A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CIDADE DE RIACHÃO DO DANTAS-SE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CIDADE DE RIACHÃO DO DANTAS-SE"

Transcrição

1 A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FERRAMENTA DE SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CIDADE DE RIACHÃO DO DANTAS-SE Elenaldo Fonseca de Oliva Júnior 1 RESUMO O atual modelo de desenvolvimento, baseado no consumo exacerbado, coloca em segundo plano a preservação dos recursos naturais. A degradação ambiental decorrente da poluição dos recursos naturais através dos resíduos sólidos urbanos é um dos principais problemas que afeta a população do planeta na atualidade. Diante disso, o trabalho em questão tem como objetivo apresentar novos caminhos para tentar minimizar os impactos ambientais causados ao meio ambiente utilizando a educação ambiental como ferramenta de sustentabilidade na gestão dos resíduos sólidos urbanos. Palavras-chave: Consumo. Recursos naturais. Resíduos sólidos. ABSTRACT The current development model based on excessive consumption, puts in the background to conserve natural resources. Environmental degradation from pollution of natural resources through the municipal solid waste is a major problem that affects the planet's population today. Thus, the work in question is aimed at presenting new ways to try to minimize environmental impacts caused to the environment by using education as a tool for environmental sustainability in the management of municipal solid waste. Keywords: Consumption. Natural resources. Solid waste INTRODUÇÃO Nas últimas décadas houve um aumento significativo do consumo em todo mundo, provocado pelo crescimento populacional, e com isso o consumo de alimentos e outros bens aumentaram de forma significativa. Ao lado do crescimento do consumo, vê-se a consequente produção de resíduos sólidos que, para o seu destino final, encontra uma série de dificuldades (SOBRAL et al., 2006). A geração de resíduos apresenta um papel importante dentro da atual preocupação ambiental, que passou a ganhar maiores destaques na década de 1970, a partir das transformações no debate meio ambiente - 1 Graduado em Geografia pela Faculdade José Augusto Vieira FJAV; Pós Graduado em Território, desenvolvimento e Meio Ambiente pela mesma instituição

2 desenvolvimento que passaram então a apontar a finitude no interior do modo de produção capitalista e seus impactos globais(jacobi, 2005). Atualmente vivemos em um modelo de desenvolvimento no qual a preocupação com a preservação dos recursos naturais e com a capacidade de absorção do impacto produzido pelas atividades humanas é uma questão secundária. Sendo assim, torna-se clara a necessidade de repensar as formas de consumo, já que o planeta dá evidentes sinais de cansaço e esgotamento de algumas fontes. É preciso modificar a maneira como as pessoas se relacionam com o ambiente, já que muitas vezes o ser humano não se percebe integrado ao meio que o cerca e também é necessário que ele reveja e altere a visão simplista da natureza, que nos diz que o homem é algo externo a ela e isso é reforçado a cada vez que nos liberamos das nossas responsabilidades ambientais (SOBRAL et al.,2006). As causas da degradação ambiental e da crise na relação sociedade/natureza não emergem apenas de fatores conjunturais ou do instinto perverso da humanidade, e as consequências de tal degradação não são consequências apenas do uso indevido dos recursos naturais: são, sim, de um conjunto de variáveis interconexas, derivadas das categorias: capitalismo / modernidade / industrialismo / urbanização / tecnogracia (GUIMARÃES et al., 2012). Desse modo, a Educação ambiental crítica volta-se para uma práxis de transformação da sociedade em busca de uma sustentabilidade calcada em novos paradigmas. (GUIMARÃES, 2012, p.83) Desta forma se faz necessário à necessidade emergente no cenário mundial de buscar a alteração na gestão e no tratamento dos resíduos sólidos, e também a forma de como a população em geral se relaciona e se posiciona diante desta situação, que vem se tornando uma crescente, evidenciando a necessidade de ações sensibilizadoras de cunho ambiental transformador. Os projetos ambientais vinculados às atividades educativas tornam-se uma possibilidade de transformação dos hábitos e costumes da sociedade moderna, já que a educação é uma ferramenta importante, se não essencial, para a eficiência e efetividade de qualquer programa que busque uma compreensão da realidade e alterações da postura e da forma como os indivíduos se relacionam com o meio ambiente, propostas em programas de sensibilização. Assim a Educação Ambiental surge na atualidade de forma transversal como uma possibilidade de formação e transformação. 125

3 Segundo Dias (1998), somente fomentando a participação comunitária de forma articulada e consciente, um programa de educação ambiental atingirá seus objetivos. Para tanto, ele deve prover os conhecimentos necessários à compreensão do seu ambiente, de modo a suscitar uma consciência social que possa gerar atitudes capazes de afetar comportamentos e promover o entendimento das relações do cidadão com a cidade, enfatizando como ele afeta e é afetado pelo sistema urbano, regional e mundial, indo além do estudo dos sintomas ambientais, explorando as raízes da causa da degradação ambiental. A maioria dos pequenos municípios já apresentam sinais de preocupação com a deposição final dos resíduos sólidos produzidos por suas populações, só que os mesmos esbarram em inúmeras dificuldades para encontrar locais adequados para depositá-los. O que na maioria das vezes as áreas que servem de depósitos ficam localizadas próximas aos perímetros urbanos ou nas proximidades de rios, córregos e etc., ocasionando inúmeros problemas ambientais no local. Não diferente destes, no município de Riachão do Dantas a área onde são depositados os resíduos sólidos fica localizado próximo ao perímetro urbano da cidade, num local que pertence à escola agrícola do município que se encontra desativada, e as margens do córrego que passa nas proximidades da área, pois o mesmo se encontra nos dias atuais com um alto grau de poluição oriundo dos dejetos que são depositados nas margens, que quando ocorrem as chuvas parte destes tende a ser transportado até o curso fluvial do córrego provocando a poluição da água. Portanto, este trabalho buscará através da Educação Ambiental novos caminhos para a gestão dos resíduos sólidos urbanos a fim de promover a conscientização através do processo participativo, onde o indivíduo atua ativamente no diagnóstico dos problemas ambientais, buscando as possíveis soluções, tornando-se um agente transformador, através do desenvolvimento de habilidades e formação de atitudes com uma conduta ética condizente ao exercício da cidadania (MORAES, 2004). Nesse contexto, o propósito de educar, considerando atividades sustentáveis, é buscar valores e atitudes que possibilitem uma convivência harmoniosa do ser humano com as demais espécies do planeta, auxiliando o educando a compreender e analisar criticamente a participação do homem no meio ambiente. 126

4 A Educação Ambiental e a Sustentabilidade na Gestão dos Resíduos Sólidos A necessidade de abordar o tema da complexidade ambiental decorre da percepção sobre o incipiente processo de reflexão acerca das práticas existentes e das múltiplas possibilidades de, ao pensar a realidade de modo complexo defini-la como uma nova racionalidade e um espaço onde se articulam natureza, técnica e cultura. Refletir sobre a complexidade ambiental abre uma estimulante oportunidade para compreender a gestação de novos atores sociais que se mobilizam para a apropriação da natureza, para um processo educativo articulado e compromissado com a sustentabilidade e a participação, apoiado numa lógica que privilegia o dialogo e a interdependência de diferentes áreas do saber. Mas também questiona valores e premissas que norteiam as praticas sociais prevalecentes, implicando mudança na forma de pensar e transformar o conhecimento e as práticas educativas. A noção de sustentabilidade implica uma inter-relação necessária de justiça social, qualidade de vida, equilíbrio ambiental e a ruptura com o atual padrão de desenvolvimento (JACOBI, 1997), sendo que a relação entre o meio ambiente e a educação para a cidadania assume um papel cada vez mais desafiador, demandando a emergência de novos saberes para apreender processos sociais que se complexificam e riscos ambientais que se intensificam. O desafio é, pois, o de formular uma educação ambiental que seja crítica e inovadora, em dois níveis: formal e não formal. Assim a educação ambiental deve ser acima de tudo um ato político voltado para a transformação social. E a instituição educacional (escola, universidade etc.) deve ser inserida nesse contexto pois participa dessa rede como instituição dinâmica com capacidade de compreender e articular os processos cognitivos com os contextos da vida (TRISTÃO, 2002) a educação insere-se na própria teia de aprendizagem e assume um papel estratégico nesse processo, e, parafraseando REIGOTA, podemos dizer que:...a educação ambiental na escola ou fora dela continuará a ser concepção radical de educação, não porque prefere ser a tendência rebelde do pensamento educacional contemporâneo, mas sim porque nossa época e nossa herança histórica e ecológica exigem alternativas radicais, justas e pacificas. (1998, p,43) 127

5 Portanto a educação ambiental deve ser vista como um processo permanente de aprendizagem que valoriza as diversas formas de conhecimento e forma cidadãos com consciência local e planetária. Atualmente o grande desafio que está colocado em pauta não é o de só reconhecer o problema ambiental, mas estimular práticas que reforcem a autonomia dos atores sociais que atuem articuladamente numa perspectiva de cooperação nas comunidades locais, como o caso referenciado neste trabalho tendo em mente a importância da responsabilidade de cada um para construir uma sociedade mais equitativa e ambientalmente sustentável. Um dos principais problemas que afeta as zonas urbanas está ligado diretamente ao modo de vida de uma sociedade capitalista consumista que a cada dia consome mais do que necessita, e o resultado desse consumo descontrolado é a grande produção de resíduos sólidos. Antes do processo de desencadeamento da Primeira Revolução industrial, o lixo produzido nas residências era basicamente composto de matéria orgânica, dessa forma, era mais fácil eliminá-los. Além disso, a cidade e os seus contingentes populacionais era menores. Com o avanço das técnicas no decorrer dos anos e com o processo de industrialização ganhando força nas grandes áreas urbanas, acelerando o aumento do contingencial nesses lugares, principalmente na segunda metade do século XX, desencadeou um aumento significativo na quantidade de resíduos sólidos e suas diversas composições. Hoje, com a globalização em um estágio avançado e com o advento da tecnologia presente cotidianamente na vida da sociedade e nos meios de comunicações (radio, televisão, internet, celular etc.) acabaram facilitando a dispersão de mercadorias em nível mundial, estimulando o consumo. Uma vez que o sistema capitalista domina, controla e estimula as nações com as suas propagandas que leva a população a acreditar quanto mais consumir e acumular bens mais felizes será. Que para MARANHO e RIBEIRO (2008, p.4) A lógica capitalista apresenta-se fundamentada em dois pilares: a produção e o consumo; e a sociedade contemporânea está imersa nessa dicotomia, que contrapõe o ato de produzir, selvagem e impessoal, e o consumir, cada vez mais customizado, sedutor, belo e idealizado. A era moderna, fascinada pela produtividade com base na força humana, assiste ao aumento considerável do consumo, já que todas as coisas se tornaram objetos a 128

6 serem consumidos. Como membros de uma sociedade de consumidores, na atual fase do capitalismo, vivemos num mundo em que a economia se caracteriza pelo desperdício, onde todas as coisas devem ser usadas e abandonadas tão rapidamente como surgem, e em que as coisas surgem e desaparecem sem jamais durarem tempo suficiente para conter em seu meio o processo vital (ARENDT, 1997, p. 147 apud SILVA e SANTOS, 2012, p. 234). O consumo nos atinge em todos os lugares do planeta e de todas as formas, nunca o ditado popular A propaganda é a alma do negócio esteve presente na nossa vida como está sendo posto em prática tão intensamente através do sistema capitalista com o auxilio da publicidade para atingir os seus objetivos. A publicidade sem dúvida é o principal meio para o capitalismo atingir o seu objetivo. Ela é mais do que uma simples forma de divulgar um produto ou um serviço para torná-lo conhecido do público e, portanto vendável; ela divulga através dessa mercadoria um estilo, um padrão de vida, de beleza e de comportamento que traduzem determinados valores e expectativas. Este método para atingir os consumidores com certeza é o mais eficaz, e podemos dizer, mais lucrativo para as empresas anunciantes. É verdade que alguns segundos na televisão em horário nobre custam muito dinheiro, porém, torna-se uma quantia desprezível se comparada ao efeito que esta traz em retorno. Pois sabemos queo propósito essencial da propaganda é a persuasão: A propaganda não é uma arte nem uma ciência (...) Ela é uma técnica, manipulativa (...) Seu propósito essencial, capital, não é interpretar, explicar ou dignificar mas persuadir, manipular. (BARRETO, apud. ROCHA, 1995) Diante disso nota-se que a relação publicidade, marketing e propaganda são os combustíveis que impulsionam a indústria, o comércio e qualquer outra atividade. Mas, a nossa comunicação de massa, nosso sistema de marketing, publicidade e propaganda; as etiquetas, marcas, anúncios, slogans, embalagens, nomes, rótulos, jingles e tantos outros elementos distintivos, realizam este trabalho amplo e intenso de dar significado, classificando a produção e socializando para o consumo. Dessa forma, o consumo se humaniza e se tona cultural, influenciando o modo de vida da sociedade. Por outro lado, ao adquirirmos um novo produto subentende-se que outro será descartado já que seu tempo de uso para o consumidor tenha chegado ao fim. E para 129

7 onde vai esse produto que deixou de ser utilizado? Será que ele terá um local adequado para o seu tratamento final? Na maioria dos casos não, pois em nosso país segundo dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico, realizada pelo IBGE em 2000, 64% dos municípios brasileiros depositam seus resíduos em lixões. Apenas 14% possuem aterros sanitários e 18% possuem aterros controlados. A temática inerente aos impactos ambientais causados pelos resíduos sólidos, como os demais problemas ambientais, tornou-se uma questão que excede à capacidade dos órgãos governamentais e necessita da participação da sociedade para sua solução. Uma das possibilidades para reduzir o problema do lixo é a implantação da coleta seletiva, que consiste na segregação de tudo o que pode ser reaproveitado, como papéis, latas, vidro, plástico, entre outros - enviando-se esse material para reciclagem. A implantação de programas de coleta seletiva não só contribui para a redução da poluição causada pelo lixo, como também proporciona economia de recursos naturais - como matérias-primas, água e energia - e, em alguns casos, pode representar a obtenção de recursos, advindos da comercialização do material. Sabe-se que variadas são as composições e classificações que diz respeito aos resíduos sólidos. Para a Organização das Nações Unidas (ONU), por meio do documento Agenda 21 (SÃO PAULO, 2003a), define-se o lixo ou resíduo(s) sólido(s) da seguinte forma: Os resíduos sólidos compreendem todos os restos domésticos e resíduos não perigosos, tais como os resíduos comerciais e institucionais, o lixo da rua e os entulhos de construção. Em alguns países, o sistema de gestão dos resíduos sólidos também se ocupa dos resíduos humanos, tais como excrementos, cinzas de incineradores, sedimentos de fossas sépticas e de instalações de tratamento de esgoto. Se manifestarem características perigosas, esses resíduos devem ser tratados como resíduos perigosos. No Brasil, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), por meio da Norma Brasileira Registrada (NBR) nº , apresenta a seguinte definição para resíduos sólidos: Resíduos nos estados sólidos e semi-sólido que resultam de atividades da comunidade de origem industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços de varrição. Ficam incluídos nesta definição os lodos provenientes de sistemas de tratamento de água, aqueles gerados em equipamentos e instalações de controle de poluição, bem como 130

8 determinados líquidos cujas particularidades tornem inviável seu lançamento na rede pública de esgotos ou corpos d água, ou exijam para isso soluções técnica e economicamente inviáveis, em face à melhor tecnologia disponível.(associação BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1987, p. 2). Diante desses conceitos e classificações expostas acima, o município de Riachão do Dantas deposita todos esses tipos de resíduos em um único local, sem nenhum tipo de separação ou tratamento do mesmo. O lixão municipal fica a céu aberto, exposto a ação dos agentes externos do planeta, colocando em risco não só o meio ambiente como também a saúde da população que reside nas proximidades, precisamente no conjunto Albano Franco, e de alguns catadores que frequentam o local em busca de algum material que possa ser reutilizado, sendo estes expostos a doenças, e ao risco de acidentes no manuseio de materiais perfuro-cortantes, despejados junto com o lixo doméstico pelo hospital e postos de saúde do município, que também são encontrados no local, como mostra a (Figura 1,3). Figura1: Lixão a céu aberto. Fonte: Elenaldo F. de Oliva Jr

9 O Lixão é uma forma inadequada de disposição final de resíduos sólidos, que se caracteriza pela simples descarga do lixo sobre o solo, sem medidas de proteção ao meio ambiente ou à saúde pública (IPT, 1995). Vale ressaltar que os lixões contêm uma gama de materiais perigosos, que oferecem sérios riscos à saúde humana e ao meio ambiente, como baterias de veículos, pilhas e baterias comuns e de celulares, embalagens de produtos químicos, tóxicos e/ou corrosivos etc. Além de atrair inúmeros animais transmissores de doenças. No Lixão do município de Riachão do Dantas não existe nenhum controle quanto aos tipos de resíduos depositados e quanto ao local de deposição dos mesmos. Nesses casos, resíduos domiciliares e comerciais de baixa periculosidade são depositados juntamente com os industriais e hospitalares, de alto poder poluidor. Como mostra as (figuras 2 e3). Figura 2: Inúmeros tipos de materiais depositados no lixão. Córrego Fonte:Elenaldo F. de Oliva Jr

10 Se faz importante relatar que inúmeros materiais foram encontrados ao longo da visita a área de estudo desde o depósito de entulhos, oriundos de construções civil, até lixo hospitalar que são depositados nas margens de um pequeno córrego que corta a área onde fica localizada o lixão. As principais degradações perceptíveis foram o chorume proveniente do lixo mal alocado, infiltrava o subsolo e seu destino final é o lençol freático, contaminando assim o solo e os recursos hídricos, sendo agravado ainda mais pelo processo de lixiviação, provocado pela água da chuva, aumentando assim a área de contaminação pelo chorume que ao se misturar com a água é transportado por longas distâncias. Figura 3: Resíduos hospitalares encontrados no local. Fonte: Elenaldo F. de Oliva Jr Embora existam tratamentos mais adequados para o descarte dos resíduos hospitalares, a incineração, que não é obrigatória ainda, é a mais indicada para o tratamento de resíduos oriundos de clinicas e hospitais. Pois reduz, drasticamente o 133

11 volume de resíduos, sobrando apenas uma apequena quantidade de cinzas. Mas diante do que foi observado os resíduos hospitalares ficam expostos juntamente com os demais tipos de materiais que são depositados na área. Foram encontrados ao longo da visita ao local de estudo inúmeros fatores de inadequação para o funcionamento do lixão municipal naquela área onde hoje se encontra instalado. O primeiro deles é que o Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) recomenda uma distância mínima de 500 metros de residências isoladas e de 2000 metros de áreas urbanizadas para instalações de lixões. Sendo que o local em que está localizado o lixão municipal, está em uma distancia média de 1,3 km do perímetro urbano da cidade, fora dos padrões adequados, no que diz respeito à distância de áreas urbanas, como atesta a figura 4. Figura 4: Vista aérea da Cidade de Riachão do Dantas SE Fonte: Google Earth, Vale ressaltar que ao longo do período da pesquisa de campo alguns catadores que preferiram não se identificar, relataram que quando a quantidade de lixo presente no 134

12 local se torna muito grande, funcionários do serviço de coleta ateiam fogo nos resíduos, como forma de diminuir a grande quantidade de lixo existente. Os resíduos aos serem queimados acabam liberando inúmeros gases tóxicos para a atmosfera, causando danos irreparáveis ao meio ambiente. A figura 5 a seguir ilustra o esquema de um lixão a céu aberto (Proin/Capes &Unesp/IGCE, 1999). Figura 5: Imagem ilustrativa do lixão a céu aberto. Fonte: Proin/Capes &Unesp/IGCE, Diante da problemática ambiental que enfrenta a área e o município, algumas medidas poderiam ser tomadas a fim de diminuir e reaproveitar alguns destes materiais que são depositados no lixão. Tais como, projetos de cunho ambiental voltado para a população como forma de abordar a importância da separação do lixo, e do reaproveitamento de alguns materiais. E através da Secretaria Municipal do Meio 135

13 Ambiente, estabelecer parcerias com órgãos públicos (escolas, associações de moradores etc.) privados (empresas de reciclagens) e ONGS que tratem da questão do lixo urbano para que possam buscar auxílio para a criação de programas e oficinas de reciclagem e reaproveitamento de materiais que não são utilizados pela população. A fim de reduzir a alta carga de resíduos que é destinada ao lixão municipal e os impactos ambientais na área. Nesse sentido (SANTOS e PINHEIRO 2010, p ) compreende a reciclagem, juntamente com a prática da educação ambiental como instrumentos fundamentais a serem utilizados na realidade de qualquer município, e reitera também, sobre as contribuições destas para com o meio ambiente, na medida em que colabora para a economia e controle ambiental, e elencam-se alguns motivos que tratam da importância que a reciclagem representa para a sustentabilidade ambiental, segundo o Projeto Terapia de Vida (2010). A Importância de Reciclar: - porque há excesso de lixo e é preciso fazer alguma coisa para diminuir este volume excessivo que se acumula em aterros sanitários e no próprio ambiente poluindo rios, mares, solos e o ar; - porque prolonga a vida útil dos aterros; - porque diminui a proliferação de doenças e a contaminação de alimentos; - porque reduz a contaminação ambiental provocada por rejeitos; - porque queimar o lixo significa poluir o ar; - porque é uma questão de bom gosto. A reciclagem remove o lixo, transformando-o em produtos úteis novamente; - porque reciclar é um processo rápido e geralmente econômico. A reciclagem, na maioria dos materiais, é mais barata que enterrar e incinerar; - porque podemos salvar os recursos naturais. Os recursos naturais são finitose precisam ser conservados e preservados; - porque aumenta a vida útil das reservas naturais; - porque reciclar influencia na conservação de energia, ocorrendo um baixo consumo de energia por unidade produzida; - porque ocorre a economia de divisas, em substituição dos materiais importados; - porque diminui os custos de produção, com o aproveitamento de recicláveis pelas indústrias; - porque acaba diminuindo também o desperdício; - porque gera empregos; - porque cria uma oportunidade de fortalecer organizações comunitárias. 136

14 Entretanto, (SANTOS e PINHEIRO 2010, p.102) evidencia-se que a reciclagem tem enorme relevância quando tratada como instrumento para a prática de educação ambiental no contexto escolar, e compete aos profissionais envolvidos na educação, a incumbência de despertar o desejo pela temática nos alunos e de fato produzir ações, as quais possam provocar o processo de conhecimento e reflexão, resultante da conscientização do aluno em relação à preservação do meio ambiente. Pois, dessa forma, entende-se a escola como um dos equipamentos sociais que, por missão, tem o dever de trabalhar com a reelaboração crítica e reflexiva do aluno, a fim de prepará-lo para a vida em sociedade. Nesse contexto, a temática educação ambiental, perpassada pelo viés da reciclagem, está intrinsecamente ligada ao papel social da escola, quando se tem por incumbência propiciar a formação de cidadãos conscientes e ativos rumo à sustentabilidade do planeta. CONSIDERAÇÕES FINAIS O estudo ora apresentado buscou propor novos caminhos para a gestão dos resíduos sólidos produzidos pela população urbana da cidade de Riachão do Dantas/SE. Um dos instrumentos a serem utilizados no âmbito social é a prática de Educação Ambiental em todas as instituições de ensino e órgãos comunitários. Buscando através da Secretaria de Meio Ambiente municipal estabelecer parcerias com as escolas, universidades, ONG s e empresas privadas as quais atuam na referida temática, a fim de buscar alternativas para uma melhor gestão dos resíduos sólidos produzidos pela população. Sendo que, a cada dia que se passa aumenta o nível de degradação ambiental na área, uma vez que a quantidade de resíduos sólidos depositado no local se torna uma crescente constante, sem nenhuma preocupação por parte da população e do poder público municipal para com a preservação e recuperação da área degradada. Os resultados apresentados ao longo deste trabalho demonstram que a sociedade atual carece de iniciativas e de projetos de cunho ambiental, os quais possam conciliar teoria e prática, de modo a promover reflexão, mudança de comportamento e atitude dos envolvidos, para com as questões ambientais e de qualidade de vida. Por isso salienta-se que a prática de Educação Ambiental aliada à reciclagem são iniciativas que representam grande relevância não só ambiental, mas também social, para 137

15 diminuir a problemática na área, mas para que isso aconteça não basta apenas formar cidadãos conscientes dos problemas ambientais sem se tornar também um cidadão ativo, crítico e participativo. Em outras palavras, o comportamento dos cidadãos em relação ao meio ambiente é indissociável do exercício da cidadania para a construção e um ambiente saudável e equilibrado, buscando o bem comum da sociedade. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARENDT, H. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997, 338p. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Resíduos Sólidos: Classificação - NBR Rio de Janeiro, ABNT, DIAS, G. F. Educação Ambiental Princípios e Práticas 5ª edição São Paulo: Global, p. GUIMARÃES,M. Sustentabilidade e Educação Ambiental. In: CUNHA, S.B.; GUERRA, A.J.T.(Org.) A Questão Ambiental: Diferentes Abordagens. Rio de Janeiro 7ª ed. Bertrand Brasil, INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO (IPT). Lixo Municipal: manual de gerenciamento integrado. São Paulo: IPT/CEMPRE p. JACOBI, P. Meio ambiente urbano e sustentabilidade: alguns elementos para a reflexão. In: CAVALCANTI, C. (Org.). Meio ambiente, desenvolvimento sustentável e políticas públicas. São Paulo: Cortez Editora, Educação Ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Universidade de São Paulo, MORAES, M.C. Pensamento Eco-sistêmico: educação aprendizagem e cidadania no século XXI. Petrópolis: Vozes, 2004, 342 p. PROJETO TERAPIA DA VIDA. A importância da reciclagem para o meio ambiente. Disponível em: Acesso em 18 de janeiro de REIGOTA, M. Desafios à educação ambiental escolar. In: JACOBI, P. et. (orgs). Educação, meio ambiente e cidadania : reflexões e experiências. São Paulo: SMA, P ROCHA, Everardo Pereira. A sociedade do sonho: comunicação, cultura e consumo. Rio de Janeiro: Mauad, SANTOS, André Michel dos; PINHEIRO, Damaris Kirsch. A reciclagem como instrumento para a prática de educação ambiental na realidade escolar: estudo de 138

16 caso Associação de Recicladores Pôr do Sol Arps. In: La Salle - Revista de Educação, Ciência e Cultura v. 15 n. 2 jul./dez SÃO PAULO (Estado) Secretaria do Meio Ambiente. A cidade e o lixo. São Paulo: SMA/CETESB, Agenda 21 Global: Capítulo 21 - Manejo ambientalmente saudável dos resíduos sólidos e questões relacionadas com os esgotos. Disponível em:<http://www.ambiente.sp.gov.br/agenda21/ag21.htm>. Acesso em: 21 jan. 2003a. SANTOS, E. C.; SILVA,K. N. O consumismo e a questão ambiental numa abordagem da complexidade e da perspectiva geográfica. Revista Geonorte, Edição Especial, V.3, N.4, p , SOBRAL, C. R. S.; KEMP, V. H.; DIAS, T. N.; AVILA, P.; MONTEIRO, R.. Práticas da educação ambiental e contribuição para a transformação de hábitos e identidades. In: 3 Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, 2006, Florianópolis. 3 Cbeu, TRISTÃO, M. As dimensões e os desafios da educação ambiental na sociedade do conhecimento. In: RUSHEINSKY, A. (orgs). Educação ambiental: abordagens múltiplas. Porto Alegre: Artmed, P RIBEIRO, F. V.; MARANHO, G.A publicidade e o consumo. Fundação Universidade Estadual de Maringá. PDE, <http://www.ibge.com.br.htm> Acesso em: 22 jan

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

ULTRAVIOLETA DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS. Sistema de decantação. Fenasan 2013. tratamento de água e efluentes

ULTRAVIOLETA DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS. Sistema de decantação. Fenasan 2013. tratamento de água e efluentes revista especializada em tratamento de DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS ULTRAVIOLETA Sistema de decantação Ação dos decantadores em tratamento de água Fenasan 2013 9 772236 261064 junho/julho-2013

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP. Fórum de Extensão das IES Particulares

Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP. Fórum de Extensão das IES Particulares Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP Fórum de Extensão das IES Particulares Consumir conscientemente significa atentar para os efeitos que este ato acarreta

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O E. M. E. F. P R O F ª. D I R C E B O E M E R G U E D E S D E A Z E V E D O P

Leia mais

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO Resumo: O presente artigo pretende refletir sobre os problemas ambientais em nossa sociedade, em especial, sobre o

Leia mais

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS DOMÉSTICOS EM ÁREA URBANA: ESTUDO DE CASO EM MUNICÍPIO DE PEQUENO PORTE Aline Ferrão Custodio Passini (*), Guilherme Barros,

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR CADERNO DE PROVA CARGO: ESTAGIÁRIO DO DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

1. Introdução e Revisão Bibliográfica 1.1. A problemática da conservação ambiental e o descarte de resíduos sólidos

1. Introdução e Revisão Bibliográfica 1.1. A problemática da conservação ambiental e o descarte de resíduos sólidos RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM ESCOLA DE ENSINO BÁSICO FERREIRA, A. A. R. 1, NASCIMENTO, J. P. L 1, FALONE, S. Z. 2. 1 IFGoiano - Câmpus Rio Verde (Alunos do Projeto de Extensão do IF Goiano, Câmpus

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO CENTRO DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CATURRITA EM SANTA MARIA-RS

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO CENTRO DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CATURRITA EM SANTA MARIA-RS DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO CENTRO DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CATURRITA EM SANTA MARIA-RS Carolina Gaspar Enderle (1) Aluna do curso Técnico em Segurança do Trabalho do Colégio Técnico Industrial

Leia mais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais VANTAGES PROJETO PEGASUS E RECICLAGEM ENERGÉTICA O problema do lixo é extremamente grave em nosso país. Estimativas baseadas nos dados do IBGE mostram que no País são geradas diariamente cerca de 140 mil

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL E CIDADANIA

GESTÃO AMBIENTAL E CIDADANIA GESTÃO AMBIENTAL E CIDADANIA João Sotero do Vale Júnior ¹ a) apresentação do tema/problema: A questão ambiental está cada vez mais presente no cotidiano da população das nossas cidades, principalmente

Leia mais

2.0 Objetivos 2.1 Geral. 2.2 Específicos

2.0 Objetivos 2.1 Geral. 2.2 Específicos 1. INTRODUÇÃO O lixo é um problema crônico que vem afetando comunidades no mundo inteiro. No Brasil, a geração de lixo per capita varia de acordo com o porte populacional do município. Segundo dados da

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG.

A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. A contribuição do Projeto InterAção para a Gestão dos Resíduos Sólidos em Viçosa-MG. (Projeto InterAção) Introdução Com a tendência de um crescimento mundial da população, gerando um desenvolvimento industrial

Leia mais

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração 01/33 Apresentação do Instrutor: Eduardo Fleck *Engenheiro Químico UFRGS, 1990; **Mestre em Engenharia

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FERRAMENTA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE POMBAL

A IMPORTÂNCIA DA FERRAMENTA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE POMBAL A IMPORTÂNCIA DA FERRAMENTA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE POMBAL Erica Bento SARMENTO 1 Diêgo Lima CRISPIM 2 Jucielio Calado ALVES 3 Alan Del Carlos Gomes

Leia mais

Problemas Ambientais Urbanos

Problemas Ambientais Urbanos Problemas Ambientais Urbanos INVERSÃO TÉRMICA É comum nos invernos, principalmente no final da madrugada e início da manhã; O ar frio, mais denso, é responsável por impedir a dispersão de poluentes (CO,

Leia mais

Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental

Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental 482 Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 2: Congestas 2014 Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental OS DESAFIOS DO LIXO NOS DIVERSOS AMBIENTES Viviane Susy de

Leia mais

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Grupo: Fabiana Augusta César Irene Benevides Vinícius Tôrres Pires Samira Chantre Gestão de Resíduos Sólidos Gestão/gerir:Administrar,dirigir,

Leia mais

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania 2010 PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania Mogi Guaçu/SP PROJETO CHICO MENDES CICLOS DA VIDA: AMBIENTE, SAÚDE E CIDADANIA Equipe FMPFM Prof. Ms. Glauco Rogério Ferreira Desenvolvimento

Leia mais

ECONOMIA VERDE A Nova Economia Desafios e Oportunidades FACULDADE FLAMINGO

ECONOMIA VERDE A Nova Economia Desafios e Oportunidades FACULDADE FLAMINGO ECONOMIA VERDE A Nova Economia Desafios e Oportunidades FACULDADE FLAMINGO O mundo dá sinais de exaustão Mudanças Climáticas Alterações ambientais Paradoxo do consumo: Obesidade x Desnutrição Concentração

Leia mais

2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE 19 22 DE OUTUBRO 2014 MINASCENTRO BELO HORIZONTE - MG

2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE 19 22 DE OUTUBRO 2014 MINASCENTRO BELO HORIZONTE - MG 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE 19 22 DE OUTUBRO 2014 MINASCENTRO BELO HORIZONTE - MG Eixo norteador: O trabalho tem como característica o manuseio correto dos resíduos sólidos, um olhar das

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO Série de procedimentos destinados a reduzir a quantidade ou o potencial poluidor dos

Leia mais

PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR

PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR PROJETO RECICLAR PARA PRESERVAR FABIA GRAVINA VIEIRA ROCHA Colégio e Faculdade Modelo do Paraná- Curitiba/PR fabiagravina@hotmail.com RESUMO Sensível à necessidade de reflexão sobre as relações dos seres

Leia mais

Gestão da Limpeza Urbana no Município de São Paulo. Ariovaldo Caodaglio

Gestão da Limpeza Urbana no Município de São Paulo. Ariovaldo Caodaglio Gestão da Limpeza Urbana no Município de São Paulo Ariovaldo Caodaglio Município de São Paulo DADOS DEMOGRÁFICOS População (2010) 11.253.503 Densidade demográfica (hab./km²) 7.387,69 Território (Km²) 1.521,101

Leia mais

Programa Municipal de Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de Resende com o foco na Coleta Seletiva Domiciliar como ação da Agenda 21 Local

Programa Municipal de Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de Resende com o foco na Coleta Seletiva Domiciliar como ação da Agenda 21 Local Programa Municipal de Gestão dos Resíduos Sólidos no Município de Resende com o foco na Coleta Seletiva Domiciliar como ação da Agenda 21 Local RESUMO A Agência do Meio Ambiente do Município de Resende

Leia mais

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO 1 AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG Letícia Alves Pacheco 1 Kênia Ribas de Assis 2 Mariana da Costa J. Miranda 3 Eliane Aparecida de Souza 4 RESUMO A questão do

Leia mais

O destino do lixo. Luiza Bezamat de Abreu Maria Claudia Palhares

O destino do lixo. Luiza Bezamat de Abreu Maria Claudia Palhares O destino do lixo Luiza Bezamat de Abreu Maria Claudia Palhares Para realizarmos uma análise acerca do destino do lixo, precisamos entender o que vem a ser o lixo propriamente dito. O lixo é tudo aquilo

Leia mais

Gabarito das Questões do Módulo 5

Gabarito das Questões do Módulo 5 Gabarito das Questões do Módulo 5 2. De que maneira as inovações tecnológicas contribuem para o aumento do consumo? Quais as consequências ambientais deste aumento? Resposta O lançamento de produtos cada

Leia mais

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ;

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; RECICLANDO ATITUDES Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; 1 Farmacêutica, Bioquímica e Pós Graduada em Educação Ambiental- Professora

Leia mais

FETREMIS-FACULDADE DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DA REGIÃO MISSIONÁRIA SIRLÉIA APARECIDA DE REZENDE SILVA

FETREMIS-FACULDADE DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DA REGIÃO MISSIONÁRIA SIRLÉIA APARECIDA DE REZENDE SILVA FETREMIS-FACULDADE DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DA REGIÃO MISSIONÁRIA SIRLÉIA APARECIDA DE REZENDE SILVA CONSCIENTIZAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL Contagem-MG 2013 2 FETREMIS - FACULDADE DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA

Leia mais

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção.

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Nádia D. de Souza 1 Kátia G. de Laia 2 Mariana O. Silva 3 Estevão L. M. Gomes 4 Tiago L. A.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS FACETEG

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS FACETEG UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS FACETEG RECICLAGEM E CIDADANIA: UMA VISÃO SOCIO AMBIENTAL DOS CATADORES DE RESIDUOS SOLIDOS NO MUNICIPIO DE GARANHUNS

Leia mais

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA 225 Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA Marcos Antônio Lopes do Nascimento¹; Maria Verônica

Leia mais

Site Terra, 05 de Junho de 2013

Site Terra, 05 de Junho de 2013 Site Terra, 05 de Junho de 2013 Mesmo com data para acabar, lixões subsistem no Brasil. Mais da metade dos municípios brasileiros não impõe a destinação adequada ao lixo. Assim, cerca de 75 mil toneladas

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINS-MINAS GERAIS

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINS-MINAS GERAIS A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINS-MINAS GERAIS Renata Soares Pinto (*), Washington Luiz Nunes Apolinário, Carlos Fernando Lemos, Denise

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 471 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP Leonice

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1. CONCEITOS COMPLEMENTARES DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, presidida por Gro Harlem Brundtland Nosso Futuro Comum (1987)

Leia mais

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos Projeto Consciência Resíduos 1 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? 2 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? Resíduo pode ser considerado qualquer material que sobra após uma ação ou processo produtivo.

Leia mais

A TEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A TEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A TEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Geisieli Rita de Oliveira 1 ge_baronesa@hotmail.com Manuela Tavares Moreira 1 manuelamoreira92@gmail.com Catarina Teixeira 2 - catarinabio@hotmail.com

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS ALVES, Jéssica B. 1 NETO, João B. 1 SOBRAL, Jozias M. 1 SILVA, Kelvin L. S. da 1 PETITTO, Sônia 2 PERRI, Ricardo Alves 3 RESUMO A coleta seletiva é uma forma de

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

A IMPORTANCIA DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES E SEUS ASPECTOS POSITIVOS PARA O MEIO AMBIENTE

A IMPORTANCIA DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES E SEUS ASPECTOS POSITIVOS PARA O MEIO AMBIENTE A IMPORTANCIA DO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES E SEUS ASPECTOS POSITIVOS PARA O MEIO AMBIENTE Erica Grayce de Souza Silva 1 Hélio Rubens Jacintho Pereira Júnior 2 José Antonio Bueno 3 RESUMO O

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

O LIXO NAS RUAS. É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade.

O LIXO NAS RUAS. É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade. O LIXO NAS RUAS É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade. Por Maria Alice Luna Sampaio Hoje em dia, não podemos dar um passo fora de

Leia mais

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis Caro, candidato(a) à prefeito(a), após mais de 20 anos de tramitação

Leia mais

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial.

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Lixo reflexo da sociedade Definição Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Todo lixo gerado pode ser classificado em dois tipos:orgânico

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler REPRESENTAÇÕES DE EDUCAÇÃO E DE MEIO AMBIENTE O QUE ENTENDEMOS POR EDUCAÇÃO? O QUE

Leia mais

Resíduos Sólidos Programa Lixo Alternativo Situação atual de Guaraqueçaba: Volume diário 4m³ (aproximadamente 1 tonelada/dia) Coleta: Diária em 980 unidades domésticas / 135 comerciais / 2 industriais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS Profa. Songeli Menezes Freire Salvador 2009 RESÍDUO Qualquer material,

Leia mais

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3 DIMENSÕES DE SUSTENTABILIDADE NOS PROGRAMAS DE COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Márcio José Celeri Doutorando em Geografia da UNESP/Rio Claro marcioceleri@yahoo.com.br Ana Tereza Cáceres Cortez Docente

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP. Florianópolis, 03 setembro de 2011

Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP. Florianópolis, 03 setembro de 2011 Gestão dos Resíduos em Florianópolis - COMCAP Florianópolis, 03 setembro de 2011 Missão Prestar serviços públicos p de saneamento ambiental com eficiência, qualidade e responsabilidade social. COMCAP

Leia mais

Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires

Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires Logística Ambiental: Adequação das organizações a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Msc. Renata Quemel Pires Desenvolvimento Sustentável É obter o crescimento econômico contínuo através de um manejo

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 182 AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS Nagiélie Muara SILVA 1* ; Camilla Stheffani Oliveira Machado 2 ; Maria Cristina Rizk 3 1,2 Discente em Engenharia Ambiental pela Universidade

Leia mais

A importância da coleta seletiva e do aterro sanitário para o município de Quarto Centenário

A importância da coleta seletiva e do aterro sanitário para o município de Quarto Centenário A importância da coleta seletiva e do aterro sanitário para o município de Quarto Centenário Regina da Silva Ferreira 1 regina-s-ferreira@hotmail.com Resumo: O presente trabalho teve como objetivo demonstrar

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado

Leia mais

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ESTRATÉGIAS E DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Geraldo Antônio Reichert Coordenador da Câmara Temática de Resíduos Sólidos ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária

Leia mais

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1 PRINCÍPIOS DO RIO António Gonçalves Henriques Princípio 1 Os seres humanos são o centro das preocupações para o desenvolvimento sustentável. Eles têm direito a uma vida saudável e produtiva em harmonia

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde Naraiana Agapito, naraagapito@yahoo.com.br 1 Introdução Embora a geração de resíduos oriundos das atividades humanas faça parte da própria história do homem,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA GERACÃO, TRATAMENTO E DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS GERADOS NAS INDÚSTRIAS DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO PARANÁ BRASIL.

DIAGNÓSTICO DA GERACÃO, TRATAMENTO E DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS GERADOS NAS INDÚSTRIAS DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO PARANÁ BRASIL. DIAGNÓSTICO DA GERACÃO, TRATAMENTO E DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS GERADOS NAS INDÚSTRIAS DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO PARANÁ BRASIL. Silvia de Veras Néri Rosilea França Garcia UNOCHAPECÓ-CHAPECÓ-SC-BRASIL

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que Lixo 1 A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que estudamos em temáticas que rementem ao nosso cotidiano. Dessa

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP SILVA V. L. da 1 ; SOUZA T. R. 1 ; RIBEIRO J. S. G. 1 ; CARDOSO C. F. 1 ; SILVA, C. V. da 2. 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Consumo, consumismo e impacto humano no meio ambiente Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min29seg Habilidades:

Leia mais

A tendência do homem à mecanização, transformando as matérias-primas em bens úteis, gerando resíduos inúteis para o meio;

A tendência do homem à mecanização, transformando as matérias-primas em bens úteis, gerando resíduos inúteis para o meio; OS IMPACTOS AMBIENTAIS E A BIODIVERSIDADE 1 A poluição A introdução no meio ambiente de qualquer matéria ou energia que venha alterar as propriedades físicas, químicas ou biológica que afete a saúde das

Leia mais

ambiente e para a saúde da comunidade, esta percepção não se tem traduzido em ações efetivas que possibilitem mudanças qualitativas na situação

ambiente e para a saúde da comunidade, esta percepção não se tem traduzido em ações efetivas que possibilitem mudanças qualitativas na situação GERENCIAMENTO DO LIXO NA CIDADE DE ESPERANÇA PB: UMA QUESTÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Joanilma dos Santos SILVA 1, Gabriele de OLIVEIRA 1, Aline Pereira RODRIGUES¹, Hellen Regina Guimarães da SILVA 1, Mário

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional Solidária do Arquivo Nacional Programa Permanente de Coleta Seletiva Amparado pelo Decreto Federal 5.940/ 2006 - que prevê que todas as instituições federais passem a doar seus materiais recicláveis descartados

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA ALUNOS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Palavras-chave: Ensino Fundamental; Oficina; Educação Ambiental

EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA ALUNOS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Palavras-chave: Ensino Fundamental; Oficina; Educação Ambiental EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA ALUNOS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Laíza Castro Brumano Viçoso Universidade Federal de Uberlândia; E-mail: laizabrumanogeo@hotmail.com Wattson Estevão Ferreira Universidade

Leia mais

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1 Mensagens aos jovens Nós, jovens, devemos nos organizar para a construção de projetos, em que possamos, juntos com a população e os órgãos responsáveis, nos responsabilizar pelo bem-estar do nosso patrimônio.

Leia mais

Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09

Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09 Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09 HISTÓRICO 70 década da água 80 década do ar 90 década dos resíduos sólidos Histórico

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS E A CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL POR PILHAS: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA.

PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS E A CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL POR PILHAS: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. 7. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇAO PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS E A CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL POR PILHAS: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. SCHWEIGERT, Romacir

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA AULA. Conteúdo: O Lixo nas Cidades

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA AULA. Conteúdo: O Lixo nas Cidades Conteúdo: O Lixo nas Cidades Habilidade: Identificar as principais consequências do manejo inadequado do lixo. Revisão Unidade 1: O Sujeito, Educação e Espaço Urbano. Apresentação da Unidade 2: O homem

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS 1 João Lopes da Silva Neto; 2 Juciery Samara Campos Oliveira; 3 Thayana Santiago Mendes; 4 Geovana do Socorro Vasconcelos Martins 1 (AUTOR) Discente

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Prof. Claudimar Fontinele Em dois momentos a ONU reuniu nações para debater

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 496/2010 Dispõe sobre a destinação final ambientalmente adequada de resíduos sólidos produzidos p o r c e n t r o s c o m e r c i a i s denominados shoppings centers e similares, e dá

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS. Coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos. Desafio para os Municípios

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS. Coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos. Desafio para os Municípios Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS Coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos Desafio para os Municípios Cerca de 20% do que se joga no lixo é fruto do desperdício de resíduos orgânicos

Leia mais

Curso sobre a Gestão de resíduos sólidos urbanos

Curso sobre a Gestão de resíduos sólidos urbanos Curso sobre a Gestão de resíduos sólidos urbanos Consideram-se resíduos sólidos como sendo rejeitos resultantes das diversas atividades humanas. Podem ser de diversas origens: industrial, doméstica, hospitalar,

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

Ingrid Maria Furlan Öberg

Ingrid Maria Furlan Öberg Desenvolvimento Sustentável Gestão Ambiental Ingrid Maria Furlan Öberg Relação Homem x Ambiente no modelo de desenvolvimento da sociedade moderna NATUREZA Fonte de recursos ilimitados Depósito de resíduos

Leia mais

Legislação Territorial Agenda 21. Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza

Legislação Territorial Agenda 21. Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza Legislação Territorial Agenda 21 Alunos: Allan Gomes Murian Rafael Di Cicco Clauber Rogério da Costa Leandro Benicio de Souza O que é Agenda 21? Agenda 21 é um conjunto de resoluções tomadas Eco-92, que

Leia mais

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA Patrícia Cristina de Lima Moreira (1) Assistente Social (UNIT), Assistente Social do Serviço

Leia mais

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO Maria do Socorro dos Santos EEEFM José Soares de Carvalho socorrosantosgba@gmail.com Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NORMAS ISO 14000 CONCEITOS A preocupação com a estabilidade das linhas tênues de amarração dos ecossistemas conduz os estudiosos a analisar os fatores que podem gerar a ruptura desses sistemas. GESTORES

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA QUÍMICA I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE A química é a ciência que estuda a estrutura, a composição, as propriedades e as transformações da matéria. Ela é frequentemente

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos ANVISA RDC 306/04 - REGULAMENTO TÉCNICO PARA GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SAÚDE veronica.schmidt@ufrgs.br O perigo do lixo hospitalar. Resíduos biológicos - culturas de microrganismos

Leia mais