Subprojeto Identificação: Título do subprojeto 2. Dados do coordenador do subprojeto 3. Dados da instituição do coordenador do subprojeto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Subprojeto 11 1. Identificação: Título do subprojeto 2. Dados do coordenador do subprojeto 3. Dados da instituição do coordenador do subprojeto"

Transcrição

1 Subprojeto Identificação: Título do subprojeto: Avaliação do potencial angiogênico e elucidação das interações moleculares de células-tronco mesenquimais e células endoteliais em sistemas de co-cultivo in vitro e in vivo. País:Brasil Área do conhecimento, segundo tabela do CNPq Área:Hematologia Código: Dados do coordenador do subprojeto Nome completo: Aparecida Maria Fontes Data de nascimento: 26/11/1966 Sexo: Masculino Feminino Nacionalidade:Brasileira Endereço eletrônico: 3. Dados da instituição do coordenador do subprojeto Instituição (universidade, centro, empresa, etc): Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto Sigla:FUNDHERP Órgão (instituto, faculdade, etc): Centro Regional de Hemoterapia Unidade (departamento, laboratório, etc): Laboratório de Transferência Gênica Cargo/função: a 4. Resumo do subprojeto Resumir em, no máximo 1 página, o resumo do subprojeto. A formação de vasos sangüíneos ocorre em resposta a fatores angiogênicos por duas vias: vasculogênese e angiogênese. A vasculogênese refere-se a formação de vasos sangüíneos a partir de células progenitoras endoteliais (angioblastos), enquanto a angiogênese refere-se ao processo de formação de novos vasos por brotamento a partir de vasos pré-existentes. A princípio acreditava-se que a formação de vasos na fase adulta ocorria exclusivamente a partir de células endoteliais maduras as quais teriam o potencial de recrutar pericitos durante esse processo. Estudos recentes conduzidos por nosso grupo levou-nos a hipótese de que as células-tronco mesenquimais poderiam consistir células-tronco mais primitivas que estariam presentes nas paredes dos capilares sangüíneos dos diferentes tecidos e que seriam responsáveis pelo processo de neovascularização durante o mecanismo de reparo tecidual (Covas et al., 2008). Em paralelo, desenvolvemos protocolos in vitro de diferenciação de células endoteliais a partir de células progenitoras endoteliais (AC133) da medula óssea (BM-CE) e do sangue do cordão umbilical (UC-CE). As células progenitoras endoteliais e as células endoteliais diferenciadas (BM-CEd e UC-CEd) foram caracterizadas quanto: a) morfologia; b) perfil f fenotípico; c) perfil de expressão gênica, d) potencial de uptake de AcLDL e e) potencial vasculogênico in vitro de formação de estruturas tubulares em matrigel. Em conjunto, esses estudos permitiram avaliar in vitro o potencial vasculogênico das BM-CE e UC-CE, elucidar modificações fenotípicas ao longo do processo de diferenciação endotelial e mapear genes e fatores de transcrição envolvidos no processo de vasculogênese (Covas, com. pessoal). Dando continuidade a esses estudos a proposta do presente projeto consiste investigar as interações entre as células-tronco mesenquimais da medula óssea (BM-MSC) e veia umbilical (UV-MSC) e pericitos cerebrais (B-Per) com as células endoteliais da veia do cordão (HUVEC), bem como, com as células endoteliais diferenciadas in vitro (BM-CE ou UC-CE). Serão desenvolvidos três modelos: 1) in vitro em ensaios de co-cultivo com e sem contato com diferentes proporções dos tipos celulares: a) BM-MSC:HUVEC; b) UV -MSC:HUVEC; c) pericito:huvec; d) BM- MSC:BM-CEd; e) BM-MSC:UC-CEd; f) UV-MSC:BM-CEd; g) UV-MSC:UC-CEd; h) pericito:bm-ced e i) pericito:uc-ced e 2) in vivo em modelos de formação de vasos em matrigel após implantes sub-cutâneos em camundongos imunodeficientes e 3) modelo de avaliação do potencial vasculogênico das células endoteliais geradas em cultura após a indução da insuficiência arterial periférica por ligação da artéria femoral. No modelo in vitro será realizada a caracterização de ambos tipos celulares antes e após diferentes e em tempos de co-cultivo utilizando seis parâmetros: a) morfologia; b) perfil fenotípico; c) perfil de expressão gênica, d) potencial de uptake de AcLDL; e) potencial vasculogênico in vitro de formação de estruturas tubulares em matrigel e f) caracterização histológica por microscopia confocal nas estruturas neoformadas em matrigel utilizando marcadores mesenquimais e endoteliais. No modelo in vivo, primeiramente será realizada a modificação gênica das células-tronco mesenquimais e pericitos com marcadores fluorescentes e bioluminescentes (DsRed e Luciferase) que permitirá a avaliação dos capilares neoformados por microscopia confocal e utilizando o sistema IVIS nas estruturas formadas em matrigel. No modelo de avaliação de insuficiência arterial periférica por ligação e remoção da artéria femoral em um dos membros inferiores, em camundongos NODSCID, células endoteliais geradas em culturas com e sem 1

2 co-cultivo das células-tronco mesenquimais e pericitos serão infundidas nos camundongos e as análises histológicas processadas entre 5 e 10 dias após o procedimento cirúrgico. A compreensão dessas interações fornecerão subsídios relevantes para a elucidação dos mecanismos de angiogênese e vasculogênese em diferentes situações clínicas. Em colaboração com o grupo da Profa Dra Maria Angélica Miglino o presente projeto objetiva também isolar células-tronco mesenquimais e endoteliais do saco vitelínico de cães, por consistir o sítio original de formação dos vasos sangüíneos durante o desenvolvimento embrionário. Estudos recentes realizados por Maria Angélica permitiram mapear os sítios preferenciais do saco vitelínico, onde se situam as células endoteliais (SV-CE) e células-tronco mesenquimais (SV-CTM) (Miglino et al 2008). Assim, após o isolamento desses dois tipos celulares serão realizados ensaios de co-cultivo in vitro com e sem contato para a compreensão das interações moleculares entre SV-CTM e SV-CE utilizando os parâmetros acima descritos. O potencial vasculogênico também será avaliado em modelo de formação de vasos em matrigel após implantes sub-cutâneos de células-tronco mesenquimais com células endoteliais, em camundongos imunodeficientes. 5. Objetivos Listar os objetivos gerais e específicos do subprojeto. Objetivos Gerais: Contribuir para a formação de recursos humanos, nucleação de pessoal e integração com equipes multidisciplinares para a consolidação da linha de pesquisa em células-tronco com desenvolvimento de modelos in vitro e pré-clínicos que permitem avaliações mais adequadas sobre o potencial terapêutico das mesmas. Elucidar as interações moleculares do cross-talk entre populações celulares selecionadas por sorting para um dos marcadores de células-tronco mesenquimais (CTM) ou pericitos com células endoteliais em sistemas de co-cutivo in vitro e avaliação do potencial vasculogênico in vivo em modelos de co-infusão em matrigel, seguida da infusão sub-cutânea em camundongos imunodeficientes. Objetivos Específicos: 1- Isolar e caracterizar de populações celulares da medula óssea, veia do cordão e capilares cerebrais humanas no que diz respeito ao nível de expressão dos marcadores CD271, CD140B, 3G5, NG2, Stro-1 e CD146 para selecionar o marcador mais apropriado para realizar a clonagem celular; 2- Clonagem celular por sorting de populações celulares da medula óssea, veia do cordão e capilares cerebrais utilizando um dos marcadores previamente caracterizados; 3- Caracterização morfológica e imunofenotípica de populações celulares isoladas por sorting ; 4- Isolar e caracterizar células-tronco mesenquimais do saco vitelínico canino (csv-ctm); 5- Potencial de diferenciação das populações celulares humanas selecionadas por sorting e das CTM caninas em adipócito, osteócito e condrócito 6- Modificação Gênica de células-tronco humanas isoladas por sorting e das CTM caninas com luciferase/dsred e seleção das células positivas para DsRed por citometria de fluxo; 7- Isolamento e cultivo de células endoteliais humanas e caninas positivas para CD31 obtidas da veia do cordão humano (HUVEC) e do saco vitelínico canino (csv-ce), após a seleção por citometria de fluxo; 8- Geração ex-vivo de células endoteliais humanas a partir de células progenitoras endoteliais AC133+ isoladas da medula óssea e sangue do cordão umbilical; 9- Caracterização morfológica e fenotípica de células endoteliais/cd31 + obtidas de tecidos humanos e caninos e humanas diferenciadas ex-vivo; 10- Co-cultivo com contato e sem contato de populações celulares humanas isoladas por sorting e CTM caninas com células endoteliais; 11- Análise morfológica, imunofenotípica e de expressão gênica das populações celulares antes e após o co-cultivo com células endoteliais; 12- Avaliação do potencial angiogênico in vivo de populações celulares isoladas por sorting, antes e após o co-cultivo com células endoteliais em modelos de implantes de matrigel em camundongos NOD/SCID utilizando métodos não invasivos (Sistema IVIS); 13- Caracterização dos capilares dos implantes por microscopia confocal; 14- Avaliação do potencial angiogênico in vivo das células endoteliais após a indução da isquemia de membros inferiores, em camundongos NODSCID, 15- Análise histológica dos vasos neo-formados 5 a 10 dias após a infusão das células endoteliais por microscopia confocal. 2

3 6. Plano de trabalho Não se aplica 7. Metodologia Indicar a metodologia que será aplicada na pesquisa pretendida. 1. Isolamento, seleção e cultivo de células-tronco mesenquimais do sangue da medula óssea e da veia umbilical humana e do saco vitelínico canino. Para o isolamento das CTM da medula óssea será realizado o gradiente de ficoll para separação de células mononucleares, seguida do protocolo de aderência ao plástico, cultivo e expansão para a seleção de um população enriquecida em CTM. Para o isolamento de CTM da veia umbilical e saco vitelínico canino será utilizado o protocolo clássico de digestão por colagenase, seguida da aderência ao plástico. 2. Isolamento e cultivo de pericitos cerebrais. Será realizado o gradiente de dextran para a separação dos capilares sangüíneos, seguida da digestão com colagenase para a obtenção das células dos capilares; 3. Clonagem celular: as culturas de CTM dos diferentes tecidos serão submetidas a marcação com diferentes marcadores de CTM e pericitos para a seleção do marcador mais apropriado para a realização da clonagem celular por citometria de fluxo; 4. Modificação Gênica de MSC e pericitos com luciferase e DsRed: Após a clonagem celular, as linhagens celulares serão modificadas geneticametne com o gene da luciferase utilizando o sistema transposional que permite a inserção dos mesmos no genoma das MSC e pericitos. Após a expansão será realizada a seleção de células positivas para DsRed por citometria de fluxo; 5. Isolamento, seleção e cultivo de células endoteliais maduras. Será realizado o despreendimento das células da parede da veia umbilical e do saco vitelínico após o tratamento com colagenase. Em seguida, será realizada a seleção com anti-cd31 por citometria de fluxo. Células positivas para CD31 serão submetidas ao protocolo de aderência ao plástico, em meio específico, para a seleção de uma população homogênea de células endoteliais; 6. Geração ex-vivo de células endoteliais: Células mononucleares da medula óssea e sangue do cordão umbilical serão submetidas a seleção por anti-cd133, seguida do cultivo com um coquetel específico de citocinas para a obtenção de uma população de células endoteliais maduras portadoras de CD31; 7. Análise Morfológica: será realizada por microscopia de contraste de fase e microscopia convencional após a coloração por Leishman; 8. Co-Cultivo das CTM e pericitos com células endoteliais: será realizado o co-cultivo com e sem contato dos dois tipos celulares em placas de 6 poços. As células serão colocadas a princípio na proporção 1:1 e a análise realizada após diferentes tempos de co-cultivo (5, 10, 15 e 20 dias). Periodicamente, as células serão caracterizadas quanto o imunofenótipo e o perfil de expressão gênica para marcadores de MSC, pericitos e endoteliais; 9. Ensaios in vivo da avaliação do potencial angiogênico em camundongos NOD/SCID: MSC ou pericitos serão ressuspendidos em matrigel na presença de células endoteliais e infundidos, via sub-cutânea, em camundongos NOD/SCID; 10. Avaliação dos animais utilizando sistema IVIS: Diferentes tempos após a infusão método não invasivo de obtenção de imagens será utilizado; 11. Avaliação histológica por HE: diferentes tempos após a infusão, os animais serão sacrificados e o matrigel submetido ao procedimentro histológico, seguida da coloração por HE 12. Caracterização das estruturas histológicas por imuno-histoquímica: os tecidos serão fixados, submetidos a cortes de 8 µm e em seguida será realizada a caracterização imuno-histoquímica por microscopia confocal; 13. Lesão isquêmica seguida da infusão das células progenitoras endoteliais e endoteliais geradas exvivo: será realizada a ligação e remoção da artéria femoral em um dos membros inferiores do camundongo seguida da infusão das células endoteliais. Entre 10 a 20 dias após o procedimento cirúrgico os tecidos serão processados para histologia para a caracterização dos vasos neoformados por microscopia confocal. 8. Equipe Executora - Atividades dos pesquisadores que integram o subprojeto 3

4 Descrição detalhada do grupo proponente explicitando a qualificação dos pesquisadores. Especificar as atividades a serem desempenhadas pelos membros da equipe, informando as experiências anteriores dos mesmos em atividades de pesquisa e desenvolvimento. Nome CPF Objetivo/Justificativa da atividade Dimas Tadeu Covas Aparecida Maria Fontes Ricardo B. Silva Danilo Almeida Maristela Delgado Orellana Estudante DTI Patrícia Palma Angélica Miglino VB Avaliação semanal do andamento do projeto com a equipe do Hemocentro Ribeirão Preto Responsável pela elaboração do protocolo experimental Executará os ensaios de expressão gênica dos ensaios de cocultivo, seguida da caracterização em modelo animal Responsável pelos ensaios de co-infusão em matrigel Responsável pelo isolamento e cultivo das MSC, pericitos e endoteliais Auxiliará nos ensaios de lesão isquêmica Responsável pelo sorting por citometria Função no projeto (pesquisador ou responsável pelo Laboratório Coordenador Experiências anteriores a Pós-doc em terapia gênica bolsista Execução dos ensaios pilotos em camundongos bolsista Cultura e expansão de CTM e com ensaios animais Responsável Isolamento e pelo cultivo de MSC e laboratório de endoteliais cultura celular humanas Responsável pelo laboratório de Virgínia Picanço- Castro Danielle AR Magalhães citometria de fluxo Auxiliará nas Bolsista pósdoc discussões dos resultados Auxiliará nas análises Tec. Pesq. de expressão gênica Lab. Transf. e modificação gênica Gênica Avaliação semanal do andamento do projeto com a equipe da Fac. Medicina Veterinária e Zootecnia da USP Irina Kerkis Responsável pela elaboração do protocolo experimental com a equipe da Fac. Medicina Veterinária Coordenadora do projeto com a equipe da Fac. Medicina Veterinária e Zootecnia da USP Análise imunofenotípica por Citometria de Fluxo Modificação Gênica célulastronco Análise de expressão gênica em microarray Coordenadoras de Projeto temático, auxílios à pesquisa e auxílios viagens Titulação MD, Bacharel Mestrando Mestre Bióloga a Profa. com mestrado e doutorado na Rússia, desenvolveu no Brasil a patente Profa. Titular do Departamento de Cirurgia Dra. PcQ IV do Instituto Butantan 4

5 Daniele Santos Martins Carlos Eduardo Ambrosio dos Flávia Thomaz Verechia Pereira e Zootecnia da USP Responsável caracterização células tronco pela das Responsável pelo isolamento e cultivo das CTM e endoteliais Obtenção das células bovinas GFP+ a Pós-doc do LMMD, FZEA- USP, Pirassununga e responsável pelo Unesp Dracena da extração das células de polpa de dente Células-tronco germinativas de origem fetal canina com experiência na área de placentação em carnívoros e cultivo celular Desenvolvimento da gestação conceptos bovinos clonados e transgênicos GFP+ Jovem da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Profa. Dra. da Faculdade Estadual Paulista unidade Dracena/SP 9. Fontes de financiamento Relação dos projetos financiados nos últimos 5 anos (vigentes ou encerrados) Fonte Financiamento de Título Vigência Valor Relação com a presente solicitação 10. Contrapartida das instituições participantes Detalhar, em moeda corrente nacional, a contrapartida das instituições brasileiras e francesas participantes do subprojeto temático, na forma de: infra-estrutura, recursos financeiros, recursos humanos (horas de trabalho), materiais de consumo e diárias e passagens. Não se aplica 11. Orçamento justificado e adequado com a proposta Formulário anexo 12. Bolsas Esses recursos não poderão ultrapassar 15% do valor total solicitado para o projeto Modalidade de bolsa: (IC, ITI, DTI, AT, PDJ, BEV) Modalidade Duração Quantidade DTI 36 meses Implantação de cursos ou disciplinas de pós-graduação: Detalhar treinamento tecnológico de alto nível ou implantação de metodologias laboratoriais inovadoras 5

6 indicar horas/aula e o programa. Indicar classificação CAPES 6

Células Pluripotenciais Induzidas

Células Pluripotenciais Induzidas Células Pluripotenciais Induzidas Uma vez dominados os processos envolvidos na obtenção, cultivo, e diferenciação de CTE em células de interesse clínico, outra limitação prática deve ser levada em conta.

Leia mais

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente CÉLULA - TRONCO São células com capacidade de autorenovação,eficiente proliferação, gerando células-filhas com as mesmas características fenotípicas da célula precursora e, ainda, com habilidade de gerar

Leia mais

Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES

Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES COM CARDIOPATIA ISQUÊMICA OU VALVULAR. Autora: Carine Ghem Orientadora: Dra. Melissa

Leia mais

APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS

APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS Garantir o futuro da saúde do seu filho com Patrícia SEGURANÇA Cruz e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Considerando a necessidade de padronização da metodologia de análise, dos critérios de avaliação e do fluxo de encaminhamento da proposta institucional submetida à Chamada Pública MCTI/FINEP/CT-INFRA PROINFRA

Leia mais

I Curso de Verão em Oncologia Experimental Cursos Práticos

I Curso de Verão em Oncologia Experimental Cursos Práticos I Curso de Verão em Oncologia Experimental Cursos Práticos 1. Técnicas Experimentais para o Estudo da Expressão Gênica O curso terá como base o estudo da expressão gênica utilizando um fator de transcrição.

Leia mais

Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br

Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br ISSN 1980-3540 02.02, 25-29 (2007) www.sbg.org.br Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br O conceito básico de células-tronco Nosso organismo

Leia mais

células Vários tipos de

células Vários tipos de Células tronco Bioquímicas Maria Alice Vieira Willrich Adriana Helena Sedrez Patricia Bernardi Curso de Gestantes Unimed Brusque, 03 de setembro de 2007. O que são células tronco? Tipos de Células-Tronco

Leia mais

Plataformas para o transplante e diferenciação controlada de células estaminais

Plataformas para o transplante e diferenciação controlada de células estaminais Plataformas para o transplante e diferenciação controlada de células estaminais Lino Ferreira Departamento de Biomateriais e Terapias Baseadas em Células Estaminais Área de Biotecnologia Centro de Neurociências

Leia mais

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista:

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Biologia Questão 1 A questão da fertilização é muito discutida hoje na mídia, principalmente em programas que visam a informação para leigos interessados

Leia mais

Tipos de células-tronco:

Tipos de células-tronco: Células-tronco Profa. Dra. Patricia Pranke, PhD Professora dehematologia da Faculdade de Farmácia e da Pós-graduação em Ciências Médicas da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular Descrição do Programa do Instituto

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular Descrição do Programa do Instituto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular Descrição do Programa do Instituto A presente proposta de criação de um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular (INCTC)

Leia mais

Bem estar animal em cursos de pós-graduação: uma proposta. Marcos Macari Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal Unesp Campus de Jaboticabal

Bem estar animal em cursos de pós-graduação: uma proposta. Marcos Macari Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal Unesp Campus de Jaboticabal Bem estar animal em cursos de pós-graduação: uma proposta Marcos Macari Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal Unesp Campus de Jaboticabal Crescimento populacional - Estimativa de uma população

Leia mais

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin UPGRADE BIOLOGIA 2 Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco Prof. Diego Ceolin Desenvolvimento Embrionário Animal Divisões Divisões Cavidade (blastocele) celulares celulares Ovo Gastrulação Mórula

Leia mais

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Florianópolis, Agosto 2004 Células-tronco O que são células-tronco e o que podemos fazer com elas? Qual a relação

Leia mais

Coffee Break 10:30hs às 11:30hs Biologia Molecular do Processo de Apoptose Prof. Dr. Roberto César Pereira Lima Júnior Departamento de Fisiologia e

Coffee Break 10:30hs às 11:30hs Biologia Molecular do Processo de Apoptose Prof. Dr. Roberto César Pereira Lima Júnior Departamento de Fisiologia e II Curso Avançado em Citogenômica do Câncer - realizado pelo Laboratório de Citogenômica do Câncer da Universidade Federal do Ceará. 20 a 23 de novembro no Seara Praia Hotel em Fortaleza - Ceará. Carga

Leia mais

Pesquisa. 40 INCA Relatório Anual 2005 Pesquisa

Pesquisa. 40 INCA Relatório Anual 2005 Pesquisa Pesquisa A pesquisa no INCA compreende atividades de produção do conhecimento científico, melhoria dos procedimentos diagnósticos e terapêuticos do câncer e formação de recursos humanos em pesquisa oncológica.

