Relatório de Atividades e Contas Anexos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Atividades e Contas 2013. Anexos"

Transcrição

1 Anexos 69

2 Anexo 1 7

3 Questionário de Satisfação Atendimento e Acompanhamento QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 4 COMO TEVE CONHECIMENTO DA APPDA-SETÚBAL Como teve conhecimento da APPDA-Setúbal ; ; ; 1; 25% 3; 75% Médico Família / Amigos Página da Internet Eventos Outro A. IDENTIFICAÇÃO DA PESSOA COM PERTURBAÇÃO DO ESPECTRO DO AUTISMO Idade da pessoa com PEA Sexo 1; 25% anos anos anos anos anos anos Coluna ; 75% Feminino Masculino B. IDENTIFICAÇÃO DO SÓCIO Idade do Sócio Sexo 1; 25% anos anos anos anos anos Coluna ; 75% Feminino Masculino 71

4 Tem alguma deficiência? Grau de Parentesco ; ; ; ; 1º Grau - Pais 4; 1 2º Grau - Irmãos / Avós 4; 1 Habilitações Literárias ; ; tem 2; 5 % 2; 5 % Ensino Básico Ensino Secundário Ensino Superior ZONA DE RESIDÊNCIA Distrito Setúbal; 4; 1 Concelho 1; 25% 1; 25% 2; 5 Seixal Setúbal Palmela 72

5 C. INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO AO SERVIÇO DE ATENDIMENTO (1º CONTACTO COM A ASSOCIAÇÃO) 1 (Nada Satisfeito) / 5 (Totalmente Satisfeito) / NS ( Sei) / NR ( Responde) Atendimento Presencial Atendimento à hora marcada Tempo de resposta ao serviço Instalações Adequadas Tempo de resposta ao Atendimento à hora Instalações Adequadas serviço efetuado marcada NR NA aplicável Atendimento Telefónico Evitou deslocações às instalações Foi eficaz Foi rápido 5 1 Foi rápido Foi eficaz Evitou deslocações às instalações NR NA aplicável

6 Atendimento via correio electrónico Evitou deslocações às instalações Foi eficaz Foi rápido 5 1 Foi rápido Foi eficaz Evitou deslocações às instalações NR 1 NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensível 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram Aconselhamen conhecimento to Técnico s necessários patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

7 As Respostas Resolveram a situação exposta Disponibilizam a informação necessária São organizadas São bem estruturadas Atempadas Atempadas 5 1 São bem estruturadas São organizadas Disponibilizam a informação necessária Resolveram a situação exposta NR NA aplicável Se este serviço não fosse gratuito recorreia a ele? 1 ; QUAL O MOTIVO? - O serviço é de grande importância, pois fornece apoios a todos os níveis, ajudas nas terapias, esclarecimentos, desenvolve tantas atividades para os jovens com PEA, esse tipo de ajudas não existe em mais lado nenhum. - Foi o único sítio que encontrámos para informação e ajuda. - Permite um contacto com famílias na mesma situação e maior informação acerca da problemática. - Apenas por neste momento não ter possibilidades financeiras, se o tivesse pagaria, o meu filho e eu merecemos o melhor e vocês merecem ser pagas. ; ; 4; 1 ; Grau de Satisfação Muito Satisfeito Satisfeito Insatisfeito Muito Insatisfeito 75

8 ; Recomendaria este serviço? 4; 1 PORQUÊ? Porque o apoio prestado por vós é sem dúvida muito importante. Porque, sabem dar todo o apoio e ajudar a ter novas forças para continuar uma vida nova e diferente em muita coisa, quando se tem um filho com PEA a nossa vida altera-se por completo e é assim que este serviço se revela de grande importância. Foram uma grande ajuda na compreensão, foram muito prestáveis e sinceros na partilha de experiências. É um serviço muito funcional e indispensável para as famílias que lidam com esta problemática. D. INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO AO SERVIÇO DE ACOMPANHAMENTO DO CASO 1 (Nada Satisfeito) / 5 (Totalmente Satisfeito) / NS ( Sei) / NR ( Responde) Acompanhameto do processo Correspondeu às suas necessidades Tempo de resposta ao serviço prestado Foi eficaz 5 1 Tempo de resposta ao Correspondeu às suas Foi eficaz serviço prestado necessidades NR NA aplicável

9 Os Técnicos patia e Profissionalismo Acessibilidade e prestação de informações Prestam o acompamhamento adequado Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensí vel 5 1 Prestam o acompamha mento adequado Demosntra m conhecimen tos necessários Acessibilida de e prestação de informações Aconselham ento Técnico patia e Profissionali smo NR NA aplicável As Respostas Resolveram a situação exposta Disponibilizam a informação necessária São organizadas São bem estruturadas São rápidas São rápidas 5 1 São bem estruturadas São organizadas Disponibilizam a informação necessária Resolveram a situação exposta NR NA aplicável

10 Se este serviço não fosse gratuito recorreia a ele? 1; 33% 2; 67% QUAL O MOTIVO? - O acompanhamento é muito bom, estão sempre disponíveis para ajudar os problemas que vão surgindo no dia-a-dia. - Exatamente pelo mesmo motivo dado na resposta anterior. ; ; ; Grau de Satisfação Muito Satisfeito Satisfeito Insatisfeito 3; 1 Muito Insatisfeito Recomendaria este serviço? 3; 1 ; PORQUÊ? São uma grande ajuda para pais e filhos, indicam para cada caso quais as melhores terapias que podem ser feitas, ajudam nos diagnósticos e qual o melhor caminho a seguir., sem dúvida. Porque vocês podem ajudar e apoiar muito. COMENTÁRIOS / SUGESTÕES DE MELHORIA Sem comentários ou sugestões de melhoria 78

11 Questionário de Satisfação Serviços da APPDA-Setúbal QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 5 A. IDENTIFICAÇÃO DA PESSOA COM PERTURBAÇÃO DO ESPECTRO DO AUTISMO Idade Sexo 1; 2-3 anos 4-7 anos 8-11 anos anos anos 22 anos Coluna ; 8 Feminino Masculino B. IDENTIFICAÇÃO DO CUIDADOR Idade Sexo 1; anos anos anos anos anos Coluna1 5 4; 8 Feminino Masculino Tem alguma deficiência? ; Habilitações Literárias ; ; 1; 25% tem 5; 1 3; 75% Ensino Básico Ensino Secundário Ensino Superior 79

12 Grau de Parentesco 1º Grau - Pais ; ; ; ; 2º Grau - Irmãos / Avós 3º Grau Padinhos/Tios/Sobrinhos tem Outro 5; 1 ZONA DE RESIDÊNCIA Distrito Concelho Setúbal ; 5; 1 1; 2 1; 2 1; 2 2; 4 Seixal Moita Palmela Barreiro C. SERVIÇOS DA APPDA-SETÚBAL Serviços usufruidos ; 1; 11% ; ; 2; 22% 3; 34% 3; 33% Psicologia Terapia da Fala Psicomotricidade em Meio Aquático Musicoterapia Psicomotricidade em Meio Aquático Treino de Competências Sociais Avaliação Psicoeducativa Conhece o regulamento interno? 1; 2 4; 8 8

13 D. INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO DOS SERVIÇOS PSICOLOGIA 1 (Nada Satisfeito) / 5 (Totalmente Satisfeito) / NS ( Sei) / NR ( Responde) Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensíve l 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram conhecimento s necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

14 TERAPIA DA FALA Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensíve l 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram conhecimento s necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

15 PSICOMOTRICIDADE EM MEIO AQUÁTICO Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis 5 1 Utilizam Prestam linguagem informações acessível e adequadas e compreensíve pertinentes l Demonstram conheciment os necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

16 MUSICOTERAPIA Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensíve l 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram conhecimento s necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

17 PSICOMOTRICIDADE Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensíve l 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram conhecimento s necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

18 TREINO DE COMPETÊNCIAS SOCIAIS Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensíve l 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram conhecimento s necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

19 AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA Tempo de resposta ao serviço efetuado Horário adequado Instalações Adequadas 5 1 Instalações Adequadas Horário adequado Tempo de resposta ao serviço efetuado NR NA aplicável Os Técnicos patia e Profissionalismo Aconselhamento Técnico Demonstram conhecimentos necessários Prestam informações adequadas e Utilizam linguagem acessível e Mostram-se disponíveis Mostram-se disponíveis Utilizam linguagem acessível e compreensível 5 1 Prestam informações adequadas e pertinentes Demonstram conhecimento s necessários Aconselhame nto Técnico patia e Profissionalis mo NR NA aplicável

20 Grau de Satisfação com os serviços 2; 4 3; 6 ; ; Muito Satisfeito Satisfeito Insatisfeito Muito Insatisfeito ; 5; 1 Recomendaria este serviço? PORQUÊ? Porque é uma mais-valia a todos os familiares/cuidadores e profissionais que lidam com as pessoas com perturbação do espectro do autismo. Pelo apoio que dão em todos os níveis; as terapias e atividades são muitas e muito bem organizadas, e prestam todo o tipo de esclarecimentos necessários. OUTROS SERVIÇOS/TERAPIAS QUE GOSTARIA DE USUFRUIR ATRAVÉS DA APPDA-SETÚBAL: Hipoterapia COMENTÁRIOS / SUGESTÕES DE MELHORIA: Gostaria que houvesse mais dias para as oficinas de promoção de competências, pois acho que são de grande importância para todos os jovens que as frequentam. Obrigado pelo trabalho louvável que desenvolvem! 88

21 Anexo 2 89

22 Questionário de Satisfação Reuniões de Ajuda Mútua QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 9 A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização Horário de Funcionamento ; ; ; Boa 1; 11% ; ; ; Bom 3; 33% 6; 67% Satisfatória Inacessível sei 8; 89% Suficiente Mau sei responde responde B. DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Condições de higiene e temperatura ; ; ; 7; 78% 2; 22% Bom Suficiente Mau sei responde C. AVALIAÇÃO GLOBAL DA ATIVIDADE Úteis para as necessidades? Presença nas reuniões ; ; ; 9; 1 sei responde 7; 78% 1; 11% ; 1; 11% Entre 1-3 Entre 4-6 Entre 7-9 Entre

23 Reformular / Melhorar ; ; 1; 11% sei 8; 89% responde PORQUÊ? - Apenas sugiro que fossemos mais pontuais. - Tentar conduzi-las de forma mais eficiente. SUGESTÕES DE TEMAS Sem sugestões de temas COMENTÁRIOS / OBSERVAÇÕES Sem comentários ou observações 91

24 Anexo 3 92

25 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Férias da Páscoa - Pais QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 4 DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO 5 Boa 5 Inacessível Localização Boa Inacessível DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO 5 5 Organização Muito boa Boa Insuficiente Dimensão do grupo Adequado 1 Excessivo Horário de funcionamento Bom 1 Mau 93

26 DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Condições de higiene do espaço 5 5 Excelentes Boas Razoáveis Temperatura e Grau de humidade - confortáveis 1 Às vezes Acesso à casa de banho - facilitado? 5 5 Às vezes sei Sala muito ocupada? 25% 5 25% Às vezes sei 1 Espaços organizados / arrumados Às vezes 94

27 DADOS SOBRE A EQUIPA EDUCATIVA - PROFISSIONALISMO Tamanho grupo em relação ao nº de funcionários Muito bom 25% Bom 75% Mau Relacionamento Monitores / Crianças 5 5 Muito bom Bom Mau 5 Relacionamento Monitores / Pais 5 Muito bom Bom Mau Comunicao Pais / Monitores 5 5 Muito bom Bom Mau Disponibilidade dos técnicos para receber sugestões/críticas 5 5 Muito bom Bom Mau 95

28 5 5 Ambiente Muito bom Bom Mau Funcionários sorriem, conversam são afetuosos com as crianças? 1 Funcionários ajudam e mostram compreensão e atenção? 1 Criança transmitia felicidade nas atividades? 1 Às vezes responde Criança gostava do grupo 25% 75% Às vezes responde 96

29 Classificação dos trabalhos da criança 5 5 Muito bom Bom Mau DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DA CRIANÇA / JOVEM Classificação das actividades da criança 5 5 Muito bom Bom Mau 1 Saídas ao exterior foram úteis/interessantes? 1 Motivação criança Às vezes 1 A criança envolvia-se nas actividades? Às vezes 97

30 A criança estava satisfeita? 1 Às vezes DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS PAIS 5 5 Satisfação dos Pais Muito bom Bom Mau AVALIAÇÃO GLOBAL DA ATIVIDADE Nova inscrição na atividade 1 Reformular / melhorar 75% 25% Transporte para o local para ser mais fácil conciliar os horários da atividade com os horários dos pais SUGESTÕES DE ATIVIDADES Surf adaptado / Hipoterapia a repetir 98

31 OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE O FUNCIONAMENTO As atividades decorreram muito bem, os filhos gostaram bastante, ao fim do dia estava sempre com um sorriso. Em relação ao ano passado, este ano houve um maior número de atividades fora da sala, o que foi muito positivo, uma grande melhoria. 99

32 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Férias da Páscoa - Técnicos QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 5 DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Boa 1 Inacessível Localização Boa Inacessível DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO 25% 75% Organização Muito boa Boa Insuficiente Dimensão do grupo Adequado 1 Excessivo Horário de funcionamento Bom 1 Mau 1

33 DADOS SOBRE O EQUIPAMENTO E MATERIAL PEDAGÓGICO Material necessário 1 Material diversificado 1 Material adequado 1 Segurança e conforto materiais Mobiliário 4 Estável / Instável Cómodo / Incómodo Seguro / Inseguro Sem arestas / Com arestas Inovador e bonito / antigo e feio Material Excelentes 5 5 Boas Razoáveis 11 Más

34 DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Condições de higiene 25% Excelentes Boas 75% Temperatura e Grau de humidade - confortáveis 1 Às vezes O Funland tinha muita humidade. 1 Acesso à casa de banho facilitado Às vezes 75% Sala muito ocupada? 25% Às vezes 1 Espaços organizados / arrumados Às vezes 12

35 DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES Atividades / encontro expectativas iniciais 1 As saídas ao exterior foram úteis? 1 Reformulação de atividades? 1 A atividade de competências informáticas, nomeadamente o jogo mimocas não foi adequada às capacidades e desenvolvimento das crianças, exceto o Rodrigo que apreciou e conseguiu concretizar. A atividade de motricidade fina poderia ter sido desempenhada de forma mais independente se fosse construído um fio com contas em vez dos porta-chaves, pois não havia a necessidade de dar tantos nós e assim as crianças realizavam a atividade de forma mais autónoma e treinavam mais a motricidade fina. SUGESTÕES DE ATIVIDADES Ida ao Oceanário Visionamento de filme Jardim Zoológico 13

36 OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE O FUNCIONAMENTO É importante o acompanhamento de 1 técnico para 1 criança em todas as atividades para decorrerem de acordo com os objetivos, até quando há alguma situação/comportamento em que é necessário a presença do técnico sem estar preocupado com outra criança. No geral as atividades foram bastante positivas, sendo que as crianças beneficiaram com estas oficinas, quer a nível de competências pessoais, que sociais e na inter-relação criançacriança e criança-técnico. Foi gratificante e motivador perceber as mudanças ocorridas entre o primeiro e o ultimo dia, a mais pequena conquista faz toda a diferença na vida destas crianças. Parabéns pelo esforço e dedicação de toda a equipa da APPDA-Setúbal. 14

37 Anexo 4 15

38 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Férias do Verão - Jovens - Pais QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 5 A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização 2 Boa Inacessível 8 B. DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO Organização Muito boa 4 Boa 6 Insuficiente Horário Funcionamento 2 Bom Mau 8 16

39 C. DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Espaços organizados / arrumados 2 Às vezes 8 Condições de higiene 2 Excelentes Boas 2 6 Razoáveis Más Sala muito ocupada? 4 2 Às vezes 4 D. DADOS SOBRE A EQUIPA EDUCATIVA - PROFISSIONALISMO Tamanho grupo _ n.º técnicos 2 8 Muito bom Bom Mau Relacionamento técnicos_crianças 2 Muito bom Bom Mau

40 Relacionamento Técnicos_Pais 2 8 Muito bom Bom Mau Disponibilidade dos técnicos para receber sugestões/críticas 2 8 Muito bom Bom Mau Ambiente 2 8 Muito bom Bom Mau E. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DA CRIANÇA / JOVEM Classificação atividades 1 Muito bom Bom Mau Saídas úteis / interessantes 1 Às vezes 18

41 Motivação/ Satisfação / Felicidade Às vezes 1 Envolvimento nas atividades Às vezes 1 F. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS PAIS Grau de satisfação dos pais 2 8 Muito bom Bom Mau G. AVALIAÇÃO GLOBAL DA ATIVIDADE Nova inscrição na atividade 1 19

42 Reformuçao/Melhoramento atividades Mediante o grupo devem ser feitos os respetivos ajustes. 19. SUGESTÕES DE ATIVIDADES Sem observações. 2. OBSERVAÇÕES estive presente, não sei como funcionaram, mas a alegria que o meu filho leva estampada no rosto fez-me querer que as atividades foram ótimas. 11

43 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Férias do Verão - Jovens - Técnicos QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 4 A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização 25% Boa 75% Inacessível B. DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO Organização das atividades 25% 75% Muito boa Boa Insuficiente Horário de Funcionamento Boa Inacessível 1 Dimensão do grupo Adequado Excessivo

44 C. DADOS SOBRE O EQUIPAMENTO E MATERIAL PEDAGÓGICO Material necessário e diversificado Às vezes 1 Material adequado às idades Às vezes 1 Segurança e Conforto dos Materiais Às vezes 1 Higiene dos materiais 5 5 Excelentes Boas Razoáveis Más DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Higiene do espaço 25% 5 25% Excelentes Boas Razoáveis Más 112

45 Organização e arrumação materiais Muito boa Boa 5 5 Insuficiente Acesso à casa de banho facilitado Às vezes 1 Sala muito ocupada 75% 25% Às vezes E. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES Expectativas das atividades 1 Saídas ao exterior úteis/interessantes 113 1

46 Reformulação das atividades 25% 75% Acho que as saídas são muito interessantes, todos os dias devia haver uma saída. 16. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PERTINENTES Bodyboard. Situações em que os jovens saiam para atividades na rua e com isso partilhem mais experiências, como a do acampamento. Penso que a atividade de saída/dormida foi muito positiva para os jovens, pela experiência de convívio que lhes proporcionou, pelo que seria importante repetir. 17. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE O FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES Considero que foi uma experiência muito boa, tanto para o grupo de crianças como para os técnicos. As atividades escolhidas foram muito interessantes e correram todas muito bem. Parabéns para o sucesso deste projeto. No geral foram todas muito bem organizadas. Uma nota muito positiva aos técnicos e monitores que construíram uma equipa dinâmica e cooperante. Este ano foram feitas mais atividades no exterior, o que foi muito positivo. Penso que as atividades correram de acordo com o previsto e foram de encontro às necessidades e interesses dos jovens. O bom espírito de equipa também foi um fator determinante para o bom funcionamento da colónia. 114

47 Anexo 5 115

48 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Férias do Verão - Crianças - Pais QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 3 A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização Boa Inacessível 1 B. DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO Organização 33% Muito boa Boa 67% Insuficiente Horário Funcionamento 33% Bom 67% Mau 116

49 C. DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Espaços organizados / arrumados Às vezes 1 Condições de higiene 33% 67% Excelentes Boas Razoáveis Más Sala muito ocupada? 33% 33% 34% Às vezes D. DADOS SOBRE A EQUIPA EDUCATIVA - PROFISSIONALISMO Tamanho grupo _ n.º técnicos 33% 67% Muito bom Bom Mau 117 Relacionamento Técnicos_Crianças 1 Muito bom Bom Mau

50 Relacionamento Técnicos_Pais 33% 67% Muito bom Bom Mau Disponibilidade dos técnicos para receber sugestões/críticas Muito bom Bom Mau 1 Ambiente Muito bom Bom Mau 1 E. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DA CRIANÇA / JOVEM Classificação atividades 33% 67% Muito bom Bom Mau Saídas úteis / interessantes 1 Às vezes 118

51 Motivação/ Satisfação / Felicidade Às vezes 1 Envolvimento nas atividades 33% Às vezes 67% F. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS PAIS Grau de satisfação dos pais 33% Muito bom Bom 67% Mau G. AVALIAÇÃO GLOBAL DA ATIVIDADE Nova inscrição na atividade 1 A minha filha adaptou-se lindamente, as atividades eram próprias para aquilo que ela exigia e surpreenderam-na, a ela e a mim. Teve novas experiências e conheceu novos meninos, novos monitores e novos espaços. Voltava a inscrever porque é sempre uma mais-valia para as crianças/jovens. 119

52 Reformuçao/Melhoramento atividades 33% 34% 33% é que tenha considerado que houve algo negativo este ano, mas tenho a certeza que para o ano irá haver uma ou outra atividade diferente, só para variar. 19. SUGESTÕES DE ATIVIDADES O contacto com animais é sempre bem-vindo, logo seria bom se lhe dessem continuidade. 2. OBSERVAÇÕES Considero que foi excelente e que o acompanhamento das monitoras (cujo entusiasmo e envolvimento são de louvar) se destacou. A ideia de levar um relatório diário para casa agradoume igualmente, se bem que reconheça o trabalho e o empenho que revela. Também foi interessante ver uma monitora ocupar-se de um menino novo todos os dias. 12

53 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Férias do Verão - Crianças - Técnicos QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 5 A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização 2 Boa Inacessível 8 B. DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO Organização das atividades Muito boa Boa Insuficiente Horário de Funcionamento 2 Boa Inacessível Horário mais conveniente: 9h às 16h com 1h de almoço 8 Dimensão do grupo 2 Adequado Excessivo

54 C. DADOS SOBRE O EQUIPAMENTO E MATERIAL PEDAGÓGICO Material necessário e diversificado Às vezes 1 Material adequado às idades Às vezes 1 Segurança e Conforto dos Materiais Às vezes 1 Higiene dos materiais 6 4 Excelentes Boas Razoáveis Más 122

55 D. DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Higiene do espaço 2 8 Excelentes Boas Razoáveis Más Organização e arrumação materiais Muito boa 4 Boa 6 Insuficiente Acesso à casa de banho facilitado Às vezes 1 Sala muito ocupada 2 Às vezes 8 E. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES Expectativas das atividades 123 1

56 Saídas ao exterior úteis/interessantes 1 Expectativas das atividades 1 A piscina talvez fosse melhor ficar para a parte da manhã. A organização das atividades merece uma especial atenção na sua marcação prévia, de forma a não haver a impossibilidade de realização das mesmas, por exemplo: a ida às piscinas num dia em que se encontravam encerradas. Mudar as atividades de piscina para o horário da manhã, pois facilita a saída dos jovens, permite que não estejam a fazer a digestão e que eles gastem mais energia pela manhã. Deve ser tomada uma especial atenção relativamente a cada uma das atividades bem como o seu funcionamento, para não existirem imprevistos. Por outro lado, considero que as atividades deveriam ter outra organização para ser mais benéfico para as crianças. Maior comunicação entre as entidades onde se realizam as atividades e a associação; realização de atividades que impliquem maior movimento (locomoção) durante a manhã. As atividades devem ser mais específicas, ou seja mais orientadas e com objetivos. 16. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PERTINENTES A visita ao Oceanário e a ida ao Parque urbano de Albarquel penso que também seriam atividades que iriam gostar de participar nas oficinas de Verão. Seria interessante realizarem-se jogos em que eles aprendessem o esperar e o partilhar. Uma ida ao Oceanário seria uma boa aposta na medida em que esta transmite outro tipo de estímulo que estas crianças não estão tão familiarizadas. 124

57 Mais atividades ao exterior que impliquem contacto direto com animais; ambiente natural; água e exercício físico. Acho pertinente atividades no computador e idas a locais tais como quintas, parques, como também Jardim Zoológico e Oceanário. 17. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE O FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES Considero que as atividades no geral foram bastante pertinentes, pois ajudaram a trabalhar diferentes competências e foram bastante estimulantes e divertidas, sobretudo as atividades no exterior. Foram interessantes e diversificadas. Houve um grande apoio entre técnicos. A única coisa que tenho a pontar foi a organização das atividades, tendo deixado inúmeras dúvidas acerca da sua prévia organização. De modo geral o funcionamento das atividades decorreu de forma muito positiva. No geral as atividades correram bem, contudo nota-se diferenças no nível de desenvolvimento das crianças, e algumas atividades podem ser proveitosas para uns e não para outros. 125

58 Anexo 6 126

59 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 5 Competências Fins de Semana - Pais A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização Boa Inacessível 1 B. DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO Organização Muito boa 4 Boa 6 Insuficiente Horário Funcionamento 2 Bom Mau 8 C. DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Espaços Às vezes 127 1

60 Condições de higiene Excelentes Boas Razoáveis Más Sala muito ocupada? 2 8 Às vezes D. DADOS SOBRE A EQUIPA EDUCATIVA - PROFISSIONALISMO Tamanho grupo _ n.º técnicos Muito bom Bom Mau Relacionamento_Crianças 4 6 Muito bom Bom Mau Relacionamento_Pais 4 6 Muito bom Bom Mau 128

61 Disponibilidade 2 Muito bom Bom 8 Mau Ambiente 2 Muito bom Bom 8 Mau E. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DA CRIANÇA / JOVEM Classificação atividades 2 8 Muito bom Bom Mau Saídas úteis / interessantes Às vezes 1 Motivação/ Satisfação / Felicidade Às vezes 129 1

62 Envolvimento nas atividades Às vezes 1 F. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO DOS PAIS Grau de satisfação dos pais 2 8 Muito bom Bom Mau G. AVALIAÇÃO GLOBAL DA ATIVIDADE Nova inscrição na atividade 1 Todas as atividades desenvolvidas são de grande importância para a Rita e ajuda a desenvolver e melhorar as suas competências. Porque noto o meu filho mais calmo e noto progressos nele. Reformuçao/Melhoramento atividades

63 Se possível, organizar atividades no exterior. É sempre bom uma autoavaliação, não quer dizer que as coisas não estejam bem, mas tentar avaliar se haverá algo mais a fazer ou não. 19. SUGESTÕES DE ATIVIDADES Acho muito importante estarem as crianças em grupo, comunicarem, é bom para todos. Repetição com mais frequência das atividades. 2. OBSERVAÇÕES Noto o meu filho e as outras crianças bem, à vontade, isso é ótimo. 131

64 Questionário de Satisfação Oficinas de Promoção de Competências Fins de Semana - Técnicos AVALIAÇÃO DAS OFICINAS DE PROMOÇÃO DE COMPETÊNCIAS FINS DE SEMANA TÉCNICOS 2 DE ABRIL / 18 DE MAIO / 15 DE JUNHO / 19 DE OUTUBRO / 3 DE NOVEMBRO QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 3 A. DADOS SOBRE A LOCALIZAÇÃO Localização 25% Boa 75% Inacessível B. DADOS SOBRE O FUNCIONAMENTO / HORÁRIO Organização das atividades 25% 75% Muito boa Boa Insuficiente Horário de Funcionamento Boa Inacessível 1 132

65 Dimensão do grupo 33% Adequado 67% Excessivo C. DADOS SOBRE O EQUIPAMENTO E MATERIAL PEDAGÓGICO Material necessário e diversificado Às vezes 1 Material necessário e diversificado 33% 67% Às vezes Segurança e Conforto dos Materiais Às vezes 1 Higiene dos materiais 33% Excelentes Boas Razoáveis 67% Más 133

66 D. DADOS SOBRE AS CONDIÇÕES DO ESPAÇO Higiene do espaço 33% Excelentes Boas Razoáveis 67% Más Organização e arrumação materiais 1 Muito boa Boa Insuficiente Acesso à casa de banho facilitado Às vezes 1 Sala muito ocupada 33% 67% Às vezes E. DADOS SOBRE O GRAU DE SATISFAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES Expectativas das atividades 1 134

67 Saídas ao exterior úteis/interessantes 1 Expectativas das atividades 33% 67% 16. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PERTINENTES Algumas atividades relacionadas com a musicoterapia. Apesar de todos gostarem muito de ir à piscina, as saídas podiam ir mudando. 17. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE O FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES As atividades decorreram bem. Penso que correram todas bem. Os meninos gostam do que é proposto e parecem estar felizes. As atividades são bem organizadas e correu sempre tudo bem. 135

68 Anexo 7 136

69 Questionário de Satisfação VII Seminário: PEA - Desafios Futuros 18 de Julho de 213 QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 69 COMO TEVE CONHECIMENTO DO SEMINÁRIO? Como teve conhecimento do Seminário? 1% 19% 8% 47% 25% Divulgação APPDA-Setúbal Família / Amigos Outro Local de trabalho Outros eventos Qual? 3 APSA 1 Internet 1 da associação estudantes da FHM 1 A. INTERESSE DO EVENTO Interesse do Evento 1 5 Relevância dos temas abordados Aplicabilidade dos temas abordados Distribuição do tempo por tema Aquisição de conhecimento s face aos objetivos definidos Conteúdo do programa Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas N =

70 B. TEMAS Temas Visão Neurológica 1º Painel: PEA: Diagnóstico e IP 2º Painel: Escola Inclusiva 3º Painel: Jovens e Adultos com PEA 4º Painel: Famílias de pessoas com PEA S/ R_N/ Assisti Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas N = 69 C. INSTALAÇÕES / MEIOS TÉCNICO-PEDAGÓGICOS Instalações / Meios Técnico-Pedagógicos 1 5 Local Sala Conforto Meios Documentaçã audiovisuais o distribuída Pouco adequada 4. Muito adequada N =

71 D. ORGANIZAÇÃO / APOIO LOGÍSTICO / SECRETARIADO Organização / Apoio Logístico / Secretariado 1 5 Facilidade de acesso à informação de divulgação / inscrição Conteúdo / objetivodade da informação de divulgação patia e profissionalismo no atendimento e acompanhamento Pouco adequada / Abaixo das expectativas 4. Muito adequada / Acima das expectativas N = 69 E. AVALIAÇÃO GLOBAL DO EVENTO CONTAGEM 1. Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas S/ RESPOSTA Avaliação Global Avaliação Global do Evento 1% 44% 55% S/ Resposta 139

72 SUGESTÃO DE TEMAS A SEREM ABORDADOS NUM PRÓXIMO SEMINÁRIO/WORKSHOP: Atitudes perante alguns comportamentos de crianças e jovens com PEA. Noções práticas para pais e famílias / práticas inclusivas. Ocupação dos tempos pós-escola, em cada durante a semana e também ao fim de semana. As crianças e jovens na rua ou meios da comunidade. Testemunhos reais de jovens e adultos portadores de PEA. Estruturação dos seminários sem - só apresentações. Testemunhos de professores e técnicos. Testemunho / Divulgação de iniciativas e atividades disponíveis e realizadas, com a respetiva documentação visual apelativa. Inclusão de PEA no âmbito internacional. Funcionamento das unidades de ensino estruturado do espectro do autismo e saber se a APPDA faz sessões de estratégias para professores titulares e turma e pais / EE que incluem crianças com PEA. A intervenção mais específica junto das crianças por parte dos diferentes profissionais (psicologia, terapia da fala, psicomotricidade). Desenvolvimento / Análise de intervenção na comunicação, interação e comportamentos repetitivos. Atividades para por em prática com estas crianças. Estratégias para lidar com as crianças/jovem com PEA e estratégias para pais. Propostas de atividades para implementar / desenvolver com a criança / jovem com PEA. Dar um pouco a conhecer outras perturbações do desenvolvimento, as mais incidentes, por exemplo. Irradicação de empresas ou instituições que se propõem a cuidar de pessoas com deficiência sem adequação (no mínimo) ou sem técnicos especializados para essa intervenção. Sexualidade: como falar acerca deste tema com as crianças e jovens com PEA. Como trabalhar os seus impulsos perante o sexo oposto. Abordar mais aprofundamente sobre a SA e como se pode lidar com jovens e crianças com SA. Autismo na sala de aula / escola sugestões para trabalhar. Tipos possíveis de formação para jovens e adultos com PDA. Avaliação dos pais do aspie. Acompanhamento do casal (pais aspies) e acompanhamento individual da mãe e do pai. Perturbação do Espectro do Autismo experiências de vida (casos de sucesso / insucesso). 14

73 CAO / LAR: teoria vs realidade. Importância da família para a pessoa com deficiência: trabalhar o envolvimento. Casos de sucesso (desenvolvimento de competências e inclusão). A importância dos pares. Autismo e velhice. Autismo e integração no mercado de trabalho. Estratégias práticas em sala, orientadoras e facilitadoras de um trabalho de qualidade e inclusão. Funcionamento de uma UEE e exemplos de atividades para trabalhar com alunos com PEA. Inclusão de alunos com PEA de baixa funcionalidade no ensino regular. Autismo na fase adulta: diagnóstico e acompanhamento. Metodologia métodos aumentativos e alternativos de comunicação e estratégias de intervenção. Respostas educativas para crianças e jovens com PEA mais eficazes, adequadas na sua especificidade. Metodologias adequadas às crianças e jovens com PEA. Partilha de experiências / casos de sucesso. Comunicação estratégias de intervenção. Metodologias e respostas educativas para crianças com PEA. OBSERVAÇÕES/COMENTÁRIOS/SUGESTÕES DE MELHORIA: Pouco tempo para os oradores como o Dr. Pedro Cabral, Dr. José Monteiro e Dr. David Rodrigues, especialmente este último que ao nível de intervenção educativa me parecia ter muita informação. Deveria existir uma melhor gestão do tempo. Cumprimento dos tempos / horário. Necessidade de serem cumpridos os horários propostos. É importante o cumprimento do horário, pois os atrasos inviabilizam poder assistir / ouvir todos os oradores. É necessário trabalhar a questão do tempo, pois desde o início do seminário que não foi cumprido, o que fez com que os oradores não tenham tido tempo suficiente e mal distribuído. 141

74 Por vezes achei que determinados aspetos, apesar de serem interessantes, não são muito pertinentes para este seminário, principalmente quando o tempo é bastante limitado, tendo-se acentuado o atraso. A temperatura da sala não era agradável, estava muito fria. O conteúdo do programa era muito extenso. Em algumas intervenções apenas conseguimos obter uma visão do território continental, talvez fosse importante num seminário em que se fala de inclusão não se excluir uma parte do território nacional, que apesar de serem regiões autónomas, são nacionais. Muitas vezes para as famílias, cuidadores, técnicos e professores é mais facilitador a mensagem ser entendida se o conhecimento científico for transmitido a partir de casos e situações. Gostei especialmente de ouvir do Dr. David Rodrigues e o Dr. Carlos Filipe. Obrigada. É de louvar o trabalho da associação em organizar este tipo de iniciativas. É de continuar a divulgação / organização de iniciativas idênticas (ou diferentes) associadas à problemática do autismo. Com assuntos tão relevantes como os que foram abordados, mesmo existindo atrasos nos horários marcados, proponho que existam intervalos de 1 minutos, pelo menos de 2h3 em 2h3. Palestras com maior duração que esta levam à desatenção e por isso pouco aproveitamento do seminário. Sendo a primeira vez que entrei em contacto com a vossa associação, fiquei com a nítida sensação de qua ainda existe um longo caminho a percorrer, o que me entristece, em particular para quem diariamente se confronta com obstáculos e com desafios futuros que não tarde, só o seu presente me fez refletir em alguns temas, nomeadamente nas respostas dadas em idade adulta, para pessoas com PEA ou outras deficiências. Apresentação de situações e casos reais, partilha de experiências. Intervalo entre os painéis da tarde. No geral obtive grandes informações do que procurava. Parabéns pelo trabalho que têm vindo a desenvolver. Obrigado pelo seminário. Muito bom e parabéns pelo envolvimento de todos. Só se tornaria excelente se o nosso Estado e Governo fosse mais sensível aos direitos dos nossos pequenos/grandes seres humanos. Continuem! 142

75 Anexo 8 143

76 Questionário de Satisfação Ações de Sensibilização Conhecer e Auxiliar A PEA Escola Integrada da Quinta do Conde PARTICIPANTES: 24 A. INTERESSE DO EVENTO Interesse do Evento Conteúdo do programa Qualidade das intervenções 7 16 Aquisição de conhecimentos Distribuição do tempo Aplicabilidade dos temas abordados Relavância dos temas abordados Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas N = 24 B. INSTALAÇÕES / MEIOS TÉCNICOS-PEDAGÓGICOS Meios Técnico-pedagógicos N = 24 Conteúdo / objetividade 5 18 Documentação distribuida 5 19 Meios audiovisuais Conforto Sala Local S/ resposta Funcionamento / Qualidade deficiente 4. Funcionamento / Qualidade excelente 144

77 C. AVALIAÇÃO GLOBAL DO EVENTO Avaliação Global N = 24 Avaliação S/ resposta 1. Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas SUGESTÃO DE TEMAS A SEREM ABORDADOS NUM PRÓXIMO SEMINÁRIO/WORKSHOP: Fiquei fascinada com a formação sobre o autismo, pois desconhecia o autismo com tanto fascínio. Informação em crianças hiperativa. Será sempre interessante uma nova abordagem mais profunda sobre o autismo e sobre as crianças com autismo. Explorar um mundo novo e desconhecido para mim com todo o seu fascínio. Gostaria de assistir a mais sessões sobre o autismo, pois não tinha este conhecimento sobre um mundo tão interessante. OBSERVAÇÕES/COMENTÁRIOS/SUGESTÕES DE MELHORIA: Pouco tempo de formação. Muito bom, obrigado! As formadoras foram muito esclarecedoras sobre o autismo. Esta formação foi muito elucidativa sobre as crianças com autismo. Tomei conhecimento sobre os comportamentos, sentimentos e relacionamento com pessoas normais. As formadoras foram muito objetivas na abordagem do Autismo. Fiquei com vontade de saber mais sobre o tema. Achei a ação de sensibilização bastante interessante, tanto a nível pessoal como profissional, mas o tempo foi pouco para aprofundar certos aspetos que a formação merecia, tais como reagir a comportamentos específicos destas crianças. As formadoras foram bastante esclarecedoras sobre o assunto, contudo necessitamos de muito mais. Boa formação, bastante estimulante a nível pessoal e profissional. Foram focados certos aspetos que posso colocar em prática com o que aprendi. 145

78 Questionário de Satisfação Ações de Sensibilização Conhecer e Auxiliar A PEA Escola Básica do Castelo PARTICIPANTES: SENSIVELMENTE 28 A. INTERESSE DO EVENTO Interesse do Evento N = 28 Conteúdo do programa Qualidade das intervenções Aquisição de conhecimentos 23 4 Distribuição do tempo Aplicabilidade dos temas abordados 22 6 Relavância dos temas abordados Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas B. INSTALAÇÕES / MEIOS TÉCNICOS-PEDAGÓGICOS Meios Técnico-pedagógicos N = 28 Conteúdo / objetividade 16 1 Documentação distribuida Meios audiovisuais Conforto Sala Local S/ resposta 1. Funcionamento / Qualidade deficiente 4. Funcionamento / Qualidade excelente 146

79 C. AVALIAÇÃO GLOBAL DO EVENTO Avaliação Global N = 28 Avaliação S/ resposta 1. Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas SUGESTÃO DE TEMAS A SEREM ABORDADOS NUM PRÓXIMO SEMINÁRIO/WORKSHOP: Todos os temas mais aprofundados, pois não tem experiência nenhuma no tema. Formação prática para quem nunca lidou com estas situações. Qual o papel dos pais. OBSERVAÇÕES/COMENTÁRIOS/SUGESTÕES DE MELHORIA: Gostei da formação (embora me tenha sido prometida em Setembro de 211). Aprendi à minha conta, levei pancadas e passei muitas noites sem dormir. De momento está tudo bem e considero um trabalha bastante gratificante. Continuem com estas formações, mais encontros relacionados com o tema. Estava muito calor na sala de aula. A disposição das mesas não foi a melhor, pois não se conseguia ver bem, estavam todos tortos e a sala estava muito quente. Em casa, os pais deverão trabalhar mais e não ser só na escola, muitas das vezes. 147

80 Questionário de Satisfação Ações de Sensibilização A PEA Escola Integrada da Quinta do Conde 3 de Outubro de 213 QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 16 A. INTERESSE DO EVENTO Interesse do Evento N = 16 Qualidade das intervenções 6 1 Aquisição de conhecimentos Distribuição do tempo 13 3 Aplicabilidade dos temas abordados 6 1 Relavância dos temas abordados Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas B. INSTALAÇÕES / MEIOS TÉCNICOS-PEDAGÓGICOS Meios Técnico-pedagógicos N = 16 Documentação distribuida Meios audiovisuais 7 9 Conforto Sala 11 5 Local Funcionamento / Qualidade deficiente 4. Funcionamento / Qualidade excelente 148

81 C. AVALIAÇÃO GLOBAL DO EVENTO Avaliação Global N = 16 Avaliação Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas SUGESTÃO DE TEMAS A SEREM ABORDADOS NUM PRÓXIMO SEMINÁRIO/WORKSHOP: Como comunicar com os encarregados de educação que criam expectativas de intervenções por parte da escola muito acima daquilo que a própria escola pode dar. E que criaram expectativas relativamente às competências cognitivas reais do aluno. Dislexia. Dislexia / Disgrafia. Cooperação com a família. OBSERVAÇÕES/COMENTÁRIOS/SUGESTÕES DE MELHORIA: Boa apresentação com recursos nem selecionados. Obrigado. Realizar ações noutro horário. Obrigada pela vossa disponibilidade. Bem hajam! Intervenção / Formação junto dos alunos (talvez). 149

82 Anexo 9 15

83 Questionário de Satisfação Ações de Sensibilização - PEA Escoteiros 23 de março de 213 QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: INTERESSE DO EVENTO Interesse do Evento N = 17 Conteúdo do programa Qualidade das intervenções Aquisição de conhecimentos Distribuição do tempo por tema 7 1 Aplicabilidade dos temas abordados Relavância dos temas abordados Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas 2. MEIOS TÉCNICOS-PEDAGÓGICOS Meios Técnico-pedagógicos N = 17 Documentação distribuída Meios audiovisuais Funcionamento / Qualidade deficiente 4. Funcionamento / Qualidade excelente 3. INSTALAÇÕES / CONDIÇÕES AMBIENTAIS Instalações / Condições Ambientais N = 17 Sala 4 13 Conforto Pouco adequado(a) 4. Muito adequado(a)

84 4. AVALIAÇÃO GLOBAL DO EVENTO Avaliação Global N = 17 Avaliação Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas SUGESTÃO DE TEMAS A SEREM ABORDADOS NUM PRÓXIMO SEMINÁRIO/WORKSHOP: Estratégias possíveis de aplicação (interação com jovens com PEA). Como lidar com pessoas com trissomia 21. Atividades adequadas e jogos práticos para fazer com pessoas com PEA. OBSERVAÇÕES/COMENTÁRIOS/SUGESTÕES DE MELHORIA: Filmar a formação para observação em futuras formações. Parabéns à formadora pela forma clara e competente como dirigiu a formação. Excelente trabalho. Ver as necessidades que a sede dos escoteiros tem para acolher as crianças/jovens. Mais interação entre os formandos. Melhor distribuição do tempo face aos temas necessários a abordar. 152

85 Anexo 1 153

86 Questionário de Satisfação Encontro Autismo Há mais pessoas do que pensamos Dia Mundial da Consciencialização do Autismo QUESTIONÁRIOS DEVOLVIDOS: 25 AVALIAÇÕES 1. INTERESSE DO EVENTO Interesse do Evento N = 25 Conteúdo do programa 6 19 Qualidade das intervenções 5 2 Aquisição de conhecimentos 15 1 Aplicabilidade dos temas abordados 15 1 Relavância dos temas abordados Pouco interessante / Abaixo das expectativas 4. Extremamente interessante / Acima das expectativas 2. MEIOS TÉCNICOS-PEDAGÓGICOS Meios Técnico-pedagógicos N = 25 Documentação distribuída Meios audiovisuais Funcionamento / Qualidade deficiente 4. Funcionamento / Qualidade excelente 154

87 3. INSTALAÇÕES / CONDIÇÕES AMBIENTAIS Instalações / Condições Ambientais N = 25 Sala 9 16 Conforto ORGANIZAÇÃO / APOIO LOGÍSTICO / SECRETARIADO 1. Pouco adequado(a) 4. Muito adequado(a) Organização / Apoio Logístico / Secretariado N = 25 Facilidade de acesso à informação 6 19 Conteúdo / objetividade da informação 9 16 patia e profissionalismo no atendimento Pouco adequado(a) / Abaixo das expectativas 4. Muito adequado(a) / Acima das expectativas Conhecimento do encontro 1; 4% 11; 44% 6; 24% Internet 2; 8% Local de Trabalho Outros encontros 4; 16% 1; 4% Amigos responde 155

88 5. AVALIAÇÃO GLOBAL DO EVENTO Avaliação Global N = 25 Avaliação Pouco interessante / Abaixo das expectativas Extremamente interessante / Acima das expectativas SUGESTÃO DE TEMAS A SEREM ABORDADOS NUM PRÓXIMO SEMINÁRIO/WORKSHOP: Educação / acompanhar e encaminhar crianças com PEA e suas famílias. Violência Infantil. Maus tratos familiares. Despiste de PEA. Papel do contexto educativo no apoio a crianças com PEA e suas famílias. Articulação de informação entre a educação e a família. Perfis de funcionalidade das crianças e jovens com PEA. Acompanhamento psicológico / estudo de caso. Intervenção multidisciplinar eficácia. PEA e patologias associadas como intervir? Abordagens terapêuticas. Equipa multidisciplinar quais as linhas orientadoras para a família? Importância do trabalho de equipa. OBSERVAÇÕES/COMENTÁRIOS/SUGESTÕES DE MELHORIA: Parabéns! Programa muito bem organizado! Pequena pausa entre as intervenções. Melhor controlo no ambiente da sala, entradas e saídas, circulação na sala, limitação/distração a nível das fotografias tiradas. Muito ruído / entrada e saída de pessoas prejudica a concentração nas comunicações. 156

89 A Direção Setúbal, 8 de Março de

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

Algumas disciplinas do curso de formação inicial Algumas cadeiras Durante o curso houve disciplinas que estavam direccionadas para essa temática.

Algumas disciplinas do curso de formação inicial Algumas cadeiras Durante o curso houve disciplinas que estavam direccionadas para essa temática. ANEXO III 217 QUADRO N. º 4 - Formação recebida no domínio da intervenção educativa com crianças portadoras de NEE SUB-CATEGORIA INDICADORES UNIDADES DE REGISTO SUJEITOS F.U.R. % Disciplinas do Curso Uma

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

CATÁLOGO DE ATIVIDADES

CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2015 CATÁLOGO DE ATIVIDADES 2 1 1 Fotografia da Capa: Architectural Concepts By Roman Vlasov com Wendy F. Strange In 3dfirstaid Visual Architecture INTRODUÇÃO A SENTIDO DIRECTO desenvolve, de forma sistemática,

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS.

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. AÇÃO Nº 1 DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. BREVE DESCRIÇÃO DA AÇÃO: conceber, discutir e aplicar planificações, metodologias, práticas

Leia mais

Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para pessoas com Deficiência Plano de Atividades 2015

Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para pessoas com Deficiência Plano de Atividades 2015 ATENDIMENT Realizar o atendimento às pessoas com Centro de Atendimento, Acompanhamento e Animação para pessoas com Deficiência Plano de Ativ 2015 CALENDARIZA- ÇÃ Informar, apoiar e orientar as pessoas

Leia mais

10 anos no papel de mãe

10 anos no papel de mãe 10 anos no papel de mãe autodeterminação proteção legal ativação de direitos aceitação respeito inclusão Qualidade de vida 1 o estudo ( ) também não é de somenos traçar um diagnóstico que permita a uma

Leia mais

Curso de Formação Curso para a Utilização do Excel na Atividade Docente (Data de início: 16/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015)

Curso de Formação Curso para a Utilização do Excel na Atividade Docente (Data de início: 16/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015) Curso de Formação Curso para a Utilização do Excel na Atividade Docente (Data de início: 16/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique,

Leia mais

DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira

DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional Plurifundos da Região Autónoma da Madeira (POPRAM

Leia mais

APPDA-Setúbal. Educação

APPDA-Setúbal. Educação APPDA-Setúbal Educação Enquadramento Constitui desígnio do XVII Governo Constitucional promover a igualdade de oportunidades, valorizar a educação e promover a melhoria da qualidade do ensino. Um aspeto

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO Introdução O presente Regulamento foi concebido a pensar em si, visando o bom funcionamento da formação. Na LauTraining Formação e Consultoria, vai encontrar um ambiente de trabalho e de formação agradável

Leia mais

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos Universidade do Minho Escola de Psicologia rgomes@psi.uminho.pt www.psi.uminho.pt/ www.ardh-gi.com Esta apresentação não substitui a leitura

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

Departamento de Psicologia e de Educação Especial

Departamento de Psicologia e de Educação Especial Departamento de Psicologia e de Educação Especial 1- Avaliação e acompanhamento psicológico Avaliação e acompanhamento psicológico e psicopedagógico individual (promoção da autoestima e comportamentos

Leia mais

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 QUEM SOMOS A APF Associação para o Planeamento da Família, é uma Organização Não Governamental com estatuto de IPSS (Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

Normas de participação

Normas de participação Verão com desafios 2015 Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - Município de Loures 1 a) O programa de Ocupação de Tempos Livres Verão com Desafios é promovido

Leia mais

Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders. Relatório Final Análise Comparativa

Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders. Relatório Final Análise Comparativa Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders Relatório Final Análise Comparativa AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES E EXPETATIVAS, POR MEIO DA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO - 2014

Leia mais

Relatório de Avaliação da Acção de Formação

Relatório de Avaliação da Acção de Formação Relatório de Avaliação da Acção de Formação Este relatório resulta da análise de um questionário online administrado a todos os formandos de forma anónima. O questionário continha questões fechadas, que

Leia mais

EFA Escolar Nível Secundário

EFA Escolar Nível Secundário Inquérito EFA Escolar Nível Secundário O presente inquérito enquadra-se num estudo de natureza pessoal que está a ser desenvolvido sobre os cursos de Educação e Formação de Adultos Escolar - de Nível Secundário.

Leia mais

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna O jardim de infância na região de língua alemã do cantão de Berna Informações destinadas aos pais Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna Ficha técnica: Edição e Copyright: Direcção da Instrução

Leia mais

Para a disciplina de Área de Projecto. Prof.ª Ana Reis

Para a disciplina de Área de Projecto. Prof.ª Ana Reis Escola Secundária da Portela Loures Ensino Secundário Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias 12º Ano de Escolaridade Para a disciplina de Área de Projecto Prof.ª Ana Reis Relatório Individual

Leia mais

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 2

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 2 Sexo Idade Grupo de docência Feminino 40 Inglês (3º ciclo/secundário) Anos de Escola serviço 20 Distrito do Porto A professora, da disciplina de Inglês, disponibilizou-se para conversar comigo sobre o

Leia mais

Regimento Interno Unidade de Apoio Especializado para a Educação de alunos com Multideficiência e Surdocegurira Congénita Ano Letivo 2011/2012

Regimento Interno Unidade de Apoio Especializado para a Educação de alunos com Multideficiência e Surdocegurira Congénita Ano Letivo 2011/2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO Escola Básica Integrada de Eixo Ano letivo 2011/2012 Regimento Interno Unidade de Apoio Especializado para a Educação de alunos com Multideficiência e Surdocegurira Congénita

Leia mais

Associação de Apoio à Trissomia 21

Associação de Apoio à Trissomia 21 I- Instituição Promotora NOME: AMAR 21 Associação de Apoio à Trissomia 21 MORADA: Rua Tomé de Sousa, nº 19 Edifício Leal, Apt 403 4750-217Arcozelo Barcelos DISTRITO: Braga CONTATOS: 933852811 TIPO DE INSTITUIÇÃO:

Leia mais

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS. A Motivação no Ensino Aprendizagem. Questionário sobre as aulas de Inglês

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS. A Motivação no Ensino Aprendizagem. Questionário sobre as aulas de Inglês Anexo 2 INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS A Motivação no Ensino Aprendizagem Questionário sobre as aulas de Inglês O objectivo deste questionário é ajudar-te a teres um conhecimento melhor de ti próprio

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

Regulamento Interno. Projeto Musicar. APPDA-Setúbal

Regulamento Interno. Projeto Musicar. APPDA-Setúbal APPDA Setúbal, ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA AS PERTURBAÇÕES DO DESENVOLVIMENTO E AUTISMO Regulamento Interno Projeto Musicar APPDA-Setúbal Setembro 2014 Avenida 5 de Outubro, Edifício Bocage 148 4º L 2900-309

Leia mais

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz 1 RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz Contrato: AS.DS.PV.024/2010 Empresa: SENSOTECH ASSESSORAMENTO

Leia mais

BALANÇO FINAL PLANO DE FORMAÇÃO 2014 Anexo R&C 2014

BALANÇO FINAL PLANO DE FORMAÇÃO 2014 Anexo R&C 2014 BALANÇO FINAL PLANO DE FORMAÇÃO 2014 Anexo R&C 2014 INTRODUÇÃO A Sociedade Portuguesa para a Qualidade na Saúde (SPQS) executou, em 2014, um Plano de Formação dirigido aos seus associados e outros profissionais

Leia mais

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Natal na desportiva NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Natal na desportiva 2015 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO CML/DRIC/2015 Alvará 694 I. Apresentação e objetivos 1. Entidade Promotora e Organizadora - Município de Loures 1 a) O Programa de Ocupação de Tempos Livres

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES 2 ÍNDICE CARATERIZAÇÃO DO CENTRO DE REURSOS PARA A INCLUSÃO.. 3 FUNCIONAMENTO DO CENTRO DE RECUSOS PARA A INCLUSÃO 3 CARATERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA CARTA EDUCATIVA DE ÉVORA 2017-2027 RESUMO PAINEL TEMÁTICO. Necessidades Educativas Especiais

CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA CARTA EDUCATIVA DE ÉVORA 2017-2027 RESUMO PAINEL TEMÁTICO. Necessidades Educativas Especiais CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA CARTA EDUCATIVA DE ÉVORA 2017-2027 RESUMO PAINEL TEMÁTICO Évora, junho 2015 1. Enquadramento geral A realização deste painel temático enquadra-se no processo de elaboração da

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8B/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Junho 3 Página de Introdução Entre os dias e 3 de Maio de 3, foi aplicado o Questionário de Avaliação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

Oficina de Formação. O vídeo como dispositivo pedagógico e possibilidades de utilização didática: produção e edição de conteúdos audiovisuais

Oficina de Formação. O vídeo como dispositivo pedagógico e possibilidades de utilização didática: produção e edição de conteúdos audiovisuais Oficina de Formação O vídeo como dispositivo pedagógico e possibilidades de utilização didática: produção e edição de conteúdos audiovisuais (Data de início: 09/05/2015 - Data de fim: 27/06/2015) I - Autoavaliação

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

Inclusão Essencial e a Inclusão Eletiva

Inclusão Essencial e a Inclusão Eletiva 42 Pró Inclusão ANDEE NOTÍCIAS junho de 2012 (1ª Quinzena) ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DOCENTES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Quinta da Arreinela de Cima, 2800-305 Almada TLM: 927 138 311 - E-mail: proandee@gmail.com

Leia mais

CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional

CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional Em março de 2014, o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) da Escola Secundária de Felgueiras iniciou a sua missão de informar,

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS VOCACIONAIS

REGULAMENTO DOS CURSOS VOCACIONAIS Agrupamento de Escolas Gaia Nascente REGULAMENTO DOS CURSOS VOCACIONAIS ENSINO BÁSICO Escola Secundária Gaia Nascente Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente. ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 5

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente. ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 5 Sexo Idade Grupo de Anos de Escola docência serviço Feminino 46 Filosofia 22 Distrito do Porto A professora, da disciplina de Filosofia, disponibilizou-se para conversar comigo sobre o processo de avaliação

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES SERVIÇO SÓCIO-EDUCATIVO. outubro 2014 a agosto 2015. Realizado em: 02.10.2014. Aprovado pela Direção em: 09.10.

PLANO DE ATIVIDADES SERVIÇO SÓCIO-EDUCATIVO. outubro 2014 a agosto 2015. Realizado em: 02.10.2014. Aprovado pela Direção em: 09.10. PLANO DE ATIVIDADES SERVIÇO SÓCIO-EDUCATIVO outubro 2014 a agosto 2015 Realizado em: 02.10.2014 Aprovado pela Direção em: 09.10.14 Índice Introdução... 3 Linhas orientadoras... 3 Objetivos estratégicos...

Leia mais

5ª Edição do Projeto "Energia com vida"

5ª Edição do Projeto Energia com vida 5ª Edição do Projeto "Energia com vida" Maria Isabel Junceiro Agrupamento de Escolas de Marvão No presente ano letivo 2014-15, quatro turmas do Agrupamento de Escolas do Concelho de Marvão (8º e 9º anos),

Leia mais

Dinâmica e Animação de Grupo

Dinâmica e Animação de Grupo Dinâmica e Animação de Grupo Desenvolvimento de Competências Turma G3D Leandro Diogo da Silva Neves 4848 Índice 1. Introdução... 3 2. Planeamento de desenvolvimento individual... 4 2.1 Competências...

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE DEPARTAMENTO DA QUALIDADE PLANO DE MELHORIA ESA 2013-2016 Objetivos gerais do Plano de Melhoria 1. Promover o sucesso educativo e melhorar a sua qualidade 2. Melhorar os processos e resultados pedagógicos

Leia mais

Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica

Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica Direção de Gestão de Informação e Comunicação Centro de Informação e Conhecimento Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica Lisboa, janeiro de 2015 Introdução

Leia mais

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo.

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo. Atualizar e divulgar a composição da equipa. Divulgar as atividades. Atualizar e divulgar diversos materiais. ano lectivo Informação/divulgação dos serviços especializados na página da escola /EE Representar

Leia mais

CAPÍTULO IV Apresentação, interpretação e análise de dados

CAPÍTULO IV Apresentação, interpretação e análise de dados CAPÍTULO IV Apresentação, interpretação e análise de dados Introdução Tendo explicado e descrito os instrumentos e procedimentos metodológicos utilizados para a realização deste estudo, neste capítulo,

Leia mais

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo 1 INTRODUÇÃO O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas em colaboração com o Secretariado Entreculturas elaborou esta brochura

Leia mais

- RELATÓRIO - AVALIAÇÃO DO GAP

- RELATÓRIO - AVALIAÇÃO DO GAP 214/1 Avaliação Intercalar - Gabinete de Apoio aos Pais, Avós e Alunos - RELATÓRIO - AVALIAÇÃO DO GAP (Setembro 214 Maio 21) 1. Junho. 21 Apresentação do GAP A Academia de Solidariedade e Cultura Ramiro

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL. Lisboa, 8 de Janeiro de 2008

EDUCAÇÃO ESPECIAL. Lisboa, 8 de Janeiro de 2008 EDUCAÇÃO ESPECIAL Lisboa, 8 de Janeiro de 2008 DL 3/2008, de 7 de Janeiro: Sumário Define os apoios especializados a prestar na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário dos sectores público,

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 Preparado para mais um Serralves em Festa? É já nos dias 2 e 3 de Junho que se realiza mais uma edição do Serralves

Leia mais

Projeto Unidades de Ensino Estruturado

Projeto Unidades de Ensino Estruturado Projeto Unidades de Ensino Estruturado 1- Fundamentação/Contextualização/Justificação O agrupamento de escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira antigo agrupamento de Leça da Palmeira Santa Cruz do Bispo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA Avaliação Interna Questionário aos Pais Encarregados de Educação Reconhece-se a importância da família e da sua colaboração no processo educativo. Com este questionário

Leia mais

Índice: Introdução 3. Princípios Orientadores 3. Definição do projecto 4. Considerações Finais 8. Actividades a desenvolver 9.

Índice: Introdução 3. Princípios Orientadores 3. Definição do projecto 4. Considerações Finais 8. Actividades a desenvolver 9. Índice: Introdução 3 Princípios Orientadores 3 Definição do projecto 4 Objectivos a alcançar 5 Implementação do projecto 5 Recursos necessários 6 Avaliação do projecto 7 Divulgação Final do Projecto 7

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

FRAPAV Federação Regional das Associações de Pais de Aveiro ESCOLA INCLUSIVA EDUCAÇÃO ESPECIAL

FRAPAV Federação Regional das Associações de Pais de Aveiro ESCOLA INCLUSIVA EDUCAÇÃO ESPECIAL Centro Cultural de Congressos de Aveiro Aveiro, 9 de Fevereiro de 2008 ESCOLA INCLUSIVA EDUCAÇÃO ESPECIAL Sessão de abertura - Mesa composta por Presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Dr. Élio Maia;

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas Levante da Maia 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas

Leia mais

Plano de Formação de Colaboradores 2014

Plano de Formação de Colaboradores 2014 2014 Plano de Formação de Colaboradores 2014 Avaliação Nível I/II Avaliação da Satisfação e Aprendizagem A avaliação do valor acrescentado pela formação ao desempenho dos colaboradores é cada vez mais

Leia mais

Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260

Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260 Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260 Boas práticas na utilização de plataformas de aprendizagem colaborativa como modo de incentivar a criatividade e identificar boas práticas no setor da metalúrgica Relatório

Leia mais

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Outubro de 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Caraterização do Estudo... 4 3. Resultado Global dos Cursos de Lisboa

Leia mais

A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul

A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul Projeto educativo A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul A Ponte Entre a Escola e a Ciência Azul é um projeto educativo cujo principal objetivo é a integração ativa de estudantes do ensino secundário

Leia mais

PROJETO ESCOLA PARA PAIS

PROJETO ESCOLA PARA PAIS PROJETO ESCOLA PARA PAIS Escola Estadual Professor Bento da Silva Cesar São Carlos São Paulo Telma Pileggi Vinha Maria Suzana De Stefano Menin coordenadora da pesquisa Relator da escola: Elizabeth Silva

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS CRIANÇAS E JOVENS EM SITUAÇÃO DE PERIGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA

Leia mais

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO Proposta de Plano de Ação 2012/ 1 Proposta de Plano de Ação 2012/ Eixo de Desenvolvimento: Promover a qualificação escolar/profissional, o empreendedorismo e a empregabilidade. Objetivo geral: Dinamização

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

Projeto Intervir em Marvila Responsável do Executivo: Jorge Máximo (Secretário e Responsável do Pelouro da Economia e Sociedade)

Projeto Intervir em Marvila Responsável do Executivo: Jorge Máximo (Secretário e Responsável do Pelouro da Economia e Sociedade) Projeto Intervir em Marvila Responsável do Executivo: Jorge Máximo (Secretário e Responsável do Pelouro da Economia e Sociedade) Coordenadora: Joana Gonçalves Equipa Técnica: David Rodrigues Marina Fernandes;

Leia mais

1º Trabalho Listas de Discussão

1º Trabalho Listas de Discussão 1º Trabalho Listas de Discussão Catarina Santos Meios Computacionais no Ensino 05-03-2013 Índice Introdução... 3 Resumo e análise da mensagem da lista Matemática no secundário... 4 Resumo e análise da

Leia mais

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Tema: O papel do terapeuta ocupacional para pessoas em tratamento de leucemia, linfoma, mieloma múltiplo ou mielodisplasia Total atingido de pessoas na sala: 26

Leia mais

A leitura, um bem essencial

A leitura, um bem essencial A leitura, um bem essencial A leitura, um bem essencial A leitura é uma competência básica que todas as pessoas devem adquirir para conseguirem lidar de forma natural com a palavra escrita. Mas aprender

Leia mais

Considerações Finais. Resultados do estudo

Considerações Finais. Resultados do estudo Considerações Finais Tendo em conta os objetivos definidos, as questões de pesquisa que nos orientaram, e realizada a apresentação e análise interpretativa dos dados, bem como a sua síntese final, passamos

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC

PROJETO PEDAGÓGICO MUSSOC PROJETO PEDAGÓGICO dos Campos de Férias da MUSSOC Associação Mutualista dos Trabalhadores da Solidariedade e Segurança Social I CARATERIZAÇÃO GERAL DA MUSSOC 1. Introdução O presente documento tem como

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Fevereiro de 2012. Relatório de Avaliação das Sessões de Relaxamento. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado

Fevereiro de 2012. Relatório de Avaliação das Sessões de Relaxamento. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado Fevereiro de 2012 Relatório de Avaliação das Sessões de Relaxamento Ano Letivo 2011/2012 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução & Enquadramento... 3 2. Avaliação 1º semestre de 2011/2012...

Leia mais

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto.

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto. Boa tarde a todos, para quem não me conhece sou o Ricardo Aragão Pinto, e serei o Presidente do Concelho Fiscal desta nobre Fundação. Antes de mais, queria agradecer a todos por terem vindo. É uma honra

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO Filipe Leonardo De: suporte@sensocomum.pt Enviado: sexta-feira, 16 de Novembro de 2012 17:40 Para: mguedes.silva@mjgs.pt ; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt Assunto:

Leia mais

Análise SWOT. julho 2014. Pontos fortes vs Pontos fracos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA. Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido

Análise SWOT. julho 2014. Pontos fortes vs Pontos fracos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA. Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido julho 2014 Análise SWOT Pontos fortes vs Pontos fracos Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA Escola Básica Frei manuel Cardoso Escola Básica de Cabeço devide Visão:

Leia mais

CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA

CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA I. CRITÉRIOS IMPERATIVOS Comprometo me a cumprir todos os critérios aqui descritos como imperativos,

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ORGANIZAÇÃO EU PENSO NO FUTURO ABRIL/2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ORGANIZAÇÃO EU PENSO NO FUTURO ABRIL/2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES ORGANIZAÇÃO EU PENSO NO FUTURO ABRIL/2011 INÍCIO DAS AULAS DO 9º ANO No dia 16 de Abril, foi dado início as atividades educacionais do 9º ano com a realização de uma aula inaugural

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Anexo 1. Guião da conversa informal exploratória com as docentes de Língua Estrangeira I Inglês

Anexo 1. Guião da conversa informal exploratória com as docentes de Língua Estrangeira I Inglês ANEXOS Anexo 1 Guião da conversa informal exploratória com as docentes de Língua Estrangeira I Inglês 1. Situação profissional 2. Tempo de serviço no exercício de funções docentes 3. Distância casa/escola

Leia mais

Reflexão. O ambiente na sala de aula era de muita atenção e de alguma expectativa e ansiedade para começar a montar os Robots da Lego.

Reflexão. O ambiente na sala de aula era de muita atenção e de alguma expectativa e ansiedade para começar a montar os Robots da Lego. Reflexão Tarefa Proposta: Uma Viagem ao Centro da Terra. Tema abordado: Razões Trigonométricas Unidade didática: Trigonometria Estrutura e organização da aula A realização desta Ficha de Trabalho foi dividida

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

2º Encontro Local Educação para a Cidadania Global na Escola - Seixal

2º Encontro Local Educação para a Cidadania Global na Escola - Seixal 2º Encontro Local Educação para a na Escola - Seixal Camara Municipal do Seixal, 30 de abril de 2014 Encontro organizado em conjunto pela Rede ECG e pela C. M. do Seixal e que contou com a participação

Leia mais

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira

Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Projetos de Voluntariado no Concelho de Odemira Inscreva-se! Uma mão, um amigo Casa do Povo de Relíquias Através da realização de atividades lúdicas, visitas domiciliárias, apoio na alimentação e acompanhamento

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

Geração Segura promove Geração Futura

Geração Segura promove Geração Futura ENTRONCAMENTO Geração Segura promove Geração Futura Introdução As autarquias são, cada vez mais, agentes fundamentais na implementação de uma política de segurança rodoviária a nível local. O seu papel

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14 Agrupamento de Escolas da Moita Plano de Melhoria P r o v i s ó r i o P p P r o Ano letivo 2013-14 Moita, 22 de abril de 2015 A COMISSÃO DE AUTOAVALIAÇÃO o Célia Romão o Hélder Fernandes o Ana Bela Rodrigues

Leia mais

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO

MANUAL DO JOVEM DEPUTADO MANUAL DO JOVEM DEPUTADO Edição 2014-2015 Este manual procura expor, de forma simplificada, as regras do programa Parlamento dos Jovens que estão detalhadas no Regimento. Se tiveres dúvidas ou quiseres

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 Biblioteca Escolar GIL VICENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA GIL VICENTE EB1 CASTELO BIBLIOTECA ESCOLAR PLANO ANUAL DE ATIVIDADES - ANO LETIVO 2011/2012 As atividades constantes do presente

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL (Capítulo X, artigo 38º, ponto 4, portaria 60/2012 de 29 de Maio)

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL (Capítulo X, artigo 38º, ponto 4, portaria 60/2012 de 29 de Maio) PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL (Capítulo X, artigo 38º, ponto 4, portaria 60/2012 de 29 de Maio) PROGRAMA de EDUCAÇÃO ESPECIAL O presente documento destina-se a fazer cumprir o disposto no Decreto Legislativo

Leia mais