Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI"

Transcrição

1 Encontro Técnico AESABESP - FENASAM 26o. Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente A CRISE DA ÁGUA E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO SÉCULO XXI MR ÁGUA E ENERGIA: O DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE Eduardo Mario Mendiondo* Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres CEMADEN Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI * Professor da Escola de Engenharia de Sao Carlos - EESC/USP

2 DISPONIBILIDADE HÍDRICA COMUNITÁRIA: CENÁRIOS Year We are here! Cenário 2: Strategic Scenarios of community freshwater availability VS Gross Net Product per Capita for South America. Source: adapted from Millennium Ecosystem Assessment (2005)

3 Atlas Brasil, 2010

4 Seasonal rainfall anomalies in SE Brazil D13JF14 MAM14 JJA14 SON14 D14J15

5 Monitoramento e Alertas do CEMADEN/MCTI Início em Dez./2011, Monitoramento em tempo real (24- h/dia, 365 dias/ano), Protocolos e parcerias interinsctucionais e operacionais com ANA, CENAD, CPRM, Defesa Civil, Escolas, Univ., etc Relatórios de alertas sobre movimentos de massa, enxurradas, alagamentos, inundações, cenários de secas/escagens, no território Brasileiro 921 municípios monitorados Rede observacional (2015): pluviômetros automáccos, 990 pluviômetros comunitários, 9 radares meteorológicos, 115 sistemas automáccos de medição de nível de rios, 46 sensores de medição de chuva e água no solo no semiárido do Nordeste Grupo Interdisciplinar: Ciencstas Sociais Geólogos Geógrafos Engenheiros Hidrólogos Meteorologistas Profissionais de T. I.

6 Estratégia Nacional de Redução de Desastres CEMADEN INMET, INPE, DECEA/MD & STATE CENTRES Hydrometeorology informacon MI, MCid e IBGE Disaster Risk & Vulnerability Analyses CPRM Geological Vulnerability Mapping ANA Hydrological informacon COMMUNITY Local feedback Monitoring and Early Warning UNIVERSITIES & RESEARCH INSTITUTES Knowledge transfer, methods and hypothesis- tescng, applied research databases on natural disasters (vulnerability, exposure, hazards, risks) CENAD MS, GSI, MT, Army Force Alert & LogisJcs CIVIL DEFENSE ConJngency & Response Plans

7 Exemplo: Pluviômetros nas Comunidades Ação local: Pluviômetros em comunidades e redes de cidadãos para sistemas de alertas comunitários Aprox pluviômetros instalados em comunidades com maior vulnerabilidade e maior necessidade de aumentar a percepção aos riscos e receber treinamento e educação visando a resiliência social frente a desastres *Updated March 2015

8

9 Taffarello et al (under review) Field invesjgajons during the 2013/2014 rainfall anomaly to boost water quality security at headwaters of Cantareira System, Brazil

10

11 Taffarello et al (under review) Field invesjgajons during the 2013/2014 rainfall anomaly to boost water quality security at headwaters of Cantareira System, Brazil

12 Previsão da Vazão Afluente ao Sistema Cantareira - Dez/2014 Set/2015 Sistema Cantareira = Sistema Equivalente + Paiva Castro QNat = Vazão Afluente

13 4th MoJvaJon for Governance & Policy: how much will (urgent) water saving for Sao Paulo Metropolitan Region cost? Demand Management Plan uncl year Total Saving Water uncl year 2050 = 17.6 m3/s. Water Withdrawal from Cantareira System in April 2015 = 15.6 m3/s Reducing Mean Consumpcon per Capita ("from Consumers") Reducing Water Leaks ("from Water Supply Company") Ecosystem- Based Adaptacon with PES ("Government Policy Part") 0,70 U$ 1.2 billion 0,60 0,50 0,40 Demand Management Plan uncl year 2050: compared to São Paulo Metropolitan Region GDP(%) U$ 0.6 billion 0,30 0,20 0,10 U$ 0.14 billion 0,00 Reducing Mean Consumpcon per Capita ("from Consumers") Reducing Water Leaks ("from Water Supply Company") Ecosystem- Based Adaptacon with PES ("Government Policy Part")

14 Situation Cantareira System 05/JAN/2015 Source: Taffarello et al (under review) Mean (Sources: SABESP, CEMADEN, ANA )

15 Monitoring & Early Warning Condicons (CEMADEN/MCTI) April 2015

16 RISK AVERSION SOLUTIONS AT SHORT- TERM: Monitoring and Early Warning Source: CEMADEN

17 Previsão de Armazenamento de Água nos Reservatórios do Sistema Cantareira

18 Cenários de Armazenamento do Sistema Cantareira Cenários de Armazenamento de Água (%) do Sistema Cantareira em 30/setembro/2015 Cálculos realizados a parcr das observações de 27 de janeiro de 2015 Chuva: Out/2014 Jan/2015 = 415,6 mm (53,0% da média) Out Jan (média climatológica) = 784,0 mm Extração + vazão a jusante = 20,12 m 3 /s (média 1-15/jan/2015) Extração + vazão a jusante = 33,97 m 3 /s (média 1-15/jan/2014)

19 A.N.A.(2002) Cenários de Escassez Hídrica para a Região do Médio Tietê, Sao Paulo- SP (Fonte: Mendiondo, 2008)

20 Cenários de Escassez Hídrica para a Região do Médio Tietê, Sao Paulo- SP (Fonte: Mendiondo, 2008) A.N.A.(2002) 1200 UGRHI 13: Tietê-Jacaré Oferta = Q7,10 Oferta até Q95% Uso consuntivo Uso não-consuntivo 1000 m3 / ano.habitante

21 ÁGUA E ENERGIA: O DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE O NEXO ÁGUA- ENERGIA- ALIMENTOS É ÚNICO, COMPLEXO E DEPENDENTE DA ESCALA DE ABRANGÊNCIA E DOS SEUS DESDOBRAMENTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS, CULTURAIS E POLÍTICOS.

22 MUITO OBRIGADO Eduardo Mario Mendiondo &

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A ESTUDAR E DEBATER OS EFEITOS DA CRISE HÍDRICA, BEM COMO PROPOR MEDIDAS TENDENTES A MINIMIZAR OS IMPACTOS DA ESCASSEZ DE ÁGUA NO BRASIL 55ª Legislatura

Leia mais

CEMADEN Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais

CEMADEN Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais CEMADEN Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI Workshop Complexo do CEMADEN São José dos Campos, SP, 14 de janeiro de 2014 Decreto

Leia mais

Tecnologias para Monitoramento e Mitigação de Desastres Naturais

Tecnologias para Monitoramento e Mitigação de Desastres Naturais Tecnologias para Monitoramento e Mitigação de Desastres Naturais Carlos Frederico de Angleis carlos.angelis@cemaden.gov.br VI Simpósio Internacional de Climatologia Natal, RN 16/10/2015 A evolução demográfica

Leia mais

Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais

Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais 2012 2014 Novos Investimentos R$ 18,8 bilhões Socorro, assistência e reconstrução Prevenção Obras estruturantes Resposta Mapeamento Monitoramento

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D 4.5 Sistema de Planejamento Federal (32h) (Palestra 3: Programa Gestão de Riscos e e Resposta a Desastres - GRRD) Professora: Cristiane

Leia mais

Extremos da variabilidade do clima e impactos na sociedade : A seca e crise hídrica de 2014-15 no Sudeste do Brasil

Extremos da variabilidade do clima e impactos na sociedade : A seca e crise hídrica de 2014-15 no Sudeste do Brasil Extremos da variabilidade do clima e impactos na sociedade : A seca e crise hídrica de 2014-15 no Sudeste do Brasil J. Marengo, C. Nobre, M Seluchi, A. Cuartas, L. Alves, E. Mendiondo CEMADEN, Brasil jose.marengo@cemaden.gov.br

Leia mais

Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira

Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 15 de abril de 2015 Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira SUMÁRIO A precipitação média espacial, acumulada no mês, até 15 de abril de 2015, baseada

Leia mais

GEO Intelligence - Brasil. Gestão de Riscos de Desastres com Grupos Interdisciplinares de Monitoramento e Alerta

GEO Intelligence - Brasil. Gestão de Riscos de Desastres com Grupos Interdisciplinares de Monitoramento e Alerta GEO Intelligence - Brasil Gestão de Riscos de Desastres com Grupos Interdisciplinares de Monitoramento e Alerta Prof. Dr. Eduardo Mario Mendiondo CEMADEN - MCTI Centro Nacional de Monitoramento e Alerta

Leia mais

Diagnóstico, Monitoramento de Desastres Naturais com foco na Seca no Semiárido Nordestino

Diagnóstico, Monitoramento de Desastres Naturais com foco na Seca no Semiárido Nordestino Diagnóstico, Monitoramento de Desastres Naturais com foco na Seca no Semiárido Nordestino CEX Seca no Semiárido Nordestino CEMADEN-MCTI Brasília, 28 de Maio de 2015 2 Operação do CEMADEN EM FUNCIONAMENTO

Leia mais

Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas. Sul e Sudeste

Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas. Sul e Sudeste Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas Sul e Sudeste Plano de Ação do Governo Federal para o período de chuvas Sul e Sudeste 1. Prognóstico Climático 2. Municípios Monitorados 3. Preparação

Leia mais

CHEIA DE 2014 NA BACIA DO RIO MADEIRA FLOOD OF 2014 IN MADEIRA RIVER

CHEIA DE 2014 NA BACIA DO RIO MADEIRA FLOOD OF 2014 IN MADEIRA RIVER CHEIA DE 2014 NA BACIA DO RIO MADEIRA Andrea de Oliveira Germano 1 & Alice Castilho 2 & Marcio Candido 3 & Francisco Reis 4 Resumo No ano hidrológico de outubro de 2013 a setembro de 2014 foi registrado

Leia mais

VULNERABILIDADE CLIMÁTICA DO NORDESTE BRASILEIRO: UMA ANÁLISE DE EVENTOS EXTREMOS NA ZONA SEMI-ÁRIDA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO SÃO FRANCISCO

VULNERABILIDADE CLIMÁTICA DO NORDESTE BRASILEIRO: UMA ANÁLISE DE EVENTOS EXTREMOS NA ZONA SEMI-ÁRIDA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO SÃO FRANCISCO VULNERABILIDADE CLIMÁTICA DO NORDESTE BRASILEIRO: UMA ANÁLISE DE EVENTOS EXTREMOS NA ZONA SEMI-ÁRIDA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO SÃO FRANCISCO 1 Weber Andrade Gonçalves; Magaly de Fatima Correia 2 ; Lincoln

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D.4.6. Gestão, Avaliação e Revisão do PPA (20h) (Caso 3: Gestão de Riscos e Resposta a Desastres) Professora: Cristiane Collet Battiston

Leia mais

WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Nilzo Renê Fumes 1 ; Carlos Toshio Wada 2 Resumo - O desenvolvimento do visualizador do Sistema de Suporte a Decisões da Sabesp

Leia mais

José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015

José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015 José Galizia Tundisi tundisi@iie.com.br www.iie.com.br São Paulo, 25 de Março, 2015 SEGURANÇA HÍDRICA NÚMEROS GLOBAIS ACESSIBILIDADE UNESCO / JULHO 2014 Extensão de serviço à todos ainda inexistente.

Leia mais

INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP

INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP Nilzo Renê Fumes 1 *, Carlos Toshio Wada 2 Resumo O abastecimento público

Leia mais

Segurança Hídrica. Encob- 2015 Caldas Novas. Marília Carvalho de Melo Especialista em Recursos Hídricos

Segurança Hídrica. Encob- 2015 Caldas Novas. Marília Carvalho de Melo Especialista em Recursos Hídricos Segurança Hídrica Encob- 2015 Caldas Novas Marília Carvalho de Melo Especialista em Recursos Hídricos Tópicos a serem abordados -Conceito de Segurança Hídrica -O Brasil no contexto internacional -O Panorama

Leia mais

Secretaria de Estado da Defesa Civil

Secretaria de Estado da Defesa Civil HISTÓRICO DOS DESASTRES EM SANTA CATARINA E AÇÕES DA SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL Aldo Baptista Neto Major Bombeiro Militar Diretor de Resposta a Desastres Histórico dos Desastres no Estado 1974

Leia mais

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014 Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Contexto da renovação da outorga em 2004 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho

Leia mais

Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água

Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água Mierzwa, José Carlos Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 18 de agosto de 2016. Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira 1) Situação atual do Sistema Cantareira A precipitação média espacial, acumulada durante a estação

Leia mais

IV th WORLD WATER FORUM Developing and Implementing Shared Water Information Systems

IV th WORLD WATER FORUM Developing and Implementing Shared Water Information Systems IV th WORLD WATER FORUM Developing and Implementing Shared Water Information Systems OFFICIAL SESSION n FT 5-13 March, 21 st 2005-16 H 30-18 H 30 BANAMEX CENTER ROOM ITURBIDE N 3 Mr. Oscar Cordeiro NETTO

Leia mais

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 02 de março de 2016 Situação Atual e Projeção Hidrológica para o Sistema Cantareira 1) Situação atual do Sistema Cantareira A precipitação acumulada durante a estação seca de abril

Leia mais

BRASIL: A ESCASSEZ HÍDRICA E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS

BRASIL: A ESCASSEZ HÍDRICA E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS BRASIL: A ESCASSEZ HÍDRICA E SEUS IMPACTOS ECONÔMICOS 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 Panorama Hídrico O Brasil é muito rico em recursos hídricos......mas

Leia mais

ANÁLISE QUALITATIVA DE EVENTOS DE PRECIPITAÇÃO INTENSA NA BACIA DO GREGÓRIO, SÃO CARLOS - SP

ANÁLISE QUALITATIVA DE EVENTOS DE PRECIPITAÇÃO INTENSA NA BACIA DO GREGÓRIO, SÃO CARLOS - SP ANÁLISE QUALITATIVA DE EVENTOS DE PRECIPITAÇÃO INTENSA NA BACIA DO GREGÓRIO, SÃO CARLOS - SP Anaí Floriano Vasconcelos, Juliana Pontes Machado de Andrade 2, Eduardo Mario Mendiondo ³ Escola de Engenharia

Leia mais

Bioenergia e Sustentabilidade: a perspectiva da indústria. FAPESP 18 de Novembro de 2013. Paulo Artaxo Instituto de Física Universidade de São Paulo

Bioenergia e Sustentabilidade: a perspectiva da indústria. FAPESP 18 de Novembro de 2013. Paulo Artaxo Instituto de Física Universidade de São Paulo Bioenergia e Sustentabilidade: a perspectiva da indústria. FAPESP 18 de Novembro de 2013 Paulo Artaxo Instituto de Física Universidade de São Paulo O que é segurança ambiental e climática? Quais os driving

Leia mais

Cenário atual da disponibilidade hídrica na RMSP e contribuições para inovação e uso racional da água.

Cenário atual da disponibilidade hídrica na RMSP e contribuições para inovação e uso racional da água. 28 de maio de 2014 Cenário atual da disponibilidade hídrica na RMSP e contribuições para inovação e uso racional da água. Edson Geraldo V. Souza - SABESP AGENDA SABESP ÁGUA NO PLANETA ADMINISTRAÇÃO DA

Leia mais

INCT-Mudanças Climáticas Sub-Componente 3.2.1: Cenários Climáticos, Adaptação e Vulnerabilidade Jose A. Marengo CCST INPE jose.marengo@inpe.

INCT-Mudanças Climáticas Sub-Componente 3.2.1: Cenários Climáticos, Adaptação e Vulnerabilidade Jose A. Marengo CCST INPE jose.marengo@inpe. Logo INCT-Mudanças Climáticas Sub-Componente 3.2.1: Cenários Climáticos, Adaptação e Vulnerabilidade Jose A. Marengo CCST INPE jose.marengo@inpe.br O passado... Logo Logo Logo O presente... Logo Logo Marengo

Leia mais

Instituto Tecnológico SIMEPAR

Instituto Tecnológico SIMEPAR Evolução e Aspectos Institucionais Missão e Foco de Atuação Modelo Institucional Sistemas de Monitoramento e Previsão Produtos, Serviços e Sistemas Áreas de Pesquisa & Desenvolvimento Ações Estratégicas

Leia mais

Departamento de Águas e Energia Elétrica

Departamento de Águas e Energia Elétrica 13 de Novembro de 2012 Departamento de Águas e Energia Elétrica O DAEE foi criado há 60 anos, em 12/12/1951, tendo como principais competências, no âmbito do Estado de SP: Elaborar o planejamento, os estudos,

Leia mais

Secas Extremas e Mudanças Climáticas: Mudanças Climáticas e os Impactos na Região Sudeste do Brasil

Secas Extremas e Mudanças Climáticas: Mudanças Climáticas e os Impactos na Região Sudeste do Brasil Secas Extremas e Mudanças Climáticas: Mudanças Climáticas e os Impactos na Região Sudeste do Brasil Jose A. Marengo CEMADEN jose.marengo@cemaden.gov.br IPCC WG1, Chapter 3 (2013) Mudancas observadas na

Leia mais

Hidro-on: Desenvolvimento de uma ferramenta online para consulta e análise pluviométrica.

Hidro-on: Desenvolvimento de uma ferramenta online para consulta e análise pluviométrica. Hidro-on: Desenvolvimento de uma ferramenta online para consulta e análise pluviométrica. Rodrigo Ramos Nogueira 1, Denise do Rocio Maciel ¹ 1 Departamento de Informática, Universidade Estadual de Ponta

Leia mais

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI v.6, n. 01, jan. 2011 Bol. Mon. Bacia do Alto Paraguai, Brasília, v. 6, n. 01, p. 1-21, jan. 2011 República Federativa do Brasil Dilma Vana Rousseff Presidenta

Leia mais

SERVIÇOS DE HIDROMETEOROLOGIA E EMERGENCIAIS APLICADOS A GESTÃO E REDUÇÃO DE DESASTRES NO BRASIL: O SISTEMA EUMETCAST

SERVIÇOS DE HIDROMETEOROLOGIA E EMERGENCIAIS APLICADOS A GESTÃO E REDUÇÃO DE DESASTRES NO BRASIL: O SISTEMA EUMETCAST SERVIÇOS DE HIDROMETEOROLOGIA E EMERGENCIAIS APLICADOS A GESTÃO E REDUÇÃO DE DESASTRES NO BRASIL: O SISTEMA EUMETCAST Humberto Alves Barbosa 1 1 Introdução Desastres ocasionados por extremos de tempo e

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DADOS COLETADOS POR PCD S: MÓDULOS DE VENTO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR E RADIAÇÃO SOLAR

DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DADOS COLETADOS POR PCD S: MÓDULOS DE VENTO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR E RADIAÇÃO SOLAR DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DADOS COLETADOS POR PCD S: MÓDULOS DE VENTO, TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR E RADIAÇÃO SOLAR Mario Rodrigues Pinto de Sousa Filho FUNCEME Fortaleza mario.rodrigues@funceme.br

Leia mais

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol Vice Presidente de Gestão e Assuntos Institucionais Resumo Planejamento das atividades de Infraestrutura de Saneamento

Leia mais

MESA 4 ALERTA. Mario Thadeu Leme de Barros

MESA 4 ALERTA. Mario Thadeu Leme de Barros MESA 4 MONITORAMENTO E SISTEMA DE ALERTA Mario Thadeu Leme de Barros 1 A QUESTÃO DO CONTROLE DE CHEIAS URBANAS Medidas Estruturais versus Medidas Não Estruturais 2 Medidas não estruturais que se destacam:

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS, EXTREMOS E DESASTRES NATURAIS

MUDANÇAS CLIMÁTICAS, EXTREMOS E DESASTRES NATURAIS MUDANÇAS CLIMÁTICAS, EXTREMOS E DESASTRES NATURAIS Annual Disaster Statistical Review 2012, CRED/UCL DESASTRES NATURAIS NO MUNDO DESASTRES NATURAIS NO MUNDO Annual Disaster Statistical Review 2012, CRED/UCL

Leia mais

GIS in Disaster Risk Management in Mozambique

GIS in Disaster Risk Management in Mozambique GIS in Disaster Risk Management in Mozambique 1 Contents 1. Disasters in Mozambique 2. Role of GIS 3. Some Examples 4. CIG Profile 2 1. Disasters in Mozambique Frequent disasters are: Droughts Floods (+

Leia mais

Carlos A Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Foto: David McGrath. Senado Federal

Carlos A Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre, INPE. Foto: David McGrath. Senado Federal MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS E O BRASIL Carlos A Nobre Centro de Ciência do Sistema Terrestre, INPE Foto: David McGrath Senado Federal Brasília, 29 de Outubro de 2008 Vulnerabilidade do Brasil às Mudanças Climáticas

Leia mais

DADOS DE PRECIPITAÇÃO ESTIMADOS POR SATÉLITE COMO PROPOSTA PARA ESTUDOS HIDROCLIMÁTICOS NO SEMIÁRIDO

DADOS DE PRECIPITAÇÃO ESTIMADOS POR SATÉLITE COMO PROPOSTA PARA ESTUDOS HIDROCLIMÁTICOS NO SEMIÁRIDO DADOS DE PRECIPITAÇÃO ESTIMADOS POR SATÉLITE COMO PROPOSTA PARA ESTUDOS HIDROCLIMÁTICOS NO SEMIÁRIDO Ranyére Silva Nóbrega, 1, Rafael Silva dos Anjos 2, Amanda Costa Amorim 3 1 Prof. Dr. Departamento de

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE MONITORAMENTO E ALERTA DE DESASTRES NATURAIS NO ESTADO DO ACRE: APLICAÇÃO DA PLATAFORMA TERRAMA²

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE MONITORAMENTO E ALERTA DE DESASTRES NATURAIS NO ESTADO DO ACRE: APLICAÇÃO DA PLATAFORMA TERRAMA² XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE MONITORAMENTO E ALERTA DE DESASTRES NATURAIS NO ESTADO DO ACRE: APLICAÇÃO DA PLATAFORMA TERRAMA² Alan dos Santos Pimentel 1 ; Vera Lúcia Reis 2 ; Eymar Silva

Leia mais

Abastecimento Hídrico de Residências Rurais: Parceria Estado e Sociedade Civil no Semiárido da Bahia

Abastecimento Hídrico de Residências Rurais: Parceria Estado e Sociedade Civil no Semiárido da Bahia Abastecimento Hídrico de Residências Rurais: Parceria Estado e Sociedade Civil no Semiárido da Bahia Water supply Rural Residence: Partnership State and Civil Society in the Semiarid Bahia CARMO, Élcio

Leia mais

Aquecimento Global, Mudanças Climáticas e impactos no Brasil Jose A. Marengo CPTEC/INPE

Aquecimento Global, Mudanças Climáticas e impactos no Brasil Jose A. Marengo CPTEC/INPE Aquecimento Global, Mudanças Climáticas e impactos no Brasil Jose A. Marengo CPTEC/INPE Foreign & Commonwealth Office Desastre climático e midiático. Uma coisa é produzir dados, outra é torná-los inteligíveis

Leia mais

Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE

Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE Francis Lacerda MUDANÇAS CLIMÁTICAS E IMPACTOS NO ARARIPE Introdução O recém divulgado relatório do IPCC AR5 sobre a base científica das mudanças climáticas conclui, com acima de 90% de confiança, que

Leia mais

AVALIAÇÃO DA VULNERABILIDADE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO SECTOR DE RECURSOS HÍDRICOS

AVALIAÇÃO DA VULNERABILIDADE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO SECTOR DE RECURSOS HÍDRICOS 032135.0407xx.MOZ.CON-01.Output9-5.v1 AVALIAÇÃO DA VULNERABILIDADE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO SECTOR DE RECURSOS HÍDRICOS 1. Introdução O relatório do "Intergovernmental Panel on Climate Change" (IPCC,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RELEVÂNCIA DOS PARÂMETROS INTERVENIENTES NO CONSUMO DE ÁGUA NA CIDADE DE MARINGÁ. Rodrigo Fernandes Junqueira 1

AVALIAÇÃO DA RELEVÂNCIA DOS PARÂMETROS INTERVENIENTES NO CONSUMO DE ÁGUA NA CIDADE DE MARINGÁ. Rodrigo Fernandes Junqueira 1 AVALIAÇÃO DA RELEVÂNCIA DOS PARÂMETROS INTERVENIENTES NO CONSUMO DE ÁGUA NA CIDADE DE MARINGÁ Rodrigo Fernandes Junqueira 1 Paulo José Alves Lourenço 2 Sandro Rogério Lautenschlager 3 RESUMO Neste trabalho

Leia mais

Novo clima, novo ambiente

Novo clima, novo ambiente Novo clima, novo ambiente A vida nas cidades SÉRIE Desafios para o Século 21 Este livro ilustrado integra a série Desafios para o Século 21 - uma coleção de seis publicações do Instituto Nacional de Ciência

Leia mais

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas

Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Mudanças climáticas globais e recursos hídricos com enfoque para as bacias hidrográficas Emília Hamada Pesquisador, Embrapa Meio Ambiente, Jaguariúna - SP A mudança climática global começou a ser discutida

Leia mais

DRHi-SF - DISPONIBILIDADE DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO SÃO FRANCISCO

DRHi-SF - DISPONIBILIDADE DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO SÃO FRANCISCO DRHi-SF - DISPONIBILIDADE DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO SÃO FRANCISCO João Felipe Souza 1 ; Fernando Falco Pruski 2, Renata del Giudice Rodriguez 3 & Heber Tormentino de Sousa 4 RESUMO A bacia do rio

Leia mais

EVENTOS CLIMÁTICOS E A GESTÃO DO RISCO EM CIDADES BRASILEIRAS: CONSIDERAÇÕES SOBRE OS DESASTRES OCORRIDOS NO RIO DE JANEIRO, PERNAMBUCO E ALAGOAS

EVENTOS CLIMÁTICOS E A GESTÃO DO RISCO EM CIDADES BRASILEIRAS: CONSIDERAÇÕES SOBRE OS DESASTRES OCORRIDOS NO RIO DE JANEIRO, PERNAMBUCO E ALAGOAS EVENTOS CLIMÁTICOS E A GESTÃO DO RISCO EM CIDADES BRASILEIRAS: CONSIDERAÇÕES SOBRE OS DESASTRES OCORRIDOS NO RIO DE JANEIRO, PERNAMBUCO E ALAGOAS Aline Pascoalino 1, Lutiane Queiroz de Almeida 2 1 Doutoranda

Leia mais

Queda da capacidade de geração de. energia elétrica no Brasil

Queda da capacidade de geração de. energia elétrica no Brasil Queda da capacidade de geração de energia elétrica no Brasil Luan Maximiano de Oliveira da Costa 1,2 Resumo: Energias renováveis representam em média 18% da energia consumida no mundo. Devido à necessidade

Leia mais

GIDES Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada em Desastres Naturais

GIDES Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada em Desastres Naturais SECRETARIA NACIONAL DE ACESSIBILIDADE E PROGRAMAS URBANOS Departamento de Políticas de Acessibilidade e Planejamento Urbano Cooperação Técnica Internacional BRASIL-JAPÃO GIDES Fortalecimento da Estratégia

Leia mais

ABSTRACT. Palavras-chave: Aviso Meteorologia Especial, INMET, São Paulo. 1 - INTRODUÇÃO

ABSTRACT. Palavras-chave: Aviso Meteorologia Especial, INMET, São Paulo. 1 - INTRODUÇÃO Avisos Meteorológicos Especiais: Um Estudo de Caso para a Cidade de São Paulo-SP Josefa Morgana Viturino de Almeida¹; Wagner de Aragão Bezerra². 1, 2 Meteorologista, Instituto Nacional de Meteorologia

Leia mais

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB

RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB RESERVATÓRIOS DE DETENÇÃO HIDRICA: SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS DE DRENAGEM URBANA NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE - PB Yuri Tomaz Neves 1 ; Laércio Leal dos Santos 2 ; Jonathan Nóbrega Gomes 3 ; Bruno Menezes

Leia mais

Mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos. Jean Paul Metzger Instituto de Biociências, USP

Mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos. Jean Paul Metzger Instituto de Biociências, USP Mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos Jean Paul Metzger Instituto de Biociências, USP Plano Duas histórias Os serviços ecossistêmicos e o IPBES Cenários de mudanças climáticas e os serviços Primeira

Leia mais

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP O abastecimento da RMSP foi concebido para atuação integrada entre seus sistemas produtores, buscando sempre a sinergia

Leia mais

DISTRITOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO DE PERDAS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA. José do Carmo de Souza Júnior

DISTRITOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO DE PERDAS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA. José do Carmo de Souza Júnior DISTRITOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO DE PERDAS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA José do Carmo de Souza Júnior AUTORES José do Carmo de Souza Júnior Companhia de Saneamento Básico do

Leia mais

ESTUDO HIDROLÓGICO NA SEÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO FRANCISCO ATÉ A UHE TRÊS MARIAS. Gabriella Duarte Silva 1 Ercília Torres Steinke 2

ESTUDO HIDROLÓGICO NA SEÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO FRANCISCO ATÉ A UHE TRÊS MARIAS. Gabriella Duarte Silva 1 Ercília Torres Steinke 2 ESTUDO HIDROLÓGICO NA SEÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO FRANCISCO ATÉ A UHE TRÊS MARIAS Gabriella Duarte Silva 1 Ercília Torres Steinke 2 RESUMO A configuração hidrológica de uma região sempre foi

Leia mais

Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens

Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens Mesa redonda: Mudanças Climáticas (ClimateChanges) XXVIII Seminário Nacional de Grandes Barragens Rio de Janeiro.

Leia mais

Mudanças de clima, e projeções de extremos de chuva no Estado de São Paulo derivados do modelo regional ETA CPTEC ate finais do Século XXI

Mudanças de clima, e projeções de extremos de chuva no Estado de São Paulo derivados do modelo regional ETA CPTEC ate finais do Século XXI Mudanças de clima, e projeções de extremos de chuva no Estado de São Paulo derivados do modelo regional ETA CPTEC ate finais do Século XXI Jose A. Marengo, Carlos A. Nobre CCST/INPE São Paulo, Brasil Problemática

Leia mais

EROSIVIDADE DA CHUVA NA ÁREA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO URUÇUÍ PRETO- PI, BRASIL VISANDO O DESENVOLVIMENTO DE MANEJOS DO SOLO

EROSIVIDADE DA CHUVA NA ÁREA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO URUÇUÍ PRETO- PI, BRASIL VISANDO O DESENVOLVIMENTO DE MANEJOS DO SOLO EROSIVIDADE DA CHUVA NA ÁREA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO URUÇUÍ PRETO- PI, BRASIL VISANDO O DESENVOLVIMENTO DE MANEJOS DO SOLO Raimundo Mainar de Medeiros 1, Paulo Roberto Megna Francisco 2, Roseane Cristina

Leia mais

CARTA DAS ÁGUAS DO ACRE 2015

CARTA DAS ÁGUAS DO ACRE 2015 CARTA DAS ÁGUAS DO ACRE 2015 A Carta das Águas do Acre 2015 é o documento resultado do Seminário Água e Desenvolvimento Sustentável realizado pelo Governo do Estado do Acre, através da Secretaria de Estado

Leia mais

Planos de Segurança da Água no cenário internacional e nacional

Planos de Segurança da Água no cenário internacional e nacional Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Planos de Segurança da Água no cenário internacional e nacional Guilherme Franco

Leia mais

SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL PORTARIA Nº 314, DE 17 DE OUTUBRO DE 2012(*)

SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL PORTARIA Nº 314, DE 17 DE OUTUBRO DE 2012(*) SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL PORTARIA Nº 314, DE 17 DE OUTUBRO DE 2012(*) Cria e estabelece o Protocolo de Ação entre o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD/MI) e o Centro

Leia mais

Consumo de água na cidade de São Paulo. Cláudia Cristina dos Santos 1 Augusto José Pereira Filho 2

Consumo de água na cidade de São Paulo. Cláudia Cristina dos Santos 1 Augusto José Pereira Filho 2 Consumo de água na cidade de São Paulo Cláudia Cristina dos Santos 1 Augusto José Pereira Filho 2 1 Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE Caixa Postal 515 - CEP 12245-970 São José dos Campos SP,

Leia mais

Brazil Water Learning Series: Gestão de Recursos Hídricos no Brasil: Desafios e Novas Perspectivas

Brazil Water Learning Series: Gestão de Recursos Hídricos no Brasil: Desafios e Novas Perspectivas Brazil Water Learning Series: Gestão de Recursos Hídricos no Brasil: Desafios e Novas Perspectivas Abril Junho, 2014 Crédito: ANA Rosa Maria Formiga Johnsson Professora Adjunta Universidade do Estado do

Leia mais

Desastres Naturais no Brasil: vulnerabilidades sociais e econômicas e adaptação às mudanças climáticas

Desastres Naturais no Brasil: vulnerabilidades sociais e econômicas e adaptação às mudanças climáticas Desastres Naturais no Brasil: vulnerabilidades sociais e econômicas e adaptação às mudanças climáticas Geólogo Agostinho Tadashi Ogura Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT DESASTRE NATURAL (DN) =

Leia mais

Novas perspectivas na Gestão de Recursos Hídricos em Áreas Urbanas

Novas perspectivas na Gestão de Recursos Hídricos em Áreas Urbanas Novas perspectivas na Gestão de Recursos Hídricos em Áreas Urbanas Eduardo Mario Mendiondo Escola de Engenharia de São Carlos/USP emm@sc.usp.br ; mendiondo@uol.com.br www.eesc.usp.br/shs Problemas e Pressupostos

Leia mais

reverse speed, results that it showed an increase of precipitations in the rainy

reverse speed, results that it showed an increase of precipitations in the rainy ANÁLISE HISTÓRICA DA SÉRIE DE PRECIPITAÇÃO (1931-2010) E O BALANÇO HÍDRICO DE MACEIÓ AL: CICLO HIDROLÓGICO E MUDANÇAS CLIMÁTICAS. Expedito R. G. Rebello¹; Nadir Dantas de Sales². RESUMO Este trabalho tem

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA ANO 2012 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros

O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros Carlos Alexandre Cernach Silveira 2 Gabrielle Rodrigues de Macedo 2 Ludimila Lima da Silva 1 Mauro Silvio Rodrigues 2

Leia mais

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica.

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica. PROJETO ATUALIZAR 2015 TEMA SISTEMA CANTAREIRA DATA DE APLICAÇÃO 09 a 13/03/2015 PROFESSORES RESPONSÁVEIS Cristiane e Felipe 1. SUGESTÕES DE PONTOS QUE PODEM SER ABORDADOS 1.1. A importância da água 1.2.

Leia mais

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO SAZONAL E ESPACIAL DA PRECIPITAÇÃO NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO SAZONAL E ESPACIAL DA PRECIPITAÇÃO NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO SAZONAL E ESPACIAL DA PRECIPITAÇÃO NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Neri Ellen Fernandes da Nóbrega 1, José Geraldo Ferreira da Silva 2, Hugo Ely dos Anjos Ramos 3, Franklim dos

Leia mais

VULNERABILIDADE SÓCIO-CLIMÁTICA: CASOS BRASILEIROS EMBLEMÁTICOS DE ÁREAS SUJEITAS A ALAGAMENTO

VULNERABILIDADE SÓCIO-CLIMÁTICA: CASOS BRASILEIROS EMBLEMÁTICOS DE ÁREAS SUJEITAS A ALAGAMENTO VULNERABILIDADE SÓCIO-CLIMÁTICA: CASOS BRASILEIROS EMBLEMÁTICOS DE ÁREAS SUJEITAS A ALAGAMENTO Aluno: Camila Romano de Paula Antunes Orientador: Maria Fernanda Rodrigues Campos Lemos Introdução A pesquisa

Leia mais

Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB)

Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB) Comparação entre Variáveis Meteorológicas das Cidades de Fortaleza (CE) e Patos (PB) F. D. A. Lima 1, C. H. C. da Silva 2, J. R. Bezerra³, I. J. M. Moura 4, D. F. dos Santos 4, F. G. M. Pinheiro 5, C.

Leia mais

Processos Hidrológicos CST 318 / SER 456. Tema 1 Introdução ANO 2015

Processos Hidrológicos CST 318 / SER 456. Tema 1 Introdução ANO 2015 Processos Hidrológicos CST 318 / SER 456 Tema 1 Introdução ANO 2015 Camilo Daleles Rennó Laura De Simone Borma http://www.dpi.inpe.br/~camilo/prochidr/ Aulas 1 Introdução - Camilo 2 Precipitação/Interceptação

Leia mais

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ JONAS GALDINO 1, WILIAN DA S. RICCE 2, DANILO A. B. SILVA 1, PAULO H. CARAMORI 3, ROGÉRIO T. DE FARIA 4 1 Analista de Sistemas,

Leia mais

Manejo de Recursos Hídricos no Semi-árido. Julho de 2004 BNDES Rio de Janeiro

Manejo de Recursos Hídricos no Semi-árido. Julho de 2004 BNDES Rio de Janeiro Manejo de Recursos Hídricos no Semi-árido Julho de 2004 BNDES Rio de Janeiro Vulnerabilidades do Nordeste Brasileiro Principais causas: - Instabilidade Climática: Distribuição irregular das chuvas, com

Leia mais

USO DE CISTERNAS COMO PREVENÇÃO ÀS SECAS NO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL. Mato Grosso (marciokoetz@yahoo.com.br) Mato Grosso.

USO DE CISTERNAS COMO PREVENÇÃO ÀS SECAS NO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL. Mato Grosso (marciokoetz@yahoo.com.br) Mato Grosso. USO DE CISTERNAS COMO PREVENÇÃO ÀS SECAS NO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL Marcio Koetz 1, Rodrigo Couto Santos 2, Normandes Matos da Silva 3, Christian Dias Cabacinha 4, Wendy Carniello Ferreira 5 1 Professor

Leia mais

Crise da água: Desafios e Soluções

Crise da água: Desafios e Soluções Núcleo PCJ-Campinas/Piracicaba Crise da água: Desafios e Soluções São Paulo, 3 de junho de 2014. Regramento Legal do Sistema Hídrico Lei Estadual nº 7.663, de 30 de dezembro de 1991 (Política Estadual

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA PREVISÕES DE ENCHENTES COM USO DE SISTEMAS COLABORATIVOS

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA PREVISÕES DE ENCHENTES COM USO DE SISTEMAS COLABORATIVOS PROPOSTA METODOLÓGICA PARA PREVISÕES DE ENCHENTES COM USO DE SISTEMAS COLABORATIVOS Maria Clara Fava 1 *; Eduardo Mário Mendiondo 2 ; Vladimir Caramori B. Souza 3 ; João Porto de Albuquerque 4 & Jó Ueyama

Leia mais

Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP

Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP R. R. Chahin a a. Companhia de Saneamento Básico do Estado de

Leia mais

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 A BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO OCUPAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA O DESMATAMENTO DAS BACIAS OCUPAÇÃO DA BACIA

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO DA ESTAÇÃO DA EMBRAPA SEMIARIDO, PROJETO BEBEDOURO PRETOLINA/PE, ATRAVÉS DA TÉCNICA DE QUANTIS Iug Lopes¹; Miguel Júlio Machado Guimarães²; Juliana Maria Medrado de Melo³. ¹Mestrando

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE DADOS DE VENTO GERADOS NO PROJETO REANALYSIS DO NCEP/NCAR E OBSERVADOS EM REGIÕES DO ESTADO DO CEARÁ.

CORRELAÇÃO ENTRE DADOS DE VENTO GERADOS NO PROJETO REANALYSIS DO NCEP/NCAR E OBSERVADOS EM REGIÕES DO ESTADO DO CEARÁ. CORRELAÇÃO ENTRE DADOS DE VENTO GERADOS NO PROJETO REANALYSIS DO NCEP/NCAR E OBSERVADOS EM REGIÕES DO ESTADO DO CEARÁ. Cícero Fernandes Almeida Vieira 1, Clodoaldo Campos dos Santos 1, Francisco José Lopes

Leia mais

Gestão de Riscos no Brasil

Gestão de Riscos no Brasil Gestão de Riscos no Brasil Eduardo Soares de Macedo Géologo PROCESSOS CAUSADORES DE RISCOS NATURAIS Classificação COBRADE SEDEC-MI CATEGORIA GRUPO SUBGRUPO 1. Terremoto 1. GEOLÓGICO 2. Emanação vulcânica

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM HIDROMETRIA NA BACIA DO RIO ACRE

CAPACITAÇÃO EM HIDROMETRIA NA BACIA DO RIO ACRE CAPACITAÇÃO EM HIDROMETRIA NA BACIA DO RIO ACRE Alejandro Fonseca Duarte Universidade Federal do Acre, BR 364, Distrito Industrial, CEP: 69.915-900 Rio Banco AC. fd.alejandro@gmail.com RESUMO O conhecimento

Leia mais

Maria Helena Del Grande

Maria Helena Del Grande Revista Eletrônica Multidisciplinar Pindorama do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia IFBA Nº 02 Ano 3 junho/2012 www.revistapindorama.ifba.edu.br Análise da temperatura e da precipitação

Leia mais

ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE

ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE ANÁLISE DO ESTÁGIO DA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS EM BACIAS DE ESPECIAL INTERESSE Andrade, L. A. Z. 1 de & Teixeira, A. L. de F. 2 * & Brasil, M. A. 3 Dubois, G. S. J. 4 & Ayrimoraes Soares, S. R. 5 Resumo

Leia mais

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Câmara dos Deputados 14 de Julho de 2015 Comissão Especial da Crise Hídrica O porque do colapso dos sistemas A Pergunta é: Precisávamos

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE INFORMAÇÕES SIPAM X SEMDEC

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE INFORMAÇÕES SIPAM X SEMDEC PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DE INFORMAÇÕES SIPAM X SEMDEC Saraiva, Ivan 1 ; Senna, Renato Cruz 2 ; Saraiva, Jaci Bilhalva 3 RESUMO - Este trabalho tem como objetivo apresentar o Software de Integração SIPAM

Leia mais

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO EM ATENDIMENTO AO CONVÊNIO CASAN BACIA DA LAGOA DO PERI

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO EM ATENDIMENTO AO CONVÊNIO CASAN BACIA DA LAGOA DO PERI RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES MONITORAMENTO HIDROLÓGICO EM ATENDIMENTO AO CONVÊNIO CASAN BACIA DA LAGOA DO PERI ABRIL/2006 CONVÊNIO 09.02.06.00.100.925/2000 CASAN Companhia Catarinense de Águas e Saneamento

Leia mais

ESTUDO DE VAZÕES E COTAS EM UMA BACIA HIDROGRÁFICA, CEARÁ, BRASIL

ESTUDO DE VAZÕES E COTAS EM UMA BACIA HIDROGRÁFICA, CEARÁ, BRASIL ESTUDO DE VAZÕES E COTAS EM UMA BACIA HIDROGRÁFICA, CEARÁ, BRASIL B. P. H. G. Cardoso 1 ; F. F de. Araújo 2 RESUMO: Este trabalho objetivou possibilitar um levantamento estatístico das vazões e cotas de

Leia mais

CIRCLE-2 ERA-Net Adaptação às Alterações Climáticas

CIRCLE-2 ERA-Net Adaptação às Alterações Climáticas CIRCLE-2 ERA-Net Adaptação às Alterações Climáticas Tiago Capela Lourenço SIM/CCIAM - Faculdade Ciências - Universidade Lisboa Oportunidades de Financiamento no 7ºPQ para Alterações Climáticas (Espaço,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA OCORRÊNCIA DE INUNDAÇÕES NO BRASIL COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO: O Atlas de Vulnerabilidade a Inundações

DIAGNÓSTICO DA OCORRÊNCIA DE INUNDAÇÕES NO BRASIL COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO: O Atlas de Vulnerabilidade a Inundações DIAGNÓSTICO DA OCORRÊNCIA DE INUNDAÇÕES NO BRASIL COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO: O Atlas de Vulnerabilidade a Inundações Marcelo Jorge Medeiros 1 RESUMO --- Embora inundações e enxurradas sejam eventos

Leia mais

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

Desastres Naturais: causas e relações com as mudanças climáticas

Desastres Naturais: causas e relações com as mudanças climáticas Desastres Naturais: causas e relações com as mudanças climáticas Luiz Augusto Toledo Machado Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) Luiz.Machado@cptec.inpe.br

Leia mais

HYPÉRIDES PEREIRA DE MACÊDO

HYPÉRIDES PEREIRA DE MACÊDO HYPÉRIDES PEREIRA DE MACÊDO A A INSERÇÃO DA IRRIGAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO LOCAL E REGIONAL E A SEGURANÇA A QUANTO ÀS S MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS TICAS A necessidade de produzir mais alimento; Obtenção de mais

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2015

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2015 Programa 2040 - Gestão de Riscos e Resposta a Desastres 10GW - Construção da Barragem Castelo, no Estado do Piauí Número de Ações 74 Esfera: 10 - Orçamento Fiscal Função: 18 - Gestão Ambiental Subfunção:

Leia mais