Revista da ESPM Setembro/Outubro de Entrevista com. Roberto Civita

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Revista da ESPM Setembro/Outubro de 2002. Entrevista com. Roberto Civita"

Transcrição

1 Entrevista com Roberto Civita Quando pensamos no personagem a entrevistar para esta edição da Revista da ESPM, cujo tema de capa é a imagem da propaganda e do marketing no Brasil quase que imediatamente surgiu a idéia de fazê-lo com Roberto Civita, presidente do Grupo Abril uma das maiores empresas de comunicação do Brasil e da América Latina, que também é um grande anunciante e membro do Conselho Superior da ESPM, de onde é exaluno (no tempo em que ainda não havia cursos superiores de comunicação e as aulas eram dadas à noite, depois do expediente, por profissionais das agências de São Paulo). Não era fácil encontrar alguém que reunisse, ao mesmo tempo, características e qualidades (dirão os críticos: e alguns defeitos) de anunciantes, veículos e agências. Mas Roberto Civita é mais que isso. Se, no plano profissional reúne conhecimento e experiência sobre as atividades a que a ESPM vem se dedicando nos últimos 50 anos a propaganda e o marketing, no pessoal trata-se de um empresário consciente das muitas responsabilidades sociais das empresas, assim como das dificuldades especiais que têm de enfrentar, em nosso país, e de um brasileiro permanentemente preocupado, até a angústia, com os destinos do Brasil no mundo moderno e mais ou menos globalizado. Francisco Gracioso e eu fomos visitar RC no tôpo do novo prédio-séde do Grupo Abril, numa típica manhã paulista, de onde se descortinava boa parte da cidade que recebeu tantos empreendedores vindos de outras terras, como Victor Civita, pai de Roberto, que, em 1948, dava início a uma fantástica história de sucesso, editando o primeiro número de uma nova revista de quadrinhos: o Pato Donald. A conversa rendeu muita informação sobre a propaganda e o marketing do Brasil mas também sobre a economia, a política, os perigos da burocracia, se a nossa democracia tem futuro, sobre quais são nossos verdadeiros problemas e oportunidades e o que poderá acontecer depois das eleições. Confira. J. Roberto Whitaker Penteado 92

2 Entrevista O Brasil está com uma democracia cada vez mais consolidada e a esmagadora maioria dos brasileiros a defendem. FG Roberto, a idéia inicial era focarmos a entrevista na imagem do marketing e da propaganda. Mas acho que é preciso alargar um pouco o tema, para dar a você a oportunidade de expressar suas idéias. Propaganda e marketing fazem parte do contexto de livre mercado e são ferramentas que só funcionam quando há concorrência. Mesmo no Brasil, a propaganda cresce ou não de acordo com a liberdade de competir e o ânimo dos investidores para apostar em novas iniciativas. Recentemente, houve uma pesquisa de um Instituto chileno, fazendo uma comparação entre 1996 e 2002, sobre a tendência das pessoas a favor ou contra a democracia, livre mercado versus participação estatal na economia etc. De modo geral, na América Latina, nacionalismo e autoritarismo parecem estar em alta. No Brasil, em particular, nesse período, caiu de 50% para 36% o percentual de pessoas que aprovam a democracia. Em contrapartida, cresce o número de pessoas que criticam as privatizações e acham que o Estado deveria assumir maior papel na economia. Como enfrentar essas tendências? O que as provocou foi o desencanto dos últimos anos. Mas o que fazer daqui para frente? RC Antes de mais nada, não acredito que apenas 35% dos brasileiros estejam a favor da democracia. Não conheço a pesquisa, mas acho que depende de como se formula a pergunta, em que contexto. Eu sinto o contrário, que o Brasil está com uma democracia cada vez mais consolidada e que a esmagadora maioria dos brasileiros a defende. Só que depende como você apresenta a questão, porque obviamente - a população como um todo não é sofisticada. Aposto que consigo fazer uma pesquisa em que 90% dos bra- 93

3 sileiros sejam a favor da democracia. Quanto à intervenção do Estado na economia, o Brasil tem feito enormes progressos na direção oposta tem reduzido a presença do Estado, tem privatizado maciçamente e está passando para um modelo de Estado regulador, ao invés de Estado fazedor. O que acho altamente positivo. O problema é que ainda estamos no início da nossa experiência e do nosso aprendizado. Regulação é algo que se leva décadas para aprender a fazer direito. Ou se regula demais, ou de menos, ou se regula mal. Enfim, é preciso adquirir experiência. A prática da regulação exige como exigem as práticas da democracia, ou do pugilismo treino, experiência. E estamos no início da nossa jornada de regulação, diria que no bom caminho. Acho que até começamos melhor do que se poderia esperar. FG O neoliberalismo fruto dessa orientação para o mercado está em xeque no Brasil. Há os que continuam a defendê-lo e há os que se arrependem. O que você acha do futuro do Brasil, em termos de política econômica do Estado? RC Eu acho que toda essa discussão normalmente é colocada fora do seu contexto básico, que é o seguinte e quero deixar claro que esta é minha visão: Não existe, no mundo de hoje, nem nos países desenvolvidos aliás, não existe em lugar nenhum que eu saiba uma economia de mercado ou um sistema onde o mercado decida tudo sozinho. Onde se deixe o mercado funcionar livre e ele acerte tudo sozinho. Isso é uma fantasia. É óbvio que os governos e o Estado, no mundo inteiro, precisam regular o mercado: regular, não interferir. Es- Regulação é algo que se leva décadas para aprender a fazer direito. tabelecer certas regras de jogo e zelar para que sejam observadas e manter aquilo que os norte-americanos chamam de level the plan field manter o campo do jogo nivelado. Essa questão é fundamental e ainda não foi resolvida. Nem nos Estados Unidos que é a Meca da economia de mercado. Mas não pode existir mercado não regulado. Você tem que manter as pessoas honestas, proteger os acionistas minoritários, proteger o consumidor, porque, cada vez mais, o fabricante se distancia do consumidor. Você tem que garantir que o que está escrito no rótulo ou na etiqueta está dentro da embalagem do produto; acabar com a tendência de cartelização e eliminar a tendência natural do capitalismo ao monopólio. Você tem que regular tudo isso. Então, essa história de deixemos o mercado funcionar e ele resolverá todos os nossos problemas, para mim, é uma enorme ilusão. Não sei se é isso que você chama de neoliberal, mas eu acredito que sempre deverá haver regulação inteligente, competente e honesta do tal mercado. JR Não seria, aqui no Brasil, um caso de semântica? Você citou os Estados Unidos, cuja cultura é liberal e neoliberal. No Brasil não. Nossa história é bastante diferente, e só nos últimos anos é que tem havido privatizações e maior liberdade ao mercado. O Brasil sempre foi um país em que a intervenção era muito maior. Inclusive está no discurso dos candidatos à próxima eleição. RC Talvez visto de longe. Porque, é difícil para qualquer um de nós afastar-se suficientemente do mercado do Brasil para ter uma visão mais objetiva. Minha sensação é de que o mercado brasileiro como um todo está cada vez mais competitivo, mais eficiente, oferece mais es- 94

4 Revista Revista da ESPM da ESPM Setembro/Outubro Setembro/Outubro de 2002 de 2002 colhas para a população e há, cada vez mais, preocupação ou pressão para que se façam as coisas corretamente. Mas isso é uma tendência e demora; não acontece de um dia para o outro ou mesmo de uma década para outra. É um longo processo. FG Sem falar de uma ruptura dramática coisa que nenhum de nós considera provável você acha que essa tendência de o mercado tornar-se cada vez mais competitivo, mais parecido com o que ocorre em outros países, vai prevalecer, independentemente de quem ganhar a eleição? RC Acho que depende de coisas que são muito mais fundamentais do que quem vai ganhar a eleição. Primeiro e mais importante: a regulação tem que ser competente e independente; os mecanismos para isso são fundamentais e parece que ninguém presta muita atenção nisso. O governo Fernando Henrique Cardoso tem feito um trabalho extraordinário e eu nunca vi ninguém discutir o assunto como deveria ser feito no conjunto das agências reguladoras. Como devem ser montadas, quem as integra, como é feito o revezamento e como são montados os conselhos, qual a influência do governo na sua montagem, se os mandatos são fixos ou não, protegidos ou não, se os caras podem ser demitidos ou não. Enfim, como se regula e qual é a filosofia da regulação. Essa questão é absolutamente fundamental e, claro, não vai entrar na campanha porque, de 115 milhões de eleitores, deve haver uns 2 mil que acham isso interessante ou importante. Mas é. Os eleitores na ESPM, por exemplo, sabem como é importante. Você pergunta se eu acho que quem ganhar é que vai determinar isso. Mais importante do que o que acha qualquer dos candidatos é a questão da estrutura. Há algumas coisas nessa equação que considero fundamentais. Primeiro, a questão do financiamento de acesso a capital. No Brasil, estamos, basicamente, num sistema em que todas as economias são emprestadas para o governo e não há crédito a longo prazo para empresas ou para quem quer começar uma. Então, você tem que se endividar, e o custo do endividamento é brutal 20, 30, 40, 50% ao ano, o que torna qualquer negócio inviável. O único negócio que funciona e olhe lá são drogas, porque não há como remunerar o capital nessa proporção. Então, nosso primeiro problema é o mercado de capitais como passar de dívida para equity, como estimular a formação de capital para investimento? Se se continuar a tirar todo o dinheiro da economia, para rolar a dívida interna do governo e remunerá-lo com 20% ao ano, quem é que vai investir em ações ou mercado de capitais e na Bolsa? Se alguém quer abrir uma lavanderia, uma cadeia de lojas, como é que se vai financiar? Onde, como, de que jeito? Isso exige muita reflexão e eu não vejo isso em lugar algum, em nenhum programa nem se discute. Segundo, nossas infraestruturas, nossas estruturas básicas, nosso sistema tributário. Ele atrapalha, complica muito. Leva o país para a informalidade. Temos 65 tributos ou algo assim na vida de uma empresa hoje. Tente abrir uma empresa qualquer que seja e veja o que o espera. A simplificação de tudo isso e do sistema tributário é fundamental. Sempre na minha opinião, continua existindo um excesso de burocracia em todo esse processo. A legislação trabalhista, que engessa e complica e, mais uma vez, leva à informalidade porque o custo para o empregador é brutal e a falta de flexibilidade vai contra as necessidades das oscilações do 95

5 mercado. O sistema judiciário é demorado, emperrado, complicado. Enfim, essas coisas fundamentais são mais importantes para diminizar uma economia do que se vai ganhar o Sr. João ou o Sr. Pedro. FG Dar menos ênfase ao lado social. JR Você fala de 115 milhões de eleitores. Na verdade, quem elege o presidente é a pessoa física e não a jurídica. E o seu raciocínio é de pessoa jurídica. RC É verdade e bem lembrado. Talvez devêssemos ter uma outra eleição com pessoas jurídicas FG Vamos levar o foco para mídia, propaganda e marketing. Com essa nova lei de capitais estrangeiros na mídia mas principalmente com a sua visão do que deverá ocorrer nos próximos anos, não só no Grupo Abril, mas para a mídia brasileira de um modo geral qual é o panorama que você imagina? 96 O mercado brasileiro como um todo está cada vez mais competitivo, mais eficiente. damental para a existência da democracia, sem a publicidade. Já disse isso publicamente em várias ocasiões. Sempre digo aos marqueteiros e aos publicitários: vocês, sem perceber, são os alicerces da democracia. Pensem bem nisso. Porque sem propaganda não há imprensa livre, não há multiplicidade de vozes na sociedade, não há mídia de massa. Haveria mídia do governo, e só. A democracia depende de imprensa livre; a imprensa livre depende da propaganda e a propaganda depende do sistema de mercado. Então, não há como separar essas coisas. Mas as pessoas que estão no ramo esquecem isso todos os dias. Isso não estava na sua pergunta, mas me permiti incluir na resposta. Agora, como é que eu vejo o desenvolvi- O governo Fernando Henrique Cardoso tem feito um trabalho extraordinário. RC A primeira coisa que acho fundamental dizer, nessa entrevista para a Revista da ESPM e que é importante lembrar é que além da propaganda ser o lubrificante e o propulsor de uma economia de mercado, além de ser o que mantém as engrenagens funcionando, não se pode imaginar concorrência, não se pode imaginar, portanto, liberdade de escolha sem propaganda. A propaganda é absolutamente fundamental para gerar emprego, manter a dinâmica de novos produtos. Manter toda essa máquina andando depende da propaganda e do marketing. Mas há uma segunda função que acho que o pessoal de propaganda e marketing esquece e que nós, desse lado da cerca, lembramos, é que não existe mídia, não existe a pluridade de vozes, tão funmento disso no Brasil? Mais uma vez depende do desenvolvimento da economia. Quanto mais tivermos uma economia desenvolvida em todas as frentes e acho que estamos caminhando nessa direção tanto mais teremos necessidade de desenvolver nossa propaganda e marketing que, por sua vez, favorecem e estimulam os veículos de comunicação a competir entre si. O que me preocupa, em relação aos veículos, é que, freqüentemente, nessa busca concorrida para maior audiência, se perde a noção da responsabilidade com o conteúdo, com a missão educadora e informativa. Isso me preocupa, mas não sei qual a solução. Não tenho uma proposta para consertar. Se tivesse, publicaria. Talvez a educação, do outro lado, seja a única esperança. Porque, enquanto se busca a maximização de audiência, entra-se numa espiral descendente de qualidade, já que é mais fácil ter audiência para gente despindo do que para gente discutindo a teoria da evolução; buscam-se coisas que dão resultados mais imediatos. JR Há quem diga que isso é um efeito da própria democracia. Porque a democracia traz mais gente para dentro do mercado e essa que chega não é rica e instruída; é mais pobre. RC Não é preciso ser rico para ser esclarecido, bem formado e bem educado. É preciso, sim, que haja um sistema de educação que estimule as pessoas a pensar, a evoluir no seu pensamento e saber a diferença entre o lixo e o bom. Agora, se preferem o lixo estando numa democracia o que é que vai se fazer? JR É o efeito Ratinho. Mas é inevitável. Você terá um contingente cada vez maior de pessoas que querem nem diria lixo coisas mais simples...

6 RC Coisas vulgares, idiotas. Entretanto, você terá também o outro lado e já temos no Brasil indicação de que há um mercado crescente do outro lado, um mercado para coisas de qualidade, de bom nível, mais sofisticado. Isso é muito interessante. Há um mercado de livros, de publicações periódicas mais sofisticadas. FG Apesar de tudo, as circulações de revistas mantêm-se altas, no Brasil e os livros vendem-se cada vez mais o que mostra que você tem razão. RC Não são altas. Se você considerar o tamanho do mercado, ainda estamos no Brasil num patamar muito baixo de circulação. JR Mesmo quando você soma todas elas? A quantidade de títulos é muito grande. RC Mesmo somando todas. Fizemos esse cálculo para todo o mercado brasileiro, nos últimos anos, de qualquer coisa que fosse vendido na banca ou por assinatura, e chegamos a algo em torno de 800 milhões de exemplares de publicações periódicas. Isso vai desde revista em quadrinho até revista semanal de informação, Mais importante do que o que acha qualquer dos candidatos é a questão da estrutura. 97

7 revistas femininas, especializadas, profissionais, médicas e pornográficas. JR Em que período? RC Um ano. Isso representa 4 ou 5 exemplares per capita. Nenhum país da Europa tem menos do que 12, a Itália deve ter 20. À medida que você vai subindo em latitude, você chega a 30, 40 exemplares per capita por ano. E quando se vai para a Escandinava, chega-se a 60. Se você for otimista, dirá: se o Brasil passar de 4 para 8, dobra o tamanho desse mercado. E oito ainda é muito baixo. Então, o Brasil tem muito mais potencial de aumentar suas circulações do que qualquer país desenvolvido, pois eles já estão no limite, não têm como crescer mais. E nós teremos muitas oportunidades à medida que, primeiro, melhore a educação e, segundo, a distribuição de renda. Não existe a pluridade de vozes, fundamental para a existência da democracia, sem a publicidade. ce mundial, que funcionam como divulgadores de novos estilos de vida. Shows da Madonna, por exemplo, são utilizados como veículos da Coca-Cola ou do McDonald s. No Brasil, não chegamos ainda lá. Mas você, certamente, está a par de tudo e já imagina quando isso vai se difundir também aqui. Como essas novas formas de usar a comunicação comercial deverão afetar a mídia? Irão favorecê-la ou não? RC A mídia tradicional, não. Não acho que vá favorecê-la. Já existe uma certa saturação. O número de mensagens às quais uma pessoa pode ser exposta, com alguma eficácia, tem um limite. Essa história Nessa busca para maior audiência, perde-se a noção da responsabilidade com o conteúdo, com a missão educadora e informativa. FG O futuro da mídia depende, em grande medida, do apoio que a propaganda der, através das verbas. Falando agora da propaganda, sabemos que não só no Brasil, mas no mundo ela está passando por mudanças na sua própria natureza. Recentemente, num fórum que realizamos aqui, o Márcio Moreira, vice-chairman da McCann-Erickson World Group, disse a seguinte frase: A propaganda como está não tem futuro. Ela deverá buscar novas formas de expressão, extrapolando os limites do anúncio e do comercial. Ele se referia a essa tendência que podemos chamar de crossmedia que consiste em utilizar a mídia editorial, através da criação de notícias. Os grandes grupos de mídia, em parceria com grandes empresas do setor do lazer, entretenimento e esportes, montam hoje esquemas estratégicos de alcande bombardear todo mundo, indiscriminadamente, com milhares de mensagens, que não têm nada a ver com o que a pessoa está querendo ou procurando, naquele momento, não é um sistema muito eficiente. Eu penso todos os dias nisso e especialmente aos domingos quando abro os jornais e, antes de lê-los, faço duas pilhas: a pequena das coisas que quero ler e a grande das coisas de que não quero saber. Não estou procurando casa, não quero comprar carro nem cachorro, não estou procurando emprego. Jogo fora 2/3 do meu jornal um desperdício enorme de árvores, para início de conversa. De gasolina, de tinta, transporte. Enfim, de recursos escassos nesse planeta. Não tem sentido continuar assim e, obviamente, não vai continuar. Dei o exemplo do jornal, porque é o mais eloqüente, mas não é o único. Na teoria no mercado mais sofisticado e mais desenvolvido talvez a gente chegue lá. Mas não a curto prazo. Não precisa mudar o currículo da Escola, ainda, Gracioso. Mas, necessariamente, devem-se encontrar sistemas mais racionais de tornar disponível a informação, à medida que você precisa dela e não quando você não precisa. A Coca- Cola é uma coisa, o apartamento na Mooca é outra. Coca-Cola, posso tomar todo dia, mas apartamento não compro todo dia, nem automóvel. Há coisas que se compram de vez em quando e outras a cada 20 anos. E ainda outras que se consomem regularmente. Temos que começar a diferenciar entre elas e encontrar meios mais eficientes de chegar ao cliente potencial não a quem não tem nada a ver com isso. FG Esse então é o desafio? RC Acho que sim: a seletividade, a segmentação, a personalização cada vez maior. 98

8 JR Gostaria de inserir uma questão, que tem a ver com uma pesquisa que a Escola realizou com líderes de opinião, profissionais liberais. Eles parecem ter uma visão bem clara do que é um publicitário, mas não têm a menor idéia do que seja um anunciante ou um veículo. Como é que você vê isso? RC Não sei se é importante que tenham essa visão. Por que precisam saber o que é um anunciante, um veículo? Eu sei o que é, tecnicamente, um veículo. Mas estou pensando no público em geral, os 20% dos brasileiros que lêem jornais e revistas e os 98% que assistem à televisão ou ouvem rádio. Eles sabem o que é um veículo. Podem não estar pensando naquilo como veículo, mas sabem o que é, sabem que estão vendo televisão, ouvindo rádio, lendo jornal, revista. FG Esse dado da pesquisa, eu interpreto da seguinte forma. Para esses líderes de opinião, tudo o que a propaganda tem de bom ou ruim seria culpa ou mérito do publicitário, da agência. No nosso ramo profissional, temos uma consciência clara do que é uma agência de propaganda, do que é um publicitário. Mas eles não associam o mérito ou culpa à figura do anunciante e muito menos à do veículo. Isso, para a propaganda, não é bom, ela acaba, por exemplo, sendo penalizada, por não defender causas de interesse social. JR Isso ficou claro nas respostas. RC Mas esperem aí. Estamos falando de uma pesquisa feita com quem, com que metodologia. Eu aposto com vocês mais uma vez que 97,4% do público brasileiro não têm a menor idéia que exista agência de publicidade. E 98,9% não estão preocupados com publicidade. JR Estamos falando de uma pesquisa de profundidade, feita com 35 pessoas de sete áreas de atividades diferentes. RC Que áreas? JR Médicos, advogados, políticos. RC Ok. Multiplicadores de opinião. Então, estamos mudando de É preciso que haja um sistema de educação que estimule as pessoas a pensar e saber a diferença entre o lixo e o bom. enfoque. Quem está preocupado com o que eles acham disso? JR Os publicitários, por exemplo. Eles estão preocupados com as leis, que se multiplicam no Congresso Nacional, criando restrições à propaganda propaganda para crianças, propaganda de bebidas alcoólicas. Quase toda semana, um deputado aparece com uma lei cerceando de alguma maneira a propaganda. Eles devem achar que, com isso, vão, pelo menos, ganhar votos. RC Para esse tipo de coisa é preciso não apenas que esse público multiplicador, mas o legislativo e o judiciário entendam melhor o processo, sem dúvida. Aí, sim, há trabalho de educação, de esclarecimento, de divulgação a fazer. Surge um deputado com uma nova e brilhante idéia de vamos acabar com isso, vamos proibir aquilo e os que são afetados saem correndo, para fazer lobby. Não se faz um trabalho preventivo, educativo e rotineiro de manutenção. E seria necessário explicar como é que funcionam as coisas, o que é o CONAR, como é que a profissão se auto-regulamenta. Enfim, um trabalho que não está sendo feito jun- 99

9 to aos nossos legisladores e ao executivo. Precisaria fazer, e não quando a casa pega fogo. Antes. JR Mas você não acha que, se o publicitário está tão em evidência... RC Não está tão em evidência. JR Está para aquele segmento de formadores de opinião. Você mesmo disse que isso é uma cadeia, que a economia precisa da propaganda para competição, que o veículo precisa da propaganda para ser independente. Então, a defesa da instituição propaganda não cabe exclusivamente aos publicitários. Os anunciantes, os veículos deveriam, também, participar. RC É óbvio. FG Creio que os veículos estariam prontos a colaborar se a iniciativa fosse tomada pelos publicitários. RC Não precisa ser dos publicitários. Seriam os anunciantes, veículos e agências. Há um trabalho de esclarecimento a fazer, mas é um trabalho de formiguinha, trabalho de persistência que as pessoas não fazem porque se cansam. Começam com bons propósitos, iniciam uma bela campanha, e seis meses depois ninguém agüenta mais e esquecem o assunto. E não há uma percepção exata sobre onde se fazem as leis, a respeito do processo. Isso deveria ser uma atividade contínua. JR Pois é como você sabe perfeitamente, a campanha não vem antes. Vêm antes o planejamento, a pesquisa e, no entanto, há uma tendência, até dos publicitários, de fazer e veicular uma campanha pelo Conselho Nacional de Propaganda. Houve essa emenda constitucional, que permite que até 30% do capital das empresas de mídia possa ser estrangeiro. E não aconteceu nada. RC Sem dúvida. O que estou propondo é aquela coisa sobre a qual todos concordam, mas ninguém faz, nesse planeta, que é a necessidade, primeiro de prevenção. A história da nossa espécie demonstra que esse não é o nosso forte; ao longo de cinco mil anos, tendemos, coletivamente, a só consertar depois. Segundo, da persistência, porque uma das coisas fundamentais é continuar fazendo. Não achar que só porque você explicou uma vez para alguém, está explicado. É aquela história da educação continuada, da necessidade de continuar o processo, que tem de ser permanente. A gente diz sim, sim, sim e não faz. Nem fazemos ginástica Marketing, para mim, é a coisa mais divertida que você pode fazer na vida, fora ser editor. regularmente. Não posso desligar uma sociedade da propaganda e do marketing, embora não se constituam numa questão que a sociedade considere fundamental. Mas é importante, pelo menos entre esses líderes de opinião, de que vocês falaram. FG O que você disse no começo: a importância da propaganda como peça fundamental... RC Como sustentáculo da liberdade de imprensa. A liberdade de imprensa é fundamental para a manutenção e a sustentação da democracia. Você começa com isso... Nós veiculamos, todo ano, há 25 anos, em todas as nossas publicações, uma declaração de princípios a respeito disso. JR Roberto, qual você acha que seja a percepção do leitor sobre a importância da propaganda? RC Depende da publicação. As revistas de moda, no mundo inteiro, são o melhor caso. Elas têm 500 ou 300 páginas de anúncio, antes de começar a revista, a parte editorial. E as leitoras acham que a publicidade, no caso, é tão importante se não mais do que o conteúdo editorial. Elas se informam com isso. Tem gente que compra jornal para ler os anúncios. Inclusive há pesquisas fascinantes feitas sobre esse assunto. A mais importante que eu conheço é quando houve uma greve na Alemanha o famoso caso da Stern. A revista saiu sem anúncio durante a greve, porque só podiam rodar um caderno da revista, com as poucas pessoas que não estavam em greve e tiraram todos os anúncios. Alguém teve a idéia de fazer uma pesquisa entre os leitores, durante a semana em que a revista saiu sem anúncios, para perguntar o que estavam achando. E as pessoas acha- 100

10 vam que a revista tinha ficado pobre, chata. Por quê? Porque a publicidade sem que percebam enfeita, alegra, enriquece, informa. Não fica melhor sem anúncio. FG Definitivamente, eu diria que a maioria das pessoas dá valor à propaganda, quando lê uma revista. JR Roberto, há 15 anos, 75% das maiores agências no Brasil eram brasileiras e a situação, agora, está absolutamente invertida. Das maiores agências, 75% são estrangeiras. RC Sendo honesto e franco, quer dizer, honesto acho que sou sempre, mas franco, tento me conter. No Fabricar é chato; cuidar das finanças, pior. O melhor que você pode fazer é cuidar da área de marketing. caso, eu acho que a quem pertence a agência A, B ou C, se os acionistas estão em Londres, em São Paulo ou em Nova Iorque, Tóquio não faz muita diferença. Aliás, para dizer a verdade, acho que não faz nenhuma diferença. Há os acionistas... JR Mas não o centro de decisão. Falamos, aqui, de centros de decisão. RC Não, você falou brasileiras. Do ponto de vista da propriedade, do capital, acho que não faz nenhuma diferença. FG Nem no tipo de criação? RC Não. Eu acho que o que faz diferença no tipo de criação, na estratégia de mídia, na filosofia da agência etc. são as pessoas que trabalham nela. E, aí, são todos brasileiros e são muito bons. O nível é ótimo. E, francamente, a mudança 101

11 de propriedade não tem feito nenhuma diferença. Certamente, não para pior. A publicidade brasileira continua tendo cada vez melhor nível, é cada vez mais criativa, cada vez mais inovadora uma das melhores do planeta. E certamente não é pelo fato de o acionista estar em Nova Iorque, Paris etc. A minha tese, com referência a capital, é que onde houver capital, e quanto mais você pulverizar e massificar a distribuição da propriedade das coisas, melhor. Não acho tão importante... Aliás, no setor da mídia, houve essa emenda constitucional recente, que permite que até 30% do capital das empresas de mídia possa ser estrangeiro. Primeiro, uma coisa curiosa: não aconteceu nada, por enquanto. Ninguém chegou e comprou coisa alguma. As pessoas com as quais eu tenho falado a respeito, lá fora, perguntam: Quanto pode comprar agora? Você diz: 30%. Eles dizem: Mas, o que vou fazer com 30%? Essas são as respostas que eu recebi até aqui. JR Eles gostariam de ter mais ou de ter menos? RC Gostariam de ter o controle. Não podem nem consolidar no balanço, se não tiverem 50% vírgula alguma coisa. Então, não querem. JR Mas o que você está falando dos veículos não é o que ocorre na agência de propaganda. Para ela, não há lei. Então, aquela instituição que não deixa de ser uma empresa de comunicação de repente, tem o seu centro de decisão em outro país. RC Mas, isso é no mundo inteiro. No planeta inteiro, agência de publicidade é multinacional. Não vejo problema algum. JR E na indústria da comunicação? Um compromisso com a sociedade, um senso de responsabilidade, de engajamento nos seus destinos, é fundamental. RC Na mídia, acho que depende... Vamos dizer o seguinte: o controle editorial, o controle de conteúdo é uma questão extremamente sensível para qualquer país sensível e delicada. Pessoalmente, acho que, na medida em que a tecnologia avança, essas coisas vão ficar cada vez menos importantes. De quem é a Internet, hoje? Quem controla o seu conteúdo? Ninguém. Quem controla o que passa em televisão por satélite? Ninguém. Quem controla o que há para ver, na televisão, ou para ler no jornal? As pessoas que a fazem. Agora, quem são essas pessoas e como são escolhidas? Será que a nacionalidade deles ou o tempo que estão naturalizados é o fator-chave? É uma solução Temos menos de 4 segundos, na banca, para captar a atenção do comprador. simplista essa de dizer tem que ter nascido. Você pode ter nascido em qualquer lugar e ser um perfeito idiota. E não ter nascido no lugar certo e ser um filósofo esclarecido. Essa questão é mais uma tentativa de proteção. Você diz que o controle tem que ser dos veículos, dos habitantes, cidadãos do país. Todos os países do mundo ou quase todos têm isso hoje. Faz parte da nossa evolução. É uma preocupação ainda, provavelmente, válida. FG Há estudos que mostram que 75% da propaganda feita no mundo são controlados, hoje, por cinco grandes grupos de agências. Na verdade, nem são grupos são conglomerados. JR Pensando bem, quem controla são os clientes dessas agências. FG O que eu diria é que isso não tem a menor importância, conquanto não haja idêntica concentração na mídia. Se houvesse uma concentração idêntica e pudéssemos dizer que 75% das notícias publicadas no mundo são controladas por cinco grupos de mídia... JR Será que não são? RC Olha, do ponto de vista pragmático... deixe-me contar uma história. Eu falei com o presidente de uma grande cadeia de jornais nos Estados Unidos. Perguntei a ele: o que você faz no caso, por exemplo, de uma campanha presidencial? Vocês tomam posição, na sua cadeia de jornais? E ele disse: Não. Isso é decisão do diretor de cada redação. Aí, eu disse: Então, qual é a graça de ter uma cadeia de jornais se você não pode nem escrever um editorial? Ele respondeu: A minha função aqui é garantir um retorno adequado para os acionistas. Eu disse: Então, tanto faz fazer sa- 102

12 bão ou jornal com todo o respeito devido ao sabão, pasta dental, cimento. Ele disse: Quem tem que saber o que o seu público quer é o pessoal local. Não somos nós. Estou contando isso porque, no fundo, isso me entristece. Por que administrar meia dúzia de jornais como qualquer outro negócio? Eu acho que imprensa e meios de comunicação, de maneira geral, têm uma responsabilidade que vai muito além de simplesmente ganhar dinheiro. Cada vez mais você lê, nos jornais, eles só discutem o mark-up, os dividendos, a rentabilidade. Quanto subiu isso, quanto caiu aquilo. Aliás, hoje, saiu, no Wall Street Journal, que a Vivendi vai vender a sua área de publishing, que é o maior grupo de revistas, de mídia da França. Vai vender porque precisa de dinheiro. Quando você fala de controle, se houver uma pulverização de acionistas, centenas ou dezenas de milhares de acionistas de um lado, e o management, lá em cima, que está só preocupado com resultados, com quem fica a decisão sobre conteúdos? Qual é o pessoal que faz e quem escolhe o pessoal que faz? Essa é a questão. E é a mesma questão nas agências. O que fazem esses cinco grupos de comunicação? Procuram os melhores talentos e os deixam trabalhar em paz. Caso contrário, não funciona. Ninguém, sentado em Tóquio ou Nova Iorque, pode decidir como vai ser uma campanha de automóvel em Durban. FG O controle é feito de outra forma através do resultado anual. RC Resumidamente, não me preocuparia com isso. JR Quando falamos dos grupos de comunicação, tradicionalmente, falava-se de informação. Mas a revolução tecnológica das comunicações criou uma imensa rede de entretenimento. Aproximou a indústria da informação do entretenimento. E parece que ele está ocupando um espaço cada vez maior nisso. Gostaria de ouvi-lo a respeito. 103

13 RC Aliás, entretenimento é muito maior do que a busca de informação. As pessoas passam mais tempo querendo ser entretidas do que informadas. Tem sentido, porque trabalham o dia inteiro, têm uma vida não muito divertida, problemas com trânsito, problemas no trabalho, problemas com a família, com a violência etc. Chega a hora em que querem diversão, distração, querem entertainment. Tem absoluto e total sentido. Estou preocupado com isso. Acho que o que se deve é conseguir fazer com que a informação o que é importante para os cidadãos de um país desenvolvido saberem deve ser apresentado de uma maneira que seja atraente, interessante. Tornar o importante interessante é a nossa missão, a missão de quem cuida de informação. A gente precisa fazer com que as pessoas se interessem pelo que é importante também. Não o tempo todo ou a maior parte do seu tempo. Mas você precisa de cidadãos informados, para que votem corretamente, para que escolham corretamente, para que influenciem os caminhos do país. E aí entretenimento sozinho não vai resolver. FG Fazer o importante interessante. Gostei da definição. RC Nós precisamos fazer isso. E o que está acontecendo no mundo? A competição pelo tempo do público é cada vez maior e o tempo é inelástico. Se ele tiver cada vez mais opções para se entreter na Internet, na televisão com cada vez mais canais, cada vez mais títulos de revistas, cada vez mais livros, cada vez mais oferta, mais alternativas. Então, sobrevive quem fizer isso melhor, porque há mais escolhas do que tempo. O que você tem que fazer direito é tornar o importante interessante, ou ninguém vai ligar para o importante. Acho que a propaganda é filha da sedução com o conhecimento. JR Sempre se pode tornar o importante interessante, mas não se pode tornar o interessante importante. RC Não necessariamente. JR E, no entanto, há alguns veículos muito preocupados com isso. Roberto, nessas entrevistas, costumamos encerrar com algumas considerações do entrevistado para os alunos e professores da ESPM. Há duas áreas em que nossa curiosidade é maior: o que você diria a eles sobre escolher carreiras em propaganda e marketing e o que diria sobre a escolha de carreiras na comunicação, mais lato-sensu? RC Primeiro, marketing, para mim, é a coisa mais divertida que você pode fazer na vida, fora ser editor. FG Engraçado. O Roberto é um editor e é um marqueteiro frustrado. Eu sou marqueteiro e sou um editor frustrado. JR Devo lembrar que o Roberto já ganhou o título de homem de marketing do ano. RC Acho que todo editor e todo comunicador, na verdade, precisam ser marqueteiros. Quando perguntaram ao Ronald Reagan, anos atrás: O que o Sr. acha de um ator ser presidente? Ele respondeu: Não vejo como um presidente possa não ser um ator. E eu não vejo como um editor possa não ser um marqueteiro, porque precisamos vender o nosso peixe. Não é só fazer coisas bem feitas, inteligentes, criativas. É também comerciá-las. Senão vamos falar para nós mesmos. Marketing é fascinante, divertido, engraçado, curioso. Coloca-nos em contato com por que as pessoas fazem as coisas, o que as motiva, como você convence, persuade. Nada mais divertido do que isso. Fabricar é chato; cuidar das finanças, pior. Então, o melhor que você pode fazer na carreira é cuidar da área de marketing. Sou a favor. Quero que vocês continuem tendo muito mais candidatos do que vagas. E acho também que, quanto a isso, os jovens estão no lugar certo. Quanto à mídia, ela tem uma carga adicional é a mesma coisa só que com uma dimensão adicional que é uma preocupação com idéias, conceito e valores. Ousaria dizer, maior ainda. E exige um compromisso com a verdade, que eu acho que é bom também na propaganda aliás, essencial. Um compromisso com a sociedade, um senso de responsabilidade, de engajamento nos seus destinos que é fundamental. Não vejo essas duas coisas como muito diferentes, mas há um ingrediente a mais na comunicação, que é esse conteúdo que muda o tempo todo. Acho que marqueteiro tem que ser um bom comunicador e comunicador deveria ser um bom marqueteiro. Não há uma barreira inseparável entre as coisas. 104

14 FG Costumo dizer aos alunos procurando definir a natureza da propaganda que a propaganda é filha do jornalismo e do romance. Você concorda com essa conotação? RC A propaganda é filha do jornalismo e do romance... JR Romance no sentido da edição literária a imaginação romântica. FG Nem da imaginação romântica; da imaginação em si porque jornalista não pode ser muito criativo. RC É verdade. Agora, propaganda e marketing... A propaganda é diferente é um pedaço do marketing. A publicidade, na sua criação, é muito parecida... Eu estava dizendo, outro dia, que deveríamos falar mais com os criativos das agências a respeito de capas de como fazer uma grande capa para uma revista. Por quê? O que o publicitário tem que fazer e nós não fazemos, não temos essa disciplina, de atrair a atenção da pessoa em menos tempo e nós não temos muito tempo temos menos de 4 segundos, na banca, para captar a atenção do comprador. Em 4 segundos eu preciso ter uma capa que diga: me compre. Preciso de marqueteiros e publicitários para fazer grandes capas. Agora, lá dentro, quando se vai explicar qual é o problema da previdência no Brasil, precisa de um pouco mais do que para fazer um bom anúncio. Aí, há a separação. Voltando a isso de propaganda ser filha do jornalismo e do romance, acho que é filha da sedução com o conhecimento. JR Informação mais fantasia. FG É a minha linha. RC Então, estamos de acordo. Texto retirado do Ponto de Vista escrito por Roberto Civita em comemoração aos 30 anos da revista Veja A principal missão de Veja é poder honrar o compromisso que assumimos com os leitores desde o início: informá-los corretamente, contar-lhes a verdade e opinar sempre com coragem e independência. Há a sensação do dever cumprido no combate à tortura, à violência, ao arbítrio, à legislação anacrônica, ao racismo e à corrupção. Há o privilégio de trabalhar com tantos jornalistas, administradores e publicitários de talento e imaginação. E o desafio permanente de tentar explicar os porquês e as implicações dos eventos que sacodem o Brasil e o planeta. Há, adicionalmente, o prazer de ver a revista utilizada como ponte entre a teoria e a realidade em milhares de salas de aula de todo o país e acima de tudo o orgulho de ter desenvolvido um papel fundamental na conscientização política de milhões de brasileiros, na insistência em transparência, integridade e eficácia da parte dos governos. Orgulhamo-nos também por insistir na difícil arte de escrever bem, na transformação do importante em interessante, na preocupação com a isenção e a responsabilidade jornalística e no fortalecimento da livre iniciativa e das nossas instituições democráticas. Grupo Abril A Abril está empenhada em contribuir para a difusão de informação, cultura e entretenimento, para o progresso da educação, a melhoria da qualidade de vida, o desenvolvimento da livre iniciativa e o fortalecimento das instituições democráticas do país. O Grupo Abril é um dos maiores conglomerados de comunicação da América Latina, atuando de forma integrada em várias mídias, fornecendo informação, educação e entretenimento para os mais diferentes segmentos de público. Com cerca de 8 mil funcionários, produz e distribui revistas, livros didáticos, conteúdo e serviços online, Internet em banda larga, música (CDs, eventos e online), TV por assinatura, livros, fascículos e database marketing. Líder no mercado editorial latino-americano, a Editora Abril é responsável por 69% da receita líquida do grupo. Verticalizada, a Abril detém todo o processo de produção de cerca de 150 títulos, da concepção da pauta, impressão, até a distribuição nas bancas e para assinantes. A Abril vem investindo pesadamente para aumentar a produtividade de suas operações, marcar presença em novas mídias e adaptar-se às profundas mudanças que vêm ocorrendo nas comunicações, mantendo sempre o elevado padrão que é sua característica. Seus negócios estão estruturados em: Revistas, Multimídia, Educação, Internet, Jovem, Entretenimento, Cabo e Multiserviços e Database Marketing. Em Portugal, a Abril participa, juntamente com o Grupo Controljornal, o maior empreendimento de mídia português, e a editora de origem suíça Edipresse, da Abril Controljornal/ Edipresse, que se transformou na maior editora de Portugal, com 30 títulos e 50 milhões de exemplares vendidos em Entre seus projetos sociais, destaca-se a Fundação Victor Civita, que desde 1985 se dedica ao desenvolvimento e melhoria do ensino fundamental no Brasil. 105

Como fazer seu blog se destacar dos outros

Como fazer seu blog se destacar dos outros Como fazer seu blog se destacar dos outros Fama. Tráfego. Reconhecimento. Muito dinheiro no bolso. Esses itens certamente estão presentes na lista de desejos de quase todos os blogueiros. Afinal, ninguém

Leia mais

Entrevista. Por DANIELA MENDES

Entrevista. Por DANIELA MENDES Entrevista ''O Estado não pode tutelar a sociedade'' O presidente da Frente Parlamentar de Comunicação diz que a Constituição estabelece só cinco pontos a serem normatizados: tabaco, álcool, medicamentos,

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

VI SEMINÁRIO DE DIREITO PARA JORNALISTAS - DIA 28.11.06 PERGUNTAS E RESPOSTAS

VI SEMINÁRIO DE DIREITO PARA JORNALISTAS - DIA 28.11.06 PERGUNTAS E RESPOSTAS VI SEMINÁRIO DE DIREITO PARA JORNALISTAS - DIA 28.11.06 PERGUNTAS E RESPOSTAS Perguntas e resposta feitas ao jornalisa Romário Schettino Perguntas dos participantes do 6 Seminário de Direito para Jornalistas

Leia mais

COMO CRIAR UMA LISTA DE EMAILS GASTANDO MUITO POUCO

COMO CRIAR UMA LISTA DE EMAILS GASTANDO MUITO POUCO COMO CRIAR UMA LISTA DE EMAILS GASTANDO MUITO POUCO O dinheiro está na lista Junte emails e você estará mais perto da lista dos homens mais ricos do mundo. Essa é uma frase repleta de exageros, mas foi

Leia mais

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra?

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra? Rádio Web Saúde dos estudantes de Saúde Coletiva da UnB em parceria com Rádio Web Saúde da UFRGS em entrevista com: Sarah Donetto pesquisadora Inglesa falando sobre o NHS - National Health Service, Sistema

Leia mais

Como conversar com possíveis iniciadas

Como conversar com possíveis iniciadas Como conversar com possíveis iniciadas Convidar outras mulheres a tornarem-se consultoras é uma atividade chave para quem quer tornar-se diretora. Aprenda como fazer a entrevista de iniciação, ou seja:

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 68 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso na solenidade de lançamento

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau Porto Velho-RO, 12 de março de 2009 Gente, uma palavra apenas, de agradecimento. Uma obra dessa envergadura não poderia

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

TOBY MENDEL (Consultor Internacional da Unesco): [pronunciamento em outro idioma] INTÉRPRETE: Deixa eu começar agradecendo para os apresentadores.

TOBY MENDEL (Consultor Internacional da Unesco): [pronunciamento em outro idioma] INTÉRPRETE: Deixa eu começar agradecendo para os apresentadores. TOBY MENDEL (Consultor Internacional da Unesco): [pronunciamento em outro idioma] INTÉRPRETE: Deixa eu começar agradecendo para os apresentadores. Aqui, a gente tem uma apresentação muito importante, e

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês 3 Truques Para Obter Fluência no Inglês by: Fabiana Lara Atenção! O ministério da saúde adverte: Os hábitos aqui expostos correm o sério risco de te colocar a frente de todos seus colegas, atingindo a

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

www.dinheiroganharja.com

www.dinheiroganharja.com Sumário Introdução...3 Empreendedorismo Digital...4 Trabalhar em casa ou da Onde quiser...5 Liberdade financeira...5 Como criar um blog...7 Domínio...7 Hospedagem...8 WordPress...9 Instalando a Plataforma

Leia mais

Chegou a hora de olhar a classe média

Chegou a hora de olhar a classe média Chegou a hora de olhar a classe média Ricardo Paes de Barros (entrevista de Flavia Lima) Valor Econômico, 13.11.2013 Brasil desenhou política de combate à pobreza tão eficiente que está acabando com os

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Teste sua empregabilidade

Teste sua empregabilidade Teste sua empregabilidade 1) Você tem noção absoluta do seu diferencial de competência para facilitar sua contratação por uma empresa? a) Não, definitivamente me vejo como um título de cargo (contador,

Leia mais

A CRIANÇA NA PUBLICIDADE

A CRIANÇA NA PUBLICIDADE A CRIANÇA NA PUBLICIDADE Entrevista com Fábio Basso Montanari Ele estuda na ECA/USP e deu uma entrevista para e seu grupo de colegas para a disciplina Psicologia da Comunicação, sobre sua história de vida

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 62 Discurso na cerimónia de apresentação

Leia mais

CAMINHO DAS PEDRAS Renata Neves

CAMINHO DAS PEDRAS Renata Neves CAMINHO DAS PEDRAS Renata Neves Estado de Minas Março de 2001 O método criado pelo professor Fernando Dolabela ensina empreendedorismo a 40 mil alunos por ano. Fernando Dolabela da aula de como abrir um

Leia mais

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO!

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! Como deixar seu negócio on-line Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! A palavra de ordem das redes sociais é interação. Comparando a internet com outros meios de comunicação em massa como

Leia mais

Teleconferência Novo Diretor-Presidente 15 de Junho de 2015

Teleconferência Novo Diretor-Presidente 15 de Junho de 2015 Operadora: Bom dia. Sejam bem-vindos à teleconferência da TOTVS. Estão presentes os senhores Laércio Cosentino, CEO e Membro do Conselho da Administração, Rodrigo Kede, Diretor-presidente, e Gilsomar Maia,

Leia mais

Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática

Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática O americano Salman Khan, de 38 anos, é hoje a figura mais influente do mundo em tecnologia da educação. Ex-analista de fundo de hedge, ele criou,

Leia mais

fazem bem e dão lucro

fazem bem e dão lucro Melhores práticas de fazem bem e dão lucro Banco Real dá exemplo na área ambiental e ganha reconhecimento internacional Reunidos em Londres, em junho deste ano, economistas e jornalistas especializados

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf 1 Sumário Introdução...04 Passo 1...04 Passo 2...05 Passo 3...05 É possível Aprender Inglês Rápido?...07 O Sonho da Fórmula Mágica...07 Como Posso Aprender Inglês Rápido?...09 Porque isto Acontece?...11

Leia mais

manual básico de mídia

manual básico de mídia manual básico de mídia Manual Básico de Mídia 1 2 Manual Básico de Mídia 2015 Índice_ 01. Amostra...4 02. Público-alvo...6 03. Audiência de TV...8 04. GRP...12 05. Alcance e frequência...14 06. Custo por

Leia mais

Esta nova sequência tem uma novidade: ela é inédita!

Esta nova sequência tem uma novidade: ela é inédita! Esta nova sequência tem uma novidade: ela é inédita! Hum, essa não é uma novidade. As outras também eram de certa forma inéditas, uma vez que o layout era baseado na estrutura dos Gurus, mas vamos lá,

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 20 Discurso na cerimónia "Jovens

Leia mais

César Frade Finanças Aula 02

César Frade Finanças Aula 02 César Frade Finanças Aula 02 Olá Pessoal. Estamos nós aqui mais uma vez para tentar entender essa matéria. Concordo que a sua compreensão não é das mais fáceis, mas vocês terão que concordar comigo que

Leia mais

E-book Internet Marketing que Funciona Página 1

E-book Internet Marketing que Funciona Página 1 E-book Internet Marketing que Funciona Página 1 Produção Este E-book é Produzido por: Sérgio Ferreira, administrador do blog: www.trabalhandoonline.net Visite o site e conheça várias outras Dicas GRÁTIS

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 70 Cerimónia de sanção do projeto

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1 Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] Categorias Apresentação do instrumento [-] Mobilidade/ portabilidade [,] 0 0 Transcrição Alguns

Leia mais

Richard Uchôa C. Vasconcelos. CEO LEO Brasil

Richard Uchôa C. Vasconcelos. CEO LEO Brasil Richard Uchôa C. Vasconcelos CEO LEO Brasil O tema hoje é engajamento, vamos falar de dez maneiras de engajar o público em treinamentos a distância. Como vocês podem ver, toda a minha apresentação está

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999.

Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999. GESTÃO PARA UM MUNDO MELHOR Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999. RESUMO: Para o consultor e empresário Oscar Motomura, a sociedade global precisa evoluir, abandonando sua ganância

Leia mais

A Paralisia Decisória.

A Paralisia Decisória. A Paralisia Decisória. Começo este artigo com uma abordagem um pouco irônica, vinda de uma amiga minha, que, inconformada como a humanidade vêm se portando perante a fé em algo superior, soltou a máxima

Leia mais

02/12/2004. Discurso do Presidente da República

02/12/2004. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega do Prêmio Finep e sanção da Lei de Inovação de Incentivo à Pesquisa Tecnológica Palácio do Planalto, 02 de dezembro de 2004 Meus companheiros ministros,

Leia mais

10 motivos para participar da próxima temporada do Torneio de Robótica FLL

10 motivos para participar da próxima temporada do Torneio de Robótica FLL http://portaldaindustria.com.br/agenciacni/ 16 MAR 2015 10 motivos para participar da próxima temporada do Torneio de Robótica FLL A competição realizada pelo SESI proporciona aprendizado, diversão, novas

Leia mais

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO SUMÁRIO INTRODUÇÃO 15 Para que serve este Livro 17 Como usar este livro 1. PARA ENTENDER A PROFISSÃO 23 O que é preciso para ter sucesso na profissão 23 TALENTO - Como saber se você tem 24 CONHECIMENTO-Como

Leia mais

SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO ORIENTAÇÃO ESCOLAR E VOCACIONAL A conclusão do 9.º ano de escolaridade, reveste-se de muitas dúvidas e incertezas, nomeadamente na escolha de uma área de estudos ou num

Leia mais

Escrita Eficiente sem Plágio

Escrita Eficiente sem Plágio Escrita Eficiente sem Plágio Produza textos originais com qualidade e em tempo recorde Ana Lopes Revisão Rosana Rogeri Segunda Edição 2013 Direitos de cópia O conteúdo deste livro eletrônico tem direitos

Leia mais

UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS

UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS DESAFIOS DO CAPITALISMO GLOBAL E DA DEMOCRACIA Luiz Carlos Bresser-Pereira A Reforma Gerencial ou Reforma à Gestão Pública de 95 atingiu basicamente os objetivos a que se propunha

Leia mais

Slice Management. Controlando o que você não vê. Direto ao assunto

Slice Management. Controlando o que você não vê. Direto ao assunto Slice Management Controlando o que você não vê Direto ao assunto O Slice Management (SM) é uma prática de gerenciamento que consiste em colocar um sistema de inteligência em todas as áreas da empresa.

Leia mais

4 A resenha de filme na visão dos usuários do gênero

4 A resenha de filme na visão dos usuários do gênero 4 A resenha de filme na visão dos usuários do gênero Neste capítulo, apresentamos a análise dos dados oriundos do contato estabelecido com leitores, editores e críticos, a fim de conhecermos sua visão

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

Como é ser aprovado no vestibular de uma Universidade Pública, em que sabemos da alta concorrência entre os candidatos que disputam uma vaga?

Como é ser aprovado no vestibular de uma Universidade Pública, em que sabemos da alta concorrência entre os candidatos que disputam uma vaga? Abdias Aires 2º Ano EM Arthur Marques 2º Ano EM Luiz Gabriel 3º Ano EM Como é ser aprovado no vestibular de uma Universidade Pública, em que sabemos da alta concorrência entre os candidatos que disputam

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

51% das mulheres brasileiras declaram que estão vivendo melhor do que há um ano

51% das mulheres brasileiras declaram que estão vivendo melhor do que há um ano 51% das mulheres brasileiras declaram que estão vivendo melhor do que há um ano 51% das mulheres brasileiras declaram que estão vivendo melhor do que há um ano Levantamento do IBOPE Media feito em todo

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

Atividade - Sequência Conrado Adolpho

Atividade - Sequência Conrado Adolpho Atividade - Sequência Conrado Adolpho Agora, eu quero lhe apresentar os 6 e-mails do conrado adolpho para vender o 8ps. Quero que você leia está sequência com muita atenção e, depois, responda às provocações

Leia mais

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo VIII Capítulo Oito Cinco alternativas para ficar rico sem depender do mercado de ações No meu esforço de surpreendê-lo com verdades sobre a construção

Leia mais

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

A política de juros e de câmbio está no rumo do crescimento?

A política de juros e de câmbio está no rumo do crescimento? A política de juros e de câmbio está no rumo do crescimento? Luiz Carlos Bresser-Pereira O Estado de S.Paulo, 1.8.2007. O ex-ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser-Pereira e o ex-diretor de Política Econômica

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

VERISOL - Colágeno hidrolisado que auxilia nos cuidados com a beleza da pele com apenas 2,5gr de consumo CESAR DIB - DIRETOR LINDOYA VERÃO.

VERISOL - Colágeno hidrolisado que auxilia nos cuidados com a beleza da pele com apenas 2,5gr de consumo CESAR DIB - DIRETOR LINDOYA VERÃO. Capa Crescimento sustentável O mercado de água mineral vem crescendo nos últimos anos, porém alguns estados crescem muito mais que outros no consumo percapita CESAR DIB - DIRETOR LINDOYA VERÃO *Redação

Leia mais

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução Esta segunda sequência respeita a estrutura da sequência do Eben que analisamos.o template é adequado aos profissionais que podem (e querem) trabalhar com os três mosqueteiros, ou seja, apresentar uma

Leia mais

Sustentabilidade x Seguros

Sustentabilidade x Seguros 6 JOSÉ ELI DA VEIGA Professor titular de economia da Universidade de São Paulo (USP), pesquisador do Núcleo de Economia Socioambiental (NESA) e orientador em dois programas de pós-graduação: Relações Internacionais

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na audiência com personalidades do mundo do livro

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na audiência com personalidades do mundo do livro , Luiz Inácio Lula da Silva, na audiência com personalidades do mundo do livro Brasília - DF, 21 de setembro de 2006 Eu poderia deixar você falar, Paim, mas o microfone é alto e você não vai alcançar aqui.

Leia mais

http://blog.andersonferro.com.br/como-eu-comecei SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS http://blog.andersonferro.com.br

http://blog.andersonferro.com.br/como-eu-comecei SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS http://blog.andersonferro.com.br /como-eu-comecei SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS Todos os direitos Reservados. Porém este livro pode ser reproduzido, copiado ou transmitida livremente de qualquer forma onde direitos autorais e links se mantenham.

Leia mais

Análise do Edital ISS Salvador 2014

Análise do Edital ISS Salvador 2014 Análise do Edital ISS Salvador 2014 Olá amigos concurseiros, É com um carinho mais que especial que divulgo que no dia 15/09/2014) saiu uma BOMBA NORDESTINA, ou seja, o concurso para Auditor Fiscal do

Leia mais

Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho

Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho # Tantas # Edição 01 # Ano 01 Assessoria de imprensa Conquista de espaço editorial Publicações Informação direta ao seu público Comunicação interna Muito além do jornalzinho Editorial Missão e Valores

Leia mais

Custom Publishing Por que minha organização deve ter uma publicação própria?

Custom Publishing Por que minha organização deve ter uma publicação própria? Custom Publishing O mercado das publicações próprias e suas (excelentes) oportunidades de negócios para as empresas antenadas de qualquer setor, com qualquer público Um guia de consulta rápida sobre a

Leia mais

"É possível levar energia renovável para todos"

É possível levar energia renovável para todos "É possível levar energia renovável para todos" Por Daniela Chiaretti De Nairóbi, Quênia Connie Hedegaard: "Acho que quando temos uma crise global como a que estamos vivendo, é uma oportunidade excelente

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido!

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! 1.1. MIX DE MARKETING Você já deve ter feito o nosso Teste de Conhecimentos

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Mídia - 2015.1 Nilmar Figueiredo 1 2 3 4 Calendário Acadêmico Comentários Apresentação da Disciplina Sistema de Avaliação 1 - Apresentação da Disciplina O que é Mídia? Departamento de Mídia - Organização

Leia mais

Apropriação da Leitura e da Escrita. Elvira Souza Lima. (transcrição)

Apropriação da Leitura e da Escrita. Elvira Souza Lima. (transcrição) Apropriação da Leitura e da Escrita Elvira Souza Lima (transcrição) Nós estamos num momento de estatísticas não muito boas sobre a alfabetização no Brasil. Mas nós temos que pensar historicamente. Um fato

Leia mais

Antes de tudo... Obrigado!

Antes de tudo... Obrigado! Antes de tudo... Obrigado! Eu, Luiz Felipe S. Cristofari, agradeço por ter baixado esse PDF. Criei esse material para ajudar você a ter mais sucesso com suas ideias na internet e fico muito feliz quando

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Arte do Namoro - Manual de Como Seduzir pelo Telefone por Rico 2009-2010, Todos Direitos Reservados - Pg 1

Arte do Namoro - Manual de Como Seduzir pelo Telefone por Rico 2009-2010, Todos Direitos Reservados - Pg 1 Direitos Reservados - Pg 1 Aviso aos que se acham malandros, ou que querem ser processados ou parar na cadeia. Este livro é registrado com todos os direitos reservados pela Biblioteca Nacional. A cópia,

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL Tenho lido e ouvido muitos comentários nos últimos dias sobre o trabalho de formação no Brasil. Algumas pessoas, alguns profissionais

Leia mais

- Então, pai, há alguma notícia importante nos jornais? - Nada de especial. Há muitas notícias sobre a política nacional e internacional e algumas

- Então, pai, há alguma notícia importante nos jornais? - Nada de especial. Há muitas notícias sobre a política nacional e internacional e algumas - Então, pai, há alguma notícia importante nos jornais? - Nada de especial. Há muitas notícias sobre a política nacional e internacional e algumas curiosidades. Se quiseres, depois deixo-te ler. - Tu sabes

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

O LABORATÓRIO DE PESQUISA DA UNICARIOCA

O LABORATÓRIO DE PESQUISA DA UNICARIOCA Ingressar em um emprego mediante concurso público é ambição para muitas pessoas, isso se deve ao fato de que o salário oferecido, a estabilidade, os benefícios na maioria dos cargos é bastante superior

Leia mais

ZECA CAMARGO Jornalista e Apresentador Rede Globo de Televisão

ZECA CAMARGO Jornalista e Apresentador Rede Globo de Televisão ZECA CAMARGO Jornalista e Apresentador Rede Globo de Televisão Zeca Camargo foi o convidado da segunda edição do RBS Debates, dia 23 de Julho, em Florianópolis. O evento reuniu mais de mil estudantes e

Leia mais

Leia os textos e assinale a alternativa correta: 1) O que Ana quer que Pedro faça?

Leia os textos e assinale a alternativa correta: 1) O que Ana quer que Pedro faça? UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PLE CERIFICADO INTERNACIONAL DE LÍNGUA PORTUGUESA CILP SIMULADO COMPREENSÃO LEITORA E ASPECTOS LINGUÍSTICOS NÍVEL BÁSICO ESCOLAR A2 Leia os

Leia mais

Rio de Janeiro, 3 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 3 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 3 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Elias Nunes Júnior, 20 do 10 de 1958. Nasci em Bom Jesus de Itabapoana, interior do estado. FORMAÇÃO Eu sou formado em Ciências Contábeis, tenho Pós em

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

RICARDO JORGE PINTO: «O jornalista vai perder o monopólio da informação»

RICARDO JORGE PINTO: «O jornalista vai perder o monopólio da informação» RICARDO JORGE PINTO: «O jornalista vai perder o monopólio da informação» José Lapa 3º Ano do Curso de Comunicação Social Ricardo Jorge Pinto, Director do Expresso para a região norte, veio à ESEV proferir

Leia mais

#10 PRODUZIR CONTEÚDO SUPER DICAS ATRATIVO DE PARA COMEÇAR A

#10 PRODUZIR CONTEÚDO SUPER DICAS ATRATIVO DE PARA COMEÇAR A #10 SUPER DICAS PARA COMEÇAR A Pantone 715 C 100% Black 80% Black C: 0 M: 55 Y: 95 K: 0 C: 0 M: 0 Y: 0 K: 100 C: 0 M: 0 Y: 0 K: 80 PRODUZIR CONTEÚDO ATRATIVO DE Confira estas super dicas para você produzir

Leia mais

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br MIDIA KIT Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br Sobre nosso site O Notícias de Alagoinhas hoje é o portal mais completo da cidade. Somos um Canal de comunicação online que integra

Leia mais

Pesquisas e seminários Como fazer?

Pesquisas e seminários Como fazer? +++ + COLÉGIO DOS SANTOS ANJOS Avenida Iraí, 1330 - Planalto Paulista - Telefax: 5055.0744 04082-003 - São Paulo - e-mail: colsantosanjos@colegiosantosanjos.g12.br Site: www.colegiosantosanjos.g12.br Q

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais