MELHOR CIDADE. Em busca da. Análises, ideias e soluções para os Municípios do Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MELHOR CIDADE. Em busca da. Análises, ideias e soluções para os Municípios do Brasil"

Transcrição

1 A l d a M a r c o A ntônio, A l e k s a n d a r M a n d i c, A l ex a n d re S c h n e i d e r, Antônio Moreno Neto, Eleuses Paiva, Fábio Feldmann, Gilberto Kassab, I n d i o d a C o s t a, M a r c e l S o l i m e o, M a r c o s C i n t r a, P a u l o S i m ã o, Reinhold Stephanes, Ricardo Patah, Samuel Hanan, Tulio Kahn, Ulisses Gamboa Coordenação - Guilherme Afif Em busca da MELHOR CIDADE Análises, ideias e soluções para os Municípios do Brasil

2 Em minha andança pelo Brasil, no contato direto com eleitores e militantes do PSD, tenho procurado enfatizar a importância da qualificação de todos os que fazem política no nosso país. Sem um trabalho consistente neste sentido, corremos o risco de afastar bons cidadãos da atividade partidária, quando todos sabemos o quanto fazem falta os idealistas e os profissionais experimentados e competentes. É neste sentido que saúdo o lançamento do livro Em Busca da Melhor Cidade, pelo Espaço Democrático. Obras como esta ajudam a despertar vocações e a mostrar que é possível, sim, contribuir para melhorar a vida dos brasileiros de hoje e do futuro. Divulgar experiências inovadoras e competentes de gestão municipal é nossa forma de colaborar com os que querem fazer mais pelo Brasil. Senadora Kátia Abreu (PSD-TO) 2

3 Em busca da MELHOR CIDADE Análises, ideias e soluções para os Municípios do Brasil Fundação para Estudos e Formação Política do PSD

4 In memoriam Amaury de Souza ( ) Cientista político, professor e intelectual apaixonado pela democracia, cuja contribuição foi essencial para a formação e concretização do Núcleo de Estudos do Espaço Democrático. 4

5 Este livro é dedicado a todos os prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e administradores públicos municipais brasileiros que, ano após ano, dão uma lição de coragem, persistência e criatividade ao resolver problemas muito maiores do que aqueles que os orçamentos de seus Municípios comportam. 5

6 Apresentação Editor responsável: Sérgio Rondino Supervisão: Rubens Figueiredo Coordenador técnico: Rogério Schmitt Colaboração: Amaury de Souza Marcos Garcia de Oliveira Carmo Chagas Projeto gráfico: Marisa Villas Boas Capa: shutterstock / blinkblink Domingos, Guilherme Afif, 1943 Em busca da melhor cidade: análises, ideias e soluções para os municípios do Brasil / Guilherme Afif e outros 1ª ed. - São Paulo; Scriptum Editorial, ISBN

7 Coordenação - Guilherme Afif Em busca da MELHOR CIDADE Análises, ideias e soluções para os Municípios do Brasil 1ª Edição São Paulo

8 8

9 Índice Apresentação Guilherme Afif Grandes desafios em debate Vilmar Rocha Zelar pelo presente sem esquecer o futuro Gilberto Kassab O Município no mundo das finanças públicas Marcel Solimeo e Ulisses Gamboa Novo federalismo, Município forte Samuel Hanan Entre a administração pública e a política: o que fazer? Marcos Cintra Município saudável, País saudável Eleuses Paiva O salto educacional começa perto de casa Alexandre Schneider Agricultura, motor das cidades Reinhold Stephanes Senhor Prefeito, quero trabalhar Ricardo Patah Urbanização e civilização: avanços e desafios Paulo Simão O lixo e a rua: o Município e o meio ambiente Fábio Feldmann Calçadas iluminadas: a segurança pública e o poder local Tulio Kahn Área social: base de um governo responsável Alda Marco Antônio A Copa, a Olimpíada e o Município: o estágio dos esportes no Brasil Antônio Moreno Neto A vizinhança das mídias digitais: a Prefeitura ligada Aleksandar Mandic Ficha Limpa nas eleições municipais: combate à corrupção e reforma política Indio da Costa

10 Apresentação Guilherme Afif Não existe federalismo forte com Município fraco. A concentração exagerada de recursos no Poder Central, associada à distribuição desequilibrada de tarefas, conspira contra a racionalidade administrativa, a alocação eficiente dos investimentos e a capacidade de cobrança da sociedade sobre o destino dos impostos que paga. A conta não fecha. Não há contorcionismo intelectual que explique este fato: quem faz mais fica com menos. Tão perto dos problemas, tão longe dos recursos poderia ser o lema dos Municípios e Estados brasileiros. Responsáveis pela prestação da maior parte dos serviços públicos considerados mais importantes pela população saúde, educação e segurança pública, para citar apenas três - Municípios e Estados enfrentam, com imensas dificuldades financeiras, o desafio de espalhar bem estar para milhões e milhões de brasileiros em todos os cantos do País. A vida dos prefeitos está sempre cheia de demandas; o cofre, sempre vazio de dinheiro. Enquanto os países mais desenvolvidos se caracterizam pela descentralização e ação conjunta dos entes federados, no Brasil vivemos o federalismo do você que se vire. Todos os anos assistimos, até com um certo enfado, a uma ou mais Marcha dos Prefeitos a Brasília, que bem poderia ser chamada de passeata do pires na mão. O que são essas marchas? Administradores municipais reivindicando recursos que se acumulam nas mãos da União, que saem das cidades e não voltam mais. Ou, quando voltam, são gravadas por um injustificável e revoltante pedágio burocrático-político. O Brasil é um país gigantesco e muito diversificado. Dados recentes indicam que 36% dos brasileiros vivem nos mais de Municípios com menos de 50 mil habitantes, enquanto cerca de 40% da população se espreme nas grandes regiões metropolitanas, que representam 1,9% do nosso território. Ora, o poder central não é aliás, está bem longe de ser onisciente. Quem entende os problemas locais são as autoridades locais. Por que, então, não aquinhoá-las com mais recursos? 10

11 Depois da Constituição de 1988, a União lançou mão de um truque. A nossa Carta Magna estabelece que os Fundos de Participação dos Estados e Municípios são formados pelos impostos federais. Pois bem, ao longo do tempo, Brasília foi criando uma série de contribuições Cofins e Cide são dois exemplos que passaram a ser excluídas do bolo a ser dividido. Os números são definitivos: em 1988, as receitas da União eram representadas por 80,27% de impostos e 19,73% de contribuições. Em 2011, as contribuições já representavam 48,5%. Fica com mais do que deveria e faz menos do que lhe é dever realizar. O caso da educação superior é emblemático. No Brasil, apenas 25% dos alunos matriculados no ensino superior estão na rede pública. São aproximadamente estudantes. E, apesar de toda a concentração de recursos e as responsabilidades constitucionais que recaem sobre a União no que diz respeito ao ensino superior, a maior parte desses alunos 56% - está nas universidades e faculdades das redes estaduais e municipais. E isso para não falar na gigantesca rede de ensino fundamental e médio, totalmente da alçada dos governos subnacionais. Essa grave distorção do nosso federalismo é um dos temas deste livro, que foi organizado pelo Espaço Democrático - a Fundação para Estudos e Formação Política do PSD. O objetivo da publicação é oferecer aos prefeitos, deputados, vereadores, administradores públicos, filiados e militantes do partido um amplo painel de experiências de gestão, ideias e propostas sobre a administração de nossos Municípios. Em seus diversos capítulos, alguns dos maiores especialistas brasileiros, quase todos coordenadores dos Conselhos Temáticos do Espaço Democrático, analisam os mais importantes temas que dizem respeito ao poder local. O resultado é um amplo retrato do nosso sistema político-administrativo, que proporciona ao leitor uma quantidade enorme de informações, associada a reflexões de autores da mais alta qualidade. Com isso, o Espaço Democrático acredita estar contribuindo para dar o pontapé inicial numa discussão vigorosa sobre os caminhos que deveremos trilhar para, no exercício da atividade política, melhorar a qualidade de vida dos brasileiros. Guilherme Afif - Presidente do Espaço Democrático, é vice-governador de São Paulo e preside o Conselho Gestor do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas (PPPs). 11

12 Grandes desafios em debate Neste livro, certamente o trabalho de maior fôlego até agora produzido pelo Espaço Democrático, pode-se observar a essência da proposta dessa entidade, criada pelo Partido Social Democrático (PSD) para dar sustentação intelectual à sua ação política. Estão reunidos nesta publicação alguns conceitos, ideias e projetos cuja soma constitui-se em relevante contribuição para o futuro de nosso País. É com esse objetivo que a fundação vem trabalhando. Em seus Conselhos Temáticos, alguns dos maiores especialistas brasileiros em questões de interesse público vêm debatendo os grandes desafios da sociedade brasileira e elaborando as propostas que vão compor o Projeto para a Nação que vamos apresentar em 2013, após a validação por seus líderes e militantes. Com o suporte do Espaço Democrático, o partido está definindo seus caminhos e os projetos que vai abraçar. O critério para a escolha será tão somente o resultado que eles trarão para toda a população. O PSD quer que o Brasil se desenvolva, social e economicamente, e não se deixará iludir por preconceitos ou amarras ideológicas. É dessa forma, contribuindo e participando vigorosamente do debate sobre temas essenciais para o desenvolvimento do Brasil, que mostraremos que o nosso partido é realmente diferente, que nasceu para atender ao desejo de avançar hoje presente na mente dos brasileiros. Exatamente por isso, a ação do Espaço Democrático não se limita aos filiados do partido. Suas portas estão abertas a todos os que querem contribuir de alguma forma, sejam autoridades, parlamentares, acadêmicos, estudantes ou profissionais de qualquer área. 12

13 Uma síntese dessa atividade pode ser observada nesta publicação que agora chega às mãos de leitores de todo o País. Com colaboradores de diversas áreas, alguns sem qualquer ligação com o partido, reuniram-se aqui experiências e conhecimentos extremamente úteis aos gestores municipais. Boa leitura. Vilmar Rocha - Vice-presidente do Espaço Democrático, é deputado federal licenciado e Chefe da Casa Civil do Governo do Estado de Goiás 13

14 Gilberto Kassab Presidente nacional do PSD e prefeito de São Paulo ( ), o engenheiro e economista Gilberto Kassab foi vereador, deputado estadual e federal por São Paulo. Na história da cidade, é o prefeito que ocupou o cargo por mais tempo. 14

15 Gilberto Kassab Zelar pelo presente sem esquecer o f u t u r o 15

16 Em busca da melhor cidade 16

17 Gilberto Kassab Cuidar bem da cidade e das pessoas que nela vivem é a missão principal de um prefeito. O que se deve esperar dele é que seja um zelador competente à frente de uma equipe de colaboradores escolhida pelo critério de qualidade e experiência, procure ouvir o que a população tem a dizer, saiba julgar bem ao definir as prioridades, se faça presente diariamente pela cidade, cuide da manutenção do que vai indo bem, mas sempre atento ao que precisa ser corrigido, que fiscalize as obras e intervenções em andamento. Assim procurei agir como prefeito de São Paulo. Durante quase sete anos, desde que assumi o cargo pela primeira vez, tive agenda de trabalho todos os dias nas ruas da cidade, sábados, domingos e feriados. Fui prefeito em tempo integral, pois para isso fui eleito. Mas é preciso ter também preocupação igual em relação ao futuro da cidade, elaborando e viabilizando projetos, planejando para as próximas décadas. Digo sempre que grande parte dos problemas que hoje enfrentamos poderia nem existir, se nas décadas anteriores os prefeitos tivessem planejado e trabalhado com o objetivo de antecipar soluções. Veio daí minha preocupação em investir no desenvolvimento de projetos de médio e longo prazo para áreas específicas da cidade, que não seriam implantados por mim, mas pelos futuros administradores de São Paulo. Nossa cidade paga hoje pela falta de visão de futuro da maioria dos seus administradores do passado. Não fiz questão de inaugurar nada, mas trabalhei para deixar para meus sucessores o que eu e meu antecessor não encontramos: planejamento contínuo, linhas mestras de ação urbanística implantadas e projetos bem encaminhados ou prontos para serem colocados em prática. Gerenciar metrópoles exige atenção ao presente com o olhar no futuro. Foi pensando em nosso cidadão e em sua vida em família que nossa gestão concentrou esforços e priorizou educação e saúde. De olho no presente e no futuro, nos propusemos a ampliar a rede de ensino municipal e abrimos 345 novas escolas entregues até dezembro/2012 e mais 73 com obras em andamento. Isso permitiu eliminar quase completamente o terceiro turno diurno o chamado turno da fome, desastradamente encaixado entre o final da manhã e o começo da tarde de 11h às 15h. Com novas escolas, pudemos ampliar o tempo de ensino em quase todas as unidades, que têm agora apenas dois turnos, cada um com uma hora de aula a mais por dia. Ao longo de oito anos de ensino, essa hora diária a mais significa para os 17

18 Em busca da melhor cidade Criamos mais de 150 mil novas vagas em creches. Havia 60 mil crianças nas creches municipais em 2005, quando nossa gestão começou. Hoje há 210 mil. alunos pelo menos um ano a mais de aprendizado e isso fará diferença no futuro de cada um deles. A realidade inaceitável de milhares de crianças, professores e funcionários, que tinham de frequentar 54 escolas e 159 salas de lata, é passado. Todas foram desativadas, com um investimento de R$ 100 milhões. Na linha que acho essencial seguir, que é dar continuidade aos bons programas iniciados pelos antecessores, mesmo que de outro partido, nossa gestão entregou 24 novos CEUs - Centros de Educação Unificada projeto criado na administração anterior, que ampliamos e aperfeiçoamos, com um investimento de R$ 770,4 milhões. É importante assinalar, também, que criamos mais de 150 mil novas vagas em creches. Havia 60 mil crianças nas creches municipais em Em dezembro de 2012 já havia 210 mil. Foi um grande avanço, mas a demanda também cresceu nesse período e é preciso continuar trabalhando para reduzir a carência de vagas. Lembro ainda o Programa Ler e Escrever, cuja implantação resultou rapidamente no aumento de 70% para 85% do total de alunos alfabetizados ao final do segundo ano do Ciclo I, como parte da meta de alcançar 96% neste conceito. Deixamos a Prefeitura com essa meta praticamente atingida, beneficiando mais de meio milhão de alunos. Isso acontece na capital que mantém o maior sistema de ensino municipal do País, com quase 1,1 milhão de alunos, ou cerca de 10% dos 11 milhões de habitantes da cidade. São providências e intervenções de grande vulto, que em São Paulo tiveram equivalência em outra área fundamental, a saúde. Fiz questão de frisar, no meu 18

19 Gilberto Kassab contato diário com nossa população, que cumprimos a promessa de melhorar os serviços de saúde prestados pela Prefeitura de São Paulo. Esse trabalho foi iniciado em 2005, quando o prefeito era José Serra, e prosseguiu nos anos seguintes. Encontramos a saúde pública paulistana em péssimas condições. O diagnóstico feito na ocasião apontava para a conveniência de dar ênfase à atenção básica, para diminuir a sobrecarga dos hospitais e prontos-socorros municipais. Criamos então as unidades de Atendimento Médico-Ambulatorial AMAs e depois as AMAs Especialidades, para dar um atendimento ambulatorial de qualidade. Ao mesmo tempo, reformamos e reequipamos as mais de 400 Unidades Básicas de Saúde. Em 2011, as 117 AMAs da Capital atingiram a marca histórica de 10 milhões e 200 mil consultas e atendimentos. Conseguimos, assim, garantir para a população a atenção básica de saúde e aliviar o trabalho nos hospitais e prontos-socorros, que passaram a ter condições de atender melhor os casos mais complexos e as emergências. No final de 2012 a cidade tinha 139 AMAS, 19 de Especialidades. A esse conjunto de providências juntou-se a ampliação do fornecimento gratuito de medicamentos para a população nos postos de saúde mais de 246 milhões de remédios distribuídos desde E temos o programa Remédio em Casa, que sob nossa gestão garante a entrega em domicílio de medicamentos de uso constante para pacientes que sofrem de doenças crônicas são 280 mil pacientes inscritos e 1,5 milhão de receitas atendidas no período. Acabamos com as frequentes reclamações de falta de remédios. Com o programa Rede de Proteção à Mãe Paulistana, ultrapassamos a marca dos 690 mil partos. Aqui, não se trata apenas dos partos, mas do pré-natal e da atenção aos bebês durante o primeiro ano de vida. Em seus primeiros seis anos, a Rede de Proteção à Mãe Paulistana realizou 3,8 milhões de consultas, 4,8 milhões de exames e 680 mil ultrassonografias, atendendo gestantes em 439 Unidades Básicas de Saúde (UBS), 23 Ambulatórios de Especialidades (AE) e em 37 hospitais municipais. A propósito dos hospitais municipais, assinalo que, apesar de a cidade continuar crescendo rapidamente, durante quase duas décadas a Prefeitura não ampliara sua rede hospitalar. Em nossa gestão, inauguramos os hospitais municipais de Cidade Tiradentes e M Boi Mirim, e o SAID Serviço de Atenção Integral ao Dependente, em Heliópolis. Também o Hospital São Luiz Gonzaga, que ia fechar, foi municipalizado. Com essas quatro unidades, acrescentamos 728 leitos à rede municipal. 19

20 Em busca da melhor cidade Não se pode afirmar que a saúde pública de São Paulo já chegou a um nível ideal. Ainda temos que trabalhar muito para conseguir isso e, com certeza, haverá trabalho a ser feito pelas próximas gestões. Mas posso afirmar que a qualidade da prestação de serviços de responsabilidade da saúde pública municipal melhorou, e muito. Hora de mobilizar recursos para elevar a qualidade de vida É dever do administrador de hoje, portanto, cuidar para que os problemas atuais não se agravem e tornem insuportável a vida dos paulistanos do futuro. Nem é necessário voltar muito no tempo para deixar evidente que houve a oportunidade de organizar o crescimento da capital paulista, e tal oportunidade não foi aproveitada. Basta tomar como referência a segunda metade do século 20, trazendo a análise até os dias atuais. Foi na década de 1950 que a vida da cidade de São Paulo entrou em ritmo de crescimento vertiginoso. O processo de industrialização do País, acelerado com a construção da Companhia Siderúrgica Nacional, em Volta Redonda, na segunda metade da década de 1940, deu o impulso que dinamizou o processo de expansão da capital paulista. Nascia a indústria automobilística. Toda a região do Morumbi, que era uma fazenda, um descampado, foi ocupada rapidamente. Naquele período, a região do Butantã ficava fora da cidade, com suas chácaras e olarias. Itaim Bibi, Vila Olímpia, Vila Nova Conceição, Alto de Pinheiros... todos esses bairros hoje densamente habitados e altamente valorizados pertenciam à zona rural, faziam parte do cinturão verde de São Paulo. As três décadas seguintes foram tempos em que os administradores paulistas deixaram de projetar os problemas que a cidade enfrentaria a partir de 1980 até os dias atuais. Não é o caso, agora, de culpar os prefeitos daqueles tempos. Eles tiveram suas razões para agir como agiram. Mas é o caso, agora, de mobilizar verbas próprias ou de outras fontes, inclusive da iniciativa privada para consolidar o processo de melhoria da qualidade da educação e da saúde; para socorrer as vítimas das enchentes que ocorrem nos verões; para transformar as favelas em comunidades saneadas; para criar soluções que aliviem os congestionamentos que a população enfrenta todos os dias; para combater a criminalidade nos movimentados pontos de comércio popular, os prefe- 20

21 Gilberto Kassab ridos pelos ambulantes ilegais que vão ali vender suas mercadorias pirateadas, contrabandeadas ou provenientes de roubos de cargas. Elaboramos projetos e preparamos licitações para viabilizar, em 2013 ou 2014, o início de obras que produzam efeitos daqui a cinco anos, dez anos. São obras que minha gestão concebeu imaginando apenas os benefícios que trarão para a cidade, sem perder tempo com mesquinharias, como ficar imaginando quais nomes vão aparecer na placa de inauguração ou quem vai obter votos com aquela solenidade. Temos de pensar, a sério, nos túneis por onde passarão os trilhos ferroviários hoje implantados a céu aberto, em espaços valorizados que serão mais bem aproveitados com avenidas arborizadas, ecologicamente corretas. Nesses espaços, a indústria imobiliária será orientada a construir prédios apropriados para que o trabalhador possa morar perto do seu local de trabalho. Para que esses projetos se transformem na realidade de nossos filhos e netos, é essencial que a geração atual crie as condições, trace os rumos, planeje, tome as primeiras iniciativas. Daí surgiu a convicção de que minha gestão deveria tentar resolver os problemas legados por administrações passadas, mas também propor e viabilizar soluções que garantam a qualidade de vida na São Paulo das próximas décadas. Procurei deixar, para as futuras gestões, uma visão estratégica de longo prazo, com a participação ativa da sociedade civil e em consonância com o Plano Diretor Estratégico (PDE). Com esse objetivo, a Prefeitura desenvolveu, desde 2007, o plano SP 2025, concebido para elevar a qualidade de vida da população, de forma gradativa, com impactos Tinha a convicção de que deveria tentar resolver os problemas que administrações passadas legaram, assim como propor e viabilizar soluções que garantissem qualidade de vida para as próximas décadas. 21

22 Em busca da melhor cidade Para entender o presente e delinear o futuro, convém lembrar que, em 1920, São Paulo tinha 579 mil habitantes. Desde então, a população cresceu mais de 20 vezes. Tornamo-nos a maior cidade do Hemisfério Sul. positivos em todas as camadas sociais, especialmente as mais carentes. A iniciativa busca, também, criar as condições para o comprometimento dos governantes com a visão estratégica de longo prazo desenvolvida em conjunto com a sociedade civil. As discussões iniciais do projeto foram articuladas pela Secretaria de Relações Internacionais. Em 2008, os debates foram ampliados por meio de apresentações, com a participação de todo o secretariado municipal. Em seguida, o SP 2025 passou a ser conduzido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, criada em 2009 com competências para conduzir ações governamentais voltadas ao planejamento e desenvolvimento urbano do Município, inclusive planos de desenvolvimento de médio e longo prazos. Além do SP 2025, foi concebido também o Projeto SP Focado no mesmo objetivo de planejar e antecipar, o SP 2040 busca desenvolver uma visão e um plano estratégico de longo prazo, com horizonte de 30 anos, desenvolvido com a colaboração da Universidade de São Paulo (USP). Destaca-se, nesse contexto, a progressiva capacitação da cidade para abrigar grandes eventos. Além da Fórmula 1 e da Formula Indy, que já fazem parte do calendário anual, a Copa do Mundo de 2014 e a candidatura de São Paulo para a Expo 2020 são exemplos de oportunidades para a cidade. A construção de uma visão estratégica de longo prazo, em sintonia com a sociedade civil, estabelece um referencial para os posicionamentos da cidade, para as políticas publicas, para os agentes privados nacionais e globais, para organizações não governamentais. É apenas um ponto de partida para uma discussão que precisa continuar pelos próximos anos. 22

23 Gilberto Kassab Eixos de atuação por um futuro melhor Essa reflexão inicial identifica os potenciais da cidade, mas reconhece suas deficiências. A valoração dos potenciais e a mitigação progressiva das deficiências, com foco na melhoria da qualidade de vida do paulistano, devem ser perseguidas. Cinco eixos importantes de atuação são identificados: - a promoção do equilíbrio social - a promoção do desenvolvimento urbano sustentável - a promoção da mobilidade e acessibilidade - a promoção da melhoria ambiental - a consolidação de São Paulo como Cidade Global Para entender o presente e delinear o futuro, devemos recuar ao passado e lembrar que, menos de um século atrás, em 1920, São Paulo tinha 579 mil habitantes. Desde então, a população paulistana cresceu mais de 20 vezes. Tornamo-nos a maior cidade do Hemisfério Sul, com mais de 11 milhões de habitantes. Somos hoje o núcleo de uma região metropolitana em que vivem mais de 20 milhões de pessoas. Talvez só a China e a Índia tenham registrado crescimento a taxas tão altas. Em tempos recentes, as taxas médias de crescimento anual de São Paulo foram 5,2% (década de 1940), 5,6% (década de 50) e 4,6% (década de 60). Essa evolução se manteve em ritmo acelerado até a década de 90. Durante todo esse processo de agigantamento, faltou a devida atenção à sustentabilidade. De um lado, o poder público cometeu o erro de construir conjuntos habitacionais distantes da região central, aproveitando-se do menor preço da terra nessas áreas. De outro, permitiu a ocupação irregular de áreas igualmente periféricas, com o agravante de essas ocupações frequentemente se instalarem em áreas de risco, de preservação e de mananciais. Os resultados são conhecidos. Temos hoje cerca de 3,2 milhões de pessoas vivendo em habitações precárias. Trata-se da terceira maior população urbana do Brasil, atrás apenas da própria São Paulo e do Rio de Janeiro. E a preocupação é ainda maior quando se sabe que mais de 400 mil desses paulistanos vivem em situação de perigo, em áreas de risco, segundo levantamento recente que o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) fez para a Prefeitura. Outro ponto preocupante, consequência do crescimento desordenado, é que 23

24 Em busca da melhor cidade grande parte da superfície da cidade se encontra impermeabilizada. Daí as enchentes tornarem-se um tormento recorrente nos meses de chuva. Também é perverso o movimento pendular que obriga grande parte da população a se deslocar diariamente das regiões periféricas para o centro expandido, rumo aos seus locais de trabalho. Assim, esses paulistanos perdem, por vezes, mais de três horas nesses deslocamentos. Apesar de todos esses problemas, São Paulo é uma cidade pujante. Grande centro financeiro, de negócios, de comércio, médico-hospitalar, de pesquisa e desenvolvimento, de formação de recursos de alto-nível, cultural, São Paulo tende a seguir sua vocação e obter um desempenho ainda melhor, caso as questões mencionadas acima sejam equacionadas. Nesse sentido, vale lembrar algumas ações que mostram o empenho em enfrentar esses desafios nas diversas frentes. De 2005 a 2010, na área habitacional, foram atendidas 206 mil famílias que viviam em áreas de risco e habitações precárias. No mesmo período, mais de 400 obras foram realizadas para eliminação ou redução do risco nessas áreas. Em 2011, a Prefeitura reservou uma verba de R$ 100 milhões para a realização de 110 intervenções de pequeno e médio portes nos setores mais críticos. Além dessas iniciativas, que respondem no curto e no médio prazo a esses desafios, São Paulo vem adotando também propostas que visam o desenvolvimento urbano sustentável. Merece destaque a Lei de Mudança do Clima, de 2009, pioneira e inovadora, que estabeleceu metas para a redução das emissões de gases de efeito estufa, em relação ao patamar expresso no inventário realizado e concluído pela Prefeitura em Estabelece diretrizes para as ações nas áreas de energia, uso do solo, construção, resíduos sólidos, transporte e saúde. Outra iniciativa já tomada é o plano municipal de manejo de águas pluviais, em desenvolvimento desde novembro de 2010, com apoio da Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica, da USP. Esse plano busca criar as metodologias para que se encontre, no longo prazo, a melhor combinação de medidas, incluindo legislação, renaturalização de córregos, parques lineares, controle de assoreamento, obras hidráulicas, entre outras, para as 100 bacias municipais. Ao mesmo tempo, desenvolvemos e/ou implementamos projetos estratégicos que se concretizarão de forma completa no longo prazo. As novas operações urbanas propostas Lapa-Brás, Mooca-Vila Carioca e Rio Verde-Jacu Pêssego têm por objetivo promover a ocupação de áreas centrais dotadas de infraestrutura, 24

25 Gilberto Kassab próximas a eixos de transporte coletivo, e também o desenvolvimento econômico da Zona Leste. O Projeto da Nova Luz, já com o respaldo da lei da Concessão Urbanística, é simbólico das iniciativas do poder público para a requalificação e reocupação do Centro. No mesmo sentido, promovemos as revitalizações do Parque Dom Pedro II e do Vale do Anhangabaú, incluindo a Praça das Artes, o programa Renova Centro, que prevê a destinação de 53 prédios para habitação principalmente de baixa renda, e a reabilitação da Biblioteca Mario de Andrade. Assim, em praticamente todos os serviços implantados pela nossa gestão, cuidamos do presente e olhamos para o futuro. Atendemos aos problemas imediatos, como a verificação da situação dos bueiros, o corte de grama, a limpeza e a pintura de guias. Ao mesmo tempo, demos o exemplo do que deve ser feito, para que os futuros administradores da cidade tenham um padrão de conduta administrativa. O ambiente entendido em seu sentido mais amplo Confiei na minha equipe de secretários e subprefeitos, mas fui até eles, regularmente, para ver de perto o que estava sendo feito, para discutir um detalhe, sugerir ou determinar modificações. Como já disse, como prefeito fui todos os dias a algum ponto da cidade, inclusive aos sábados e domingos. Saí para ver de perto as obras em andamento, para conversar com os subprefeitos e outros funcionários. Confiei na minha equipe de secretários e subprefeitos, mas fui até eles, regularmente, para ver de perto o que estava sendo feito, para discutir um detalhe, eventualmente para sugerir ou determinar modificações que me pareciam apropriadas. Penso que, numa metrópole de mais de 11 milhões de habitantes, o prefeito deve adotar o mesmo estilo de prefeitos mais atentos de cidades menores. É 25

26 Em busca da melhor cidade Ao me passar o cargo, Serra comentou que sentia não ter avançado, como gostaria, no combate à poluição visual. Peguei essa deixa, como se diz no teatro, e tomei as providências que resultaram na Lei Cidade Limpa. importante ter uma noção bem clara de tudo o que está acontecendo, para tomar as providências mais indicadas em cada caso. Nos serviços de zeladoria, por exemplo, cuidamos também do nosso objetivo de ter uma São Paulo cada vez mais bem cuidada, florida e limpa. Poda e remoção de árvores, limpeza de bocas de lobo, recapeamento de ruas e serviço de tapa-buraco, manutenção de áreas ajardinadas, varrição de ruas e coleta de lixo - tudo isso faz parte dos serviços de zeladoria nas 31 Subprefeituras de São Paulo. Nasci e fui criado em São Paulo. Ao longo de cinco décadas pude acompanhar o crescimento da cidade. Lembro que, quando criança, o bairro onde morava com minha família era cortado por uma via mais larga, chamada de Estrada da Boiada, nome pelo qual é até hoje conhecida pelos moradores mais antigos. A designação fazia sentido, pois ali de fato passavam os bois a caminho do matadouro. Estou falando de uma São Paulo que ainda guardava vestígios da vida rural. Falo de quando o ar da cidade era limpo, a frota de veículos limitava-se a poucas dezenas de milhares, havia sinais de vida nos principais rios paulistanos. Infelizmente, acompanhei a deterioração causada pela ocupação desordenada do solo urbano, a multiplicação acelerada dos veículos em circulação, a proliferação das favelas e das habitações improvisadas às margens de córregos, junto aos mananciais, à beira das encostas. Criança, conheci os últimos vestígios de uma São Paulo ainda humana. Adolescente, assisti ao desaparecimento daqueles vestígios. Nos meus tempos de estudante de Engenharia e de Economia na Universidade de São Paulo, na passagem da década de 1970 para a de 80, a cidade já 26

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social O tempo e a espera Ministro fala de projetos em andamento e ações do governo para a área educacional Entrevista do ministro publicada na Revista Educação no dia 26 de maio de 2004. Tarso Genro é considerado

Leia mais

Revisão Participativa. dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo

Revisão Participativa. dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume II Revisão Participativa do Plano Diretor Estratégico (PDE) 1. A importância do PDE (Plano Diretor Estratégico)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº MENSAGEM Nº Senhores membros da Câmara Municipal, Submeto à elevada deliberação de V. Exªs. o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual para o período de 2002 a 2005. Este projeto foi elaborado

Leia mais

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN na solenidade de posse do Conselho Consultivo e do presidente executivo da AEERJ Dia 28 de julho de 2014 Centro de Convenções da Firjan Minhas Senhoras e Meus Senhores, Gostaria

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2015 PREFEITURA DE SÃO PAULO

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2015 PREFEITURA DE SÃO PAULO PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2015 PREFEITURA DE SÃO PAULO Projeto de Lei 467/2014 SUMÁRIO I. Resumo das Receitas e Despesas por Categoria Econômica... 3 II. III. IV. Investimentos em Obras e Instalações (Administração

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

AGENDA DA FAMÍLIA. 1 O que é a Agenda da Família?

AGENDA DA FAMÍLIA. 1 O que é a Agenda da Família? AGENDA DA FAMÍLIA Marcelo Garcia é assistente social. Exerceu a Gestão Social Nacional, Estadual e Municipal. Atualmente é professor em cursos livres, de extensão e especialização, além de diretor executivo

Leia mais

A visão social em relação ao sistema de saneamento e a importância da sociedade na elaboração do plano

A visão social em relação ao sistema de saneamento e a importância da sociedade na elaboração do plano A visão social em relação ao sistema de saneamento e a importância da sociedade na elaboração do plano Nossa Realidade 57% da população brasileira não possui coleta de esgoto (SNIS 2008) O Brasil é o 9º

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Mais cinemas para mais brasileiros.

Mais cinemas para mais brasileiros. Mais cinemas para mais brasileiros. ...NUM CINEMA PERTO DE VOCÊ! O Brasil já teve uma grande e descentralizada rede de salas de cinema. Em 1975, eram quase 3.300 salas, uma para cada 30 mil habitantes,

Leia mais

Programa Mínimo de Governo de João Pavinato

Programa Mínimo de Governo de João Pavinato Programa Mínimo de Governo de João Pavinato João Pavinato e Cidinha Pascueto, candidatos a prefeito e vice-prefeita, respectivamente, da coligação A Vitória do Povo, formada pela união dos partidos PSDB,

Leia mais

Discurso do Presidente. Dr Marco Antonio Mroz, Secretário de Estado Adjunto de Saneamento e Recursos Hídricos

Discurso do Presidente. Dr Marco Antonio Mroz, Secretário de Estado Adjunto de Saneamento e Recursos Hídricos Discurso do Presidente Dr Marco Antonio Mroz, Secretário de Estado Adjunto de Saneamento e Recursos Hídricos Dra Dilma Pena, Presidente da Sabesp Dr Carlos Roberto dos Santos, Diretor de Engenharia e Qualidade

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro

Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro Pesquisa inédita faz paralelo entre sistema de educação infantil português e brasileiro O estudo Educação Infantil em Debate - a Experiência de e a Realidade eira faz um paralelo entre as soluções encontradas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Marcia Heloisa P. S. Buccolo, consultora jurídica de Edgard Leite Advogados

Leia mais

Gestão de iniciativas sociais

Gestão de iniciativas sociais Gestão de iniciativas sociais Leia o texto a seguir e entenda o conceito do Trevo e as suas relações com a gestão organizacional. Caso queira ir direto para os textos, clique aqui. http://www.promenino.org.br/ferramentas/trevo/tabid/115/default.aspx

Leia mais

Empresas não cumprem metas de limpeza de rua em São Paulo

Empresas não cumprem metas de limpeza de rua em São Paulo Clipping 14/12 1 Empresas não cumprem metas de limpeza de rua em São Paulo EVANDROS PINELLI DE SÃO PAULO Contratadas para manter a cidade limpa e evitar o agravamento das enchentes em São Paulo com bocas

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO GABINETE DO PREFEITO O Plano de Metas é um instrumento de gestão que orienta a Prefeitura na direção de uma cidade sustentável e oferece aos cidadãos e à imprensa um mecanismo para avaliar os compromissos

Leia mais

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento.

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento. DISCURSO DE POSSE Boa Noite a todos! Cumprimento o ex-diretor presidente Sebastião Calais, o Prefeito Leris Braga, o vice-prefeito Alcemir Moreira, o presidente da Câmara de Vereadores Juarez Camilo, o

Leia mais

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1 Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1 Entenda quais são os Instrumentos de Planejamento e Gestão Urbana que serão revistos Revisão Participativa

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Campinas Cidade Sustentável

Campinas Cidade Sustentável Campinas Cidade Sustentável A Prefeitura de Campinas adere hoje, com o Decreto que será assinado pelo Prefeito Jonas Donizette, ao Programa Cidades Sustentáveis da Rede Nossa São Paulo, do Instituto Ethos

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA. CIP FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA UM NOVO PASSO Seminário 16 de abril de 2012 Intervenção do Presidente da CIP Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Leia mais

Nº ALGUMAS DAS PROPOSTAS INDICAÇÃO DA ALTERAÇÃO 1 Aumento do tamanho dos lotes:

Nº ALGUMAS DAS PROPOSTAS INDICAÇÃO DA ALTERAÇÃO 1 Aumento do tamanho dos lotes: Instituto Defenda Sorocaba aponta contradição no Plano Diretor 2014: meta de projeção de uma cidade sustentável e a ampliação do parcelamento de lotes são incompatíveis O Instituto Defenda Sorocaba (entidade

Leia mais

Curso de Desenvolvimento. sustentável.

Curso de Desenvolvimento. sustentável. 50 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 17 Curso de Desenvolvimento Sustentável Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras proferidas sobre

Leia mais

GESTÃO E GERENCIAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGIAS DE GESTÃO AMBIENTAL

GESTÃO E GERENCIAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGIAS DE GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO E GERENCIAMENTO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL: Planejamento. GERENCIAMENTO AMBIENTAL: Execução e Controle. GESTÃO ETAPAS: 1. Definição dos Objetivos do Planejamento = metas. 2. Inventário/ Banco de

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

Entrevista CADERNOS DE SEGURO

Entrevista CADERNOS DE SEGURO Entrevista 6 Marco Antonio Rossi Presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) POR Vera de Souza e Lauro Faria

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Concepção Marcelo Garcia João Cruz Rodrigo Salgueiro Naira de Araújo. Revisão Ludmila Schmaltz Pereira

FICHA TÉCNICA. Concepção Marcelo Garcia João Cruz Rodrigo Salgueiro Naira de Araújo. Revisão Ludmila Schmaltz Pereira SENAR INSTITUTO FICHA TÉCNICA Presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Senadora Kátia Abreu Secretário Executivo do SENAR Daniel Carrara Presidente do Instituto CNA Moisés Pinto

Leia mais

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília, 28 de novembro de 2012 Organização Não Governamental fundada em 2006 com a missão de apoiar a

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL

CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL CURSO A DISTÂNCIA DISSEMINADORES DE EDUCAÇÃO FISCAL 2013 1. IDENTIFICAÇÃO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL ESTADUAL DE GOIÁS GEFE/GO 2. APRESENTAÇÃO O curso a distância de Disseminadores de Educação Fiscal constitui

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

"É possível levar energia renovável para todos"

É possível levar energia renovável para todos "É possível levar energia renovável para todos" Por Daniela Chiaretti De Nairóbi, Quênia Connie Hedegaard: "Acho que quando temos uma crise global como a que estamos vivendo, é uma oportunidade excelente

Leia mais

Propostas para o Plano Diretor de Curitiba

Propostas para o Plano Diretor de Curitiba Propostas para o Plano Diretor de Curitiba Revisão de 2014 Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer As propostas contidas nesta cartilha foram resultados de intervenções urbanas e processos

Leia mais

Curso de Gestão de Águas Pluviais

Curso de Gestão de Águas Pluviais Curso de Gestão de Águas Pluviais Capítulo 4 Prof. Carlos E. M. Tucci Prof. Dr. Carlos E. M. Tucci Ministério das Cidades 1 Capítulo 4 Gestão Integrada Conceito Marcos Mundiais, Tendência e Estágio Institucional

Leia mais

02/12/2004. Discurso do Presidente da República

02/12/2004. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega do Prêmio Finep e sanção da Lei de Inovação de Incentivo à Pesquisa Tecnológica Palácio do Planalto, 02 de dezembro de 2004 Meus companheiros ministros,

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

Qual o valor que os prefeitos devem repassar às câmaras?

Qual o valor que os prefeitos devem repassar às câmaras? Qual o valor que os prefeitos devem repassar às câmaras? Algumas pessoas têm me procurado sobre dúvidas quanto aos repasses feitos pelas prefeituras às câmaras. Em regra, queixam-se que os valores transferidos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Discurso na cerimónia de regulamentação

Leia mais

Avaliação da implementação das propostas do Distrito de Tupi apresentadas no Orçamento Participativo

Avaliação da implementação das propostas do Distrito de Tupi apresentadas no Orçamento Participativo Avaliação da das propostas do Distrito de Tupi apresentadas no Orçamento Participativo Objetivo Com o objetivo de realizar uma análise e contribuir com o aprimoramento do Orçamento Participativo 12 no

Leia mais

Lei Complementar Estadual do Maranhão nº 89, de 17 de novembro de 2005. Cria a Região Metropolitana do Sudoeste Maranhense, e dá outras providências.

Lei Complementar Estadual do Maranhão nº 89, de 17 de novembro de 2005. Cria a Região Metropolitana do Sudoeste Maranhense, e dá outras providências. Lei Complementar Estadual do Maranhão nº 89, de 17 de novembro de 2005 Cria a Região Metropolitana do Sudoeste Maranhense, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO MARANHÃO, Faço saber a todos

Leia mais

DANIEL COELHO PROGRAMA DE GOVERNO JULHO DE 2012

DANIEL COELHO PROGRAMA DE GOVERNO JULHO DE 2012 DANIEL COELHO PROGRAMA DE GOVERNO JULHO DE 2012 QUEREMOS MAIS PARA O RECIFE DANIEL COELHO Ambientalista e Deputado Estadual 2 vezes Vereador do Recife Bacharel em Administração pela UPE Mestrado em Negócios

Leia mais

METODOLOGIA & PERFIL

METODOLOGIA & PERFIL Maio2010 JOB 100283 METODOLOGIA & PERFIL Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar um conjunto de informações

Leia mais

ESTATUDO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

ESTATUDO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ESTATUDO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (*) ANGELA GUADAGNIN A sociedade de forma organizada conquistou na constituição que os direitos das crianças e adolescentes fossem um dever a ser implantado e respeitado

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Av. Duque de Caxias, 635 Jd. Mazzei II Londrina-PR Fone: (43) 3372-4046 / Fax: (43) 3372-4547 cmdi@londrina.pr.gov.br / cmdi_londrina@yahoo.com.br 7ª CONFERÊNCIA

Leia mais

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA De: Gabinete do Vereador Jimmy Pereira Para: Ação Jovem Brasil Resposta à solicitação de Informações para a formação do Índice de Transparência da Câmara do Rio TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Leia mais

POLÍTICA URBANA E DINAMIZAÇÃO DO COMÉRCIO DE RUA

POLÍTICA URBANA E DINAMIZAÇÃO DO COMÉRCIO DE RUA POLÍTICA URBANA E DINAMIZAÇÃO DO COMÉRCIO DE RUA Seminário GVcev: Polos Varejistas de Rua: Oportunidades para o varejo e a revitalização das cidades Fernando de Mello Franco 11 novembro 2014 DOMINGO, 09

Leia mais

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Modelo operacional Qual é o modelo organizacional do PDS? Trabalhamos bastante para chegar ao modelo organizacional certo para o PDS. E aplicamos

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 70 A ONG brasileira está em crise? 06 de fevereiro de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através

Leia mais

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania 2010 PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania Mogi Guaçu/SP PROJETO CHICO MENDES CICLOS DA VIDA: AMBIENTE, SAÚDE E CIDADANIA Equipe FMPFM Prof. Ms. Glauco Rogério Ferreira Desenvolvimento

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Este guia pretende nortear os Grupos Escoteiros do Brasil a desenvolverem um

Leia mais

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas São Paulo 2022 Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas Cidade Democrática, participativa e descentralizada Transformando São Paulo pela mudança

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 Ação Educativa Organização não governamental fundada por um

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 77 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Municípios participantes Adrianópolis Bocaiúva do Sul Cerro Azul Doutor Ulysses Rio Branco do Sul Tunas do Paraná Itaperuçu Campo Magro Colombo Almirante Tamandaré

Leia mais

Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte

Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal Adjunto de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Abril 2013 A Construção de uma Cidade Sustentável

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

Plataforma dos Consumidores para as Eleições Municipais 2012

Plataforma dos Consumidores para as Eleições Municipais 2012 Plataforma dos Consumidores para as Eleições Municipais 2012 Plataforma dos Consumidores para as Eleições 2012 1 O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) é uma associação de consumidores sem

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca r f Considerei particularmente oportuno

Leia mais

Sucessão municipal ACIA ouviu o deputado José de Lima, candidato a prefeito

Sucessão municipal ACIA ouviu o deputado José de Lima, candidato a prefeito www.aciaanapolis.com.br ACIA ouviu o deputado José de Lima, candidato a prefeito De 27 de Setembro a 03 de Outubro 2012 Ano 06 - Diretoria 2011/2013 Durante mais de uma hora o representante da coligação

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS MARÇO DE 2014 JOB0402 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Avaliar a atual administração do município de Acopiara. Acopiara

Leia mais

Apesar da Lei que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, datar de janeiro de 2012, até agora, passados dois anos

Apesar da Lei que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, datar de janeiro de 2012, até agora, passados dois anos O presente projeto de Lei que autoriza a implantação do Corredor Capão Redondo / Campo Limpo / Vila Sonia é apresentado de maneira descolada do Projeto de Lei 0017/2014, ora em 2ª votação, e que autoriza

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira O Brasil é um país com mais de 190 milhões de habitantes. A cada 100 pessoas que vivem no Brasil, 84 moram nas cidades e 16 no campo. A população urbana brasileira teve seu maior

Leia mais

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade)

IDEIA FORÇA. Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) IDEIA FORÇA Redução do Tempo de Deslocamento Humano (Mobilidade) DETALHAMENTO: Mobilidade humana (trabalhador precisa respeito); Melhorar a qualidade e quantidade de transporte coletivo (Lei da oferta

Leia mais

Minha lista de sonhos

Minha lista de sonhos Licença No: # 122314/LS Fone: +55-11 5539-4719 E mail: vagner@programavirandoojogo.com.br Web: www.programavirandoojogo.com.br 2015 Minha lista de sonhos Com visão 2025 PREPARADO POR VAGNER MOLINA Rua

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE METAS Gestão 2013/2016 APRESENTAÇÃO... 2 I - VISÃO DO MUNICÍPIO... 3 II COMPROMISSO... 3 III PRINCÍPIOS DE GESTÃO... 3 IV DIRETRIZES ESTRATÉGIAS... 4 PROGRAMA DE METAS DESENVOLVIMENTO URBANO...

Leia mais

Entrevista: Gart Capote ABPMP Brasil Precisamos de exemplos positivos

Entrevista: Gart Capote ABPMP Brasil Precisamos de exemplos positivos Entrevista: Gart Capote ABPMP Brasil Precisamos de exemplos positivos Publicado em 25 de junho de 2013 por Itamar Pelizzaro Gart Capote, presidente da ABPMP Association of Business Process Management Professionals

Leia mais

Resumo. O caminho da sustentabilidade

Resumo. O caminho da sustentabilidade Resumo O caminho da sustentabilidade Termos recorrentes em debates e pesquisas, na mídia e no mundo dos negócios da atualidade, como sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, responsabilidade empresarial

Leia mais

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações CIDADES DIGITAIS CONSTRUINDO UM ECOSSISTEMA DE COOPERAÇÃO E INOVAÇÃO Cidades Digitais Princípios

Leia mais

Município: JOÃO PESSOA / PB

Município: JOÃO PESSOA / PB O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público definido como prioritário foi o dos brasileiros que estavam em situação de

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 81 O Ajuste Fiscal e as ONGs 08 de maio de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento)

Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento) Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento) Nos dois últimos anos, vimos construindo as bases de um crescimento sustentável e socialmente benéfico para a grande maioria dos brasileiros.

Leia mais

Programa de Governo. Chiara Prefeita. Bauru 2013-2016. Vice Gilson. Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB

Programa de Governo. Chiara Prefeita. Bauru 2013-2016. Vice Gilson. Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB Programa de Governo Bauru 2013-2016 Chiara Prefeita Vice Gilson Coligação BAURU MERECE MUITO MAIS DEM-PSDB APRESENTAÇÃO As eleições de 2012 vão definir o dia a dia de cada um dos eleitores bauruenses pelos

Leia mais

DADOS. Histórico de lutas

DADOS. Histórico de lutas MULHERES O partido Solidariedade estabeleceu políticas participativas da mulher. Isso se traduz pela criação da Secretaria Nacional da Mulher e por oferecer a esta Secretaria completa autonomia. Acreditamos

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012 Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Marcelo Cintra do Amaral 20 de novembro de 2012 Roteiro da apresentação: Contexto do PlanMob-BH: prognóstico, caráter de plano diretor, etapas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca II ENCONTRO NACIONAL DE TRANSPORTADORES

Leia mais

A transparência como base da gestão

A transparência como base da gestão A transparência como base da gestão Um Sistema em sintonia com o Brasil. Esta é a síntese da avaliação dos usuários dos serviços da CNC, do SESC e do SENAC. Afinal, desde que foram criados, há mais de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais