MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO"

Transcrição

1 Câmara de Coordenação e Revisão Origem: PRT 3ª Região. Interessados: Assunto: - Temas Gerais CETUS HOSPITAL DIA ONCOLOGIA LTDA 2. TERRA NOVA SERVIÇOS LTDA ME 3. SOMA TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS LTDA Procurador Oficiante: Maria do Carmo de Araújo EMENTA DIREITO INDIVIDUAL DISPONÍVEL. ILEGITIMIDADE DO MPT. TERCEIRIZAÇÃO. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DO TOMADOR. DEVER DE ZELO E ATENÇÃO NA CONTRATAÇÃO. PRECEDENTE DO TST. ARQUIVAMENTO HOMOLOGADO. 1. Terceirização é a relação negocial entre três sujeitos envolvidos diretamente - trabalhador, intermediador de mão de obra e o tomador de serviços caracterizando-se, principalmente, pela inexistência dos requisitos, notadamente a subordinação, que conformam a figura do empregado em relação ao tomador de serviços. E, neste aspecto, divirjo parcialmente da doutrina por entender que a presença dos requisitos previstos nos artigos 2º e 3º da CLT são fundamentais e suficientes para configurar uma terceirização irregular. 2. As tendências econômicas mundiais (globalização, crise etc.) ensejaram mudanças de gestões empresariais radicais, exigindo máxima produtividade e mínimos custos, sob pena de não haver espaço para empresas obsoletas no mercado competitivo. O mais atingido com essa nova faceta de gestão foi o trabalhador, que teve vários direitos flexibilizados. 3. A terceirização é uma das formas que os empresários têm buscado para amenizar seus gastos, reinvestindo no negócio ou aumentando seus lucros. Daí por que, de alguns anos para cá, a locação de serviços ou terceirização tem sido moda. A situação toma contornos preocupantes quando se percebe que boa parte dos trabalhadores terceirizados ou subcontratados são, na verdade, verdadeiros empregados das empresas tomadoras de serviços, disfarçados, por contratos simulados, com fito de driblar a legislação trabalhista e reduzir a proteção do trabalhador de modo indireto. 4. As prestadoras de serviços, ora denunciadas, descumpriram a legislação trabalhista e prejudicaram uma gama de empregados em temas eminentemente patrimoniais, o que ensejou o ajuizamento de reclamações trabalhistas em face das prestadoras de serviços (denunciadas) e, subsidiariamente, tomadora de serviço (denunciante).

2 5. O descumprimento das normas trabalhistas por parte das denunciadas, por terem natureza patrimonial, não justifica a atuação deste parquet. É de bom alvitre informar que há situações excepcionais que possam atrair a atuação do MPT (Órgão Agente), mesmo com temas afetos a natureza pecuniária da obrigação, o que não se percebe na espécie. 6. A hipótese é de direito individual, despido de indisponibilidade, competindo ao trabalhador lesado buscar o cumprimento das avenças desrespeitadas ou à entidade sindical, em caráter subsidiário, pleitear reparação/ressarcimento pelos danos sofridos. 7. A responsabilidade do tomador de serviços decorre de ato de terceiro, que contratou empregados e os disponibilizou a seu favor. E este terceiro, ao deixar de pagar verbas trabalhistas, comete ato ilícito, estando obrigado à reparação. O tomador de serviços, na contratação do terceiro, deve estar atento à sua idoneidade, tanto no ato de contratação, sob pena de se configurar a culpa in eligendo, quanto na execução do contrato, sob pena de incidir na culpa in vigilando. Referidas modalidades de culpa são presumidas do inadimplemento de obrigações trabalhistas pelo empregador. 8. No caso em tela, a denunciante contratou por ato volitivo uma empresa para intermediar mão de obra para determinadas atividades e, ao que parece, sem o zelo e atenção exigida para tais negociações. 9. O TST editou o Enunciado n. 331, consagrando, no inciso IV, a responsabilidade subsidiária do tomador de serviços, quando houver o inadimplemento de obrigações trabalhistas por parte do empregador intermediador de mão de obra. 10. A solução recomendada à denunciante reside na esfera cível, podendo ser alcançada com ajuizamento de ação própria para ressarcimento de eventuais prejuízos sofridos. 11. Proposta de arquivamento que se homologa seja porque a hipótese é direito individual de natureza patrimonial e disponível, portanto tutelável por via de instrumento jurídico apto e idôneo à satisfação do direito (ação trabalhista) dito violado; seja porque comprovado, nos autos, a ineficiência no dever de zelo e atenção na contratação da empresa prestadora de serviços, bem como na fiscalização da execução do contrato RELATÓRIO Trata-se de denúncia, apresentada pela empresa CETUS HOSPITAL DIA ONCOLOGIA LTDA, em face da SOMA TERCEIRIZAÇÃO E SERVIÇOS LTDA e a empresa TERRA NOVA SERVIÇOS LTDA ME, noticiando o descumprimento da legislação trabalhista, notadamente, o dever de pagar verbas trabalhistas e não realização do deposito do FGTS.

3 O membro oficiante promoveu arquivamento liminar por não constatar interesse tutelável por este Órgão ministerial, considerou tratar-se de tema sem relevância social e questão já posta em juízo, pelo menos, no que tange o único trabalhador lesado apresentado pelo denunciante, conforme reclamação trabalhista anexada. Ademais, discorreu sobre os reais legitimados para fiscalização e cobrança da contribuição previdenciária e do recolhimento do FGTS. De outro modo, o denunciante interpôs recurso administrativo indignado com o arquivamento, afirmou haver um número relevante de trabalhadores tolhidos em seus direitos, o que justificaria a atuação do Parquet. Não houve contrarrazões. É o relatório ADMISSIBILIDADE Conheço do Recurso Administrativo, porque atendidos os pressupostos da Resolução 69/2007 do CSMPT. FUNDAMENTAÇÃO Terceirização é a relação negocial entre três sujeitos envolvidos diretamente - trabalhador, intermediador de mão de obra e o tomador de serviços caracterizando-se, principalmente, pela inexistência dos requisitos, notadamente a subordinação, que conformam a figura do empregado em relação ao tomador de serviços. Segundo Maurício Godinho, terceirização é o fenômeno pelo qual se dissocia a relação econômica de trabalho da relação justrabalhista que lhe seria correspondente. É o mecanismo jurídico que permite a um sujeito de direito tomar serviços no mercado de trabalho sem responder, diretamente, pela relação empregatícia estabelecida com o respectivo trabalhador. Conforme a doutrina trabalhista, as terceirizações podem ser classificadas como regulares e irregulares, sendo a regular atrelada à atividade-meio, desde que ausentes os requisitos do vínculo de emprego entre o trabalhador e o tomador, e a

4 irregular, embora a lei não a proíba (por isso não é ilícita), violadora de princípios básicos de Direito do Trabalho, tendo, como exemplo, a terceirização da atividade fim. E, neste aspecto, divirjo parcialmente da doutrina por entender que a presença dos requisitos previstos nos artigos 2º e 3º da CLT são fundamentais e suficientes para configurar uma terceirização irregular. As tendências econômicas mundiais (globalização, crise etc.) ensejaram mudanças de gestões empresariais radicais, exigindo máxima produtividade e mínimos custos, sob pena de não haver espaço para empresas obsoletas no mercado competitivo. O mais atingido com essa nova faceta de gestão foi o trabalhador, que teve vários direitos flexibilizados. A terceirização é uma das formas que os empresários têm buscado para amenizar seus gastos, reinvestindo no negócio ou aumentando seus lucros. Daí por que, de alguns anos para cá, a locação de serviços ou terceirização tem sido moda. A situação toma contornos preocupantes quando se percebe que boa parte dos trabalhadores terceirizados ou subcontratados são, na verdade, verdadeiros empregados das empresas tomadoras de serviços, disfarçados, por contratos simulados, com fito de driblar a legislação trabalhista e reduzir a proteção do trabalhador de modo indireto. Esse é o atual cenário da terceirização no país e, por isso, não existe grandes preocupações dos tomadores de serviços relativamente à idoneidade da empresa prestadora de serviços, pois o seu objetivo é tão-somente a redução de custos. O TST editou o Enunciado n. 331, consagrando, no inciso IV, a responsabilidade subsidiária do tomador de serviços, quando houver o inadimplemento de obrigações trabalhistas por parte do empregador intermediador de mão de obra. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. LEGALIDADE (nova redação do item IV e inseridos os itens V e VI à redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e I - A contratação de trabalhadores por empresa interposta é ilegal, formando-se o vínculo diretamente com o tomador dos serviços, salvo no caso de trabalho temporário (Lei nº 6.019, de ). II - A contratação irregular de trabalhador, mediante empresa interposta, não gera vínculo de emprego com os órgãos da Administração Pública direta, indireta ou fundacional (art. 37, II, da CF/1988). III - Não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de serviços de vigilância (Lei nº 7.102, de ) e de conservação e

5 limpeza, bem como a de serviços especializados ligados à atividade-meio do tomador, desde que inexistente a pessoalidade e a subordinação direta. IV - O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do empregador, implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços quanto àquelas obrigações, desde que haja participado da relação processual e conste também do título executivo judicial. V - Os entes integrantes da Administração Pública direta e indireta respondem subsidiariamente, nas mesmas condições do item IV, caso evidenciada a sua conduta culposa no cumprimento das obrigações da Lei n.º 8.666, de , especialmente na fiscalização do cumprimento das obrigações contratuais e legais da prestadora de serviço como empregadora. A aludida responsabilidade não decorre de mero inadimplemento das obrigações trabalhistas assumidas pela empresa regularmente contratada. VI A responsabilidade subsidiária do tomador de serviços abrange todas as verbas decorrentes da condenação referentes ao período da prestação laboral. (Grifo nosso) No caso em tela, a denunciante contratou por ato volitivo uma empresa para intermediar mão de obra para determinadas atividades e, ao que parece, sem o zelo e atenção exigida para tais negociações. As prestadoras de serviços, ora denunciadas, descumpriram a legislação trabalhista e prejudicaram uma gama de empregados em temas eminentemente patrimoniais, o que ensejou o ajuizamento de reclamações trabalhistas em face das prestadoras de serviços (denunciadas) e, subsidiariamente, tomadora de serviço (denunciante). O descumprimento das normas trabalhistas por parte das denunciadas, por terem natureza patrimonial, não justifica a atuação deste parquet. É de bom alvitre informar que há situações excepcionais que possam atrair a atuação do MPT (Órgão Agente), mesmo com temas afetos a natureza pecuniária da obrigação, o que não se percebe na espécie. A responsabilidade do tomador de serviços decorre de ato de terceiro, que contratou empregados e os disponibilizou a seu favor. E este terceiro, ao deixar de pagar verbas trabalhistas, comete ato ilícito, estando obrigado à reparação.

