Exercícios Financiamento da saúde Professora Ana Flávia Alves

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exercícios Financiamento da saúde Professora Ana Flávia Alves e-mail: anaflaviaprofessora@yahoo.com"

Transcrição

1 Exercícios Financiamento da saúde Professora Ana Flávia Alves 1) (Prefeitura Municipal de Caeté FUMARC/2010) Assinale a alternativa considerada CORRETA: De acordo com a Constituição Federal do Brasil, 1988, o Sistema Único de Saúde será financiado com recursos do orçamento: a) Da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. b) Dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. c) Da seguridade social, da União e dos Estados. d) Da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e das Universidades públicas e privadas. 2) (Prefeitura Municipal de Betim FUMARC/2006) Os recursos financeiros originários do orçamento da Seguridade Social, de outros orçamentos da União, além de outras fontes, serão administrados, na esfera federal, pelo Ministério da Saúde, através do: a) Fundo Nacional de Saúde. b) Orçamento Geral da União. c) Fundo Nacional de Assistência Social. d) Fundo Nacional de Seguridade Social. 3) (Prefeitura Municipal de Betim FUMARC/2006) Sobre os limites mínimos de aplicação financeira nas ações de saúde pública, definidos na Emenda Constitucional nº. 29 / 2000, é correto afirmar, EXCETO: a) As despesas no âmbito do SUS são de responsabilidade da União, dos estados e dos municípios. b) É prevista a participação da comunidade na fiscalização dos gastos na saúde por intermédio dos Conselhos de Saúde. c) O repasse do recurso financeiro da União é realizado através do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde. d) As despesas da saúde são relacionadas a outras políticas públicas essenciais à saúde como educação, saneamento e combate à violência urbana. 4) (Prefeitura de Papagaios FUMARC/2008) Conforme a lei 8142, os recursos do Fundo Nacional de Saúde - FNS serão alocados como, EXCETO: a) Despesas de rateio e de capital da Secretaria Estadual de Saúde, seus órgãos e entidades exclusivos da administração direta. b) Investimentos previstos em Lei orçamentária, de iniciativa do Poder Legislativo e aprovados pelo Congresso Nacional. c) Investimentos previstos no Plano Qüinqüenal do Ministério da Saúde. d) Cobertura de ações e serviços de saúde a serem implementados pelos Municípios, Estados e Distrito 5) (Prefeitura Municipal de Belo Horizonte FUMARC/2006) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde, de acordo com a Lei nº , de 1990, serão alocados como, EXCETO: a) investimentos previstos no plano qüinqüenal do Ministério da Saúde. b) investimentos não previstos em lei orçamentária de iniciativa do poder legislativo. c) despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades da administração direta e indireta. d) cobertura das ações em serviços de saúde a serem implementadas pelos Municípios, Estados e Distrito 6) (Técnico do MPE - FUMARC/2007) Assinale V para as afirmativas consideradas verdadeiras e F para as falsas no que se refere às transferências de recursos financeiros intergovernamentais na área da saúde pública: ( ) Para receberem recursos financeiros, os municípios deverão contar com o Conselho de Saúde, com composição paritária em relação aos usuários, de acordo com o Decreto nº , de 07 de agosto de ( ) O Conselho de Saúde atua no controle da execução da política de saúde, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros. ( ) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde são para investimento e custeio do controle das endemias, não sendo remanejados com esta finalidade para os municípios. ( ) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde são para investimento e custeio da cobertura assistencial hospitalar, não sendo remanejados com esta finalidade para os municípios. A seqüência CORRETA, de cima para baixo é: a) V, V, V, F. b) V, V, F, F. c) F, V, V, F. d) F, F, V, V. 7) (Prefeitura Municipal de Belo Horizonte FUMARC/2006) Para financiamento do Sistema Único de Saúde, deverão ser utilizadas as combinações dos critérios abaixo: I- Perfil demográfico da região. II- Perfil epidemiológico da população a ser coberta. III- Características qualitativas e quantitativas da rede de saúde da área. IV- Níveis de participação do setor saúde nos orçamentos estaduais e municipais. São CORRETAS as afirmativas: a) I, II, III e IV. b) I e III, somente. c) I, II e III, somente. d) II, III e IV, somente. 1

2 8) (Prefeitura de Itabira FUNDEP 2009) Segundo a Lei n /90, na esfera federal, os recursos financeiros originários do orçamento da Seguridade Social, de outros orçamentos da União, além de outras fontes serão administrados pelo Ministério da Saúde, por meio do: A) Fundo do Tribunal de Contas da União. B) Fundo Municipal de Saúde. C) Fundo Estadual de Saúde. D) Fundo Nacional de Saúde. 9) (Prefeitura de Lavras FUNDEP 2009) São princípios gerais do financiamento para o Sistema Único de Saúde, EXCETO A) repasse fundo a fundo, definido como modalidade preferencial de transferência de recursos entre os gestores. B) financiamento de custeio com recursos federais constituídos, organizados e transferidos em blocos de recursos. C) pagamento por procedimento médico-assistencial realizado pela rede de atenção básica de serviços de saúde D) responsabilidade das três esferas de gestão União, estados e municípios. 10) (Prefeitura de Armação de Búzios FUNCAB 2012) No que se refere ao financiamento do Sistema Único de Saúde, é correto afirmar: A) Os recursos financeiros do Sistema Único de Saúde (SUS) serão depositados em conta especial, em cada esfera de sua atuação, e movimentados sob a fiscalização dos respectivos Conselhos de Saúde. B) As atividades de pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico em saúde serão cofinanciadas somente pelas universidades e pelo orçamento fiscal, não devendo receber recursos provenientes do SUS. C) As ações de saneamento que venham a ser executadas supletivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), serão financiadas por recursos tarifários específicos e recursos do Piso da Atenção Básica. D) O perfil demográfico da região e o perfil epidemiológico da população a ser coberta pelo SUS serão os principais critérios para o estabelecimento dos valores a serem transferidos aos Estados, Distrito Federal e Municípios. E) É permitida a transferência de recursos para o financiamento de ações não previstas nos planos de saúde, caso essas ações sejam devidamente justificadas e autorizadas pelas Comissões Intersetoriais. 11) (Prefeitura de Lavras Fundep 2012) Ainda de acordo com a Constituição Federal, de 1988, o SUS deve ser financiado com recursos oriundos do orçamento A ( ) da União preferencialmente e complementarmente dos Estados e Municípios. B ( ) da União, dos Estados e Municípios sem distinção. C ( ) da União, dos Estados e Municípios na proporção de 10%, 12% e 15%, respectivamente. D ( ) das Empresas Privadas através de incentivos públicos e isenções fiscais. 12) (Prefeitura Municipal de Assaí UNIUV 2011) Assinale a alternativa correta em relação à alocação dos recursos provindos do Fundo Nacional de Saúde - FNS: ( A ) Despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades, da administração direta e indireta; ( B ) Investimentos previstos em lei orçamentária, de iniciativa do poder legislativo e aprovadas pelo Congresso Nacional; (C ) Cobertura das ações de saúde a serem implementadas pelos municípios e distrito ( D ) Investimentos no Plano quinquenal do Ministério da Saúde; ( E ) Todas as alternativas estão corretas. 13) (Prefeitura Municipal de Assaí UNIUV 2011) Conforme preceitos da Lei 8.142/90, em seu artigo 4º, são critérios para que os municípios recebam recursos, entre outros: ( A ) Fundo de Saúde/ Conselho de Saúde/Plano de Saúde; ( B ) Implementação dos Programas de Saúde da Família PSF; ( C ) Ter pelo menos uma unidade do CAPs em funcionamento; ( D ) Que o gestor municipal de saúde presida o Conselho Municipal de Saúde CMS, para melhor exercício do controle social; ( E ) Os municípios têm necessariamente que estar na gestão Plena da Atenção Básica. 14) (Secretaria de Saúde do Piauí NUCEPE/2009) O Sistema de Saúde do município de Divinolândia não vai bem. Todos reclamam da falta de profissionais de saúde, da falta de medicamentos, de material insuficiente para os procedimentos e da estrutura dos prédios que está inadequada para o atendimento aos usuários. As autoridades daquele município dizem que o problema está na inadequação do financiamento do sistema de saúde. Assinale a alternativa CORRETA sobre o financiamento do SUS. a) É de responsabilidade apenas do município. b) É de inteira responsabilidade da Fundação Nacional de Saúde. c) É de inteira responsabilidade do Ministério da Saúde. d) É de responsabilidade dos três níveis de gestão federal estadual e municipal. 15) (Residência médica Universidade Federal da Paraíba COREME/2006) Em relação à Emenda Constitucional 29/2000, assinale a alternativa INCORRETA. a) A EC 29/2000 fixa o percentual mínimo de 15% (das receitas tributárias próprias), a partir de 2004, para os 2

3 municípios aplicarem em ações e serviços públicos de saúde. b) A EC 29/2000 fixa o percentual mínimo de 12% (das receitas tributárias próprias), a partir de 2004, para os estados aplicarem em ações e serviços públicos de saúde. c) A EC 29/2000 fixa o percentual mínimo de 10% (das receitas tributárias próprias), a partir de 2004, para a União aplicar em ações e serviços públicos de saúde. d) Com relação à União, o orçamento do ano anterior serve de base para um acréscimo correspondente à variação nominal do Produto Interno Bruto (PIB), para se chegar ao orçamento do ano seguinte. 16) (Prefeitura Municipal de Florianópolis FEPESE/2008) O sistema único de saúde será financiado, nos termos do art. 195, com recursos do orçamento da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes. No caso dos Municípios o porcentual será de do produto da arrecadação dos impostos que são de sua competência (art. 156 da CF/88) e dos recursos frutos da repartição das receitas tributárias (arts. 158 e 159, inciso I, alínea b e 3º da CF/88). Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna do texto. a) ( ) 10% b) ( ) 12% c) ( ) 15% d) ( ) 20% 17) (Prefeitura de Sooretama ES Funcab 2012) Para receberem os recursos referentes à cobertura das ações e serviços de saúde, conforme estabelecido na Lei n 8.142/90, de forma regular e automática, um dos requisitos básicos que os municípios deverão apresentar são os(as): A) relatórios de gestão. B) comissões intergestores. C) programações integradas. D) boletins de produção. E) consórcios intermunicipais. 18) (Fundação Hemominas IBFC 2013) Sobre o financiamento do SUS, assinale a alternativa incorreta: a) Estados e municípios devem investir em Saúde, pelo menos 15% de sua receita. b) A participação da iniciativa privada no SUS é permitida, mas apenas de modo complementar. c) Gastos com saneamento básico e aposentadoria de servidores da saúde não podem ser incluídos pelos municípios como despesas em saúde. d) Recursos da Previdência e Seguridade Social não são atualmente uma das fontes de financiamento do SUS. 19) Em relação ao financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS), para o estabelecimento do direcionamento de valores, é utilizada a combinação dos seguintes critérios: (A) perfil demográfico da região, seleção esporádica da região a ser beneficiada e características quantitativas e qualitativas da rede de saúde na área. (B) características quantitativas e qualitativas da rede de saúde na área, seleção esporádica da região a ser beneficiada e ressarcimento do atendimento a serviços prestados para outras esferas de governo. (C) perfil demográfico da região, características quantitativas e qualitativas da rede de saúde na área e ressarcimento do atendimento a serviços prestados para outras esferas de governo. (D) ressarcimento do atendimento a serviços prestados para outras esferas de governo, destinação de subvenções e auxílios a instituições prestadoras de serviços de saúde com finalidade lucrativa e perfil demográfico da região. 20) (Prefeitura de Guatambu SC PL consultoria 2011) Segundo o art. 4 da Lei no de 28 de dezembro de 1990, para receberem os recursos, os Municípios, os Estados e o Distrito Federal deverão contar com: I. Fundo de saúde. II. Conselho de saúde, com composição paritária de acordo com o decreto no /90. III. Plano de saúde. IV. Relatórios de gestão que permitam o controle de que trata o 4o do art. 33 da Lei no 8.080/90. V. Contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento. VI. Comissão de elaboração do plano de carreira, cargos e salários (PCCS), previsto o prazo de dois anos para sua implantação. a) Os itens I, III, V e VI estão corretos. b) Os itens II, III e V estão corretos. c) Os itens I, IV e VI estão incorretos. d) Os itens III e VI estão incorretos. e) Todos os itens estão corretos. 21) (Fundação Hemominas IBFC 2014) Sobre o financiamento do SUS, assinale a alternativa incorreta: a) Estados e municípios devem investir em Saúde, pelo menos 15% de sua receita. b) A participação da iniciativa privada no SUS é permitida, mas apenas de modo complementar. c) Gastos com saneamento básico e aposentadoria de servidores da saúde não podem ser incluídos pelos municípios como despesas em saúde. d) Recursos da Previdência e Seguridade Social não são atualmente uma das fontes de financiamento do SUS. 22) (Hospital Metropolitano do Barreiro IBFC 2015) Recursos do Orçamento da União, estados, e municípios são as principais fontes de financiamento do Sistema Único de Saúde. Para efeito do montante atual a ser investido pela União considera-se: a) 10% das receitas da União b) O montante do ano anterior acrescido da variação nominal do PIB (Produto Interno Bruto). 3

4 c) o montante do ano anterior acrescido do IPCA (índice de preço ao consumidor ampliado). d) 12% das receitas da União. 23) (Prefeitura de Rio Pomba IDECAN 2015) Com o advento do Sistema Único de Saúde (SUS), toda a população brasileira passou a ter direito à saúde de forma gratuita, financiada com recursos provenientes de: I. Estado. II. Federação. III. Municípios. Está(ão) correta(s) a(s) alternativa(s) A) I, II e III. B) II, apenas. C) I e II, apenas. D) I e III, apenas. 24) (Prefeitura de Tapiratiba IBC 2015) O Inciso VI do Artigo 4 da Lei Federal 8142/90 afirma que a comissão de elaboração do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS), previsto o prazo: a) de cinco anos para sua implantação b) de quatro anos para sua implantação. c) de três anos para sua implantação. d) de dois anos para sua implantação. 25) (Pref. Cuiabá/MT FGV 2015) As opções a seguir apresentam, segundo a Lei nº 8.142/90, condições para o repasse regular e automático de recursos do Fundo Nacional de Saúde para a cobertura das ações e serviços de saúde aos Municípios, à exceção de uma. Assinale-a. (A) Existência de Fundo de Saúde (B) Existência de Conselho de Saúde (C) Apresentação de plano de saúde (D) Celebração de convênio entre os órgãos executivos (E) Contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento 26) (Residência Multiprofissional FAMUC FUNEC 2014)Conforme a lei 8080, para o estabelecimento de valores a serem transferidos aos Estados, Distrito Federal e Municípios, será utilizada a combinação dos seguintes critérios, segundo análise técnica de programas e projetos, EXCETO: A) perfil demográfico da região e perfil epidemiológico da população a ser coberta; B) desempenho técnico, econômico e financeiro no período anterior; C) níveis de participação do setor saúde nos orçamentos estaduais e municipais. D) Revisão da programação pactuada e integrada de investimento da rede. 27) (Residência Multiprofissional FAMUC FUNEC 2014) Segundo a lei 8142 de 1990, os recursos do Fundo Nacional de Saúde serão alocados como: I - despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades, da administração direta e indireta; II - investimentos previstos em lei orçamentária, de iniciativa do Poder Executivo e aprovados pelo Congresso Nacional; III - investimentos previstos no Plano Qüinqüenal Estadual IV- cobertura das ações e serviços de saúde a serem implementados pelos Municípios, Estados e Distrito A alternativa correta é: A) I e III B) I e IV C) I E II D) II E IV 28) (Residência Multiprofissional FAMUC FUNEC 2013) Conforme Capítulo da lei 8080 de 1990, que trata sobre a gestão financeira do SUS, os recursos financeiros, originários do orçamento da seguridade social, de outros orçamentos da união, além de outras fontes, serão administrados, na esfera federal, pelo Ministério da Saúde, através do: a) conselho nacional de saúde b) Comitê nacional de saúde c) Conselho Financeiro nacional d) Fundo Nacional de Saúde 29) (Hospital Metropolitano do Barreiro nível médio IBFC 2014) O Sistema Único de saúde é financiado, fundamentalmente, com recursos do orçamento da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Os municípios deverão investir em Saúde, no mínimo: a) 15% de suas receitas. b) 12% de suas receitas. c) 15% de suas receitas mais a variação nominal do PIB do ano anterior. d) 12% de suas receitas mais a variação nominal do PIB do ano anterior 30) (Prefeitura de Tapiratiba IBC 2015) O Inciso VI do Artigo 4 da Lei Federal 8142/90 afirma que a comissão de elaboração do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS), previsto o prazo: a) de cinco anos para sua implantação b) de quatro anos para sua implantação. c) de três anos para sua implantação. d) de dois anos para sua implantação. 31) (SESAB BA FCC 2005) A Emenda Constitucional no 29/2000: (A) estabelece, somente para os Estados, os limites mínimos dos recursos para aplicação em ações e serviços públicos de saúde. B) desvincula a arrecadação de impostos à aplicação de recursos em ações e serviços de saúde. (C) define o quanto das receitas resultantes de impostos e transferências constitucionais dos Estados e Municípios deve ser destinado à saúde. 4

5 (D) estabelece a obrigatoriedade de aplicação dos recursos para as secretarias de finanças, que serão acompanhados e fiscalizados pelos Conselhos de Saúde. (E) permite que os Estados e Municípios decidam em conjunto o percentual a ser aplicado em serviços de saúde. 32) (SESAB BA FCC 2005) Conforme o disposto na legislação, os Estados, os Municípios e o Distrito Federal receberão recursos do Fundo Nacional de Saúde. NÃO é condição obrigatória para o recebimento: (A) possuir Conselho de Saúde. (B) possuir Fundo de Saúde. (C) prestar assistência de alta complexidade. (D) elaborar Relatório de Gestão. (E) elaborar Plano de Saúde. 33) (SESAB BA FCC 2005) Em relação aos recursos financeiros do Sistema Único de Saúde, é correto afirmar que (A) o Conselho Municipal de Saúde fiscalizará a utilização dos recursos do SUS nos respectivos Municípios. (B) são depositados em conta especial, em cada esfera de sua atuação, sendo movimentadas e fiscalizadas pelo Tribunal de Contas da União. (C) são depositados em conta especial, em cada esfera de sua atuação, sendo movimentadas e fiscalizadas pelo Ministério Público (D) são depositados em conta especial, em cada esfera de sua atuação, sendo movimentadas e fiscalizadas pelo Governo (E) são depositados em conta especial, em cada esfera de sua atuação, sendo movimentadas pelo Tribunal de Contas da esfera competente. 34) (SESA- BA FCC 2005) Os recursos do Orçamento da Seguridade Social, destinados à cobertura dos serviços e ações de saúde a serem implementados pelos Estados, Distrito Federal e Municípios, serão transferidos automaticamente. Para o recebimento dos recursos é condição obrigatória: (A) possuir Fundo de Saúde. (B) o plano mensal consolidado deve ser aprovado pela Comissão Tripartite. (C) o plano mensal de saúde deve ser compatível com os recursos disponíveis. (D) formular o plano mensal de saúde. (E) o plano mensal deve ser aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde. 35) (EBSERH UFPR IBFC- 2015) Considerando as disposições da lei Federal 8142 de 28 de dezembro de 1990 que dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências, assinale a alternativa correta: a) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde não incluem investimentos previstos em lei orçamentária de iniciativa do poder legislativo e aprovado pelo congresso nacional. b) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde não incluem investimentos previstos no Plano Qüinqüenal do Ministério da Saúde. c) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde incluem cobertura das ações e serviços de saúde a serem implementados pelos Municípios, Estados e Distrito Federal, desde que não destinados a investimentos na rede de serviços. d) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde serão alocados como despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades, da administração direta e indireta. e) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde não permitem despesas de custeio do Ministério da Saúde. 36) (Fundação estatal Saúde da Família AOCP ) Assinale a alternativa correta. Segundo a Lei 8142/1990 para recebimentos dos recursos do governo Federal os municípios deverão contar com: (A) conselho de Saúde, com composição paritária, plano de saúde e relatórios de gestão. (B) relatórios de gestão, fundo municipal de saúde e realização de conferência municipal de Saúde no mínimo há cada 4 anos. (C) fundo municipal de Saúde e Plano de saúde municipal. (D) conselho de Saúde, com composição paritária, plano municipal de saúde, relatórios de gestão e fundo municipal de saúde, contrapartida de recursos financeiros e comissão de implantação de planos de cargos e salários. (E) conselho de Saúde, com composição paritária, plano municipal de saúde, relatórios de gestão e fundo municipal de saúde, contrapartida de recursos financeiros. 37) (Fundação estatal Saúde da Família AOCP )De acordo com a Constituição Federal, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios aplicarão, anualmente, em ações e serviços públicos de saúde recursos mínimos percentuais, previstos em Lei Complementar, que será reavaliada a cada A) dois anos. (B) três anos. (C) quatro anos. (D) cinco anos. (E) sete anos. 38) (Prefeitura de São José do Rio Preto VUNESP ) A movimentação dos recursos financeiros do SUS, depositados em conta especial em cada esfera de governo, será fiscalizada: (A) pelos respectivos conselhos de saúde. (B) pelo sistema financeiro da habitação. (C) pelo fundo de seguridade social. (D) por comissão tripartite formada pelos Ministérios da Fazenda, Saúde e Previdência Social. (E) pela administração municipal. 5

6 39) (Prefeitura de Sete Lagoas FUMARC 2014) De acordo com o capítulo III da Lei 8142 de 28/09/1990 no que se refere à gestão financeira do SUS, a saber, em seu art. 35, para os valores a serem transferidos a Estados, Distrito Federal e Municípios, será utilizada a combinação dos seguintes critérios, EXCETO: (A) Perfil demográfico da região. (B) Perfil e característica exclusivamente quantitativa da rede de saúde na área. (C) Perfil epidemiológico da população a ser coberta. (D) Previsão do plano quinquenal de investimentos da rede 40) A fim de receber repasse de recursos financeiros do governo federal, para o setor saúde, os municípios deverão contar com: I. Plano de Saúde. II. Fundo de Saúde. III. Garantia de contrapartida de recursos financeiros no orçamento municipal. IV. Plano de Carreira, Cargos e Salários para o setor saúde. São CORRETAS as afirmativas: a) I, II, III e IV. b) I, II e III somente. c) I, II e IV somente. d) I e II somente. 41) (NCE/UFRJ - SES/PI 2003) Quanto ao financiamento do Sistema Único de Saúde, é correto dizer que: (A) depende da contribuição direta dos usuários; (B) é de responsabilidade única do orçamento dos municípios; (C) depende unicamente do orçamento dos estados; (D) depende majoritariamente da CPMF; (E) é de responsabilidade das três esferas de governo e cada uma deve assegurar o aporte regular de recursos ao respectivo fundo de saúde. 42) (NCE/UFRJ - SES/PI 2003) Segundo a lei de 19/09/90 (Lei Orgânica da Saúde), são critérios para o estabelecimento de valores a serem transferidos a estados, Distrito Federal e municípios: (A) desempenho técnico, econômico e financeiro no período atual; (B) perfil epidemiológico da população a ser coberta; (C) participação paritária dos usuários no conselho de saúde; (D) eficiência na arrecadação de impostos; (E) prioridade para o atendimento hospitalar. C) Despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades, da administração direta e indireta. D) Cobertura das ações e serviços de saúde a serem implementados somente pelos Estados e Distrito 44) (FEAES de Curitiba/PR FAFIPA 2015) O orçamento da seguridade social destinará ao Sistema único de Saúde (SUS), de acordo com a receita estimada, os recursos necessários à realização de suas finalidades, previstos em proposta elaborada pela sua direção nacional, com a participação dos órgãos da Previdência Social e da Assistência Social, tendo em vista as metas e as prioridades estabelecidas na ei de diretrizes orçamentárias. A respeito do Financiamento do Sistema Único de Saúde, assinale a alternativa INCORRETA: (A) São considerados de outras fontes de receita os recursos provenientes de alienações patrimoniais e rendimentos de capital. (B) As receitas geradas no âmbito do sistema único de saúde serão creditadas diretamente em contas especiais, movimentadas pela sua direção, na esfera de poder onde forem arrecadadas. (C) As atividades de pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico em saúde serão cofinanciadas pelo sistema único de saúde, pelas universidades e pelo orçamento fiscal, além de recursos de instituições de fomento e financiamento ou de origem e externa e receita própria das instituições executoras. (D) Não são consideradas como outras fontes de receita os recursos provenientes de ajuda, contribuições, doações e donativos. Gabarito: 1) a 2) a 3) d 4) a 5) b 6) b 7) a 8) d 9) c 10) a 11) e 12) e 13) a 14) d 15) c 16) c 17) a 18) a 19) c 20) e 21) a 22) a 23) a 24) d 25) d 26)d 27) b 28)d 29) a 30) d 31) c 32) c 33) a 34) a 35) d 36)d 37) d 38) a 39) b 40) a 41)e 42) b 43)c 44)d 43) (Prefeitura de Várzea da Palma COTEC 2014) De acordo com a LEI N.º 8.142, de 28 de dezembro de 1990, Art. 2.º, os recursos do Fundo Nacional de Saúde (FNS) serão alocados como: A) Investimentos previstos em lei orçamentária, de iniciativa do Poder Executivo e aprovados pelo Prefeito Municipal. B) Investimentos previstos no Plano Semestral do Ministério da Saúde. 6

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 303, DE 2013 Dispõe sobre a destinação dos recursos recuperados por meio de ações judiciais para o Fundo Nacional de Saúde e o Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Prova Comentada HU UFPR 2015 Legislação SUS

Prova Comentada HU UFPR 2015 Legislação SUS Prova Comentada HU UFPR 2015 Legislação SUS 21. (EBSERH/HU-UFPR-2015) Assinale a alternativa correta sobre a evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil e a construção do Sistema Único

Leia mais

NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo

NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo O Financiamento da Saúde, de acordo com a Constituição Federal de 1988, é responsabilidade das três esferas de Governo, com

Leia mais

PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO SEMINÁRIO BINACIONAL NA ÁREA DE SAÚDE BRASIL PERU LIMA - SETEMBRO/2011 VISÃO GERAL Abrangência: Governo Federal Marcos Legais Visão Geral do Planejamento e do Orçamento Recursos

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Altera dispositivos da Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012 que Regulamenta o 3 o do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DIRETORIA DE CONTROLE DOS MUNICÍPIOS - DMU DESTINAÇÃO DA RECEITA PÚBLICA - APLICÁVEL PARA O EXERCÍCIO DE 2012 CODIFICAÇÃO UTILIZADA PARA CONTROLE DAS

Leia mais

Alocação de Recursos e Regionalização no SUS

Alocação de Recursos e Regionalização no SUS Alocação de Recursos e Regionalização no SUS Áquilas Mendes Professor Doutor Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP-USP e do Departamento de Economia da PUC-SP ABRES Encontro Alocação de Recursos e

Leia mais

Financiamento da Saúde

Financiamento da Saúde Financiamento da Saúde Goiânia, 18 de junho de 2015. BASE LEGAL Constituição Federal Lei 8080 / 8142 Lei Complementar n. 141 (Regulamentação EC 29) EC 86 1 Linha do tempo do financiamento do SUS EC Nº

Leia mais

Área Técnica: Equipe responsável pelo SIOPS Área de Economia da Saúde e Desenvolvimento Secretaria Executiva Ministério da Saúde.

Área Técnica: Equipe responsável pelo SIOPS Área de Economia da Saúde e Desenvolvimento Secretaria Executiva Ministério da Saúde. Assunto: Composição dos indicadores estaduais calculados automaticamente pelo SIOPS, após a declaração de dados contábeis, pelos Estados e pelo DF, a partir do SIOPS 2007 semestral. Área Técnica: Equipe

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 09

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 09 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 09 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Outubro-2010 ESTADO BRASILEIRO SUBSIDIÁRIO COM A PARTICIPAÇÃO

Leia mais

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 1 Próximas aulas YOUTUBE www.romulopassos.com.br contato@romulopassos.com.br WhatsApp (074) 9926-6830 2 3 Já baixou o slide em PDF? Disposições Gerais do SUS Art.

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF. LEI 8.080/90 - Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes

Leia mais

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL Profª Carla Pintas O novo pacto social envolve o duplo sentido de que a saúde passa a ser definida como um direito de todos, integrante da condição de cidadania social,

Leia mais

Legislação Tributária ARRECADAÇÃO. Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014

Legislação Tributária ARRECADAÇÃO. Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014 Legislação Tributária ARRECADAÇÃO Ato: Lei Número/Complemento Assinatura Publicação Pág. D.O. Início da Vigência Início dos Efeitos 10057/2014 14-02-2014 14-02-2014 1 14/02/2014 14/02/2014 Ementa: Cria

Leia mais

Programa Saúde da Família - PSF

Programa Saúde da Família - PSF COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP Programa Saúde da Família - PSF REUNIÃO DO GRUPOS TÉCNICOS DE PADRONIZAÇÃO

Leia mais

Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1 Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1 Para melhor identificação dos ingressos de recursos aos cofres públicos, as receitas são codificadas e desmembradas nos seguintes níveis:

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente por Estados, Distrito Federal, Municípios e União em ações e serviços públicos de saúde, os critérios de rateio dos recursos de transferências

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.620 DE 14 DE MAIO DE 2001. (publicada no DOE nº 91, de 15 de maio de 2001) Institui o Programa de Garantia

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos)

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) O que muda Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) 1. Por que é necessário criar a Fundação de Previdência Complementar do Servidor

Leia mais

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Características da Federação Brasileira Federação Desigual Federação

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

SIOPS. Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde. Orçamento e Contabilidade aplicável ao SIOPS

SIOPS. Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde. Orçamento e Contabilidade aplicável ao SIOPS SIOPS Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde Orçamento e Contabilidade aplicável ao SIOPS Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento Secretaria Executiva / Ministério da Saúde

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador BENEDITO DE LIRA

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador BENEDITO DE LIRA PARECER Nº, DE 2015 1 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 218, de 2011, do Senador EUNÍCIO OLIVEIRA, que dispõe sobre o empregador arcar com os

Leia mais

Lei 141/2012 - Comentários

Lei 141/2012 - Comentários Lei 141/2012 - Comentários Áquilas Mendes Prof. Dr. Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP/USP e do Departamento de Economia da PUC-SP agosto/2012 BREVE CONTEXTO DA LEI 141/2012 CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos LEI Nº 358/2011 Faço saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal de Cafeara, Estado do Paraná aprovou e eu sanciono a presente Lei, que revoga a Lei nº. 084/92 de 17/09/1992. Súmula: Institui o

Leia mais

Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social. (1) renúncia fiscal

Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social. (1) renúncia fiscal Incentivos do Poder Público à atuação de entidades civis sem fins lucrativos, na área social Associação Fundação Privada Associação Sindical Partidos Políticos (1) renúncia fiscal Subvencionada 1 Entidades

Leia mais

Lei de Responsabilidade Fiscal

Lei de Responsabilidade Fiscal AOF Lei de Responsabilidade Fiscal PLANEJAMENTO Lei de Diretrizes Orçamentárias Lei Orçamentária Anual Execução Orçamentária e do Cumprimento das Metas RECEITA PÚBLICA Previsão e da Arrecadação Renúncia

Leia mais

Governo do Estado do Piauí Secretaria da Fazenda Unidade de Gestão Financeira e Contábil do Estado Gerência de Controle Contábil

Governo do Estado do Piauí Secretaria da Fazenda Unidade de Gestão Financeira e Contábil do Estado Gerência de Controle Contábil R I S C O S F I S C A I S (Artigo 4º, 3º da Lei Complementar nº 101/2000) A Lei Complementar n.º 101 de 2002 Lei de Responsabilidade Fiscal, estabelece que a Lei de Diretrizes Orçamentárias conterá o Anexo

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano SNHIS / FNHIS - Lei nº 11.124/05 REQUISITOS PARA ADESÃO DOS MUNICÍPIOS AO

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 1. CODIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA RECEITA Para melhor identificação da entrada dos recursos aos cofres públicos, as receitas são codificadas

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I Da Educação Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado

Leia mais

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL

ipea políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 133 ASSISTÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social Decreto n o 2.173, de 5 de março de 1997 aprova o Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social. Decreto n

Leia mais

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Maceió -Setembro/2013 HISTÓRICO PORTARIA GM/MS nº 3.916/98 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS ESTABELECEU DIRETRIZES

Leia mais

Rosália Bardaro Núcleo de Assuntos Jurídicos Secretaria de Estado da Saúde

Rosália Bardaro Núcleo de Assuntos Jurídicos Secretaria de Estado da Saúde Rosália Bardaro Núcleo de Assuntos Jurídicos Secretaria de Estado da Saúde A Regulamentação 9 anos de tramitação no Congresso Nacional A Lei foi editada com a seguinte estrutura: - Disposições preliminares;

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Contexto Histórico da Implantação. dos Consórcios de Saúde

Contexto Histórico da Implantação. dos Consórcios de Saúde Contexto Histórico da Implantação dos Consórcios de Saúde Os Consórcios de Saúde O que são? Iniciativa autônoma de municípios circunvizinhos, associados para gerir e prover, conjuntamente, serviços de

Leia mais

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS

DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DAS PROMOTORIAS DE JUSTIÇA REGIONAIS OBJETIVOS Dotar as Promotorias de Justiça

Leia mais

Francisco Paulo Pimenta Maria Tereza de Araújo Serra

Francisco Paulo Pimenta Maria Tereza de Araújo Serra TEXTO: FINANCIAMENTO (MECANISMOS E INSTRUMENTOS) Diretrizes Orçamentárias, Plano Integrado e Orçamento Público da União, Estados, Distrito Federal e Municípios: conhecer para exigir, exigir para incluir,

Leia mais

, 13 de agosto de 2015.

, 13 de agosto de 2015. Painel: Desafios do lado da despesa e possíveis alternativas O financiamento da política pública de saúde Sérgio Francisco Piola 9º Congresso de Gestão Pública do Rio Grande do Norte Natal, 13 de agosto

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Para mais informações, acesse o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários, 5ª edição. https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/arquivos/artigos/parte_i_-_pco.pdf

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União Facilitador: Fernanda Lyra Horário da Aula: 28 de janeiro - Segunda - das 18h às 20h SICONV TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO

Leia mais

Execução Orçamentária e Financeira

Execução Orçamentária e Financeira Execução Orçamentária e Financeira Introdutório aos cursos dos Sistemas de Contabilidade e Gastos Públicos Setembro / 2008 Administração Pública Classifica-se, conforme a CF/88 em: Administração Direta

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006 Governo do Estado Institui o Programa de Ação Cultural - PAC, e dá providências correlatas. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES

SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES SUBCHEFIA DE ASSUNTOS PARLAMENTARES PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis n os 7.998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010 Regulamenta o Decreto nº 7.082, de 27 de janeiro de 2010, que institui o Programa Nacional de Reestruturação

Leia mais

NOTA TÉCNICA 34 2013. Diretrizes para o processo de planejamento e gestão no âmbito do SUS

NOTA TÉCNICA 34 2013. Diretrizes para o processo de planejamento e gestão no âmbito do SUS NOTA TÉCNICA 34 2013 Diretrizes para o processo de planejamento e gestão no âmbito do SUS Brasília, 24 de agosto de 2013 I NTRODUÇÃO NOTA TÉCNICA 34 2013 Nesta Nota Técnica vamos analisar a proposta do

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA MÉDICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

INSTITUTO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA MÉDICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA MÉDICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO Nº 258, DE 07 DE JANEIRO DE 1991 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA MÉDICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso das atribuições

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

RELATORA: Senadora KÁTIA ABREU

RELATORA: Senadora KÁTIA ABREU PARECER N o, DE 2009 Da COMISSÃO DE AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA, sobre o Projeto de Lei do Senado n o 246, de 2007, que regula o Programa de Seguro- Desemprego Rural, o Abono Salarial Rural, o Programa

Leia mais

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada 25/11/2015 HISTÓRICO: Período anterior a CF de 1988 INAMPS População e procedimentos restritos Movimento

Leia mais

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986

LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 LEI Nº 7.560, DE 19 DE DEZEMBRO DE 1986 Cria o Fundo de Prevenção, Recuperação e de Combate às Drogas de Abuso, dispõe sobre os Bens Apreendidos e Adquiridos com Produtos de Tráfico Ilícito de Drogas ou

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.880, DE 9 DE JUNHO DE 2004. Institui o Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar - PNATE e o Programa de Apoio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO LEI N 495, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTES E DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Povo do Município de Nepomuceno, Minas Gerais,

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 20.934/2014

PROJETO DE LEI Nº 20.934/2014 PROJETO DE LEI Nº 20.934/2014 Estima a Receita e fixa a Despesa do Estado para o exercício financeiro de 2015. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991.

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUIS HELOSMAN DE FIGUEIREDO, PREFEITO MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA, ESTADO

Leia mais

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI N. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI N Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC, altera as Leis n. 7.998, de 11 de janeiro de 1990, n. 8.121, de 24 de julho de 1991 e n. 10.260, de 12 de julho

Leia mais

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social 1.4.7.3. Contribuições do art.195 CF Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social (previdência, saúde e assistência social), espécies de contribuições sociais, como

Leia mais

Lei 1308/ 2014 De 19 de agosto 2014.

Lei 1308/ 2014 De 19 de agosto 2014. Lei 1308/ 2014 De 19 de agosto 2014. Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2015 e da outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL Faço saber que a Câmara Municipal decreta e

Leia mais

CAPÍTULO I Definições

CAPÍTULO I Definições (D.O.U nº.173, de 10 de setembro de 2009, seção 1, páginas 51 e 52.) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº 29, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 Dispõe

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

Olá caros acadêmicos segue um resumo básico de alguns conceitos estabelecidos na LDO, retirado do site ponto dos concursos.

Olá caros acadêmicos segue um resumo básico de alguns conceitos estabelecidos na LDO, retirado do site ponto dos concursos. Olá caros acadêmicos segue um resumo básico de alguns conceitos estabelecidos na LDO, retirado do site ponto dos concursos. Vamos ao nosso assunto de hoje! Lei de Diretrizes Orçamentárias LDO: A LDO é

Leia mais

Eduardo Tanaka. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br

Eduardo Tanaka. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br Eduardo Tanaka Pós-graduado em Direito Constitucional. Bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Graduado em Odontologia pela USP. Auditor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.089, DE 12 DE JANEIRO DE 2015. Mensagem de veto Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei n o 10.257,

Leia mais

Constituição Federal

Constituição Federal Constituição Federal CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - 1988 COM A INCORPORAÇÃO DA EMENDA 14 Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA LEGISLAÇÃO: Leis Municipais nº 1.639 de 24/03/1970, nº 2.811 de 13/10/1977, nº 4.897 de 17/12/1991, nº 4.911 de 27/12/1991, nº 6.236 de 13/07/1995, nº 8.445 de 04/07/2001e

Leia mais

Lei Complementar 141/12. Regulamentação da EC 29/00. CT Gestão e Financiamento Março - 2012

Lei Complementar 141/12. Regulamentação da EC 29/00. CT Gestão e Financiamento Março - 2012 Lei Complementar 141/12 Regulamentação da EC 29/00 CT Gestão e Financiamento Março - 2012 Regulamenta: 1. Regulamenta o 3º do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a serem

Leia mais

LEI Nº. 1293/10- DE 05 DE JULHO DE 2010. SEBASTIÃO DE OLIVEIRA BAPTISTA, Prefeito do Município de São Francisco, Estado de São Paulo,

LEI Nº. 1293/10- DE 05 DE JULHO DE 2010. SEBASTIÃO DE OLIVEIRA BAPTISTA, Prefeito do Município de São Francisco, Estado de São Paulo, LEI Nº. 1293/10- DE 05 DE JULHO DE 2010 Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício financeiro de 2011 e dá outras providências. SEBASTIÃO DE OLIVEIRA BAPTISTA, Prefeito do Município de São

Leia mais

PORTARIA N o 15, DE 28 DE ABRIL DE 2015. (publicada no DOU de 29/04/15, Seção I, página 87)

PORTARIA N o 15, DE 28 DE ABRIL DE 2015. (publicada no DOU de 29/04/15, Seção I, página 87) PORTARIA N o 15, DE 28 DE ABRIL DE 2015. (publicada no DOU de 29/04/15, Seção I, página 87) Estabelece procedimentos a serem observados pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, pelo Ministério

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS LEI Nº 14.830, de 11 de agosto de 2009 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual do Artesanato e da Economia Solidária - CEAES, e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA,

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA ÍNDICE CAPÍTULO I - DA FINALIDADE CAPÍTULO II - DO GLOSSÁRIO CAPÍTULO III - DA CONSTITUIÇÃO DO PGA CAPÍTULO IV - DAS FONTES DE CUSTEIO ADMINISTRATIVO CAPÍTULO

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 Art. 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário

Leia mais

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter desportivo e dá outras providências. * V. Dec. 6.180/2007 (Regulamenta a Lei 11.438/2006).

Leia mais

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS RPPS E RGPS GUAXUPÉ MG AMOG - Associação dos Municípios da Microrregião da Baixa Mogiana. Pedro Antônio Moreira - AFRFB RGPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Art 201 ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

NOTA TÉCNICA 50 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS

NOTA TÉCNICA 50 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS NOTA TÉCNICA 50 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS Brasília, 18 de novembro de 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.099, DE 1º DE DEZEMBRO DE 1993 "Dispõe sobre a constituição do Conselho Estadual do Bem-Estar Social e a criação do Fundo Estadual a ele vinculado e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS 1 - O que vem a ser regime próprio de previdência social (RPPS)? R: É o sistema de previdência, estabelecido no âmbito de cada ente federativo, que assegure, por lei, ao

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Altera dispositivos da Lei Complementar Estadual n.º 308, de 25 de outubro de 2005, e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO

Leia mais

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP Grupo de Trabalho da PPI Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP 29 de março de 2011 Considerando: O processo de regionalização dos Municípios, que objetiva a organização

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº2.557 0/08

LEI MUNICIPAL Nº2.557 0/08 LEI MUNICIPAL Nº2.557 0/08 INSTITUI A POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Caeté, Minas Gerais, aprova: Art. 1º - Fica instituída a Política

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA

POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA NOVOS PARÂMETROS DO CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CONANDA) Carlos Nicodemos DOUTRINA DA INDIFERENÇA Até 1899: Ausência

Leia mais

PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. (publicada no DOU de 13/02/14, Seção I, página 103)

PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. (publicada no DOU de 13/02/14, Seção I, página 103) PORTARIA SOF N o 10, DE 12 DE FEVEREIRO DE 201. (publicada no DOU de 13/02/1, Seção I, página 103) Estabelece procedimentos a serem observados pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, pelo Ministério

Leia mais

0046 - Transferência da Cota-Parte dos Estados e DF Exportadores na Arrecadação do IPI (CF, Art. 159)

0046 - Transferência da Cota-Parte dos Estados e DF Exportadores na Arrecadação do IPI (CF, Art. 159) Programa 0903 - Operações Especiais: Transferências Constitucionais e as Decorrentes de Legislação Específica Número de Ações 22 0044 - Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal - FPE (CF,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.880, DE 9 DE JUNHO DE 2004. Conversão da MPv nº 173, de 2004 Institui o Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1528/2004 "INSTITUI O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006.

PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006. PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006. Define o processo da Programação Pactuada e Integrada da Assistência em Saúde seja um processo instituído no âmbito do Sistema Único de Saúde. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 3.257/2011 DE 22 DE AGOSTO DE 2011.

LEI MUNICIPAL Nº. 3.257/2011 DE 22 DE AGOSTO DE 2011. LEI MUNICIPAL Nº. 3.257/2011 DE 22 DE AGOSTO DE 2011. DISPÕE SOBRE AS DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DA LEI ORÇAMENTÁRIA PARA O EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2.012 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A Câmara Municipal de

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus ERRATA Secretaria de Saúde do DF AUXILIAR EM saúde - Patologia Clínica Sistema Único de Sáude - SUS Autora: Dayse Amarílio D. Diniz Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Texto compilado Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter

Leia mais