NO MUNDO DA LUA Como ela influencia a nossa vida

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NO MUNDO DA LUA Como ela influencia a nossa vida"

Transcrição

1 Edição #126 Oásis LAGOS ANDINOS Uma nova travessia entre o Chile e a Argentina FUKUOKA O agricultor que deixava a terra em paz AQUECIMENTO GLOBAL Nas cordas de um violoncelo NO MUNDO DA LUA Como ela influencia a nossa vida

2 por Luis Pellegrini Num mundo pragmático dominado pela ciência cartesiana, existem muitos que são capazes de jurar pelo poder da Lua. Mas pesquisas científicas recentes revelam que nem tudo é ficção no mundo da Lua Editor V ocê acredita que a Lua, nas suas diferentes fases particularmente a Lua Cheia influencia nossa saúde e nosso comportamento? Saiba então que essa crença é tão antiga quanto a própria humanidade. Desde que o ser humano começou a pensar e a refletir sobre o mundo onde vivemos, uma das suas primeiras conclusões foi certamente a de que as fases da Lua influenciam as marés oceânicas. E assim que aprendeu a estabelecer relações de analogia, deve ter percebido que o ciclo menstrual das mulheres fenômeno orgânico diretamente relacionado à concepção e à maternidade coincidia quase exatamente com o ciclo das fases lunares. Daí, estender a crença das influências lunares a muitas outras coisas foi um pulo. Até hoje, são milhões os que acreditam que a Lua influencia no crescimento e na queda dos cabelos, nas oscilações do humor, na sexualidade, na fertilidade, nos impulsos agressivos e na criminalidade, para citar apenas algumas dessas influências. oásis. Editorial 2/35

3 por Luis Pellegrini Editor A última descoberta, bem recente, não parece ser produto da ficção ou da superstição: as fases lunares realmente influenciam o sono. Nos dias de Lua Cheia, por exemplo, ou na proximidade deles, aumenta consideravelmente a síndrome da insônia. A Lua e as influências que ela exerce são o tema de nossa matéria de capa. Mas, à parte as influências comprovadas e as imaginárias do nosso belo satélite, um capítulo à parte deveria ser escrito sobre a Lua como fonte de inspiração para as artes, a poesia, e para os românticos em geral. Mas este capítulo ficará para a próxima vez... oásis. Editorial 3/35

4 mistério NO MUNDO DA LUA Como ela influencia a nossa vida oásis. mistério

5 Por: Luis Pellegrini L A crença de que a Lua, nas suas diferentes fases, influencia nossa saúde e nosso comportamento é tão antiga quanto a humanidade. Até hoje, num mundo pragmático dominado pela ciência cartesiana, existem muitos que são capazes de jurar pelo poder da Lua. Mas pesquisas científicas recentes revelam que nem tudo é ficção no mundo da Lua obisomens, vampiros, boom de nascimentos... não dá para contar os personagens e acontecimentos - falsos e verdadeiros - ligados às fases da Lua, particularmente ao surgir da Lua Cheia. O último fato da lista parece ser a ligação da Lua com a insônia. Pesquisa séria, feita em laboratório, indica que o disco lunar completamente iluminado atrapalha o sono e atrasa o adormecimento: mas a luz lunar que eventualmente passa através das persianas não tem nada a ver com isso. Por qual estrada chegará até nós a influência da Lua? Christian Cajochen, pesquisador da Universidade da Basiléia, Suíça, examinou os padrões do sono humano em relação aos ciclos lunares, retomando uma experiência iniciada há dez anos. O estudo original tinha como objetivo principal explorar as relações entre idade e qualidade do sono. Ele envolvia 33 voluntários de idade entre 20 e 74 anos, cujo sono foi estudado durante 64 noites seguidas. Os voluntários foram estudados em condições de controle muito rígido. Entre outros cuidados, eles foram completamente isolados da luz natural. Cajochen pensou que os mesmos dados poderiam também ser usados para avaliar como as fases lunares influenciam o sono. Assim, o pesquisador dividiu as 64 noites do experimento em três grupos com base na maior ou menor aproximação deles à fase da Lua Cheia. Os voluntários testados nas noites mais próximas à Lua Cheia, ou concomitantes a ela, mostraram, com efeito, um sono mais agitado. Por exemplo, a atividade cerebral relativa ao sono profundo mostrava um decremento de 30% em relação à média. Também os níveis de melatonina, hormônio que regula os ciclos de sono/vigília, revelaram- se bem mais baixos. oásis. mistério 5/35

6

7 Além disso, esses pacientes levaram em média 5 minutos a mais para adormecer, e dormiram no total cerca de 20 minutos a menos. A qualidade do sono deles foi considerada inferior de 15% em relação à qualidade do sono do resto do grupo. É tudo culpa da Lua? Claro, os resultados da pesquisa devem ser analisados com cautela, já que a amostragem foi considerada pequena e pelo fato de o objeto da pesquisa ser inicialmente outro, diferente do objeto agora escolhido. No entanto, ressaltam os pesquisadores, os dados obtidos foram atentamente calculados e foram excluídos outros fatores que pudessem perturbar o sono, tais como a influência da luz natural no quarto ou a concomitância, nas mulheres, com o ciclo menstrual. Cada pessoa na Terra possui o seu próprio ritmo circadiano de 24 horas explicou Cajochen. Depois desse experimento podemos lançar a hipótese de que todos nós sofremos os efeitos dos ciclos lunares. Talvez no cérebro exista também um relógio circalunar, mas nós simplesmente ainda não sabemos nada dele, concluiu. A cegonha voa nas noites de Lua Cheia Outra crença muito antiga, ainda viva nos dias de hoje, é a de que os ciclos da Lua podem influir não apenas sobre o temperamento e o humor, sobretudo oásis. mistério 7/35

8

9 os das mulheres, mas também sobre a fertilidade feminina e os partos. A responsabilidade dessa crença deve-se a uma curiosa coincidência numérica: o mês lunar dura cerca 29 dias e 12 horas; o ciclo menstrual feminino dura em média entre 28 e 29 dias. Tais hipóteses, no entanto, são fortemente desmentidas pela comunidade científica. Mas é essa mesma ciência a estudar curiosos fenômenos naturais de nascimento e concepção ligados às fases da Lua. Os corais da Grande Barreira Coralina, no norte da Austrália, por exemplo, começam a se reproduzir em massa nas noites de Lua Cheia, e em modo perfeitamente sincronizado. O que lhes dá esse ritmo são fotorreceptores especiais sensíveis aos comprimentos de ondas luminosas emitidos pela Lua. Inúmeros outros animais, sobretudo insetos e batráquios, também preferem as noites de Lua Cheia para seus ritos de sedução e acasalamento. Paladina dos nascimentos, senhora das colheitas e das semeaduras, responsável pela qualidade do vinho, doida e caprichosa, capaz de ativar em cada um de nós os instintos mais estranhos e primitivos, em torno da Lua todas as civilizações teceram as mais bizarras crenças e superstições. Existe quem a considere responsável por terremotos e crises epilépticas. Existe quem controla em que fase a Lua se encontra antes de atirar-se a uma relação sexual. Quem acha ser ela o motor que ativa impulsos criminosos e até mesmo os que levam a assassinatos. Sem contar os que não acreditam de modo algum que o homem já caminhou na superfície lunar, e afirmam que as façanhas dos as oásis. mistério 9/35

10 tronautas norte-americanos não passam de contos da carochinha. E o lobisomem que ataca nas noites de Lua Cheia? A lenda, que parece ter origem europeia, se espalhou pelos cinco continentes, e até hoje existem aqueles que preferem permanecer trancados em casa nas noites em que a Lua bem redonda brilha inteira no céu. Em 2007, Andy Parr, inspetor de polícia inglês do Sussex, pediu reforços para patrulhar as ruas nas noites de Lua Cheia. Noites nas quais, segundo ele, ocorre um aumento dos crimes e dos comportamentos agressivos. Com base na minha experiência de mais de vinte anos como policial, Parr declarou aos microfones da BBC, a rádio estatal inglesa, posso afirmar que nas noites de Lua Cheia cruzamos nas ruas com pessoas que demonstram atitudes muito estranhas. Pessoas nervosas, encrenqueiras, briguentas. Esse policial não é o primeiro a denunciar uma ligação entre as fases lunares e episódios violentos. Trinta anos antes dele, Arnold Lieber, psicólogo norte- -americano autor de uma importante pesquisa sobre mais de 11 mil agressões registradas na Flórida no arco de cinco anos, tentou provar que essa influência lunar nefasta é verdadeira. Também Lieber afirmou que, pelos resultados da sua pesquisa, a maior parte das agressões ocorre nas noites de Lua Cheia, ou nas horas que a precedem. Os estudos sobre os efeitos bizarros provocados pelo nosso satélite não se limitam ao ser humano. Entre 1997 e 1999, alguns médicos de Bradford, na Ingla oásis. mistério 10/35

11

12 terra, analisaram mais de 1600 casos de mordidas de animais. Concluíram que as possibilidades de sermos mordidos redobram nos dias próximos à Lua Cheia. Mas, também aqui, tais pesquisas não persuadiram a comunidade científica. Alguns cientistas preferem se debruçar sobre outra possibilidade: Também o nosso corpo se ressente da influência do magnetismo lunar que provoca o fenômeno das marés oceânicas? A pergunta tem razão de ser, já que, sabidamente, o magnetismo lunar influencia os líquidos que existem sobre nosso planeta. Como nosso corpo é constituído principalmente de líquidos... As principais possibilidades estudadas dizem respeito a náuseas, cefaleias, distúrbios cognitivos e de confusão mental. Nada foi provado em definitivo, mas existem pesquisadores dispostos a apostar que nosso satélite possa não apenas mover a água dos oceanos, mas também aquela que existe no interior do corpo humano. A maioria dos médicos, no entanto, sorri diante dessas considerações, considerando que não apenas a força que a Lua exerce sobre nosso corpo é extremamente débil, mas também que os líquidos corporais estão encapsulados nos tecidos e não estão livres para flutuar e correr, como acontece com a água dos oceanos. Assim, diante de tantos prós e contras a respeito da influência da Lua sobre nossas vidas, melhor ficar com uma influência que, esta sim, é absolutamente certa: a força da sugestão. Em estudo publicado na revista Epilepsy & Behaviour, em 2004, os únicos ataques epilépticos que efetivamente aumentam nas noi oásis. mistério 12/35

13 tes de Lua Cheia são os falsos ataques. Aqueles que não são causados por disfunções elétricas do cérebro, mas sim por distúrbios psicóticos. E os que só cortam os cabelos numa determinada fase da Lua? Eles são muitos, e acreditam existir uma ligação entre as fases da Lua e o crescimento dos cabelos. Trata-se de uma crença muito antiga que tem suas raízes nas tradições populares ligadas às técnicas de magia simpática - um corpo de crenças baseadas no princípio da similitude entre aquilo que deve ser curado e os meios utilizados para chegar-se à cura. Em outras palavras, se a Lua cresce, crescerão também as unhas, os pelos e os cabelos... E quanto à influência astrológica da Lua em nossas vidas... dou a palavra aos astrólogos. oásis. mistério 13/35

14

15 viagem LAGOS ANDINOS Uma nova travessia entre o Chile e a Argentina oásis. viagem O Vulcão Villarrica se eleva às margens do lago de Pucón

16 Grupo de turistas faz a subida à cratera do Vulcão Villarrica

17 Cruzar a cordilheira dos Andes entre o Chile e a Argentina é o sonho de todo turista que aprecia o sabor da aventura e não limita suas viagens apenas aos grandes hotéis, restaurantes e shoppings das grandes cidades. Para esses, existe hoje uma opção que mistura natureza, paisagens de tirar o fôlego e o plus de visitar dois países numa mesma viagem. Trata-se de ir do Chile para a Argentina ou vice-versa -, por via terrestre, percorrendo o mítico itinerário dos lagos andinos Texto e fotos: Jaime Borquez travessia entre o Chile e a Argentina navegando através dos lagos andinos começa na agitada cidadezinha chilena de Pucón, na orla do lago Villarrica e aos pés do vulcão do mesmo nome. Reserve dois dias e duas noites de estadia. É tempo suficiente para aproveitar as variadas atrações locais. Não deixe de conhecer as Termas Geométricas, projetadas pelo mais ousado e Afamoso arquiteto chileno, German del Sol, responsável pelos famosos hotéis Explora da Patagônia e do Deserto de Atacama. No Chile, Pucón é a capital do turismo outdoor, com destaque para a ascensão do belíssimo Villarica, um vulcão ativo. São cinco horas de caminhada, mas o prêmio vale todo o esforço: é indescritível a sensação de se chegar até a borda da cratera desse vulcão e ver a lava incandescente fervendo e fumegando lá embaixo. Será o caldeirão do diabo? Mas há também atividades mais suaves, como o rafting familiar no Rio Trancura, saltos em parapente duplo, passeios em mountain bike, caiaque, canopy - também chamado de arvorismo -, pesca de truta e muito mais. Pucón tem gastronomia boa e variada gastronomia. Peixes e frutos do mar são o forte do Chile, mas aqui, alem deles, há grande opção de carnes, incluindo as de caça. Há restaurantes muito charmosos, geralmente construídos a partir de enormes troncos de madeira nativa. Pucón é uma sucessão de surpresas encantadoras. A saída para a Argentina se inicia com a travessia da cordilheira andina através do passo Hua-Hum. O caminho margeia os lagos Villarrica, Calafquén, Panguipully e oásis. viagem 17/35

18 Centro urbano de Pucón. Ao fundo, o onipresente Vulcão Villarrica

19 Termas Geométricas, na região de Pucón

20 a reserva de Huilo Huilo, com sua bela cachoeira. E se chega até Puerto Fuy, onde embarca-se na balsa que navega por hora e meia até chegar a Puerto Pirihueico. Depois dos trâmites de imigração, chega-se à alfândega argentina onde é preciso preencher alguns documentos de entrada no país, e embarca-se na moderna lancha Patagônia 1, com capacidade para 115 passageiros. Pode se viajar na parte coberta da embarcação, ou sair para a parte externa da qual desfruta-se de 365 graus de pura paisagem andina. E tem início a segunda parte do programa Travessia Navegando entre Chile e Argentina, passando pelos lagos Nonthué e Laçar, fazendo uma curta caminhada na ilha Santa Teresita para chegar, duas horas depois, na cidade argentina de San Martin de los Andes. A travessia completa dura perto de dez horas e, quando as condições climáticas se põem mais complicadas, o trajeto se faz tranquilamente pelo passo Mamuil Malal, que não deixa nada a dever quanto a belas paisagens de lagos, rios e as sempre nevadas montanhas andinas. No dia seguinte, pela manhã, há tempo suficiente para se conhecer a charmosa San Martin de los Andes e fazer comprinhas. À tarde tem início a Excursão aos Sete Lagos. Ela percorre desfiladeiros andinos do lado argentino até chegar a Villa La Angostura, uma parada para café e chocolates. Depois, a viagem continua até San Carlos de Bariloche, onde o turista dispõe de dois dias para fazer passeios como o Circuito Chico, Cerro Campanário, Isla Bike em riacho da região Victoria, ou simplesmente sentar num bom restaurante, saborear um bom bife de chorizo acompanhado por um vinho Malbec. Nada pode ser mais argentino do que isso! A Travessia Navegando Chile e Argentina é uma das melhores alternativas para se conhecer e admirar os encantos dos vales da Cordilheira dos Andes. Informações: In Out Patagonia ( ) oásis. viagem 20/35

21 Entrada de uma das muitas cavernas vulcânicas da região Vaqueiro da Patagônia prepara churrasco típico no interior de cabana de madeira Dois ângulos de visão do Vulcão Villarrica

22 Duas lojas de artesanatos em San Martin de Los Andes O rafting é um dos esportes mais praticados nas corredeiras que vão desaguar nos lagos andinos A cratera fumegante do Vulcão Villarrica

23 Paisagem da margem de um lago andino

24 oásis. saúde Praia do Lago de Pucón, 9/19 muito frequentada nos meses de verão

25 A cidadezinha de San Martin de Los Andes, em território argentino

26 Uma pousada na rota dos lagos andinos

27 FUKUOKA O agricultor que deixava a terra em paz agricultura oásis. agricultura

28 Seu nome era Masanobu Fukuoka e seu método de agricultura natural é cada vez mais valorizado ao redor do mundo. Ele criou um sistema de cultivo que reproduz e respeita os processos naturais da terra Por: Equipe Oásis. Quando abordamos a momentosa questão da relação entre o homem e o mundo natural, não fazer nada ou interferir minimamente torna-se uma ideia radical. Especialmente para uma civilização como a nossa, obcecada em saltar de uma complexidade para outra na prática, ao mesmo tempo em que, teoricamente, idealiza a simplicidade. Masanobu Fukuoka ( ) foi um agricultor, biólogo e filósofo japonês, autor das obras A revolução de uma palha e O sendeiro natural do cultivo, nas quais apresenta suas propostas para um método de agricultura que é hoje mundialmente conhecido como agricultura natural ou método Fukuoka. Esse sistema de cultivo, cujos resultados costumam ser surpreendentemente bons, é baseado justamente num ideal de simplicidade. No Japão, Fukuoka criou uma fazenda a partir de seus próprios conhecimentos e descobertas. Essa fazenda ficou célebre em todo o mundo por causa dos seus altos resultados agrícolas tanto em termos de produção e da alta qualidade dos vegetais ali cultivados quanto de preservação da qualidade do solo. Estes são os dois pontos que costumam ser destacados quando se fala da fazenda de Fukuoka: 1. Era mais produtiva por metro quadrado do que todas as plantações agroindustriais do mundo, incluídas as que empregam as mais modernas tecnologias. 2. Não empregava nenhum tipo de maquinário, nem pesticidas, nem adubos químicos. Nessa fazenda também não se arava a terra. Fukuoka conseguiu tudo isso empregando técnicas pioneiras dentro do espírito da permacultura (sistema de design para a criação de ambientes humanos sustentáveis e produtivos em equilíbrio e harmonia com a natureza). A mais célebre das técnicas de Fukuoka é a das nendo dango, bolas de argila com sementes em seu interior. Fukuoka participou de numerosos projetos de permacultura que alcançaram grande oásis. agricultura 28/35

29 êxito ao redor do mundo. Por causa deles esse sábio japonês conquistou a fama de ser capaz de reverdecer campos áridos e até mesmo zonas desérticas. Ele entendia seu trabalho não apenas como um labor de cura da Terra, mas também de cultivo da alma. Projeto Fukuoka O sistema de cultivo de Fukuoka foi por ele batizado de agricultura natural. Embora muitas das suas práticas sejam específicas para o Japão, a ideia geral que rege o seu método foi aplicada com êxito em muitos lugares ao redor do mundo. Seu sistema se enquadra dentro do âmbito da permacultura, cuja essência é reproduzir as condições naturais tão fielmente quanto possível, de modo que o solo se enriqueça progressivamente e a qualidade dos alimentos cultivados aumente sem o acréscimo de nenhum esforço ulterior. Princípios do método Não arar: deste modo são preservados e mantidos a estrutura e a composição do solo com suas características ótimas de umidade e de micronutrientes. Não usar adubos ou fertilizantes: mediante a interação dos diferentes elementos botânicos, animais e minerais do solo, a fertilidade do terreno de cultivo se regenera como em qualquer sistema não domesticado. Não eliminar ervas daninhas nem usar herbicidas: estes destroem os nutrientes e os microrganismos do solo, e unicamente se justificam em certos casos de monoculturas. Fukuoka propõe uma interação de plantas que enri oásis. agricultura 29/35

30 oásis. agricultura 30/35

31 quece e controla a biodiversidade de um solo. Não usar pesticidas: eles também matam a riqueza natural do solo. A presença de insetos pode ser equilibrada numa plantação. Não podar: deixar que as plantas sigam o seu curso natural. Todos estes princípios de trabalho à primeira vista bastante radicais são baseados na antiquíssima filosofia oriental do não fazer (wu-wei, em chinês) ou, mais exatamente, não interferir. Fukuoka alcançou um alto grau de compreensão dos microssistemas do solo, que lhe permitiu idealizar um sistema que libera do trabalho e dos esforços não necessários empregados na agricultura convencional moderna. Seu método se baseia em dar e receber da terra de forma natural, em vez de sugar os seus recursos até o seu total esgotamento. Bolas de argila (nendo dango) Para melhorar a produção com a menor intervenção possível, Fukuoka idealizou entre outras coisas um sistema que permite substituir tanto o arado quanto os espantalhos. Uma criação importante é o das bolinhas de barro: colocar sementes dentro de bolinhas de barro de 2 a 3 centímetros de diâmetro que serão espalhadas na superfície do campo agrícola. No interior das bolinhas, as sementes permanecerão protegidas das intempéries e dos animais. Com as primeiras chuvas intensas, as bolinhas serão des 31/35

32 feitas e as sementes começarão a brotar. Misturadas às sementes das plantas que se deseja cultivar são incluídas sementes de outras plantas (principalmente do trevo branco). Estas últimas germinarão mais rapidamente e suas plantas criarão uma capa fina que protegerá o solo da luz solar, impedindo a germinação de ervas daninhas, mas não a dos cereais que se deseja cultivar. Em vez de arar ou eliminar as ervas do campo agrícola, o método Fukuoka recomenda que ele seja recoberta com os restos das plantas cultivadas na colheita anterior, de forma que seja criada uma compostagem natural, capaz de conservar a umidade e os nutrientes e de impedir a proliferação de ervas não desejadas. Detalhes interessantes As bolas de argila podem conter uma porção de adubo natural (esterco ou outros). Uma porção de pimenta caiena acrescentada às bolotas de barro ajuda a espantar animais que poderiam comer as sementes. Nessas bolotas podem também ser incluídas várias combinações, segundo seja o cultivo de cereais, hortaliças, frutas, zonas de bosques, etc., de modo que possam ter muito mais usos que o da produção de alimentos agrícolas (reflorestamento, renovação de áreas verdes, regeneração de solos desgastados, etc.) Sistema de trabalho O sistema Fukuoka se baseia em respeitar e inclusive potencializar os ciclos naturais, de maneira que estes assegurem uma melhor qualidade de crescimento das plantas. oásis. agricultura 7/8

33 Mediante intervenções simples, executadas no momento adequado, é possível obter-se uma considerável redução do tempo de trabalho. Essas intervenções são baseadas na interação da biosfera com o solo. Por exemplo: no outono semeia-se arroz, recoberto com uma espessa camada de palha de arroz. O centeio ou a cevada e o trevo brotam imediatamente, mas as sementes do arroz permanecem latentes até a chegada da primavera. O centeio e a cevada são ceifados em maior e permanecem espalhados sobre o terreno para que sequem durante uma semana a dez dias. Depois disso, são triados e ensacados para armazenamento. Toda a palha é espalhada sem trituração sobre os campos, como para formar um acolchoado. Os campos permanecem inundados durante um curto período de tempo durante as chuvas das monções de junho para debilitar o trevo e as ervas daninhas, e dessa forma proporcionar ao arroz a oportunidade de brotar através da capa vegetal que cobre o solo. A filosofia de vida de Fukuoka Se não tivesse criado para mim uma filosofia de vida, já estaria morto há muitos anos, costumava afirmar Fukuoka. Uma única coisa é absolutamente verdadeira: Tudo é uno. Também descobri que nada existe neste mundo. Tentei penetrar cada vez mais nos detalhes do NADA mais profundo. Assista o vídeo aqui. oásis. astro 33/35

34 ambiente AQUECIMENTO GLOBAL Nas cordas de um violoncelo oásis. ambiente

35 Ideia genial: O músico e ambientalista Daniel Crawford transformou 130 anos de história atmosférica terrestre em uma partitura para violoncelo Por: Equipe Oásis. Vídeo: Vimeo O s efeitos do aquecimento global estão em todas as partes, dia após dia. Mas é difícil construir uma ideia precisa desse fenômeno sem ter nas mãos os dados do quanto os termômetros subiram nos últimos cem anos. Uma ideia genial nos ajuda a perceber essa escalada. Ela foi pensada por Daniel Crawford, um estudante de música da Universidade de Minnesota, que transformou 130 anos de história atmosférica terrestre em uma partitura para violoncelo. Escute o lamento sonoro da Terra que está cada vez mais quente: é fácil perceber que de 1960 em diante as notas são cada vez mais agudas, quase estridentes em relação ao início da composição. Isso acontece porque 9 dos 10 anos mais quentes da história dos registros meteorológicos, de 1880 em diante, verificaram-se na última década. Os especialistas sustentam que o planeta ainda se aquecerá 1,8 graus centígrados até o final deste século, disse Crawford ao comentar a sua composição, que batizou de A Song of Our Warming Planet. Segundo o autor, esse ulterior aquecimento criará uma série de notas que irão além do limite perceptivo do ouvido humano. Vídeo: A Song o four Warming Planet, de Daniel Crawford Estudioso de temáticas ambientais, além de músico, Crawford coletou os dados sobre a temperatura da atmosfera vizinha à superfície terrestre publicados pelo Goddard Institute of Space Studies, da NASA, relativos a um período que vai de 1880 a A cada ano, ele associou uma nota: à medida que a temperatura média do planeta aumenta, aumenta também a altura da nota tocada. oásis. ambiente

Itinerário detalhado. Detalhes do Programa. Principais atrações. Itinerário resumido

Itinerário detalhado. Detalhes do Programa. Principais atrações. Itinerário resumido Itinerário detalhado Dia 1: Chegada em Huilo Huilo, a aventura começa! Aeroporto de Detalhes do Programa Código: MA 01 Temporada: Novembro a Abril Saídas regulares: Todos os días Estilo da Viagem: Esportes

Leia mais

Uma área da Patagônia Argentina que permite apreciar os grandes lagos, montanhas e bosques. Comidas típicas, ar puro e tranquilidade.

Uma área da Patagônia Argentina que permite apreciar os grandes lagos, montanhas e bosques. Comidas típicas, ar puro e tranquilidade. Uma área da Patagônia Argentina que permite apreciar os grandes lagos, montanhas e bosques. Comidas típicas, ar puro e tranquilidade. Os passeios acontecem pelas vilas paradisíacas como: Bariloche, Villa

Leia mais

MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA?

MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA? MAS O QUE É A NATUREZA DO PLANETA TERRA? A UNIÃO DOS ELEMENTOS NATURAIS https://www.youtube.com/watch?v=hhrd22fwezs&list=plc294ebed8a38c9f4&index=5 Os seres humanos chamam de natureza: O Solo que é o conjunto

Leia mais

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Departamento de Geografia Programa Institucional de Iniciação à docência (PIBID) Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor

Leia mais

Você já sabe que o vento é o ar em movimento. Mas o que será que faz o ar se movimentar?

Você já sabe que o vento é o ar em movimento. Mas o que será que faz o ar se movimentar? PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 3º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Leia VENTO VENTANDO! Você já sabe que o

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1A

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1A CADERNO DE EXERCÍCIOS 1A Ensino Fundamental Ciências da Natureza Questão Conteúdo 1 Biomas brasileiros - Mangue H18 2 Sistema solar duração da translação H4 3 Eclipse lunar H8 4 Eclipse solar H8 5 Movimento

Leia mais

EXPEDIÇÃO IMPÉRIO INCA 2015

EXPEDIÇÃO IMPÉRIO INCA 2015 MACHU PICCHU, LAGO TITICACA, DESERTO DO ATACAMA, NORTE ARGENTINO 23 DIAS (veículos) FORMATO EXPEDIÇÃO COM VEÍCULOS GRUPO MÁXIMO PARA A VIAGEM: 20 PESSOAS OU 08 VEÍCULOS Saída Brasil (em veículos) : 03/09/

Leia mais

B I O G E O G R A F I A

B I O G E O G R A F I A B I O G E O G R A F I A BIOMAS DO MUNDO SAVANAS E DESERTOS 2011 Aula VI AS PRINCIPAIS FORMAÇÕES VEGETAIS DO PLANETA SAVANAS As savanas podem ser encontradas na África, América do Sul e Austrália sendo

Leia mais

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local;

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; A Vida no Solo A Vida no Solo A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; O solo é constituído por alguns componentes: os minerais, o húmus, o ar, a água e os seres

Leia mais

Observar a paisagem. Nesta aula, vamos verificar como a noção de

Observar a paisagem. Nesta aula, vamos verificar como a noção de A U A UL LA Observar a paisagem Nesta aula, vamos verificar como a noção de paisagem está presente na Geografia. Veremos que a observação da paisagem é o ponto de partida para a compreensão do espaço geográfico,

Leia mais

Rios que voam. Yana Marull

Rios que voam. Yana Marull Rios que voam Yana Marull Yana Marull Drews Yana é jornalista, vive com a família em Brasília e já morou em outros países que também fazem parte da Bacia Amazônica. Ela adora escrever matérias sobre o

Leia mais

CARNAVAL 2011 Viagem de Bicicleta pela Patagônia Argentina. De 05 a 12 de Março

CARNAVAL 2011 Viagem de Bicicleta pela Patagônia Argentina. De 05 a 12 de Março CARNAVAL 2011 Viagem de Bicicleta pela Patagônia Argentina De 05 a 12 de Março Uma área da Patagônia Argentina que permite apreciar os grandes lagos, montanhas e bosques. Comidas típicas, ar puro e tranqüilidade.

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Patagônia. Esse Roteirinho te leva para

Patagônia. Esse Roteirinho te leva para Esse Roteirinho te leva para Patagônia Nossos roteirinhos semi-prontos oferecem muito charme e bom custo x benefício, sem cair no lugar comum. Eles são semi-prontos porque tem uma estrutura básica, mas

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

IATE TAMARIND 7 DIAS E 6 NOITES

IATE TAMARIND 7 DIAS E 6 NOITES 7 DIAS E 6 NOITES Breve introdução CONCEITO O itinerário de 7 dias e 6 noites é para aqueles que desejam explorar uma das regiões mais belas do nosso litoral a bordo de um iate clássico e luxuoso. Boa

Leia mais

As fases da Lua. Depois do Sol, o astro que sempre despertou. Desenhe as fases da Lua que você conhece.

As fases da Lua. Depois do Sol, o astro que sempre despertou. Desenhe as fases da Lua que você conhece. A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ As fases da Lua Atenção Depois do Sol, o astro que sempre despertou mais o interesse das pessoas foi a Lua. Percorrendo a escuridão celeste, a Lua vem iluminando

Leia mais

Unidade. 6 Coleção IAB de Ciências / 3º ANO

Unidade. 6 Coleção IAB de Ciências / 3º ANO I Unidade 6 Coleção IAB de Ciências / 3º ANO UNIDADE I: A VIDA EM NOSSO PLANETA Introdução A ciência se faz com observação da natureza, perguntas e busca de respostas. Você já observou como o Planeta Terra

Leia mais

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano.

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. PROFESSORA NAIANE As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. A este movimento dá-se o nome de movimento

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 6º ANO

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 6º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 6º ANO 2010 Questão 1 PROVA DE CIÊNCIAS 6 ANO A imagem

Leia mais

APARECIDA DE GOIÂNIA, DE DE 2016

APARECIDA DE GOIÂNIA, DE DE 2016 APARECIDA DE GOIÂNIA, DE DE 2016 ALUNO(A) : SÉRIE: 6º ano TURNO: Matutino PROFESSOR(A): Lindinaldo Torres Lista de Ciências 1º Bimestre Questão 1- A devastação da Mata Atlântica teve início quando: Data

Leia mais

Itinerário detalhado: Detalhes do Programa. As principais atracções. Itinerário resumido

Itinerário detalhado: Detalhes do Programa. As principais atracções. Itinerário resumido Itinerário detalhado: Dia 1: Chegando ao aeroporto, começa a aventura na Reserva Biológica Huilo Huilo Aeroporto até a Reserva Biológica Huilo Huilo, Chile Detalhes do Programa Código: NAT 01 Temporada:

Leia mais

Tipo de Bike: Moutain Bike ( Inclusa ou quem quiser poderá levar a sua própria).

Tipo de Bike: Moutain Bike ( Inclusa ou quem quiser poderá levar a sua própria). O cenário desta deslumbrante viagem é Mendoza, localizada na Argentina e conhecida pela paisagem voltada para a Cordilheira e principalmente pelos seus vinhos. Mendoza é responsável por mais de 70% da

Leia mais

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA Atividade de Ciências 5º ano Nome: ATIVIDADES DE ESTUDO Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA FLORESTA AMAZÔNICA FLORESTA ARAUCÁRIA MANGUEZAL PANTANAL CAATINGA CERRADO

Leia mais

Itinerário detalhado:

Itinerário detalhado: Itinerário detalhado: Dia 1: Chegada à Reserva Biológica Huilo Huilo, começa a viagem mágica na reserva Huilo Huilo. Transfer do aeroporto para a Reserva Biológica Huilo Huilo, Chile A viagem começa quando

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro

Colégio Visconde de Porto Seguro Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I 2011 AULA 1 Ensino Fundamental e Ensino Médio Atividade de Recuperação Contínua Nome do (a) Aluno (a): Atividade de Recuperação Contínua de Ciências Nível I Classe:

Leia mais

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente?

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? O Meio Ambiente ::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? Seu João: Não sei não! Mas quero que você me diga direitinho pra eu aprender e ensinar todo mundo lá no povoado onde eu moro. : Seu João,

Leia mais

"O que não está sendo divulgado na mídia"

O que não está sendo divulgado na mídia "O que não está sendo divulgado na mídia". Essa nova versão possui mais fotos e foi disponibilizada na internet por: Clélia Dahlem da Silva. Realmente não sabemos nada, ou muito pouco, sobre a transição

Leia mais

AGRICULTURA ORGÂNICA

AGRICULTURA ORGÂNICA Conceitos básicos Oficina do Grupo Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Pobreza Setembro 2009 O que é De modo geral, a agricultura orgânica é uma forma de produção agrícola que não utiliza agrotóxicos,

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

mundo JÁ PENSOU EM CONHECER O PLANETA A PÉ? Para Andando pelo Inspiração horizontes

mundo JÁ PENSOU EM CONHECER O PLANETA A PÉ? Para Andando pelo Inspiração horizontes Inspiração horizontes Andando pelo mundo Conheça os mais belos roteiros de viagem para desafiar a própria resistência e praticar uma boa caminhada [ Por Viviane Oliveira e Carol Rocha ] JÁ PENSOU EM CONHECER

Leia mais

CACHOEIRAS em PERNAMBUCO

CACHOEIRAS em PERNAMBUCO quinze quilômetros. A do Poço do Soldado é uma das mais populares. Os moradores dizem que a força da água é uma verdadeira massagem. Na do Caboclo há duas duchas, escorrego e piscinas naturais, além de

Leia mais

Eclipse e outros fenômenos

Eclipse e outros fenômenos Eclipse e outros fenômenos Oficina de CNII/EF Presencial e EAD Todos os dias vários fenômenos ocorrem ao nosso redor, muito próximo de nós. Alguns são tão corriqueiros que nem percebemos sua ocorrência.

Leia mais

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1

climáticas? Como a África pode adaptar-se às mudanças GREEN WORLD RECYCLING - SÉRIE DE INFO GAIA - No. 1 Como a África pode adaptar-se às mudanças climáticas? Os Clubes de Agricultores de HPP alcançam dezenas de milhares ensinando sobre práticas agrícolas sustentáveis e rentáveis e de como se adaptar a uma

Leia mais

ARGENTINA MENDOZA ROTA DOS VINHOS

ARGENTINA MENDOZA ROTA DOS VINHOS BIKE ARGENTINA MENDOZA ROTA DOS VINHOS Mendoza, localizada na Argentina e conhecida pela paisagem voltada para a Cordilheira e principalmente pelos seus vinhos. Mendoza é responsável por mais de 70% da

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA Aluno (a): 4º ano Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação Sistema Solar. Mapa político do Brasil: Estados e capitais. Regiões

Leia mais

ANEXO AULA 12: CONSERVAÇÃO DO SOLO NA AGROECOLOGIA

ANEXO AULA 12: CONSERVAÇÃO DO SOLO NA AGROECOLOGIA ANEXO AULA 12: CONSERVAÇÃO DO SOLO NA AGROECOLOGIA NESTA AULA SERÁ ABORDADO Importância de conservar o solo e sua influência sobre as plantas As formas e métodos de conservação do terreno Como combater

Leia mais

Amazônia Viva - Expedição Detox Sabedoria ancestral na gastronomia crua gourmet

Amazônia Viva - Expedição Detox Sabedoria ancestral na gastronomia crua gourmet Amazônia Viva - Expedição Detox Sabedoria ancestral na gastronomia crua gourmet Expedição Detox na Amazônia - Raw Food com a chef Manuela Scalini. Uma viagem sensorial: aprendendo a usar a sabedoria ancestral

Leia mais

A TERRA É UM SISTEMA ABERTO QUE TROCA ENERGIA E MASSA COM O SEU ENTORNO

A TERRA É UM SISTEMA ABERTO QUE TROCA ENERGIA E MASSA COM O SEU ENTORNO PLANETA TERRA A Terra é um sistema vivo que abriga milhões de organismos, incluindo os humanos, e apresenta delicado equilíbrio para manter a vida. A Geologia é a ciência que estuda a Terra: sua origem,

Leia mais

Tempo e Clima. Episódios: Luz solar e temperatura, Montanhas, Nuvens, Tempestades, Tempestades, ciclones e furacões, Ventos.

Tempo e Clima. Episódios: Luz solar e temperatura, Montanhas, Nuvens, Tempestades, Tempestades, ciclones e furacões, Ventos. Tempo e Clima Episódios: Luz solar e temperatura, Montanhas, Nuvens, Tempestades, Tempestades, ciclones e furacões, Ventos. Resumo A série Tempo e Clima constitui-se de documentários que descrevem grandes

Leia mais

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha Os Grandes Biomas Terrestres PROF Thiago Rocha Bioma: Uma comunidade de plantas e animais, com formas de vida e condições ambientais semelhantes. (Clements, 1916) Florestas tropicais A área de ocorrência

Leia mais

Produçaõ de peixes. Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979)

Produçaõ de peixes. Adaptado de: Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin (FAO, 1979) Produçaõ de peixes Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979) Onde pôr seu tanque de peixes 1. Você tem que escolher um lugar bom para sua tanque. 2. Lembra

Leia mais

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA A água é o mais abundante solvente natural que atua no sentido de desagregar, ou seja, fragmentar

Leia mais

Aula 14 Distribuição dos Ecossistemas Brasileiros Floresta Amazônica Mais exuberante região Norte e parte do Centro Oeste; Solo pobre em nutrientes; Cobertura densa ameniza o impacto da água da chuva;

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2012 CIÊNCIAS

Leia mais

Unidade 5 O Universo e seus astros

Unidade 5 O Universo e seus astros Sugestões de atividades Unidade 5 O Universo e seus astros 6 CIÊNCIAS 1 Céu e constelações A Constelação do Cruzeiro de Sul é representada na bandeira do Brasil e na bandeira de outros países, como Austrália,

Leia mais

NACIONAIS DIA NA COLÔNIA. HOLANDA NO PARANÁ (Carambeí e Castrolanda) (Witmarsum) Catálogo de Viagens CATÁLOGO DE VIAGENS

NACIONAIS DIA NA COLÔNIA. HOLANDA NO PARANÁ (Carambeí e Castrolanda) (Witmarsum) Catálogo de Viagens CATÁLOGO DE VIAGENS Catálogo de Viagens Catálogo de Viagens CATÁLOGO DE VIAGENS DIA NA COLÔNIA (Witmarsum) Venha participar de um dia inesquecível, onde vamos ter a oportunidade de conhecer o modo de vida dos imigrantes menonitas

Leia mais

VIAGEM DE BIKE SALTA e JUJUY NORTE DA ARGENTINA

VIAGEM DE BIKE SALTA e JUJUY NORTE DA ARGENTINA VIAGEM DE BIKE SALTA e JUJUY NORTE DA ARGENTINA Salta é uma região conhecida como la linda, pelas belezas naturais do local. O estilo de vida provincial é bem refletido nas ruas da cidade que conserva

Leia mais

Essa viagem permite fazer um tour gastronômico e visitar as principais vinícolas da região como Catena Zapata, Bodega Séptima e Salentin.

Essa viagem permite fazer um tour gastronômico e visitar as principais vinícolas da região como Catena Zapata, Bodega Séptima e Salentin. O cenário desta deslumbrante viagem é, localizada na Argentina e conhecida pela paisagem voltada para a Cordilheira e principalmente pelos seus vinhos. é responsável por mais de 70% da produção na Argentina.

Leia mais

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 2 Tipos de vegetação Vegetação é caracterizada como o conjunto de plantas de uma determinada região. Em razão da

Leia mais

Belém e Ilha de Marajó 7 dias

Belém e Ilha de Marajó 7 dias A surpreendente paisagem das praias marajoaras Belém é encantadora por suas mangueiras centenárias que sombreiam as ruas da capital paraense, localizada em uma baía rodeada por água e floresta amazônica.

Leia mais

LABORATÓRIOS MINI LABS OFICINAS MINI OFICINAS OVERNIGHTS

LABORATÓRIOS MINI LABS OFICINAS MINI OFICINAS OVERNIGHTS 2º CICLO LABORATÓRIOS MINI LABS OFICINAS MINI OFICINAS OVERNIGHTS EXPOSIÇÃO PERMANENTE EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA CAMPO CINÉTICO VIAGENS CIENTÍFICAS Visionarium Centro de Ciência do Europarque 4520 153 Santa

Leia mais

1a. prova 1 Agroecossistemas Denis Monteiro. Observando paisagens, percebendo os agroecossistemas

1a. prova 1 Agroecossistemas Denis Monteiro. Observando paisagens, percebendo os agroecossistemas 1a. prova 1 Agroecossistemas Denis Monteiro Observando paisagens, percebendo os agroecossistemas Percorrer o território brasileiro, observando a natureza e os povos, impressiona pela exuberância e diversidade.

Leia mais

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento AULA 4 FLORESTAS As florestas cobriam metade da superfície da Terra antes dos seres humanos começarem a plantar. Hoje, metade das florestas da época em que recebemos os visitantes do Planeta Uno não existem

Leia mais

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Região Norte 1. Qual a diferença entre região Norte, Amazônia Legal e Amazônia Internacional? A região Norte é um conjunto de 7 estados e estes estados

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Ciências

PROVA BIMESTRAL Ciências 6 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Ciências Escola: Nome: Turma: n o : 1. Os animais apresentam diferentes formas de locomoção, alimentação e revestimento do corpo, características estas que os organizam

Leia mais

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA 1º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA Maia Barnabé Sambongo Dir. Fazenda Quizenga TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA ÁREA DE 1º ANO 1. Supressão Vegetal

Leia mais

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração A UU L AL A Respiração A poluição do ar é um dos problemas ambientais que mais preocupam os governos de vários países e a população em geral. A queima intensiva de combustíveis gasolina, óleo e carvão,

Leia mais

A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO

A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO ÁREA ESCOLA HISTÓRIA 1992/1993 MEMÓRIAS DOS ALUNOS E PROFESSORES DO 7º ANO QUE ESTIVERAM ENVOLVIDOS NO PROJECTO A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO INDICE 1 PROJECTO 2 TEXTO MOTIVAÇÃO 3 SOCIEDADES RECOLECTORAS

Leia mais

Shué também cantou na Festa de Natal da Escola O Gotinhas...fim 42 43

Shué também cantou na Festa de Natal da Escola O Gotinhas...fim 42 43 O Gotinhas 43 Era uma vez um País feito de nuvens. Ficava no cimo de uma enorme montanha impossível de expugnar. Lá viviam muitos meninos. Cada um tinha a sua própria nuvem. Uma enorme cegonha do espaço

Leia mais

PE0410CJC: Dias de Spa no Tierra Atacama 04 dias / 03 noites Min. 1 passageiro

PE0410CJC: Dias de Spa no Tierra Atacama 04 dias / 03 noites Min. 1 passageiro PE0410CJC: Dias de Spa no Tierra Atacama DÍA 04 CALAMA SAN PEDRO DE ATACAMA Chegada a Calama. Recepção e transfer ao Hotel Tierra Atacama em San Pedro de Atacama. Tour de meio dia escolhido do menu de

Leia mais

Povos americanos: Maias, Incas e Astecas

Povos americanos: Maias, Incas e Astecas Povos americanos: Maias, Incas e Astecas Nicho Policrômico. Toca do Boqueirão da Pedra Fiurada. Serra da Capivara Piauí- Brasil Ruínas as cidade inca Machu Picchu - Peru Código de escrita dos maias, México.

Leia mais

PRODUTOS ELABORADOS MADEIRA PLÁSTICA

PRODUTOS ELABORADOS MADEIRA PLÁSTICA MADEIRA PLÁSTICA A Madeira Plástica é uma opção sustentável para quem se preocupa com a causa ambiental. O grande diferencial deste produto é que sua fabricação dá-se a partir da reciclagem de toneladas

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 1 Biomas brasileiros H18 2 Problemas ambientais H19 3 Cadeia alimentar H24 4 Evolução

Leia mais

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense

Biomas Brasileiros. 1. Bioma Floresta Amazônica. 2. Bioma Caatinga. 3. Bioma Cerrado. 4. Bioma Mata Atlântica. 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense Biomas Brasileiros 1. Bioma Floresta Amazônica 2. Bioma Caatinga 3. Bioma Cerrado 4. Bioma Mata Atlântica 5. Bioma Pantanal Mato- Grossense 6. Bioma Pampas BIOMAS BRASILEIROS BIOMA FLORESTA AMAZÔNICA

Leia mais

PRIMEIROS ANOS. GEOGRAFIA CONTEÚDO P2 2º TRI Água: superficiais, oceânicas e usos. Profº André Tomasini

PRIMEIROS ANOS. GEOGRAFIA CONTEÚDO P2 2º TRI Água: superficiais, oceânicas e usos. Profº André Tomasini PRIMEIROS ANOS GEOGRAFIA CONTEÚDO P2 2º TRI Água: superficiais, oceânicas e usos. Profº André Tomasini ÁGUAS CONTINENTAIS Os oceanos e mares cobrem 2/3 da superfície do planeta. Águas Oceânicas : Abrange

Leia mais

3ª Aula Gênese Mosaica e Espírita. Gênese Espiritual (Parte 1) Curso Aprendizes do Evangelho Aula 4 05/03/2014

3ª Aula Gênese Mosaica e Espírita. Gênese Espiritual (Parte 1) Curso Aprendizes do Evangelho Aula 4 05/03/2014 3ª Aula Gênese Mosaica e Espírita. Gênese Espiritual (Parte 1) Curso Aprendizes do Evangelho Aula 4 05/03/2014 Doutrinas Filosóficas Propõe-se a responder às questões transcendentais: Quem somos? De onde

Leia mais

https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y

https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y https://www.youtube.com/watch?v=ejyyhuxkn8y Definição é a camada superficial da crosta terrestre formada por quatro elementos principais: a, o, a e os. Possui importância fundamental para variadas atividades

Leia mais

Da produção ao consumidor

Da produção ao consumidor Da produção ao consumidor 1 Da produção ao consumidor O Esporão concluiu que o seu modo de produção não estava adequado à visão da empresa: fazer os melhores produtos que a terra proporciona, de forma

Leia mais

moda beleza gente saúde amor e sexo casa comida diversão atualidades trabalho e dinheiro filhos 370 mil Seguir

moda beleza gente saúde amor e sexo casa comida diversão atualidades trabalho e dinheiro filhos 370 mil Seguir notícias esportes entret.vídeos ENTRE moda beleza gente saúde amor e sexo casa comida diversão atualidades trabalho e dinheiro filhos BUSCAR OK Curtir 370 mil Seguir Notícias Fotos Colunas Promocasavogue

Leia mais

A GEOTERMIA E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

A GEOTERMIA E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO A GEOTERMIA E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO O que é a geotermia? A terra não só é capaz de produzir energia de maneira passiva a partir de materiais fósseis acumulados ao longo de milhões

Leia mais

REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1

REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1 REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1 Continente Americano Prof. Ivanei Rodrigues Teoria sobre a formação dos continentes Transformação da crosta terrestre desde a Pangeia até os dias atuais. A Teoria da

Leia mais

Machu Picchu (Peru) (Revista da Folha) 2-Indique a alternativa que não apresenta erro de concordância nominal:

Machu Picchu (Peru) (Revista da Folha) 2-Indique a alternativa que não apresenta erro de concordância nominal: FICHA DA SEMANA 5º ANO A / B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Geografia Trimestre: 1º

Leia mais

Período: Matutino. 1º semestre/2012. Professora: Giovana Barbosa de Souza. Coordenadora Pedagógica: Júlia Souto Guimarães Araújo

Período: Matutino. 1º semestre/2012. Professora: Giovana Barbosa de Souza. Coordenadora Pedagógica: Júlia Souto Guimarães Araújo Memórias de um Grupo 4 Período: Matutino 1º semestre/2012 Professora: Giovana Barbosa de Souza Coordenadora Pedagógica: Júlia Souto Guimarães Araújo Alimenta o fogo atormenta o mar arrepia o corpo joga

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

Ecoturismo. Parque Nacional Tapantí em Costa Rica.

Ecoturismo. Parque Nacional Tapantí em Costa Rica. Ecoturismo Parque Nacional Tapantí em Costa Rica. O ecoturismo, segundo a EMBRATUR, é um "segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 Queimadas: o que

Leia mais

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA

LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA LUGARES E PAISAGENS DO PLANETA TERRA AS ÁGUAS DE SUPERFÍCIE Os rios são cursos naturais de água doce. Eles podem se originar a partir do derretimento de neve e de geleiras, de um lago ou das águas das

Leia mais

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa O QUE SÃO AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)? Os consumidores estão cada vez

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES CIÊNCIAS Aluno (a): 5º ano Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos CONTEÚDOS ORIENTAÇÕES Releia os registros do seu caderno, os conteúdos dos livros e realize

Leia mais

Cerrado e caatinga. Compare estas duas fotos:

Cerrado e caatinga. Compare estas duas fotos: A UU L AL A Cerrado e caatinga Compare estas duas fotos: cerrado caatinga Observando as duas figuras, a característica que mais nos chama a atenção é que os dois ambientes parecem muito secos. Nesta aula,

Leia mais

PENSAMENTO MÁGICO E PSIQUIATRIA

PENSAMENTO MÁGICO E PSIQUIATRIA PENSAMENTO MÁGICO E PSIQUIATRIA Meu assento é em Caer-Siddi, Onde ninguém sofre com a idade ou doença... Circundada por três círculos de fogo. Aos limites da cidade chegam as cheias da maré, Uma farta

Leia mais

(9 coisas que deves saber sobre as árvores)

(9 coisas que deves saber sobre as árvores) (9 coisas que deves saber sobre as árvores) 1 Não cortes os ramos maiores das árvores! 2 Usa as regras de 1/3 nas podas. 3 Como fazer um corte de poda. 4 A importância da turfa. 5 Onde as raízes realmente

Leia mais

Questões Estruturais do Currículo

Questões Estruturais do Currículo Questões Estruturais do Currículo Embora as questões abaixo sejam divididas em três níveis gerais de ensino, muitas delas podem ser usadas em praticamente qualquer série. Questões Estruturais do Currículo

Leia mais

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMAS BRASILEIROS Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMA: É CONJUNTO DE ECOSSISTEMAS TERRESTRES, CLIMATICAMENTE CONTROLADOS, QUE SÃO CARACTERIZADOS POR UMA VEGETAÇÃO PRÓPRIA (RAVEN ET AL., 2001) LOCALIZAÇÃO

Leia mais

DIÁRIO Ano 1 n 01 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul. DIÁRIO Ano 1 n 259 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul SUPLEMENTO ESPECIAL

DIÁRIO Ano 1 n 01 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul. DIÁRIO Ano 1 n 259 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul SUPLEMENTO ESPECIAL SEXTA-FEIRA, 01/04/2011 DIÁRIO Ano 1 n 01 Cachoeiro de Itapemirim e Região Sul www.aquies.com.br»» @folhadocaparao»» facebook.com/grupofolhadocaparao QUARTA-FEIRA, 15/02/2012 DIÁRIO Ano 1 n 259 Cachoeiro

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 5 - Poluição e Degradação do Solo. Professor: Sandro Donnini Mancini.

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 5 - Poluição e Degradação do Solo. Professor: Sandro Donnini Mancini. Campus Experimental de Sorocaba Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental Graduação em Engenharia Ambiental 5 - Poluição e Degradação do Solo Professor: Sandro Donnini Mancini Setembro, 2015 Solo camada

Leia mais

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador

Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Instituição executora do projeto: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN) Coordenador Geral: Felipe Pimentel Lopes de Melo Coordenador Técnico: Maria das Dores de V. C. Melo Coordenação Administrativa-Financeira:

Leia mais

VIAJE POR MINAS Que tal conhecer um Paraíso Assim!! Carrancas 03 a 05 de abril

VIAJE POR MINAS Que tal conhecer um Paraíso Assim!! Carrancas 03 a 05 de abril VIAJE POR MINAS Que tal conhecer um Paraíso Assim!! Carrancas 03 a 05 de abril Contato: Mara Cristina Costa Fone: (31) 9637-9186 e-mail:remarturismo@gmail.com Quando? 03 a 05 de abril (sexta, sábado e

Leia mais

ambientes de topografia mais irregular são mais vulneráveis a qualquer tipo de interferência. Nestes, de acordo com Bastos e Freitas (2002), a

ambientes de topografia mais irregular são mais vulneráveis a qualquer tipo de interferência. Nestes, de acordo com Bastos e Freitas (2002), a 1. INTRODUÇÃO Muitas e intensas transformações ambientais são resultantes das relações entre o homem e o meio em que ele vive, as quais se desenvolvem num processo histórico. Como reflexos dos desequilíbrios

Leia mais

Geografia/Profª Carol

Geografia/Profª Carol Geografia/Profª Carol Recebe essa denominação porque parte dos territórios dos países platinos que constituem a região é banhada por rios que compõem a bacia hidrográfica do Rio da Prata. Países: Paraguai,

Leia mais

AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL

AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL Introdução O progresso maltratou a natureza. Os lugares visitados pelo Príncipe Solo não eram mais ou mesmos. No lugar de florestas, plantações e no lugar de planícies, cidades.

Leia mais

RELATORIO QUANTITATIVO

RELATORIO QUANTITATIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA RELATORIO QUANTITATIVO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS PAA O Programa de Aquisição de Alimentos - PAA, tem como finalidades

Leia mais

PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA

PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA Augusto Pereira da Rosa¹ Ester Miriane Zingano² RESUMO A educação durante a Pré-História tem como objetivo a sobrevivência do grupo. Embora sem ter consciência

Leia mais