ISSN E IC D D A N D A L U M C O D FA L A O P D O IS E A L N O A Ã ano S

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISSN 2177-7136 E IC D D A N D A L U M C O D FA L A O P D O IS E A L N O A Ã ano 1-2006 S"

Transcrição

1 ISSN ano ANAIS DA FACULDADE SÃO LEOPOLDO MANDIC

2 ISSN ANAIS DA FACULDADE SÃO LEOPOLDO MANDIC Anais, Campinas, ano 1, 2006, p

3 Direção Diretor Geral: Prof. Dr. José Luiz Cintra Junqueira Diretor de Ensino e Pós-Graduação: Prof. Dr. Thomaz Wassall Diretora de Pesquisa: Profa. Dra. Vera Cavalcanti de Araújo Diretora Administrativa: Bel. Susana Moreira Passos Coordenadora do curso de Odontologia: Profa. Dra. Flávia Martão Flório Organização e Normalização Samanta Capeletto Criação 100% Cópias Endereço de Correspondência Faculdade São Leopoldo Mandic Rua José Rocha Junqueira, 13 Swift Campinas - SP - Brasil (19) Ficha Catalográfica Anais da Faculdade São Leopoldo Mandic, ano 1, 2006, Campinas. Anais / Anais da Faculdade São Leopoldo Mandic. Campinas: Faculdade São Leopoldo Mandic, p. 1. Odontologia. I. Faculdade São Leopoldo Mandic. II. Anais.

4 GRADUAÇÃO G008 COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE ÍONS CÁLCIO E FÓSFORO EM SALI- VA DE HUMANOS G009 EFEITO DE FÁRMACOS ANTI-HIPER- TENSIVOS NO FLUXO SALIVAR BASAL E ESTIMULADO POR PILOCARPINA EM RATOS AUTOR: ADRIANO TOSO PETTA ORIENTADOR: RUI B. BRITO JÚNIOR AUTOR: LUCIANA JARDINI DA CUNHA ORIENTADOR: RODRIGO CECANHO A técnica TXRF é um método extremamente útil na determinação de elementos traços. Luz síncrotron é a intensa radiação eletromagnética produzida por elétrons de alta energia num acelerador de partículas. A luz síncrotron abrange uma ampla faixa do espectro eletromagnético: Raios-X, Luz Ultravioleta e Infravermelha, além da Luz Visível, que sensibiliza o olho humano, são emitidas pela fonte. É com esta luz que cientistas estão descobrindo novas propriedades físicas, químicas e biológicas existentes em átomos e moléculas, os componentes básicos de todos os materiais inclusive os da saliva. Suas principais vantagens sobre os outros métodos é o baixo limite de detecção e a determinação simultânea de diferentes elementos utilizando uma pequena amostra (WOBRAUSCHEK, 1994). Devido ao alto brilho da Luz Síncrotron, sua polarização linear em órbita plana e sua natural colimação, a combinação de TXRF com radiação síncrotron oferece muitas possibilidades de análise (GOR- GL et al., 1997). Não há estudos reportados na literatura que utilizaram a técnica TXRF em saliva. G010 CONDIÇÃO DE SAÚDE BUCAL DE ESCO- LARES MATRICULADOS NA REDE MUNI- CIPAL DE ENSINO DE CAMPINAS (SP) G011 PERCEPÇÃO DE SAÚDE BUCAL DE PA- CIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) EM HEMODIÁLISE AUTOR: MÁRCIA REGINA DA SILVA GUSMÃO ORIENTADOR: RUI B. BRITO JÚNIOR Os levantamentos básicos de saúde bucal são definidos como estudos para a coleta de informações básicas sobre o estado de doenças bucais e necessidades de tratamento da população, sendo coletados dados confiáveis para o planejamento, controle e avaliação de programas de saúde bucal. O objetivo deste estudo foi avaliar as condições de saúde bucal de escolares matriculados na rede municipal de ensino fundamental de Campinas (SP). Participaram do estudo 472 voluntários (250 do gênero feminino e 222 do gênero masculino) com idade variando entre 5 e 16 anos. O exame epidemiológico foi realizado por meio de aferição da história de cárie, por graduandos previamente calibrados. Após tabulação e análise dos dados, verificou-se que o CPO-D e o ceo-d médio da população foram respectivamente 0,92 ± 1,87 e 1,76 ± 2,40 (média ± desvio padrão). Em relação às metas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o ano 2000, verificou-se que, para a idade de 12 anos, as crianças apresentavam em média 2,25 dentes com a história da doença, e com relação a população de 5 e 6 anos verificou-se que 54% estavam livres de cáries. AUTOR: RENATA FRANDSEN DA SILVA ORIENTADOR: FLÁVIA MARTÃO FLÓRIO O paciente em hemodiálise (HD) apresenta xerostomia e padrões acelerados de acúmulo de cálculo dental. Infecções relacionadas ou não ao depauperamento das condições bucais comprometem a saúde destes e inviabilizam a realização do transplante renal (tx). Esse trabalho objetivou avaliar os cuidados com relação à saúde bucal utilizando questionário aplicado a 160 pacientes em HD, candidatos ou não ao tx. Do total de pacientes, ao questionar sobre a necessidade de se visitar o dentista, a maioria acha necessário fazê-lo a cada 6 meses (83,1%); 6,3% relatam que é necessário ir ao consultório odontológico quando tiver dor; para 5,6% é importante que se vá ao dentista a cada 2 anos enquanto os demais 5% não acham necessário ir periodicamente ao dentista; 46,9% não receberam orientação de higiene bucal; 63,8% não ouviram falar em placa bacteriana; apenas 8,1% associaram doença periodontal a sangramento, infecção, inflamação e amolecimento dos dentes. Escovação é a forma mais usada como higiene bucal (84,4%), escovando em média 2,43+0,92 vezes/dia. Entre os que aguardam o tx (n=92), ao questionar sobre necessidade de ir ao dentista, 85,9% acha necessário fazê-lo a cada 6 meses, 63% já receberam orientação sobre higiene bucal, 52,2% não sabem o que é placa bacteriana, 88% não sabem o que é doença periodontal e a escovação é a forma mais usada para proceder sua higiene bucal (83,7%). Estes escovam seus dentes em média 2,54 vezes/dia. Conclui-se que estes pacientes não são bem informados com relação aos cuidados com sua saúde bucal, e necessitam de maiores investimentos para abordagem e informação, associando o cirurgião dentista à equipe multidisciplinar que os assistem.

5 GRADUAÇÃO G012 AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DE SOLUÇÕES ANESTÉSICAS LOCAIS ARMAZENADAS EM DIFERENTES CONDIÇÕES - ESTUDO EM RATOS G013 AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE CI- RURGIÕES-DENTISTAS EM EMERGÊN- CIAS MÉDICAS NA ODONTOLOGIA AUTOR: REBECA B. C. FRANCO ORIENTADOR: FLÁVIA MARTÃO FLÓRIO O objetivo deste estudo foi comparar a reação tecidual na mucosa oral de 48 ratos, pela injeção de soluções de lidocaína 2% com adrenalina 1: armazenadas por um período de 1 ano nas seguintes condições: na caixa original, em geladeira, sob temperatura média de 5 C (G1); na caixa original, em temperatura ambiente, sob abrigo da luz (G2); em temperatura ambiente, fora da caixa original (tubetes sobre uma bancada sob luz artificial, obedecendo às variações climáticas mensais - G3) e solução recém adquirida (G4). 0,1 ml de cada solução foi injetado na região de 1 molar superior direito e NaCl a 0,9% no lado oposto (controle negativo). Decorridos 6 e 24h, 6 animais de cada grupo foram sacrificados e as maxilas foram removidas. Cortes histológicos foram submetidos a um escore qualitativo, sendo: (1) sem infiltrado inflamatório, (2) infiltrado inflamatório leve; (3) moderado; (4) intenso e (5) intenso com áreas de necrose. O ph de todas as soluções testadas também foi avaliado. Os resultados mostraram que não houve diferenças significantes entre os escores obtidos com os controles negativos (p>0,05). Todos os escores obtidos com as soluções-teste foram maiores que os obtidos com os controles negativos (p<0,05). As médias dos escores foram: 2 para o grupo 1; 3 para o grupo 2; 4 para o grupo 3; e 2 para o grupo 4. Concluímos que a reação inflamatória foi influenciada pela condição de armazenamento provavelmente devido à alteração química e a queda de ph das soluções anestésicas. AUTOR: VICTOR ANGELO MARTINS MONTALLI ORIENTADOR: FRANCO ARSATI As emergências médicas em odontologia são raras, mas podem ser fatais. Este trabalho determinou as emergências médicas mais comuns vivenciadas por cirurgiões-dentistas (CD) de diversas regiões do Brasil e o conhecimento dos mesmos para lidar com estas situações, utilizando um questionário previamente validado, a 330 CD durante congresso da classe. A emergência mais freqüente foi lipotímia (0,994 caso/cd/ano), seguida pela hipotensão ortostática (0,885), hiperventilação (0,345), crise hipertensiva (0,236), alergia (0,203), síncope (0,158), angina pectoris (0,145), hipoglicemia aguda (0,106), crise aguda de asma (0,076), convulsão (0,048) e obstrução das vias aéreas por corpo estranho (0,018). Os relatos de acidente vascular cerebral (AVC), choque anafilático (CAN) e infarto do miocárdio (IM) foram extremamente raros, com uma incidência de 0,012/CD/ano para AVC e 0,003 para CAN e IM. Nenhum caso de parada cardíaca foi reportado. Apenas 40,3% dos CD julgaram-se capazes de diagnosticar a causa de uma emergência durante um atendimento odontológico. A maioria declarou ser capaz de iniciar o tratamento apenas das emergências mais comuns. Entretanto, para AVC e CAN, 83,6% e 70,6% dos CD, respectivamente, julgaram-se incapazes, e 61% não está preparado para realizar uma injeção subcutânea. Os argumentos mais comuns dos CD para justificar algum tipo de despreparo em relação ao manejo das emergências médicas foram a falta de treinamento (94%) e falta de conhecimento (74%). Conclui-se que os CD brasileiros deveriam ser mais bem preparados para tratamento das emergências médicas que podem ocorrer no consultório odontológico, pois legalmente são responsáveis pelos primeiros socorros. G014 USO DE DROGAS POR ESTUDANTES E PROFISSIONAIS DE ODONTOLOGIA G015 PREVALÊNCIA DE QUEILITE ACTÍNICA EM CAMPANHA DE SAÚDE BUCAL REA- LIZADA EM CAMPINAS-SP AUTOR: ANA MICHELE ZIMBALDI ORIENTADOR: JULIANA C. RAMACIATTO Este trabalho se dispôs a investigar o padrão da utilização de drogas entre estudantes e profissionais da área de Odontologia. Para a análise foi criado um instrumento para a coleta primária de dados sob a forma de questionário anônimo fechado contendo dados demográficos e variáveis diretas do estudo: uso de bebidas alcoólicas, uso de tabaco, uso de drogas ilícitas (tipo e freqüência). Os questionários foram entregues pessoalmente pelos pesquisadores, sendo solicitado que os voluntários os respondessem de imediato e os colocassem em uma urna para reforçar o anonimato. A amostra foi constituída por 126 alunos matriculados em cursos de graduação e pós-graduação na área da Odontologia, no município de Campinas (São Paulo), com idade entre 17 e 39 anos (27,8 ± 9,8 anos). Após tabulação e análise dos dados, verificou-se que 42% dos alunos fumam, sendo que 17% destes fazem uso de cigarros diariamente. O uso de drogas ilícitas foi referido por 50% dos entrevistados, sendo a droga mais utilizada o lança-perfume, referido por 39%, seguido por maconha (29%) e loló (20%). A droga mais utilizada foi o álcool, com uma prevalência de 78%, dos quais 70% referem beber pelo menos duas vezes ao mês. A elevada prevalência de uso de drogas encontrada reforça a preocupação com as atitudes dos estudantes em área de saúde, uma vez que estes são formadores de opinião e responsáveis pela orientação de seus pacientes quanto aos malefícios causados pelo seu uso. AUTOR: ROSÂNGELA ZANETTI ORIENTADOR: VERA C. ARAUJO A exposição crônica ou excessiva à radiação solar pode resultar em uma alteração tecidual pré-maligna caracterizada por uma lesão difusa do vermelhão do lábio inferior intitulada Queilite Actínica (QA). O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência da Queilite Actínica durante Campanha de Saúde Bucal realizada em Campinas (SP) no primeiro semestre de Foram examinados 420 indivíduos (215 do sexo feminino e 205 do sexo masculino), com idade média de 47,1 anos (±15,4). Após o preenchimento de um formulário específico contendo questões relativas a aspectos sócio-econômico-demográficos, ao tipo de acesso a serviços odontológicos, além da autopercepção em saúde bucal, os voluntários foram submetidos a exames clínico-epidemiológicos realizados por examinadores previamente treinados e calibrados, sendo a atividade finalizada com palestras educativas voltadas ao ensino do auto-exame bucal e aos cuidados frente à exposição solar. A prevalência de QA foi igual a 18,1% (n=76), com maior acometimento do sexo masculino (69,7%), de indivíduos que se autoclassificaram como brancos (73,7%) e de indivíduos com idade variando de 45 a 60 anos (40,8%). Verificou-se que dentre os pacientes com QA, 46,1% relataram ficar expostos ao sol durante o trabalho, em média 4 dias/semana (4,9±3,9 horas/dia); 36,8% durante o lazer (1,6 dia/semana; 1,3±2,0 horas/dia) e 28,6% durante a prática de esportes (1 dia/semana; 0,6±1,4 hora/dia). Conclui-se que estratégias preventivas focalizadas em adultos também devem ser direcionadas às alterações teciduais decorrentes da exposição excessiva ao sol, prevenindo o aparecimento e/ou progressão de lesões cancerizáveis.

