A nutrição e o estilo de vida como instrumentos de prevenção e de tratamento do câncer

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A nutrição e o estilo de vida como instrumentos de prevenção e de tratamento do câncer"

Transcrição

1 A nutriçã e estil de vida cm instruments de prevençã e de tratament d câncer Autr: Cai Guimarães Suza Versã nline: (publicada em 12/05/12) Câncer: uma epidemia mundial que pde ser dminada O câncer é uma ameaça real a tds: uma entre três pessas desenvlve essa dença antes ds 75 ans de idade e uma entre quatr mrre em decrrência de cmplicações ligadas a ela. 1 Ainda que câncer tenha se trnad uma questã de saúde pública da mair imprtância, cnheciment ppular a respeit dessa enfermidade é extremamente limitad: a esmagadra mairia das pessas, cm demnstram enquetes diversas, 2 crê ns mits a seguir. MITO 1 O câncer é sbretud causad pr fatres incntrláveis, entre eles a predispsiçã genética. MITO 2 A medicina tradicinal é únic recurs a qual pdems apelar para lutar cntra câncer. Cntrariamente a que se acredita, uma alimentaçã e um estil de vida adequads permitem prevenir a mair parte ds cânceres e pdem ser um instrument cmplementar ptente para cmbater essa dença; algumas das evidências científicas que embasam tal afirmaçã sã apresentadas nas seções 1.1, 1.2, 1.3 e 1.4 deste dcument. O bjetiv desta iniciativa é divulgar amplamente que a pesquisa científica sugere u demnstra serem as principais armas, em terms de alimentaçã e de hábits, das quais dispms para guerrear cntra câncer. N capítul 2 sã listadas exaustivamente recmendações práticas que cada pessa pde seguir nã só para cnstruir para si uma bilgia anticâncer, mas também para prevenir denças cardivasculares e para melhrar sua saúde em geral. 3 Na seçã 1.5, cm fim de esclarecer prquê de tais rientações nã serem difundidas, é expsta a razã fundamental pela qual mesm grande parcela ds médics nclgistas desacredita que a nutriçã pssa auxiliar tratament d câncer. Este dcument sintetiza estad atual d cnheciment sbre a relaçã entre alimentaçã, estil de vida e câncer a partir de três fntes principais: relatóri de 2007 publicad pel Fund Mundial de Pesquisa sbre Câncer e pel Institut

2 American para Pesquisa sbre Câncer; e s livrs Anticâncer e Os aliments cntra câncer. As infrmações aqui apresentadas sã acmpanhadas de suas referências bibligráficas crrespndentes. Um ótim pnt de partida para iniciativas de representantes das mais diversas esferas da sciedade é relatóri Plíticas e Ações para Prevençã d Câncer de 2009 elabrad pelas mesmas instituições. 4 Até hje, nem a medicina tradicinal cm suas técnicas excepcinais (cirurgia, quimiterapia, raditerapia, etc.) nem s trataments alternativs dispníveis sã capazes de evitar u de curar câncer em 100% ds cass. Prtant, a melhr maneira de prteger-se u de tratar-se é, cmbinand mair númer pssível de abrdagens anticâncer, atacar câncer pr tds s lads. Eu desej d fund da minha alma, car leitr, que s padrões de dieta e de práticas aqui acnselhads pssam impactar psitivamente sua vida e a de seus familiares e amigs. Desde que cmeçu a seguir essas recmendações há quatr meses, a minha mãe, vítima de um câncer de vári metastátic estági IV, vem melhrand substancial e sistematicamente. E que essa crrente se prpague, também graças a sua ajuda, para beneficiar um grande númer de pessas e para inspirar utrs empreendiments nessa direçã! 1 Entendend câncer cm dença prevenível e cmbatível através da nutriçã e d estil de vida 1.1 A alimentaçã e estil de vida sã as causas prepnderantes d desenvlviment d câncer A mairia ds cânceres nã sã herdads : 5 inúmers estuds, dentre eles s dis apresentads abaix, demnstram que, na mair parte ds cass, a herança genética nã é determinante para desenvlviment d câncer. Uma pesquisa cm mil indivídus adtads a nascer cncluiu, pr um lad, que fat de pai bilógic de uma pessa mrrer de câncer antes ds 50 ans nã tem nenhuma influência sbre risc de ela ter câncer e, pr utr lad, que a mrte pr câncer de um pai adtiv multiplica pr cinc risc de a pessa adtada também mrrer de câncer. 6 Outra pesquisa cmpara a frequência de certs tips de câncer em brancs americans, em afr-americans e em negrs africans. Para tds s tips examinads, a incidência da dença apresentada pels afr-americans é quase idêntica à ds brancs e cmpletamente diferente da de seus ancestrais, s negrs africans. 7 Ambas as pesquisas evidenciam que regime alimentar é um fatr desencadeante de cânceres. 1.2 A preventabilidade d câncer

3 O últim relatóri d Fund Mundial de Pesquisa sbre Câncer, que sintetiza dezenas de milhares de estuds, afirma: câncer é uma dença prevenível na mairia das vezes. 8 Nenhum estud até hje avaliu efeit da cmbinaçã de grande parte das recmendações aqui expstas na prevençã d câncer, 9 mas tud indica que quase a ttalidade ds cânceres pderia ser evitada. Exemplificand, pder preventiv da recmendaçã de se cnsumir regularmente muitas frutas e legumes cnsiderada isladamente é avassaladr: um grup de mais de 160 pesquisas bservu uma diminuiçã d risc de desenvlviment d câncer da rdem de 60% assciada a essa prática O impact da alimentaçã e d estil de vida na luta cntra câncer Nã há pesquisas que analisem grau de sucess n cmbate a câncer de uma cmbinaçã significativa de recmendações apresentadas neste dcument. N entant, acúmul de incntáveis estuds, entre eles relatad a seguir, a cnstatar efeit imprtante de diversas mudanças simples de estil de vida, sugere que a adçã d cnjunt de recmendações aqui prescritas aumenta substancialmente a prbabilidade de cura u de estagnaçã da dença e prmve, n mínim, melhria imprtante da qualidade de vida e aument cnsiderável da sbrevida. A lng de 11 ans, 227 mulheres vítimas de câncer de mama estági II u III que haviam passad pel tratament cnvencinal pós-câncer fram acmpanhadas pr uma pesquisa. Após tratament, parte dessas mulheres participu de um prgrama de um an que rientava mdificações de hábits relacinadas à nutriçã, à pratica de exercícis físics e a cntrle d estresse. O resultad fi extrardinári: grup que tmu parte n prgrama teve mrtalidade 56% menr durante períd bservad A interaçã entre a alimentaçã, estil de vida e câncer O desenvlviment d câncer divide-se em três etapas: iniciaçã, prmçã e prgressã. A iniciaçã é a danificaçã irreversível d DNA de células nrmais. Tds s dias, centenas de mutações crrem em decrrência d funcinament de um rganism; elas pdem ser causadas, também, pela expsiçã a substâncias cancerígenas (presentes em aliments, n cigarr, em prduts químics, etc.). Tds fabricams células cancerígenas e a iniciaçã é, prtant, insuficiente para desenvlviment d câncer. Para que células iniciadas trnem-se um tumr malign, é necessári que elas driblem s mecanisms crprais de reparaçã e de eliminaçã de células defeitusas a fim de se engajarem num prcess de expansã clnal (etapa de prmçã); quant mair númer de células iniciadas, mair risc de a dença prgredir. A capacidade das células cancerígenas iniciais de vencer nssas defesas naturais e a ds tumres de frmar metástases (etapa de prgressã) dependem de seu micrambiente extracelular que, pr sua vez, é influenciad pela alimentaçã que tems e pel estil de vida que levams. A ciência já identificu muits ds fatres que inibem e ds que estimulam câncer; fundamentand-se nessas descbertas, as recmendações d capítul 2 cnstituem uma estratégia de cmbate que visa a

4 maximizar a presença de agentes antiprmtres da dença n crp e a minimizar a de prmtres. 12 A quimiterapia, indispensável a tratament da mairia ds cânceres, geralmente intervém sbre uma única etapa mlecular relacinada a cresciment dessa dença. 13 Cntrastantemente, uma dieta anticâncer pde reverter avanç de tumres através de mais de dez mecanisms diferentes. 14 O tratament pela alimentaçã revela-se uma abrdagem cmplementar eficaz e sem efeits claterais. 1.5 Pr que recmendações alimentares ainda nã fazem parte d tratament cnvencinal d câncer? Embra muits médics nclgistas admitam a imprtância da nutriçã na prevençã d câncer, a mairia deles nã acredita em sua efetividade n cas de a dença já estar estabelecida. Iss se deve principalmente a fat de um remédi só ser cnsiderad cmprvadamente eficaz pela medicina tradicinal quand validad pr estuds de larga escala em humans, denminads ensais clínics, que duram ans e custam, n cas de quimiterápics, pel mens 500 milhões de dólares; uma vez que aliments nã sã patenteáveis, esse cust exrbitante inviabiliza a realizaçã de ensais clínics cm eles. 15 O que se sabe sbre a interaçã entre s aliments e câncer prvém de estuds epidemilógics e de pesquisas em labratóri e cm animais. É verdade que, isladamente, nenhum desses estuds pde demnstrar relações de causa e efeit tã irrefutavelmente cm fazem s ensais clínics. N entant, a cnjunçã de dezenas de milhares dessas pesquisas trnu pssível cncluir-se cm segurança sbre as infrmações cmpiladas aqui. Aparentemente, a cmunidade médica e a sciedade ainda nã se deram cnta d que a Nature, uma das revistas científicas mais imprtantes d mund, já publicava em 2003: a quimiprevençã pr intermédi de ingredientes fitquímics cmestíveis é dravante cnsiderada um enfque simultaneamente adtável, facilmente aplicável, aceitável e acessível para cntrle e a gestã d câncer Recmendações anticâncer Quand assunt é câncer, a palavra de rdem d sens cmum é imptência: a crença generalizada é de que puc pdems fazer para evitá-l e de que só a medicina tradicinal pde cmbatê-l. Entretant, cm vims n capítul 1, a ciência demnstra que cada indivídu detém imens pder sbre seu destin: a esclha de um estil de vida adequad permite prevenir a mairia ds cânceres e auxilia frtemente s trataments cnvencinais na luta cntra essa dença, pdend melhrar a qualidade de vida, aumentar a sbrevida e elevar a prbabilidade de cura. Este capítul apresenta rientações de padrões alimentares e de hábits anticâncer fundamentadas n estad da arte da pesquisa científica. Os estuds sugerem que a chance de uma

5 pessa vencer câncer é tant mair quant mais dessas recmendações frem integradas a estil de vida e mais seriamente elas frem seguidas. 2.1 Recmendações gerais RECOMENDAÇÃO 1 Alimente-se principalmente de frutas, verduras, legumes, leguminsas e cereais integrais (cma pel mens 5 prções variadas de 400g u mais desses aliments pr dia). Dicas Dê preferência a prduts rgânics; em qualquer cas, lave-s muit bem antes de cmê-ls. Verduras e legumes também pdem ser cnsumids cm frutas na frma de suc. RECOMENDAÇÃO 2 Cma n máxim 300g de carne vermelha (bvina, suína, de crdeir e de cabra) pr semana e evite u elimine cnsum de pele de aves e de carne prcessada. Dicas Carnes rgânicas de animais alimentads a past u cm farinha de linhaça sã muit mais saudáveis. O mesm vale para vs, manteiga, leite e igurte. Carne prcessada refere-se a carnes defumadas, salgadas, curadas u cntend cnservantes químics. Exempls de carnes prcessadas: presunt, bacn, salame, linguiça, pastrami. Hambúrgueres e salsichas também sã englbads nessa categria se cnservads quimicamente. RECOMENDAÇÃO 3 Aumente a ingestã de aliments rics em ômega-3 e reduza cnsum de fntes de ômega-6. Dicas A mair carência nutricinal que atinge atualmente s países cidentais é baix aprte de ácids graxs pli-insaturads d tip ômega Fntes de ômega-3: peixes (especialmente sardinha, arenque, salmã, linguad, atum anchva e enguia); óle de peixe; linhaça; nzes; verduras; óle de linhaça u de canla; e carne, laticínis e vs de animais alimentads a past. Fntes de ômega-6: óles vegetais (de milh, de sja, de girassl...); grdura hidrgenada; carnes, laticínis e vs nã rgânics. RECOMENDAÇÃO 4 Reduza u evite cnsum de aliments de alt índice glicêmic, preferind s de baix índice glicêmic. Dicas Prefira aliments diet. Substitua: açúcares (branc u mascav, mel, maple syrup, de milh, dextrse) pr extrats adçantes naturais (xarpe de agave, adçante Stevia, xilitl, glicine); pã branc pr pã integral, multigrãs u feit cm ferment bilógic; arrz branc pr arrz integral u basmati; massas nã integrais pr massas integrais, semi-integrais u à base de mistura de cereais; batata (salv batata de variedade Nicla) pr batata-dce, inhame, lentilha, ervilha u feijã; cereais de café-da-manhã refinads e adçads, cereais à base de arrz e flcs de milh pr quina, aveia, milhete, trig sarracen, flcs de aveia, müsli, All Bran u Special K; geleias, frutas czidas cm açúcar e frutas em calda pr frutas em estad natural. Evite u elimine bls, bagels, muffins, biscits de arrz, bebidas açucaradas (sucs de fruta industrializads cm adiçã de açúcar, refrigerantes), álcl entre as refeições e aliments açucarads em geral. RECOMENDAÇÃO 5 Cma aliments muit calórics cm puca frequência e cm mderaçã. Dicas Cnsidera-se muit calórics s aliments cntend mais de 250 kcal pr 100g. Essa categria cmpreende a mairia ds aliments cntend grande quantidade de grduras u

6 adiçã de açúcares, s fast fds (hambúrgueres, batatas fritas, pedaçs de frang frit, bebidas açucaradas...), frituras em geral e muits prats pré-preparads, lanches, salgadinhs, biscitinhs, bls, sbremesas e dces. RECOMENDAÇÃO 6 Limite cnsum de sal a 6 g pr dia ( que equivale a 2,4 g de sódi). Dicas Czinhe usand puc sal e nã cnserve aliments usand sal. Cmidas prcessadas sã uma das maires fntes de sal, inclusive muitas das que nã têm gst salgad, cm pães e alguns cereais. RECOMENDAÇÃO 7 Seja tã magr(a) quant pssível dentr da faixa nrmal de pes crpral (índice de massa crpral entre 18,5 e 24,9). Dica O índice de massa crpral de um indivídu é dad pel seu pes em quilgramas dividid pel quadrad de sua altura em metrs. RECOMENDAÇÃO 8 Reduza u evite a ingestã de bebidas alcólicas. Se beber, faça- preferencialmente durante u lg após uma refeiçã. Dicas Hmens devem cnsumir n máxim dis drinks pr dia e mulheres, n máxim um. Diferentemente das demais bebidas, vinh tint pde ser benéfic cntra câncer se cnsumida uma taça pr dia durante uma refeiçã. RECOMENDAÇÃO 9 Pratique atividades físicas regularmente. Dica O ideal é que nível diári de atividades físicas (que pdem estar incrpradas em atividades cupacinais, dmésticas, de transprte e de lazer) equivalha a pel mens 30 minuts de caminhada rápida. RECOMENDAÇÃO 10 Nã fume e evite cntat cm fumaça de cigarr. RECOMENDAÇÃO 11 Reduza estresse, viva mais tranquilamente. 20 Dica O livr Anticâncer cmpila pesquisas que estabelecem relações entre estad de espírit e desenvlviment d câncer. Ele recmenda que se reslva s traumas passads; que se aprenda a aclher as próprias emções (inclusive med, a tristeza, desesper e a raiva) e a deixá-las se dissiparem sem se prender a elas; e que se encntre uma pessa cm quem se pssa cmpartilhar s sentiments. RECOMENDAÇÃO 12 Evite expsiçã a prduts químics cancerígens. Dicas Substitua: desdrantes cm antiperspirantes cntend alumíni pr desdrantes naturais sem alumíni; csmétics, lções, xampus, tintas de cabel, laquês, musses, géis, esmaltes de unha, prtetres slares e desdrantes cntend estrógens, hrmônis placentáris, parabens (metilparaben, pliparaben, isparaben, butilparaben) u ftalats (ftalat de benzilbutila, ftalat di 2-etil hexila) pr prduts naturais u csmétics sem essas substâncias (empresas cm Bdy Shp e Aveda ferecem tais prduts); perfumes cntend ftalats (quase tds) pr eau de tilette (que cntêm mens) u perfume nenhum; panelas de Tefln arranhadas pr panelas de Tefln intactas u panelas de aç inxidável 18/10); prduts de limpeza cmuns (detergente, desdrizadr de vas sanitári...) cntend alquifenóis (nnxinl, ctxinl, nnilfenl, ctilfenl) pr prduts eclógics, vinagre (para superfícies e sls) u

7 bicarbnat de sódi. Use recipientes de vidr u cerâmica para aquecer cmida u líquids em vez de recipientes de plástic cntend PVC, frascs de pliestiren u ispr. Evite cntat cm perclretilen da lavagem a sec, arejand rupas lavadas a sec pr várias hras a ar livre antes de usá-las. Evite expsiçã excessiva as camps magnétics ds telefnes celulares. 2.2 Aliments anti-câncer Um regime basead nas recmendações acima indubitavelmente tem enrme ptencial anticâncer. Mas sua eficiência pde ser multiplicada se ela privilegiar cnsum de aliments especiais cntend mléculas que lhes permitem agir cm medicaments e interferir ns prcesss implicads n desenvlviment de denças cm câncer. 24 Essas mléculas sã minerais, vitaminas, antixidantes e, prepnderantemente, cmpsts fitquímics. Um cnjunt nã exaustiv de aliments benéfics cntra câncer é apresentad abaix, send grafads em negrit s de mair efeit anticâncer. Uma dieta anticâncer deve, n entant, ser diversificada (dentr ds limites impsts pelas recmendações da seçã 2.1), nã se restringind as aliments a seguir. Prteínas: peixes e crustáces (especialmente sardinha, arenque, salmã, linguad, atum anchva e enguia); carne e aves rgânicas (mderadamente); vs rgânics cm ômega-3 (mderadamente); leguminsas (lentilha, ervilha, feijã, grã-de-bic, feijã mung); sja rgânica (tfu, tempeh, bife de sja, grãs germinads de sja, favas de sja, leite de sja, igurte de sja). Cereais e féculas: pães multigrãs, pã de levedura tradicinal (e sem ferment químic); arrz integral, arrz bismati, arrz tailandês; quina; trig para quibe; mingau, müsli, All Bran, Special K, aveia, farel, linhaça, centei, cevada, espelta, trig vermelh; sementes de linhaça; batatas da variedade Nicla; batata-dce, inhame. Grduras: azeite de liva; óle de linhaça; manteiga enriquecida cm ômega-3; óle de fígad de bacalhau; óle de canla. Legumes: crucíferas (cuve, cuve-de-bruxelas, cuve-da-china, bróclis, cuve-flr, replh, agriã); cenura, batata-dce, abóbras, tmate (especialmente na frma de mlh se nã huver adiçã de açúcar), beterraba; espinafre. Cgumels: shitake, maitake, kawaratake, enki, cremini, prtbell, champignns de Paris, cgumels stras. Ervas e cndiments: cúrcuma (melhr absrvid se misturad cm pimenta-d-rein); curry (pde ser adicinad a spas, mlhs e prats diverss); lamiáceas (menta, tmilh, manjerna, régan, manjericã, alecrim); salsa, aip; aliáces (alh, cebla, alh-pró, ceblinha miúda, ceblinha francesa); canela; raiz de gengibre. Prbiótics: igurte e kefir rgânic, igurte de sja enriquecid cm Lactbacilus acidfilus u Lactbacilus bifidus; chucrute, kimchee. Algas: nri, kmbu, wakame, arame e dulse. Frutas: frutas vermelhas (frambesa, mrang, mirtil, amra), frutas cítricas (laranja, tangerina, tranja, limã), cereja, caqui, suc de rmã, gravila, damasc, ameixa, pêsseg, nectarina.

8 Nzes: nzes e avelã; nz-pecã; amênda. Sbremesa: chclate amarg (sem açúcar cm 70% u mais de cacau). Bebidas: chá verde (infusã de 8 a 10 minuts; dê preferência as japneses sencha, gykur e matcha), vinh tint (n máxim uma taça pr dia durante uma refeiçã). Uma dica especial: chá verde preparad cm raiz de gengibre, cúrcuma e uma pitada de pimenta-d-rein é um ptente (e sabrs) cquetel anticâncer. De fat, s três primeirs estã entre s maires aliments antiprmtres d câncer ds quais se têm cnheciment e a sinergia dessa cmbinaçã é extrardinária: a pimenta-d-rein aumenta em mais de 1000 vezes a absrçã de cúrcuma pel rganism e a eficácia cntra câncer d chá verde e da cúrcuma é multiplicada pr 4 quand eles sã cnsumids simultaneamente Terapias alternativas Nã se recmenda a substituiçã ds trataments médics cnvencinais pr terapias alternativas cntra câncer, pis em geral há pucas evidências científicas dispníveis sbre a eficiência delas. Iss nã significa de maneira nenhuma que terapias alternativas nã pssam ser eficazes cntra câncer. Cm efeit, elas pdem ter cmprvaçã científica rigrsa impraticável u, cm indica a seçã 1.5, financeiramente inviável se nã frem patenteáveis. Terapias alternativas pdem auxiliar vigrsamente cmbate a câncer, mas também pdem causar efeits claterais graves e ser incmpatíveis cm trataments cnvencinais. É fundamental, prtant, infrmar-se bem, cnversar cm seu médic e cmunicar, se fr cas, a seu terapeuta sbre seus trataments cnvencinais antes de iniciar uma terapia alternativa. Um ds melhres guias sbre terapias alternativas publicad até hje é Guia Cmplet sbre Terapias Cmplementares e Alternativas cntra Câncer da Sciedade Americana de Onclgia, que nã fi traduzid para prtuguês. 26 Existem incntáveis terapias alternativas cntra câncer. Elas abrangem terapias de ervas, vitaminas e minerais (babsa, avelós, fitterapia, medicina fitterápica chinesa, thuia,...), terapias de dieta e nutriçã (suc de grama de trig, cgumel de sl, gravila, vegetarianism,...), terapias farmaclógicas e bilógicas (Hmepatia, suc de mangstã, terapia enzimática,...), terapias de crp, espírit e mente (Ayurveda, psicterapia, yga, Aura-Sma,...) e terapias de tque físic e cura manual (acupuntura, Reiki, reflexterapia, stepatia,...). Eu cnheç uma irmã de caridade residente n estad d Ri de Janeir que vem tratand vítimas de câncer cm preparads de ervas a lng de mais de vinte ans. Milhares de pessas de td Brasil já fram atendidas pr ela. Os preparads sã, aparentemente, infensivs e muits cass de cura fram atribuíds a eles. Cas queira entrar em cntat cm ela, envie-me um para

9 3 O além-mar A descberta de um câncer é um mment de crise na vida de qualquer pessa. Mas a palavra crise é sabiamente escrita em chinês justapnd-se s idegramas de perig e de prtunidade : Deus a mar perig e abism deu, mas nele é que espelhu céu. Que essa cmpilaçã ajude a tmar cntrle d leme d seu destin para fugir a Perig e que Perig seja uma prtunidade de viver mais saudavelmente, de cultivar a beleza e a alegria dentr de vcê e em sua vida, de descbrir uma infinidade de riquezas em terras nvas. Tud vale a pena se a alma nã é pequena. Referências bibligráficas 1. BÉLIVEAU, R.; GINGRAS, D. Os aliments cntra câncer: a prevençã e tratament d câncer pela alimentaçã. 2.ed. Ri de Janeir: Vzes, p Béliveau, Gingras (2007, p. 18). 3. WORLD CANCER RESEARCH FUND; AMERICAN INSTITUTE FOR CANCER RESEARCH. Fd, Nutritin, and the Preventin f Cancer: a Glbal Perspective. Lndres: p. iv. 4. WORLD CANCER RESEARCH FUND; AMERICAN INSTITUTE FOR CANCER RESEARCH. Plicy and Actin fr Cancer Preventin. Lndres: Wrld Cancer Research Fund, American Institute fr Cancer Research (2007, p. 41). 6. SORENSEN, T. I. A. et al. Genetic and Envirnmental Influences n Premature Death in Adult Adptees. New England Jurnal f Medicine, v. 318, p , Béliveau, Gingras (2007, p ). 8. Wrld Cancer Research Fund, American Institute fr Cancer Research (2007, p. xxv). 9. SERVAN-SCHREIBER, D. Anticâncer: prevenir e vencer usand nssas defesas naturais. 2.ed. rev. e ampl. Ri de Janeir: Objetiva, p Béliveau, Gingras (2007, p ). 11. ANDERSEN, B. L. et al. Psychlgical, Behaviral, and Immune Changes After a Psychlgical Interventin: a Clinical Trial. Jurnal f Clinical Onclgy, v. 22, n. 17, p , Wrld Cancer Research Fund, American Institute fr Cancer Research (2007, p ). 13. Servan-Schreiber (2011, p. 148). 14. Béliveau, Gingras (2007, p ). 15. Servan-Schreiber (2011, p ). 16. SURH, Y.-J. Cancer Chempreventin with Dietary Phytchemicals. Nature Reviews Cancer, v. 3, n. 10, p , Wrld Cancer Research Fund, American Institute fr Cancer Research (2007, p ). 18. Servan-Schreiber (2011, p. 91, , , , ). 19. Béliveau, Gingras (2007, p. 151). 20. SOOD, A. K. et al. Adrenergic mdulatin f fcal adhesin kinase prtects human varian cancer cells frm anikis. Jurnal f Clinical Investigatin, v. 120, n. 5, p , Servan-Schreiber (2011, p ). 22. SERVAN-SCHREIBER, D. Plan de Açã. In:. Anticâncer: prevenir e vencer usand nssas defesas naturais. 2.ed. rev. e ampl. Ri de Janeir: Objetiva, Béliveau, Gingras (2007, p ). 24. Béliveau, Gingras (2007, p. 58). 25. Béliveau, Gingras (2007, p ). 26. AMERICAN CANCER SOCIETY. Cmplete Guide t Cmplementary & Alternative Cancer Therapies. 2.ed. Atlanta: 2009.

FERRO PARA A SAÚDE. Deficiência em ferro: a preocupação. Ferro na alimentação

FERRO PARA A SAÚDE. Deficiência em ferro: a preocupação. Ferro na alimentação FERRO PARA A SAÚDE Licinia de Camps Ferr é um imprtante mineral para a saúde. O ferr faz parte de tdas as células. O ferr (cm parte da prteína hemglbina) carreia xigêni ds pulmões para td rganism. A mairia

Leia mais

Escla Superir Agrária de Cimbra Prcessament Geral de Aliments LEAL 2009/2010 Aqueciment Óhmic Brenda Mel, nº 20803030 Inês Ricard, nº 20090157 Nádia Faria, nº 20803060 O que é? Prcess nde a crrente eléctrica

Leia mais

? Que fazer se tiver falta de apetite, alterações do gosto ou vómitos?

? Que fazer se tiver falta de apetite, alterações do gosto ou vómitos? ? Que fazer se tiver falta de apetite, alterações d gst u vómits? A sua dença u s trataments (quimiterapia e/u raditerapia) pdem prvcar-lhe falta de apetite, u alterações n gst e cheir ds aliments. Pde

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Guia de Bem-Estar Gestão do peso

Guia de Bem-Estar Gestão do peso Guia de Bem-Estar Gestã d pes Cm este guia pde beneficiar a sua vida Benefícis psitivs: Melhr saúde geral Mais energia Melhria da imagem crpral e da aut-estima Melhria da dispsiçã Melhria d rendiment físic

Leia mais

5 o Encontro da Escola de

5 o Encontro da Escola de 5 Encntr da Escla de SAÚDE E ALIMENTAÇÃO: UMA VISÃO INTERPROFISSIONAL PROGRAMAÇÃO 13 DE MAIO DE 2014 PALESTRAS E MESAS REDONDAS PARTICIPE E ACOMPANHE Infrmações e inscrições: www.anhembi.br 5 Encntr da

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

COFFEE BREAK ESPECIAL SUGESTÃO PERÍODO MANHÃ

COFFEE BREAK ESPECIAL SUGESTÃO PERÍODO MANHÃ COFFEE BREAK ESPECIAL SUGESTÃO PERÍODO MANHÃ BEBIDAS Café Leite Chás Sucs Del Valle Igurte de frutas Água Mineral em cp MINI SANDUÍCHES (2 pr pessa) Pãezinhs briche, rechead cm peit de peru, queij branc

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

VIGÊNCIA 07/08/2015 A 06/08/2016

VIGÊNCIA 07/08/2015 A 06/08/2016 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 42/2015 =SRP VIGÊNCIA 07/08/2015 A 06/08/2016 OBS.: AS AUTORIZAÇÕES DEVEM SER SOLICITADAS à CECOM: evani@ufpr.br Item Descriçã QUANT. VALOR UNIT 01 Cffee break Básic - tip 1 - pr pessa

Leia mais

O QUE SÃO ALIMENTOS FUNCIONAIS?

O QUE SÃO ALIMENTOS FUNCIONAIS? O QUE SÃO ALIMENTOS FUNCIONAIS? São alimentos que além de fornecerem energia para o corpo e uma nutrição adequada, produzem outros efeitos que proporcionam benefícios à saúde, auxiliando na redução e prevenção

Leia mais

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha:

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha: Café da manha: Dieta opção 1 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado 1 pão francês sem miolo na chapa com 1 col. (sopa) rasa de margarina ou 1 fatia de queijo fresco ½ xíc. (chá) de cereal 1 xíc. (chá)

Leia mais

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Dia Nacional de Combate ao Câncer O Dia 27 de Novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, é uma data que deve ser lembrada não para comemorarmos e, sim, para alertarmos

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Curs Prfissinal de Técnic Auxiliar de Saúde Planificaçã Anual de Higiene, Segurança e Cuidads Gerais An Letiv 2014/2015 Códig Módul Cnteúds - - Apresentaçã 17/09/14 - - Avaliaçã Diagnóstica Inicial 6572

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

AUTOR NICOLAU BELLO 1. N I c o b e l o @ h o t m a I l. C o m

AUTOR NICOLAU BELLO 1. N I c o b e l o @ h o t m a I l. C o m AUTOR NICOLAU BELLO 1 N I c b e l @ h t m a I l. C m PROPÓSITO DAS INVESTIGAÇÕES Ter relatóris ds acidentes Respstas imediatas inicial Reunir às evidências Análises de suas causas. Ações crretivas. Relatóris

Leia mais

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno.

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno. Pder e escla: Uma analise acerca das relações entre prfessr e alun. Marcs Paul A. Rdrigues 1 Andersn Silva Nunes 2 Intrduçã: O presente trabalh expõe s tips de pder exercid pels prfessres sbre s aluns,

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares HÁBITOS ALIMENTARES Hoje, em virtude da vida agitada, trabalho, estudo, família e outras inúmeras responsabilidades, todos ficam vulneráveis às doenças causadas

Leia mais

Há 50 anos fabricando o melhor Colorau Colorau é Penina

Há 50 anos fabricando o melhor Colorau Colorau é Penina Há 50 ans fabricand melhr Clrau Clrau é Penina Os sabres d Brasil A Penina cmemra seus 50 ans de cmprmiss, qualidade e excelência na fabricaçã de clrífic, especiarias, calds, ervas armáticas. A indústria

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

Observação: crianças, adolescentes, gestantes e praticantes de atividades físicas intensas têm recomendações diferenciadas.

Observação: crianças, adolescentes, gestantes e praticantes de atividades físicas intensas têm recomendações diferenciadas. Atualizado em 15.01.2014 O Lanche Certo tem como objetivo orientar sobre escolhas alimentares adequadas de lanches no trabalho, o que possibilita a melhora de hábitos alimentares, além da promoção da saúde

Leia mais

Posição CELPA Associação da Indústria Papeleira

Posição CELPA Associação da Indústria Papeleira R. Marquês Sá da Bandeira, 74, 2º 1069-076 Lisba, Prtugal Tel. +351 217-611-510 Fax. +351 217-611-529 E-mail. celpa@celpa.pt http://www.celpa.pt Psiçã CELPA Assciaçã da Indústria Papeleira Para: De: Estatut:

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável!

Vida bem estar. Menu Semanal e Lista de Compras. Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Menu Semanal e Lista de Compras Para uma alimentação saudável! Vida bem estar Lista de Compras Lista de Compras Frutas Abacate Banana Maçã Tomate Frutas secas Damasco Banana Abacaxi Ameixa

Leia mais

TABELA DE ph DOS ALIMENTOS

TABELA DE ph DOS ALIMENTOS TABELA DE ph DOS ALIMENTOS Esta tabela não representa o ph real dos alimentos (antes de serem consumidos), representa sim algo mais importante, que é a sua capacidade de produzir "resíduos" mais ou menos

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Estrutura e serviços perfeitos para a realização do seu evento:

Estrutura e serviços perfeitos para a realização do seu evento: È cm grande satisfaçã que nós d Clube Rincã, apresentams nssa prpsta de serviçs para planejament e execuçã de sua festa! Cntams cm uma equipe diferenciada e cm prfissinais qualificads, garantind a excelência

Leia mais

Alimentação na Gestação

Alimentação na Gestação ESPAÇO VIDA Nut. Fabiane Galhardo Unimed Pelotas 2012 Alimentação na Gestação 1 GESTAÇÃO PERÍODO MÁGICO DE INTENSA TRANSIÇÃO, ONDE A NATUREZA MODIFICA O CORPO E A MENTE PARA TRANSFORMAR MULHER EM MÃE A

Leia mais

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO Lucia B. Jaloretto Barreiro Qualidade de Vida=Saúde=Equilíbrio Qualidade de Vida é mais do que ter uma boa saúde física ou mental. É estar

Leia mais

Planejamento de Refeições Rápidas 1

Planejamento de Refeições Rápidas 1 Planejamento de Refeições Rápidas 1 Introdução O plano expresso de refeições para 14-dias é um ótimo ponto de partida que ajuda você a aprender rapidamente sobre os alimentos saudáveis e saborosos que

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Bill Bright 7 Passos Básicos para Jejuar e Orar com Sucesso COMO COMEÇAR 0 SEU JEJUM

Bill Bright 7 Passos Básicos para Jejuar e Orar com Sucesso COMO COMEÇAR 0 SEU JEJUM Bill Bright 7 Passs Básics para Jejuar e Orar cm Sucess COMO COMEÇAR 0 SEU JEJUM Cm iniciar e cnduzir seu jejum determinará em grande parte seu sucess. Seguind estes passs básics para jejum, vcê fará de

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? TIPOS

O QUE É COLESTEROL? TIPOS O QUE É COLESTEROL? O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc.). Em nosso

Leia mais

TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentação / Apresentação do Projeto.

TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentação / Apresentação do Projeto. TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentaçã / Apresentaçã d Prjet. 9.1 Técnicas de apresentaçã Cm apresentar cm sucess? A qualidade d prdut u d u d serviç quase sempre é cnfundida cm a qualidade da apresentaçã.

Leia mais

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl

O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O QUE É COLESTEROL? Sinônimos: colesterol hdl, colesterol ldl O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Ele está presente em alimentos de origem animal

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO)

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO) NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO) O relatóri de Estági Supervisinad (ESO) deverá ser elabrad pel alun matriculad n 10º semestre, em cmum acrd cm seu rientadr,

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

Módulo I (Introdutório 32 horas)

Módulo I (Introdutório 32 horas) Módul I (Intrdutóri 32 hras) Data: 31/Outubr - 3/Nvembr/2013 Prgrama: Fundaments de Química, Biquímica, Bilgia Celular e Mlecular Biquímica da Nutriçã e Regulaçã Endócrina d Metablism: Fundaments de Endcrinlgia

Leia mais

PRINCIPAIS FACTOS E NÚMEROS SOBRE NUTRIÇÃO 1

PRINCIPAIS FACTOS E NÚMEROS SOBRE NUTRIÇÃO 1 Junts pelas crianças PRINCIPAIS FACTOS E NÚMEROS SOBRE NUTRIÇÃO 1 O impact ds atrass de cresciment: Glbalmente, pert de uma em cada quatr crianças menres de 5 ans (165 milhões u 26 pr cent em 2011) sfrem

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado ATENÇÃO: Escreva a resluçã COM- PLETA de cada questã n espaç reservad para a mesma. Nã basta escrever apenas resultad final: é necessári mstrar s cálculs racicíni utilizad. Questã Caminhand sempre cm a

Leia mais

Regulamento da Feira de Ciência

Regulamento da Feira de Ciência Regulament da Feira de Ciência A Feira A Feira de Ciência é um é um prject rganizad pel Núcle de Física d Institut Superir Técnic (NFIST). Esta actividade cnsiste em desenvlver um prject científic pr um

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

Tabela de calorias dos alimentos. Descricão Média g/ml calorias

Tabela de calorias dos alimentos. Descricão Média g/ml calorias achocolatado c/ leite integral achocolatado c/ chantilly 1 xic. (grande) 2 água água de coco café s/ açúcar 1 xic. (café) caipirinha de vodka cerveja chá (s/ açúcar) 1 xic. (chá) chá-mate (s/ açúcar) 1

Leia mais

Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Umidade Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851

Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Umidade Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851 www.tectermica.com.br Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851 FRUTAS Produto Propriedades dos Alimentos Perecíveis Abacate 7,2 a 12,8 85 a 90 65,4-1

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

Alterações na aplicação do Critério Brasil, válidas a partir de 01/01/2013

Alterações na aplicação do Critério Brasil, válidas a partir de 01/01/2013 Alterações na aplicaçã d Critéri Brasil, válidas a partir de 01/01/2013 A dinâmica da ecnmia brasileira, cm variações imprtantes ns níveis de renda e na psse de bens ns dmicílis, representa um desafi imprtante

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

MENOS SAL! MAIS SAÚDE!

MENOS SAL! MAIS SAÚDE! MENOS SAL! MAIS SAÚDE! Jogo da Glória Unidade de Saúde Pública ACES Espinho/Gaia REGRAS: Jogadores: 2 a 6 Objetivo: Ser o primeiro a chegar à casa final! Cada casa possui um tipo de alimentos. Em algumas

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

GORDURAS E COLESTEROL NOS ALIMENTOS:

GORDURAS E COLESTEROL NOS ALIMENTOS: 1 GORDURAS E COLESTEROL NOS ALIMENTOS: 1) MODIFICAÇÃO NA INGESTÃO DE GORDURA: O consumo de menos gordura é um aspecto importante da orientação nutricional para comer de maneira mais saudável, para a protecção

Leia mais

Capítulo V. Técnicas de Análise de Circuitos

Capítulo V. Técnicas de Análise de Circuitos Capítul V Técnicas de Análise de Circuits 5.1 Intrduçã Analisar um circuit é bter um cnjunt de equações u valres que demnstram as características de funcinament d circuit. A análise é fundamental para

Leia mais

Cura Naturalmente a Diabetes Tipo 2 Em Menos De 1 Mês

Cura Naturalmente a Diabetes Tipo 2 Em Menos De 1 Mês Cura Naturalmente a Diabetes Tipo 2 Em Menos De 1 Mês A diabetes tipo II se tornou uma das doenças mais comuns nos tempos modernos. A boa notícia é que em pouco menos de um mês, seguindo um plano de alimentação

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É...4 PREVENÇÃO...5 DIAGNÓSTICO...6 TRATAMENTO...7 ORIENTAÇÕES...8 ALIMENTAÇÃO CORRETA...9 OUTRAS DICAS...12 ATIVIDADE FÍSICA...

SUMÁRIO O QUE É...4 PREVENÇÃO...5 DIAGNÓSTICO...6 TRATAMENTO...7 ORIENTAÇÕES...8 ALIMENTAÇÃO CORRETA...9 OUTRAS DICAS...12 ATIVIDADE FÍSICA... 2 SUMÁRIO O QUE É...4 PREVENÇÃO...5 DIAGNÓSTICO...6 TRATAMENTO...7 ORIENTAÇÕES...8 ALIMENTAÇÃO CORRETA...9 OUTRAS DICAS...12 ATIVIDADE FÍSICA...14 FIQUE SABENDO...16 3 O QUE É A dislipidemia é o aumento

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

QUEDAS EM CRIANÇAS E JOVENS: UM ESTUDO RETROSPETIVO (2000-2013) Reedição, revista e adaptada

QUEDAS EM CRIANÇAS E JOVENS: UM ESTUDO RETROSPETIVO (2000-2013) Reedição, revista e adaptada Reediçã, revista e adaptada RELATÓRIO FINAL Nvembr de 04 I Enquadrament e bjetivs Na Eurpa tds s ans mrrem 500 crianças e jvens entre s 0 e s 9 ans na sequência de uma queda. Apesar de nã ser a mair causa

Leia mais

ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS GRAFICOS DE x E R.

ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS GRAFICOS DE x E R. ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS GAFICOS DE E. Vims cm cnstruir e utilizar s gráfics de cntrle. Agra vams estudar sua capacidade de detectar perturbações n prcess. GÁFICO de Em um julgament, veredict final será

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

A SUPERINFLAÇÃO BRASILEIRA EM 1989: NOTAS E COMENTÁRIOS

A SUPERINFLAÇÃO BRASILEIRA EM 1989: NOTAS E COMENTÁRIOS A SUPERINFLAÇÃ BRASILEIRA EM 1989: NTAS E MENTÁRIS Gentil Crazza* "A inflaçã é uma frma de distribuir s ganhs e as perdas através das frças impessais d mercad." Charles Kindieberger Intrduçã A ecnmia e

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES

COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES Muitas pessoas já ouviram falar deles. Algumas podem até imagine que colesterol e triglicérides sejam sinônimos de doença. Para desfazer a imagem de vilões que essas duas substâncias

Leia mais

DISCIPLINA: Matemática. MACEDO, Luiz Roberto de, CASTANHEIRA, Nelson Pereira, ROCHA, Alex. Tópicos de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006.

DISCIPLINA: Matemática. MACEDO, Luiz Roberto de, CASTANHEIRA, Nelson Pereira, ROCHA, Alex. Tópicos de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006. DISCIPLINA: Matemática 1- BIBLIOGRAFIA INDICADA Bibliteca Virtual Pearsn MACEDO, Luiz Rbert de, CASTANHEIRA, Nelsn Pereira, ROCHA, Alex. Tópics de matemática aplicada. Curitiba: Ibpex, 2006. PARKIN, Michael.

Leia mais

Carcinoma Medular da Tireóide

Carcinoma Medular da Tireóide Serviç de cabeça e pescç HUWC Mári Sérgi R. Macêd Intrduçã 5 a 10 % ds cânceres tireóides Origem: Células C prdutras de calcitnina Hazard em 1959 Subtip histlógic Steiner em 1968 defeniu NEM Intrduçã O

Leia mais

Kelly Chaves - Nutricionista

Kelly Chaves - Nutricionista Kelly Chaves - Nutricionista Alimentos Saudáveis e Funcionais Substâncias consideradas funcionais Alimentos mais consumidos Boas fontes alimentares de cálcio A Importância do Cálcio na Nutrição O que são

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

Introdução: marco normativo internacional e nacional

Introdução: marco normativo internacional e nacional Cidade d Panamá, 21 de abril de 2014 A Assciaçã para a Prevençã da Trtura vem pr mei desta, em respsta a fíci n. 122/2014/CAO-DH enviad pel Centr de Api Operacinal das Prmtrias de Justiça de Defesa ds

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Transfrmadres 1.1- INTRODUÇÃO N estud da crrente alternada bservams algumas vantagens da CA em relaçã a CC. A mair vantagem da CA está relacinada cm a facilidade de se elevar u abaixar a tensã em um circuit,

Leia mais

24 Alimentos para Combater a CELULITE

24 Alimentos para Combater a CELULITE 24 Alimentos para Combater a CELULITE Agradecimento e Informações Muito obrigado por baixar nosso guia com orientações sobre a prevenção e combate a celulite. Nosso objetivo é colaborar com a divulgação

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Alimentação saudável É saborosa, variada, colorida e com harmonia entre quantidades e qualidade! Sempre que possível faça as refeições junto à família,

Leia mais

T12 Resolução de problemas operacionais numa Companhia Aérea

T12 Resolução de problemas operacionais numa Companhia Aérea T12 Resluçã de prblemas peracinais numa Cmpanhia Aérea Objectiv Criar um Sistema Multi-Agente (SMA) que permita mnitrizar e reslver s prblemas relacinads cm s aviões, tripulações e passageirs de uma cmpanhia

Leia mais

Da Declaração à Ação dos Vários Interessados Diretos Primeira reunião do fórum

Da Declaração à Ação dos Vários Interessados Diretos Primeira reunião do fórum Da Declaraçã à Açã ds Váris Interessads Direts Primeira reuniã d fórum Centr de Cnvenções Brasil 21 Brasília, DF, 8 e 9 de mai de 2012 AGENDA ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ESCRITÓRIO REGIONAL DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Latha Soorya Jessica Kiarashi Eric Hollander

Latha Soorya Jessica Kiarashi Eric Hollander Intervenções Psicfarmaclógicas para Cmprtaments Repetitivs ns Transtrns d Espectr Autista Psychfarmaclgic Interventins fr Repetitive Behavirs in Autism Spectrum Disrders Child and Adlescent Psychiatric

Leia mais

ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL PARA DIABETES. Elaboração de conteúdo: Equipe de Nutrição

ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL PARA DIABETES. Elaboração de conteúdo: Equipe de Nutrição ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL PARA DIABETES Elaboração de conteúdo: Equipe de Nutrição PRINCÍPIOS GERAIS PARA MANUTENÇÃO DA GLICEMIA (GLICOSE NO SANGUE) ADEQUADA: Perder peso, se estiver acima do adequado. Fazer

Leia mais

AntiCâncer. Rápido resumo do livro Anticâncer do David Servan-schreiber da editora Fontanar.

AntiCâncer. Rápido resumo do livro Anticâncer do David Servan-schreiber da editora Fontanar. AntiCâncer Rápido resumo do livro Anticâncer do David Servan-schreiber da editora Fontanar. Somos levados a acreditar que o câncer é antes de tudo uma questão de genes, não de estilo de vida. Porém o inverso

Leia mais

Instruções para as apresentações científicas

Instruções para as apresentações científicas Instruções para as apresentações científicas As apresentações pderã ser realizadas na frma de PÔSTER u ORAL, dentr das especialidades dntlógicas: Ciências Básicas, Estmatlgia/Radilgia/Patlgia, Cirurgia,

Leia mais

Profa. Dra. Silvia M de Paula

Profa. Dra. Silvia M de Paula Prfa. Dra. Silvia M de Paula Espelhs Esférics Certamente tds nós já estivems diante de um espelh esféric, eles sã superfícies refletras que têm a frma de calta esférica. Em nss ctidian ficams diante de

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

Manual de Instruções. Kit Estrogonofe ABN-AB-ABK-ABL SKYMSEN LINHA DIRETA

Manual de Instruções. Kit Estrogonofe ABN-AB-ABK-ABL SKYMSEN LINHA DIRETA METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Manual de Instruções Kit Estrgnfe ABN-AB-ABK-ABL METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Rua Anita Garibaldi, nº 262 Bairr: S Luiz CEP: 88351-410 Brusque Santa Catarina

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo

www.500receitasparaemagrecer.com.br SUPER 9 DIETAS 500 Receitas para Emagrecer Dicas Dietas sobre Metabolismo SUPER 9 DIETAS Esta dieta é baseada principalmente na ingestão de alimentos que aumentam a densidade nutricional e diminuir a densidade calórica. É uma das dietas mais equilibradas, uma vez que não se

Leia mais

Se tornando Vegetariano de maneira Saudável 10 Dicas da Nutricionista

Se tornando Vegetariano de maneira Saudável 10 Dicas da Nutricionista Se tornando Vegetariano de maneira Saudável 10 Dicas da Nutricionista 1- Retire gradualmente a carne vermelha, porco e embutidos. No primeiro mês consuma carne vermelha, porco ou embutidos 1 vez na semana,

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

ABN-HD. Manual de Instruções. Kit Estrogonofe SKYMSEN LINHA DIRETA

ABN-HD. Manual de Instruções. Kit Estrogonofe SKYMSEN LINHA DIRETA METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Manual de Instruções METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Rua Anita Garibaldi, nº 262 Bairr: S Luiz CEP: 8835-40 Brusque Santa Catarina Brasil Fne: (47) 32-6000

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele PVC Nã dá para imaginar a vida mderna sem ele Sã Paul, 26 de nvembr de 2012 A GBC Brasil Ref.: Cmentáris sbre item Materiais e Recurss, crédit 4 Cntrle de Materiais Cntaminantes Referencial GBC Brasil

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais