Exames ocupacionais odontológicos. Mazzilli 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exames ocupacionais odontológicos. Mazzilli 2011"

Transcrição

1 Exames ocupacionais odontológicos Mazzilli 2011

2 Clique para editar o estilo do título mestre Contexto dos exames Saúde e Segurança do Trabalho - Servidores Públicos Atribuições e competências definidas em Odontologia // Estomatologia ** (Tragus à espinha nasal Hióide ao frontal) Âmbito da Perícia do Servidor Público Federal lei 8112/ 1990 Decreto- Lei 7003/2009 regulamenta a licença tratamento de saude (art. 202 a 205 da 8112/90) Portaria nº de 797 de 22 março de 2010 : Manual de Perícia Oficial em Saúde do Servidor Público Federal CFO Resol 87 de 26/05/2009: Normatiza a perícia e junta odontológica e dá outras providências. Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 2 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

3 Clique para editar o estilo do título mestre Perfil da especialidade de Odontologia do Trabalho Odontologia do trabalho 10 anos ( ) CFO resoluções 22/ 2001 e 25/ 2002 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 3 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

4 Clique para editar o estilo do título mestre CFO PORTARIAS Cursos de Especialização em Odontologia do Trabalho RECONHECIDOS ENCERRADOS: 32 CREDENCIADOS ENCERRADOS: 36 APROXIMADAMENTE 1000 ESPECIALISTAS EM com Registro no CFO (04/ 11/ 2011) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 4 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

5 Clique para editar o estilo do título mestre Perfil da especialidade de Odontologia do Trabalho Brasil hoje: - referência na área produção científica normas / legislação Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 5 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

6 Tendências Clique para editar o estilo do título mestre Estatutário CLT SUS PROJETO DE LEI 422/2007 TRAMITANDO NO CONGRESSO Situação: Pronta para Pauta na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 6 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

7 Tendências Clique para editar o estilo do título mestre Progressão Depois da CTASP a matéria deverá seguir para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Aprovada, será encaminhada para o Senado. Fonte CFO Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 7 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

8 Clique para editar o estilo do título mestre Dos exames ocupacionais Desafios : Compatibilizar necessidades administrativas e de gestão de RH e demais pressões e demandas ( internas e externas) aos princípios e fundamentos em saúde e segurança Autonomia, exercida com elevado senso de equilíbrio e de justiça tanto do ponto de vista técnico quanto ético Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 8 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

9 Clique para editar o estilo do título mestre Exames ocupacionais 20 situações previstas na portaria 797/2010 Rotinas Gerais: Admissionais, periódicos, afastamento ou retorno à atividade Especiais: Avaliação ou estabelecimento de nexo técnico entre doença ou agravo e ocupação; Doenças e Acidentes do Trabalho, Readaptação de Função, Aposentadoria 9 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

10 Clique para editar o estilo do título mestre Buscando o melhor êxito Sucesso depende do equilíbrio entre Monitoramento & Prevenção e promoção de saúde 10 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

11 Clique para editar o estilo do título mestre Pontos críticos Evolução e harmonização dos Critérios Ajuste e monitoramento do grau de concordância intra e inter examinadores Trânsito, registro e acesso da informação Sazonalidades e ajustes das prioridades médico- odontológicas Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 11 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

12 Exames admissionais (Exame para Investidura em Cargo Público Clique para editar o estilo (art. do 14 título da Lei 8.112/90) mestre Critérios: alinhados aos objetivos centrais de compatibilidade com a função, segurança e proteção da saúde individual e coletiva Dificuldades emergentes: Estados ou condições incapacitantes: Quais são eles em odontologia; como lidar com estas questões ( particularmente fora do âmbito de formação em odontologia) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 12 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

13 Cárie e incapacidade laboral... Clique para editar o estilo do título mestre Delimitando o conceito cárie... Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 13 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

14 Clique para editar o estilo do título mestre raiz residual Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 14 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

15 Clique para editar o estilo do título mestre reprovado por 1 cárie... Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 15 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

16 Clique para editar o estilo do título mestre Incapacidade apenas na condição 2?. Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 16 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

17 Clique para editar o estilo do título mestre Normas e políticas de conveniência Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 17 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

18 Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 18 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

19 Neonatologia Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 19 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

20 Clique para editar o estilo do título mestre Odontalgia e In(capacidade) Qual é o efeito potencial de 70 gotas ou mais de dipirona (35 +35) em um indivíduo de 65 Kg num intervalo de 30 minutos? E se por acaso este indivíduo estiver conduzindo equipamento ou veículo; ou ainda afeto a atividade* que exija plena atenção Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 20 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais **Convém esclarecer que neste aspecto incluem-se as atividades inerentes ao traj 11/2011

21 Clique para editar o estilo do título mestre Exames para Afastamento do trabalho/ retorno Nosologia e incapacidade: o correto dimensionamento. Aspectos clínicos Versus aspectos periciais compatibilização de necessidades Equalização dos Critérios em perícia Registro adequado **se observa frequente o uso inadequado da CID ex K04.8 K06.9; K08.9 / K01 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 21 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

22 Clique para editar o estilo do título mestre Exames para Afastamento do trabalho/ retorno Uso inadequado da CID K06.9 =Transtorno da gengiva e do rebordo alveolar sem dentes ( SOE) K08.9 = Transtornos dos dentes e suas estruturas de sustentação SOE ( exo por DP?) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 22 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

23 Clique para editar o estilo do título mestre...atenção às Exclusões Uso da CID-10 EX. Colocação e ajustamento de dispositivo de prótese dentária = Z46.3 (Cap XXI Fatores que Influenciam o Estado de Saúde) EXCLUI: Má-função ou outras complicações do dispositivo (T85), Presença de Aparelho de Prótese ou de outro aparelho (Z95-Z97) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 23 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

24 Clique para editar o estilo do título mestre Interpretação Literal Ex: Z96.5 = Presença de raiz dentária e implantes mandibulares EXCLUI Colocação e ajustamento de próteses e de outros dispositivos (Z44-Z46),Complicações de dispositivos protéticos, implantes e enxertos (T82-T85) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 24 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

25 Clique para editar o estilo do título mestre nexo técnico Risco direto e risco indireto (Carnelucci, 1914) Trabalho como Causa necessária Causa concorrente Causa agravante Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 25 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

26 nexo técnico Natureza da exposição / fator de risco 2 Pertinência da relação causal / força de associação Identificável? Existente? 1 Nega tecnopatia ou mesopatia Confirma tecnopatia Schillig 1 Confirma mesopatia Schillig 2 ou 3 Tipo de relação com o trabalho: Causa Necessária ** Concorrent e * Agravante * 3 Intensidade da exposição suficiente para o surgimento? SIM 4 Tempo de exposição suficiente para o surgimento? SIM 5 Tempo de latência suficiente para o surgimento? Reforçam a hipótese de relação causal 8 Evidências epidemiológicas Análise da situação pregressa à atividade? **Dispensável 6 SIM 7 *Indispensável

27 Clique para editar o estilo do título mestre Periódicos Mantém-se os objetivos centrais / resulta em ASO odontológico Aspectos para exame e monitoramento: Tecidos dentários Tecidos moles Periodonto alterações ; PIP e IPC Bases ósseas ATM Cruzamento dos dados com variáveis ocupacionais e indicadores de outros exames de saúde Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 27 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

28 Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 28 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

29 Clique para editar o estilo do título mestre Previsões - exames Portaria 797/2010 Atribuições Gerais da Perícia Oficial em Saúde Licença para Tratamento de Saúde do Servidor (arts. 202, 203 e 204 da Lei 8.112/90) / Licença por Motivo de Doença em Pessoa da Família (arts e 83 da Lei 8.112/90) Licença por Motivo de Acidente em Serviço ou Doença Profissional (arts. 212 da Lei 8.112/90 e art. 20 da Lei /91) Aposentadoria por Invalidez (art. 186 da Lei 8.112/90) Constatação de Invalidez de Dependente ou Pessoa Designada (arts. 217 e 222 da Lei 8.112/90) e Comprovação de Deficiência de Dependente (art. 217 da Lei 8.112/90) Remoção de Servidor por Motivo de Saúde (art. 36 da Lei 8.112/90) Horário Especial para Servidor Portador de Deficiência ou seu Dependente (art. 98 da Lei 8.112/90) 29 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

30 Clique para editar o estilo do título mestre Previsões - exames Portaria 797/2010 Atribuições Gerais da Perícia Oficial em Saúde Constatação de Deficiência dos Candidatos Aprovados em Concursos Público nas Vagas de Pessoas com Deficiência (arts. 3 e 4 do Decreto 3.298/99, alterados pelo Decreto 5.296/2004) Recomendação para Tratamento de Acidentados em Serviço em Instituição Privada, à Conta de Recursos Públicos (art. 213 da Lei 8.112/90) Readaptação (art. 24 da Lei 8.112/90) Reversão de Servidor Aposentado por Invalidez (arts. 25 e 188 da Lei 8.112/90) Avaliação do Servidor Aposentado para Constatação de Invalidez por Doença Especificada em Lei (art. 190 da Lei 8.112/90) Aproveitamento de Servidor em Disponibilidade (art. 32 da Lei 8.112/90) Exame para Investidura em Cargo Publico (art. 14 da Lei 8.112/90) 30 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

31 Clique para editar o estilo do título mestre Previsões - exames Portaria 797/2010 Atribuições Gerais da Perícia Oficial em Saúde Pedido de Reconsideração e Recurso (arts. 106, 107 e 108 da Lei 8.112/90) Avaliação para Isenção de Imposto de Renda (art. 6 da lei 7.713/88, alterada pela Lei11.052/04) Comunicação de Doença de Notificação Compulsória ao Órgão de Saúde Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 31 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

32 Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugenio Nigro Mazzilli (11) Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 32 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

33 Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 33 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

34 DRTs... O que são?

35 Doenças relacionadas com o trabalho Trabalho é causa necessária Trabalho pode ser um fator de risco, contributivo, mas não necessário Doença X Trabalho é provocador de um distúrbio latente, ou agravador de doença já estabelecida ou préexistente, ou seja, concausa Mazzilli 35

36 Doenças relacionadas com o trabalho Classificação de Schilling (1984) Grupo I (Tecnopatias): peculiar a determinada atividade Grupo II (Mesopatias): Atividade exerce ação concorrente ou predisponente Grupo III (Mesopatias): Atividade desperta distúrbio latente ou agrava condição preexistente Mazzilli 36

37 Listas oficiais de doenças relacionadas ao trabalho Com base na epidemiologia* dos agravos à saúde relacionados ao trabalho: anexo II do Decreto 2.172/97 MPAS Lista demandada pelo MS em 1998 e adotada pelo MPAS (Anexo do Decreto RGPS, de 06/05/1999) Decreto 6042/2007 ( altera o RGPS e introduz o NTE) Mazzilli 37

38 DECRETO 3048 (1999) // SUS 2000 LISTA A 27 agentes patogênicos ou grupos de agentes patogênicos LISTA B Doenças, Agentes Etiológicos ou fatores de risco de natureza ocupacional (cerca de 200 entidades nosológicas específicas, todas elas referidas à Classificação Internacional de Doenças (CID), na sua 10ª Revisão). Mazzilli 38

39 Lista A Anexo II Decreto 3048/99 Mazzilli 39

40 Lista B Anexo II Decreto 3048/99 Mazzilli 40

41 Nexo Técnico Epidemiológico Nexo técnico epidemiológico (NTEP), como ficou conhecido, é um dos critérios de concessão de benefício acidentário para aqueles segurados que estão incapacitados para o trabalho por doença estatisticamente freqüente em seu ramo econômico, independente da emissão de CAT. Faz uma relação (nexo) entre as atividades econômicas (Classificação Nacional de Atividades Econômicas CNAE) e os agravos descritos no Código Internacional de Doenças (CID-10). O detalhamento das regras foi feito na Instrução Normativa do INSS, assinada em 27/3/2007 (IN 16/07). Finalidade: distinção entre benefício previdenciário e benefício acidentário Mazzilli 41

42 Considerações a respeito do NTE cnae cnae

43 Nexo causal Considerada a atual legislação previdenciária, ainda é necessário que se estabeleça e que se confirme o nexo de causalidade entre a atividade e a DRT? Mazzilli 43

44 Estabelecimento do nexo causal NEXO Hábitos Circunstâncias individuais Trabalho Ocupação Erosão dentária: Sucção crônica de limão Refluxo Gástrico Laboral ou Ocupacional (nadador) FACT SHEET - Dental Health : Vol. 2 No. 5 February Clínica, Segunda 1999:Risk edição Factors Guanabara on Dental Koogan Erosion 2001 among Swimmers Neville Damm, White Atlas Colorido de Patologia Oral

45 Procedimentos para o estabelecimento do nexo causal: elementos de análise Sujeito o Exame de Saúde Ocupacional ( Ex. clínico; Ex. complementares) a história clínica e ocupacional (atividades pregressas, exames pregressos); Atividade o estudo do local de trabalho; a identificação de riscos físicos, químicos, biológicos, mecânicos, estressantes e outros o estudo da organização do trabalho; oitiva dos demais trabalhadores; Aplicação de conhecimentos e práticas multidisiplinares* Epidemiologia Como os agravos prevalecem ou incidem na população objeto > (dados epidemiológicos atualizados) Mazzilli 45

46 Doenças ocupacionais odontológicas Compreendem Alterações, Disfunções, Lesões e Neoplasias no complexo BMF,decorrentes tanto de efeito direto quanto de efeito indireto (sistêmico) no sítio atingido Tecidos duros : dentes e bases ósseas Periodonto Tecidos moles Alterações músculo- esqueléticas e articulares PROBLEMAS DE PERCEPÇÃO SAÚDE OCUPACIONAL SAÚDE ASSISTENCIAL Mazzilli 46

47 Alteração das Bases ósseas A The etiologia etiology é is incerta, unknown [...], but a exposição exposure to a certos certain agentes agents pode may be estar associated associada with com its sua ocorrência. occurrence. [...] Since Bramwell relatou reported a an associação association entre a esclerodermia between scleroderma e ocupações and que occupations envolviam associated exposição with à sílica silica em dust 1914, in 1914 desde several então diversos reports have estudos documented tem an documentado unusually high uma prevalence elevada of prevalência SSc in these de patients, esclerodermia but if nestes this is real pacientes. SSc or only a scleroderma like diseases is still to be discussed. Systemic sclerosis // Gen fem 28 anos Meiri, SD. Manifestations stomatologiques de la sclérodermie : [Thèse] Faculté de Médecine de l'université de Genève, 2002

48 Alteração das Bases ósseas Esclerose sist. cementoma Displasia florida

49 Periodontopatias Abordagem clínica doutormarciuswagner.org/gpage1.html

50 Periodontopatias Abordagem clínica

51 Periodontopatias Abordagem clínica Investigação de fatores sistêmicos associados Quais?

52 Condutas clínicas + Neville, Damm, White (2001) Púrpura trombocitopênica idiopática A análise etiológica levou em consideração a ocupação?

53 DOENÇAS CAUSALMENTE RELACIONADAS COM OS AGENTES OU FATORES DE RISCO Lista A DL 3048/99 Principais setores: doméstico; produção e refino de gás e petróleo;industria básica de ferro e aço; manufatura de produtos plásticos e borracha; manufatura de produtos químicos (colas tintas vernizes); transportes; laboratórios, entre outros. Mazzilli 53

54 Periodontopatias Abordagem Epidemiológica Prevalência segundo variáveis sócio-demográficas e culturais Busca por fatores sistêmicos influenciados por causas externas Dye, Hirsch e Brody (2002) - USA Third National Health and Nutritional Examination Survey - (NHANES III), Pb no sangue N= 10,033 participants years Perfil SD Tabagismo Residência antiga(pb) An. regressão ajustada - Positivo para lesão de furca (3.8 vs. 2.4 µg/dl) Disponível em URL [abril, 26, 2007] Community Dent Oral Epidemiol 2005; 33: 341 8

55 Periodontopatias Abordagem nos espaços de trabalho Em geral voltada a programas de educação e promoção de saúde ** São altamente positivas e estabelecem mudanças no perfil epidemiológico, todavia, raramente atentam para determinantes ocupacionais Mazzilli 55

56 Periodontopatias Abordagem ocupacional Numa pesquisa por fatores de risco de natureza ocupacional, todos os determinantes devem ser analisados, porém se há interesse em um fator de exposição determinado, uma possibilidade factível seria: Correlacionar a Prevalência de DP (índice periodontal comunitário -lpc) com os demais resultados do PCMSO* Crédito do logotipo Mazzilli 56

57 Lesões em tecidos moles pênfigo vulgar e Lesão de líquen plano reticular bolhoso em mucosa jugal José Alves de Freitas e Dario Ravazzi Ambrizzi - Faculdade de Medicina de Catanduva - SP (cortesia Profa Dra Elaine M. S. Massucato Serviço de Medicina Bucal da Faculdade de Odontologia de Araraquara UNESP).

58 Lesões em tecidos moles Penfigóide benigno mucoso descr autoimune

59 Confirmação histopatológica Diagnóstico Histopatológico e imunofluorescência, para diferenciar líquen plano, penfigóide bolhoso e pênfigo vulgar Penfigóide bolhoso. Presença de fenda subepitelial (HE 100x) FariaJr. et al.(2004) ESTUDO DE LESÕES ORAIS ASSOCIADAS A DOENÇAS DERMATOLÓGICAS

60 Pênfigos O diagnóstico diferencial, deve levar em conta outras lesões vesículo-bolhosas e ulcerativas, principalmente quando localizadas exclusivamente na boca. eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson, líquen plano erosivo, gengivoestomatite herpética, epidermólise bolhosa, candidose, penfigóide, estomatite aftosa recorrente, síndrome de Behçet, erupções bolhosas tóxicas e a dermatite por IgA linear. dermatite herpetifome e gengivite descamativa crônica, lupus eritematoso, necrólise epidérmica tóxica e amiloidose bolhosa. (Castro, 1992; Pires et al. 1999; Shafer et al. 1987) Castro AL. Estomatologia. São Paulo: Editora Santos, Mazzilli 60

61 Penfigóide Benigno Mucoso: Descrição de casos Paciente do sexo feminino, 54 anos, examinado na Clinica de Estomatologia da Universidade Federal da Paraíba, queixando-se do surgimento de "bolhas de sangue" que se rompem na cavidade bucal, deixando uma superfície dolorosa que dificultam sua alimentação e com persistência de seis meses. Durante a anamnese a paciente relatou ainda a presença de lesões dolorosas semelhantes na faringe, região anal e genital. Não relatou lesões na derme ou queixas oftálmicas. Em geral, aspectos ligados à ocupação do paciente ( atual e pregressa) são sequer considerados nas descrições de caso O exame físico intrabucal revelou lesões ulceradas, com halo eritematoso e por vezes de fundo coberto por exsudato fibrinoso de cor esbranquiçada ou sanguinolento, localizadas bilateralmente na mucosa jugal - região retromolar, palato e áreas variadas do rebordo alveolar O quadro geral do paciente era satisfatório, sua condição enquadrava-se no perfil epidemiológico da maioria dos pacientes acometidos pelo PBM. A biópsia foi realizada na região de mucosa jugal esquerda A paciente foi orientada para retornar em 8 dias, fazendo neste período bochechos com solução de betametasona elixir (4 gotas em um pouco de água) três vezes ao dia. PÊNFIGO VULGAR E PENFIGÓIDE BENIGNO DE MUCOSA CONSIDERAÇÕES GERAIS E RELATO DE CASOS Cazal et al. RBPO on line [ago 22, 2207]

62 DOENÇAS CAUSALMENTE RELACIONADAS COM OS AGENTES OU FATORES DE RISCO Lista A DL 3048

63 Lesões em tecidos moles Estudo de base ocupacional Vianna, Santana, McKelvey (2005). Periodontal health and oral mucosal lesions as related to occupational exposure to acid mists 665 active male workers in a large metal plant - Brasil Perfil Sócio D Tempo ativ Selamento labial Matriz de exposição (Análise de regressão) Duration of exposure to acid mists exposure positively associated with oral mucosal lesions among workers without lip sealing. Age, low salaries and oral hygiene were associated with periodontal changes Community Dent Oral Epidemiol 2005; 33: 341 8

64 Mazzilli 64

65 Atipias e Neoplasias

66 Reorientação Carcinoma Atlas Colorido de Patologia Oral Clínica, Neville Damm, White Segunda edição Guanabara Koogan 2001 carcinoma espinocelular em lábio inferior com queilite actínica Ramos-e-Silva M, Fernandes N C AFECÇÕES DAS MUCOSAS E SEMI-MUCOSAS - Jornal Brasileiro de Medicina 2001; 80(3):50-66 Mazzilli 66

67 DTMs Mazzilli 67

68 DTM e Dor orofacial : maior prevalência em determinadas ocupações?

69 DTM Amaral EA. Estudo do apertamento dental relacionado a ocupações esportivas sob o aspecto da odontologia do trabalho [monografia] Universidade de Guarulhos, 2006 Mazzilli 69

70 DTMs: Trabalho em Creches e Berçários Mazzilli 70

71 Afastamentos do trabalho PMSP Prevalência nosológica segundo 5 ocupações OR 3,26 p <0,05 (NC 95%) polpa Periodontais Mazzilli LEN. Análise dos afastamentos do trabalho por motivo odontológico em servidores públicos municipais de São Paulo submetidos à perícia ocupacional no período de 1996 a 2000 [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; Mazzilli 71

72 Análise ergonômica: Postura e trabalho estático Gênero Faixa etária Estressores Hábitos parafuncionais As maloclusões classe II alteram a posição da cabeça e dos ombros para frente, as maloclusões classe III deslocam o maciço cefálico para trás (BRICOT 1999) Mazzilli 72

73 Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugênio Nigro Mazzilli ado-de-saude-ocupacional-a-partir-deagora-e-obrigatoriedade-do-empregado 73 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

74 Clique para editar o estilo do título mestre Luiz Eugênio Nigro Mazzilli 74 III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

75 Clique para editar o estilo do título mestre Título: O absenteísmo de causa odontológica em um serviço público federal de São Paulo Togna,GRD; Mazzilli,LEN; Crosato E; Lopez,ED; Bomfim,RA; Michel-Crosato, E.Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo Introdução: O absenteísmo odontológico é a ausência do trabalhador motivada por um estado ou condição de saúde bucal, caracterizando-se pela perda temporária da capacidade de trabalho. A ausência temporária de até 15 dias é conhecida como absenteísmo de curto prazo. Métodos: Foram analisadas todas as solicitações de afastamento do trabalho por motivo odontológico, em um serviço público federal do Estado de São Paulo, que ocorreram durante o período de janeiro de 2008 a dezembro de 2009, totalizando-se 240 solicitações. Resultados: Apurou - se um tempo médio de afastamento de 2,01 dias, com desvio padrão de 2,62. A moda foi de 1 dia e a mediana de 1 dia. Os principais motivos de afastamento foram por ordem de prevalência: 1) exodontias (21,26%); 2) cirurgia para instalação de implantes (8,75%); 3) transtornos da gengiva e do rebordo alveolar sem dentes (7,92%); 4) exodontias de dentes impactados (7,92%); 5) Transtornos dos dentes e de suas estruturas de sustentação (7,08%); 6) Doenças da polpa e dos tecidos periapicais pulpite (3,75%); 7) Doenças da polpa e dos tecidos periapicais abscesso periapical sem fístula (3,34%). Conclusões: A maior prevalência de afastamentos foi decorrente de exodontias e cirurgias para instalação de implantes. Em relação ao tempo de afastamento, observou-se ser o absenteísmo odontológico de curta duração. 75 Luiz Eugênio Nigro Mazzilli III CSSPJ - Exames odontológicos ocupacionais 11/2011

DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS

DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS Curso: Graduação em Odontologia 4º e 5º Períodos Disciplina: Patologia Oral DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 DOENÇAS AUTO-IMUNES

Leia mais

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS Ana Maria Selbach Rodrigues Médica do Trabalho SAÚDE Saúde: do latim, salute salvação, conservação da vida (Dicionário Aurélio) OMS = saúde é um estado

Leia mais

Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e

Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e odontológica através da UNIDADE SIASS/INSS, de que trata

Leia mais

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 K00 - Distúrbios do Desenvolvimento e da Erupção Dos Dentes K00.0 - Anodontia K00.1 - Dentes Supranumerários

Leia mais

Impactos dos Acidentes do Trabalho e Afastamentos Previdenciários

Impactos dos Acidentes do Trabalho e Afastamentos Previdenciários Impactos dos Acidentes do Trabalho e Afastamentos Previdenciários Gustavo Nicolai Gerente de Saúde e Medicina Ocupacional 1. Sistema de Gestão Integrada de QMSR Ciência 2. Política de QMSR 3. Estrutura

Leia mais

Odontologia do Trabalho

Odontologia do Trabalho Odontologia do Trabalho Definições e suas aplicações na prática odontologia 1 Qual foi a motivação? Porquê criar a Odontologia do Trabalho? Desde a Promulgação da Constituição Federal (1988) e a criação

Leia mais

ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUCAL

ABRA A BOCA CONTRA O CÂNCER BUCAL Protocolo Nº: 002-S. Unidade(s) de aprendizagem ou disciplina de referência: Diagnóstico Bucal ( Unidade de Aprendizagem); Patologia Buco Dental e Estomatologia I e II ( disciplina de referência) Ementa:

Leia mais

Dr. José Carlos Steola

Dr. José Carlos Steola n t e p f a p r a t (s a t) Dr. José Carlos Steola Médico do Trabalho Coordenador do Depto de Proteção no Trabalho ( UNIMED de Araras) Médico do Trabalho da Usina Sta Lúcia Araras Médico Coordenador de

Leia mais

AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS

AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS Curso: Odontologia 5º Período Disciplina: Patologia Oral e Maxilofacial DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS

Leia mais

APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE APRENDENDO OS CAMINHOS DA PERÍCIA MÉDICA NO INSS E OS BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE SEGURIDADE SOCIAL SAÚDE PREVIDÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Definição de Seguridade Social É um conjunto de ações destinado

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL.

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL. NÚCLEO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR NAISST REGIMENTO INTERNO Capítulo I Das Disposições Preliminares Art 1º. Este Regimento Interno estabelece e disciplina a estruturação e o

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Orientador Empresarial Dentistas-Consolidação das Normas para Procedimentos nos Conselhos de Odontologia-Alteração RESOLUÇÃO

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo A Norma Regulamentadora 9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais MORAIS, Leonardo Bianchini. O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico

Leia mais

Orientações sobre conduta em caso de acidente em serviço ou do trabalho

Orientações sobre conduta em caso de acidente em serviço ou do trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PROGEPE PRO REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS CASQ COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DPVS DIVISÃO DE PROMOÇÃO E VIGILÂNCIA DA SAÚDE STSO SEÇÃO DE SEGURANÇA

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO Conselho Federal de Medicina (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica

Leia mais

Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais

Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais Cristiane Miranda CARVALHO 1 Marina Pereira COELHO 1 Ronaldo RADICCHI 2 RESUMO Conhecer as causas odontológicas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário NTEP, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

Leia mais

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA Versão I 2013 PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CEO CISA/IJUI 1. ENDODONTIA 2. PERIODONTIA 3. CIRURGIA ORAL MENOR 4. PACIENTES

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Previdenciário, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei nº 8.212, de

Leia mais

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira OBJETO: Estabelece

Leia mais

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha

Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha Diretoria de Saúde da Marinha Centro Médico Assistencial da Marinha Odontoclínica Central da Marinha MANUAL DE DIREITOS E RESPONSABILIDADES DOS PACIENTES www.ocm.mar.mil.br MARINHA DA BRASIL ODONTOCLÍNICA

Leia mais

www.cuiaba.mt.gov.br

www.cuiaba.mt.gov.br www.cuiaba.mt.gov.br COLABORADORES DA PERÍCIA MÉDICA SETOR MÉDICO: Dr. george salvador brito alves lima - assessor téc. em perícia médica dr. jaime pereira frank - assessor téc. em perícia médica SETOR

Leia mais

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis:

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis: Telefones úteis: Perguntas e Respostas sobre a CAT SUBDELEGACIA DO TRABALHO: (19) 3433-9563 INSS: 0800-780191 / 135 MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO: (19) 3796-9600 DELEGACIA SECCIONAL: (19) 3434-4133 SERVIÇO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 Define o currículo do Curso de Graduação em Odontologia. O REITOR

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

O fator acidentário previdenciário (FAP) e o nexo técnico epidemiológico (NTE)

O fator acidentário previdenciário (FAP) e o nexo técnico epidemiológico (NTE) Página 1 de 5 O fator acidentário previdenciário (FAP) e o nexo técnico epidemiológico (NTE) Texto extraído do Jus Navigandi http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=10065 Leonardo Bianchini Morais

Leia mais

CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS

CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS Dr. Ailton Luis da Silva www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 Modelos de Serviços de Saúde Ocupacional existentes. A Convenção

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO DO TRABALHO. Em relação ao Regime Jurídico Único, são deveres do servidor público, EXCETO:

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO DO TRABALHO. Em relação ao Regime Jurídico Único, são deveres do servidor público, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO DO TRABALHO QUESTÃO 21 Em relação ao Regime Jurídico Único, são deveres do servidor público, EXCETO: a) Observar as normas legais e regulamentares. b) Ser leal

Leia mais

Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012

Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012 Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012 Dia 20/01/2012 Sexta Feira Na Associação Paulista de Medicina. ATIVIDADE TEMA DA ATIVIDADE ( Observação

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial.

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial. QUESTÕES DE PROVA BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 1. Considerando a análise do direito ao auxílio doença, analise as situações abaixo e assinale S (sim) ou N (não) quanto a essa concessão. A seguir, assinale

Leia mais

ATO Nº 20/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 20/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 20/2011 Disciplina a concessão de licenças-médicas aos servidores em exercício neste Regional e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas

Leia mais

NORMA DE EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS - NOR 325

NORMA DE EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS - NOR 325 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS COD: NOR 325 APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 240, de 04/06/2012 NORMA DE EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS - NOR

Leia mais

ACIDENTES DO TRABALHO. Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas. Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.

ACIDENTES DO TRABALHO. Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas. Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv. ACIDENTES DO TRABALHO Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.br Acidente do Trabalho Lei 8.213/91, art. 19: Ocorre pelo

Leia mais

PERÍCIA OFICIAL EM SAÚDE

PERÍCIA OFICIAL EM SAÚDE PERÍCIA OFICIAL EM SAÚDE MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA UNIDADE SIASS/UFSC/SC SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIDADE SIASS/UFSC O QUE É siass? O Subsistema Integrado de Atenção

Leia mais

disponibilidade do proprietário. Em geral, a melhor forma de profilaxia consiste na escovação dentária diária em animais de pequeno porte e, três

disponibilidade do proprietário. Em geral, a melhor forma de profilaxia consiste na escovação dentária diária em animais de pequeno porte e, três Perfil do proprietário de cães e gatos da cidade de Jataí GO em relação aos cuidados odontológicos de seus animais RESENDE, Lara Gisele¹; PAIVA, Jacqueline de Brito¹; ARAÚJO, Diego Pereira¹; CARVALHO,

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL DE SERVIÇO SOCIAL NA PREVIDÊNCIA SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ATUAÇÃO NO BENEFÍCIO POR INCAPICIDADE

SEMINÁRIO NACIONAL DE SERVIÇO SOCIAL NA PREVIDÊNCIA SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ATUAÇÃO NO BENEFÍCIO POR INCAPICIDADE SEMINÁRIO NACIONAL DE SERVIÇO SOCIAL NA PREVIDÊNCIA SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ATUAÇÃO NO BENEFÍCIO POR INCAPICIDADE Ângela Maria Fenner Assistente Social do INSS Conselheira do

Leia mais

CARTILHA DO USUÁRIO. Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progepe)

CARTILHA DO USUÁRIO. Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progepe) Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progepe) CARTILHA DO USUÁRIO Centro Integrado de Assistência ao Servidor (CIAS) Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor Público Federal (SIASS) Unidade CEFET-MG

Leia mais

Disciplina: Saúde e Trabalho

Disciplina: Saúde e Trabalho Disciplina: Saúde e Trabalho AULA: ACIDENTES DE TRABALHO Isabel Braga Rio de Janeiro Setembro / 2010 Definição: Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, ou ainda

Leia mais

A importância do RH no processo de contestação do FAP. WOLNEI TADEU FERREIRA Outubro 2014 FIESP

A importância do RH no processo de contestação do FAP. WOLNEI TADEU FERREIRA Outubro 2014 FIESP A importância do RH no processo de contestação do FAP WOLNEI TADEU FERREIRA Outubro 2014 FIESP Como é definido o FAP? Como é calculado: o FAP anual reflete a aferição da acidentalidade nas empresas relativa

Leia mais

PENFIGÓIDE BENIGNO DE MUCOSA

PENFIGÓIDE BENIGNO DE MUCOSA PENFIGÓIDE BENIGNO DE MUCOSA Sâmira Ambar Lins 1 Alvimar Lima de Castro 2 Glauco Issamu Miyahara 2 Elerson Gaetti-Jardim-Júnior 2 1 Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Odontologia/ Estomatologia

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 6 Dona Margarida. Fundamentação Teórica: Odontologia geriátrica

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 6 Dona Margarida. Fundamentação Teórica: Odontologia geriátrica CASO COMPLEXO 6 Dona Margarida : Maria Angela M. Mimura As alterações e patologias apresentadas no caso de Dona Margarida são diversas e de etiologias diferentes, portanto serão tratadas por itens de modo

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no CEO Cidade Tiradentes - Município de

Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no CEO Cidade Tiradentes - Município de Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no CEO Cidade Tiradentes - Município de São Paulo - na especialidade de Estomatologia. Epidemiologic profile of the patients treated at Stomatology Service

Leia mais

Importância do exame radiográfico

Importância do exame radiográfico Exames e Indicações Importância do exame radiográfico O exame radiográfico de rotina associado ao exame clínico é a maneira mais efetiva de se obter o índice diagnóstico de 100% de cárie (segundo Estevam

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Programa de Readaptação Funcional Hospital Sírio-Libanês

Programa de Readaptação Funcional Hospital Sírio-Libanês Programa de Readaptação Funcional Hospital Sírio-Libanês Maria Laura Barbirato Apparecido Enfermeira do Trabalho A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês HSL IEP Escola de Enfermagem

Leia mais

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES

INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES INFORMÁTICA ANS GUIA TISS CERTIFICADO DIGITAL TABELA TUSS TABELA DE ATOS ESPECIALIDADES 21/06/2014 A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é a agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde

Leia mais

PERÍCIA OFICIAL EM SAÚDE

PERÍCIA OFICIAL EM SAÚDE PERÍCIA OFICIAL EM SAÚDE MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA UNIDADE SIASS/UFSC/SC SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIDADE SIASS/UFSC O QUE É SIASS? O Subsistema Integrado de Atenção

Leia mais

EMENTA: Na falta da comunicação de

EMENTA: Na falta da comunicação de PARECER CONSULTA Nº 02/2015 CRM/PA - PROCESSO CONSULTA Nº 014/2014 PROTOCOLO Nº 5684/2014 INTERESSADO: A.C.P.C. PARECERISTA: CONSELHEIRA MARIA CRISTINA V. CHEGÃO M. ROCHA. EMENTA: Na falta da comunicação

Leia mais

CÂNCER DE BOCA. Disciplina: Proteção Radiológica. Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho

CÂNCER DE BOCA. Disciplina: Proteção Radiológica. Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho CÂNCER DE BOCA Disciplina: Proteção Radiológica Docente: Karla Alves Discentes: André Luiz Silva de Jesus Paloma Oliveira Carvalho OBJETIVOS Descrever o processo carcinogênico geral e específico para o

Leia mais

Especialidades Odontológicas

Especialidades Odontológicas Especialidades Odontológicas Urubatan Medeiros Doutor (USP) - Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária (UERJ/UFRJ) - Consultor do Ministério da Saúde I - Introdução A Odontologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

AV. TAMBORIS ESQUINA COM RUA DAS PEROBAS, S/Nº - SETOR SÃO LOURENÇO CEP 76530-000 MUNDO NOVO GOIÁS FONES:

AV. TAMBORIS ESQUINA COM RUA DAS PEROBAS, S/Nº - SETOR SÃO LOURENÇO CEP 76530-000 MUNDO NOVO GOIÁS FONES: SAÚDE BUCAL INTRODUÇÃO A evolução da Odontologia enquanto ciência da saúde é uma realidade incontestável. Dentro deste contexto de mudanças de paradigma, no qual a Promoção de Saúde toma o lugar da prática

Leia mais

Estratégia Saúde Integrada

Estratégia Saúde Integrada Departamento de Saúde e Segurança Por trás de uma vida existem muitas outras. Estratégia Saúde Integrada Fernando Coelho Neto Gerente de Saúde Corporativa Evolução da estratégia em Saúde Corporativa Cumprimento

Leia mais

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Sumário Abreviaturas...3 Resumo...4 Introdução...5 Cronograma dos processos...5 Análise crítica...8 Proposta de melhoria...9 Anexos...10 1 Abreviaturas

Leia mais

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque.

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque. Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem empresarial dos temas em destaque. Professora: Luciana Saldanha Advogada, especialista em direito trabalhista e previdenciário.

Leia mais

Gestão do Risco Ergonômico 6º SENSE. Nadja de Sousa Ferreira, MD PhD Médica do Trabalho

Gestão do Risco Ergonômico 6º SENSE. Nadja de Sousa Ferreira, MD PhD Médica do Trabalho Gestão do Risco Ergonômico 6º SENSE Nadja de Sousa Ferreira, MD PhD Médica do Trabalho Objetivo Objetivo Apresentar os conceitos científicos sobre o Risco Ergonômico e sua relação com o corpo humano. Fazer

Leia mais

SOBRE AS INSCRIÇÕES DA XIV JOF REGULAMENTO

SOBRE AS INSCRIÇÕES DA XIV JOF REGULAMENTO SOBRE AS INSCRIÇÕES DA XIV JOF Taxa de Adesão Até dia 09/09/2013 = R$ 100,00 ou 2 x R$ 55,00 A partir de 10/09/2013 = R$ 120,00 A adesão inclui: Jornada acadêmica Cursos (Palestrantes) e Hands On Jantar

Leia mais

TUMORES DOS TECIDOS MOLES: FIBROMATOSE GENGIVAL SOFT TISSUE TUMORS: GINGIVAL FIBROMATOSIS

TUMORES DOS TECIDOS MOLES: FIBROMATOSE GENGIVAL SOFT TISSUE TUMORS: GINGIVAL FIBROMATOSIS TUMORES DOS TECIDOS MOLES: FIBROMATOSE GENGIVAL SOFT TISSUE TUMORS: GINGIVAL FIBROMATOSIS FAÍSCA, T. M. R. T. * ROSA, A. N. ** RACHID, H. *** RESUMO Trata-se de um caso clínico de fibroma gengival de um

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0079-2015. CARGO: Odontólogo MANAUS. SESI - Amazonas

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0079-2015. CARGO: Odontólogo MANAUS. SESI - Amazonas COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO- Nº 0079-2015 CARGO: Odontólogo MANAUS SESI - Amazonas O Departamento de Gestão de Pessoas do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (SESI) abre inscrições

Leia mais

NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL. ASO Natalia Sousa

NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL. ASO Natalia Sousa NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ASO Natalia Sousa ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ASO Para cada exame médico ocupacional realizado, o médico emitirá o ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) em duas vias:

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica e ocupacional Exame

Leia mais

ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Desenvolvimento da Gestão Descentralizada ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL DIAGNÓSTICO PRECOCE E PREVENÇÃO DO CÂNCER BUCAL RELATÓRIO

Leia mais

COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL

COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL NORMA INTERNA NA OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DE TRABALHO 2012 1 SUMÁRIO I Apresentação 03 II Objetivo 03 III Informações gerais 04 IV- Preenchimento

Leia mais

Môsiris R. Giovanini Pereira AFT RS Mestre em Epidemiologia UFRGS

Môsiris R. Giovanini Pereira AFT RS Mestre em Epidemiologia UFRGS Môsiris R. Giovanini Pereira AFT RS Mestre em Epidemiologia UFRGS Gestão da Saúde do Trabalhador na Indústria Quais os indicadores de saúde do trabalhador da indústria? Como estabelecer políticas de promoção,

Leia mais

Estratégia Saúde Integrada

Estratégia Saúde Integrada Departamento de Saúde e Segurança Por trás de uma vida existem muitas outras. Estratégia Saúde Integrada Fernando Coelho Neto Gerente de Saúde Corporativa Evolução da estratégia em Saúde Corporativa Cultura

Leia mais

Modelo da Avaliação da Capacidade Laboral e do Nexo Técnico Previdenciário

Modelo da Avaliação da Capacidade Laboral e do Nexo Técnico Previdenciário Modelo da Avaliação da Capacidade Laboral e do Nexo Técnico Previdenciário Instituto Nacional do Seguro Social - INSS Proposta Inicial Versão Preliminar Junho/2013 MODELO DE AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE LABORAL

Leia mais

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA NÚMERO /DATA 009/01-25/10/2001 ORIGEM SRF/RFFC/ER-6 1.1 Tendo em vista que o contrato firmado com a Sul América não prevê a realização de exames admissionais,

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho A. Aposentadoria por invalidez Decreto Federal nº 3.048, de 06 de maio de 1999 (Regulamento da Previdência Social), que regulamentou a Lei Federal nº 8.122, de 24 de julho de 1991 (Lei Orgânica da Seguridade

Leia mais

A indicação de afastamento do trabalho e de aposentadoria tornou-se

A indicação de afastamento do trabalho e de aposentadoria tornou-se EDITORIAL DO CFM Sex, 08 de Maio de 2009 Ato Médico Pericial: Implicações Éticas e Legais A indicação de afastamento do trabalho e de aposentadoria tornou-se tarefa de peritos e de juntas médico-periciais

Leia mais

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR Sônia Cristina Bittencourt de Paiva Consultora em Saúde Ocupacional e Ergonomia A RELAÇÃO

Leia mais

Benefícios por incapacidade no serviço público Aspectos conceituais

Benefícios por incapacidade no serviço público Aspectos conceituais Benefícios por incapacidade no serviço público Aspectos conceituais XIII Seminário Sul-Brasileiro de Previdência Pública AGIP Gramado (RS) - 2015 Baldur Schubert, médico. Representante da Organização Iberoamericana

Leia mais

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal Paulo Pimentel Sistema Estomatognático Mastigação, fala, digestão e deglutição Paladar, respiração Defesa e reconhecimento imunológico Estética,

Leia mais

I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL

I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL ENCONTRO DA PÓS-GRADUAÇÃO NORMAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS As apresentações poderão ser realizadas na forma de PÔSTER

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

Saúdee Trabalho. Raphael Mendonça Guimarães, Ph.D

Saúdee Trabalho. Raphael Mendonça Guimarães, Ph.D Saúdee Trabalho Raphael Mendonça Guimarães, Ph.D TRABALHADORES X POPULAÇÃO GERAL Saúde do Trabalhador Medicina do Trabalho; Saúde Ocupacional; Saúde do Trabalhador. Exposição ambiental X Exposição ocupacional

Leia mais

OCORRÊNCIA E ETIOLOGIA DO TRAUMATISMO DENTAL EM ALUNOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL/RS

OCORRÊNCIA E ETIOLOGIA DO TRAUMATISMO DENTAL EM ALUNOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL/RS Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino On Line - Ano 4, Número 7, Janeiro/Junho, 2008. 1 OCORRÊNCIA E ETIOLOGIA DO TRAUMATISMO DENTAL EM ALUNOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC FERREIRA, Jean Carlos Barbosa.*¹; MARQUES, Aline Silva¹; SILVA, Julio. Almeida² DECURCIO, Daniel Almeida²; ALENCAR, Ana Helena Gonçalves³;

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola A avaliação e promoção de saúde bucal é ação essencial que integra o Componente I do Programa Saúde

Leia mais

Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família De Nova Olímpia - MT. Importância da Campanha de. Nova Olímpia MT.

Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família De Nova Olímpia - MT. Importância da Campanha de. Nova Olímpia MT. Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família De Nova Olímpia - MT Importância da Campanha de câncer bucal no Município de Nova Olímpia MT. Autores: - CD Fabrício Galli e - CD Michelle Feitosa Costa. Com

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

GRANULOMA PIOGÊNICO: RELATO DE CASO CLÍNICO PYOGENIC GRANULOMA: CASE REPORT

GRANULOMA PIOGÊNICO: RELATO DE CASO CLÍNICO PYOGENIC GRANULOMA: CASE REPORT 12 GRANULOMA PIOGÊNICO: RELATO DE CASO CLÍNICO PYOGENIC GRANULOMA: CASE REPORT RESUMO Sérgio Herrero MORAES 1 Gabriela F. MORAES 2 Júlia DURSKI 3 Flávio Luiz VIERO 4 Débora D. da Silva MEIRA 5 Maria Eugênia

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ODONTOLOGIA Atividades Complementares Atividades extracurriculares desenvolvidades pelo aluno durante os 10 semestres do curso, nas áreas de ensino, pesquisa

Leia mais

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 PLANO DE CURSO C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: Diagnóstico Oral Código: ODO-020 Pré-requisito:

Leia mais

MEDICINA DO TRABALHO INVESTIMENTO OU DESPESA?

MEDICINA DO TRABALHO INVESTIMENTO OU DESPESA? Slide Master MEDICINA DO TRABALHO INVESTIMENTO OU DESPESA? Dr. Cláudio M. da C. Barreto Tel. (21)99588.7203 Consultor em Medicina e Segurança do Trabalho Médico do Trabalho E-mail: claudiomcbarreto@gmail.com

Leia mais

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Deveres dos médicos com relação à saúde do trabalhador Versa sobre normas específicas para médicos que atendam o trabalhador Fonte: Diário Oficial da

Leia mais

Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000.

Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000. [fesehf/cabecalho.htm] Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000. Plano de Saúde Assunto: Rol de Procedimentos Odontológicos para Plano de Saúde Prezado (a) Senhor (a), A Agência Nacional de Saúde

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IBIPORÃ Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE IBIPORÃ Estado do Paraná A CÂMARA MUNICIPAL DE IBIPORÃ,, aprovou e eu, Prefeito do Município, sanciono a seguinte: L E I Nº 2.299/2009 SÚMULA: Dá nova redação a Lei Municipal n 1989/2006, de 20 de janeiro de 2006, que instituiu

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA 1. ODONTOPEDIATRIA PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 422, DE 2007 (Apenso o PL nº 3.707, de 2008)

PROJETO DE LEI N o 422, DE 2007 (Apenso o PL nº 3.707, de 2008) ** 1 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 422, DE 2007 (Apenso o PL nº 3.707, de 2008) Altera o art. 162, Seção III, e o art. 168, Seção V, do Capítulo V do Título II da Consolidação

Leia mais

AUTOPERCEPÇÃO EM SAÚDE BUCAL: IDOSOS E FAMÍLIA

AUTOPERCEPÇÃO EM SAÚDE BUCAL: IDOSOS E FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO PRIMÁRIA/SAÚDE DA FAMÍLIA III CONCURSO NACIONAL DE EXPERIÊNCIAS EM SAÚDE DA FAMÍLIA 05 A 08 DE AGOSTO DE 2008 -

Leia mais

A integração entre saúde ocupacional e assistencial. Dr. Marcos J. C. Baptista, MBA 30.06.2011

A integração entre saúde ocupacional e assistencial. Dr. Marcos J. C. Baptista, MBA 30.06.2011 A integração entre saúde ocupacional e assistencial Dr. Marcos J. C. Baptista, MBA 30.06.2011 Evolução dos modelos de saúde nas empresas Medicina Industrial Medicina do Trabalho Saúde Ocupacional Saúde

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM nº 1.488/1998 (Publicada no D.O.U.,de 06 março 1998, Seção I, pg.150 ) Modificada pela Resolução CFM n. 1.810/2006 Modificada pela Resolução CFM nº 1.940/2010

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais