CURSO PROFISSIONALIZANTE DE ATORES PARA CINEMA STUDIO FÁTIMA TOLEDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO PROFISSIONALIZANTE DE ATORES PARA CINEMA STUDIO FÁTIMA TOLEDO"

Transcrição

1 CURSO PROFISSIONALIZANTE DE ATORES PARA CINEMA STUDIO FÁTIMA TOLEDO São Paulo - SP 2012

2 1. FÁTIMA TOLEDO Natural de Alagoas, Fátima Toledo se formou em Comunicação Visual. Na década de 70, lecionava como voluntária, aulas de teatro na FEBEM. Sua experiência com cinema se restringia à algumas aparições em curtas, como atriz. As demandas de trabalho das quais ela dispunha estavam diretamente ligadas ao meio cênico em escolas públicas ou com grupos amadores de teatro. Seu primeiro desafio na área cinematográfica foi em Pixote, dirigido por Hector Babenco. Na busca de um ator para interpretar o protagonista, Hector tomou conhecimento do trabalho que estava sendo realizado na FEBEM e, então, procurou por Fátima. Consciente do elevado grau de realismo que o filme deveria ter, não apenas do ponto de vista do enredo, mas também de interpretação, era natural que ele fosse ao encontro de alguém que conhecesse os meninos, o universo em que eles estavam inseridos e que pudesse prepará-los. Todavia, Fátima não esperava que os meninos escolhidos seriam analfabetos e sem experiência nenhuma com teatro ou cinema. Diante desse episódio, Fátima percebeu que os exercícios que ela utilizava nas aulas de teatro não seriam suficientes. Ela precisava encontrar uma nova maneira de alcançar a realidade proposta pelo filme. Ela tinha consciência de que esse novo caminho não estaria explicitado nos métodos conhecidos e nem nos livros já lidos. Ela precisava olhar para aqueles meninos e descobrir, através deles, o que fazer. Desse insight surge o vislumbre do então Método de Interpretação Fátima Toledo que seria desenvolvido no decorrer de sua carreira de maneira brilhante. Não é exagero afirmar que Fátima mudou o panorama da dramaturgia nacional. Utilizando seu espírito empreendedor e inovador, Fátima criou um Método de Interpretação único e eficaz e, por meio dele, consolidou a função de preparador de elenco no cenário cinematográfico brasileiro. Com 30 anos de experiência e participações em mais de 40 filmes, Fátima é a preparadora de elenco mais requisitada do país e, além disso, trabalha com projetos no exterior. Palestra constantemente sobre seu Método e viaja por todo Brasil oferecendo seus cursos e workshops. Atualmente, seu primeiro longa-metragem como diretora, Sobre a Verdade, está em processo de pré-produção e um livro sobre a implementação do seu Método em produções audiovisuais está sendo finalizado. 1

3 1.1 FILMOGRAFIA COMO PREPARADORA: 1981 Pixote, A Lei do mais Fraco (Direção: Hector Babenco) 1991 Brincando nos Campos do Senhor (Direção: Hector Babenco) 1993 Medicine Man (Direção: John Mctiernan) 1994 Extingue Curta Metragem (Direção: Eduardo Caron) 1995 Sábado (Direção: Ugo Giorgetti) 1997 O Cangaceiro (Direção: Aníbal Massaini) O Cineasta da Selva (Direção: Aurélio Michilles) 1998 Boleiros (Direção: Ugo Giorgetti) 1998 Central do Brasil (Direção: Walter Salles) Castelo Rá Tim Bum (Direção Cão Hamburger) Dois Córregos (Direção: Carlos Reichenbach) 2000 Tainá, Uma Aventura na Amazônia (Dir.: Tânia L. e Sérgio Bloch) 2000 Hans Staden (Direção: Luis Alberto Pereira) 2000 Eu, Tu, Eles (Direção: Andrucha Waddington) 2001 Memórias Póstumas de Brás Cubas (Direção: André Klotzel) Bellini e a Esfinge (Direção: Roberto Santucci) 2002 Cidade de Deus (Direção: Fernando Meirelles) 2003 Desmundo (Direção: Alain Fresnot) 2004 Garotas do ABC (Direção: Carlos Reichenbach) 2004 Tainá 2, A Aventura Continua (Direção: Mauro Lima) 2005 Por 30 Dinheiros (Direção: Vânia Perazzo) 2005 Cidade Baixa (Direção: Sérgio Machado) 2006 O Céu de Suely (Direção: Karim Ainouz) 2007 Casa de Alice (Direção: Chico Teixeira) 2007 Mutum (Direção: Sandra Kogut) 2007 O Mundo em Duas Voltas (Direção: David Schurmann) 2007 Tropa de Elite (Direção: José Padilha) 2007 Noel: O Poeta da Vila Curta (Direção: Ricardo Van Steen) 2008 Linha de Passe (Direção: Walter Salles) 2009 Besouro (Direção: João Daniel Tikhomiroff) 2010 Quincas Berro D água (Direção: Sérgio Machado) 2010 Tropa de Elite 2 (Direção: José Padilha) 2011 Assalto ao Banco Central (Direção: Marcos Paulo) Dois Coelhos (Direção: Afonso Poyart) 2012 Paraísos Artificiais (Direção: Marcos Prado) Acorda Brasil (Direção: Sérgio Machado) em fase de produção Praia do Futuro (Direção: Karim Ainouz) em fase de produção La Jaula de Oro (Direção: Diego Quemada Diez) - em fase de produção 2

4 2. O MÉTODO DE INTERPRETAÇÃO FÁTIMA TOLEDO Pode-se dizer que o Método nasce da necessidade de imprimir maior realidade ao trabalho dos atores e não-atores. O Método de interpretação Fátima Toledo foi modelado em torno da constatação de que toda a situação vivida em cena, encontra-se dentro do próprio ator. É neste ponto que o Método apresenta uma de suas maiores contribuições para o trabalho de preparação: a busca do personagem dentro do próprio ser humano. Inicialmente, exercícios fundamentados nos estudos de bioenergética, reich, meditações, massagens e jogos, por exemplo, são utilizados para desbloquear posturas indesejadas no ator. Essa etapa empenha-se em descobrir quem é a pessoa que está sendo preparada e permite que ela também se conheça a partir de um inquérito sobre seus valores e crenças, uma busca por referências internas e pessoais que resultará em auto-reconhecimento e aceitação por parte do próprio ator. Mais adiante, trabalha-se acerca da improvisação. Partindo do pressuposto que, ao dirigir-se diretamente ao texto, o ator perde a vivência da cena, o Método trabalha com dinâmicas que despertam e/ou recriam sensações determinadas na atmosfera do texto, por meio de motivações sensoriais. Esse recurso tem, por finalidade, resolver os problemas de disparidade entre o que o ator está realmente sentindo e o que a situação em questão pede que ele sinta. Desse modo, ele é capaz de criar uma harmonia entre as sensações experimentadas e àquelas exigidas por determinada cena. Por fim, as cenas são montadas de acordo com o texto. Da etapa de improvisação em diante, o ator já está capacitado para viver o personagem. Segundo o Método, o texto não deve ser simplesmente ser a fala de alguém criado pelo roteirista, mas sim uma forma particular de expressão da vivência proposta pelo roteiro, alcançada por meio de referências e associações encontradas dentro do próprio ator. 3

5 3. O STUDIO FÁTIMA TOLEDO O Studio Fátima Toledo foi inaugurado, em 1990, com o intuito de possibilitar o acesso ao Método de Interpretação Fátima Toledo, que antes só era vivenciado por aqueles que participavam dos filmes que Fátima preparava. Devido ao crescente número de alunos, foram necessárias algumas mudanças de endereço, para locais com espaço físico maior. Hoje, o Studio Fátima Toledo está situado na Rua Bagé, número 194 Vila Mariana. Três salas, nomeadas com títulos de filmes, constituem grande parte do espaço do Studio Fátima Toledo, são elas: Sala 1 Pixote, Sala 2 Cidade Baixa e Sala 3 Cidade de Deus. Além disso, o Studio Fátima Toledo dispõe de uma área de audiovisual que é encarregada de produzir e editar cenas e curtas-metragens realizados na própria instituição. Essas filmagens, quando finalizadas, servem como trabalho de conclusão dos cursos que, constantemente, entram em festivais nacionais e internacionais de cinema. O principal objetivo desse material é, portanto, preparar e inserir os alunos do Studio Fátima Toledo no mercado de trabalho. Atualmente, o Studio Fátima Toledo oferece uma grande variedade de cursos e workshops livres voltados para interpretação em cinema e televisão, são eles: Direção de atores com Fátima Toledo, Desenvolvimento pessoal (corporativo), Coach, Prática contínua de Bioenergética e Kundalini, Imersão ao Método Fátima Toledo, Encontro com o Método Fátima Toledo, Workshop de atores com Fátima Toledo, Intensivo Iniciação ao Método Fátima Toledo, Livre Vivência do Método Fátima Toledo, Primeiro Corte Prática do Método Fátima Toledo e Set anual Aprofundamento do Método Fátima Toledo. Além desses, o Studio Fátima Toledo também oferece palestras e eventos abertos ao público e de cunho social em parceria com o instituto Hope, Um dia no Studio e Cenas de Sábado. Também, encontra-se em fase de aprovação e reestruturação junto ao MEC/PRONAC, um projeto socio-cultural denominado Olha para Mim, voltado aos jovens carentes e/ou com necessidades especiais de São Paulo e Rio de Janeiro, com o intuito de de que eles participem de um curso de interpretação para cinema, dirigido por Fátima Toledo, que resultará em um filme de curta-metragem. O filme e o registro do projeto serão distribuídos gratuitamente em DVD, para instituições culturais e educacionais públicas ou sem fins lucrativos. 4

6 4. APRESENTAÇÃO DO CURSO PROFISSIONALIZANTE DE ATORES PARA CINEMA STUDIO FÁTIMA TOLEDO O Studio Fátima Toledo traz a sua contribuição para a formação do ator em Escolas Profissionalizantes, trazendo um perfil de formação de ator específico para o cinema, fruto da experiência e atuação de Fátima Toledo no mercado cinematográfico. Duração: 2 anos Regime: Semestral Carga horária total: 840 horas 4.1 PRÉ-REQUISITOS: Ao ingressar no curso, ter no mínimo 16 anos e ter concluído ou estar cursando a segunda série do Ensino Médio. Para a obtenção do registro profissional (DRT), ao final do curso, é necessário ao formando ter concluído o Ensino Médio. 4.2 CRITÉRIOS DE SELEÇÃO: Entrevista com o candidato e a realização de avaliação escrita e teste prático. 4.3 CONCEPÇÃO DO CURSO: Curso não sequencial em módulos independentes que se articulam através da prática e da teoria em conteúdos inter-relacionados. A cada semestre, dois módulos disciplinares agem em parceria. A prática, a experiência expressiva do ator, seu corpo, sua voz, sua presença e o pensamento teórico, conceitual, artístico e cultural. Da prática, através de exercícios de criação, improvisação e composição, com o uso de figurinos, elementos cenográficos e maquiagem ao pensamento teórico que amplia os sentidos dos alunos, através de referenciais culturais, históricos e artísticos. Esta estrutura de curso permite ao aluno, a cada conteúdo que transpassa entre as disciplinas práticas e teóricas, em cada semestre, verticalizar sua experiência. A experiência prática, expressiva e sensorial do aluno é caminho fértil para a construção de referenciais teóricos e conceituais e os referenciais teóricos, por sua vez, preparam os alunos para o adensamento da experiência prática. A dobradinha dinâmica entre as disciplinas por semestre permite o fluxo dos conteúdos, ora da teoria para a prática, ora da prática para a teoria. Este caráter do curso e a dinâmica entre prática e teoria possibilitam ao aluno construir seu aprendizado através de módulos semestrais não sequenciais de experiência. As disciplinas e os módulos semestrais não necessitam de pré-requisitos. Os conteúdos disciplinares por semestre são complementares. 5

7 4.4 MATRIZ CURRICULAR: Módulos Semestrais Articulados: História dos Conceitos Artísticos Expressão e Consciência do Ator Módulos Semestrais Articulados: Teoria dos Gêneros Expressão e Consciência do Ator Módulos Semestrais Articulados: Formatos e Mídias de Atuação: Expressão e Consciência do Ator: Módulos Semestrais Articulados: Projetos Artísticos Expressão e Consciência do Ator Módulos Presentes ao longo dos dois anos de formação: Encontros de formação 80 horas (5 encontros de 4 horas por semestre) Estágios de Acompanhamento 120 horas (6 atividades de 5h por semestre). 6

8 4.5 ESTRUTURA DAS DISCIPLINAS: História dos Conceitos Artísticos A Sétima Arte e a História do Cinema proporcionam gatilhos de associação em relação a outras artes: a pintura, a música, a dança e o teatro. Que pontes podem ser construídas? Como determinados conceitos de cada uma das artes acima se inter-relacionam? Esta disciplina traz o enfoque da História do Cinema para articular a história da arte e da estética, como construção de sentidos e significados de conceitos artísticos, ligados também ao teatro e a dança. Liga-se também a construção de repertório de leitura da linguagem cênica, associada ao cinema, pintura, teatro e dança Teoria dos Gêneros A teoria dos gêneros poéticos: o lírico, o épico e o dramático. A literatura e a cena. A dramaturgia e seus gêneros. O roteiro e sua decupagem. As análises literárias, poéticas e dramatúrgicas de materialidades textuais diversas ocupam o cerne da disciplina. Esta disciplina traz o enfoque da literatura dramática associada a uma seleção de repertório textual com ênfase também na teoria dos gêneros (o lírico e o épico), associada à expressão artística presente no cinema, no teatro, no rádio e televisão, através do estudo da estrutura dramatúrgica Formatos e Mídias de Atuação O ator no cinema, na tela, na dublagem, no teatro, no rádio e em outras plataformas. Que adaptações são necessárias? Que transposições são possíveis? O que diferencia a performance de um ator em relação à mídia que ele atua? Esta disciplina traz o enfoque da contextualização do trabalho do ator e do personagem em suas mídias de trabalho. Traz também elementos das diferenças da caracterização cênica associada à voz e ao corpo do ator, como também, às diferenças das estruturas de composição em cada uma das mídias Projetos Artísticos O cinema e o audiovisual. Ao longo desta disciplina projetos artísticos cinematográficos e audiovisuais serão desenvolvidos e realizados. Esta disciplina traz o enfoque da realização de um curta-metragem para a experiência do aluno. A produção e montagem de uma obra cinematográfica completa. O reconhecimento, a experiência e o intercâmbio nos diferentes papéis e funções dos profissionais envolvidos na realização deste curta-metragem. 7

9 4.5.5 Expressão e Consciência do Ator Esta disciplina perpassa todo o curso. Ela dá suporte às disciplinas teóricas em experiências práticas que agregam a expressão vocal, corporal e expressiva do ator, em desenvolvimento de projetos, cenas, performances e improvisações ao longo de todo o curso. Continuamente questões técnicas e expressivas são abordadas. O ator e seu instrumento de trabalho: seu corpo, sua voz, caracterizações expressivas que envolvam maquiagem, figurino, instrumentos de expressão. A formação através da prática de interpretação dramática. A técnica e a expressão artística do ator tendo como eixo artístico-pedagógico o Método de Interpretação Fátima Toledo. Traz também múltiplos enfoques distribuídos ao longo dos dois anos de formação do curso, em uma carga horária de 320 horas. A disciplina está intimamente associada aos conteúdos das disciplinas teóricas, semestre a semestre, em desdobramentos que ampliam ainda mais as horas de fato associadas ao trabalho prático do ator. Da teoria para a prática e da prática para a teoria, uma dobradinha que amplia ainda mais as possibilidades de associações, diálogos e intercâmbios. Esta opção reforça ainda mais a ação do Studio Fátima Toledo em seu trabalho frente ao ator. Para o Método de Interpretação Fátima Toledo a experiência do ator esta integrada a aspectos técnico-expressivos e humanos. A preparação e formação do ator integrada ao seu corpo, sua voz e sua expressão Em relação à Voz: Consciência e aperfeiçoamento da identidade vocal; técnicas de comunicação e expressão oral; dinâmicas respiratórias; expressão e consciência da ação vocal Em relação ao Corpo: A consciência corporal (anatomia, alongamentos, articulações); consciência corporal espacial (níveis, direções, construções); consciência corporal expressiva (partituras, personagens, treinamentos) Em relação à Caracterização do ator: Fundamentos da maquiagem; aspectos associados à história do figurino; elementos plásticos e arquitetônicos associados à cenografia e ambientação cênica Projetos Artísticos: Toda a gama de conteúdo descrita será vivenciada através de inúmeros projetos artísticos: cenas, performances de movimento, novelas radiofônicas, esquetes televisivos, roteiros cinematográficos que serão desenvolvidos pelos alunos, com a orientação e suporte de produção do Studio Fátima Toledo, com o intuito de proporcionar, ao longo dos quatro semestres de formação, espaço de difusão dos trabalhos. 8

10 Assim, proporcionar espaço para o aperfeiçoamento contínuo da experiência da cena, em contato com o público Encontros de Formação Fundamental para a formação do ator é o intercâmbio com o mercado profissional. Ao longo dos dois anos de duração do curso, o Studio Fátima Toledo trará profissionais atuantes do mercado que partilharão sua experiência profissional, a partir de focos pertinentes aos módulos disciplinares do curso. Assim o aluno terá a oportunidade de confrontar seu aprendizado ao longo das disciplinas com a experiência de profissionais atuantes e relevantes no cenário artístico brasileiro. Esta disciplina também traz os princípios éticos e legais associados ao trabalho profissional do ator através do encontro presencial dos alunos com profissionais experientes da cena artística brasileira ao longo do curso. Serão partilhados além dos conteúdos como gestão de produção; leis de Incentivo; visão e organização de projetos artísticos; planejamento de carreira profissional; conteúdos associados às disciplinas teóricas a cada semestre Estágios de Acompanhamento Agregado aos encontros de formação, ao longo dos dois anos de curso, os alunos serão convocados a assistirem espetáculos teatrais, exposições, gravações e exibições de filmes, acompanhamento de ensaios, de produção, pós-produção e realização artística relacionada aos conteúdos disciplinares de cada semestre. Por semestre o aluno participará de seis experiências. Cada experiência computará cinco horas de estágio que corresponderão ao acompanhamento da atividade artística definida pelo Studio Fátima Toledo. O aluno registrará, por escrito, suas impressões, aprendizado e considerações relacionadas aos conteúdos disciplinares associados a experiência do estágio para a sua formação. A disciplina estágios de acompanhamento complementa a disciplina encontros de formação, bem como, associa-se as disciplinas oferecidas a cada semestre e proporciona ao aluno um trabalho de campo, investigação e experiência que aproxima o aluno do mercado de trabalho para interagir, refletir de forma prática sobre os conteúdos partilhados ao longo do curso. Traz ênfase também em relação a sua produção Intelectual através da elaboração e aperfeiçoamento na construção de textos críticos e reflexivos sobre o ofício do ator. Desta forma, continuamente, o Curso Profissionalizante de Atores para Cinema do Studio Fátima Toledo atuará, ao longo dos dois anos em diversos princípios de formação integrados: formação técnica, prática e teórica do ator; intercâmbio com profissionais e a produção artística do mercado; produção de projetos artísticos, produção intelectual, crítica e de reflexão. 9

11 4.6 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Ao longo dos dois anos de formação o aluno passará por diversos projetos artísticos, tanto em relação à prática do ator, na disciplina Expressão e Consciência do Ator presente em todos os semestres, como em relação à sua produção intelectual e escrita realizada também ao longo dos quatro semestres do curso, através das disciplinas teóricas e da disciplina Estágios de Acompanhamento. 4.7 CERTIFICAÇÃO Ao concluir o curso, tendo atingido, em cada semestre, a freqüência mínima necessária (75%) em cada uma das disciplinas e a media geral mínima de aproveitamento (8,0), o aluno recebe o certificado de conclusão do curso profissionalizante de ator, com o qual poderá requerer junto ao Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado de São Paulo o atestado de capacitação profissional (DRT). STUDIO FÁTIMA TOLEDO LTDA Rua Bagé, Vila Mariana, São Paulo (11)

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

AGENDA DE CURSOS SEMESTRAL

AGENDA DE CURSOS SEMESTRAL AGENDA DE CURSOS SEMESTRAL Sobre a AIC A Academia Internacional de Cinema (AIC) abriu suas portas no dia 5 de agosto de 2004 em Curitiba, PR, oferecendo cursos livres na área de audiovisual além de curso

Leia mais

CINEMA NOSSO. Ação educacional pela democratização e convergência do audiovisual

CINEMA NOSSO. Ação educacional pela democratização e convergência do audiovisual CINEMA NOSSO escola audiovisual Ação educacional pela democratização e convergência do audiovisual Nossa História Em Agosto de 2000, um grupo de duzentos jovens de áreas populares cariocas foi reunido

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CINEMA E AUDIOVISUAL Missão O Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar um profissional humanista, com perfil técnico e artístico

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular

Regulamento de Estágio Curricular Regulamento de Estágio Curricular REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR O presente regulamento normatiza o Estágio Curricular em acordo com a Lei nº 11.788, de 25/09/2008, componente do Projeto Pedagógico

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 62 / 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Dança, Licenciatura,

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO E LICENCIATURA ARTES CÊNICAS - FACALE/UFGD

CURSO DE BACHARELADO E LICENCIATURA ARTES CÊNICAS - FACALE/UFGD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS Anexo à Resolução CEPEC Nº157 DE 06 DE SETEMBRO DE 2013. CURSO DE BACHARELADO E LICENCIATURA ARTES CÊNICAS - FACALE/UFGD ESTRUTURA

Leia mais

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo?

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é a diferença entre cinema e vídeo, audiovisual e multimídia, não é mesmo? Pré-Vestibular Social Grupo SOA Suporte à Orientação Acadêmica Ela faz cinema Ela faz cinema Ela é demais (Chico Buarque) CINEMA Chegou o momento de escolher um curso. Diante de tantas carreiras e faculdades

Leia mais

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Fundação das Artes Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Inscrições Abertas Turmas 2013 Primeiro Semestre Cursos Livres e Técnicos A Fundação das Artes é uma Escola de Artes

Leia mais

CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ORIENTADORES ARTÍSTICOS EM TEATRO PARA O PROJETO ADEMAR GUERRA Edição 2013

CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ORIENTADORES ARTÍSTICOS EM TEATRO PARA O PROJETO ADEMAR GUERRA Edição 2013 CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ORIENTADORES ARTÍSTICOS EM TEATRO PARA O PROJETO ADEMAR GUERRA Edição 2013 PROJETO ADEMAR GUERRA Conceito e Eixo Curatorial I-Apresentação O Governo do Estado de São

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Curso: Pedagogia Carga Horária: 36h Ano: 2011 Professor: José Paulo de Assis Rocha Plano de Ensino Disciplina: Arte e Educação Período: 1º ano Turno: noturno

Leia mais

Regulamento das oficinas

Regulamento das oficinas Regulamento das oficinas As oficinas oferecidas pelo Cine Festival Inconfidentes Festival Nacional de Cinema e Vídeo de Mariana são gratuitas e abertas à participação da comunidade; Cada pessoa poderá

Leia mais

PROGRAMA TRILHA SETRE NA TRILHA DAS ARTES CURSOS DE 400 HORAS. 1. Qualificação Social 100 horas

PROGRAMA TRILHA SETRE NA TRILHA DAS ARTES CURSOS DE 400 HORAS. 1. Qualificação Social 100 horas PROGRAMA TRILHA SETRE NA TRILHA DAS ARTES CURSOS DE 400 HORAS 1. Qualificação Social 100 horas INCLUSÃO DIGITAL - 30 horas (15 h de prática) Ementa: Introdução à informática, hardware e software. Descrição

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.958, DE 31 DE MARÇO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.958, DE 31 DE MARÇO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.958, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em Cinema

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO 1. AUDIOVISUAL NO ENSINO MÉDIO O audiovisual tem como finalidade realizar-se como crítica da cultura,

Leia mais

Universidade Federal da Bahia

Universidade Federal da Bahia + Universidade Federal da Bahia Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Prof. Milton Santos UFBA NOVA BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES 2010 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM XXXXXXXX + IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA

Leia mais

COMPANHIA 2 FACES da ARTE

COMPANHIA 2 FACES da ARTE COMPANHIA 2 FACES da ARTE A companhia teatral 2 Faces da Arte,foi criada em 94 pelo Ator /Autor Teatral / Artista Plástico Bicudo Júnior., com o objetivo de inovar o teatro Nacional. Desenvolvendo uma

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCA ヌヌO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCA ヌヌO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCA ヌヌO SUPERINTEND ヌNCIA DE EDUCA ヌヌO DEPARTAMENTO DE EDUCA ヌヌO E TRABALHO Parecer nº 44/11 - DET/SEED Curitiba, 21 de janeiro de 2011 Protocolo nº 10.747.502-8 Interessado:

Leia mais

Palavras-chave: LEITURA E ESCRITA, CIDADANIA, PROTAGONISMO SOCIAL. OFICINA PALAVRA MAGICA DE LEITURA E ESCRITA

Palavras-chave: LEITURA E ESCRITA, CIDADANIA, PROTAGONISMO SOCIAL. OFICINA PALAVRA MAGICA DE LEITURA E ESCRITA OFICINA PALAVRA MAGICA DE LEITURA E ESCRITA ELAINE CRISTINA TOMAZ SILVA (FUNDAÇÃO PALAVRA MÁGICA). Resumo A Oficina Palavra Mágica de Leitura e Escrita, desenvolvida pela Fundação Palavra Mágica, é um

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUÍNTES EM 2014/1

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUÍNTES EM 2014/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Publicidade e Propaganda Rádio e Televisão Relações Públicas ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUÍNTES EM 2014/1 DEFINIÇÃO

Leia mais

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo

Palavras-chave: 1. Artes; 2. Audiovisual 3. Educação; 4. Rádio; 5. Vídeo Artes Audiovisuais: Estratégia cooperativa na modalidade Educação Jovem e Adulta - EJA STEFANELLI, Ricardo 1 Instituto Federal de Educação Tecnológica de São Paulo RESUMO O presente trabalho na disciplina

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Publicidade e Propaganda Rádio e Televisão Relações Públicas ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1 DEFINIÇÃO

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. APRESENTAÇÃO Este curso, que ora apresentamos, insere-se como mais uma ação na perspectiva da formação do educador e destina-se a especializar

Leia mais

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Existem infinitas maneiras de organizar, produzir e finalizar uma obra audiovisual. Cada pessoa ou produtora trabalha da sua maneira a partir de diversos fatores:

Leia mais

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL PROGRAMA Tronco Comum SESSÃO 1 Apresentação do Workshop e Introdução à Linguagem Audiovisual 3 horas Apresentação dos intervenientes (formador e formandos). Apresentação

Leia mais

Curso de Formação Profissional para Cinema abre inscrições

Curso de Formação Profissional para Cinema abre inscrições Curso de Formação Profissional para Cinema abre inscrições É hora de se profissionalizar. Em sua nona edição, curso promove um diálogo com experientes profissionais do mercado brasileiro sobre os processos

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO Rebeca Vieira de Queiroz Almeida Faculdade Saberes Introdução O presente texto é um relato da experiência do desenvolvimento do projeto

Leia mais

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO 1º N1 1. Espaços e Práticas Culturais 40h N1 2. Oficina de Artes Visuais 80h N1 3. Prática de Leitura e escrita 80h

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão FORMULÁRIO DE AÇÃO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO: CAPACITAÇÃO PARA EDUCADORES DA PRIMEIRA INFÂNCIA,

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Curso de Engenharia de Produção NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Curso de Engenharia de Produção NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Viçosa, Minas Gerais 2014 1 INTRODUÇÃO As atividades complementares, inseridas no projeto pedagógico, têm por finalidade proporcionar

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Teatro de Anônimo apresentam

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Teatro de Anônimo apresentam Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Teatro de Anônimo apresentam EDITAL DO PROCESSO DE SELEÇÃO PROGRAMA POLO CARIOCA DE CIRCO CASA ESCOLA BENJAMIM Inscrições Abertas!

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO CURSO DE CINEMA E AUDIOVISUAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO CURSO DE CINEMA E AUDIOVISUAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE DE COMUNICAÇÃO CURSO DE CINEMA E AUDIOVISUAL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Res. Consun nº 063/12, 26/09/12. Art. 1º As Atividades Complementares são parte

Leia mais

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO

Eletiva VOCÊ EM VÍDEO Eletiva VOCÊ EM VÍDEO E.E. Princesa Isabel Número da sala e sessão Professor(es) Apresentador(es): Adriana Prado Aparecida Pereira da Silva Realização: Foco A Escola Estadual Princesa Isabel, por meio

Leia mais

Luz câmera, ação! Você é o artista com a máquina na mão!

Luz câmera, ação! Você é o artista com a máquina na mão! Luz câmera, ação! Você é o artista com a máquina na mão! E. E. Revendo Augusto Paes de Ávila Sala 2 / Sessão 2 Professora Apresentadora: Vanessa Castelão dos Santos Realização: Foco Desenvolver, por meio

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

PRÊMIO ENTRANDO EM CENA NO MUNDO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

PRÊMIO ENTRANDO EM CENA NO MUNDO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PRÊMIO ENTRANDO EM CENA NO MUNDO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO 1. Dados do Proponente Nome: Pamela Andressa Parisi de Souza Paula Idade: 20 anos 2. Identificação dos responsáveis pelo projeto Nome: Gabriella

Leia mais

TEATRO NA EDUCAÇÃO: A CENA E O REPERTÓRIO

TEATRO NA EDUCAÇÃO: A CENA E O REPERTÓRIO TEATRO NA EDUCAÇÃO: A CENA E O REPERTÓRIO Patricia Neves de Almeida Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade de Sorocaba (UNISO) patricia.almeida@prof.uniso.br Resumo: O presente texto refere-se

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA (Licenciatura e Bacharelado)

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA (Licenciatura e Bacharelado) FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES Entidade Mantenedora: ORGANIZAÇÃO EDUCACIONAL DE RIBEIRÃO PIRES R. Cel. Oliveira Lima, 3.345 Parque Aliança SP CEP: 09400-000 C.P.150 Telefones: 4828-2066 Fax: 4828-5513

Leia mais

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL

Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL Comunicação JOGOS TEATRAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO MATERNAL E EDUCAÇÃO INFANTIL ROSA, Maria Célia Fernandes 1 Palavras-chave: Conscientização-Sensibilização-Transferência RESUMO A psicóloga Vanda

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

VÍDEO DA CAMPANHA DE DIVULGAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DO PROJETO DE INCLUSÃO SOCIAL DOS CATADORES 1

VÍDEO DA CAMPANHA DE DIVULGAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DO PROJETO DE INCLUSÃO SOCIAL DOS CATADORES 1 VÍDEO DA CAMPANHA DE DIVULGAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DO PROJETO DE INCLUSÃO SOCIAL DOS CATADORES 1 Gabriela Viero GARCIA 2 Jana GONÇALVES 3 Samira Tumelero VALDUGA 4 Luciano MATTANA 5 Universidade Federal

Leia mais

Peça teatral Aldeotas : processos de criação e relações entre o teatro narrativo, a encenação e a voz cênica do ator Gero Camilo.

Peça teatral Aldeotas : processos de criação e relações entre o teatro narrativo, a encenação e a voz cênica do ator Gero Camilo. Peça teatral Aldeotas : processos de criação e relações entre o teatro narrativo, a encenação e a voz cênica do ator Gero Camilo. Palavras-chave: teatro narrativo; corpo vocal; voz cênica. É comum que

Leia mais

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN Autor: Anne Charlyenne Saraiva Campos; Co-autor: Emerson Carpegiane de Souza Martins

Leia mais

Mais Cultura nas Escolas

Mais Cultura nas Escolas Mais Cultura nas Escolas O que é o Programa Mais Cultura nas Escolas? Projeto Andarilha das Letras, Circulação Literária/ FUNARTE É o encontro de projetos pedagógicos de escolas da rede pública com experiências

Leia mais

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com disciplinas ministradas em português e inglês, e uma metodologia

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM CAPÍTULO I DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E SUAS FINALIDADES Art. 1º. As atividades complementares, no âmbito do Curso de Enfermagem,

Leia mais

B1 - ATELIER BALÉ JOVEM (CICLO INTERMEDIÁRIO E CICLO PROFISSIONALIZANTE)

B1 - ATELIER BALÉ JOVEM (CICLO INTERMEDIÁRIO E CICLO PROFISSIONALIZANTE) B) PROJETOS ESPECIAIS O eixo de PROJETOS ESPECIAIS engloba as atividades extracurriculares, complementares ao PROGRAMA DE FORMAÇÃO EM DANÇA. São atividades promovidas pela Escola com artistas convidados,

Leia mais

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Viçosa, Minas Gerais 2015 1 INTRODUÇÃO As atividades complementares, inseridas no projeto pedagógico, têm por finalidade proporcionar

Leia mais

Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1. Introdução

Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1. Introdução Empreendedorismo na Escola de Música da UFMG 1 Introdução A Música e as artes quando praticada como atividade profissional, não é diferente de qualquer outra área de conhecimento. A formação de um músico

Leia mais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Um projeto tem como objetivo transformar idéias e aspirações em ações concretas que possam aproveitar oportunidades, solucionar problemas, atender a necessidades

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 39/2015-CONSUNIV/UEA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 39/2015-CONSUNIV/UEA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 39/2015-CONSUNIV/UEA Aprova o Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Produção Audiovisual, de oferta especial, na modalidade

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares

Regulamento de Atividades Complementares Regulamento de Atividades Complementares Regulamento do Registro de Atividades Complementares O presente regulamento normatiza o registro das Atividades Complementares em acordo com o artigo 3º, da Lei

Leia mais

Espetáculo Infantil: A FANTÁTICA HISTÓRIA DO MENINO RECICLAUDO

Espetáculo Infantil: A FANTÁTICA HISTÓRIA DO MENINO RECICLAUDO Espetáculo Infantil: A FANTÁTICA HISTÓRIA DO MENINO RECICLAUDO INTRODUÇÃO Espetáculo infantil que aborda a vida do garoto Reciclaudo, que se preocupa com o mundo, a sociedade, com os amigos da escola,

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

Testemunha 4. Sinopse. Apresentação. Rio de Janeiro, Brasil 2011 documentário 70 min HD cor

Testemunha 4. Sinopse. Apresentação. Rio de Janeiro, Brasil 2011 documentário 70 min HD cor Testemunha 4 Rio de Janeiro, Brasil 2011 documentário 70 min HD cor Sinopse Uma personagem, uma atriz e o passar das horas em um interrogatório do Holocausto. Apresentação O documentário acompanha a trajetória

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR CURSO DE DANÇA LICENCIATURA

ESTRUTURA CURRICULAR CURSO DE DANÇA LICENCIATURA ESTRUTURA CURRICULAR CURSO DE DANÇA LICENCIATURA Código: 03 Matriz Curricular: DANÇA - Laranjeiras - Presencial - Noturno - Licenciatura Plena Período Letivo de Entrada em Vigor 2012-1 Carga Horária: Total

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 57/ 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso Superior em Regência de Bandas

Leia mais

Ações e Projetos Sociais

Ações e Projetos Sociais Ações e Projetos Sociais 1º - TROTE SOLIDÁRIO O Trote Solidário tem como objetivo principal atender às necessidades das Instituições beneficentes carentes da região de Barretos através da arrecadação e

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados escrito por Vários autores Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

1. ATELIÊ PRODUIRE AU SUD / IMAGEM DOS POVOS DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRAFICA internacional

1. ATELIÊ PRODUIRE AU SUD / IMAGEM DOS POVOS DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRAFICA internacional 1. ATELIÊ PRODUIRE AU SUD / IMAGEM DOS POVOS DE COPRODUÇÃO CINEMATOGRAFICA internacional Os Workshops do PRODUIRE AU SUD foram criados em 2000 em Nantes, França, dentro do Festival dos 3 Continents a fim

Leia mais

Oi FUTURO APRESENTA TERCEIRO ENCONTRO DO CICLO DE ARTE DIGITAL INTER-AGIR

Oi FUTURO APRESENTA TERCEIRO ENCONTRO DO CICLO DE ARTE DIGITAL INTER-AGIR Oi FUTURO APRESENTA TERCEIRO ENCONTRO DO CICLO DE ARTE DIGITAL INTER-AGIR - Evento será no dia 13 de novembro, a partir das 19h, começando com apresentação do grupo Teatro Para Alguém com espetáculo que

Leia mais

Vanessa Alves Bernardo Fortunato

Vanessa Alves Bernardo Fortunato III Mostra LEPEC de Arte, Cultura e Ciência IV Colóquio Corpo, Cultura e Sociedade do LAISTHESIS OFICINAS MINISTRANTES Vanessa Alves Bernardo Fortunato Djavan Antério Tiago Penna Alana Simões Bezerra Micaela

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As histórias do Senhor Urso. 2. EPISÓDIO TRABALHADO "A peça". 3. SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Em um dia de verão, os brinquedos aproveitam o sol

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

TITULO: AUTORES: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA: OBJETIVOS Gerais Específicos

TITULO: AUTORES: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA: OBJETIVOS Gerais Específicos TITULO: Oficina de Cultura Popular e Cidadania AUTORES: Maria Auxiliadora Gama Pereira orientadora; Ismerina Paulino Mesquita Bolsista; Deodôra Alves de Sousa Arruda Bolsista; Keyla Juliany Gama Pereira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º MU096- CANTO 1A OBRIG 0 60 60 2.0 Fórmula: MU055 MU055- PERCEPCAO RITMICA MU271- CANTO CORAL 1 OBRIG 0 30 30 1.0 Fórmula: MU096 MU096- CANTO 1A PRÁTICA DA POLIFONIA VOCAL A DUAS E TRÊS VOZES.

Leia mais

CADASTRO DE ATIVIDADES NO SITE DO PIBID/FAI: Título da Atividade: Esportes Alternativos (Tênis de Campo, Beisebol e Tchoukball)

CADASTRO DE ATIVIDADES NO SITE DO PIBID/FAI: Título da Atividade: Esportes Alternativos (Tênis de Campo, Beisebol e Tchoukball) CADASTRO DE ATIVIDADES NO SITE DO PIBID/FAI: Título da Atividade: Esportes Alternativos (Tênis de Campo, Beisebol e Tchoukball) Escola: Benjamin Constant Projeto: Os esportes diferentes na escola Objetivo

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

ALVES, Giovanni. MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema e Educação etrópolis: Vozes,

ALVES, Giovanni. MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema e Educação etrópolis: Vozes, ALVES, Giovanni. MACEDO, Felipe. Cineclube, Cinema e Educação etrópolis: Vozes, 2009. Editora Práxis, 2010. Autêntica 2003. 11 Selma Tavares Rebello 1 O livro Cineclube, Cinema e Educação se apresenta

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE RESOLUÇÃO Nº 10/05-CEPE Fixa a tabela de pontuação para avaliação de currículo para concurso público na carreira de Magistério Superior da UFPR. 1 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, órgão normativo,

Leia mais

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior.

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior. Cotas Pra Quê? 1 Sarah Rocha MARTINS 2 Luan Barbosa OLIVEIRA 3 Camilla Alves Ribeiro PAES LEME 4 Instituto de Ensino Superior de Rio Verde, Rio Verde, Goiás RESUMO Este documentário foi planejado e desenvolvido

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE LiteraRádio. Rádio. Literatura. Introdução

PALAVRAS-CHAVE LiteraRádio. Rádio. Literatura. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Radionovela para e com deficientes visuais 1

Radionovela para e com deficientes visuais 1 Radionovela para e com deficientes visuais 1 Gabriela Rodrigues Pereira CAPPELLINI 2 Raquel PELLEGRINI 3 Christian GODOI 4 Centro Universitário do Monte Serrat, Santos, SP RESUMO Narrar histórias a deficientes

Leia mais

CIDADANIA CULTURAL: uma experiência interdisciplinar na Educação de Jovens e Adultos do SESC Santo Amaro

CIDADANIA CULTURAL: uma experiência interdisciplinar na Educação de Jovens e Adultos do SESC Santo Amaro CIDADANIA CULTURAL: uma experiência interdisciplinar na Educação de Jovens e Adultos do SESC Santo Amaro Cláudia Mendes de Abreu Furtado e Rodrigo Cunha Santos, Serviço Social do Comércio SESC PE, Professora

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01 DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 02/2014

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01 DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 02/2014 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01 DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 02/2014 O Prefeito em Exercício do Município de Lucas do Rio Verde e a Presidente da Comissão Examinadora do Processo

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Início em 28 de setembro de 2015 Aulas as segundas e quartas, das 19h às 22h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

Cinema como ferramenta de aprendizagem¹. Angélica Moura CORDEIRO². Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB.

Cinema como ferramenta de aprendizagem¹. Angélica Moura CORDEIRO². Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB. Cinema como ferramenta de aprendizagem¹ Angélica Moura CORDEIRO² Bianca da Costa ARAÚJO³ Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB. RESUMO Este artigo pronuncia o projeto Criancine que

Leia mais

Como resultado da preparação desse I Workshop foram formalizadas orientações básicas para formatação de um projeto cultural que seguem abaixo.

Como resultado da preparação desse I Workshop foram formalizadas orientações básicas para formatação de um projeto cultural que seguem abaixo. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO CULTURAIS A Fundação Cultural do Estado da Bahia tem como missão fomentar o desenvolvimento das Artes Visuais, Dança, Música, Teatro, Circo, Audiovisual, Culturas

Leia mais

Atividades Complementares. Gestão

Atividades Complementares. Gestão Atividades Complementares Gestão Sumário Gestão atividades complementares 1. Atividades Complementares... 03 2. Computação e avaliação das Atividades Complementares... 03 3. Quadro das atividades com horas

Leia mais

Comunicação DRUMMONZINHOS: ARTE, CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL

Comunicação DRUMMONZINHOS: ARTE, CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL Comunicação DRUMMONZINHOS: ARTE, CIDADANIA E INCLUSÃO SOCIAL CAMARGO, Doraci 1 FIGUEIREDO, Ricardo Carvalho de Figueiredo 2 Palavras-Chave: Carlos Drummond de Andrade, Arte-Educação, Literatura. O PROGRAMA

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2015 Apresentação O Sindusfarma deseja oferecer aos seus associados à possibilidade de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais