Vale Programa Inove. ABINEE São Paulo 29 de Setembro de 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Vale Programa Inove. ABINEE São Paulo 29 de Setembro de 2009"

Transcrição

1 Vale Programa Inove ABINEE São Paulo 29 de Setembro de 2009

2 Agenda 1 Vale 2 Programa Inove 1

3 Vale: Missão, Visão e Valores Missão: Transformar os recursos minerais em riqueza e desenvolvimento sustentável Visão: Ser a maior empresa de mineração do mundo e superar os padrões consagrados de excelência em pesquisa, desenvolvimento, implantação de projetos e operação de seus negócios. Nossos valores Ética e transparência Sempre operamos abertamente, comunicando de maneira honesta e direta Excelência de desempenho Somos incansáveis em nossa busca para melhorar e superar em todas as áreas do nosso negócio Espírito desenvolvimentista Incentivamos e recompensamos os que tomam iniciativa Responsabilidade econômica, social e ambiental Somos um cidadão corporativo responsável Respeito à vida Não abrimos mão, pois a vida humana é preciosa Respeito à diversidade Reconhecemos que nossa força e caráter se originam de nossas diferenças Orgulho de Ser Vale Podemos erguer nossas cabeças, pois temos orgulho do que somos 2

4 As operações da Vale estão presentes em 10 estados do Brasil e a produção está concentrada nos estados de Minas Gerais, Pará, Espírito Santo e Maranhão... Produção Brasil toneladas Produção Brasil 20 nos 4 estados 1 em toneladas e em % sobre produção total no Brasil Minério de Manganês Alumina Bauxita Minério de Ferro Pelota % % % ,7% % Escala 100 milhões de toneladas Minério de Manganês Outros produtos Brasil 1, toneladas Ferro Ligas 288 Cobre 126 Alumina Bauxita Minério de Ferro Pelota Alumínio Potássio Caulim , Dados obtidos no Relatório de Produção da Vale de 20 - BR GAAP Consolidado 2 Além desses produtos, a Vale também produz Níquel, Carvão metalúrgico e térmico, Cobalto, Platina, Paládio, Ouro e Prata

5 Considerando o período de 2003 até 20 a produção agregada da Vale cresceu à taxa média anual de 11,2%... Unidade equivalente de minério de ferro Índice 2003 = base Produção total agregada¹ CAGR = 11,2% ¹ Índice que congrega a produção de todos os produtos produzidos pela Vale convertida em unidades de minério de ferro.

6 ... este crescimento foi fruto de um enorme esforço de investimentos e suportado pela base de fornecedores Investimentos S2009 Total Fornecedores (Ago-09) = R$ Bilhões 20 18,73 13% 26% 15 14,86 8% SP RJ ,63 6,11 5,72 10,13 10,50 8,32 5% 7% 11% MG PA MA ES Outros S % 5

7 A Vale entregou 29 projetos entre 2002 e o 2T09, destes, 25 foram desenvolvidos no Brasil Projetos Executados Capão Xavier Carajás 85 Mtpa Fazendão Samarco III Pier III PDM Capim Branco I Alunorte 6&7 Zhuhai Funil Candonga Alunorte 4&5 Dalian Corredor Norte São Luís Sossego Brucutu UHC Paragominas II Mo I Rana Aimorés Capim Branco II Itabiritos Alunorte 3 Taquari-Vassouras Paragominas I Carajás 70 Mtpa Fábrica Nova Carajás 100 Mtpa 6 Trombetas.

8 Desenvolvendo novos projetos. Os investimentos da Vale no Brasil em 2009 deverão ser de US$ 9,035 bi Greenfield Tubarão VIII Oman Apolo Karebbe CSA Tres Valles Min. De Ferro e Pelotas Níquel Carvão Cobre Bauxita e alumina Fosfato Logistica Onça Puma Estreito Salobo I Geração de energia Aço Goro Serra Sul Barcarena Moatize CAP Bayovar Litorânea Sul Totten Carajás 130 Mtpa Carborough Downs Paragominas III Corredor Sul Salobo (expansão) Carajás 10 Mtpa Brownfield 7 US$ 1 bilhão

9 Em 20 o volume de compras da Vale no Brasil cresceu 41% em relação ao ano anterior. A média das compras internas nos últimos anos é superior a 90% R$ Bilhões % 0,91 1,57 1,43 90% 89% 12,49 12,54 13,21 91% 1,88 18,61 41% * 10,00 100% 98% 96% 94% 92% 90% 88% 86% 84% (jan-ago) 82% Compras realizadas no Brasil Compras realizadas no exterior % comprado no Brasil 8 * 41% de aumento das compras realizadas no Brasil, comparando 2007 e 20

10 ... e nosso volume de compras locais naturalmente acompanha a representatividade geográfica de nossa produção Pará Desde jan/ Maranhão Desde jan/ 2500 R$ milhões 2500 R$ milhões % das compras totais Vale 8 % das compras totais Vale J an- Ma r- Ma y- Jul- Se p- No v- J an- 09 Ma r- 09 Ma y J an- Ma r- Ma y- Jul- Se p- No v- J an- 09 Ma r- 09 Ma y Minas Gerais Desde jan/ Espírito Santo Desde jan/ R$ milhões 2500 R$ milhões % das compras totais Vale 9 % das compras totais Vale J an- Ma r- Ma y- Jul- Se p- No v- J an- 09 Ma r- 09 Ma y J an- Ma r- Ma y- Jul- Se p- No v- J an- 09 Ma r- 09 Ma y Compras originadas no estado Compras realizadas pela Vale no Brasil

11 ... e apesar da retração da demanda no 1º semestre, o volume de compras totais manteve-se robusto Acumulado YTD Compras por Estado R$ Milhões RS 5,9 Bi RS 5,2 Bi RS 5,6 Bi RS 4,3 Bi MG - 35% MA - 8% ES - 9% YTD 20 Total: R$ 11.1 BI YTD 2009 Total: R$ 10.0 BI PA - 14% Outros - 34% YTD 2009 Total: R$ 10 BI Compras Estaduais de Jan a Ago / 09 Percentual de Internalização 1 YTD % 44% ES MA Volume de Compras por Estado em Bilhões de R$ % MG % PA % de internalização: compras com origem e destino no estado / compras com destino para o estado

12 Agenda 1 Vale 2 Programa Inove 11

13 Programa Inove Tem como objetivo fortalecer o relacionamento com entidades de classe para promover o desenvolvimento dos fornecedores regionais, em especial pequenas e médias empresas por meio de capacitação, linhas de financiamento e incentivo à realização de negócios, tornando-os mais preparados para o mercado. Estratégia de Atuação Frentes de Trabalho e Produtos Integração Fornecedores Análise Entidades Revisão de Classe/ de Demandasvs. Locais Processos Governo Vocações Internos Macro Plano de Ação Financiamento Realização Normas e Financeiras de Processos Negócios Capacita Educação ção Divulgação Modelo de Governan ça Relações Institucionais SSO e MA Comunicação RH e Financeiro Fundação Suprimentos Áreas Operacionais Outras Educação Gestor Inove Precificação Elaboração de Propostas Planejamento Estratégico Critérios IDF Sensibilização Trilha Inove Trabalhadores Financiamento FIDC BNDES Realização de Negócios Parcerias e Alianças Missões Comerciais Diagnóstico da Indústria Divulgação Site Inove Folder Boletins Imprensa VALE Objetivos Elevação do conteúdo local Base de fornecedores para suportar o plano de investimentos e operações da Vale Atuar em parceria com entidades na capacitação dos gestores e dos trabalhadores Aumento da competitividade da indústria local 12

14 Frentes de Trabalho Educação Tem como objetivo elevar o grau de profissionalização das empresas e qualificação técnica dos trabalhadores através dos cursos focados em gestores (trilha inove) e atuando como indutora na capacitação de trabalhadores junto aos programas de desenvolvimento regionais (PDFs) Educação Financiamento Realização de Negócios Divulgação e Promoção Gestor Inove Precificação Elaboração de Propostas Planejamento Estratégico Critérios IDF Sensibilização Trabalhadores Gestores FIDC BNDES Parcerias e Alianças Missões Internacionais Diagnóstico da Indústria Site Folder Boletins Imprensa Governança Inove 13

15 Educação As ações de capacitação visam o aprimoramento das competências de gestão dos fornecedores e qualificação técnica dos trabalhadores. Trilha de Gestão (gestores e trabalhadores) Intensificação no processo de qualificação dos trabalhadores Treinamentos Presenciais e Online Certificação de Empresas (PROCEM ) Parceiros: 14

16 Trilha - Inove Elaborada em parceria por profissionais de educação, equipe Vale e PDFs, a trilha contempla os cursos essenciais para otimizar a gestão empresarial. Sensibilização Cadastro Vale & IDF, Código de Conduta e Ética Gerando Negócios pelo Quadrem Conhecendo o Programa Inove Viajando pela Vale NÃO EXAUSTIVO Saúde & Segurança/ Meio Ambiente Gestão Comercial - Financeira Formação de Preços e Elaboração de Propostas Comunicação, Gestão de Contratos Contabilidade Empresarial, Matemática Financeira Gerenciamento de RH Recrutamento & Seleção Qualidade e Produtividade Ferramentas da Qualidade Gestão de Operações Gestão de Projetos Gestão de Pessoas Pacote Office Comunicação Direta Língua Portuguesa 15 Compras e Gestão de Estoques Logística/ Distribuição MS Project Gestão de Projetos

17 Frente de Educação Cursos Online 16

18 Educação - Plataforma de Cursos Online O lançamento dos cursos online será realizado de forma gradativa e os participantes terão acesso a diversos temas da trilha Inove de desenvolvimento de fornecedores. Cursos Lançados Lançamento em 2009 Cursos Online: Lançamento gradativo dos cursos em 2009 e cursos lançados R$ 26,91 por mês podendo acessar todos os cursos online disponíveis 787 participantes inscritos na plataforma 17

19 Prêmio Fornecedor Destaque Educação O prêmio será concedido às empresas que fomentarem e incentivarem a utilização dos produtos de capacitação pelos seus trabalhadores. Quem pode participar Região: PA, MA, MG e ES. Média geral A nas 2 últimas medições do IDF. Participante da Trilha de Gestores do Programa Inove. Inscrito no PDF local. Prêmio Educação!!!! Cursos Online Cursos da Trilha Inove Cursos PDF Eventos Regionais 40% 40% 10% 10% 18 * Total de funcionários indicados para participar da Trilha

20 Educação Resultados Alcançados Qtde de Empresas Certificadas PROCEM* / PRODFOR* 20.5 PA - 73 ES - 54 ES PA ES PA Total: 477 empresas certificadas Fonte: PDFs YTD PROCEM e PRODFOR são processos de certificação que qualificam as empresas fornecedoras nos temas de Qualidade/Produtividade, Saúde, Segurança e Meio Ambiente, Tributos e Impostos, etc... 19

21 Frentes de Trabalho - Financiamento A frente financeira é responsável pelo desenvolvimento de ferramentas para facilitar o acesso ao crédito e prover recursos financeiros aos fornecedores da Vale Capacitação e Qualificação Financiamento Realização de Negócios Divulgação e Promoção Gestor Inove Precificação Elaboração de Propostas Planejamento Estratégico Critérios IDF Sensibilização Trabalhadores Gestores FIDC BNDES Parcerias e Alianças Missões Internacionais Diagnóstico da Indústria Site Folder Boletins Imprensa Governança Inove 20

22 Produtos Financiamento FFF Fundo de Financiamento ao Fornecedor Linha de crédito de R$50 MM; Faturamento no ano anterior menor que R$ 20 MM; Contratos a performar (prazo maior que 6 meses); performados (prazo restante mínimo de 12 meses); Fornecedores locais inscritos em algum Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, onde houver *; Prazo financiamento de 24 meses, limitado a 75% do prazo restante disponível no contrato; Valor de até 50% do saldo do contrato limitado a R$ 2 MM por fornecedor Banco do Antecipação de Notas Fiscais Antecipação de Faturas; Disponível pela internet (Site do banco) após o envio do arquivo de NFs a pagar da Vale para o banco; Sem restrição de valor, obedecendo a política de crédito do banco; Conta corrente no banco conveniado Bradesco Futuras linhas de Financiamento FIDC FIDC - - Fundo Fundo de de Investimento Investimento em em Direitos Direitos Creditórios Creditórios BNDES BNDES - - Linhas Linhas de de Crédito Crédito Média Mercado % vs. FFF taxa média % 21 * Nos estados onde a Vale for convenente Média Mercado % taxa média %

23 Produtos Financiamento FFF Fundo de Financiamento ao Fornecedor Linha de crédito de R$50 MM; Faturamento no ano anterior menor que R$ 20 MM; Contratos a performar (prazo maior que 6 meses); performados (prazo restante mínimo de 12 meses); Fornecedores locais inscritos em algum Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, onde houver *; Prazo financiamento de 24 meses, limitado a 75% do prazo restante disponível no contrato; Valor de até 50% do saldo do contrato limitado a R$ 2 MM por fornecedor Banco do Brasil Média Mercado % vs. FFF taxa média % 22 * Nos estados onde a Vale for Antecipação de Notas Fiscais Antecipação de Faturas; Disponível pela internet (Site do banco) após o envio do arquivo de NFs a pagar da Vale para o banco; Sem restrição de valor, obedecendo a política de crédito do banco; Conta corrente no banco conveniado Bradesco Média Mercado % taxa média % Futuras linhas de Financiamento FIDC FIDC - - Fundo Fundo de de Investimento Investimento em em Direitos Direitos Creditórios Creditórios BNDES BNDES - - Linhas Linhas de de Crédito Crédito

24 Produtos Financiamento FFF Fundo de Financiamento ao Fornecedor Linha de crédito de R$50 MM; Faturamento no ano anterior menor que R$ 20 MM; Contratos a performar (prazo maior que 6 meses); performados (prazo restante mínimo de 12 meses); Fornecedores locais inscritos em algum Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, onde houver *; Prazo financiamento de 24 meses, limitado a 75% do prazo restante disponível no contrato; Valor de até 50% do saldo do contrato limitado a R$ 2 MM por fornecedor Banco do Brasil Média Mercado % vs. FFF taxa média % 23 * Nos estados onde a Vale for Antecipação de Notas Fiscais Antecipação de Faturas; Disponível pela internet (Site do banco) após o envio do arquivo de NFs a pagar da Vale para o banco; Sem restrição de valor, obedecendo a política de crédito do banco; Conta corrente no banco conveniado Bradesco Média Mercado % taxa média % Futuras linhas de Financiamento FIDC FIDC -- Fundo Fundo de de Investimento Investimento em em Direitos Direitos Creditórios Creditórios BNDES BNDES -- Linhas Linhas de de Crédito Crédito

25 Em 8 meses de operação, a Vale disponibilizou aos fornecedores R$ 39,2 MM. Há ainda R$ 22,1 MM em análise para liberação 61,4 22,1 25,1 14,1 Liberado Em análise Total 24 Dados atualizados em set/09

26 Frentes de Trabalho Realização de Negócios A frente de Realização de Negócios tem diversas iniciativas que visam ampliar oportunidade de participação dos fornecedores locais Capacitação e Qualificação Financiamento Realização de Negócios Divulgação e Promoção Gestor Inove Precificação Elaboração de Propostas Planejamento Estratégico Critérios IDF Sensibilização Trabalhadores Gestores FIDC BNDES Parcerias e Alianças Missões Internacionais Diagnóstico da Indústria Site Folder Boletins Imprensa Governança Inove 25

27 Diagnóstico de vocações vs demanda da indústria visa suprir lacunas de fornecimento local Demanda VALE Diagnóstico de oferta x demanda Oferta local Pará Maranhão Espirito Santo Oportunidade de negócio Minas Gerais 26 Fornecedores Visibilidade sobre os projetos de investimentos e operações Visibilidade sobre capacidade de fornecimento local Ampliar oferta local de bens e serviços, reduzindo a lacuna entre oferta e demanda Rediscussão do IDF Revisão de Normas e Procedimentos Alianças e consórcios Analisar incentivos fiscais e tributários

28 essa frente de trabalho desenvolve iniciativas para fomentar a realização de parcerias e o desenvolvimento do mercado local Encontro de Negócios Aproximação entre grandes fornecedores Vale e pequenos e médios fornecedores locais Missão Comercial Identificar oportunidades de fornecimento às empresa brasileiras para atendimento às demandas dos projetos da Vale no exterior (Moçambique, Omã e América Latina ) expandindo a base territorial dos mesmos Atração de Novos Empreendimentos Preenchimento da demanda através elevação capacidade dos fornecedores locais ou mediante a atração de novos empreendimentos para a localidade Clube de Compras Elaboração de metodologia para criação de clube piloto e aumento conteúdo local nas compras realizadas por fornecedores do município 27

29 O Clube de Compras tem por objetivo maximizar o potencial de fornecimento e a redução de custos das empresas locais 28 Ações em curso Realizado workshop na região para piloto Itabira/MG Levantamento das infos de compras Vale para Itabira que são fornecidas por empresas de fora da região Identificação de categorias piloto pelas empresas locais para apoio da Vale/Associação nas condições de aquisição Próximos Passos Associação comercial de Itabira vai analisar infos de compras da Vale para a localidade e buscar fontes locais competitivas para os itens/serviços usados na região e contratados fora de Itabira Treinamento do Quadrem para empresas locais utilizarem o portal para comprar materiais e serviços Expansão em 2010 do clube de compras para demais regiões de MG, PA, MA e ES

30 Frentes de Trabalho Divulgação e Promoção O programa conta com materiais de comunicação impressos e eletrônicos para apoiar a difusão das informações ao público interno e externo. Capacitação e Qualificação Financiamento Realização de Negócios Divulgação e Promoção Gestor Inove Precificação Elaboração de Propostas Planejamento Estratégico Critérios IDF Sensibilização Trabalhadores Gestores FIDC BNDES Parcerias e Alianças Missões Internacionais Diagnóstico da Indústria Site Folder Boletins Imprensa Governança Inove 29

31 Resultados Alcançados Divulgação e Promoção Site e Folder do Inove Imprensa Site do Inove: Resultado: 107 inserções na imprensa nacional Divulgação e Promoção Realização de 45 eventos de divulgação e mobilização envolvendo cerca de 3000 pessoas Realizado o Dia do Fornecedor nos Estados do PA, MA, ES e MG Realizado o evento piloto do Clube de Compras no Estado de MG. 1º Fórum Nacional com entidades do governo (federações de indústrias, IEL, Senai, CNI, Ibram) para discutir desenvolvimento de fornecedores locais 30

32 Programa de Desenvolvimento de Fornecedores COMO PARTICIPAR DO PROGRAMA INOVE? Vale Vale Fornecedores cadastrados na Vale PDF PDF Fornecedores cadastrados no PDF/PA 31

33 O processo para registro como candidato a fornecedor é realizado no portal de compras da Vale... Fornecedor Envia para Fornecedor informa dados de sua empresa (Razão Social, CNPJ, endereço, contato, telefone e ) solicitando seu registro como candidato a fornecedor da Vale. Recebe Fornecedor recebe as condições para o registro: login e senha para acesso ao portal da Quadrem (portal de compras da Vale). Fornecedor Cadastra informação no portal de compras Retorna solicitação de cadastro Fornecedor acessa o portal da Quadrem, onde realiza o cadastramento das informações de sua empresa. Após a finalização do registro será dado um retorno pelo comprador responsável pela categoria de compras atendida pela sua empresa. 32 Portal de Compras - Quadrem Suporte e treinamento: Comercial: (21) Financeiro: (21) / 6978

34 ... por meio do cadastramento de informações da empresa e preenchimento de questionários de meio ambiente e saúde e segurança Providenciado pelos fornecedores Avaliação Econômico Financeira Comprovante de titularidade bancária (cópia de folha de cheque, do documento do banco) Avaliação Jurídico Fiscal Contrato Social ou Estatuto (autenticado em todas as folhas e registrado na junta comercial) Cartão CNPJ / Inscrição Estadual / Inscrição Municipal Certificado de Regularidade de FGTS/CRF (somente para prestadores de serviços) Certidão Negativa de Débito INSS (somente para prestadores de serviços) Certidão de Dívida Ativa dos Estados Certidão de Dívida Ativa dos Municípios (ISS) Licenças de Operação - aplicáveis ao negócio de acordo com objeto social (de acordo com o Órgão Regulador - Ex. ANVISA, IBAMA, Secretária de meio ambiente, etc.) Preenchimento e envio pelo Portal Saúde e Segurança Ocupacional O questionário RG 20 deverá ser respondido e assinado pelo Técnico de Saúde e Segurança Ocupacional. Anexar o questionário e seus anexos na opção Saúde e Segurança. Somente prestadores de serviço Questionário de Meio Ambiente Anexar o questionário respondido na opção Meio Ambiente. Para todos os fornecedores Questionário de Segurança Empresarial Anexar o questionário na opção Segurança Empresarial Para todos os fornecedores 33

35 INOVE - Integração e a rede de relacionamento com Stakeholders Programa Inove Capacitação Desenvolvimento Competitividade FORNECEDORES Comunicação Estratégia KPIs Frentes e Produtos Estrutura Diagnóstico PDF s Governo Entidades de Classe Federações Governança 34

36 Programa Inove Dúvidas e consultas: Contato: (21) ou Cadastro de fornecedores Suporte e treinamento: Comercial: (21) Link para a plataforma online

37 Programa Brasil Vale Ouro 0

38 Agenda Estratégia de Sustenabilidade da VALE Filme Promocional BRASIL VALE OURO Estações Conhecimento Conceitual Caso de Sucesso Estação Conhecimento TUCUMÃ Encerramento 1

39 Estratégia de Sustentabilidade da VALE O Fornecedor é parte integrante do processo e tem forte influência nas comunidades 2

40 Participe também da construção do futuro do nosso país Rodrigo Colombaretti Gerente Geral de Suprimentos Estratégicos 3

Enfrentando novos desafios. ExpoMoney - RJ Novembro, 2008

Enfrentando novos desafios. ExpoMoney - RJ Novembro, 2008 Enfrentando novos desafios ExpoMoney - RJ Novembro, 2008 1 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Vale sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Na trilha da criação de valor. 9ª Conferência Anual Santander Agosto, 2008 1

Na trilha da criação de valor. 9ª Conferência Anual Santander Agosto, 2008 1 Na trilha da criação de valor 9ª Conferência Anual Santander Agosto, 2008 1 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Vale sobre eventos ou resultados

Leia mais

Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo

Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo 1 São Paulo 31 de Maio de 2007 Disclaimer 2 Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da

Leia mais

2ª Conferência de Responsabilidade Socioambiental da Amazônia

2ª Conferência de Responsabilidade Socioambiental da Amazônia 2ª Conferência de Responsabilidade Socioambiental da Amazônia NOVEMBRO 2007 RESPONSABILIDADE SOCIAL NA DEFINIÇÃO DO INSTITUTO ETHOS É uma forma de conduzir os negócios da empresa de forma parceira e co-responsável

Leia mais

Brasil-China no Século XXI

Brasil-China no Século XXI Brasil-China no Século XXI Pespectivas para uma Parceria de Sucesso Gabriel Stoliar Diretor Executivo de Planejamento e Gestão Abril 2004 1 A progressão da economia chinesa é um dos fenômenos deste início

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES SOLICITANDO O CARTO BNDES NO PORTAL DE OPERAÇÕES DO BNDES CARTO Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES - Cartão BNDES Formatados: Marcadores e numeração C:\BNDES - SOLICITACAO DE CARTAO.doc

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais MINÉRIO DE FERRO BRASIL Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais 1º Fórum de Troca de Experiências Metodologias e Processos no Desenvolvimento de Fornecedores Locais Belo Horizonte, 14 de novembro

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Experiência da Anglo American no adensamento da cadeia produtiva mineral Capacitação e desenvolvimento da cadeia de fornecedores de bens e serviços

Experiência da Anglo American no adensamento da cadeia produtiva mineral Capacitação e desenvolvimento da cadeia de fornecedores de bens e serviços MINÉRIO DE FERRO BRASIL Experiência da Anglo American no adensamento da cadeia produtiva mineral Capacitação e desenvolvimento da cadeia de fornecedores de bens e serviços II INOVAMIN Brasília, 11 de junho

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS. Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis

COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS. Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis COMO SER FORNECEDOR PETROBRAS Clovis Francisco de Paula Filho André Costa Reis GERÊNCIA - MATERIAIS/CDBS Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES

Solicitando o Cartão BNDES Solicitando o Cartão BNDES Atualizado em 03/03/2010 Pág.: 1/18 Introdução Este manual destina-se a orientar as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) na solicitação do Cartão BNDES no Portal de Operações

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

IEL no Brasil. Integrante do Sistema Indústria. Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão

IEL no Brasil. Integrante do Sistema Indústria. Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão IEL no Brasil Integrante do Sistema Indústria Criado em 1969 (presente nas 27 UFs e DF) Foco: Gestão O diálogo constante com o setor produtivo faz do IEL uma das instituições mais atuantes no aperfeiçoamento

Leia mais

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias REDEPETRO RN Grandes Compradores, pequenos fornecedores M.Sc. Gutemberg Dias MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO BRASIL 5 milhões de empresas formais (99% das empresas formais) e 10 milhões de informais;

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Objetivos do Cadastro de Fornecedores Legal: atender o decreto 2745 e preservar a Cia. em questões relacionadas ao mercado fornecedor; Empresarial:

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade

Palestra Ana Afonso Formalização da atividade Bem-Vindos! APRESENTAÇÃO Ana Afonso organizadora profissional em São Paulo atua desde 2006 realizando serviços de organização de espaços, gestão de residências, treinamento de funcionários domésticos,

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ LUÍS MÁRIO LUCHETTA DIRETOR PRESIDENTE GESTÃO 2005/2008 HISTÓRICO

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

www.avantassessoria.com.br

www.avantassessoria.com.br www.avantassessoria.com.br Nossa Empresa A AVANT Assessoria Contábil e Tributária é uma empresa de contabilidade especializada em consultoria e assessoria de empresas e profissionais liberais, oferecendo

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS PARA GESTAO DE PESSOAS E DE PROCESSOS. Empresa XPTO 1

SISTEMAS INTEGRADOS PARA GESTAO DE PESSOAS E DE PROCESSOS. Empresa XPTO 1 Empresa XPTO 1 Desenvolvimento de Sistema Integrado de Informação para a área de Recrutamento e Seleção - Recursos Humanos Empresa XPTO Alunos: -------- -------- -------- -------- -------- Descrição da

Leia mais

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé 1. Objetivo O presente guia tem como objetivo orientar o empreendedor a como preencher o Formulário de Pré-proposta para financiamento, item fundamental para início

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2014. Seleção de Empresas para Participação na Feira SIAL Paris

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2014. Seleção de Empresas para Participação na Feira SIAL Paris CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2014 Seleção de Empresas para Participação na Feira SIAL Paris Porto Alegre 2014 2 PREÂMBULO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SEBRAE/RS,

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Associativo. Evolução dos projetos

Programa de Desenvolvimento Associativo. Evolução dos projetos Programa de Desenvolvimento Associativo Evolução dos projetos 1 BRASIL Ambiente favorável aos negócios SISTEMA INDÚSTRIA SINDICATOS Representatividade Sustentabilidade Mais força, coesão e poder de influência

Leia mais

Planejamento Estratégico 2007 2008. Quatro Projetos da Equipe 1

Planejamento Estratégico 2007 2008. Quatro Projetos da Equipe 1 Planejamento Estratégico 2007 2008 Objetivo Estratégico: Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas estaduais e setoriais. Quatro Projetos da Equipe 1 revisão em 26/09/2007 Missão:

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

Visão estratégica e projetos futuros

Visão estratégica e projetos futuros Visão estratégica e projetos futuros 4 Encontro de Secretários Executivos de Sindicatos - FIESC 15 de setembro de 2010 PDA Visão Estratégica Panorama SC Projetos 2011 Objetivos Visão Estratégica 1/9 Mapa

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil

MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR. Setor de Suprimentos

MANUAL DO FORNECEDOR. Setor de Suprimentos MANUAL DO FORNECEDOR Setor de Suprimentos ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. LOCALIZAÇÃO... 3 3. POLÍTICA DA QUALIDADE ISO 9001/2008... 3 4. MISSÃO, VISÃO E VALORES... 4 4.1. MISSÃO... 4 4.2. VISÃO... 4 4.3.

Leia mais

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses.

REGULAMENTO. 1º - Serão aceitos projetos inovadores desenvolvidos em 2009 e 2010, e que já estejam no mercado por um período mínimo de 6 meses. REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Art. 1º O Prêmio de Nacional de Inovação na Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), com o apoio da Financiadora

Leia mais

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO

Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores REALIZAÇÃO OBJETIVO GERAL ESTABELECER E IMPLEMENTAR UM MODO INTEGRADO PARA O DESENVOLVIMENTO E QUALIFICAÇÃO DOS FORNECEDORES DAS PRINCIPAIS

Leia mais

Relatório de Produção

Relatório de Produção CVRD Relatório de Produção do 3T07 VENCENDO DESAFIOS Rio de Janeiro, 25 de outubro de 2007 A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) registrou no terceiro trimestre de 2007 (3T07) um dos melhores desempenhos

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >>

CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >> CONHEÇA A NOSSA EMPRESA >> Para se candidatar a Vaga de Promotor(a) iremos dividir por etapas a apresentação e o treinamento: Primeira Etapa: 1. Apresentação da Empresa e seus Canais de Vendas 2. Apresentação

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

EDITAL. Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

EDITAL. Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade EDITAL Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade 1. Justificativa Geral A Declaração do Milênio deixa clara a importância da participação social ao considerar

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2015. Seleção de Empresas para Participação na Feira Anuga

CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2015. Seleção de Empresas para Participação na Feira Anuga CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2015 Seleção de Empresas para Participação na Feira Anuga Porto Alegre 2015 2 PREÂMBULO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SEBRAE/RS, entidade

Leia mais

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE PETROBRAS - REGAP Contagem 19 de outubro de 2011 Iniciativas de Qualificação - PROMINP PROMINP O PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo e

Leia mais

Ana possui uma promissora. Ambiente virtual para inovar

Ana possui uma promissora. Ambiente virtual para inovar Ambiente virtual para inovar Secti lança Portal Paraense de Inovação para conectar atores estratégicos e aumentar investimento em inovação no Pará Por Igor de Souza Ana possui uma promissora empresa de

Leia mais

Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados

Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados Workshop Sistema Indústria Núcleos de Petróleo e Gás nos Estados Maurício Reis Santos AIB/DECAPEG Área de Insumos Básicos Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás DEMANDA POR PETRÓLEO: aumento

Leia mais

Empresas mineradoras no Brasil

Empresas mineradoras no Brasil Em 211, a Produção Mineral Brasileira (PMB) deverá atingir um novo recorde ao totalizar US$ 5 bilhões (valor estimado), o que configurará um aumento de 28% se comparado ao valor registrado em 21: US$ 39

Leia mais

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL

CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL CONNECT AMERICAS: REDE SOCIAL EMPRESARIAL DAS AMÉRICAS Washington D. C - março 2014 NOME CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA TEMA PALAVRAS-CHAVE REDE SOCIAL EMPRESARIAL : CONNECT AMERICAS PRÁTICA INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Projeto Piloto de Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia de Petróleo, Gás e Naval

Projeto Piloto de Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia de Petróleo, Gás e Naval Projeto Piloto de Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia de Petróleo, Gás e Naval Comitê Nacional Comitê Regional Minas Gerais 1 Sumário Objetivo do projeto... 3 Público Alvo... 3 Funding... 3 Justificativa...

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 Conteúdo Sobre o GVces Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol e o Registro Público de Emissões Política de qualificação dos inventários (Novo critério para o selo

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA AS EMPRESAS SOBRE COMO FAZER O CADASTRO NA SUFRAMA.

ORIENTAÇÕES PARA AS EMPRESAS SOBRE COMO FAZER O CADASTRO NA SUFRAMA. Compilações das Informações Maria da Conceição Mira dos Santos Outubro/2014 Página 1 CARTILHA DE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS SOBRE O CADASTRO DA SUFRAMA. APRESENTAÇÃO Os pequenos negócios no Amapá contam com

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

Política de Patrocínio Cultural

Política de Patrocínio Cultural I. DEFINIÇÃO A Política de Patrocínio Cultural B. Braun foi elaborada com base nas estratégias corporativas definidas em seu Plano Estratégico, que vem a ressaltar seu compromisso com a responsabilidade

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação Título da apresentação DEFINIÇÃO: É um sistema de resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos que visa incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora empresarial e estrutural

Leia mais

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Assistente de Programa I. Informação sobre o posto LOCAL: Brasília, DF, Brasil Prazo de candidatura: De 20.04 a 10.05.2015 Tipo de contrato: Service Contract -( SB3-3 ) Nível do Posto

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO Brasília, 11 de setembro de 2010 TEMA 1 DIRETRIZES E HORIZONTES DA RELAÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL DO SISTEMA COOPERATIVISTA 1.1 - FORTALECER A REPRESENTAÇÃO

Leia mais

A governança corporativa na Vale. Roger Agnelli São Paulo 16 de novembro de 2009

A governança corporativa na Vale. Roger Agnelli São Paulo 16 de novembro de 2009 A governança corporativa na Vale Roger Agnelli São Paulo 16 de novembro de 2009 1 A partir de 2001 a Vale sofreu intenso processo de transformação determinado por duas mudanças estruturais Modelo de governança

Leia mais

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro Manual do Fornecedor Novembro 2012 Rio de Janeiro Caro parceiro, O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 trabalha para entregar Jogos excelentes, com celebrações memoráveis que

Leia mais

Tributação e Incentivos à Inovação

Tributação e Incentivos à Inovação VIII Seminário do Setor de Saúde - BRITCHAM Tributação e Incentivos à Inovação São Paulo/SP, 17 de junho de 2009 Inovação Tecnológica no Brasil 30% das empresas industriais realizam algum tipo de inovação

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2015. Seleção de Empresas para Participação na Missão Internacional à NRF 2016

CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2015. Seleção de Empresas para Participação na Missão Internacional à NRF 2016 CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2015 Seleção de Empresas para Participação na Missão Internacional à NRF 2016 Porto Alegre 2015 2 PREÂMBULO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES

Solicitando o Cartão BNDES Solicitando o Cartão BNDES Atualizado em 13/09/2013 Pág.: 1/15 Introdução Este manual destina-se a orientar as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) na solicitação do Cartão BNDES no Portal de Operações

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS 1 Setor de Brinquedos Estratégias: Ampliação de Acesso e Conquista de Mercado Objetivos: 1 - Aumentar a competitividade; 2 - consolidar o

Leia mais

Sr (ª). Prefeito (a),

Sr (ª). Prefeito (a), Sr (ª). Prefeito (a), O Banco do Brasil é um dos principais parceiros dos Governos Federal, Estaduais e Municipais na implantação de políticas públicas, projetos e programas impulsionadores do desenvolvimento.

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO DECOLANDO COM GUARULHOS DO GRU AIRPORT - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO.

REGULAMENTO DO PRÊMIO DECOLANDO COM GUARULHOS DO GRU AIRPORT - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO. REGULAMENTO DO PRÊMIO DECOLANDO COM GUARULHOS DO GRU AIRPORT - AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO. Artigo 1º - O PROJETO DECOLANDO COM GUARULHOS O Projeto Decolando com Guarulhos é uma parceria entre

Leia mais

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Destaques Petrobras --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Associativo AÇÃO ASSOCIATIVA

Programa de Desenvolvimento Associativo AÇÃO ASSOCIATIVA Programa de Desenvolvimento Associativo AÇÃO ASSOCIATIVA Objetivos 1 2 Atuação Integrada das Entidades Ampliar a Representatividade dos Sindicatos 3 Aumentar a Sustentabilidade do Sindicato 4 Estimular

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA. Zig Koch

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA. Zig Koch DOCUMENTO DE REFERÊNCIA Zig Koch O Programa E-CONS, Empreendedores da Conservação, é uma iniciativa idealizada pela SPVS - Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental e implementada em

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social EQ PS -Fortaleza Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software Marcio Wegmann masil@bndes.gov.br Depto. Indústria Eletrônica Área Industrial Princípios Norteadores da Atuação do BNDES

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

Estatuto é utilizado em casos de sociedades por ações ou entidades sem fins lucrativos.

Estatuto é utilizado em casos de sociedades por ações ou entidades sem fins lucrativos. Documento 1 Estatuto ou Contrato Social consolidado com todas as alterações realizadas, devidamente arquivado no registro de comércio da sede da sociedade participante. É o documento pelo qual uma empresa

Leia mais

Implementação do módulo LES Transportation para fretes de entrada

Implementação do módulo LES Transportation para fretes de entrada Implementação do módulo LES Transportation para fretes de entrada Palestrantes: Carine Antunes (Analista TI) Francisco Sá (Coordenador de Suprimentos) Marcos Rosa (Consultor MM) Data 15/03/2012 Agenda

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCÍNIO DA ELETROBRÁS

POLÍTICA DE PATROCÍNIO DA ELETROBRÁS POLÍTICA DE PATROCÍNIO DA ELETROBRÁS agosto de 2009 Eletrobrás Política de Patrocínio da Eletrobrás A Eletrobrás, alinhada a sua missão de criar, ofertar e implementar soluções que atendam aos mercados

Leia mais

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos BDMG Semana Mineira de Redução de Resíduos Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos Novembro de 2010 BDMG Desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade Perfil do BDMG Fundação: Lei Estadual

Leia mais

Estratégias de EAD na Vale

Estratégias de EAD na Vale Estratégias de EAD na Vale Mineradora pioneira que trabalha com paixão, transformando recursos minerais em ingredientes essenciais o dia-a-dia das pessoas. É a segunda maior mineradora diversificada do

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Bancos Corretoras Seguradoras

Bancos Corretoras Seguradoras Bancos Corretoras Seguradoras A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Cultura Instituto Estadual de Cinema Iecine

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Cultura Instituto Estadual de Cinema Iecine Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Cultura Instituto Estadual de Cinema Iecine Mapeamento dos Produtores Audiovisuais do Rio Grande do Sul Audiovisual 2013 Porto Alegre 2013

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012

Planejamento Estratégico do Setor de Florestas Plantadas -2012 CONTEXTO O setor de florestas plantadas no Brasil éum dos mais competitivos a nível mundial e vem desempenhando um importante papel no cenário socioeconômico do País, contribuindo com a produção de bens

Leia mais