Cadeia alimentar Questão 01 A ilustração se refere ao fluxo de matéria e de energia em um ecossistema terrestre.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cadeia alimentar Questão 01 A ilustração se refere ao fluxo de matéria e de energia em um ecossistema terrestre."

Transcrição

1 Cadeia alimentar Questão 01 A ilustração se refere ao fluxo de matéria e de energia em um ecossistema terrestre. Ecologia 04) aumenta as chances de sobrevivência das baleias, submetendo-as a maior resistência ambienta!. 05) estabelece maior número de transferências de biomassa, intensificando a irradiação de calor para o ambiente, aquecendo amenamente os mares. A partir da análise da cadeia alimentar esquematizada, é correto afirmar: 01) Os organismos incluídos em A são, exclusivamente, unicelulares procariontes. 02) O herbivorismo estabelecido entre plantas e gafanhotos permite a transferência da energia solar convertida para os heterótrofos. 03) O fluxo de matéria entre os seres vivos e o meio abiótico é de natureza unidirecional. 04) O nível trófico que inclui a coruja é o de maior disponibilidade energética. 05) Uma redução no tamanho da população de sapos implica aumento imediato no tamanho da população de cobras. Questão 02 o uso de sonares por militares, para localizar submarinos inimigos, e por empresas, para encontrar reservas de gás e petróleo, e, até mesmo, em pesquisas biológicas, é responsável pelo aumento dos casos de encalhe de baleias nas praias, afirmam os cientistas. Segundo uma teoria, o barulho atrapalha os sistemas de comunicação e navegação de baleias; outra teoria diz que os sinais confundem as baleias e os golfinhos em águas profundas, forçando-os a subir rapidamente à superfície, o que os sujeitaria a uma descompressão. (A TARDE, 2004, p. 20). O grupo das baleias de barbatanas, no qual se incluem os verdadeiros cetáceos, como a gigante baleia azul, dispõe de uma estratégia bucal que permite engolfar cardumes de pequenos peixes e nuvens de plâncton, juntamente com grande quantidade de água, que é depois espirrada para o meio exterior, enquanto o material vivo que atravessa um sistema de filtragem é retido. Essa aquisição que favoreceu a evolução dos grandes cetáceos representa uma eficiente criação da natureza para dragar a riqueza do mar, porque 01) explora a produtividade ecológica do oceano nos seus níveis tróficos mais baixos. 02) favorece a formação de extensas cadeias alimentares com grande número de elos. 03) propicia a reutilização cíclica da energia, utilizando diretamente os produtores. Questão 03 Apesar das condições adversas ( ), as árvores do mangue estão entre as plantas mais produtivas ( ). As folhas que caem das árvores são em parte levadas pela maré vazante (...) e em parte retidas na floresta e degradadas ( ). (Ciência Hoje, p. 7) A partir dessas informações, é correto afirmar I A produção pesqueira é subordinada ao processo de conversão de energia eletromagnética do Sol em energia dos alimentos. II O movimento das marés, transportando o fósforo liberado no meio aquoso, contribui para o aumento da produtividade do fitoplâncton. III. A incorporação do fósforo à cadeia alimentar impossibilita sua utilização pelos produtores. IV. A biomassa das folhas, que sustentam a cadeia alimentar, é equivalente à biomassa dos grandes peixes carnívoros. V. A degradação das folhas envolve atividade microbiana de organismos aeróbicos que melhoram as condições de oxigenação do manguezal. 01) Apenas são verdadeiras as afirmativas I e II 02) Apenas são verdadeiras as afirmativas li, Ill e IV. 03) Apenas são verdadeiras as afirmativas III, IV e V. 04) Apenas são verdadeiras as afirmativas I, III, IV e V. 05) Todas as afirmativas são verdadeiras. Questão 04 A figura esquematiza uma cadeia alimentar em um ecossistema aquático. Uma interpretação correta do esquema apresentado está expressa na alternativa

2 01) organismos do zooplâncton compõem o grupo dos produtores 02) peixes de diferentes espécies ocupam o mesmo nivel trófico 03) o fitoplâncton garante a introdução de energia no ecossistema. 04) ecossistemas aquáticos dispensam a ação de decompositores na reciclagem da matéria. 05) os caramujos ocupam a base de uma pirâmide representativa do ecossistema. Questão 05 Entre as repercussões previstas de ações que envolvem o cultivo agrícola de organismos transgênicos, apontamse interferências que reduzem a diversidade microbiana dos solos. A redução da diversidade microbiana dos solos repercute na produtividade primária dos ecossistemas, porque: 01) a dinâmica da vida é dependente da reciclagem de energia decorrente do metabolismo de bactérias autótrofas do solo. 02) a manutenção das comunidades é subordinada a disponibilização de nutrientes inorgânicos aos organismos produtores. 03) a sobrevivência dos ecossistemas, dependente do aumento crescente de biomassa, ao longo da cadeia alimentar, é função de atividades de bactérias do solo. 04) a esterilização dos solos inviabiliza, de imediato, a produtividade primária da comunidade biótica. 05) as bactérias do solo atuam aumentando a concentração, nos solos, das biomoléculas absorvíveis pelas plantas. Questão 06 A estrutura de uma comunidade biótica pode ser representada graficamente por uma pirâmide ecológica, com um número limitado de níveis tróficos. Esse limite é definido porque 01) a biomassa dos produtores é, parcialmente, utilizada pelo consumidores. 02) a manutenção dos organismos envolve perda de energia para o ambiente. 03) a construção de cada nível exige, progressivamente, mais energia. 04) a biomassa dos níveis superiores deve ser maior do que a dos níveis mais baixos. 05) a energia solar disponível à vida é limitada. Questão 07 Uma reedição do acidente causado pela Petrobras, na baía de Guanabara, aconteceu em Araucária, no Paraná, em que vazaram 4 milhões de toneladas de óleo cru, muito mais venenoso que o vazado no Rio de Janeiro. O óleo atingiu o rio Barigüi, afluente do Iguaçu, ao longo do qual estão instaladas usinas hidrelétricas, e formou uma mancha de 5cm de espessura que cobria 15km de rio. A região atingida é de mata ciliar, e o óleo já afetou as margens alagadas (várzea), em cuja vegetação de arbustos e gramíneas vivem lontras e capivaras. Biguás, garças e socós são aves que se alimentam de peixes desse trecho do rio, como bagres, carpas, lambaris e cascudos. Questão 44 Uma análise das relações alimentares estabelecidas no ecossistema referido no texto permite afirmar: 01) Arbustos e gramíneas ocupam o ápice da piramide energética representativa desse ecossistema. 02) Lontras, capivaras e outros animais das margens ocupam o mesmo nicho ecológico. 03) As aves integram o grupo dos consumidores secundários ou de ordem superior. 04) Consumidores de maior porte apresentam mais biomassa que os organismos do nível trófico mais básico. 05) A natureza onívora dos peixes determina a sua condição de consumidor de primeira ordem. Questão 08 "As aves de rapina, por seram carnívoras, sempre foram vistas como vilãs da natureza (...). A idéia estereotipada de que essas aves significam perigo, já que algumas espécies se alimentam de pintos e pequenos pássaros, faz com que muitos fazendeiros as exterminem (...). As presas dos falconiformes são muito variadas (...), algumas espécies só se alimentam de lagartos, outras de roedores, outras ainda de animais de grande porte, came em putrefação, insetos, aves da mata ou aves de velocidade." A partir da análise do texto, é correto afirmar: 01 ) Os carnívoros são organismos que constituem a base das cadeias alimentares complexas. 02) O extermínio das aves de rapina é inócuo para as populações de suas presas. 03) O mutualismo constitui a relação ecológica que ocorre mais intensamente entre as populações. 04) Os falconiformes ocupam diferentes níveis tróficos em teias alimentares. 05) A biomassa dos carnívoros é maior que a dos herbívoros e produtores Questão 09 Em regiões oceânicas abissais, foram encontradas fontes termais em que brotam águas superaquecidas (350oC a 400oC), ricas principalmente em H2S; em áreas adjacentes a essas fontes, vivem comunidades exóticas com uma diversidade de organismos, que varia de bactérias a metazoários invertebrados. Em um desses ambientes oceânicos, foi encontrada a arqueobactéria Pyrodiotium occultum, organismo que sobrevive melhor em temperaturas de 105oC. Essa bactéria obtém energia para a síntese primária do alimento, a partir da oxidação do enxofre atômico e do hidrogênio gasoso, produzindo o sulfeto de hidrogênio. Outras espécies de bactérias, oxidando o H2S, também obtêm energia. A partir da análise desse contexto, pode-se concluir: 01) As características peculiares dos organismos são determinadas por ação direta do ambiente. 02) A ausência de luz condicionou a evolução de um ecossistema sem a dependência dos autótrofos. 03) A baixa pressão em regiões oceânicas abissais explica a ocorrência de água líquida, a temperaturas acima de 100oC. 04) A energia entra na comunidade biótica através de organismos procarióticos e aclorofilados.

3 05) A dissipação do calor permite que a temperatura de 0oC seja mantida no fundo dos oceanos. Questão 10 A atividade biológica esta relacionada à dissipação de calor imposto à terra pela radiação solar. Sobre isso, é correto considerar: 01) A energia solar é captada pela planta na faixa das radiações verde do espectro luminoso. 02) A energia solar convertida em energia química no alimento é dissipada na manutenção da cadeia alimentar. 03) O nível trófico dos grandes carnívoros retém a maior quantidade de energia captada pelos produtores. 04) Os herbívoros constituem um nível trófico com menor capacidade de aproveitamento da produtividade primária do ecossistema. 05) O esforço dos seres vivos para dissipar o gradiente de temperatura deve ser relacionado à capacidade da biosfera de absorver 100% da radiação solar incidente. Ciclos Biogeoquímicos Questão 01 A bactéria Gluconacetobacter diazotrophicus mantém uma associação natural com plantas, como a cana-deaçúcar, café e batata-doce, entre outras maneiras, retirando do ar o nitrogênio e repassando-o para os vegetais. Por outro lado, as bactérias decompositoras atuam nos resíduos nitrogenados liberados pela excreção animal e por morte de animais e plantas, fertilizando o solo. Questão 11 O aparente paradoxo entre a biomassa do fitoplâncton e a do zooplâncton evidencia que (01) é impossível uma pequena biomassa de produtores fornecer alimento para uma grande biomassa de consumidores. (02) a pirâmide de biomassa indica o número de indivíduos de cada nível trófico. (04) a alta taxa de reprodução dos produtores garante a manutenção das populações dos consumidores. (08) a produtividade primária do fitoplâncton deve ser igual ou superior à biomassa do zooplâncton. (16) a alta taxa de reprodução do zooplâncton compensa a baixa biomassa dos produtores. Questão 12 Medições feitas na Antártida indicam um grande aumento da mortalidade das algas marinhas do plâncton, principalmente entre os meses de setembro e dezembro, quando o buraco de ozônio atinge uma extensão máxima. Identifique as repercussões dessa redução do fitoplâncton sobre o ecossistema marinho. Considerando-se o ciclo do nitrogênio esquematizado e as informações do texto, é correto afirmar que a associação natural entre a bactéria G. diazotrophicus e certas plantas, bem como a ação das bactérias decompositoras, envolve mais imediatamente o processo de 01) biossíntese de aminoácidos. 02) amonificação. 03) nitrificação. 04) denitrificação. 05) assimilação. Questão 02 Pesquisadores da Embrapa descobriram variedades de capim-elefante que podem substituir o carvão vegetal usado em indústrias como fonte de energia sem causar danos ao ambiente. A produção das variedades Gramafante, Cameroon Piracicaba e BAGo2pode chegar a 60 toneladas por ano, o dobro da biomassa vegetal produzida atualmente por florestas cultivadas de eucalipto. Outra vantagem é que o capim-elefante proporciona duas colheitas anuais sem precisar de adubo nitrogenado (derivado do petróleo), devido à presença de bactérias associadas à planta, o que gera economia e diminui o risco ambiental. (AGROBIOLOGIA..., 2005, p. 61). A redução do risco ambientai pelo uso do capim-elefante tem como explicação a 01) maior eficiência na produção de carboidrato em

4 relação ao eucalipto, a partir de teores equivalentes de CO2 e H20. 02) atividade fotossintetizante das bactérias, aumentando a biomassa da plantação de capim-elefante. 03) peculiaridade do capim-elefante em não liberar CO2 como subproduto da fotossíntese aeróbica. 04) capacidade de fixação de nitrogênio atmosférico, inerente a algumas espécies de bactérias que vivem em simbiose com a planta. 05) absorção de grandes quantidades de N2 atmosférico, gás responsável pelo aumento do efeito estufa. Questão 03 Os biólogos utilizam o carbono radiativo (C14) para descobriras "trilhas", ou seja, os caminhos de determinados processos, tanto no interior de células e de organismos, quanto na natureza. O carbono radiativo se comporta no metabolismo dos seres vivos exatamente como o carbono comum. A vantagem para o cientista, no entanto, é que ele emite radiação, e pode ser detectado com facilidade. Uma constatação que deve ser feita durante a observação da "trilha" percorrida por átomos de C14 constituintes de moléculas de gás carbônico atmosférico, na Biosfera, é a de que: 01) a síntese de glicose por seres autotróficos viabiliza a introdução do carbono atmosférico na comunidade biótica. 02) o fluxo do carbono em um ecossistema ocorre em um único sentido. 03) a transferência do carbono da matéria orgânica para a atmosfera depende, exclusivamente, da ação dos decompositores. 04) a relação entre herbívoro e carnívoro configura-se como transferência de carbono orgânico de produtor para consumidor. 05) a queima de combustíveis fósseis consome o CO2 atmosférico. Questão 04 A ilustração esquematiza aspectos da dinâmica de um ecossistema aquático e a sua análise permite afirmar: 01) O processo indicado em A produz a matéria orgânica consumida em B. 02) A conversão do carbono orgânico indicada em B é realizada apenas por seres heterotróficos. 03) A reação indicada em C corresponde a uma etapa do processo biológico que renova o O2 atmosférico. 04) Taxas elevadas de amônia em rios e lagos sinalizam pequena densidade de bactérias decompositoras. 05) Concentrações elevadas de metano, em ecossistemas aquáticos, mantêm o equilíbrio das teias alimentares. Questão 05 Sobre a participação do componente biótico no ciclo da água, é correto afirmar: 01) O mecanismo de transporte ativo é uma exigência para o intercâmbio de água entre a célula e meio, durante a transpiração. 02) A perda de água sob a forma gasosa, comum aos seres vivos, integra os processos que sustentam o ciclo da água. 03) Animais terrestres podem comprometer o ciclo da água ao concentrá-la em elevadas proporções em suas células. 04) As plantas degradam a molécula de água, retendo hidrogênio e eliminando oxigênio, o que torna insignificante seu papel nesse ciclo. 05) A extinção da vida teria como conseqüência inevitável a interrupção do ciclo da água. Questão 06 Cientistas que trabalham com biotecnologias aplicadas à agronomia alimentam esperanças de produzir plantas transgênicas, com a informação hereditária que as habilite para fixar o nitrogênio atmosférico. Essa conquista tecnológica significaria um importante ganho na biotecnologia aplicada à produtividade vegetal porque 01) disponibilizaria à planta um elemento essencial para a síntese de aminoácidos. 02) aumentaria as reservas de carboidratos das plantas. 03) permitiria à planta utilizar os fertilizantes sem Ihes causar prejuízos. 04) tornaria a planta menos sensível aos agrotóxicos. 05) deixaria a planta menos dependente de outros nutrientes. Questão 07 Em relação aos ciclos biogeoquímicos que mobilizam a matéria no ecossistema, é correto afirmar: A) Fatores abióticos, característicos do ambiente oceânico, inviabilizam a realização do ciclo do nitrogênio. B) Os ciclos do carbono e do oxigênio refletem o antagonismo entre os processos fotoautotróficos e heterotróficos de obtenção de energia. C) A salinidade do ambiente marinho impede a ocorrência de evaporação durante o ciclo da água. D) O carbono fixado pelo fitoplâncton é totalmente reciclado ao passar pelas teias alimentares marinhas. E) O estágio clímax do ecossistema marinho minimiza a importância da associação entre os ciclos da matéria e o fluxo de energia.

5 Questão 08 Caracterize o processo da biofixação e discrimine a sua importância na produtividade primária da comunidade biótica. Questões 03 e 04 A ilustração refere-se ao ciclo de vida de uma erva-depassarinho, da família Viscaceae, representado em um ramo frutificado da planta hospedeira. Com cerca de 700 espécies identificadas, as ervas-de-passarinho apresentam um estilo de vida comum: vivem sobre outros vegetais e desenvolvem raízes especiais que podem retirar água e nutrientes inorgânicos da planta hospedeira. Encontradas em todo o mundo, as 700 espécies estão distribuídas em 24 gêneros, classificados em 4 famílias distintas. Interações e Nicho Ecológico Questão 01 Uma sociedade é mais que a simples soma de seus componentes. Em seu conjunto, os integrantes de uma sociedade apresentam propriedades de qualidade diferente das presentes no indivíduo. A organização social ocorre em vários grupos animais, de invertebrados marinhos a mamíferos, embora seja mais desenvolvida em corais e insetos. Em animais carnívoros, a sociabilidade está restrita a diversas espécies de formigas, a algumas espécies de vespas, aos felinos, aos canídeos e a um grupo pequeno de aranhas. A organização social emerge da interação entre indivíduos em um determinado nível hierárquico da biosfera e se caracteriza como a 01) teia de interações entre as populações de uma mesma comunidade. 02) associação entre indivíduos de uma mesma população através de vínculos funcionais e comportamentais. 03) estruturação ecologicamente interdependente dos diferentes níveis tróficos. 04) organização resultante da interdependência entre os diferentes ecossistemas. 05) integração das diferentes comunidades em interação com o meio abiótico, constituindo os ecossistemas. Questão 02 Os gráficos representam as curvas de crescimento de duas espécies animais (A e B), vivendo em ótimas condições ambientais. Em I, as duas espécies estão vivendo separadamente e, em II, são co-habitantes. A análise dos gráficos permite afirmar que a relação ecológica estabelecida entre as espécies A e B caracteriza-se como 01) parasitismo, levando a espécie A à extinção. 02) comensalismo, estabilizando a densidade populacional das populações envolvidas. 03) protocooperação, beneficiando apenas a espécie B. 04) mutualismo, sendo, portanto, difícil a sobrevivência dessas espécies em separado. 05) predatismo, possibilitando o fluxo de energia de B para A. O fruto da erva-de-passarinho, que contém, em geral, uma única semente, serve de alimento aos gaturamos (ave). Defecando, o gaturamo elimina a semente, que pode ser retida, germinando no galho da planta hospedeira, dando origem a uma nova erva. Questão 03 As relações que a erva-de-passarinho estabelece com os meios biótico e abiótico, na rotina de sua sobrevivência, evidenciam que essa planta 01) Depende do conteúdo que circula no floema da planta hospedeira, como fonte alimentar. 02) Realiza o seu próprio metabolismo autotrófico, comportando-se com o organismo inócuo à planta sobre a qual se desenvolve. 03) Estabelece com os pássaros que se alimentam das suas sementes uma relação mutualista. 04) É incapaz de utilizar a energia solar na biossíntese da glicose. 05) Interage com as raízes da planta hospedeira, proporcionando-lhe uma fonte adicional de nitrogênio. Questão 04 A análise dos dados, com base em princípios ecológicos e da sistemática biológica, permite afirmar: 01) As quatro famílias em que se distribuem as espécies identificadas de ervas-de-passarinho estão obrigatoriamente incluídas em uma mesma ordem. 02) A presença em geral de uma única semente em cada fruto da Viscaceae é uma característica desfavorável à planta hospedeira. 03) As espécies incluídas em uma mesma família devem pertencer ao mesmo gênero. 04) A presença de um estilo de vida comum em plantas classificadas em diferentes famílias sugere uma evolução com convergência adaptativa 05) A extinção dos gaturamos pode favorecer a sobrevivência da erva, porque reduz um fator de resistência ambiental Questão 05 Na Lagoa de Baixo, no município de Confins, a 50 km da capital mineira, toxinas produzidas pelas cianobacté-

6 rias Cylindrospermopsis raciborskii foram a causa da morte de centenas de tilápias em setembro de Em Caruaru, 61 pessoas que se submetiam a sessões de hemodiálise também morreram como conseqüência de cianotoxinas liberadas na água que abastecia a cidade e estava sendo usada durante aquele tratamento terapêutico. (Ciência Hoje, p. 60) A relação ecológica que se estabeleceu entre as cianobactérias e as tilápias na Lagoa de Baixo é do tipo 01) predatismo, por acarretar a morte de indivíduos de uma das espécies participantes, apenas. 02) amensalismo, pela ocorrência de morte em uma população relacionada à produção de substâncias por outra população. 03) sinfilia, por promover a regulação do tamanho de uma das populações envolvidas. 04) mutualismo, pela natureza íntima da relação estabelecida entre indivíduos classificados em grupos muito distintos. 05) comensalismo, por ser a liberação de cianotoxinas um evento casual, não havendo obrigatoriedade de repetição. Questão 06 O ser humano está fortemente cercado, por dentro e por fora, de bactérias. Embora algumas delas constituam agentes de doenças, outras, como a Escherichia coli, vivem no intestino grosso e aí produzem vitaminas B12 e K, que são aproveitadas pelo organismo após atravessarem a parede do cólon. A relação que se estabelece entre o homem e as bactérias intestinais referidas pode ser identificada como 01) comensalismo, por ocorrer entre indivíduos pertencentes a duas espécies. 02) amensalismo, por envolver a utilização, por parte de um indivíduo, de substâncias produzidas por organismo de outra espécie. 03) parasitismo, por trazer malefícios a uma das espécies envolvidas. 04) mutualismo, por ser essencial para ambos os organismos relacionados. 05) predatismo, por causar a morte de um dos indivíduos. Questão 07 Os gráficos A e B mostram, respectivamente, o tamanho de diferentes populações de um mesmo ecossistema, antes e depois da introdução de uma nova espécie. A análise comparativa dos gráficos sugere que a espécie exótica a) Estabeleceu relação mutualista com a espécie 1. b) Foi predada por indivíduos da população 5 c) Foi favorecida por competição com a espécie 2, por recursos ambientais similares. d) Exerceu a predação sobre a espécie 3. e) Diminuiu a resistência ambiental para a população 4. Questão 08 Encontrados em supermercados e mercearias, o leite acidófilo - produto probiótico - contém uma bactéria, o Lactobacillus acidophilus, com função de manter os mecanismos de proteção e prevenir distúrbios gastrointestinais em seres humanos. A relação circunstancial que se estabelece entre o homem e a bactéria pode ser identificada como 01) competição. 02) comensalismo. 03) inquilinismo. 04) mutualismo. 05) protocooperação. Questão 09 Uma nova espécie de abelha solitária foi descoberta no Planalto das Araucárias, no Rio Grande do Sul. A Monoeca xanthopyga não vive em colônias e possui estruturas utilizadas na coleta de óleos florais de plantas da família das malpigiáceas e orquidáceas, polinizando-as. Segundo o biólogo Rodrigo Cunha, essa característica se traduz em uma relação de dependência entre abelha e planta. Se a planta se extingue, o mesmo ocorrerá com a abelha e vice-versa. A interdependência entre a abelha Monoeca xanthopyga e os vegetais do Planalto das Araucárias reflete 01) a natureza autotrófica da nutrição dos insetos. 02) o elevado grau de parentesco evolutivo entre insetos e angiospermas. 03) a coevolução de ancestrais da abelha M. xanthopyga e de angiospermas. 04) o estabelecimento de adaptações evolutivas, independente da ação de forças seletivas. 05) a pequena especificidade de nicho ecológico da abelha M. xanthopyga. Questão 10 Um exército de dois milhões de vespinhas está combatendo a mosca da carambola, uma das piores pragas da fruticultura, na fronteira do Brasil com a Guiana Francesa. Com a cauda, a fêmea da vespinha injeta seu ovo na larva da mosca. Em vez de virar praga, a larva se transforma em vespinha, atacando outras moscas. No próximo mês, o Brasil exportará dois milhões de vespinhas para a Guiana Francesa. Originária da Ásia, ela mede apenas 1cm de comprimento, mas é capaz de evitar um projuízo de US$90 milhões/ano ao país. O inseto está sendo multiplicado em um laboratório da USP, em São Paulo. A técnica de multiplicação dos parasitóides foi desenvolvida pela Embrapa, na Bahia. "A guerra entre a vespinha e a mosca da carambola" é um exemplo de A) uso de pragas agrícolas contra seus predadores naturais. B) controle de populações independente de relações interespecíficas. C) efeito danoso da introdução de espécies produzidas em laboratório em campos de cultivo. D) agricultura com manejo de pragas sob menor impacto ambiental. E) tecnologia agrícola com aplicação no extermínio de inseto.

7 Questão 11 Pode-se dizer que todas as plantas são, em alguma fase do seu ciclo, atacadas por herbívoros, que removem às vezes pequenos fragmentos e às vezes partes inteiras, ou destroem todo o vegetal. Apesar da grande vulnerabilidade das plantas ao ataque dos herbívoros, a flora terrestre tem evoluído como uma cobertura altamente diversa. As plantas e insetos experimentam uma multiplicidade de inter-relações que se estabeleceram num processo coevolutivo que foi favorável à sobrevivência desses grupos biológicos e propiciou uma extraordinária diversificação. A figura mostra mecanismos que protegem a planta de ações predatórias dos insetos ou que compensem os ataques. A análise dos mecanismos de compensação envolve a seguinte interpretação: 01) A destruição de folhagem da copa, em decorrência da predação por insetos, expõe tecidos sombreados a melhores condições de luminosidade, favorecendo a produtividade primária da planta. 02) A remoção dos brotos laterais por ação predatória dos insetos intensifica o processo de ramificação da planta, aumentando a sua folhagem. 03) A predação induz a atividade fotossintética em células da raiz, o que proporciona um aumento das reservas nutritivas da planta. 04) A resposta da planta à destruição das flores pelos predadores é compensada com o aumento na quantidade de frutos produzidos. 05) A liberação de substancias voláteis pela planta agredida, que afugentam espécies de insetos que são predadoras desses herbívoros. Questão 12 O aparecimento inesperado de onças em áreas urbanas, em cidades do interior do Brasil, no contexto atual, conduz a interpretações como a seguinte: 01) A invasão de áreas urbanas por felinos selvagens é uma evidência de que os programas de proteção à fauna estão se consolidando no país. 02) Os ruídos das áreas urbanas vêm atraindo animais na expectativa de conseguirem melhores condições para a caça. 03) Os espaços exigidos e as inter-relações necessárias para a sobrevivência dos carnívoros superiores estão sendo comprometidos, de forma irreversível, com a degradação das áreas florestais. 04) As áreas agrícolas podem se constituir ambientes seletivos para estabelecer novos caminhos evolutivos para esses carnívoros. 05) Uma mudança de nível trófico, nas onças, pode justificar as suas incursões urbanas. Questão 13 O figo-da-índia é o fruto de uma cactácea do nordeste brasileiro. Enquanto o caule carnoso e túrgido serve de alimento para o gado, o fruto alimenta o homem. Esse cacto foi atacado, durante muito tempo, pela cochonilha, que prolifera rapidamente nas áreas de plantio. Com o objetivo de controlar essa praga, foi introduzido o inseto conhecido como joaninha, que se alimenta de cochonilhas. O tamanho das populações de cochonilha foi, então, reduzido e as populações da cactácea foram preservadas. A análise de aspectos ecológicos da situação descrita permite afirmar: 01) Gado e cochonilha apresentam sobreposição parcial de nicho ecológico. 02) A joaninha, alimentando-se de cochonilhas, ocupa o 2 nível trófico. 03) Joaninha e cochonilha estabelecem competição interespecífica. 04) A densidade populacional do cacto deve ter diminuído após a introdução da joaninha no ecossistema. 05) A extinção da cochonilha era esperada nas plantações do cacto onde a joaninha foi introduzida. Questão 14 O gráfico registra resultados do experimento clássico de Gause, onde se observou a variação no tamanho das populações dos protozoários Paramecium caudatum e Paramecium aurelia em uma cultura mista. (Sônia Lopes, v. 3, p. 298) Uma consideração que pode ser feita a partir da análise do gráfico é a de que 01) a população de Paramecium aurelia apresenta crescimento exponencial. 02) a estabilização da densidade populacional de P. aurelia é alcançada depois da extinção de P. caudatum. 03) o alimento é um fator de resistência ambiental apenas para a população de P. caudatum. 04) P. aurelia é um predador de P. caudatum. 05) P. aurelia e P. caudatum apresentam sobreposição em alguns aspectos do nicho ecológico. Questão 15 Em águas aquecidas de regiões abissais, a 260m de profundidade, foi identificado um verme gigante com estranhas adaptações. Dentre as peculiaridades, constatou-se que o seu sistema circulatório contém uma bactéria que converte H2S e CO2 em carboidrato e que o seu sangue transporta S ao invés de oxigênio. Essas originalidades, adaptando o organismo para viver em condições mais especiais, contribuíram para a sobrevivência da espécie, porque a) diminuem a competição interespecífica.

8 b) capacita o verme a viver sem depender dos recursos do ambiente. c) permitem ao organismo viver sem realizar reações oxidativas. d) excluem os efeitos da seleção natural. e) deixam a espécie livre dos predadores. Potencial Biótico, Sucessão Ecológica e Biomas Questão 01 milhões de dólares por ano para sua remoção (onde já se incrustou) e seu controle. Questão 02 O estabelecimento do mexilhão-zebra, nos Grandes Lagos, como uma espécie exótica pode ser explicado por A) aumento exponencial do potencial biótico de Dreissena polymorpha. B) presença, no mexilhão, de características de baixo valor adaptativo no ambiente recém-colonizado. C) existência de condições ecológicas completamente distintas do ambiente original do mexilhão-zebra. D) ausência, no novo hábitat, de inimigos naturais de D. polymorpha e de disponibilidade de alimento. E) incremento na competição entre as espécies nativas, beneficiando os invasores. Questão 03 Uma das possíveis conseqüências da introdução de espécies exóticas é A) o aumento da heterogeneidade da flora e fauna locais. B) a redução de variabilidade genética pela extinção de espécies nativas. C) o ganho ecológico pelo enriquecimento das teias alimentares. D) a origem, a curto prazo, de espécies novas, devido à quebra do isolamento geográfico. E) a propagação de animais e plantas em seus ambientes originais. A interpretação do gráfico requer a compreensão de que 01) o potencial biótico da espécie é uma propriedade biológica que flutua em função da resistência ambiental. 02) a resistência ambiental suportada por Homo sapiens foi diminuindo ao longo da sua história. 03) a seleção natural exerceu papel predominante na adaptação do homem ao ambiente. 04) as interações competitivas do homem com as outras espécies animais devem ter sido mais agressivas com o passar dos séculos. 05) a obtenção de espécies agrícolas na evolução cultural coloca o homem no nível de produtor na pirâmide ecológica. Questões 02 e 03 A invasão de espécies exóticas é hoje uma das maiores ameaças à integridade dos ecossistemas. O aumento do tráfego marítimo e o uso de grandes navios têm feito da água de lastro - utilizada nas viagens para obter maior estabilidade e ajudar na propulsão e em manobras o mecanismo mais eficiente de dispersão de organismos marinhos e de água doce. O transporte de longa distância contribui para eliminar ou reduzir as barreiras naturais que sempre separaram os ecossistemas e mantiveram sua integridade. O mexilhão-zebra (Dreissena polymorpha), nativo da Europa, invadiu e se estabeleceu nos Grandes Lagos, ao norte dos Estados Unidos, provocando gastos de Questão 04 Em 1839, foi introduzido na Austrália um único espécime da planta cactácea conhecida como figo-da-índia (Opuntia inermís). Essa planta é originária da América do Sul, mas se adaptou tão bem às condições australianas que, passados apenas 60 anos, já cobria uma área de, aproximadamente, 4 milhões de hectares. Em 1920, grande parte das terras destinadas à criação de gado estava sendo ocupada pelo figo-da-índia, tornando-se inútil para a pecuária. Em 1925, surgiu a idéia de introduzir na Austrália a pequena borboleta sul-americana Cactoblastis cactorium, cujas lagartas se alimentam de caules de Opuntia. Hoje, há, relativamente, poucos exemplares dessas plantas na Austrália. Considerando-se conhecimentos da dinâmica de populações, a análise do texto permite afirmar: 01) O desequilíbrio ecológico descrito ocorreu pela grande resistência ambiental às populações de O. inermis na Austrália. 02) O equilíbrio no tamanho da população australiana de figo-da-índia foi estabelecido com alta densidade. 03) A criação de gado tem importância destacada na manutenção do equilíbrio do tamanho da população australiana de figo-da-índia. 04) O potencial biótico de O. inermis é o mesmo em ecossistemas australianos e sul-americanos. 05) A predação por lagartas é sempre um fator de desequilíbrio no tamanho de populações vegetais.

9 Questão 05 As comunidades vegetais representam o resultado de um processo de mudanças progressivas que se define como sucessão ecológica, embora, em geral, pareçam sistemas estáticos, inalteráveis no tempo. O esquema exemplifica esse processo de sucessão em um campo de cultivo abandonado. A partir das informações, pode-se afirmar: (01) A sucessão ecológica caracteriza-se pela colonização de um ambiente através de mudanças progressivas na composição da comunidade biológica. (02) O esquema representa um processo de sucessão secundária, no qual as plantas pioneiras estão representadas principalmente por gramíneas. (04) As comunidades temporárias, com o decorrer do tempo, foram substituídas por comunidades idênticas à nativa. (08) A sucessão ecológica caracteriza-se pelo fim do processo evolutivo das espécies que integram a comunidade. (16) No final do processo, ocorre a extinção da maioria das espécies que foram aparecendo no decorrer da sucessão. Questão 06 Nos anos 90, o Sahel, a faixa de terra semi-árida limítrofe com o deserto do Saara, no norte da Africa, foi apontado como uma região condenada à sobrevivência humana, em decorrência do avanço das dunas do deserto, das secas contínuas e da agricultura predatória. Não se pensa mais assim. Há indícios claros do recuo do Saara. Regiões da porção norte do Sahel estão agora recobertas por uma incipiente vegetação em áreas antes consideradas estéreis. Certos estudos revelam que até mesmo dunas de areia que ultrapassaram os limites do deserto ganharam cobertura vegetal de arbustos e pequenas árvores. A cobertura de regiões do Sahel por incipiente vegetação" e por "arbustos e pequenas árvores, na situação descrita, constitui um exemplo de 01) estabilização de comunidade clímax. 02) emigração de espécies pioneiras. 03) magnificação trófica primária. 04) sucessão ecológica secundária. 05) unificação de nichos ecológicos. Questão 07 Pode se reconhecer como características do cerrado 01) vegetação constituída por um estrato de gramíneas e outras ervas, além de arbustos e poucas árvores. 02) biodiversidade reduzida, reflexo de uma pobreza em espécies animais e vegetais. 03)dinâmica na composição das espécies, impedindo que o bioma alcance o estágio clímax. 04) precipitação pluviométrica intensa e bem distribuída durante todo o ano. 05) fauna e flora típicas de regiões de transição entre floresta tropical e manguezais. Questão 08 Um bioma pode ser definido como 01) uma comunidade clímax, com organismos perfeitamente adaptados às condições ambientais. 02) o conjunto de fatores físicos e químicos que atuam permanentemente sobre uma comunidade. 03) a totalidade das populações que habitam uma determinada área. 04) uma parcela da Biosfera onde ocorre intercâmbio de matéria e energia entre os organismos. 05) o conjunto dos ecossistemas terrestres e aquáticos das diferentes regiões do planeta. Questão 09 A incorreta caracterização dos mangues como formações insalubres e a sua localização em pontos atrativos para o homem explicam a histórica utilização dessas áreas, subordinada a impiedosas ações predatórias. Assim, muitas extensões dos mangues foram degradadas ou mesmo destruídas por uma utilização desordenada e insensata dos ambientes costeiros. Considerando-se aspectos da dinâmica dos manguezais que asseguram ao ecossistema papéis imprescindíveis no funcionamento da biosfera, é correto afirmar: I.As condições do manguezal favorecem a concentração do fósforo, elemento fundamental pela sua predominância quantitativa na constituição elementar das células. II.A elevada produtividade das plantas propicia a instalação, nos mangues, de populações de organismos detritívoros, como moluscos bivalvos e outros pequenos invertebrados. III.As condições oferecidas por águas calmas, encontradas em mangues, estabelecem um ambiente propício para a desova de peixes e para a evolução de formas juvenis. IV.A riqueza em sedimentos assegura ao manguezal funcionar como um filtro que retém substâncias tóxicas como metais pesados transportados pelas mares e provenientes de despejos. V.As espécies adaptadas aos manguezais podem sobreviver em uma diversidade grande de ambientes. 01 Apenas são verdadeiras as afirmativas I e II 02) Apenas são verdadeiras as afirmativas li, Ill e IV. 03) Apenas são verdadeiras as afirmativas III, IV e V. 04) Apenas são verdadeiras as afirmativas I, III, IV e V. 05) Todas as afirmativas são verdadeiras. Poluição Questão 01 Garantir a sobrevivência de uma população que deve atingir cerca de nove bilhões de habitantes em 2025,

10 assegurando a todos alimentação suficiente e o acesso democrático aos bens de consumo, é um grande desafio que se impõe à humanidade nesse início do século XXI. A resposta a esse desafio deve envolver soluções, entre as quais se reconhece como estratégia ecologicamente correta 01) a ampliação do espaço agrícola das monoculturas, aumentando a produção dos grãos tradicionalmente utilizados pela humanidade. 02) a substituição das áreas de cultura agrícola de subsistência pela criação de animais domésticos, estabelecendo, predominantemente, o homem como consumidor de nível mais elevado. 03) a intensificação da exploração dos recursos pesqueiros das regiões litorâneas, apoiada na comprovação científica de que o mar é uma dádiva ilimitada da natureza. 04) a substituição das linhagens naturais de vegetais utilizados na alimentação humana por linhagens transgênicas, com o objetivo de proporcionar uma maior diversidade de plantas agrícolas, utilizando uma tecnologia mais barata e mais segura ecologicamente. 05) o desenvolvimento de uma agricultura apoiada numa gestão agroecológica do solo e a disseminação de uma prática de orientação do aproveitamento mais eficiente dos recursos alimentares. Questão 02 Até o momento, o número de espécies vivas conhecidas (descritas pela ciência), incluindo microorganismos, animais e plantas, está em torno de 1,4 milhão. É possível que essa quantidade não chegue a 10% do total de espécies vivas na Terra. Lamentavelmente, a ciência não conhecerá todas, pois a interferência humana está extinguindo muitas espécies ainda desconhecidas. A extinção de espécies, que ainda não foram reconhecidas pelos cientistas, tende a se agravar em decorrência de interferências humanas, como: 01) Eliminação individual dos elementos de uma população. 02) Destruição dos nichos ecológicos. 03) Perseguição às espécies exóticas. 04) Redução do potencial biótico dos grandes animais, limitando os seus hábitats. 05) Diminuição da resistência ambiental sobre as populações. Questão 03 O desaparecimento de espécies no mundo é muito mais grave do que se acreditava porque as atuais listas de animais e plantas não consideram o conjunto de seres que dependem daqueles diretamente ameaçados para sobreviver. As listas disponíveis omitem as espécies "afiliadas" que também correm risco de extinção. O resultado é que, nos próximos anos, provavelmente desaparecerão 6300 espécies se forem extintas aquelas das quais elas dependem para sobreviver. Os autores do estudo usaram um modelo baseado em dados de observação do mundo real para examinar a relação entre espécies "afiliadas" e "espécies "hospedeiras", tais como parasitas e seus hospedeiros, borboletas e hospedeiros larvais e borboletas-formigas e suas formigas hospedeiras. "É preciso rever os atuais cálculos sobre extinção e levar em conta as co-extinções [u.j. [u.j Foi descoberto que, com a extinção de um pássaro, um mamífero e uma planta, não estão apenas desaparecendo essas espécies. Considerando-se a dinâmica do ecossistema, uma repercussão da situação analisada é 01) a maior disponibilização de nichos ecológicos. 02) o aumento do número de elos nas cadeias alimentares. 03) o aumento do número de espécies mais generalistas. 04) a redução da biodiversidade e a extinção de genomas. 05)a integração equilibrada de espécies exóticas aos habitats vazios. Questão 04 A utilização de plantas exóticas para fins paisagísticos, comerciais ou para reflorestamento, vem se constituindo um problema ambienta!. O plantio, no Brasil, de Pinnus ellioti (pinheiro americano) já é encarado como um risco ao ecossistema, entre outras razões, porque o 01) cultivo de plantas exóticas em monoculturas favorece odesenvolvimento de espécies nativas. 02) Pinnus ellioti, em ambiente exótico, face à ausência de competidores naturais, expressa melhor o seu potencial biótico, contribuindo para o seu alastramento. 03) plantio de uma espécie exótica enriquece o solo com novos nutrientes, propiciando a explosão de ervas daninhas. 04) desenvolvimento de um sistema radicular superficial aumenta a absorção de água, o que leva ao desequilíbriodo ciclo hidrológico. 05) crescimento de plantas estranhas no ambiente favorece o surgimento de novas espécies consumidoras. Questão 05 Um dos fatores mais importantes para a limnologia refere-se ao estado nutricional de sistemas aquáticos definidos pelo teor de alguns elementos (nitrogênio e fósforo, por exemplo) ou pela biomassa de algas e plantas aquáticas. Esta riqueza define o "estado trófico" do ambiente. (pedrosa; RESENDE, 1999, p ). O enriquecimento do ambiente aquático por nutrientes inorgânicos, como compostos fosforados e nitrogenados, pode resultar em uma condição de eutrofização, que repercute 01) em melhoria das condições de oxigenação do ambiente como efeito de uma intensificação dos processos de decomposição de resíduos orgânicos. 02) no aumento da densidade populacionallimitada ao nível de consumidores de ordem mais elevada. 03) no fenômeno da "floração das águas", caracterizado pelo aumento de biomassa dos produtores. 04) no crescimento do teor de CO2 na água, em decorrência de uma maior atividade fotossintética. 05) na melhoria significativa da qualidade da água do meio, com aumento de sua transparência.

11 Questão 06 Em muitos trechos de rios, extremamente poluídos por despejos urbanos, tem se detectado ser zero o nível de oxigênio da água. Esse indicador pode ser explicado, considerando-se que os despejos domiciliares 01) contribuem para o aumento das populações de peixes carnívoros, proporcionando-ihes rico suprimento alimentar, o que esgota o oxigênio da água. 02) enriquecem as águas do rio com resíduos orgânicos que favorecem crescimento de populações de decompositores aeróbicos. 03)contêm, em elevadas concentrações, resíduos de metais pesados, facilmente oxidáveis, que retiram o oxigênio da água. 04) asseguram ao fluxo fluvial, após o despejo, condições imediatas de baixa DBO (demanda biológica de oxigênio). 05) modificam o coeficiente de solubilidade da água, em relação ao oxigênio, que desaparece do meio líquido. Questões 07 e 08 Os gases emitidos pelas plantações de arroz não só contribuem para o aquecimento progressivo do planeta, como também têm papel na diminuição da camada de ozônio. Estudos feitos em arrozais na Califórnia indicaram que, além de emitirem o gás metano, cujo acúmulo contribui para o efeito estufa, neles ocorre a emissão de compostos - os halelos de metila - que contribuem para reações químicas em grandes altitudes, destruindo o ozônio. Questão 07 A diminuição da camada de ozônio pode provocar 01) aumento significativo de casos de câncer de pele e catarata nas populações humanas. 02) aumento da produtividade primária a partir do fitoplâncton. 03) diminuição da temperatura global em larga escala no século XXI. 04) alterações alarmantes do clima das diversas regiões do planeta. 05) destruição de grandes áreas cultivadas e conseqüente diminuição na oferta de alimentos. Questão 08 As conseqüências do efeito estufa 01) terão as mesmas características em todo o planeta, não importando a zona considerada. 02) poderão ser evitadas, através de mudanças globais no estilo de vida e modelos industriais da sociedade moderna. 03) resultam principalmente de processos naturais, como a respiração de plantas e animais. 04) serão, a médio e a longo prazo, neutralizadas pela atividade fotossintética das florestas tropicais. 05) vêm acontecendo ciclicamente, ao longo da história do planeta, como um fenômeno natural. Questão 09 O gráfico mostra a variação da concentração de CO2 na atmosfera e da temperatura ambiente entre as décadas de 50 e 90, em Mauna Loa, Hawai. A partir da análise do gráfico, pode-se afirmar: 01) A concentração de CO2 na atmosfera não apresenta variações anuais perceptíveis. 02) O pico alcançado pela temperatura, em cada década, é sempre maior do que o da década anterior. 03) A utilização de combustíveis fósseis como fonte de energia tende a reduzir a concentração de CO2 atmosférico. 04) O incremento da temperatura no planeta Terra pode estar associado ao acúmulo de CO2 na atmosfera. 05) A inibição da atividade decompositora dos fungos e bactérias poderia dobrar a concentração de CO2 atmosférico em dez anos. Questão 10 Apesar de estar mais perto do Sol, Mercúrio não é tão quente quanto Vênus, onde a atmosfera é muito densa. Ao contrário, Mercúrio é envolto em uma camada rarefeita de hélio, hidrogênio, oxigênio, sódio, potássio e cálcio. Admite-se que o núcleo desse planeta contém, proporcionalmente, mais ferro do que a Terra. [...] Somente daqui a sete anos a sonda espacial poderá confirmar essas e outras hipóteses relacionadas ao planeta Mercúrio. (VENTUROLl. In: Veja, 2004, p. 88). Análises de dados referentes às condições térmicas de Mercúrio e de Vênus sugerem o seguinte: 01) A ausência de CO2 na atmosfera de Mercúrio é o fator limitante para o surgimento da vida no planeta. 02) A atmosfera densa de Mercúrio explica as oscilações térmicas do planeta na alternância de longos dias e longas noites. 03) A presença do oxigênio entre os gases atmosféricos de Mercúrio é, em si mesma, uma condição imprescindível à origem de seres procariontes. 04) Condições atuais de Mercúrio evidenciam a evolução de processos geoquímicos, que oferecem condições à formação e à estabilização dos biopolímeros. 05) A temperatura mais elevada de Vênus, em relação a Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, pode ser interpretada como decorrência do efeito estufa. Questão 11 A perda da capacidade de as florestas atuarem como "ralos", retirando o excesso de gás carbônico do ar, está associada a

12 A) buracos na camada de ozônio, que prejudicam o metabolismo dos fotoautótrofos. B) extinção de animais silvestres que participam dos ciclos do carbono e do oxigênio. C) incêndios que, assolando grandes áreas, têm comprometido a cobertura vegetal do planeta. D) redução nas taxas de decomposição de árvores derrubadas em atividades de desmatamento. E) substituição do uso de combustíveis fósseis por fontes alternativas de energia. Cadeia Alimentar ,08 Gabarito 02-D 03-B ,02, Poluição C Ciclos Biogeoquímicos B Interações e nicho ecológico C D A Potencial Biótico, Sucessão Ecológica e Biomas 01-02

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Ecologia (oikos = casa; logos = ciência) Estuda as relações entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem; Multidisciplinar A Ecologia é complexa, e envolve:

Leia mais

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Link para acessar o conteúdo, calendário, notas, etc. www.e-conhecimento.com.br Ensino Médio Primeiros Anos Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE 1- Leia o texto e responda as questões Todos os animais, independentemente do seu estilo de vida, servem como fonte de alimento para outros seres vivos. Eles estão

Leia mais

Matéria e Energia no Ecossistema

Matéria e Energia no Ecossistema Matéria e Energia no Ecossistema Qualquer unidade que inclua a totalidade dos organismos (comunidade) de uma área determinada, interagindo com o ambiente físico, formando uma corrente de energia que conduza

Leia mais

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui:

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: COLÉGIO JOÃO PAULO I ENSINO MÉDIO 2009 ECOLOGIA PROF. XANDI 1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: a) população b) comunidade c) ecossistema d)

Leia mais

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida Introdução A ciência que estuda como os seres vivos se relacionam entre si e com o ambiente em que vivem e quais as conseqüências dessas relações é a Ecologia (oikos = casa e, por extensão, ambiente; logos

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica UFRGS ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica 1. (Ufrgs 2014) Considere as seguintes afirmações sobre conceitos utilizados em ecologia. I. Nicho ecológico é a posição biológica ou funcional que um ecossistema

Leia mais

Curso de Biologia. www.profdorival.com.br. Ecologia

Curso de Biologia. www.profdorival.com.br. Ecologia www.profdorival.com.br Questão 01 N a i l u s t r a ç ã o, t r ê s ecossistemas estão sendo comparados em termos da quantidade de biomassa presente em seus níveis tróficos. A partir da análise da ilustração,

Leia mais

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS 5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS Auno(a) N 0 6º Ano Turma: Data: / / 2013 Disciplina: Ciências UNIDADE I Professora Martha Pitanga ATIVIDADE 01 CIÊNCIAS REVISÃO GERAL De

Leia mais

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia 1. Durante uma aula de campo, a professora informou que naquela área existiam diversas espécies de formigas, seres que estabelecem uma relação intraespecífica harmônica conhecida como sociedade. Informou

Leia mais

Teia Alimentar. ! Energia. ! Os produtores podem ser autótrofos por quimiossíntese ou fotossíntese.

Teia Alimentar. ! Energia. ! Os produtores podem ser autótrofos por quimiossíntese ou fotossíntese. Introdução - População -> Conjunto de organismos vivos de uma mesma espécie que vivem em uma mesma área. - Comunidade (biocenose) -> Conjunto de organismos vivos que representam todas as espécies que interagem

Leia mais

Maxillaria silvana Campacci

Maxillaria silvana Campacci Ecologia Aula 1 Habitat É o lugar que reúne as melhores condições de vida para uma espécie. Temperatura, quantidade de água, intensidade da luz solar e tipo de solo determinam se o habitat é adequado ao

Leia mais

Biologia Fascículo 10 André Eterovic

Biologia Fascículo 10 André Eterovic Biologia Fascículo 10 André Eterovic Índice Ecologia Conceitos Ecológicos...1 Cadeias Alimentares...2 Relações Simbióticas...4 Exercícios...6 Gabarito...8 Ecologia Conceitos Ecológicos Ecologia: definição

Leia mais

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa.

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa. Biodiversidade Introdução Na Estratégia Nacional para a Biodiversidade, desenvolvida pelo Ministério do Meio Ambiente, acordou-se que o Brasil deve dar ênfase para seis questões básicas: conhecimento da

Leia mais

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS ECOLOGIA GERAL Aula 05 Aula de hoje: FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS Sabemos que todos os organismos necessitam de energia para se manterem vivos, crescerem, se reproduzirem e, no caso

Leia mais

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS BIOLOGIA Prof. Fred ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS Ecologia: definição e importância Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e entre estes e o ambiente em que vivem. Envolve aspectos do

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA. Professora: Alexsandra Ribeiro

EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA. Professora: Alexsandra Ribeiro CONTEÚDO: CAP. 1, 2 e 3 EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1ª VP4 de Ciências 6ª SÉRIE 1ª ETAPA Professora: Alexsandra Ribeiro 1. O esquema abaixo nos mostra como a vida está organizada no planeta. A complexidade da

Leia mais

ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) - AR

ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) - AR ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) é uma das áreas da biologia que mais cai no ENEM, sendo que, dentro da ecologia, impactos ambientais são pontos bem cobrados. Nessa aula, iremos estudar alguns

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS O fluxo de energia em um ecossistema é unidirecional e necessita de uma constante renovação de energia, que é garantida pelo Sol. Com a matéria inorgânica que participa dos ecossistemas

Leia mais

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Biomas Brasileiros I Floresta Amazônica Caatinga Cerrado Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Floresta Amazônica Localizada na região norte e parte das regiões centro-oeste e nordeste;

Leia mais

5ª série / 6º ano 1º bimestre

5ª série / 6º ano 1º bimestre 5ª série / 6º ano 1º bimestre Água e o planeta Terra Hidrosfera Distribuição e importância Hidrosfera é o conjunto de toda a água da Terra. Ela cobre 2/3 da superfície terrestre e forma oceanos, mares,

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G CADERNO DE EXERCÍCIOS 1G Ensino Fundamental Ciências da Natureza Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Movimentos dos continentes H7 2 Origem dos seres vivos na Terra H17 3 Relações ecológicas

Leia mais

Matéria e energia nos ecossistemas

Matéria e energia nos ecossistemas Aula de hoje Matéria e energia nos ecossistemas Matéria e energia nos ecossistemas A forma e funcionamento dos organismos vivos evoluiu parcialmente il em respostas às condições prevalecentes no mundo

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem Ciências Naturais 8º ano Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem 1 O que representa a imagem seguinte? A. Uma sucessão ecológica. B. Uma teia aliemntar. C. Uma pirâmide ecológica.

Leia mais

Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros. Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia. Bioma

Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros. Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia. Bioma Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia Bioma Conjunto de vida, vegetal e animal, constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação, condições

Leia mais

Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio

Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio Relações Ecológicas Tema: Ecologia Ciências Naturais 6º ano Lígia Palácio 1) Introdução A interação dos diversos organismos que constituem uma comunidade biológica são genericamente denominadas relações

Leia mais

Aula 14 Distribuição dos Ecossistemas Brasileiros Floresta Amazônica Mais exuberante região Norte e parte do Centro Oeste; Solo pobre em nutrientes; Cobertura densa ameniza o impacto da água da chuva;

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP)

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) PROBLEMAS AMBIENTAIS Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) Liga-se com a hemoglobina impedindo o O2 de ser conduzido INVERSÃO TÉRMICA *Inversão térmica é um fenômeno

Leia mais

23/8/2011 CADEIAS ALIMENTARES CADEIA ALIMENTAR OU CADEIA TRÓFICA PRODUTORES. Ecossitemas e Saúde Ambiental ::Profª MSC. Dulce Amélia Santos 1

23/8/2011 CADEIAS ALIMENTARES CADEIA ALIMENTAR OU CADEIA TRÓFICA PRODUTORES. Ecossitemas e Saúde Ambiental ::Profª MSC. Dulce Amélia Santos 1 CADIAS ALIMNTARS ngenharia Civil Disciplina cossistemas e Saúde Ambiental Aula - Cadeias Alimentares - Fluxo De nergia Profª Msc.. Dulce Amélia Santos As espécies que vivem em um mesmo ambiente estão ligadas

Leia mais

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES SOCIEDADES Diferem das colônias basicamente pela independência física exibida por seus integrantes. Também caracterizam-se

Leia mais

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS BIOLOGIA ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente onde vivem. É uma ciência que estuda os seres vivos acima do nível do organismo individual, estuda,

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Relações Ecológicas Prof. Enrico Blota Biologia Ecologia Relações ecológicas Representam as interações entre os seres vivos em um determinado ecossistema. Podem ser divididas

Leia mais

Ecologia: interações ecológicas

Ecologia: interações ecológicas FACULDADES OSWALDO CRUZ Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Microbiologia Aplicada Prof a MsC. Vanessa Garcia Aula 12 (2º semestre): Ecologia: interações ecológicas Objetivos: analisar os principais

Leia mais

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Técnico: Maria das Dores de V. C. Melo Coordenação Administrativa-Financeira:

Leia mais

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Módulo 09 GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Quando ocorre o fechamento dos estômatos a condução de seiva bruta fica prejudicado bem como a entrada de gás carbônico para o processo fotossintético. 02. C O deslocamento

Leia mais

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Exercícios (ENEM 2006) Com base em projeções realizadas por especialistas, teve, para o fim do século

Leia mais

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros Necessidades básicas O planeta oferece meios que satisfaçam as necessidades básicas dos seres vivos. Necessidades básicas dos

Leia mais

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.:

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= 01- Nas figuras abaixo

Leia mais

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas Capítulo 07 Distribuição dos Ecossistemas A terra possui regiões que apresentam características próprias, onde cada uma desenvolve sua flora e fauna típica, sejam elas aquáticas ou terrestres, vindo a

Leia mais

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO I Ocorre de maneira natural; Atividade humana; Década de 1970 preocupação com a biodiversidade e poluição; Esforço global... Substituir civilização

Leia mais

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente.

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Profª Kamylla Ecologia: definição OIKOS Casa LOGOS Estudo Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Componentes do Ecossistema Substâncias Abióticas; Componentes Bióticos:

Leia mais

Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas

Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas Ecologia Conceitos Básicos e Relações Ecológicas MOUZER COSTA O que é Ecologia? É a parte da Biologia que estuda as relações dos seres vivos entre si e com o ambiente. Conceitos Básicos Espécie População

Leia mais

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos -- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos São Paulo tem déficit de água Região Metropolitana de São Paulo População: aprox. 20 milhões Consumo médio de água: 73 mil litros por segundo

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1 1 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO ADMINISTRAÇÀO DISCIPLINA: MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO PROF: NAZARÉ FERRÀO TURMA: 7-ADN-1 I. MEIO AMBIENTE CONCEITOS MEIO AMBIENTE Tudo o que cerca o ser vivo,

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 20 ECOLOGIA Como pode cair no enem (ENEM) Várias estratégias estão sendo consideradas para a recuperação da diversidade biológica de um ambiente degradado, dentre elas, a criação

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 01 Fisiologia Vegetal (Transporte e absorção de H34, H40, H41, H63 substâncias); Fotossíntese

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015

COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015 COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015 ECOLOGIA Introdução, Cadeias alimentares, Matéria e Energia no Ecossistema. O termo ECOLOGIA foi empregado pela 1ª vez por E. Haeckel,

Leia mais

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 INSTRUÇÕES 1. Preencha o cabeçalho e com o nome completo de cada aluno da equipe MÉDIA = 2. Todas as respostas deverão ser apresentadas nos espaços apropriados, com

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS 6 ano 1 volume CONTEÚDOS OBJETIVOS 1.Astronomia: estudando o céu Estrelas e constelações Sistema Solar e exploração do Universo - Movimentos da - Terra e da Lua Reconhecer

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos Ser humano: semelhanças e diferenças (características físicas e comportamentais, gostos pessoais) Partes do corpo humano Sentidos humanos: audição, visão, paladar, tato e olfato Cuidados com os órgãos

Leia mais

Aula 11 Cadeia alimentar

Aula 11 Cadeia alimentar Aula 11 Cadeia alimentar A biosfera, parte do planeta onde vivem os seres vivos, é formado por ecossistemas. O ecossistema é constituído por comunidade (parte biótica) e os fatores físicos e químicos do

Leia mais

Níveis de Organização

Níveis de Organização Níveis de Organização Indivíduo Átomos Moléculas Células Tecidos Órgãos Sistemas capazes de se cruzarem entre si, originando indivíduos férteis. Ex: Cachorro População: grupo de indivíduos da mesma espécie

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Ciências

PROVA BIMESTRAL Ciências 6 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Ciências Escola: Nome: Turma: n o : 1. Os animais apresentam diferentes formas de locomoção, alimentação e revestimento do corpo, características estas que os organizam

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

Veja algumas das principais observações

Veja algumas das principais observações MUDANÇAS CLIMÁTICAS ANTÁRTICAS E O MEIO AMBIENTE Principais conclusões do Grupo de Especialistas do Scientific Committee on Antarctic Research (versão completa da publicação em http://www.scar.org/publications/occasionals/acce_25_nov_2009.pdf)

Leia mais

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um:

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um: Quiz 6 a Série Professora: Alexsandra Ribeiro Instruções: Olá queridos alunos e alunas! O quiz é mais uma ferramenta que nos possibilita saber se realmente você está entendendo o conteúdo abordado em sala

Leia mais

Específicas. I. Harmônicas. II. Desarmônicas. I. Harmônicas 1) SOCIEDADE. Estas relações podem ser

Específicas. I. Harmônicas. II. Desarmônicas. I. Harmônicas 1) SOCIEDADE. Estas relações podem ser Relações Ecológicas Os seres vivos mantém constantes relações entre si, exercendo influências recíprocas em suas populações. INTRA ou INTERESPECÍFICAS Estas relações podem ser HARMÔNICAS OU DESARMÔNICAS

Leia mais

FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA

FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA Todos os organismos necessitam de energia para realizar as suas funções vitais. A energia necessária para a vida na Terra provém praticamente toda do sol. Contudo,

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Ecologia de Ecossistemas. Aula 4: Produtividade e Decomposição

Universidade Federal de Goiás. Ecologia de Ecossistemas. Aula 4: Produtividade e Decomposição Universidade Federal de Goiás Instituto de Ciências Biológicas Dep. Ecologia Prof. Adriano S. Melo - asm.adrimelo@gmail.com Ecologia de Ecossistemas Aula 4: Produtividade e Decomposição Produção primária

Leia mais

Cadeia alimentar 3º ano

Cadeia alimentar 3º ano Cadeia alimentar 3º ano O equilíbrio ecológico depende diretamente da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente. Os seres respiram, vivem sobre o solo

Leia mais

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4

ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA. CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 ATIVIDADE INTERAÇÕES DA VIDA CAPÍTULOS 1, 2, 3 e 4 Questão 1) Abaixo representa uma experiência com crisântemo, em que a planta foi iluminada, conforme mostra o esquema. Com base no esquema e seus conhecimentos,

Leia mais

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos 2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos Aluno(a):...Turma:... 1º) Um indivíduo ao ser picado por uma cobra coral, foi levado ao hospital onde lhe aplicaram: a. Antígenos específico para a citada cobra.

Leia mais

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa.

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O que é o Aquecimento Global? O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O efeito estufa é um fenômeno natural e consiste na retenção de calor irradiado pela

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS

CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Conteúdo de Recuperação

Leia mais

Elementos essenciais a vida: Zn, Mo e o Co. - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe;

Elementos essenciais a vida: Zn, Mo e o Co. - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe; Elementos essenciais a vida: - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe; - Micronutrientes principais: Al, Bo, Cr, Zn, Mo e o Co. Bio organismos

Leia mais

Universidade Federal do Paraná

Universidade Federal do Paraná * Universidade Federal do Paraná * *O que são Biomas? *Bioma é uma unidade biológica ou espaço geográfico caracterizado de acordo com o macroclima, a fitofisionomia (aspecto da vegetação de um lugar),

Leia mais

DATA: 17/11/2015. 2. (ENEM) Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava:

DATA: 17/11/2015. 2. (ENEM) Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava: EXERCÍCIOS REVISÃO QUÍMICA AMBIENTAL (EFEITO ESTUFA, DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO E CHUVA ÁCIDA) e EQUILÍBRIO QUÍMICO DATA: 17/11/2015 PROF. ANA 1. Na década de 70, alguns cientistas descobriram quais

Leia mais

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA Atividade de Ciências 5º ano Nome: ATIVIDADES DE ESTUDO Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA FLORESTA AMAZÔNICA FLORESTA ARAUCÁRIA MANGUEZAL PANTANAL CAATINGA CERRADO

Leia mais

Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges

Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges ECOSSISTEMAS MÓDULO 1 Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges ESPÉCIES EXISTENTES NA TERRA Espécies conhecidas 1.412.000 Outros animais 281.000 Insetos 751.000 Fungos 69.000 Procariontes 4.800

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Conteúdo: O efeito estufa. Habilidade: Demonstrar uma postura crítica diante do uso do petróleo. REVISÃO Reações de aldeídos e cetonas. A redução de um composto

Leia mais

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água.

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. ÁGUA Água conhecida como elemento vital Comunidades primitivas evoluídas Água Sobrevivência História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. Civilizações mais primitivas comunidades nômades

Leia mais

Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão

Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão Antes de continuarmos... ainda algumas orientações! Orientações gerais (muito importantes) 1) O prazo máximo

Leia mais

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br Professor: Cláudio Custódio www.espacogeografia.com.br Estocolmo 1972 -Desenvolvimento zero X Desenvolvimento a qualquer custo. - Desenvolvimento sustentável - Crise do petróleo Rio 1992 - Agenda 21 -

Leia mais

Unidade I: Fundamentos

Unidade I: Fundamentos Curso: Ciências do Ambiente Unidade I: Fundamentos Profª Manuella Villar Amado A crise ambiental Miller (1985) A Terra pode ser comparada a uma astronave deslocando-se a 100.000 km/h pelo espaço sideral

Leia mais

PROTEÇÃO AMBIENTAL. Professor André Pereira Rosa

PROTEÇÃO AMBIENTAL. Professor André Pereira Rosa PROTEÇÃO AMBIENTAL Professor André Pereira Rosa ALTERAÇÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS CARACTERÍSTICAS DAS IMPUREZAS 99,9 % 0,1 % Esgotos Sólidos Poluição tratamento Impurezas justificam a instalação de ETE

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer AGRICULTURA E AQUECIMENTO GLOBAL Carlos Clemente Cerri Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/USP) Fone: (19) 34294727 E-mail: cerri@cena.usp.br Carlos Eduardo P. Cerri Escola Superior de Agricultura

Leia mais

Sequência de Aulas - Ciclos Biogeoquímicos

Sequência de Aulas - Ciclos Biogeoquímicos Sequência de Aulas - Ciclos Biogeoquímicos 1. Nível de Ensino: Ensino Médio 2. Conteúdo Estruturante: Biogeoquímica 2.1 Conteúdo Básico: Matéria, Composição dos elementos químicos. 2.2 Conteúdo Específico:

Leia mais

b) Qual a vantagem de se injetar nos pacientes células-tronco extraídas deles mesmos?

b) Qual a vantagem de se injetar nos pacientes células-tronco extraídas deles mesmos? SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 3ª Série

Leia mais

Grandes Problemas Ambientais

Grandes Problemas Ambientais Grandes Problemas Ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A Antárctica; A desflorestação; A Amazónia; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário 1 Metras Curriculares Estratégias Tempo Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas UFRGS ECOLOGIA Fluxo de energia e Interações ecológicas 1. (Ufrgs 2015) Analise o quadro abaixo que apresenta os componentes de uma cadeia alimentar aquática e de uma terrestre. Ecossistema aquático aguapé

Leia mais

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, em sua versão 2012, apresentará uma redação e 180 questões objetivas, divididas nas quatro áreas do conhecimento: - Ciências

Leia mais

Conceitos em Ecologia: o estudo de Populações, Comunidades e Ecossistemas. Prof. Francisco Soares Santos Filho, D.Sc. UESPI

Conceitos em Ecologia: o estudo de Populações, Comunidades e Ecossistemas. Prof. Francisco Soares Santos Filho, D.Sc. UESPI Conceitos em Ecologia: o estudo de Populações, Comunidades e Ecossistemas. Prof. Francisco Soares Santos Filho, D.Sc. UESPI População é o conjunto de seres da mesma espécie que vivem na mesma área geográfica,

Leia mais

A Biodiversidade é uma das propriedades fundamentais da natureza, responsável pelo equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas, e fonte de imenso

A Biodiversidade é uma das propriedades fundamentais da natureza, responsável pelo equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas, e fonte de imenso Biodiversidade Pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. Pode ser entendida como uma associação de vários

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

AULA 2 A CONTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO

AULA 2 A CONTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 2 1. Conceituar a Contabilidade Ambiental; 2. Definir Meio Ambiente 3. Citar as finalidades da Contabilidade Ambiental; 4. Conhecer a evolução histórica; 3

Leia mais

Comer o milho ou a galinha que comeu o milho?

Comer o milho ou a galinha que comeu o milho? Comer o milho ou a galinha que comeu o milho? A UU L AL A Na Aula 29 usamos como exemplo o galinheiro de um fazendeiro. Para alimentar as galinhas, o fazendeiro planta ou compra milho. As galinhas, aproveitando

Leia mais

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento AULA 4 FLORESTAS As florestas cobriam metade da superfície da Terra antes dos seres humanos começarem a plantar. Hoje, metade das florestas da época em que recebemos os visitantes do Planeta Uno não existem

Leia mais

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Parâmetros de qualidade da água Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Coloração - COR Variáveis Físicas associada à presença

Leia mais

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração A UU L AL A Respiração A poluição do ar é um dos problemas ambientais que mais preocupam os governos de vários países e a população em geral. A queima intensiva de combustíveis gasolina, óleo e carvão,

Leia mais

Biomas, Domínios e Ecossistemas

Biomas, Domínios e Ecossistemas Biomas, Domínios e Ecossistemas Bioma, domínio e ecossistema são termos ligados e utilizados ao mesmo tempo nas áreas da biologia, geografia e ecologia, mas, não significando em absoluto que sejam palavras

Leia mais

O clima está diferente. O que muda na nossa vida?

O clima está diferente. O que muda na nossa vida? O clima está diferente. O que muda na nossa vida? 06/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Entre os seres vivos de um ecossistema, há um inter relacionamento dinâmico e equilibrado, que permite a troca de matéria e de energia.

Entre os seres vivos de um ecossistema, há um inter relacionamento dinâmico e equilibrado, que permite a troca de matéria e de energia. Cadeia alimentar A biosfera, parte do planeta onde vivem os seres vivos, é formado por ecossistemas. O ecossistema é constituído por comunidades (parte biótica) e os fatores físicos e químicos do meio

Leia mais

Exercício de Biologia - 3ª série

Exercício de Biologia - 3ª série Exercício de Biologia - 3ª série 1- A poluição atmosférica de Cubatão continua provocando efeitos negativos na vegetação da Serra do Mar, mesmo após a instalação de filtros nas indústrias na década de

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Figura 1. Habitats e nichos ecológicos diversos. Fonte: UAN, 2014.

Figura 1. Habitats e nichos ecológicos diversos. Fonte: UAN, 2014. Ecologia de Comunidades e Ecossistemas Habitat e nicho ecológico Para entendermos o funcionamento da vida dos seres vivos em comunidade (dentro de um ecossistema) se faz necessário abordarmos dois conceitos

Leia mais

Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas

Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO DRAFT Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.br

Leia mais