRES SÁ ENFERMEIRA HEMOCE CRATO DOENÇA FALCIFORME DOENÇA

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO

CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO CARACTERIZAÇÃO GENÉTICA E PATOLÓGICA DA TALASSEMIA MENOR UM ESTUDO DE CASO Sara de Carvalho Barros 1 Wagner dos Santos Mariano 2 1.Graduanda em Biologia na Universidade Federal de Tocantins, Bolsista do

Leia mais

O Sistema do Complemento

O Sistema do Complemento UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Programa de Pós- Graduação em Imunologia Básica e Aplicada Disciplina- Integração Imunologia Básica- Clínica O Sistema do Complemento Elyara

Leia mais

Biologia - Grupos A e B - Gabarito revisto

Biologia - Grupos A e B - Gabarito revisto revisto 1 a QUESTÃO: (2, pontos) Avaliador Revisor Em estudos com um vegetal terrestre foram utilizadas plantas jovens com genótipo mutante (M), que não apresentam a formação de uma estrutura presente

Leia mais

ICTERÍCIA NEONATAL. Reflete a adaptação neonatal ao metabolismo da bilirrubina; Incremento de BI > 0,5 mg/hora entre 4 e 8 h nas primeiras 36 h;

ICTERÍCIA NEONATAL. Reflete a adaptação neonatal ao metabolismo da bilirrubina; Incremento de BI > 0,5 mg/hora entre 4 e 8 h nas primeiras 36 h; ICTERÍCIA NEONATAL A icterícia corresponde a manifestação clínica da hiperbilirrubinemia. Tem frequência elevada no período neonatal e etiologia multifatorial. O pico da hiperbilirrubinemia indireta ocorre

Leia mais

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte:

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: QUESTÃO 01 Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: a) 10.000/mm 3 b) 5.000/mm 3 c) 20.000/mm 3 d) 100.000/mm 3 e) 30.000/mm 3 QUESTÃO

Leia mais