6 O tomador de serviços, na contratação do terceiro, deve estar atento à sua idoneidade, tanto no ato de contratação, sob pena de se configurar a culpa in eligendo, quanto na execução do contrato, sob pena de incidir na culpa in vigilando. Referidas modalidades de culpa são presumidas do inadimplemento de obrigações trabalhistas pelo empregador. Fala-se em culpa in eligendo do tomador de serviços quando na escolha do prestador não há a cautela e prudência esperada para a celebração do contrato. Nesta linha de raciocínio, constata-se o descuido da empresa denunciante que afirmou existir uma série de reclamações trabalhistas contra as denunciadas, fato facilmente constatado através de pesquisas processuais. A problemática é que tais pesquisas indicativas de inidoneidade somente foram realizadas depois da contratação e, consequentemente, dos surgimentos dos problemas de cunho trabalhista. Neste sentido, é esclarecedora a seguinte ementa: TERCEIRIZAÇÃO - RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. A ordem jurídica reconhece como válidos os contratos de subempreitada, de serviços temporários ou de prestação de serviços, mas vincula o beneficiário do trabalho para responder subsidiariamente pelo cumprimento das obrigações relacionadas com o contrato de trabalho. Nada mais justo, porquanto quem usufrui dos bônus deve suportar os ônus, como assevera a antiga parêmia qui habet commoda, ferre debet onera. Em sintonia com esse pensamento central estão o art. 455 da CLT, o art. 16 da Lei n /74, que trata do trabalho temporário, o art. 8º da Convenção n. 167 da OIT, o Enunciado n. 331/TST e farta jurisprudência. (TRT 3ª R. - 2ª Turma - RO-9706/00 - Rel. Juiz Sebastião Geraldo de Oliveira - DJMG , p. 18) AGRAVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. RESPONSABILIZAÇÃO SUBSIDIÁRIA TRABALHISTA. TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. SÚMULA 331, IV/TST. A Súmula 331/IV/TST, ao estabelecer a Responsabilidade subsidiária da entidade tomadora de serviços, tem o mérito de buscar alternativas para que o ilícito trabalhista não favoreça aquele que já foi beneficiário do trabalho perpetrado. Realiza, ainda, de forma implícita, o preceito isonômico, consubstanciado no art. 5º, caput, e I, da CF. (Agravo desprovido. Processo: A-ED-AIRR Data de julgamento: 28/04/2010, Relator Ministro: Mauricio Godinho Delgado, 6ª Turma, Data de Publicação: DEJT 07/05/2010.)

7 A solução recomendada à denunciante reside na esfera cível, podendo ser alcançada com ajuizamento de ação própria para ressarcimento de eventuais prejuízos sofridos. Nego provimento ao Recurso. Voto: Proposta de arquivamento que se homologa seja porque a hipótese é direito individual de natureza patrimonial e disponível, portanto tutelável por via de instrumento jurídico apto e idôneo à satisfação do direito (ação trabalhista) dito violado; seja porque comprovado, nos autos, a ineficiência no dever de zelo e atenção na contratação da empresa prestadora de serviços, bem como na fiscalização da execução do contrato. Brasília, 14 de outubro Edelamare Melo Relatora Procuradora Regional do Trabalho

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado 13/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS DIREITO DO TRABALHO TERCEIRIZAÇÃO

ROTEIRO DE ESTUDOS DIREITO DO TRABALHO TERCEIRIZAÇÃO ROTEIRO DE ESTUDOS DIREITO DO TRABALHO TERCEIRIZAÇÃO Estudamos até o momento os casos em que há vínculo empregatício (relação bilateral, nas figuras de empregado e empregador) e, também, casos em que existe

Leia mais

Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização

Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização São Paulo, 28 de Abril de 2015 Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização Objetivos da Terceirização Aumentar a produtividade e reduzir custos. Aumento de qualidade em razão da especialização das empresas

Leia mais

Terceirização. A precarização das relações trabalhistas No Brasil

Terceirização. A precarização das relações trabalhistas No Brasil Terceirização A precarização das relações trabalhistas No Brasil RELAÇÃO DE EMPREGO (ARTIGO 3º DA CLT) Pessoalidade Subordinação Trabalho não eventual remuneração O QUE É TERCEIRIZAÇÃO? É uma prática administrativa

Leia mais

Reclamação 17.383-SP-Eletrônico Celso de Mello

Reclamação 17.383-SP-Eletrônico Celso de Mello Nº 2.791 PGR-RJMB -Eletrônico Relator: Ministro Celso de Mello Reclamante: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Reclamado: Tribunal Superior do Trabalho RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL E ADMINIS- TRATIVO.

Leia mais

DIREITO TRABALHO. Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) PROFESSORA EVELIN POYARES

DIREITO TRABALHO. Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) PROFESSORA EVELIN POYARES DIREITO TRABALHO Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) PROFESSORA EVELIN POYARES Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) O artigo de hoje é

Leia mais

Terceirização: o que é? terceirização

Terceirização: o que é? terceirização Terceirização: o que é? A terceirização é o processo pelo qual uma empresa deixa de executar uma ou mais atividades realizadas por trabalhadores diretamente contratados por ela, e as transfere para outra

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 4ª Região Membro Oficiante: Dr. Fabiano Holz Beserra Interessado 1: TRT 4ª Região Interessado 2: Prefeitura Municipal de Porto Alegre Assunto: Fraudes Trabalhistas 03.01.09 - Trabalho na Administração

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT da 15ª Região Órgão Oficiante: Dra. Fabíola Junges Zani Interessado 1: Sindicato dos Empregados no Comércio de Itú Interessado 2: Lojas do Carmo utilidades domésticas LTDA. Assuntos: Temas

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

Contrato de Facção não é Terceirização

Contrato de Facção não é Terceirização Contrato de Facção não é Terceirização A jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho tem distinguindo com bastante clareza o contrato de facção (que fragmenta a produção delegando a sua execução a

Leia mais

A REFORMA DA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS

A REFORMA DA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS A REFORMA DA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS Tocantins Advogados TERCEIRIZAÇÃO * * * * PROJETO DE LEI - 4.330/04 CENÁRIO ATUAL Não existe lei de terceirização, mas sim, lei de trabalho temporário (Lei 6.019/74)

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO. Autor: Ivaldo Kuczkowski, Advogado Especialista em Direito Administrativo e Conselheiro de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções.

