ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas"

Transcrição

1 Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Av. Dr. Cardoso de Mello, º andar. Cj.131. Vila Olímpia. São Paulo. SP / Tel: /1491. Fax: / Site: Entidade Gestora Técnica TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. Rua Guaipá, 486 CEP: São Paulo SP/ fone fax (11) / site: / Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias Resumo Executivo do Relatório Setorial nº 033 Emissão Agosto/2011 A Entidade Gestora Técnica é a responsável pelas informações contidas nesse Relatório Setorial. <1076/RS033A>

2 ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS 7 TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO SETORIAL N o 33 DOCUMENTO 1076/RS033A DATA: AGOSTO/2011 TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 2/33

3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO OBJETIVO EMPRESAS E PRODUTOS ABORDADOS NESTE RELATÓRIO SETORIAL EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA EMPRESA EM CREDENCIAMENTO EMPRESAS NÃO-PARTICIPANTES DO PROGRAMA NORMALIZAÇÃO ADOTADA ESPECIFICAÇÃO DO PRODUTO MÉTODOS DE ENSAIO CONSIDERAÇÕES FEITAS NESTE RELATÓRIO SETORIAL REQUISITOS ANALISADOS EMPRESAS PARTICIPANTES EMPRESAS NÃO-PARTICIPANTES CRITÉRIO DE CONFORMIDADE CRITÉRIO DE NÃO-CONFORMIDADE PERCENTUAL DE APROVAÇÃO DAS EMPRESAS EVOLUÇÃO DO SETOR INDICADOR DE CONFORMIDADE SETORIAL ANEXO TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 1/33

4 1 INTRODUÇÃO Desde novembro de 2002 vem sendo implementado pela ABRAFATI - Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas o Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. A empresa responsável pela gestão técnica é a TESIS Tecnologia de Sistemas em Engenharia Ltda. O tem por principal objetivo elaborar mecanismos específicos que garantam que as tintas imobiliárias colocadas à disposição dos usuários da construção civil apresentem satisfatório, atendendo às necessidades dos usuários e não prejudicando a isonomia competitiva entre fabricantes, visando: atingir e manter a qualidade, segundo especificações técnicas dos produtos, em adequação com as necessidades dos usuários; prover de confiança os participantes do, que a qualidade pretendida está sendo atingida e mantida; prover de confiança os compradores dos produtos, que a qualidade pretendida está sendo alcançada; fornecer informações que permitam o combate a não- sistemática. Este Setorial da Qualidade segue o regimento do Sistema de Qualificação de Materiais, Componentes e Sistemas Construtivos SiMaC do Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) do Ministério das Cidades do Governo Federal (www.cidades.gov.br/pbqp-h), conforme Portaria nº310/2009 publicada em 20/08/10 no Diário Oficial da União, que vem contemplando o desenvolvimento de programas de qualidade por empresas privadas que estejam em parceria e cooperação, compreendendo a cadeia produtiva desde a matéria-prima até o produto final. Assim sendo, para atingir o objetivo, o realiza nesta etapa a verificação da qualidade de tintas imobiliárias abordando inicialmente as tintas látex econômicas, massas niveladoras, esmaltes sintéticos Standard, as tintas látex nos níveis de qualidade Standard e Premium, tintas a óleo e vernizes de uso interior. Tal verificação da qualidade é feita através de auditorias de produto, que consistem na realização de visitas nas unidades fabris das empresas participantes ou em credenciamento junto ao para a coleta de amostras, e na aquisição de amostras de empresas não participantes em revendas de materiais de construção. As amostras são enviadas para ensaios no laboratório institucional do, Laboratório de Tintas do SENAI Mário Amato, e seus resultados são divulgados nos relatórios de auditoria (confidenciais, que são enviados apenas para a empresa participante ou em credenciamento) e nos relatórios setoriais, nos quais são apresentados os panoramas gerais do setor. As auditorias em fábricas e revendas são realizadas uma vez a cada trimestre para cada marca e para cada unidade fabril, dos produtos analisados no âmbito do. O fluxograma de funcionamento e a interação entre os diversos participantes do estão ilustrados na figura 1 a seguir. TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 2/33

5 Figura 1 - Fluxograma de funcionamento do TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 3/33

6 2 OBJETIVO Este Resumo Executivo do Relatório Setorial n 033 do Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias tem o objetivo de apresentar um extrato das informações do setor em função das análises realizadas n de tintas látex (econômicas, Standard e Premium), massas niveladoras, esmaltes sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior coletadas no período de março/2011 a maio/2011 nas unidades fabris das empresas participantes e nas revendas de materiais de construção. 3 EMPRESAS E PRODUTOS ABORDADOS NESTE RELATÓRIO SETORIAL Neste Relatório Setorial, está sendo analisado o : das tintas látex econômicas fabricadas pelas empresas participantes, por empresas não-participantes ou em credenciamento junto ao ; das tintas látex nos níveis Standard e Premium produzidas por empresas participantes, não-participantes ou em credenciamento junto ao ; das massas niveladoras (interiores e interiores/exteriores) produzidas por empresas participantes, não-participantes ou em credenciamento junto ao ; dos esmaltes sintéticos nível Standard e tintas a óleo produzidos pelas empresas participantes, não participantes ou em credenciamento junto ao ; dos vernizes brilhantes de uso interior produzidos por empresas participantes ou em credenciamento junto ao. 3.1 EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA As empresas apresentadas na tabela 1 participam do da Qualidade, sendo que suas responsabilidades estão definidas no documento SQ/IT084 Fundamentos do de Garantia da Qualidade de Tintas Imobiliárias. TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 4/33

7 Tabela 1 - Empresas participantes do Empresas AKZO NOBEL LTDA. ANJO QUÍMICA DO BRASIL LTDA. Localização (cidade/estado) Mauá/SP Recife/PE Criciúma/SC São Bernardo do Campo/SP BASF S/A Santa Cruz/RJ Jaboatão dos Guararapes/PE CARTINT INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE TINTAS LTDA. DACAR QUÍMICA DO BRASIL S.A. DOVAC INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. EUCATEX TINTAS E VERNIZES LTDA. HIDROTINTAS INDÚSTRIA E COMERCIO DE TINTAS LTDA. HYDRONORTH S/A KILLING S.A. TINTAS E ADESIVOS MAZA PRODUTOS QUÍMICOS LTDA. MONTANA QUÍMICA S.A NACIONAL ARCO-ÍRIS INDÚSTRIA E COMERCIO DE TINTAS LTDA. NOVA ROCHA INDÚSTRIA DE TINTAS LTDA. Guarulhos/SP São José dos Pinhais/PR São Bernardo do Campo/SP Salto/SP Maracanau/CE Cambé/PR Novo Hamburgo/RS Mococa/SP São Paulo/SP Acarape/CE Aparecida de Goiânia/GO Aparecida de Goiânia/GO PPG INDUSTRIAL DO BRASIL TINTAS E VERNIZES LTDA. Diadema/SP Gravataí/RS Sumaré/SP RENNER SAYERLACK S/A RESICOLOR INDÚSTRIA DE PRODUTOS QUÍMICOS LTDA. Cajamar/SP Palmeiras de Goiás/GO Siderópolis/SC Taboão da Serra/SP SHERWIN WILLIAMS DO BRASIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Sumaré/SP Igarassu/PE TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 5/33

8 Tabela 1 (continuação)- Empresas participantes do Empresas Localização (cidade/estado) TINTAS HIDRACOR S/A TINTAS IQUINE LTDA. UNIVERSO TINTAS E VERNIZES LTDA. VERBRÁS INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE TINTAS LTDA. Maracanau/CE Jaboatão dos Guararapes/PE Serra/ES Diadema/SP Benevides/PA Teresina/PI 3.2 EMPRESAS EM CREDENCIAMENTO As empresas apresentadas na tabela 2 encontram-se em processo de credenciamento junto ao da Qualidade, ou seja, estão sendo submetidas a auditorias intensivas como forma de verificar suas condições para o credenciamento. As condições para o credenciamento de uma empresa junto ao estão estabelecidas no documento SQ/IT085 Condições para o Credenciamento de Fabricantes Junto ao de Garantia da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Tabela 2 - Empresas em credenciamento junto ao Empresas BASE NORDESTE INDÚSTRIA LTDA. EUROAMERICAN DO BRASIL IMPORTAÇÃO INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. INDÚSTRIA ELÉTRICA MARANGONI MARETTI LTDA. Localização (cidade/estado) Salvador/BA Jandira/SP Mogi Mirim/SP INDÚSTRIAS QUÍMICAS IRAJÁ LTDA. São Paulo/SP LUZTOL INDÚSTRIA QUÍMICA LTDA. Aparecida de Goiânia/GO MANCHESTER QUÍMICA DO BRASIL S.A. Itatiba/SP NATRICORES INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE TINTAS LTDA. Santana de Parnaíba/SP Piracicaba SP TINTAS ALESSI LTDA. TINTAS REAL COMPANY INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE TINTAS LTDA. TSA QUÍMICA DO BRASIL LTDA. Mandirituba/PR Guarulhos/SP Criciúma/SC TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 6/33

9 3.3 EMPRESAS NÃO-PARTICIPANTES DO PROGRAMA No período abordado neste documento, o da Qualidade acompanhou, em revendas de materiais de construção, 27 empresas não-participantes, totalizando 30 marcas de tintas látex econômicas, 12 marcas de tintas látex Standard ou Premium, 14 marcas de massas niveladoras, 07 marcas de esmaltes sintéticos Standard e 01 marca de tinta a óleo. 4 NORMALIZAÇÃO ADOTADA 4.1 ESPECIFICAÇÃO DO PRODUTO A verificação da qualidade das tintas imobiliárias auditadas está sendo feita com base nos documentos normativos descritos a seguir: TINTAS LÁTEX (ECONÔMICAS, STANDARD E PREMIUM) NBR 15079:2011 Tintas para construção civil Especificação dos requisitos mínimos de de tintas para edificações não industriais Tinta látex nas cores claras. MASSAS NIVELADORAS NBR 15348:2006 Tintas para construção civil Massa niveladora monocomponente à base de dispersão aquosa para alvenaria Requisitos. ESMALTES SINTÉTICOS STANDARD E TINTAS A ÓLEO NBR 15494:2010 Tintas para construção civil - Tinta brilhante à base de solvente com secagem oxidativa - Requisitos de de tintas para edificações não industriais. VERNIZ BRILHANTE A BASE DE SOLVENTE DE USO INTERIOR P.N. 02: Tintas para construção civil Verniz brilhante a base de solvente para uso interior Requisitos de de tintas para edificações não industriais. 4.2 MÉTODOS DE ENSAIO A tabela 3, a seguir, apresenta uma síntese dos métodos de ensaios adotados no âmbito do e a tabela 4 os limites mínimos dos requisitos de constantes nos documentos normativos de especificação, contemplados no item 4.1, das tintas látex (econômicas, Standard e Premium), massas niveladoras e esmaltes sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior. TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 7/33

10 Tabela 3 - Documentos normativos utilizados na realização dos PRODUTO TINTA LÁTEX ECONÔMICA TINTA LÁTEX STANDARD E PREMIUM MASSA NIVELADORA ESMALTE SINTÉTICO STANDARD E TINTAS A ÓLEO VERNIZ DOCUMENTOS NORMATIVOS NBR 14942:2003 Determinação do poder de cobertura de tinta seca NBR 14943:2003 Determinação do poder de cobertura de tinta úmida NBR 15078:2004 Resistência à abrasão úmida sem pasta abrasiva NBR 14942:2003 Determinação do poder de cobertura de tinta seca NBR 14943:2003 Determinação do poder de cobertura de tinta úmida NBR 14940:2010 Resistência à abrasão úmida NBR 15303:2005 Determinação da absorção de água de massa niveladora NBR 15312:2005 Determinação da resistência à abrasão de massa niveladora NBR 15299:2005 Determinação de brilho NBR 15311:2010 Determinação do tempo de secagem de tintas e vernizes por medida instrumental NBR 15314:2005 Determinação do poder de cobertura em película de tinta seca obtida por extensão NBR 15315:2005 Determinação do teor de sólidos NBR 15299:2005 Determinação de brilho NBR 15311:2010 Determinação do tempo de secagem de tintas e vernizes por medida instrumental NBR 15315:2005 Determinação do teor de sólidos TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 8/33

11 MASSA NIVELADORA STANDARD E PREMIUM TINTA LÁTEX ECONÔMICA Tabela 4 Requisitos Normativos PRODUTO REQUISITO DESCRIÇÃO ESPECIFICAÇÃO Análise de marcação do recipiente O recipiente deve indicar, além das informações exigidas por lei (razão social e número do CNPJ do fabricante, prazo de validade, número do lote, marca comercial, nome do produto e conteúdo), informações referentes a: indicação do nível de qualidade (econômica, Standard ou Premium) diluição, preparação da superfície, condições ambientais para execução da pintura, intervalo entre demãos e tempo de secagem. -- Determinação do poder de cobertura de tinta seca Determinação do poder de cobertura de tinta úmida Determinação da resistência à abrasão úmida sem pasta abrasiva Este ensaio mede o poder de cobertura de uma película de tinta seca, que é a área máxima aplicada (m 2 ) por unidade de volume (L) que apresenta razão de contraste de 98,5%. Este ensaio mede o poder de cobertura em uma extensão de tinta imediatamente após a sua aplicação sobre uma cartela padrão (leneta). Este ensaio mede o número de ciclos necessários para remoção da tinta em no mínimo 80% da área percorrida pela escova. Mínimo de 4,0 m 2 /L para tinta látex econômicas Mínimo de 55,0 % para tinta látex econômicas Mínimo de 100 ciclos para tinta látex econômicas Análise de marcação do recipiente O recipiente deve indicar, além das informações exigidas por lei (razão social e número do CNPJ do fabricante, prazo de validade, número do lote, marca comercial, nome do produto e conteúdo), informações referentes a: indicação do nível de qualidade (econômica, Standard ou Premium) diluição, preparação da superfície, condições ambientais para execução da pintura, intervalo entre demãos e tempo de secagem. -- Determinação do Poder de Cobertura de Tinta Seca Determinação do Poder de Cobertura de Tinta Úmida Determinação da resistência à abrasão úmida com pasta abrasiva Análise de marcação do recipiente Determinação da resistência à abrasão de massa niveladora Determinação da absorção de água de massa niveladora Este ensaio mede o poder de cobertura de uma película de tinta seca, que é a área máxima aplicada (m 2 ) por unidade de volume (L) que apresenta razão de contraste de 98,5%. Este ensaio mede o poder de cobertura em uma extensão de tinta imediatamente após a sua aplicação sobre uma cartela padrão (leneta). Este ensaio mede o número de ciclos necessários para remoção da tinta em uma linha contínua perpendicular ao ressalto. O recipiente deve indicar, além das informações exigidas por lei (razão social e número do CNPJ do fabricante, prazo de validade, número do lote, marca comercial, nome do produto e conteúdo), informações referentes às instruções de preparo da superfície e tempo de secagem. Este ensaio determina a resistência à abrasão de massa niveladora com base na medição da quantidade de massa niveladora seca desbastada durante um número pré-determinado de ciclos de lixamento. Este ensaio determina a sensibilidade à água de massa niveladora com base na medição da quantidade de água absorvida pela massa niveladora após um determinado período de tempo de imersão. Mínimo de 5,0 m 2 /L para tinta látex Standard Mínimo de 6,0 m 2 /L para tinta látex Premium Mínimo de 85,0 % para tinta látex Standard Mínimo de 90,0 % para tinta látex Premium Mínimo de 40 ciclos para tinta látex Standard Mínimo de 100 ciclos para tinta látex Premium -- Máximo de 10g (massa interior) Máximo de 5g (massa interior/exterior) Máximo de 15% (massa interior) Máximo de 18% (massa interior/exterior) TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 9/33

12 VERNIZ BRILHANTE A BASE DE SOLVENTE PARA USO INTERIOR ESMALTES SINTÉTICOS STANDARD E TINTAS A ÓLEO Resumo Executivo do Relatório Setorial n 033A AGOSTO/2011 Tabela 4 (continuação) Requisitos Normativos PRODUTO REQUISITO DESCRIÇÃO ESPECIFICAÇÃO Análise de marcação do recipiente O recipiente deve indicar, além das informações exigidas por lei (razão social e número do CNPJ do fabricante, prazo de validade, número do lote, marca comercial, nome do produto e conteúdo), informações referentes às instruções para o preparo da superfície, condições ambientais, intervalo entre demãos, tempo de secagem, diluição ou a designação pronto para uso, precauções de segurança. -- Determinação do tempo de secagem de tintas e vernizes por medida instrumental Este ensaio determina o tempo de secagem de uma película de tinta por medida instrumental. Máximo 10h Determinação de brilho Este ensaio determina o brilho em películas de tintas ou vernizes, com base na medida fotoelétrica da reflexão da luz. Mínimo 70UB Determinação do poder de cobertura de tinta seca por extensão Este ensaio mede o poder de cobertura de uma película de tinta seca, que é a razão de contraste quociente entre a intensidade de luz refletida em duas superfícies distintas ou em partes distintas da mesma superfície. Mínimo 75% (esmalte sintético branco) Mínimo 85% (esmalte sintético preto) Determinação do teor de sólidos Este ensaio determina o teor de partículas sólidas em tintas, vernizes e produtos similares através da diferença de peso observada antes e após o corpo-de-prova ter sido seco em estufa. Mínimo 35% Análise de marcação do recipiente O recipiente deve indicar, além das informações exigidas por lei (razão social e número do CNPJ do fabricante, prazo de validade, número do lote, marca comercial, nome do produto e conteúdo), informações referentes às instruções para o preparo da superfície, condições ambientais, intervalo entre demãos, tempo de secagem, diluição ou a designação pronto para uso, precauções de segurança. -- Determinação do tempo de secagem de tintas e vernizes por medida instrumental Este ensaio determina o tempo de secagem de uma película de tinta por medida instrumental. Máximo 12:00h Determinação de brilho Este ensaio determina o brilho em películas de tintas ou vernizes, com base na medida fotoelétrica da reflexão da luz, no caso do verniz com aplicação em cartão de PVC preto. Mínimo 80UB Determinação do teor de sólidos Este ensaio determina o teor de partículas sólidas em tintas, vernizes e produtos similares através da diferença de peso observada antes e após o corpo-de-prova ter sido seco em estufa. Mínimo 40% TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 10/33

13 5 CONSIDERAÇÕES FEITAS NESTE RELATÓRIO SETORIAL Para a elaboração deste relatório, foram adotadas as seguintes considerações: 5.1 REQUISITOS ANALISADOS EMPRESAS PARTICIPANTES Para as empresas participantes, são analisados todos os requisitos de preconizados para os produtos-alvo, nas normas brasileiras. Além disso, é feita a análise com relação às marcações de embalagem das tintas látex de acordo com a NBR 15079:2011, bem como a comparação entre o rendimento indicado na embalagem e o resultado do ensaio de poder de cobertura de tinta seca. Os n de tinta látex (econômica, Standard e Premium), massa niveladora, esmalte sintético Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior, coletadas no período de março/2011 a maio/2011, constam da tabela EMPRESAS NÃO-PARTICIPANTES No caso das tintas látex (econômicas, Standard e Premium), massas niveladoras e esmaltes sintéticos Standard de empresas que não participam do, a verificação dos requisitos descritos foi planejada de forma a reduzir os custos e prazos dos ensaios. Tal planejamento foi efetuado a partir das seguintes premissas: Estabelecimento de uma ordem para execução dos ensaios, de acordo com o histórico apresentado pela respectiva marca; Interrupção da seqüência dos ensaios quando for constatada uma não-. Nas figuras 2, 3 e 4 constam exemplos de fluxogramas de ensaios para as tintas látex, massas niveladoras e esmaltes sintéticos Standard, respectivamente. Resistência à abrasão úmida (com ou sem pasta abrasiva) Poder de cobertura de tinta seca Figura 2 - Exemplo de fluxograma de ensaio de tinta látex Absorção de água Resistência à abrasão Figura 3 - Exemplo de fluxograma de ensaio de massa niveladora TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 11/33

14 Tempo de Secagem Determinação do teor de sólidos Brilho Poder de cobertura de tinta seca por extensão Figura 4 - Exemplo de fluxograma de ensaio de esmalte sintético Standard 5.2 CRITÉRIO DE CONFORMIDADE Os resultados obtidos nos ensaios d de tintas látex (econômicas, Standard e Premium), massas niveladoras, esmaltes sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior são comparados com os requisitos mínimos de adotados nas respectivas especificações citadas no item 4.1, para verificação da das marcas auditadas. Nesta etapa do, Empresas Qualificadas são empresas participantes do da Qualidade que tenham um histórico e mantenham constante a de todas as marcas de tintas látex (econômicas, Standard e Premium) em relação à NBR 15079, de todas as marcas de massas niveladoras em relação à NBR 15348, todas as marcas de esmaltes sintéticos Standard e tintas a óleo em relação à NBR e de todas as marcas de vernizes brilhantes a base de solvente para uso interior em relação ao P.N. 02: Assim sendo, uma empresa é considerada qualificada se todas as marcas de tintas látex (econômicas, Standard e Premium), massas niveladoras, esmaltes sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior produzidas, em todas unidades fabris, forem consideradas aprovadas simultaneamente nos seguintes requisitos de : TINTAS LÁTEX ECONÔMICAS o Análise de marcação do recipiente e rendimento; o Resistência à abrasão úmida sem pasta abrasiva; o Poder de cobertura de tinta seca; o Poder de cobertura de tinta úmida. TINTAS LÁTEX STANDARD E PREMIUM o Análise de marcação do recipiente e rendimento; o Resistência à abrasão úmida com pasta abrasiva; o Poder de cobertura de tinta seca; o Poder de cobertura de tinta úmida. TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 12/33

15 MASSAS NIVELADORAS (uso interior e uso exterior/interior) o Absorção de água; o Resistência à abrasão. ESMALTES SINTÉTICOS STANDARD E TINTAS A ÓLEO o Determinação do teor de sólidos; o Tempo de secagem por medida instrumental; o Poder de cobertura de tinta seca por extensão; o Brilho. VERNIZES DE USO INTERIOR o Determinação do teor de sólidos; o Tempo de secagem por medida instrumental; o Brilho. Cabe destacar que, no momento, o requisito da marcação do recipiente é de caráter informativo, apenas para as massas niveladoras, esmaltes sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior, e não atua como critério de d, para esses produtos. 5.3 CRITÉRIO DE NÃO-CONFORMIDADE São consideradas empresas não-conformes as empresas que produzem sistematicamente tintas látex (econômica, Standard ou Premium) que não atendam a um ou mais requisitos especificados na NBR (resistência à abrasão úmida sem e com pasta abrasiva, respectivamente, poder de cobertura de tinta úmida e poder de cobertura de tinta seca), massas niveladoras que não atendam um ou mais requisitos constantes na NBR (resistência à abrasão e absorção de água) ou esmaltes sintéticos Standard que não atendam um ou mais requisitos constantes na NBR (determinação do teor de sólidos, tempo de secagem por medida instrumental, poder de cobertura de tinta seca por extensão, brilho inicial). A caracterização da não- se dá através da existência de um histórico de resultados de ensaios não-conformes em qualquer um dos requisitos citados anteriormente. Cabe destacar que a não inclusão de uma empresa na relação de empresas não-conformes não significa que o fabricante produza tinta látex (econômica, Standard ou Premium) em com a NBR 15079, ou massa niveladora em com a NBR 15348, ou esmalte sintético Standard em com a NBR PERCENTUAL DE APROVAÇÃO DAS EMPRESAS Apresenta-se na tabela 5 os percentuais de aprovação das empresas participantes e dos não participantes ou em credenciamento junto ao, em relação a cada um dos requisitos normativos, para cada produto. TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 13/33

16 Tabela 5 - Percentual de das empresas participantes e não participantes do programa PRODUTO Requisito de ÍNDICE GERAL DE APROVAÇÃO Empresas Participantes Não participantes Análise de marcação do recipiente 75,0% (15/20) 13,0% (03/23) TINTA LÁTEX ECONÔMICA Poder de cobertura de tinta seca 95,0% (19/20) 38,5% (05/13) Poder de cobertura de tinta úmida 100% (20/20) 100% (09/09) Resistência à abrasão sem pasta abrasiva 100% (20/20) 31,8% (07/22) Análise de marcação do recipiente 78,9% (15/19) 16,7% (02/12) TINTA LÁTEX STANDARD Poder de cobertura de tinta seca 100% (19/19) 54,5% (06/11) Poder de cobertura de tinta úmida 100% (19/19) 55,6% (05/09) Resistência à abrasão com pasta abrasiva 100% (19/19) 50,0% (06/12) Análise de marcação do recipiente 82,4% (14/17) 27,3% (03/11) TINTA LÁTEX PREMIUM MASSA NIVELADORA Poder de cobertura de tinta seca 100% (17/17) 42,9% (03/07) Poder de cobertura de tinta úmida 100% (17/17) 80,0% (04/05) Resistência à abrasão com pasta abrasiva 100% (17/17) 36,4% (04/11) Análise de marcação do recipiente 90,0% (18/20) 35,7% (05/14) Absorção de água 100% (20/20) 64,3% (09/14) Resistência à abrasão 100% (20/20) 41,7% (05/12) Análise de marcação do recipiente 63,2% (12/19) 18,2% (02/11) ESMALTE SINTÉTICO STANDARD E TINTA A ÓLEO Teor de sólidos 100% (19/19) 45,4% (05/11) Tempo de secagem 100% (19/19) 57,1% (04/07) Poder de cobertura de tinta seca por extensão 100% (19/19) 100% (05/05) Brilho 100% (19/19) 100% (05/05) Análise de marcação do recipiente 84,2% (16/19) 25,0% (01/04) VERNIZ Teor de sólidos 100% (19/19) 100% (04/04) Tempo de secagem 100% (19/19) 100% (04/04) Brilho 100% (19/19) 100% (04/04) TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 14/33

17 7 EVOLUÇÃO DO SETOR Nas figuras 5 a 10 é apresentada a evolução da qualidade das empresas participantes do da Qualidade de Tintas Imobiliárias nos produtos alvo, quais sejam: tintas látex (econômica, Standard e Premium), massas niveladores, esmalte sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes de uso interior. Figura 5 - Evolução das empresas PARTICIPANTES para cada análise realizada nas tintas látex econômicas no âmbito do de Qualidade TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 15/33

18 Figura 6 - Empresas PARTICIPANTES para cada análise realizada nas tintas látex Standard no âmbito do de Qualidade Figura 7 - Empresas PARTICIPANTES para cada análise realizada nas tintas látex Premium no âmbito do de Qualidade TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 16/33

19 Figura 8 - Evolução das empresas PARTICIPANTES para cada análise realizada nas massas niveladoras no âmbito do de Qualidade Figura 9 - Evolução das empresas PARTICIPANTES para cada análise realizada nos esmaltes sintéticos e tintas a óleo no âmbito do de Qualidade TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 17/33

20 Figura 10 - Evolução das empresas PARTICIPANTES para cada análise realizada nos vernizes no âmbito do de Qualidade Por fim é realizada uma comparação entre as verificações realizadas no Relatório Setorial n 30 (RS 030 período: junho/2010 a agosto/2010), Relatório Setorial n 31 (RS 031 período: setembro/2010 a novembro/2010), Relatório Setorial n 32 (RS 032 período: dezembro/2010 a fevereiro/2011) e Relatório Setorial n 33 (RS 033 período: março/2011 a maio/2011), com a evolução da d, unidade fabril e empresas para cada um dos produtos avaliados, quais sejam: tintas látex (econômica, Standard e Premium), massas niveladoras, esmaltes sintéticos Standard, tintas a óleo e vernizes. TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 18/33

21 Tabela 6 - Análise das tintas látex econômicas nos requisitos de RS 030 RS 031 RS 032 RS das 43 amostras foram aprovadas nos 3 23 de 23 unidades fabris 16 de 16 empresas nos 32 das 32 amostras foram aprovadas nos 3 23 de 23 unidades fabris 16 de 16 empresas nos 56 das 57 amostras (98,2%) foram aprovadas nos 3 27 de 28 unidades fabris (96,4%) 19 de 20 empresas (95,0%) nos 46 das 49 amostras (93,9%) foram aprovadas nos 3 26 de 27 unidades fabris (96,3%) 19 de 20 empresas (95,0%) nos Tabela 7 - Análise das tintas látex Standard nos requisitos de RS 030 RS 031 RS 032 RS das 20 amostras (95,0%) foram aprovadas nos 3 20 de 21 unidades fabris (95,2%) 14 de 15 empresas (93,3%) nos 20 das 21 amostras (95,2%) foram aprovadas nos 3 20 de 21 unidades fabris (95,2%) 14 de 15 empresas (93,3%) nos 27 das 27 amostras foram aprovadas nos 3 25 de 25 unidades fabris 19 de 19 empresas nos 21 das 21 amostras (95,5%) foram aprovadas nos 3 25 de 25 unidades fabris 19 de 19 empresas nos TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 19/33

22 Tabela 8 - Análise das tintas látex Premium nos requisitos de RS 030 RS 031 RS 032 RS das 11 amostras foram aprovadas nos 3 19 das 19 unidades fabris 15 das 15 empresas nos 23 das 23 amostras foram aprovadas nos 3 19 das 19 unidades fabris 15 das 15 empresas nos 17 das 18 amostras (94,4%) foram aprovadas nos 3 20 das 21 unidades fabris (95,2%) 16 das 17 empresas (94,1%) nos 26 das 26 amostras foram aprovadas nos 3 21 das 21 unidades fabris 17 das 17 empresas nos Tabela 9 - Análise das massas niveladoras nos requisitos de RS 030 RS 031 RS 032 RS das 45 amostras foram aprovadas nos 2 23 de 23 unidades fabris 16 de 16 empresas nos 39 das 39 amostras foram aprovadas nos 2 23 de 23 unidades fabris 16 de 16 empresas nos 51 das 53 amostras (96,2%) foram aprovadas nos 2 26 de 27 unidades fabris (96,3%) 19 de 20 empresas (95,0%) nos 47 das 47 amostras foram aprovadas nos 2 27 de 27 unidades fabris 20 de 20 empresas nos TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 20/33

23 Tabela 10 - Análise dos esmaltes sintéticos Standard e tintas a óleo nos requisitos de RS 029 RS 031 RS 032 RS de 41 amostras nos 4 17 de 17 unidades fabris 15 de 15 empresas nos 34 de 34 amostras nos 4 17 de 17 unidades fabris 15 de 15 empresas nos 44 de 45 amostras (97,8%) nos 4 20 de 20 unidades fabris 19 de 19 empresas nos 32 de 32 amostras nos 4 20 de 20 unidades fabris 19 de 19 empresas nos Tabela 11 - Análise dos vernizes nos requisitos de RS 030 RS 031 RS 032 RS de 12 amostras nos 3 16 de 16 unidades fabris 15 de 15 empresas nos 10 de 10 amostras nos 3 16 de 16 unidades fabris 15 de 15 empresas nos 18 de 18 amostras nos 3 19 de 19 unidades fabris 18 de 18 empresas nos 12 de 12 amostras nos 3 20 de 20 unidades fabris 19 de 19 empresas nos TESIS - Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. 21/33

ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas

ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Av. Dr. Cardoso de Mello, 1340. 13º andar. Cj.131. Vila Olímpia. São Paulo. SP. 04548-004 / Tel: 11 3054-1482/1491.

Leia mais

ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas

ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Av. Dr. Cardoso de Mello, 1340. 13º andar. Cj.131. Vila Olímpia. São Paulo. SP. 04548-004 / Tel: 11 3054-1482/1491.

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO SETORIAL N o 40

RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO SETORIAL N o 40 ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS 7 TESIS: TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO SETORIAL N o 43

RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO SETORIAL N o 43 ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS 7 TESIS: TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA Resumo Executivo do Relatório Setorial n 013 JULHO/2006 ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE

Leia mais

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1 EMPRESAS QUALIFICADAS E NÃO-CONFORMES (Conforme Resumo Executivo do Relatório Setorial Nº 40 de abril de 2013 da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas e TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas

Leia mais

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1 EMPRESAS QUALIFICADAS E NÃO-CONFORMES (Conforme Resumo Executivo do Relatório Setorial Nº 41 de julho de 2013 da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas e TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS Resumo Executivo do Relatório Setorial n 010 OUTUBRO/2005 ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE

Leia mais

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA - BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA - BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1 QUALIFICADAS E NÃO-CONFORMES (Conforme Resumo Executivo do Relatório Setorial Nº 48 de abril de 2015 da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas e TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO

Leia mais

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA ACRÍLICO PREMIUM CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA ACRÍLICO PREMIUM CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1 QUALIFICADAS E NÃO-CONFORMES (Conforme Resumo Executivo do Relatório Setorial Nº 50 de outubro de 2015 da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas e TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RELATÓRIO SETORIAL N

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA Resumo Executivo do Relatório Setorial n 012 ABRIL/2006 ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE

Leia mais

QUALIHAB - TINTAS IMOBILIÁRIAS

QUALIHAB - TINTAS IMOBILIÁRIAS AKZONOBEL LTDA. Mauá/SP Recife/PE ANJO QUÍMICA DO BRASIL LTDA. Cricuma/ SC e tintas a óleo Paredex Tinta para Parede Coralar Tinta Látex Coralar Tinta para Paredes Coral Construtora - Econômica Coral Direto

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS - ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO DO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS Resumo Executivo do Relatório Setorial n 005 JULHO/2004 - ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE

Leia mais

ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas

ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABRAFATI Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas Av. Dr. Cardoso de Mello, 1340. 13º andar. Cj.131. Vila Olímpia. São Paulo. SP. 04548-004 / Tel: 11 3054-1482/1491.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA ABRAFATI ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO RELATÓRIO COMPLETO

Leia mais

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS COLANTES

PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS COLANTES SINAPROCIM: SINPROCIM: SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO SINDICATO DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS

Leia mais

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS COLANTES

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE ARGAMASSAS COLANTES Entidades Setoriais Nacionais Mantenedoras SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Endereço: Av.

Leia mais

SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo

SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Entidades Setoriais Nacionais Mantenedoras SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Endereço: Av.

Leia mais

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1

EMPRESAS QUALIFICADAS. massas niveladoras CORAL DECORA BRANCOS CORAL MASSA ACRÍLICA CORAL DECORA LUZ & ESPAÇO CORAL 3 EM 1 QUALIFICADAS E NÃO-CONFORMES (Conforme Resumo Executivo do Relatório Setorial Nº 39 de janeiro de 2013 da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas e TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia)

Leia mais

SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo

SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Entidades Setoriais Nacionais Mantenedoras SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Endereço: Av.

Leia mais

SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Rev4 Janeiro/2015

SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Rev4 Janeiro/2015 SUMÁRIO SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias Rev4 Janeiro/2015 1 Introdução 2 Documentos complementares 3 Conceituação 4 Requisitos do programa setorial da qualidade

Leia mais

ABIPLAR Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência

ABIPLAR Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABIPLAR Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência Rua Dr. Renato Paes de Barros, 714 - Conj. 82 - CEP 04530-001 São Paulo SP / Fone:

Leia mais

SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo

SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Entidades Setoriais Nacionais Mantenedoras SINAPROCIM Sindicato Nacional da Indústria de Produtos de Cimento SINPROCIM - Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento do Estado de São Paulo Endereço: Av.

Leia mais

SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Ed01/Rev1 Fevereiro de 2012

SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias. Ed01/Rev1 Fevereiro de 2012 SUMÁRIO SQ/IT084 Fundamentos do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias Ed01/Rev1 Fevereiro de 2012 1 Introdução 2 Documentos complementares 3 Conceituação 4 Requisitos do programa setorial

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira dos Fabricantes de Perfis de PVC para Construção Civil Av. Angélica 1968 cj. 53/54 I Higienópolis I CEP-01228 200 I São Paulo I SP http://www.afap.org.br

Leia mais

Relatório Setorial nº019

Relatório Setorial nº019 Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira do Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547-090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 3842-2433 http://www.drywall.org.br Entidade Gestora

Leia mais

Portaria n.º 141, de 27 de março de 2014. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Requisitos de Avaliação da Conformidade para Tintas para Construção Civil.

Portaria n.º 141, de 27 de março de 2014. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Requisitos de Avaliação da Conformidade para Tintas para Construção Civil. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 4, de 27 de março de 204. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS ASSUNTO: RESUMO EXECUTIVO DO RELATÓRIO

Leia mais

Associação Brasileira do Drywall. TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda.

Associação Brasileira do Drywall. TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira do Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547-090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 3842-2433 http://www.drywall.org.br Entidade Gestora

Leia mais

Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall. TESIS - Tecnologia de Sistemas em Engenharia Ltda.

Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall. TESIS - Tecnologia de Sistemas em Engenharia Ltda. Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547-090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 3842-2433 http://www.drywall.org.br

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE MATERIAIS PARA SANEAMENTO

Entidade Setorial Nacional Mantenedora ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE MATERIAIS PARA SANEAMENTO Entidade Setorial Nacional Mantenedora ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE MATERIAIS PARA SANEAMENTO Av. Queiroz Filho, 1700 Vila A Sobrado 87 Condomínio Villa Lobos Office Park Vila Hamburguesa 05319-000

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira de Materiais Compósitos Av. Professor Almeida Prado, 532 - Prédio 31 - Térreo - Sala 1 Cidade Universitária - 05508-901 São Paulo - SP - Tel/Fax:

Leia mais

Função: previsão do comportamento. Ensaios: realizados em condições padronizadas para permitir reprodutibilidade

Função: previsão do comportamento. Ensaios: realizados em condições padronizadas para permitir reprodutibilidade ENSAIOS ENSAIOS DE DESEMPENHO Função: previsão do comportamento Proteção da superfície Efeito estético Ensaios: realizados em condições padronizadas para permitir reprodutibilidade Tipos de ensaio Tinta

Leia mais

PGQ-2 PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE COMPONENTES PARA CONSTRUÇÃO CIVIL FABRICADOS COM PERFIS DE PVC SETORIAL JANELAS

PGQ-2 PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE COMPONENTES PARA CONSTRUÇÃO CIVIL FABRICADOS COM PERFIS DE PVC SETORIAL JANELAS AFAP-PVC: TESIS: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PGQ 2 - F - PGQ-2 PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE COMPONENTES

Leia mais

Av Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto. 131 - Vila Olímpia Cep: 04548-004 - São Paulo - SP Fone/Fax: 11 3054-1480

Av Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto. 131 - Vila Olímpia Cep: 04548-004 - São Paulo - SP Fone/Fax: 11 3054-1480 www.abrafati.com.br Av Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto. 131 - Vila Olímpia Cep: 04548-004 - São Paulo - SP Fone/Fax: 11 3054-1480 Rua Júlio Diniz, 56 - cjto 41 - Vila Olímpia Cep: 04547-090 - São Paulo

Leia mais

ORÇAMENTO ESTIMADO Item I Especificação Qude. Preço Unitário Valor Total

ORÇAMENTO ESTIMADO Item I Especificação Qude. Preço Unitário Valor Total Item I Especificação Qude. Preço Unitário Valor Total I.1 I.2 I.3 I.4 I.5 I.6 I.7 I.8 I.9 I.10 I.11 I.12 I.13 I.14 I.15 I.16 TINTA ACRÍLICA COR VERMELHO RUGOSO NR 93, Galão de 3,60 litros, REFERÊNCIA:

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE PINTURA

PROCEDIMENTOS DE PINTURA 1 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 2 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 01.00 SISTEMA DE PINTURA PARA ACABAMENTO FINAL EM LATEX PVA 01.01 - PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE 1. GESSO (PLACA/PASTA) - Aplicar fundo preparador de parede

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Pregão Eletrônico Nº 00020/2014(SRP)

PODER JUDICIÁRIO Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Pregão Eletrônico Nº 00020/2014(SRP) 1 de 5 22/05/2014 13:36 PREGÃO ELETRÔNICO PODER JUDICIÁRIO Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Pregão Eletrônico Nº 00020/2014(SRP) RESULTADO POR FORNECEDOR 01.769.241/0001-62

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional da Indústria Cerâmica ANICER Santa Luzia, 651, 12º andar Centro - Rio de Janeiro / RJ Tel/Fax: (21) 2524-0128 Site: www.anicer.com.br E-mail:

Leia mais

170 MASSA ACRÍLICA GLASURIT 18L 152233 MASSA ACRÍLICA GLASURIT 3,6L. Unidade

170 MASSA ACRÍLICA GLASURIT 18L 152233 MASSA ACRÍLICA GLASURIT 3,6L. Unidade 152178 ÁGUARRAS 1L SUVINIL 152182 ÁGUARRAS 5L SUVINIL 429 FUNDO BRANCO EPOXI 2,7L 170 MASSA ACRÍLICA GLASURIT 18L 152233 MASSA ACRÍLICA GLASURIT 3,6L 155342 QUEROSENE FARBEN 5L CX C/4 Un. 155341 QUEROSENE

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547-090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 3842-2433 http://www.drywall.org.br

Leia mais

Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall. TESIS - Tecnologia de Sistemas em Engenharia Ltda.

Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall. TESIS - Tecnologia de Sistemas em Engenharia Ltda. Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 38422433 http://www.drywall.org.br

Leia mais

Prefeitura Municipal de Patos de Minas Secretaria Municipal de Administração. PREGÃO Nr. 094/2009 ANEXO I. Proposta de Preços. Processo: 9580/2009

Prefeitura Municipal de Patos de Minas Secretaria Municipal de Administração. PREGÃO Nr. 094/2009 ANEXO I. Proposta de Preços. Processo: 9580/2009 PREGÃO Nr. 094/2009 ANEXO I Proposta de Preços Processo: 9580/2009 Razão Social do Licitante: CNPJ: Insc. Estadual: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: Telefone : Fax : e-mail : INFORMACÕES PARA PAGAMENTOS

Leia mais

XVII COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SC - 2013

XVII COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SC - 2013 Título do Trabalho: Perícia relativa a manifestações patológicas recorrentes, em processo de repintura das paredes externas de Parque Fabril. Autor: Eng. Civil Luís Henrique Poy, Esp. Especialista em PATOLOGIA

Leia mais

KIT Nº 14 KIT Nº 2 0.905

KIT Nº 14 KIT Nº 2 0.905 KIT Nº 1 KIT Nº 2 01 Bandeja Grande Ref.0.2823 01 Rolo de Espuma Pop 23 cm Ref.0.13 com cabo Ref. 0.2072 01 Rolo de Espuma Pop 09 cm com cabo Ref. 0.1109. 01 Rolo de Espuma Pop 05 cm c/ cabo Ref. 0.1105

Leia mais

COMO REALIZAR UMA EXCELENTE PINTURA PREDIAL!

COMO REALIZAR UMA EXCELENTE PINTURA PREDIAL! COMO REALIZAR UMA EXCELENTE PINTURA PREDIAL! Na execução de uma PINTURA, devemos levar em consideração os vários fatores que envolvem as etapas deste processo e suas particularidades. Por exemplo, temos

Leia mais

Entidade Gestora Técnica

Entidade Gestora Técnica 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE LAJES Av. Paulista, 1313 10º andar Conj. 1070 01311-923 São Paulo SP Tel.: (11) 3149-4051 Fax: (11) 3149-4049 www.abilaje.com.br engenharia@abilaje.com.br Entidade

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

CARTA CONVITE FUnC 022/2014

CARTA CONVITE FUnC 022/2014 CARTA CONVITE FUnC 022/2014 A FUnC encaminha a presente Carta Convite, para se houver interesse, participar do processo de fornecimento dos seguintes materiais e serviços: ABERTURA DE PROPOSTAS PARA REFORMA

Leia mais

TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7

TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7 TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil DEFINIÇÃO: TINTAS

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO

Leia mais

Dicas Qualyvinil PROCESSOS DE PINTURA

Dicas Qualyvinil PROCESSOS DE PINTURA Processos de pintura Existem diferentes processos de pintura, mas o segredo para o sucesso e durabilidade do acabamento final, depende invariavelmente da habilidade do profissional e da preparação da superfície.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE DE TINTAS IMOBILIÁRIAS Resumo Executivo do Relatório Setorial n 006 OUTUBRO/2004 - ABRAFATI: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE TINTAS TESIS: TECNOLOGIA DE SISTEMAS EM ENGENHARIA REFERÊNCIA: PROGRAMA DE GARANTIA DA QUALIDADE

Leia mais

Entidade Gestora Técnica

Entidade Gestora Técnica 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE LAJES Av. Paulista, 1313 10º andar Conj. 1070 01311-923 São Paulo SP Tel.: (11) 3149-4051 Fax: (11) 3149-4049 www.abilaje.com.br abilaje@terra.com.br Entidade Gestora

Leia mais

Associação Brasileira do Drywall. TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda.

Associação Brasileira do Drywall. TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira do Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547-090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 3842-2433 http://www.drywall.org.br Entidade Gestora

Leia mais

ÍNDICE. Tinta Acrílica 04 06. Tinta Látex Acrílica. Tinta Acrílica Cortex 10 12. Resina Protetora Pedra e Telha. Texturas 16 18.

ÍNDICE. Tinta Acrílica 04 06. Tinta Látex Acrílica. Tinta Acrílica Cortex 10 12. Resina Protetora Pedra e Telha. Texturas 16 18. Tinta Acrílica 04 06 Tinta Látex Acrílica Tinta Acrílica Cortex 10 12 Resina Protetora Pedra e Telha Texturas 16 18 Gel de Efeitos Tinta Piso 22 24 Tinta Gesso Esmalte Base Água 26 30 Esmalte Sintético

Leia mais

Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H

Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H PBQP-H INMETRO Programas Setoriais da Qualidade EGT credenciada pelo PBQP-H e acreditada pelo INMETRO Avaliações Técnicas ITA reconhecida pelo PBQP-H Mais de 250 ensaios acreditados pelo INMETRO SINAT

Leia mais

Manual Técnico de Pintura

Manual Técnico de Pintura Manual Técnico de Pintura Prezado Cliente Hidracor, Pensando na melhor forma de atendê-lo e tirar suas dúvidas, a Tintas Hidracor desenvolveu este Manual Técnico de Pintura. Prático e de rápida consulta,

Leia mais

Película Scotchcal MR Série D

Película Scotchcal MR Série D Película Scotchcal MR Série D Dados Técnicos Novembro/2005 Substitui: Julho/2005 Revisão 01 Barras pretas nas margens indicam as alterações Descrição Descrição e usos As Películas Scotchcal MR Série D

Leia mais

Película Scotchcal MR Série D

Película Scotchcal MR Série D Película Scotchcal MR Série D Dados Técnicos Abril/2008 Substitui: Julho/2006 Revisão 03 Barras pretas nas margens indicam as alterações Descrição Descrição e usos As Películas Scotchcal MR Série D são

Leia mais

PINTURA EM DRYWALL O QUE É PRECISO SABER

PINTURA EM DRYWALL O QUE É PRECISO SABER PINTURA EM DRYWALL O QUE É PRECISO SABER 2 a EDIÇÃO Av. Dr. Cardoso de Mello, 1340 - cjto 131 Vila Olímpia - CEP 04548 004 - São Paulo, SP Fone: 55 (11) 3054-1480 www.abrafati.com.br Rua Julio Diniz, 56

Leia mais

Conselho Regional de Educação Física da 4ª Região CREF4/SP

Conselho Regional de Educação Física da 4ª Região CREF4/SP Conselho Regional de Educação Física da 4ª Região CREF4/SP COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 73/2015 Objeto: Aquisição de materiais para execução de pequenos reparos e manutenção nas paredes, sanitários e no cofre

Leia mais

TINTAS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

TINTAS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho TINTAS Conceito Composição química variada, na maioria das vezes orgânica, que apresenta consistência líquida ou pastosa, que aplicada sobre uma superfície, forma um revestimento sólido e contínuo, com

Leia mais

Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM

Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM Regulação Mercado de Solventes 6º EBDQUIM Bahia, março 2012 Rubens Cerqueira FREITAS, M.Sc. Superintendência de Abastecimento - SAB Sistema Nacional de Abastecimento de Solventes Produtor Importador Distribuidor

Leia mais

O fundo preparador ou selador veda e nivela a superfície; se necessário, pode-se corrigir imperfeições com a massa corrida.

O fundo preparador ou selador veda e nivela a superfície; se necessário, pode-se corrigir imperfeições com a massa corrida. Página 1 de 5 TINTAS E VERNIZES LATEX ACRÍLICO E PVA Criadas para proteger e embelezar as paredes de alvenaria, estruturas metálicas e madeiras, as tintas são aperfeiçoadas para garantir maior desempenho

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

DOCUMENTOS E NORMALIZAÇÃO TÉCNICA ABNT

DOCUMENTOS E NORMALIZAÇÃO TÉCNICA ABNT DOCUMENTOS E NORMALIZAÇÃO TÉCNICA ABNT Qualificação dos ensaios - criticidade das propriedades de desempenho; Condução de experimentos e discussões técnicas; Garantia da qualidade das medidas metrologia

Leia mais

Ações de Melhoria da Qualidade

Ações de Melhoria da Qualidade Ações de Melhoria da Qualidade OBJETIVO Elaborar mecanismos específicos que garantam que os materiais colocados à disposição dos usuários da construção civil apresentem desempenho dentro das normas técnicas

Leia mais

Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra

Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra Olá! É muito comum encontrar pessoas que pensem que a NS Brazil é apenas uma indústria de pisos monolíticos. Isso porque o termo revestimentos

Leia mais

Entidade Gestora Técnica

Entidade Gestora Técnica 1 SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO SINDICATO DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO Av. Paulista, 1313 10º andar Conj. 1070 01311-923 São Paulo SP Tel.: (11) 3149-4040

Leia mais

Produto Rendimento Espessura Textura Catalisador Aplicações Características. K-4060 Catalise 5 X 1 em volume

Produto Rendimento Espessura Textura Catalisador Aplicações Características. K-4060 Catalise 5 X 1 em volume SISTEMA PU - 4000 - Tintas Industriais Esmalte E-4000 6,5 m2/litro sem diluição. 50 a 60 µm K-4060 Catalise 5 X 1 Excelente acabamento para pintura de caixa eletrônico, ônibus, baús, orelhões, painéis

Leia mais

REVESTIMENTO AUTONIVELANTE PARA REGULARIZAÇÃO DE PISOS ANTES DE ASSENTAMENTO DE CERÂMICA, PEDRAS, ETC.

REVESTIMENTO AUTONIVELANTE PARA REGULARIZAÇÃO DE PISOS ANTES DE ASSENTAMENTO DE CERÂMICA, PEDRAS, ETC. REVESTIMENTO AUTONIVELANTE PARA REGULARIZAÇÃO DE PISOS ANTES DE ASSENTAMENTO DE CERÂMICA, PEDRAS, ETC. DESCRIÇÃO O Premium Self-Leveling é um contrapiso cimentício, autonivelante, monocomponente, fluído,

Leia mais

NANOTECNOLOGIA NA PINTURA DE SEU PREDIO

NANOTECNOLOGIA NA PINTURA DE SEU PREDIO NANOTECNOLOGIA NA PINTURA DE SEU PREDIO saiba como reduzir os custos de condomínio com a pintura predial mantenha a cor original da pintura, com garantia de 8 conheça as vantagens do revestimento microcerâmico

Leia mais

Entidade Gestora Técnica

Entidade Gestora Técnica SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO SINDICATO DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO Av. Paulista, 1313 10º andar Conj. 1070 01311-923 São Paulo SP Tel.: (11) 3149-4040

Leia mais

PRODUTOS PARA CONSTRUÇÃO PINTURA E ACABAMENTO

PRODUTOS PARA CONSTRUÇÃO PINTURA E ACABAMENTO PRODUTOS PARA CONSTRUÇÃO PINTURA E ACABAMENTO PINTURA E ACABAMENTO 03.895-4 ALGODÃO POLIMENTO HIDRÓFILO 33.833-8 APLICADOR TEXTURA E CHAPISCO MAX 53.193-6 APLICADOR TINTA MAGNUM 53.113-8 BALDE PLÁSTICO

Leia mais

ANEXO I - E TRT PLANILHA DE CUSTOS UNITÁRIOS DE MATERIAIS DE PINTURA

ANEXO I - E TRT PLANILHA DE CUSTOS UNITÁRIOS DE MATERIAIS DE PINTURA PREÇO CÓDIGO MATERIAL UND UNITÁRIO R$ MÉDIA ANUAL PREÇO ANUAL TOTAL 1 Água raz, galão galão c/ 5 litros. Galão R$ 34,32 15 R$ 514,80 2 Arame Galvanizado nº 8 (1.25mm) Kg R$ 10,90 15 R$ 163,50 3 Fita adesiva,

Leia mais

TINTAS IMOBILIÁRIAS E SISTEMAS DE PINTURA

TINTAS IMOBILIÁRIAS E SISTEMAS DE PINTURA TINTAS IMOBILIÁRIAS E SISTEMAS DE PINTURA 2014 Funções Decoração Proteção da base (durabilidade dos substratos) Impedir corrosão de metais Reduzir absorção de água em materiais porosos Retardar degradação

Leia mais

Problemas Comuns. Eflorescência

Problemas Comuns. Eflorescência Problemas Comuns Como em qualquer outra área na construção civil, geralmente ocorrem problemas, seja na preparação da superfície ou no acabamento. Os problemas mais freqüentes são: Eflorescência São manchas

Leia mais

LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA APRESENTAÇÃO MERCADO

LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA APRESENTAÇÃO MERCADO LOJA DE TINTA FICHA TÉCNICA Setor da Economia: terciário Ramo de Atividade: comércio Tipo de Negócio: loja de tinta Produtos Ofertados/Produzidos: tintas empregadas na construção civil Investimento inicial:

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Olá, Apresentaremos nas próximas páginas um resumo dos nossos 18 anos de mercado e da nossa expertise em revestimentos. Uma mistura de alta tecnologia, qualidade e ótimos resultados.

Leia mais

Pintor: Treinamento e parceria. Cada vez mais especializados e mantendo uma relação. ano. Informativo. N o 11

Pintor: Treinamento e parceria. Cada vez mais especializados e mantendo uma relação. ano. Informativo. N o 11 Programa Setorial de Qualidade Abrafati. ESMALTE SINTÉTICO NBR 15494 Determinação do tempo de secagem: Máximo 10 horas Determinação do brilho: Determinação do poder de cobertura de tinta seca por extensão:

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO INSTITUTO UNI-FAMEMA / OSCIP Marília/SP ÍNDICE 1. PRELIMINARES. 2. DEMOLIÇÕES E RETIRADAS.

Leia mais

PSQ AL FT 09/15. Entidade Setorial Nacional Mantenedora. Entidade Gestora Técnica

PSQ AL FT 09/15. Entidade Setorial Nacional Mantenedora. Entidade Gestora Técnica Página 1 de 26 - Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Rua Dr. Elias Chaves, 122 Campos Elíseos São Paulo SP cep 01205-010 Telefone: (0XX11)

Leia mais

Revestimentos para IQdústria GH DOLPHQWRV H EHELGDV

Revestimentos para IQdústria GH DOLPHQWRV H EHELGDV Revestimentos para I dústria Sobre nós Fundada em 1995 Fundador: Engº Químico Newton Carvalho Jr. Área de atuação: Revestimentos monolíticos - pisos técnicos, pisos decorativos, proteções de superfície,

Leia mais

1. Identificação do Produto e da Empresa

1. Identificação do Produto e da Empresa 1. Identificação do Produto e da Empresa Produto: Perfis de Poliestireno Tipo de produto: 96 % de Poliestireno Reciclado e 4 % de Poliestireno Virgem Empresa: Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia

Leia mais

ROTULAGEM AMBIENTAL e MARKETING. Rio de Janeiro, 19 e 20/08/2010

ROTULAGEM AMBIENTAL e MARKETING. Rio de Janeiro, 19 e 20/08/2010 ROTULAGEM AMBIENTAL e MARKETING WORKSHOP INTERNACIONAL DE ROTULAGEM AMBIENTAL Rio de Janeiro, 19 e 20/08/2010 Sustentabilidade Corporativa Sustentabilidade de Empreendimentos Sustentabilidade de Produtos

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 159

Norma Técnica SABESP NTS 159 Norma Técnica SABESP NTS 159 Esquema de pintura para equipamentos e materiais em aço-carbono ou ferro fundido pintados e em contato direto com esgoto Especificação São Paulo Rev. 1 - Outubro - 2001 NTS

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria n.º 186, de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - PREGÃO 26/2015 MARCA / MODELO UNID QUANT. VERTEX Galão 1325 45,00. VERTEX Galão 1225 45,00. VERBRAS Galão 1225 31,97

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - PREGÃO 26/2015 MARCA / MODELO UNID QUANT. VERTEX Galão 1325 45,00. VERTEX Galão 1225 45,00. VERBRAS Galão 1225 31,97 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS - PREGÃO 26/2015 1. OBJETO Registro de preços para futuras aquisições de materiais de pintura 2. ESPECIFICAÇÕES ITEM 1 ESPECIFICAÇÕES Tinta esmalte verde limão, brilhante, Rendimento:

Leia mais

Ministério das Cidades PBQP-H E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Ministério das Cidades PBQP-H E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL Ministério das Cidades PBQP-H E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL Histórico 1991 PRONATH Prog. Nac. de Tecnologia da Habitação 1993 PROTECH Vilas Tecnológicas 1996 Programa de Apoio ao Desenvolvimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO CLIENTE: OBJETIVO: OBRA: PROJETO: LOCAL: CIDADE: MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 21º ANDAR EDIFICIO CENTRAL REFORMA 21º ANDAR EDIFÍCIO CENTRAL RUA CALDAS JUNIOR Nº 120-21º ANDAR- Centro Porto Alegre/RS

Leia mais