Leia mais

reportagem Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro

reportagem Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro Desde a aprovação da Lei de Biossegurança, em 2005, os estudos com células-tronco têm se intensificado e

Leia mais

LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO. Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO. Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia Clínica As células estaminais

Leia mais

Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz Instituto Carlos Chagas - ICC- Fiocruz - PR

Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz Instituto Carlos Chagas - ICC- Fiocruz - PR Itamar Crispim Simpósio Temático - 01/07 e 02/07 Local: Auditório do TECPAR das 8:00 às 18:00 horas 01 de Julho Abertura e Apresentação Institucional Dr. Samuel Goldenberg Doença de Chagas: realidade e

Leia mais

Genética Aplicada (GAP) Assunto: Células-tronco, clonagem e transformação gênica

Genética Aplicada (GAP) Assunto: Células-tronco, clonagem e transformação gênica Genética Aplicada (GAP) Assunto: Células-tronco, clonagem e transformação gênica Técnico em Biotecnologia Módulo I Prof. Fábio Zanella Células-Tronco O que é? É um tipo de célula que pode: se diferenciar

Leia mais

PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS? PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS

PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS? PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS E O ESPAÇO DA ATIVIDADE FÍSICA PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS Amar é descobrir que a deficiência do próximo faz parte do perfeito mosaico

Leia mais

Adendo ao Relatório CEPID/CTC 2007

Adendo ao Relatório CEPID/CTC 2007 Adendo ao Relatório CEPID/CTC 2007 O presente adendo visa fornecer a FAPESP dados objetivos para a avaliação quanto a: (1) Organização e apoio institucional, e (2) Avaliação do impacto do financiamento

Leia mais

MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 1. Introdução Os exames de equivalência à frequência incidem sobre a aprendizagem definida para o final do 2.º ciclo do ensino básico, de acordo com o currículo

Leia mais

CONFAP- UK ACADEMIAS Fellowships, Research Mobility, and Young Investigator Awards for UK researchers in Brazil

CONFAP- UK ACADEMIAS Fellowships, Research Mobility, and Young Investigator Awards for UK researchers in Brazil 1 CONFAP- UK ACADEMIAS Fellowships, Research Mobility, and Young Investigator Awards for UK researchers in Brazil A segunda rodada será aberta no dia 15 de julho para envio de propostas e encerrará no

Leia mais

Pesquisas brasileiras sobre câncer e doenças cardíacas e cerebrais colocam o País na vanguarda da medicina mundial

Pesquisas brasileiras sobre câncer e doenças cardíacas e cerebrais colocam o País na vanguarda da medicina mundial ISTOÉ - Independente Imprimir Especial BRASIL POTÊNCIA Edição: 2095 30.Dez.09-15:00 Atualizado em 06.Fev.13-12:48 Na Dianteira Do Conhecimento Pesquisas brasileiras sobre câncer e doenças cardíacas e cerebrais

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CiPharma)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CiPharma) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CiPharma) EDITAL CIPHARMA 002/2010 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE CANDIDATOS A BOLSA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNPD DE ACORDO COM O EDITAL Nº001/2010

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 07/2014

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 07/2014 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL 07/2014 O Programa de Pós-Graduação em Biologia Experimental (PGBIOEXP) do Departamento de Medicina, Núcleo de Saúde dispõe de 1 (uma) bolsa

Leia mais

Inovação em Oncologia no Brasil. Jose Fernando Perez Diretor Presidente

Inovação em Oncologia no Brasil. Jose Fernando Perez Diretor Presidente Inovação em Oncologia no Brasil Jose Fernando Perez Diretor Presidente 1 Anticorpos Monoclonais e Peptídeos para Tratamento do Câncer Recepta Biopharma é uma empresa de biotecnologia dedicada a P&D para

Leia mais

resumos científicos Nance Beyer Nardi Departamento de Genética Universidade Federal do Rio Grande do Sul

resumos científicos Nance Beyer Nardi Departamento de Genética Universidade Federal do Rio Grande do Sul Elaboração de relatórios rios e resumos científicos Nance Beyer Nardi Departamento de Genética Universidade Federal do Rio Grande do Sul 1 - Por que escrever um relatório rio ou um resumo? 2 - O que considerar

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos Rio de Janeiro, 21-25 setembro de 2009 Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ Construções Mais Comuns

Leia mais

ANEXO II. Título <>

ANEXO II. Título <<que resuma o objetivo geral do subprojeto (Texto limitado a 150 caracteres)>> Título Sigla da Proposta Área Geográfica de Execução

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA Pinheiro, A.C ¹, Aquino, R. G. F. ¹, Pinheiro, L.G.P. ¹, Oliveira, A. L. de S. ¹, Feitosa,

Leia mais

EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES-MEC-2015

EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES-MEC-2015 EDITAL PARA PROCESSO SELETIVO BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES-MEC-2015 A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto FFCLRP da

Leia mais

para o Tratamento do Câncer

para o Tratamento do Câncer Terapias Direcionadas para o Tratamento do Câncer 1 Anticorpos Monoclonais e Peptídeos para Tratamento do Câncer Recepta Biopharma é uma empresa de biotecnologia dedicada a P&D para o desenvolvimento de

Leia mais

Placenta e Membranas Fetais. Prof. Daniela B. Hara

Placenta e Membranas Fetais. Prof. Daniela B. Hara Placenta e Membranas Fetais Prof. Daniela B. Hara 2009/2 Anexos embrionários no desenvolvimento humano Placenta e o cordão umbilical O córion O âmnio O saco vitelínico O alantóide Membranas fetais A parte

Leia mais

Com Ciência - Células-tronco: a promessa da medicina regenerativa

Com Ciência - Células-tronco: a promessa da medicina regenerativa Página 1 de 5 Editorial A esperança celular Carlos Vogt Reportagens Pesquisa brasileira em CT já apresenta resultados Em meio à discussão ética, a pesquisa avança em todo o mundo Faltam leis, sobra polêmica

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos DE E DE Elaboração de Projetos PROGRAMAÇÃO DA AULA Estrutura de projetos de inovação Avaliação de projetos de inovação DE E DE Características dos Projetos de P&D DE E DE OPORTUNIDADES Parceiros Recursos

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO EDITAL 6/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO (PNPD/CAPES) 2014 A coordenação

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Conteúdo DISPOSIÇÕES GERAIS 3 APOIO AO APRIMORAMENTO DE RECURSOS HUMANOS 4 Participação em congressos e eventos científicos

Leia mais

ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO Redes SIBRATEC Serviços Tecnológicos

ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO Redes SIBRATEC Serviços Tecnológicos ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO Redes SIBRATEC Serviços Tecnológicos Esta apresentação tem por objetivo passar a visão técnica da FINEP quando da avaliação dos projetos submetidos para financiamento na

Leia mais

Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros. CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi

Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros. CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi Fundação Hemominas Fundação Centro de Hematología e Hemoterapia de Minas Gerais Fundação Pública, de direito público

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

Protocolo de Solicitação de Uso de animais em Projetos de Pesquisa/Extensão e Pós Graduação a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) ANEXO I

Protocolo de Solicitação de Uso de animais em Projetos de Pesquisa/Extensão e Pós Graduação a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) ANEXO I Protocolo de Solicitação de Uso de animais em Projetos de Pesquisa/Extensão e Pós Graduação a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) ANEXO I 1. IDENTIFICAÇÃO Título : Nível de abrangência do projeto:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 Reconhece e regulamenta a Residência Médico- Veterinária e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CFMV, no uso da atribuição que lhe

Leia mais

Rede Nacional de Métodos Alternativos RENAMA. RENAMA: missão e desafios

Rede Nacional de Métodos Alternativos RENAMA. RENAMA: missão e desafios RENAMA: missão e desafios Sumário Primeiros Passos Visão e motivação para a criação da RENAMA Estrutura Institucional Governança Iniciativa de Ensaios Interlaboratoriais Iniciativas Recentes Chamadas Públicas

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR

CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR Plano de Aula -Desenvolvimento embrionário -Diferenciação celular -Células-tronco em diversos tecidos - Profª Juliana Schmidt

Leia mais

Linhas de Pesquisa e Subprojetos

Linhas de Pesquisa e Subprojetos Linhas de Pesquisa e Subprojetos Estudos com Células-tronco Pluripotenciais Células-tronco pluripotenciais são capazes de originar células e tecidos dos três folhetos embrionários: ectoderma, mesoderma

Leia mais

FORMULARIO DA PROPOSTA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO REGIONAL DCR/PIAUÍ

FORMULARIO DA PROPOSTA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO REGIONAL DCR/PIAUÍ FORMULARIO DA PROPOSTA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO REGIONAL DCR/PIAUÍ EDITAL N o 006/2014 FAPEPI/CNPq DADOS DO PROPONENTE/COORDENADOR (não omita ou abrevie nomes) NOME: ENDEREÇO RESIDENCIAL:

Leia mais

TERAPIA GÊNICA. Brasília DF, Julho de 2010.

TERAPIA GÊNICA. Brasília DF, Julho de 2010. Apresentação desenvolvida pelas graduandas em Ciências Farmacêuticas: Ana Carolina Macedo Lima, Ariane Mugnano Castelo Branco, Caroline Cardoso Mendes Souza, Clarisse Danielli Silva Albergaria, Jéssica

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS PARA ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASIL

PROGRAMA DE BOLSAS PARA ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASIL PROGRAMA DE BOLSAS PARA ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASIL PROGRAMA DE APOIO A ESTUDANTES DE DOUTORADO DO EXTERIOR (PAEDEX) CONVOCATÓRIA 2012 APRESENTAÇÃO O Programa

Leia mais

Mestrado (1966) Doutorado (1994) CONCEITO 4

Mestrado (1966) Doutorado (1994) CONCEITO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO ICE- DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA ORGÂNICA Mestrado (1966) Doutorado (1994) CONCEITO 4 COORDENADORA: Profa. Dra. Rosane Nora

Leia mais

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ - ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA EDITAL Nº 040/2011

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ - ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA EDITAL Nº 040/2011 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ - ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA EDITAL Nº 040/2011 1. O Reitor do CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ CESUPA, no uso de suas atribuições

Leia mais

http://efomento.cnpq.br/efomento/formularios/formulariouniv...

http://efomento.cnpq.br/efomento/formularios/formulariouniv... Formulário de Propostas - CHAMADA PÚBLICA MCTI/CNPQ/CAPES/FAPS Nº 16/2014 - PROGRAMA INCT Instruções Instruções Gerais O presente formulário deverá conter todas as informações relevantes necessárias para

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA

PROGRAMA DA DISCIPLINA EMENTA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Enfermagem Disciplina: Embriologia Humana Carga Horária: 45 h Teórica: 30 h Prática: 15 h Semestre: 2013.1 Professores: Albuquerque da Silva Obrigatória:

Leia mais

Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular Universidade Estadual de Campinas

Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular Universidade Estadual de Campinas Pós-Graduação em Genética e Biologia Molecular Universidade Estadual de Campinas Avaliação Triênio 2004-2006 Prof. Marcelo Menossi Teixeira coordgbm@unicamp.br Processo de avaliação Anualmente cada PPG

Leia mais

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS 4 13 Proc: PROTOCOLO Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS FASE I FASE II SOLICITANTE (Pesquisador responsável ou Coordenador da Equipe - não omita nem abrevie nomes) CÓDIGO

Leia mais

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 Estabelece estratégia de qualificação e ampliação do acesso aos transplantes de órgãos sólidos e de medula óssea, por meio da criação de novos procedimentos e de

Leia mais

DISCIPLINA DE PATOLOGIA GERAL REPARO TECIDUAL. Regeneração, cicatrização e fibrose. http://lucinei.wikispaces.com

DISCIPLINA DE PATOLOGIA GERAL REPARO TECIDUAL. Regeneração, cicatrização e fibrose. http://lucinei.wikispaces.com DISCIPLINA DE PATOLOGIA GERAL REPARO TECIDUAL Regeneração, cicatrização e fibrose http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 Reparação Tecidual "Processo de reposição do tecido

Leia mais

SEQÜENCIAMENTO ENCIAMENTO DE DNA: MÉTODOS E PRINCÍPIOS

SEQÜENCIAMENTO ENCIAMENTO DE DNA: MÉTODOS E PRINCÍPIOS SEQÜENCIAMENTO ENCIAMENTO DE DNA: MÉTODOS E PRINCÍPIOS PIOS Cristiane Kioko Shimabukuro Dias Pós-doutorado - FAPESP E-mail: crisdias@ibb.unesp.br Laboratório de Biologia e Genética de Peixes - Departamento

Leia mais

INFORME UVV-ES Nº43 10-16/02 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional

INFORME UVV-ES Nº43 10-16/02 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional UVV POST Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional PRÉ-INSCRIÇÃO PARA CURSOS GRATUITOS Faça sua pré-inscrição para os cursos de Bartender, de Recepcionista

Leia mais

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo Aula - Terapia Gênica Unidade Curricular: Cultura de Células Animais Prof. Me. Leandro Parussolo O que é? O que não é? O que será? 1990 (EUA) - Primeiro protocolo clínico de Terapia Gênica em humanos 2

Leia mais

BIOESTATÍSTICA. Carga Horária: 45 horas/ aula Créditos: 03 Distribuição: 15 encontros de 3 horas/aula às sextas-feiras no período de 19h às 21h50.

BIOESTATÍSTICA. Carga Horária: 45 horas/ aula Créditos: 03 Distribuição: 15 encontros de 3 horas/aula às sextas-feiras no período de 19h às 21h50. BIOESTATÍSTICA Coordenação: Profa. Alessandra Maciel Almeida Prof. Marcus Vinícius Bolívar Malachias Ementa: conceitos básicos; descrição e apresentação de dados; representação gráfica; análise descritiva;

Leia mais

Marina ZIMMERMANN; Eugênio Gonçalves de ARAÚJO; Fernanda Figueiredo MENDES; Danilo Ferreira RODRIGUES

Marina ZIMMERMANN; Eugênio Gonçalves de ARAÚJO; Fernanda Figueiredo MENDES; Danilo Ferreira RODRIGUES Biocompatibilidade e mecanismos de angiogênese de implantes cutâneos de membrana de látex (Hevea brasiliensis) em bovinos e equinos (resultados parciais). Marina ZIMMERMANN; Eugênio Gonçalves de ARAÚJO;

Leia mais

Seleção de Projetos Institucionais Edital nº 61/2013

Seleção de Projetos Institucionais Edital nº 61/2013 Seleção de Projetos Institucionais Edital nº 61/2013 Coordenação-Geral de Programas de Valorização do Magistério Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica http://www.capes.gov.br/educacao-basica/capespibid

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS INFECCIOSAS. EDITAL N o 01/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS INFECCIOSAS. EDITAL N o 01/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS INFECCIOSAS EDITAL N o 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA OBTENÇÃO DE BOLSAS DE PÓS- DOUTORADO CONCEDIDAS

Leia mais

Ciências Humanas. Relatoria. Grupo de Trabalho (GT1) I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília

Ciências Humanas. Relatoria. Grupo de Trabalho (GT1) I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília I Seminário de Avaliação da Pós- Graduação da Universidade Brasília Relatoria Grupo de Trabalho (GT1) Realização Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP) da Universidade de Brasília Brasília DF, 6 a

Leia mais

TERAPIA CELULAR: REVISÃO DE LITERATURA

TERAPIA CELULAR: REVISÃO DE LITERATURA TERAPIA CELULAR: REVISÃO DE LITERATURA SILVA, Marcos Vinícius Mendes 1 ; NOGUEIRA, José Luiz 1 ; 1 Mestrandos do Departamento de Cirurgia Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres - Faculdade

Leia mais

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP PAEP Programa de Apoio a Eventos no País EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP A Fundação Coordenação

Leia mais

CHAMADA INTERNA PRPGP/UFSM PARA ATENDIMENTO AO EDITAL CAPES / 2013 - PRÓ-EQUIPAMENTOS

CHAMADA INTERNA PRPGP/UFSM PARA ATENDIMENTO AO EDITAL CAPES / 2013 - PRÓ-EQUIPAMENTOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CHAMADA INTERNA PRPGP/UFSM PARA ATENDIMENTO AO EDITAL CAPES / 2013 - PRÓ-EQUIPAMENTOS A PRPGP-UFSM estará

Leia mais

Pesquisa 78 Relatório Anual INCA 2004 Pesquisa

Pesquisa 78 Relatório Anual INCA 2004 Pesquisa A produção do conhecimento científico, a formação de pesquisadores e a promoção do intercâmbio entre instituições nacionais e estrangeiras têm crescido nos últimos anos no INCA, onde são desenvolvidas

Leia mais

FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO DA CAPES O Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Leia mais

EDITAL PF no. 008/2015 CONVOCAÇÃO DE INTERESSADOS À SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PESSOA FÍSICA

EDITAL PF no. 008/2015 CONVOCAÇÃO DE INTERESSADOS À SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PESSOA FÍSICA EDITAL PF no. 008/2015 CONVOCAÇÃO DE INTERESSADOS À SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PESSOA FÍSICA O CONASS: O Conselho Nacional de Secretários de Saúde é uma entidade

Leia mais

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Ajudando futuros pais a tomar uma decisão consciente Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa O que é sangue de cordão umbilical

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Executiva Diretoria de Projetos Internacionais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Executiva Diretoria de Projetos Internacionais MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Executiva Diretoria de Projetos Internacionais CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR MODALIDADE: Produto TERMO DE REFERÊNCIA Nº. /2011 CAPA Projeto Agência:

Leia mais

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir:

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir: EDITAL PIBITI Nº 041/2013 Goiânia, 26 de dezembro de 2013. A Universidade Federal de Goiás por intermédio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação torna público o presente edital e convida os interessados

Leia mais

Resultados Figura 25. Células CHO transfectadas com o vetor pegfp-condroitinase AC secretam a enzima com baixa atividade.

Resultados Figura 25. Células CHO transfectadas com o vetor pegfp-condroitinase AC secretam a enzima com baixa atividade. Figura 25. Células CHO transfectadas com o vetor pegfp-condroitinase AC secretam a enzima com baixa atividade. A atividade enzimática da condroitinase AC foi medida pela quantificação do condroitim sulfato

Leia mais

X CRIAR DESATIVAR RETORNAR ALTERAR

X CRIAR DESATIVAR RETORNAR ALTERAR B H 4 2 0 Embriologia Comparada 0 7 0 7 G 0 0 N 0 7 5 % S 2 1 5 S 0 1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 2 0 2 BH282 Gametogênese, fertilização e início da embriogênese. Gastrulação e formação dos primórdios de órgãos.

Leia mais

Edital nº 06/2003 Programa Sul-Americano de Apoio às Atividades de Cooperação em Ciência e Tecnologia - PROSUL

Edital nº 06/2003 Programa Sul-Americano de Apoio às Atividades de Cooperação em Ciência e Tecnologia - PROSUL Edital nº 06/2003 Programa Sul-Americano de Apoio às Atividades de Cooperação em Ciência e Tecnologia - PROSUL Chamada para apoio a atividades de cooperação em Projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Leia mais

CONVOCATÓRIA 2011/2012

CONVOCATÓRIA 2011/2012 PROGRAMA DE BOLSAS PARA CURSAR ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASL PROGRAMA DE APOIO A ESTUDANTES DE DOUTORADO DO EXTERIOR (PAEDEX) CONVOCATÓRIA 2011/2012 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI/INTA/CNPq) EDITAL 2014-2015

Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI/INTA/CNPq) EDITAL 2014-2015 PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI/INTA/CNPq) EDITAL 2014-2015 A Pró-Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Leia mais

Programa de Apoio a Eventos no País PAEP

Programa de Apoio a Eventos no País PAEP Programa de Apoio a Eventos no País PAEP C A P E S EDITAL CAPES 004/2010/DPB/CAPES Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP A Fundação

Leia mais

Curso de Graduação em Medicina

Curso de Graduação em Medicina Curso de Graduação em Medicina Disciplina: Histologia e Citologia Ano: 2012 Série: 1º ano Carga Horária: 172 horas teórico-práticas Departamento: ogia Coordenador: Profa. Duarte Barros Considerações: A

Leia mais

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os Embriologia Embriologia é a parte da Biologia que estuda as transformações que se processa no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia

Leia mais

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa UNIBRAL, apoiado no acordo de cooperação assinado entre Brasil e Alemanha em 31 de outubro de 2000, tem como objetivo estimular

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA INTERNA MCT / FINEP / CT-INFRA PROINFRA 01/2011 DETALHAMENTO DOS SUBPROJETOS

CHAMADA PÚBLICA INTERNA MCT / FINEP / CT-INFRA PROINFRA 01/2011 DETALHAMENTO DOS SUBPROJETOS CHAMADA PÚBLICA INTERNA MCT / FINEP / CT-INFRA PROINFRA 01/2011 DETALHAMENTO DOS SUBPROJETOS 1. Identificação do Sub-Projeto Siglas do Sub-projeto 2. Título do Subprojeto Informar o título do subprojeto

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - Equipe: Prof. Dr. Marcos Ventura Faria (Pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação) Prof. Dr. Ricardo Yoshimitsu Miyahara (Diretor

Leia mais

Edital MCT/CNPq/MS/SCTIE/DECIT/CT-Biotecnologia nº 024/2005

Edital MCT/CNPq/MS/SCTIE/DECIT/CT-Biotecnologia nº 024/2005 Edital MCT/CNPq/MS/SCTIE/DECIT/CT-Biotecnologia nº 2/25 Resultado da Seleção pública de projetos de pesquisa e desenvolvimento na área de Pesquisa Básica, Pré- Clínica e Clínica em Terapia Celular O Comitê

Leia mais

Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003

Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003 Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003 O Ministério da Ciência e Tecnologia, por intermédio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, torna público o presente edital e convoca os

Leia mais

Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior

Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior Transplante de Medula Óssea em Talassemia Maior Belinda Pinto Simões Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP Beta talassemia major Doença genética resultando em redução ou ausência da síntese da cadeia

Leia mais

CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL... 260

CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL... 260 CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL... 260 CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL. PRISCILA VICENTIN

Leia mais

Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos Serviço de Pós-Graduação

Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos Serviço de Pós-Graduação Seleção de Bolsista no Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES para atuar junto ao Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São

Leia mais

MEMBRANAS FETAIS. MEMBRANAS FETAIS (córion, âmnio, saco vitelino, alantóide) e PLACENTA - separam o feto do endométrio

MEMBRANAS FETAIS. MEMBRANAS FETAIS (córion, âmnio, saco vitelino, alantóide) e PLACENTA - separam o feto do endométrio MEMBRANAS FETAIS MEMBRANAS FETAIS (córion, âmnio, saco vitelino, alantóide) e PLACENTA - separam o feto do endométrio FUNÇÃO: Proteção,respiração, nutrição, excreção, produção de hormônios Local de trocas

Leia mais

Escola Secundária de Camões

Escola Secundária de Camões Escola Secundária de Camões INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA BIOLOGIA Código 302 Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias- 12ºano Duração da prova escrita: 90 min Duração da

Leia mais