TERCEIRIZAÇÃO. Autor: Ivaldo Kuczkowski, Advogado Especialista em Direito Administrativo e Conselheiro de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções. TERCEIRIZAÇÃO Autor: Ivaldo Kuczkowski, Advogado Especialista em Direito Administrativo e Conselheiro de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções. INTRODUÇÃO Para que haja uma perfeita compreensão sobre

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT da 4ª Região Órgão Oficiante: Dr. Roberto Portela Mildner Interessado 1: Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região. Interessado 2: Banco Bradesco S/A. Assuntos: Meio ambiente do trabalho

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO FEITO PGT/CCR/ICP/Nº 7819/2013 DO Origem: PRT 18ª Região Interessado(s) 1: Prumus Construções e Empreendimentos Ltda. Interessado(s) 2: Ministério Público do Trabalho Assunto(s): Meio Ambiente do Trabalho

Leia mais

A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA

A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA Luciano Rocha Mariano 1 Limita-se o presente tema acerca da terceirização perante o Direito do Trabalho, focado no âmbito empresarial privado. De plano,

Leia mais

Auditoria em Finanças. Rosilene Berton Paschoalin Marcia Cristina Feltes

Auditoria em Finanças. Rosilene Berton Paschoalin Marcia Cristina Feltes Auditoria em Finanças Rosilene Berton Paschoalin Marcia Cristina Feltes Atribuições (Lei Municipal nº 10.130/2000) Art. 8º -Ficam acrescidas às competências da Secretaria Municipal de Finanças, descritas

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 4ª Região Santa Cruz do Sul/RS Interessado(s) 1: SINDITAXI Sindicato dos Taxistas de Santa Cruz do Sul Interessado(s) 2: Município de Sobradinho Assunto(s): Liberdade e Organização Sindical

Leia mais

distinguir a terceirização das demais formas de sub-contratação de serviços;

distinguir a terceirização das demais formas de sub-contratação de serviços; Terceirização 1. Introdução O objeto de estudo da presente aula será o fenômeno moderno representado pela terceirização de determinadas atividades pelas empresas, seja como forma de aumentar sua produtividade

Leia mais

PONTO 1: Litisconsórcio na Seara Laboral PONTO 2: Sucessão Trabalhista PONTO 3: Terceirização 1. LITISCONSÓRCIO NA SEARA LABORAL

PONTO 1: Litisconsórcio na Seara Laboral PONTO 2: Sucessão Trabalhista PONTO 3: Terceirização 1. LITISCONSÓRCIO NA SEARA LABORAL 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Litisconsórcio na Seara Laboral PONTO 2: Sucessão Trabalhista PONTO 3: Terceirização 1. LITISCONSÓRCIO NA SEARA LABORAL 1.1 FORMAÇÃO DE LITISCONSÓRCIO PASSIVO FACULTATIVO

Leia mais

Trata-se de recurso administrativo interposto pela Procuradora do Trabalho Carina Rodrigues Bicalho, em face da decisão que indeferiu a

Trata-se de recurso administrativo interposto pela Procuradora do Trabalho Carina Rodrigues Bicalho, em face da decisão que indeferiu a Origem: PRT 1ª REGIÃO Membro Oficiante: MARCELA CONRADO DE FARIAS RIBEIRO Interessado 1: MUNICÍPIO DE ITAPERUNA Interessado 2: MPT Assunto: TRABALHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 04.08 RECURSO ADMINISTRATIVO.

Leia mais

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT da 15ª Região São José dos Campos/SP Órgão Oficiante: Dr. Alexandre Salgado Dourado Martins Interessado 1: Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Motéis, Bares, Restaurantes e Similares de

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

TERCEIRIZAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS TERCEIRIZAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS Projeto de Lei 4330 de 2004 (Autor Dep. Sandro Mabel) Aprovado na CDEIC e CTASP COMISSÃO ESPECIAL Relator Dep. Roberto Santiago CCJC Relator Dep. Arthur Maia Comissão

Leia mais

Terceirização. Ivan Luís Bertevello

Terceirização. Ivan Luís Bertevello Terceirização Ivan Luís Bertevello INTRODUÇÃO Terceirizar os serviços é delegar para outras empresas serviços e atividades não essenciais (atividades-meio) da sua empresa, a fim de que possa se concentrar

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR 16575/2012

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR 16575/2012 Origem: PRT 4ª Região Membro Oficiante: Dr. Viktor Byruchko Junior Interessado 1: MPT Interessado 2: Cardioclínica Pronto Socorro e Clinica Cardiolog. Ltda. Assunto: Temas Gerais 09.10. EMENTA: FGTS. AUSÊNCIA

Leia mais

Contratos de prestação de serviços - Terceirização

Contratos de prestação de serviços - Terceirização Contratos de prestação de serviços - Terceirização Inicialmente há que se esclarecer quais os pontos básicos que podem definir a licitude ou ilicitude da terceirização de serviços, tendo como base as permissões

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Processo PGT/CCR/ICP/Nº 13120/2014 Câmara de Coordenação e Revisão Origem: PRT 2ª Região. MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Interessados: 1. Fábio Oliveira Freitas 2. CREA/SP Conselho Regional de Engenharia

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: ICP 0288/2007 PRT/2ª S. Bernardo do Campo Procurador oficiante: Dr. João Filipe Moreira Lacerda Sabino Interessado: Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO TEMPORÁRIO

CONTRATO DE TRABALHO TEMPORÁRIO CONTRATO DE TRABALHO TEMPORÁRIO A contratação de empregados por prazo certo e determinado (temporário) é permitida excepcionalmente por meio de legislação específica para que as empresas possam atender

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT da 2ª Região Órgão Oficiante: Dra. Danielle Leite de P. Costa Interessado 01: Alexandre Rodrigues Mendes, Esdras Santos Lima e Marcio Bernardino Rosa Interessado 02: Sindicato dos Trabalhadores

Leia mais

Processo PGT/CCR/PP/Nº 7588/2014

Processo PGT/CCR/PP/Nº 7588/2014 Processo PGT/CCR/PP/Nº 7588/2014 Câmara de Coordenação e Revisão Origem: PRT 1ª Região. Interessados: 1. PRT 1ª Região 2. Copacabana Praia Hotel, Schipper engenharia LTDA Assunto: Fraudes Trabalhistas

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCURADORIA GERAL DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCURADORIA GERAL DO TRABALHO PROCESSO PGT/CCR/3735/2012 PRT 4ª REGIÃO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCURADORA OFICIANTE: DRA. BEATRIZ DE HOLLEBEN JUNQUEIRA FIALHO INTERESSADOS: SHEILA BELLÓ INTERESSADO 2: UNIMED PORTO ALEGRE SOCIEDADE

Leia mais

IMPLICAÇÕES JURÍDICAS DA TERCEIRIZAÇÃO NO B R A S I L S I T U A Ç Ã O ATUAL E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO. São Paulo, 14 de abril de 2015.

IMPLICAÇÕES JURÍDICAS DA TERCEIRIZAÇÃO NO B R A S I L S I T U A Ç Ã O ATUAL E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO. São Paulo, 14 de abril de 2015. IMPLICAÇÕES JURÍDICAS DA TERCEIRIZAÇÃO NO B R A S I L S I T U A Ç Ã O ATUAL E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO São Paulo, 14 de abril de 2015. ÍNDICE Cenário Por que as empresas terceirizam? Regramento legal

Leia mais

PROJETO DE LEI DA CUT PARA A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NAS EMPRESAS PRIVADAS E DE ECONOMIA MISTA

PROJETO DE LEI DA CUT PARA A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NAS EMPRESAS PRIVADAS E DE ECONOMIA MISTA PROJETO DE LEI DA CUT PARA A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NAS EMPRESAS PRIVADAS E DE ECONOMIA MISTA O texto que se segue foi elaborado pela CUT, por meio do GT Terceirização, coordenado pela Secretaria

Leia mais

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual.

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Legitimidade - art. 499 CPC: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. Preposto é parte? Pode recorrer? NÃO.

Leia mais

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3 DIREITO DO TRABALHO PEÇA PROFISSIONAL Ponto 1 Pedro ingressou com reclamação trabalhista contra o estado de São Paulo para ver reconhecido o vínculo de emprego entre ambos, ainda que não tenha havido prévia

Leia mais

Programa Saber Direito TV Justiça Outubro de 2010. DIREITO DO TRABALHO APLICADO À ADMINISTRAÇÃO SABER DIREITO Prof Rogerio Neiva

Programa Saber Direito TV Justiça Outubro de 2010. DIREITO DO TRABALHO APLICADO À ADMINISTRAÇÃO SABER DIREITO Prof Rogerio Neiva Programa Saber Direito TV Justiça Outubro de 2010 Curso: Regime do Emprego Público Professor: Rogerio Neiva DIREITO DO TRABALHO APLICADO À ADMINISTRAÇÃO SABER DIREITO Prof Rogerio Neiva = ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

GOUVÊA FRANCO ADVOGADOS

GOUVÊA FRANCO ADVOGADOS O DIREITO DE REGRESSO DO INSS: ACIDENTES DE TRABALHO E A LEI Nº 8.213/91 Introdução: Recentemente, por todo o Brasil, constata-se na Justiça Federal o crescente aumento de ações regressivas propostas pelo

Leia mais

C Â MARA DOS DEPUTADOS Deputado Federal MIGUEL CORRÊA PT/MG

C Â MARA DOS DEPUTADOS Deputado Federal MIGUEL CORRÊA PT/MG COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 1.621, DE 2007 (Apenso o PL nº 6.832, de 2010) Dispõe sobre as relações de trabalho em atos de terceirização e na prestação

Leia mais

Nº 70033432600 COMARCA DE PORTO ALEGRE

Nº 70033432600 COMARCA DE PORTO ALEGRE APELAÇÃO CÍVEL. LICITAÇÃO E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. CGTEE. CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS ESPECIALIZADOS NAS ÁREAS TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA. TÉRMINO DO PRAZO DE VIGÊNCIA DO CONTRATO. AUSÊNCIA

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 13ª REGIÃO Órgão Oficiante: DRA. MARIA EDLENE LINS FELIZARDO Interessado 1: MPT Interessado 2: MASTER ELETRÔNICA LTDA (FILIAL LASER ELETRO) Assunto: TEMAS GERAIS 09.06.03 09.06.03.04 RECURSO:

Leia mais

O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO

O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO E SUAS DIFICULDADES Jeferson Alves dos Santos Auditor Chefe da UNIFAL-MG OBJETIVO * Abordar as principais dificuldades inerentes à execução dos processos de terceirização. *

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/ICP/15345/2012 ORIGEM: PRT 2ª REGIÃO PROCURADOR OFICIANTE: DRA. ASSUNTO: TEMAS GERAIS

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/ICP/15345/2012 ORIGEM: PRT 2ª REGIÃO PROCURADOR OFICIANTE: DRA. ASSUNTO: TEMAS GERAIS CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/ICP/15345/2012 ORIGEM: PRT 2ª REGIÃO PROCURADOR OFICIANTE: DRA. DÉBORA MONTEIRO LOPES INTERESSADO 1: MIRELLA NICACIO INTERESSADO 2: SALES COMÉRCIO E SERVIÇOS

Leia mais

Novidades Trabalhistas

Novidades Trabalhistas Novidades Trabalhistas Acerto rescisório, demora na liberação da guia do seguro-desemprego e ausência de punição gradativa são os temas tratados nessa quinzena e que merecem atenção das empresas. Veja

Leia mais

www.bicharalaw.com.br 2015 Bichara, Barata & Costa Advogados. É proibida duplicação ou reprodução sem a permissão expressa do Escritório.

www.bicharalaw.com.br 2015 Bichara, Barata & Costa Advogados. É proibida duplicação ou reprodução sem a permissão expressa do Escritório. www.bicharalaw.com.br 2015 Bichara, Barata & Costa Advogados. É proibida duplicação ou reprodução sem a permissão expressa do Escritório. APRESENTAÇÃO Fundado em 2001 Mais de 130 advogados e 360 colaboradores

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 19.414/2011

PROJETO DE LEI Nº 19.414/2011 PROJETO DE LEI Nº 19.414/2011 Institui mecanismo de controle do patrimônio público do Estado da Bahia, dispondo sobre provisões de encargos trabalhistas a serem pagos às empresas contratadas para prestar

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA (TAC) (PEÇAS DE INFORMAÇÃO PI Nº 206/2006)

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA (TAC) (PEÇAS DE INFORMAÇÃO PI Nº 206/2006) TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA (TAC) (PEÇAS DE INFORMAÇÃO PI Nº 206/2006) O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, representado, neste ato, pelo Procurador Regional

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO: CRITÉRIOS DA SÚMULA 331 DO TST E A RESPONSABILIDADE DO TOMADOR SOBRE OS TÍTULOS TRABALHISTAS 1

TERCEIRIZAÇÃO: CRITÉRIOS DA SÚMULA 331 DO TST E A RESPONSABILIDADE DO TOMADOR SOBRE OS TÍTULOS TRABALHISTAS 1 1 TERCEIRIZAÇÃO: CRITÉRIOS DA SÚMULA 331 DO TST E A RESPONSABILIDADE DO TOMADOR SOBRE OS TÍTULOS TRABALHISTAS 1 Michel Olivier Giraudeau 1. O conceito de terceirização Sabe-se que a expressão terceirização

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: Interessado(s) 1: Interessado(s) 2: Assunto(s): PRT 1ª Região Cabo Frio/RJ Sigiloso Hopevig Vigilância e Segurança Ltda. Trabalho portuário e aquaviário 05.04. Temas gerais 09.14.01 09.14.08. 09.14.09.

Leia mais

CANCELAMENTO DE SÚMULAS E ORIENTAÇÕES JURISPRUDENCIAIS

CANCELAMENTO DE SÚMULAS E ORIENTAÇÕES JURISPRUDENCIAIS CANCELAMENTO DE SÚMULAS E ORIENTAÇÕES JURISPRUDENCIAIS COMO ERA OJ 156 SDI 1 COMPLEMENTAÇÃO DE APOSENTADORIA. DIFERENÇAS. PRESCRIÇÃO (inserida em 26.03.1999) Ocorre a prescrição total quanto a diferenças

Leia mais

Nº 70048989578 COMARCA DE PORTO ALEGRE BARBARA DE PAULA GUTIERREZ GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA A C Ó R D Ã O

Nº 70048989578 COMARCA DE PORTO ALEGRE BARBARA DE PAULA GUTIERREZ GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CÍVEL. DIREITO PRIVADO NÃO ESPECIFICADO. SITE DE BUSCA. O trabalho da demandada é tão somente de organizar o conteúdo já existente na internet, cuja elaboração é realizada por terceiros. Ou seja,

Leia mais

A TERCEIRIZAÇÃO DOS SERVIÇOS NAS ESFERAS PÚBLICA E PRIVADA

A TERCEIRIZAÇÃO DOS SERVIÇOS NAS ESFERAS PÚBLICA E PRIVADA A TERCEIRIZAÇÃO DOS SERVIÇOS NAS ESFERAS PÚBLICA E PRIVADA Manuel Martín Pino Estrada SUMÁRIO: 1 Introdução. 2 Conceito de Terceirização. 3 A Súmula nº 331 do TST e a Terceirização nas Esferas Pública

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO ORIGEM: PRT da 3ª Região ÓRGÃO OFICIANTE: Dr. Marcelo dos Santos Amaral INTERESSADO 01: 1ª Vara do Trabalho de Formiga INTERESSADO 02: Adição Distribuição Express LTDA REVISTA ÍNTIMA. VIOLAÇÃO DOS PRINCÍPIOS

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DO Origem: PRT 11ª Região Interessado(s) 1: Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Amazonas Interessado(s) 2: Jornal do Conércio Ltda. Interessado(s) 3: Ministério Público do Trabalho Assunto(s):

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO ORIGEM: PRT da 4ª REGIÃO Santa Maria/RS ÓRGÃO OFICIANTE: Dr. Evandro Paulo Brizzi Interessado 1: Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Santiago Interessado 2: Hospital de

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 14ª REGIÃO JI-PARANÁ/RO Órgão Oficiante: DRA. PRISCILA LOPES PONTINHA ROMANELLI Interessado 1: ROBERTO NASCIMENTO DA SILVA Interessado 2: BANCO DO BRASIL S/A (AGÊNCIA DE SERINGUEIRAS) Assunto:

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO nº 2006.0003375-3/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE APUCARANA Recorrente...: ROVIGO INDUSTRIA E COMERCIO DE CONFECÇÕES LTDA Recorrida...: FINASA LEASING ARRENDAMENTO MERCANTIL

Leia mais

8º.Seminário de Qualificação do Servidor Público Municipal

8º.Seminário de Qualificação do Servidor Público Municipal 8º.Seminário de Qualificação do Servidor Público Municipal FUP Federação Única dos Petroleiros Secretaria de Relações Internacionais e Setor Privado Anselmo Ernesto Ruoso Jr. Porto Alegre, 10 de maio de

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 2ª SANTOS/SP Órgão Oficiante: DRA. GISELLE ALVES DE OLIVEIRA Interessado 1: SIGILOSO Interessado 2: NORTON NUMES RECUPERAÇÃO DE ATIVOS LTDA Assunto: TEMAS GERAIS 09.06.02.01. 09.06.03.01. JORNADA

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 10ª REGIÃO Órgão Oficiante: DR. SEBASTIÃO VIEIRA CAIXETA Interessado 1: SIGILOSO Interessado 2: VALEC ENGENHARIA CONSTRUÇÕES E FERROVIAS S/A Assunto: TRABALHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 04. TEMAS

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Origem: PRT 12ª Região Interessado(s) 1: Rogério Ferreira Chaves Interessado(s) 2: ECT Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Assuntos:

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Atualizado até 13/10/2015 RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO NOÇÕES INTRODUTÓRIAS Quando se fala em responsabilidade, quer-se dizer que alguém deverá

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-143700-45.2008.5.01.0343. A C Ó R D Ã O (3ª Turma) GMMGD/rmc/ef

PROCESSO Nº TST-RR-143700-45.2008.5.01.0343. A C Ó R D Ã O (3ª Turma) GMMGD/rmc/ef A C Ó R D Ã O (3ª Turma) GMMGD/rmc/ef AGRAVO DE INSTRUMENTO DO RECLAMANTE. RECURSO DE REVISTA. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO. INCLUSÃO DO NOME DO EMPREGADO EM LISTA DE RISCO. DANOS MORAIS. REFERÊNCIA

Leia mais

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções?

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções? LUANA ASSUNÇÃO ALBUQUERK Especialista em Direito do Trabalho Advogada Associada de Cheim Jorge & Abelha Rodrigues - Advogados Associados O CONTRATO TEMPORÁRIO DE TRABALHO São as conhecidas contratações

Leia mais

Processo PGT/CCR/ICP/Nº 7698/2014

Processo PGT/CCR/ICP/Nº 7698/2014 Processo PGT/CCR/ICP/Nº 7698/2014 Câmara de Coordenação e Revisão Origem: PRT 8ª Região Interessados: 1. MPT PRT/8ª - PTM. 2. Elite Serviços de Segurança LTDA Assunto: Exploração do Trabalho da Criança

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO FEITO PGT/CCR/PP/Nº 1848/2011 CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Origem: PRT 1ª Região Cabo Frio/RJ Interessado(s) 1: Sindicato Intermunicipal dos Bombeiros Profissionais

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO fls Fls. 90 Processo PGT/CCR/PP/nº 16851/2013 Câmara de Coordenação e Revisão Interessado: 1. SRTE - Gerência Regional de Pelotas 2. Banco Santander (Brasil) S/A I RELATÓRIO EMENTA: TERCEIRIZAÇÃO ILÍCIA.

Leia mais

Processo PGT/CCR /PP nº 10200/2009

Processo PGT/CCR /PP nº 10200/2009 Origem: Pprep 1738/2008 PRT/ 1ª Região Procurador oficiante: Daniela Ribeiro Mendes Interessado: Irmãos Benassi Produtora e Distribuidora de Frutas Ltda. Assunto: Discriminação a trabalhadores EMENTA:

Leia mais

ARTIGO: DA IMPOSSIBILIDADE DA APLICAÇÃO DO ENUNCIADO 331 DO TST EM CONTRATO DE CONVÊNIO COM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.

ARTIGO: DA IMPOSSIBILIDADE DA APLICAÇÃO DO ENUNCIADO 331 DO TST EM CONTRATO DE CONVÊNIO COM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. ARTIGO: DA IMPOSSIBILIDADE DA APLICAÇÃO DO ENUNCIADO 331 DO TST EM CONTRATO DE CONVÊNIO COM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Autores: SANDRA CRISTINA FLORIANO PEREIRA DE OLIVEIRA SANCHES, bacharel em direito pela

Leia mais

Parecer nº 001/2015 SINFITO RJ Rio de Janeiro, 18 de Junho de 2015

Parecer nº 001/2015 SINFITO RJ Rio de Janeiro, 18 de Junho de 2015 Reconhecido em 10/08/1988 Código: 012.350.49525-9 Parecer nº 001/2015 SINFITO RJ Rio de Janeiro, 18 de Junho de 2015 Consultoria Jurídica Consulente: Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PGT/CCR/ICP/2301/2012 ÓRGÃO OFICIANTE: PROCURADORA DO TRABALHO ELEONORA BORDINI COCA INTERESSADO 1: PRT INTERESSADO 2: SINDICATO DOS ENFERMEIROS DO ESTADO DE SÃO PAULO ASSUNTO:

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-144000-70.2005.5.15.0036 - FASE ATUAL: E-ED

PROCESSO Nº TST-RR-144000-70.2005.5.15.0036 - FASE ATUAL: E-ED A C Ó R D Ã O SESBDI-1 VMF/ots/pcp/mmc RECURSO DE EMBARGOS EM RECURSO DE REVISTA IRREGULARIDADE DE REPRESENTAÇÃO ALTERAÇÃO DA RAZÃO SOCIAL DA EMPRESA NOVO MANDATO NECESSIDADE SÚMULA Nº 164 DO TST. Embora

Leia mais

Atualizações Trabalhistas

Atualizações Trabalhistas Atualizações Trabalhistas Aviso-prévio não pode ser suprimido por norma coletiva, suplente de Conselho Fiscal tem estabilidade sindical e empregado pago para não trabalhar deve ser indenizado por assédio

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Origem: PRT 9ª Região Interessado 1: Sigiloso Interessados 2: Município de Curitiba (Secretaria Municipal de Saúde) e Cotrans Locação de

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0355516-46.2008.8.19.0001 Apelante 1 : AZZURRA PARIS VEÍCULOS LTDA. Apelante 2 : SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS Apelados 1 : OS MESMOS Apelado 2

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: Interessado(s) 1: Interessado(s) 2: PRT 15ª Região Ribeirão Preto/SP Josiane Baldo Lucia Helena Lamberte Molinar Gazetti Sandra Regina Barbosa Cuba Cortez Município de Franca Assunto(s): Trabalho

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DO Origem: PRT 4ª Região Interessado(s) 1: Departamento de Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos Secretaria de Direitos Humanos União Federal. Interessado(s) 2: Não Informado Interessado(s) 3: Ministério

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br O Seguro-caução Nas Execuções Trabalhistas Bruno Landim Maia DIREITO DO TRABALHO O seguro-garantia é centenário no mundo, mas recentemente operacionalizado no Brasil, é decorrente

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO POR PERÍODO INDETERMINADO DE ESTRANGEIRO PROFISSIONAL NÃO TÉCNICO / ESPECIALISTA

CONTRATO DE TRABALHO POR PERÍODO INDETERMINADO DE ESTRANGEIRO PROFISSIONAL NÃO TÉCNICO / ESPECIALISTA Avenida Paulista 2006, 16º andar 01312-200 São Paulo, SP Brasil Telefone: (+55 11) 32 97 31 21 Fax: (+55 11) 32 97 31 17 Cabinet Chantereaux 22, Place du Général Catroux 75017 Paris FRANCE téléphone: (+33)

Leia mais

Contrarrazões da primeira ré às fls.455/465, do reclamante às fls. 466/468, e da segunda ré às fls.469/471.

Contrarrazões da primeira ré às fls.455/465, do reclamante às fls. 466/468, e da segunda ré às fls.469/471. Acórdão 10a Turma INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL- DEFERIMENTO - O dano moral configura-se por um sofrimento decorrente de lesão de direitos não-patrimoniais caracterizado por excesso, abuso, tratamento humilhante

Leia mais

Sindicato dos Corretores de Planos de Saúde Médicos e Odontológicos - SINCOPLAN Interessado 2:

Sindicato dos Corretores de Planos de Saúde Médicos e Odontológicos - SINCOPLAN Interessado 2: MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL DO TRABALHO GABINETE DA SUBPROCURADORA-GERAL DO TRABALHO IVANA AUXILIADORA MENDONÇA SANTOS Processo PGT/CCR/PP 6105/2014 Origem: PRT 2ª Região Interessado

Leia mais

Terceirização de serviços na construção civil em Goiânia

Terceirização de serviços na construção civil em Goiânia 1 Roberto Éder Machado robertoeder@gmail.com MBA em Gestão de Projetos para Engenharias e Arquitetura Instituto de Pós-Graduação - IPOG Goiânia, GO, 08 de janeiro de 2014. Resumo Com o propósito de ressaltar

Leia mais

AUTO DE INFRAÇÃO. NULIDADE

AUTO DE INFRAÇÃO. NULIDADE A C Ó R D Ã O (2ª Turma) GDCVF/AM/mrm AGRAVO DE INSTRUMENTO. AUTO DE INFRAÇÃO. NULIDADE. A Corte Regional, com base no conjunto fático-probatório, concluiu que não estavam presentes os requisitos configuradores

Leia mais

PROJETO DE LEI 4330 DISCUSSÃO ACERCA DA TERCEIRIZAÇÃO

PROJETO DE LEI 4330 DISCUSSÃO ACERCA DA TERCEIRIZAÇÃO PROJETO DE LEI 4330 DISCUSSÃO ACERCA DA TERCEIRIZAÇÃO Análise acerca das últimas discussões sobre o Projeto de Lei 4330, que regula o contrato de prestação de serviços terceirizados e as relações de trabalho

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-4919-70.2012.5.12.0028. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/apm/lf

PROCESSO Nº TST-RR-4919-70.2012.5.12.0028. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/apm/lf A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/apm/lf I - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. PROCESSO ELETRÔNICO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA. CONTRATAÇÃO DE OUTRO EMPREGADO NAS MESMAS CONDIÇÕES. AUSÊNCIA DE PROVA

Leia mais

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA.

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. 1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. Fundamento legal: Art. 840 CLT Subsidiariamente: 282 do CPC. Partes: Reclamante (autor), Reclamada (ré). Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz do Trabalho da ª Vara

Leia mais

PONTO 1: Contrato Individual 1. CONTRATO INDIVIDUAL. 1.1 PRINCÍPIOS, RELAÇÃO DE EMPREGO e DEFINIÇÃO

PONTO 1: Contrato Individual 1. CONTRATO INDIVIDUAL. 1.1 PRINCÍPIOS, RELAÇÃO DE EMPREGO e DEFINIÇÃO 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Contrato Individual 1. CONTRATO INDIVIDUAL 1.1 PRINCÍPIOS, RELAÇÃO DE EMPREGO e DEFINIÇÃO Relação de emprego, conforme a CLT, é apenas para trabalhadores urbanos. Art. 7º

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL A sociedade empresária Pedreira TNT Ltda. foi condenada em 1º grau na reclamação trabalhista movida pelo exempregado Gilson Cardoso de Lima (Processo 009000-77.2014.5.12.0080),

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO NO BRASIL:

TERCEIRIZAÇÃO NO BRASIL: TERCEIRIZAÇÃO NO BRASIL: Qual trabalho para o desenvolvimento sustentável Painel: A Evolução da Terceirização no Brasil e no Mundo Seminário Terceirização, Evolução e Marco Legal Valor Econômico Artur

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/PP/Nº 10363/2013 ORIGEM: PRT 1ª REGIÃO PROCURADOR OFICIANTE: DR. SANDRO HENRIQUE FIGUEIREDO CARVALHO DE ARAUJO INTERESSADO 1: MPT INTERESSADO 2: COOPERATIVA DE PROFISSIONAIS DE CONSERVAÇÃO

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de EMENTA RECURSO ORDINÁRIO, provenientes da CURITIBA - PR, sendo Recorrentes ADVOGADO ASSOCIADO - VÍNCULO DE EMPREGO - NÃO CONFIGURADO - Comprovado que a parte autora firmou "contrato de associação com advogado"

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 762/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 762/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 762/2014 Referência : E-mail de 17/2/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 341/2014. Assunto : Contábil.

Leia mais

O presente feito foi instaurado para averiguar a legalidade da convenção coletiva firmada entre o Sindicato das Empresas de Asseio e

O presente feito foi instaurado para averiguar a legalidade da convenção coletiva firmada entre o Sindicato das Empresas de Asseio e Origem: Rep 4130/2009 PRT/ 1ª Região Procurador oficiante: João Carlos Teixeira Interessados: Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Rio de Janeiro SEAC/RJ e SINTTEL RJ. Assunto: Ilegalidade

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/PP 3704/2009 ORIGEM: PRT/10ª REGIÃO PROCURADOR OFICIANTE: LUÍS PAULO VILLAFAÑE GOMES SANTOS INTERESSADO(S): 1 SINDICATO DOS TRABALHADORES MOTOCICLISTAS, CICLISTAS E AFINS DE MG 2 TELEMONT

Leia mais

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Origem: PRT 12ª Região Interessado(s) 1: Jailson Araújo de Jesus e outro Interessado(s) 2: Construtora Lupe Ltda. Interessado(s) 3: Ministério Público do Trabalho Assunto(s):

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 5 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000429851 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Mandado de Segurança nº 0226204-83.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é impetrante EDEMAR CID FERREIRA,

Leia mais