Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo."

Transcrição

1 SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROVA OBJETIVA HEMATOLOGISTA Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. 1. Este caderno de provas é composto de 40 questões. Confira-o todo e solicite sua substituição, caso apresente falha de impressão ou esteja incompleto. 2. Leia cuidadosamente cada questão da prova, antes de respondê-la. 3. Preencha, no cartão-resposta, com caneta esferográfica preta, o alvéolo correspondente à alternativa escolhida para cada questão. 4. Sua resposta não será considerada se: - houver marcação de duas ou mais alternativas; - o alvéolo correspondente à sua resposta não estiver completamente preenchido; - forem ultrapassados os limites do alvéolo a ser preenchido. 5. Durante as provas, o(a) candidato(a) não deverá levantar-se sem autorização prévia ou comunicar-se com outros(as) candidatos(as). OBSERVAÇÕES: - Os fiscais não estão autorizados a fornecer informações acerca desta prova. - Se desejar, poderá utilizar a folha intermediária de respostas, no final deste caderno, para registrar as alternativas escolhidas. Destacar Identificação do candidato

2 1

3 2 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Questão 1 A anemia ferropriva é altamente prevalente em nosso meio, em decorrência de vários fatores capazes de levar a um balanço negativo no equilíbrio de ferro no organismo. Sobre a anemia por deficiência de ferro, marque a alternativa INCORRETA: a) A anemia por depleção de ferro é o evento final de um caminho de depleção dos depósitos de ferro em transferrina e ferritina. b) O diagnóstico de anemia ferropênica em homens e mulheres após a menopausa torna obrigatória a investigação do trato digestivo, mesmo que a pesquisa de sangue oculto nas fezes seja negativa. c) O controle normal dos depósitos de ferro no organismo está baseado principalmente na limitação da absorção. d) O desejo de ingerir substâncias estranhas ou bizarras, conhecido por pica, é o único distúrbio de comportamento humano relacionado à deficiência de um elemento. Questão 2 As anemias macrocíticas representam um espectro amplo de alterações, as quais apresentam em comum o aumento do volume corpuscular médio. Sobre as anemias macrocíticas, é INCORRETO afirmar: a) A coexistência de alterações neurológicas e hematológicas na anemia megaloblástica por deficiência de cobalamina é muito freqüente, sendo o mielograma, na indisponibilidade de dosagem sérica, um exame indicado para descartar deficiência de cobalamina na gênese das alterações neurológicas. b) São causas de anemia macrocítica as deficiências de cobalamina e ácido fólico, doenças crônicas renais e hepáticas, além de hipo e hipertiroidismo. c) O fenômeno de destruição de eritrócitos antes da liberação na circulação, como ocorre na anemia megaloblástica, é conhecido como eritropoese ineficaz. d) A dosagem do ácido metilmalônico, embora incomum, é útil na definição de carência de cobalamina. Questão 3 Sobre as anemias hemolíticas, é CORRETO afirmar: a) A dosagem de haptoglobina é um indicador seguro de hemólise intravascular, e níveis elevados são incomuns. b) Os níveis de desidrogenase láctica e bilirrubina indireta não contribuem para o diagnóstico das anemias hemolíticas por estarem alterados também em outras desordens não hematológicas. c) O teste de Coombs direto é importante na determinação de anemia hemolítica auto-imune, enquanto o teste indireto está relacionado principalmente a transfusões e multiparidade. d) Os anticorpos envolvidos na anemia hemolítica auto-imune são, pela ordem, IgG, IgA e IgM. Eventualmente, pode haver o envolvimento de C3. Questão 4 Sobre a anemia aplástica, marque a alternativa INCORRETA: a) A pancitopenia está associada à falência da medula óssea e à hipocelularidade. b) A forma altamente severa de anemia aplástica, embora seja mais grave que a forma severa, é uma distinção que não guarda importância terapêutica. c) Existe uma base auto-imune, associada possivelmente a desordens em células tronco, responsável pela maioria dos casos de anemia aplástica. d) A minimização do uso de hemoderivados no tratamento inicial da anemia aplástica é de importância fundamental, assim como o uso de leucodepleção.

4 Questão 5 3 Sobre a anemia falciforme, marque a alternativa INCORRETA: a) A presença de anemia discreta não exclui a possibilidade de anemia falciforme, uma vez que a severidade da hemólise é dependente de fatores individuais. b) A alteração genética associada à doença falciforme está localizada no gene da betaglobina, no cromossomo 11, e representa uma substituição de um ácido glutâmico por uma valina. c) O emprego de hidroxiuréia é útil no tratamento, tendo demonstrado uma melhora, com redução, pela metade, dos episódios dolorosos nos adultos tratados. d) As principais causas de óbito em anemia falciforme estão relacionadas a alterações metabólicas, insuficiência respiratória, insuficiência hepática, além de infecção. Questão 6 Sobre as talassemias, marque a alternativa CORRETA: a) O portador de beta-talassemia minor, embora esteja assintomático, sempre apresenta algum grau de anemia bem como microcitose, exceto na coexistência de deficiência de cobalamina ou ácido fólico. b) A anemia de Cooley é uma forma moderada de talassemia, tratável principalmente com múltiplas transfusões e reposição de ácido fólico. c) A hidropsia fetal, desordem incompatível com a vida, está associada à deleção dos quatro genes de alfaglobina e carrega consigo um risco de mortalidade materna associado. d) A doença de hemoglobina H, uma forma altamente severa de talassemia, está associada à deleção homozigótica dos genes da betaglobina. Questão 7 As anormalidades das plaquetas, sejam quantitativas ou qualitativas, são motivos freqüentes de avaliação de pacientes ambulatoriais ou internados. Sobre anormalidades plaquetárias, é CORRETO afirmar: a) O ácido acetil-salicílico exerce seu efeito pela acetilação de prostaglandinas. Esse efeito é transitório e apresenta meia-vida de aproximadamente 24 horas. b) A síndrome de Bernard-Soulier é uma desordem autossômica dominante causada pela deficiência de um complexo glicoprotéico da membrana plaquetária GPIb-IX, levando à alteração nos testes de agregação plaquetária com ADP e colágeno, contudo, estando normais com ristocetina e epinefrina. c) O uso de antibióticos betalactâmicos e aminoglicosídeos está relacionado a desordens hemorrágicas por alteração da agregação plaquetária, persistindo seu efeito por longo tempo após a descontinuidade. d) Na trombastenia de Glanzmann ocorre uma deficiência de glicoproteínas de membrana GPIIb e GPIIIa. A contagem plaquetária é normal, e o mecanismo da doença envolve a ligação deficiente ao fibrinogênio e conseqüente dificuldade de agregação. Questão 8 Quadros de policitemia são motivo relativamente freqüente de avaliação hematológica. Em um paciente de 52 anos, sexo masculino e com hematócrito de 57%, a investigação inicial envolve os seguintes passos, EXCETO: a) Medida da massa eritrocitária e mielograma. b) Anamnese enfocando doenças antecedentes como cardiopatias, pneumopatias e tabagismo. c) Confirmação do hematócrito com novo hemograma, avaliação de gasometria arterial, desidrogenase láctica. d) Avaliação de história familiar positiva para policitemia ou doenças associadas, como doença dos rins policísticos.

5 Questão 9 4 Sobre policitemia vera, marque a alternativa CORRETA: a) Sangramento, trombose, metaplasia mielóide e transformação leucêmica são as complicações mais freqüentes, sendo a leucemização a principal responsável pela mortalidade. b) O quadro de metaplasia mielóide pós-policitemia ocorre na maioria dos casos acima de 10 anos de evolução, associada a esplenomegalia, pancitopenia e fibrose medular extensa. c) É uma doença clonal com origem em uma célula pluripotente, ao nível de CFU-GEMM, envolvendo especificamente a série eritróide. d) A esplenomegalia volumosa encontrada na fase proliferativa pode ser tratada por esplenectomia, garantindo grande alívio sintomático. Questão 10 A coagulação intravascular disseminada (CIVD) é uma coagulopatia de consumo causada por uma série extensa de desordens. Sobre as características da CIVD, são verdadeiras as seguintes afirmações, EXCETO: a) Embora o evento mais visível seja o sangramento, o processo trombótico é o responsável primário pelo quadro clínico. b) Os achados na CIVD aguda incluem alargamento do TP, TTPA e tempo de trombina, plaquetopenia, aumento dos níveis de produtos de degradação da fibrina. c) Um episódio de CIVD pode ser a manifestação inicial de diversas malignidades, como, por exemplo, câncer de pulmão e câncer de pâncreas. d) Embora as manifestações trombóticas costumem ser exuberantes na CIVD crônica, são incomuns as manifestações hemorrágicas. Questão 11 Uma mulher branca de 28 anos apresenta um episódio de trombose venosa profunda de membro inferior direito. Esse evento esteve dissociado de qualquer imobilização e a paciente não relatava tabagismo ou uso de anticoncepcionais. Os antecedentes pessoais eram negativos, porém havia antecedentes familiares com óbito materno em idade jovem, possivelmente relacionada a tromboembolismo pulmonar, e um irmão com história de tromboembolismo pulmonar. Sobre o diagnóstico, marque a alternativa CORRETA: a) Trata-se, provavelmente, de um quadro de síndrome de hipercoagulabilidade e, das etiologias mais freqüentemente detectáveis, a mais provável está associada à resistência à proteína C ativada (fator V de Leiden). b) O diagnóstico de síndrome de hipercoagulabilidade não está claro, dependendo de história familiar mais rica, embora haja um possível risco familiar associado. Não é possível especular sobre a etiologia mais provável. c) Embora não houvesse relato de uso de anticoncepcionais, a idade da paciente sugere um período com alta produção estrogênica e, portanto, um risco aumentado à trombose. Entretanto, uma investigação detalhada é necessária para orientar o tratamento. d) É possível tratar-se de um caso de síndrome de hipercoagulabilidade, sendo sua etiologia mais provável a mutação do gene da protrombina, sabidamente envolvida em grande parte dos quadros de trombose venosa profunda. Espaço para rascunho

6 Questão 12 5 A síndrome mielodisplásica corresponde a um grupo heterogêneo de desordens medulares clonais. Marque a alternativa INCORRETA: a) O quadro clínico inicial é bastante inespecífico, principalmente relacionado à anemia em um paciente idoso; raramente existe esplenomegalia ou hepatomegalia ou, menos freqüentemente, quadro infeccioso associado. b) O tratamento de suporte ainda representa a principal abordagem desses pacientes, embora tratamentos pouco tóxicos, como a suplementação com piridoxina, uma abordagem que raramente obtém alguma resposta, sejam freqüentemente oferecidos. c) Até 80% dos paciente apresentam anormalidades citogenéticas detectáveis, como 20q-, 17q-, 21q-, trissomia do 8, monossomia do 7 e principalmente 5q-, embora o cariótipo normal não afaste o diagnóstico. d) O prognóstico para todos os grupos é sombrio, evoluindo em sua maioria para leucemia aguda como evento final que leva ao óbito. Questão 13 A leucemia mielóide crônica está relacionada a uma hiperprodução celular da série granulocítica e eventualmente monocítica. Marque a alternativa INCORRETA: a) A presença do cromossomo Ph1 pode ser detectada em 90% ou mais dos pacientes e resulta da translocação balanceada entre os braços longos dos cromossomos 9 e 22. A evolução clonal e o aumento da expressão de bcr/abl detectada por PCR pode indicar progressão. b) A presença do gene aberrante bcr/abl é, isoladamente, capaz de induzir a transformação leucêmica em experimentos com ratos. Da mesma forma, a presença do cromossomo Ph1 em humanos sempre prenuncia o desenvolvimento de leucemia. c) A presença do cromossomo Ph1 é fundamental e encontrada na maioria dos casos de LMC; entretanto, aproximadamente 25% a 30% dos pacientes Ph1 negativos apresentarão o gene híbrido bcr/abl. d) O produto protéico do gene híbrido bcr/abl apresenta peso molecular de kd (P210) e apresenta atividade tirosina quinase que, aparentemente, leva à proliferação celular descontrolada. Questão 14 O tratamento da leucemia mielóde crônica evoluiu acentuadamente e hoje o arsenal terapêutico conta com abordagens mais eficientes e, muitas vezes, potencialmente curativas. Sobre o tratamento da leucemia mielóde crônica, marque a alternativa CORRETA: a) O advento de tratamentos mais modernos tornou o emprego de hidroxiuréia obsoleto, tendo-se o uso de interferon alfa ou imatinib como drogas de escolha a partir do diagnóstico. b) O uso de imatinib vem tomando lugar do interferon alfa + citarabina ou interferon isolado. Os estudos em fases avançadas da doença já confirmaram sua superioridade, aguardando-se estudos sobre seu uso em estágios mais iniciais da doença. c) O mecanismo de ação do imatinib está relacionado ao bloqueio da ligação do ATP à porção Abl da proteína Bcr/Abl, inibindo a fosforilação dos resíduos de tirosina no substrato. d) O transplante de medula óssea alogênico apresenta bons resultados em todas as fases de evolução da LMC. Dessa forma, preconiza-se aguardar a evolução para fase acelerada ou crise blástica antes de indicar o emprego de transplante de medula óssea alogênico. Espaço para rascunho

7 Questão 15 6 A leucemia linfocítica crônica, um dos tipos mais comuns de leucemia, é uma doença de evolução indolente e caracteristicamente atinge a população acima dos 50 anos. Sobre a leucemia linfocítica crônica, é INCORRETO afirmar: a) A evolução é lenta, com até um quarto dos casos assintomáticos ao diagnóstico. As queixas mais comuns estão relacionadas à astenia, com ou sem anemia, e menos freqüentemente trombocitopenia ou esplenomegalia. b) Os linfócitos leucêmicos na LLC são células imaturas de linhagem B, geralmente expressando os antígenos CD10 (CALLA), CD19, CD20, CD23 e raramente imunoglobulina de superfície (SmIg). c) As alterações citogenéticas incluem mais freqüentemente a trissomia do cromossomo 12 e anormalidades dos braços longos dos cromossomos 14, 6, 11 e 13. d) A maioria das células da LLC está em G0, caracterizando muito mais uma doença por acúmulo que proliferação celular, embora a taxa de proliferação tenha um incremento com a evolução da doença. Questão 16 Os linfomas não-hodgkin representam um grupo heterogêneo de doenças e, por esse motivo, várias classificações foram elaboradas ao longo do tempo, refletindo os avanços técnicos e o conhecimento da biologia tumoral. Sobre os linfomas não-hodgkin, é INCORRETO afirmar: a) A apresentação clínica mais freqüente é de linfadenopatia, geralmente indolor, associada ou não a sintomas sistêmicos, como febre, sudorese e perda de peso. b) Os linfomas indolentes representam aproximadamente 25% dos casos, com uma história natural medida em anos, embora raramente curáveis com os tratamentos atuais. c) Os linfomas de Burkitt, uma forma agressiva dos linfomas B, freqüentemente envolvem sítios extranodais. A forma endêmica está associada à infecção por EBV, em 95% dos casos, e a esporádica, em aproximadamente 40%. d) Os linfomas do manto, uma forma agressiva de linfoma não-hodgkin, representam uma doença de pacientes idosos, geralmente apresentando estádios avançados ao diagnóstico. O tratamento quimioterápico consegue, entretanto, levar a maioria desses pacientes a remissões completas prolongadas e cura em uma parcela significativa. Questão 17 As desordens de células plasmáticas, entre as quais o mieloma múltiplo representa sua forma mais conhecida, variam em um espectro desde as formas potencialmente neoplásicas até as francamente neoplásicas, cuja característica comum está na proliferação clonal de células plasmáticas, freqüentemente com demonstração da proteína M associada. Sobre esse grupo de doenças, é INCORRETO afirmar: a) Entre as complicações renais do mieloma múltiplo está a amiloidose, presente em aproximadamente 10% dos casos e associada à síndrome nefrótica e à insuficiência renal. b) A leucemia de células plasmáticas está associada à evolução do mieloma múltiplo, como leucemização, em apenas 40% dos casos. Envolve uma faixa etária mais jovem e um prognóstico sombrio, embora responda a programas de quimioterapia, como por exemplo VAD. c) A gamopatia monoclonal de significado indeterminado (MGUS) atinge faixas etárias mais elevadas e apresenta uma evolução indolente, em sua maioria evoluindo para mieloma múltiplo. d) A forma de doença localizada, denominada plasmocitoma, pode envolver ossos ou partes moles e, em aproximadamente metade dos casos, evolui para mieloma múltiplo.

8 Questão 18 7 As leucemias agudas são desordens muitas vezes fatais, caracterizadas pela deficiência na diferenciação associada à proliferação descontrolada. Sobre as leucemias agudas, marque a alternativa INCORRETA: a) A radiação ionizante é um dos agentes relacionados ao desenvolvimento tanto de LLA quanto de LMA e LMC, principalmente em indivíduos jovens expostos a radiação em altas doses por um período curto de tempo, como visto com sobreviventes de explosões nucleares, ou pacientes tratados por espondilite anquilosante. b) Os agentes virais identificados e de relevância na etiologia das leucemias são os vírus HTLV-I e HTLV-II, rna vírus com transmissão vertical e horizontal por sangue e derivados, considerados os agentes envolvidos na gênese da leucemia de células T do adulto. c) Várias síndromes com aneuploidia de células somáticas apresentam um risco aumentado para o desenvolvimento de leucemia mielóide aguda, como a síndrome de Down (trissomia do 21), síndrome de Patau (trissomia do 13) e síndrome de Klinefelter (XXY) d) É reconhecida a relação entre leucemias agudas e agentes quimioterápicos, a chamada leucemia secundária. Entre estes, os agentes alquilantes, como o melfalano, levam ao surgimento de leucemia em um período de quatro a seis anos a partir da exposição, enquanto as epipodifilotoxinas têm um período de latência mais curto de aproximadamente dois anos. Questão 19 As anormalidades genéticas encontradas nos blastos leucêmicos são caracteristicamente clonais, adquiridas e não ocorrem ao acaso, estando relacionadas a tipos específicos de leucemia. Sobre essas anormalidades, é CORRETO afirmar: a) Anormalidades com inv (16) e t (8;21) interferem na transcrição do DNA através da interação com um complexo protéico que inclui CBF alfa e beta (core binding factor). Essas alterações conferem prognóstico favorável quanto à remissão e sobrevida. b) As alterações mais freqüentemente encontradas são as perdas cromossômicas completas, relacionadas a leucemias específicas como a LMA M4 com eosinofilia gerada pela perda do cromossomo 16. c) O cromossomo Ph1, resultante da anormalidade t(9;22), é encontrado na maioria dos casos de LLA em adultos e, de forma semelhante à LMC, leva geralmente à formação de uma proteína quimérica de 210 kd com atividade tirosina quinase em sua porção abl. d) A anormalidade t(15;17), vista em praticamente todos os casos de LMA M3, também é encontrada em muitos casos de leucemias monocíticas e está ralacionada a dois genes, PML e RARalfa. Questão 20 A terceira maior causa de mortalidade no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde de 2003, foi o câncer. Nessa situação é importante reconhecer as síndromes paraneoplásicas, quadros clínicos não devidos a efeitos diretos como invasão ou compressão. Sobre essas síndromes, é CORRETO afirmar: a) O tratamento de anemia relacionada ao câncer é realizado através da suplementação com sais de ferro associada ao uso de eritropoetina. Entretanto, esse tratamento ainda não tem demonstrado benefícios clínicos consistentes, necessitando aprimoramento. b) A anemia relacionada ao câncer é a anormalidade mais reconhecida, estando relacionada a níveis inapropriadamente baixos de eritropoetina, e mediada por citoquinas, como IL-1, TNF e TGF-beta. c) A associação de trombose venosa e arterial e câncer pode ser a apresentação inicial da neoplasia em até 10% dos casos e está relacionada quase exclusivamente ao câncer de pulmão do tipo adenocarcinoma. d) A trombocitose relacionada ao câncer geralmente indica um pior prognóstico e sempre deve ser tratada com inibidores da agregação, caso esteja em nível superior a a 1 milhão/mm3.

9 8 LÍNGUA PORTUGUESA Texto para as questões de 21 a 30. NOTÍCIA DE JORNAL Leio no jornal a notícia de que um homem morreu de fome. Um homem de cor branca, 30 anos presumíveis, pobremente vestido, morreu de fome, sem socorros, em pleno centro da cidade, permanecendo deitado na calçada durante setenta e duas horas, para finalmente morrer de fome. Morreu de fome. Depois de insistentes pedidos dos comerciantes, uma ambulância do Pronto- Socorro e uma radiopatrulha foram ao local, mas regressaram sem prestar auxílio ao homem, que acabou morrendo de fome. Um homem que morreu de fome. O comissário de plantão (um homem) afirmou que o caso (morrer de fome) era da alçada da Delegacia da Mendicância, especialista em homens que morrem de fome. O corpo do homem que morreu de fome foi recolhido ao Instituto Médico Legal sem ser identificado. Nada se sabe dele, senão que morreu de fome. Um homem morre de fome em plena rua, entre centenas de passantes. Um homem caído na rua. Um bêbado. Um vagabundo. Um mendigo, um anormal, um tarado, um pária, um marginal, um proscrito, um bicho, uma coisa não é um homem. E os outros homens cumprem seu destino de passantes, que é o de passar. Durante setenta e duas horas todos passam, ao lado do homem que morre de fome, com um olhar de nojo, desdém, inquietação e até mesmo piedade, ou sem olhar nenhum. Passam, e o homem continua morrendo de fome, sozinho, isolado, perdido entre os homens, sem socorro e sem perdão. Não é da alçada do comissário, nem do hospital, nem da radiopatrulha, por que haveria de ser da minha alçada? Que é que eu tenho com isso? Deixa o homem morrer de fome. E o homem morre de fome. De trinta anos presumíveis. Pobremente vestido. Morreu de fome, diz o jornal. Louve-se a insistência dos comerciantes, que jamais morrerão de fome, pedindo providências às autoridades. As autoridades nada mais puderam fazer senão remover o corpo do homem. Deviam deixar que apodrecesse, para escarmento dos outros homens. Nada mais puderam fazer senão esperar que morresse de fome. E ontem, depois de setenta e duas horas de inanição, tombado em plena rua, no centro mais movimentado da Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Guanabara, um homem morreu de fome. Morreu de fome. Questão 21 Considere as proposições a seguir: SABINO, Fernando. As melhores crônicas. Rio de Janeiro: Record, p I. Pela estrutura do texto, é possível afirmar que, nos quatro primeiros parágrafos, o autor apresenta o fato noticiado no jornal; no 5º, 6º e 7º parágrafo, há um comentário do autor sobre esse fato e, na conclusão, 8º e 9º parágrafo, tal fato é reapresentado e confirmado. II. O uso da repetição, embora desaconselhável em alguns casos de redação, produz, nessa crônica, um efeito estilístico, pois enfatiza a revolta do autor perante o fato narrado. III. O aposto especialista em homens que morrem de fome, que explica a Delegacia da Mendicância, constitui uma ironia. IV. O autor julga a insistência dos comerciantes em pedir providências às autoridades digna de louvor. Assinale a alternativa CORRETA: a) Apenas as alternativas I e III são verdadeiras. b) Apenas as alternativas II e IV são verdadeiras. c) As alternativas I, II e III são verdadeiras. d) As alternativas I, II e IV são verdadeiras.

10 Questão 22 9 Na passagem O comissário de plantão (um homem) afirmou que o caso (morrer de fome) era da alçada da Delegacia de Mendicância, especialista em homens que morrem de fome, o objetivo das explicações um homem e morrer de fome, que aparecem entre parênteses é, respectivamente, a) identificar o comissário de plantão como um homem, não como uma mulher, e lembrar ao leitor o assunto da notícia veiculada no jornal. b) mostrar que um homem não se sentiu responsável pela vida de seu semelhante e denunciar o fato de que morrer de fome não era mais que um caso para as autoridades. c) ressaltar que, embora fosse homem, o comissário de plantão foi omisso e reiterar a gravidade do caso ocorrido na rua. d) evidenciar o fato de o comissário de plantão ser da mesma espécie que aquele homem que morreu de fome e ironizar a falta de solidariedade do comissário de plantão. Questão 23 A idéia central do texto é a) a solidão que a cidade grande, representada pelo Rio de Janeiro, causa no homem. b) a ausência de solidariedade entre as pessoas. c) a pobreza e a fome, problemas sociais agravados numa metrópole. d) a indiferença de autoridades, de comerciantes e de outros homens em relação a um homem que morre de fome. Questão 24 Dada a seguinte passagem Louve-se a insistência dos comerciantes, que jamais morrerão de fome, pedindo providências às autoridades. As autoridades nada mais puderam fazer senão remover o corpo do homem. Deviam deixar que apodrecesse, para escarmento dos outros homens. Nada mais puderam fazer senão esperar que morresse de fome. Assinale a alternativa INCORRETA: a) A palavra senão, presente duas vezes no trecho, expressa idéia de exclusão. b) O vocábulo escarmento pode ser substituído, sem prejuízo do sentido original que apresenta no texto, por regozijo. c) Na passagem Louve-se a insistência dos comerciantes que jamais morrerão de fome, pedindo providências às autoridades, a oração que jamais morrerão de fome é responsável por criar uma antítese entre a vida dos comerciantes e a vida do homem que morre de fome. d) No trecho Deviam deixar que apodrecesse, para escarmento dos outros homens, o autor emite um juízo de valor, em linguagem emotiva, diante do fato narrado. Espaço para rascunho

11 Questão Observe cada par de orações nos itens abaixo. I. Um homem morre em pleno centro da cidade. Ninguém faz nada. II. Um homem morreu de fome. Estava pobremente vestido. III. O caso é da alçada do comissário? É da alçada da radiopatrulha? IV. Os comerciantes jamais morrerão de fome. Não falta alimento para eles. Se esses pares de orações fossem unidos em um só período, o conectivo adequado para estabelecer uma relação de coerência entre elas deveria ser, respectivamente, a) mas e ou uma vez que b) mas e e contudo c) e pois ou pois d) e mas e logo Questão 26 A respeito do uso de pleno/plena nas passagens morreu de fome, sem socorros, em pleno centro da cidade e morreu de fome em plena rua só NÃO se pode afirmar que a) reforça o absurdo de alguém morrer de fome no centro da cidade, numa rua cheia de passantes. b) enfatiza a revolta do autor em relação ao fato de muitas pessoas testemunharem a morte de um homem e não fazerem nada. c) teria sentido diferente se estivesse posposto a centro da cidade e rua, respectivamente. d) dá mais ênfase ao fato de um homem morrer de fome. Questão 27 Em relação ao gênero de texto, é INCORRETO afirmar que o autor vale-se de uma notícia para a) filtrá-la de acordo com seu ponto de vista. b) produzir uma crônica literária com caráter de denúncia social. c) descrever os fatos acontecidos, enriquecendo-os com detalhes. d) recriar o conteúdo noticiado, atribuindo-lhe uma função estética. Questão 28 No quarto parágrafo, no trecho E os outros homens cumprem seu destino de passantes, que é o de passar. Durante setenta e duas horas todos passam, ao lado do homem que morre de fome, as palavras que se referem aos outros homens são: a) seu, passantes, todos. b) seu, passantes, o. c) destino, passantes, todos. d) destino, que, o, todos. Espaço para rascunho

12 Questão O trecho grifado no excerto: O comissário de plantão (um homem) afirmou que o caso (morrer de fome) era da alçada da Delegacia da Mendicância, especialista em homens que morrem de fome pode, hipoteticamente, ser reescrito com vírgula: especialista em homens, que morrem de fome. A propósito do sentido da frase nas duas situações sem a vírgula e separada pela vírgula é INCORRETO afirmar que a) sem a vírgula a frase expressa um atributo essencial de todos os seres humanos. b) separada pela vírgula, a frase teria valor de aposto, levando ao pressuposto de que todos os homens, inexoravelmente, morrem de fome. c) a presença da vírgula se justificaria pelo efeito enfático que produz na expressão que morrem de fome. d) sem a vírgula, a frase tem valor restritivo: apenas os homens que morrem de fome são responsabilidade da Delegacia da mendicância. Questão 30 No quarto parágrafo: Não é da alçada do comissário, nem do hospital, nem da radiopatrulha, por que haveria de ser da minha alçada? Que é que eu tenho com isso? Deixa o homem morrer de fome, o personagem narrador a) mostra explicitamente que se opõe aos discursos daqueles que se omitiram, alegando que o socorro, ao homem que morreu de fome, na rua, era da alçada das instituições públicas. b) funde a sua voz às possíveis vozes dos omissos, a fim de ironizar as possíveis justificativas para sua omissão. c) utiliza-se do discurso indireto para acusar todos aqueles que, pela omissão, permitiram que um homem morresse de fome em pleno centro do Rio de Janeiro. d) isenta-se da culpa, dizendo que não faz parte dos passantes que delegaram às autoridades públicas a obrigação de evitar que um homem, depois de setenta e duas horas de inanição, morresse sem atendimento. Espaço para rascunho

13 12 SAÚDE PÚBLICA Questão 31 Em 1988, a Constituição Brasileira consagrou os princípios da Reforma Sanitária. Entre eles, o da participação da comunidade no Sistema Único de Saúde (SUS), incorporando novos atores sociais no cenário da saúde, que é fruto da descentralização e do controle social. Em relação ao enunciado, considere os itens a seguir: I. O colegiado do Sistema Único de Saúde (SUS), em âmbito federal, é composto por: Conselho Nacional de Saúde, Conselho Estadual de Saúde e Conselho Municipal de Saúde. II. O colegiado, em âmbito estadual, é composto por: Comissão de Intergestores Bipartite, Secretaria Estadual de Saúde (SES), Conselho de Secretários de Saúde (COSEMS) e Conselho Estadual de Saúde (CES). III. O colegiado do SUS, em âmbito federal, é composto por: Conselho Estadual de Saúde (CES), Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Saúde. IV. O colegiado do SUS, em âmbito estadual, é composto por: Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde, Comissão de Intergestores Tripartite, Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) e Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS). V. O colegiado, em âmbito estadual, é composto por: Comissão de Intergestores Tripartite, Conselho Municipal de Saúde (CMS) e Secretaria Estadual de Saúde (SES). VI. O colegiado do SUS, em âmbito Federal, é composto por: Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS), Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS), Comissão de Intergestores Bipartite, Secretaria Estadual de Saúde (SES) e Conselho de Secretários Municipais de Saúde (COSEMS). Marque a alternativa CORRETA: a) Apenas os itens I, III e VI são verdadeiros. b) Apenas os itens I, II e IV são falsos. c) Apenas os itens II, III e V são verdadeiros. d) Apenas os itens IV, V e VI são falsos. Questão 32 A Coordenação de Saúde da Comunidade foi transformada no Departamento de Atenção Básica (DAB), que tem como objetivo principal a organização da atenção básica no país, com a expansão e consolidação do programa saúde da família (PSF): Em relação ao PSF, é CORRETO afirmar: I. Família é o espaço nuclear da agregação das pessoas, inseridas em um contexto social, devendo ser objeto prioritário e de focalização da atenção à saúde. II. É estratégia prioritária para a organização dos serviços de atenção básica nos sistemas municipais de saúde. III. A visita domiciliar reúne um conjunto de ações de saúde voltadas para aspectos educativos, sociais e espirituais, devendo ser planejada de acordo com as necessidades da coletividade. IV. É o modelo assistencial da medicalização e da hospitalização adotado para fortalecer a asssistência à família. Marque a alternativa CORRETA: a) Apenas os itens I e IV são falsos. b) Apenas os itens I e II são verdadeiros. c) Apenas os itens II e III são falsos. d) Apenas os itens III e IV são verdadeiros.

14 Questão A Norma Operacional Básica (NOB/96) do Sistema Único de Saúde, instrumento de regulação do SUS, explicita e dá conseqüência prática, em sua totalidade, aos princípios e às diretrizes do Sistema, consubstanciadas na Constituição Federal e nas Leis n /90 e n /90, favorecendo ainda mudanças essenciais no modelo de atenção à saúde no Brasil. De acordo com o enunciado, relacione a segunda coluna à primeira: I. Gerência II. Gestão III. Norma Operacional Básica IV. Atenção à saúde V. Lei n VI. Conselho Estadual de Saúde (CES) VII. Instâncias Colegiadas VIII. Conferência de Saúde IX. Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) X. Piso de Atenção Básica ( ) Compõe a comissão de Intergestores Tripartite (CIT). ( ) A Conferência de Saúde e o Conselho de Saúde. ( ) É todo o conjunto de ações levadas a efeito pelo SUS, em todos os níveis de governo, para o atendimento das demandas pessoais e das exigências ambientais. ( ) É a atividade e a responsabilidade de dirigir um sistema de saúde, mediante o exercício de funções de coordenação, articulação, negociação, planejamento, acompanhamento, controle, avaliação e auditoria. ( ) Consiste em um montante de recursos financeiros destinados ao custeio de procedimentos e ações de assistência básica, de responsabilidade tipicamente municipal. ( ) Reúne-se de quatro em quatro anos para avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação da política de saúde nos níveis correspondentes. ( ) A administração de uma unidade ou órgão de saúde, que se caracteriza como prestador de serviços ao Sistema. ( ) Tem por finalidade primordial promover e consolidar o pleno exercício, por parte do poder público municipal e do Distrito Federal, da função de gestor da atenção à saúde dos seus munícipes. ( ) Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS). ( ) É a instância colegiada máxima, deliberativa sobre a política estadual de saúde. Marque a alternativa com a seqüência CORRETA: a) VI V III I VIII X II IV VII IX b) X IX V VI III I IV II VII VIII c) III IX II VII V X I IV VI VII d) IX VII IV II X VIII I III V VI Questão 34 A Norma Operacional da Assistência à Saúde (NOAS-SUS 01/2001) é um instrumento que amplia as responsabilidades dos municípios na Atenção Básica. De acordo com ela, os municípios são responsáveis por I. realizar a assistência a doenças prevalentes na infância. II. atualizar os critérios de habilitação para estados e municípios. III. assegurar a duplicidade do comando e incorporar a macrorregionalização a partir da base legal. IV. definir o processo de regionalização da assistência. Marque a alternativa CORRETA: a) Apenas os itens I e II são verdadeiros. b) Apenas os itens II e III são verdadeiros c) Apenas os itens II e IV são verdadeiros. d) Apenas os itens III e IV são verdadeiros

15 Questão Segundo a Norma Operacional da Assistência à Saúde (NOAS SUS 01/2001), a habilitação dos municípios às diferentes condições de gestão significa a declaração dos compromissos assumidos por parte do gestor perante os outros gestores (esferas federal, estadual e municipal) e perante a população sob sua responsabilidade. De acordo com o exposto os municípios podem habilitar-se em duas condições. Em relação ao enunciado, julgue a correspondência de cada item abaixo. I. II. III. CONDIÇÃO DE GESTÃO RESPONSABILIDADES REQUISITOS Gestão plena da atenção básica Gestão plena do sistema municipal Gestão avançada do sistema estadual IV. Gestão plena do sistema estadual Marque a alternativa CORRETA: a) Apenas o item I é verdadeiro. b) Apenas o item II é verdadeiro. c) Apenas o item III é verdadeiro. d) Apenas o item IV é verdadeiro. Questão 36 Elaboração de programação municipal dos serviços básicos Gerência de unidades ambulatoriais própria Reorganização das unidades ambulatoriais do estado ou da União Transferência regular dos recursos referentes ao Teto Financeiro Comprovar o funcionamento do Conselho Municipal de Saúde Executar ações básicas de vigilância sanitária Comprovar capacidade para o desenvolvimento de ações de vigilância epidemiológica Estimular as atividades de epidemiologia e controle das doenças No final de 1990, o Ministério da Saúde dispôs de recursos financeiros para que os municípios se incluíssem na Programação Pactuada Integrada (PPI), com a finalidade de a) desenvolver um modelo assistencial assistemático e informal de responsabilidade única do nível federal. b) que os problemas locais passassem a ter soluções locais, tendo como referência as relações entre as pessoas, não importando seu cargo ou nível social. c) transferir para nível estadual a assistência integral, os problemas de moradia, de habitação, renda, trabalho e lazer. d) promover um modelo assistencial a exemplo do nível federal, pactuando taxas de mortalidade, atendimento à gestante no plano hospitalar e diminuindo o atendimento ambulatorial. Questão 37 Os gestores do Sistema Único de Saúde são os representantes de cada esfera de governo, designados para o desenvolvimento das funções do Executivo na saúde. As funções gestoras podem ser definidas como um conjunto articulado de saberes e práticas de gestão necessário para a implementação de políticas na área da saúde, exercidas de forma coerente com os princípios do sistema público de saúde e da gestão pública. Identificam-se grandes grupos de funções ou macrofunções gestoras, que são: a) Avaliação e prestação dos serviços de saúde privados e particulares e coordenação do atendimento em nível secundário e terciário. b) Formulação da política administrativa, financeira e social, coordenação dos serviços particulares e privados em nível de atendimento terciário. c) Administração de serviços e coordenação de serviços indiretos de saúde, avaliação do atendimento integral e do atendimento em nível terciário (reabilitação e recuperação). d) Formulação de políticas/planejamento, financiamento, coordenação, regulação, controle, avaliação do sistema e prestação direta de serviços de saúde.

16 Questão O SIAB é um Sistema de Informações sobre Ações Básicas, implantado em 1998, em substituição ao Sistema de Informação do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (SIPACS). O Sistema de Informações sobre Ações Básicas (SIAB) foi desenvolvido como instrumento gerencial dos sistemas locais de saúde, com base em informações obtidas pelos agentes e pelas equipes de saúde da família. O SIAB armazena informações a) selecionadas e organizadas sobre a saúde, estudos globais de saúde, conselhos de saúde e a relação do percentual de cada procedimento. b) sobre cadastro de famílias, condições de moradia e saneamento, situação da saúde, dados de morbidade. c) sobre o controle da rede regionalizada e hierarquizada dos serviços ofertados pela iniciativa privada. d) sobre o Sistema de Alta Complexidade e sobre o sistema ambulatorial em que expõe a evolução dos gastos hospitalares por unidade da federação com recursos oriundos do nível federal. Questão 39 O Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) tem por objetivo a) o registro de informações para o nível federal da situação de saúde, alimentando o sistema políticoadministrativo (vigilância em saúde). b) o registro de processamento de dados dos atestados de óbito para alimentar o Sistema de Informação de Mortalidade e o processamento de dados para alimentar o Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos. c) o registro e processamento dos dados sobre agravos de notificação em todo território nacional, fornecendo informações para análise do perfil da morbidade e contribuindo, dessa forma, para a tomada de decisão de âmbito municipal, estadual e federal. d) o registro e o processamento de dados do Sistema de Informação de Mortalidade, Sistema de Informação Nascido Vivo, Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) e Sistema de Informações sobre Ações Básicas (SIAB) para detalhar, controlar, notificar, avaliar a qualidade de vida e de saúde pelos gestores, instâncias colegiadas e usuários. Questão 40 O artigo 35 da Lei n /90 dispõe sobre o financiamento da saúde no orçamento fiscal de cada esfera de governo, estabelecendo critérios para a liberação de recursos. A respeito desses critérios, julgue os itens abaixo: I. Apresentação de dados no Conselho de Saúde para a elaboração do relatório de gastos por procedimento, consolidando um sistema de pagamento, que se torna referencial na Conferência de Saúde. II. Critério demográfico, projetos de assistência integral resultantes da ação centralizada dos gestores e das distribuições das AIHs para o atendimento de Alta Complexidade. III. Perfil demográfico da região, desempenho técnico, econômico e financeiro no período anterior. IV. Perfil epidemiológico da população e características quantitativas e qualitativas da rede de saúde na área. V. Perfil político-social da comunidade, participação da rede privada no orçamento e ressarcimento das AIHs com repasse para o usuário. Marque a alternativa CORRETA: a) Apenas os itens I e III são falsos. b) Apenas os itens I, II e III são verdadeiros. c) Apenas os itens II, IV e V são falsos. d) Apenas os itens III e IV são verdadeiros.

17 16 FOLHA INTERNEDIÁRIA DE RESPOSTAS Questão Alternativas 1 a b c d 2 a b c d 3 a b c d 4 a b c d 5 a b c d 6 a b c d 7 a b c d 8 a b c d 9 a b c d 10 a b c d 11 a b c d 12 a b c d 13 a b c d 14 a b c d 15 a b c d 16 a b c d 17 a b c d 18 a b c d 19 a b c d 20 a b c d 21 a b c d 22 a b c d 23 a b c d 24 a b c d 25 a b c d 26 a b c d 27 a b c d 28 a b c d 29 a b c d 30 a b c d 31 a b c d 32 a b c d 33 a b c d 34 a b c d 35 a b c d 36 a b c d 37 a b c d 38 a b c d 39 a b c d 40 a b c d

18

ENDOSCOPISTA DIGESTIVO

ENDOSCOPISTA DIGESTIVO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROVA OBJETIVA ENDOSCOPISTA DIGESTIVO Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente

Leia mais

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROVA OBJETIVA NEUROCIRURGIÃO Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente

Leia mais

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROVA OBJETIVA CANCEROLOGISTA (NR) Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente

Leia mais

ENSINO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 02/2015

ENSINO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 02/2015 1/5 LEIA O TEXTO: DICIONÁRIO MALUCO ABISMADO: pessoa que caiu no abismo. ARMARINHO: vento que vem do mar. ECOLOGIA: estudo dos ecos. EDIFÍCIO: o contrário de é fácil. MISSÃO: missa muito longa. Guca Domenico

Leia mais

CONHECIMENTO GOTAS. neoplasias hematológicas: leucemia mieloide crônica

CONHECIMENTO GOTAS. neoplasias hematológicas: leucemia mieloide crônica CONHECIMENTO EM GOTAS neoplasias hematológicas: leucemia mieloide crônica leucemia é uma doença maligna dos leucócitos (glóbulos brancos). ela pode ser originada em duas linhagens diferentes: a linhagem

Leia mais

17/03/2011. Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br

17/03/2011. Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br São doenças causadas pela proliferação descontrolada de células hematológicas malignas ou incapacidade da medula

Leia mais

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus ERRATA Secretaria de Saúde do DF AUXILIAR EM saúde - Patologia Clínica Sistema Único de Sáude - SUS Autora: Dayse Amarílio D. Diniz Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais

Leia mais

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte:

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: QUESTÃO 01 Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: a) 10.000/mm 3 b) 5.000/mm 3 c) 20.000/mm 3 d) 100.000/mm 3 e) 30.000/mm 3 QUESTÃO

Leia mais

QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS

QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS QUESTÕES DE HEMATOLOGIA E SUAS RESPOSTAS O QUE É VERDADEIRO E O QUE É FALSO? Questões 1 Anemia na deficiência de ferro a) Está geralmente associada com elevação do VCM. b) O HCM geralmente está diminuído.

Leia mais

Caderno de Prova. Hematologia e Hemoterapia. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente.

Caderno de Prova. Hematologia e Hemoterapia. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente. Secretaria de Estado da Saúde de SC (SES/SC) Processo Seletivo para Médico Residente Edital 02/2008 Caderno de Prova P6 Hematologia e Hemoterapia Dia: 16 de novembro de 2008 Horário: das 14 às 16 h Duração:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA. Nome do Candidato Caderno de Prova 18, PROVA DISSERTATIVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA. Nome do Candidato Caderno de Prova 18, PROVA DISSERTATIVA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA Novembro/2010 Processo Seletivo para Residência Médica - 2011 18 - Área de atuação em Hematologia e Hemoterapia Nome do Candidato

Leia mais

Descrição do esfregaço

Descrição do esfregaço Descrição do esfregaço Série vermelha: microcitose e hipocromia acentuadas com hemácias em alvo. Policromasia discreta. Série branca: sem anormalidades morfológicas Série plaquetária: sem anormalidades

Leia mais

II Workshop Internacional de Atualização. em Hepatologia. na Hematologia. Dominique Muzzillo

II Workshop Internacional de Atualização. em Hepatologia. na Hematologia. Dominique Muzzillo II Workshop Internacional de Atualização em Hepatologia O Fígado na Hematologia Dominique Muzzillo Prof a. Adjunto UFPR 1. Anemias - siderose secundária - hemólise transfusão 2. Doenças Malignas - leucemia

Leia mais

INTENSIVISTA PEDIÁTRICO

INTENSIVISTA PEDIÁTRICO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROVA OBJETIVA INTENSIVISTA PEDIÁTRICO Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente

Leia mais

4. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO MIELOIDE CRÔNICA (LMC)? E MONITORAMENTO DE LMC? É uma doença relativamente rara, que ocorre

4. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO MIELOIDE CRÔNICA (LMC)? E MONITORAMENTO DE LMC? É uma doença relativamente rara, que ocorre ÍNDICE 1. O que é Leucemia Mieloide Crônica (LMC)?... pág 4 2. Quais são os sinais e sintomas?... pág 4 3. Como a LMC evolui?... pág 5 4. Quais são os tratamentos disponíveis para a LMC?... pág 5 5. Como

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS APRESENTAÇÃO O presente documento é resultado de um processo de discussão e negociação que teve a participação de técnicos

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Referente às síndromes mielodisplásicas, julgue os itens a seguir. 41 Segundo a classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS), um indivíduo que apresente leucopenia com ausência de blastos no sangue

Leia mais

Leucemias e Linfomas LEUCEMIAS

Leucemias e Linfomas LEUCEMIAS 23 Leucemias e Linfomas LEUCEMIAS A leucemia representa um grupo de neoplasias malignas derivadas das células hematopoiéticas. Esta doença inicia sempre na medula-óssea, local onde as células sangüíneas

Leia mais

Prova de Conhecimentos Específicos

Prova de Conhecimentos Específicos - Gabarito Prova de Conhecimentos Específicos Texto A NOTÍCIA DE JORNAL Leio no jornal a notícia de que um homem morreu de fome. Um homem de cor branca, trinta anos, presumíveis, pobremente vestido, morreu

Leia mais

Leucemias Crônicas HEMATOLOGIA II 5/6/2010. Curso de Farmácia Prof. Christian LEUCEMIAS CRÔNICAS AGUDAS LINFÓIDES MIELÓIDES MIELÓIDES LINFÓIDES LLC

Leucemias Crônicas HEMATOLOGIA II 5/6/2010. Curso de Farmácia Prof. Christian LEUCEMIAS CRÔNICAS AGUDAS LINFÓIDES MIELÓIDES MIELÓIDES LINFÓIDES LLC HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia Prof. Christian Leucemias Crônicas LEUCEMIAS AGUDAS CRÔNICAS MIELÓIDES LINFÓIDES MIELÓIDES LINFÓIDES LMA LLA LMC LLC M0 A M7 L1, L2, L3 1 LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA (LLC)

Leia mais

Hemoglobina / Glóbulos Vermelhos são as células responsáveis por carregar o oxigênio para todos os tecidos.

Hemoglobina / Glóbulos Vermelhos são as células responsáveis por carregar o oxigênio para todos os tecidos. Doenças Hematológicas Hematologia é o ramo da medicina que estuda o sangue, seus distúrbios e doenças, dentre elas anemias, linfomas e leucemias. Estuda os linfonodos (gânglios) e sistema linfático; a

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. São pequenas partículas originadas do citoplasma dos megacariócitos na medula óssea, desprovidas de núcleo (sem capacidade de síntese

Leia mais

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Características da Federação Brasileira Federação Desigual Federação

Leia mais

COAGULOPATIAS NO PACIENTE ONCOLÓGICO. Dra Carmen Helena Vasconcellos Hospital Veterinário Botafogo - RJ

COAGULOPATIAS NO PACIENTE ONCOLÓGICO. Dra Carmen Helena Vasconcellos Hospital Veterinário Botafogo - RJ COAGULOPATIAS NO PACIENTE ONCOLÓGICO Dra Carmen Helena Vasconcellos Hospital Veterinário Botafogo - RJ HEMOSTASIA Conjunto de mecanismos que visa manter a fluidez do sangue no interior dos vasos no sistema

Leia mais

Protocolo para Transfusão de Hemocomponentes em Crianças Grupo Hospitalar Conceição - Hospital da Criança Conceição.

Protocolo para Transfusão de Hemocomponentes em Crianças Grupo Hospitalar Conceição - Hospital da Criança Conceição. Protocolo para Transfusão de Hemocomponentes em Crianças Grupo Hospitalar Conceição - Hospital da Criança Conceição. 1. Introdução: Atualmente, a transfusão de hemocomponentes é considerado um procedimento

Leia mais

ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS, PROGNÓSTICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS NA LEUCEMIA MIELÓIDE CRÔNICA

ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS, PROGNÓSTICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS NA LEUCEMIA MIELÓIDE CRÔNICA ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS, PROGNÓSTICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS NA LEUCEMIA MIELÓIDE CRÔNICA Laiz Silva Ribeiro laiz0711@bol.com.br Prof Dr. Rodrigo da Silva Santos rdssantos@gmail.com FACULDADE ALFREDO

Leia mais

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos:

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos: Estudo das alterações citogenéticas em pacientes com suspeita clínica de síndrome mieloproliferativa e em pacientes com leucemia mielóide crônica em uso de imatinib. Experiência do laboratório Sérgio Franco

Leia mais

Andrés Mello López Valquíria D. C. Antunes

Andrés Mello López Valquíria D. C. Antunes MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Curso de Farmácia Programa de Educação Tutorial - PET Andrés Mello López Valquíria D. C. Antunes Sumário Introdução Leucemia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: HEMATOLOGISTA C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de Processos

Leia mais

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas.

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas. HEMOGRAMA DEFINIÇÃO É o exame mais requisitado pela medicina e nele analisa-se as células sanguíneas. É comum você pegar um laudo dividido em três partes:eritrograma, parte que analisa as células vermelhas

Leia mais

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROVA OBJETIVA DERMATOLOGISTA Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente

Leia mais

Gestão do Trabalho em Saúde

Gestão do Trabalho em Saúde Universidade Federal de Alagoas Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Prova de Conhecimentos Específicos da Especialização Lato Sensu UFAL 2012.1 Gestão do Trabalho em Saúde CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES

Leia mais

Chat com a Dra. Sandra Senso Rohr Dia 13 de agosto de 2015

Chat com a Dra. Sandra Senso Rohr Dia 13 de agosto de 2015 Chat com a Dra. Sandra Senso Rohr Dia 13 de agosto de 2015 Tema: Entenda a Síndrome Mielodisplásica (Mielodisplasia) Total atingido de pessoas na sala: 24 usuários Limite permitido na sala: 40 usuários

Leia mais

O que é Hemofilia? O que são os fatores de coagulação? A hemofilia tem cura?

O que é Hemofilia? O que são os fatores de coagulação? A hemofilia tem cura? Volume1 O que é? O que é Hemofilia? Hemofilia é uma alteração hereditária da coagulação do sangue que causa hemorragias e é provocada por uma deficiência na quantidade ou qualidade dos fatores VIII (oito)

Leia mais

LEUCEMIAS. Profª Ms. Priscila Ferreira Silva prifs@hotmail.com

LEUCEMIAS. Profª Ms. Priscila Ferreira Silva prifs@hotmail.com LEUCEMIAS Profª Ms. Priscila Ferreira Silva prifs@hotmail.com HEMATOPOESE LEUCEMIAS Alteração genética monoclonal Classificadas em: Agudas Crônicas Mielóides Linfóides LEUCEMIAS Leucemias agudas: Leucemia

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Leucemia Mielóide Crônica

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI. Leucemia Mielóide Crônica HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - LEUCEMIA MIELÓIDE CRÔNICA EDIÇÃO REVISADA 02/2009 Leucemia Mielóide Crônica Este manual tem como objetivo fornecer

Leia mais

TEMA: 6 Mercaptopurina e 6 tioguanina para tratamento da Leucemia Linfóide Aguda (LLA)

TEMA: 6 Mercaptopurina e 6 tioguanina para tratamento da Leucemia Linfóide Aguda (LLA) NT 101/2013 Solicitante: Juiz de Direito NAPOLEÃO DA SILVA CHAVES Número do processo: 0119213-86.2013.8.13.0525 Data: 22/06/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Impetrato: Estado de Minas

Leia mais

HEMATOLOGIA. 2010-11 3ºAno. 10ª Aula. Prof. Leonor Correia

HEMATOLOGIA. 2010-11 3ºAno. 10ª Aula. Prof. Leonor Correia HEMATOLOGIA 2010-11 3ºAno Prof. Leonor Correia 10ª Aula Hematologia 2010/2011 Tumores dos tecidos hematopoiético e linfático Classificação OMS 2008: Interesse e objectivos da classificação Neoplasias mieloproliferativas

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 154/2014 Alfapoetina na IRC

RESPOSTA RÁPIDA 154/2014 Alfapoetina na IRC RESPOSTA RÁPIDA 154/2014 Alfapoetina na IRC SOLICITANTE Dra. Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.706-3 DATA 26/03/2014 SOLICITAÇÃO Solicito parecer

Leia mais

ANEXO I TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS TCTH REGULAMENTO TÉCNICO

ANEXO I TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS TCTH REGULAMENTO TÉCNICO ANEXO I TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS TCTH REGULAMENTO TÉCNICO I - DEFINIÇÕES 1. TCTH de Medula Óssea - Substituição de células-tronco hematopoéticas a partir de células-tronco hematopoéticas

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL Profª Carla Pintas O novo pacto social envolve o duplo sentido de que a saúde passa a ser definida como um direito de todos, integrante da condição de cidadania social,

Leia mais

Fundação Saúde Concurso Público CEPERJ 2011 Prova de Nível Superior

Fundação Saúde Concurso Público CEPERJ 2011 Prova de Nível Superior Caros Leitores e Concurseiros, Analisaremos as questões do Sistema Único de Saúde SUS - cobradas pela organizadora CEPERJ no concurso da Fundação Saúde (Estado do Rio de Janeiro) para os cargos de nível

Leia mais

Anemia: generalidades... 114 Conceito e prevalência... 114 Anemia mínima... 115 Sintomas e sinais... 118 Classificação... 120

Anemia: generalidades... 114 Conceito e prevalência... 114 Anemia mínima... 115 Sintomas e sinais... 118 Classificação... 120 SUMÁRIO 1 Hemograma... 21 Introdução e filosofia de trabalho... 21 Registro e processamento de dados... 29 Coleta de material... 31 Contadores eletrônicos... 35 Microscopia... 44 Critérios para indicação

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica.

Hemoglobina. Uma mulher com Hb de 11,5 a vida toda pode ser considerada normal e não anêmica. 11 de Agosto de 2008. Professor Fernando Pretti. Anemia Abordagem Diagnóstica Definição É a redução, abaixo do normal, da concentração de hemoglobina circulante total. A anemia não é um diagnóstico de

Leia mais

Disfunção plaquetária em situações especiais

Disfunção plaquetária em situações especiais Disfunção plaquetária em situações especiais Fernanda Andrade Orsi Médica Hematologista do Serviço de Hemostasia do Hemocentro de Campinas - UNICAMP Atividade plaquetária Exposição do colágeno subendotelial

Leia mais

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF. LEI 8.080/90 - Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes

Leia mais

SÍNDROME DE HIPER-IgM

SÍNDROME DE HIPER-IgM SÍNDROME DE HIPER-IgM Esta brochura é para ser usada pelos pacientes e pelas suas famílias e não deve substituir o aconselhamento de um imunologista clínico. 1 Também disponível: AGAMAGLOBULINEMIA LIGADA

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

SÍNDROMES MIELODISPLÁSICAS. Hye, 2014

SÍNDROMES MIELODISPLÁSICAS. Hye, 2014 SÍNDROMES MIELODISPLÁSICAS Hye, 2014 DEFINIÇÃO Trata se de um grupo de diversas desordens da medula óssea que leva o indivíduo não produzir células sanguíneas saudáveis em número suficiente. SINTOMATOLOGIA

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA EDIÇÃO REVISADA 02/2004 HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI Este manual tem como objetivo fornecer informações aos

Leia mais

DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015

DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015 DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015 Região de Saúde [...] espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de Municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades

Leia mais

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1 CONHECIMENTOS GERAIS SOBRE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (QUESTÕES 01 a 30) Questão 01 (Peso 1) A saúde, através do Sistema Único de Saúde, é desenvolvida através de uma política social e econômica que visa,

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL

AVALIAÇÃO LABORATORIAL AVALIAÇÃO LABORATORIAL Escolha das análises a serem realizadas Realização da coleta de forma adequada domínio da técnica reconhecimento de eventuais erros de procedimento escolha do recipiente, acondicionamento

Leia mais

Governo do Estado de Pernambuco / Secretaria Estadual de Saúde / Fundação HEMOPE Processo Seletivo Simplificado 2006

Governo do Estado de Pernambuco / Secretaria Estadual de Saúde / Fundação HEMOPE Processo Seletivo Simplificado 2006 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 01 A respeito do diagnóstico do Mieloma Múltiplo, qual entre as alternativas não representa um critério de diagnóstico? A) Componente M na Urina. B) Cálcio sérico >12mg/dl.

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos II Seminário Multiprofissional sobre o Uso Racional de Medicamentos Maceió - 2014 Medicamentos e Uso Racional 1975 28ª Assembleia

Leia mais

Índice HEMATOLOGIA NA PRÁTICA CLÍNICA

Índice HEMATOLOGIA NA PRÁTICA CLÍNICA Índice HEMATOLOGIA NA PRÁTICA CLÍNICA PARTE I - PRINCÍPIOS BÁSICOS DE HEMATOLOGIA CAPÍTULO 1 - Introdução à Hematologia e Procedimentos Básicos de Laboratório, 3 Introdução à Hematologia, 4 O Microscópio,

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliação da cobertura e qualidade dos serviços de saúde, com o aprimoramento

Leia mais

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos.

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos. Doação de órgãos A doação de órgãos é um ato de caridade e amor ao próximo. A cada ano, muitas vidas são salvas por esse gesto altruísta. A conscientização da população sobre a importância da doação de

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

N o 35. Março 2015. O mieloma múltiplo é uma. MIELOMA MÚLTIPLO: Novo Medicamento no tratamento contra o Câncer de Medula Óssea

N o 35. Março 2015. O mieloma múltiplo é uma. MIELOMA MÚLTIPLO: Novo Medicamento no tratamento contra o Câncer de Medula Óssea N o 35 Março 2015 Centro de Farmacovigilância da UNIFAL-MG Site: www2.unifal-mg.edu.br/cefal Email: cefal@unifal-mg.edu.br Tel: (35) 3299-1273 Equipe editorial: prof. Dr. Ricardo Rascado; profa. Drª. Luciene

Leia mais

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE

CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 SANGUE 1 CLINICA MÉDICA HEMATOLOGIA 2003-2004 2 SANGUE 3 4 5 6 7 PATOLOGIA DO GLÓBULO RUBRO ANEMIAS POLICITEMIAS Valores de referência Hemoglobina g/dl recém-nascido

Leia mais

Chat com a Dra. Maria Cristina Dia 24 de fevereiro de 2011

Chat com a Dra. Maria Cristina Dia 24 de fevereiro de 2011 Chat com a Dra. Maria Cristina Dia 24 de fevereiro de 2011 Tema: Mielodisplasia: Novidades no tratamento Total de pessoas que participaram: 34 usuários Limite permitido na sala: 40 usuários Duração: 1h30

Leia mais

TROMBOCITOPENIA NA GRAVIDEZ

TROMBOCITOPENIA NA GRAVIDEZ TROMBOCITOPENIA NA GRAVIDEZ Ricardo Oliveira Santiago Francisco Herlânio Costa Carvalho INTRODUÇÃO: - Trombocitopenia pode resultar de uma variedade de condições fisiológicas e patológicas na gravidez.

Leia mais

Sistema Único de Saúde. 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação.

Sistema Único de Saúde. 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação. Sistema Único de Saúde 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação. 2003 Sistema Único de Saúde! Saúde como direito de cidadania e dever do Estado, resultante de políticas públicas

Leia mais

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada.

Questão 1. a) Cite as duas hipóteses diagnósticas mais prováveis para o caso. b) Descreva, em linhas gerais, a abordagem terapêutica mais adequada. Questão 1 Uma paciente de 35 anos é internada com história de cinco dias de cefaleia progressiva, febre e astenia. A avaliação laboratorial mostrou contagem plaquetária de 23.000/mm³, anemia com hemácias

Leia mais

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e

Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e CASO 01 - Mulher com 63 anos apresentou manchas na pele, hemorragias gengivais e genitais, além de muita fraqueza e confusão mental. Há uma semana tem febre e muita sudoração. O médico examinou a paciente

Leia mais

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização

Leia mais

HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro

HEMOGRAMA ANEMIA FERROPRIVA. Hemoglobina. PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com. Ferro HEMOGRAMA Profª. Francis Fregonesi Brinholi fbrinholi@hotmail.com. Hb = 0,8 g/dl Microcítica VCM < 78fL VCM:? Dosagem de ferritina Baixa Normal Alta Microcítica VCM < 78fL Normocítica VCM: 78-98fL Macrocítica

Leia mais

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014 Fabio Kater Multivitaminas na prevenção do câncer de mama, próstata e pulmão: caso fechado! Revisão da literatura para tipos específicos de câncer

Leia mais

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal

Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal 1º Congresso Médico de Guarulhos Práticas Clínicas no SUS 5 a 7 novembro de 2015 Diagnóstico de hemoglobinopatias pela triagem neonatal Dra Christiane M. S. Pinto Hematologista Pediatrica HMCA Guarulhos

Leia mais

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade Apresentação Projeto Cultura Doadora É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade e uma atitude proativa para a doação de órgãos e tecidos, bem como na

Leia mais

PROVA OBJETIVA. Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015. Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência:

PROVA OBJETIVA. Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015. Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência: PROVA OBJETIVA Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015 Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência: Fique atento para as instruções abaixo: - As questões a

Leia mais

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 AUDITORIA NA SAÚDE Na saúde, historicamente, as práticas, as estruturas e os instrumentos de controle, avaliação e auditoria das ações estiveram,

Leia mais

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO

ANEMIAS OBSTETRÍCIA DIAGNÓSTICO ANEMIAS OBSTETRÍCIA A anemia é definida como síndrome caracterizada por diminuição de massa eritrocitária total. Laboratorialmente, definimos anemia como hemoglobina menor que 12 g/dl em mulheres ou 13

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011.

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011. DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011. Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 08 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Linfomas. Claudia witzel

Linfomas. Claudia witzel Linfomas Claudia witzel Pode ser definido como um grupo de diversas doenças neoplásicas : Do sistema linfático Sistema linfóide Que tem origem da proliferação de linfócitos B ou T em qualquer um de seus

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 62 2011 Rede de Atenção Psicossocial Altera a portaria GM nº 1.169 de 07 de julho de 2005 que destina incentivo financeiro para municípios que desenvolvem Projetos de Inclusão Social pelo

Leia mais

O que é Leucemia? Tipos de Leucemia

O que é Leucemia? Tipos de Leucemia O que é Leucemia? O termo leucemia refere-se a um grupo de doenças complexas e diferentes entre si que afetam a produção dos glóbulos brancos. Para melhor entender esta, ou melhor, estas doenças, é importante

Leia mais

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada 25/11/2015 HISTÓRICO: Período anterior a CF de 1988 INAMPS População e procedimentos restritos Movimento

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 40

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 40 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 40 QUESTÃO 17 São competências do Sistema Único de Saúde: I- Colaborar na proteção do meio ambiente, incluindo o ambiente do trabalho. II- Participar do controle

Leia mais

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS

AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia 8 º período AMH Hemolíticas ANEMIAS HEMOLÍTICAS Anemias causadas por um aumento da destruição dos eritrócitos em relação à produção. Rompe-se o equilíbrio entre a produção

Leia mais

Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal;

Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal; SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE PORTARIA Nº 211, DE 15 DE JUNHO DE 2004 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições; Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS CINÉTICA DO FERRO Danni Wanderson Introdução A importância do ferro em nosso organismo está ligado desde as funções imune, até as inúmeras funções fisiológicas, como

Leia mais

ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab

ANEMIAS HEMOLÍTICAS. Hye, 2013 www.uff.br/hematolab ANEMIAS HEMOLÍTICAS Hye, 2013 www.uff.br/hematolab Anemias Hemolíticas Destruição acelerada de eritrócitos; Podem ser destruídas na medula óssea, no sangue periférico ou pelo baço; drjeffchandler.blogspot.com

Leia mais

Alocação de Recursos e Regionalização no SUS

Alocação de Recursos e Regionalização no SUS Alocação de Recursos e Regionalização no SUS Áquilas Mendes Professor Doutor Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP-USP e do Departamento de Economia da PUC-SP ABRES Encontro Alocação de Recursos e

Leia mais

F. Tratamento fora do domicílio

F. Tratamento fora do domicílio F. Tratamento fora do domicílio artigos 197 e 198 da Constituição Federal de 1988; Lei Orgânica da Saúde nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, disciplinada pela Portaria Federal nº 055, de 24 de fevereiro

Leia mais

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo

Hemoglobinopatias. Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias Dra. Débora Silva Carmo Hemoglobinopatias O que é hemoglobina É a proteína do sangue responsável em carregar o oxigênio para os tecidos Qual é a hemoglobina normal? FA recém-nascido AA

Leia mais

Alterações congénitas da formação da hemoglobina:

Alterações congénitas da formação da hemoglobina: ANEMIAS CAUSADAS POR DEFEITOS GENÉTICOS DA HEMOGLOBINA Alterações congénitas da formação da hemoglobina: TALASSEMIAS há uma síntese desequilibrada das cadeias globínicas HEMOGLOBINOPATIAS por alteração

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 064 /2015 - CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 064 /2015 - CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 064 /2015 - CESAU Salvador, 13 de abril de 2015 OBJETO: Parecer. - Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde- CESAU REFERÊNCIA: 3 a promotoria de Justiça de Dias D'Àvila / Dispensação

Leia mais

PORTARIA Nº 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997

PORTARIA Nº 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997 PORTARIA Nº 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997 Aprova as Normas e Diretrizes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do Programa de Saúde da Família. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas

Leia mais

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante.

Raniê Ralph Semio 2. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação. O hemograma é um exame complementar muito importante. 01 de outubro de 2007. Professor Fernando Pretti. Hemograma Interpretação O hemograma é um exame complementar muito importante. Doenças do sangue Anemias Doenças hemorrágicas: hemofilia, cirrosse hepática,

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE Leucemia Mieloide Crônica

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE Leucemia Mieloide Crônica O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE Manual de (LMC) O que você deve saber sobre (LMC) Desenvolvimento ABRALE e Colaboradores Este manual, destinado a pacientes com leucemia mieloide crônica (LMC) e seus familiares,

Leia mais