6 GRADUAÇÃO G016 DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE FLUORETO SOLÚVEL EM PRODU- TOS COMERCIALIZADOS QUE CONTÊM FLUORETO E CLOREXIDINA G017 EDUCAÇÃO EM SAÚDE BUCAL - INDIVÍ- DUOS PORTADORES DE MÚLTIPLAS DE- FICIÊNCIAS AUTOR: CRISTINA SARAGIOTTO CALDAS ORIENTADOR: YANARA B. O. LIMA-ARSATI A utilização de fluoreto (F) na prevenção e no controle da doença cárie é uma das medidas mais intensamente estudadas e realizadas em saúde pública (NIKI- FORUK, 1985). O digluconato de clorexidina (chx) é, até o momento, o melhor agente químico empregado para o controle do biofilme dental bacteriano (LÓPES et al., 1992; SCANNAPIECO & LEVINE, 1996). Existem controvérsias na literatura sobre a possibilidade ou não da associação de F e chx em produtos odontológicos, principalmente na presença de lauril sulfato de sódio (LSS). Recentemente foi lançado no mercado uma linha de produtos (enxagüatório e gel Noplak ), que associa F e chx, e não contém LSS. Sendo assim, este trabalho se propôs a determinar a concentração de F solúvel nestes produtos, a fim de avaliar se a associação com chx diminuiria sua ação no controle da doença cárie. AUTOR: MARIANA VELO SALVATTO ORIENTADOR: FLÁVIA M. FLÓRIO A Odontologia vem mudando os seus paradigmas, de forma a começar a assumir uma filosofia de atendimento centrada no tratamento preventivo. Estudos epidemiológicos, aliados à experiência profissional de gerações, levaram a dúvidas quanto a eficácia dos tratamentos invasivos / mutiladores anteriormente e exclusivamente executados. Da mesma forma, esses estudos demonstram importantes resultados frente à inclusão e prática de programas educativos. Sabe-se que o atendimento odontológico, prestado aos portadores de necessidades especiais, precisa ser executado de uma forma diferenciada visto que, existem comprometimentos de ordem mental, física, sociais e/ou fisiológicos. Contudo, aliando-se capacitação e consciência profissional, à informações precisas sobre a condição de saúde de cada paciente e introdução de programas de Educação em Saúde Bucal; o resultado dessa tríade poderia ser expressivo e promissor. G018 AVALIAÇÃO RETROSPECTIVA DE PA- CIENTES SUBMETIDOS A PROCEDIMEN- TOS CIRÚRGICOS ODONTOLÓGICOS COM SEDAÇÃO INTRAVENOSA G019 PREVALÊNCIA DE QUEILITE ACTÍNICA EM CAMPANHA DE SAÚDE BUCAL REA- LIZADA EM CAMPINAS-SP AUTOR: LUIS AUGUSTO PASTONA SILVA ORIENTADOR: JULIANA C. RAMACIATTO AUTOR: ROBSON TETSUO SASAKI ORIENTADOR: ROBERTA TARKANY BASTING O objetivo deste trabalho foi realizar levantamento de dados através da análise dos prontuários de 165 pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos odontológicos com sedação intravenosa, atendidos pelo mesmo cirurgião-dentista e médico anestesista entre Avaliou-se de maneira descritiva os dados dessa população, como idade, gênero, grau de saúde geral (ASA), pressão arterial (PA) no pré, trans e pós-operatório, tipo de procedimento cirúrgico, quantidade de droga venosa administrada (Midazolam) e tempo total de sedação. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e à Correlação de Pearson. A maioria dos pacientes era do sexo feminino (91), com média de idade de 39 anos (11 a 83 anos) e considerados saudáveis (104 casos) com a PA normal e classificados em ASA 1 e 2; a maioria dos procedimentos realizados foram implantes e remoção de 3 molares, (69% dos casos); a quantidade média da dose da droga utilizada foi de 11 mg e pacientes mais jovens (11 a 58 anos) receberam dose maior que os mais idosos (59 a 83 anos). Quanto maior o tempo necessário para a sedação, maior a dose utilizada. Foi verificada correlação negativa entre a dose de Midazolam e a faixa etária, quanto maior a idade menor a dose de droga utilizada. As correlações foram positivas entre o tempo de sedação e a dose da droga e entre o tempo de sedação e a idade. A correlação foi altamente significativa entre os valores da PA no pré e trans-operatório, visto que 60% dos pacientes com PA alta demonstraram valores normais de PA no trans-operatório. Conclui-se que as características da população avaliada influenciam no procedimento de sedação intravenosa.

7 GRADUAÇÃO G020 PREVALÊNCIA DE QUEILITE ACTÍNICA E RELAÇÃO COM O TIPO DE EXPOSIÇÃO AO SOL, EM CAMPANHAS DE PREVENÇÃO REALIZADAS NA REGIÃO DE CAMPINAS G021 DENSIDADE DE MASTÓCITOS NA PE- RIODONTITE, GENGIVITE E GENGIVA SAUDÁVEL AUTOR: JEAN CARLOS FOLI ORIENTADOR: VERA C. ARAUJO A exposição crônica, excessiva e desprotegida à radiação solar pode resultar numa lesão cancerizável, denominada Queilite Actínica (QA). Esta lesão afeta predominantemente homens de pele clara, com idade variando dos 40 aos 80 anos e que trabalham expostos ao sol, principalmente em regiões mais ensolaradas, como a região de Campinas. Tendo em vista essa possibilidade, MAIN & PAVONE (1994) relacionaram os aspectos clínicos que devem ser considerados quando da análise dessas lesões: área elevada, endurecida, eritematosa, úlcera não cicatrizante, presença de placa branca. AGUIAR (1995) destacou também a perda de nitidez do limite entre lábio e pele, e aumento da consistência labial à palpação. Trabalhos têm demonstrado casos de carcinomas desenvolvendo-se a partir de QAs em uma porcentagem variável entre 12 e 20% (KOOPMANN & COULTHARD, 1982). No Brasil, um único estudo em 270 indivíduos idosos institucionalizados indicou uma prevalência de 2,6% (JORGE JÚNIOR et al., 1991). AUTOR: ANGELA DE OLIVEIRA AUGUSTO ORIENTADOR: PATRÍCIA R. CURY O objetivo do presente estudo foi analisar o número de mastócitos em tecido periodontal saudável, gengivite e periodontite. Dez biópsias de periodontite, dez de gengivite e dez de gengiva saudável, em pacientes sistemicamente saudáveis, foram analisadas. O número de mastócitos positivos para azul de toluidina por mm2 foi computado por 2 examinadores treinados na lâmina própria (área com e sem infiltrado), epitélio juncional/sulcular e epitélio oral externo em microscópio de luz convencional em aumento de 400X. As diferenças entre os 3 grupos foram analisadas pelo teste de Mann-Whitney. Análise de regressão múltipla foi usada para avaliar associação entre o número de mastócitos e profundidade de sondagem, nível clínico de inserção, sangramento a sondagem, supuração, edema, idade e sexo dos pacientes. Nenhuma diferença foi observada no número de mastócitos na gengivite, periodontite e periodonto saudável nos epitélios e lâmina própria (p > 0.05). Correlação positiva foi observada entre número de mastócitos na lâmina própria e supuração e o número de mastócitos no epitélio oral e idade (p=0.04). Houve uma tendência de significância entre número de mastócitos no infiltrado inflamatório e profundidade de sondagem (p =0.06). Pode-se concluir que, periodontite, gengivite e gengiva saudável apresentam número similar de mastócitos e que existe relação entre supuração e idade do paciente e o número de mastócitos. G022 AVALIAÇÃO DA FORÇA DE TRAÇÃO DO CIMENTO RESINOSO APÓS PREPARO COM SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS UTILI- ZADAS EM ENDODONTIA G023 AVALIAÇÃO IN VITRO DA INFLUÊN- CIA DO HIPOCLORITO DE SÓDIO E DO ENDO PTC NA ADESÃO DO CIMENTO RESINOSA RELY X AUTOR: DANIELA DE PAULA SILVA ORIENTADOR: GABRIEL R. CAMPOS No presente estudo avaliou-se in vitro as influências das substâncias químicas utilizadas no preparo químico-mecânico dos sistemas de canais radiculares na adesão do cimento resinoso Rely-X. Foram utilizados 55 dentes bovinos que tiveram suas coroas seccionadas na porção cervical. Em seguida, seccionadas longitudinalmente, padronizados em 10 mm, tomando-se como referência a linha esmalte-cemento. Os espécimes foram incluídos em blocos de resina auto-polimerizável e receberam tratamento com hipoclorito de sódio nas concentrações de 0,5% (grupo 1); 1% (grupo 2); 2,5% (grupo 3); 5,25% (grupo 4), além do grupo controle que recebeu água destilada (grupo 5), pelo período de vinte minutos. Logo após os espécimes foram imersos em EDTA a 17% por 3 minutos. Um espécime de cada grupo foi submetido a MEV para avaliação da superfície radicular. Os espécimes submetidos ao teste de tração foram condicionados com ácido fosfórico a 37% por 15 segundos, sistema adesivo Single-bond e aplicado cimento resinoso Rely X. Os resultados do teste de tração medidos em Kgf submetidos a análise estatística foram: G1:(9,53); G2:(15,87); G3:(14,39); G4:(22,34) e G5:( 5,79). A análise da MEV mostrou que a dentina radicular quando em contato com o hipoclorito de sódio apresentou alterações na estrutura morfológica, com diminuição da dentina intertubular, aumento do diâmetro dos canalículos e áreas de depressões da superfície. AUTOR: FERNANDA REZENDE GONÇALVES ORIENTADOR: GABRIEL R. CAMPOS O preparo biomecânico do sistema de canais radiculares é muito importante para o sucesso do tratamento endodôntico. Este estudo avaliou, in vitro, a influência das substâncias químicas utilizadas no preparo químico-mecânico da dentina radicular, na força de tração do cimento resinoso Rely X. Utilizaram se 55 dentes bovinos que tiveram suas coroas seccionadas na porção cervical e, em seguida, seccionadas longitudinalmente e padronizados em 10 mm, tomando-se como referência a linha esmalte-cemento. A seguir, incluíram-se os espécimes em blocos de resina autopolimerizável. Eles receberam tratamento com hipoclorito de sódio nas concentrações de 1% (Grupo 1), 2,5% (Grupo 2), associações de hipoclorito de sódio a 1% + Endo PTC (Grupo 3), hipoclorito de sódio a 2,5% + Endo PTC (Grupo 4) e água destilada (Grupo 5), pelo período de 20 min, sendo que, ao final, todos foram imersos em EDTA a 17% por 3 min. Um espécime de cada grupo foi submetido a análise do MEV para avaliação da superfície. Para o teste de tração, eles foram condicionados com ácido fosfórico a 37% por 15 segundos, sistema adesivo Single-bond e sobre este aplicado cimento resinoso Rely X. Os resultados dos testes, medidos em KgF, foram:g(12,39);g2(13,75);g3(10,11);g(13,42) e G5(5,68). Observou-se na MEV que os grupos 1, 2, 3 e 4, apresentaram grande quantidade de canalículos abertos, com grande amplitude, extensa área de depressões na superfície e menor quantidade de dentina intertubular, quando comparados com o grupo controle (menor número de canalículos expostos).

8 GRADUAÇÃO G025 AVALIAÇÃO DA FORÇA DE TRAÇÃO DO CIMENTO RESINOSO APÓS PREPARO COM SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS UTILI- ZADAS EM ENDODONTIA AUTOR: JOICE SANTINI VENÂNCIO ORIENTADOR: GABRIEL R. CAMPOS Através de Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) avaliou-se a influência das soluções químicas utilizadas no preparo químico-cirúrgico de canais radiculares, na estrutura dentinária.utilizou-se 08 dentes bovinos seccionadas na porção cervical e longitudinal, padronizados em 10 mm, tomando-se como referência a linha esmalte-cemento. Tratados com hipoclorito de sódio (NaOCl) nas concentrações de 0,5%, 1%, 2,5% e 5,25%, associação NaOCl a 1% + Endo PTC, associação NaOCl a 2,5% + Endo PTC e gel de clorexidina a 2%, e imersos em solução de EDTA a 17% por 3 minutos e grupo controle que recebeu água destilada por 20 minutos. Os dentes foram submetidos a MEV nos aumentos de 500X e 1500X. O grupo tratado com água destilada e gel de clorexidina apresenta uma superfície ampla de dentina inter e peritubular, com poucos canalículos dentinários expostos e de menor diâmetro. Os dentes que receberam NaOCl à 0,5% e 1% e a associação NaOCl 1% + Endo PTC, apresentou superfície com menor área de dentina inter e peritubular, o diâmetro dos canalículos se apresentam mais amplos e em maior quantidade, além disso, observou-se pequenas depressões na superfície da dentina. Nas concentrações de NaOCl à 2,5% e 5,25% e a associação de NaOCl 2,5% + Endo PTC notou-se uma dentina com uma superfície altamente alterada, com menor presença de dentina inter e peritubular, e maior diâmetro dos túbulos dentinários e depressões em toda estrutura.

9 ESPECIALIZAÇÃO E001 O ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO DO PORTADOR DA SÍNDROME DE TRECHER COLLINS: RELATO DE CASO CLÍNICO E002 POSIÇÃO ORTOPEDICAMENTE ESTÁ- VEL NO DIAGNÓSTICO DO PERFIL KARINE OTONI COSTA; TATIANY OLIVEIRA DE ALENCAR MENEZES ORIENTADOR: TATIANE MAREGA ESPECIALIZAÇÃO EM PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS A Síndrome de Treacher-Collins é uma síndrome rara, que se caracteriza primeiramente por defeitos de estruturas derivados do primeiro e segundo arcos branquiais. É hereditária autossômica dominante e ocorre em aproximadamente um para cada a nascimentos. Indivíduos com a síndrome apresentam freqüentemente uma fácie característica de peixe. O objetivo do estudo foi relatar as principais características clínicas encontradas nesta Síndrome e o atendimento a nível ambulatorial. Concluiu-se a partir do caso clínico, que o atendimento odontológico é possível, sendo fundamental o uso meios de adaptação para facilitar a comunicação com o paciente e técnicas de abordagem que possibilitem a dessensibilização ao ambiente odontológico e conseqüente realização do tratamento ambulatorial. AUTOR RINALDO MARTINS JORGE CRUZ; CEZAR BENEDITO VIEIRA ORIENTADOR: keung pui lai ESPECIALIZAÇÃO EM Neste trabalho foi apresentado um caso clínico onde a paciente relatava dores na região da musculatura do masseter e cefaléias constantes. A paciente em máxima intercuspidação habitual (MIH) induzia o clínico a acreditar que esta apresentava uma maloclusão de classe II dentária e perfil reto. Contudo, após o uso da placa estabilizadora, com o intuito de levar a uma posição ortopedicamente estável dos côndilos, observou-se que a paciente apresentava de um perfil retrognata de classe II esquelética e dentária. Concluiu-se que a estabilidade condilar é de suma importância para o estudo do perfil, evitando se acreditar num posicionamento condilar mascarado, que pode resultar em um diagnóstico irreal. E003 CARGA IMEDIATA TIPO PROTOCOLO BRÄ- NEMARK: RELATO DE CASO CLÍNICO E004 REABILITAÇÃO ORAL DA MAXILA SEVERA- MENTE ATRÓFICA COM ENXERTO ÓSSEO AUTÓGENO DE CRISTA ILÍACA E IMPLANTA- ÇÃO DE PRÓTESE IMPLANTOSUPORTADA AUTORES: ROSE T. P. ALVES BEZERRA; FRANCISCO C. F. DOS REIS ORIENTADOR: SATURNINO APARECIDO RAMALHO ESPECIALIZAÇÃO EM IMPLANTODONTIA Protocolo de Instalação de Implantes com a aplicação de carga funcional imediata é uma alternativa de tratamento com criteriosas indicações de envolvimento clínico e biomecânico. Nesta terapia, destaca-se a redução do tempo de reabilitação bucal com vantagens de custo e benefício e sucesso clínico, resultante da restauração da função, estética facial e socialização do indivíduo. AUTOR: GABRIEL JOSÉ SCHIAVINATO ORIENTADOR: ALEXANDRE SALVONI ESPECIALIZAÇÃO EM IMPLANTODONTIA O presente caso clínico em que a paciente S.P.C.S. de 43 anos, gênero feminino, etnia branca, recebeu enxerto ósseo de crista ilíaca em maxila atrófica, onde a técnica utilizada para a instalação do enxerto foi onlay ( bloco córtico medulares) na região anterior e inlay ( córtico medular particulado) em seio maxilar bilateral e esvaziamento do forame naso-palatino. Após 6 meses foram instalados 7 implantes, passado mais 6 meses, foi feito reabertura e instalação de uma prótese Implantosuportada. E005 ODONTODISPLASIA REGIONAL: EXPRES- SÃO DAS PROTEÍNAS DA MATRIZ EXTRA- CELULAR NA DENTINA E006 ANA FLÁVIA DE MATTOS COSTA ORIENTADOR: CRISTIANE FURUSE ESPECIALIZAÇÃO EM PATOLOGIA BUCAL A finalidade deste estudo foi avaliar, através da imunoistoquímica, a expressão de proteínas da matriz extracelular da dentina dos dentes afetados com odontodisplasia regional, envolvidas na sua mineralização, como: colágeno tipo I; tenascina; fibronectina; osteocalcina; osteonectina e a osteopontina, comparando-as com a dentina normal. Os resultados mostraram colágeno tipo I desorganizado e a expressão de osteopontina nas áreas amorfas dos dentes afetados.

10 ESPECIALIZAÇÃO E007 E008 UTILIZAÇÃO DE MONOBLOCO ÓSSEO REMOVIDO DO MENTO PARA RECONS- TRUÇÃO DE PRÉ-MAXILA ATRÓFICA RAFAEL L. ZANDONÁ ORIENTADOR: ALEXANDER D. SALVONI ESPECIALIZAÇÃO EM IMPLANTODONTIA No presente trabalho relatamos um caso clinico onde o paciente edentado parcial na região anterior superior, procurou atendimento odontológico a fim de reabilitação por meio de implantes dentais. Durante exame clinico e radiográfico constatou-se a insuficiência de tecido ósseo principalmente em relação a espessura. Com a finalidade de reconstruir a pré-maxila e posteriormente propiciar a instalação de implantes osseointegrados foi realizado procedimento de enxertia óssea em bloco com tecido autógeno. Como área doadora foi escolhido a região de sinfise mentoniana. Para um melhor resultado estético foi removido um bloco único que, após preparado, foi adaptado e fixado a região receptora. Após um período de cicatrização de 6 meses foi realizada a reabertura da região enxertada onde se observou aspectos clínicos de integração do osso enxertado ao tecido ósseo nativo. Este trabalho ilustra uma forma eficaz de restabelecer a estética em caso de atrofia severa da pré-maxila. E009 REPOSICIONAMENTO CIRÚRGICO DO SE- GUNDO MOLAR INFERIOR E010 EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA ASSISTIDA CIRURGICAMENTE - ERMAC AUTOR: MARCELO TEIXEIRA FERNANDES ORIENTADOR: REGIS PIMENTA ESPECIALIZAÇÃO EM CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCOMAX- ILOFACIAL O reposicionamento cirúrgico de segundo molar inferior impactado é um procedimento efetivo, pouco invasivo e que apresenta mínimas alterações periodontais no pós-operatório. O enxerto de complexo de Colágeno Tipo I com hidroxiapatita apresenta características osseoindutivas, sendo um material de fácil manipulação, de cor branca, flexível e com alta agregação e moldável (VIDAL, 1996). No procedimento cirúrgico a osteotomia deve ser precisa e conservadora, facilitando o reposicionamento e evitando os riscos pós-operatórios das exodontias, com resultados eficazes e bem tolerados pelo paciente. AUTOR: MARCELO TEIXEIRA FERNANDES ORIENTADOR: REGIS PIMENTA ESPECIALIZAÇÃO EM CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCOMAX- ILOFACIAL O diagnóstico para indicação da ERMAC baseia-se nos aspectos clínicos de mordida cruzada, palato ogival, apinhamento e rotaçöes dentárias, além de medidas cefalométricas em norma póstero-anterior. Sua indicação principal é para pacientes com idade adulta crescimento ósseo terminado que apresentam as características acima. Determina simultaneamente à abertura da sutura intermaxilar, alterações esqueléticas no sentido ântero-posterior e vertical. Utilizam-se técnicas de osteotomia maxilar nos três planos espaciais que possibilitam a realizaçäo da ERMAC, demonstradas através da descrição de um caso clínico.

11 DOUTORADO G012 INFLUÊNCIA DAS DROGAS ANTIINFLA- MATÓRIAS NÃO ESTEROIDAIS NA REPA- RAÇÃO ÓSSEA PERIIMPLANTAR G013 ASSOCIAÇÃO ENTRE ALTERAÇÕES MO- LECULARES E REABSORÇÃO RADICU- LAR APICAL EXTERNA DECORRENTE DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO AUTOR: ALETHÉIA B. PABLOS ORIENTADOR: SATURNINO APARECIDO RAMALHO FARMACOLOGIA As drogas antiinflamatórias não-esteroidais (DAINES) são utilizadas no controle de dor e edema pós-operatórios, entretanto podem inteferir no processo de reparação óssea. Trinta ratos Sprague Dawley machos foram distribuídos em 3 grupos de dez animais: animais não tratados com DAINES (controle) e grupos tratados com diclofenaco sódico e meloxicam. Para observação comparativa da histometria computadorizada e manual, utilizaram-se marcadores ósseos (fluorocromos) que ao se quelarem ao cálcio são conjuntamente depositados na matriz colágena durante processo de mineralização: tetraciclina (amarela - 1ªe 2ª semanas), calceína (verde - 3ª semana) e alizarina (marrom-avermelhado - 4ª semana), administrados semanalmente possibilitando avaliação nos períodos discriminados. O material foi incluído em resina acrílica metilmetacrilato, e cortes de 10μm de espessura foram analisados em microscopia de fluorescência. Os resultados demonstraram, pela redução significativa do marcador de 1ª e 2ª semanas (tetraciclina), que houve atraso da neoformação óssea neste período no grupo tratado com diclofenaco; o mesmo não ocorreu com o meloxicam, já que não houve diferença estatística significante entre os grupos controle não-tratado e tratado com meloxicam. Conclui-se que a neoformação óssea periimplantar foi atrasada pelo uso do diclofenaco sódico e o meloxicam não interferiu na neoformação óssea. AUTOR: ELISABETH MARIA BASTOS LOPES ORIENTADOR: RUI B. BRITO JR. A reabsorção radicular apical externa (RRAE) é uma seqüela indesejável do tratamento ortodôntico. Estudos histológicos e clínicos relatam uma prevalência variada. Durante o tratamento ortodôntico, a compressão mecânica gerada pela força aplicada aos dentes provoca, no ligamento periodontal, um processo inflamatório, com liberação de mediadores químicos. A interleucina 1 (IL 1) tem sido apontada como uma citocina envolvida neste processo.

12 M001 SÍNDROME DE PATAU M002 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE MAN- CHAS BRANCAS DO ESMALTE DENTÁRIO AUTORES: DALYSE SALLES FREITAS E SILVA, CRISTINA MARTA FER- REIRA GRADELLA ORIENTADOR: DANIELA RAGGIO ODONTOPEDIATRIA O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de Síndrome de Patau do paciente J.R.R.L, sexo masculino, que compareceu ao Centro de Reabilitação das Deformidades Faciais em São Paulo com três meses de idade, baixo peso corporal, problema respiratório importante, fissura lábio-palatina, microftalmia, polidactilia e outras malformações para tratamento de ortopedia maxilar neonatal. A Síndrome de Patau é uma desordem cromossomal caracterizada especificamente por anomalias morfológicas e malformações de órgãos. Foi descrita em 1960 por Patau e cols., sua incidência é de 1/5000 recém-nascidos, sendo que a minoria ultrapassa o primeiro ano de vida e tem probabilidade de risco agravada possivelmente por gravidez tardia. O tratamento deve ser multidisciplinar e necessita de um acompanhamento cuidadoso durante o período neonatal. AUTORES: CRISTINA MARTA FERREIRA GRADELLA, DALYSE SALLES FREITAS E SILVA ORIENTADOR: DANIELA RAGGIO ODONTOPEDIATRIA O objetivo deste trabalho é enfatizar as características clínicas de cada tipo de mancha branca do esmalte dentário para auxiliar na diferenciação de seu diagnóstico, assim como nas formas de tratamento. O esmalte dental pode apresentar alterações de cor causadas por fatores extrínsecos e/ou intrínsecos. Dentro da categoria das manchas extrínsecas enquadram-se as manchas brancas decorrentes do processo de desmineralização da doença cárie, as quais podem se apresentar na forma ativa ou inativa. Por outro lado, distúrbios locais ou sistêmicos, ocorridos durante a fase de odontogênese, podem ser manifestados como manchas brancas intrínsecas no esmalte dental, representadas pela hipomineralização ou pela fluorose dental leve. É de suma importância efetuar o diagnóstico diferencial entre os diferentes tipos de manchas brancas do esmalte dental, já que o plano de tratamento para cada caso é diferente, podendo envolver desde procedimentos como orientações de higiene e dieta, microabrasão, restauração estética, até à reconstrução protética. M003 DIREITOS AUTORAIS X PROPRIEDADE INTELECTUAL M004 UTILIZAÇÃO DE NÚCLEOS EM TARGIS E VECTRIS PARA AUMENTO DA RESIS- TÊNCIA RADICULAR AUTOR: ANGELA DE JESUS MARQUES ARAÚJO SANTOS ORIENTADOR: ROBERTA TARKANY BASTING O objetivo do trabalho é orientar o registro de uma obra na biblioteca nacional, garantindo a proteção de sua criação, visando a possibilidade da divulgação de trabalhos científicos através de qualquer suporte como a web, por meio de revistas virtuais, homepages, de associações e instituições. AUTOR: JARBAS EDUARDO MARTINS ORIENTADOR: PEDRO PAULO FELTRIM PRÓTESE DENTÁRIA O objetivo deste trabalho é apresentar uma alternativa simples e eficaz de aumentar a resistência de raízes com condutos amplos causados por cáries e ou núcleos pré-existentes que necessitem ser trocados, através de núcleos de Targis e Vectris cimentados por sistemas adesivos. M005 DISJUNTOR PALATINO TIPO HAAS M006 COROA DE PORCELANA EM CERAONE EM DENTE POSTERIOR RELATO DE CASO CLÍNICO AUTOR: ÁDEN CUNHA SANTOS ORIENTADOR: KÁTA J. FERRER O objetivo deste trabalho é apresentar através de um caso clínico um método de tratamento para pacientes jovens e adultos jovens, com deficiência de crescimento transversal maxilar (atresia maxilar). O disjuntor palatino tipo HAAS, é um aparelho de fácil adaptação e bastante aceito pelos pacientes. AUTOR: SILVIA REGINA GOMES MAIA ORIENTADOR: RICARDO TATSUO INOUE PRÓTESE DENTÁRIA Os implantes osseointegrados se consolidaram como um tratamento de grande previsibilidade. As taxas de sucesso protético chegam a mais de 90% para diferentes tipos de próteses favorecendo pacientes desdentados totais até pacientes com perdas de um único dente. Este trabalho tem como objetivo relatar a confecção de coroa metalocerâmica sobre pilar Cera-One (Nobel-Biocare) para manutenção de espaço edentulo unitário na mandíbula de paciente do sexo feminino.

13 M007 MECÂNICA ORTODÔNTICA COM O SIS- TEMA DE ANCORAGEM ORTHOSYSTEM EM INDIVÍDUO ADULTO COM DOENÇA PERIODONTAL M008 SEQUÊNCIA CLÍNICA DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ROTATÓRIO PROTAPER IN- DICADA PELA EQUIPE DE ENDODONTIA DE CAMPINAS - EEC AUTOR: CARLA MÔNICA ZARDO ORIENTADOR: THOMAZ WASSALL IMPLANTODONTIA Este relato clínico apresenta a viabilidade de mecânica ortodôntica, por meio da utilização do sistema de ancoragem Orthosystem, em um indivíduo do gênero masculino, 55 anos, com doença periodontal. AUTOR: FELIPE DAVINI ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Este painel tem por objetivo demonstrar uma técnica de instrumentação do Sistema de Canais Radiculares, desenvolvida pela EEC, o qual visa um hibridismo entre a instrumentação rotatória a instrumentação manual, propiciando um melhor preparo químico mecânico, uma melhor modelagem e sanificação do Sistema de Canais Radiculares M009 REGENERAÇÃO ÓSSEA GUIADA PARA INSTALAÇÃO DE IMPLANTE M010 DESENVOLVIMENTO DE UM BRAQUETE VERSÁTIL PARA OS CANINOS, NA TÉC- NICA STRAIGHT WIRE AUTOR: AUGUSTO CEZAR AFFONSO FILHO ORIENTADOR: THOMAZ WASSALL IMPLANTODONTIA O autor mostra um caso clínico onde utilizou a técnica da Regeneração Óssea Guiada em um defeito ósseo com a finalidade de instalar um implante. AUTOR: RICARDO F. DE SOUZA ORIENTADOR: ROBERTA TARKANY BASTING A Filosofia do Dr. Roth introduziu algumas modificações à técnica do Straigth Wire preconizado por Andrews. A inclinação dos caninos produz efeitos colaterais durante a fase de nivelamento e alinhamento. Observa-se um aprofundamento da sobremordida anterior e abertura da mordida na região dos pré-molares, em função da inclinação de 13º do slot estar incorporado em sua totalidade, além de consumir mais ancoragem. Esses efeitos podem ser evitados com a utilização nos caninos, de um braquete versátil, que proporcione uma individualização, cabendo ao profissional a decisão de qual a melhor inclinação para aquele caso em particular. M011 HIPERPLASIA FIBRO-EPITELIAL CAU- SADA POR PRÓTESE TOTAL M012 MICROSCÓPIO OPERATÓRIO NO DIAG- NÓSTICO DE FRATURA VERTICAL DA RAIZ CASOS CLÍNICOS AUTOR: ROBERTO SÉRGIO DE VASCONCELOS SOUSA ORIENTADOR: JOSÉ VIRGÍLIO DE PAULA EDUARDO PRÓTESE DENTÁRIA A hiperplasia fibro-epitelial ocorre em decorrência de estímulos traumáticos sobre a mucosa, ao redor de próteses totais ou parciais mal adaptadas. Desta forma, o objetivo deste trabalho é demonstrar casos clínicos de lesões de hiperplasia fibroepitelial relacionadas à próteses mal adaptadas. AUTOR: JOSÉ EDUARDO DE MELLO JR. ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA A fratura vertical da raiz (FVR) é uma patologia que pode ser confundida com outras. Isso ocorre, na maioria das vezes, devido a dificuldade de sua visualização. Serão apresentados dois relatos de caso clínico,onde a FVR esta presente, e para elucidação desse diagnóstico destacamos a importância do microscópio operatório, que foi fundamental no processo. No primeiro caso o diagnóstico foi clínico (via canal), e no segundo caso o diagnóstico foi cirúrgico (via cirúrgica).

14 M013 ANQUILOSE DE MOLAR DECÍDUO RE- LATO DE CASO CLÍNICO M014 ANATOMIA DE PRIMEIRO PRÉ-MOLAR INFERIOR: RELATO DE CASO CLÍNICO AUTOR: IRAN ALVES MAIA ORIENTADOR: MÁRIO VEDOVELLO FILHO IMPLANTODONTIA A anquilose de molares decíduos é uma condição patológica caracterizada pela ausência parcial ou total do ligamento periodontal, levando à infra-oclusão e podendo ocasionar diminuição do perímetro do arco com inúmeros problemas oclusais associados. AUTOR: LUDMILLA CIUCCI BORGES ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA O conhecimento da anatomia e morfologia radicular é de suma importância para o sucesso do tratamento endodôntico. Os pré-molares inferiores são dentes com grande variação anatômica e muitas vezes estas ocorrem de forma significativa. O objetivo deste estudo é demonstrar um caso clínico de um primeiro préinferior com dois canais. M015 CASO CLÍNICO: TRATAMENTO ENDO- DÔNTICO DE UM DENTE PORTADOR DE UMA ANOMALIA M016 TÉCNICA PARA REMOÇÃO DE PINO ESTÉTICO AUTOR: SUSY CRISTINA GOUVÊA ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Alguns dentes apresentam características anatômicas que podem dificultar a realização do tratamento endodôntico. Foi descrita a realização do tratamento endodôntico num dente portador de uma anomalia chamada de dens in dente com lesão periapical detectada radiograficamente. Após a realização da cirurgia de acesso foi realizado o preparo químico-mecânico utilizando a técnica híbrida sugerida pela Equipe de Endodontia de Campinas. Após a realização da obturação do sistema de canais radiculares o dente foi restaurado e decorrido 1 ano foi realizada nova tomada radiográfica em que se observou o processo de reparo da lesão periapical. AUTOR: CRISTIANE MIDORI TAKAHASHI ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Este trabalho demonstra uma técnica de remoção de pinos de fibra de vidro, visto que estes são muito utilizados principalmente devido a sua característica estética. Essa remoção é realizada com o auxílio de aparelhos como o ultra-som e o microscópio operatório, e seu objetivo é remover apenas o pino, preservando a estrutura dental. M017 TRATAMENTO ENDODÔNTICO REALIZADO COM O AUXÍLIO DO SISTEMA PROTAPER DE INSTRUMENTAÇÃO ROTATÓRIA ATRA- VÉS DA TÉCNICA PRECONIZADA PELA EEC -APRESENTAÇÃO DE CASO CLÍNICO M018 REABSORÇÃO INTERNA: IMPORTÂCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE AUTOR: LUIZ HENRIQUE TEIXEIRA FERNANDES ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA O objetivo deste trabalho é apresentar a realização de dois casos clínicos com utilização do sistema de instrumentação rotatória PROTAPER com algumas modificações em relação à técnica descrita pelo fabricante, preconizada pela EEC. AUTOR: GRAZIELLA LANDI THOMÉ ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Com este estudo, visou-se elucidar a importância do diagnóstico precoce das reabsorções dentárias, principalmente a do tipo interna; através de citações desta patologia durante os anos de pesquisa e o que os avanços atuais podem beneficiar o sucesso terapêutico. O conhecimento dos sinais e sintomas, causas e imagens radiográficas, podem ajudar na elaboração da conduta clínica adequada e determinação do prognóstico terapêutico.

15 M019 ANATOMIA INTERNA DE PRÉ-MOLARES SUPERIORES: UMA REVISÃO DA LITE- RATURA M020 CORREÇÃO DA RELAÇÃO MOLAR DE CLASSE II COM A UTILIZAÇÃO DO APA- RELHO QUAD-HELIX DE RICKETTS AUTOR: FLÁVIA CASALE ABE ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA O conhecimento detalhado da anatomia interna dos dentes se faz necessário antes de se iniciar a limpeza do sistema de canais radiculares. A literatura mostra uma grande variação nos resultados obtidos em estudos de dentes pré-molares superiores, demosntrando a complexidade e variabilidade da configuração desses dentes. AUTOR: VIVIAN PINTI LEÃO ORIENTADOR: FERNANDA LOPES DA CUNHA O objetivo desse trabalho é apresentar um caso clínico de maloclusão de Classe II, com comprometimento no espaço do arco. O caso foi tratado em um ano e seis meses utilizando o aparelho quad-helix, com ativação para rotação e distalização molar, procedimento este necessário para destravar a maloclusão e restabelecer as normas transversais. Conclui-se que o quad-helix foi efetivo de acordo com o objetivo proposto. M021 PRÓTESE TOTAL SOBRE PROTOCOLO MANDIBULAR: DESCRIÇÃO DE CASO CLÍNICO M022 ASPECTOS PERTINENTES À ANATOMIA E TRATAMENTO DO SEGUNDO MOLAR IN- FERIOR COM CANAL EM FORMA DE C AUTOR: TATIANE SOUBIHE ORIENTADOR: MARCELO L. TEIXEIRA PRÓTESE DENTÁRIA A reabilitação de pacientes inválidos orais com a utilização de protocolo mandibular é uma técnica bastante descrita na literatura com ótimos resultados funcionais e estéticos e um excelente índice de sucesso em longo prazo, quando adequadamente indicado e confeccionado. O presente trabalho descreve a confecção de uma prótese total inferior implanto-suportada sobre protocolo mandibular, com bom resultado final e, principalmente, a satisfação do paciente. AUTOR: FELIPE RIZZO ORIENTADOR: CARLOES EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Em se tratando dos dentes posteriores, o Segundo Molar Inferior possui algumas variações na conformação do sistema de canais radiculares. A presença do canal em formato de C, devido sua dificuldade de tratamento, representa certamente um desafio para o profissional que visa um melhor prognóstico. Diante disto, o objetivo do trabalho foi elucidar aspectos relevantes sobre a anatomia, diagnóstico e tratamento de canais radiculares em forma de C do 2º MI. Chegou-se a conclusão de que um conhecimento prévio das peculiaridades anatômicas, bem como uma busca contínua de novas informações através de estudos e pesquisas, possibilitam o profissional um maior índice de sucesso no tratamento endodôntico desses dentes. M023 RADIOPACIDADE DE SETE CIMENTOS ENDODÔNTICOS AVALIADA ATRAVÉS DE RADIOGRAFIA DIGITAL OBTIDA PELO MÉTODO INDIRETO M024 SELAMENTO CIRÚRGICO DE PERFU- RAÇÃO RADICULAR UTILIZANDO MTA COMO MATERIAL SELADOR AUTOR: FÁBIO DUARTE DA COSTA AZNAR ORIENTADOR: LUIS VALDRIGHI ENDODONTIA Dentre as propriedades físicas requeridas para os cimentos endodônticos, a presença de radiopacidade é uma das mais importantes para o clínico, particularmente na avaliação do preenchimento durante a fase de obturação. Portanto, a finalidade deste trabalho foi determinar a radiopacidade de sete cimentos endodônticos através da digitalização de imagens radiográficas e análise com o uso do software Image Tool. Com os valores obtidos, a ordem dos cimentos do mais radiopaco para o menos foi: AH Plus; EndoRez; Intrafill; Sealer 26; Endomethasone; Apexit; e Sealapex, sendo que todos os cimentos apresentaram radiopacidade maior que a da dentina, e o cimento AH Plus radiopacidade maior que a da guta-percha. AUTOR: KENNER BRUNO MIGUITA ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Este painel tem como objetivo, apresentar um caso clínico de perfuração radicular na face vestibular do dente 14. Foi realizado o aplainamento e selamento através de um procedimento cirúrgico onde foi utilizado o cimento MTA. Após acompanhamento de seis meses, observou-se a ausência de sinais e sintomas.

16 M025 PRÓTESE CERÂMICA METAL FREE DE IN-CERAM ALUMINA SOBRE IMPLANTE M026 ALTERAÇÕES CLÍNICO-RADIOGRÁFI- CAS NA REPARAÇÃO DA PERIODONTITE AGRESSIVA AUTOR: GENTIL BARBIERI ZANON JR. ORIENTADOR: MARCELO L. TEIXEIRA PRÓTESE DENTÁRIA Este trabalho apresenta uma seqüência clínica onde se realizou a reabilitação estética de um caso, encaminhado após tratamento ortodôntico, que apresentava agenesia de canino superior esquerdo (23). No local foi instalado um implante, realizando a confecção de uma coroa unitária sobre implante com o sistema metal free de In-Ceran Alumina. AUTOR: MIGUEL ANGELO BERNARDON ORIENTADOR: EDUARDO SABA-CHUJFI Relato de caso clínico do tratamento de periodontite agressiva generalizada com o objetivo de avaliar as alterações clínico-radiográficas periodontais após 10 meses do tratamento conservador ativo, respeitando os princípios da Medicina Periodontal. Os resultados obtidos quanto o aspecto clínico gengival e radiográfico são condizentes com reparação e está relacionado a uma terapia com ênfase na máxima supressão de microrganismos infectantes, acarretando êxito na conduta periodontal instituída. M027 TÉCNICA PARA REMONTAGEM EM AR- TICULADOR DE PRÓTESES TOTAIS APÓS POLIMERIZAÇÃO M028 ETIOLOGIA E ASPECTOS CLÍNICOS DA HIPERSENSIBILIDADE DENTINÁRIA AUTOR: CRISTINA MARIA BRASIL LEAL ORIENTADOR: KARINA A. NOVAES OLIVIERI PRÓTESE DENTÁRIA Independente do método de polimerização e dos cuidados dedicados aos procedimentos laboratoriais, há uma alteração dimensional nas próteses totais observada na remontagem em articulador. Através de uma placa de acrílico com quatro saliências em forma de cunhas, dois imãs e duas placas de metal é possível montar os modelos no articulador, removê-los para inclusão e polimerização e em seguida remontá-los para fazer os ajustes oclusais. Este trabalho teve como objetivo apresentar uma técnica para remontagem de próteses totais após polimerização usandose a atração magnética e a presença de cunhas para guiar o retorno dos modelos ao articulador com uma certa precisão. AUTOR: GUILHERME ANTONIO M. MIGUEL ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA A hipersensibilidade dentinária é um dos desconfortos dentais mais freqüentes, causado principalmente por áreas de dentina exposta. Seu entendimento, resolução e possível prevenção torna-se um item necessário para que o clínico possa corresponder a expectativa do paciente. O objetivo deste estudo, é apresentar uma revisão de literatura sobre etiologia e aspectos da hipersensibilidade dentinária. De acordo com os achados na literatura concluímos que grande parte da população apresenta hipersensibilidade dentinária, tendo como principais etiologias a escovação inadequada, trauma oclusal, abrasão e erosão. M029 EXPANSÃO PALATAL E PROTRAÇÃO DA MAXILA NO TRATAMENTO PRECOCE DA MALOCLUSÃO DE CLASSE III- RELA- TO DE CASO CLÍNICO M030 TRATAMENTO ORTO-CIRÚGICODA MORDIDA ABERTA ESQUELÉTICA AUTOR: THEMIS KOFF ORIENTADOR: ROBERTA TARKANY BASTING A maloclusão de classe III é determinada por uma discrepância esquelética sagital entre as bases ósseas.o diagnóstico preciso e precoce de classe III e a indicação de terapia adequada, utilizando-se disjunção palatal rápida, seguida da protração da maxila através do uso de máscara facial, permitem a obtenção de resultados satisfatórios. Neste trabalho, relatou-se a fase de pré-tratamento ortodôntico em que foi utilizado o disjuntor de Haas seguido da máscara facial para correção da deficiência maxilar. Observou-se a efetividade da disjunção palatal seguida da protração maxilar no tratamento de discrepâncias esqueléticas de classe III com retrognatia maxilar. Houve correção maxilo-mandibular em idade precoce, proporcionando respostas ósseas favoráveis ao paciente. AUTOR: ANA AMÉLIA AMOY FREITAS ORIENTADOR: ROBERTA TARKANY BASTING Este trabalho relata um caso clínico de mordida aberta esquelética. De acordo com o planejamento, o paciente submeteu-se a um tratamento ortodôntico prévio à cirurgia ortognática, obtendo-se uma oclusão funcional adequada e uma boa estética facial.

17 M031 EXTRAÇÃO SERIADA M032 TRATAMENTO DE MORDIDA PROFUNDA COM EQUI-PLAN MODIFICADO ASSO- CIADO A ELÁSTICOS INTERMAXILARES CASO CLÍNICO AUTOR: TEREZA CRISTINA M. FARIAS ORIENTADOR: KÁTIA DE JESUS N. FERRER A classe I, é uma das maloclusões mais frequentemente encontrada(50% Silva Filho). A terapia das extrações seriadas como tratamento interceptativo é realizado na dentição mista com o propósito de minimizar ou impedir o agravamento da maloclusão na dentição permanente, com a redução do volume dentário em estágios precoces. AUTOR: MILLY MARTINS MOUTINHO ORIENTADOR: KÁTIA DE JESUS N. FERRER O objetivo deste trabalho foi o de demonstrar o tratamento de mordida profunda com equi-plan modificado modelo basculante em paciente do gênero masculino com idade de 19 anos, padrão face curta (braquifacial), onde o espaço funcional livre pôde ser modificado. M033 CIRURGIA PERIPICAL: RELATO DE CASO M034 NEUROFIBROMATOSE AUTOR: MARCEL SHIMBO ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA A cirurgia periapical é um recurso muito utilizado na endodontia para casos de fracasso endodôntico. Será apresentado um relato de caso clínico, onde foi realizado o procedimento. AUTOR: DÉBORA MARIA PEREIRA COVA ORIENTADOR: ORIVALDO TAVANO RADIOLOGIA Neurofibromatose (NF) é uma definição de duas desordens genéticas com poucas características relacionadas, porém com muitas manifestações clínicas e origens genéticas distintas. A neurofibromatose (NF) é uma anomalia que afeta primariamente o crescimento das células dos tecidos neurais, determinando o aparecimento de tumores benignos que se instalam nos locais mais variados, por isso o objetivo desse trabalho é o diagnóstico precoce, porque podem surgir em qualquer etapa da vida. Suas manifestações são em geral progressivas, mas a maioria dos afetados apresentam quadros clínicos compatíveis com o exercício de atividades normais. Nesse trabalho foi feito exames de diagnóstico, do mais simples como o clínico, teste de vitalidade, exames radiográficos até uma biópsia para determinar resultado final, e por fim remoção da lesão. M035 TRAÇÃO REVERSA DA MAXILA COM MÁSCARA FACIAL NA MALOCLUSÃO DE CLASSE III M036 DENTES SUPRA-NUMERÁRIOS: CORRE- LAÇÃO CIRURGIA/ PARA MELHORA ESTÉTICA E FUNCIONAL DA OCLUSÃO AUTOR: ALEXANDRE DE MELO PANTALEÃO ORIENTADOR: ROBERTA TARKANY BASTING A correção da maloclusão de classe III de Angle ou mesmo da classe III esquelética pode ser corrigida com cirurgia ortognática. Esta maloclusão envolve problemas de hipodesenvolvimento maxilar, indicando-se o uso da Máscara Facial para a correção do perfil facial do paciente. O presente trabalho se propõe a mostrar a importância do tratamento da maloclusão de classe III com uso da tração reversa da maxila. AUTOR: DANIELA SOUZA LOPES ORIENTADOR: KÁTIA DE JESUS N. FERRER Este trabalho apresenta um caso clínico em que o paciente apresentava vários supra-numerários, localizados principalmente na região anterior da maxila. Por não terem sido removidos precocemente, causaram alterações no desenvolvimento da oclusão e estética desfavorável. O tratamento proposto foi remoção cirúrgica destes dentes com complementação ortodôntica para melhora funcional e estética.

18 M037 MÉTODO DE CONFECÇÃO DA PLACA REPOSICIONADORA MANDIBULAR M038 ANÁLISE COMPARATIVA IN VITRO DA EFICÁCIA DE DUAS TÉCNICAS DE INS- TRUMENTAÇÃO EM CANAIS RADICULA- RES IRREGULARES AUTOR: HUMBERTO C. MUREB ORIENTADOR: MILTON EDSON MIRANDA PRÓTESE DENTÁRIA A placa reposicionadora mandibular em resina acrílica rígida termopolimerizada é indicada no tratamento de deslocamento anterior do disco com redução uma vez que posiciona a mandíbula mais anteriormente, promovendo assim o reposicionamento do disco contra a porção ântero-superior do côndilo. AUTOR: SIMONE BARBIERI ORIENTADOR: LUIZ VALDRIGHI ENDODONTIA Os autores procuraram analisar nos três terços de vinte e quatro canais radiculares, o desgaste obtido através de duas técnicas de instrumentação rotatória, uma proposta pelo fabricante do sistema Kavo ENDOflash e outra sugerida pelos autores, utilizando canais radiculares distais de molares inferiores em forma de rim. Através da técnica proposta por PEREIRA3 et al. (1997), os canais foram radiografados com incidências vestíbulo-lingual e mésio-distal. A mensuração do diâmetro dos canais foi realizada antes e após a instrumentação destes, permitindo conhecer o desgaste realizado pela limagem de cada uma das técnicas de instrumentação. A análise estatística mostrou que a instrumentação combinada produziu maior desgaste de dentina nos três terços dos condutos quando comparada com a técnica proposta pelos autores. Verificou-se também, que a instrumentação rotatória proposta pelo fabricante conferiu preparos mais centralizados e não limpou toda a extensão dos canais com forma de rim, enquanto que a instrumentação proposta pelos autores preparou toda a extensão desses canais. M039 ENCERAMENTO GENGIVAL ESTÉTICO M040 CASO CLÍNICO: USO DE HIDRÓXIDO DE CÁLCIO EM LESÕES PERIAPICAIS CRÔ- NICAS AUTOR: ANA PAULA C. LODO ORIENTADOR: JOSÉ VIRGILIO P. EDUARDO PRÓTESE DENTÁRIA Durante a confecção de uma prótese total, existe uma etapa que é a prova dos dentes com enceramento gengival. Nesta fase o paciente e o dentista vão avaliar as características funcionais bem como estéticas da prótese, e o intuito deste trabalho está em mostrar o quanto é satisfatório a observação do enceramento gengival com a cor da papila que será utilizada no acrílico para conclusão da prótese. Conclui-se que este recurso é de grande valia visto que o profissional e o paciente terão uma visão prévia do resultado estético final, sem o contraste da cera rosa geralmente utilizada. AUTOR: MARCELO AUGUSTO LOPES ORIENTADOR: CARLOS EDUARDO SILVEIRA BUENO ENDODONTIA Dentes com lesões periapicais crônicas e com anatomia interna complexa necessitam de medicação tópica entre sessões para que a neutralização microbiana e das endotoxinas sejam refinadas. Dessa forma, este caso clínico mostra o sucesso endodôntico obtido, após a utilização do hidróxido de cálcio entre sessões, em uma situação de retratamento onde existe lesão periapical extensa e a anatomia dos dentes está comprometida. M041 APLICAÇÕES CLÍNICAS DOS MINI-IM- PLANTES ORTODÔNTICOS M042 DISTALIZADOR JONES JIG AUTOR: CARLOS MARASSI ORIENTADOR: THOMAZ WASSALL Ancoragem é um ponto crítico do tratamento ortodôntico. Os mini-implantes podem ser utilizados como ancoragem esquelética para auxiliar os ortodontistas em diversos tipos de movimentação dentária. Este painel apresenta as principais aplicações clínicas dos mini-implantes em ortodontia. AUTOR: GLAUCIA CRISTINA PONCE ORIENTADOR: FERNANDA LOPES DA CUNHA A Ortodontia tem desenvolvido constantemente sistemas terapêuticos que possibilitam o controle do movimento dentário em qualquer idade e em qualquer direção. A evolução técnicocientífica deveu-se a vários fatores, entre eles, o desenvolvimento de sistemas biomecânicos mais eficazes e dispositivos com maior capacidade de distalizar os molares.

19 M043 ARTRITE PSORIÁTICA M044 SISTEMA PROCERA ALL CERAM: RE- LATO DE CASO CLÍNICO AUTOR: ELIANE OLDENBURG PEDRAPESSOLI ORIENTADOR: MARCELO L. TEIXEIRA PRÓTESE DENTÁRIA O presente painel tem como finalidade apresentar um caso clínico de artrite psoríatica com envolvimento da ATM esquerda. A paciente compareceu ao serviço ambulatorial com queixa e exame clínico compatível com osteoartrite da ATM esquerda (eixo III-B RDC). Entretanto, a anamnese demonstrou queixa de dor em outras articulações do organismo, sendo, pois, encaminhada a um reumatologista. Após exames complementares de sangue e cintilografia, foi constatado o quadro de psoríase e, conseqüentemente, de artrite psoríatica com comprometimento da ATM esquerda. Assim, a conduta odontológica foi de confecção de placa estabilizadora com o intuito de diminuir a sobrecarga das ATMs e conduta sistêmica conduzida pelo reumatologista. AUTOR: DIEGO FIORI MOROZI ORIENTADOR: MILTON EDSON MIRANDA PRÓTESE DENTÁRIA Este caso clínico visa destacar as características do sistema, PROCERA ALLCeram abordando todos os aspectos da confecção, desde o planejamento, indicação, seqüência clínica até a cimentação final. M045 RECOBRIMENTO DE RETRAÇÕES GEN- GIVAIS COM MATRIZ DÉRMICA ACELU- LAR - RELATO DE CASO CLÍNICO M046 DISCUSSÃO DE CASO CLÍNICO: ELIMI- NAÇÃO CIRÚRGICA DE PIGMENTAÇÃO MELÂNICA EM ÁREAS DE MÁXIMA VI- SUALIZAÇÃO GENGIVAL AUTOR: JOSIANE LEMOS MACHIAVELLI ORIENTADOR: EDUARDO SABA-CHUFJI Várias técnicas podem ser empregadas para o recobrimento radicular e a maioria delas sugerem o uso de tecido conjuntivo proveniente do palato. A partir de 1994, a matriz dérmica acelular passou a ser empregada na periodontia podendo, em alguns casos, substituir os enxertos tradicionais. O objetivo deste trabalho é mostrar, através da apresentação de um caso clínico, a Técnica dos Arcos, proposta por Saba-Chufji, associada ao uso do Alloderm, como uma alternativa para recobrimentos radiculares. Conclui-se que a técnica é uma alternativa bastante viável para melhorar a hipersensibilidade dentinária e a estética do sorriso em pacientes portadores de retrações gengivais. AUTOR: MARINA FERRAZ NEVES OLIVEIRA ORIENTADOR: EDUARDO SABA-CHUJFI O caso clínico que será apresentado refere-se a uma paciente portadora de acentuada pigmentação melânica no tecido gengival. Após o diagnóstico, as condições clínicas e radiográficas constataram perfeita normalidade periodontal, quanto à quantidade e ao padrão de pigmentação existente nos tecidos gengivais. Com a diminuição da pigmentação existente, o desejo da paciente de um sorriso mais estético foi alcançado. M047 AS PRINCIPAIS FALHAS NOS REGISTROS FOTOGRÁFICOS INTRABUCAIS COM FI- NALIDADE ORTODÔNTICA M048 PRÓTESE UNITÁRIA SOBRE IMPLANTE COM CARGA IMEDIATA E CONDICIONA- MENTO TECIDUAL - CASO CLÍNICO AUTOR: RODRIGO LARA DE SOUSA ORIENTADOR: ADRIANA SILVA DE CARVALHO O presente trabalho tem o intuito de abordar, de forma ilustrativa, os erros mais corriqueiros cometidos nos registros fotográficos intrabucais com finalidade de exame complementar ao diagnóstico ortodôntico. Para isso foram selecionadas e avaliadas as fotografias registradas dos pacientes do Mestrado em Ortodontia, tendo como parâmetro as características peculiares da técnica de posicionamento e enquadramento preconizada pelo American Board of Orthodontics. Após a avaliação das fotografias concluiu-se que os erros cometidos ocorrem pela falta de habilidade do operador comprometendo tais registros que são fundamentais para o diagnóstico e planejamento de casos bem como de suma relevância para documentação legal de tratamentos. AUTOR: PATRICIA SARAM PROGIANTE ORIENTADOR: MILTON EDSON MIRANDA PRÓTESE DENTÁRIA Relato de caso clínico associando a colocação de implante com carga imediata e condicionamento tecidual. As vantagens funcionais, estéticas e psicológicas para o paciente foram relatadas.

20 M049 CLAREAMENTO ENDÓGENO - CASO CLÍNICO M050 BARRA PALATINA - ATIVAÇÕES AUTOR: NICOLE VICTOR SILVEIRA RAMOS ORIENTADOR: AQUIRA ISHIKIRIAMA DENTÍSTICA O Clareamento dental é um procedimento imprevisível cujos resultados podem durar anos ou apenas dias. É considerado rápido, conservador e por mostrar certa diferença de cor logo na primeira sessão, é bem aceito e procurado pelos pacientes que cada vez mais buscam uma melhor aparência. Pode ser realizado tanto em dentes polpados quanto despolpados, variando apenas a técnica, o número de sessões e o gel clareador utilizado. AUTOR: PAULA ROBERTA REALI LIMA ORIENTADOR: ROBERTA TARKANI BASTING A barra palatina é um aparelho fixo, constituído de um estrutura metálica confeccionada com fio 0.9 que atravessa o palato encaixada em tubos,chamados tubos linguais ou palatinos,soldados por palatino nas bandas dos molares. A barra palatina pode ser usada de forma passiva usada de forma passiva ou ativa. Quando passiva, está indicada para ancoragem dos dentes posteriores,e quando usada de forma ativa,tem a possibilidade de movimentar os molares nos sentidos rotacional e de torque,além da ativação vestíbulo- lingual. O objetivo deste trabalho foi mostrar esquematicamente as ativações mais freqüentes da barra palatina, a rotação, expansão, torque e distalização. O conhecimento da mecânica básica da barra palatina permite que o clínico aplique criativamente em diversas situaçòes desejadas. M051 RESPIRAÇÃO BUCAL: COMO DIAGNOS- TICAR E TRATAR M052 UTILIZAÇÃO DA DISJUNÇÃO PALATAL PARA AUXILIAR A IRRUPÇÃO DE INCI- SIVO CENTRAL IMPACTADO AUTOR: ERIVALDO F. LOPES ORIENTADOR: KÁTIA DE JESUS N. FERRER Baseado nos conhecimentos represados até hoje na literatura existente, comprova-se que a respiração bucal repercute de forma danosa ao sistema estomatognático e na saúde geral das pessoas. Partindo desta premissa faremos uma abordagem de como diagnosticar e tratar a respiração bucal. AUTOR: ANA CAROLINA SILVEIRA ORIENTADOR: THOMAZ WASSALL IMPLANTODONTIA O propósito deste caso clinico tem como finalidade, demonstrar-nos o método de disjunção palatal para aumentar o perímetro do arco e indiretamente ajudar a irrupção do incisivo central superior. M053 QUANDO INDICAR O TRATAMENTO OR- TODÔNTICO EM ADULTOS COM PERIO- DONTO COMPROMETIDO M054 VERTICALIZAÇÃO MOLAR COM O USO DO UPRIGHTING JET AUTOR: ERIVALDO F. LOPES ORIENTADOR: KÁTIA DE JESUS N. FERRER Tradicionalmente, o tratamento ortodôntico destinava-se às crianças e adolescentes; porém nas últimas décadas, tem ocorrido uma maior procura em busca deste benefício pelos adultos. Isto pode ser explicado por três motivos; o aumento na expectativa e qualidade de vida da população, o aumento do número de profissionais especializados na área de ortodontia e pelas campanhas de prevenção. ]O tratamento ortodôntico em adultos com periodonto comprometido poderá ser iniciado após o efetivo controle da doença periodontal e na ausência da inflamação; o tratamento é benéfico ao indivíduo e seus riscos estão associados à falta de controle efetivo do biofilme bacteriano; as metas a serem atingidas serão limitadas de acordo com a condição individual observada no início do tratamento, com mecânica que utilizam forças leves. AUTOR: TONY ÉRISSON PEREIRA BASTOS ORIENTADOR: KÁTIA DE JESUS N. FERRER Existem hoje vários aparelhos e acessórios para verticalização molar. Um desses aparelhos com boa eficácia é o Uprighting Jet, que promove a desinclinação e verticalização dos molares.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários Nosso consultório odontológico está equipado para oferecer ao produtor rural todos os tratamentos odontológicos disponíveis na atualidade. Segue abaixo uma discriminação detalhada de cada tratamento oferecido

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR PREFEITURA DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR COORDENAÇÃO TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC FERREIRA, Jean Carlos Barbosa.*¹; MARQUES, Aline Silva¹; SILVA, Julio. Almeida² DECURCIO, Daniel Almeida²; ALENCAR, Ana Helena Gonçalves³;

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados na

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUCAL

ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUCAL Protocolo Nº: 002-S. Unidade(s) de aprendizagem ou disciplina de referência: Diagnóstico Bucal ( Unidade de Aprendizagem); Patologia Buco Dental e Estomatologia I e II ( disciplina de referência) Ementa:

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

Tabela de Preços/Descontos. Público em geral. Consulta de Medicina Dentária. Dentisteria e Estética. Restauração com Compósito ou Amálgama 50 45

Tabela de Preços/Descontos. Público em geral. Consulta de Medicina Dentária. Dentisteria e Estética. Restauração com Compósito ou Amálgama 50 45 SMILt Tabela de Preços/Descontos Designação Público em geral Comunidade IPLeiria Consulta de Medicina Dentária Consulta de Medicina Dentária 50 45 Consulta de Urgência 50 45 Dentisteria e Estética Restauração

Leia mais

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Graduação em Odontologia - 5º Período PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 GRANULOMA

Leia mais

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha MANUAL DE DIREITOS E RESPONSABILIDADES DOS PACIENTES www.ocm.mar.mil.br MARINHA DA BRASIL ODONTOCLÍNICA

Leia mais

CARAMÊS ADVANCED EDUCATION CENTER

CARAMÊS ADVANCED EDUCATION CENTER NOVO PROGRAMA [Revisto & Atualizado] CARAMÊS ADVANCED EDUCATION CENTER CURSO MODULAR DE FORMAÇÃO DE ASSISTENTES DENTÁRIOS 6.ª edição Início a 21 de novembro de 2015 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DESCRIÇÃO

Leia mais

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA PERIODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Biossegurança e Orientação Profissional Odontológica; Diagnóstico por Imagem I; Patologia Buço Denta. 2. EMENTA: O aluno

Leia mais

Escrito por Administrator Ter, 02 de Fevereiro de 2010 09:14 - Última atualização Qua, 10 de Março de 2010 08:44

Escrito por Administrator Ter, 02 de Fevereiro de 2010 09:14 - Última atualização Qua, 10 de Março de 2010 08:44 Mitos e Verdades da Odontologia Mitos: Quanto maior e colorida for nossa escova dental, melhor! Mentira. A escova dental deve ser pequena ou média para permitir alcançar qualquer região da nossa boca.

Leia mais

Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias

Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias Dr. Marco António Castro Clínicas Médicas e Dentárias Tabela proposta a sócios CCD- V.N.Gaia 01 CONSULTA Consulta de medicina dentária 10 Consulta para apresentação e discussão de plano de tratamento 10

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Vamos descrever a seguir as principais imagens das alterações da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas patológicas. FORMA

Leia mais

Doenças Periodontais. Tratamento e Prevenção. 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares

Doenças Periodontais. Tratamento e Prevenção. 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares Doenças Periodontais Tratamento e Prevenção 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares Gengivite e Periodontite Guia para o paciente Aprenda mais sobre as Doenças Periodontais (de gengiva) As doenças

Leia mais

8º Curso de Aperfeiçoamento em Implantologia e Prótese sobre Implantes (2014)

8º Curso de Aperfeiçoamento em Implantologia e Prótese sobre Implantes (2014) 8º Curso de Aperfeiçoamento em Implantologia e Prótese sobre Implantes (2014) ESTA PÓS GRADUAÇÃO DESTINA-SE A TODOS OS MÉDICOS DENTISTAS QUE PRETENDAM INICIAR OU APROFUNDAR CONHECIMENTOS NA ÁREA DE REABILITAÇÃO

Leia mais

CRONOGRAMA CURSO IMPLANTE E PERIO

CRONOGRAMA CURSO IMPLANTE E PERIO CRONOGRAMA CURSO IMPLANTE E PERIO Equipe: Coordenador Geral: Prof. Dr. Rafael Pinelli Henriques Doutor pela FOB USP Bauru S.P. Diretor COPH Bauru Coordenadora Específica: Profa. Dra. Gabriela Gennaro Especialista

Leia mais

O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica.

O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica. O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica. Fábio Gonçalves 1 Resumo O objetivo deste estudo é apresentar um caso clínico

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia 2012-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia 2012-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Odontologia 2012-1 PERDA PRECOCE DE DENTES DECÍDUOS Alunos: MARCELINO, Patrick de Almeida; SANTOS,

Leia mais

TABELA DE Preços Particular

TABELA DE Preços Particular TABELA DE Preços Particular 01 CONSULTA A1.01.01.01 Primeira consulta de medicina dentária 20,00 A1.01.01.05 Consulta de urgência 02 MEDICINA DENTÁRIA PREVENTIVA A2.01.01.01 Selamento de fissuras A2.02.01.DD

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista

Assessoria ao Cirurgião Dentista Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna a Papaiz edição IV agosto de 2014 Escrito por: Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

Especialidades Odontológicas

Especialidades Odontológicas Especialidades Odontológicas Urubatan Medeiros Doutor (USP) - Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária (UERJ/UFRJ) - Consultor do Ministério da Saúde I - Introdução A Odontologia

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO AUTORES: André Zétola Rafaela Larson Introdução A procura

Leia mais

RADIOLOGIA EM ORTODONTIA

RADIOLOGIA EM ORTODONTIA RADIOLOGIA EM ORTODONTIA Sem dúvida alguma, o descobrimento do RX em 1.895, veio revolucionar o diagnóstico de diversas anomalias no campo da Medicina. A Odontologia, sendo área da saúde, como não poderia

Leia mais

Linha 1: Resposta biológica nas terapias em Odontologia.

Linha 1: Resposta biológica nas terapias em Odontologia. Linha 1: Resposta biológica nas terapias em Odontologia. Descrição. O entendimento dos processos fisiológicos, celulares e moleculares associados com o uso de diversos materiais, medicamentos e demais

Leia mais

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES 21/06/2014 A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde

Leia mais

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR 5. PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS 6. ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES

Leia mais

Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS

Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS Nome Código Observações Cir.Traum.Buco-Max-Fac Aprofundamento/aumento de vestíbulo 82000190

Leia mais

Premissa. Códigos e rios

Premissa. Códigos e rios Índices epidemiológicos em saúde bucal 3/10/2011 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Premissa A epidemiologia pode ser definida como o estudo da distribuição e dos determinantes de eventos ou estados relacionados

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia 2013-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia 2013-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Odontologia 2013-1 INCIDÊNCIA DE HIPERTROFIA DE CORNETOS NASAIS INFERIORES NUMA POPULAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA Cirurgia Oral A Cirurgia Oral é uma especialidade da Medicina Dentária que inclui o diagnóstico e o tratamento cirúrgico de patologias dos tecidos moles e tecidos duros

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA 1. ODONTOPEDIATRIA PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

XL JORNADA ODONTOLÓGICA FRANCISCANA II CONGRESSO INTERNACIONAL DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO

XL JORNADA ODONTOLÓGICA FRANCISCANA II CONGRESSO INTERNACIONAL DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO XL JORNADA ODONTOLÓGICA FRANCISCANA II CONGRESSO INTERNACIONAL DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Trabalhos aprovados apresentação, Orientador responsável, Área de concentração e Data de apresentação.

Leia mais

Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli

Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli LIMA, Richard Presley 1 ; DOS SANTOS, Mateus Veppo 2 ; DE MOURA, Cariacy Silva 3 ; GUILLEN, Gabriel Albuquerque 4 ; MELLO, Thais Samarina Sousa

Leia mais

ODONTOLOGIA ESTÉTICA

ODONTOLOGIA ESTÉTICA ODONTOLOGIA ESTÉTICA O sorriso enaltece os dentes que podem assim como outros elementos da face denunciar a idade cronológica do ser humano por meio de desgastes ou mesmo pela alteração da cor. Nesse contexto,

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PRÓTESE DENTÁRIA 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: a) Tratamento endodôntico. b) Perda da estrutura

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO Flex 30% GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS R$ 7,62 CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA R$ 10,58

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

Tabela Simplificare Denti II

Tabela Simplificare Denti II Tabela Simplificare Denti II Em consequência de condições especifícas convencionadas com os prestadores, o valor assumido pela Pessoa Segura poderá, em algumas circunstâncias, ser inferior ao valor máximo

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Orientador Empresarial Dentistas-Consolidação das Normas para Procedimentos nos Conselhos de Odontologia-Alteração RESOLUÇÃO

Leia mais

Ponto de Contato. Reabilitação Estética Sobre Implante em Função Imediata. Aesthetic rehabilitation with implants in immediate function

Ponto de Contato. Reabilitação Estética Sobre Implante em Função Imediata. Aesthetic rehabilitation with implants in immediate function Ponto de Contato Reabilitação Estética Sobre Implante em Função Imediata Aesthetic rehabilitation with implants in immediate function José Norberto Garcia Nesello* Manoel Martin Junior** Carlos Marcelo

Leia mais

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) AUTORES Ingryd Coutinho de Oliveira Priscila Cunha Nascimento Discentes da Graduação em Odontologia e Bolsistas de Ensino

Leia mais

Aplicação da Terapia Fotodinâmica e Laserterapia em Implantodontia

Aplicação da Terapia Fotodinâmica e Laserterapia em Implantodontia Aplicação da Terapia Fotodinâmica e Laserterapia em Implantodontia Juliana Marotti 1, Pedro Tortamano Neto 2, Dieter Weingart 3 1 Doutoranda do Departamento de Prótese da Faculdade de Odontologia da USP,

Leia mais

TABELA DE PREÇOS. (Estomatologia)

TABELA DE PREÇOS. (Estomatologia) TABELA E PREÇOS (Estomatologia) (última actualização Janeiro 2012) 01.Consulta VALOR A1.01.01.01 1ª Consulta de medicina dentária (check 0 up+orçamento) A1.01.01.05 Consulta de urgência ( observação+medicação)

Leia mais

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós-

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós- FOUSP Avaliação da precisão da tomografia computadorizada por feixe cônico (cone beam) como método de medição do volume ósseo vestibular em implantes dentários Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia

Leia mais

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa.

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa. Mauro A Dall Agnol UNOCHAPECÓ mauroccs@gmail.com Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Dentística I Terapêutica ou protética; Simples, composta

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROTESE DENTÁRIA 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: a) Polígonos de Roy e de Kent. b) Polígono

Leia mais

CLÍNICA DO SORRISO PREÇÁRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS

CLÍNICA DO SORRISO PREÇÁRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS CLÍNICA DO SORRISO PREÇÁRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS CONSULTAS Consulta de Medicina Dentária (Check-up) Consulta de Urgência (após o horário de funcionamento normal) 30 CIRURGIA ORAL Exodontia simples 25

Leia mais

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus MISSÃO DA EMPRESA O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus Manual sinônimo do Dentista de excelência Credenciado em

Leia mais

ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Desenvolvimento da Gestão Descentralizada ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL DIAGNÓSTICO PRECOCE E PREVENÇÃO DO CÂNCER BUCAL RELATÓRIO

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL UNIODONTO PORTO ALEGRE Modalidade pré-pagamento sem coparticipação, ou seja, o contratante pagará apenas o valor da mensalidade e terá a sua disposição todos os beneficios previstos pela ANS. Atendimento

Leia mais

O QUE É A TÃO FALADA CARGA IMEDIATA?

O QUE É A TÃO FALADA CARGA IMEDIATA? 1 O QUE É A TÃO FALADA CARGA IMEDIATA? A descoberta da Osseointegração pelo professor Brånemark, na década de 50, revolucionou a reabilitação dos pacientes com ausências dentárias, com a utilização dos

Leia mais

TABELA PARA O AGREGADO FAMILIAR. Tabela 2011

TABELA PARA O AGREGADO FAMILIAR. Tabela 2011 Dental Clinic New Generaction www.newgeneraction.com.pt Os sócios, colaboradores e familiares do SIT, poderão usufruir do Plano de Medicina Oral - DentalClinic New Generaction, mediante o pagamento de

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 Define o currículo do Curso de Graduação em Odontologia. O REITOR

Leia mais

Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato

Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato ... vedar... obliterar... isolar do meio externo SELANTE É: Barreira Física Os selantes oclusais são reconhecidos como uma medida efetiva na PREVENÇÃO

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 10 Especialidade: ENDODONTIA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 10 Especialidade: ENDODONTIA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 10 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados

Leia mais

Para todos os casos! Implantes-ANKYLOS. Informação ao paciente. Degussa Dental

Para todos os casos! Implantes-ANKYLOS. Informação ao paciente. Degussa Dental Para todos os casos! Implantes-ANKYLOS Informação ao paciente Degussa Dental Fornecido pelo seu cirurgião-dentista: Prezado(a) paciente, Mais cedo ou mais tarde acontece com cada um de nós: os primeiros

Leia mais

Tabela de Preços Convencionados para Medicina Dentária e Estomatologia

Tabela de Preços Convencionados para Medicina Dentária e Estomatologia Tabela de Preços Convencionados para Medicina Dentária e Estomatologia Em consequência de condições específicas convencionadas com os prestadores, o valor assumido pela Pessoa Segura poderá, em algumas

Leia mais

UNIODONTO BELÉM - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLOGICA TABELA DE ATOS NÃO COBERTOS - NOMENCLATURA DOS ATOS - PREVENÇÃO R$ 81000073

UNIODONTO BELÉM - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLOGICA TABELA DE ATOS NÃO COBERTOS - NOMENCLATURA DOS ATOS - PREVENÇÃO R$ 81000073 UNIODONTO BELÉM COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLOGICA TABELA DE ATOS NÃO COBERTOS NOMENCLATURA DOS ATOS PREVENÇÃO R$ 81000073 CONSULTA ODONTOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO TÉCNICA DE AUDITORIA 130,00

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Odontólogo (Unidade Móvel) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas. I N S T R

Leia mais

MANIFESTAÇÕES E COMPLICAÇÕES BUCAIS NA DOENÇA FALCIFORME

MANIFESTAÇÕES E COMPLICAÇÕES BUCAIS NA DOENÇA FALCIFORME Departamento de Odontologia Social e Preventiva Faculdade de Odontologia - UFRJ MANIFESTAÇÕES E COMPLICAÇÕES BUCAIS NA DOENÇA FALCIFORME Marlene Cezini Doença Falciforme Conceito Doença genética caracterizada

Leia mais

Tabela de preços convencionada para medicina dentária e estomatologia

Tabela de preços convencionada para medicina dentária e estomatologia Tabela de preços convencionada para medicina dentária e estomatologia Em consequência de condições específicas convencionadas com os prestadores, o valor assumido pela Pessoa Segura poderá, em algumas

Leia mais

www.periodonto.net www.periodonto.net Carga ou Função Imediata sobre Implantes www.periodonto.net www.periodonto.net O início Tratamento Implante

www.periodonto.net www.periodonto.net Carga ou Função Imediata sobre Implantes www.periodonto.net www.periodonto.net O início Tratamento Implante Carga ou Função Imediata sobre Implantes Perda do elemento dental Coágulo O início Degradação ação da cortical alveolar periodontal Regeneração óssea Tratamento Prótese fixa convencional => sem estímulo

Leia mais

ODONTO IDÉIAS Nº 07. As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL

ODONTO IDÉIAS Nº 07. As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL ODONTO IDÉIAS Nº 07 As 100 Melhores Idéias da Odontologia CALIBRADORES DE ESPAÇO INTERPROXIMAL Nossa intenção com esta coluna é reconhecer o espírito criativo do Cirurgião Dentista brasileiro, divulgando

Leia mais

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial 81000421 Radiografia periapical CIRURGIA Planilha1 DIAGNÓSTICO 81000065 Consulta odontológica inicial 81000111 Diagnóstico anatomopatológico em citologia esfoliativa na região buco-maxilo-facial 81000138

Leia mais

Curso Implantología Curso de Formação contínua 2012. Primeira edição

Curso Implantología Curso de Formação contínua 2012. Primeira edição Curso Implantología Curso de Formação contínua 2012 Primeira edição Curso Implantología Curso Formação Contínua 2012 Este curso é dirigido preferencialmente a vós, médicos dentistas que pretendem aprofundar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

MANUAL PARA CONFECÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS*

MANUAL PARA CONFECÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS* MANUAL PARA CONFECÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS* Segundo Carlos Estrela (2001), o painel científico constitui uma discussão informal de um grupo de pessoas conhecedoras de um assunto em análise, apresentando

Leia mais

CONTROLE MECÂNICO DO BIOFILME DENTAL

CONTROLE MECÂNICO DO BIOFILME DENTAL CONTROLE MECÂNICO DO BIOFILME DENTAL PLACA DENTAL OU BACTERIANA = BIOFILME DENTAL BIOFILME pode ser definido como uma comunidade bacteriana, em uma matriz composta por polímeros extracelulares, aderidas

Leia mais

Listagem de trabalhos selecionados para apresentação Jornada 2015 UNIARA

Listagem de trabalhos selecionados para apresentação Jornada 2015 UNIARA Listagem de trabalhos selecionados para apresentação Jornada 2015 UNIARA ÁREA TRABALHO AUTORES #3882: INTERDISCIPLINARIDADE NA PRÁTICA DA ESTÉTICA ODONTOLÓGICA - RELATO DE CASOS ALINE CRISTINA DE OLIVEIRA

Leia mais

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal MÁ-OCLUSÃO Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal Sanitarista: Inconveniente estético ou funcional de grande magnitude que possa interferir no relacionamento do indivíduo

Leia mais

Tomamos por exemplo a classificação referenciada por Kandelman et al em2008:

Tomamos por exemplo a classificação referenciada por Kandelman et al em2008: INTRODUÇÃO: O envelhecimento humano pode ser definido como o processo de mudança progressiva da estrutura biológica, psicológica e social dos indivíduos, que se inicia antes do nascimento e se desenvolve

Leia mais

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial CÓDIGO 81000049 81000057 82000468 Diagnóstico, Urgência-Emergência: Noturna, Sábado, Domingo ou Feriado (procedimento abaixo) Consulta odontológica de Urgência (Horário normal das 08:00 horas às 18:00

Leia mais

PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22

PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22 PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22 ESPECIALIDADE : 001 - PRONTO SOCORRO CODIGO DESCRICAO

Leia mais

Programa Laboratorial (hands on em Manequim)

Programa Laboratorial (hands on em Manequim) PROGRAMA DE CURSO DE EXCELÊNCIA EM ORTODONTIA COM 8 MÓDULOS DE 2 DIAS MENSAIS Prof. ROQUE JOSÉ MUELLER - Tratamento Ortodôntico de alta complexidade em adultos : diagnóstico, planejamento e plano de tratamento.

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS 1 - DIAGNÓSTICO 100-490 110 Consulta Inicial (Exame Clínico e Orçamento) (VALID. 6 meses) R$ 45,00 120 Urgência odontológica R$ 45,00 130 Exame histopatológico*** (somente clínicas especializadas) ***

Leia mais

AUTOPERCEPÇÃO EM SAÚDE BUCAL: IDOSOS E FAMÍLIA

AUTOPERCEPÇÃO EM SAÚDE BUCAL: IDOSOS E FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO PRIMÁRIA/SAÚDE DA FAMÍLIA III CONCURSO NACIONAL DE EXPERIÊNCIAS EM SAÚDE DA FAMÍLIA 05 A 08 DE AGOSTO DE 2008 -

Leia mais

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS Informações ao paciente Contém: 1. Explicação geral sobre cirurgias ortognáticas, 2. Perguntas e respostas, A cirurgia ortognática, também chamada de ortodontia cirúrgica, é um tipo

Leia mais

Doença Periodontal na Infância

Doença Periodontal na Infância Universidade de São Paulo Faculdade de Odontologia Doença Periodontal na Infância Profa. Dra. Ana Estela Haddad Camilla V. Galatti / Dr. Cássio Alencar Doença periodontal é uma afecção da fase adulta?

Leia mais

MEGA IMERSÃO EM RECONSTRUÇÃO TECIDUAL ESTÉTICA PERI-IMPLANTAR SÃO PAULO

MEGA IMERSÃO EM RECONSTRUÇÃO TECIDUAL ESTÉTICA PERI-IMPLANTAR SÃO PAULO MEGA IMERSÃO EM RECONSTRUÇÃO TECIDUAL ESTÉTICA PERI-IMPLANTAR SÃO PAULO Data: 19 a 23 de agosto de 2013. PROFESSORES Prof. Dr. Júlio César Joly Especialista em Periodontia CFO Mestre e Doutor em Clínica

Leia mais

Tomografia Computorizada Dental

Tomografia Computorizada Dental + Universidade do Minho M. I. Engenharia Biomédica Beatriz Gonçalves Sob orientação de: J. Higino Correia Tomografia Computorizada Dental 2011/2012 + Casos Clínicos n Dentes privados do processo de erupção

Leia mais

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 K00 - Distúrbios do Desenvolvimento e da Erupção Dos Dentes K00.0 - Anodontia K00.1 - Dentes Supranumerários

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO. diamante R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00

TABELA DE REEMBOLSO. diamante R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO diamante R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais