EDITAL CMDCA Nº 02/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDITAL CMDCA Nº 02/2015"

Transcrição

1 EDITAL CMDCA Nº 02/2015 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Luís- CMDCA - SL, no uso de suas atribuições legais, conferidas pela Lei Federal Nº 8.069/90, pela lei Municipal Nº3131/1991 altera pela Lei Municipal Nº165/2004 e em conformidade ao Decreto nº /95, de 11 de Abril de 1995, faz o presente CHAMAMENTO PÚBLICO para fins de apresentação de projetos para utilização de recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente FMDCA, de acordo com os princípios e diretrizes estabelecidos no Plano de Aplicação do FMDCA 2015 disposto neste Edital. 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. 1.1.O objetivo do chamamento público é a realização de concurso de projetos para apoiar ações, que contribuam para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes no município de São Luís/MA, com base no Plano de Ação da 11ª Gestão e do Plano de Aplicação do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente do ano de 2015, com a utilização de recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Município de São Luís/MA, advindos de doação da pessoa jurídica Banco do Itaú Unibanco Holding S.A. através do Programa de Apoio aos Fundos Municipais da Infância e Adolescência,visando apoio a Projetos Sociais aprovados pelo CMDCA. 1.1.a As destinações têm os seguintes propósitos: Contribuir para a melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes, especialmente aqueles que estão submetidos a ameaças e violações de direitos. Contribuir para que os Conselhos se fortaleçam para promover avanços efetivos nas políticas municipais de garantia dos direitos das crianças e adolescentes O repasse dos recursos será feito pelo FMDCA através da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (SEMCAS), atendendo os pressupostos legais para celebração de convênios do município constante do anexo I deste Edital, quando couber. 1.3.Somente serão aceitos os projetos de entidades e /ou programas registradas no CMDCA-SL. 1.4.É vedado o repasse de verbas do FMDCA para entidades com fins lucrativos e que remunere a sua diretoria e que a mesma tenha vinculo com órgãos públicos nas esperas municipal, estadual ou federal. 1.5-Na aplicação dos recursos do FMDCA serão sempre observados os princípios de moralidade, publicidade, legalidade, impessoalidade e eficiência.

2 2. DA APRESENTAÇÃO DO PROJETO Poderão apresentar projetos organizações não- governamentais e governamentais em atuação no município de São Luís/MA. Cada organização poderá apresentar até 01 (um) Projeto conforme as linhas do item 3.1. Serão aceitos projetos sob responsabilidade de instituições e entidades de direito público ou privado, sem finalidade lucrativos, legalmente constituídas no país (possuir personalidade jurídica), adimplentes com suas obrigações fiscais, que atuem no Terceiro Setor Brasileiro e programas de órgãos municipais de atendimento de crianças e/ou adolescentes já existente no município de São Luís O CMDCA-SL, receberá os projetos no período de 22 de junho a 03 de julho de 2015, por escrito, acompanhado de cd, na Rua Paulo VI Cuibá nº 5 quadra B,lotes 5 e 6,Bairro Diamante São Luís-MA, no horário de 14h00 às 18h00, de segunda a quinta feira, e das 8h00 às 12h00 na sexta-feira Os projetos devem ser elaborados na formatação do Roteiro para Apresentação de Projetos conforme Formulário de Inscrição do Itaú Unibanco (Anexo 2 ), execução mínimo de 10 (dez) meses poderão apresentar programas, projetos e serviços contemplados em exercícios anteriores apoiados pelo Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente que tenham sua execução até três anos consecutivos, pois deverão ser inovadores no âmbito da política de promoção, proteção, defesa e atendimento dos direitos de crianças e adolescentes, em conformidade com os Planos Municipais Existentes, no campo da proteção especial As documentações relacionadas no (anexo 1) deverão ser entregues juntamente ao Projeto a ser enviado ao Itaú Unibanco. Caso a Organização Governamental estiver inadimplente ou com pendência em relação à prestação de contas de projetos anteriormente executados com apoio do FMDCA,a mesma será automaticamente eliminada e será convocado a próxima Organização, segundo ordem de classificação O fornecimento de dados cadastrais errôneos que impeçam a efetivação do aporte financeiro importará no encerramento, de pleno direito do instrumento jurídico que porventura tenha sido firmado No ato da apresentação do projeto, as organizações não governamentais deverão entregar declaração, assinada pelo seu representante legal, com habilitação técnica e jurídica, comprovação pelo convenente de que não se encontra em situação de mora ou inadimplência perante o órgão da administração pública municipal direta ou indireta e declaração de que sua diretoria não possui vínculo com órgãos públicos municipal, estadual ou federal e conforme Anexo I, para a assinatura do convênio e recebimento do recurso O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente fixará percentual de 20% de retenção do valor solicitado ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente Os projetos e seus anexos não serão devolvidos qualquer que seja o resultado da seleção será aceito nenhum acréscimo de material ou informações após a entrega do projeto Será indeferido o projeto que não preencher os requisitos enumerados neste Edital, ressalvado o que dispõe o item 2.4.

3 O CMDCA aprovará somente um projeto a ser enviado ao ITAÚ UNIBANCO até o dia 15 de julho de 2015.Os demais projetos farão parte do banco de projetos do fundo em AO CMDCA se reserva o direito de não contemplar todos os projetos encaminhados a ele. Os convênios serão celebrados conforme a disponibilidade financeira dos recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e somente será enviada a quantidade de projetos solicitados pelo BANCO ITAÚ As Entidades que tiveram projetos em execução dos anos 2012/2013/2014 deverão apresentar declaração ou documento que comprove a entrega do relatório de prestação de contas final ou até o período executado, (sem pendências) devidamente aprovado pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social -SEMCAS A aprovação do projeto não deve obrigar seu financiamento pelo Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente, caso não tenha sido captado valor suficiente O nome do doador ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente só poderá ser divulgado mediante sua autorização expressa, respeitado o que dispõe o Código Tributário Nacional DAS LINHAS DE AÇÃO: 3.1- Os projetos deverão ter como público beneficiário crianças e adolescentes de baixa renda em situação de vulnerabilidade e risco social, Conforme o Plano de Aplicação de Recursos do FMDCA para o exercício de 2015, para o chamamento publico, serão considerados Projetos de atendimento direto a crianças e adolescentes que proponham ações vinculadas às linhas prioritárias abaixo: O Edital 2015 priorizará o apoio a ações propostas pelos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente que busquem alcançar um ou mais dos seguintes objetivos: Enfrentar ou prevenir problemas (violências e violações de direitos) que dificultam a trajetória escolar de crianças e adolescentes. Ampliar o acesso das crianças e adolescentes à cultura, à arte, ao esporte, ao lazer, à ciência e à tecnologia, criando oportunidades de aprendizagem que promovam seu desenvolvimento integral e/ou potencializem seu desempenho escolar. Atuar em perspectiva intersetorial, articulando e integrando ações da área educacional com ações da assistência social, da saúde, da cultura, e da segurança, para criar condições que favoreçam a inclusão, a permanência e o bom desempenho das crianças e adolescentes na escola. Mobilizar e apoiar ações da sociedade civil e das famílias que tenham como objetivo proteger e promover direitos das crianças e adolescentes, favorecendo a sua inclusão, permanência e desenvolvimento na escola.

4 Mobilizar e apoiar o envolvimento e o protagonismo das próprias crianças e adolescentes em atividades voltadas à promoção da convivência democrática e à prevenção de violências no interior e no entorno das escolas e das comunidades locais O EDITAL 2015 pretende contribuir para que os Conselhos alcancem os seguintes resultados: Erradicação e prevenção de violências e violações de direitos contra crianças e adolescentes, em especial no que se refere à superação de problemas que restringem ou impedem seu acesso, permanência e aproveitamento na escola. Fortalecimento da capacidade dos sistemas de atendimento locais para implementar ações efetivas que garantam o desenvolvimento integral das crianças e dos adolescentes, em especial o direito à educação e o acesso à cultura, à arte, ao esporte, ao lazer, à ciência e à tecnologia. 4.0 DO CONTEÚDO DOS PROJETOS As propostas dos Projetos devem estar alinhadas conforme o Plano de Aplicação dos recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente no objetivo: Apoio financeiro a organizações, programas e projetos governamentais e não governamentais voltados para o atendimento direto a crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social; 4.2-Os projetos inscritos devem contemplar ações diretas que se relacionem às atividades de implantação, implementação, expansão, aperfeiçoamento ou replicação da proposta. Enfatizandose os que venham a contribuir para erradicação da extrema pobreza, em sintonia com o Plano Brasil sem Miséria do Governo Federal As propostas devem conter, obrigatoriamente, os seguintes itens abordados no anexo II e anexo III deste Edital Os projetos que não atenderem as exigências contidas nos itens 2.3, e deste Edital, serão reprovados sem a análise do conteúdo da proposta. 4.5-Serão considerados itens inelegíveis de apoio financeiro: aquisição, construção, reforma manutenção e/ou aluguel de imóveis públicos e/ou privado CRITÉRIOS DE ANÁLISE DOS PROJETOS. Serão priorizadas para apoio propostas que, conforme indicado no item 1.2 do edital do Itaú Tenham entre seus objetivos a criação de condições e/ou a geração de resultados que contribuam para a educação integral e para o acesso, permanência e aproveitamento das crianças e adolescentes na escola. Empreguem estratégias e métodos que articulem esforços das políticas de assistência, saúde e educação, para buscar reduzir, eliminar ou prevenir a ocorrência de problemas que limitam ou impedem a trajetória escolar das crianças e adolescentes.

5 Relevância do projeto para a localidade no qual está inserido Relevância do projeto considerado a adequação de suas atividades aos anseios e à realidade da comunidade onde ele está inserido; Potencial de transformação local; Resultados Esperados; Estejam focadas no atendimento direto a crianças e adolescentes cujos direitos ameaçados ou violados. Em observância aos princípios dos: Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes; Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, Plano Nacional de Enfrentamento a violência contra crianças e adolescentes Plano Integrado de Enfrentamento de Crack e outras drogas e outros. Coerência entre objetivos, estratégias e resultados esperados; Aspectos Inovadores; Adequação as normas vigentes; Adequação da relação custo x beneficio Investimento total condizente com a quantidade de beneficiários e carga horária do projeto; Efeito demonstrativo e replicabilidade- desenvolvimento de ações que possam servir de modelo para replicação em outros espaços sociais; Nível de organização administrativa e experiência do Conselho/Entidade Executora- Comprovação da experiência do Conselho/entidade executora na condução de projetos sociais/linhas de ação propostas; Complementação do valor pleiteado- Garantia de captação dos recursos complementares necessários à concretização do projeto, caso o valor pleiteado ultrapasse o valor aprovado pelo Banco; Divulgação /retorno relacionados à imagem do Banco Existência de plano de ação que contemple satisfatoriamente a divulgação do apoio financeiro concedido pelo Banco. Serão priorizadas para apoio propostas que estejam fundamentadas em diagnóstico consistente acerca das ameaças e violações de direitos que atingem crianças e adolescentes e das fragilidades do sistema de garantia de direitos. O diagnóstico deve preferencialmente estar baseado em indicadores e dados locais que justifiquem de forma sólida o caráter prioritário da proposta de ação apresentada, bem como a necessidade de sua incorporação ao Plano de Ação e Plano de Aplicação dos Recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do adolescente. Serão priorizadas para apoio propostas de ação que: Apresentem orçamentos consistentes em face das atividades previstas e do volume do público a ser atendido.fundamentem seu orçamento em: Normas técnicas que definem parâmetros a serem observados na execução da ação em questão, ou; Parâmetros praticados por instituições que operam ações da mesma modalidade ou similares à ação em questão.

6 6.0 - Em caso de empate os critérios de desempate serão: Área de maior vulnerabilidade social; Maior quantidade de beneficiários atendidos pelo projeto; Maior diversidade de ações; Maior periodicidade na freqüência das ações; Menor renda per capta. OBS - Os projetos deverão estar em consonância com a legislação relacionada à criança e ao adolescente, em especial ao Estatuto da Criança e do Adolescente e com o presente edital e de acordo com as diretrizes do Plano de Ação e Aplicação dos Recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente 2015, conforme os princípios deste Edital DA COMISSÃO DE ANÁLISE 7.1-Os projetos serão analisados pela equipe técnica do CMDCA e caberá a Plenária do CMDCA composta pelos conselheiros de direitos, escolher e aprovar um projeto conforme as linhas de atuação no item O projeto aprovado será enviado para o seletivo do Itaú Unibanco até o dia 15 de julho de A fundação Itáu Social escolherá o projeto social que receberá a doação por meio do Programa e definirá, ainda os valores dos recursos financeiros que serão doados pelas empresas e entidades do Conglomerado Itaú Unibanco, considerando o valor do pagamento do Imposto de Renda que será destinado ao CMDCA/FMDCA por meio do Programa. 7.4 Os Conselhos que tiverem suas propostas selecionadas serão comunicados por correspondência eletrônica até o dia 30/09/2015. A partir desta data a relação dos conselhos selecionados pelo ITAÚ e respectivas propostas também estará disponível no site : 7.5 Após o resultado final do seletivo do Itaú Unibanco é que serão assinados os convênios após análise de documentação e conforme a disponibilidade financeira dos recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente advindos da conta nº 116 (doações de pessoas físicas e jurídicas) Ficará vedada a votação ou interferência no tocante ao resultado da seleção de Projetos a Conselheiros de direitos desta gestão, cuja sua entidade de sua representação, tenha apresentado Projetos para este Edital. 8.0 DOS RECURSOS FINANCEIROS O valor dos recursos financeiros destinados à realização dos projetos será estabelecido conforme a disponibilidade financeira dos recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de acordo com a doação efetuada pelo Itaú Unibanco na conta de doações fonte 116 do FMDCA Do Montante destinado a cada projeto fica estabelecido percentual máximo e R$ ,00 ( cento e cinqüenta mil reais) e o percentual de retenção ao FMDCA de 20% do valor solicitado.

7 9.0 DA PRESTAÇÃO DE CONTAS Deverá obedecer às normas do FMDCA e do TERMO DE CONVÊNIO firmado entre a entidade, a SEMCAS e o CMDCA; Lei 8.666/ O CMDCA E A SEMCAS estarão seguindo a Instrução Normativa do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, nº 018 de 03 de Setembro de 2008 e Instrução Normativa STN Nº 01, de 15 de janeiro de 1997 e portaria Interministerial 507/ Deverá ser apresentado ao CMDCA-SL e SEMCAS relatório de atividades semestrais, contendo exposição da execução das atividades Os recursos serão repassados às Organizações -Governamentais de uma única parcela e a Prestação de Contas deverá ser apresentada ao final da execução do projeto (conforme estipulado no termo do convênio) e deverá ser enviada ao CMDCA e SEMCAS A não apresentação da Prestação de Contas final no prazo previsto e/ou a existência de Prestação de Contas com pendências não solucionadas em tempo hábil, impede que a organização receba novos repasses de recursos, mesmo que para Projetos diferentes A simples apresentação da Prestação de Contas final, não enseja automaticamente sua aprovação. A Prestação de Contas deverá ser analisada pela SEMCAS, em relação a organização, conferência dos documentos, validade das despesas, etc. Em seguida, é contabilmente checada e, se aprovada, liquidada, ficando disponível para objeto de auditagem pela Controladoria Municipal e pelo Tribunal de Contas do Estado DA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS É vedada a participação de organização inadimplente com o poder público municipal A celebração do convênio fica a cargo da SEMCAS; e somente será realizada a assinatura dos referidos convênios as organizações que estiverem com documentação e situação regularizada junto aos órgãos competentes, caso contrário o projeto deverá ser desclassificado Para efeitos do item 9.1. deste artigo considera-se situação de inadimplência o convenente que: I- apresentar a prestação de contas, final ou parcial, dos recursos recebidos nos prazos estipulados por esse edital; II- tiver a sua prestação de contas aprovadas pela concedente por qualquer fato que prejudique o erário. III- Estiver em débito junto a órgão ou instituição da Administração pública municipal, pertinentes à obrigações fiscais ou contribuições legais. IV- Destinar recursos públicos como contribuições, auxílios ou subvenções ás instituições com fins lucrativos.

8 10.4- Nas hipóteses dos incisos I e II do parágrafo anterior, a organização poderá nomear outro representante legal e uma vez comprovada a instauração da devida tomada de conta especial com imediata inscrição, pela unidade de contabilidade, do potencial responsável em conta de ativo diverso responsáveis, poderá ser liberada para receber novas transferências mediante suspensão da inadimplência por ato expresso do ordenador de despesas do órgão concedente DA ALTERAÇÃO O convênio, o plano de trabalho, somente poderá ser alterado mediante proposta do conveniente, devidamente justificada, a ser apresentada em prazo mínimo, 30 dias antes do término da sua vigência, que vier a ser fixado pelo ordenador de despesa pela concedente, levando-se em conta o tempo necessário e decisão do CMDCA DA PUBLICAÇÃO A eficácia dos convênios e seus aditivos qualquer que seja o seu valor fica condicionada a publicação do respectivo extrato no diário oficial do município, que, será providenciada pela administração indireta Os Conselhos autorizam a Fundação Itaú Social e o conglomerado Itaú Unibanco, em caráter gratuito, não exclusivo, irrevogável e irretratável, a usar, em conjunto ou separadamente, total ou parcialmente, por si ou por terceiros, a sua denominação social, dados cadastrais e institucionais, marcas e/ou sinais distintivos de sua titularidade, bem como todo e qualquer material ou informação sobre os Conselhos e sobre a proposta de ação inscrita, entregues à Fundação Itaú Social ( Direito e Materiais ), em todos e quaisquer materiais, suportes, ações atividades, meios e mídias Os usos dos Direitos e Materiais dos Conselhos previstos acima serão realizados pela Fundação Itaú Social, sem qualquer restrição ou limitação de qualquer natureza, inclusive de espaço, idioma, quantidade de exemplares, número de tiragens. Impressões, edições. Reedições, emissões, transmissões, retransmissões, divulgações e/ou veiculações A autorização de que trata o item 8.1 será válida no Brasil e fora dele, pelo prazo de 10 (dez) anos A disposição, formatação, edição, diagramação, ordenação, compactação ou editoração dos Direitos e Materiais ou de quaisquer materiais, suportes, mídias ou meios físicos em que eles forem inseridos, serão realizadas pela Fundação Itaú Social, por si ou por terceiros, a seu exclusivo critério A divulgação, por parte dos Conselhos, do nome empresarial, denominação social, nomes de domínio, títulos de estabelecimento, marcas depositadas ou registradas, bem como quaisquer sinais distintivos ou bens de propriedade intelectual de titularidade da Fundação Itaú Social ou de qualquer empresa ou entidade do Conglomerado Itaú Unibanco, bem como das informações contidas no presente instrumento, deverá ser previamente autorizada por escrito pela Fundação Itaú Social.

9 12.6. Todos e quaisquer materiais, suportes, ações, meios e mídias indicados neste instrumento, inclusive aqueles em que os Direitos e Materiais forem inseridos, serão desenvolvidos, contratados e/ou confeccionados pela Fundação Itaú Social, por si ou por terceiros, a seu exclusivo critério, e não poderão ser usados pelos Conselhos sem a aprovação prévia e por escrito da Fundação Itaú Social A Fundação Itaú Social reserva-se o direito de, a seu exclusivo critério e sem qualquer ônus, não usar os Direitos e Materiais A Fundação Itaú Social poderá conceder os usos dos Direitos e Materiais a quaisquer terceiros, a empresas e entidades do Conglomerado Itaú Unibanco, desde que tais usos refiram-se exclusivamente à divulgação do Edital Os Conselhos deverão respeitar os direitos de autor das pessoas que participarem, a qualquer título, da criação e produção dos Direitos e Materiais, bem como das pessoas que tiverem quaisquer obras intelectuais, direitos de personalidade ou outros direitos neles inseridos, inclusive de diretores, contratados, empregados, estagiários ou colaboradores Os Conselhos serão integralmente responsáveis por todos e quaisquer danos causados à Fundação Itaú Social, ou, ainda, a terceiros, em razão da violação do disposto neste instrumento, inclusive violação a direitos de propriedade intelectual e de personalidade DA LIBERAÇÃO DE RECURSO A liberação de recursos financeiros em decorrência de convênio deve obedecer ao cronograma de desembolso do plano de trabalho do projeto, guardar a consonância com as fases ou etapas de execução do objeto do convênio A liberação dos recursos será efetuada em uma parcela e a apresentação da prestação de contas será realizada ao final, tendo como referência a vigência do instrumento, no entanto, deverão ser encaminhados, os RELATÓRIOS SEMESTRAL DE EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES INENERENTES AO PROJETO, CONFORME CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO, ao CMDCA e a SEMCAS, afim de que as duas instâncias vislumbrem o monitoramento das propostas Ficará suspenso o convênio quando verificado desvio de finalidade na aplicação dos recursos, atrasos não justificados no cumprimento das etapas ou fases programadas, práticas atentatórias aos princípios fundamentais da administração pública ou municipal nas contratações e de mais atos praticados na execução do convênio DISPOSIÇÕES FINAIS Os prazos aqui estabelecidos são improrrogáveis e o descumprimento das regras definidas neste Edital gerará a exclusão do projeto As questões não previstas neste edital serão decididas em Plenária do CMDCA;

10 14.3.-Todo material produzido no âmbito dos projetos deverá conter logomarca do CMDCA, não havendo vedação para inserção das logomarcas de outros parceiros e colaboradores diretamente envolvidos no projeto e deverão ser apresentados ao Plenário deste CMDCA, para prévia aprovação e autorização,bem como deverão seguir os critérios de divulgação estipulados no item 7 do edital Programa de apoio ao Fundos da Infância e adolescência da Fundação Itaú Social. MARIA NEUZA DA SILVA RIBEIRO PRESIDENTE DO CMDCA SÃO LUÍS São Luís, 10 de junho de 2015

11 ANEXO I RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS COM ENTIDADES EM 2015 CÓPIA DO (A): 01. Ofício solicitando Apoio Técnico e Financeiro; 02. Ata de fundação da Entidade registrada em cartório; 03. Estatuto da Entidade registrada em cartório; 04. Resenha da Entidade publicada no DO; 05. Ata da atual Diretoria registrada em cartório; 06. RG, CPF e Comprovante de Residência do Presidente da Entidade; 07. Certificado CNPJ atualizado; 08. Cópia do Certificado de OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (quando for o caso) 09. Lei de Utilidade Pública Municipal ou Estadual; 10. Certificado de Registro no CMAS (Conselho Municipal de Assistência Social) atualizado; 11. Inscrição no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente -CMDCA 12. Registro no Conselho Municipal do Idoso, e na falta, Registro no Conselho Estadual ou Nacional da Pessoa Idosa Rede Idoso. (quando for o caso) 13. Certificado de Regularidade Cadastral emitido pela Central Permanente de Licitação. 14. Certificado de Regularidade do FGTS/CAIXA; 15. Certidão Negativa Conjunta de Débitos de Tributos Federais (Receita Federal); 16. Certidão Negativa de Débitos Estaduais (Receita Estadual) 17. Certidão Negativa de Tributo Municipal (Secretaria Municipal da Fazenda); 18. Certidão Negativa de Débito - CND/INSS 19. Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas CNDT; 20. Atestado da Vigilância Sanitária; 21. Declaração de exercício regular nos últimos 3 (três) anos, de atividades referentes a matéria objeto do convenio., emitidas pelos respectivos conselhos setoriais de políticas públicas. Art 8º, IV, 6º e 7º PI 507/ Declaração negativa de vinculo com Administração. (Art. 10, II, PI 507/2011) 23. Declaração expressa do proponente, sob as penas do art.299 do Código Penal, de que não se encontra em situação de mora ou em débito perante o órgão da administração pública municipal direta ou indireta; 24. Prestação de Contas dos Convênios anteriores realizados, aprovado pela Prefeitura/SEMCAS; 25. Comprovante de abertura de conta bancária, específica para o convênio emitida por instituição financeira oficial. (extrato com saldo zerado) 26. Plano de Trabalho devidamente preenchido e assinado 27. Planilha de custos (serviços, aquisição de materiais e equipamentos) 28. Atestado de Existência e Regular Funcionamento emitido pela Promotoria de Justiça Especializada em Fundações e Entidades de Interesse Social Obs. NÃO RECEBEREMOS DOCUMENTAÇÕES COM PENDÊNCIA, NEM FORA DO PRAZO ESTABELECIDO

12 ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO DO CMDCA E DA PROPOSTA E DESCRIÇÃO DA PROPOSTA 1. DADOS DO CONSELHO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE RESPONSÁVEL PELO ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA: a) Endereço e dados para contato: Rua: Nº: Compl.: Cidade: Estado: CEP: DDD: Tel.: Fax: Site: b) Dados do Presidente do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente: Nome completo: Rua: Nº: Compl.: Cidade: Estado: CEP: DDD: Tel.: Fax: DDD: Celular: c) O conselheiro que atualmente preside o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente é um representante: Governamental governamental d) Período do mandato do presidente do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente Data da posse: / / Data prevista para encerramento do mandato: / / e) Dados do Conselheiro que será responsável pelo acompanhamento da execução da proposta: Nome completo: Rua: Nº: Compl.: Cidade: Estado: CEP: DDD: Tel.: Fax: DDD: Celular: f) O Conselho possui um diagnóstico da situação das crianças e adolescentes e do Sistema de Garantia de Direitos na localidade? Sim g) Em caso afirmativo, descreva: Como o diagnóstico foi elaborado: Quais são as principais conclusões e prioridades apontadas pelo diagnóstico:

13 2. DADOS DA CONTA DO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Razão Social da Conta: CNPJ da Conta: Nome do Banco: Nº do Banco: Nº da agência: Nº da conta: Dados do ordenador de despesas do Fundo: Nome: DDD: Tel.: Órgão da Prefeitura Municipal ao qual o ordenador de despesas está vinculado: Atenção: Para que a inscrição seja aceita, o CNPJ da conta do Fundo deve ter código Fundo Público e estar de acordo com as instruções normativas da Receita Federal - Ver a determinação, originalmente na IN RFB nº 1.005, de fevereiro de 2010, mantida pelas IN RFB nº de 19 de agosto de 2011 e IN RFB nº 1.210, de 16 de novembro de DADOS DA ORGANIZAÇÃO GOVERNAMENTAL OU NÃO GOVERNAMENTAL QUE SERÁ RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO DA PROPOSTA: a) A organização que será responsável pela execução da proposta já foi escolhida pelo Conselho? Sim a.1) Caso a resposta seja Sim, descreva o perfil e a experiência da organização executora na área da garantia dos direitos das crianças e adolescentes: a.2) Caso a resposta seja Sim, informe os critérios e procedimentos que foram empregados para a escolha da organização que será responsável pela execução da ação proposta: a.3) Caso a resposta seja, informe: Como será feita a escolha da organização que deverá executar a ação proposta? Qual o prazo previsto para a escolha dessa organização? / / Caso a organização executora ainda não tenha sido escolhida, passe para o item 4. b) Natureza da organização que será responsável pela execução da proposta: Organização não governamental sem fins lucrativos Órgão público municipal Órgão público do Distrito Federal Outra natureza. Especificar: c) Identificação da organização que será responsável pela execução da proposta: Atenção: O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente não deve ser indicado como órgão executor da proposta, uma vez que não cabe a ele realizar diretamente ações de atendimento de crianças e adolescentes, mas sim atuar como órgão deliberativo e controlador das ações em todos os níveis (ECA, Artigo 88, Inciso II). Assim também o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente não deve ser indicado como órgão executor da proposta, pois sua função é financiar essa execução. Nome da organização executora: Nº do CNPJ: Caso esteja prevista a participação de mais de uma organização na execução da proposta, informe o nome, a natureza (governamental ou não governamental) e o CNPJ das demais:

14 d) Endereço e dados de contato da organização que será responsável pela execução da proposta: Rua: Nº: Compl.: Cidade: Estado: CEP: DDD: Tel: Fax: e) A organização possui Título de Utilidade Pública? Municipal - Decreto nº: Estadual - Decreto nº: Distrito Federal - Decreto nº: Federal - Decreto nº: possui se aplica f) Registros da organização: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - Nº de registro: Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do Distrito Federal - Nº de registro: Conselho Municipal de Assistência Social - Nº de registro: Conselho de Assistência Social do Distrito Federal- Nº de registro: Conselho Nacional de Assistência Social - Nº de registro: Certificado de Entidade de Fins Filantrópicos - Resolução Nº: Outros. Especificar: se aplica Atenção: Caso a inscrição tenha como foco um serviço, programa ou projeto de atendimento de crianças e/ou adolescentes já existente na localidade, deve ser enviado comprovante do registro desse serviço, programa ou projeto no Conselho, com descrição do perfil da organização operadora e especificação do prazo de validade do registro. g) Dados do presidente ou responsável pela organização executora: Nome completo: Rua: Nº: Compl.: Cidade: Estado: CEP: DDD: Tel: Fax: DDD: Celular: h) Dados do responsável pela coordenação da proposta na organização executora: Nome completo: Rua: Nº: Compl.: Cidade: Estado: CEP: DDD: Tel: Fax: DDD: Celular: 4. ESTRUTURAÇÃO DO CONSELHO PARA GERENCIAMENTO DAS DESTINAÇÕES AO FUNDO a) Este Conselho conta com apoio administrativo e contábil da Prefeitura para recepção de doações direcionadas ao Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente, emissão de recibos e emissão da Declaração de Benefícios Fiscais (DBF) exigida pela Receita Federal? Sim. Descreva o tipo de apoio existente: b) Em ano(s) anterior(es) este Conselho já recebeu doações para o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente efetuadas por Pessoas Físicas ou Pessoas Jurídicas?

15 Sim há dados para informar c) Em ano(s) anterior(es) este Conselho já emitiu recibos de doações recebidas no Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente? Sim há dados para informar Caso a resposta seja Sim, informe como os recibos foram elaborados e os tipos de informação que eles incluem: d) Em ano(s) anterior(es) este Conselho já acompanhou a emissão da Declaração de Benefícios Fiscais (DBF) referentes a doações ao Fundo, conforme orientações e programa de declaração fornecidos pela Receita Federal? Sim há dados para informar Caso a resposta seja Sim, informe: d.1) Qual a data em que última a DBF foi enviada para a Receita Federal / / d.2) O Conselho contou com o apoio de um órgão ou servidor público municipal para a emissão dessa DBF? Sim d.3) Houve algum tipo de problema com a emissão dessa DBF? Sim há dados para informar d.4) Em caso positivo, assinale o(s) tipo de problema ocorrido com a emissão da DBF: Desinformação sobre as normas e procedimentos para a emissão da DBF Dificuldades para baixar ou manejar o programa disponível no site da Receita Federal que deve ser usado para emissão da DBF Dificuldade do Conselho para obter apoio da Prefeitura, do órgão municipal a que está vinculado ou do serviço contábil do município para a emissão da DBF Identificação de erros de lançamento de dados na DBF, que geraram a necessidade de retificação da DBF Emissão da DBF com atraso, após a data-limite estabelecida pela Receita Federal A não emissão da DBF ou a emissão com lacunas ou erros de informação sobre doações recebidas geraram pendências para um ou mais doadores junto à Receita Federal d.5) Caso um ou mais dos problemas acima indicados tenham ocorrido, indique como o Conselho buscará evitar que eles ocorram novamente: e) Em ano(s) anterior(es) este Conselho já administrou e/ou acompanhou a transferência de recursos disponíveis no Fundo para organizações executoras de ações voltadas a crianças e adolescentes? Sim há dados para informar Caso a resposta seja Sim, essa transferência foi feita mediante algum tipo de Termo de Cooperação ou Convênio: Sim. Descreva brevemente o instrumento empregado: há dados para informar

16 f) Caso a proposta inscrita por este Conselho do EDITAL 2015 seja selecionada para apoio, descreva como será feito o repasse do recurso que for direcionado ao Fundo para a organização que será responsável pela execução da proposta: 5. DESCRIÇÃO DA PROPOSTA Atenção: Nenhum campo deve ser deixado em branco. Caso não seja possível fornecer a informação solicitada, deve ser explicado o motivo. 1.Título da proposta 2. Estágio de execução da proposta A proposta que está sendo inscrita: Refere-se a uma ação que ainda não foi iniciada. Refere-se a uma ação que já está em andamento. Caso a ação já esteja em andamento, informe a data em foi iniciada: / / 3. Justificativa da proposta 3.1. Indique os problemas que atingem as crianças e adolescentes (ameaças ou violações de direitos) que deverão ser enfrentados com a execução da proposta: 3.2. Indique como esses problemas afetam a inclusão, a permanência e/ou o aproveitamento das crianças e adolescente na escola: 3.3. Indique as lacunas ou fragilidades do Sistema de Garantia de Direitos do município que a proposta ajudará a minimizar ou superar, e/ou os aprimoramentos que ajudará a introduzir em organizações ou serviços desse sistema: 4. Objetivos da proposta para o ano de 2016 Objetivo geral: Objetivos específicos: 5. Público-alvo 5.1. Quantidade estimada de beneficiários diretos: 5.2. Perfil dos beneficiários diretos: 5.3. Quantidade estimada de beneficiários indiretos: 5.4. Perfil dos beneficiários indiretos: 5.5. Características do território ou da comunidade que será alcançada pela proposta: 6. Procedimentos que serão empregados para alcance, inclusão ou seleção do público-alvo 7. Caso esteja previsto o encaminhamento do público-alvo por parte de instituições do Sistema de Garantia de Direitos, indique:

17 7.1. Instituições que poderão fazer o encaminhamento: 7.2. Procedimentos de encaminhamento: 8. Ações previstas 8.1. Descreva as ações preparatórias (caso existam) que deverão ser realizadas previamente para viabilizar o atendimento público-alvo (construções, reformas, aquisição de equipamentos e ou instalações, contratação de pessoal, etc.): 8.2. A execução de alguma ação prevista dependerá da realização de despesas orçamentárias sujeitas a licitação? Sim. Qual(is): 8.3. Caso a resposta seja Sim, indique: a) Qual o tempo estimado para a conclusão da licitação? Tempo estimado em semanas ou meses: há como estimar o tempo que será necessário b) Pela experiência deste Conselho no que se refere aos processos de administração de recursos públicos no município, é provável a ocorrência de dificuldades ou atrasos na realização da licitação? Sim há dados para responder c) Quais os preparativos e contatos que o Conselho pretende realizar junto aos gestores e servidores do município para evitar eventuais dificuldades na licitação que possam gerar entraves ou atrasos para o início das ações junto ao público-alvo? 8.4. Descreva as ações de acolhimento e atendimento que serão realizadas em 2016 junto ao públicoalvo indicado no item 5: 8.5. Descreva as normas técnicas, metodologias ou conceitos que orientarão as ações de acolhimento e atendimento do público-alvo: 8.6. A proposta prevê alguma forma de diálogo, articulação ou ação conjunta com escolas locais ou com a Secretaria de Educação? Sim Caso a resposta seja Sim, indique como a interação com escolas será desenvolvida: 8.7. A proposta prevê alguma forma de mobilização ou participação de familiares ou de outros representantes da comunidade local para realização de ações que favoreçam a manutenção e melhoria da vida escolar das crianças e adolescentes que serão atendidos? Sim Caso a resposta seja Sim, indique como essa mobilização ou participação acontecerá:

18 9. Cronograma das ações Use os quadros abaixo para apresentar o cronograma das ações indicadas nos itens 8.1 e 8.4. Na primeira coluna liste de forma resumida cada ação em uma linha, usando apenas as linhas que forem necessárias. Nas colunas referentes aos 12 meses de 2016, assinale um X nos meses em que cada atividade deverá ocorrer. Descrição resumida das ações preparatórias citadas no item ) 02) 03) 04) 05) 06) 07) 08) 09) 10) 2016 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Descrição resumida das ações de acolhimento e atendimento do público-alvo citadas no item ) 02) 03) 04) 05) 06) 07) 08) 09) 10) 11) 12) 13) 14) 15) 2016 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Informações complementares sobre o cronograma (se for o caso): 10. Resultados esperados Indique as transformações que a execução da proposta deverá gerar na situação das crianças e adolescentes que serão atendidos, especificando transformações esperadas em sua vida escolar Indique as transformações que a execução da proposta deverá gerar para outros públicos (familiares, profissionais, etc.)

19 11. Monitoramento e avaliação dos resultados Indique como o Conselho pretende acompanhar e monitorar os resultados das ações previstas: Haverá monitoramento do impacto das ações na vida escolar das crianças e adolescentes que serão atendidos? Sim Em caso positivo, esse monitoramento será feito de que forma e com base em quais informações? 12. Instituições que apoiarão a proposta ou que atuarão em parceria com a organização executora no processo de execução da proposta Nomeie as instituições (órgãos públicos, organizações não governamentais, escolas, associações de bairro, empresas, etc.) e indique o tipo de apoio que fornecerá à proposta de ação ou o tipo de vínculo que manterá com a organização executora. Nº Instituições Tipo de apoio ou vínculo Informações complementares sobre instituições apoiadoras ou parceiras (se for o caso): 13. Orçamento da proposta Indique no quadro abaixo os investimentos que serão necessários para a execução da proposta, tais como construção ou reforma de instalações; compra de veículo; compra de equipamentos ou materiais permanentes; etc. Nº Investimentos Valor em R$

20 Total Investimentos Informações complementares sobre investimentos (se for o caso): Indique no quadro abaixo os recursos humanos que serão necessários para a execução da proposta, descrevendo o perfil ou a formação de cada profissional, a função que cada um exercerá na execução da proposta e a carga horária mensal de trabalho que cada um dedicará na proposta em questão. Atenção: os valores deverão ser indicados considerando o total de meses em que cada recurso humano atuará na proposta no ano de Os valores deverão incluir os encargos trabalhistas. Nº Recursos humanos (perfil/formação dos profissionais) Função na execução da proposta Carga horária mensal Valor em R$ para o total de meses em Total - Recursos humanos Informações complementares sobre recursos humanos (se for o caso):

21 13.3. Indique se estão previstas de atividades de capacitação da equipe, especificando os temas e competências serão trabalhados. Nº Atividades de capacitação da equipe Valor em R$ Total - Atividades de capacitação Informações complementares sobre atividades de capacitação da equipe (se for o caso): Indique outros itens de despesa necessários para a execução da proposta, tais como consumo de água, gás, eletricidade; serviços de telefonia; correio; reprografia; despesas com transporte; alimentação; roupas; materiais pedagógicos; materiais de consumo; manutenção de equipamentos e instalações; aluguel de espaço físico; etc. Nº Outros itens de despesa Valor em R$ Total Outros recursos Informações complementares sobre outros itens de despesa (se for o caso): Síntese dos custos para execução da proposta de ação em 2016 Atenção: Neste quadro deverão ser lançados os totais indicados nos quadros anteriores. Itens de despesa Valor em R$ Total Investimentos (quadro 13.1) Total - Recursos humanos (quadro 13.2) Total - Atividades de capacitação da equipe (quadro 13.3) Total - Outros itens de despesa (quadro 13.4) Orçamento total da proposta

22 Atenção: Informe as normas técnicas e/ou os parâmetros que foram considerados pelo Conselho para a estimativa dos custos de execução da ação proposta: Valor solicitado à Fundação Itaú Social Indique o valor que está sendo solicitado pelo Conselho à Fundação Itaú Social para execução da proposta: R$ Recursos que serão provenientes de outras fontes Indique os valores provenientes de outras fontes que serão destinados à execução da proposta, nomeando as respectivas fontes (orçamento do município ou do Distrito Federal; cofinanciamento federal; cofinanciamento estadual; destinações ao Fundo por parte de outras Pessoas Jurídicas ou Pessoas Físicas; direcionamento ao Fundo de valores referentes à aplicação de multas pelo Poder Judiciário; recursos que serão alocados na proposta pelo órgão público ou entidade social responsável pela execução da proposta; etc.). Atenção: caso o órgão público ou entidade executora tenha previsão de alocar recursos humanos, físicos ou técnicos na proposta, faça uma estimativa do valor desses recursos. Fonte Valor em R$ Total Orçamento total da proposta para 2016 Valor solicitado à Fundação Itaú Social (indicado no 13.6) Recursos que serão provenientes de outras fontes (quadro Total) Orçamento total da proposta (este valor deverá ser idêntico ao informado no quadro 13.5) Informações complementares sobre o orçamento da proposta (se for o caso): 14. Sustentabilidade financeira da proposta Há uma estratégia prevista para a sustentabilidade financeira da proposta após no ano de 2016: Sim. Qual? Quais as fontes de recursos previstas para sustentação financeira da proposta após o ano de 2016? Quais despesas (dentre as citadas nas tabelas apresentadas no item 13) poderão ser custeadas por essas fontes após o ano de 2016?

23 PLANO DE TRABALHO 1. METAS DESCRIÇÃO UNIDADE QUANTIDADE 2. ETAPAS E FASES DE EXECUÇÃO ETAPAS DATA INÍCIO DATA CONCLUSÃO 3. PLANO DE APLICAÇÃO DOS RECURSOS NATUREZA DA DESPESA TOTAL GERAL TOTAL POR ITEM (R$) BNB (R$) CONTRAPARTIDA (R$) 4. SITUAÇÃO DO CONSELHO E DA ENTIDADE EXECUTORA DO PROJETO O Conselho e a entidade executora do projeto declaram que não se encontram em situação de mora ou inadimplência perante qualquer órgão ou entidade da Administração Pública Direta e Indireta. Declaram também que não existe sentença condenatória transitada em julgado em razão da prática de atos das entidades ou de seus dirigentes, que importem em discriminação de raça ou de gênero, trabalho infantil, trabalho escravo, assédio moral ou sexual ou crime contra o meio ambiente.

24 OBSERVAÇÕES:, de de Pelo CONSELHO (MUNICIPAL/ESTADUAL) DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE Nome do representante: Cargo/Função: CPF: Pela ENTIDADE EXECUTORA Nome do representante: Cargo/Função: CPF:

25

26

Edital 02/2015 Saldo Remanescente

Edital 02/2015 Saldo Remanescente Edital 02/2015 Saldo Remanescente EDITAL Nº 02/2015 CMDCA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2015 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA, no

Leia mais

EDITAL Nº. 01/2014 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS A SEREM FINANCIADOS PELO FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA DO MUNICÍPIO DE MARABÁ-PARÁ.

EDITAL Nº. 01/2014 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS A SEREM FINANCIADOS PELO FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA DO MUNICÍPIO DE MARABÁ-PARÁ. PREÃMBULO 1994 EDITAL Nº. 01/2014 DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS A SEREM FINANCIADOS PELO FUNDO DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA DO MUNICÍPIO DE MARABÁ-PARÁ. A Prefeitura Municipal de Marabá, por intermédio

Leia mais

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE APOIO INSTITUCIONAL Nº 01/2015 DO OBJETO Esta Chamada Pública de Apoio Institucional visa à seleção de projetos a serem apoiados pelo CAU/BR na modalidade de Apoio à Assistência

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL - CMAS EDITAL 001/2014. Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTENCIA SOCIAL - CMAS EDITAL 001/2014. Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS EDITAL 001/2014 Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS O CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS TORNA PÚBLICO O PROCESSO DE SELEÇÃO DE ENTIDADES E ORGANIZAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, PROGRAMAS,

Leia mais

MUNICÍPIO DE INDAIAL SANTA CATARINA

MUNICÍPIO DE INDAIAL SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE INDAIAL SANTA CATARINA CMDCA - CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE EDITAL Nº 001/ 2011 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Indaial, torna

Leia mais

EDITAL CMDCA Nº 04/2015

EDITAL CMDCA Nº 04/2015 EDITAL CMDCA Nº 04/2015 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Luís- CMDCA - SL, no uso de suas atribuições legais, conferidas pela Lei Federal Nº 8.069/90, pela lei Municipal

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2014

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2014 Edital n.º 001/2013 - CMDCA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2014 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA, no uso de suas atribuições e de

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS FOME ZERO PROCESSO SELETIVO 2006 REGULAMENTO

PROGRAMA PETROBRAS FOME ZERO PROCESSO SELETIVO 2006 REGULAMENTO PROGRAMA PETROBRAS FOME ZERO PROCESSO SELETIVO 2006 REGULAMENTO PROJETOS Serão aceitos projetos sob responsabilidade de organismos governamentais, não-governamentais e comunitários, legalmente constituídos

Leia mais

EDITAL PROGRAMA APOIO AOS FUNDOS DA INFÂNCIA E ADOLESCENCIA

EDITAL PROGRAMA APOIO AOS FUNDOS DA INFÂNCIA E ADOLESCENCIA EDITAL PROGRAMA APOIO AOS FUNDOS DA INFÂNCIA E ADOLESCENCIA 1. O PROGRAMA 1.1 A Fundação Itaú Social desenvolveu programa que visa a apoiar projetos que atuam na defesa e garantia dos direitos das crianças

Leia mais

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS SOCIAIS 2007-2008

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS SOCIAIS 2007-2008 EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS SOCIAIS 2007-2008 Ministério do Esporte Secretaria Especial dos Direitos Humanos Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente Comissão de Chancela

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO - 1 - PROCESSO SELETIVO 2011 FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (FIA) REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar o investimento social

Leia mais

EDITAL 07/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS - COMDICA

EDITAL 07/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS - COMDICA EDITAL 07/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS - COMDICA O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMDICA/Sapucaia do Sul, no uso das atribuições legais que lhe confere a

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS- Nº 01/2015

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS- Nº 01/2015 FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL 1 PREÂMBULO RESOLUÇÃO Nº 05/2015 Publica o Edital de Seleção de Projetos das Organizações Não-Governamentais, a serem apoiados

Leia mais

PROGRAMA BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Primeira edição do Prêmio "Publicações em língua estrangeira de Arte Contemporânea"

PROGRAMA BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Primeira edição do Prêmio Publicações em língua estrangeira de Arte Contemporânea PROGRAMA BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Primeira edição do Prêmio "Publicações em língua estrangeira de Arte Contemporânea" EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PREÂMBULO A Fundação Bienal de São Paulo convoca interessados

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS. EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE

INCUBADORAS DE EMPRESAS. EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE Brasília, 2015 O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE, entidade associativa de Direito

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Linhares/ES

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Linhares/ES EDITAL 01/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS CMDCA LINHARES/ES. O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - CMDCA/Linhares ES no uso das atribuições legais que lhe confere

Leia mais

EDITAL 2013/2014. Programa de Apoio a Projetos Sociais

EDITAL 2013/2014. Programa de Apoio a Projetos Sociais EDITAL 2013/2014 Programa de Apoio a Projetos Sociais Inscrições abertas de 07/05/2012 à 01/07/2012 APRESENTAÇÃO Foi lançada a Seleção de Projetos 2013/2014 do Programa de Apoio a Projetos Sociais pela

Leia mais

EDITAL Nº 07/2015 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER

EDITAL Nº 07/2015 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER EDITAL Nº 07/2015 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER 1) INTRODUÇÃO Considerando que para ter-se uma comunidade com qualidade de vida, deve-se compreender que tal qualidade está diretamente

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS.

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA 2016 A Política de Responsabilidade Social da AngloGold Ashanti define como um de seus princípios que a presença de nossa

Leia mais

EDITAL Nº 05/2015 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER

EDITAL Nº 05/2015 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER EDITAL Nº 05/2015 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER 1) INTRODUÇÃO Crianças e jovens que vivem nos centros urbanos estão expostas a riscos sociais e a ociosidade. Por este motivo, a prática

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2011 FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2011 FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2011 FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA PROJETOS REFERENTES AO PROGRAMA LIVRO ABERTO NA AÇÃO FOMENTO A PROJETOS CULTURAIS

Leia mais

Regulamento. Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010. Regulamento

Regulamento. Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010. Regulamento Regulamento Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010 Regulamento 1 Projetos Serão aceitos projetos sob responsabilidade de organismos governamentais, não-governamentais

Leia mais

Edital Instituto Sabin - 01/2015

Edital Instituto Sabin - 01/2015 Edital Instituto Sabin - 01/2015 Seleção pública de iniciativas empreendedoras socioambientais inovadoras para parceria com o Instituto Sabin O Instituto Sabin, torna público o presente Edital e convoca

Leia mais

Projetos alinhados com pelo menos um dos eixos de atuação abaixo:

Projetos alinhados com pelo menos um dos eixos de atuação abaixo: PROGRAMA VOLUNTARIADO BB APOIO A PROJETOS COM RECURSOS DO FIA EDITAL INTERNO DO PROJETO VOLUNTÁRIOS BB FIA 2015 UNIDADE NEGÓCIOS SOCIAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - UNS APRESENTAÇÃO O Projeto Voluntários

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº JFRJ-EDT-2015/00176 EDITAL DE EDITAL PÚBLICO DE CADASTRAMENTO E SELEÇÃO DE ENTIDADES (PRAZO DE PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS: ATÉ 01 DE DEZEMBRO DE 2015) O DOUTOR FÁBIO DE SOUZA SILVA,

Leia mais

Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/ Pesquisa-ação em iniciativas educacionais

Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/ Pesquisa-ação em iniciativas educacionais MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DE POLÍTICAS CULTURAIS - SPC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO - DEC CHAMAMENTO PUBLICO N 01/2011 Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/

Leia mais

MUNICÍPIO DE PANAMBI RS

MUNICÍPIO DE PANAMBI RS DECRETO MUNICIPAL Nº 064/2014, DE 02 DE JULHO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL 3.681/2013, INSTITUIDORA DO FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. Miguel Schmitt Prym,

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS MG. SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOCIAIS

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS MG. SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOCIAIS PORTARIA N 035, 10 DE JUNHO DE 2008 DISPÕE SOBRE O EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DA REDE EXECUTORA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS 2.008 O Secretário Municipal de Políticas

Leia mais

EDITAL 2014/661-023 BANCO DO NORDESTE PARA SELEÇÃO DE FUNDOS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PARA APOIO A PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL 2014/661-023 BANCO DO NORDESTE PARA SELEÇÃO DE FUNDOS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PARA APOIO A PROJETOS SOCIAIS 2014 DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL ETENE ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE AMBIENTE DE POLÍTICAS DE DESENVOLVIMENTO CÉLULA DE MEIO AMBIENTE, INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Leia mais

Conselho Municipal de Assistencia Social. Lei Municipal 3848/2011 EDITAL 01/2015

Conselho Municipal de Assistencia Social. Lei Municipal 3848/2011 EDITAL 01/2015 EDITAL 01/2015 Abre inscrições de projetos para captação de recursos através do Fundo Municipal de Assistência Social CMAS para entidades da sociedade civil e programas governamentais que desenvolvam Programas

Leia mais

Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS

Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS RESOLUÇÃO Nº 14, DE 15 MAIO DE 2014 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades ou organizações de Assistência Social, bem como dos serviços,

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS SOCIAIS EDITAL 2014

SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS SOCIAIS EDITAL 2014 Instituto Marca de Desenvolvimento Socioambiental - IMADESA SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS SOCIAIS EDITAL 2014 >> Leia com atenção o Edital antes de preencher o formulário para apresentação de projetos. I.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2012 EDUCAÇÃO: CARTÃO INSTITUTO HSBC SOLIDARIEDADE REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2012 EDUCAÇÃO: CARTÃO INSTITUTO HSBC SOLIDARIEDADE REGULAMENTO PROCESSO SELETIVO 2012 EDUCAÇÃO: CARTÃO INSTITUTO HSBC SOLIDARIEDADE REGULAMENTO Criado em 2006, o é responsável por gerenciar o investimento social do Grupo HSBC Brasil e tem como missão contribuir para

Leia mais

MODELO DE PROJETO. Solicitação de Inclusão no Banco de Projetos para captação de recursos FIA/Doações (obrigatório o preenchimento de todos os itens)

MODELO DE PROJETO. Solicitação de Inclusão no Banco de Projetos para captação de recursos FIA/Doações (obrigatório o preenchimento de todos os itens) MODELO DE PROJETO Solicitação de Inclusão no Banco de Projetos para captação de recursos FIA/Doações (obrigatório o preenchimento de todos os itens) 1. IDENTIFICAÇÃO Abrangência do Projeto: ( ) Estadual

Leia mais

Responsabilidade Social e Incentivos Sociais. Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa

Responsabilidade Social e Incentivos Sociais. Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa Responsabilidade Social e Incentivos Sociais Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Pessoa Idosa Nosso ponto de partida Responsabilidade Social: conceito em evolução e práticas em difusão,

Leia mais

CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. Seminário Administrativo Itapema/SC

CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. Seminário Administrativo Itapema/SC CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. TERMOS DE COOPERAÇÃO. DO CONTROLE DA NECESSIDADE AO NECESSÁRIO CONTROLE. COFEN-COREN Lei nº. 5.905, de 12/07/1973. Art. 1º. São criados o Conselho

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005 RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005 Dispõe sobre os procedimentos para cadastramento de Fundações Privadas ou Associações pela Comissão de Cadastramento de ONGs e Associações, de

Leia mais

1º Edital Petrobras de Festivais de Música

1º Edital Petrobras de Festivais de Música 1º Edital Petrobras de Festivais de Música REGULAMENTO OBJETIVOS DO EDITAL O apoio previsto neste regulamento tem como objetivos promover: 01. a formação de público para os diversos segmentos da música

Leia mais

PORTARIA Nº. 224 DE 25 DE JUNHO DE 2007 PUBLICADA NO DOU EM 27 DE JUNHO DE 2007

PORTARIA Nº. 224 DE 25 DE JUNHO DE 2007 PUBLICADA NO DOU EM 27 DE JUNHO DE 2007 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº. 224 DE 25 DE JUNHO DE 2007 PUBLICADA NO DOU

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades e organizações de assistência social, bem como dos serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014 Chamada de Projetos Pública 04/2014 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014 A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

2. QUEM PODE PARTICIPAR

2. QUEM PODE PARTICIPAR EDITAL 1. Edital Instituto Walmart 1.1. Este edital é uma iniciativa do Instituto Walmart com o objetivo de identificar, reconhecer e estimular o desenvolvimento de projetos por organizações da sociedade

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DOS JOGOS INDÍGENAS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015/SEJI

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DOS JOGOS INDÍGENAS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015/SEJI PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DOS JOGOS INDÍGENAS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015/SEJI EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE INTERESSADOS NA OPERAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA NACIONAIS NO ÂMBITO DA FIOCRUZ BAHIA. Órgão Gestor

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA NACIONAIS NO ÂMBITO DA FIOCRUZ BAHIA. Órgão Gestor 18/11/2009 Órgão Elaborador 13:35 Núcleo de Planejamento Órgão Gestor Núcleo de Planejamento Órgão Aprovador Diretoria REVISÃO 00 DATA: SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de Aplicação 3. Siglas Utilizadas 4.

Leia mais

EDITAL DE APOIO A INICIATIVAS DE JOVENS PELA PROTEÇAO DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014

EDITAL DE APOIO A INICIATIVAS DE JOVENS PELA PROTEÇAO DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014 EDITAL DE APOIO A INICIATIVAS DE JOVENS PELA PROTEÇAO DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014 INTRODUÇÃO Esse edital é fruto de uma parceria entre a Childhood Brasil e a OAK Foundation

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 7, DE 24 DE ABRIL DE 2007

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 7, DE 24 DE ABRIL DE 2007 FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 7, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade para transferência de recursos e para habilitação

Leia mais

Anexo I MODELO DE PROJETO DE EVENTOS SELEÇÃO 2012

Anexo I MODELO DE PROJETO DE EVENTOS SELEÇÃO 2012 1 Anexo I MODELO DE PROJETO DE EVENTOS SELEÇÃO 2012 1. NOME DA ONG: NOME DO PROJETO: POPULAÇÃO ALVO: ÁREA GEOGRÁFICA ABRANGIDA PELO PROJETO: (Regiões do estado, do município, bairros, etc) 2. DADOS INSTITUCIONAIS

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTA PARA PROJETO DE APOIO A INSTALAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS NO BRASIL REFERENTE

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GABINETE DA SECRETÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GABINETE DA SECRETÁRIA EDITAL SEED-AP Nº 001/2014 GAB/PERGE/SEED. A Secretária de Estado de Educação do Amapá, no uso de suas atribuições, torna pública a realização do II Prêmio Estadual de Referência em Gestão Escolar 2014,

Leia mais

Brincar de ler e escrever

Brincar de ler e escrever I Edital FNA 2015 Brincar de ler e escrever A Fundação Negro Amor - FNA foi criada em 2008 e, desde então, desenvolve ações na área socioeducativa e cultural, com foco na promoção da educação infantil

Leia mais

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União Facilitador: Fernanda Lyra Horário da Aula: 28 de janeiro - Segunda - das 18h às 20h SICONV TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC EDITAL SETEC Nº 02, 30 DE MAIO DE 2014 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA - SISUTEC O Secretário

Leia mais

Artigo 3º. Os projetos submetidos a presente seleção deverão indicar, entre os eixos abaixo discriminados, aquele de atuação principal.

Artigo 3º. Os projetos submetidos a presente seleção deverão indicar, entre os eixos abaixo discriminados, aquele de atuação principal. Edital Fumcad 2015 Prorrogação de Edital de Chamada Pública FUMCAD 2015 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA SELEÇÃO DE PROJETOS RELATIVOS À PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Leia mais

PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL. EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS

PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL. EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS PRÊMIO PORTO MARAVILHA CULTURAL EDITAL de PRÊMIO Nº 01/2013 EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROJETOS 1. INTRODUÇÃO 1.1. A COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO ( CDURP

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA AIBA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB

ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA AIBA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA AIBA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB FUNDO PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO E SUSTENTÁVEL DA BAHIA FUNDESIS EDITAL PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

Leia mais

3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO

3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO 3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO IDENTIFICAÇÃO Nome do projeto Instituição proponente CNPJ/MF da Instituição proponente Responsável pela instituição proponente (nome, CPF, RG, endereço, telefone,

Leia mais

3. Cronograma. Encaminhamento da solicitação de apoio, formatada conforme Roteiro de elaboração de projetos estabelecido no Anexo I.

3. Cronograma. Encaminhamento da solicitação de apoio, formatada conforme Roteiro de elaboração de projetos estabelecido no Anexo I. PROPOSTA DE EDITAL O Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Humano, fundado aos 09 (nove) dias do mês de Maio de 2007, tendo como objetivo promover o desenvolvimento humano em diversos âmbitos,

Leia mais

EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO

EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO O projeto deve ser elaborado no formulário em WORD, disponível para download

Leia mais

LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015

LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015 LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015 Institui o Sistema Municipal de Assistência Social do Município de Santo Antônio da Patrulha e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL de Santo Antônio da Patrulha,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 003 DE 03 DE MARÇO DE 2006 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011 CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CMAS RESOLUÇÃO CMAS Nº 16, DE 26 DE SETEMBRO DE 2011 Resolução CMAS nº 16, 26 de setembro de 2011, revoga a Resolução CMAS nº 01/2002 e define os parâmetros para

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ Prefeitura Municipal de Teresina Secretaria Municipal da Juventude SEMJUV GABINETE DO SECRETÁRIO

ESTADO DO PIAUÍ Prefeitura Municipal de Teresina Secretaria Municipal da Juventude SEMJUV GABINETE DO SECRETÁRIO SEMJUV EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE JUVENTUDE TERESINA 2013 SEMJUV, pessoa jurídica de direito público, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS da

Leia mais

TREINAMENTO PARA OS NOVOS DIRETORES DE DEPARTAMENTOS DA UNIVERSIDADE

TREINAMENTO PARA OS NOVOS DIRETORES DE DEPARTAMENTOS DA UNIVERSIDADE TREINAMENTO PARA OS NOVOS DIRETORES DE DEPARTAMENTOS DA UNIVERSIDADE Salvador, 21 e 22 de julho de 2010 CONVÊNIOS EQUIPE: Alessandro Chaves de Jesus Ana Lucia Alcântara Tanajura Cristiane Neves de Oliveira

Leia mais

EDITAL N.º01/2015 1. APRESENTAÇÃO

EDITAL N.º01/2015 1. APRESENTAÇÃO EDITAL N.º01/2015 O Conselho Municipal do Idoso CMI, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Municipal N.º 3.548 de 24 de março de 2009, torna público que está disponibilizando recursos oriundos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 35 DE 22 DE JULHO DE 2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 35 DE 22 DE JULHO DE 2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 35 DE 22 DE JULHO DE 2008 Estabelece orientações e diretrizes para apoio financeiro para

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 008/2013

RESOLUÇÃO Nº 008/2013 RESOLUÇÃO Nº 008/2013 Súmula: Define critérios para apresentação de projetos para o valor R$966.734,86 (Novecentos e sessenta e seis mil, setecentos e trinta e quatro reais e oitenta e seis centavos) do

Leia mais

Chamada Interna BB Educar Integração. BB Educar. Brasília (DF), 01 de julho de 2015.

Chamada Interna BB Educar Integração. BB Educar. Brasília (DF), 01 de julho de 2015. Chamada Interna BB Educar Integração BB Educar Brasília (DF), 01 de julho de 2015. Unidade Negócios Sociais e Desenvolvimento Sustentável - UNS Chamada Interna BB Educar Integração O Banco do Brasil, por

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014 RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014 Dispõe sobre o Registro de Entidades não Governamentais e Inscrição de Programas, Projetos e Serviços de Atendimento, governamentais e não governamentais, que tenham por

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA CRIANÇA ESPERANÇA PROCESSO SELETIVO 2014

CONVOCATÓRIA PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA CRIANÇA ESPERANÇA PROCESSO SELETIVO 2014 CONVOCATÓRIA PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA CRIANÇA ESPERANÇA PROCESSO SELETIVO 2014 Maio/2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. DAS ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS PARA APOIO... 6 2. DOS TIPOS DE PROJETO QUE

Leia mais

EDITAL Nº 02/2013 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER

EDITAL Nº 02/2013 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER EDITAL Nº 02/2013 APOIO A PROJETOS SOCIAIS NA ÁREA DO ESPORTE E LAZER 1) INTRODUÇÃO O presente Edital abre oportunidade para que as Instituições Públicas e as Privadas, desde que sem fins lucrativos e

Leia mais

REGULAMENTO Programa Parceria Social 10 anos!

REGULAMENTO Programa Parceria Social 10 anos! REGULAMENTO Programa Parceria Social 10 anos! 2013 é um ano significativo para o Instituto Embraer: estamos comemorando 10 anos do Programa Parceria Social! Ao longo desses anos o Instituto Embraer pôde,

Leia mais

BOLSA FUNARTE DE CRIAÇÃO LITERÁRIA

BOLSA FUNARTE DE CRIAÇÃO LITERÁRIA BOLSA FUNARTE DE CRIAÇÃO LITERÁRIA O Presidente da Fundação Nacional de Artes Funarte, no uso das atribuições que lhe confere o inciso V do artigo 14 do Estatuto aprovado pelo Decreto nº. 5.037 de 7/4/2004,

Leia mais

Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A 4ª SEMANA NÓS AMBIENTE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO FMMA Nº 002/2016/SEMA

Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A 4ª SEMANA NÓS AMBIENTE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO FMMA Nº 002/2016/SEMA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA A 4ª SEMANA NÓS AMBIENTE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO FMMA Nº 002/2016/SEMA A Secretaria Municipal de Meio Ambiente SEMA, no uso de suas atribuições que lhe foram conferidas pelo

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 008/2012 Chamamento Público para o Programa 2040 GESTÃO DE RISCOS E RESPOSTA A DESASTRES Ação 8172

Leia mais

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL EDITAL DE SELEÇÃO E FINANCIAMENTO DE PROJETOS ESCOTEIROS -1/2013 A União dos Escoteiros do Brasil torna público o Edital para seleção e financiamento de projetos escoteiros,

Leia mais

ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE

ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 2015, e dá outras providências. Art. 60 - Sem prejuízo das disposições contidas nos demais artigos,

Leia mais

EDITAL N.º 04/2015 De 05 de Maio de 2015.

EDITAL N.º 04/2015 De 05 de Maio de 2015. EDITAL N.º 04/2015 De 05 de Maio de 2015. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, no uso de suas atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Federal n.º 8.069, nos arts. 88, IV,

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE A Política de Patrocínio da Cagece que compreende o apoio financeiro concedido a projetos institucionais, culturais, sociais, ambientais e esportivos de iniciativa de terceiros,

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO N.º 3, DE 3 DE MARÇO DE 2006

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO N.º 3, DE 3 DE MARÇO DE 2006 FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO N.º 3, DE 3 DE MARÇO DE 2006 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade para transferência de recursos

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 11ª Reunião da Câmara Técnica de Unidades de Conservação e 36ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 27 e 28 de agosto

Leia mais

II Concurso de Projetos Sociais Volkswagen na Comunidade 2009

II Concurso de Projetos Sociais Volkswagen na Comunidade 2009 II Concurso de Projetos Sociais Volkswagen na Comunidade 2009 Introdução Com os objetivos de: Promover, conhecer e prestar reconhecimento aos empregados e terceiros residentes que realizam trabalhos voluntários

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA Nº 04/2014 SERVIÇO DE PESSOA JURÍDICA /LOGÍSTICA DE EVENTOS

COTAÇÃO PRÉVIA Nº 04/2014 SERVIÇO DE PESSOA JURÍDICA /LOGÍSTICA DE EVENTOS Rua Francílio Dourado, 11 - Sala 10 Água Fria - Fortaleza, Ceará, Brasil CEP: 60813-660 Telefone: +55 (85) 3114.9658 http://abraca.autismobrasil.org/ COTAÇÃO PRÉVIA Nº 04/2014 SERVIÇO DE PESSOA JURÍDICA

Leia mais

Programa de Apoio aos Conselhos e Fundos Municipais do Idoso

Programa de Apoio aos Conselhos e Fundos Municipais do Idoso Programa de Apoio aos Conselhos e Fundos Municipais do Idoso ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICO E ELABORAÇÃO DA POLÍTICA MUNICIPAL DE GARANTIA DOS DIREITOS DA PESSOA

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. EDITAL Nº 005/2015/UEPB/PROEX/PROAPEX PROCESSO SELETIVO DO PROAPEX COTA 2015-2016

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Versão Fevereiro 2015 APRESENTAÇÃO Criado em 2006, o Instituto Morena Rosa de Sustentabilidade, Cultura e Desenvolvimento Humano (IMR) é responsável por gerenciar o investimento

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº JFRJ-EDT-2015/00168 EDITAL DE SELEÇÃO DE ENTIDADES, PÚBLICAS OU PRIVADAS, INTERESSADAS EM ACOLHER, GRATUITAMENTE, BENEFICIÁRIOS DE SANÇÃO ALTERNATIVA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, E DE SELEÇÃO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS

MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS EDITAL SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012 O Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM autarquia federal vinculada ao Ministério da Cultura, criada pela Lei n.º

Leia mais

CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO. I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br);

CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO. I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br); CHECK LIST PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO I. Efetuar o Credenciamento da Entidade no SICONV (via Internet www.convenios.gov.br); II. Efetuar o Cadastramento da Entidade no SICONV e validação das informações

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Art. 260. Os contribuintes poderão efetuar doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente nacional, distrital, estaduais

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO. Edital nº 050/2014

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO. Edital nº 050/2014 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO Edital nº 050/2014 Patricia Alves de Souza, Pró-Reitora de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação da Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC, no uso

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE CATALÃO GOIÁS EDITAL Nº 0001 PARA FINANCIAMENTO DO FMIA / 2013

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE CATALÃO GOIÁS EDITAL Nº 0001 PARA FINANCIAMENTO DO FMIA / 2013 1 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE CATALÃO GOIÁS EDITAL Nº 0001 PARA FINANCIAMENTO DO FMIA / 2013 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA, do Município

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as suas fundações de apoio. O PRESIDENTE DO

Leia mais