SOLUÇÕES EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOLUÇÕES EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM 75 3224.3333"

Transcrição

1 ANAIS SOLUÇÕES EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

2 PAINEL ACADÊMICO 2

3 PAINEL ACADÊMICO RESUMOS RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL DO CIRURGIÃO DENTISTA AMANDA CARLA VALENTIM DE SOUZA E ROGÉRIO DUBOSSELARD ZIMMERMANN Na relação jurídica entre Paciente e Cirurgião Dentista ambos possuem direitos e deveres com o outro. A Responsabilidade profissional do Cirurgião Dentista é a obrigação que esses têm de responder legal e moralmente pelos serviços que prestam no exercício da sua profissão. Assim, o Cirurgião Dentista no desempenho de sua atividade profissional está sujeito a responder tanto sob o ponto de vista legal, cabendo nestes casos ações nas esferas penal (ZIMMERMANN, 2011), civil e administrativa (pública ou privada), como do ponto de vista moral ou ético respondendo perante os Conselhos Regionais de Odontologia. No presente estudo os autores se propuseram a realizar uma revisão da literatura, utilizando como descritores: responsabilidade profissional do Cirurgião- Dentista, ética profissional e processos penal, civil e administrativo, nos artigos publicados nos últimos cinco anos nas bases Lilacs e Bireme, com o objetivo de analisar em que situações os profissionais da Odontologia podem ser processados e quais os meios em que podem amparar suas defesas. Como resultados pode-se observar que o Cirurgião-Dentista no desempenho de sua atividade profissional está sujeito a responder tanto sob o ponto de vista legal, cabendo nestes casos ações nas esferas penal (processado por crime de diversas natureza), civil (no ressarcimento do dano ou indenização) e administrativa (pública ou privada), bem como do ponto de vista moral ou ético respondendo perante os Conselhos Regionais de Odontologia. Pode-se concluir é necessário que o Cirurgião Dentista cerque-se de todos os documentos e provas de que executou o tratamento indicado para o paciente, que cumpriu com o seu papel nesta relação jurídica. A elaboração de um bom prontuário odontológico, devidamente assinado pelo paciente que consentiu com o tratamento indicado e que estava ciente dos prós e contras e dos cuidados que deveria tomar é um poderoso aliado do Cirurgião Dentista (SILVA, 2011), além de controlar a evolução do paciente, é uma forma segura de se defender frente a uma futura demanda judicial, além de ser obrigação do profissional. A IMPORTÂNCIA PERICIAL DAS RADIOGRAFIAS PERIAPICAIS PARA IDENTIFICAÇÃO HUMANA SÉRGIO MINORU SAKUMA, ÁNDREA DAVEIRO DANTAS, MÁRCIA PEREIRA SIMÕES, EDUARDO DARUGE JR. Dentre os processos de identificação humana, a identificação odontolegal destaca-se como importante método científico, particularmente, naqueles casos em que as impressões digitais encontram-se prejudicadas.cabe destacar que todo processo de identificação necessita da comparação entre dados obtidos em vida e após a morte, necessitando, portanto, a identificação odontolegal de documentação clínica da suposta vítima a ser confrontada com o exame realizado no cadáver. O presente trabalho ressalta a importância pericial das radiografias periapicais na identificação odontololegal de uma das vítimas da tragédia ocorrida em janeiro de 2012, relativa ao desabamento do Edifício Liberdade situado à Rua 13 de Maio, no Rio de Janeiro, onde o confronto radiográfico entre as radiografias periapicais ante-mortem e post-mortem, bem como entre aquelas e o exame direto do arco dentário inferior do cadáver, permitiram a visualização de particularidades anatômicas e trabalhos executados, tais como tratamento endodôntico, coroas metálicas, entre outros. Neste caso, pode-se afirmar que a ficha clínica e as radiografias periapicais realizadas em vida foram de suma importância para o exame pericial, possibilitando a identificação da vítima. INVESTIGAÇÃO DO SEXO E IDADE POR MEIO DO ÍNDICE TRANSVERSO EM CRÂNIOS SECOS DE ADULTOS LUÍS CARLOS CAVALCANTE GALVÃO, ERASMO DE ALMEIDA JÚNIOR, SHEILA CRISTINA NUNES TEIXEIRA De um modo geral, o crânio fornece vários elementos que podem ser utilizados na investigação do sexo e da idade. O esqueleto cefálico é composto por 22 ossos, sendo 08 do crânio e 14 da face. A presente pesquisa teve por objetivo estudar as características diferenciais entre os crânios pertencentes a indivíduos de ambos os sexos e de diferentes idades pelo estudo do Índice Transverso ou Vertical Posterior, utilizando-se a altura Basiobregmática e o Diâmetro Transverso Máximo do crânio. Para tanto foram utilizados 160 crânios secos, sendo 80 do sexo feminino e 80 do sexo masculino compreendidos na faixa etária de 20 a 95 anos. Os esqueletos estudados eram de pessoas cujas famílias não reclamaram os ossos no tempo hábil administrativo estabelecido pelo Cemitério e que estavam sendo encaminhados para incineração. Estes ossos tinham sexo e idade conhecidos com absoluta segurança. Os resultados permitiram estabelecer através do Índice Transverso ou Vertical Posterior ajustes nos dados obtidos em amostra nacional e metodologia estatística destas mensurações. LIMITAÇÕES NO EXAME DE MARCAS DE MORDIDA EM PELE - RELATO DE CASO PERICIAL LÍVIA GRAZIELE RODRIGUES, BÁRBARA CRISTINA GOMES NOGUEIRA, SOLON DIEGO SANTOS CARVALHO MENDES, MAURO MACHADO DO PRADO, RHONAN FERREIRA DA SILVA. Assim como as impressões digitais, as marcas de mordida também podem ser usadas como padrões de identificação humana, pois os dentes e materiais odontológicos são estruturas capazes de deixar impressões em objetos relativamente moles, em cadáveres ou em pessoas vivas. A observação, análise e interpretação das marcas de mordida constituem provas de valor judiciário em investigações, sendo também capaz de elucidar dados e, em casos mais severos, apontar a sequência das mordidas. A identificação é realizada em três fases: a) reconhecimento e coleta do material da mordida; b) coleta de amostras e moldagem do suspeito; e c) confronto das marcas com amostras obtidas. Relato do caso: indivíduo do sexo feminino, com 5 meses de idade, apresentava lesões em diversas partes do corpo com suspeita de maustratos ocorrido em creche. Foi conduzida ao IML para realização de exame pericial sendo constatadas várias lesões contusas e algumas compatíveis com marcas de mordida. Após realização de tomadas fotográficas das marcas de mordida, foi feita coleta de material biológico (saliva) sobre as regiões lesadas e mensuração para a determinação da distância intercanina. Os resultados demonstraram que, embora não tivesse sido apresentado um provável suspeito para confrontar as marcas de mordida evidenciadas na vítima, foi possível descartar a possibilidade de autolesão e evidenciar que as marcas de mordidas foram produzidas por agressor jovem (criança), corroborando a hipótese de que a vítima teria sido agredida por outras crianças. RELATÓRIO ESTOMATOLÓGICO INSTRUI PROCESSO E ASSEGURA APOSENTADORIA POR INVALIDEZ A UMA PACIENTE FERNANDA REZENDE CAMPOS FALCÃO, LILIANE ELZE FALCÃO LINS KUSTERER, ANTÔNIO FALCÃO, SINARA MEDEIROS. Síndrome de Goldenhar; Disostose mandibulo-facial com dermóide epibulbar; Displasia óculo-aurícular; Displasia óculo-aurículo-vertebral, caracteriza-se por alterações: oculares: dermóide epibulbar e/ou lipodermóide; auriculares: apêndices dérmicos pré-auriculares e fístulas cegas no pré-trago; vertebrais: hemivértebra, fusão de vértebras cervicais; assimetria craniana, microftalmia, bossa frontal proeminente, coloboma, microcórnea, catarata polar, atresia das narinas, hipoplasia mandibular, paralisia facial, implantação baixa dos pelos, malformações cardíacas e em extremidades, retardo mental moderado. Etiologia desconhecida, cursando com dores articulares na cabeça e membros, que comprometem qualidade de vida e capacidade laborativa dos portadores. Ao quadro clínico estomatológico somam-se desordens esqueléticas, ocasionando dores articulares e musculares irradiadas aos membros superiores e inferiores, igualmente incapacitando portadores realizarem atividades laborativas. Paciente LJG, 35a, faioderma, acompanhada no Programa de Atenção à Saúde Bucal de Gestantes, Idosos e Pacientes Especiais/FOUFBA, relatando dor articular na face e membros superiores/inferiores, comprometendo qualidade de vida, capacidade para trabalhar e provimento do sustento, sintomatologia esta de natureza progressiva concomitante com perda de função do sistema estomatognático e comprometimento da mastigação, estética e fonação, que não poderão ser plenamente restabelecidas por quaisquer métodos biológicos reconhecidos cientificamente. Avaliou-se pelos instrumentos: The Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey(SF-36) e Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT), ambos validados e plenamente utilizados no Brasil. Emitiu-se Relatório Estomatológico, 24/01/2013, baseando-se nos Instrumentos utilizados na avaliação clínico-pericial no NEOL - Núcleo de Estudos sobre Ética e Odontologia Legal/FOUFBA, servindo como prova para instauração/instrução do Processo de Aposentadoria por Invalidez, que deferido resultou na consecução do benefício reconhecido e assegurado pela Previdência Social. ODONTOLOGIA DO TRABALHO: A NOVA ESPECIALIDADE ODONTOLÓGICA DIÊGO BARAÚNA DA SILVA, LILIBETH ARAGÃO PERES, RAFAEL DRUMMOND RODRIGUES, RODRIGO VITÓRIA DA COSTA RAMOS, RAFAEL OLIVEIRA PACHECO, STEPHANIE MUNIZ DOS SANTOS LOPES, ERASMO DE ALMEIDA JÚNIOR, LUÍS CARLOS CAVALCANTE GALVÃO. Introdução: A Odontologia do Trabalho é uma área da especialização odontológica recente. Baseada nas competências impostas na resolução nº 22, de 27 de dezembro de 2001, e da Resolução nº 25, de 28 de maio de 2002, a odontologia do trabalho é responsável pela identificação, avaliação e vigilância dos fatores ambientais que possam constituir risco à saúde bucal do trabalhador no ambiente de trabalho. Esta especialização vem ganhando destaque na promoção do bem-estar da classe operária e uma maior compatibilidade entre qualidade de vida e exercício laboral, ao passo que a intervenção de um Cirurgião-Dentista (CD) como novo integrante do quadro de funcionários nas empresas, atua como um importante elemento chave nesta realidade. Entretanto, sua atividade ainda não está difundida nas empresas, o que causa um desequilíbrio entre saúde do trabalhador e altas taxas de absenteísmo.objetivo: Esta revisão de literatura tem como objetivo destacar a importância deste profissional na sua área de atuação e os benefícios da mesma para os operários. A metodologia utilizada foi uma análise e revisão de artigos relacionados ao tema proposto. Com base nas pesquisas recentes, puderam-se observar dois pontos importantes: (1)Políticas de promoção à saúde dão muito mais certas quando são feitas no âmbito de trabalho, atingindo diretamente o proletário; (2)A simples oferta de serviços de assistência odontológica não traz benefícios em termos de saúde para o trabalhador, portanto, se faz necessário um correto planejamento das ações a serem desenvolvidas, as quais devem ser articuladas com os demais programas de atenção à saúde dos trabalhadores.conclusão: A partir dos artigos e revisões utilizadas para confecção desta revisão bibliográfica, concluímos que os dentistas que buscam como especialização a Odontologia do Trabalho devem ter consciência de procurar sempre estabelecer a relação entre a doença e o trabalho de forma crítica e verídica, jamais minimizando algo em detrimento da empresa, o que pode implicar em sérios danos ao processo de trabalho. 3

4 RECONSTRUÇÃO FACIAL ATRAVÉS DE SIMULADORES DE COMPUTADOR CANANI P, GONÇALVES PC, NUNES FB O presente trabalho tem como objetivo descrever e analisar softwares utilizados na reconstrução facial, tanto para pesquisa forense como na investigação policial. Este se baseia na revisão bibliográfica de artigos relacionados à reconstrução facial. São descritas,primeiramente, as características faciais distintivas de grupos étnicos mundialmente distribuídos. Também a descrição do Padrão Daubert e os padrões para as formas dos olhos, nariz, orelhas, boca, sobrancelhas, contorno facial e pilosidade, utilizados na reconstrução facial. A seguir sãoabordadasas características e o funcionamento dos programas de computador voltados para a reconstrução facial;sua utilidade e aplicação no trabalho dos órgãos de investigação e segurança pública no Brasil e no mundo. São também discutidas as limitações destes softwares, se consideram as falhas das câmeras de segurança, se são compatíveis com os padrõesmétricosde crânio e tecidos moles da população brasileira, e se os dados fornecidos são úteis na investigação criminal. Concluise que as técnicas de reconstrução facial atuais são importantes como apoio para a investigação criminal, apesar de não poderem ser consideradas parte do corpo de provas, por se tratar ainda de um procedimento não automatizado, que deve passar por análise em softwares diferentes e por depender em grande parte da habilidade do técnico responsável. Outro problema é de que os padrões utilizados pelos programas atuais são de medidas norte americanas e europeias, não adequadas à realidade da população brasileira. No Brasil, o ideal seria montar um banco de identificação criminal avançado, combinando a reconstrução facial, a análise de DNA, impressões digitais e ficha criminal, como já é realizado em outros países. INVESTIGAÇÃO DO SEXO POR MEIO DA DISTÂNCIA INTERCANINA EM ADULTOS LIMA, ANNA PAULA; CALDAS, ADRIELE; ALMEIDA JR, ERASMO; GALVÃO, LUÍS CARLOS CAVALCANTE; PRADO REIS, FRANCISCO. Dentre as várias funções do Odontolegista está a identificação e interpretação de marcas de mordida. O objetivo deste estudo foi analisar a distância intercanina com relação ao sexo, além de avaliar o nível de acerto e segurança da metodologia utilizada. A população eleita foi composta por 600 indivíduos adultos, sendo 50% do sexo masculino e 50% do sexo feminino. Estas medidas foram realizadas em modelos de gesso, com o auxílio de um paquímetro digital de precisão, tendo como referência as pontas das cúspides dos caninos. Os resultados mostraram que os indivíduos do sexo masculino apresentaram média superior aos do sexo feminino e, por meio da análise discriminante, foram constatadas taxas de erro de 42,22% para o sexo feminino e 37,33% para o sexo masculino, com taxa total de erro de 39,78%. A regressão logística demonstrou um índice de associação entre probabilidade estimada e resposta observada de aproximadamente 25%. A metodologia utilizada apresentou um índice de confiabilidade de 99,87%. Pode-se concluir que os dados obtidos constituirão base para novos estudos sobre o tema. ESTUDO DA MORTALIDADE SUBJACENTE A CAUSAS EXTERNAS EM SALVADOR-BA, SÂMARA FERNANDES SANTOS MARTINS E BRUNO GIL DE CARVALHO LIMA INTRODUÇÃO Óbitos secundários a causas externas vêm ganhando expressividade devido ao aumento das mortes violentas nos grandes centros urbanos, com ênfase nos homicídios e acidentes de trânsito. No Brasil, houve incremento dos indicadores de mortalidade na década de oitenta, pois tal agravo ocupava o segundo lugar no ranking brasileiro de causas de morte da população. As estatísticas baianas relacionadas a esse acometimento cresceram proporcionalmente às do território nacional. Em 1991, último estudo realizado nesse estado, a taxa de mortalidade era de 32,2 por habitantes com predominância de Homicídio (41%), em indivíduos do sexo masculino e idade igual ou superior a 65 anos. OBJETIVO: Identificar o perfil epidemiológico da população vítima de morte por causas externas na Bahia, entre 2001 e METODOLOGIA: Trata-se de um estudo descritivo de série temporal que utilizou o banco de dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do DATASUS. Foram calculadas proporções de óbitos por causas externas no período segundo sexo, faixa etária, estado civil, grandes grupos de CID, categorias CID e local de ocorrência. RESULTADOS: Houve tendência ao aumento das mortes violentas, com total de casos. A população mais acometida foi parda (74%), masculina (85%), solteira (73%), com idade entre 15 e 24 anos (32%) acometida pelo grupo CID Agressões (45%), sendo X95 Agressão por meio de disparo de outra arma de fogo ou de arma não especificada a mais incidente (38%). Nos dez anos da série, vítimas do sexo masculino predominaram, oscilando suas proporções entre 83,6% e 86,45%. Pretos e pardos, que já representavam 84,3% dos óbitos violentos em 2001, aumentaram sua participação para 89,0% em Houve redução da proporção de mortos sem escolaridade ou apenas com ensino fundamental, de 84,7 para 79,5%. Adultos jovens, que eram 46,7% das vítimas em 2001, passaram a 51,4% no fim da série, à custa da faixa de20 a 29 anos. As agressões por arma de fogo mais que dobraram, aumentando de 17,3 para 36,5% dos casos. CONCLUSÃO: Houve mudanças no perfil epidemiológico dos indivíduos falecidos por causas externas, portanto, merecendo atenção da saúde e segurança pública a fim de evitar desfechos catastróficos que acometem de forma crescente a população baiana. SEPSIS CONFUNDIDA COM ABUSO SEXUAL DAYSI MARIA DE ALCÂNTARA-JONES, WELLINGTON SILVA, MATHEUS L ROCHA, EMERENTINO E ARAÚJO O abuso sexual (AS) que gera danos psicológicos à sociedade tem ganhado ênfase, recentemente, o que tem levado que, em muitas situações, se suspeite deste crime a partir de lesões anogenitais, mesmo sem fato relacionado. É necessário que médicos que atendem crianças estejam familiarizados com as condições que podem ser confundidas com AS, em virtude das graves conseqüências que um diagnóstico equivocado pode ter para os envolvidos. Descrevemos a necropsia de uma criança realizada no Instituto Medico Legal (IML), procedente de uma unidade de emergência com suspeita de AS. No IML, a mãe referia que a criança só tinha contato com a tia e a avó, não fazendo sentido tal suspeita. Na perícia necroscópica, as lesões anogenitais correspondiam à histopatologia, a áreas de necrose da derme e epiderme. A pesquisa de espermatozóides e da proteína P35 se revelou negativa. Constatou-se peritonite e broncopneumonia, e as lesões ano-genitais foram atribuídas ao quadro séptico. Concluímos que os profissionais de saúde necessitam ter conhecimento de patologias que acometem a criança e podem mimetizar o abuso, evitando o conflito desnecessário entre familiares. VIOLÊNCIA: UMA NOVA VISÃO PARA PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM A PARTIR DO CINEMA MILA DE ARAUJO OLIVEIRA E IVONE MAIA DE MELLO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência referente ao Projeto de Extensão Sala de Leitura Cinema: Subjetividade, Cultura e Poder, na execução do plano de trabalho Violência: Uma nova visão para profissionais de enfermagem a partir do cinema, com o objetivo de promover novos conhecimentos, através de discussões da temática sobre a multiplicidade da violência contextualizando-a no universo cinematográfico e a experiência de realizar um evento sobre a temática, no qual pode ser apresentado e discutido no I Cine Debate sobre Violência para Estudantes e Profissionais de Enfermagem, realizado na Sala Audiovisual da Biblioteca Central da UEFS e no Auditório da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana, utilizando o filme Preciosa (2010) e a série de televisão House (3ª temporada - Episódio 12: One Day, One Room) para auxiliar as discussões sobre o tema e análise para estudantes e discentes do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), utilizando o cinema como veículo de informação. Sendo assim, o presente trabalho foi baseado em alguns elementos da pesquisa-ação, formando um grupo de estudo que abordou os tipos mais comuns de violência no contexto atual e relacionou a violência e a imagem na contemporaneidade (cinema) para debater as formas com que a violência tem se apresentado na atualidade, o seu impacto na saúde e a responsabilidade dos profissionais de enfermagem sobre a notificação dos casos de violência. Essa proposta utilizou textos e imagens (filme) pré-selecionados, para que o público-alvo tivesse em contato com a temática e assim puderam refletir a prática e o atendimento em saúde diante da violência. A temática sobre a multiplicidade da violência contextualizando-a no universo cinematográfico ainda é pouco discutida e utilizada na prática. Para tanto, foi possível problematizar o tema no evento e perceber o modo de pensar mais crítico diante da prática que é instituída nas universidades, especialmente na UEFS e no curso de enfermagem. Esse estudo permitiu um aprendizado amplo e abriu caminhos para estudos mais aprofundados sobre o tema, sendo capaz de até gerar impacto sobre o atendimento, por meio da realização das ações propostas por Souza et al (2009). Apesar da maior abertura da enfermagem em relação à inserção da violência na formação de seus profissionais, os docentes desse curso têm muitas dificuldades em incluir essa temática nos planejamentos curriculares e isso está relacionado às dificuldades decorrentes do contato científico e crítico com o tema, e assim, tende a adotar um comportamento de reprodução simbólica das experiências de sua própria formação acadêmica. Portanto, é preciso não só desencadear formas de suprir tal lacuna na formação do docente, mas também de inovar nas metodologias e conteúdos, incluindo a possibilidade de verbalização dos medos e trabalho de fortalecimento pessoal e profissional para lidar com o tema. E ainda, é preciso realçar que os estudantes necessitam ser incentivados a desenvolver a consciência crítica das forças sociais maiores que afetam a vida e a saúde, e a reconhecer o seu papel potencial como membro de uma comunidade que se posiciona contra a violência, percebendo a importância da integração e coerência entre as diretrizes preconizadas nas políticas públicas e as diretrizes básicas da educação, pois com a capacitação dos alunos, eles serão futuros profissionais quase prontos para o enfrentamento dos problemas sociais e de saúde para os quais necessitam ter uma consciência crítica que possibilite a superação dos mesmos. PSICOLOGIA JURÍDICA E BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA: UMA COMPREENSÃO EMERGIDA A PARTIR DE UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA EM UM PROJETO DE EXTENSÃO DIEGO SOLCI TOLOY, DIOENE CARNEIRO NASCIMENTO, PRISCILA SANTOS PIRES, SÍRIA DANIELA DOS SANTOS LIMA O presente artigo visa apresentar a atuação do psicólogo no contexto do Balcão de Justiça e Cidadania vinculado à Faculdade Nobre de Feira de Santana, abordando as práticas desenvolvidas e a caracterização dos sujeitos atendidos, dimensionando-os não somente a partir de aspectos psicológicos, mas também sociais, culturais, históricos, entre outros. Entende-se o Balcão como um projeto criado em 2003, e reestruturado em 2006, pelo Tribunal de Justiça do Estado com o intuito de democratizar a oferta de serviços e orientações jurídicas de forma gratuita, com foco na mediação de conflitos. Por conseguinte, pensar a atuação da Psicologia dentro do contexto do Balcão é lançar um olhar às relações constituídas e/ou dissolvidas, nos meandros da atividade jurídica. A interlocução entre a Psicologia e o Direito, no âmbito das questões relacionais perpassa pela compreensão do que sejam e de como se processam as relações interpessoais, dentro de um contexto específico, que dimensionam e qualificam sua existência. Dessa forma, ao adentrar o campo 4

5 das práticas mediadoras próprias do Balcão, a Psicologia almeja contribuir frente aos entraves de acordos entres as partes em conflito, visto que em geral, os impedimentos são frutos de questões afetivas, ligados a história de vida dos sujeitos. Ao clarificar aspectos subjetivos, a Psicologia ocupa uma lacuna decorrente em parte do pragmatismo contido no olhar dos operadores do Direito, além disso, a escuta especializada dos extensionistas de Psicologia lhes permitem identificar aspectos relacionados à saúde mental dos sujeitos atendidos, como sofrimento, ansiedade, depressão, entre outros, bem como a violação de direitos, momento em que o Balcão se articula com a rede de serviços (clínica escola, CRAS, CREAS, CAPS, NASF, entre outras). Sendo assim, ao compor a estrutura do Balcão de Justiça e Cidadania, sua contribuição se justificará, para além das já mencionadas, pela busca de uma integralidade no atendimento, a partir de ações interdisciplinares, pela humanização dos atendimentos ao introduzir os afetos como categorias de análise para os conflitos, pela luta juntamente com o Direito pela dignidade na resolução dos conflitos e no fortalecimento dos sujeitos atendidos para que sejam responsáveis por suas decisões, protagonistas de suas vidas. DISTINÇÃO ENTRE AFOGAMENTO E IMERSÃO POST-MORTEM NO INSTITUTO MÉDICO-LEGAL NINA RODRIGUES BRUNO EMANUEL COSTA E SILVA; DANILO DE O. S. RAMOS; FERNANDA O. DE A. LOPES; FERNANDO A. M. TEIXEIRA; MAIANA H. M. COELHO; BRUNO GIL DE CARVALHO LIMA. Todo cadáver encontrado em água não necessariamente morreu por afogamento. Devem ser consideradas outras causas possíveis, e o diagnóstico de afogamento deve ser criterioso, devido a sua complexidade. Em uma cidade como Salvador, em que os casos de morte por afogamento são comuns, esse tema torna-se relevante. Dessa forma, este estudo tem como objetivo listar os critérios utilizados para o diagnóstico de morte por afogamento pelos legistas do Instituto Médico-Legal Nina Rodrigues, em Salvador-Bahia, em um ano de trabalho, para que assim possamos conhecer a realidade do diagnóstico de afogamento nessa cidade. Para isso, foi feita a coleta de dados dos laudos necroscópicos emitidos pelo Instituto Médico-legal Nina Rodrigues durante o ano de 2010, referentes à presença, ausência ou não citação dos sinais de asfixia por afogamento, através de uma ficha para coleta de dados. A maioria dos sinais pesquisados não foi relatada nem como presente, nem como ausente, obtendo-se uma grande porcentagem de dados ignorados.o estudo pôde mostrar ainda uma diminuição do número de óbitos por afogamento em Salvador em 2010 em relação aos anos 90, e assim como na literatura, a população mais acometida são homens jovens, pardos, falecendo geralmente no mar e nos meses mais quentes do ano, e em muitas vezes sob o efeito do álcool. Conclui-se queos legistas baseiam seus diagnósticos de afogamento em poucos sinais, predominando sinais internos em detrimento do exame externo e complementares, sendo a maioria deles muito inespecíficos para o diagnóstico. A IMPORTÂNCIA DA SALIVA NO CAMPO PERICIAL REVISÃO DE LITERATURA ERASMO DE ALMEIDA JR, LUÍS CARLOS CAVALCANTE GALVÃO, LILIANE ASSIS BARBOSA, RAÍSSA BRAGA BORGES, MARIANA ANDRADE DA COSTA, ARTHUR IGOR CRUZ LIMA. Dentre as diversas atividades desenvolvidas em um laboratório médico-legal, está o estudo de diversas substâncias que provêm do organismo ou que são parte dele, visando com isto obter um máximo de informações de interesse, na maioria das vezes ligados à criminalística. A investigação pode ser levada a termo na substância que se obtém de uma pessoa no ato do exame (como em exame de sangue) ou em estado de manchas, como no caso da saliva, incrustações e suspensões. Manchas são sinais deixados pela deposição ou impregnação de substâncias sólidas, líquidas e eventualmente gasosas, de origem animal, vegetal ou mineral, em um suporte de qualquer espécie. Esses sinais são importantes porque podem contribuir para o esclarecimento de um ato delituoso. Algumas manchas são devidas a substâncias provenientes do corpo humano ou de outros animais, como sangue, esperma, fezes e saliva. O objetivo do nosso trabalho é realizar uma revisão de literatura sobre a importância da saliva no campo pericial, tão utilizada nos dias atuais. QUANDO O AMOR MACHUCA: UMA ABORDAGEM DOS CUIDADOS PRESTADOS PELA ENFERMAGEM FRENTE A ESSE DILEMA. SHEILA PASSOS MOTA COUTINHO E MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA Introdução:O ser humano possui uma necessidade intrínseca de se unir ao outro, a fim de construir laços duradouros ao longo da vida. E quando esse amor e carinho transmitidos inicialmente se condensam em atitudes e atos violentos com freqüência deixam marcas profundas. Objetivo:Conhecer os motivos e as estratégias utilizadas pelas mulheres para enfrentarem a violência cometida por parceiros íntimos e refletir sobre a atuação do enfermeiro. Metodologia:Foi utilizado como método de pesquisa revisão bibliográfico mediante a busca em periódicos eletrônicos presentes nas bases de dados (Redylac, Scielo,). Utilizando os descritores: violência a mulher, e cuidados de enfermagem. Resultados: A análise dos artigos possibilitou que fossem destacados alguns pontos; fatores desencadeantes da violência a mulher. Foi percebido que vários são os fatores como o uso de drogas por parte do companheiro. A experiência anterior de violência no âmbito familiar foi um dos fatores bastante destacados. Artigos relataram que as mulheres agredidas ficam desejando e acreditando na mudança do companheiro, o que permite muitas vezes que elas fiquem adiando uma denuncia ou rompimento de vinculo com o agressor. Alguns artigos revelaram ainda que a mudança só ocorre quando essas mulheres se mostram dispostas a mudar e aí é necessário a ajuda do serviço de saúde dando apoio. O enfermeiro deve está atento às pistas que a mulher descreve não apenas verbalmente, mas através de gestos, maneira de vestir-se. Um cuidado que podem ser prestado pela enfermagem é o acolhimento e a possibilidade de apoio. Apoiar a vitima que deseje fazer registro policial do fato, encaminhar a outros órgãos competentes quando necessárias Delegacias da Mulher, Instituto Médico-Legal. Encaminhar para atendimento clínico os casos de lesões graves, com necessidade de reabilitação, que não puderem ser atendidos na unidade. Conclusão: O cuidado de enfermagem às mulheres vítimas de violência deve ser planejado para promover segurança, acolhimento e respeito. Além de serem, pautado nas políticas públicas de saúde e na legislação vigente para a proteção das vítimas e prevenção de agravos futuros. PROPOSTA DE DISPOSITIVO COMO BASE PARA A CONFECÇÃO DE RECONSTRUÇÃO FACIAL FORENSE. CLEMENTE MAIA S. FERNANDES, TAYNÁ GOMES BOTÁN, JÚLIA GRANDE MATHEUS, SIMONE MIYADA, MÔNICA DA COSTA SERRA. A Reconstrução Facial Forense tridimensional pode ser realizada de forma manual, ou plástica, esculpindo, reconstruindo a face diretamente sobre uma réplica do crânio em tela, ou de modo digital, por meio do manuseio de imagens digitais do crânio e do emprego de softwares que trabalham com imagens em 3D. Quando a Reconstrução Facial Forense 3D é realizada manualmente, sobre a réplica de um crânio, é necessário que esta réplica seja corretamente posicionada, para a correta execução da técnica de Reconstrução Facial a ser empregada (independentemente da técnica escolhida seja Método Russo, Método Americano ou Método de Manchester, por exemplo). Este trabalho apresenta a proposta de dispositivo como base para a confecção de Reconstrução Facial Forense, idealizado e desenvolvido por Fernandes CMS e Serra MC (respectivamente, primeiro e último autores). CIÊNCIAS FORENSE: PERSPECTIVAS PARA O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM ANDERSON REIS DE SOUSA; ELINE DA SILVA OLIVEIRA GOES; KAMILLA DA SILVA ALMEIDA; KARLA LUCILA ANDRADE CINTRA; MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA E PABLO CARNEIRO DE OLIVEIRA COSTA O aumento da criminalização elevou a atuação de algumas áreas científicas ligadas as ciências forenses, que têm por objetivo utilizar os conhecimentos da área da saúde a auxiliar e resolver casos com vítimas junto à Justiça. A enfermagem, como equipe diretamente ligada nos primeiros atendimentos às vítimas de crimes, tem se especializado e buscado o conhecimento na área da Enfermagem Forense. Para isto é imprescindível a formação especializada, pois são aspectos muito específicos, como observação das evidências, coleta de provas físicas, identificação e preservação de sinais de vitimização. Para este estudo teve-se como objetivo, conhecer os conceitos de enfermagem forense, compreender a sua importância e a expansão e inserção das práticas de enfermagem nessas áreas de atuação. Trata-se de um estudo do tipo bibliográfico, com caráter descritivo sistemático e abordagem qualitativa. Utilizou-se como bases de dados: Scielo, Medline, Pubmed e BVS. E, como descritores: enfermagem forense, investigação, violência e perícia. Observouse três aspectos importantes: a origem histórica da enfermagem forense, a inserção do profissional de enfermagem forense e a prática da enfermagem forense no Brasil. A enfermagem forense é uma prática comum em países norte americanos e europeus (em sua maioria), o que foi possível perceber principalmente devido à escassez de divulgações científicas a nível nacional. A enfermagem tem um campo de atuação vasto, que vai desde a coleta minuciosa até o apoio emocional à família das vítimas. Mas para isto necessita de técnica e conhecimentos próprios das ciências forenses. Assim, é fundamental a inserção de enfermeiros neste campo forense, para que seus pacientes não fiquem sem o devido respaldo legal. Conclui-se a importância da implantação de cursos ou disciplinas forenses na formação do enfermeiro, a nível de graduação e pós-graduação. ANÁLISE DO PAPEL DO ODONTOLEGISTA NO PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO POR ARCADA DENTÁRIA DOS VINTE E UM CORPOS CARBONIZADOS NA EXPLOSÃO DO CENTRO DE LANÇAMENTO DE ALCÂNTARA MA. ROBERTA DESTERRO E SILVA DA CUNHA, LAYS AZULAY FIGUEIREDO, LUANA DEMÉTRIO CARVALHO, MÔNICA CAROLINE MENDES NASCIMENTO, VALDERLANE LOPES PINHEIRO COLARES, WALTONNE SILVA SOUSA. No dia 22 de agosto de 2003, o terceiro protótipo do Veículo Lançador de Satélites (VLS) que seria lançado no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), município do Maranhão, explodiu na rampa de lançamento, levando vinte e uma pessoas a óbito. Sabe-se que a Odontologia Legal é de suma importância para a identificação de corpos carbonizados em acidentes e desastres em massa como este. Os elementos dentais, como qualquer outro tecido duro, geralmente são preservados indefinidamente após a morte. Apesar das características dos dentes mudarem ao longo da vida, a combinação de dentes cariados, ausentes e restaurados é reproduzível e pode ser comparada em qualquer tempo, proporcionando dados para a comparação antemortem e post mortem, uma vez que até a estatura dos indivíduos, estimativa do sexo e raça podem ser descobertas a partir das dimensões e características dos dentes. Os elementos dentários podem, ainda, fornecer material biológico para análises de DNA, um procedimento que produz uma elevada margem de acerto e que pode ser primordial para a identificação de casos em que a documentação odontológica (odontogramas e exames radiográficos) não se faz presente. O protocolo de trabalho do Odontolegista no desastre de Alcântara tornou-se fundamental para o reconhecimento dos vinte e um corpos dos funcionários do CTA (Centro Técnico Aeroespacial) de São José dos Campos, São Paulo, que trabalhavam no Centro de Lançamento de Alcântara. O presente trabalho tem como objetivo relatar os detalhes do acidente ocorrido há aproximadamente dez anos. A identificação dos corpos foi baseada na comparação dos documentos odontológicos com as arcadas dentárias dos corpos carbonizados, além de análise do material genético existente na polpa dentária e na dentina dos mesmos. As referências para o estudo utilizadas 5

6 foram os laudos de necropsia coletados no Instituto Médico Legal (IML) de São Luís do Maranhão e entrevistas com os profissionais (Odontolegistas e Médico Legistas) que trabalharam diretamente na identificação das vítimas deste desastre. NOTIFICAÇÃO DA VIOLÊNCIA INFANTO-JUVENIL EM SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/SUS: ATUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HAYLLA PRISCILLA DE LIMA AMORIM; CAMILA DOS SANTOS SOUZA, MARIA CONCEIÇÃO OLIVEIRA COSTA, ROSELY CABRAL DE CARVALHO, MAGALI TERESÓPOLIS DOS REIS AMARAL, JAMILLY DE OLIVEIRA MUSSE, JEIDSON ANTÔNIO MORAIS MARQUES. Introdução:O Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA), do Ministério da Saúde, possibilita o diagnóstico de eventos violentos não fatais e suas vítimas, nos diversos segmentos populacionais e cursos da vida, para fins de vigilância epidemiológica. A identificação e notificação da violência infantojuvenil às autoridades competentes é um passo decisivo para o seu enfrentamento. A inserção dos profissionais de saúde nesse processo é crucial para dar visibilidade às diferentes formas de apresentação do fenômeno, especialmente pela posição privilegiada que ocupam no atendimento das consequências mais evidentes. O setor saúde reconhece o impacto individual e coletivo da violência e a importância da articulação Institucional, frente às políticas públicas de enfrentamento. Objetivo: Analisar a atuação dos profissionais das Unidades de Emergência em Saúde, quanto à notificação dos casos de violência infanto-juvenil. Métodos: estudo transversal, com amostra casual simples (200), selecionada do universo de técnicos (523) das Unidades em Feira de Santana/Bahia (2010). Foram realizadas análises bivariadas e medidas de associação para determinar significância estatística entre casos notificados, características sociodemográficas, categoria profissional e dificuldades para notificar. Resultados: a maioria notificou aos órgãos competentes (69,5%); solicitou parecer de outro profissional (60,0%); conversou com a família (54,0%); citou credibilidade nas Instâncias responsáveis, apontou dificuldades, como a omissão familiar (91,5%), receio de envolvimento com o sistema judicial (63,5%) e falta de capacitação para notificação (47,0%). A ficha VIVA (vigilância de acidentes e violência) foi preenchida por 42,9%. Houve significância estatística entre notificação e categorias de médico, enfermeiro e técnico de enfermagem, com associações nos itens solicitação de parecer a outro técnico; receio de envolvimento com a justiça; falta de formação na área e preenchimento da ficha VIVA. Conclusões: suporte operacional e formação continuada podem contribuir para aprimoramento técnico, na identificação e notificação da violência infantojuvenil. PROJETO DE EXTENSÃO ODONTOLOGIA LEGAL NO DEPARTAMENTO MÉDICO LEGAL (DML) DE VITÓRIA/ES : RELATO DE EXPERIÊNCIA VITOR JOSÉ DA FOSENCA, LORRAYNE BELOTTI, ROBERTO SARCINELLI BARBOSA, KATIA SOUZA CARVALHO, ROMILDO ROBBI e KARINA TONINI DOS SANTOS PACHECO A atuação da odontologia legal em conjunto com a medicina legal tem como finalidade principal estabelecer a identidade humana, de forma precisa e rápida, nos vários estágios do processo de morte. Além disso, os odontolegistas auxiliam nas perícias em foro administrativo, criminal e cível, sendo que sua avaliação enriquece os laudos periciais. O objetivo deste trabalho é apresentar o Projeto de Extensão intitulado Odontologia Legal no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória/ES, desenvolvido por alunos e professores do curso de Odontologia e Medicina da Universidade Federal do Espírito Santo. O referido projeto tem o objetivo de auxiliar, por meio dos conhecimentos específicos da odontologia, perícias antropológicas e de traumatologia, em que a face esteja envolvida. Os alunos realizam visitas semanais ao DML e as atividades são planejadas juntamente com os médicos legistas, de acordo com os objetivos já descritos. Também são realizadas reuniões semanais para discussão de temas relevantes ao trabalho desenvolvido. O DML de Vitória ES, ainda não conta com o especialista em Odontologia Legal, e a realização do projeto no instituto, é de muita importância para realização das perícias descritas que, muitas vezes, requerem a opinião do odontolegista. Além disso, proporciona ao estudante de Odontologia a vivência, na prática, do aprendizado obtido nas aulas teóricas. IMPORTÂNCIA DA MANUTENÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO ODONTOLÓGICA ANTE-MORTEM PARA IDENTIFICAÇÃO HUMANA POST- MORTEM VITOR JOSÉ DA FOSENCA, LORRAYNE BELOTTI, ROBERTO SARCINELLI BARBOSA, KATIA SOUZA CARVALHO, ROMILDO ROBBI e KARINA TONINI DOS SANTOS PACHECO A identificação de cadáveres através de analise comparativa da arcada dentária é um método seguro, prático e de baixo custo quando comparado a métodos mais sofisticados de identificação. Uma complicação muito encontrada no exercício da identificação pelo método supracitado é a falta de informações anti-mortem, impossibilitando confrontação de características dentárias. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da manutenção da documentação odontológica e radiológica de pacientes pelos cirurgiões-dentistas, para utilização em identificação post mortem. Foram selecionados artigos nas bases de dados BBO e SciELO relevantes sobre o tema. O cirurgião-dentista, na maioria dos casos, possui conhecimentos sobre o processo de identificação humana por meio da documentação odontológica e radiológica, entretanto, foi observado, na literatura, que muitos desses profissionais não atribuem o valor adequado ao preenchimento e manutenção do prontuário. Além disso, a documentação radiológica, muitas vezes, fica com os pacientes perante assinatura e torna-se inviável a localização da documentação. Torna-se indispensável a manutenção de prontuário adequadamente preenchido para direcionar a identificação. É necessário maior participação dos cirurgiões-dentistas clínicos nos processos de identificação humana para que mais casos sejam resolvidos utilizando parâmetros odontolegais, valorizando assim a especialidade. VITIMADOS DE VIOLÊNCIA EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE: RECONHECIMENTO DE CASOS E ASSISTÊNCIA PELO PROFISSIONAL ENFERMEIRO. SHEILA PASSOS MOTA COUTINHO, MICHELLE RAMALHO MACEDO, ROSA MARIA SANTOS DE MEDEIROS e MICHELLE TEIXEIRA DE OLIVEIRA Introdução:A violência é uma questão de ordem social que antes permeava apenas os grandes centros urbanos, hoje se espalhou para as cidades menores, na medida em que o crime organizado procura novos espaços, tornando-se um problema para área de saúde, porque afeta a saúde individual e coletiva dos indivíduos envolvidos, causando sofrimento físico e mental. Objetivo:Descrever o reconhecimento de casos e assistência dos enfermeiros nos casos suspeitos de violência. Metodologia:Trata-se de uma pesquisa de campo de abordagem qualitativa. A amostra do estudo foi composta por cinco enfermeiros que atuam em Unidades Básicas de Saúde do Município de Feira de Santana, mediante aceitação prévia. Resultados:Foi possível obter a categoria relacionada à freqüência e tipo dos casos de violência mais comuns na unidade, as ocorrências mais atendidas nas unidades foram à violência doméstica, que envolve abuso de crianças, negligência com idosos e crianças e violência contra a mulher. As agressões por arma de fogo e branca também foram citadas, estando intimamente ligadas com a vulnerabilidade das comunidades. Na categoria que se refere à identificação e condutas realizadas nos casos de violência relatou que deve ser trabalhado de forma interdisciplinar e que muitas vezes a identificação surge através do agente comunitário de saúde que informa a enfermeira por está mais próximo da comunidade. A abordagem da assistência realizada e os encaminhamentos não foram uniformes pelos sujeitos do estudo, pois está relacionado com o tipo de violência, a idade e o sexo da vítima. Os casos passados pela unidade são notificados e realizados o procedimento conveniente de cada situação. Foi descrito também os encaminhamentos aos órgãos competentes, como o Conselho Tutelar e os Centros de Referência.Conclusão:A Atenção Básica é um local importante para atuação na prevenção dos casos violência, é aí que se pode detectar os possíveis eventos violentos na população. A enfermagem deve assumir uma postura de responsabilização pelos casos identificados, mediante uma articulação entre os serviços que possibilite romper o ciclo de violência, e contribuam para a elaboração de políticas públicas que ofereçam condições para que os serviços possam identificar acolher e tratar as vítimas. ALTERAÇÕES DENTÁRIAS DE VALOR PERICIAL REVISÃO DE LITERATURA ERASMO DE ALMEIDA JR, LUÍS CARLOS CAVALCANTE GALVÃO, MARIANA ANDRADE DA COSTA, LILIANE ASSIS BARBOSA, RAÍSSA BRAGA BORGES, ARTHUR IGOR CRUZ LIMA. O perito em Odontologia Legal é um profissional de muita importância em diversas perícias, condição que aumenta progressivamente com o conhecimento odontológico. Este pode realizar uma identificação, seja através do estudo do arco dental ou de rugosidades palatinas, se estiverem disponíveis estes dados catalogados para se fazer um estudo comparativo. Assim como pode, também, subsidiar um exame com dados relativos à características biológicas de um determinado indivíduo. Dentre estas, está a estimativa de idade, sexo, raça, estatura e até mesmo características mais específicas como hábitos e condições socioeconômicas, em menor grau. O exame odontológico, apesar de ser o padrão para determinação da idade e o mais preciso, não é suficiente para tal fim com precisão aceitável, devendo ser utilizado aliado à outros métodos. A avaliação dos dentes ou da mandíbula, requer um amplo espaço de estimativa cronológica para que possam fornecer dados de melhor confiabilidade. O objetivo do nosso trabalho é realizar uma revisão de literatura sobre alterações dentárias de valor pericial como: formação da coroa e raíz, mineralização, risólise, erupção e modificações dentárias tardias. A VIOLÊNCIA NA CONCEPÇÃO DOS ENFERMEIROS QUE ATUAM EM UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE EM UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DA BAHIA. SHEILA PASSOS MOTA COUTINHO, MICHELLE RAMALHO MACEDO, ROSA MARIA SANTOS DE MEDEIROS, MICHELLE TEIXEIRA DE OLIVEIRA Introdução:A violência é um fenômeno que atinge todas as classes sociais no mundo e acomete crianças, adolescentes, adultos e idosos. A temática da violência tem sido estudada em decorrência do problema que ela representa para a qualidade de vida das pessoas, da família e da comunidade, pois acarreta problemas físicos, psíquicos, morais e sociais, que necessitam de atenção e cuidado nos serviços de saúde. Objetivo:Conhecer a concepção dos enfermeiros que atuam nas Unidades Básicas de Saúde de uma cidade do interior da Bahia em relação a violência e a enfermagem forense. Metodologia:Trata-se de uma pesquisa de campo analítica de abordagem qualitativa. A amostra do estudo foi composta por cinco enfermeiros que atuam em Unidades Básicas de Saúde do Município de Feira de Santana, mediante aceitação prévia. Foi adotado o ponto de saturação para definição do número de sujeitos da amostra.resultados: Foi possível conhecer a percepção das enfermeiras sobre violência, considerado muito complexo, devido ao problema que representa para a qualidade de vida das pessoas, da família e da comunidade, e estes problemas necessitam de atenção e cuidado nos serviços de saúde. As ações de prevenções realizadas consistem basicamente nos aspectos preventivos e curativos. Pouco foi abordado a existência de ações 6

7 educativas com a comunidade, pois as mesmas se sentem despreparadas para confrontar à violência social. Quanto ao conhecimento sobre a enfermagem forense as enfermeiras relataram que apenas ouviram falar sobre esse tema, mas que não tinham um conceito formulado a respeito desse assunto. A ciência forense trata de quaisquer assuntos relacionados à lei perante o Tribunal de Justiça. A enfermagem gradualmente ganha espaço e reconhecimento na área forense, devido ao seu amplo desempenho no cuidado individual e coletivo. No Brasil, a enfermagem forense ainda é pouco conhecida e com raras atuações como especialidade. Conclusão:A enfermagem deve assumir uma postura de responsabilização pelos casos identificados, mediante uma articulação entre os serviços que possibilite romper o ciclo de violência, e contribuam para a elaboração de políticas públicas que ofereçam condições para que os serviços possam identificar acolher e tratar as vítimas. VIOLÊNCIA INFANTO-JUVENIL: PERFIL DAS DENÚNCIAS NAS INSTÂNCIAS DA REDE DE REFERÊNCIA EM FEIRA DE SANTANA-BAHIA, AMORIM, M.M.; SANTOS, N. P. C.; BOAVENTURA L.M.; COSTA, M.C.O; OLIVEIRA, J. R.; MARQUES, J.A.M. Introdução: A violência contra crianças e adolescentes é um fenômeno complexo que atinge todas as classes sociais, etnias e culturas, trazendo consequências maléficas para o desenvolvimento físico e psicológico de nossos meninos e meninas, sendo assim considerado como um dos maiores problemas sociais e de saúde pública do mundo. O presente estudo enfatizou a violência doméstica contra crianças e adolescentes, sobretudo a violência física e sexual. Objetivo: caracterizar o perfil da denúncia da vitimização física e sexual contra crianças e adolescentes nas Instâncias de Garantia de Direitos (Conselho Tutelar e CREAS) em Feira de Santana-Bahia, no período de Método: Estudo de corte transversal, a população de estudo foi compreendida pelos denunciantes que notificaram casos de violência física e sexual contra de crianças e adolescentes. Resultados: a violência física (60,3%) é mais notificada que a violência sexual (39,7%); a principal fonte de denúncia foi anônima (36,5%), seguido da denúncia pela mãe e pai (22,0%), destacando-se o Setor Saúde (2,7%), pois este, apesar da responsabilidade jurídica e moral apresentou baixa participação nesse processo; o local de ocorrência de maior incidência foram os domicílios das crianças e dos agressores com 72,8% dos casos; em relação à faixa etária verificou-se uma maior vitimização física em crianças de 0-11 anos (75,1%), entretanto no que diz respeito à violência sexual, verificou-se que a maioria dos registros ocorreu entre anos com 56,5%; ambos os sexos são vitimizados na violência física, contudo a violência sexual está mais ligada ao sexo feminino (79,1%); a respeito do vínculo com agressor, verificou-se que no computo geral os pais foram responsáveis por 60,8% das agressões; a intimidação utilizada aponta a presença da co-ocorrência entre as violências física, sexual e psicológica. Conclusão: Diante desses achados pode-se verificar a importância da população junto a denuncia anônima e da necessidade do incentivo da denúncia por outros setores da sociedade, pois a denúncia favorece a revelação desses casos, a identificação das vítimas e o rompimento do ciclo de vitimização, permitindo aos órgãos competentes uma atuação apropriada junto às vítimas e agressores. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE MARCAS DE MORDIDAS FEITAS POR HUMANOS E ANIMAIS AMORIM, M. M.; BOCCANERA, A.L.O.; OLIVEIRA C.B.B.; SILVA, M.L.C.A.; MUSSE, J.O.; MARQUES, J.A.M. Introdução: as marcas de mordidas se caracterizam como um padrão representativo deixado em objetos ou tecidos por estruturas dentárias de humanos ou animais.são elementos periciais fundamentais para a identificação de agressores, vítimas e criminosos. As lesões deixadas por humanos diferenciam em vários aspectos das lesões deixadas por animais. A marca de mordida humana é caracterizada como uma lesão circular, elíptica ou oval com formato de arco, separado em suas bases por espaços abertos, podendo apresentar ou não equimose central, diferente das mordidas causadas por animais que é caracterizada por nunca existir vestígios de sucção, por ser mais alongadas e maior profundidade das lesões produzidas pelos caninos. Objetivo: Descrever e diferenciar a impressão de mordedura humana da mordedura animal localizada em segmento corporal, a partir da anatomia dos arcos dentários humanos e de caninos Metodologia: realizou-se uma revisão de literatura nas principais bases de dados (medline, scielo e Google acadêmico), seguido de análise. Resultados: diferenciar uma mordida humana e uma causada por um cão não é difícil. No entanto, os movimentos que ocorrem no momento da mordida, juntamente com aspectos particulares do tecido de suporte podem levar a lesões infligidas por cães que lembram os causados por seres humanos. Os dentes dos cães são menores e mais afiados que os dentes humanos, além de possuírem arcos dentários mais estreitos e longos, há longos diastemas na região canina, um conjunto de incisivos anteriores com dimensões diminutas, enquanto que o formato da impressão dentária humana é circular ou elíptica, as marcas dos caninos maxilares são identificáveis. Um dos parâmetros da investigação é a medição da distância intercanina. Mordidas produzidas por cachorros e outros animais, normalmente, provocam laceração tecidual (avulsão), enquanto a mordida humana comprime a pele, podendo causar abrasão, contusão e laceração, mas raramente avulsão do tecido. Os humanos têm quatro dentes incisivos por arcada dentária, enquanto os cães têm seis. Conclusão: devemos considerar no momento que diagnosticarmos uma marca de mordida se ela é oriunda de humano ou de animal, pois a partir desse resultado, a investigação terá um curso diferente. CONSUMO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS POR ADOLESCENTES E ADULTOS JOVENS SILVA A. C. R.; SANTANA, M.C..; DA HORA, V. C. F. COSTA M. C. O. Introdução: A adolescência é o período do desenvolvimento humano que se estende dos 10 aos 19 anos de idade. Esta fase se distingue por marcantes transformações e mudanças físicas e psicossociais que caracterizam os adolescentes como contestadores e curiosos, portanto, mais sujeitos aos comportamentos de risco. O uso de substâncias psicoativas (SPA) por adolescentes e adultos jovens vem acarretando dependência precoce, o que representa um problema de saúde pública. Objetivo: Investigar aspectos relacionados à iniciação, padrão de uso e tipos de drogas mais utilizadas por adolescentes e adultos jovens atendidos no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD), Feira de Santana/BA. Metodologia: Estudo descritivo de caráter retrospectivo, baseado em dados secundários coletados, no período de 2003 a 2008, em uma pesquisa realizada pela equipe do Núcleo de Estudos e Pesquisa na Infância e Adolescência (NNEPA) da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), do município de Feira de Santana. Resultados: A população foi de 475 adolescentes e adultos jovens de 12 a 24 anos, 87,4% do sexo masculino, 51,6% possuíam escolaridade de 4 a 7 anos, 69,3% não frequentavam a escola no momento, 42,7% estavam desempregados e 79,6% moravam com familiares. A maioria (51,5%) afirmou que possui familiares usuários de substâncias psicoativas; 19,7% dos encaminhamentos para o CAPS AD ocorreu de forma espontânea para os adultos jovens; 14,1% dos adolescentes de 15 a 19 anos por familiares ou amigos enquanto que 7,9% judicialmente, e 58,3% dos adultos jovens já foram internados. A curiosidade foi a motivação mais prevalente (41,9%) e essa foi oferecida por amigos; adolescentes e adultos jovens estavam na faixa de 15 a 19 anos quando experimentaram, sendo a maconha a substância mais utilizada. As substâncias mais utilizadas foram álcool e tabaco, com consumo frequente e abusivo. Conclusão: Foi evidenciado iniciação precoce ( 14 anos) de substâncias psicoativas e o desenvolvimento precoce de dependência, reforçando a necessidade de atenção à problemática de uso/abuso de drogas por adolescentes e jovens por todos os segmentos sociais para que haja um avanço na saúde pública. LETALIDADE APÓS ENVENENAMENTO ACIDENTAL POR EXPOSIÇÃO A SUBSTÂNCIAS NOCIVAS NO BRASIL ENTRE 2008 E 2012 FS PASSOS, EV VIEIRA, IM AGUIAR, BGC LIMA Introdução: Os envenenamentos representam um dos principais tipos de acidente envolvendo a população e alcançam uma dimensão preocupante. Os riscos de intoxicação, na sua grande maioria, são considerados acidentais, porém decorrem principalmente de comportamentos inadequados e do pouco incentivo às medidas preventivas. Objetivo: Descrever o perfil da letalidade por envenenamento acidental por exposição a substâncias nocivas nas regiões do Brasil entre os anos de 2008 e Método: Pesquisa de abordagem quantitativa, do tipo descritiva e de caráter temporal. Foram estudadas as informações do Sistema de Informações Hospitalares obtidas a partir da consulta à base eletrônica do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Foram utilizados óbitos em decorrência de envenenamento (intoxicação) acidental por exposição a substâncias nocivas, para tal foram usadas as categorias X40-X49 da codificação pela Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10). Resultados: A amostra foi constituída por 461 óbitos, dentre os quais 297 (64,43%) eram do sexo masculino e 164 (35,57%) do sexo feminino. Os coeficientes de letalidade obtidos nos anos de 2008 e 2012 indicam diferentes riscos de óbito nas regiões do Brasil. Os maiores valores do coeficiente de letalidade estão compreendidos no Nordeste, sendo o valor máximo 3,39% em Em contrapartida, a região Norte registrou um coeficiente de letalidade de 0,28% em O aumento da idade associou-se a um maior coeficiente de letalidade, sendo de 0,36% em pacientes de 1-4 anos e de 7,83% em pacientes com 80 anos ou mais. Ainda referente à idade, foi encontrado nesse estudo um coeficiente de letalidade global de 0,77% para menores de 1 ano, tendo atingido o valor máximo de 3,23% na região Norte. Houve uma predominância do sexo masculino como sexo mais acometido, com o valor de letalidade de 2,09%, enquanto o coeficiente de letalidade feminino foi de 1,77%. Conclusão: O grupo de idosos possuiu o maior coeficiente de letalidade, sendo a faixa etária com 80 anos ou mais a com o pior prognóstico, com discreto predomínio do sexo masculino e havendo maior número de óbitos na região Nordeste brasileira. INCIDÊNCIA DOS DIFERENTES TIPOS DE VITIMIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO DE COEFICIENTES, SEGUNDO IDADE E SEXO DE VÍTIMAS, EM DISTINTOS PERÍODOS OLIVEIRA, C.B.B.; SOUSA, H.L.; COSTA, M.C.O.; ALMEIDA, A.H.V.; AMARAL, M.T.R.; SILVA, M.L.C.A.; MUSSE, J.O. Introdução: o forte impacto da violência sobre as taxas de morbidade e mortalidade envolve alto custo econômico, para os Sistemas de Saúde, Judiciário e Penal; além dos custos sociais, pela redução de produtividade e consequências pessoais, para vítimas envolvidas com os agravos. Esses argumentos evidenciam que esse fenômeno representa uma grave ameaça às condições de vida e de saúde para crianças e adolescentes, o que enfatiza a importância das investigações, nas diversas áreas do conhecimento, com vistas a subsidiar estratégias de prevenção e enfrentamento. Objetivo: analisar incidências da vitimização de crianças e adolescentes, em diferentes períodos, segundo registros das Instâncias de Referência para notificação, em Feira de Santana. Método: estudo descritivo, do tipo série de casos, com registros dos Conselhos Tutelares e CREAS, no período 2003 e Utilizou-se linkage entre bancos, evitando duplicidade e calcularam-se coeficientes de incidência das violências, por idade e sexo das vítimas. Resultados: verificou-se maior ocorrência de vitimização em ambiente doméstico; causados pelos pais, predomínio da negligência e violência física; com destaque para proporções de agressores infanto-juvenis. A maioria das denúncias foi anônima, com casos encaminhados para o CREAS. Em 2003, os maiores coeficientes de 7

8 negligência foram observados em crianças pequenas (menor de 1 ano e 4 anos); violência física, em escolares (7 e 8 anos); abuso psicológico atingiu crianças e adolescentes (7 e 14 anos) e violência sexual mostrou maior pico na adolescência (13 e 15 anos). Em 2009, verifica-se mudança do padrão das curvas: aumento das incidências entre períodos; pico de negligência mais tardio (7 e 8 anos), semelhante à violência física (5 a 8 anos); abuso psicológico amplia faixas de risco (6, 9, 11 e 14 anos) e a violência sexual mantém maior vitimização na adolescência (12 a 14 anos). As curvas de incidência divergiram entre sexos: masculino com maior risco, na infância e feminino, na adolescência. Conclusões: a elevação dos coeficientes entre períodos que aponta aumento da vitimização pode sugerir aprimoramento do Sistema de Registro da Rede de Atendimento e Defesa, assim como, participação popular e controle social, em resposta às ações da Rede, face à violência. ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS NA PESQUISA CIENTÍFICA OLIVEIRA, C.B.B.; AMORIM, M. M.; BOCCANERA, A.L.O.; SILVA, M.L.C.A.; MUSSE, J.O.; MARQUES, J.A.M. Introdução: no meio científico, são abordados casos bastante polêmicos a respeito de plágios, má conduta e fraudes encontradas nas publicações. Algumas infrações podem ser destacadas baseadas em Códigos de Ética profissionais e na Legislação Brasileira. A ciência moderna contribui à maior suscetibilidade de vítimas de má conduta. Fatos que interferem diretamente na prática do pesquisador, como questões financeiras e econômicas envolvidas; pressão de instituições para produção e publicação; ambições e vaidades pessoais estão sendo identificados como causa do problema. Objetivo: analisar dados publicados acerca das principais infrações éticas no meio científico, alertando os pesquisadores acadêmicos e profissionais sobre os riscos desta prática. Metodologia: o trabalho constituiu-se em uma pesquisa em sítios de busca da internet, para o levantamento das notícias atuais referentes a más condutas científicas na área da saúde. Resultados: dentre as 10 notícias analisadas, 40% referem-se à infração ética de manipulação de dados de pesquisa ou adulteração de informações estatísticas ou deturpação de sua interpretação, 40% dos casos apresentam a utilização, sem referência do autor ou sem sua autorização expressa, de dados, informações ou opiniões coletados em parte de sua obra. E, finalmente, 20% dos casos, apresentam autoria própria para obras científicas produzidas por outrem, ainda que não publicadas. Conclusão: foram poucas as noticias encontradas sobre denúncias de má conduta científica na área da saúde, talvez, isso reflita a necessidade de sistemas mais eficazes para a detecção de plágios e fraudes em trabalhos científicos. Portanto, é de grande relevância a criação de programas que visem definir e educar a respeito de políticas de boa conduta no meio científico, além de um maior controle nas produções. Diversos dispositivos legais asseguram os direitos dos autores como a Constituição Federal, Lei de Direitos autorais e o Código Penal Brasileiro. O pesquisador que comete o plágio, fraude ou má-conduta na produção científica pode sofrer sansões que variam entre advertência confidencial, multa e detenção. É essencial que a comunidade científica reconheça a dimensão do problema e dê a devido valor ao assunto, dando um maior enfoque a trabalhos referentes ao tema. ENFERMAGEM FORENSE E A PRESERVAÇÃO DE PROVAS E VESTÍGIOS EM VITIMADOS POR VIOLÊNCIA NOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA. KATHIUCIA K.S.R.B. MENEZES, JOSÉ WANDERLITO BRAGA NASCIMENTO, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. INTRODUÇÃO: A ciência forense é uma ciência multidisciplinar que tem por base áreas cientificas como a medicina legal, a toxicologia e a radiologia. Esta nova especialidade tem evoluído conforme o crescente aumento da criminalidade e violência. Atualmente, os serviços de saúde, principalmente os de atendimento de urgência são locais aonde frequentemente são relacionadas diversas situações de agressões, violência e ou incidentes fatais. OBJETIVO: Descrever a prática da Enfermagem Forense na preservação de provas e vestígios em vitimados por violência nos serviços de urgência. METODOLOGIA:Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo revisão de literatura, de caráter exploratório. Os descritores utilizados para compor a amostra deste estudo foram: enfermagem forense, violência e serviços de urgência. Como critério de inclusão adotou-se incluir na amostra os artigos escritos em português e as publicações dos últimos dez anos das bases de dados do PubMed, Med-line, Lilacs, e SciELO. RESULTADOS: O enfermeiro forense deve ser capaz de identificar, recolher e preservar provas corretamente. Muitos são os casos de atendimentos de vitimados por violência nos serviços de urgência, sendo imprescindível para o âmbito judicial, a preservação de vestígios para a investigação criminal. Os enfermeiros dos serviços de urgência como parte integrante da equipe, por muitas vezes é o primeiro profissional a estabelecer contato com a vítima/agressor, tendo o dever legal e ético de assegurar os direitos das vítimas, a preservação da vida, e a da promoção da saúde. Os enfermeiros devem ser habilitados para preservar evidências físicas e registrá-las de forma que posteriormente possam ser analisadas. As provas devem ser manuseadas de forma cautelosa, desde a coleta até a sua análise, para manter a idoneidade de forma a não comprometer as decisões judiciais, e prejudicar a cadeia de custódia. Os esforços dos enfermeiros forenses tem se tornado recurso essencial para os esforços de resolutividade no âmbito das ciências forense e o sistema judicial. CONCLUSÃO:Os Serviços de Urgência são locais importantes para verificação e notificação dos casos violência, sendo o enfermeiro forense o profissional que deve assumir uma postura de responsabilização nos casos identificados, mediante a preservação de provas e vestígios em vitimados. ESTIMATIVA DA IDADE POR MEIO DA TÉCNICA NMM, UTILIZANDO TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE CONE BEAM. CLEMENTE MAIA S. FERNANDES, SIMONE MIYADA, JÚLIA GRANDE MATHEUS, MÔNICA DA COSTA SERRA. A necessidade de estimar a idade de um sujeito vivo ou morto, tem sido uma constante em atividades periciais. Em Odontologia Legal, o emprego da técnica denominada NMM, para a estimativa da idade em crianças, proporciona resultados bastante próximos à idade real. Este método tradicionalmente é realizado com o emprego de radiografias panorâmicas da criança a ter sua idade estimada, e avalia o estágio de mineralização de dentes permanentes, independentemente da erupção dos mesmos (que podem ou não estar erupcionados). Com o desenvolvimento da Imaginologia, a Tomografia Computadorizada de Cone Beam tornou-se uma realidade na Odontologia, e tem sido bastante utilizada na área da clínica odontológica. Tem sido cada vez mais freqüente a realização de exames imaginológicos computadorizados em Odontologia. Neste trabalho, apresentamos a realização da estimativa da idade por meio da técnica NMM, utilizando Tomografia Computadorizada de Cone Beam para a realização da mesma. O exame computadorizado proporciona a realização da análise de forma digital, com uma melhor visualização das imagens analisadas, além de apresentar as vantagens da realização de perícias de forma digital, como armazenamento digital de dados e imagens, envio pela web, rapidez e objetividade. TRAUMATISMOS BUCOMAXILOFACIAIS POR AGRESSÃO: UMA PREOCUPAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEPORÂNEA. NOVAIS, SAIONARA NEVES; AMORIM, HAYLLA PRISCILLA DE LIMA; MUSSE, JAMILLY DE OLIVEIRA. Introdução:Dentre as lesões corporais, as lesões faciais merecem destaque pelo fato do rosto representar o centro da atenção humana, e por vezes, as lesões faciais deixam marcas e sequelas irreparáveis tanto físicas quantopsíquicas. Desse modo, os traumatismos da face têm grande importância para o cirurgião-dentista, não só pela incidência de casos, mas também pelo fato de que, se não forem reparados de maneira adequada, podem evoluir para importantes sequelas estéticas e funcionais. Objetivo: O objetivo deste trabalho é descrever, através de uma revisão de literatura, as incidências de traumatismos por agressão física, bem como o perfil epidemiológico, visando auxiliar a prevenção e o enfrentamento da violência. Revisão da Literatura:Além dos acidentes, a violência é tida como um problema de saúde pública por causa do dano físico que provoca, o que repercute na procura de assistência médica, incapacidade ou morte, onde 60% das lesões afetam o crânio e a face. As fraturas em adultos apresentam maior incidência, quando comparadas a fraturas em crianças, que são relativamente raras. O gênero masculino é o mais freqüente, com 83,3% dos casos. As regiões dos ossos da face mais atingidas são os processos alvéolo-dentários, seguidos da mandíbula, osso zigomático, ossos próprios do nariz e maxila. As lesões na cabeça representam cerca de 50% de todas as mortes traumáticas, onde os principais responsáveis pelas lesões do complexo maxilomandibular são socos e pontapés, gerando fraturas e perdas dentárias. No Brasil, a violência urbana vem promovendo um aumento significativo de vítimas com traumatismos faciais. Esses pacientes, na grande maioria, estão relacionados com fatores socioeconômicos, educacionais, desemprego, crescente intensificação de concentração de renda e desigualdades sociais. Conclusões:Estas informações podem ser úteis para caracterizar as principais necessidades de atendimento de urgência de pacientes vítimas por agressão, bem como auxiliar na adoção de medidas governamentais preventivas para traumatismos desta etiologia à violência. RELATO DE CASO: TRAUMA TEMPOROMANDIBULAR NA IDENTIFICAÇÃO DE INDIVÍDUO ESQUELETIZADO. SARAH SILVA FALCÃO BRASILEIRO, SELMA PAIXÃO ARGOLLO, LETÍCIA SOBRINHO, PATRICIA SHIRLEY DE ALMEIDA PRADO. Os remanescentes ósseos de indivíduos esqueletizados sempre foram alvo de estudos de antropólogos, arqueólogos e anatomistas entre outros. A partir de algumas peças ósseas é possível identificar características morfológicas do indivíduo como sexo, idade, estatura, ancestralidade, tempo e causa de morte. A aplicação desse conhecimento é fundamental na identificação de um indivíduo na antropologia forense, além desses dados a avaliação de variações anatômicas, anomalias e alterações patológicas também são de grande importância na busca da identidade do sujeito através da individualização de características anatômicas ou patológicas. Os traumas na articulação temporomandibular podem levar a alterações na oclusão dentária e na movimentação dessa articulação, sem tratamento esse tipo de trauma pode gerar várias sequelas como desenvolvimento anormal da face e anquiloses temporomandibulares. Esse relato de caso refere-se a analise de uma lesão com características de calcificação patológica na mandíbula de um indivíduo esqueletizados recebido pelo IML Nina Rodrigues, Salvador. A lesão óssea, com características de anquilose está localizada do lado direito do ramo da mandíbula na topografia da inserção da cápsula articular e ligamento lateral da articulação temporomandibular (ATM) próximo ao tubérculo articular do processo zigomático do osso temporal, inferoposterior à incisura da mandíbula e inferior ao processo condilar. A face articular da cabeça do processo condilar do mesmo lado também presenta uma calcificação patológica, do lado esquerdo observa-se uma excrescência óssea moderada na mesma topografia da lesão do lado oposto, provavelmente por compensação biomecânica. A análise e descrição morfológica de tal lesão foram cruciais na identificação do indivíduo, pois, posteriormente no banco de dados havia um indivíduo desaparecido que apresentava lesões faciais decorrentes de trauma que correspondiam às lesões encontradas nesse indivíduo esqueletizado. Consequentemente a finalização do processo de identificação foi mais rápida e efetiva. Conclui-se que a análise e descrição anatomopatológica podem auxiliar no processo de identificação de indivíduos na ciência forense. 8

9 COMPARAÇÃO DA ACURÁCIA ENTRE MINERALIZAÇÃO DENTÁRIA E MATURAÇÃO ÓSSEA NA ESTIMATIVA DA IDADE CRONOLÓGICA DE INDIVÍDUOS COM SÍNDROME DE DOWN PRISCILA PEYNEAU, LEILA ABOU HALA, THIAGO GAMBA, LUCIANA JACOME, MARI ELI LEONELLI DE MORAES, GLAUCIA MARIA BOVI AMBROSANO, SOLANGE MARIA DE ALMEIDA A estimativa da idade cronológica tem sido motivo de pesquisas constante no âmbito da ciência forense e na medicina legal. Em crianças com Síndrome de Down a falta de definição em relação a idade dificulta o processo de registro em casos de adoção, pois a idade é fundamental nesses casos. A proposta deste estudo foi verificar a acurácia da mineralização dentária e da maturação óssea na radiografia de mão e punho, para estimar a idade cronológica de indivíduos portadores de Síndrome de Down, no intuito de contribuir com a Odontologia Legal na devolução da cidadania desses indivíduos. Para tanto, foram avaliadas radiografias de arquivo de 278 indivíduos, sendo 216 não portadores de Síndrome de Down e 62 portadores, nas quais foram aplicadas a análise da cronologia da mineralização dentária elaborada por Nolla nas radiografias panorâmicas e a análise da maturação óssea para as radiografias da mão e punho, utilizado o método elaborado por Greulich e Pyle. Para a análise de concordância entre os métodos foi utilizada a técnica do coeficiente de correlação linear de Pearson; para avaliação da acurácia, a estatística t- Student de amostras pareadas por meio da técnica do intervalo de confiança e por fim, para estimar limites de acordo, foi aplicado o método de diferenças proposto por Bland e Altman. Os resultados permitiram concluir que a estimativa da idade cronológica de indivíduos portadores de Síndrome de Down pela análise da mineralização dentária foi mais acurada do que pela análise da maturação óssea da mão e punho, independente do sexo, apesar das diferenças entre os métodos não terem se apresentado estatisticamente significantes. No entanto, nenhum dos índices empregados pareceu ser suficientemente preciso na amostra utilizada. INTERRELAÇÃO ENTRE RADIOLOGIA FORENSE E ANTROPOLOGIA FORENSE PARA IDENTIFICAÇÃO HUMANA. BÁRBARA CRISTINA GOMES NOGUEIRA, LÍVIA GRAZILELLE RODRIGUES, ADEMIR FRANCO DO ROSÁRIO JÚNIOR, PAULO EDUARDO MIAMOTO DIAS, SOLON DIEGO SANTOS CARVALHO MENDES, RHONAN FERREIRA DA SILVA, DAYANE DE ALMEIDA BRANDÃO. O presente trabalho tem como objetivo relatar um caso forense de identificação humana positiva usando técnicas radiográficas e antropológicas. Restos mortais de um esqueleto humano foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Goiânia, Brasil, sob o pedido legal de identificação. Exames antropológicos consistem na análise de dentes, ossos longos e características cranianas e são realizados para estimar a idade, estatura e sexo da vítima. Foram obtidas radiografias, periapicais de todos os dentes e posteroanterior do crânio post-mortem que foram comparadas com radiografias laterais e pósteroanterior ate mortem de uma pessoa desaparecida. A correspondência positiva foi obtida observando molares inferiores através do confronto de radiografias periapicais (PM) com radiografias laterais (AM) e radiografia dos seios frontais com radiografia posteroanterior. Neste contexto, o presente caso ilustra a utilidade de procedimentos reconstrutivos antropológicos para estreitar a busca por dados que permitam comparação, demonstrando como as radiografias forenses de restos de esqueletos podem ser ferramentas importantes para reproduzir registros forenses PM para identificação humana comparativa. CARACTERIZAÇÃO DOS ÓBITOS POR AGRESSÕES CONTRA MULHER NA BAHIA ENTRE OS ANOS DE 1996 E 2010 EV VIEIRA, FS PASSOS, IM AGUIAR, BGC LIMA. Introdução: A mulher é quem mais sofre, tanto a violência de comportamento como a violência estrutural, em virtude das definições sociais que lhe atribuem um papel secundário, limitando sua cidadania em todos os níveis de hierarquia social. A violência presente é, portanto, é um sério problema de saúde em todo o mundo. Objetivo: Descrever o perfil dos óbitos por agressões às mulheres no estado da Bahia entre os anos de 1996 e Método: Pesquisa de abordagem quantitativa, do tipo descritiva e de caráter temporal. Foram estudadas as informações do Sistema de Informações Hospitalares obtido a partir da consulta à base eletrônica do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Foram utilizados óbitos em decorrência de agressões, para tal foram usadas as categorias X85-Y09 da codificação pela Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10). Resultados: Dos 435 óbitos, a maioria ocorreu devido a agressão por meio de disparo de arma de fogo ou arma não especificada (53,1%) seguidos por agressões com objetos cortantes ou penetrantes (24,6%). Dos casos registrados, 31,95% encontravam-se na faixa etária de 20 a 29, enquanto 19,77% possuíam 30 a 39 anos e 17%, 15 a 19 anos. Daquelas em que se obteve informação sobre o nível de escolaridade, quase a metade havia estudado de 4 a 7 anos (45,43%). Houve uma predominância de mulheres solteiras como estado civil mais acometido (71,26%). Conclusão: As mais acometidas por óbitos por agressão foram as mulheres jovens e solteiras com baixa escolaridade, tendo como principal causa a agressão por meio de disparo de arma de fogo. PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA MORTALIDADE POR AFOGAMENTO NAS CAPITAIS NORDESTINAS ENTRE 2000 E 2010 EV VIEIRA, FS PASSOS, IM AGUIAR, BGC LIMA. Introdução:Afogamento é um tipo de asfixia mecânica, produzido pela aspiração de um meio líquido ou semilíquido que bloqueia a passagem de ar para os pulmões, prejudicando todo o processo respiratório do indivíduo e que pode levar ao óbito. Considerado como uma causa externa de mortalidade, é uma causa significativa de morte não intencional, principalmente entre os homens, entre a população jovem e em cidades litorâneas ou cortadas por grande quantidade de rios onde as políticas públicas voltadas para a prevenção deste tipo de morte são inexistentes ou insuficientes. Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico da mortalidade por afogamento nas capitais nordestinas entre 2000 e Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo de mortalidade que utilizou dados coletados no Departamento de Informática do SUS DATASUS. Foram colhidos dados referentes aos CIDs V90, V92,W65, W66, W67, W68, W69, W70, W73, W74, X71, X92, Y21, todos referentes a afogamento, para todas as capitais nordestinas considerando o intervalo entre 2000 e As variáveis utilizadas foram sexo, faixa etária e cidade onde ocorreu o óbito. Resultados: Durante o período analisado, os afogamentos mostraram ser importante causa externa de mortes nas capitais nordestinas. Durante o período, houve um decréscimo nos índices de mortalidade por tal causa em todas as capitais analisadas. Dentre as capitais, Teresina - PI foi a que apresentou os maiores índices de morte por afogamento. As mortes foram mais frequentes entre os homens (86%) e entre as pessoas da faixa etária compreendida entre 20 e 29 anos (20,2%). Neste período, as mortes por afogamento passaram a contribuir menos para o total de mortes por causas externas, com redução de cerca de 50%. Conclusão: Os índices de mortalidade por afogamento sofreram redução significativa em todas as capitais analisadas durante o período do estudo. Teresina PI foi a capital que apresentou os maiores índices de mortalidade por tal causa. O maior coeficiente de mortalidade foi visto entre indivíduos do sexo masculino e na faixa etária compreendida entre 20 e 29 anos. Foi notado ainda redução da contribuição das mortes por afogamento para o total de mortes por causas externas. INVESTIGAÇÃO DO SEXO E IDADE ATRAVÉS DE MENSURAÇÕES EM CLAVÍCULAS SECAS DE ADULTOS. LILIANE ASSIS BARBOSA, LUÍS CARLOS CAVALCANTE GALVÃO, ERASMO DE ALMEIDA JÚNIOR. A cintura escapular é composta pela escápula e a clavícula, e, de um modo geral, esta fornece elementos que podem ser utilizados na investigação do sexo e da idade. Trata-se de um osso diferenciado, pois somente na espécie humana ele apresenta-se em forma de S itálico o que o diferencia dos animais. A presente pesquisa teve por objetivo estudar as características diferenciais da clavícula pertencente a indivíduos de ambos os sexos e de diferentes idades através das seguintes medidas: comprimento total e peso. A amostra utilizada foi composta por 160 clavículas secas do lado direito, sendo 80 do sexo feminino e 80 do sexo masculino compreendidas na faixa etária de 20 a 95 anos. Os esqueletos estudados eram de pessoas indigentes cujas famílias não reclamaram os ossos no tempo hábil administrativo estabelecido pelo cemitério e que estavam sendo encaminhados para incineração. Estes ossos tinham sexo e idade conhecidos com absoluta segurança. Os resultados demonstraram as diferenças existentes entre os sexos e a correlação com a idade e sua pertinência como metodologia válida para avaliações futuras. ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DAS LESÕES AUTOPROVOCADAS NO BRASIL FS PASSOS, EV VIEIRA, IM AGUIAR, BGC LIMA. Introdução: As lesões autoprovocadas costumam ser associadas com a ideia de suicídio ou tentativa de suicídio. Há, no entanto, várias outras situações que podem ser descritas como intencionais e auto- destrutivas ou auto-agressivas em manifestações individuais, como automedicação, abuso de drogas e/ou álcool. Objetivo: Descrever o perfil dos óbitos por lesões autoprovocadas intencionalmente nas regiões do Brasil entre os anos de 1996 e Método: Pesquisa de abordagem quantitativa, do tipo descritiva e de caráter temporal. Foram estudadas as informações do Sistema de Informações sobre Mortalidade obtido a partir da consulta à base eletrônica do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Foram utilizados óbitos em decorrência de agressões, para tal foram usadas as categorias X60-X84 da codificação pela Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-10). Resultados: O número de óbitos por lesões autoprovocadas intencionalmente foi de casos. Durante os 15 anos avaliados, os óbitos tenderam ao aumento seguindo uma linha de tendência. A proporção entre homens e mulheres foi de, aproximadamente, 4:1, sendo o número absoluto de óbitos, em todo o período estudado, maior na região Sudeste do país. Em contra-partida, a região Centro-Oeste sempre apresentou o menor número absoluto de óbitos decorrentes das lesões autoprovocadas. Os indivíduos que mais cursaram com óbito foram aqueles entre 20 e 39 anos (42%). Houve uma predominância do domicílio como local de ocorrência, tendo sido registrados casos (54%). Conclusão: O número de óbitos por lesões autoprovocadas induzidas no Brasil mostrou-se superior nas regiões Sul e Sudeste. O local de ocorrência desse óbitos revelou um padrão, em que o domicílio predominou. A maior ocorrência de óbitos entre homens e adultos jovens ratifica o perfil epidemiológico encontrado no Brasil, mas que carecem mais investigações em estudos seguintes. A NATUREZA DAS PRÁTICAS ODONTOLÓGICAS ENQUANTO OBRIGAÇÃO DE MEIOS E DE RESULTADOS NASCIMENTO, ANA PAULA EUFRÁZIO DO; SILVA, ULISSES ANSELMO DA. Resumo: O cirurgião-dentista (CD), ao exercer sua profissão, está sujeito a responsabilidade civil subjetiva, a qual exige além do dano, a comprovação da configuração da culpa 2,11. No entanto, a preocupação maior incide sobre a natureza jurídica frente aos procedimentos odontológicos realizados pelo CD: se seriam obrigação de meio ou de resultado 4,7. Isto é, se o profissional tem condições de garantir ou não, o resultado final do tratamento. Neste sentido, o presente trabalho objetivou verificar como a obrigação das práticas odontológicas é interpretada. Referencial: Mesmo com o novo Código Civil (2002), conforme dispõe o art. 186, a responsabilidade do CD continua sob a égide de responsabilidade subjetiva, em que é preciso provar a culpa pelo dano 1. O Código de Defesa do Consumidor cita no art. 14, 4º: A 9

10 responsabilidade pessoal dos profissionais liberais será apurada mediante a verificação da culpa 2,4,10. O dentista ao utilizar dos recursos de que dispõe, assume compromisso para atuar com técnica, lisura, correção e prudência, sem, porém, se comprometer com a obtenção de um resultado 8,9,3. São freqüentes as divergências no entendimento quanto à obrigação dos serviços prestados 6,5,7. Para alguns, sendo a maioria dos procedimentos odontológicos de etiologia conhecida, o que facilita reconhecer a sintomatologia, a diagnose e a terapêutica, a probabilidade de cura pelo CD torna-se maior, portanto, a responsabilidade decorrente do dano é no mais das vezes obrigação de resultado 7,6. Garbin et al. (2006), porém, em seu estudo sobre a percepção do CD quanto à natureza da obrigação assumida, revelou que 59% dos CDs entrevistados afirmaram que a Odontologia deveria assumir obrigação de meio, enquanto 34% que dependeria de cada situação e os 7% restantes, que seria de resultado 6. Conclusão: Ainda não existe um consenso quanto à natureza das obrigações do CD, se de meio ou de resultado. Isso permite constatar que os dentistas ao serem processados ficam a mercê da interpretação jurídica. Assim, estando as práticas odontológicas sujeitas a resultados adversos, tanto para o profissional quanto para o paciente, faz-se preciso especificá-las conforme a sua natureza, se obrigação de meio ou de resultado, assegurando mais fielmente o dentista. SISTEMA DE VIGILÂNCIA DE VIOLÊNCIAS E ACIDENTES/VIVA E A NOTIFICAÇÃO DA VITIMIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/SUS CAMILA DOS SANTOS SOUZA, MARIA CONCEIÇÃO OLIVEIRA COSTA, ANDRÉ HENRIQUE DO VALE DE ALMEIDA, BRUNA BORGES SANTOS, THYANA CORDEIRO LOPES, JEIDSON ANTÔNIO MORAIS MARQUES. Introdução: A notificação dos casos de violência pelos profissionais de saúde transcende os limites do serviço, cujo objetivo é interromper a cadeia de eventos e consequências. O caso identificado exige a intervenção interdisciplinar e parcerias institucionais, cuja ação tem-se mostrado imprescindível na resolutividade deste problema de elevada magnitude social, cultural, estrutural e de saúde. Objetivos: analisar casos de vitimização de crianças e adolescentes, pelas distintas formas de violência, registrados no Sistema de Vigilância de Violências e Acidentes/VIVA\MS, de Feira de Santana-Ba. Métodos: estudo transversal, com registros de crianças e adolescentes (432) atendidos, desde a implantação no município (01/2009 a 01/2011). Foram realizadas associações, segundo tipo de violência, utilizando razão de prevalência (RP), com intervalos de confiança (IC) de 95%. Resultados: crianças e adolescentes foram molestados por diferentes violências; com uso de força corporal, ameaça verbal e armas; lesões corporais diversas; 35% foram hospitalizados e 15% evoluíram a óbito. As análises apontaram associações significantes: da violência física, com vítima do sexo masculino (RP=1,24), na faixa da adolescência (RP=1,17) e agressor familiar (RP=1,42); da violência sexual, com agressor masculino (RP=6,66) e conhecido da mesma (RP=2,31); da negligência, com vítima nas faixas da infância (RP=5,78), ocorrência no domicilio (RP=2,33) e agressor familiar (RP=1,65); da violência psicológica, com vítima feminina (RP=1,36), ocorrência domiciliar (RP=1,82), agressor familiar (RP=2,13) e conhecido da vítima (RP=1,51). Conclusões: O processo de notificação tem impacto fundamental nas medidas de prevenção e enfrentamento, assim como no monitoramento de dados e levantamento de indicadores que permitem quantificar e caracterizar os múltiplos aspectos da violência, nos diversos contextos e grupos sociais. Assim, o fortalecimento institucional, para identificação, notificação e encaminhamentos, permite demandar investimentos em políticas e programas de prevenção e redução de danos, ampliando a cobertura do Sistema de Informação, no levantamento de indicadores da violência. Descritores: Agravos psicossociais e vulnerabilidades, Atenção a grupos populacionais específicos, Sistemas de proteção social PRONTUARIOS ODONTOLÓGICOS: IMPLICAÇÕES ÉTICAS E LEGAIS NA SUA ELABORAÇÃO E PREENCHIMENTO PEREIRA, LILUEIDE CRUZ; AMORIM, HAYLLA PRISCILLA DE LIMA; ALVES, SUANE DE MIRANDA; PADILHA, FERNANDA SILVA; REIS, JÉSSICA DE JESUS, MUSSE, JAMILLY DE OLIVEIRA. O cirurgião - dentista exerce um importante papel na sociedade, existindo normas éticas e legais que devem nortear os profissionais na elaboração e preenchimento da documentação odontológica. O presente estudo teve como objetivo ressaltar a importância legal e ética do preenchimento e arquivamento adequado dos prontuários odontológicos. Isto porque, essa documentação é de grande valia nos processos de responsabilidade profissional, além de ser utilizada para testes de paternidade, estimativa de idade e identificação humana, devido à alta resistência das unidades dentárias a fatores externos, como o calor, umidade, agentes biológicos, entre outros. Este estudo consiste em uma revisão de literatura, de artigos indexados na base de dados do Scielo e Lilacs. A pesquisa retificou a contribuição à justiça da elaboração adequada da documentação odontológica pelo cirurgião dentista, uma vez que, a mesma disponibiliza a perícia um elemento fundamental para avaliação do dano em processos cíveis e a comparação entre os registros odontológicos da vítima ante e pós-mortem em investigações criminais. DESCRIÇÃO DIFERENCIAL DA DENTIÇÃO DE ANIMAIS DE CARNE VERMELHA CONSUMIDOS NA DIETA BRASILEIRA E SUA APLICAÇÃO EM PERÍCIA JAMILLE K. DE OLIVEIRA NASCIMENTO, JONATAS PINHEIRO DE ALMEIDA, KAREN NOVAES FERREIRA, LUANDSON NUNES DOS S. BARBOSA, DENISE CERQUEIRA OLIVEIRA, JEIDSON ANTÔNIO MORAIS MARQUES. A Odontologia Veterinária pode ser fundamental na realização de perícias em achados incomuns de dentes, havendo relatos da presença de dentes em alimentos cárneos processados e industrializados, em que houve dificuldades na identificação da procedência de tais unidades dentais. Frente a isso, mostrase a necessidade de um estudo diferencial que vise reconhecer a anatomia dental dos animais comuns ao consumo no Brasil, a saber, caprinos, ovinos, bovinos e suínos. O presente estudo, em caráter inédito, pretende reunir e salientar as peculiaridades da dentição destas espécies, tendo como parâmetro a dentição humana, através de uma revisão literária que contou com artigos científicos de base nacional e internacional. Para a determinação dos aspectos anatômicos, deve-se considerar primeiramente a morfofuncionalidade do aparelho mastigatório, bem como a dieta relacionada a cada espécie, considerando que os caprinos e ovinos tem padrões anatômicos semelhantes enquanto suínos e bovinos possuem características próprias. A coleta de dados possibilitou a listagem de variações significativas na conformação da dentição, tipo de dentição e grupos dentários, dimensões de cada dente, além da idade de erupção e desgaste e a estimação da idade de abate dos animais. Depreende-se que a compreensão da anatomia isolada de cada dente dos animais supracitados, tem importância na indicação da sua natureza, quando em situações dificuldade de sua identificação. ESTUDO DIFERENCIAL DO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO HUMANO E DE ANIMAIS DOMÉSTICOS APLICÁVEIS EM PERÍCIAS DE MARCAS DE MORDIDA JONATAS PINHEIRO DE ALMEIDA, JAMILLE K. DE OLIVEIRA NASCIMENTO, KAREN NOVAES FERREIRA, LUANDSON NUNES DOS S. BARBOSA, DENISE CERQUEIRA OLIVEIRA, JEIDSON ANTÔNIO MORAIS MARQUES. A Odontologia tem contribuído de forma cada vez mais efetiva nas investigações periciais. Dentre as diversas áreas possíveis, a análise de marcas de mordida se mostra importante para a identificação humana, devido a particularidades da arcada dentária. Um dos primeiros passos numa investigação de marca de mordida na pele é a distinção entre mordida humana e animal. Como os cães e os gatos são animais domésticos amplamente aceitos pela sociedade ocidental, a maioria dos casos de mordidas na literatura envolvendo animais é referente a essas espécies. O presente estudo, através de uma revisão de literatura, fornece informações que permitem diferenciar as impressões dentárias entre uma mordida humana, felina (gatos) e canina, enfatizando a conformação craniofacial, disposição e anatomia dos dentes. Este trabalho foi construído a partir de referências bibliográficas e artigos científicos, num período compreendido entre 1994 e Conclui-se que o estudo do sistema estomatognático do humano, assim como cão e gato, é útil e indispensável na distinção entre as marcas de mordidas, apresentando características marcantes que permitem sua diferenciação. NEGLIGÊNCIA E MAUS TRATOS NO IDOSO E OS SERVIÇOS DE SAÚDE: IMPLICAÇÕES DAS PRÁTICAS FORENSES NA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO MARIANA DE SOUSA OLIVEIRA, ANDERSON REIS DE SOUSA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução: A Rede Internacional para Prevenção dos Maus Tratos contra a Pessoa Idosa define a violência que acomete esse grupo etário como o ato seja ele único o repetido ou omissão que lhe cause dano físico ou aflição, e que se produz em qualquer relação na qual exista expectativa de confiança. Destacando-se como ato de violência social a intrafamiliar, doméstica e institucional. Objetivo: Identificar na literatura as implicações forenses na atuação do enfermeiro frente à negligência e maus tratos no idoso. Metodologia:Trata-se de uma pesquisa do tipo revisão de literatura, realizada nas bases de dados científicos virtuais Scielo, Lilacs e Medline. A coleta de dados ocorreu entre outubro e novembro do ano de 2012, por meio de palavras-chave relacionadas ao tema e atendimento aos objetivos propostos sendo estes os critérios de inclusão. Foram encontrados 12 artigos e a amostra compôs-se de 05 que atenderam aos critérios de inclusão. A análise de dados se deu por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: Por meio dos levantamentos realizados notou-se que a violência contra os idosos pode se manifestar sob forma de abuso físico, psicológico, sexual, financeiro, abandono e negligência. Dentre os fatores que tem gerado os maus-tratos contra a pessoa idosa foi possível destacar as mudanças no perfil das famílias brasileiras. Nesse pensar a Estratégia de Saúde da Família possibilita a identificação da violência contra o idoso e o seu enfrentamento, por oportunizar a equipe uma maior aproximação e criação de vínculos entre a comunidade e o serviço de saúde, uma vez que o profissional de Enfermagem atua no domicílio do usuário promovendo o combate à violência intrafamiliar. As práticas forenses podem ser um importante instrumento na identificação destes casos bem como na busca por vestígios que denote violência, negligência e maus tratos. Isso denota a necessidade de que os profissionais de saúde estejam atentos para esta problemática frequente e atual em nossos dias. Conclusão: Com base no exposto, aqui fica uma reflexão acerca da importância de um trabalho preventivo e investigativo para que profissionais de saúde, tanto os envolvidos na atenção primária como na terciária se sensibilizem e percebam esta problemática como de emergencial atenção. PERÍCIA EM ENFERMAGEM: CONTRIBUIÇÕES DAS PRÁTICAS FORENSES ADRIELLY ROCHA BARBOSA GONÇALVES, ANDERSON REIS DE SOUSA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução:O cuidado que advêm da Enfermagem, a habilidade, a destreza e o conhecimento que vem do perito, fazem com que essa prática se torne ainda mais complexa. Compete ao enfermeiro atuar no campo pericial de forma genérica ou específica nas práticas cíveis e criminais. Objetivo: Identificar na 10

11 literatura as contribuições das práticas forenses no campo de ação da perícia em Enfermagem. Metodologia:Trata-se de uma pesquisa do tipo revisão de literatura, realizada nas bases de dados científicos virtuais Scielo, Lilacs e Medline. A coleta de dados ocorreu entre outubro e novembro do ano de 2012, por meio de palavras-chave relacionadas ao tema e atendimento aos objetivos propostos sendo estes os critérios de inclusão. Foram encontrados 10 artigos e a amostra compôs-se de 04 que atenderam aos critérios de inclusão. A análise de dados se deu por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados:De acordo com os estudos realizados evidenciou-se que a enfermagem forense é a ciência do cuidado a saúde que se funde com questões judiciais. Compete ao enfermeiro atuar de forma pericial genérica ou específica nas práticas cíveis e criminais. O enfermeiro perito tem como campo de atuação de uma forma institucional os hospitais institutos de pesquisa ou faculdades, realizando perícias genéricas ou específicas em institutos criminalistas, campos éticoprocessuais e de uma forma autônoma como escritórios acessórias ou consultorias. Notou-se que esta área de atuação ainda é nova no campo da enfermagem, sendo construída a passos lentos, mesmo sendo notada a existência de profissionais realizando esta prática. Este profissional poderá participar de operações isoladas e de pequenos delitos ou de operações específicas com demais profissionais da justiça. De acordo com a Lei 7.498/86 que garante o exercício profissional delibera o profissional de Enfermagem a atuar na área pericial, cabendo-lhe privativamente: consultoria, auditoria, emissão de parecer sobre matéria de Enfermagem. Portando o enfermeiro pode prestar concursos públicos na área de perícia criminal desde que seja especificado e que o profissional seja qualificado. Conclusão:As análises mostraram a necessidade da implantação desta temática em seminários, palestras e espaços acadêmicos no campo da Enfermagem devido ao aumento significativo da violência, justificando assim a relevância desta pesquisa. ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NA IDENTIFICAÇÃO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA EM CRIANÇAS: OLHARES DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. MARIANA DE SOUSA OLIVEIRA, ANDERSON REIS DE SOUSA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução: A violência é definida como o uso intencional da força ou poder, real em ameaça, contra si próprio, contra a outra pessoa, ou contra um grupo ou uma comunidade, que resulte ou tenha a possibilidade de resultar em lesão, morte ou dano psicológico.objetivo: Identificar na literatura a atuação do enfermeiro na estratégia de saúde da família frente à violência doméstica em crianças. Metodologia:Trata-se de uma pesquisa do tipo revisão de literatura, realizada nas bases de dados científicos virtuais Scielo, Lilacs e Medline. A coleta de dados ocorreu entre outubro e novembro do ano de 2012, por meio de palavras-chave relacionadas ao tema e atendimento aos objetivos propostos sendo estes os critérios de inclusão. Foram encontrados 17 artigos e a amostra compôs-se de 08 que atenderam aos critérios de inclusão. A análise de dados se deu por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: A Enfermagem vem desempenhando um papel importante na busca pelo envolvimento nos casos de violência doméstica em criança, mas é preciso ainda expandir esta prática e quebrar o silêncio a fim de auxiliarem na minimização dos danos gerados em cada família e interromper a continuidade desse ciclo de violência. Foi possível destacar ainda que a atuação da atenção primária à saúde como organização que permite identificar a violência ainda que com dificuldade e propor ações que possibilitem a resolução desse problema, representando umas das alternativas importante para a mudança do modelo assistencial com foco na família no seu contexto domiciliar. Desta forma é preciso que os profissionais de saúde façam a leitura criteriosa dos sinais deixados pelas lesões e traumas que chegam aos serviços ou levam a hospitalização e óbitos. Para tanto o reconhecimento da violência contra crianças faz para integral do cuidado e assistência de Enfermagem. A ciência forense contribui de maneira valiosa para a minimização destes casos, no entanto há incipiência nos dados e nas produções científicas voltadas para esta área, o que impossibilita a expansão desta prática tornando assim um desafio para os profissionais envolvidos. Conclusão: Esta pesquisa torna-se relevante por se tratar de um tema social, científico de grande importância para a saúde pública no Brasil. ROMPENDO O SILÊNCIO: OBSERVAÇÕES DE ENFERMAGEM FRENTE AOS ABUSOS E VIOLÊNCIA ANDERSON REIS DE SOUSA, KAMILLA DA SILVA ALMEIDA, KARLA LUCILA ANDRADE CINTRA, PABLO CARNEIRO OLIVEIRA COSTA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução: A violência é algo de difícil definição por se constituir de um fenômeno presente na vida cotidiana, obviamente irregular e extremado, cujas as manifestações provocam ou são provocadas por uma forte carga emocional de quem sofre e de quem a presencia. Objetivo: Identificar na literatura as observações de Enfermagem frente aos abusos e violência. Metodologia:Trata-se de uma pesquisa do tipo revisão de literatura, realizada nas bases de dados Scielo, Lilacs e Medline. A coleta de dados ocorreu entre Abril e Maio de 2013., por meio de palavras-chave relacionadas ao tema e atendimento aos objetivos propostos sendo estes os critérios de inclusão. Foram encontrados 20artigos e a amostra compôs-se de 12 que atenderam aos critérios de inclusão. A análise de dados se deu por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: No toscamente as observações de Enfermagem frente aos abusos e violência percebeu-se um grande avanço da aproximação dos enfermeiros a esta problemática, no entanto há muito a ser feito principalmente no que diz respeito ao despreparo dos profissionais frente às questões de violência que interfere diretamente na qualidade da atenção e na assistência oferecida aos usuários. Para que haja impacto efetivo à saúde das vítimas é necessário à decisão e envolvimento destes profissionais nos casos. Através dos artigos notou-se que há muitos entraves que dificultam a ampliação das estratégias que minimizem os efeitos da violência como a incipiência das notificações de violência no Brasil, à escassez de regulamentos que descrevam os procedimentos, ausência de articulação entre os serviços de saúde e os de referência, ausência de mecanismos legais de proteção aos profissionais que notificam o agravo e a falha na identificação a violência nos serviços de saúde, além da quebra do sigilo profissional. Para isso é importante possuir capacitação, conhecimentos e habilidades que possibilitem a elaboração de protocolos para sistematizar a assistência. Conclusão: Neste sentido o cuidado as vítimas de violência demandam da necessidade de ofertar serviços com estrutura compatível com o acesso pleno de maneira adequada, que respeitem o indivíduo e promova o acolhimento. PRONTUÁRIO ODONTOLÓGICO: DEVER PROFISSIONAL VERSUS ENTENDIMENTO LEGAL QUANTO A SUA ELABORAÇÃO NASCIMENTO, ANA PAULA EUFRÁZIO DO; BERNARDO, TARCISIO DE ANDRADE; SILVA, ULISSES ANSELMO DA. RESUMO: O Cirurgião dentista (CD), no exercício de sua profissão deve atender as normas éticas e legais que norteiam as práticas odontológicas 8. Dentre as responsabilidades a ele conferidas, destaca-se o prontuário odontológico ao permiti-lo registrar informações concernentes à saúde bucal e geral de cada paciente, desde o momento inicial do atendimento até a proservação, além de constituir-se documento fundamental para eventuais demandas judiciais e nos casos de identificação humana 2,3. Assim este trabalho objetiva analisar o entendimento legal da confecção, posse e tempo de guarda do prontuário odontológico. Referencial: O Código de Ética Odontológica (CEO) art.5º, inciso VIII, diz que a elaboração, atualização e conservação dos prontuários em arquivo próprio é um dos deveres fundamentais do CD 5. O Conselho Federal de Odontologia (CFO), através da Portaria CFO-SEC 26/2002, sugere um modelo de prontuário odontológico, composto por Documentos Fundamentais e Suplementares, considerando os aspectos clínico, administrativo e legal 1,8. O prontuário devidamente preenchido, reveste-se de grande importância ao instituir prova documental nos aspectos éticos e legais praticados pelo CD, ajudar nos processos de identificação humana, teste de paternidade e estimativa de idade, e ainda obter dados fidedignos para estudos científicos e epidemiológicos 1,3,7,6.O CFO e o Código de Defesa do Consumidor (CDC) asseguram que o prontuário é de posse do paciente, mas é responsabilidade do profissional o seu preenchimento e tempo de guarda 1,4. O CFO afirma que o prontuário deve ser arquivado, por no mínimo, dez anos após o último atendimento ao paciente. Já o CDC, alega que o prazo decadencial inicia-se no momento em que ficar evidenciado o defeito, prescrevendo em 5 (cinco) anos a pretensão à reparação dos danos causados pelo CD 3,5,6. Conclusão: Este assunto merece especial atenção da classe odontológica frente às questões jurídico-legais, uma vez que o CEO estabelece que é dever do CD a elaboração do prontuário odontológico mas não institui a infração ética quando da ausência do mesmo. Contudo, vale ressaltar que a não produção torna o dentista vulnerável às declarações do paciente e as demandas judiciais, já que sua prova de defesa documental não existiria. PROPOSTA DE PROTOCOLO 2D DIGITAL UTILIZANDO O SOFTWARE GIMP PARA A ANÁLISE DE MARCAS DE MORDIDA. MÔNICA DA COSTA SERRA, SIMONE MIYADA, JÚLIA GRANDE MATHEUS, JEIDSON ANTÔNIO MORAIS MARQUES, CLEMENTE MAIA S. FERNANDES. A análise de marcas de mordido há muito tem contribuído com trabalhos periciais, em especial na seara da Odontologia Legal. O método tradicionalmente empregado para a realização das perícias de marcas de mordida é um método manual até hoje usado e recomendado. Não obstante, há algum tempo, com o desenvolvimento de programas de computador que trabalham com edição de imagens, em duas dimensões, a análise digital das marcas de mordida deixadas em um crime, por exemplo, confrontadas com os dados dos arcos dentários de um indivíduo suspeito, tornou-se uma realidade. Neste trabalho, apresentamos uma proposta de protocolo 2D digital utilizando o software GIMP para a análise de marcas de mordida. O software GIMP é um programa gratuito de edição de imagens, que trabalha com imagens bidimensionais (2D). Suas ferramentas, seu manuseio simples e facilidade de acesso ao mesmo podem facilitar o seu emprego na análise digital e bidimensional de marcas de mordida. ADAPTAÇÃO DE SOFTWARES PARA EMPREGO EM ANTROPOLOGIA FORENSE DIGITAL CLEMENTE MAIA S. FERNANDES, SIMONE MIYADA, JÚLIA GRANDE MATHEUS, MÔNICA DA COSTA SERRA. A Antropologia Forense há muito desenvolve importantes trabalhos, na área das Ciências Forenses, que contribuem com a Justiça e com a sociedade, na busca de informações e mesmo de soluções de casos periciais. Mensurações antropométricas eram tradicionalmente realizadas de forma manual, diretamente sobre o material ou sua réplica em análise. O advento das Novas Tecnologias da Informação e da Imaginologia possibilitou a realização de tais mensurações de modo digital, com o emprego de imagens computadorizadas (como, por exemplo, imagens obtidas a partir de Tomografias Computadorizadas) e de programas de computador que possuem ferramentas para fazer, de modo preciso, mensurações antropológicas. Neste trabalho, apresentamos uma proposta de adaptação de softwares para emprego em Antropologia Forense digital. O emprego de Novas Tecnologias na seara das Ciências Forenses, e em especial na Antropologia Forense, Odontologia Legal e Medicina Legal, tem proporcionado a realização de trabalhos com mais rapidez e objetividade, além de proporcionar o armazenamento de dados e informações (que podem ser úteis e mesmo necessários em situações futuras) e o envio dos mesmos pela web. Atualmente, existem muitos softwares que possibilitam a realização de mensurações em imagens reais, obtidas em exames por imagem, e que foram desenvolvidos originalmente para outras finalidades. Tais softwares podem ser adaptados para serem utilizados em Antropologia Forense. 11

12 ENFERMAGEM FORENSE: UMA NOVA VERTENTE DO CUIDAR KATHIUCIA K.S.R.B. MENEZES, JOSÉ WANDERLITO BRAGA NASCIMENTO ANDERSON REIS DE SOUSA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. INTRODUÇÃO: As Ciências da Saúde Forense são uma nova vertente da prática da Enfermagem. Trata-se da aplicação dos aspectos forenses aos cuidados de saúde, que tem se expandido devido ao crescente aumento das estatísticas da criminalidade, e das formas múltiplas de violência. OBJETIVO:Conhecer os aspectos históricos da enfermagem forense e descrever as práticas da enfermagem legal. METODOLOGIA:Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo revisão de literatura, de caráter exploratório. Os descritores utilizados para compor a amostra foram: ciências forense, enfermagem legal, enfermagem forense. Como critério de inclusão utilizou-se os artigos escritos em português e publicações dos últimos dez anos nas bases de dados do PubMed, Med-line, Lilacs, e SciELO. RESULTADOS: A enfermagem forense teve origem, em Alberta, Canadá, em torno dos anos de 1975, quando enfermeiras serviam de investigadoras dos médicos no campo da investigação de mortes, e tornou-se mais difundida na década de 80, na Europa e América do Norte. Na atualidade a Enfermagem Forense tem se tornado recurso essencial para esforços de resolutividade no âmbito da medicina forense, bem como para o sistema judicial a nível mundial. A enfermagem legal surge para acrescentar ao conceito holístico, um novo elemento, o direito judicial. O profissional forense tem papel fundamental no atendimento quer seja eventos In vivo, ou Post-mortem. O seu saber vai além da aplicação de conhecimento nos cuidados gerais prestados ao paciente, e é notório a necessidade de conhecimento sobre o sistema legal e suas competências. O enfermeiro como parte integrante da equipe multidisciplinar de saúde são, muitas vezes é o primeiro profissional com quem as vítimas se deparam, e dessa forma se torna imprescindível que além dos princípios dos cuidados de saúde, sejam preservados os direitos legais das vítimas, tal qual conferem o princípio da dignidade humana. CONCLUSÃO: A Enfermagem Forense é descrita como uma nova vertente do cuidar em saúde, aplicando o processo de enfermagem aos processos judiciais, de forma a garantir a integralidade da investigação dos casos. Apesar da aplicabilidade e importância, vem sendo pouco discutida no contexto da realidade brasileira, sendo necessária maior divulgação das práticas, bem como a profissionalização da especialidade no Brasil. PROPOSTA DE DISPOSITIVO PARA A OBTENÇÃO DO REGISTRO DAS LINHAS LABIAIS EM QUEILOSCOPIA. CLEMENTE MAIA S. FERNANDES, TAYNÁ GOMES BOTÁN, JÚLIA GRANDE MATHEUS, SIMONE MIYADA, MÔNICA DA COSTA SERRA A análise das linhas labiais, com vistas à identificação humana, em muito pode contribuir com trabalhos periciais. A Queiloscopia estuda as linhas e impressões labiais, muitas vezes encontradas em locais de crime, em diferentes objetos e suportes. Como método de identificação, exige a comparação de dois registros o registro das linhas labiais do sujeito em questão e o registro das impressões encontradas. Este trabalho apresenta a proposta de dispositivo para a obtenção do registro das linhas labiais em Queiloscopia, idealizado e desenvolvido por Fernandes CMS e Serra MC (respectivamente, primeiro e último autores), para facilitar e padronizar a aquisição de tais dados. PROPOSTA DE DISPOSITIVO PARA O REGISTRO DE MARCAS DE ORELHA PARA FINS FORENSES CLEMENTE MAIA S. FERNANDES, TAYNÁ GOMES BOTÁN, JÚLIA GRANDE MATHEUS, SIMONE MIYADA, MÔNICA DA COSTA SERRA A análise das marcas auriculares, com vistas à identificação humana, em muito pode contribuir com trabalhos periciais. Como todo método de identificação necessita que seja realizada a comparação de dois registros (neste caso, o registro da anatomia da orelha do sujeito que se busca identificar e o registro das impressões auriculares encontradas), é necessário, para a realização da análise auricular, que se obtenha o registro da orelha do sujeito em questão. Este trabalho apresenta a proposta de dispositivo para o registro de marcas de orelha para fins forenses, idealizado e desenvolvido por Fernandes CMS e Serra MC (respectivamente, primeiro e último autores), para facilitar e padronizar a aquisição de tais dados. O PAPEL DA RADIOLOGIA NA ODONTOLOGIA LEGAL REVISÃO DE LITERATURA ERASMO DE ALMEIDA JR, LUÍS CARLOS CAVALCANTE GALVÃO, ARTHUR IGOR CRUZ LIMA, MARIANA ANDRADE DA COSTA, LILIANE ASSIS BARBOSA, RAÍSSA BRAGA BORGES. Vários métodos são utilizados na identificação de restos humanos, sendo que a maioria é baseada na comparação entre dados ante-mortem e post-mortem disponíveis. A técnica da impressão digital, por ser precisa é uma das mais utilizadas. Porém, em casos que os corpos foram mutilados, decompostos, queimados ou fragmentados essa técnica não é bem empregada. Nessas situações, os mecanismos usados pelo odonto legista tornam-se extremamente valiosos, uma vez que os dentes e as restaurações são muito resistentes à destruição pelo fogo preservando numerosas características individuais. O objetivo deste trabalho é descrever os principais avanços alcançados pela Odontologia Legal, quanto ao emprego de radiografias ante- e post-mortem no processo de identificação. Dentre os temas abordados estão: suportes especialmente confeccionados para facilitar o posicionamento e a fixação de filmes radiológicos intra-orais em falecidos com rigor mortis; dispositivos para facilitar a reprodução da geometria de imagens com as de ante-mortem; métodos envolvendo radiografias digitalizadas, as quais podem ser facilmente manipuladas por métodos computacionais, armazenadas e transmitidas por modem aos locais de desastre em massa; procedimentos para determinação de idade, identificação de indivíduos desdentados por meio da comparação de radiografias oclusais do maxilar e estudos de validação de radiografias tiradas com intervalos ante- e post-mortem de até 30 anos. LESÕES OROFACIAIS EM MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA ATENDIDAS NO INSTITUTO MÉDICO-LEGAL DO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ- BAHIA, NO PERÍODO DE 2007 A 2011 SOLANE DOMINGUES LEAL,JULIANA ANDRADE MACENA, SAULO CORREIA PEIXOTO, JOÃO SÉRGIO LANTYER SILVA, JOÃO PEDRO PEDROSA CRUZ A violência constitui um dos principais agravos à saúde das mulheres. Repercute de maneira consideravelmente negativa devido à morbidade causada à vítima e asgraves conseqüências para as famílias e para a sociedade. Um dos sítios mais atingidos nestes casos é a região de cabeça e pescoço. Apesar deste conhecimento,publica-se pouco sobre as características dos ferimentos faciais das vítimas. Neste sentido,a pesquisa teve como objetivoverificar o perfil sócio-demográfico das mulheres adultas vítimas de violência,atendidas no Instituto Médico-Legal do município de Jequié-BA, entre os anos de 2007 e 2011, bem como caracterizar as lesões em região de cabeça e pescoço das mesmas.para tal,foi analisado o banco de dados da Coordenadoria Regional de Polícia Técnica de Jequié, Bahia, através de estatística descritiva. O levantamento das frequências das respostas foi realizado através de uma planilha do Microsoft Excel 2007.Foram analisados 2268 laudos de lesões corporais envolvendo mulheres vítimas de violência interpessoal. Elas apresentaramuma média de idade de 31 anos. A maioria com baixa escolaridade, com residência na zona urbana. A maior frequência das agressões ocorreu em via pública, e foram efetivadas pelos companheiros. Confirmou-se, no contexto de todas as lesões, a região de cabeça e pescoço como a mais ofendida.sendo que, os locais mais atingidos foram a face, a região craniana e a boca.os instrumentos mais utilizados foram os contundentes e as escoriações foram as lesões mais comuns, seguidas das equimoses e dos hematomas.com base no elevado número de casos, associado a lesões em regiões do corpo de grande exposição, sugere-se atenção especial por parte dos profissionais de saúde, com vistas à proteção dessa população e redução das gravidades. TRAUMAS NA REGIÃO DE CABEÇA E PESCOÇO PROVOCADOS POR ACIDENTES DE TRANSPORTES TERRESTRES NO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ-BA RAPHAELA RODRIGUES DANTAS, RAMON VIEIRA NETTO, SAULO CORREIA PEIXOTO, JOÃO SÉRGIO LANTYER SILVA, JOÃO PEDRO PEDROSA CRUZ O objetivo do trabalho foi caracterizar as lesões em região de cabeça e pescoço em vítimas de acidentes com veículos automotores atendidas no Instituto Médico-legal (IML) de Jequié, Bahia, entre os anos de 2007 e 2011, bem como verificar o perfil sócio-demográfico das mesmas. Para isso, foi analisado o banco de dados de vítimas de acidentes por transportes terrestres da Coordenadoria Regional de Polícia Técnica de Jequié, Bahia. Foi encontrado um total de 1176 vítimas atendidas para exame de lesões corporais ou necropsiadas. Destas, 414 apresentaram lesões na região de cabeça e pescoço. Os resultados foram analisados através de estatística descritiva, por meio de uma planilha do Microsoft Excel A análise dos dados referentes a vítimas com traumas na região de cabeça e pescoço revelou uma predominância do gênero masculino, em relação ao feminino com média de idade de 35,3 e 36,4 anos respectivamente. Isoladamente, a região de cabeça e pescoço foi a terceira mais comum entre as vítimas não fatais. As vítimas mais comuns foram os ocupantes de motocicleta, seguidas por vítimas de atropelamento (ciclistas e pedestres) e ocupantes de automóveis. Porém, representou, entre as vítimas fatais, a lesão mais comum. Ao se classificar as lesões, observou-se uma predominância de traumas contusos. Dentre esses, os mais graves, como fraturas e Traumatismo Crânio Encefálico (TCE), foram predominantes em ocupantes de motocicletas e vítimas de atropelamentos. Para as vítimas de acidentes, o estudo revelou, uma taxa de mortalidade de 26,9/ habitantes. A maior parte dos acidentes com vítimas não fatais ocorreu em vias urbanas asfaltadas. Enquanto que, entre vítimas fatais, a maioria dos acidentes ocorreu em vias rurais asfaltadas. Diante dos resultados encontrados, torna-se evidente a necessidade do desenvolvimento de políticas públicas que realizem medidas preventivas, melhorem o atendimento de urgência e reforcem os processos de reabilitação, facilitando a reinserção das vítimas de acidentes às classes produtivas e a sua capacidade de desenvolvimento das ações habituais, além de investimentos na infraestrutura das vias por onde trafegam os veículos do município. O EXAME COMPLEMENTAR EM PERÍCIAS DE LESÕES DENTÁRIAS: CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CASUÍSTICA LAÍS MONIQUE SOUZA LEAL, JÉSSICA LIMA MENDES, KETLLY CRUZ DA CUNHA PELEGRINI, SAULO CORREA PEIXOTO, JOÃO PEDRO PEDROSA CRUZ. O artigo 129 do Código Penal define o crime de lesões corporais como aquele em que há a ofensa a integridade física ou saúde de outrem. Desta forma, os traumas provocados por uma pessoa e que acometem as unidades dentárias podem ser incluídos entre estas lesões. Sempre que o exame pericial inicial não permitir um prognóstico mais realista sobre as sequelas de caráter permanente resultante destas agressões, deve-se realizar um exame complementar. Neste sentido, o objetivo do estudo foi apresentar critérios de avaliação nas situações que exigem a complementação do exame de lesões dentárias no processo penal, bem como discutir dois casos de perícias nestas condições. Para definição dos critérios foram considerados: os tipos de lesões dentárias (concussão, luxação lateral, intrusão, extrusão, fratura e avulsão); as unidades envolvidas; as funções relacionadas; o comprometimento estético; e, por fim, os prazos de realização dos exames complementares. A título de 12

13 exemplificação, foram selecionados dois casos para discussão da necessidade da realização deste exame. Inicialmente é apresentado um caso em que uma mulher de 27 anos de idade foi agredida com um soco, resultando em leve extrusão e luxação lateral vestibular da unidade 21 (incisivo central superior esquerdo), além de mobilidade moderada (sentidos mésio-distal e vestíbulolingual). Em seguida é exposto um caso de um menor, vítima de agressão, que apresentou, ao primeiro exame, luxação lateral da unidade 22 (incisivo lateral superior esquerdo), com deslocamento palatino e mobilidade discreta (sentido vestíbulo-lingual). O trabalho evidencia a importância da realização, de forma criteriosa, do exame complementar em situações envolvendo a perícia de lesões dentárias no processo penal, com vistas a oferecer informações precisas a respeito das reais sequelas funcionais e anatômicas advindas destas lesões. ALTERAÇÕES DIMENSIONAIS EM MARCAS DE MORDIDAS SIMULADAS EM ALIMENTOS KETLLY CRUZ DA CUNHA PELEGRINI, JÉSSICA LIMA MENDES, KALITA NUNES DE OLIVEIRA, DIANA ANDRADE OLIVEIRA, JOÃO PEDRO PEDROSA CRUZ. As marcas de mordidas humanas são aquelas produzidas em um suporte qualquer a partir da ação dinâmica do complexo maxilomandibular de uma pessoa. Entre as forças que atuam durante o processo, está a ação das unidades dentárias. Estas podem deixar evidências particulares passíveis de utilização na identificação do autor da mordida. Diversos são os relatos de casos periciais resolvidos a partir da análise de mordidas humanas em alimentos encontrados em locais de crimes. Apesar disso, raros são os estudos que trataram especificamente do tempo de manutenção das marcas. Neste sentido, a pesquisa teve como objetivo avaliar as alterações dimensionais em alimentos mordidos de forma simulada, de acordo com o tempo. Para isso, foram selecionados dois tipos de alimentos, relatados na literatura como suportes de mordidas encontradas em locais de crime: o queijo e o chocolate. Foram realizadas 10 mordidas simuladas, com modelos de arcos dentários artificiais articulados, em cada alimento. Em seguida, os alimentos foram fotografados de forma padronizada, com a utilização de escalas. Além disso, foi realizada a tomada da temperatura do ambiente do momento, bem como os registros mínimo e máximo durante o período entre coletas. As imagens foram realizadas a cada 2 horas, nas primeiras doze horas, e a cada 12 horas nas 60 horas subsequentes, resultando em um tempo total de 72 horas entre a primeira e última coleta. Então, foram levantadas medidas horizontais das marcas presentes nos alimentos a partir de um software. Os dados foram analisados estatisticamente para comparação das diferenças dos valores e percepção das distorções em relação ao tempo. Ao se considerar o tempo total pesquisado, foi possível observar a manutenção das medidas encontradas no chocolate. Por outro lado, os resultados evidenciaram alterações dimensionais importantes para o queijo. Conclui-se que, diante de casos periciais em alimentos mordidos, é preciso considerar o tempo da mordida, bem como os tipos de alimentos. Uma vez que, estes podem apresentar alterações dimensionais capazes de prejudicar o processo de identificação a partir da análise das marcas presentes. NÃO ME HUMILHE! CAMINHOS PARA O ENFRENTAMENTO DO ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO DO ENFERMEIRO MARIANA DE SOUSA OLIVEIRA, ANDERSON REIS DE SOUSA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução: Com o capitalismo, a produtividade e os lucros tornaram-se prioritários e para alcançá-los não se mede esforços. Desta forma, a violência no ambiente institucional ocorre das mais variadas formas, desde acidentes físicos aos sofrimentos psíquicos. O assédio moral no trabalho está ligado à conduta abusiva a uma pessoa seja por comportamentos, palavras, atos, gestos ou escritas que possa acarretar um dano à sua personalidade. Objetivo: Identificar na literatura os caminhos da Enfermagem para o enfrentamento do assédio moral no trabalho. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa do tipo revisão de literatura, realizada nas bases de dados científicos virtuais Scielo, Lilacs e Medline. A coleta de dados ocorreu entre outubro e novembro do ano de 2012, por meio de palavras-chave relacionadas ao tema e em atendimento aos objetivos propostos sendo estes os critérios de inclusão. Foram encontrados 14 artigos e a amostra compôs-se de 05 que atenderam aos critérios de inclusão. A análise de dados se deu por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: O assédio moral consiste em um fenômeno relevante, no entanto pouco discutido no contexto da saúde, especialmente na Enfermagem. Existe uma incipiência nos dados no tocante ao assédio moral no processo de trabalho do enfermeiro. Sendo assim, é um tema que merece destaque, já que pode desestruturar a vida de uma pessoa, não apenas no que se refere ao trabalho, mas também à sua autoestima. Evidenciou-se que as principais formas de assédio moral identificadas na Enfermagem são: humilhações em público e a portas fechadas, com ameaças; depreciação da imagem profissional; boatos e rumores maldosos; cobranças absurdas por parte das chefias e delegação de tarefas que não podem ser realizadas. No tocante as relações na prática em saúde, tal fato deve-se a uma questão sóciocultural defasada, onde prevalece ainda a ideia de que o médico é o chefe da equipe e o enfermeiro deverá ser submisso. A ciência forense acrescenta grandes contribuições no tocante a identificação dos traços de violência sofridos pelo indivíduo, ainda que seja verbal, promovendo a investigação precoce de possíveis agravamentos que levem a agressões e até a morte. Conclusão: Desta forma, cabe a Enfermagem construir estratégicas de enfrentamento desta problemática atual e põe em risco a saúde dos profissionais. USO DA RADIOLOGIA FORENSE EM SITUAÇÕES DE VIOLÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO JOSÉ WANDERLITO BRAGA NASCIMENTO, KATHIUCIA K.S.R.B. MENEZES, ANDERSON REIS DE SOUSA, MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução: A Radiologia Forense é a prática radiológica que tem por objetivo reunir imagens periciais, que contribua para constatar a prática de um delito, e possibilita a identificação de cadáveres através de radiografias comparativas. Objetivo: Identificar na literatura quais as contribuições da imagiologia forense e para atuação do enfermeiro em situações de violência. Metodologia: Tratase de uma pesquisa do tipo revisão de literatura, realizada nas bases de dados Scielo, Lilacs e Medline. A coleta de dados ocorreu entre Abril e Maio de 2013., por meio de palavras-chave relacionadas ao tema e atendimento aos objetivos propostos sendo estes os critérios de inclusão. Foram encontrados 14 artigos e a amostra compôs-se de 10 que atenderam aos critérios de inclusão. Resultados: A utilização da imagiologia tem sido um recurso tecnológico importante a ser utilizado na ciência forense, tanto na identificação das causas de mortes, como no diagnóstico sugestivo de situações de violência. Conforme o levantamento realizado as pesquisas enfatizam que para a execução das tarefas dentro da medicina legal, exigem-se conhecimentos técnicos específicos aplicados de forma permanente, e um elevado grau de imparcialidade, de maneira que não coloque em risco a correta aplicação da justiça. Podendo assim, aplicar uma sentença de inocência ou culpa baseada nos resquícios colhidos, através de exames minuciosos. No entanto essa prática pode ser utilizada por profissionais de Enfermagem que atuam nos serviços de emergência como uma ferramenta importante no momento de traçar as condutas, bem como encaminhamentos destas vítimas, também para os enfermeiros que atuaram como peritos. A radiologia pode trabalhar com o corpo humano, em vários estágios, tais como: putrefação, carbonização, maceração, adipoceração e esqueletização, com o objetivo de obter a identificação da vítima. Além de ser utilizada identificação do sexo pelo crânio, pela pelve, arcada dentária, articulação do punho entre outros. Conclusão: Esta pesquisa é de grande relevância por abordar um tema pouco discutido, porém de grande necessidade para a formação do profissional de enfermagem, uma vez que este profissional atua prestando o primeiro socorro à vítima. A CONTRIBUIÇÃO DA ODONTOLOGIA PARA A IDENTIFICAÇÃO HUMANA: RELATO DE CASO LORRAYNE BELOTTI, VITOR JOSÉ DA FONSECA, KARINA TONINI DOS SANTOS PACHECO, ROBERTO SARCINELLI BARBOSA, KATIA SOUZA CARVALHO, ROMILDO RABBI. Os elementos dentais são os órgãos mais duráveis do corpo humano, capazes de resistir e permanecer intactos por muito tempo após decomposição e/ou incineração dos tecidos moles, denotando características valiosas na individualização. A partir desses aspectos, a Odontologia Legal desempenha um papel fundamental no processo de identificação humana em casos cuja identidade é desconhecida. O objetivo do presente trabalho é ressaltar, através de um relato de caso, a importância da perícia odontológica para identificação humana. Descrição do caso: Dois indivíduos foram encontrados no interior de carro incendiado, ambos funcionários de uma empresa privada da Grande Vitória. A identificação das vítimas por meio das impressões digitais não foi possível devido à destruição dos tecidos moles de ambas as mãos. Durante as investigações, a família de um dos ocupantes do veículo apresentou farta documentação odontológica do seu familiar. A identificação, então, foi feita com auxilio do CD, o qual realizou medições da arcada superior e através da analise comparativa das cúspides dos dois dentes que restaram, confirmou a identidade da vítima que dirigia o veículo. Conclusão: A análise do caso aponta os registros odontológicos como importante meio para se chegar a uma identificação positiva. Esses dados servem como contribuição/subsídio ou mesmo referência principal/única para a solução de questões legais, como casos diversos de identificação humana. A técnica de identificação odontolegal ainda apresenta vantagens em relação ao exame de DNA, tais como baixo custo, facilidade,e rapidez e confiabilidade dos resultados obtidos. A IMPORTÂNCIA E NECESSIDADE DE ODONTOLEGISTAS EM UM INSTITUTO MEDICO LEGAL LORRAYNE BELOTTI, VITOR JOSÉ DA FOSENCA, KARINA TONINI DOS SANTOS PACHEC, ROBERTO SARCINELLI BARBOSA, KATIA SOUZA CARVALHO, ROMILDO RABBI. A atuação do cirurgião-dentista no âmbito forense é assegurada pela legislação federal competente, a Lei nº 5.081, de 24 de agosto de 1966, que regulamenta o exercício da Odontologia no Brasil. Diante do exposto, surge a seguinte questão: como pode existir um Instituto Médico-Legal (IML) sem a presença de um cirurgião-dentista? O objetivo deste trabalho é demonstrar a importância e necessidade da presença de odontolegistas em IML s, especialmente no Estado do Espírito Santo (ES). O campo de atuação do odontolegista não se restringe apenas ao exame dos vestígios dentários, estendendo-se a várias áreas, como antropologia, genética, bioquímica, balística forense, tanatologia e traumatologia forense, radiologia, computação e mixagem de imagens. O papel mais comum do Odontolegista, também conhecido como Dentista Forense, é a identificação de cadáveres, através de exames comparativos dos dados obtidos pela necropsia, com os registros dentais ante mortem, quando possível. Com o avanço da tecnologia do DNA, o odontolegista emprega evidências dentais para, inclusive, ajudar a solucionar crimes violentos. A presença do referido profissional nos IMLs do ES, justifica-se, entre outros motivos, por ser o segundo estado mais violento do Brasil em proporção ao número de habitantes. Pela ausência do odontolegista, inúmeros corpos permanecem sem identificação. Conclui-se que o odontolegista é um profissional que possui um papel fundamental dentro de um IML, daí a necessidade de fomentar a criação do cargo de odontolegista noes e nos demais IML s que ainda não contam com a presença desse profissional. 13

14 ESTIMACION DE LA EDAD EN BASE A LOS ESTADÍOS DE MINERALIZACION DE LOS TERCEROS MOLARES CON FINALIDAD ODONTOLEGAL MARÍA DE LA PAZ FERNÁNDEZ, TAMARA FRONTANILLA, LAURA GONZÁLEZ, REBECA GONZÁLEZ, CAROLINA MORENO. La identificación de la edad, con fines investigativos, puede ser realizada por el cirujano dentista. La odontología tiene mucho que ofrecer en este campo de estudio, presentando métodos que proponen estimar la edad de las personas, con resultados relativamente precisos, ya que los elementos dentarios son menos susceptibles a alteraciones nutricionales, hormonales y patológicas que presentan las piezas dentarias. En accidentes, el estudio de Nicodemo es de gran ayuda en caso de que no existiera un registro ante mortem de la persona en cuestión. Además, la demanda de estimaciones de edad en jóvenes indocumentados o extranjeros está en continuo crecimiento e implica la necesidad de proteger los derechos de los menores reconocidos en los diferentes tratados y acuerdos internacionales cuando un menor es sometido a la acción de la justicia En gran parte de los casos el interés se centra en determinar la mayoría o minoría de edad de la persona en cuestión. En estas situaciones, la estimación de la edad debe ser lo más fiable y segura posible recomendándose el uso de métodos morfológicos basados en el examen radiológico del desarrollo esquelético o dental.en los últimos años ha tenido lugar una proliferación de estudios centrados en la maduración del tercer molar como método de estimación de la edad. Este trabajo propone para evaluar el método de estimación de la edad de pacientes basados en el estudio de las etapas del desarrollo de elementos dentarios de dentición permanente, que se observa en radiografías panorámicas y clasificados de acuerdo con la tabla de cronología de mineralización dental propuesta por Nicodemo et al. (1974). 14

15 PAINEL PROFISSIONAL 15

16 PAINEL PROFISSIONAL RESUMOS VALIDAÇÃO DE MÉTODO ANTROPOLÓGICO FÍSICO PARA ESTIMATIVA DE SEXO NUMA POPULAÇÃO BRASILEIRA MÁRIO MARQUES FERNANDES, SUZANA PAPILE MACIEL CARVALHO, LIZ MAGALHÃES DE BRITO, LUIZ AIRTON SAAVEDRA DE PAIVA, MICHEL EDGARD CROSATO, ROGÉRIO NOGUEIRA DE OLIVEIRA Introdução: os estudos de validação de métodos de antropologia física nos diferentes grupos populacionais é extremamente importante, especialmente nos casos nos quais a variação da população pode causar problemas na identificação de um indivíduo nativo com a aplicação de padrões desenvolvidos para comunidades distintas. Objetivo: essa pesquisa teve como objetivo validar a metodologia de Oliveira (1995) já utilizada numa amostra populacional do nordeste do Brasil, estimando o sexo de esqueletos através da mandíbula numa população do sudeste. Metodologia: o método utilizou duas mensurações mandibulares: distância bigoníaca e altura do ramo mandibular. A amostra foi composta de 66 crânios e a metodologia foi aplicada por duas pesquisadoras. Para a análise estatística, aplicou-se teste t pareado, análise discriminante logística e regressão logística. Resultados/Discussão: após o estudo do erro, os dados mostraram que a aplicação da metodologia de Oliveira nessa população teve um acerto muito díspare entre os sexos, 100% para mulheres e apenas 11% em homens, fato explicado pelas diferenças étnicas. Porém, com o ajuste estatístico dos dados das medidas para a população analisada, obteve-se 76,47% de acurácia para homens e 78,13% para mulheres, com a criação de nova fórmula discriminante, o que validou a metodologia. Os métodos envolvendo a Antropologia física apresentam um alto índice de acerto para identificação humana, facilidade de aplicação, baixo custo e simplicidade, porém, há necessidade da validação das metodologias nas diversas populações, devido ás diferenças nos padrões étnicos, os quais têm relação direta com os aspectos fenotípicos. Conclusão: o método de Oliveira (1995) apresenta boa acurácia e além do nordeste, também pode ser utilizado para estimativa de sexo em mandíbulas no sudeste do Brasil, porém, deve ser ajustado para outras populações eventualmente analisadas. APLICABILIDADE DA RADIOLOGIA FORENSE EM IDENTIFICAÇÃO HUMANA RELATO DE CASO DE VÍTIMA CARBONIZADA RODRIGO IVO MATOSO, EDUARDO DE NOVAES BENEDICTO, SILAS HENRIQUE RABELO DE LIMA, RAFAEL ARAÚJO, FELIPPE BEVILACQUA PRADO, MARÍLIA DE OLIVEIRA COELHO DUTRA LEAL, EDUARDO DARUGE JÚNIOR. A identificação humana é normalmente obtida pela comparação necropapiloscópica, pela comparação radiográfica, registros odontológicos e pelo perfil de DNA, de dados antemortem e achados postmortem. Algumas vezes os peritos legistas deparam-se com tipos de dispositivos médicos, como os dispositivos de síntese óssea ortopédica. Tais recursos médicos podem ser úteis para alcançar uma identificação humana positiva. O objetivo deste trabalho é ressaltar que a utilização da radiologia forense é de fundamental relevância como meio comparativo, ao ilustrarmos um caso de identificação humana no qual a vítima possuía uma placa de síntese óssea implantada em sua ulna esquerda. Os peritos também coletaram e analisaram outras valiosas pistas relacionadas ao caso. A perícia forense pode fornecer identificação humana positiva confiável, mesmo que poucas informações, porém fielmente precisas, sejam obtidas de registros antemortem e postmortem. O presente relato aborda um conjunto de valiosas técnicas de identificação humana, incluindo a utilidade de números de série rastreáveis de produtos ortopédicos, que é útil para positiva determinação de uma identidade, em casos de carbonização, estado de putrefação ou esqueletização. Como visto neste caso, os peritos utilizaram procedimentos de identificação de baixo custo, mas com resultados precisos, sendo que não foi necessário o método de identificação pelo perfil genético, o que seria, por outro lado, de maior custo e demandaria mais tempo. Considerando aspectos sociais e legais, é extremamente importante que médicos e cirurgiões-dentistas compreendam que fazer registros corretos e precisos das radiografias e das cirurgias que realizam, a exemplo das fixações de dispositivos ortopédicos e implantes dentários, é fundamental e útil em casos de identificação humana. A simples guarda de registros radiográficos, por clínicos, pacientes, unidades privadas ou públicas de saúde pode significar a fronteira técnico-científica entre possibilitar a identificação de um indivíduo e declarar sua indigência. IMPORTÂNCIA FORENSE DE RADIOGRAFIAS DIGITAIS EM IDENTIFICAÇÃO HUMANA RELATO DE CASO DE VÍTIMA CARBONIZADA EM ACIDENTE AÉREO RODRIGO IVO MATOSO, LUÍS EDUARDO LOPES ALBUQUERQUE, GILBERTO PAIVA DE CARVALHO, MARÍLIA DE OLIVEIRA COELHO DUTRA LEAL, FELIPE BEVILACQUA PRADO, EDUARDO DARUGE JÚNIOR, MARCELA CAMPELO PEREIRA. Desde que P-I. Brånemark estudou e desenvolveu o conceito de Ósseointegração, os implantes dentários têm se tornado uma alternativa bastante útil no tratamento de pacientes total ou parcialmente desdentados. Substituir dentes ausentes com implantes, especialmente quando o indivíduo é desdentado total, pode representar a possibilidade mais rápida e talvez a única, de identificação humana, em casos de carbonização severa. Este relato de caso apresenta uma identificação humana positiva de um adulto encontrado completamente carbonizado, pela comparação de radiografias digitais antemortemepostmorterm. O indivíduo não-identificado supostamente era uma vítima que estaria abordo de um avião monomotor que teria caído e explodido em uma propriedade rural. Os restos humanos foram severamente afetados pelo fogo, de modo que era impossível a coleta das impressões dactilopapiloscópicas, entretanto havia implantes dentários inseridos em fragmento mandibular da vítima. Os peritos forenses investigaram as informações prestadas por possíveis familiares da vítima e também compararam os achados radiográficos. Atualmente, há muitas técnicas radiográficas importantes tais como radiografias periapicais e panorâmicas digitais, e também tomografia computadorizada, que são amplamente utilizadas para diagnóstico e tratamento clínico. Todavia, o papel da Radiologia no campo da medicina e da odontologia legal é igualmente fundamental, quando se estuda a causamortis e/ou na realização de procedimentos de identificação humana. Imagens radiográficas digitais fornecem incontáveis informações que podem declarar uma identificação humana positiva, ou mesmo excluir a identificação de um indivíduo, quando radiografias antemortemepostmortem são disponibilizadas para comparação. CARACTERIZAÇÃO DA PERÍCIA ODONTOLEGAL NO INSTITUTO MÉDICO LEGAL DE FEIRA DE SANTANA BAHIA SANTOS, SARA EMANUELLE SUZART; BRASIL, JOANNA DE ÂNGELIS CAVALCANTE; MUSSE, JAMILLY DE OLIVEIRA. A Odontologia Legal relaciona o campo da Odontologia com o Direito, prestando esclarecimentos ou resoluções de pendências judiciais utilizando conhecimentos odontológicos. O perito odontolegista em um Instituto Médico Legal (IML) pode desempenhar perícias necroscópicas, como as perícias de identificação, antropológicas e as perícias em indivíduos vivos, por exemplo, nos casos de lesões corporais em vítimas de agressões, acidentes e em decorrência de erros profissionais.o presente trabalho tem por intenção caracterizar o serviço realizado pelo odontolegista, bem como investigar os tipos de perícias e o perfil sócio-demográfico dos periciandos.a pesquisa foi realizada através de consultas ao livro de registro do setor de Odontologia Legal, no período de 2007 a 2011, sendo utilizada na coleta de dados uma ficha com informações sobre o tipo de perícia, local de ocorrência, autoridade solicitante e perfil das vítimas registradas em Feira de Santana e regiões circunvizinhas. Neste período, foram realizadas 992 perícias odontolegais, dentre estas, 58,7% foram perícias de lesões corporais, 33,2% de tanatologia, 6,1% de coleta de material para exame de DNA, 1,5% exames em ossada e 0,4% de exame descritivo; sendo que 70,4% das solicitações foram feitas por médicos legistas. Quanto ao perfil das vítimas, prevaleceram indivíduos do sexo masculino, com idade entre 18 e 35 anos e diferentes profissões. O crescimento exponencial do número de perícias odontolegais realizadas no IML de Feira de Santana-BA, revela o avanço da área de Odontologia Legal dentro do campo forense. Torna-se notória, a relevância da participação do setor de Odontologia Legal nas perícias, nos processos em foro criminal, de investigação policial e identificação, como importante instrumento no corpo de colaboradores da polícia civil e criminal brasileira. O DNA GENÔMICO E MITOCONDRIAL NA ODONTOLOGIA FORENSE BRASIL, JOANNA DE ÂNGELIS CAVALCANTE;SANTOS, SARA EMANUELLE SUZART; AZEVEDO, FERNANDA OLIVEIRA DE; DOURADO, RAÍSA CAVALCANTE, SILVA, ULISSES ANSELMO DA. Há pouco mais de uma década, a tecnologia do DNA foi utilizada no campo forense pela primeira vez como método de identificação humana. A análise do DNA é uma ferramenta influente para casos de paternidade, investigação criminal e na identificação de restos mortais em desastres. Os avanços tecnológicos relacionados ao estudo da molécula de DNA surtiram em um grande impacto no campo da ciência forense. Isto é possível devido ao fato de que todo indivíduo é caracterizado por um conjunto único de informações genéticas herdados de seus pais biológicos, o que tornou esses avanços um poderoso elemento na identificação humana e investigação criminal.em odontologia legal, as análises do DNA são aplicadas visando à identificação humana a partir da extração de material genético da polpa dentária e a análise da saliva e esfregaços bucais que podem ser encontrados, principalmente, em casos de violência física como abuso sexual, assassinatos, abuso infantil, onde são comuns os casos de mordida na pele. Nesta perspectiva, o presente trabalho objetiva revisar a literatura atual e brasileira, visando prestar maiores esclarecimentos quanto à importância e aplicabilidade do DNA genômico e mitocondrial dentro da Odontologia Forense. Para isto, utilizou-se artigos recentes de pesquisadores brasileiros indexados das bases: Bireme, Lilacs e Google Acadêmico. AVALIAÇÃO DO DIMORFISMO SEXUAL POR MEIO DE MEDIDAS ANTROPOMÉTRICAS EM IMAGENS POR TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE FEIXE CÔNICO. THIAGO DE OLIVEIRA GAMBA, SOLANGE MARIA DE ALMEIDA, FRANCISCO HAITER NETO O objetivo no presente estudo foi avaliar o dimorfismo sexual em mandíbulas de brasileiros realizando medidas antropométricas em imagens por Tomografia Computadorizada de feixe cônico (TCFC). Para isso, foi selecionada uma amostra de 159 imagens de TCFC de indivíduos de uma população brasileira (74 homens e 85 mulheres), com idade variando de 18 a 60 anos. As imagens foram analisadas por 5 avaliadores, que realizaram seis mensurações: comprimento do ramo mandibular em altura (CR), comprimento da base mandibular (CBM), menor comprimento do ramo mandibular em largura (MCR), ângulo goníaco (AG), distância intercondilar (DIC) e distância intergoníaca (DIG). Após quinze dias, as mensurações foram repetidas com 25 % da amostra. Para análise estatística, foi aplicada a Correlação Intraclasse na avaliação intra e interexaminador, Análise de Variância (ANOVA) para comparação entre os valores médios das mensurações presentes e equações binárias de Regressão Logística foram criadas para determinação do gênero. Os resultados mostraram que as variáveis com maiores índices dimórficos foram: DIG, CR, DIC, e AG. As mensurações evidenciaram valores do gênero 16

17 masculino superiores aos do feminino, exceto na variável MCR que não apresentou diferença estatisticamente significante entre os gêneros. Quando as quatro variáveis foram associadas obteve-se uma precisão de 95,1% na determinação do gênero. Assim, foi possível concluir que a fórmula desenvolvida no presente estudo pode ser utilizada para identificação do gênero em contextos forenses. AULA PRÁTICA NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM NOS CONTEÚDOS DE IDENTIFICAÇÃO HUMANA EM ODONTOLOGIA LEGAL ANDREA SAYURI SILVEIRA DIAS TERADA, LAÍS GOMES DE ARAUJO, MARTA REGINA PINHEIRO FLORES, RICARDO HENRIQUE ALVES DA SILVA. A disciplina de Odontologia Legal na estrutura curricular nacional nos cursos de graduação em Odontologia é obrigatória. Geralmente é uma matéria ministrada, exclusivamente, em aulas teóricas, diferenciando das demais disciplinas do curso de formação e, desta forma, torna-se uma ciência pouco explorada. Tendo em mente o conhecimento da prática de Odontologia Legal na identificação humana, torna-se de extrema importância a vivência prática dos alunos nas perícias odontolegais na qual possibilitam conhecer, reproduzir e até mesmo criar novos métodos de identificação humana. Nesse sentido, a disciplina de Odontologia Legal da FORP/USP tem utilizado de ferramentas práticas no processo ensino-aprendizagem sobre a identificação humana em Odontologia Legal. Os alunos individualmente passam por diferentes estações em que examinam e registram características em crânios do museu de anatomia da FORP/USP e em documentos odontológicos (prontuários e radiografias) podendo estes ser verdadeiros (compatíveis) ou falsos (incompatíveis), nas quais foram confeccionados pela equipe de Odontologia Legal, para a atividade prática. Com os achados, os alunos realizam o confronto buscando os pontos coincidentes e divergentes para cada caso realizando a perícia de identificação humana. Conclui-se que a aula prática na disciplina de Odontologia Legal na FORP/USP permite ao aluno vivenciar experiência de ambiente e casuística pericial, demonstrando a importância da Odontologia Legal, tendo em vista ser um dos métodos primários de identificação humana, agregando valor a formação do profissional de Odontologia, dinamizando as aulas de graduação. ESTIMATIVA DA IDADE CRONOLÓGICA POR MEIO DA LUZ DOS CONDUTOS DOS CANAIS RADICULARES DE ACORDO O MÉTODO PROPOSTO POR OLZE ET AL. (2010) LAIS GOMES DE ARAUJO, FRANCIELLE SILVESTRE VERNER, MARIA AUGUSTA PORTELLA GUEDES VISCONTI, KARINA LOPES DEVITO. A idade cronológica é freqüentemente questionada em diversas investigações criminais e civis. Embora o desenvolvimento dentário seja um biomarcador eficaz para estimar a idade na infância, sua aplicabilidade diminui em jovens e adolescentes, visto que o processo de formação se encontra quase concluído. O objetivo neste trabalho foi estimar a idade cronológica de indivíduos por meio da classificação da luz dos condutos radiculares de terceiros molares inferiores, de acordo com o método proposto por Olze et al. (2010). Foram utilizadas 962 radiografias panorâmicas, sendo 486 do gênero feminino e 476 do gênero masculino, com idades compreendidas entre 16 a 40 anos e distribuídas em 24 grupos de acordo com a progressão a cada ano. As imagens foram avaliadas individualmente, por três examinadores, em dois momentos diferentes. Os resultados mostraram correlação substancial para os índices de concordância intra e interexaminador. Observou-se que a fase 0 de identificação dos canais radiculares dos dentes 38 e 48 correspondeu a idade mínima de 17 anos para ambos os gêneros. Já nas fases 1, 2 e 3 a idade mínima para o gênero feminino foi respectivamente 18, 19 e 27 anos. Enquanto que para o gênero masculino foi 18, 20 e 23 anos. Conclui-se que apenas na fase 0 não se pode afirmar que um indivíduo apresente uma idade superior a 18 anos. ESTUDO DA IDENTIFICAÇÃO HUMANA POR MEIO DA IMAGINOLOGIA DOS SEIOS FRONTAIS NATHALIE DE QUEIROZ JORDÃO, KARINY MILFONT DE PAIVA, KATHARINA ALVES RABELO, MARCIA MARIA FONSECA DA SILVEIRA, MARIA LUIZA DOS ANJOS PONTUAL, ANDREA DOS ANJOS PONTUAL. A papiloscopia destaca-se como método de identificação mais utilizado atualmente. Entretanto, em situação de óbito com alteração significativa de tecidos moles, a atuação da Odontologia é imprescindível, destacando-se a identificação humana através dos seios frontais, que possui configuração única inclusive em gêmeos idênticos. O presente estudo teve por objetivo verificar a aplicabilidade de parâmetros de identificação humana por meio dos seios frontais, utilizando a metodologia proposta por Tatlisumak et al. (2007), e determinar a concordância intra e interexaminador em cada parâmetro utilizado, bem como indicou variáveis menos concordantes Este estudo, do tipo descritivo observacional de banco de dados, analisou radiografias cefalométricas lateral e frontal digitais de 43 pacientes (26 do sexo feminino, e 17 do sexo masculino) classificadas em faixa etárias 20 a 30 anos, 31 a 40 anos, 41 a 50 anos e 51 anos, atendidos em um serviço de radiologia privado da cidade do Recife-PE. As avaliações ocorreram em ambiente escurecido com o auxílio de um negatoscópio de 600 lux, papel ultrafan e lápis com ponta 0.5 de diâmetro, utilizando-se a sobreposição da folha à radiografia, para obtenção dos contornos dos seios frontais. E para obtenção de medidas físicas lineares, utilizou-se paquímetro digital Mitutoyo série 167.As variáveis categóricas foram analisadas por meio do teste kappa. A concordância intra-examinador, para o avaliador 1 e 2, variou de Ótima a Perfeita (p<0,001). A concordância interavaliador nos tempos 1 e 2, utilizando o teste Kappa, controlando o método e o tempo, variou de Boa a Perfeita (p<0,001), exceto para as variáveis intracd e intrace que apresentaram concordância regular nos dois tempos. Diante desses resultados, é possível afirmar que esse método realmente permite identificar o indivíduo. Uma menor concordância inter-examinador foi observada na variável que determina a presença do septo intra-seio completo. O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO COMBATE AO ABUSO INFANTIL RAPHAELLA ABREU CARNEIRO CAMPELLO, BÁRBARA RAQUEL TIMÓTEO DO AMARAL, PAULIANA VALÉRIA MACHADO GALVÃO, CYNTIA DE MEDEIROS NOGUEIRA, REGINALDO INOJOSA CARNEIRO CAMPELLO ELIANE HELENA ALVIM DE SOUZA. O abuso sexual é um problema bastante antigo no Brasil, mas nem por isso está perto de ser resolvido. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) representou para nós brasileiros um grande avanço, entretanto ainda é necessário conscientizar os brasileiros que o problema do menor é mais um problema social e de saúde pública do que jurídico. Este estudo referencial objetivou estabelecer e direcionar o papel do profissional de saúde ao problema do menor na sociedade brasileira. Para dimensionar este agravo, este estudo documental buscou traçar o papel do profissional de saúde no combate ao abuso sexual em suas diferentes formas.é certo que ao profissional de saúde diante de um fato como esse, deve quebrar o sigilo e fazer a notificação obrigatória, baseado na lei de notificação compulsória de doenças e agravos. No entanto apenas isso não resolve o problema, pois o profissional ao dar o diagnóstico de violência ou maus tratos, precisa entender que esse ato emana de lei e que é um dever legal. Por muitas vezes, o profissional se exime deste papel, por acreditar tratar-se de um problema de cunho familiar, e o menor permanece desamparado. É necessário lembrar que na hipótese de qualquer profissional de saúde diante de provável abuso, devese deixar de lado os conflitos legais e ético e buscar meios que possam ajudar a vítima do mesmo e encaminhar a criança para um exame mais detalhado do Instituto de Medicina Legal, afim de que se possa ter meio sólidos para tipificar o agressor judicialmente. Assim, a partir da atuação do profissional de saúde, o poder judiciário e a polícia conjuntamente traçam diretrizes para combater ao abuso infantil, pois nossas crianças e adolescentes clamam por ajuda! O AUXILIO DOS MÉTODOS ANTROPOLÓGICOS NA DETERMINAÇÃO DO PERFIL BIOLÓGICO: RELATO DE CASO YULI ANDREA LÓPEZ QUINTERO; VIVIANE MOURA LEITE; EDUARDO DARUGE JÚNIOR O perfil biológico de um indivíduo no processo de identificação, quando encontrados restos ósseos e confirmada sua natureza humana, busca determinar informações essenciais, tais como: sexo, idade, estatura e ancestralidade. O caso apresentado deu entrada no Departamento de Odontologia Social, disciplina de Odontologia Legal e Deontologia da FOP, encaminhado pelo IML de Piracicaba, SP. De acordo com boletim de ocorrência de procedência de Capivari, tratava-se de ossada humana de pessoa adulta queimada pelo fogo da queima de cana-de-açúcar, possivelmente de homem adulto. A ossada foi entregue em um saco plástico, junto com vestes da vitima para o estudo pelo SEAPE (Serviço de Assessoria Pericial) da FOP/Unicamp para a elaboração de laudo antropológico complementar visando identificação humana. Os métodos antropológicos empregados para a estimativa da idade foram: 1) a tabela de Nicodemo, Moraes e Médici Filho, 2) o método de Cornélio Neto, 3) a mineralização dos ossos longos, 4) a ossificação da articulação na base do crânio, e 5) o fechamento das suturas cranianas. Quanto ao sexo, sua determinação foi feita mediante o analise das características morfológicas. Para a estimativa da estatura, foram utilizadas medidas dos ossos longos, através da tabela de Etiene Rollet. Na determinação da ancestralidade foram aplicados os ângulos de Jacquart, Cloquet e Cuvier. Conclusões: A faixa etária estimada foi de 13 anos e 6 meses a 16 anos e 9 meses; Devido a imaturidade do esqueleto, não foi possível a determinação do sexo com segurança, porém as características morfológicas convergiram para crânio de pessoa do sexo masculino; Os ângulos craniométricos acusaram etnia caucasoide; A estatura foi estimada entre 1,62 a 1,68 (± 5 cm). Através de diligências em conjunto com a Delegacia da Mulher de Capivari, foi encontrado uma possível vitima com idade de 14 anos que se encontrava desaparecido havia uns sete meses, e que a suposta família compareceu ao IML de Piracicaba e reconheceu as vestes encontradas junto a ossada como sendo as mesmas que o filho vestia no dia do desaparecimento. Não foi encontrado nenhum ponto excludente entre o suspeito e a ossada analisada, em relação ao material e informações fornecidas pela família. DETERMINAÇÃO DA ANCESTRALIDADE E GÊNERO SEXUAL DE OSSADAS DO SÉCULO XVIII ATRAVÉS DE TÉCNICAS ANTROPOMÉTRICAS E MOLECULARES GONÇALVES PC, TEIXEIRA C, RAIMANN P, PICANÇO J, SEVERO LS, GARRIDO CT, CAPELLETTI A, TOCHETTO F, ALHO CS, NUNES FB Em setembro de 2011, iniciaram-se escavações arqueológicas no prédio da Cúria Metropolitana de Porto Alegre, RS, situado nos fundos da Catedral Metropolitana, localizada no Centro Histórico da cidade. Sob esse local foram encontradas ossadas humanas do período de 1772 a 1850, pertencentes ao principal cemitério da região nessa época. O presente trabalho tem como objetivo a aplicação de análises cranioscópicas, craniométricas emoleculares, para diagnose do sexo e ancestralidade dos indivíduos esqueletizados provindos desse cemitério, os quais seriam uma boa amostra da população porto-alegrense doperíodo em questão. Até o momento, foram analisados 11 indivíduos dos quais se inferiu o gênero sexual, a partir da cranioscopia, e ancestralidade a partir de medidas craniométricas, comparadas aos índices cranianos de Retzius. Obteve-se também a definição do gênero sexual a partir da análise do marcador STR Amelogenina dos cromossomos X e Y, e genotipagem e ancestralidade a partir de SNPs e mtdna. A partir das análises cranioscópicas foram identificadas 8 indivíduos do sexo feminino e 3 do sexo masculino. Os índices craniométricos atribuíram ancestralidade africana para 2 indivíduos, europeia para um, indígena para 2, para 4 foram detectados traços caucasoides e negroides e, para os 2 restantes, traços dos três grupos étnicos, indicando uma provável miscigenação. Algumas discrepâncias foram encontradas quando comparados marcadores moleculares genéticos e 17

18 medidas craniométricas, evidenciando a importância de estudos que estabeleçam padrões antropométricos aplicáveis à população brasileira. DOENÇAS E VARIAÇÕES ANATÔMICAS CONFUNDIDAS COM ABUSO SEXUAL EM CRIANÇAS WELINGTON DOS SANTOS SILVA; VICTOR PORFÍRIO DOS SANTOS ALMEIDA; FILIPE MORAES RIBEIRO; GABRIEL KAMEI GUIMARÃES; MATHEUS DE SÁ DOS SANTOS; UBIRAJARA DE OLIVEIRA BARROSO JUNIOR. Introdução: Vários relatos de casos e pequenas séries têm sido publicados descrevendo doenças que foram confundidas com abuso sexual em crianças.pela variedade e raridade de várias destas doenças, a avaliação de crianças com suspeita de abuso sexual pode representar um desafio, e um equívoco diagnóstico pode ter efeito catastrófico para todos os envolvido. Assim, as perícias de sexologia forense em crianças exigem além do conhecimentodos achados ano-genitais típicos de abuso sexual e variações normais da anatomia ano-genital, que o legista conheça também as doenças que podem mimetizam abuso sexual.objetivo: Descrever as doenças e variações anatômicas confundidas com abuso sexual em crianças.métodos: Foram revisados os laudos de crianças menores de 12 anos periciadas no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues entre 2005 a 2010 por suspeita de abuso sexual baseada em queixa ou alteração ano-genital, sem relato de abuso sexual no histórico da perícia. O critério utilizado para identificar os casos foi a conclusão do medico legista no laudo. Resultados: Foram encontrados 410 casos sem relato ou testemunho de abuso sexual. Neste grupo, em 31 casos (7,6%) a conclusão do laudo identificou uma doença ou variação anatômica baseado na queixa ou alteração ano-genital que gerou a suspeita de abuso sexual. Foram encontrados 16 casos de prolapso uretral (52%). As outras condições médicas identificadas incluíram sinéquia de ninfas, neoplasia vaginal, dermatites, variação anatômica, doença de Crohn, enterobíase, corpo estranho vaginal, fenda perineal e infecção urinária. Conclusão: Foi encontrado casos de doença ou variação anatômica confundidos com abuso sexual em 7,6% das crianças em que a origem da suspeita foi uma queixa ou alteração ano-genital, sem relato de abuso sexual no histórico. Prolapso uretral representou 52% dos casos de equivoco. Estes dados reforçam a necessidade dos médicos legistas estarem capacitados para reconhecer as condições médicas que podem mimetizar abuso sexual, especialmente prolapso uretral. ESTUDO DA MORFOLOGIA CONDILAR ATRAVÉS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE FEIXE CÔNICO PARA FINS DE IDENTIFICAÇÃO HUMANA PATRÍCIA FALCÃO SILVA, GHEISA BEZERRA CAMPOS, CIBELLY REGINA CLEMENTINO MENDES, MAYARA SOARES DOS SANTOS, MARIA LUIZA DOS ANJOS PONTUAL E ANDREA DOS ANJOS PONTUAL. O objetivo nesse trabalho foi determinar se existe relação entre a morfologia condilar e o sexo de indivíduos com e sem alterações ósseas diagnosticadas por meio da tomografia computadorizada de feixe cônico. Este foi um estudo descritivo observacional de banco de dados. Foram selecionados exames tomográficos de 200 pacientes, 100 de pacientes que apresentavam alterações ósseas e os outros 100 sem alterações, de um banco de dados de um serviço de radiologia odontológica privado da cidade do Recife-PE. Esses exames foram avaliados por dois examinadores após um período de treinamento. Os examinadores determinaram a morfologia condilar (convexo, redondo, plano, angulado, ou outra morfologia), a presença e o tipo de alteração óssea nos côndilos mandibulares através dos cortes sagitais e coronais, utilizando o programa i-cat Workstation. Para evitar erros, as alterações ósseas deveriam ser observadas, ao menos, em dois cortes consecutivos. Foi realizada a análise estatística comparativa das diferentes morfologias e o lado da articulação através do teste exato de Fisher. Para determinar se existiu relação da morfologia condilar com o sexo e idade dos pacientes, foi utilizado o KrusKal-Wallis, considerando um nível de significância de 5%. Os resultados do teste qui-quadrado mostraram que houve evidência de uma associação estatisticamente significativa entre morfologia condilar e alteração óssea em ambos os lados (p 0,05). Uma análise de resíduos ajustados indicou que, tanto do lado direito quanto do lado esquerdo, a forma arredondada foi significativamente mais frequente no grupo sem alteração óssea, enquanto as formas classificadas como outra morfologia foi significativamente mais frequente no grupo com alteração óssea. Por outro lado, não foram significativas as diferenças de frequência de ocorrência das demais formas de morfologia condilar entre os grupos com e sem alteração óssea. Não houve associação significativa entre o sexo e a morfologia condilar, controlando a lateralidade (p=0.764 e p=0.585). Não houve associação significativa entre morfologia condilar e idade, controlando a lateralidade (p = e p = 0.061). Não é possível estimar o sexo e a idade em processos de identificação humana através da avaliação da morfologia condilar. LEVANTAMENTO DE LESÕES NA REGIÃO BUCOMAXILOFACIAL EM MULHERES PERICIADAS NO INSTITUTO MÉDICO LEGAL DE FEIRA DE SANTANA-BA ELANE NERY DA SILVA, FELIPE RAFAEL RIOS OLIVEIRA MATOS, RODOLFO MACEDO CRUZ PIMENTA, MONA LISA CORDEIRO ASSELTA DA SILVA E JAMILLY DE OLIVEIRA MUSSE. Introdução: a violência contra a mulher é um fenômeno social de alta complexidade e graves contrassensos, sendo considerado um grave problema de saúde pública. Nesse sentido, a odontologia contribui de forma significativa no contexto das perícias de avaliação de danos provenientes de lesões ao complexo bucomaxilofacial. Objetivo: traçar um perfil da prevalência das principais lesões faciais em mulheres, vítimas de violência periciadas pelo setor de Odontologia do Instituto Médico Legal de Feira de Santana, Bahia, nos anos de 2007 à Materiais e Métodos: trata-se de um estudo epidemiológico do tipo descritivo, utilizando dados secundários, foram consultadas através dos laudos periciais as características sócio-demográficas das vítimas, vínculo destas com o agressor, caracterização do instrumento, descrição das lesões quanto ao tipo e localização, avaliação do dano causado. Resultados: em relação aos dados sócio-demográficos, a maioria das periciandas foram faiodermas, solteiras, estudantes, naturais de Feira de Santana, com faixa etária entre 18 a 35 anos. O emprego do instrumento contundente foi mais comum e as lesões mais prevalentes foram edema, fratura, luxação dentária, equimose e feridas corto-contusas, contusas e incisas. As estruturas intra-orais mais afetadas foram os dentes e a mucosa labial, enquanto que as regiões extra-orais mais acometidas foram as regiões bucal, orbital e malar. Frequentemente as lesões estavam associadas a um agressor com vínculos íntimos com a pericianda. Conclusões: As informações geradas neste estudo podem contribuir para a implementação de políticas públicas direcionadas à segurança e ao combate à violência, bem como na prevenção e reparação dos danos causados às mulheres em Feira de Santana e sua microrregião. INSERÇÃO DA MEDICINA LEGAL NA GRADE CURRICULAR DO CURSO DE DIREITO SILVA, MONA LISA CORDEIRO ASSELTA DA; SIQUEIRA, DANIELE VEIGA DA SILVA; CAMPOS, MARÍLIA SANTOS VIANA DE; MUSSE, JAMILLY DE OLIVEIRA As ciências forenses tem como finalidade elucidar questões relacionadas com a justiça. A Medicina Legal é uma ciência que está relacionada com esclarecimento por parte dos profissionais médicos para as autoridades judiciárias e policiais, os quais necessitam durante a graduação, de conhecimentos médico-legais para saberem pedir e interpretar questões que envolvem fatos de natureza médica. Este trabalho teve como objetivo analisar qualitativamente de que maneira a Medicina Legal vem sendo abordada nos cursos de Direito. Os sujeitos da pesquisa entrevistados eram estudantes e bacharéis em Direito de faculdades públicas e particulares do Estado da Bahia. Para a coleta dos dados, foi utilizada a entrevista semi-estruturada e análise documental. Foi observado que os sujeitos da pesquisa entendem a disciplina como específica, para fazer parte do exame da ordem, não conseguem visualizá-la na sua rotina de trabalho, apesar de perceberam o quanto pode ser decisiva na resolução dos casos e elaboração dos quesitos. Concordam que o conteúdo deve ser específico, trazendo uma linguagem mais da área médica e que sua inserção somente em cursos de atualização é restrita. É necessário, dessa maneira, a efetivação da disciplina como matéria eletiva das faculdades de Direito, maior participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ampliando a discussão sobre o tema. RECONSTRUÇÃO FACIAL FORENSE: IMPORTÂNCIA DAS TABELAS DE ESPESSURA DE TECIDOS MOLES PARA DIFERENTES POPULAÇÕES. LARA MARIA HERRERA, SÍLVIA VIRGÍNIA TEDESCHI-OLIVEIRA, RODOLFO FRANCISCO HALTENHOFF MELANI Quando restos humanos são encontrados depois de algum tempo decorrido do óbito, as características faciais apresentam-se distorcidas ou até mesmo ausentes. Técnicas forenses possibilitam a reprodução dos tecidos moles da face sobre o crânio, na tentativa de uma aproximação da aparência dessa face no momento anterior à morte. A relação entre os tecidos moles e o osso, na Reconstrução Facial, é conhecida pela espessura desses tecidos moles em diferentes pontos craniométricos pré-estabelecidos.verifica-se que essa espessura varia para populações geograficamente distintas. O objetivo desse trabalho foi realizar uma revisão de literatura sobre a importância das tabelas de espessura de tecidos moles para diferentes populações.realizou-se uma busca de artigos científicos em base de dados, como PUBMED, utilizando os termos forensic facial reconstruction, forensic facial approximation e forensic facial soft tissue thickness. Foi observada a existência de tabelas, com dados de espessuras médias de tecidos moles faciais, próprias para populaçõescolombiana, chinesa, japonesa, coreana, chilena, brasileira, sulafricana, egípicia, norte-americana etc. Alguns estudos realizaram comparações entre espessuras médias de populações diferentes, e observaram diferenças estatísticamente significantes. Os valores médios das espessuras de tecido mole têm sido obtidos pela mensuração em cadáveres de forma direta e, atualmente, com a evolução dos exames imaginológicos médicos e odontológicos, é possível mensurar essas espessuras com mais precisão e segurança em indivíduos vivos. Conclui-se que a tabelas de valores médios de espessura de tecidos moles desempenham um papel importante na Reconstrução Facial. Entende-se que não é possível obter um retrato fiel do indivíduo, pois fatores ambientais, índice de massa corporal, doenças podem interferir na espessura dos tecidos. No entanto, dados específicos sobre as populações podem contribuir com um maior grau de acerto da aproximação com a face real do indivíduo. RECONSTRUÇÃO FACIAL FORENSE: LEVANTAMENTO E ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA NO BRASIL. LARA MARIA HERRERA, SÍLVIA VIRGÍNIA TEDESCHI-OLIVEIRA, RODOLFO FRANCISCO HALTENHOFF MELANI A Reconstrução Facial Forense (RFF) é uma técnica utilizada para o reconhecimento e posterior identificação, em situações onde não existe uma identidade atribuível ao esqueleto.com essa técnica, é possível reproduzir os tecidos moles da face sobre o crânio, na tentativa de aproximar a face criada com a face do indivíduo no momento anterior à morte. A literatura sobre esse tema é ampla, no entanto, poucos são os trabalhos nacionais encontrados, inclusive na área de Odontologia Legal. Foi realizado em abril de 2013 um levantamento bibliográfico nas bases de dados eletrônicas Bibliografia 18

19 Brasileira de Odontologia (BBO), disponível em: e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), disponível em: utilizando como termos de busca Reconstrução Facial Forense, Reconstituição Facial Forense e Aproximação Facial Forense. Assim, 10 referências sobre RFF foram recuperadas nos últimos 13 anos, com predominância dedissertações e teses. A maioria das referências encontradas pertencem à área da Odontologia, sendo o assunto mais abordado (30%) a análise da espessura de tecidos moles faciais de indivíduos brasileiros. Cerca de 50% dos trabalhos foram produzidos a partir do ano de 2010, o que mostra que o interesse sobre o assunto é recente. Conclui-se que a literatura brasileira, na área de Reconstrução Facial Forense, vem crescendo, mas ainda há carência de trabalhos. A elaboração de teses e dissertações é valiosa para o desenvolvimento das Ciências Forenses, inclusive, da Odontologia Legal. POR QUE AS CAUSAS EXTERNAS MATAM MAIS HOMENS JOVENS? PAULIANA VALÉRIA MACHADO GALVÃO, CYNTIA DE MEDEIROS NOGUEIRA, RAPHAELLA ABREU CARNEIRO CAMPELLO, BÁRBARA RAQUEL TIMÓTEO DO AMARAL, MARCEL ROLLAND CIRO DA PENHA E ELIANE HELENA ALVIM DE SOUZA. As causas externas têm sido responsáveis por um número exorbitante de fatalidades, principalmente na população jovem masculina. Estudos epidemiológicos detectaram este problema. No entanto, as causas não têm sido devidamente esclarecidas. Consequentemente, perde-se todo o sentido da epidemiologia, que é pesquisar para identificar a causa e planejar estratégias para a redução de agravos ou doenças. Uma hipótese viável, estudada há muitos anos por psicólogos evolucionistas, é conhecida por Síndrome do Macho Jovem. Segundo esta teoria, os homens jovens estariam mais propensos a lutar por vantagens territoriais, em busca de destaque entre seus pares e da atenção do maior número de mulheres possível. Assim, assumem riscos maiores e atitudes mais impulsivas e imprudentes. A consequência direta é a exposição acentuada a eventos perigosos, que podem gerar lesões em diversos níveis de exposição, até o óbito. No entanto, o sucesso desta atitude gera um maior reconhecimento do potencial do homem, e este tende a ser mais interessante para o público feminino quando escapa ileso de situações especiais. A evolução deste processo evidentemente leva a um declínio deste comportamento quando fatores relacionados a idade, casamento e filhos entram na equação. Estes elementos influenciam um apaziguamento deste comportamento impulsivo, contribuindo para que homens mais velhos e com família constituída exponham-se menos e, por este motivo, morram menos em decorrência de causas externas. A aceitabilidade desta hipótese como uma das causas possíveis pode gerar campanhas de promoção de saúde e prevenção de agravos entre a população masculina mais acometida, que seria homens, jovens, solteiros e de baixa escolaridade e classe social. O PANORAMA DO SUICÍDIO POR ARMA DE FOGO NO BRASIL: ANÁLISE DE 10 ANOS PAULIANA VALÉRIA MACHADO GALVÃO, HELIO MORORÓ VIEIRA DE MELLO, OLGA FERNANDES MARQUES, THIAGO GOLIN DE OLIVEIRA, MARCEL ROLLAND CIRO DA PENHA E ELIANE HELENA ALVIM DE SOUZA O suicídio é um evento que causa grande impacto na sociedade, assim como a questão das armas de fogo na sociedade. A associação destes temas polêmicos é ainda mais marcante que os eventos isolados. Nos Estados Unidos, o suicídio por arma de fogo representa mais de 50% de todos os suicídios e a segunda causa de morte em indivíduos abaixo de 40 anos. Este estudo objetivou quantificar o problema da sociedade brasileira, entre os anos de 2001 a 2010, registrados no Sistema de Informação de Mortalidade, através das Declarações de Óbitos com causa básica entre os códigos X72-X74 da 10ª edição da Classificação Internacional de Doenças. O número absoluto dos suicídios por arma de fogo atinge mortes em 10 anos, prevalece em homens (88,6%), adultos (61,6%), com média de idade de 39,21 anos (desvio padrão = 17,423), brancos (65,0%) e solteiros (57,2%). A escolaridade não foi um dado preciso (41,7% de perda de dados), mas predominou a ocorrência em indivíduos com escolaridade de 4 a 7 anos (19,6%). Por mês, ocorreram em média 99,86 óbitos. Um decréscimo foi percebido no número de mortes por suicídio com o uso de arma de fogo desde o ano de ,7% das mortes ocorreram em domicílio e apenas 24,4% dos indivíduos chegaram a receber atendimento hospitalar ou em outro estabelecimento de saúde. Na maioria dos casos a necropsia foi realizada (74,8%). Quanto ao instrumento empregado, a maior casuística utilizou arma de fogo não especificada (72,4%). Assim, a partir deste diagnóstico, podem-se traçar políticas públicas de prevenção ao grave problema de saúde representado pelo suicídio e políticas de segurança pública, representado pelo emprego de armas de fogo. RELATO DE CASO CLINICO: EXAME ANTROPOLÓGICO REALIZADO NA OSSADA DE UM SUB ADULTO NASCIMENTO G, MACHADO MPS, ARAÚJO R, DARUGE- JÚNIOR E. Neste trabalho os autores relatam o exame antropológico realizado em uma ossada humana. O material foi encontrado parcialmente esqueletizado e encaminhado ao Instituto Médico Legal. Ao dar entrada foi realizado o exame preliminar, a fim de detectar as alterações tafonômicas e, posteriormente, o material foi submetido à maceração visando a remoção dos tecidos moles aderidos. Quando em condições de ser examinada, a ossada foi encaminhada ao laboratório para análise. Os elementos ósseos foram dispostos em posição semelhante à anatômica, fotografados, radiografados, e inventariados. O exame revelou que a ossada apresentava lesões na base do crânio, no arco zigomático, na primeira vértebra, nos arcos costais e no fêmur, todas mostrando características filiáveis ao intervalo perimortal. As epífises dos ossos longo presentes encontram-se separadas de suas respectivas diáfises, evidenciando a imaturidade esquelética. Com base nas imagens radiográficas dos elementos dentários, foi observado que os ápices radiculares dos segundos molares superiores estão em estágio de fechamento. Considerando as características da ossada, foi possível estimar a idade e o tempo decorrido desde a morte. Em função da tenra idade, o sexo, a estatura, e a ancestralidade não puderam ser apuradas. Conforme padronizado para todos os exames realizados no serviço, foi colhido um fragment ósseo, medindo 3,5 x 5 cm da face posterior da região distal da diáfise do fêmur esquerdo e enviado para exame de DNA. No decorrer da investigação foi localizada uma família que buscava um ente com tempo de desaparecimento e características biotipológicas compatíveis com os resultados obtidos no exame da ossada. O resultado do confronto entre os materiais genéticos colhidos da ossada e dos familiares foi realizado e o resultado foi positivo, ratificando as informações obtidas por meio do exame antropológico. PROCESSOS CÍVEIS CONTRA CIRURGIÕES-DENTISTAS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS ANDREA SAYURI SILVEIRA DIAS TERADA, LAÍS GOMES DE ARAÚJO E RICARDO HENRIQUE ALVES DA SILVA. É crescente o número de processos contra os profissionais da área da saúde, a conduta profissional tem sido questionada por diversos fatores, o conhecimento das causas e características que podem gerar os processos é a forma mais eficaz de prevenção. Esse trabalho teve como objetivos realizar um levantamento dos processos envolvendo ações contra profissionais e clínicas odontológicas as quais o paciente alegava ter sofrido algum dano odontológico no município de Ribeirão Preto, São Paulo. Uma listagem dos cirurgiõesdentistas e clínicas odontológicas inscritos no município foi fornecida pelo Conselho Regional de Odontologia, uma busca nominal dos profissionais e clínicas envolvidas em processos cíveis foi realizada por meio do banco de dados online do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Essa busca resultou em 145 processos que foram, posteriormente, analisados diretamente no Fórum da Comarca de Ribeirão Preto, São Paulo, quanto à sua relação com responsabilidade civil profissional.dos 145 processos localizados a partir da busca online, 45 processos envolviam responsabilidade civil do cirurgiãodentista e dentre esses, 17 envolviam os profissionais e 28 envolviam as clínicas odontológicas do município. Foi observado um aumento significativo no número de processos instaurados nos últimos cinco anos, sendo que a maioria envolvia tratamentos com prótese dental (35,6%) e implantes (26,6%). Com relação à indenização solicitada o valor variou de R$ 460,00 a R$ ,00. 33,3% desses processos já estavam finalizados e 11,1% foram julgados favoráveis ao paciente, sendo o valor de indenização pago variou de R$ 2.330,00 a R$ ,00. O presente estudo permitiu a caracterização da demanda processual do município de Ribeirão Preto, São Paulo envolvendo a odontologia. VIOLÊNCIA SOB O OLHAR DE QUEM SOCORRE: CARACTERIZAÇÃO DAS VÍTIMAS SOCORRIDAS PELO SERVIÇO MÓVEL DE URGÊNCIA NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA, BAHIA. ANDERSON REIS DE SOUSA, ELINE DA SILVA OLIVEIRA GOES, KAMILLA DA SILVA ALMEIDA, KARLA LUCILA ANDRADE CINTRA, PABLO CARNEIRO OLIVEIRA COSTA e MICHELLE TEIXEIRA OLIVEIRA. Introdução: As violências e os acidentes constituem a segunda maior causa de mortalidade em todo o país e a sexta maior em internações hospitalares, segundo os dados do Ministério da Saúde. Objetivo:. Este estudo teve como objetivo fazer um levantamento das vítimas de violência atendidas no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência SAMU 192 no Município de Feira de Santana Bahia no período de Janeiro de 2012 a Dezembro de Metodologia:Trata-se de uma pesquisa de caráter descritivo, com abordagem quantitativa, que teve como campo de estudo O Serviço de Atendimento de Urgência de Feira de Santana, Bahia. A população consistiu em vítimas de violência atendidas no período de Janeiro de 2012 a Dezembro de Para a coleta de dados, foram utilizados os registros extraídos de prontuários, das fichas de atendimento, sendo constituída a amostra de 255 vítimas atendidas. As variáveis utilizadas neste estudo foram: idade, sexo, grau de escolaridade, tipo de violência, grau de atendimento prestado. Os dados foram analisados através de um programa de estatística descritiva, apresentados sob forma de tabelas.resultados: A partir da pesquisa realizada verificou-se que das 255 vítimas socorridas 86,2% eram do sexo masculino e 13,8 % do sexo feminino, com faixa etária mais incidente entre 20 a 39 anos, com 226 vítimas (82,6%) acometidas por atos violentos com os quais se caracterizaram por Ferimento por arma de fogo 116 (45,4 %); Ferimento por Arma Branca 45 (17,6 %); Espancamento 60 (23,5 %); Agressão Física 34 (13,3 %); Autoviolência 2 (0,78 %); onde 27 (10,5%) destes atendimentos evoluíram a óbito. No que diz respeito à complexidade do ato violento e o grau do serviço de atendimento prestado (63,5 %) foram Suporte Básico de Vida e (36,4 %) foram Suporte Avançado de Vida. Conclusão:Uma reflexão importante acerca da relação entre a violência e as questões da saúde, trata da ideia de que a mesma vem se transformando em um problema significativo, por afetar a saúde individual e coletiva, que para a sua prevenção é necessária à formulação de políticas específicas, ações e programas peculiares para esta questão. Desta maneira este estudo torna-se relevante por alargar os conhecimentos nessa área tão significativa para a saúde pública do país. CAUSAS EXTERNAS: EM CRIANÇAS MENORES DE 5 ANOS NO BRASIL. BÁRBARA RAQUEL TIMÓTEO DO AMARAL, RAPHAELLA ABREU CARNEIRO CAMPELLO, PAULIANA VALÉRIA MACHADO GALVÃO, CYNTIA DE MEDEIROS NOGUEIRA, HELIO MORORÓ VIEIRA DE MELLO e ELIANE HELENA ALVIM DE SOUZA 19

20 A morte de crianças de até 5 anos de idade é um fato lamentável no cenário brasileiro, principalmente quando causas externas estão relacionadas ao motivo do óbito, devido ao grande impacto social destas fatalidades. Este estudo objetivou quantificar e identificar as causas externas que causaram a morte em crianças menores de 5 anos no Brasil, entre os anos de 2001 a 2010, referidos no Sistema de Informação de Mortalidade. Para dimensionar este agravo, este estudo quantitativo e descritivo investigou as Declarações de Óbitos que referissem como causa básica os códigos de V01 a Y98, correspondente ao capítulo XX da 10ª edição da Classificação Internacional de Doenças. No período estudado, foram encontradas Declarações de Óbitos, com ocorrência predominante em crianças do sexo masculino (59,5%), brancas (47,6%) e pardas (39,4%), e menores de 1 ano (37,5%). A relação entre a idade e a prevalência de mortalidade foi inversamente proporcional. A Região Brasileira mais acometida foi a Sudeste, enquanto o Centro-Oeste apresentou menor ocorrência. Os estados com maior prevalência (por região) foram São Paulo (SE), Bahia (NE), Paraná (S), Pará (N) e Goiás (CO). Quanto a causa jurídica da morte, a maior casuística é o acidente (76,5%). Já em relação às causas básicas de morte, encontramos em primeiro lugar as asfixias gerais, seguidas pelos acidentes de trânsitos, afogamentos (asfixia especifica), agressões e quedas. Por fim, na distribuição temporal, verificou-se uma tendência de decréscimo iniciada a partir de A partir deste diagnóstico, visualizou-se uma necessidade de campanhas de prevenção a acidentes e orientação de primeiros socorros direcionados para esta faixa etária, com ênfase principalmente nas asfixias gerais. Entretanto outros níveis de políticas públicas devem ser considerados, tais como maior rigor na fiscalização do transporte de crianças no trânsito e uma rede atenção e suporte contra agressões. IDENTIFICAÇÃO HUMANA: DIMORFISMO SEXUAL EM INCISIVOS PERMANENTES HUMANOS LAÍSE NASCIMENTO CORREIA LIMA, JULIANA RAMOS ALMEIDA; PATRÍCIA MOREIRA RABELLO. A Odontologia Legal busca estabelecer métodos para realização de perícias forenses, sendo a odontometria um estudo importante na identificação humana. O objetivo da presente pesquisa foi verificar a presença de dimorfismo sexual dos incisivos permanentes em humanos. Este estudo é do tipo transversal e cego. Utilizou-se 190 pares de modelos de gesso da arcada dentária de estudantes de Odontologia, com idade entre 18 a 30 anos. A amostra foi composta por 109 estudantes do sexo feminino e 81 do masculino. Foi utilizado um paquímetro digital para análise das dimensões mésio-distais dos incisivos centrais e laterais, superiores e inferiores, esquerdo e direito. Na estatística inferencial utilizou-se o teste de t-student com nível de significância de 5%. Observou-se que os homens apresentaram médias maiores nos incisivos centrais superiores esquerdo e direito (9,04 ± 0,58 e 9,03 ± 0,61) do que as mulheres (8,77 ± 0,58 e 8,72 ± 0,61). Os centrais inferiores esquerdos e direito dos homens apresentaram-se maiores (5,64 ± 0,34 e 5,64 ± 0,34) do que das mulheres (5,48 ± 0,36 e 5,46 ± 0,35). Os incisivos laterais inferiores esquerdos e direitos masculinos mostraram médias maiores (6,28 ± 0,41 e 6,26 ± 0,38) do que das mulheres (6,03 ± 0,39 e 6,00 ± 0,41). Portanto, verifica-se que existe diferença estatisticamente significante entre os sexos para todos os elementos mensurados (p<0,001), em ambos os arcos e hemiarcos, à exceção do incisivo lateral esquerdo (p = 0,071). Conclui-se que a antropologia dental pode ser utilizada como método adicional na investigação do sexo. PERFIL QUEILOSCÓPICO NO PORTADOR DA SÍNDROME DE DOWN PATRÍCIA MOREIRA RABELLO, LARISSA CHAVES CARDOSO FERNANDES, JULYANA DE ARAÚJO OLIVEIRA, BIANCA MARQUES SANTIAGO. Introdução: a Queiloscopia pode ser definida como método de identificação em Odontologia Legal que utiliza, dentre outras características, padrões sulculares únicos e imutáveis presentes nos lábio humano. Estes, por responderem a uma base genética, podem ser afetados nos portadores da Síndrome de Down (SD). Objetivo: avaliar o perfil queiloscópico do portador de SD, no que condiz à espessura, padrão comissural e tipos de sulco evidentes. Metodologia: procedeu-se com um estudo cego, transversal, de natureza quantitativa, abordagem indutiva e observação direta extensiva. A amostra foi representada por 34 portadores de SD, os quais tiveram seus lábios mensurados e fotografados, respectivamente classificados quanto à espessura (finos, médios, grossos e mistos) e padrão comissural (abaixados, horizontais e elevados). Além disso, cada participante realizou uma impressão labial a partir de amostras individuais de batom, sendo os tipos sulculares classificados (I vertical completo; I vertical incompleto; II bifurcados; III entrecruzados; IV reticulares e V indefinidos). Os dados foram analisados estatisticamente por meio dos testes t-student pareado e Qui-quadrado de McNemar. Resultados: Quanto à espessura, os lábios médios foram mais frequentes (50%), seguidos dos mistos (35,3%). Nestes, o componente superior mostrouse em sua maioria médio (23,5%) e o inferior, grosso (20,6%), p<0,001. Em relação às comissuras, as abaixadas foram mais frequentes (73,5%), p=0,009. No que condiz ao padrão sulcular, os tipos I (52,2%), I (16,9%) e II (16,9%) possuíram maiores percentuais, em detrimento dos tipos III (2,9%) e IV (1,1%), os quais demonstraram menor expressividade na amostra. Padrões indefinidos (tipo V) foram encontrados em 9,9% dos quadrantes analisados, p<0,001. Conclusão: O perfil queiloscópico da amostra revelou uma espessura labial variável, de média à espessa. No entanto, as comissuras seguiram um padrão mais uniforme, sendo relevante a apresentação abaixada. Os tipos sulculares demonstraram uma considerável tendência de sulcos sem ramificações, retos e verticais, representando uma minimização da variabilidade de padrões sulculares no portador da SD, a qual pode vir a dificultar o processo de identificação através da Queiloscopia nesses indivíduos. A ANTROPOLOGIA FORENSE E O PERITO ODONTOLEGISTA NO IML- PCAM. VIVIANE MOURA LEITE, DANIELA DA COSTA NOBREGA, LIGIA MELISSA DE SOUZA, JULIANA MENDONÇA FERREIRA DOS SANTOS, EDUARDO DARUGE JÚNIOR. Na rotina criminal não raros são os casos de encontro de corpos em estado de esqueletização e ossadas em terrenos baldios, próximo a igarapés, matas, cemitérios clandestinos. Alguns desses casos não há vestígios de parentes e em outros que sirvam de material de referencia. De outro lado, há familiares à procura de parentes queridos desaparecidos, que muitas vezes entram em contato com o Instituto Medico Legal na esperança de reconhecerem seu ente desaparecido através de vestimentas, tratamentos médicos/odontológicos e retirada de amostras orgânicas para encontrar o perfil genético através do DNA. Havia no IML desde 1988 varias casos inconclusivos ou a espera de laudos antropológicos para poderem fechar um perfil de analise comparativa inicial com possíveis familiares ou mesmo serem inumados como não identificados. Com a introdução do grupo de Peritos Odontolegistas ao quadro da Policia Civil, em 2011, através de concurso público, quando houve a criação do cargo, foram elaborados no período de dois anos, mais de 170 laudos, dando assim, respostas a algumas famílias que já esperavam anos por uma resposta do IML, e destinando as ossadas que se encontravam no setor de Antropologia aguardando para serem inumadas. Utilizando diversas técnicas publicadas pelos principais autores da Antropologia Forense no Brasil, através da análise qualitativa e quantitativa do crânio, arcos dentários, ossos longos e pelve, pode-se estimar algumas características como sexo, cor da pele, idade e estatura aproximadas e em alguns casos, a causa da morte, principalmente, quando se dispunha do esqueleto completo, pois nos casos em que se encontrava apenas um grupo de ossos, ou um osso isolado ou parte dele, o processo identificatório tornava-se progressivamente mais difícil. Neste trabalho, abordamos a prevalência dos locais de encontro das ossadas, o numero de identificados, aqueles que foram inumados como indigentes, dados conclusivos, prevalência etária e gênero, bem como as dificuldades e limitações encontradas pelos Peritos Odontolegistas. A IMPORTANCIA DA FOTOGRAFIA FORENSE NA ODONTOLOGIA LEGAL. VIVIANE MOURA LEITE, LIGIA MELISSA DE SOUZA, DANIELA DA COSTA NOBREGA, EDUARDO DARUGE JÚNIOR. A fotografia forense ou de evidências proporciona ao perito criminal, independente de sua área de atuação, uma importante ferramenta de produção de prova, elucidação de dados, descrição do local de crime, do corpo de delito em questão, detalhamento rico em detalhes não descrito pelo perito, enriquecendo o laudo pericial e auxiliando a Justiça. Desde 1879, o registro de imagem é utilizado para a identificação antropométrica de criminosos (Bertillonage) com fotos frontais e de perfil. Atualmente, a fotografia é ainda utilizada em identificação criminal e com o avanço tecnológico das câmeras, agora digitais e com imagem em tempo real, vem permitindo maior aceitação e credibilidade envolvendo inúmeras aplicações dentre elas: a fotografia grafotécnica, fotografia papiloscópica, de local de crime, de acidentes, exames de corpo de delito em vivos e necroscópico, entre outras. As dúvidas decorrentes da autenticidade dos registros fotográficos digitais foram sanadas já que as fotos realizadas pelo sistema analógico também podem ser alteradas. Há lei e sistemas de autenticação de imagens que garantem a autenticidade da informação transmitida no registro fotográfico. As câmeras digitais possibilitam ao perito uma melhor qualidade de imagem, tempo reduzido para obtenção da foto, facilidade de transporte e inserção nos laudos, pois não há a tradicional necessita revelação, de tempo de espera e repetição, capturando o vestígio sem o risco de perde-lo, tornando-o disponível a posteriori análise e com a facilidade de armazenamento em mídias digitais.o objetivo deste trabalho é realizar um protocolo de fotografias de lesões intra e extrabucais durante exames de corpo de delito, aplicado nas pericias criminais. PREVALÊNCIA DOS TIPOS DE LESÕES ODONTOLEGAIS NA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NOS PERICIADOS PELO SETOR DE ODONTOLOGIA LEGAL DO IML/PCAM VIVIANE MOURA LEITE, LIGIA MELISSA DE SOUZA, DANIELA DA COSTA NOBREGA, EDUARDO DARUGE JÚNIOR. A violência contra a mulher pode se manifestar de várias formas, dentre elas a violência doméstica, física, sexual, psicológica, patrimonial e com diferentes graus de severidade. Estas formas de violência não se produzem isoladamente, mas fazem parte de uma sequência crescente de episódios que quando não interrompidos podem levar a manifestação mais extrema, o homicídio. Quanto às formas de violência contra a mulher, a mais comum é a física, que é o ato de provocar lesões corporais possivelmente diagnosticáveis, classificáveis e tipificáveis no Código Penal, tais como cutâneas, neurológicas, oculares e ósseas, provocadas por queimaduras, mordidas, tapas, espancamentos, ou qualquer ação que ponha em risco a integridade física da mulher. Após a efetivação dos Odontolegistas no Instituto Médico Legal do Estado, através de concurso público, no ano de 2011, foram registrados mais de 200 casos de violência contra as mulheres com manifestações de interesse odontolegal, dentre elas, modeduras, lesões traumáticas em tecido mole e dentário. Com classificações penais em leve, grave e gravíssima. Apresentando diversos tipos de manifestações orofaciais em tecido mole, fraturas ósseas, fraturas dentarias, avulsões, etc. O estudo revela uma estatística da tímida parcela que realiza o registro nas delegacias e procura ajuda, segurança e valoração como individuo na Justiça. Assim, objetiva-se abordar o tipo e a prevalência das agressões orofaciais de interesse da Odontologia Legal. 20

1.4 Objeto e Metodologia

1.4 Objeto e Metodologia 1.4 Objeto e Metodologia O objeto a pesquisa cujos dados serão apresentados foi definido juntamente com a SAS- Secretaria de Assistência Social de Presidente Prudente em especial com a equipe do CREAS

Leia mais

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA

LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA LUIZ FERNANDO JOBIM LUÍS RENATO DA SILVEIRA COSTA MOACYR DA SILVA IDENTIFICAÇÃO HUMANA Identificação pelo DNA - Identificação Médico-Legal - Perícias Odontológicas VOLUME II Editora Millennium CAMPINAS/SP

Leia mais

ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUCAL

ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUCAL Protocolo Nº: 002-S. Unidade(s) de aprendizagem ou disciplina de referência: Diagnóstico Bucal ( Unidade de Aprendizagem); Patologia Buco Dental e Estomatologia I e II ( disciplina de referência) Ementa:

Leia mais

NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS DOS CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE

NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS DOS CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS DOS CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTE Márcia Regina Ribeiro Teixeira Promotora de Justiça de Salvador Agosto de 2014 VIOLÊNCIA:

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

do Idoso Portaria 104/2011

do Idoso Portaria 104/2011 DEVER DE NOTIFICAR- do Idoso Portaria 104/2011 Lei 6.259/75l Lei 10.778/03, ECA, Estatuto n Médicos n Enfermeiros n Odontólogos n Biólogos n Biomédicos n Farmacêuticos n Responsáveis por organizações e

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social PAPÉIS COMPETÊNCIAS PAPÉIS E COMPETÊNCIAS O SERVIÇO PSICOSSOCIAL NO CREAS... O atendimento psicossocial no serviço é efetuar e garantir o atendimento especializado (brasil,2006). Os profissionais envolvidos no atendimento

Leia mais

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A MULHER

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO EPB0178 QUEBRA DO SIGILO PROFISSIONAL EM CASOS DE PEDOFILIA GABRIELE

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER NA CIDADE DE PONTA GROSSA

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER NA CIDADE DE PONTA GROSSA 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

Violência contra as Mulheres em Pernambuco

Violência contra as Mulheres em Pernambuco Violência contra as Mulheres em Pernambuco Recife, 25 de novembro de 2015 FICHA TÉCNICA Coordenação: Equipe do SOS Corpo Instituto Feminista para Democracia Pesquisadora: Ana Paula Melo (pesquisadora convidada)

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga IlanaPinsky Maria Carmen Viana Divulgação: Maio de 2014. 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Subsecretaria

Leia mais

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres META 3 Eliminar as disparidades entre os sexos no ensino fundamental e médio, se possível, até 2005, e em todos os níveis de ensino, o mais

Leia mais

Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES

Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES Jovanka de Freitas S. Limeira Psicóloga Setor Socioeducacional Caruaru 2014 APRESENTAÇÃO O presente projeto sugere

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA

DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA DIREITOS HUMANOS, JUVENTUDE E SEGURANÇA HUMANA FARIAS, Maria Lígia Malta ¹ SOUSA, Valéria Nicolau de ² TANNUSS, Rebecka Wanderley ³ Núcleo De Cidadania e Direitos Humanos/ PROEXT RESUMO O Projeto de Extensão

Leia mais

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PERFIL DAS

Leia mais

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional

Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional Diretrizes de Aplicação Saúde mental de servidores públicos da Administração direta, autárquica e funcacional CAPÍTULO I PRINCÍPIOS NORTEADORES Art. 1º Os procedimentos em saúde mental a serem adotados

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MESTRADO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MESTRADO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MESTRADO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA REDE DE PROTEÇÃO À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUAÇÃO DE RISCO PARA A VIOLÊNCIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

Leia mais

A Odontologia Legal e a ciência do Direito

A Odontologia Legal e a ciência do Direito A Odontologia Legal e a ciência do direito Revista Brasileira de Odontologia Legal RBOL Odontologia Legal A Odontologia Legal e a ciência do Direito Moacyr da Silva* Thiago Leite Beaini ** * Professor

Leia mais

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA Zardo L*¹ Silva CL*² Zarpellon LD*³ Cabral LPA* 4 Resumo O Vírus da Imunodeficiência humana (HIV) é um retrovírus que ataca o sistema imunológico.através

Leia mais

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS

ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS DAS PERÍCAS ODONTOLÓGICAS Prof. Dr. Eduardo Daruge Titular de Odontologia Legal e Deontologia da FOP-UNICAMP Prof. Medicina Legal da Faculdade de Direito da UNIMEP DEFINIÇÃO: PERÍCIAS

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PERCEPÇÕES E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 2009 PARCERIAS INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Planejamento e supervisão da pesquisa IBOPE INTELIGÊNCIA Campo

Leia mais

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES 21/06/2014 A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde

Leia mais

PROJETO PONTO DE CIDADANIA. COMVIDA Comunidade Cidadania e Vida EDITAL DE SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS

PROJETO PONTO DE CIDADANIA. COMVIDA Comunidade Cidadania e Vida EDITAL DE SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PROJETO PONTO DE CIDADANIA COMVIDA Comunidade Cidadania e Vida EDITAL DE SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS O Ponto de Cidadania é uma inovadora estratégia de apoio psicossocial. Trata-se de uma unidade de acolhimento

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº de de 2015.

PROJETO DE LEI Nº de de 2015. PROJETO DE LEI Nº de de 2015. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL PARA O SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO NO ESTADO DE GOIÁS, DENOMINADO OBSERVATÓRIO ESTADUAL DA VIOLÊNCIA CONTRA O

Leia mais

Especialidades Odontológicas

Especialidades Odontológicas Especialidades Odontológicas Urubatan Medeiros Doutor (USP) - Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária (UERJ/UFRJ) - Consultor do Ministério da Saúde I - Introdução A Odontologia

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

PRODUÇÃO DO CUIDADO EM SAÚDE BUCAL AOS USUÁRIOS PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL NO PSF EM FEIRA DE SANTANA-BA

PRODUÇÃO DO CUIDADO EM SAÚDE BUCAL AOS USUÁRIOS PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL NO PSF EM FEIRA DE SANTANA-BA 1363 PRODUÇÃO DO CUIDADO EM SAÚDE BUCAL AOS USUÁRIOS PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL NO PSF EM FEIRA DE SANTANA-BA Laís Ramos Queiroz¹; Erenilde Marques de Cerqueira² 1. Bolsista PROBIC, Graduanda em

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC FERREIRA, Jean Carlos Barbosa.*¹; MARQUES, Aline Silva¹; SILVA, Julio. Almeida² DECURCIO, Daniel Almeida²; ALENCAR, Ana Helena Gonçalves³;

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

O Paraná Está Ligado!

O Paraná Está Ligado! VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER O Paraná Está Ligado! Lançamento de rede estadual marca o enfrentamento à violência contra a mulher no Paraná O lançamento simbólico de uma rede de atenção à mulher em situação

Leia mais

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES SECRETRIA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB (ASFORA, R. V. S.) - Raphaella Viana Silva Asfora/Autora ¹ Escola Superior da Magistratura

Leia mais

A GESTÃO DOS PROCESSOS TRABALHO NO CREAS

A GESTÃO DOS PROCESSOS TRABALHO NO CREAS A GESTÃO DOS PROCESSOS TRABALHO NO CREAS A Gestão inclui: A coordenação dos recursos humanos e do trabalho em equipe interdisciplinar; Planejamento, monitoramento e avaliação; O registro de informações;

Leia mais

TOXICOMANIAS* COSTA, Priscila Sousa 1 ; VALLADARES, Ana Cláudia Afonso 2

TOXICOMANIAS* COSTA, Priscila Sousa 1 ; VALLADARES, Ana Cláudia Afonso 2 1 EFEITOS TERAPÊUTICOS DA COLAGEM EM ARTETERAPIA NAS TOXICOMANIAS* COSTA, Priscila Sousa 1 ; VALLADARES, Ana Cláudia Afonso 2 Palavras-chave: Arteterapia, Enfermagem psiquiátrica, Toxicomania, Cuidar em

Leia mais

A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CONTEXTO SÓCIO-JURÍDICO: O PAPEL DOS IDOSOS GUARDIÕES

A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CONTEXTO SÓCIO-JURÍDICO: O PAPEL DOS IDOSOS GUARDIÕES A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NO CONTEXTO SÓCIO-JURÍDICO: O PAPEL DOS IDOSOS GUARDIÕES FERREIRA, M.F.J.A. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo TJSP - BRASIL A perspectiva deste trabalho consiste em

Leia mais

PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA

PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA PROJETOS COMUNITÁRIOS DA ULBRA 01 Projetos Comunitários da ULBRA Sob a égide do Programa Violência e Direitos Humanos, projetos comunitários, ações extensionistas e estágios

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

CONHECIMENTO DE IDOSOS SOBRE O CÂNCER DE PRÓSTATA

CONHECIMENTO DE IDOSOS SOBRE O CÂNCER DE PRÓSTATA CONHECIMENTO DE IDOSOS SOBRE O CÂNCER DE PRÓSTATA 1. Renata Emanuela de Queiroz Rêgo. Faculdade Santa Maria/FSM. Email: renata-emanuela@hotmail.com 2. Ankilma do Nascimento Andrade. Faculdade Santa Maria/FSM.

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA ACERCA DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA ACERCA DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1 PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA ACERCA DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1 VOIGT, Bruna Francisco 2 ; PREIGSCHADT, Gláucia Pinheiro 2 ; MACHADO, Rafaela Oliveira 2

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

MAUS TRATOS NA TERCEIRA IDADE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.

MAUS TRATOS NA TERCEIRA IDADE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. MAUS TRATOS NA TERCEIRA IDADE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. 1. Larice Costa Lourenço. Faculdade Santa Maria/FSM. E-mail: laricecostal@gmail.com. 2.Francisca Emikaelle Leite Lopes. Faculdade Santa Maria/FSM.

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE REFERÊNCIA TÉCNICA EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA E POLITICAS PÚBLICAS: UMA APROXIMAÇÃO DO CRPRS COM O MEIO ACADÊMICO

Leia mais

ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Desenvolvimento da Gestão Descentralizada ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL DIAGNÓSTICO PRECOCE E PREVENÇÃO DO CÂNCER BUCAL RELATÓRIO

Leia mais

APRESENTAÇÃO COORDENAÇÃO LINHAS DE PESQUISA DOCENTES PESQUISADORES

APRESENTAÇÃO COORDENAÇÃO LINHAS DE PESQUISA DOCENTES PESQUISADORES APRESENTAÇÃO O Núcleo de Pesquisa de Enfermagem (NEPE) foi fundado em julho de 2014 e tem o objetivo de oferecer um espaço de reflexão acerca de temáticas referentes à área de saúde e oportunizar o crescimento

Leia mais

Rede de Defesa e Segurança

Rede de Defesa e Segurança Rede de Defesa e Segurança 1 PROGRAMA ALIANÇA PELA VIDA Objetivo: Estruturar ações integradas de prevenção, acolhimento e tratamento dos usuários e dependentes de álcool e outras drogas e seus familiares,

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA Romaldo Bomfim Medina Jr 1 Luciane Silva Ramos 2 Fernanda Franceschi de Freitas 3 Carmem Lúcia Colomé Beck 4 O movimento

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM PACIENTES TERMINAIS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

CUIDADOS PALIATIVOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM PACIENTES TERMINAIS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA CUIDADOS PALIATIVOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM PACIENTES TERMINAIS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA Jéssyka Cibelly Minervina da Costa Silva (NEPB/UFPB) jessykacibelly@gmail.com Maria Andréa Fernandes

Leia mais

O PAPEL DO SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA NA REDE DE PROTEÇÃO A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUACAO DE RISCO PARA A VIOLENCIA NO HOSPITAL DE CLÍNICAS.

O PAPEL DO SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA NA REDE DE PROTEÇÃO A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUACAO DE RISCO PARA A VIOLENCIA NO HOSPITAL DE CLÍNICAS. O PAPEL DO SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA NA REDE DE PROTEÇÃO A CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUACAO DE RISCO PARA A VIOLENCIA NO HOSPITAL DE CLÍNICAS. AREA TEMÁTICA: Saúde. COORDENADORA: Prof.ª Dr.ª Denise

Leia mais

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha MANUAL DE DIREITOS E RESPONSABILIDADES DOS PACIENTES www.ocm.mar.mil.br MARINHA DA BRASIL ODONTOCLÍNICA

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO EM MULHERES IDOSAS NO MUNICÍPIO DE LAGOA SECA/PB

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO EM MULHERES IDOSAS NO MUNICÍPIO DE LAGOA SECA/PB RASTREAMENTO DO CÂNCER DE COLO UTERINO EM MULHERES IDOSAS NO MUNICÍPIO DE LAGOA SECA/PB Fernanda Laísy Pereira de Sousa Graduanda do curso de Enfermagem; Bolsista do Programa de Educação pelo Trabalho

Leia mais

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO,PREVENÇÃO,ATENÇÃO E ATENDIMENTO ÁS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA-ESTADO DE SANTA CATARINA.

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO,PREVENÇÃO,ATENÇÃO E ATENDIMENTO ÁS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA-ESTADO DE SANTA CATARINA. POLÍTICA DE EDUCAÇÃO,PREVENÇÃO,ATENÇÃO E ATENDIMENTO ÁS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA-ESTADO DE SANTA CATARINA. JULIA SIQUEIRA DA ROCHA jsiqueiradarocha@gmail.com IONE RIBEIRO VALLE Ione.valle@ufsc.br ELEMENTOS

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referência Especializado de Assistência Social

Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referência Especializado de Assistência Social Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referência Especializado de Assistência Social Proposta para Implementação de Serviço de Responsabilização e Educação de Agressores Grupo Paz em Casa

Leia mais

PRÁTICAS INTERDISCIPLINARES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

PRÁTICAS INTERDISCIPLINARES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PRÁTICAS INTERDISCIPLINARES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Elisa Angélica Alves Guedes 1 Albertina Marília Alves Guedes 2 Gabriela Miranda Nunes 3 1 Mestranda do Programa de Pós-GraduaçãoFormação

Leia mais

ALCOOLISMO ENTRE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM: UM ESTUDO TRANSVERSAL

ALCOOLISMO ENTRE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM: UM ESTUDO TRANSVERSAL ALCOOLISMO ENTRE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM: UM ESTUDO TRANSVERSAL RESUMO Descritores: Alcoolismo. Drogas. Saúde Pública. Introdução Durante a adolescência, o indivíduo deixa de viver apenas com a família

Leia mais

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA (2011) Dayana Lima Dantas Valverde Psicóloga, graduada pela Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana, BA. Pós-graduanda em Saúde Mental

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE): Saúde e educação integral das crianças, adolescentes e jovens

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE): Saúde e educação integral das crianças, adolescentes e jovens PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE): Saúde e educação integral das crianças, adolescentes e jovens O que é o PSE? O PSE é uma política intersetorial do Saúde e do, instituído em 2007, por decreto presidencial.

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2 Violência de gênero Nesta unidade, analisaremos os aspectos específicos referentes

Leia mais

A PROMOÇÃO DA SAÚDE DO ADOLESCENTE NA ATENÇÃO BÁSICA COMO DESAFIO PARA A ENFERMAGEM

A PROMOÇÃO DA SAÚDE DO ADOLESCENTE NA ATENÇÃO BÁSICA COMO DESAFIO PARA A ENFERMAGEM A PROMOÇÃO DA SAÚDE DO ADOLESCENTE NA ATENÇÃO BÁSICA COMO DESAFIO PARA A ENFERMAGEM Górki Pires de Andrade gorkipires@hotmail.com Jessica Rabelo Holanda jeholanda2010@hotmail.com Kelianny Pinheiro Bezerra

Leia mais

O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NO ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Alicia Santolini TONON 1 Juliene AGLIO 2

O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NO ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Alicia Santolini TONON 1 Juliene AGLIO 2 1 O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NO ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Alicia Santolini TONON 1 Juliene AGLIO 2 RESUMO: Este artigo apresenta uma reflexão sobre a violência

Leia mais

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO

SUPERANDO A DEPRESSÃO RESUMO SUPERANDO A DEPRESSÃO Andreza do Ouro Corrêa - andreza.correa@ymail.com Mayara Cristina Costa Mariângela Pinto da Silva Gislaine Lima da Silva - gilisilva@ig.com.br Curso de Psicologia Unisalesiano/ Lins

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher

PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher Lucinery Helena Resende Ferreira do Nascimento Túlio Carlos Souza Ortiz Desde o nascimento da Lei 11.340, em

Leia mais

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Ensino Médio Elaborar uma proposta curricular para implica considerar as concepções anteriores que orientaram, em diferentes momentos, os

Leia mais

ATENDIMENTO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: ANÁLISE DE UMA CASA ABRIGO

ATENDIMENTO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: ANÁLISE DE UMA CASA ABRIGO ATENDIMENTO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: ANÁLISE DE UMA CASA ABRIGO Juliana Medeiros da Silva 1 A violência doméstica praticada pelo parceiro íntimo é uma das formas mais comuns de violência

Leia mais

Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero

Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero Projeto Novos Horizontes: Grupo Reflexivo Para Homens Autores de Violência de Gênero Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: II Projetos em implantação (projetos que

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e

Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e Anexo II Di r e t r i z e s Ge r a i s d o s Se rv i ç o s d e Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e Educação do Agressor SERVIÇO DE RESPONSABILIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DO AGRESSOR Ap r e s e n ta ç ã o A presente

Leia mais

VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR.

VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR. VII JORNADA DE ESTAGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL DO MUNICIPIO DE CARAMBEÍ PR. Resumo: CARNEIRO, Alana Caroline 1. SIVEIRA, Adriane 2. SOUZA,

Leia mais

MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO

MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO MORBIDADE E MORTALIDADE POR NEOPLASIAS NO ESTADO DE PERNAMBUCO Edmilson Cursino dos Santos Junior (1); Renato Filipe de Andrade (2); Bianca Alves Vieira Bianco (3). 1Fisioterapeuta. Residente em Saúde

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

Feminicídios: a violência fatal contra a mulher

Feminicídios: a violência fatal contra a mulher Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil Leila Posenato Garcia*, Lúcia Rolim Santana de Freitas, Gabriela Drummond Marques da Silva, Doroteia Aparecida Höfelmann * Instituto de Pesquisa Econômica

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental TRANSVERSALIDADE Os temas transversais contribuem para formação humanística, compreensão das relações sociais, através de situações de aprendizagens que envolvem a experiência do/a estudante, temas da

Leia mais

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres

Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Atenção à Saúde e Saúde Mental em Situações de Desastres Desastre: interrupção grave do funcionamento normal de uma comunidade que supera sua capacidade de resposta e recuperação. Principais causas de

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

PROGRAMA DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES DA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL, ESTADO DA PARAÍBA

PROGRAMA DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES DA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL, ESTADO DA PARAÍBA PROGRAMA DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES DA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL, ESTADO DA PARAÍBA Eulina Helena Ramalho de Souza 1 Telma Ribeiro Garcia 2 INTRODUÇÃO O câncer de mama é uma neoplasia

Leia mais

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1 Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Nome fantasia: Projeto de volta prá casa Instituições: Núcleo de Epidemiologia do Serviço de Saúde Comunitária da Gerência de saúde Comunitária

Leia mais

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA

Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Projetos de Extensão SERVIÇO SOCIAL Estudo sociais em parceria com o fórum de UVA Serviços técnicos do Serviço Social na área da família e infância nos processos do Fórum de União da Vitória O Serviço

Leia mais

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO I. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para atuação privativa do Enfermeiro em Aconselhamento Genético, no âmbito da equipe

Leia mais

RESUMOS COM RESULTADOS... 1144 RESUMOS DE PROJETOS... 1146 RELATOS DE EXPERIÊNCIA... 1148 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 1150

RESUMOS COM RESULTADOS... 1144 RESUMOS DE PROJETOS... 1146 RELATOS DE EXPERIÊNCIA... 1148 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 1150 1143 RESUMOS COM RESULTADOS... 1144 RESUMOS DE PROJETOS... 1146 RELATOS DE EXPERIÊNCIA... 1148 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 1150 RESUMOS COM RESULTADOS 1144 PERFIL PSICOSSOCIAL E HISTÓRICO DO IDOSO EM

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Mostrando que a proteção de nossas crianças e adolescentes também está em fase de crescimento Subsecretaria de Promoção

Leia mais

6 Considerações finais

6 Considerações finais 6 Considerações finais Este pesquisa objetivou investigar como vem se caracterizando o processo de reforma psiquiátrica em Juiz de Fora e suas repercussões no trabalho dos assistentes sociais no campo

Leia mais

OS SEVIÇOS DE ATENÇÃO À VIOLÊNCIA CONTRA IDOSO: O CIAPVI DE MANAUS

OS SEVIÇOS DE ATENÇÃO À VIOLÊNCIA CONTRA IDOSO: O CIAPVI DE MANAUS OS SEVIÇOS DE ATENÇÃO À VIOLÊNCIA CONTRA IDOSO: O CIAPVI DE MANAUS Ana Paula de S. Oliveira - Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia Universidade Federal do Amazonas. E-mail:

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2-Violência e criança

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2-Violência e criança Universidade do Estado do Rio de Janeiro Vice-Reitoria Curso de Abordagem da Violência na Atenção Domiciliar Unidade 2-Violência e criança Nesta unidade, analisaremos os aspectos específicos referentes

Leia mais

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO

PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO a Área da Assistência Social PENSANDO NA PRÁTICA: AS AÇÕES E ATIVIDADES EXECUTADAS NOS CRAS/CREAS FACILITADORA: INÊS DE MOURA TENÓRIO Assistência Social na PNAS Situada como proteção social não contributiva;

Leia mais

Palavras-chave: Transição acadêmico-profissional; formação em Psicologia; mercado de trabalho.

Palavras-chave: Transição acadêmico-profissional; formação em Psicologia; mercado de trabalho. 1 FORMAÇÃO, INSERÇÃO E ATUAÇÃO PROFISSIONAL NA PERSPECTIVA DOS EGRESSOS DE UM CURSO DE PSICOLOGIA. BOBATO, Sueli Terezinha, Mestre em Psicologia pela UFSC, Docente do Curso de Psicologia na Universidade

Leia mais