BOLETIM DE NOTÍCIAS Nº 06 MARÇO/ /03/2013 Á 31/03/2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BOLETIM DE NOTÍCIAS Nº 06 MARÇO/2013-18/03/2013 Á 31/03/2013"

Transcrição

1 BOLETIM DE NOTÍCIAS Nº 06 MARÇO/ /03/2013 Á 31/03/2013 ÁREA FEDERAL RECEITA DIVULGA RELAÇÃO DE BANCOS PARA DÉBITO AUTOMÁTICO DE PARCELAMENTO FISCAL O Ato Declaratório Executivo Codac nº 21/ DOU 1 de , relaciona as instituições financeiras que integram o débito automático em conta de prestações de parcelamento Fazendário. As instituições habilitadas são: Banco do Brasil S/A Banco Santander (Brasil) S/A Banco do Estado do Rio Grande do Sul S/A Banco do Estado de Sergipe S/A Caixa Econômica Federal Banco Bradesco S/A Itaú Unibanco S/A Banco Mercantil do Brasil S/A HSBC Bank Brasil S/A Banco Cooperativo do Brasil S/A IRPF/IRRF - PRORROGADA A VIGÊNCIA DA MP QUE ALTERA REGRAS SOBRE A TRIBUTAÇÃO DA PLR O Ato do Congresso Nacional nº 12/ DOU 1 de prorrogou, por 60 dias, o prazo de vigência da Medida Provisória nº 597/2012, que alterou o 5º, e acrescentou os 6º a 10 ao art. 3º da Lei nº /2000, a qual dispõe sobre a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados da empresa (PLR). Lembra-se que em face das alterações implementadas, com efeitos desde 1º , tal participação será tributada pelo Imposto de Renda exclusivamente na fonte, em separado dos demais rendimentos recebidos, no ano do recebimento ou crédito, com base na tabela progressiva anual constante da tabela a seguir, e não integrará a base de cálculo do imposto devido pelo beneficiário na Declaração de Ajuste Anual. Valor da PLR Anual (em R$) Alíquota Parcela a Deduzir de 0,00 a 6.000,00 0,0% - DE 6.000,01 A 9.000,00 7,5% 450,00 DE 9.000,01 A ,00 15,0% 1.125,00 DE ,01 A ,00 22,5% 2.025,00 ACIMA DE ,00 27,5% 2.775,00 Para efeito da apuração do imposto, a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados da empresa (PLR) será integralmente tributada, com base na tabela progressiva supra. Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

2 No caso de pagamento de mais de uma parcela referente a um mesmo ano-calendário, o imposto deve ser recalculado, com base no total da participação nos lucros recebida no ano-calendário, mediante a utilização da tabela supramencionada, deduzindo-se do imposto assim apurado o valor retido anteriormente. Os rendimentos pagos acumuladamente a título de PLR serão tributados exclusivamente na fonte, em separado dos demais rendimentos recebidos, sujeitando-se, também de forma acumulada, ao Imposto de Renda com base na tabela progressiva supra, observando-se que, para esse efeito, considera-se pagamento acumulado aquele da participação nos lucros relativa a mais de um ano-calendário. Para fins da determinação da base de cálculo do imposto devido sobre a PLR, poderão ser deduzidas as importâncias pagas em dinheiro a título de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família, quando em cumprimento de decisão judicial de acordo homologado judicialmente ou de separação ou divórcio consensual realizado por escritura pública, desde que correspondentes a esse rendimento. Contudo, a mesma parcela não poderá ser utilizada para a determinação da base de cálculo do imposto incidente sobre os demais rendimentos. DARF - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE OS CÓDIGOS DE RECEITA Por meio dos Atos Declaratórios Executivos Codac nºs 22, 23, 25 e 26/ DOU 1 de , foram trazidas as seguintes disposições sobre os códigos de receita a serem utilizados no preenchimento de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf): a) Ato Declaratório Executivo Codac nº 22/ torna fora de uso os seguintes códigos de receita, ficando revogadas as disposições relativas a eles: 5762, 5775 e 1505, constantes do Ato Declaratório SRF/Cosar nº 21/1997; 8021, constante no art. 1º do Ato Declaratório SRF/Cosar nº 23/1999, e, no Ato Declaratório Executivo Corat nº 110/2002, os seguintes códigos: a.1) Custas Judiciais - Outras; a.2) Custas Justiça Federal - 1º Grau; a.3) Custas Justiça Federal - 2º Grau; a.4) Custas da Justiça do Trabalho - Lei nº /2002; a.5) Porte de Remessa e Retorno dos Autos; e a.6) Emolumentos da Justiça do Trabalho - Lei nº /2002; b) Ato Declaratório Executivo Codac nº 23/ torna fora de uso o código de receita Contribuição sobre a Receita Bruta de Empresas Telecomunicação, Destinada Funttel - Decreto nº 3.737/2001 -, ficando revogado o Ato Declaratório Executivo Cosar nº 22/2001, que dispunha sobre o assunto; c) Ato Declaratório Executivo Codac nº 25/ institu os seguintes códigos de receita, ficando revogados o Ato Declaratório Executivo Codac nº 95/2009 e o Ato Declaratório Executivo Codac nº 9/2013, que dispunham sobre o assunto: c.1) Devolução de Restituição Indevida - IRPF - Não Tributário; c.2) Devolução de Restituição Indevida - Cofins/Finsocial - Não Tributário; Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

3 c.3) Devolução de Restituição Indevida - IRPJ - Não Tributário; c.4) Devolução de Restituição Indevida - II - Não Tributário; c.5) Devolução de Restituição Indevida - IE - Não Tributário; c.6) Devolução de Restituição Indevida - ITR - Não Tributário; c.7) Devolução de Restituição Indevida - IPI - Não Tributário; c.8) Devolução de Restituição Indevida - IOF - Não Tributário; c.9) Devolução de Restituição Indevida - CSLL - Não Tributário; c.10) Devolução de Restituição Indevida - Cide - Não Tributário; c.11) Devolução de Restituição Indevida - PIS/Pasep - Não Tributário; e c.12) Devolução de Restituição Indevida - Contribuição Previdenciária - Não Tributário; d) Ato Declaratório Executivo Codac nº 26/ institui o código de receita R D Ativa - Contribuição para o Funttel. SAI LISTA DE BANCOS PARA DÉBITO DO IR A Receita Federal divulgou a lista dos bancos que os contribuintes poderão indicar para pagar, por meio de débito automático, as cotas do Imposto de Renda (IR) devido após a entrega das declarações deste ano. A lista dos 19 bancos é a seguinte: - Bancos do Brasil, da Amazônia, do Nordeste do Brasil, Santander (Brasil), Banestes, Alfa, do Estado do Pará, do Estado do Rio Grande do Sul, do Estado de Sergipe, de Brasília, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú Unibanco, Mercantil do Brasil, HSBC Bank Brasil, Safra, Citibank, Cooperativo Sicredi e ainda o Cooperativo do Brasil. Condição Para que o contribuinte possa optar pelo débito automático desde a 1ª cota (no caso de opção por mais de uma), a declaração do IR deste ano terá de ser entregue até as 23h59min59s do dia 31 deste mês. A Receita Federal informa que recebeu declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) O balanço considera os dados até as 16 horas de ontem. A expectativa do Fisco é de que as Declarações de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física superem 26 milhões este ano e assinalem um novo recorde. O período para remessa das declarações foi aberto em 1º de março e segue até 30 de abril. O contribuinte que recebeu R$ ,65 ou mais em 2012 terá, obrigatoriamente, de apresentar sua declaração à Receita. Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

4 ÁREA ESTADUAL DISCIPLINADOS OS CRITÉRIOS DE APURAÇÃO E A PERIODICIDADE DE DIVULGAÇÃO DA TAXA DE JUROS DE MORA Através da Resolução SF nº 21/ DOE SP de foram disciplinados os critérios de apuração e a periodicidade de divulgação da taxa de juros de mora incidente no pagamento de débitos fiscais. A taxa de juros será obtida por aproximação, buscando-se a equivalência entre o percentual de juros, acumulado linearmente para um período de 90 dias, e a taxa para operações de Vendor apurada em periodicidade diária, acumulada exponencialmente no mesmo intervalo. Essas novas disposições produzem efeitos desde , ficando revogada a Resolução SF nº 31/2012, que disciplinava o assunto. DIVULGADA RETIFICAÇÃO RELATIVA A PRAZOS PARA O REGISTRO DE EVENTOS DA NF-E Através do Ajuste Sinief nº 1/ DOU 1 de , ret. no de , o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) divulgou retificação relativa às tabelas do Anexo II, que trata dos prazos para o registro de eventos da NF-e, a que se refere o inciso II da cláusula segunda do Ajuste Sinief nº 1/2013, o qual altera o Ajuste Sinief nº 7/2005, que instituiu a NF-e e o Documento Auxiliar da NF-e (Danfe). Nas tabelas constantes da citada retificação, onde se lê Evento - Ciência da Operação, leia-se Evento - Ciência da Emissão. DIVULGADA PELO CONFAZ NOVA VERSÃO DO ROTEIRO DE ANÁLISE DO SAT RELATIVO À EMISSÃO DE CF-E-SAT Por meio do Despacho SE/Confaz nº 53/ DOU 1 de , foi atualizada a versão do Roteiro de Análise do SAT, referido no Manual de Registro de Modelo de Equipamento SAT, relativo ao Cupom Fiscal Eletrônico (CFe-SAT). O roteiro atualizado estará disponível no site do Confaz: identificado como "Roteiro_Analise_SAT_v_1_1_3.pdf". CONFAZ PUBLICA TABELAS DE ATRIBUTOS POR PERFIL DE REQUISITOS DO PAF-ECF Por meio do Despacho SE/Confaz nº 54/ DOU 1 de , foram publicadas as tabelas de atributos por perfil de requisitos do PAF-ECF e de perfis de requisitos por Unidade da Federação, de acordo com o disposto no art. 4º do Ato Cotepe/ICMS nº 9/2013, o qual dá nova disciplina ao PAF-ECF, com efeitos a partir de 1º ALTERADAS AS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E APROVADA A VERSÃO DO GUIA PRÁTICO DA EFD Por meio do Ato Cotepe/ICMS nº 14/ DOU 1 de , foi alterado o Ato Cotepe/ICMS nº 9/2008, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de arquivos da Escrituração Fiscal Digital (EFD), devendo ser observadas as orientações do Guia Prático da EFD, versão , publicado no Portal Nacional do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped). O Manual de Orientação do Leiaute da EFD passa a vigorar com as seguintes mudanças: a) incluído o registro C465 na Tabela Bloco C: Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

5 Obrigatoriedade do registro Perfil A Perfil B Perfil C Bloco Descrição Registro Nível Ocorrência Entrada Saída Entrada Saída Entrada Saída C Compleme nto do Cupom Fiscal C :1 N O (Se existir C460 e N N N N Eletrônico Emitido por ECF - CFe- COD_ MOD= 60) ECF (código 60). b) alteradas as redações: b.1) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C100 para "Documento - Nota Fiscal (código 01), Nota Fiscal Avulsa (código 1B), Nota Fiscal de Produtor (código 04), Nota Fiscal Eletrônica (código 55), Nota Fiscal Eletrônica ao Consumidor Final (código 65) ; b.2) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C190 para "Registro Analítico do Documento (códigos 01, 1B, 04, 55 e 65) ; b.3) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C400 para "Equipamento ECF (códigos 02, 2D e 60) ; b.4) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C405 para "Redução Z (códigos 02, 2D e 60)"; b.5) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C420 para "Registro dos Totalizadores Parciais da Redução Z (códigos 02, 2D e 60)"; b.6) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C460 para "Registro dos Totalizadores Parciais da Redução Z (códigos 02, 2D e 60)"; b.7) da coluna "Descrição" da Tabela Bloco C, do Registro C490 para "Registro Analítico do movimento diário (códigos 02, 2D e 60)"; b.8) da coluna "Nível" da Tabela Bloco D, do Registro D195 para "3"; b.9) da coluna "Nível" da Tabela Bloco D, do Registro D197 para "4"; b.10) da coluna "Obrigatoriedade do Registro (Todos contribuintes)" da T Bloco 1, dos Registros 1310, 1350, 1360 e 1370 para "O (Se existir o 1300)"; Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

6 c) incluídos os documentos fiscais na Tabela Tabela Documentos Fiscais do ICMS - relacionados a seguir: Código Descrição modelo 60 Cupom Fiscal Eletrônico CF-e-ECF Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final 65 d) alterada a redação da coluna "Descrição" da Tabela Tabela Situação do Documento", do código 04 para "NF-e, NFC-e ou CT-e denegado"; e) alterada a redação da coluna "Descrição" da Tabela Tabela Situação do Documento", do código 05 para "NF-e, NFC-e ou CT-e - Numeração inutilizada"; f) alterados os nomes: f.1) do Registro C100 para "NOTA FISCAL (CÓDIGO 01), NOTA FISCAL AVULSA (CÓDIGO 1B), NOTA FISCAL DE PRODUTOR (CÓDIGO 04), NF-e (CÓDIGO 55) e NFC-e (CÓDIGO 65); f.2) do Registro C190 para "REGISTRO ANALÍTICO DO DOCUMENTO (CÓDIGOS 01, 1B, 04 E, 55 e 65)"; f.3) do Registro C400 para "EQUIPAMENTO ECF (CÓDIGOS 02, 2D e 60); f.4) do Registro C405 para "REDUÇÃO Z (CÓDIGOS 02, 2D e 60)"; f.5) do Registro C420 para "REGISTRO DOS TOTALIZADORES PARCIAIS DA REDUÇÃO Z (CÓDIGOS 02, 2D e 60)"; f.6) do Registro C460 para "DOCUMENTO FISCAL EMITIDO POR ECF (CÓDIGOS 02, 2D e 60)". f.7) do Registro C490 para "REGISTRO ANALÍTICO DO MOVIMENTO DIÁRIO (CÓDIGOS 02, 2D e 60)"; g) alterado o nível hierárquico do Registro D195 para "3"; h) alterado o nível hierárquico do Registro D197 para "4"; i) alterado o tipo do campo 8 - SUB do Registro D500 para "C"; e j) acrescentado ao Manual de Orientação do Leiaute da EFD o seguinte registro: Registro C465: COMPLEMENTO DO CUPOM FISCAL ELETRÔNICO EMITIDO POR ECF - CF-e-ECF (CÓDIGO 60) Nº Campo Descrição Tipo Tamanho Dec 01 REG Texto fixo contendo "C465". C Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

7 02 CHV_CFE Chave do Cupom Fiscal Eletrônico 03 NUM_CCF Número do Contador de Cupom Fiscal N N ENTIDADES PAULISTAS DE EDUCAÇÃO PODERÃO RECEBER CRÉDITOS DA NOTA FISCAL PAULISTA Por meio da Lei nº / DOE SP de as entidades paulistas de educação, sem fins lucrativos, certificadas como entidades beneficentes, poderão ser indicadas como favorecidas com o crédito da Nota Fiscal Paulista, no caso de documento fiscal eletrônico que não indicar o nome do consumidor. Essa regra produzirá efeitos a partir da data a ser estabelecida em regulamentação. ICMS/SPED - DISPONIBILIZADA NO PORTAL DA NF-E A ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO, VERSÃO 1.05 Foi disponibilizada no Portal da NF-e a Orientação de Preenchimento da NF-e, versão 1.05, aprovada pelo Ato Cotepe/ICMS nº 7/2013, a qual abrange os seguintes tópicos: a) grupo ICMS na operação com diferimento parcial do imposto; b) dispensa da emissão da Declaração de Importação (DI), Declaração Simplificada de Importação (DSI) ou outro documento controlado pela Receita Federal do Brasil (RFB); c) transferência de crédito; d) NF-e Complementar; e) ressarcimento de substituição tributária (ST); f) venda de mercadoria a pessoa física estrangeira; g) mercadoria com unidade comercial diferente da unidade tributada; h) NF-e destinada à Zona Franca de Manaus (ZFM); e i) Simples Nacional. (Ato Cotepe/ICMS nº 7/2013; Orientação de Preenchimento da NF-e, versão Disponível em: Acesso em: ) Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

8 NOVA VERSÃO DO APLICATIVO TD-REDF (1.0.21) A Secretária da Fazenda do Estado de São Paulo (SEFAZ-SP) disponibilizou em sua página o aplicativo (1.0.21) para download do Transmissor de Dados para o Registro Eletrônico de Documento Fiscal (TD-REDF). A nova versão valida o envio de arquivos digitais contendo os dados da Nota Fiscal modelo 1 ou 1-A para fins do projeto Nota Fiscal Paulista. Para gerar os arquivos, o contribuinte deverá seguir as informações disponibilizadas no leiaute da Portaria CAT 102/07. ICMS/SPED - PRINCIPAIS ALTERAÇÕES NO GUIA PRÁTICO DA EFD VERSÃO A Seção 8 do Guia Prático da EFD, versão , de que trata o parágrafo único do art. 1º do Ato Cotepe/ICMS nº 9/2008, na redação dada pelo Ato Cotepe/ICMS nº 14/2013, relaciona as alterações deste Guia, dentre as quais constam: a) inclusão do documento Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final (NFC-e), Modelo 65, nos registros C100 e C190; b) alteração das regras para a retificação do arquivo da EFD-ICMS/IPI, conforme o Ajuste Sinief nº 11/2012; c) alteração do campo 8 do Registro D500 - para caracter; d) alterações do Ato Cotepe/ICMS nº 50/2012 (aprova a versão do Guia Prático da EFD e altera o Manual de Orientação do Leiaute da EFD - Anexo Único do Ato Cotepe/ICMS nº 9/2008); e e) campo 13 - Registro para Obrigatório. (Ato Cotepe/ICMS nº 9/2008, art. 1º, parágrafo único; Ato Cotepe/ICMS nº 14/2013; Guia Prático da EFD, versão , Seção 8). SISTEMA DA NOTA FISCAL PAULISTA TERÁ ACESSO RESTRITO DE 1º A 15 DE ABRIL As funcionalidades da opção "Conta Corrente" no sistema Nota Fiscal Paulista ficarão indisponíveis no período de 1º a 15 de abril. A medida é necessária para o processamento de três comandos do sistema: - Cancelamento dos créditos não resgatados da primeira liberação, ocorrida em abril de 2008, e que completam 5 anos em 1º de abril de 2013; - Liberação dos créditos referentes às compras realizadas no segundo semestre de 2012; - Carga dos prêmios do sorteio nº 53, referente ao mês de abril. As demais funções do site como o registro de reclamações, cadastramento e atualização de dados cadastrais, entre outras, permanecerão acessíveis aos consumidores no período. Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

9 ÁREA ESTADUAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DIVULGADOS ATOS SOBRE A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS, MATERIAL DE LIMPEZA E PERFUMARIA Por meio do Despacho SE/Confaz nº 52/ DOU 1 de , foi dada publicidade aos Protocolos ICMS nºs 30 a 32/2013, que dispõem sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios, cosméticos, perfumaria, artigos de higiene pessoal e de toucador e material de limpeza entre o Estado de Minas Gerais e o Distrito Federal, conforme segue: a) Protocolo ICMS nº 30/ dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios entre o Estado de Minas Gerais e o Distrito Federal, com efeitos a partir da data prevista em decreto do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais e do Distrito Federal; b) Protocolo ICMS nº 31/ dispõe sobre a substituição tributária nas operações com cosméticos, perfumaria, artigos de higiene pessoal e de toucador entre o Estado de Minas Gerais e o Distrito Federal, com efeitos a partir da data prevista em decreto do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais e do Distrito Federal; e c) Protocolo ICMS nº 32/ dispõe sobre a substituição tributária nas operações com material de limpeza entre o Estado de Minas Gerais e o Distrito Federal, com efeitos a partir da data prevista em decreto do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais e do Distrito Federal. PRORROGADA EM ALAGOAS A VIGÊNCIA DE PROTOCOLOS SOBRE A APLICAÇÃO DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Por meio do Despacho SE/Confaz nº 59/ DOU 1 de , foi dada publicidade sobre a aplicação no Estado de Alagoas, a partir de 1º , dos Protocolos ICMS nºs 129 e 131/2012, que alteram os Protocolos ICMS nºs 105 e 107/2008, os quais dispõem sobre a substituição tributária nas operações com materiais de limpeza e colchoaria. Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

10 ÁREA MUNICIPAL ISS/SÃO PAULO - INSTITUÍDA A DECLARAÇÃO DO PLANO DE SAÚDE A Instrução Normativa SF/Surem nº 1/ DOM São Paulo de foi instituída a Declaração do Plano de Saúde (DPS) e aprovado o respectivo aplicativo, a ser utilizado pelos prestadores de serviços de planos de saúde e congêneres referidos nos subitens 4.22 e 4.23 da lista de serviços, a partir do mês de julho/2013. A DPS deverá ser: a) utilizada para escrituração mensal dos documentos comprobatórios dos valores cobrados dos usuários dos serviços prestados e dos repasses a prestadores de serviços de saúde, para fins da apuração da base de cálculo do ISS devido mensalmente; e b) gerada até o dia 5 do mês seguinte ao da prestação dos serviços, no site Note-se que o recolhimento do ISS referente à DPS deverá ser efetuado exclusivamente por meio de documento de arrecadação emitido pelo aplicativo da declaração. EXPEDIÇÃO / DIVERSOS VEJA COMO ESCREVER UM DE TRABALHO CONVINCENTE No mundo corporativo os s são grandes aliados na comunicação. Contudo, para que você use a ferramenta de maneira proveitosa é necessário seguir algumas práticas. Convencer o seu contato do que você quer, por exemplo, não é uma tarefa fácil, ainda mais se você não pode vêlo frente a frente. Se você já passou por uma situação parecida, confira 5 dicas que podem ajudar a criar um e- mail convincente. 1. Marketing: pense no seu como uma ferramenta direta de marketing, que precisa chamar a atenção rapidamente e oferecer uma mensagem clara e concisa. Dê ao seu leitor motivos para continuar lendo. Isso pode ser feito por meio de várias práticas como criar um bom título para o campo de assunto, começar com o pensamento mais importante, evitar frases generalizadas, etc. 2. Intimidade: pense no como uma amizade: quanto mais você conhece a pessoa menos tem a necessidade de agir formalmente com ela. Lembre-se, no entanto, de manter os limites aceitáveis de formalidade, uma vez que se trata do ambiente de trabalho. Comece com s mais políticos e conforme você constrói uma relação com a pessoa se dê o luxo de eliminar certas formalidades que tomam tempo na correspondência eletrônica. 3. Vaidade: embora poucas pessoas tenham a coragem de admitir, todas são vaidosas nem que seja apenas um pouco. Aproveite-se disso para criar um realmente convincente. A melhor maneira de utilizar esse recurso é personalizar o . Seu destinatário vai adorar perceber que você dedicou tempo para construir um texto específico para ele, ao passo que se dar conta de que você usou apenas o famoso copia e cola pode deixá-lo irritado e displicente quanto ao que você tem a dizer. Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

11 4. Correção: se você quer credibilidade é necessário escrever com correção, especialmente falando de e- mails formais. Não corra o risco de enviar um com erros para os seus contatos, isso não vai convencer ninguém. Você não é obrigado a saber todas as palavras, mas é obrigado a procurar aquelas que o deixam na dúvida. Uma boa dica é usar o corretor ortográfico do seu programa de edição de texto. 5. Conversa: ainda que seja um formal, dê a ele um tom de conversa. Faça com que o seu contato se sinta conversando frente a frente com você. Quanto mais a vontade ele estiver com você, mais fácil será convencê-lo daquilo que você deseja. CFC - DEFINIDAS AS REGRAS PARA COBRANÇA DE MULTA POR AUSÊNCIA ÀS ELEIÇÕES DOS CRC Nos termos da Resolução CFC nº 1.436/ DOU 1 de , o contabilista que deixar de votar nas eleições dos Conselhos Regionais Contabilidade (CRC), sem causa justificada, estará sujeito à multa no valor correspondente a 30% da anuidade do técnico em contabilidade em vigor no exercício da realização da eleição. O contabilista que não comparecer à eleição terá o prazo de 30 dias para apresentar no sistema informatizado de votação a justificativa de sua falta, sendo consideradas justificativas para deixar de votar: a) ter impedimento legal ou de força maior; b) estar em enfermidade; c) estar em débito para com o CRC; d) ter completado 70 anos de idade; e) ser portador de registro provisório. Nas hipóteses referidas nas letras c a e supra, o contabilista que não comparecer à eleição fica dispensado de apresentar a justificativa por escrito, uma vez que esta será realizada de ofício. O prazo de 30 dias para a apresentação de justificativa será contado a partir do 1º dia útil seguinte ao término da eleição. O contabilista deverá justificar, através do sistema informatizado de votação, o motivo de sua ausência à eleição, que será analisado pelo CRC, o qual poderá requerer a juntada dos documentos necessários à comprovação da justificativa. O interessado será notificado da decisão, sendo-lhe facultada a interposição de recurso ao Plenário do CRC. O CRC, decorrido o prazo de 60 dias a contar do 1º dia útil seguinte ao término da eleição, procederá à cobrança conforme norma específica editada pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

12 TRABALHISTA DIVULGADA NOVA VERSÃO DO MANUAL DE ORIENTAÇÕES, RETIFICAÇÃO DE DADOS E DEVOLUÇÃO DE RECOLHIMENTOS A MAIOR DO FGTS Através da Circular Caixa nº 618/ DOU 1 de a Caixa Econômica Federal divulgou a versão 1.04 do "Manual de Orientações - Retificação de Dados, Transferência de Contas Vinculadas e Devolução de Valores Recolhidos a Maior", instituído pela Circular Caixa nº 462/2009, o qual define normas e procedimentos relativos às operações do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e serve como instrumento normativo, cabendo ao empregador observar as disposições nele contidas. A mencionada versão está disponível no site da Caixa, opção "Download - FGTS". TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES FEDERAIS - PRORROGADA A VIGÊNCIA DA MP QUE INSTITUI PACOTE DE MEDIDAS DE DESONERAÇÃO TRIBUTÁRIA Através do Ato do Congresso Nacional nº 16/ DOU 1 de foi prorrogado, por 60 dias, o prazo de vigência da Medida Provisória nº 601/2012, que promoveu novas alterações na legislação tributária, destinadas à desoneração tributária da indústria nacional, dentre as quais destacamos as seguintes: a) o Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras (Reintegra), instituído pelo art. 1º da Lei nº /2011, com o objetivo de reintegrar valores referentes a custos tributários federais residuais existentes nas suas cadeias de produção, que inicialmente seria aplicável às exportações realizadas até , será aplicável às exportações realizadas até ; b) foram alterados, com efeitos a partir de 1º , os arts. 4º e 8º da Lei nº /2004, que, entre outras providências, instituiu o regime especial de tributação aplicável às incorporações imobiliárias (Regime Especial Tributário do Patrimônio de Afetação), os quais passam a dispor, respectivamente, que: b.1) para cada incorporação submetida ao regime especial de tributação, a incorporadora ficará sujeita ao pagamento equivalente a 4% da receita mensal recebida, o qual corresponderá ao pagamento mensal unificado do seguinte imposto e contribuições constantes em "b.2" (anteriormente esse percentual era de 6%); e b.2) para fins de repartição de receita tributária, o percentual de 4% referido na letra b.1 será considerado: b.2.1) 1,71% como Cofins; b.2.2) 0,37% como contribuição para o PIS-Pasep; b.2.3) 1,26% como Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ); e b.2.4) 0,66% como Contribuição Social sobre o Lucro (CSL); c) foram alterados, com efeitos desde , os arts. 1º e 2º Lei nº /2011, que dispõem, respectivamente, sobre: c.1) a redução a zero da alíquota do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) incidente sobre os rendimentos definidos nos termos da alínea a", 2º, art. 81, da Lei nº 8.981/1995, quando pagos, creditados, entregues ou remetidos a beneficiário residente ou domiciliado no exterior, exceto em país que não tribute a renda ou que a tribute à alíquota máxima inferior a 20%, produzidos por: Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

13 c.1.1) títulos ou valores mobiliários adquiridos a contar de 1º , objeto de distribuição pública, de emissão de pessoas jurídicas de direito privado não classificadas como instituições financeiras; ou c.1.2) fundos de investimento em direitos creditórios constituídos sob a forma de condomínio fechado, regulamentados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), cujo originador ou cedente da carteira de direitos creditórios não seja instituição financeira; c.2) no caso de debêntures emitidas por sociedade de propósito específico, constituída sob a forma de sociedade por ações, e de cotas de emissão de fundo de investimento em direitos creditórios, constituídos sob a forma de condomínio fechado, relacionados à captação de recursos com vistas a implementar projetos de investimento na área de infraestrutura, ou de produção econômica intensiva em pesquisa, desenvolvimento e inovação, considerados como prioritários na forma regulamentada pelo Poder Executivo Federal, os rendimentos auferidos por pessoas físicas ou jurídicas residentes ou domiciliadas no País sujeitam-se à incidência do Importo de Renda, exclusivamente na fonte, às seguintes alíquotas: c.2.1) 0%, quando auferidos por pessoa física; e c.2.2) 15%, quando auferidos por pessoa jurídica tributada com base no lucro real, presumido ou arbitrado, pessoa jurídica isenta ou optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional); d) foram incluídos os 10 a 12 ao art. 3º da Lei nº 9.718/1998, os quais produzem efeitos a partir de 1º e dispõem, respectivamente, que: d.1) as pessoas jurídicas integrantes da Rede Arrecadadora de Receitas Federais (Rarf) poderão excluir da base de cálculo da Cofins o valor auferido em cada período de apuração como remuneração dos serviços de arrecadação de receitas federais, dividido pela alíquota de 4%, prevista no art. 18 da Lei nº /2003; d.2) caso não seja possível fazer a exclusão de que trata a letra d.1 na base de cálculo da Cofins referente ao período em que tiver sido auferida a remuneração, o montante excedente poderá ser excluído da base de cálculo da contribuição devida nos períodos subsequentes; d.3) a Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) disciplinará o disposto nas letras d.1 e d.2, inclusive quanto à definição do valor auferido como remuneração dos serviços de arrecadação de receitas federais. PRORROGADA VIGÊNCIA DA MP QUE INTEGRA ALGUNS SETORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO O Ato do Presidente do CN nº 16/ DOU 1 de prorrogou por 60 dias a Medida Provisória nº 601/2012, a qual determinou que a partir de 1º e até as empresas do setor da construção civil enquadradas nos grupos 412, 432, 433 e 439 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) 2.0 contribuirão com a alíquota de 2% sobre o valor da receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previdenciárias de 20% sobre o total da folha de pagamento de empregados, avulsos e contribuintes individuais. A referida norma estabeleceu ainda que, a partir da mesma data, contribuirão com a alíquota de 1% sobre a mesma base de cálculo e em substituição às mesmas contribuições alguns setores do comércio varejista, tais como de livros, jornais, revistas, e alguns especializados em equipamentos e suprimentos de informática. PREVIDENCIÁRIA - LANÇAMENTO DE VALORES DECORRENTES DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS RURAIS NA SEFIP OBSERVA NOVAS REGRAS Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

14 A Receita Federal do Brasil (RFB) disciplinou através da Instrução Normativa RFB nº 1.338/ DOU 1 de o lançamento dos valores relativos às receitas decorrentes de exportação de produtos rurais alcançadas pela não incidência da contribuição previdenciária no Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip), conforme segue: a) quando, no campo "Comercialização da Produção - Pessoa Jurídica" ou no campo "Comercialização da Produção - Pessoa Física", forem declaradas somente receitas decorrentes de exportação de produtos rurais, a soma dos valores da contribuição patronal previdenciária calculados pelo Sefip e demonstrados no campo "Comprovante de Declaração das Contribuições a Recolher à Previdência Social", nas linhas "Comercialização Produção" e "RAT" da coluna FPAS 744, deverá ser lançada, no campo "Compensação", para efeitos da geração correta de valores devidos em Guia de Previdência Social (GPS); b) quando, no campo "Comercialização da Produção - Pessoa Jurídica" ou no campo "Comercialização da Produção - Pessoa Física", forem declaradas receitas decorrentes e não decorrentes de exportação de produtos rurais, deverá ser lançado, no campo "Compensação", somente o valor da contribuição previdenciária sobre a receita decorrente de exportação de produtos rurais, que deverá ser apurado à parte pelo declarante; c) os campos "Período Início" e "Período Fim" devem ser preenchidos com a mesma competência da GFIP/Sefip; d) a dedução da compensação na GPS deverá ser feita primeiramente nos códigos de GPS referentes ao FPAS principal da empresa (2003, 2100, 2208, 2402 e 2429) e posteriormente nos códigos de GPS referentes ao FPAS 744 (2607, 2704 e 2437); e) a não incidência da contribuição não se aplica à contribuição devida ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); f) o valor calculado pelo Sefip a título do Senar não deverá ser lançado no campo compensação, sendo devido o seu recolhimento. AMPLIAÇÃO DOS DIREITOS TRABALHISTAS DA EMPREGADA DOMÉSTICA FOI APROVADA NO SENADO O Senado aprovou, em segunda votação, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que aumenta os direitos trabalhistas da empregada doméstica, a qual deverá ser promulgada no dia 02 de abril, quando então passará a vigorar. A nova legislação concede aos trabalhadores domésticos (babá, governanta, cozinheira, caseiro, jardineiro, motorista particular etc.) vários novos direitos, tais como: jornada de 8 horas, hora extra, FGTS obrigatório, auxílio-babá, salário-família, adicional noturno etc). Alguns destes direitos entram em vigor a partir da publicação da nova lei, outros, porém, ainda ficarão na dependência de regulamentação. - Salário Maternidade DOCUMENTOS PARA A SOLICITAÇÃO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS O artigo 93 do Decreto 3.048/99 dispõe que o salário-maternidade é devido à segurada da previdência social, durante cento e vinte dias, com início vinte e oito dias antes e término noventa e um dias depois do parto. No caso de empregada adotante, o benefício previdenciário será pago diretamente pela Previdência Social, conforme artigo 93-A do Decreto em comento. Segurada Desempregada documentos exigidos a) Original e cópia da Certidão de Nascimento da criança ou Atestado Médico original nos casos de aborto espontâneo; b) Documento de Identificação da requerente (Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social, entre outros); Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

15 c) Cópia e original da Certidão de Casamento, se for o caso, quando houver divergência no nome da requerente; d) Cadastro de Pessoa Física CPF; e) Declaração: Na Agência da Previdência Social (APS) a segurada deverá preencher documento informando a forma de extinção do contrato de trabalho. Empregada Adotante documentos exigidos a) Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/PASEP); b) Atestado Médico original ou original e cópia da Certidão de Nascimento da criança; c) Documento de identificação da requerente (Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social, entre outros); d) Cópia e original da Certidão de Casamento, se for o caso, quando houver divergência no nome da requerente; e) Cadastro de Pessoa Física CPF; f) Certidão de Nascimento da criança ou Guarda Judicial para fins de adoção (original e cópia). Empregada Doméstica documentos exigidos a) Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/PASEP); b) Atestado Médico original ou original e cópia da Certidão de Nascimento da criança; c) Carteira de Trabalho e Previdência Social; d) Cópia e original da Certidão de Casamento, se for o caso, quando houver divergência no nome da requerente; e) Cadastro de Pessoa Física - CPF do Empregador(a); f) Cadastro de Pessoa Física - CPF da requerente. Caso haja necessidade de regularizar dados do Cadastro Nacional de Informações Sociais- CNIS, a segurada deverá apresentar todos os comprovantes de recolhimento à Previdência Social (guias e carnês de recolhimento). - PENSÃO POR MORTE Pensão por morte é o benefício pago aos dependentes do segurado da Previdência Social que falecer, ou seja, é um benefício pago mensalmente aos dependentes do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou companheiro, em caso de morte. Visa fornecer à família do segurado falecido, a manutenção do rendimento para que possam promover o sustento próprio, de acordo com o disposto no artigo 201, V da Constituição Federal de Dependente Esposo/Companheiro documentos exigidos a) Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/PASEP); b) Documento de Identificação; c) Cadastro de Pessoa Física CPF; d) Certidão de Casamento Civil, se esposo (a); e) Certidão de sentença que assegure direito à pensão alimentícia, se divorciado (a) ou separado (a) judicialmente; No caso de Companheiro, deverá apresentar prova de União Estável, mediante apresentação de, no mínimo, três dos seguintes documentos (art. 22, 3º do Decreto 3.048/99): Declaração de Imposto de Renda do segurado, em que conste o interessado como seu dependente; Disposições testamentárias; Declaração especial feita perante Tabelião (escritura pública declaratória de dependência econômica); Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

16 Prova de mesmo domicílio; Certidão de Nascimento filho havido em comum; Certidão de Casamento Religioso; Prova de encargos domésticos evidentes e existência de sociedade ou comunhão nos atos de vida civil; Procuração ou fiança reciprocamente outorgada; Conta bancária conjunta; Registro em associação de qualquer natureza onde conste o interessado como dependente do segurado; Apólice de seguro na qual conste o segurado como instituidor do seguro e a pessoa interessada como sua beneficiária; Ficha de tratamento em instituição de assistência médica da qual conste o segurado como responsável; Escritura de compra e venda de imóvel pelo segurado em nome do dependente; Quaisquer outros documentos que possam levar à convicção do fato a comprovar. Dependente Filhos(as) documentos exigidos a) Certidão de Nascimento; b) Comprovação de invalidez atestada por exame médico-pericial a cargo do INSS, para os maiores de 21 (vinte e um) anos de idade; c) Documento de Identificação, caso seja o requerente ou maior de 21 anos; d) Cadastro de Pessoa Física - CPF, caso seja o requerente; e) Declaração do requerente na qual conste que o dependente menor de 21 (vinte e um) anos de idade não é emancipado (a emancipação aqui referida não inclui aquela decorrente de colação de grau em ensino superior); f) Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/PASEP). - AUXÍLIO RECLUSÃO O benefício do auxílio reclusão será devido aos dependentes do segurado recolhido à prisão que não receber remuneração da empresa nem estiver em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço, ou seja, quando não houver salário-de-contribuição na data do seu efetivo recolhimento à prisão, desde que mantida a qualidade de segurado. Dependente Esposo(a)/Filhos documentos exigidos a) Número de Identificação do Trabalhador NIT (PIS/PASEP); b) Documento que comprove o efetivo recolhimento à prisão, emitido por autoridade competente, que deverá ser renovado a cada trimestre; c) Menor recluso: certidão do despacho de internação e atestado de efetivo recolhimento a órgão subordinado ao Juiz da Infância e da Juventude; d) Documento de Identificação (Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social, entre outros); e) Cadastro de Pessoa Física CPF; f) Declaração da empresa a qual o segurado estiver vinculado (se empregado) que comprove que o segurado não está recebendo remuneração da mesma. Caso haja necessidade de regularizar dados do Cadastro Nacional de Informações Sociais- CNIS,deverá ser apresentada Carteira de Trabalho e Previdência Social ou outro documento que comprove o exercício de atividade e/ou tempo de contribuição. Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

17 CORRETORA DE SEGUROS AUTOGLASS INOVA AO OFERECER O SERVIÇO DE PROTEÇÃO DE PARA-CHOQUE AOS SEGURADOS TOKIO MARINE Serviço inédito no mercado já está disponível aos clientes do Rio de Janeiro e Espírito Santo que possuem apólices de automóvel com serviço completo de vidros Atenta às necessidades dos clientes, a Autoglass mais uma vez inova ao lançar no mercado o serviço de proteção de para-choque aos segurados da Tokio Marine, nos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, que contratam a apólice de seguro auto com o serviço completo de vidros.o serviço ainda está em projeto piloto e disponível exclusivamente para as apólices da companhia com inicio de vigência a partir de 16 de outubro de A empresa especializada no reparo e instalação do vidro automotivo, faróis, lanternas e acessórios em todo o País oferece o novo serviço para o reparo de trincas, amassados, perfurações e deformações no para-choque de qualquer modelo de automóvel. De acordo com o superintendente executivo de serviços da Autoglass, Eduardo Borges, a proteção do parachoque é a evolução do serviço de proteção a vidros. Seguindo o espírito inovador que a Autoglass sempre teve, já agregamos à cobertura convencional de vidros outros serviços como a proteção aos retrovisores, faróis e lanternas para motos, faróis de milha, vidro residencial, pneus para veículos blindados e agora oferecemos mais esse diferencial. Segundo Borges, o para-choque é um item que tem sinergia com o farol, lanterna e farol de milha, e com o novo serviço, a Autoglass atenderá àqueles casos em que o sinistro fica abaixo da franquia e o segurado acaba custeando a manutenção do veículo. Para acionar o serviço, basta que o segurado Tokio Marine entre em contato com a central de atendimento da Tokio Marine ( ) sendo direcionado à loja mais próxima da rede ou ao estabelecimento credenciado para fazer o reparo e a pintura da peça. SULAMÉRICA LANÇA CARTILHA ONLINE PARA AUXILIAR CONTRIBUINTE NA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA A SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos acaba de lançar uma cartilha online com dicas e orientações para os contribuintes esclarecerem suas dúvidas durante o período de declaração de Imposto de Renda, que vai até 30 de abril. O conteúdo foi criado com propósito de fomentar a educação financeira da população. Com linguagem concisa e acessível, as primeiras páginas do manual explicam quem deve fazer a declaração, os prazos, qual tipo de declaração mais adequado para cada pessoa, e implicações e multas em caso de atraso na entrega. As demais se concentram em orientar contribuinte a declarar seu plano de previdência privada de acordo com o tipo do plano (VGBL ou PGBL). A leitura da cartilha possibilita ainda o entendimento sobre o regime tributário e a natureza das operações (contribuições, resgates ou recebimento de benefícios/indenizações). As ilustrações ajudam o usuário a identificar os campos para declarar as contribuições realizadas e os valores de resgate e benefícios de previdência recebidos em Além disso, os internautas que visitarem o site Previdência Sem Blá Blá Blá encontrarão um conteúdo atualizado sobre o tema Como declarar meu plano de previdência no IR 2013?. Contribuir com a educação financeira tem sido uma preocupação constante da SulAmérica. Em 2011, a companhia lançou o site Previdência sem Blá Blá Blá, um portal com vídeos que apresenta o tema de maneira descomplicada e bem-humorada. Só no ano passado o portal teve mais de 500 mil acessos. Agora, a empresa lançou a cartilha sobre Imposto de Renda, a fim de fomentar a formação de consumidores mais conscientes e preparados para cuidar de suas finanças e escolher os investimentos mais adequados ao seu perfil. Para acessar: Cartilha IR Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

18 Previdência sem blá blá blá SEGURO-VIAGEM EVITA PROBLEMAS NA HORA DO IMPREVISTO Segundo pesquisa do Ministério do Turismo realizada no início do ano com 2 mil habitantes de Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, mais de 68% de pessoas pretendem viajar para estados brasileiros e 23% para outros países em Nesse universo dos turistas é bom lembrar que imprevistos também acontecem em viagens, inclusive aqueles relacionados a problemas físicos e a procura por médicos costuma ter custo elevado, principalmente fora do Brasil. Portanto, antes de embarcar para uma viagem internacional é fundamental que se contrate um seguro-viagem para garantir segurança e comodidade. Vale ressaltar que os 27 países europeus que integram o Tratado de Schengen exigem que o turista tenha um seguro-viagem com cobertura mínima de 30 mil euros. As seguradoras apresentam planos de seguro de viagem específicos para permitir a entrada na Europa. Para viajar para Cuba também é obrigatório ter seguro-viagem, que pode ser comprado antes de embarcar ou no próprio aeroporto. Já o governo da Austrália exige que estudantes de intercâmbio tenham o seguro-saúde Overseas Students Health Cover (OSHC). CONFIDENCE CONS. AUD. PER. CONT. LTDA 01/04/2013 Rua Leocádia Cintra, 86 Móoca São Paulo - SP - CEP Tel. (011)

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011.

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. INFORMATIVO MENSAL Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. I FEDERAL IPI - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE A SUSPENSÃO DO IMPOSTO NA EXPORTAÇÃO

Leia mais

Datamace informática Ltda. 0

Datamace informática Ltda. 0 06/2012 EXTRAORDINÁRIO Bl. 06/2012 OBSERVE A PRINCIPAL INFORMAÇÃO E/OU ALTERAÇÃO LEGAL OCORRIDA NESTE PERÍODO QUE PODERÁ TER IMPACTO EM SUAS ATIVIDADES: EFD Contribuições Lucro Presumido Página 2 Desoneração

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 37/2014 3ª SEMANA SETEMBRO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 37/2014 3ª SEMANA SETEMBRO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 37/2014 3ª SEMANA SETEMBRO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014 Até dia Obrigação 3 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.11.2014,

Leia mais

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7. Clique e veja o compromisso do dia.

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7. Clique e veja o compromisso do dia. Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA à SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte.

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte. SPED O Sistema Público de Escrituração Digital, mais conhecido como Sped, trata de um projeto/obrigação acessória instituído no ano de 2007, através do Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007. É um

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS. Período de 01.01 a 31.01.2016

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS. Período de 01.01 a 31.01.2016 033 18/12/2015 1 de 14 DIA 04 1.ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Recolhimento do ICMS/ Substituição Tributária correspondente a fatos geradores ocorridos no mês de outubro/2015 pelas empresas cujas autopeças,

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/01/2013. Sumário: 1 - Introdução

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015 Neste bip Participação nos Lucros e Resultados... Rescisão Complementar... 1 DIRF 2015... 2 Novas Alterações Trabalhistas e Previdenciárias... 3 EFD ICMS-IPI... 4 Nova Tabela de INSS e Salário Família...

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 10/2015 2ª SEMANA MARÇO DE 2015

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 10/2015 2ª SEMANA MARÇO DE 2015 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 10/2015 2ª SEMANA MARÇO DE 2015 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 20/08/2014. Sumário: 1 - Introdução 2 - Conceito 3 - Opção

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

Elaborado e apresentado por:

Elaborado e apresentado por: A CONSTRUÇÃO CIVIL E AS REGRAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE - ALTERAÇÕES CONTÁBEIS E TRIBUTÁRIAS: LEIS 11.638/2007, 11.941/2009 e 12.973/2014 UMA VISÃO CONTÁBIL E TRIBUTÁRIA Elaborado e apresentado

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1.1. O que é O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido previsto na Lei Complementar nº 123, de 2006, aplicável

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária Todo(a) brasileiro(a), a partir de 16 anos de idade, pode filiar-se à Previdência Social e pagar mensalmente a contribuição para assegurar os seus direitos e a proteção à sua família. Vejamos com isso

Leia mais

QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O. São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS!

QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O. São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS! QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 www.qsm.com.br ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS! O fato de mudarmos de ano nos faz revigorados e prontos para novos

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS Data Vencimento 07 (quinta-feira) 15 Obrigação Salário- Maternidade Salário-Família Folha de Pagamento Código Receita 1007 1163 Fato Gerador e Fundamento Legal Parto e aborto espontâneo, conforme certidão

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO DE ABRIL DE 2012

BOLETIM INFORMATIVO DE ABRIL DE 2012 BOLETIM INFORMATIVO DE ABRIL DE 2012 S U M Á R I O 1 - MATÉRIAS FEDERAIS 1 2 - MATÉRIAS ESTADUAIS 3 3 - MATÉRIAS MUNICIPAIS 3 4 - MATÉRIAS TRABALHISTAS 4 5 - MATÉRIAS DIVERSAS 5 1 - MATÉRIAS FEDERAIS ENTREGA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI) 04/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Contratação de Empregado... 7 3.2 Cessão ou Locação de Mão-de-Obra... 7

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 07/2015 3ª SEMANA FEVEREIRO DE 2015

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 07/2015 3ª SEMANA FEVEREIRO DE 2015 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 07/2015 3ª SEMANA FEVEREIRO DE 2015 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

TUTORIAL LUCRO PRESUMIDO BLOCO 0 ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

TUTORIAL LUCRO PRESUMIDO BLOCO 0 ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) TUTORIAL LUCRO PRESUMIDO BLOCO 0 ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) A Escrituração Contábil Fiscal (ECF) é uma nova obrigação imposta às pessoas jurídicas estabelecidas no Brasil. O sujeito passivo deverá

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal EFD Contribuições Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo EFD Contribuições, que faz parte do Bloco Contábil e Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 PIS/COFINS EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO 2. CERTIFICADO DIGITAL 3. OBRIGATORIEDADE 3.a Dispensa de Apresentação da EFD-Contribuições

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES SETEMBRO/2015

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES SETEMBRO/2015 CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES SETEMBRO/2015 03.09 (5ª feira) - IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte, correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 20/2014 3ª SEMANA MAIO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 20/2014 3ª SEMANA MAIO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 20/2014 3ª SEMANA MAIO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014

INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014 Novo Hamburgo, 14 de novembro de 2014. INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014 Foi publicada hoje, no Diário Oficial, a Lei nº 13.043/2014, resultante da conversão,

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014:

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS ABRIL/2014 03/Abril. 5ª Feira. IOF - Imposto sobre Operações Financeiras. Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de Março/2014: - Operações

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES NOVEMBRO/2015

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES NOVEMBRO/2015 CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES NOVEMBRO/2015 05.11 (5ª feira) - IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte, correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.10.2015, incidente sobre

Leia mais

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009.

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009. M.E.I. (Micro empreendedor Individual) Lei Complementar numero 128 de 19 de dezembro de 2008. Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014.

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. Regulamenta a Lei nº 1.775, de 10 de junho de 2014, dispondo sobre o modelo, requisitos, emissão e cancelamento da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e, institui

Leia mais

CLIPPING INFORMATIVO DESTAQUES 29/10 a 07/11/2013 LEGISLAÇÃO

CLIPPING INFORMATIVO DESTAQUES 29/10 a 07/11/2013 LEGISLAÇÃO CLIPPING INFORMATIVO DESTAQUES 29/10 a 07/11/2013 LEGISLAÇÃO Decreto nº 8.138, de 06.11.2013 DOU de 07.11.2013 - Dispõe sobre os bens destinados à pesquisa e à lavra de jazidas de petróleo e gás natural

Leia mais

Trabalhador avulso, segurado especial e segurado empregado, à exceção do doméstico pensão por acidente do trabalho

Trabalhador avulso, segurado especial e segurado empregado, à exceção do doméstico pensão por acidente do trabalho Previdência social Benefícios Documentação específica, por categoria Pensão por acidente do trabalho trabalhador avulso, segurado especial e segurado empregado, à exceção do doméstico Esposo(a) ou companheiro

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP SPED, ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD E OS DOCUMENTOS ELETRÔNICOS 2007/2008 Programa: - Sistema Público de Escrituração Digital - SPED - Escrituração Fiscal Digital - EFD - Documentos Eletrônicos do SPED:

Leia mais

Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD. Luiz Campos

Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD. Luiz Campos Funcionalidades da Escrituração Fiscal Digital EFD Revisão dos Fundamentos da EFD Caso Prático EFD Luiz Campos 1 QUEM ESTÁ OBRIGADO À APRESENTAÇÃO DA EFD A cláusula terceira do Ajuste SINIEF 2, de 3 de

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 3 IRRF Salário de Agosto de 2015 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra

Leia mais

Memorando Construção Civil e Instalações

Memorando Construção Civil e Instalações Memorando Construção Civil e Instalações Desoneração da Folha de Pagamento Setembro de 2013 Publicada em 19 de julho, a nova Lei nº 12.844, alterando a Lei nº 12.546, ampliou de forma definitiva o rol

Leia mais

INFORMATIVO. Dispensa de IR sobre as contribuições do participante de 01/01/89 a 31/12/95

INFORMATIVO. Dispensa de IR sobre as contribuições do participante de 01/01/89 a 31/12/95 INFORMATIVO Dispensa de IR sobre as contribuições do participante de 01/01/89 a 31/12/95 Este informativo tem o propósito de orientar as associadas sobre as principais questões atinentes aos procedimentos

Leia mais

CAPÍTULO V COFINS CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL

CAPÍTULO V COFINS CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL CAPÍTULO V COFINS CONTRIBUIÇÃO PARA FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL Criada pela Lei Complementar nº 70/91, esta contribuição sofreu importantes alterações a partir da competência fevereiro de 1999,

Leia mais

Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015

Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015 Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015 Dia: 13 CIDE - Combustíveis - 9331 Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a comercialização de petróleo e seus derivados, gás

Leia mais

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO?

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? É a substituição da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre o salário de contribuição dos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS DE ATÉ R$ 6.000,00. QUAIS SÃO AS REGRAS?

A PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS DE ATÉ R$ 6.000,00. QUAIS SÃO AS REGRAS? PESSOAL ISENÇÃO DE IR SOBRE A PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS DE ATÉ R$ 6.000,00. QUAIS SÃO AS REGRAS? A Medida Provisória nº 597, publicada no DOU Edição Extra do dia 26/12/2012, deu nova redação

Leia mais

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez ECF /CF-e SAT Alterações para 2014 Elisangela Marques Perez PALESTRANTE ELISANGELA MARQUES PEREZ Contadora e consultora tributária, com mais de 14 anos de experiência na área fiscal, especializada em tributos

Leia mais

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ANEXO 18 REVOGADO OS ARTIGOS 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 8º-A pela RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA 10/11 de 14.12.11. Alteração: Resolução Administrativa nº 03/2015 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Acrescentado

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS O empregador deve efetuar o pagamento de salários aos empregados até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao vencido.

Leia mais

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Como trabalhamos? no passado a pouco tempo Daqui para frente ECD Escrituração Contábil Digital IN RFB 787/07 O que é? : É a substituição

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI -

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - Os candidatos pré-selecionados devem entrar em contato com o SAE (Serviço de Assistência ao Estudante) para agendar a entrevista. Telefone: 35-3299-3044 Segue abaixo a relação

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014 Dia: 01 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista - TRR O Transportador Revendedor

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição SUMÁRIO 1. Introdução 2. Definição 3. Contribuintes Obrigados à EFD 3.1. Contribuintes optantes pelo SIMPLES Nacional ou Microempreendedor Individual (MEI) 4. Livros Fiscais 5. Contribuintes Obrigados

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 DOU de 26.12.2005 Dispõe sobre a tributação dos planos de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguros de vida com cláusula de cobertura

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 206, DE 6 DE AGOSTO 2004. Altera a tributação do mercado financeiro e de capitais, institui o Regime Tributário

Leia mais

CIRCULAR Medida Provisória 252/05

CIRCULAR Medida Provisória 252/05 CIRCULAR Medida Provisória 252/05 A Medida Provisória 252/05, publicada no Diário Oficial em 16 de junho de 2005, instituiu regimes especiais de tributação, alterou parte da legislação de Imposto de Renda,

Leia mais

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014

IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 IRPF 2014 CARTILHA IR 2014 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 5 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.10.2015,

Leia mais

IRPF 2012 Cartilha IR 2012

IRPF 2012 Cartilha IR 2012 IRPF 2012 Cartilha IR 2012 A MAPFRE Previdência desenvolveu para os participantes de plano de previdência complementar PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), FGB Tradicional (Fundo Gerador de Benefício)

Leia mais

Roteiro dos documentos a serem anexados ao Formulário de Solicitação das Prestações de Benefícios BR/PT 07

Roteiro dos documentos a serem anexados ao Formulário de Solicitação das Prestações de Benefícios BR/PT 07 Acordo de Previdência Social entre a República Federativa do Brasil e a República Portuguesa Roteiro dos documentos a serem anexados ao Formulário de Solicitação das Prestações de Benefícios BR/PT 07 1

Leia mais

www.sistemafaep.org.br

www.sistemafaep.org.br www.sistemafaep.org.br www.receita.fazenda.gov.br www.fazenda.pr.gov.br O que é a Nota Fiscal de Produtor Rural 1. NOTA FISCAL DE PRODUTOR RURAL (NFP) É o documento obrigatório para acompanhar a produção

Leia mais

ISSQN - Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - Mês 12/2014.

ISSQN - Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - Mês 12/2014. ICMS relativo às operações em que exige a NF de Entrada. 05/01(2ª Feira) Data de recolhimento do imposto relativo às operações de entrada de mercadoria nos casos em que se exige a emissão da nota fiscal

Leia mais

TRIBUTÁRIO EM FOCO # Edição 12

TRIBUTÁRIO EM FOCO # Edição 12 TRIBUTÁRIO EM FOCO # Edição 12 Dezembro de 2012 / Janeiro 2013 NOVIDADES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA IOF - OPERAÇÕES DE CÂMBIO - EMPRÉSTIMO EXTERNO - ALÍQUOTA - ALTERAÇÃO DO PRAZO MÉDIO MÍNIMO - DECRETO Nº

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Até: Quarta-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de abril/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF)

Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF) Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF) José Jayme Moraes Junior Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Supervisor Nacional da ECD e da ECF Escrituração Contábil Digital

Leia mais

O Desafio da simplificação FIESP 26/9/2013. Secretaria da Fazenda - SP. JOSÉ CLOVIS CABRERA Coordenador da Administração Tributária

O Desafio da simplificação FIESP 26/9/2013. Secretaria da Fazenda - SP. JOSÉ CLOVIS CABRERA Coordenador da Administração Tributária O Desafio da simplificação FIESP 26/9/2013 Secretaria da Fazenda - SP JOSÉ CLOVIS CABRERA Coordenador da Administração Tributária Processo de Arrecadação Fluxo Geral da Arrecadação Processo de Arrecadação

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS Este documento é de caráter meramente

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

NF-e Nota Fiscal Eletrônica

NF-e Nota Fiscal Eletrônica NF-e Nota Fiscal Eletrônica Através do FórmulaCerta é possível efetuar o envio da Nota Fiscal Eletrônica, mas para fazer uso desta rotina é necessário efetuar algumas configurações para realizar esta tarefa.

Leia mais

SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS

SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS SINTEGRA + DPI + LIVROS FISCAIS EM PAPEL + OUTROS Coordenação do SPED FISCAL Página 1 de 38 ÍNDICE Apresentação...4 Agradecimentos...6 O que é Escrituração Fiscal Digital (EFD)?...7 Quem está obrigado

Leia mais

Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF?

Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF? Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF? Sim. A legislação da DIRF, Instrução Normativa n 1.406, de 23 de outubro de 2013, coloca como pessoa jurídica

Leia mais

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40. Vitória/ES, 23 de fevereiro de 2013. ORIENTAÇÕES PARA DECLARAÇÃO DO IRPF 2013 A partir do dia 1º março a Receita Federal começa a receber a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped.

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. 001 O que é a EFD-Contribuições? A EFD-Contribuições é a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição

Leia mais

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) Fonte: elaboração própria abril de 2013 EMENTA: CONTEXTO LEGISLATIVO. OS PRINCIPAIS SETORES. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SUBSTITUÍDAS. CRITÉRIO

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Outubro 2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Outubro 2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Outubro 14 Data Tributos Descrição 03 03 IOF COMPROVANTE MENSAL DE RETENÇÃO DA PARA O PIS/PASEP E DA COFINS - AUTOPEÇAS 03 IR/FONTE 06 SALÁRIOS

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 28/2014 2ª SEMANA JULHO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 28/2014 2ª SEMANA JULHO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 28/2014 2ª SEMANA JULHO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

IOF-Imposto sobre Operação Financeira de 21 a 31/08/2015. * Operações de crédito - Pessoa Jurídica 1150 * Operações de crédito - Pessoa Física 7893

IOF-Imposto sobre Operação Financeira de 21 a 31/08/2015. * Operações de crédito - Pessoa Jurídica 1150 * Operações de crédito - Pessoa Física 7893 IOF-Imposto sobre Operação Financeira de 21 a 31/08/2015. * Operações de crédito - Pessoa Jurídica 1150 * Operações de crédito - Pessoa Física 7893 03/09 (5ª Feira) * Operações de câmbio - Entrada de Moeda

Leia mais

GFIP/SEFIP GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social) transmitida via Conectividade Social - referente ao mês

GFIP/SEFIP GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social) transmitida via Conectividade Social - referente ao mês 04/03 (4ª Feira) IR Retido na Fonte - Fato Gerador - 21 a 28/02/2015. IRRF - Juros sobre Capital Próprio e Aplicações Financeiras, Prêmios e outros rendimentos de Capital - pagamento ou crédito. IOF -

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Até: Segunda-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de março/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e

MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e 130729 SUMÁRIO EMISSÃO DE NFS-E... 2 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA... 2 ACESSANDO O SISTEMA... 2 ACESSO AO SISTEMA... 3 SELEÇÃO DA EMPRESA... 4 CONFERÊNCIA DOS DADOS E EMISSÃO

Leia mais

Informativo Março/2015 edição 19. A partir do dia 02 de março do corrente ano, os

Informativo Março/2015 edição 19. A partir do dia 02 de março do corrente ano, os Informativo Março/2015 edição 19 DIRPF2015 A partir do dia 02 de março do corrente ano, os contribuintes poderão entregar suas declarações do Imposto de Renda 2015, até o dia 30 de abril de 2015. É importante

Leia mais

Informe Contfisco IMPORTANTE

Informe Contfisco IMPORTANTE Contfisco Empresa de Contabilidade Ltda MARÇO/2014 Informe Contfisco Nada do Vivemos tem sentido, se não tocarmos o Coração das Pessoas Cora Coralina Parabéns a todas as mulheres pelo Dia Internacional

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio Data: 01/08/2006 01 - CONCEITOS? 1.01.

Leia mais

ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº - 99,

ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº - 99, ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº - 99, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011(DOU de 02/01/2012) Dispõe sobre o preenchimento da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), em relação a fatos geradores

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) (Ajuste SINIEF 07/05) Estado de Santa Catarina 7º Congresso de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais Florianópolis SC 15/04/2011

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS - EQUALIZAÇÃO DE ALÍQUOTAS DECRETOS nºs 442/2015 E 953/2015 ÍNDICE

PERGUNTAS E RESPOSTAS - EQUALIZAÇÃO DE ALÍQUOTAS DECRETOS nºs 442/2015 E 953/2015 ÍNDICE PERGUNTAS E RESPOSTAS - EQUALIZAÇÃO DE ALÍQUOTAS DECRETOS nºs 442/2015 E 953/2015 (Versão 2.0-21/09/2015) ÍNDICE 1. AUTORREGULARIZAÇÃO, CONCEITO. O que é autorregularização? 2. BASE LEGAL. Qual a base

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais